Você está na página 1de 89

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.

com
2

CAPÍTULO 01 a presença europeia praticamente limitava-se à vila


de São Paulo e a um punhado de núcleos vizinhos.
Inicialmente, os portugueses ampliaram suas terras
GEOPOLÍTICA DO TERRITÓRIO incorporando áreas de domínio espanhol, ainda no
BRASILEIRO período colonial. Diversos fatores contribuíram para o
------------------------------------------------------------- processo expansionista, que acabou por ultrapassar a
linha de Tordesilhas.
BRASIL POLÍTICO: NAÇÃO E TERRITÓRIO
ESTRUTURA POLÍTICA E
“Em conjunto, o Brasil se apresenta em ADMINISTRATIVA
compacta massa territorial, limitada a leste por Nos séculos XVII e XVIII, expedições militares
uma linha costeira extremamente regular, sem portuguesas avançaram ainda mais, instalando
sinuosidades acentuadas nem endentações e, por fortificações no alto curso do rio Amazonas e de seus
isso, em geral, desfavorável à aproximação humana afluentes, ao longo do Rio Guaporé e na margem
e à utilização nas comunicações marítimas; e a esquerda do estuário platino.
oeste, por territórios agrestes, de penetração e
ocupação difíceis (e por isso, até hoje ainda, muito As iniciativas da Coroa Portuguesa obedeciam
pouco habitado), estendidos ao longo das fraldas a interesses estratégicos, na medida em que
da Cordilheira dos Andes, e barrando assim as procuravam estabelecer limites à expansão espanhola
ligações com o litoral Pacífico do continente. na América.
O Brasil, embora ocupe longitudinalmente a
maior parte do território sul-americano, volta-se O PAPEL DA ESPANHA
inteiramente para o Atlântico”.
Caio Prado Júnior. História Econômica do Brasil. Ed. “A história do Brasil está ligada de duas
Brasiliense, 2008. maneiras à do Império Espanhol na América: 1.
Madrid exerce, apoiada no direito, a sua soberania
O processo de formação do território brasileiro, sobre tudo o que se encontra a Oeste do meridiano
lento e irregular, é fruto de uma longa história de de Tordesilhas; 2. A união das duas coroas, que
encontros de povos que aqui viviam e de outros resulta da extinção da dinastia de Avis, reduz,
que vieram a ocupá-lo ao longo dos anos. O Brasil consideravelmente, a liberdade de manobra de
foi assim uma construção, na qual os colonizadores Portugal entre 1580 e 1640.
portugueses se apropriaram de certas áreas,
geralmente expulsando, às vezes escravizando, ou A penetração espanhola na América do Sul
exterminando os índios que as ocupavam, e com o faz-se por Este: O império Inca, que se estendia do
tempo expandiram o seu território e criaram neste Equador ao Chile, passando pelo Peru, pela Bolívia e
novo mundo uma sociedade diferente, que um dia se noroeste da Argentina, foi conquistado entre 1531 e
tornou um Estado-nação “independente”. 1544. É preciso esperar por 1580 para que uma rota
permanente seja aberta entre Potosí e o Rio da Prata,
A gênese do Estado brasileiro encontra-se e que Buenos Aires seja definitivamente fundada. [...]
na colonização portuguesa da América. A expansão
oficial, realizada por expedições militares a serviço de [...] A União das duas coroas foi realizada
Portugal (desde o final do século XVI, e principalmente em 1580. A Espanha não tem inveja da presença
no século XVII), foi responsável pela conquista de uma portuguesa no Brasil e tolera bem o contrabando que
vasta porção do atual território brasileiro. Entretanto, se exerce pela Prata em benefício dos portugueses.
o território não é apenas uma continuação da América A ocupação do Recife pelos holandeses desagrada
Portuguesa: a delimitação das fronteiras atuais, Madrid, mas não ameaça os eixos vitais da construção
concluída apenas no início do século XX, envolveu imperial” lembra apenas que seria loucura abrir
diversos conflitos, negociações econômicas e acordos ainda mais o continente para o Sul, por Buenos
diplomáticos. Nos primeiros séculos de colonização, a Aires. Em 1625, os espanhóis enviam uma frota para
ocupação portuguesa limitou-se ao litoral. A economia libertar Salvador, depois deixam os portugueses
voltava-se para o mercado externo, com a produção praticamente sós face à empresa holandesa”.
de açúcar nas áreas próximas ao litoral. No interior
CLAVAL, Paul. A Construção do Brasil: uma grande
potência em emergência. Ed. Belim, 2004.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


3

A fundação da Vila de São Vicente no litoral NOVO MAPA DAS CAPITANIAS HEREDITÁRIAS
Paulista, em 1532, assinalou o início da colonização dos
domínios portugueses na América, com a distribuição Em 2014, Jorge Cintra, do Instituto Histórico
das primeiras sesmarias, inspiradas na legislação e Geográfico de São Paulo, divulgou um novo mapa
fundiária portuguesa do século XIV. das capitanias hereditárias, baseando-se em novas
pesquisas que mostraram que os mapas anteriores das
No território colonial, os sesmeiros eram capitanias foram elaborados com base nos paralelos
homens da pequena nobreza, militares ou navegantes, e não nos meridianos, o que muda a disposição das
que recebiam as suas glebas como recompensa por capitanias do extremo norte da América Portuguesa.
serviços prestados à Coroa. Ao tomarem posse das
terras, ficavam obrigados apenas a fazê-las produzir em
alguns anos (em geral cinco) e pagar o dízimo à Ordem
de Cristo.

A extensão das sesmarias brasileiras girava em


torno de 10 mil a 13 mil hectares. Assim, as sesmarias
foram o embrião do modelo concentrador que ainda
hoje permanece na estrutura agrária brasileira.

Entre 1534-1536, a Coroa portuguesa implantou


o sistema político-administrativo das capitanias
hereditárias. O território foi dividido em capitanias, lotes
doados a quem tivesse capital para colonizá-los. Os
detentores desses lotes, transmitidos de pai para filho,
eram os capitães-donatários. Esse regime fragmentou
a América Portuguesa em unidade autônomas e
desarticuladas entre si.

ANTIGO MAPA DAS CAPITANIAS HEREDITÁRIAS

Em 1549, numa tentativa de reforçar sua


presença e coordenar os esforços dos capitães-
donatários, a Coroa instalou um Governo Geral na
recém-fundada cidade de Salvador. Mas, na verdade,
Portugal sempre temeu a formação de um centro de
poder unificado em suas colônias do Novo Mundo.

Em 1621, a América Portuguesa foi dividida em


Estado do Brasil e Estado do Maranhão. Este segundo
subordinado apenas à Coroa, destinava-se a garantir
a defesa do litoral setentrional sujeito a ataques de
franceses corsários. Em 1737, afastadas as ameaças
francesas, a atenção da Coroa concentrou-se na
consolidação da soberania sobre a bacia amazônica,

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


4

alterando-se o nome da entidade para Estado do Em 1759, foram organizadas as Capitanias


Grão-Pará e Maranhão e transferindo-se a sede de da Coroa, governadas por funcionários nomeados
São Luiz para Belém. pelo rei. Com a independência do Brasil, essas áreas
transformaram-se em províncias de um Império
As fortificações erguidas pela Coroa Unitário.
confirmaram seu valor estratégico durante as
negociações entre Portugal e a Espanha que levaram Após a independência, ocorrida em 1822,
à assinatura do Tratado de Madri. Após muitas outras áreas se incorporaram ao território do Brasil.
disputas entre Portugal e Espanha, os governantes Essas áreas foram anexadas de países fronteiriços
decidiram aceitar o uti possidetis, um princípio do (como Bolívia, Paraguai e Peru), por meio de tratados
Direito romano pelo qual é considerado dono da terra bilaterais ou por arbitramento internacional1.
aquele que realmente a ocupa.
O Império foi responsável pela fixação de
mais da metade da formação das fronteiras terrestres
brasileiras. Os limites com o Uruguai, anexados por
D. João VI em 1821, foram frutos de acordos de 1828,
que reconheceram a independência do país.

1
Arbitramento Internacional: situação em que outros países são escolhidos para
resolver as questões de fronteira.

FORMAÇÃO DAS FRONTEIRA AO LONGO DA


HISTÓRIA

Fortificações na região amazônica.

Em 1750 foi assinado o Tratado de Madri,


pelo qual foi reconhecida a posse portuguesa da
Amazônia e de outras regiões situadas além dos
limites de Tordesilhas.

ÁREA INCORPORADA PELO TRATADO DE MADRI

As fronteiras com o Paraguai formaram-se a partir do conflito


entre a Tríplice Aliança e o Paraguai, no fim da Guerra do
Paraguai em 1870.

Duque de Caxias e o ditador paraguaio Francisco Solano


O território passou a ter aproximadamente 6.900.000 km². Lopes.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


5

A INDEPENDÊNCIA E A IDENTIDADE NACIONAL O Acre foi o primeiro território federal, criado


Com a Independência, nasceu um imenso em 1903. A política externa do início do período
império nos trópicos, comandados por D. Pedro I. republicano foi marcada pela figura do Barão do
A Constituição de 1824, imposta pelo imperador, Rio Branco, responsável pela delimitação de quase
consolidou o caráter hereditário e escravista desse um terço da extensão das fronteiras terrestres. O
império cuja capital era o Rio de Janeiro. principal feito do Barão do Rio Branco foi a solução
para a Questão do Acre. Após inúmeras revoltas de
seringueiros contra a empresa Bolivian Syndicate, um
cartel estadunidense, Rio Branco iniciou negociações
que culminaram na assinatura do Tratado de Petrópolis
no ano de 1903.

Proclamação da República, Pedro Américo.

Desde o início, a elite imperial dedicou-se à


obra de produção e de uma identidade nacional. O
IHGB (Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro),
organizado em 1838 e presidido a partir de 1849 por
D. Pedro II, reuniu arquitetos dessa obra. Escritores
como Gonçalves Dias e José de Alencar elaboraram
a mitologia romântica do índio. Naturalistas como o
alemão Carl Von Martius dedicaram-se a descrever
Aos poucos, os territórios federais foram
a flora brasileira. Intelectuais como Francisco de
elevados a estados, outros foram extintos com a
Varnhagen e Capistrano de Abreu começaram a gerar
promulgação da Constituição de 1946, como é o
uma narrativa da história colonial, na qual a natureza
caso de Ponta Porã, incorporado ao Mato Grosso
ocupava lugar privilegiado.
(hoje Mato Grosso do Sul). Outros permaneceram até
a Constituição de 1988, quando foram extintos e se
Ao mesmo tempo expedições científicas
transformaram em estados.
e artísticas percorreriam o país produzindo um
paisagismo brasileiro. Os viajantes descreviam,
As sucessivas expansões territoriais, fizeram
desenhavam, gravavam e pintavam a paisagem
do Brasil o maior país da América Latina, seguido pela
tropical, os animais e as plantas, assim como os
Argentina (2.776.889 km²), o Peru (1.285.216 km²), a
índios.
Colômbia (1.138.9145 km²) e a Bolívia (1.098.518 km²).
O PERÍODO REPUBLICANO
EXTENSÃO, LOCALIZAÇÃO E LIMITES
Desde a proclamação da República, em 1889, Com 8.514.876,5 Km² de superfície, o Brasil
as províncias foram transformadas em estados. A é o quinto país do mundo em extensão territorial,
Constituição republicana de 1891, organizou o país sendo superado pela Rússia, Canadá, China e
como Estado federal. Com isso, os estados, unidades Estados Unidos. O território brasileiro corresponde a
da Federação, ganharam autonomia. 1,6% de toda a superfície terrestre, 5,7% das terras
emersas, 20,8% da América e 47,3% da América
Ao longo da República, as mudanças nos do Sul. O território brasileiro atual tem 7.367 km de
limites político-administrativos das unidades da contorno marítimo e 15.719 km de fronteiras terrestres
federação decorreram dos processos de criação limitando-se com 10 países sul-americanos com
de territórios federais e de desmembramentos de
estados.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


6

exceção de Chile e Equador. A maior fronteira é com


a Bolívia (3.126 km) e a menor com o Suriname (593
km). As últimas mudanças com relação as fronteiras
do país aconteceram no fim do século XIX e no início
do século XX, como as questões que envolviam os
territórios do Acre, Palmas, Amapá e Pirara.

FRONTEIRAS ATUAIS

Invasões Holandesas - Batalha dos Guararapes. Vitor


Meirelles de Lima.

PONTOS EXTREMOS - O BRASIL VAI DO


OIAPOQUE AO CHUÍ?

A extensão latitudinal considerável tem como


consequência principal a grande diversidade climato-
botânica e possibilidade de grande diversidade
agrícola em nosso país.

Por muito tempo acreditou-se que o ponto


Fonte: IBGE. Disponível em http://www.ibge.com.br; mais extremo ao norte do nosso território era o
THÉRY, Hervé. Oiapoque, no Amapá. Na realidade, o Monte Caburaí
é a borda de um imenso planalto, com mais de 2000 m
de altitude, que se estende ao longo da fronteira, com
5º 16’ 20” norte, sendo o ponto mais setentrional do
Esse processo de sucessivas expansões Brasil (Norte). Então o ditado correto seria: “O Brasil
territoriais transformou o Brasil no maior país vai do Caburaí ao Chuí”.
da América do Sul. Sua posição astronômica é
determinada pela passagem de dois dos principais
paralelos: a linha do Equador (0°) e o Trópico de
Capricórnio (23°27´S).

A linha do Equador deixa 7% das terras


brasileiras no hemisfério norte e o restante no hemisfério
sul, cortando os estados do Pará, Amazonas, Amapá
e Roraima; o Trópico de Capricórnio coloca 8% da
superfície do país na zona subtropical e 92% das
terras na zona intertropical, cortando os estados do
Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná. Sua posição
geográfica é amplamente favorável impedindo que
haja áreas anecumênicas como altas montanhas,
desertos e áreas predominantemente geladas.

O Monte Caburaí localiza-se 84,5 km mais ao norte


que o Oiapoque.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


7

EQUIDISTÂNCIA QUESTÕES CORRELATAS


(EXERCÍCIO COMENTADO)
O Brasil é considerado um país equidistante, • Comentário apenas em incorretas •
pois as distâncias entre o norte/sul (4.394,7km)
e leste/oeste (4.319,4km) são praticamente as (IEMA-ES - Analista Ambiental-Geografia - 2007)
mesmas. O território brasileiro está localizado na porção
oriental da América do Sul e possui uma extensão
de cerca de 15.719 quilômetros de fronteiras
terrestres, localizadas entre Uruguai, Argentina,
Paraguai, Bolívia, Peru, Colômbia, Venezuela,
Guiana, Suriname e Guiana Francesa. Todas essas
delimitações e demarcações foram consolidadas
ao longo do processo de ocupação colonial e da
soberania do território como Estado-Nação.

Tendo como base essa afirmação, julgue os itens


que se seguem.

A maior parte das delimitações e demarcações


fronteiriças do território brasileiro foram
consolidadas no período colonial. No início do
século XIX, a configuração do território nacional já
estava concluída.

Gabarito: Item Errado


Fonte: IBGE
Comentário: A maior parte das fronteiras brasileiras
foi delimitada no período imperial, e não no período
colonial como destaca a questão.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


8

QUESTÕES CORRELATAS ser dividida em vários grupos: Floresta Amazônica,


Mata Atlântica, Caatinga, Pantanal Mato-
(IEMA-ES - Analista Ambiental-Geografia – 2007) Grossense, Cerrado, Campos, Mata de Araucária,
O território brasileiro está localizado na porção Mata de Cocais, Mangue e Restinga.
oriental da América do Sul e possui uma extensão
de cerca de 15.719 quilômetros de fronteiras A Floresta Amazônica é a floresta tropical de maior
terrestres, localizadas entre Uruguai, Argentina, extensão remanescente no mundo, com cerca de
Paraguai, Bolívia, Peru, Colômbia, Venezuela, 5,5 milhões de km², dos quais algo em torno de
Guiana, Suriname e Guiana Francesa. Todas essas 60% encontram-se em território brasileiro.
delimitações e demarcações foram consolidadas
ao longo do processo de ocupação colonial e da Originalmente, a Mata Atlântica recobria extensa
soberania do território como Estado-Nação. faixa do litoral, do Rio Grande do Norte ao Rio
Grande do Sul. No Nordeste, a devastação foi tão
Tendo como base essa afirmação, julgue os itens acentuada, desde a colonização, que praticamente
que se seguem. só restou o nome Zona da Mata, onde ainda hoje
se concentra o plantio de cana-de-açúcar.
01. Entre os importantes rios brasileiros que fazem
fronteira com países da América do Sul, destacam-se Na defesa das florestas e do meio ambiente, em
o Paraguai e o Paraná, ambos situados na região Sul geral, setores da sociedade se mobilizam, muitas
do país. vezes em organizações não-governamentais
Item Errado (ONGs), para pressionar o poder público para
Comentário: Os rios em questão não estão no sul que este também assuma a responsabilidade da
do país, apenas como o destacado na questão. preservação.
Tendo as informações acima como referência
02. A expansão das fronteiras nacionais representou, inicial e considerando aspectos relevantes da
para o Brasil, a anexação de distintos ecossistemas geografia brasileira, julgue os itens 03 e 04
e de áreas de vocação produtiva, todas importantes
para o desenvolvimento econômico nacional. 03. A ausência de autonomia político-administrativa
Item Correto dos estados e dos municípios caracteriza o Brasil
como Estado unitário, governado diretamente pelo
(PM - AC - Soldado - 2008) O Brasil é uma República Distrito Federal (Brasília).
federativa cuja organização político-administrativa Item Errado
comporta a existência de estados, municípios e o Comentário: Existe sim autonomia político-
Distrito Federal. administrativa dos estados.

O território brasileiro foi conquistado pelos 04. O território brasileiro foi sendo ampliado desde
europeus no século XVI e colonizado por cerca de o período colonial, ultrapassando-se os limites de
três séculos. Ele localiza-se, predominantemente, Tordesilhas e, já na República, incorporando-se o
na área da Terra marcada pela tropicalidade. Os Acre.
tipos de clima presentes no Brasil são o equatorial Item Correto
(Amazônia, norte de Mato Grosso e oeste do
Maranhão), o tropical (centro do país, Roraima,
partes do Piauí, Bahia e Minas Gerais), o tropical
de altitude (partes mais elevadas do planalto
Atlântico do Sudeste), o tropical úmido (litoral), o
subtropical (parte de São Paulo e Região Sul) e o
semiárido (interior do Nordeste).

O Brasil detém uma das mais ricas e variadas


formações vegetais do planeta, que se relaciona aos
diversos tipos de clima, relevos e solos existentes
no país. Explorada de forma desordenada desde
começos da colonização, essa vegetação pode

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


9

(Diplomata - CESPE - IrBr - 2013) Acerca da 08. A colonização portuguesa no Brasil iniciou-se
configuração territorial da América portuguesa, com a extração de metais preciosos e a consequente
julgue (C ou E) o próximo item. ocupação das denominadas áreas do sertão,
afastadas do litoral atlântico.
05. O Tratado de Madri tinha como princípio principal, Item Errado
quanto à definição de fronteiras, o uti possidetis Comentário: A colonização brasileira iniciou-se
e como argumento subsidiário, aplicável à foz do no litoral, com o desenvolvimento do ciclo da
Amazonas e ao Rio da Prata, o mare liberum. cana-de-açúcar.
Item Errado
Comentário: Os princípios que nortearam o No que se refere a fatores que contribuíram para a
Tratado de Madri foram o uti possidetis (o configuração do território da América portuguesa
território pertencia a quem tivesse ocupado e colonial, julgue (C ou E) o item a seguir.
povoado) e as fronteiras naturais (a fim de evitar
a fragilidade dos tratados anteriores, procurou- 09. A linha divisória entre Portugal e Espanha
se estabelecer as fronteiras em locais que estabelecida pelo Tratado de Tordesilhas não abrangia
possibilitavam a demarcação. Ex: montanha, Rio, o Pacífico, mas apenas o Atlântico.
etc.) Não foi utilizado o princípio chamado de Item Correto
mare liberum.
10. As capitanias hereditárias foram concedidas a
(Diplomata - CESPE - IrBr - 2012) O Brasil, que militares portugueses, que recebiam as doações como
sempre se caracterizou pela existência, em uma reconhecimento por serviços prestados à Coroa, bem
região ou em outra, de fronteira de povoamento, como para reforçar a defesa do território colonial e
viu, com o processo de industrialização do campo, facilitar a sua exploração.
o aparecimento de fronteiras de modernização nas Item Errado
quais se verificaram profundas transformações Comentário: Após a expedição colonizadora
socioespaciais. Ambos os tipos de fronteira de Martim Afonso, por parte de Portugal, este
suscitam novos centros de comercialização distribuiu terras para a produção agrícola,
e beneficiamento de produção agrícola, de chamadas de Sesmarias, à pequena nobreza, à
distribuição varejista e prestação de serviços ou, militares e à navegantes. Contudo, quando se fala
em muitos casos, de centros que já nascem como de capitanias hereditárias, essas foram cedidas
reservatórios de uma força de trabalho temporária. a cidadãos portugueses da pequena nobreza,
sendo a primeira divisão política-administrativa
R. L. Corrêa. Estudos sobre a rede urbana. Rio de Janeiro: no território, até então, colonial, por ter sido
Bertrand do Brasil, 2006, p. 323 (com adaptações).
dividido em 15 capitanias no litoral, delimitadas
por linhas paralelas.
Julgue (C ou E) os próximos itens, relativos à
formação histórica do território brasileiro.

06. Mesmo após cinco séculos de ocupação e


povoamento, a configuração atual do território
brasileiro permanece conforme a implantação das
capitanias hereditárias.
Item Errado
Comentário: O território brasileiro mais que
triplicou de tamanho em relação ao Tratado de
Tordesilhas.

07. Nos três primeiros séculos de colonização


portuguesa no Brasil, a produção no território
brasileiro era fundada na criação de um meio técnico
mais dependente do trabalho direto e concreto do
homem do que da incorporação de capital à natureza.
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


10

CAPÍTULO 02 FERNANDO DE NORONHA

GEOPOLÍTICA DO TERRITÓRIO
BRASILEIRO
-------------------------------------------------------------
ORGANIZAÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO

DIVISÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA E SISTEMA


DE GOVERNO

Atualmente, a República Federativa do Brasil


é formada por 26 estados, 1 Distrito Estadual e pelo
Distrito Federal. Os estados, por sua vez, dividem-
se em municípios. Em 2017, existiam no país 5570
municípios, sendo Minas Gerais com 853 municípios
o estado com maior divisão e Roraima, com 15
municípios o estado com menor fragmentação.

