Você está na página 1de 2

FICHAMENTO – HABEAS CORPUS TOURINHO FILHO

A partir da pg. 668

-Em caso de prisão, há possibilidade do juiz ou tribunal determinar a apresentação do paciente


no dia em dia e hora pelo órgão designados (art. 656, CPP).

- Havendo má-fé ou evidente abuso de autoridade da autoridade coatora, esta será condenada
a pagar as custas respectivas ao processamento do HC (art. 653, CPP), bem como devem ser
extraídas cópias das peças necessária para substanciar investigação competente por eventual
crime de abuso de autoridade (arts 3º e 4º, Lei 4.8.98/65).

- Entendendo necessário, o órgão julgador do HC pode requisitar informações à autoridade


coatora. Recebidas as informações o HC deverá ser julgado dentro de 24 hrs, caso sob
responsabilidade de juiz singular, ou na primeira sessão, se Tribunal.

- O MP não funciona como parecerista na primeira instância.

- Devem constar na petição:

1) indicação do órgão a quem é direigida;

2) nome do paciente;

c) declaração da espécie de constrangimento ou, em caso de simples ameaça ou coação, as


razões em que funda o seu temor; d) a assinatura do impetrante, ou de alguém a seu rogo, e a
designação das respectivas residências.

- A ordem será comunicada através de ofício. Tratando-se de HC liberatório, será expedido


alvará de soltura, salvo se o paciente, por outro motivo, dever continuar preso.

-Há previsão de multa para aquele que obstruir ou embaraçar cumprimento de ordem de HC.

- Possibilidade de liminar em HC. Pressupostos cautelares: periculum in mora e fumus boni


juris. Analogia ao mandado de segurança.

- Compreende Tourinho Filho que a decisão denegando liminar em HC.

- Há jurisprudência que acata possibilidade de HC contra decisão do relator de HC. Exceções à


súmula 691/STF.

- Tourinho Filho compreende que, tratando-se de pessoas indeterminadas, não será possível
concessão de ordem de HC, Mas, se houver a individualização de uma delas, os demais
poderão ser beneficiados, aplicando-se, por analogia, a regra do art. 580, CPP. Várias decisões
do STF neste sentido.
- Pode haver reiteração de pedido de HC com novos argumentos ou documentos. Não se
admitindo a impetração de novo HC idêntico ao anterior.

- utilização corriqueira do HC dirigido STJ, substitutivo de recurso ordinário.

- Se a decisão denegatória partir de Tribunais Superiores, em única instância, o recurso


ordinário será dirigido ao STF.

- Se a concessão ocorrer na primeira instância – Justiça comum estadual ou federal, justiça


eleitoral - , oponível será o recurso em sentido estrito, com fundamento no art. 581, X, CPP,
sem embargo do dever do próprio juiz recorrer de ofício, segundo regra do art. 574, I, CPP.

- Nos demais casos, se concedido o remédio constitucional, o recurso oponível será o


extraordinário ou o especial.

- art. 142, § 2º e vedação de HC em prisão disciplinar: exceções para casos de excesso de prazo
na medida constrangedora, inexistência de previsão legal etc.

- Possibilidade de impetração de Hc contra ato protagonizado por particular.

- Algumas hipóteses de manejo do MS em matéria penal:

1) para o advogado obter vista dos autos fora do cartório;

2) para ser admitido como assistente;

3)contra apreensão em excesso de objetos contrafeitos para instruir ação penal nos crimes
contra a propriedade imaterial;

4) para obter efeito suspensivo ao recurso de agravo em execução e ao recurso em sentido


estrito;

5) para conseguir a restituição de coisas apreendidas.