Você está na página 1de 15

8/13/2016

UNIEURO - Centro Universitário Materiais


Odontologia – Materiais Odontológicos Odontológicos
• Histórico
Materiais •

Classificação e
Propriedades

Profa. Ms Alessandra Reis


Profa. Dra.. Silvia Lustosa de Castro
Profa. Ms.. Walkiria Mendes

Histórico Histórico

"Os dentes naturais eram substituídos por  Por volta de 3.000 a.C registro da
dentes humanos ou de animais e por materiais como prática odontológica.
marfim e conchas ”
 XVII – desenvolvimento com
alicerce científico

 1774 – substituição dos dentes de


marfim por dentes de cerâmica

 1789 - porcelana fundida

Chain, et al, 2013

1
8/13/2016

Histórico Propriedades:
 Século XIX - meados  amálgama dental
(amálgama de prata) FÍSICAS
MECÂNICAS
- final  cimento de fosfato de zinco QUÍMICAS
Materiais
 Século XX – início –> ligas metálicas
1935 –> resina acrílica polimerizável
Odontológicos
BIOLÓGICA ESTÉTICA
Para o estabelecimento de um padrão de pesquisa foi
PREVENÇÃO necessário criar métodos e sistemas de testes para a
avaliação das propriedades.

Associações e Órgãos Reguladores Materiais Metálicos


Especificações
• Ligas metálicas presentes em peças protéticas
 Confiabilidade, controle de qualidade e limites de indicações
• Aparelhos ortodônticos
 American Dental Association (ADA) - 1928
 National Institute of Standars and technology (NIST) • Limas endodôntica
 International Organization for Standardization.(ISO)
 Fedération Dentaire Internationale (FDI) • Implantes
 Food and Drug Administration (FDA)
 Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)
• Instrumentos odontológicos
 Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)

2
8/13/2016

Materiais Cerâmicos Materiais Poliméricos


• Propriedades físicas semelhantes a da estrutura  Substâncias compostas por cadeias de monômeros
dental
• Metacrilados - mais utilizados
• Excelente capacidade de reproduzir a cor natural do
esmalte e da dentina • Resina acrílicas e Resinas compostas
• Resistentes à corrosão
• Cimentos odontológicos
• Ótima biocompatibilidade
• Materiais de molgagem
• Dureza compatível com a do esmalte
• Adesivos e Selantes
• Baixa condutibilidade térmica

Te s t e s
"São ensaios que buscam simular o
comportamento dos materiais em condições
próximas às bucais, de maneira que os resultados
possam conjecturar seu desempenho clínico."
• Resistência à compressão
• BIOCOMPATIBILIDADE
• Resistência ao cisalhamento
• Tração
• Resistência flexural
• Ensaios de microinfiltração
• Microcisalhamento

3
8/13/2016

Introdução Introdução
O Ligação intermoleculares:
O Matéria composta por átomos
O Ponte de hidrogênio: dipolo permanente – água (resinas
sintéticas)
O Ligações interatômicas: O Forças de Van der Waals: dipolo induzido (dipolo-dipolo)
O Covalentes: elétrons compartilhados (resinas)  Compartilhamento desigual de e- (movimentos aleatórios –
O Iônicas: atração mútua de cargas + e - (gesso)
flutuantes)

O Metálicas: nuvem de elétrons livres

Introdução
O Energia térmica: Sólido, líquido e gasoso.

O MDNM são maus condutores de eletricidade devido


a diferentes temperaturas.

4
8/13/2016

Translucidez Transparência

O Propriedade dos materiais de permitir a passafem O Propriedade dos materiais de permitir a passagem da
de luz, formando feixes de luz com trajetórias luz com feixes de luz bem definidos, gerando pouca
irregulares. Assim os objetos ficam pouco nítidos, distorção posssivilitando a visualização perfeita através
não sendo distinguidos através o material. do material. Ex: vidro, acrílico transparente.

O Ex: (cerâmicas e resinas compostas)

Opacidade COR
O Propriedade dos materiais de obstruir a O Matiz: descreve a cor predominante
passagem da luz O Luminosidade: indica a claridade de uma
cor

5
8/13/2016

COR
O Saturação: representa o grau de
intensidade de um matiz, cores com ou sem
brilho.

Adesão Fenômeno de Superfície


O Adesão: dois materiais são colocados em O Energia de superfície
contato, e as moléculas dos substratos sofrem O Superfície ionizada
atração mútua. O Relacionada ao sólido
O Tensão superficial (TS)
O Relacionado ao líquido (forças contrárias).

O Menor a TS Maior a Capaciedade de Adesão


O Ex: Mel Menor a TS

O Ex: Água Maior a TS

6
8/13/2016

Fenômeno de Superfície Fenômeno de Superfície


O Molhamento
O Ângulo de contato (AC)
O Capacidade de escoar sobre a
O É o ângulo formado pela extensão de um
superfície sólida. Ex: Mel e água
adesivo sobre a superfície aderente
O Pode ser alterado por:
O Grau de sujidade O Menor o AC Maior e Melhor o Molhamento.
O Energia de superfície
O Fluidez do adesivo
O Bolhas de ar
O˚ 90˚
O E ângulo de contato

Condutividade Térmica
O Transmissão de calor em materiais
sólidos ocorre preferencialmente
por condução.
O Transferência de calor através do
fluxo de energia

Coeficiente de expansão térmica:


alteração da dimensão quando a
temperatura é aumentada.