Segue exatamente sua descrição legal, segundo a


Constituição Estadual de Pernambuco:
Os estados são as unidades de maior
hierarquia na organização político-administrativa do
Seção II - Do Distrito Estadual de Fernando de
país; a localidade que abriga a sede do governo é
Noronha
chamada da capital.
Art. 96. O Arquipélago de Fernando de Noronha constitui
Os municípios são as menores unidades
região geoeconômica, social e cultural do Estado de
políticas autônomas na federação brasileira. Na
Pernambuco, sob a forma de Distrito Estadual, dotado de
maioria dos casos apresentam áreas rurais e urbanas.
Porém existem municípios 100% urbanizados. estatuto próprio, com autonomia administrativa e financeira.
§1.º O Distrito Estadual de Fernando de Noronha será dirigido
O Distrito Federal é uma unidade federativa por um Administrador- Geral, nomeado pelo Governador do
autônoma que sedia o governo federal, Brasília é a Estado, com prévia aprovação da Assembléia Legislativa.
capital federal do Brasil. O Distrito Federal não se §2.º Os cidadãos residentes no Arquipélago elegerão pelo
divide em municípios, e sim em regiões administrativas voto direto e secreto, concomitantemente com as eleições
(RAs) de Governador do Estado, sete conselheiros, com mandato
de quatro anos, para formação do Conselho Distrital, órgão
Existe também o caso sui generis do que terá funções consultivas e de fiscalização, na forma da
Distrito Estadual de Fernando de Noronha, em lei.
Pernambuco. Este distrito possui natureza autárquica §3.º O Distrito Estadual de Fernando de Noronha deverá ser
e vinculação ao Poder Executivo do estado, que transformado em Município quando alcançar os requisitos
acumula as atribuições e responsabilidades estaduais e exigências mínimas, previstos em lei complementar
e municipais. É o único caso de distrito estadual
estadual.
existente em solo brasileiro.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


11

ÁREA TOTAL DAS UNIDADES TERRITORIAIS DO O primeiro encarrega-se da administração e do


BRASIL encaminhamento das políticas públicas; o Legislativo,
constituído pelo Senado Federal e pela Câmara dos
Deputados, elabora as leis do país; e o Judiciário,
responsável pelo julgamento e pela solução de
conflitos, é exercido em suas instâncias mais altas
pelo Supremo Tribunal Federal e pelo Superior Tribunal
de Justiça. Dos três poderes, é o único cujos titulares
não são eleitos pela população.

O sistema político brasileiro é a democracia


caracterizada, entre outros aspectos, pela garantia do
direito de voto e pelo respeito aos direitos individuais
e coletivos e às decisões dos cidadãos expressas
nas eleições. Mas o país já conheceu períodos de
autoritarismo, como ocorreu durante o Estado Novo
(1937-1945) e a Ditadura Civil-Militar (1964-1985).

O voto no Brasil é obrigatório para os indivíduos


de 18 até 70 anos, e opcional para os analfabetos, os
que têm mais de 70 anos ou estão na faixa dos 16 aos
O Brasil é uma República federativa 18 anos.
presidencialista. A República, proclamada em
nosso país em 1889, é uma forma de governo na Segundo os levantamentos do Tribunal
qual representantes eleitos pelo governo por tempo Superior Eleitoral, o número de eleitores superou 140
determinado. O presidencialismo é um regime milhões de eleitores no final de 2012, o que faz do
político chefiado por um presidente da República, Brasil uma das maiores democracias do mundo. Mas
que acumula as funções de chefe de Estado e chefe nem sempre foi assim. Durante o Império, existiu o
de governo. O termo federativa indica que os estados chamado voto censitário, em que pessoas com baixa
estão unidos numa federação, mas mantêm relativa renda não tinham direito a eleger seus representantes.
autonomia. No Brasil, o presidente da República é As mulheres só adquiriram o direito de votar em 1932,
eleito por voto direto para um período de quatro anos, e os analfabetos em 1985.
podendo ser reeleito para mais quatro anos. O mesmo
acontece com os governadores dos estados e os
prefeitos dos municípios.

A Constituição é a Lei Maior que rege a vida


de um país, determinado, entre outros aspectos, a
organização do Estado. De acordo com a Constituição
Federal de 1988, existem três poderes da União,
independentes e harmônicos entre si: o Executivo, o
Legislativo e o Judiciário.

Primeira mulher a votar no Brasil, a mossoroense, Celina


Guimarães Viana, em 1927, ação promovida pelo governador que
autorizou o voto feminino mesmo sendo proibido.
Posse de Dias Tófoli, novo presidente do STF, ao lado de Carmén Lucia,
ex-Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do presidente Michel
Temer, Brasília, 12/09/2018.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


12

Entre os fatores que reforçam a democracia agrupa unidades com características semelhantes, a
brasileira no início do século XXI, estão o aumento do partir de determinados critérios. A primeira proposta
número de ONGs (Organização Não-Governamentais), de regionalização foi apresentada em 1913 e depois
de conselhos estaduais e municipais, movimentos dela outras propostas surgiram tentando adaptar a
sociais e outros órgãos que constituem importantes divisão regional às novas condições econômicas,
instrumentos e espaços de interação entre governo sociais e políticas do país. A atual regionalização é dos
e a sociedade civil e da participação popular na vida anos 70 com algumas adaptações na Constituição de
política do país. 1988.

Apesar disso, alguns fatores ainda dificultam No caso do IBGE, nascido nos anos 1940,
o pleno exercício da cidadania dos brasileiros. Entre sua primeira proposta foi elaborada em 1942. Nessa
eles, destacam-se as desigualdades econômicas, os divisão, as unidades federadas foram agrupadas em
obstáculos à representação parlamentar de algumas macrorregiões.
minorias étnicas e socioculturais, a dificuldade de
acesso da população mais pobre aos meios de Em 1969 o IBGE considerou os novos
comunicação e a exclusão de parte da população dos conhecimentos adquiridos sobre o país e também
canais de participação e dos movimentos promovidos as transformações ocorridas em função de
pela sociedade civil. desenvolvimento urbano e industrial. Foi elaborada
uma nova proposta com base no conceito de regiões
homogêneas, combinando aspectos naturais, sociais
e econômicos e respeitando os limites dos estados.
Por ela, o país está dividido em 5 macrorregiões.
A atual regionalização é dos anos 70 com algumas
adaptações na Constituição de 1988.

REGIONALIZAÇÃO ATUAL

REGIONALIZAÇÕES
Regionalizar significa estabelecer regiões com
base em critérios que considerem características
históricas, culturais e socioeconômicas, que se
inter-relacionem e, portanto, dão um caráter de
individualidade à região, distinguindo-se das demais.
É preciso ressaltar, no entanto, que as regiões
não são imutáveis. Em função do dinamismo na
transformação das paisagens e, portanto, das
características do território, os seus limites e mesmo
suas particularidades podem se alterar, conforme os Fonte: IBGE, Anuário estatístico do Brasil 1999, p. 1-43.
processos históricos, as modificações nos padrões
tecnológicos, os usos do território e os interesses A região Sudeste agrupa os três estados mais
do Estado e do poder econômico e, até mesmo, o populosos do país - São Paulo, Rio de Janeiro e Minas
deslocamento de contingentes populacionais. Gerais, além do Espírito Santo, que juntos apresentam
uma população de 87.351.125 de habitantes. No
A DIVISÃO DO IBGE (MACRORREGIÕES) Sudeste encontram-se a maior metrópole do país
- São Paulo - e a capital mais antiga do país que
O IBGE é o órgão responsável pela elaboração também ocupa a posição de 2ª metrópole nacional –
da divisão regional ou regionalização oficial do território Rio de Janeiro.
brasileiro, que é uma ordenação ou classificação que

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


13

A região Nordeste compreende 57.368.137 DIVISÃO DO ESTADO DO PARÁ: COMO FICARIA?


milhões de habitantes e nove estados, onde temos
entre eles a primeira capital colonial, Salvador, e onde
podemos destacar ainda a presença de Fortaleza e
Recife como Metrópoles Nacionais.

A região Sul é a menor região do país em


extensão territorial abriga 29.654.815 de habitantes,
onde temos nossas fronteiras com Argentina, Uruguai
e Paraguai.

A região Norte, com 17.925.678 de habitantes Fonte: www.dignow.org


é a maior região em extensão territorial do país,
abarcando territórios de 7 estados. A DIVISÃO GEOECONÔMICA

A região Centro-Oeste com 15.850.340 de Há outra divisão regional do território brasileiro


habitantes, abarca os estados de Goiás, Mato Grosso, que não acompanha os limites estaduais, havendo
Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal, onde temos estados que possuem parte do território em uma
a capital do país - Brasília. região e parte em outra. Trata-se da divisão elaborada
em 1967 pelo geógrafo Pedro Pinchas Geiger. É uma
REGIONALIZAÇÃO FUTURA? classificação que considera a formação histórico-
econômica do Brasil e a recente modernização
econômica, que se manifestou nos espaços urbano e
rural, estabelecendo novas formas de relacionamento
entre os lugares do território brasileiro e criando uma
nova dinâmica no relacionamento entre a sociedade
e a natureza. Assim, o oeste do Maranhão integra
a Amazônia e o restante o Nordeste, com atuação,
respectivamente, da SUDAM e da SUDENE. O Norte
de Minas Gerais (Vale do Jequitinhonha) integra o
Nordeste, com atuação da SUDENE e do BNB e o
restante o Centro-Sul. O Norte do Mato Grosso e o
Tocantins são amazônicos e o restante dos territórios
integra a região Centro-Sul.

Fonte: www.camara.gov.br

O processo de desmembramento de estados


é justificado pelo povoamento e pela valorização das
regiões interiores do país. A autonomia política e a
instalação de administrações estaduais funcionam
como fundamentos para o planejamento econômico e
social. Mas a criação de novas unidades da federação
também é uma resposta a demandas das elites
regionais, que adquirem por essa via maior poder
político, novos instrumentos de pressão sobre o
governo central e uma rede de cargos políticos sobre
os quais se armam máquinas eleitorais. Em abril de
2010, a Câmara dos Deputados aprovou a realização
de um plebiscito sobre a criação de dois novos
estados: Carajás e Tapajós. A aprovação seria um
grande golpe para o governo paraense, que perderia
importante parte de sua arrecadação. A população do
Pará não aceitou a mudança.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


14

AMAZÔNIA SUB-REGIÕES NORDESTINAS

A Amazônia, imensa região que abrange


o Norte e uma parte do centro do país, ainda é a
região menos povoada do Brasil, embora nas últimas
décadas venha passando por um intenso processo
de povoamento. Durante vários séculos, permaneceu
esquecida porque os colonizadores não encontraram
na região quase nada de importante para explorar.

Até hoje, a Amazônia apresenta grandes vazios


demográficos, áreas com baixíssimas densidades
demográficas - às vezes, até menos de um habitante
por quilômetro quadrado. Nela, encontramos os mais
numerosos grupos indígenas, os habitantes originais
de nosso país. Em todo caso, o povoamento vem
avançando: em 1970, a densidade demográfica
regional era de 0,9 hab/km² e, em 2008, já era de
4hab/km², nos dias atuais ultrapassa os 5,5 hab/km².

AMAZÔNIA LEGAL • Zona da Mata: Ocupa a parte oriental da


região Nordeste, área dominada pelo clima tropical
úmido (quente e chuvoso). O índice pluviométrico
é de aproximadamente 2.000 mm/ano e as médias
térmicas variam entre 24ºC e 26º C. O ambiente quente
e úmido favoreceu o desenvolvimento da floresta
Tropical, mata exuberante e com grande diversidade
de espécies. Originalmente a floresta ocupava grande
parte dessa sub-região. A Zona da Mata apresenta-
se como a região mais importante do Nordeste do
ponto de vista econômico. Nela concentram-se dois
segmentos industriais: indústrias têxtil e alimentícia,
agroindustriais (sobretudo usinas de açúcar e álcool)
e indústrias extrativistas minerais.

Além das atividades industriais, na Zona


CENTRO-SUL da Mata desenvolvem-se importantes atividades
econômicas ligadas ao meio rural, predominando os
O Centro-Sul do país, que se desenvolveu latifúndios monocultores de cana-de-açúcar, fumo
economicamente depois do Nordeste, é uma região e cacau, que atendem ao consumo industrial e ao
mais industrializada, onde se destacam cidades comércio exterior.
como Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba,
Rio e Janeiro e São Paulo. Tem como características
relevantes:

• Maior densidade rodoferroviária.


• Melhores e maiores universidades.
• Maiores cidades.

NORDESTE
• Graves problemas sociais (pobreza, fome, etc.).
• Piores indicadores sociais do país. Usina sucroalcooleira na Zona da Mata Alagoana.
• Sub-Regiões com características diferentes.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


15

• Agreste: Apresenta características naturais das Secas de diferentes zonas geográficas, com
tanto da Zona da Mata como do Sertão, pois nos distintos índices de aridez. Em algumas delas o
seus trechos mais úmidos desenvolve-se a floresta balanço hídrico é acentuadamente negativo, onde
Tropical, enquanto nas áreas mais secas predomina a somente se desenvolve a caatinga hiperxerófila sobre
Caatinga. solos finos. Em outras, verifica-se balanço hídrico
ligeiramente negativo, desenvolvendo-se a caatinga
Nessa sub-região destacam-se as pequenas hipoxerófila. Existem também áreas no Polígono,
e médias propriedades rurais policultoras, que de balanço hídrico positivo e presença de solos
produzem principalmente mandioca, feijão, milho e bem desenvolvidos. Contudo, na área delimitada
hortaliças, além de criar gado para o fornecimento pela poligonal, ocorrem, periodicamente, secas
de leite e seus derivados. O desenvolvimento das anômalas que se traduzem na maioria das vezes em
atividades agropecuárias no Agreste contribuiu para o grandes calamidades, ocasionando sérios danos à
crescimento de cidades como Campina Grande (PB), agropecuária nordestina e graves problemas sociais.
Caruaru e Garanhuns (PE) Arapiraca (AL) e Feira de
Santana (BA). O Polígono das Secas foi criado pela lei nº. 1348
de 10-2-1951. Desde o império, o governo brasileiro
REGIÃO METROPOLITANA DO AGRESTE adota uma postura de combate aos efeitos da seca,
ALAGOANO valendo-se da construção de açudes para represar
os rios locais e, assim, conseguir reservatórios de
água para tornar perenes os rios temporários. Em
1909, foi criada a Inspetoria de Obras contra as Secas
(IOCS) que mais tarde transformou-se em DNOCS
(Departamento Nacional de Obras Contra a Seca).

POLÍGONO DAS SECAS

Fonte: Estado de Alagoas – Secretaria de Estado da


Cultura - Superintendência de Identidade e Diversidade
Cultural

• Sertão: Compreende as áreas dominadas


pelo clima semiárido, que apresenta temperaturas
elevadas (entre 24ºC e 28º C) e duas estações bem
definidas: uma seca outra chuvosa. O Sertão é a
maior sub-região nordestina ocupando mais de 50%
do território nordestino, chegando até o litoral, nos
estados do Rio Grande do Norte e do Ceará.

A economia sertaneja baseia-se na


agropecuária, atividade que sofre diretamente os Fonte: INPE/Centro de Pesquisas da Universidade de São
impactos das condições climáticas, sobretudo na Paulo.
época das estiagens. Pecuária bovina e agricultura de
subsistência são as principais atividades econômicas • Meio Norte: Formada pelos estados do Piauí e
da área. Maranhão, é uma área de transição entre o Sertão e
a Amazônia. Os índices de pluviosidade são elevados
na porção oeste e diminuem em direção ao leste e
O Polígono das Secas compreende a área sul. Encerra a Zona dos Cocais, área de vegetação
do Nordeste brasileiro reconhecida pela legislação peculiar, caracterizada por extensos babaçuais.
como sujeita à repetidas crises de prolongamento das
estiagens e, consequentemente, objeto de especiais
providências do setor público. Constitui-se o Polígono

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


16

que utilizam robôs e sistemas informatizados) e a


situação da agropecuária em relação à mecanização
e a integração a indústria. Milton Santos divide o
território nacional em “quatro brasis”, considerando
também o processo histórico de ocupação da área.

AMAZÔNIA
A Amazônia é formada nessa regionalização pelos
estados do Pará, Amapá, Roraima, Amazonas, Acre
e Rondônia. É uma região de pequena densidade
demográfica e poucos recursos tecnológicos. São
raras as áreas destinadas à agricultura mecanizada e
Trabalho feminino da colheita de babaçu. outras atividades modernas. Foi a última a ampliar sua
mecanização, tanto na produção econômica quanto
no próprio território.
A REGIONALIZAÇÃO DE ACORDO COM O MEIO
TÉCNICO-CIENTÍFICO-INFORMACIONAL REGIÃO CONCENTRADA
Abrangendo São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais,
Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande
do Sul, é composta por um denso sistema de fluxos,
em razão dos elevados índices de urbanização,
por atividades comerciais intensas e alto padrão
de consumo de muitas empresas e de parte da
população. É o centro de tomada de decisões do
território brasileiro, abrigando atividades modernas
e globalizadas, como alguns setores financeiros e de
serviços.

Fonte: SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria Laura. O Brasil:


território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro/São
Paulo: Record, 2001.p.268.

De acordo com o professor Milton Santos, no


contexto da Terceira Revolução Industrial ou Revolução Os maiores centros urbanos se tornaram polos de comércio e de
Técnico-Científica e do processo de globalização, serviços. Na foto, prédios com helipontos, na Vila Olímpia, em
aparece uma configuração espacial que pode ser São Paulo.
denominada meio técnico-científico-informacional.
Tendo em mente essa configuração, o professor Milton REGIÃO NORDESTE
Santos apresentou essa proposta de regionalização
Excetuando-se o período de grande
para o território brasileiro que leva em consideração
desenvolvimento da economia canavieira (séculos XVI
uma série de aspectos: a quantidade de recursos
tecnológicos avançados (redes de telecomunicações e XVII), de modo geral nela a circulação de pessoas,
e de energia, equipamentos de informática); o volume produtos, informação, dinheiro sempre foi precária, em
de atividades econômicas modernas na área financeira razão da agricultura pouco intensiva e da urbanização
(bancos, bolsa de valores, financeiras), comercial irregular em alguns pontos do território sem falar é
(shoppings centers, empresas de comércio eletrônico) claro das relações sociais que aí se estabelecem.
de serviços (provedores de acesso à Internet, agências
de publicidade e consultorias), industriais (empresas

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


17

A influência do fenômeno da globalização e a QUESTÕES CORRELATAS


instalação do meio técnico-científico-informacional
em certas manchas do território regional, como nas
(COMENTADA)
áreas irrigadas (o caso do vale do São Francisco), • Comentário apenas em incorretas •
vão-se dar sobre um quadro socioespacial
praticamente engessado. Essa situação abre a O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, afirmou
perspectiva de importantes fraturas na história social, que o desmatamento na Amazônia caiu 16% entre
com mudanças brutais dos papéis econômicos e agosto de 2016 e julho de 2017. Segundo o ministro,
políticos de grupos e pessoas e também lugares. os dados são do Instituto Nacional de Pesquisas
Espaciais (Inpe).
Fonte: SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria Laura. O Brasil:
território e sociedade no início do século XXI. Rio de
Internet: <https://g1.globo.com>.
Janeiro/São Paulo: Record, 2001.p.268.
Tendo o texto acima apenas como referência
inicial, julgue o item que se segue.

Partes da Amazônia Legal em que o desmatamento


ocorre com maior intensidade ficaram conhecidas
como “arco do desmatamento”, em decorrência,
principalmente, da atividade mineradora.

Gabarito: Item Errado

Comentário: A região que apresenta maiores índices


de desmatamento é aquela onde a fronteira agrícola
avança em direção à floresta, chamada de “Arco
do Desmatamento”. Nos últimos anos, estudos
constataram que a agricultura mecanizada e a pecuária
Num bom pedaço do sertão nordestino,
são responsáveis por desflorestar a Amazônia com
o cenário de pobreza está mudando. Numa área
bastante agressividade.
formada pelas zonas de cerrado de Maranhão, Piauí,
Tocantins e Bahia, culturas de soja, milho e algodão
cada vez mais se misturam à paisagem. Apelidada
de MAPITOBA por alguns e BAMATOPI por outros, QUESTÕES CORRELATAS
a região já responde por 10% da soja produzida no
país e desponta como uma das maiores potências (Analista Ministerial - CESPE - MPE/TO-2006) A
no agronegócio. Com 2 milhões de habitantes, esse organização territorial do Brasil pode ser descrita
pedaço de Brasil ainda apresenta um PIB modesto: como um processo intenso e por vezes conflituoso.
6 bilhões de dólares, equivalente ao de Belém. Acerca desse processo e dos aspectos econômicos
Mas a geração de riqueza está se acelerando. Os a ele associados, julgue os itens a seguir.
produtores de grãos estabelecidos há mais tempo
são migrantes do centro-sul do Brasil, em sua 01. O processo de formação territorial do Brasil inclui
maioria gaúchos e paranaenses. o aumento do número de municípios.
Item Correto
Moderna produção de grãos em Uruçuí (PI). Fonte: www.
02. O avanço de fronteiras econômicas no interior do
veja.com.br
país causou a intensificação da ocupação da região
Norte nos últimos tempos.
REGIÃO CENTRO-OESTE
Item Correto
Nela estão presentes algumas características da
modernização em função de uma agropecuária
modernizada, marcadamente exportadora e com
ampla utilização de insumos agrícolas, comercializados
por grandes empresas multinacionais. É possível
afirmar que o Centro-Oeste também está integrado à
globalização.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


18

03. A estagnação econômica do Centro-Oeste foi um 07. A região Norte, representada no mapa I, vem
dos motivos para o desmembramento dos estados de sofrendo grandes transformações decorrentes do
Mato Grosso e Goiás e a criação dos estados de Mato avanço da fronteira econômica na região e dos
Grosso do Sul e do Tocantins. investimentos em infraestrutura realizados pelo
Item Errado Estado.
Comentário: A região Centro-Oeste é hoje uma Item Correto
das que mais dinâmicas do país, mostrando
que diferente da questão, a região não está (Professor de Geografia – IFRS – 2010 – IF/RS) A
estagnada. organização regional do país que ora se apresenta difere
da que ainda está vigente. Verifica-se, de um lado, a fusão
(INSS - Analista de Seguro Social – 2008) Acerca de das regiões Sul e Sudeste gerando o Centro-Sul que
inclui ainda parte da antiga região Centro-Oeste. Esta,
economias regionais e blocos econômicos, julgue
por outro lado, desaparece, parte repassando a integrar
os itens 04 e 05 o Centro-Sul, parte a Amazônia. O desaparecimento da
região Centro-Oeste foi viabilizado pela fragmentação
04. Classicamente, o Brasil possui apenas três político-administrativa que ali se verificou na década
macrorregiões econômicas, cada uma delas com de 80, a qual reflete, por sua vez, processos mais
características distintas devido a vários fatores, como acentuados de diferenciação socioeconômica do
história, desenvolvimento, população e economia. território. A Amazônia teve seu território ampliado,
Item correto aproximando seus limites da denominada Amazônia
Legal. Mas deve-se considerar que a regionalização
05. A região Centro-Sul é a macrorregião brasileira aqui apresentada está apoiada em limites formais, isto
é, político-administrativos. Se considerarmos outros
mais desenvolvida economicamente, apesar de se
limites que os estaduais, veremos, com certeza, que
encontrar atrás de outras macrorregiões em termos o Nordeste avança pelo Norte mineiro, fato que a
de indicadores sociais. SUDENE reconhece plenamente. Veremos também
Item Errado que os chapadões sedimentares do oeste baiano,
Comentário: A região Centro-Sul é a que que passam por intenso processo de modernização
apresenta os melhores indicadores sociais do agrícola, poderão estar incluídos na região Centro-Sul
país. do país e não no Nordeste. Mas estes e outros acertos,
contudo, não afetam a base da organização regional do
país em três grandes regiões. (CORRÊA: 2001, p.198).

(PM-CE - Soldado – 2008) Com relação a divisão regional do território


brasileiro a partir de três grandes regiões
geográficas, julgue as informações em relação a
região Centro Sul.

08. Representa a principal região agropecuária do


país, pela enorme variedade de sua produção assim
como em relação ao valor e volume de sua base
produtiva como o café, a cana-de-açúcar, a laranja e
o leite, entre outros.
Item Correto
Considerando os mapas I e II, julgue os itens que se
seguem, relativos à geografia do Brasil. 9. Região que apresenta grande fragmentação
político-administrativa aliada à força política e à
06. Os critérios utilizados para o estabelecimento das aparente união dos grupos dominantes tradicionais e
regiões, tanto no mapa I quanto no mapa II, baseiam- emergentes, que tornam possível a venda da imagem
se nos tipos de exploração econômica realizados em do subdesenvolvimento regional.
obediência ao planejamento regional dos governos Item Errado
federal e estadual. Comentário: Na realidade é a área mais
Item Errado desenvolvida do país é a região Centro-Sul, onde
Comentário: Os critérios utilizados nos mapas destaca-se o Sul do país, como um símbolo de
I e II são diferentes, o primeiro mapa destaca a desenvolvimento regional.
classificação do IBGE, enquanto o segundo mapa
destaca o mapa da proposta de Pedro Geiger.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


19

CAPÍTULO 03 De um lado, houve perda de dinamismo


econômico de algumas especializações regionais, que
reduziram seu potencial de empuxe e arraste inter-
GEOPOLÍTICA DO TERRITÓRIO setorial e de desenvolvimento regional (sendo que,
BRASILEIRO na maioria dos casos, já se apresentavam bastante
------------------------------------------------------------- reduzidos durante o processo de desconcentração
A DIVISÃO INTERREGIONAL DO industrial). Por outro lado, algumas mudanças intra-
setoriais/regionais foram importantes, como no caso
TRABALHO NO BRASIL dos setores automobilístico, têxtil, calçadista e de
frigoríficos.
Para onde vai o capitalismo no Brasil? Esta
questão será aqui abordada com a preocupação de
Porém, estes movimentos não engendraram
verificar o impacto dos deslocamentos do capital
mudanças muito importantes na configuração da
sobre cenário inter-regional. Assim como as mudanças
dinâmica regional
no mercado de trabalho no país.
brasileira, permanecendo esta caracterizada pela
presença de uma região que é o núcleo central
A dinâmica regional brasileira, em função
da acumulação de capital do país (Estado de São
das mudanças que se processaram, em variadas
Paulo); e de diversas sub-regiões no interior das
dimensões da reprodução produtiva e social e das
cinco macrorregiões brasileiras, denominadas aqui de
opções das políticas governamentais, durante os
especializações regionais , responsáveis por grande
anos 90, tornou-se mais complexa, apresentando
parte do dinamismo econômico de parcela da região
outra natureza, diferente daquela caracterizada pelos
em que estão instaladas.
processos de concentração e de desconcentração
regional que ocorreram no período 1930/85.
O ponto de partida diz respeito à inflexão
estratégica, no início dos anos de 1990, representada
A partir deste momento, nota-se uma
pela política de abertura da economia como alternativa
sofisticação e aprofundamento da divisão inter-
ao modelo de “crescimento” para dentro que se tinha
regional do trabalho no Brasil que ainda está por ser
como esgotado depois de meio século de relativo
melhor determinada e apreendida
sucesso. O novo caminho foi em boa medida imposto
pelas circunstâncias mundiais. Porém, representou
Desde os anos 30, conhecemos um período de
também uma opção interna, assumida pelo governo
“complementaridade expansiva” entre as atividades
e pela elite econômica. O conceito de “integração
econômicas das diversas porções do território
competitiva”, elaborado no âmbito do BNDES no final
nacional, que esteve vigente até meados da década
dos anos de 1980, forneceu a base intelectual para a
de 1980. A partir daí tivemos inconsistentes surtos
mudança de rumo.
localizados de crescimento em algumas regiões e
em alguns setores produtivos, ampliando ainda mais
Tendo em vista esse processo, que constituiu
as heterogeneidades e assincronias nas decisões
o pano de fundo para a análise a ser desenvolvida,
de investimento. Há hoje enormes disritmias e
a questão dos itinerários do capital será examinada
descompassos entre decisões públicas e privadas de
em dois níveis. Em primeiro lugar, tratarei dos
inversão. Esse é um constrangimento fundamental,
deslocamentos que se têm verificado em função
pois antes o Estado impunha sinalização, coordenava,
de fatores primordialmente econômicos, ou seja,
regulava e procurava dar sintonia a essas decisões.
as mudanças na divisão inter-regional do trabalho
Isso implicou enorme perda de capacidade de
associadas à dinâmica do mercado. Em segundo lugar,
coordenação por parte do Estado e de indução do
abordarei as mudanças induzidas ou condicionadas
investimento privado.
por fatores institucionais.
A partir dos anos 1990 percebe-se no Brasil
Ao se investigar as mudanças no sistema
uma reestruturação produtiva e os investimentos
econômico brasileiro - encarado como um complexo
anunciados/realizados após o Plano Real não
de regiões relativamente articuladas em um mercado
determinaram uma trajetória de crescimento
nacional -, convém distinguir entre tendências de
econômico, capaz de reduzir as disparidades
mudança que já se observavam no antigo contexto
socioeconômicas nos âmbitos inter e intra-regionais.
semi-autárquico (na década de 1980 e mesmo antes)

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


20

e transformações derivadas propriamente da abertura empresas públicas é um tema controverso e que


dos anos de 1990. divide opiniões. Especialistas do setor econômico
avaliam que o poder público ganha na medida em que
A industrialização do Brasil tomou corpo a evita os gastos destinados aos investimentos dessas
partir dos anos 1930, com a interligação de mercados empresas, ao mesmo tempo, há um incremento
regionais até então bastante isolados uns dos outros nas receitas com arrecadação dos tributos gerados
em um mercado nacional protegido da concorrência quando se tornam privadas. Além disso, a empresa
externa. Deu-se um processo de concentração pode vir a ser mais competitiva no mercado, em
industrial que abafou aos poucos o parque industrial função de sua desburocratização, o que provoca mais
preexistente em diversas partes do país. rapidez na produtividade e maior eficiência da gestão.

O Brasil entrou às cegas no mundo global, que Outros analistas, no entanto, indicam que as
promoveu a intensificação dos fluxos internacionais privatizações podem reduzir o número de postos de
de capitais nos mercados financeiros e a abertura das trabalho, bem como a autonomia do país em setores
economias nacionais ao comércio. Na América Latina, estratégicos do seu desenvolvimento. Na medida em
os projetos de industrialização protegida deram lugar a que se desfaz de suas empresas, pode comprometer
ajustes destinados a integrar as economias nacionais sua capacidade de gestão em qualquer aspecto
a nova realidade global. O período neoliberal que se da economia, tanto na definição dos limites dos
inicia nos anos 90 na América Latina, marca o período empreendimentos econômicos quanto na capacidade
de redemocratização no Brasil e marca a chegada de de interferir no setor quando necessário.
Fernando Collor de Melo ao poder, seguido de Itamar
Franco, Fernando Henrique Cardoso, Luís Inácio Lula
da Silva e Dilma Roussef, seguida por Michel Temer.
BRASIL E SÉCULO XXI
Nos primeiros anos do século XXI foram
efetuados diversos ajustes na economia do país.
Parte dessas medidas de estabilização possibilitaram
um crescimento econômico que se traduziu em
controle da inflação, crescimento do PIB, queda do
desemprego urbano e forte saldo comercial. Medidas
como austeridade fiscal, regime cambial baseado
em câmbio livre e um superávit primário forte foram
medidas adotadas pelo Brasil, baseados no receituário
do Consenso de Washington.

Dilma Roussef, primeira mulher presidente do Brasil.


EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS (1996-2012)
No início dos anos 90 foi implementado no
Brasil o Programa Nacional de Desestatização com
grande participação de capitais estrangeiros. Esse
processo teve seu ápice nas duas gestões FHC (1995-
2002). A ideia é que a privatização ocorra quando uma
estatal não está mais gerando os lucros exigidos para
competir no mercado com outras empresas do mesmo
ramo ou quando ela passa por grandes dificuldades
financeiras.

No Brasil, durante os anos 1990, foram


vendidas cerca de 100 empresas públicas dos mais
variados setores para a iniciativa privada, dentre as
quais se destacam os setores das telecomunicações
(Embratel), energia (Light), mineração e siderurgia
(Vale do Rio Doce), entre outras.
De uma maneira geral, a privatização de

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


21

QUESTÕES CORRELATAS 02. A partir da reestruturação produtiva do território


brasileiro, imposta pela globalização, três das
(COMENTADA) principais metrópoles nacionais, São Paulo, Rio
de Janeiro e Brasília, passaram a ter relações de
Desde 2007, os produtos básicos sinalizam uma complementariedade e de cooperação: enquanto São
estabilização no quantum importado, apresentando Paulo emergiu como potência industrial e o Rio de
pequena variação entre as quantidades máxima Janeiro expandiu a sua relevância econômica, Brasília
e mínima em cada ano. Por sua vez, os produtos se consolidou como o centro político do território.
semimanufaturados, após período de estabilidade, Item Errado
começam a mostrar tendência de crescimento. Comentário: A questão apresenta que São
Paulo, Rio de Janeiro e Brasília só conseguiram
Enquanto isso, as quantidades importadas de os respectivos aspectos (São Paulo = potência
produtos manufaturados tiveram crescimento industrial; Rio de Janeiro expandiu a sua
contínuo e foram fortemente aceleradas nos relevância econômica, Brasília = centro político
dois últimos anos, impulsionadas pela demanda do território.) APÓS a globalização, quando na
doméstica e pela forte valorização do real. realidade, ocorreu ANTES da globalização.
(http://www.aeb.org.br/userfiles/file/AEB%20%20Radiografia%20
Com%C3%A9rcio%20Exterior%20Brasil.pdf. Adaptado) 03. Com a globalização e as exigências do mercado
global, todo o território nacional se inseriu em dinâmicas
Apesar da posição do Brasil na Nova Divisão de competição internacional ligadas à exportação de
Internacional do Trabalho, o país ainda mantém a produtos agropecuários e industriais ou nas atividades
dependência na importação de produtos de alto valor de suporte ao circuito superior e inferior da economia,
agregado. gerando ciclos de desenvolvimento econômico.
Item Errado
Gabarito: Item Correto
04. As atividades corporativas de empresas nacionais
Comentário: A grande produção de commodities nos e internacionais (produção, circulação, distribuição e
últimos anos, somado aos reduzidos investimentos em consumo) integram partes expressivas do território
tecnologia e a desindustrialização em curso no Brasil, brasileiro, por meio de redes de infraestruturas, de
faz com que o país tenha uma grande dependência informação e comunicação.
de importação de produtos de alto valor agregado, Item Correto
sobretudo dos Estados Unidos, China e União
Europeia.

QUESTÕES CORRELATAS
• Comentário apenas em incorretas •

(Agente de Inteligência - ABIN - CESPE 2018) Com


referência à divisão inter-regional do trabalho e da
produção no Brasil, julgue os itens a seguir.

01. A Zona Franca de Manaus é uma concentração


industrial que, apesar de distar dos grandes centros
urbanos e consumidores do centro-sul do país, se
articula a praticamente todo o território nacional,
ilustrando o processo de privatização do território por
meio do uso privado de recursos públicos.
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


22

(Professor de Geografia – SP/VUNESP 2007) No 07. A ampliação das redes de infraestrutura nos
decorrer dos 50 anos que separam a organização setores de energia, transportes e comunicações
do espaço apresentada no mapa 1 para a observada integraram os antigos espaços aos novos que foram
no mapa 2 ocorreram importantes transformações. se organizando, apesar das deficiências.
Item Correto

08. O principal fator desencadeador da integração


nacional foi o processo migratório fortemente
incrementado pelos nordestinos que se dispersaram
pelas regiões ao longo do tempo.
Item Errado
Comentário: O processo migratório
nordestino não é considerado o principal fator
desencadeador dessa integração.

09. Vários fatores econômicos possibilitaram a


integração nacional ao mesmo tempo que eliminaram
dos antigos espaços as heranças históricas do
período colonial.
Item Errado
Comentário: As diferenças históricas ainda
existem no cenário inter-regional e intra-regional.

10. As conexões estabelecidas entre a Amazônia


desde os anos 1940 e as outras áreas do país, faz
parte de um quadro geopolítico para a região, onde se
prevê o crescimento do comércio.
Item Errado
Comentário: A Amazônia de fato só foi “inserida”
dentro da geopolítica brasileira a partir de
conexões e de infraestrutura a partir dos anos 50,
(Hervé Théry e Neli Aparecida de Mello. Atlas do Brasil) com a criação da SPVEA.

A partir da análise dos mapas julgue os itens


subsequentes.

05. A criação de novos centros econômicos no interior


do país reduziu a centralidade do Sudeste e possibilitou
uma integração mais harmônica do espaço nacional.
Item Errado
Comentário: Apesar de uma redistribuição das
atividades econômicas, o Sudeste não perdeu a
centralidade.

06. Os espaços que haviam sido organizados pelos


antigos ciclos econômicos foram praticamente
abandonados para a formação de novos espaços.
Item Errado
Comentário: Os espaços organizados no passado
da formação econômica brasileira ainda são os
grandes centros do país.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


23

CAPÍTULO 04 Dessa forma, é errado falar em urbanização no


Brasil durante a época colonial, quando ocorreu na
verdade um crescimento de cidades, pois a população
GEOPOLÍTICA DO TERRITÓRIO rural cresceu tanto quanto a urbana, e às vezes até
BRASILEIRO mais. A urbanização só começou a existir de fato
------------------------------------------------------------- quando a indústria se tornou o setor mais dinâmico
A ESTRUTURA URBANA BRASILEIRA E da economia, o que só aconteceu no século XX.
AS GRANDES METRÓPOLES Quando a economia nacional foi dominada
pelas atividades primárias de exportação, como o
A intensa urbanização que vem ocorrendo
açúcar (séculos XVI e XVII), a mineração (século XVIII),
no Brasil, especialmente a partir de 1950, tem sido
o café (de meados do século XIX até início do século
acompanhada por um processo de metropolização
XX) e outras, a população urbana permaneceu mais
que, segundo IPEA (2010) consiste em um processo
ou menos estável, representando de 6% a 8% do
de integração de território a partir de uma cidade-
total. Isso é facilmente explicado pela predominância
núcleo, configurando um território ampliado, em que
da força de trabalho no setor primário, pela quase
se compartilha um conjunto de funções de interesse
inexistência do setor secundário (indústrias) e pela
comum. Ou seja, trata-se de “uma ocupação urbana
pequena necessidade de mão-de-obra no setor
contínua, que ultrapassa os limites físicos dos
terciário (principalmente comércio e administração).
municípios”.
a industrialização, verificou-se uma
É um equívoco comum, em livros, revistas
urbanização intensa, ocorrendo aumento proporcional
e outras publicações, confundir urbanização com
dos empregos no setor secundário e no terciário
crescimento urbano, na realidade dois processos
(bancos, comércio, escolas, seguros, etc.). A
interligados, mas distintos.
percentagem da população urbana sobre o total da
população brasileira passou de cerca de 16% em
O crescimento urbano consiste na expansão
1920 para 31% em 1940, 45% em 1960 e cerca de
das cidades e pode existir sem que, necessariamente,
80% em 2010. Veja o gráfico abaixo.
haja urbanização. Esta só ocorre quando o crescimento
urbano é superior ao rural, ou seja, quando há
migrações rural-urbanas e a população das cidades
aumenta proporcionalmente em relação à do campo.
Em alguns países desenvolvidos, como o Reino Unido,
a urbanização já cessou, passando a haver apenas um
limitado crescimento urbano, que decorre, em parte,
do crescimento natural da população das cidades
e, em parte, da imigração. Nesse país, a população
urbana já chegou aos 92% do total e prevalece uma
situação estável entre a cidade e o campo, com visível
diminuição da migração rural-urbana, que, por vezes,
chega a ser inferior à migração urbano-rural. Fonte: IBGE*

A urbanização, portanto, tem limite, ponto (*)o gráfico representa a aceleração da


final, ao passo que o crescimento das cidades urbanização brasileira. O critério para definir
pode continuar indefinidamente. Um bom exemplo população urbana é político-administrativo: “Trata-se
é Cingapura, Estado-Nação com uma única cidade os moradores de cidades (sedes de município) ou de
é sem meio rural. Logo, sua população urbana é vilas (sedes de distritos)”. É evidente que esse não é
de 100%; existe crescimento urbano, crescimento o melhor critério, pois é comum certas aglomerações
da população da cidade e também renovação pequenas e voltadas para atividades agrárias serem
urbana (com construção de obras), mas não existe classificadas como vilas ou até como cidades. Mas,
urbanização, visto que não há migrações do campo mesmo que se altere esse critério e se adote outro - o
para a cidade. de considerar como urbanas apenas as populações de
cidades com mais de 20 mil habitantes, por exemplo

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


24

-, ainda se verificará uma urbanização intensa, pois


as grandes e as médias cidades vêm crescendo bem É evidente que também existem grandes
mais que as pequenas. empresas capitalistas no setor terciário brasileiro -
Afirma-se comumente que a urbanização como os bancos, empresas de seguros, firmas de
brasileira não é decorrência direta da industrialização, publicidade, cadeias de supermercados, etc., cujo
pois esta não gera empregos em número suficiente número vem mesmo crescendo nos últimos anos
para atender ao grande êxodo rural e provoca, -, mas a proporção de pequenas empresas e de
assim, desemprego e subemprego em grande trabalhadores autônomos ainda é muito grande.
escala nas cidades. De fato, quando comparamos a Esse setor terciário hipertrofiado e geralmente
urbanização do Brasil com a que ocorreu nos países descapitalizado ajusta-se muito bem às necessidades
capitalistas desenvolvidos na época da Revolução do setor industrial. As pequenas empresas comerciais
Industrial, verificamos que aqui o setor secundário e os vendedores ambulantes comercializam
absorveu menos mão-de-obra. E também que o setor produtos fabricados por firmas modernas (roupas,
terciário se tornou hipertrofiado, pouco capitalizado calçados, perfumes, canetas, eletrodomésticos e até
e com atividades de pequeno porte que podem automóveis). As pequenas oficinas e os lavadores
ser classificadas como subemprego. Isso se aplica de carros fazem um serviço de conservação que,
ao grande número de vendedores ambulantes, nos países desenvolvidos, é realizado por grandes
empregadas domésticas, guardadores e lavadores de empresas. O elevado número de empregadas
carros nas ruas, etc. domésticas compensa a baixa mecanização das
atividades nas residências. Além disso, o grande
Em parte, isso se explica, porque, como vimos, número de subempregados e desempregados
a industrialização brasileira é do tipo tardia, tendo se constitui um volumoso exército de reserva para as
iniciado apenas no final do século XIX e mediante empresas capitalistas, que pode ser aproveitado nos
importação de tecnologia e máquinas dos países períodos de expansão econômica e contribui para
desenvolvidos. manter baixos os níveis salariais, pelo excesso de
oferta de força de trabalho.
Essa tecnologia, geralmente poupadora de
mão-de-obra, foi desenvolvida em países em que o Dessa forma, a urbanização brasileira
crescimento demográfico há muito tempo declinou, decorre, de fato, do tipo de industrialização que aqui
paralelamente à urbanização que ocorreu no século existe - tardia, típica do capitalismo dependente
XIX (no caso do Reino Unido, desde meados do ou “selvagem”. Logo, também é uma urbanização
século XVIII). No Brasil, assim como em outros países “selvagem”, com setor terciário hipertrofiado, muito
de industrialização tardia, essa tecnologia importada desemprego e subemprego.
agravou o problema do desemprego e do subemprego,
já que o declínio das taxas de natalidade é bem mais REGIÕES METROPOLITANAS
recente e menos acentuado que nos países em que
A intensa urbanização que vem ocorrendo
ela foi elaborada.
no Brasil, especialmente a partir de 1950, tem sido
acompanhada por um processo de metropolização,
Mas, se no setor industrial ocorre essa
isto é, concentração demográfica nas metrópoles
modernização rápida mediante tecnologia importada,
(cidades com mais de 1 milhão de habitantes) e
no setor terciário verifica-se o contrário: como
formação de áreas ou regiões metropolitanas. Isso
grande parte dos capitais concentra-se na indústria,
significa que as grandes cidades, principalmente
as atividades terciárias funcionam com pouco
as metrópoles, geralmente têm crescido a um ritmo
capital e muita mão-de-obra. Isso explica o número
superior ao das pequenas e médias cidades.
excessivamente grande (quando comparado aos
países desenvolvidos) de pequenos estabelecimentos
Assim, quando somamos a população das
comerciais, de ambulantes e autônomos, de pequenas
dez principais metrópoles do país - São Paulo, Rio
oficinas, de guardadores ou lavadores de carros nas
de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza,
ruas, etc. Ou seja, nos países líderes da Revolução
Recife, Porto Alegre, Curitiba, Brasília e Belém - com
Industrial, essas atividades são geralmente exercidas
a das cidades que pertencem às suas respectivas
por grandes empresas capitalistas, ao passo que
áreas metropolitanas, verificamos que, em 1950, elas
no Brasil, por causa da carência de capitais, muitas
reuniam por volta de 18% da população nacional;
vezes são realizadas por pequenas firmas ou por
em 1970, esse número subiu para 26% e, em 2005,
trabalhadores autônomos, que utilizam muito trabalho
e poucas máquinas.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


25

para cerca de 32% da população total do Brasil. E, se e esse número tende a aumentar cada vez mais,
incluirmos as outras cidades ou aglomerados urbanos pois existe ainda um processo de urbanização e
que já ultrapassaram um milhão de habitantes em um crescimento horizontal das cidades, o que, com
2005 - Manaus, Goiânia, Baixada Santista, Grande frequência, origina conurbações. Hoje o número de
Vitória e região metropolitana de Campinas -, veremos regiões metropolitanas é bem maior que no início dos
que a percentagem da população brasileira que vive anos 2000, chegando em 2018 em um total de 73
em metrópoles já supera os 35% do total. regiões metropolitanas no Brasil.

Com o crescimento acelerado das grandes A criação de uma região metropolitana não
cidades e com os processos de conurbação que se presta a uma finalidade meramente estatística;
nelas frequentemente ocorrem, certos problemas o principal objetivo é a viabilização de sistemas de
urbanos - como os transportes, abastecimento de gestão de funções públicas de interesse comum dos
água, esgotos, uso do solo - não devem mais ser municípios abrangidos. Além disso, não possuem
tratados isoladamente em cada cidade vizinha, mas personalidade jurídica própria, nem os cidadãos
em conjunto. elegem representantes para a gestão metropolitana.