7
8/13/2016

Propriedades Mecânicas
O Tensão: Força de deslocamento medida
numa área
O Deformação:
O Elástica: recupera a forma original
(estilingue)
O Plástica: não volta ao estado original

Propriedades Mecânicas Propriedades Mecânicas


O Tração: força que tende a alongar o corpo, forças O Compressão: corpo colocado sob uma carga com
aplicadas na mesma direção mas em sentidos tendência de encurtá-lo. Forças na mesma direção
opostos de afastamento (esticar). e com sentidos opostos de aproximação.
O Ex: Mastigação

8
8/13/2016

Propriedades Mecânicas Módulo de elasticidade


O Cisalhamento: Porção plana de um material desliza
O Descreve a rigidez relativa de um material
sobre a outra porção. Duas forças paralelas de
mesmo sentido, porém com direções opostas
(deslizamento). O Proporção entre tensão e deformação em módulo

O Mais flexível= elástico


O Menos flexível= rígido

O Brunimento de matrix metálica

Resistência Tenacidade
O Tensão máxima para fraturar uma estrutura O Quantidade de deformação necessária para
O Materiais muito frágeis apresentam resistência à fraturar o material.
tração acentuadamente menor que a resistência a O Difícil de quebrar.
compressão.

9
8/13/2016

Friabilidade Resiliência
O Quantidade de energia absorvida por uma
O Incapacidade relativa do estrutura quando sofre tensões não superiores ao
material suportar uma seu limite de proporcionalidade.
deformação plástica antes O Absorve energia sem sofrer deformação
de fraturar.

O Frágil

Limite de elasticidade Limite de proporcionalidade


O Tensão maior que o material pode sofrer e depois O Maior tensão à qual pode ser submetido o
voltar ao estado natural após a retirada da força material de modo que a tensão seja proporcional a
que provocou a tensão. deformação.

O Força proporcional= deformação

10
8/13/2016

Flexibilidade Metais: Ductibilidade


O Quanto maior o limite de elasticidade, mais O Habilidade do material suportar deformações
elástico é. permanentes, sob carga de tração, sem fraturar-se.
O Ex: Ouro, alumínio, cobre…

Metais: Maleabilidade Dureza


O Habilidade do material resistir deformações
permanentes sem ruptura, sob compressão O Resultado da interação
tal como no materlamento ou laminação de propriedades diversas
para formar placas que influenciam a
capacidade de uma
O Ex: Ouro e platina
superfície resistir a riscos.

11
8/13/2016

Escoamento ou creep Viscosidade


O Deformação lenta e gradual, mesmo sem O Medida de consistência de um fluido e a sua
aumento da força aplicada. resistência ao escoamento.

O Creep: deformação plástica tempo- O Grandes diferenças de viscosidade: creme dental,


dependente do material quando mantido água, mel, creme hidratante.
sob uma carga estática ou sob tensão
constante.

Pseudoplástico Dilatante
O Viscosidade diminui com o aumento da
velocidade constante O Viscosidade aumentada com o aumento da
velocidade de formação (consistência).
O Viscosidade  Velocidade:
O Ex: Clara de Ovo  Clara em neve

12
8/13/2016

Tixotrópico
O Menos viscoso e mais fluído sobre força de
cisalhamento
O Está concetrado e quando agita o recipiente
torna-se menos viscoso.

Propriedades Biológicas Propriedades Biológicas


Características dos materiais biocompatíveis
Biomaterial
1. Não ser prejudicial à polpa e aos tecidos moles.
Definição – “tudo que é harmonioso com a
2. Não conter substância tóxica com poder de difusão
vida e não possui efeitos tóxicos ou entre os tecidos.
3. Não causar resposta alérgica NEM INFLAMATÓRIA.
prejudiciais as funções biológicas”.
4. Não ter potencial carcinogênico.

13
8/13/2016

Propriedades Biológicas Propriedades Biológicas


Testes para avaliação de biocompatibilidade
Estomatite de contato alérgica
Nível I – verificação do poder citotóxico e irritante
1. Cromo, cobalto, mercúrio, níquel, eugenol,
 “in vitro”
formoldeído, halogênicos(cloro e iodo),  “in vivo” (animais)

monômero da resina.
Nível II – avaliação em animais de laboratório
2. Alergia Nível III – avaliação em humanos
Dermatite de contato (látex)

Propriedades Biológicas Propriedades Biológicas


Alterações térmicas:
refeições Galvanismo

utilizações de materiais dentários

Corrosão
Manchamento

14
8/13/2016

Como selecionar o material? Como selecionar o material?


O Adesão O Consistência do material
O Abrasão O Tempo de trabalho
O Biocompatibilidade O Tempo de presa
O Tempo de armazenagem O Custo
O Alterações de temperatura O Estética
O Estabilidade dimensional O Histologia Oral

Como selecionar o material?


O Resistência a cizalhamento
O Absorção de água
O Solubilidade
O Dureza superficial
O Resistência a compressão
O Resistência a tração

15