Daí surgiu, em uma lei federal de 1973, a Assim, cada região metropolitana possui um
definição de áreas ou regiões metropolitanas: Conjunto planejamento integrado de seu desenvolvimento
de municípios contíguos [vizinhos ou espacialmente urbano, que é elaborado por um conselho deliberativo
interligados] e integrados socioeconomicamente nomeado pelo governo de cada estado, com o auxílio
a uma cidade central, com serviços públicos e de um conselho consultivo formado por representantes
infraestrutura comuns. de cada município integrante da região. Procura-se,
desse modo, tratar de forma global certos problemas
Essas regiões metropolitanas foram estudadas que afetam o conjunto da área metropolitana e que,
e definidas pelo IBGE nos anos 1970 e depois incluídas antes, ficavam a cargo apenas, das prefeituras de
na Constituição de 1988, que as tirou da esfera federal cada município.
e deu autonomia aos estados para estabelecerem
as suas áreas metropolitanas. No início eram nove, Contudo, esse conselho não é um poder
que juntamente com Brasília ainda são as principais independente e à margem dos poderes locais dos
regiões metropolitanas do país (veja quadro na página municípios. É apenas uma ação coordenada do
seguinte), não obstante o surgimento recente de estado com os municípios da região, que continuam
várias outras em alguns estados. exercendo com independência todas as suas funções
no plano municipal.
PRINCIPAIS REGIÕES METROPOLITANAS

Em 2005 já existiam 27 regiões metropolitanas,

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


26

REDE URBANA sistema de relações econômicas e sociais em que


umas se subordinam a outras.
Como vimos, a urbanização brasileira só começou
no momento em que a indústria se tornou o setor Existem milhares de cidades ou municípios
mais importante da economia nacional. Assim, (pois toda cidade, no Brasil, é sede de um município),
representa um dos aspectos da passagem de uma geralmente classificadas em pequenas, médias ou
economia agroexportadora para uma economia grandes, embora existam diferenças dentro de cada
urbano-industrial, o que só ocorreu no século XX e se uma dessas categorias. As cidades pequenas ou
intensificou a partir de 1950. locais são aquelas com até 100 mil habitantes; as
médias têm de 100 a 500 mil; e as grandes, mais de
500 mil habitantes.

As cidades pequenas, que existem em grande


número (milhares), dependem das médias (que existem
em número menor, algumas centenas) ou das grandes;
as cidades médias, por sua vez, subordinam-se às
grandes e estas às metrópoles. Em outras palavras,
a modernização do país, resultante do crescimento
da economia urbano-industrial, produziu uma divisão
territorial do trabalho, uma verdadeira rede na qual
existe uma subordinação do campo à cidade, bem
como das cidades menores às maiores.

AS DUAS METRÓPOLES GLOBAIS


No topo do sistema integrado de cidades,
situam-se as duas metrópoles globais do país:
São Paulo e Rio de Janeiro (foto a seguir). Eram
consideradas, até há alguns anos, como metrópoles
nacionais, mas o IBGE produziu uma nova
classificação na qual elas foram alçadas ao nível
Essa transformação do Brasil, que deixou de
de metrópoles globais em virtude da influência que
ser um país agrário e rural para tornar-se um país
exercem sobre áreas além do território nacional. Elas
urbano e industrial, embora ainda subdesenvolvido,
polarizam todo o território brasileiro e, mais além,
apresenta outros aspectos. Por exemplo: as camadas
exercem forte influência sobre parte da América do
sociais dos fazendeiros e grandes comerciantes
Sul e até da África, comandando praticamente a vida
exportadores deixaram de ser dominantes
econômica e social da nação com suas indústrias,
politicamente, perderam parte da sua influência
universidades e centros de pesquisas científicas
sobre o governo em favor dos industriais, banqueiros,
e tecnológicas, bancos, bolsas de valores, mídia,
empresários das comunicações (televisão, jornais,
grandes estabelecimentos comerciais, etc. Elas são
rádios, revistas) e até mesmo, pelo menos antes das
polarizadas apenas pelas maiores metrópoles globais
privatizações, diretores de grandes empresas estatais.
do mundo: Nova York, Londres, Tóquio e outras.
Enfim, o meio rural não mais produz para o
mercado externo, independente das cidades, como
era regra geral até o fim do século XIX, mas em função
do meio urbano.
v
HIERARQUIA URBANA
Além de passar a comandar o meio rural que
lhe é vizinho (ou, às vezes, até aqueles bem distantes,
como é o caso das metrópoles), as cidades também
estabelecem entre si uma rede hierarquizada, um Vista parcial de São Paulo

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


27

Como essas metrópoles se localizam mais polarizados por uma metrópole regional (além das
ou menos próximas (em relação às dimensões do nacionais e globais) e, por sua vez, polarizam uma boa
território brasileiro), ligadas pela via Dutra, em torno parte da região comandada pela metrópole regional.
da qual existe uma área intensamente urbanizada, Esses centros regionais são muito diversificados,
onde estão cidades como São José dos Campos, com variados tamanhos e equipamentos: o IBGE
Taubaté, Lorena e Volta Redonda, entre outras, reconhece 68 deles. Como exemplos de centros
convencionou-se nos últimos anos que ali se formou regionais, podemos citar São Luís, Maceió, João
uma megalópole ou uma região urbana global. De fato, Pessoa, Londrina, Cuiabá, Ribeirão Preto, Santos,
essa área superurbanizada, que vai de São Paulo até Florianópolis e inúmeras outras cidades.
o Rio de Janeiro e que abrange cerca de 47 000 km2
(0,6% do território nacional), abriga cerca de 22% da PROBLEMAS SOCIAIS URBANOS
população total do país, mais de 50% dos automóveis
O processo de urbanização do Brasil, fruto
e da produção industrial do Brasil.
de uma industrialização tardia, realizada em um país
de capitalismo dependente, trouxe uma série de
METRÓPOLES NACIONAIS
problemas urbanos que não surgiram (ou existiram
Logo abaixo das metrópoles globais e acima de todas com intensidade bem menor) nas cidades dos
as outras cidades, surgem sete metrópoles nacionais países desenvolvidos. Esses problemas geralmente
- grandes cidades que, de uma forma ou de outra, estão relacionados com a rápida urbanização e,
polarizam praticamente todo o território nacional: principalmente, com o tipo de desenvolvimento que
Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Salvador, vem ocorrendo no país há várias décadas, no qual a
Recife, Fortaleza e Brasília. distribuição social da renda tornou-se cada vez mais
concentrada. Mas também existem outros fatores
que explicam essa explosão dos problemas sociais
urbanos, sobretudo a violência.

MORADIA POPULAR
Um dos graves problemas urbanos no Brasil,
talvez o mais importante, é a questão da moradia
popular. Enquanto em algumas áreas das grandes
cidades surgem ou crescem bairros ricos, com
residências moderníssimas, em outras, às vezes
até nas vizinhanças, multiplicam-se as favelas e os
cortiços – ou mesmo a população de rua, que não
possui nenhum tipo de moradia. Nas últimas décadas,
a população favelada aumentou em São Paulo,
no Rio de Janeiro e em outras cidades grandes ou
médias. Eventualmente, desocupa-se uma favela
para construir algum edifício no terreno; parte da
população favelada consegue, então, mudar-se para
conjuntos habitacionais construídos com recursos
públicos, mas o aparecimento de novas favelas e o
crescimento das existentes sempre ocorrem em ritmo
mais acelerado.

CIDADES E REGIÕES URBANAS GLOBAIS E


METRÓPOLES E CENTROS REGIONAIS
MEGALÓPOLE
Nessa escala hierárquica da rede urbana
Um dos temas mais discutidos nas
brasileira aparecem em seguida quatro metrópoles
organizações internacionais é o papel de algumas
regionais, cidades que polarizam uma imensa
cidades no processo de globalização. Em 1999, por
região: Belém, Manaus, Goiânia e Campinas. Depois
causa de uma valorização dos conceitos de “cidade
temos os centros regionais, que, geralmente, são

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


28

global” ou “região urbana global” pela ONU e outras que cada uma dessas duas cidades isoladamente.
instituições internacionais, passou-se a chamar essa
megalópole de região urbana global, denominação INFRAESTRUTURA URBANA
considerada mais apropriada à atual fase de
Água encanada e tratada, pavimentação de
globalização.
ruas, iluminação e eletricidade, rede de esgotos e de
telefonia constituem a infraestrutura urbana. Embora
Essas metrópoles - também chamadas
cidades mundiais ou globais - usam intensamente a a cada ano aumente a área abrangida por esses
telemática, são grandes centros financeiros, sedes de serviços, o rápido crescimento da mancha urbana, ou
grandes corporações e bases de complexas redes de área construída, torna­os sempre insuficientes. Assim,
serviços modernos nos quais se apoiam as transações na Grande São Paulo, por exemplo, em 2015 só 60%
globais. Embora ainda impreciso, o conceito de cidade dos domicílios eram servidos por rede de esgotos, e
global vem sendo aplicado sem polêmicas a Nova apenas 71% por água encanada. Em quase todas as
York, Tóquio e Londres e, com menos segurança, grandes cidades do Brasil, a carência é semelhante
as metrópoles como Paris, Frankfurt, Los Angeles, ou às vezes muito pior.
Cingapura, Hong Kong, Miami, Cidade do México, São
Paulo, Bombaim (atual Mumbai) e algumas outras. A insuficiência dos recursos aplicados na
infraestrutura decorre não apenas da rápida expansão
O primeiro requisito para uma cidade global é das cidades, mas também da existência de terrenos
a centralidade: ela deve estar localizada nos núcleos baldios ou espaços ociosos em seu interior. Como
densos de economias nacionais de grande porte que a terra, especialmente no meio urbano, constitui um
estejam dinamicamente inseridas na globalização. bem imóvel que costuma se valorizar com o tempo,
Ela deve ainda ter grande dimensão - demográfica e, muitos proprietários deixam áreas enormes sem uso,
principalmente, econômica -, e se faz necessário que a à espera de um bom negócio.
infraestrutura e os serviços urbanos básicos (energia,
transportes, comunicações, saúde, saneamento,
educação, cultura, lazer) propiciem as condições para
o desenvolvimento de novas atividades produtivas,
entre elas as redes de indústrias intensivas de afta
tecnologia e os chamados serviços modernos
- mercado financeiro e de capitais, informática-
telecomunicações, centros de pesquisas e
desenvolvimento, mídia e publicidade, universidades
e institutos de altos estudos, consultorias econômico-
financeiras, de gestão de negócios, direito,
contabilidade, etc.

Existe ainda uma hipótese, que se aplica É comum as empresas imobiliárias, ao


mais a Nova York e Londres, a de que as cidades realizarem um loteamento na periferia, onde ainda
mundiais estão se desindustrializando e se tornando não existem serviços de infraestrutura, deixarem um
pós-industriais ou centros de serviços modernos espaço de terra sem lotear entre a área que estão
(sobretudo financeiros), mas em Tóquio as indústrias vendendo e o bairro mais próximo. Após a fixação da
permanecem como forças econômicas dominantes população na área loteada, ocorrerão reivindicações
e mesmo naquelas duas cidades ainda existem para que o local seja provido de infraestrutura. Quando
periferias ou entornes com redes de indústrias de alta isso ocorrer, tais serviços terão de passar por aquele
tecnologia. espaço ocioso, que, então, será vendido ou loteado
com um lucro bem maior. Isso se chama especulação
Alguns estudos recentes propuseram visualizar imobiliária: ela beneficia um grupo reduzido de
São Paulo e Rio de Janeiro como duas metrópoles pessoas e prejudica a maioria da população, pois
geminadas, integrando uma única e complexa região agrava a carência de infraestrutura, além de levar a
urbana, a qual teria mais chances de desempenhar na população trabalhadora da periferia para locais cada
América do Sul as exigentes funções de cidade mundial vez mais distantes do centro da cidade. Os espaços
vazios ou ociosos abrangem atualmente cerca de 20%

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


29

da área urbana da cidade de São Paulo e extensões QUESTÕES CORRELATAS


semelhantes nos demais grandes centros urbanos do
COMENTADA
país.
• Comentário apenas em incorretas •
VIOLÊNCIA URBANA
(Geógrafo - CESPE - MPOG - 2015) Acerca das
Assassinatos, estupros, roubos e furtos, recentes transformações da rede urbana e da
agressões contra pessoas somente pela sua urbanização brasileira, julgue o item que se segue.
aparência, acidentes de trânsito e atropelamentos,
entre outros, são problemas comuns nas grandes Nas duas últimas décadas do século XX, a
cidades brasileiras e constituem a chamada violência urbanização brasileira passou por processo de
urbana. desaceleração a partir dos efeitos da crise econômica
vivida pelo país, cujas metrópoles se mantiveram em
Os acidentes de trânsito, com milhares de contingente demográfico, tamanho e importância, em
feridos e mortos a cada ano, têm índices bem altos contraposição às cidades médias, as quais passaram
no Brasil. Enquanto em Nova York e Chicago há uma a receber os fluxos migratórios antes destinados às
relação de seis mortes ao ano por 10 mil veículos, em metrópoles.
São Pauto e no Rio de Janeiro essa relação sobe para
16. Tal número se deve ao descaso das autoridades, Gabarito: Item Errado
a abusos e impunidade dos motoristas e desrespeito
do/ao pedestre. Comentário: De acordo com o IBGE, a população
brasileira, a partir de 1970, a população é
A violência policial, especialmente sobre a predominantemente urbana. Com o avanço industrial,
população mais pobre, também é frequente no Brasil. esse número só tende a aumentar, ou seja, o contrário
Ao mesmo tempo, cresce cada vez mais o número do que a questão sugestiona.
de homicídios, roubos e furtos, além do narcotráfico
(comércio de drogas como a cocaína, o crack, a
heroína, a maconha, etc.). Nas cidades brasileiras,
salvo raríssimas exceções, essas ocorrências estão QUESTÕES CORRELATAS
entre os índices mais elevados do mundo, às vezes
até maiores que os de países em guerra. Julgue os itens subsequentes, acerca da estrutura
urbana brasileira e das grandes metrópoles
nacionais.

01. A organização do espaço urbano em áreas


industriais, áreas de lazer, espaços públicos e locais
de consumo, e a distribuição dos meios de transporte
e dos serviços públicos de saúde e educação são
determinadas pelo plano diretor de uso e ocupação
do solo, o qual promove uma cidade mais igualitária e
menos segregadora.
Item Errado
Comentário: A organização do espaço urbano em
áreas específicas/especializadas promove uma
cidade menos igualitária e mais segregadora.

02. As desigualdades sociais se refletem no espaço


urbano e as formas produzidas são distintas em
função de cada contexto territorial. As estruturas e
formas urbanas das cidades dos países mais ricos
da Europa e América Anglo-saxônica são totalmente
diversas daquelas das cidades latino americanas e
africanas.
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


30

03. A grande cidade capitalista costuma dispor de 06. Foi marcado pelo crescimento das pequenas
áreas consolidadas, envelhecidas ou em processo de cidades existentes, tanto em número quanto em área
renovação, criadas em diferentes momentos do tempo, e população.
somadas a paisagens construídas recentemente. Item Errado
Item Correto Comentário: No século XIX não havia urbanização
no cenário brasileiro.
(SEMAF / RN - Técnico de Nível Superior - 2004)
São Paulo e Rio de Janeiro são consideradas 07. Nesse momento houve a expansão das
cidades com projeção internacional. A despeito relações assalariadas de produção, o que contribuiu
da perda de posição no quadro urbano do país, para o crescimento do mercado interno e para o
a metrópole carioca sobressai pela tradição desenvolvimento urbano.
do turismo secundada pelas metrópoles do Item Correto
Nordeste, tendendo a afirmar-se como polo de
telecomunicação e de informática, enquanto que 08. Foi marcado pela inexistência de indústrias e
a de São Paulo tem projeção maior no continente atividade comercial incipiente, pois as fazendas
latino-americano e na terceira ou quarta categoria produziam os bens de que necessitavam.
do circuito financeiro mundial. Item Errado
Comentário: Na realidade o item destaca
Atlas Nacional do Brasil. IBGE, 2000. inexistência, de indústrias, onde na realidade o
termo correto seria reduzida.
Considerando essas informações, julgue os itens
seguintes, a respeito da urbanização brasileira.
(Fiscal Sanitário - Prefeitura de São Luís - 2007)
04. O fato de o Rio de Janeiro e de São Paulo serem Apenas a partir da década de 1940, juntamente
consideradas cidades com projeção internacional com a industrialização e a integração entre o
coloca-as, de acordo com a hierarquia urbana, no território e o mercado, é que se estruturou uma
patamar de megalópoles. rede urbana em escala nacional. Considerando
Item Errado a modernização da economia brasileira e de sua
Comentário: O fato de São Paulo e Rio de Janeiro rede urbana julgue os itens subsequentes.
serrem metrópoles globais não é condição para a 09. Moradores da periferia, de favelas e de cortiços
formação de uma megalópole, elas poderiam ser em um grande centro urbano encontram-se em boas
apenas metrópoles de ordem nacional. condições de infraestrutura, como saneamento básico
e sistema de transportes, pois o atual esquema de
05. O processo de urbanização no Brasil, embasado relações urbanas favorece o acesso dessa parcela da
na metropolização, pode ser caracterizado como população a condições mais dignas de moradia.
descentralizado e homogêneo, com o Rio de Janeiro Item Errado
e São Paulo encabeçando a rede urbana brasileira. Comentário: As condições de moradias das
Item Errado periferias brasileiras encontram-se entra as
Comentário: O processo de urbanização no Brasil piores da América do Sul.
é marcado pela centralização e heterogeneidade.

(Analista Ministerial – CESPE – MPE/TO-2009) Os 10. À medida em que as cidades se expandem


fatos urbanos têm sido encarados sob diferentes horizontalmente, ocorre a conurbação, ou seja, elas
prismas científicos: geográfico, sociológico, se tornam contínuas e integradas, e os problemas de
econômico, urbanístico etc. A diversidade no infraestrutura urbana se tornam comuns ao conjunto
tratamento da matéria não elimina, porém, a de municípios da metrópole.
necessidade de uma conceituação básica da Item Correto
natureza do fato urbano, isto é, um esquema
teórico que possa esclarecer quando e porque
uma aglomeração humana adquire a condição de
centro urbano.

Sobre o processo de urbanização no Brasil, no


final do século XIX, julgue os itens.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


31

CAPÍTULO 05 Divisão Territorial Brasileira, que implica atualização


periódica dos valores das áreas estaduais e
municipais e reflete eventuais alterações nos limites
GEOPOLÍTICA DO TERRITÓRIO político-administrativos. Tais alterações podem ser de
BRASILEIRO natureza legal ou judicial ou decorrentes de: ajustes e
------------------------------------------------------------- refinamentos cartográficos; alterações comunicadas,
DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA no âmbito dos convênios que o IBGE mantém com
POPULAÇÃO NO BRASIL E OS órgãos estaduais responsáveis pela divisão política
administrativa; e utilização continuada de melhores
MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERNOS técnicas e insumos de produção.
CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO
Destacam-se as seguintes alterações na
publicação atual da superfície territorial brasileira:
No Brasil, nas últimas décadas, o declínio
a área do estado da Bahia passou a incorporar
das taxas e crescimento vegetativo e o aumento
os valores das áreas insulares do Arquipélago de
da expectativa de vida têm promovido mudanças
Abrolhos, subordinado ao município de Caravelas; a
aceleradas na composição etária da população: vem
área do estado de Santa Catarina passou a incorporar
aumentando a participação percentual de pessoas
os valores de área referentes às águas internas da
em idade produtiva (15 a 59 anos) e dos idosos (60
Baía Sul e Baía Norte; os valores de área dos estados
anos ou mais) e diminuindo a participação percentual
do Ceará, de Pernambuco e da Paraíba foram
dos jovens (0 a 14 anos).
ajustados assim como os valores de área dos estados
de Alagoas e de Pernambuco.
De acordo com o último censo realizado
pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
De acordo com essas novas mudanças
(IBGE), em 2010, o total de habitantes no Brasil era
demográficas e territoriais o país conta hoje com uma
de 190.732.694, que estão distribuídos da seguinte
população relativa/densidade demográfica de 24,56
forma pelas macrorregiões brasileiras:
habitantes por quilômetros quadrados.

REGIÃO POPULAÇÃO EXPECTATIVA DE VIDA NO BRASIL


Norte 15.865.678 A esperança média de vida dos brasileiros
Nordeste 53.078.137 nascidos em 2016 é de 75 anos e 8 meses de acordo
Sudeste 80.353.724 com Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
(IBGE). Em 76 anos, de 1940 a 2016, a expectativa
Sul 27.384.815
de vida dos brasileiros ao nascer aumentou em mais
Centro-Oeste 14.050.340 de 30 anos e hoje é de 75,8 anos – um acréscimo
de três meses e onze dias em relação a 2015. Os
Fonte: IBGE, 2010.
dados constam da Tábua de Mortalidade de 2016,
divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e
Segundo as projeções do IBGE, nos dias atuais
Estatística (IBGE). Em 2015, a expectativa de vida no
o Brasil conta com 209.231.323 habitantes e passou país era de 75,5 anos.
por um redimensionamento do seu território. O Brasil
tem uma nova medida de superfície: 8.515.767,049 Segundo o IBGE, a partir de 1940, com a
km², o que significa um incremento de 0,01% sobre o incorporação dos avanços da medicina às políticas
valor da última publicação da área territorial brasileira, de saúde pública, o país experimentou uma primeira
em 2002 (8.514.876,599 km², segundo a estrutura fase de sua transição demográfica, caracterizada pelo
político-administrativa vigente em 01/01/2001). A nova início da queda das taxas de mortalidade.
medição, que foi divulgada nesta terça-feira (27) pelo
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Um pouco mais a frente, fatores como
representa um incremento (de 0,001%) em relação ao campanhas de vacinação em massa, atenção ao pré-
valor publicado na Sinopse do Censo Demográfico de natal, incentivo ao aleitamento materno, contratação
2010 (8.515.692,272 km²). de agentes comunitários de saúde e programas
de nutrição infantil contribuíram para o aumento da
O redimensionamento é próprio da evolução expectativa de vida do brasileiro ao longo dos anos.
da tecnologia para mensuração e da dinâmica da

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


32

De 1940 até 2016, o aumento foi de exatamente e Minas Gerais, a expectativa de vida das mulheres
30,3 anos. Apesar desse crescimento contínuo na ultrapassou os 80 anos. Enquanto nos estados do
expectativa de vida, o Brasil ainda está abaixo de Maranhão, Alagoas e Piauí a expectativa de vida
países como Japão, Itália, Singapura e Suíça, que em masculina foi de 66,9 anos, valor bem inferior à média
2015 tinham o indicador na faixa dos 83 anos. nacional.

Os avanços em termos de programas de saúde Em nosso país, as taxas médias de fecundidade


pública e programas de saneamento que os países (número de filhos por mulher) vêm declinando de
desenvolvidos já tinham alcançado foram transferidos forma acentuada: de 6,28 filhos em 1960 para 2,38
para os menos desenvolvidos. Nesse instante é que em 2000, e em 2015 para 1,72 filhos. Essas mudanças
começa a diminuir a mortalidade no Brasil. no comportamento demográfico permitem que os
governos - federal, estadual e municipal - estabeleçam
Segundo o IBGE, inicialmente os grandes planos de investimentos em educação e saúde muito
beneficiados foram as crianças. No Brasil, em 1940, mais favoráveis do que na década de 1970, quando o
de cada mil crianças nascidas vivas, 156 não atingiam ritmo de crescimento da população beirava os 3%, ou
o primeiro ano de vida. E hoje em dia estamos com seja, cerca de 5 milhões de habitantes por década. O
uma mortalidade infantil de 13 por mil. Depois, a investimento hoje pode se concentrar na melhoria da
queda das taxas de mortalidade foi expandida para a qualidade do serviço prestado e não mais na expansão
toda a população. da rede, quando era necessário construir cada vez
mais escolas. A redução do número de jovens na
EXPECTATIVA POR ESTADO população total favorece a criação de oportunidades
no sistema público de educação e no mercado de
A Tábua de Mortalidade 2016 constatou que,
trabalho.
entre os estados brasileiros, Santa Catarina é o que
apresenta a maior esperança de vida, com 79,1 anos;
DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO NO BRASIL
seguido do Espírito Santo (78,2 anos); Distrito Federal
(78,1 anos); e São Paulo, estado onde a expectativa Cerca de 82% da população brasileira está
de vida é de 78,1 anos. concentrada na região litorânea do Brasil, que
raramente ultrapassa os 50 Km. Segundo dados do
Ainda com indicadores superiores à média Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE o
nacional aparecem, pela ordem, o Rio Grande do Brasil em 2016, a densidade demográfica no Brasil é
Sul, onde a expectativa de vida ao nascer em 2016 de aproximadamente 24,6 hab/Km².
era de 77,8 anos; Minas Gerais (77,2 anos); Paraná
(77,1 anos); e Rio de Janeiro (76,2 anos). No outro DENSIDADE DEMOGRÁFICA GERAL E POR
extremo, com as menores taxas de expectativas de REGIÃO (2010)
vida, estão os estados do Maranhão, com 70,6 anos
e do Piauí, com 71,1 anos. Os resultados da pesquisa
são usados como um dos parâmetros para determinar
o fator previdenciário, no cálculo das aposentadorias
do Regime Geral de Previdência Social.

Os dados da Tábua de Mortalidade 2016,


constatou que mulheres vivem em média mais do que
homens. Enquanto a expectativa de vida dos homens,
em 2016, era de 72,9 anos, a das mulheres atingiu
79,4 anos.

Esse comportamento nacional se repetiu em


todos os estados, sendo que a maior diferença foi
registrada em Alagoas, onde as mulheres vivem, em
média, mais 9,5 anos do que os homens; em seguida,
vem a Bahia (9,2 anos) e Sergipe (8,4 anos).

Nos estados de Santa Catarina, Espírito Santo,
Distrito Federal, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


33

A observação do mapa sobre a distribuição


geográfica da população permite-nos observar PIRÂMIDE ETÁRIA NO BRASIL (2050)
uma discrepância entre o litoral e as porções central
e oeste do país. As causas dessa distribuição
variam desde o processo de colonização que tem
por base a região litorânea (zona da mata) e o
desenvolvimento do cultivo da cana-de-açúcar até
a formação dos grandes centros urbanos nessa
faixa de terra do nosso território.

Fonte: http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/piramide-
ÁREAS DENSAMENTE POVOADAS E
etaria-populacao-brasileira.htm
FRACAMENTE POVOADAS
Além das grandes regiões e dos estados,
existem algumas áreas que se destacam por ECONOMIA E DINÂMICA SOCIAL NO BRASIL
serem densamente povoadas (litoral do Nordeste, (SETORES DA ATIVIDADE)
Recôncavo Baiano, Baixada Santista, Vale do Itajaí,
No Brasil, o setor primário (agricultura,
as regiões metropolitanas etc.) e outras por serem
pecuária, exploração animal e vegetal) ainda é muito
fracamente povoadas (Sertão Nordestino, porções
central e ocidental das regiões Centro-Oeste e Norte). importante. O agronegócio ganha cada vez mais força
no cenário nacional. O setor secundário (indústria
PIRÂMIDES ETÁRIAS NO BRASIL E TRANSIÇÃO e extrativismo mineral) é o setor da economia que
DEMOGRÁFICA transforma produtos naturais produzidos pelo setor
primário em produtos de consumo, ou em máquinas
No Brasil, temos verificado uma mudança na
industriais (produtos a serem utilizados por outros
pirâmide etária, que tem alargado o topo, e estreitado
estabelecimentos do setor secundário). Geralmente
a base. Essas mudanças decorrem em especial da
apresenta porcentagens bastante relevantes nas
urbanização do país, que mudou significativamente
o modo de vida de grande parte dos brasileiros, sociedades desenvolvidas. É nesse setor, que
principalmente com relação aos filhos, e também podemos dizer que a matéria-prima é transformada
garantiu avanços fundamentais a nível médico- em um produto manufaturado. A indústria e a
sanitário, a participação da mulher no mercado de construção civil são, portanto, atividades desse
trabalho, etc. setor. O setor terciário (no Brasil), no contexto da
economia, envolve a comercialização de produtos
em geral, e o oferecimento de serviços comerciais,
PIRÂMIDE ETÁRIA NO BRASIL (2015) pessoais ou comunitários, a terceiros. Nesse setor
há grande ocorrência de problemas, assim como a
hipertrofia e a macrocefalia, que são nada mais que
o crescimento desordenado, e consequente excesso
de mão-de-obra. O setor terciário é, geralmente, a
principal fonte de renda dos países desenvolvidos. O
setor quaternário é o setor ligado a alta tecnologia,
pesquisa, biotecnologia, informática, etc. O setor
quinquinário é trazido à tona pelo professor Milton
Santos no livro: O Brasil - Território e sociedade no
A população brasileira está em transição para início do século XXI, onde ele trata o indivíduo que
a fase adulta, ou madura, fato que coloca a pirâmide trabalha no setor de finanças, como as bolsas de
etária do país em uma situação intermediária: a base é valores como integrantes desse setor.
mais estreita que o corpo, porque a taxa de natalidade
está reduzida e o número de adultos já compõe a maior *Obs.: Hoje muitos autores falam em Setor Quinário,
parte da população do país; o topo é mais estreito que seriam os serviços sem fins lucrativos, como
que a base. No entanto com o passar do tempo e o organizações não governamentais.
aumento da expectativa de vida, o número de idosos
será cada vez maior, aumentando assim, o ápice da
pirâmide.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


34

NOVAS TENDÊNCIAS MIGRATÓRIAS HISTÓRICO DAS MIGRAÇÕES INTERNAS NO


BRASIL
Nos últimos trinta anos, a Região Nordeste
continuou perdendo população, mas apresentou
ritmos diferentes em cada estado. No Ceará e no Rio Século Características
Grande do Norte, houve redução de emigração, em
consequência da expansão econômica que gerou Saída de nordestinos da Zona da
as novas oportunidades de trabalho. Já os estados XVI e XVII Mata, rumo ao Sertão, atraídos pela
de Pernambuco, Alagoas e Bahia não conseguiram expansão da pecuária.
reverter a evasão populacional. Mesmo a Bahia, que
teve aumento da participação do PIB nacional nesse Saída de nordestinos e paulistas rumo
período, não conseguiu gerar empregos suficientes XVIII
à região mineradora (Minas Gerais)
para o tamanho de sua população.
Saída de mineiros rumo ao interior
As migrações internas, muito intensas no país,
paulista, atraídos pela expansão do
sofreram mudanças nas últimas décadas. Segundo XIX café./Saída de nordestinos rumo à
o IBGE, em São Paulo as entradas de migrantes Amazônia para trabalhar na extração
diminuíram em 12%, enquanto as saídas aumentaram da borracha
em 36%, fazendo com que o saldo migratório de
744.798 migrantes registrados em 1991, declinasse Saída de nordestinos rumo ao Centro-
para 339.926 em 2000. Já os estados de Minas Oeste (Goiás) para trabalhar na
Gerais e Rio de Janeiro passaram de repulsores para XX –
construção de Brasília. Este período
receptores de população, ou seja, ocorreu aumento Década de
ficou conhecido como a Marcha
das entradas e diminuição das saídas. Na década 1950
para o Oeste, e os migrantes como
de 1990, com a reativação de alguns setores da candangos.
economia nordestina, como o crescimento do turismo
e a instalação de diversas empresas, estabeleceu-se Saída de nordestinos (principalmente)
um fluxo de retorno da população para o Nordeste. Décadas rumo ao Sudeste, motivada pela
de 1950- industrialização. As cidades de São
Em 1999 segundo o IBGE, 15,5 milhões de 1960 Paulo e do Rio de Janeiro receberam
pessoas residiam fora de suas regiões de origem. o maior fluxo de migrantes.
Entre 1992 e 1999, 15,9% da população da Região
Nordeste e 10% da do Centro-Oeste. No entanto,
tendências mais recentes da mobilidade da Saída de nordestinos que continuaram
população no Brasil apontam para o crescimento das migrando para o Sudeste, o Centro-
migrações intrarregionais, dos fluxos urbano-urbano Oeste (Mato Grosso) e o Sul (Paraná).
e intrametropolitanos. Ou seja, muitas pessoas têm Décadas A partir de 1967, com a criação da
migrado de uma cidade para outra ou no interior de 1960- Zona Franca de Manaus, ocorreu uma
das áreas metropolitanas. Cidades com mais de 100 1970 intensa migração de nordestinos rumo
mil habitantes têm apresentado maior crescimento à Amazônia (principalmente Manaus).
populacional e têm sido procuradas por migrantes. Esse processo em grande parte foi
orientado pelo Governo Federal.
A mobilidade interna do povo brasileiro
sempre esteve ligada ao processo de povoamento Migrações de sulista rumo ao Centro-
de um enorme território. A sucessão dos ciclos ou Oeste (agropecuária) e de nordestinos
períodos da economia brasileira, sempre, ligados a rumo à Amazônia (agropecuária
um determinado produto ou atividade, favoreceu essa Décadas e garimpos). Em consequência,
mobilidade, pois as pessoas são sempre atraídas por de 1970- o Norte e o Centro-Oeste foram,
fatores como emprego, facilidade de obter terras ou 1990 respectivamente, as regiões que
de enriquecer rapidamente. Observe a tabela abaixo apresentam o maior crescimento
sobre os principais ciclos brasileiros migratórios: populacional do Brasil, nas últimas
décadas.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


35

PRINCIPAIS TIPOS DE MIGRAÇÕES INTERNAS econômico do país e, em consequência, a maior região


de atração populacional do Brasil, principalmente até
As migrações internas no Brasil caracterizam-se a década de 1980.
por dois tipos principais: A INTRARREGIONAL E A
INTER-REGIONAL.
TAXA DE IMIGRAÇÃO LÍQUIDA (%)
A migração intrarregional é entendida como
a movimentação de pessoas dentro de uma mesma Região 1950 1960 1970 1980
região. Década de 1990, essa dinâmica tem sido
caracterizada pela saída de pessoas das pequenas Norte 12,12 9,72 9,9 18,16
cidades, principalmente na região Nordeste, rumo Nordeste 5,47 6,31 5,93 6,49
às suas respectivas capitais, onde a possibilidade Sudeste 11,9 13,71 16,57 18,45
de novas perspectivas é maior. E também pela saída
de pessoas das metrópoles globais localizadas no Sul 10,94 16,83 17,5 14,06
Sudeste, como São Paulo e Rio de Janeiro, rumo às Centro-
20,69 29,38 32,84 35,14
cidades médias do próprio Sudeste, em busca de Oeste
melhor qualidade de vida.
A taxa de Imigração Líquida é a relação entre o número de
não naturais de uma região e o total de população residente
Neste tipo de migração, é comum trabalhadores
nessa região.
de áreas agrícolas partirem para outras regições, onde
há necessidade de mão de obra para o cultivo de
algum produto (período das safras). São movimentos
sazonais, assim chamados por se realizarem conforme
as estações de plantio e colheita.

Migração Inter-regional é o deslocamento


de pessoas entre as regiões brasileiras. Esse tipo
de migração constinua sendo o mais típico e,
quantitativamente, o mais expressivo dentre as
transferências populaconais no interior do Brasil.

Durante meio século de história, a região


Nordeste, que não voltou a ter a mesma importância
econômica do período colonial, caracterizou-se como
uma região de expulsão populacional. Primeiro para
a região Sudeste, depois, para as novas fronteiras
agrícolas.

A região Sudeste, ao contrário, viveu dois


momentos fundamentais para a economia brasileira
– a economia cafeeira e a industrialização -, além da
descoberta do ouro no periodo colonial. Por esses
fatores e por ter abrigado a capital federal até o
início dos anos 1960, o Sudeste tornou-se o centro

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


36

QUESTÕES CORRELATAS QUESTÕES CORRELATAS


(COMENTADA)
• Comentário apenas em incorretas •
(Analista Ministerial - CESPE - MPE/TO-2006) Nas
últimas pesquisas, destacam-se mudanças no
quadro demográfico brasileiro. Com referência
(IEMA-ES - Analista Ambiental-Geografia - 2007) às suas características e tendências observadas,
O panorama geral dos fluxos migratórios entre os julgue os itens que se seguem.
estados brasileiros, nos períodos de 1970-1980,
1981-1990 e 1991-2000, revela várias modificações. 01. Uma característica da população brasileira é a
Esses fluxos migratórios tiveram, como pano de sua concentração espacial, devendo ser considerado,
fundo, o avanço generalizado da urbanização no entretanto, sua atual tendência de redistribuição no
país, com a substituição das migrações rurais- território nacional.
urbanas pelas urbanas-urbanas e com o recente Item Correto
fenômeno da migração de retorno aos locais de
origem. (...) No plano das migrações entre países, 02. Observa-se no país um declínio do contingente
somente em meados dos anos 80, os brasileiros populacional brasileiro, declínio este causado pela
começaram a emigrar. Esses fluxos de emigração diminuição na taxa de natalidade do país nos últimos
são os primeiros da história do Brasil. Os dados anos.
da divulgação sobre a migração da população Item Errado
brasileira ainda são muito imprecisos, mas o Comentário: Na realidade apesar da redução do
Ministério das Relações Exteriores estima que 1,9 crescimento populacional brasileiro existe ainda
milhão de brasileiros (mais de 1% do total de 170 um crescimento populacional no Brasil.
milhões) vivem hoje fora do seu “país natal”.
03. Uma das alterações verificadas no padrão
Revista Ciência Hoje. N.º 219, v. 37, set./2005. p.34-9, demográfico brasileiro diz respeito à composição da
40-4 (com adaptações).
população por idade, com o aumento significativo do
percentual dos idosos no conjunto da população.
Tendo o texto acima como referência inicial, julgue
Item Correto
o item que se segue.
04. A taxa de fecundidade da população tem
A modernização do campo ocorrida na região
aumentado em consequência da melhoria do acesso
Nordeste, na metade do século passado, favoreceu a
aos programas públicos de saúde nas áreas urbanas.
migração de contingentes populacionais dessa região
Item Errado
para as principais metrópoles situadas no Sul do país.
Comentário: Não há um aumento da população
idosa no Braisl de maneira acentuada como
Gabarito: Item Errado
afirma a questão.
Comentário: A questão retrata uma modernização
05. Uma das grandes disparidades entre as regiões
no campo nordestino na segunda metade do século
brasileiras diz respeito à densidade demográfica,
XX, quando na realidade apenas algumas áreas,
apesar dos intensos fluxos migratórios internos em
isoladas, como a MAPITOBA ou o MÉDIO/SUBMÉDIO
direção aos vazios populacionais.
SÃO FRANCISCO que aparecem com uma elevada
Item Correto
modernização, essas áreas podem ser consideradas
como ilhas de desenvolvimento no campo nordestino,
que a grosso modo ainda é baseado em um modelo
de desenvolvimento agrícola precário e pouco
desenvolvido.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


37

(Oficial de Inteligência – CESPE – ABIN – 2018) 08. Fundamentados no aumento da expectativa de


Acerca dos movimentos migratórios internos, vida, que resulta em crescimento das despesas com
da estrutura etária da população brasileira e da aposentadorias, serviços de saúde e assistência
evolução de seu crescimento no século XX, julgue social, setores da sociedade brasileira defendem a
os itens a seguir. necessidade de reforma do sistema previdenciário
nacional.
06. O baixo crescimento vegetativo da população Item Correto
brasileira verificado nos últimos três censos
demográficos indica a diminuição do ritmo de
migrações no país e o início de longo ciclo de
estagnação. Centros urbanos de atração de migrantes,
como Brasília, Manaus e São Paulo, diminuíram
drasticamente o ritmo de crescimento econômico,
justificando assim a queda do fluxo migratório de
entrada e o aumento da saída de população.
Item Errado
Comentário: Vários erros na assertiva, mas pra
CESPE basta uma para estar errada. Entre os
erros destacamos a diminuição do ritmo de
migrações no país e o início de longo ciclo de
estagnação”

07. A dinâmica da estrutura etária da população


brasileira tende ao equilíbrio quanto à quantidade de
crianças, jovens, adultos e idosos: a população de
idosos com maior expectativa de vida cresce tanto
quanto a população em idade infantil e jovem. (Oficial de Inteligência - ABIN - Agente de
Item Errado Inteligência - 2008) Com auxílio dos dados
Comentário: O Brasil está se encaminhando apresentados no gráfico, que mostra a pirâmide
para a estrutura etária de pirâmide invertida, etária brasileira no ano de 2000 e a sua projeção
revelando assim, um grande desequilíbrio entre para 2020, julgue os seguintes itens.
as faixas etárias. Além disso, não é verdade que
a população de idosos cresce em mesmo ritmo 09. Observa-se uma previsão de diminuição da
que a população infantil e jovem. Portanto, a população brasileira até 2020.
população mais infantil/jovem cresce em maior Item Errado
ritmo na segunda e terceira fase de transição. Já Comentário: A população brasileira ainda
na quarta fase, a qual o Brasil deverá entrar no continua crescendo.
século XXI, há um aumento relativo da população
idosa. 10. A participação relativa dos jovens no conjunto
da população brasileira deverá diminuir, enquanto a
das pessoas com mais de 70 anos de idade deverá
aumentar.
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


38

Como o regime das sesmarias não estava


CAPÍTULO 06 dando certo no Brasil, a saída encontrada foi criar
um sistema mais atraente, que transferisse a árdua
GEOPOLÍTICA DO TERRITÓRIO tarefa de colonização à iniciativa particular - surge aí o
BRASILEIRO sistema de capitanias hereditárias.3
-------------------------------------------------------------
O país foi dividido em 15 lotes, entregues
A EVOLUÇÃO DA ESTRUTURA condicionalmente para 12 donatários. Pero Lopes de
FUNDIÁRIA E PROBLEMAS Sousa ficou com três lotes e Martim Afonso de Sousa
DEMOGRÁFICOS NO CAMPO com 2 lotes.

Para entendermos melhor o problema da terra no


Brasil é necessário um resgaste histórico, que aponta ANTIGO MAPA DAS CAPITANIAS HEREDITÁRIAS
para uma desigual distribuição de terras já no período E SEUS DONATÁRIOS
colonial. As capitanias hereditárias e as sesmarias são
responsáveis por boa parte dos latifúndios brasileiros
atuais.
O REGIME DAS SESMARIAS 2

O rei Dom João III, em 1530, decidiu


implementar o sistema de sesmarias no Brasil para ter
noção da extensão territorial do território.

Porém, é necessário lembrar, que antes da


conquista territorial, Portugal passava por uma grave
crise econômica, diversos conflitos entre proprietários
de terras e os lavradores, que provocaram o êxodo
rural e a falta de alimentos nas grandes cidades.

D.Fernando I - rei de Portugal à época -


transformou em lei um costume antigo dos países
ibéricos, onde o rei sorteava terras chamadas de
sesmarias, para serem cultivadas pelos chamados
sesmeiros, por um período de dois anos. Assim, em
junho de 1375, surgiu a Lei das Sesmarias.

No Brasil, as sesmarias não pressuponham a


existência de propriedade anterior, como em Portugal
e na Espanha. Lá, as terras concedidas aos sesmeiros
eram as que haviam sido abandonadas, enquanto
aqui, eram terras virgens, desprovidas de qualquer
documento jurídico, as terras aqui nunca tiveram
donos. Os donatários deveriam conceder lotes
menores a outros interessados, entretanto, isso não
As terras no Brasil não foram devidamente ocorreu. Os donatários não se preocuparam com
cultivadas basicamente por dois motivos: a grande essa subdivisão e nem com a função social da terra.
extensão territorial e a falta de mão-de-obra, logo as Vaidoso e detentores de inúmeros privilégios típicos
terras permaneciam ociosas, e corriqueiramente eram
confiscadas pelo rei.
3
O sistema de capitanias hereditárias foi implantado, inicialmente,
2 e com sucesso nas possessões portuguesas de Açores, Cabo
A palavra sesmo deriva do termo latino sex ou seximus e significa Verde, Madeira e São Tomé. Eram chamadas de capitanias porque
a sexta parte de alguma coisa. Como os sesmeiros ficavam com seus chefes tinham o título de capitão-mor. E eram hereditárias,
a sexta parte da produção (embora alguns historiadores afirmem porque deveriam passar de pai para filho. Os capitães-mores
o contrário), tudo leva a crer que a palavra seja proveniente de ficaram conhecidos também como donatários, porque recebiam
sesmo. as terras do rei em caráter de doação.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


39

da nobreza da época, sentiam-se os donos absolutos Frente ao fracasso das capitanias, o rei de
da terra e valiam-se delas somente para fins de grande Portugal resolveu instituir um governo-geral nomeado,
pessoal e ostentação de poder. Continuamente, no qual os donatários deveriam se submeter. Tomé de
instituiu-se o germe de um comportamento autoritário, Sousa foi indicado para ser o primeiro governador-
que passou a História com o nome de coronelismo, geral do Brasil.
que não tem suas raízes no Brasil como podemos
observar no texto abaixo: Tomé de Sousa governou até 1553 sendo
substituído por Duarte da Costa (1553-1558) e
CORONELISMO EM TODO LUGAR este por Mém de Sá (1558-1572). Todos tiveram a
preocupação de manter os colonos ocupados em
“O termo “coronel” tem origem nos títulos que a
produzir gêneros agrícolas que fossem consumidos
Guarda Nacional - milícia de cidadãos criada pelo
na Europa. A prioridade continuava a ser a cana-de-
regente Diogo Antônio Feijó em 1831 - distribuía aos
açúcar.
proprietários de terra e outras pessoas influentes. Em
troca, a Guarda recebia ajuda para manter a ordem
As únicas capitanias que prosperaram foram
pública, ameaçada pelas constantes insurreições e
as de São Vicente e Pernambuco, onde se inicia
revoltas que caracterizaram o período das regências
a colonização brasileira, com a implantação de
(1931-1940), como a Abrilada, em Pernambuco, da
engenhos e a grande produção de açúcar. Foi em
Cabanagem, no Pará, e da Farroupilha no Rio Grande
Pernambuco que se estabeleceram os primeiros e os
do Sul. Foi um dos meios usados pelo governo
maiores latifúndios no Brasil.
para não perder o controle sobre o país depois da
abdicação de Pedro I e antes de seu filho Pedro II
O regime das sesmarias teve seu fim no dia
ter idade suficiente para assumir o poder. Embora
17 de julho de 1822, ano da independência do país.
o termo “coronel” tenha nascido nesse período
Após a extinção das sesmarias, o Brasil ficou 28 anos
conturbado, a origem dessa figura remonta ao Brasil
sem nenhuma lei específica que regulamentasse a
colonial, quando a presença de chefes locais era
aquisição de terras.
essencial para organizar a vida das comunidades.
A socióloga Maria Isaura Pereira de Queiroz chama
Somente em 18 de setembro de 1850 surgiu a
esse fenômeno de “mandonismo”, que existiria
lei nº 601- chamada Lei de Terras, que praticamente
também em Portugal, na Espanha e nos países de
instituiu a propriedade privada da terra no Brasil,
colonização ibérica.
determinando que as terras públicas ou devolutas
só podiam ser adquiridas por meio de compra,
O “coronel” brasileiro, o “gamonal” peruano e o
favorecendo os abastados proprietários rurais.
“caudilho” argentino ou uruguaio - denominações
características do detentor do poder local nesses
países - têm a ver com o “cacique” espanhol,
AGRONEGÓCIO NO BRASIL
português, mexicano ou colombiano. Foi a realidade
de cada país que deu a esses líderes características O termo agronegócio foi proposto pelos
diferentes”. pesquisadores Ray Goldberg e John Davis, da
Universidade de Harvard, a partir de análises feitas
da intensa integração entre a agropecuária e o setor
industrial nos anos 1950.

O agronegócio representa um enorme


complexo de atividades desenvolvidas a partir da
produção no campo. A agropecuária gera uma rede
de estabelecimentos que utilizam matérias-primas
animais ou vegetais e transformam em produtos de
alto valor agregado.

Alimentado por grandes complexos


agroindustriais, o setor do agronegócio gerencia a
produção do suco de laranja, óleo de soja, lecitina de

Revista de História da Biblioteca Nacional. Ano 6. Set.2010.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


40

soja, açúcar, álcool, café solúvel, carnes em conserva ESTRUTURA FUNDIÁRIA, O USO DAS TERRAS
etc., assim como sua distribuição para outros setores E AS RELAÇÕES DE PRODUÇÃO NO CAMPO
da atividade industrial. Como tais produtos agregam BRASILEIRO
trabalho e tecnologia, a venda destes é mais lucrativa
que a da matéria-prima que os compõe. A estrutura fundiária é a forma como estão
organizadas as propriedades agrárias de um país
Nunca se investiu tanto em pesquisa na área ou região, isto é, a classificação dos imóveis rurais
agropecuária quanto nas últimas décadas. Técnicas segundo o número, tamanho e distribuição social.
cada vez mais modernas são empregadas com a Observe os gráficos sobre a distribuição de terras no
finalidade de obter maior rendimento e produtividade. Brasil:
Satélites, sensores e computadores passaram a fazer
parte da realidade do mundo rural moderno.
NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS RURAIS
Com o extraordinário aumento do agronegócio,
surgiu a agricultura de precisão, que permite o
conhecimento detalhado (espacial e temporal) da
lavoura, por meio da utilização de um conjunto de
equipamentos tecnológicos (GPS, drones, softwares,
imagens de satélites etc.) para a interpretação dos
dados. Desse modo, todo o processo é controlado: da
aplicação de insumos à correção de fatores limitantes
da produção. O uso da tecnologia tem como objetivo
aumentar a produtividade, passando pela redução
dos impactos ambientais.

A produção e comercialização de produtos


agropecuários são controladas por companhias
multinacionais que procuram influenciar na criação ÁREA DE ESTABELECIMENTOS
de leis que as beneficiem. Apenas seis empresas,
chamadas gigantes da genéticas4, controlam
atualmente 60% do mercado mundial e sementes e ¾
do mercado global de pesticidas.

CICLO DA AGRICULTURA DE PRECISÃO

Pelos gráficos, nota-se uma enorme


concentração de terras. De um total de 6 milhões
de propriedades, 53,05% ocupam 3,10% da área,
enquanto 1,42% dos estabelecimentos (mais de 1000
ha) ocupam 43,48% da área. Portanto, ocorre uma
elevada concentração na propriedade da terra, com
um reduzido número de proprietários concentrando
imensa área e um grande número de pequenos
proprietários, que possuem parcelas insuficientes
para o sustento de suas famílias. Para complementar
a renda, pequenos proprietários trabalham
temporariamente nas grandes propriedades.
4
Monsanto (EUA), Syngenta (Suiça), Dupont (EUA), Basf
Alemanha), Bayer (Alemanha) e Dow (EUA)

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


41

ESTATUTO DA TERRA E CLASSIFICAÇÃO DOS Com o Estatuto da Terra (1964), surgiu o


IMÓVEIS RURAIS conceito de módulo rural: “é o modelo ou padrão que
deve corresponder à propriedade familiar”.
O Estatuto da Terra foi criado pela lei 4.504,
de 30-11-1964, sendo, portanto, uma obra do regime Com base nesse conceito, posteriormente, o
militar que acabava de ser instalado no país através INCRA, Instituto Nacional de Colonização e Reforma
do golpe militar de 31-3-1964. Sua criação estará Agrária, vinculado ao Ministério do Desenvolvimento
intimamente ligada ao clima de insatisfação reinante Agrário, criou o conceito de módulo fiscal: “unidade 
no meio rural brasileiro e ao temor do governo e da de  medida  expressa  em  hectares, fixada para cada
elite conservadora pela eclosão de uma revolução região, considerando vários fatores, como o tipo de
camponesa. Afinal, os espectros da Revolução exploração predominante no município e a renda
Cubana (1959) e da implantação de reformas agrárias obtida com a exploração predominante.”.
em vários países da América Latina (México, Bolívia,
etc.) estavam presentes e bem vivos na memória dos Portanto, o tamanho do módulo fiscal depende de
governantes e das elites. cada região, sendo usado pelo IBGE para classificar
os imóveis rurais quanto ao tamanho:
As lutas camponesas no Brasil começaram
a se organizar desde a década de 1950, com o • Minifúndio: área inferior a um módulo fiscal.
surgimento de organizações e ligas camponesas, de • Pequena propriedade: área entre um e quatro mó-
sindicatos rurais e com atuação da Igreja Católica e dulos fiscais.
do Partido Comunista Brasileiro. O movimento em • Média propriedade: área superior a quatro e até
prol de maior justiça social no campo e da reforma quinze módulos fiscais.
agrária generalizou-se no meio rural do país e assumiu • Grande propriedade: área superior a quinze módu-
grandes proporções no início da década de 1960. los fiscais.
• Empresa Rural: imóvel explorado racionalmente,
No entanto, esse movimento foi praticamente
com um mínimo de 50% de sua área agricultável uti-
aniquilado pelo regime militar instalado em 1964.
lizada e que não exceda a 600 vezes o módulo rural.
A criação do Estatuto da Terra e a promessa de
uma reforma agrária foi a estratégia utilizada pelos • Latifúndio por exploração: imóvel que, não exce-
governantes para apaziguar, os camponeses e dendo os mesmos limites da empresa rural, é mantido
tranquilizar os grandes proprietários de terra. As inexplorado em relação às possibilidades físicas, eco-
metas estabelecidas pelo Estatuto da Terra eram nômicas e sociais do meio.
basicamente duas: a execução de uma reforma • Latifúndio por dimensão: imóvel rural com área su-
agrária e o desenvolvimento da agricultura. Três perior a 600 vezes o módulo rural médio da região.
décadas depois, podemos constatar que a primeira
meta ficou apenas no papel, enquanto a segunda Outro aspecto importante do Estatuto da Terra é
recebeu grande atenção do governo, principalmente que, teoricamente, o trabalhador rural ganhou uma
no que diz respeito ao desenvolvimento capitalista ou proteção legal, representada pelo salário mínimo,
empresarial da agricultura. férias remuneradas, previdência e 13o salário. Mas,
na prática, os fazendeiros “fugiam” dessa mudança,
passando a contratar trabalhadores temporários,
surgindo à figura do boia-fria.

PERSONAGENS DO CAMPO
• Boia-fria: essa denominação decorre do fato de tais
trabalhadores comerem fria a refeição que levam de
casa, pois no local de trabalho não existem instala-
ções para esquentar a comida. O nome correto do
trabalhador diarista é volante ou assalariado tempo-
rário; ele reside normalmente nas cidades e trabalha
no campo, em geral nas colheitas. Esse tipo de traba-
lhador teve crescimento numérico, devido à mecani-

Manifestação da Liga Camponesa, 1963, Pernambuco.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


42

zação no cultivo de certos produtos, o que diminuiu a deixando a cargo do Ministério da Agricultura a
necessidade de mão-de-obra no cultivo, mas aumen- responsabilidade de promovê-la.
tou na época da colheita.
• Posseiro: indivíduo que se apossa de uma terra que REFORMA AGRÁRIA E CONSTITUIÇÃO (1988)
não lhe pertence, geralmente plantando para o sus-
tento familiar. Art. 184. Compete à União desapropriar por
• Grileiro: indivíduo que falsifica títulos de proprie- interesse social, para fins de reforma agrária,
dade, para vendê-los como se fossem autênticos, ou o imóvel rural que não esteja cumprindo sua
para explorar a terra alheia. função social, mediante prévia e justa indenização
• Parceiros: pessoas que trabalham numa parte das em títulos da dívida agrária, com cláusula de
terras de um proprietário, pagando a este com uma preservação do valor real, resgatáveis no prazo
parcela da produção que obtêm, ficando com metade de até vinte anos, a partir do segundo ano de sua
(meeiros) ou com a terça parte (terceiros). emissão, e cuja utilização será prevista em lei.
• Arrendatários: pessoas que arrendam ou alugam a
Portanto, a reforma é um processo no qual
terra e pagam ao proprietário em dinheiro.
o governo desapropria terras não aproveitadas,
• Peões: surgiram na década de 1970, com as fron- cedendo-as para agricultores que desejem trabalhá-
teiras agrícolas em direção ao norte. São contratados la. Mas, para obter sucesso, a reforma deve ser
fora da Amazônia, em geral no Nordeste, pelos inter- acompanhada por várias medidas como: assistência
mediários (“gatos”), que iludem esses trabalhadores técnica permanente, educação, financiamento
e, por causa de dívida por alimentação nos armazéns de equipamentos, política de preços mínimos,
dos latifúndios, são escravizados, sendo impedidos infraestrutura de transporte, armazenagem, telefonia e
de deixar o serviço. eletrificação rural. Em vários casos, isto não acontece,
• Ocupante: Indivíduo que ocupa e produz na terra explicando-se o abandono posterior das terras
alheia. distribuídas. Como o governo é lento e burocratizado,
surgem os conflitos rurais, marcados pela violência.
REFORMA AGRÁRIA
Nas últimas décadas, o Brasil transformou-
Teoricamente representa o fim da concentração se em um dos maiores produtores e fornecedores
fundiária brasileira, com redistribuição das terras, de alimentos e fibras para o mundo. A participação
rompendo definitivamente com o passado colonial crescente no mercado mundial de produtos agrícolas
de exploração. Alguns intelectuais apontam que a é resultado de uma combinação de fatores, como
primeira e, ao mesmo tempo, a última reforma foi o avanço das terras cultivadas sobre as áreas com
no século XVI, com as capitanias hereditárias, que cobertura vegetal natural, chamadas de fronteiras
introduziu os latifúndios, os quais resistem até os dias agrícolas, e os investimentos em tecnologia e
atuais. pesquisa, o que gerou um aumento da produtividade.

Em razão do poder político das oligarquias Podemos dividir a área agrícola em


rurais, a reforma agrária começou a ser discutida após dois tipos de lavoura: cultura permanente e cultura
a Segunda Guerra Mundial, inicialmente, por meio de temporária. No primeiro caso as culturas levam mais
comissões, que fracassaram. de um ano para produzir, já as lavouras temporárias
são formadas por culturas com ciclo de vida curto,
Na década de 1960, surgiram às primeiras que precisam ser replantadas todos os anos. No
tentativas no governo de João Goulart, frustradas Brasil destacamos o café, o cacau e a laranja como
pelo golpe militar de 1964. Neste mesmo ano, surgiu culturas permanentes e a soja, o milho e a cana-de-
o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária açúcar como culturas temporárias.
(INCRA) com a responsabilidade de aplicar o Estatuto
da Terra, que provocou um aumento dos trabalhadores
temporários, pois os fazendeiros não aceitaram as
garantias trabalhistas do trabalhador do campo.

Mais tarde, em 1985, foi criado o Ministério


da Reforma Agrária aplicando o Plano Nacional de
Reforma Agrária (PNRA), do governo Sarney; e, em
1988, a reforma agrária foi inscrita na Constituição,

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


43

CULTURAS PERMANENTES NO BRASIL (2010) mercado de carnes no Brasil ainda são marcados por
baixos índices de produtividade e eficiência logística,
embora, nos últimos dez anos, seja evidente uma
crescente melhoria nos índices de produtividade.

RELAÇÃO ENTRE A ÁREA UTILIZADA E A TERRA


ARÁVEL NÃO UTILIZADA NO BRASIL E EM
OUTROS PAÍSES

CULTURAS TEMPORÁRIAS NO BRASIL (2010)


Os Dados não incluem a Amazônia Legal. Fonte: FAO

Entre 1996 e 2006, a área de lavoura do


país aumentou cerca de 84%, enquanto a área de
pastagem diminuiu 3% nesse mesmo período. Os
resultados mais expressivos vieram da Região Norte,
que apresentou um crescimento de 275%.

TIPOS DE UNIDADES DE PRODUÇÃO


Os estabelecimentos rurais no Brasil podem
ser divididos de acordo com a organização do
processo de trabalho da unidade de produção. Assim,
as unidades de agricultura familiar são aquelas nas
quais os proprietários trabalham diretamente na terra,
sem o uso de outra forma de mão de obra, além
Fonte: IBGE. Disponível em http://www.ibge.com.br; THÉRY, dos próprios membros da família. Por sua vez, as
Hervé. unidades de agricultura patronal são aquelas nas
quais o trabalho contratado é superior ao familiar ou o
Quanto à pecuária destaca-se o número comando da produção é exercido por quem trabalha
de cabeças de gado existentes no país, em torno diretamente na terra.
de 200 milhões, o que confere ao Brasil o primeiro
lugar no número de cabeças de gado comercial. Há, Esses diferentes tipos de unidade de produção
no território nacional 1 milhão de pecuaristas, que participam de forma desigual da produção da
ocupam 221 milhões de hectares de terras e 740 riqueza gerada na agropecuária brasileira. Enquanto
indústrias de carne e derivados, conforme dados do a agricultura patronal gera 68% do PIB agrícola
Conselho Nacional de Pecuária de Corte. brasileiro, a agropecuária familiar é responsável por
apenas 32%.
A produção de frangos também é um
grande sucesso do setor agropecuário no Brasil. As Apesar de cultivar uma área menor com lavouras
exportações nesse setor contam com mais de 140 e pastagens, a agricultura familiar é responsável pelo
clientes e representam quase metade da produção fornecimento de boa parte dos alimentos que estão
do mercado internacional. Apesar do destaque nas mesas das famílias brasileiras, o que reafirma sua
no mercado internacional, a criação de gado e o importância.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


44

QUESTÕES CORRELATAS 02. A geração de emprego altamente especializado


(COMENTADA) intensifica a divisão social do trabalho no campo
e a concentração de empregos nos complexos
• Comentário apenas em incorretas •
agroindustriais especializados localizados em cidades
médias, acima de 100 mil habitantes, bem como o
(Agente de Inteligência - ABIN - CESPE - 2018) trabalho sazonal, causando um processo migratório
Julgue o item subsequente, a respeito da evolução recente no Brasil: a migração descendente (de cidades
da estrutura fundiária rural e dos movimentos pequenas para cidades médias) de profissionais
demográficos no território brasileiro. especializados no agronegócio que migram em razão
do período de safra e entressafra.
A internacionalização da agropecuária brasileira Item Errado
ainda é totalmente dependente de investimentos Comentário: O erro da questão está em afirmar
de conglomerados e empresas estrangeiras que que a migração “descendente” ocorre de cidades
compram empresas nacionais do setor e terras para pequenas para médias quando, em verdade, ela
cultivo. ocorre das cidades grandes para as médias

Gabarito: Item Errado 03. A agricultura científica e o agronegócio têm


impacto direto na concentração fundiária e no mercado
Comentário: A maior parte dos investimentos atuais de trabalho no campo, pois as empresas agrícolas
no agronegócio brasileiro é nacional. Atualmente, compram ou arrendam vastas extensões de terra para
porém, a atração de investimentos estrangeiros para o cultivo e geram empregos especializados, impondo
o agronegócio brasileiro tem sido um dos trabalhos novas relações de trabalho para os agricultores,
prioritários do MAPA. Essa expectativa de maior que não têm condições técnicas e financeiras para
entrada de investimentos estrangeiros no setor competir com esse modelo de agricultura.
objetiva aumentar a agregação de valor aos produtos Item Correto
do agronegócio, melhorar a logística de produção
e distribuição desses, dentre outras vantagens, A respeito da dinâmica do agronegócio brasileiro,
tornando-os mais acessíveis ao mercado nacional e julgue os itens que se seguem.
mais competitivos no mercado internacional. Além
disso, com os investimentos, diversas novas vagas de 04. A expansão da fronteira agrícola na Amazônia
emprego podem ser criadas. Legal é marcada por conflitos entre assentados e
grandes projetos agropecuários e de mineração e
por intensa devastação e desperdício dos recursos
naturais e da biodiversidade, o que compromete o
QUESTÕES CORRELATAS futuro da região.
Item Correto
(Agente de Inteligência - ABIN - CESPE - 2018)
Julgue os itens subsequentes, a respeito da 05. A partir da adoção de políticas públicas de
evolução da estrutura fundiária rural e dos ocupação do território nacional durante o regime
movimentos demográficos no território brasileiro. militar, a fronteira agrícola expandiu-se para o Centro-
Oeste, que passou a ser visto como “celeiro do
01. Por fazer uso de tecnologias que ampliam sua mundo”, destinado à produção de commodities como
independência do espaço urbano, o campo não gera as do complexo grão carnes e à agropecuária em
empregos necessários para o desenvolvimento de larga escala.
muitos dos municípios de pequeno porte demográfico Item Correto
inseridos em regiões produtivas do agronegócio no
Brasil. 06. A divisão territorial do trabalho existente em
Item Errado regiões produtivas do agronegócio é organizada
Comentário: O campo ainda não é independente em dois circuitos da economia local: o circuito
do espaço urbano. O campo gera muitos superior, comandado pelas empresas e produtores
empregos em municípios de pequeno porte. hegemônicos do agronegócio, e o circuito inferior,
formado a partir da agricultura camponesa não
integrada diretamente à agricultura tecnificada.
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


45

(Agente de Inteligência - CESPE – ABIN – 2008)


O Brasil é um importante produtor agrícola que
tem ampliado suas exportações, principalmente
as do agronegócio. Ganhos em produtividade são
reconhecidos em todos os fatores da produção:
terra, trabalho e capital.

Tendo em vista o panorama da agricultura brasileira


na atualidade, sua evolução e características
principais, julgue os itens que se seguem.

07. A industrialização do país é responsável pela


modernização do setor agrícola.
Item Correto

08. A expansão agrícola, ao inaugurar novos polos de


crescimento econômico e ao disseminar os programas
de assentamento rural, ajudou a atenuar o problema
da concentração da propriedade de terras no país.
Item Errado
Comentário: Os problemas de concentração de
renda no Brasil ainda são enormes.

09. Um dos aspectos que compõem o quadro de


modernização da agricultura brasileira é a formação
de complexos agroindustriais como aqueles ligados
à fruticultura.
Item Correto

(Oficial de Inteligência - CESPE – ABIN – 2018) Com


relação ao processo de modernização agrícola
brasileira e suas implicações, julgue os itens
subsequentes.

10. Embora sejam evidentes os esforços de


modernização das atividades no campo, o aumento
do volume da produção brasileira decorre do aumento
da área de terra cultivada.
Item Errado
Comentário: Decorre devido ao avanço
tecnológico e do melhor aproveitamento do
espaço cultivável. Quanto às novas áreas de
terras cultivadas, estas também contribuem para
o aumento do volume da produção, entretanto,
não é fator preponderante.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


46

CAPÍTULO 07 A transição de um Brasil agrário para um país


urbano foi uma consequência direta do processo de
industrialização que tomou grande impulso na década
GEOPOLÍTICA DO TERRITÓRIO de 1930, durante o governo de Getúlio Vargas, que
BRASILEIRO implementou o modelo de industrialização como
------------------------------------------------------------- forma de substituição das importações.
A INTEGRAÇÃO ENTRE INDÚSTRIA
A partir dos anos 1940, a industrialização
E ESTRUTURA URBANA, REDE DE
brasileira foi beneficiada pela intervenção do Estado
TRANSPORTES E SETOR AGRÍCOLA NO na economia, com a instalação de grandes empresas
BRASIL estatais, particularmente no ramo da indústria
pesada: siderurgia, indústria química, mecânica
Apesar das cidades terem se originado na pesada, metalurgia, mineração, geração de energia
Antiguidade, foi a partir do desenvolvimento industrial (petróleo, hidrelétricas) e outras. Eram setores que
que a urbanização acentuou-se consideravelmente. exigiam grandes capitais, cujo retorno só se daria a
A Revolução Industrial (1750) teve por palco a área longo prazo e que a burguesia nacional não estava
urbana e a fábrica é um fenômeno necessariamente interessada em investir.
urbano.

Desde o final do século XVIII, urbanização e


industrialização foram processos complementares,
associados um ao outro. As primeiras máquinas
exigiam grande quantidade de trabalhadores vivendo
próximos das fábricas e, para a comercialização
dos produtos industrializados, eram necessários os
estabelecimentos comerciais, que são típicos do
meio urbano. Também a infraestrutura criada para
atender aos interesses de algumas fábricas, como
abertura de estradas, ruas, fornecimento de energia,
água encanada, meios de comunicação, atraiu Visita de Vargas à Fábrica de Tecidos de Taubaté, São Paulo,
novas indústrias para as cidades, aumentando a 1940.
concentração de pessoas no espaço urbano.
A partir da década de 1940, o processo
Na medida em que crescia a industrialização, de urbanização toma impulso no Brasil,
as sociedades iam também se urbanizando. A concomitantemente ao aumento das atividades
industrialização oferecia empregos urbanos à industriais nas cidades, que atrai a mão-de-obra
população rural que deixava os campos em busca de desocupada ou subocupada na zona rural. O censo
novas oportunidades de vida, em razão de mudanças do IBGE, de 1940, o primeiro a dividir a população do
estruturais, como a mecanização da agropecuária, que Brasil em rural e urbana, apontava que 68,90% dos
diminuiu a necessidade de mão-de-obra no campo, brasileiros viviam nos campos naquele momento.
ao mesmo tempo em que crescia a necessidade de
trabalhadores nas fábricas e nos serviços urbanos. SUPERINTENDÊNCIA DO PLANO DE
VALORIZAÇÃO ECONÔMICA DA AMAZÔNIA
(SPVEA)
Deste modo, em muitas partes do mundo,
principalmente nos países que estavam se Órgão criado pela Lei nº 1.806, de 6 de janeiro
industrializando, a população urbana passou a crescer de 1953, com a função de pôr em execução o Plano
mais do que a população rural, caracterizando o de Valorização Econômica da Amazônia, definido pelo
processo de urbanização. Para que haja urbanização, mesmo documento legal. Em 27 de outubro de 1966,
faz-se necessário que a população urbana aumente pela Lei nº 5.176, foi transformada na Superintendência
em relação à população total de um país. do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


47

Durante a Segunda Guerra Mundial, foi feita uma Para efeito de execução do plano, considerou-
tentativa de promover o desenvolvimento econômico se que a Amazônia brasileira compreendia os estados
da região amazônica. Essa tentativa se ligava aos do Pará e do Amazonas, os então territórios do Acre,
compromissos assumidos pelo Brasil junto aos hoje estado, Guaporé, hoje Rondônia, Rio Branco,
Estados Unidos através dos acordos de Washington, hoje Roraima, e Amapá, além de parte dos estados de
no sentido de fornecer matérias-primas necessárias Mato Grosso (norte do paralelo 16), Goiás (norte do
ao programa bélico norte-americano. A borracha paralelo 13) e Maranhão (oeste do meridiano 44).
silvestre constituía um desses materiais, e para
sua produção tornava-se necessário repovoar os Com a função de executar o plano, foi criada a
seringais, fornecendo, além disso, à população SPVEA, órgão diretamente subordinado à Presidência
assistência sanitária, alimentos e crédito. da República e dotado de autonomia administrativa.
Como o raio de ação da SPVEA deveria ser muito
Vários órgãos estatais foram chamados a amplo, optou-se por uma estrutura descentralizada
colaborar no programa de soerguimento da produção que, além dos órgãos centrais instalados em Belém,
da borracha. Entretanto, essa”batalha da borracha”, contaria com divisões sediadas em Manaus e
como ficou conhecida, apresentou inúmeras falhas Cuiabá. A SPVEA teria poderes para coordenar em
devido à improvisação e à premência de tempo. nível nacional as atividades de todos os órgãos que
atuassem na região amazônica, impondo diretrizes,
Ao findar a guerra, já existia uma consciência modificando programas e até mesmo distribuindo as
da necessidade de os órgãos públicos elaborarem uma verbas destinadas a esses órgãos.
política racional de recuperação da região amazônica.
Pela Constituição de 1946, ficou assentado que A industrialização toma novo impulso no
anualmente seria reservada uma quantia não inferior a governo de Juscelino Kubitschek o qual abandonou a
3% da receita tributária da União para que durante ao política de intervencionismo estatal e atraiu um grande
menos 20 anos consecutivos fosse empreendido um número de empresas para o Brasil, principalmente no
programa de investimentos na Amazônia. ramo da indústria automobilística, naval, química e
mecânica, por intermédio de subsídios, como doação
Em 1947, foi criada a Comissão Parlamentar de terrenos, isenção de impostos e empréstimos
de Valorização da Amazônia, com a função de propor estrangeiros.
uma distribuição de recursos para a região. Além de
orientar a aplicação dos recursos, essa comissão O processo de industrialização dos períodos
deveria fornecer as diretrizes para a criação de um supramencionados concentrou-se na Região Sudeste,
órgão encarregado de superintender a elaboração e a sobretudo no Estado de São Paulo, conforme se verá
execução de um plano de valorização econômica da no tópico seguinte. Nos anos 1950, o processo de
Amazônia. urbanização intensifica-se na Região Sudeste, a mais
industrializada do país, atingindo as demais regiões
Em 6 de janeiro de 1953, a Lei nº 1.806 na década de 1970.
estabeleceu em seus diferentes artigos as medidas
oficiais relativas à região amazônica. Em primeiro A partir dos anos 1960, a mecanização do
lugar, foi definido o Plano de Valorização Econômica campo - associada a problemas estruturais como o
da Amazônia, um “sistema de medidas, serviços, monopólio da terra e a monocultura - expulsou um
empreendimentos e obras destinados a incrementar grande número de trabalhadores rurais para as áreas
o desenvolvimento da produção extrativa, agrícola, urbanas. A população urbana ultrapassa a rural nos
pecuária, mineral e industrial” da região. Os setores anos 1970, passando de 44,67% do total em 1960
abrangidos pelo plano incluíam desde os de viação, para 55,92% dez anos depois.
energia e crédito, até pesquisas geográficas naturais,
tecnológicas e sociais, defesa contra inundação, Em 1980, todas as regiões brasileiras já
política demográfica, relações comerciais, organização apresentavam uma população urbana superior à
administrativa e divulgação econômica e comercial. rural. Nos anos seguintes, o processo de urbanização
diminui a sua intensidade, ao mesmo tempo em que

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


48

as áreas rurais registram crescimento negativo, com a QUESTÕES CORRELATAS


diminuição de sua população em números absolutos.
• Comentário apenas em incorretas •
O ano de 1996 marca o predomínio da população
urbana em todos os Estados brasileiros, sendo o O Brasil experimentou, na segunda metade do
Maranhão o último a fazer a transição. século 20, uma das mais rápidas transições urbanas
da história mundial. Ela transformou rapidamente
De acordo com o censo de 2000, 81,23% um país rural e agrícola em um país urbano e
da população brasileira vivem em cidades, índice metropolitano, no qual grande parte da população
considerado alto, superior ao de países como Itália passou a morar em cidades grandes. Hoje, quase
(67%), França (76%) e Estados Unidos (77%). Como já dois quintos da população total residem em uma
assinalado, vale lembrar que os índices de urbanização cidade de pelo menos um milhão de habitantes.
muitas vezes variam em razão dos critérios adotados
pelos países para diferenciar o rural do urbano. (Adaptado de George Martine e Gordon McGranahan, “A
transição urbana brasileira: trajetória, dificuldades e lições
aprendidas”, em Rosana Baeninger (org.), População e cidades:
subsídios para o planejamento e para as políticas sociais.
Campinas: Nepo / Brasília: UNFPA, 2010, p. 11.)

Considerando o trecho acima, julgue os itens


QUESTÕES CORRELATAS subsequentes.
(COMENTADA)
01. A partir de 1930, a ocupação das fronteiras
A respeito dos efeitos da reestruturação agrícolas (na Amazônia, no Centro-Oeste, no Paraná)
produtiva no território brasileiro, que ocorreu foi o fator gerador de deslocamentos de população
como consequência da revolução tecnocientífica no Brasil.
informacional, a partir da segunda metade do Item Errado
século XX, julgue o próximo item. Comentário: Somente a partir dos anos 1970.

A nova organização espacial da produção brasileira 02. Uma das características mais marcantes da
surgiu a partir da crise econômica dos anos 80 urbanização no período 1930-1980 foi a distribuição
do século passado e da crescente concorrência da população urbana em cidades de diferentes
internacional, as quais resultam em uma dispersão tamanhos, em especial nas cidades médias.
espacial da produção agropecuária e industrial, a partir Item Errado
da expansão da fronteira agrícola, da reestruturação Comentário: Houve uma grande concentração de
de antigas regiões produtivas agrícolas e pela habitantes nos grandes centros urbanos.
desconcentração da indústria paulista.
03. Os últimos censos têm mostrado que as grandes
Gabarito: Item Correto cidades (mais de 500 mil habitantes) têm tido
crescimento relativo mais acelerado em comparação
Comentário: Embora o predomínio de indústrias com as médias e as pequenas.
permaneça na região Sudeste, há, de fato, um processo Item Correto
de dispersão industrial incentivado pelo governo
federal a partir da década de 80, com a progressiva 04. Com a crise de 1929, o Brasil voltou-se para o
implantação de polos industriais nas regiões Norte, desenvolvimento do mercado interno através de uma
Nordeste e Centro-oeste. industrialização por substituição de importações, o
que demandou mão de obra urbana numerosa.
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


49

(ABIN - Agente de Inteligência - 2018) Acerca da (Agente de Inteligência - CESPE - ABIN – 2018) A
integração da indústria à estrutura urbana no distribuição espacial da indústria no Brasil tem
Brasil, julgue os próximos itens. passado por transformações em decorrência
da evolução das infraestruturas de transporte e
05. O território brasileiro dispõe de áreas onde a comunicação. Acerca dessa dinâmica instaurada,
globalização é absoluta, ou seja, áreas nas quais a julgue os próximos itens.
produção, a circulação, a distribuição e a informação
atendem aos interesses de grandes empresas 09. O Estado contribuiu para o processo em curso de
multinacionais. descentralização da produção industrial no território
Item Correto brasileiro por meio de políticas de desenvolvimento
regional, como, por exemplo, disponibilizando energia.
06. Devido à organização produtiva de seu território, o Item Correto
Brasil é um espaço nacional do mercado global.
Item Correto

07. A quantidade expressiva de pessoas em situação


de pobreza extrema nas grandes cidades é uma
barreira à expansão do crédito e da bolsa de valores
no mercado brasileiro; o expressivo número de
consumidores com baixa renda e com débitos em
atraso implica limitações ao crédito e à financeirização
da economia brasileira.
Item Errado
Comentário: Na verdade, a limitação à
disponibilização ao crédito e a financeirização
poderiam estar relacionados à capacidade de os
contribuintes e o próprio país em arcar com seus
compromissos financeiros. Em nenhum lugar do
mundo os bancos lucram mais do que no Brasil.
Mais gente pobre é mais crédito concedido, é
mais gente na rua da amargura, é mais dinheiro
no bolso do banqueiro. Como disse o colega: a
pobreza é motivo de investimento e de geração
de riqueza! A bolsa não liga para a pobreza
extrema: o mercado financeiro é um mercado
elitizado na qual uma pessoa pode controlar
centenas ou milhares de porções de outras
empresas. Então não importa se existem muitos
pobres. O que importa é empresas e ações que
tragam lucros, não importante se ele advém
de danos ambientais, exploração de mão-de-
obra escrava, desregulamentação do mercado
de trabalhou ou de outras ferramentas que
potencializem ao máximo os lucros financeiros.

08. A especialização das cidades acentua a divisão


interurbana do trabalho; por isso, no estado de São
Paulo, encontram-se cidades em que prevalecem
empresas globais ligadas à produção de matérias-
primas regionais, cidades especializadas em novas
tecnologias, bem como cidades universitárias, locais
onde as instituições de ensino superior direcionam o
desenvolvimento local.
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


50

CAPÍTULO 08 maior extensão territorial são as florestas. Há uma


grande variedade dessas formações na bacia
amazônica, na região costeira, no Sul do país e nas
GEOPOLÍTICA DO TERRITÓRIO regiões subtropicais. Mesmo os cerrados e caatingas
possuem dentro de sua área de domínio formações
BRASILEIRO florestais que acompanham as drenagens. A palavra
-------------------------------------------------------------
floresta é, portanto, um termo genérico para designar
MACRODIVISÃO NATURAL DO ESPAÇO um tipo de formação no qual o elemento dominante
BRASILEIRO: BIOMAS, DOMÍNIOS E são as árvores e que forma dossel.
ECOSSISTEMAS CONTI, José Bueno & FURLAN, Sueli Angelo. Geoecologia:
o clima, os solos e a biota. In.: Geografia do Brasil. ROSS,
O Brasil é considerado um dos 12 países com Jurandyr.L.S. São Paulo: EDUSP.p.155.
megadiversidade, ou seja, possui em seu território
proporção relativamente grande da biodiversidade A história da flora brasileira resultou numa
global. Fato esse que advém não só da grande grande diversidade de associações ou distribuição
extensão territorial do país, como da sua localização espacial das associações vegetais. Há diferentes
na zona tropical, com grandes áreas de floresta tropical critérios de classificação da vegetação brasileira e
úmida, bioma5 que abriga proporção extremamente sua distribuição. Cada autor seleciona, conforme o
grande do total de espécies que ocorrem no planeta. seu enfoque, critérios que podem ser fisionômicos,
ecológicos, bioclimáticos, etc.

De forma genérica existem no Brasil, a Floresta


Amazônica, a Mata Atlântica, a Mata de Araucária
ou Mata dos Pinheiros, a Mata dos Cocais e as
Matas Ciliares constituem as formações florestais
arbóreas. Entre as formações arbustivas destacam-
se a Caatinga, o Cerrado e os Campos. Aparecem
ainda em nosso território o Complexo do Pantanal e a
Vegetação Litorânea.

FLORESTA EQUATORIAL (AMAZÔNICA)


O naturalista alemão, Alexander von Humboldt realizou
expedições científicas pela Amazônia (Venezuela e
Colômbia), e denominou-a Hiléia6. Já outro nome
do naturalismo, o também alemão Carl Philipp von
Martius, em sua obra Flora brasiliensis, denominou
a floresta equatorial como Náiade, deusa grega dos
Fonte: MOREIRA, Igor. O Espaço Geográfico. SP. Ática. 1985 rios e das fontes.

A Amazônia é a maior floresta do mundo,


OS GRANDES DOMÍNIOS DE VEGETAÇÃO: O ocupando cerca de 5,5 milhões de quilômetros
CASO BRASILEIRO quadrados (60% de toda a floresta recobre o Brasil).
O Brasil é um país com grandes extensões
territoriais. São 8,5 milhões de Km² submetidos a O elemento de maior destaque dessa floresta
uma mistura de condições climáticas que permite é sem dúvidas a sua biodiversidade, cerca ⅓ do
o desenvolvimento de uma grande diversidade de número de espécies do planeta, mas que chega a
ambientes. As formações vegetais que ocupam intrigar pesquisadores de todo o mundo quanto à
possibilidade de catalogar um número tão significativo
de espécies.
5
Bioma: Termo que designa grandes ecossistemas de aspecto
mais ou menos homogêneo e com condições climáticas
semelhantes. São os ecossistemas maiores e mais complexos, 6
Hiléia: da palavra grega hyle, que significa “matéria”, “madeira”
como os mares, oceanos e florestas tropicais, as responsáveis ou “floresta”.
pela unidade global de todos os seres vivos da Terra. O Brasil
apresenta vários tipos diferentes de biomas: O Pantanal, a Floresta
Amazônica, etc.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


51

No Brasil, ocupa a quase totalidade da região norte, No meio da floresta aparecem tipos especiais de
a porção setentrional de Mato Grosso e a porção associações locais, que se diferenciam pela sua
ocidental do Maranhão. Devido a existência na composição florística e ecológica. São os campos
Amazônia de uma topografia em três níveis, a floresta e a “caatinga” amazônica, que ocorrem no alto rio
também apresenta-se em três estratos, que são: Negro e no alto Solimões. São formações abertas,
sempre verdes e com folhagem xeromórfica. São
OS SUBTIPOS DA FLORESTA inteiramente diferentes das caatingas nordestinas,
predominando nos campos limpos (próximo a Boa
Vista) e nas manchas de cerrados. No Amapá, na
ilha de Marajó e nas planícies amazônicas onde não
se instalou a floresta aparecem as campinaranas,
predominantemente de gramíneas. Os campos
cerrados forma “ilhas” de vegetação do tipo savânica
no litoral (ilha de Marajó), no baixo Amazonas (Pará,
entre os cursos superiores dos rios Jari e Trombetas
e no sul do Pará e Amazonas, na altura do médio
Tapajós, entre os rios Purus e Madeira).
A. IGAPÓ (CAAIGAPÓ): Ocorre em solo CONTI, José Bueno & FURLAN, Sueli Angelo. Geoecologia
permanentemente alagado, em terrenos baixos - O Clima, os solos e a biota. In: Geografia do Brasil.
próximos dos rios. Via de regra o solo e a água dos ROSS, Jurandyr.L.S. São Paulo: EDUSP.p.164.
igapós são ácidos. Ex.: Taxi, Arapati e a Mamorana.

AMAZÔNIA LEGAL

Mata de Igapó no Rio Madeira.

B. VÁRZEA: Localizam-se sobre os terrenos


periodicamente alagados e sua composição florística
varia de acordo com a duração do período em que A Amazônia legal foi delimitada pelo governo
ela é alagada, o que é determinado pela altura em brasileiro em 1966 como região política para a
relação ao nível de base dos rios. É uma formação execução de planos de desenvolvimento e ações de
intermediária entre as matas de igapó e de terra firme. assistência e fiscalização, engloba os sete estados
Ex.: Cumaru-de-Cheiro, Seringueira e Pau-Mulato. da Região norte, além do Mato Grosso e parte
do Maranhão e Goiás. A área de 3,8 milhões de
C. TERRA FIRME (CAAETÊ): A mata de terra firme
quilômetros quadrados, tem 23 milhões de habitantes.
compreende a maior parte da floresta. São regiões
que não sofrem inundações por estarem situadas nas
áreas mais elevadas do terreno. Como o solo está
livre das inundações, as árvores mais altas da floresta,
tem aí entre 40 e 60m de altura. O entrelaçamento das
copas quase impede a passagem de luz e água.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


52

ARCO DO DESMATAMENTO internacionalização da Amazônia fortaleceram esta


percepção de ameaça sobre a soberania territorial
O chamado Arco do Desmatamento é uma da Amazônia Brasileira. Para fazer frente a este tipo
região em que a grande diversidade de ocupação e de ameaça, as Forças Armadas, juntamente com
de atividade vem acarretando intenso processo de pesquisadores civis da região Amazônica propuseram
queimadas e desflorestamentos. As finalidades são a a construção de uma ampla infraestrutura de apoio à
extração de madeira, a abertura de área para a pecuária vigilância aérea e comunicação na região amazônica.
ou para a agricultura (soja) etc. Trata-se de um grande Como parte do projeto SIVAM foi construída a
cinturão que contorna a floresta, principalmente infraestrutura necessária para suportar a fixação de
no limite com o Cerrado. Também conhecido como enormes antenas de radar, sistemas de comunicação,
Arco do Fogo ou, mais recentemente, como Arco bem como de modernas aparelhagens eletrônicas.
de Povoamento Adensado, estende-se desde a Também faz parte desta infraestrutura a integração
desembocadura do Rio Amazonas até o oeste do com o satélite brasileiro de sensoriamento remoto,
Maranhão, leste e sudeste do Pará, Tocantins, Mato que permite fiscalizar o desmatamento na Amazônia.
Grosso e Rondônia.

As florestas nessas regiões estão se ESQUEMA TERRITORIAL DO SIVAM


transformando em cerrados e o regime das chuvas
tem-se alterado com a diminuição das precipitações,
aumento da erosão e prejuízo à biodiversidade da
região.

FLORESTA TROPICAL (MATA ATLÂNTICA)


Essa floresta é também uma formação
exuberante que se assemelha bastante à floresta
Fonte: THÉRY, Hervé; MELLO, Neli A. Atlas do Brasil: equatorial. É heterogênea, intrincada, densa e aparece
disparidades e dinâmicas do território. São Paulo: Edusp, em diferentes pontos do país, de temperaturas
2005.p.70.
elevadas e alto teor de umidade. Floresta latifoliada,
ela é assim definida porque apresenta folhas grandes
VIGILÂNCIA NA AMAZÔNIA
e largas e está situada ao longo do litoral oriental
O Sistema de Vigilância da Amazônia ou intertropical brasileiro, que vai do Rio Grande do
SIVAM é um projeto elaborado pelos órgãos de Norte até o norte de São Paulo, onde entra para o
defesa do Brasil, com a finalidade de monitorar o interior. Nas áreas de maior presença de umidade é
espaço aéreo da Amazônia. Conta com uma parte denominada floresta latifoliada úmida de encosta.
civil, o Sistema de Proteção da Amazônia, ou SIPAM.
Essa formação foi altamente devastada ao longo da
Este projeto vinha a atender um antigo anseio das
história do Brasil.
forças armadas que desejavam garantir a presença
das forças armadas brasileira na Amazônia, com a
finalidade de fazer frente a manifestações de líderes
internacionais contra os direitos do povo brasileiro
sobre esta região. Os sucessivos projetos de

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


53

e no lado  direito  um de pinheiro-do-paraná, árvore


símbolo da araucária.

A floresta aciculifoliada subtropical é uma


formação vegetal típica de clima subtropical, menos
quente e úmido que o equatorial. Por isso suas folhas
são finas e alongadas, a fim de evitar excessiva
perda de umidade. Estendia-se originalmente do
sul de São Paulo ao norte do Rio Grande do Sul.
As serras e planaltos do Sudeste eram sua área
original. Atualmente a vegetação nativa corresponde
a apenas 5% da área original.

MATA DE ARAUCÁRIA SUBTROPICAL OU


PINHAIS

“O Curi ou Cury é a árvore símbolo do Estado do


Paraná. Curitiba, segundo os povos guaranis, era o
lugar da araucária, mas quando chegamos a essa
cidade hoje, poucos são os remanescentes da única
formação de coníferas do Brasil: as florestas de
araucária”.
CONTI, José Bueno & FURLAN, Sueli Angelo. Geoecologia
- O Clima, os solos e a biota. In: Geografia do Brasil. ROSS,
Jurandyr.L.S. São Paulo: EDUSP.p.184.

MATA DOS COCAIS

A bandeira é composta por fundo verde que


representa as matas do estado. Uma faixa diagonal
branca (simbolizando a paz), apresenta em seu centro
uma esfera azul (simbolizando o céu) com cinco
estrelas de cinco pontas brancas, representando o
Cruzeiro do Sul. Dentro da esfera azul há uma faixa Mata dos Cocais
branca com a inscrição PARANÁ na cor verde. No
lado esquerdo da esfera há um ramo de erva-mate

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


54

Esta formação vegetal está encravada entre


a Floresta Amazônica, o Cerrado e a Caatinga. É,
portanto, uma mata de transição entre as formações
bastante distintas, constituída por palmeiras ou
palmáceas, com grande predominância do babaçu
e ocorrência esporádica de carnaúbas. Tanto o
extrativismo do babaçu como o da carnaúba não
implicam em devastação, pois se aproveitam apenas
os cocos e as folhas, que são continuamente
reproduzidas pelas palmeiras. No entanto, a expansão
pecuarista particularmente nos estados de Tocantins
e do Maranhão, tem produzido grande destruição da
vegetação com a criação de áreas de pasto. Isso tem
levado ao agravamento das condições de vida de
milhões de pessoas, que dependem do extrativismo.
Óleo de babaçu é utilizado na fabricação de sabões
e sabonetes e, como, lubrificantes, nas indústrias de
aparelhos de alta precisão, como, por exemplo, na Vegetação de Cerrado no Parque Nacional da Serra da Canastra
indústria de balanças. Depois de retirado o óleo da (MG).
semente, esta constitui um excelente alimento para o
gado.
CAATINGA
CERRADO
As caatingas compreendem diferentes tipos
de associações vegetais que formam matas secas
e campos. A caatinga é propriamente uma mata
seca caducifólia. Somente o juazeiro (destacado na
imagem abaixo), que possui raízes muito profundas
para capturar água do subsolo, e algumas palmeiras
não perdem as folhas.

O cerrado na visão de Percy Lau

Essa formação ocupava originalmente cerca


de 25% do território brasileiro, sendo a segunda
maior cobertura vegetal do país. É caracterizado pelo
domínio de pequenas árvores e arbustos bastante
retorcidos com casca grossa (cortiça), que retém mais
água, geralmente caducifólias e com raízes profundas.
Muito parecido com a savana africana. A origem dos Ecologicamente podemos dividir a caatinga em cinco
cerrados ainda é uma incógnita. Para alguns ele resulta variações:
do clima, já que a alternância entre as estações úmida • Caatinga Seca não-arbórea.
e seca é muito forte. Para outros sua origem está • Caatinga Seca arbórea.
ligada ao solo extremamente ácido e pobre. Ocorre
• Caatinga Arbustiva densa.
no Brasil nas áreas de menor umidade, como é o caso
do Planalto Central (Goiás, Tocantins, Mato Grosso e • Caatinga de Relevo mais elevado.
Mato Grosso do Sul, além de trechos do Maranhão, • Caatinga do chapadão do Moxotó.
Piauí, Minas Gerais, São Paulo e Paraná).

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


55

PANTANAL e ocorrência de algumas árvores como o chapéu-


de-sol, o coqueiro e a goiabeira. Os mangues são
nichos ecológicos (porção restrita de um habitat onde
vigoram condições especiais de ambiente. Não se
trata de conceito de lugar, mas da posição particular
que a espécie ocupa na comunidade devido às suas
adaptações estruturais, seus ajustamentos fisiológicos
e aos padrões de comportamento responsáveis
pela reprodução de milhares de espécies de peixes,
moluscos e crustáceos.

Desenho de Marlene Mourão (Peninha) sobre a paisagem


pantaneira.

O Pantanal corresponde a uma grande


depressão localizada no interior do Mato Grosso
e Mato Grosso do Sul ocupando uma área de
aproximadamente 100.000km². Sua altitude média é
de 100m, sendo a maior planície inundável do planeta.
Parque do Cocó, em Fortaleza (CE).
A complexa vegetação do Pantanal (caatinga,
cerrado e vegetação de grande porte), surgiu em uma
faixa de terras quase totalmente recoberta por água, DOMÍNIOS DA NATUREZA DO BRASIL
abriga uma rica fauna. Daí o porquê de o Pantanal
ser tido como um “santuário ecológico” e requerer O Meio, ou Paisagem, natural de uma área
tantos cuidados, não só pela sua riqueza ecológica é formada de elementos da natureza que mais
em quanto ecossistema, mas também é reconhecida interessam aos seres humanos e que interagem
a sua fragilidade as ações humanas. naquele lugar, ou seja, que são independentes. A
humanidade, ao ocupar esse espaço, relaciona-se
CAMPOS com estes elementos: clima, estrutura geológica e
relevo, solo, vegetação e fauna originais e hidrografia.
Formações rasteiras ou herbáceas,
constituídas por gramíneas que atingem até 60 cm Vesentini, J. William - Sociedade e Espaço. São Paulo, Ed.
de altura. Sua origem pode estar associada a solos Ática, 44ª edição - 2005.p.335.
rasos ou temperaturas baixas em regiões de altitudes
elevadas, áreas sujeitas a inundação periódica ou
ainda solos arenosos. Os campos mais famosos do
Brasil localizam-se no extremo sul, na Campanha
Gaúcha. Em Mato Grosso do Sul, destacam-se os
campos de Vacaria e, no restante do país, aparecem
manchas isoladas na Amazônia, no Pantanal e
nas regiões serranas do Sudeste e do planalto das
Guianas.

VEGETAÇÃO LITORÂNEA

Nas praias e dunas, é muito importante a
ocorrência de vegetação rasteira, responsável pela
fixação da areia, impedindo que seja transportada
pelo vento. A restinga é uma formação vegetal que
se desenvolve na areia com predomínio de arbustos

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


56

DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS Amazônica. Essa massa de ar úmida é chamada de


massa equatorial continental, sendo responsável pelo
alto índice pluviométrico da região. Além de úmida, a
Floresta Amazônica também é quente, apresentando,
em função de sua abrangência latitudinal, clima
equatorial. No inverno, quando a Zona de convergência
intertropical se estabelece no norte do país, a massa
polar atlântica, oriunda da Patagônia, após percorrer
o longo corredor entre a Cordilheira dos Andes e o
Planalto Central, chega à Amazônia seca, porém ainda
fria, o que ocasiona friagem na região e, com isso,
diminuição das chuvas. A vegetação da Amazônia,
além de latifoliada e densa, possui solo do tipo
latossolo pobre em minerais e uma grande variedade
de espécies, geralmente autofágicas, em virtude da
grande presença de húmus nas folhas. Observa-se a
presença de três subtipos: a mata de terra firme, onde
nota-se a presença de árvores altas, como o guaraná,
o caucho (do qual se extrai o látex) e a castanheira-
do-pará, que, em geral, atinge 60 metros de altura,
a mata de igapó, localizada em terras mais baixas,

zonas alagadas pelos rios e onde vivem plantas como
Dentre os diversos tipos de clima e relevo
a vitória-régia, e a mata de várzea, onde se encontram
existente no Brasil, observamos que os mesmos
palmeiras, seringueiras e jatobás.
mantêm grandes relações, sejam elas de espaço,
de vegetação, de solo entre outros. Caracterizando
DOMÍNIO DA CAATINGA E DEPRESSÕES
vários ambientes ao longo de todo território nacional.
INTERMONTANAS E NTERPLANÁLTICAS
Para entendê-los, é necessário distinguir um dos
SEMIÁRIDAS
outros. Pois a sua compreensão deve ser feita
isoladamente. Nesse sentido, o geógrafo brasileiro Ocorre no oeste do Nordeste e norte de Minas Gerais,
Aziz Nacib Ab’Saber, faz uma classificação desses a cobertura vegetal é composta por espécies da
ambientes chamados de Domínios Morfoclimáticos. flora resistentes à falta de água. O clima é semiárido,
Este nome, morfoclimático, é devido às características possui como principal característica a longa estiagem
morfológicas e climáticas encontradas nos diferentes e chuvas irregulares no decorrer do ano. As altitudes
domínios, que são  6 (seis) ao todo e mais as variam de 200 a 800 metros acima do nível do mar,
faixas de transição. Em cada um desses sistemas, compostos por duas unidades de relevo: depressões
são encontrados aspectos, histórias, culturas e e planaltos.
economias diferentes, desenvolvendo particulares
condições, como de conservação do ambiente natural
e  processos erosivos gerados pela ação do homem.

DOMÍNIO AMAZÔNICO E TERRAS BAIXAS


FLORESTADAS EQUATORIAIS
Situado, em sua maior parte, na região Norte
do país, o domínio amazônico compõe planaltos,
depressões e uma faixa latitudinal de planície e
apresenta vegetação perenifólia, latifoliada (de folhas
largas), rica em madeira de lei e densa, o que impede
a penetração de cerca de 95% da luz solar no solo
e, portanto, o desenvolvimento de herbáceas. No
verão, quando a Zona de Convergência Intetropical
se estabelece no sul do país, os ventos formados no
anticiclone dos Açores são levados pelo movimento
dos alísios ao continente e, ao penetrá-lo, assimila a
umidade proveniente da evapotranspiração da Floresta

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


57

DOMÍNIO DO CERRADO E CHAPADÕES


TROPICAIS INTERIORES COM CERRADOS E
FLORESTAS-GALERIA
Predomina no centro-oeste do Brasil no qual
encontra os estados de Goiás, Mato Grosso e Mato
Grosso do Sul, a vegetação é composta por árvores
tortuosas de pequeno porte, raízes profundas, cascas
e folhas grossas, apesar disso, o cerrado demonstra
outras variações ou classificações denominadas
de subsistemas (cerrado comum, cerradão, campo
limpo, campo sujo, subsistema de matas, de veredas e
ambientes alagadiços). O clima é o tropical subumido
Serra - Morros Mamelonares
com duas estações bem definidas, uma seca e uma
chuvosa. O relevo desse domínio é composto por
DOMÍNIO DAS PRADARIAS E COXILHAS
planaltos e chapadas.
SUBTROPICAIS COM PRADARIAS MISTAS
DOMÍNIO DAS ARAUCÁRIAS E PLANALTOS Também conhecido por Pampa, Campanha
SUBTROPICAIS COM ARAUCÁRIA Gaúcha ou Coxilhas, esse domínio é na verdade
um prolongamento do pampa argentino e uruguaio
Restringe-se aos estados da Região Sul do
no sul do Brasil. Trata-se de uma extensa área com
Brasil, essa vegetação é encontrada principalmente
predomínio de terras baixas e vegetação herbácea,
em planaltos mais elevados. A cobertura vegetal é
onde sobressaem colinas ou ondulações do terreno
formada por pinheiro-do-paraná, além da erva-mate e
denominadas coxilhas. A pecuária extensiva é a
o cedro. O clima predominante é o subtropical, ou seja,
principal atividade econômica da região.
uma transição entre o clima tropical e o temperado,
com verões quentes e invernos rigorosos, apresenta
FAIXAS TRANSICIONAIS
as menores temperaturas do país e, em determinadas
localidades, ocorre precipitação de neve. Faixas de transição são áreas intermediárias
entre as regiões naturais, muitas vezes agrupam
características de dois ou mais domínios
morfoclimáticos. Um exemplo de faixa de transição
é a região do Pantanal, que ocupa partes do
sudoeste do Mato Grosso e oeste do Mato Grosso
do Sul. O Pantanal possui uma vegetação bastante
diversificada, composta por florestas, cerrados e
até mesmo espécies típicas da caatinga. O relevo
do Pantanal é formado por uma vasta planície, com
rios volumosos. O clima é quente, com uma estação
chuvosa (de novembro a abril) e outra de seca (de
maio a outubro). Na estação chuvosa os leitos dos
rios transbordam e as águas inundam grande parte da
planície.
DOMÍNIO DOS MARES DE MORROS E ÁREAS
MAMELONARES TROPICAL-ATLÂNTICA
FLORESTADAS
A paisagem é formada por relevo acidentado,
ou seja, há uma grande incidência de planaltos, serras
e morros que sofreram desgastes erosivos, esse
relevo abrange a floresta tropical (Floresta Atlântica),
essa, em seu estágio natural, se apresentava desde
o Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte, quanto
ao clima é o tropical úmido, as chuvas são regulares e
bem distribuídas no decorrer do ano.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


58

PRINCIPAIS AMEAÇAS AOS DOMÍNIOS pré-histórico brasileiro pouca coisa parece ter feito
MORFOCLIMÁTICOS como elemento perturbador da estrutura primária
das paisagens naturais do país [...]
Desde os anos 70, com os elevados
Ab´Saber, Aziz N. Potencialidades paisagísticas brasileiras. São
investimentos em projetos de agropecuária,
Paulo, IG-USP, 1977(Série Geomorfologia, n.55); Domínios de
extrativismo vegetal e mineral, a Floresta Amazônica Natureza no Brasil).
tem sofrido intensa devastação.

O chamado arco do desmatamento é uma


região em que a diversidade de ocupação e de
atividades vem acarretando um intenso processo
de queimadas e desflorestamentos. As principais
atividades degradadoras são o extrativismo, a pecuária
e mais recentemente o cultivo de soja. Também
conhecido como arco de fogo, ou mais recentemente QUESTÕES CORRELATAS
chamado de arco de povoamento adensado, (COMENTADA)
essa área estende-se desde a desembocadura do
Amazonas até o oeste do Maranhão, leste e sudeste
do Pará, Tocantins, Mato Grosso e Rondônia. Um dos grandes problemas do bioma caatinga é
a escassez de água em quantidade e qualidade
Esses estados apresentam ainda outro grande disponível para ser utilizada tanto no consumo
problema brasileiro que é o trabalho escravo, estes doméstico como nas diferentes atividades
estados apresentam o maior número de casos econômicas. Para resolver esse problema,
registrados pelo Ministério do Trabalho. diversas ações vêm sendo adotadas pelo governo
e pela sociedade civil organizada. A esse respeito,
OS DOMÍNIOS DE NATUREZA NO BRASIL julgue o item seguinte.

A paisagem é sempre uma herança. Na verdade, O bioma caatinga apresenta importante biodiversida-
ela é uma herança em todo o sentido da palavra: de, incluindo espécies endêmicas tanto da flora como
herança de processos fisiográficos e biológicos, e da fauna.
patrimônio coletivo dos povos que historicamente
a herdaram como território de atuação de suas Gabarito: Item Correto
comunidades [...] Mais que simples espaços
territoriais, os povos herdaram paisagens e Comentário: A “Mata branca” do nordeste: Caatinga
ecologias, pelas quais certamente são ou deveriam vem do tupi-guarani e significa “mata branca”, devido
ser responsáveis. ao fato de que na estação seca, as folhas caem
e as árvores e arbustos ficam com tronco quase
Desde os mais altos escalões do governo e da completamente exposto, tronco este com coloração
administração até o mais simples cidadão, todos geralmente esbranquiçada ou amarela bem clara. É
têm parcela de responsabilidade permanente, no o único bioma restrito ao território nacional, ou seja,
sentido da utilização não predatória dessa herança sua área de ocorrência não ultrapassa as fronteiras do
única, que é a paisagem terrestre. Para tanto, Brasil e se estende por cerca de 800.000 km² pelos
há que conhecer melhor as limitações de uso, estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba,
específicas de cada tipo de espaço e paisagens Piauí, Alagoas, Sergipe, Bahia e uma pequena porção
[...] Diga-se, de passagem, que, a despeito de a do norte de Minas Gerais. Suas fronteiras encontram
maior parte dessas paisagens do país estar sob os biomas Mata Atlântica e Cerrado.
a complexa situação de duas organizações e
opostas e interferentes - ou seja, a natureza e a dos
homens -, ainda existem possibilidades razoáveis
para uma caracterização dos espaços naturais,
em uma tentativa mais objetiva de reconstrução
espacial primária delas. De modo geral, o homem

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


59

QUESTÕES CORRELATAS 04. Sua extensão e sua densidade florestal tornam


toda a região amazônica importante para o Brasil e
• Comentário apenas em incorretas •
para o mundo no que diz respeito ao contexto da
sustentabilidade ambiental e, em função disso, foi
(Pref. de Rio Branco-AC - Geógrafo - 2007) A criada a chamada Amazônia Legal.
Amazônia é a região compreendida pela bacia do Item Errado
rio Amazonas, a mais extensa do planeta, formada Comentário: A Amazônia Legal não foi criada em
por 25.000 km de rios navegáveis, em cerca prol da sustentabilidade.
de 6.900.000 km2, dos quais aproximadamente
3.800.000 km2 estão no Brasil. A Amazônia Legal, 05. Nas áreas da fronteira amazônica, o capital social
estabelecida no artigo 2.º da Lei n.º 5.173, de é incipiente e as relações entre os habitantes e o
outubro de 1966, abrange os estados do Acre, poder púbico são tênues e conflitantes, pois o poder
do Amapá, do Amazonas, de Mato Grosso, do público, via de regra, está presente unicamente nos
Pará, de Rondônia, de Roraima, de Tocantins, serviços básicos de saúde, nas agências de correio
parte do Maranhão e cinco municípios de Goiás, e em operações esparsas de fiscalização ambiental.
representando 59% do território brasileiro e Item Correto
compreendendo 775 municípios, onde viviam, em
2000, segundo o censo demográfico, 20,3 milhões (IEMA-ES - Guarda Ambiental – 2007) Dados
de pessoas (12,32% da população nacional), sendo recentes mostram que caiu o ritmo do
que 68,9% desse contingente em zona urbana. desmatamento na Amazônia. Pode ser devido
à crise conjuntural da agropecuária. O governo
Internet: <www.ibge.gov.br/home/geociencias/ geografia/ esteve, também, mais atuante, regulamentando
mapas_doc5.shtm> (com adaptações).
o corte sustentável da floresta. Mas a economia
que vive do saque se mantém firme e forte. Como
A partir dessa caracterização da região amazônica, salvar a Amazônia? Aumentar a fiscalização
julgue os próximos itens. ambiental, por certo, é importante. Para isso, o
governo federal poderia criar uma polícia florestal,
01. Entre as mudanças ocorridas na região amazônica, específica, para enfrentar os criminosos do mato.
promotoras de reestruturação espacial, estão as A conscientização ecológica dos agricultores
particularidades nas estruturas de povoamento, ajuda. E o mercado mundial, restritivo aos produtos
estreitamente ligadas a um processo de urbanização ambientalmente sujos, favorece. É na ponta do
que, antes, esteve fundamentado ao longo dos rios e, consumo que se esconde o ovo de Colombo
agora, cresce também ao longo das estradas. da proteção da Amazônia. Basta recusar-se a
Item Correto comprar madeira surrupiada da floresta. Simples,
embora difícil. Rios voadores. Aos incrédulos, a
02. Todo o potencial em termos de riqueza hídrica, inusitada informação. Cientistas estimam que, na
biodiversidade, conhecimento tradicional, agricultura estação chuvosa, até 70% da precipitação caída
familiar e paisagem natural faz da região amazônica em São Paulo depende do vapor d’água gerado na
uma extensa unidade de conservação de uso Amazônia. Uma árvore adulta expele até 300 litros
sustentável, cuja possibilidade de autorregeneração é de água por dia. Quer dizer, se acabar a floresta lá,
inesgotável. pára de chover aqui.
Item Errado
Comentário: O sistema florestal não é inesgotável Xico Graziano. Rios voadores. In: O Estado de S.Paulo,
com afirma a questão. 11/9/2007, p. 2 (com adaptações).

03. O Estado brasileiro vem investindo na região Tendo o texto acima como referência inicial e
amazônica com implementação de políticas de considerando os múltiplos aspectos que envolvem
estímulo aos projetos agropecuários, sobretudo o tema nele focalizado, julgue os itens de 06 a 10.
com a abertura da fronteira agrícola da região.
Contudo, a Amazônia ainda é marcada pela produção 06. A devastação da Amazônia está sem controle, o
agropecuária familiar e por assentamentos rurais que explica o atual avanço do desmatamento.
dedicados à produção de arroz, cupuaçu, mandioca, Item Errado
milho, açaí etc., o que corresponde a mais da metade Comentário: De acordo com o texto a devastação
do valor bruto da produção da região. está sendo controlada.
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


60

07. O corte sustentável da floresta pressupõe áreas


demarcadas, manejo técnico e escolha de árvores a
serem abatidas.
Item Correto

08. O autor do texto sugere que o governo aumente a


vigilância policial na floresta.
Item Correto

09. O autor do texto acredita que a relação equilibrada


entre moradores e floresta ajuda na salvação da
Amazônia.
Item Correto

10. A situação da Amazônia tem despertado


a preocupação de países, organizações não-
governamentais e de organismos internacionais.
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


61

CAPÍTULO 09 A exploração de madeira das florestas,


cerrados e caatingas pode ser considerada um
subproduto desse intenso processo de transformação
GEOPOLÍTICA DO TERRITÓRIO do Brasil. Em algumas cadeias produtivas, a madeira
BRASILEIRO foi utilizada como recurso energético para alimentar
------------------------------------------------------------- fornos industriais, como no caso das siderúrgicas.
A exploração madeireira também interessou aos
POLÍTICA E GESTÃO AMBIENTAL NO circuitos econômicos da construção civil, que
BRASIL ergueu enormes arranha-céus nos centros urbanos
espalhados pelo país. A produção de soja e a abertura
No Brasil, para a aprovação de qualquer de rodovias, devido ao processo de urbanização,
projeto agrícola ou industrial e obras de engenharia também contribuem para essa destruição.
é obrigatório, desde 1986, o EIA (Estudo de Impacto
Ambiental) para a elaboração do RIMA (Relatório de Nunca se desmatou tanto no Brasil como
Impacto Ambiental). Desse modo, a destruição de uma nos últimos 40 anos, oito vezes mais do que todo o
nascente de rio ou a caça ilegal de animais silvestres, desflorestamento provocado no período colonial e
por exemplo, mesmo que praticadas nos limites da imperial. Somente nos anos 90, foi destruída uma
propriedade de um dono de fazenda, por ferirem esse área da Floresta Amazônica equivalente a cinco vezes
direito fundamental, tornaram-se infrações graves, o território do estado do Rio de Janeiro.
possíveis de punição.
HISTÓRICO DA PRESERVAÇÃO NO BRASIL
Apesar desse avanço, o Brasil ainda está
A Conservação da natureza faz parte da
longe de resolver os problemas ambientais gerados
agenda da América Portuguesa desde o século XVI.
pelo crescimento econômico desordenado, como
Ainda que a capacidade de controle e aplicação das
podemos observar nas imagens abaixo:
leis por parte da Corte fosse extremamente reduzida,
Portugal era um reino que possuía um corpus legal
sistematizado sobre essa matéria.

Até a vinda da família real ao Brasil, em 1808,


as Ordenações Manuelinas, organizadas por ordem
de Dom Manuel I, foram sucessivamente adaptadas
à realidade ambiental do continente, para proteger os
recursos considerados de maior valor. A expressão
“madeira de lei”, por exemplo, tem sua origem na lista
de árvores nobres, proibidas de corte sem autorização,
devido ao grande valor da madeira, como o jacarandá
e a peroba.

Área do estádio do Castelão no ano de 1973, com destaque Em 1605, foi criado o Regimento Pau-Brasil,
para as áreas verdes ao fundo. que refletia sobre a preocupação estatal em relação a
preservação dos estoques de pau-brasil.

Com a chegada da família real ao Rio de


Janeiro, o Brasil recebeu uma série de investimentos
no campo cultural e científico. Dentre eles destacam-
se a criação do Real Horto, que deu origem ao Jardim
Botânico, que cumpre um importante papel de
educação ambiental no Brasil.

Imagem de satélite mostrando a área do entorno do estádio nos


dias atuais e a redução da área verde de seu entorno.
Fonte: Google Maps.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


62

Em 1876 foi apresentada a primeira proposta Naturais Renováveis (IBAMA), que englobou o SEMA
oficial de criação de parques nacionais no Brasil, e o IBDF.
pelo engenheiro André Rebouças, que baseou-se no
modelo no Parque Yellowstone.7

Rebouças defendia a criação de um parque


nacional na ilha do Bananal e um parque no Paraná,
pois acreditava que no sul do Império, região alguma
pode competir com a do Guaíra em belezas naturais.
Apesar dos esforços, somente nos anos 30, o poder
público passou a ter uma atuação mais significativa.
Em 1934 foi criado o Código Nacional de Águas e o
Código Florestal.

De acordo com o Código Florestal, os


proprietários não podiam desmatar mais que ¾ das
florestas presentes em suas terras, e eram obrigados O ano de 1992 marca a criação do MMA
a preservar integralmente as matas galerias e as (Ministério do Meio Ambiente) que foi escolhido para
espécies consideradas raras. sediar a Conferência da ONU sobre Meio Ambiente e
Desenvolvimento.
Em 1937 foi criado o Parque Nacional do
Itatiaia, na divisa entre os estados de Minas Gerais,
Rio de Janeiro e São Paulo. Em 1939 foram criadas
duas novas áreas, o Parque Nacional da Serra dos
Órgãos e o Parque Nacional de Iguaçu.

Em 1965, o Código Florestal foi reformulado


pelo regime militar. Nesse momento já existiam 15
parques nacionais no Brasil, muitos deles implantados
em áreas do Centro-Oeste recém atingidas pela
fronteira agrícola. O novo código manteve muitos dos
vícios da legislação anterior, mas, pela primeira vez,
as unidades de conservação foram separadas e duas
grandes categorias: uso direto e uso indireto.

Em 1967 o governo brasileiro criou o Instituto


Brasileiro de Desenvolvimento Florestal (IBDF), ligado Abertura da Conferência das Nações Unidas sobre Meio
Ambiente e Desenvolvimento. Rio de Janeiro 1992.
a Ministério da Agricultura e em 1974 criou a Secretaria
Especial do Meio Ambiente (SEMA), vinculado ao
Ministério do Interior.

O ano de 1981 marca a criação da Política OS BIOMAS E A CONSERVAÇÃO NO BRASIL


Nacional do Meio Ambiente que integrou as esferas As Unidades de Conservação (UC’s)8 são
federal, estadual e municipal em um Sistema Nacional espaços territoriais com características naturais
do Meio Ambiente (SISNAMA). Em 1989 foi criado o relevantes, legalmente instituídos pelo Poder Público,
Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos com objetivos de conservação e de limites definidos,
sob regime especial de administração.

7
Esse parque foi uma resposta do incipiente movimento
8
preservacionista estadunidense, cuja ideia era manter Unidades de Conservação da Natureza: As unidades de
praticamente intocados os ecossistemas naturais, protegendo- conservação ambiental são espaços geralmente formados por
os do rápido avanço da colonização sobre as terras virgens do áreas contínuas, estabelecidas com a finalidade de preservar ou
oeste do país. Desde então os milhões de hectares ocupados pelo conservar a flora, fauna, os recursos hídricos, as características
parque passaram a ser regulados por uma legislação especial, geológicas e geomorfológicas, as belezas naturais, enfim, a
que vetava sua ocupação e venda e os transformava em espaço integridade do ambiente.
público de lazer e recreação.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


63

As unidades de conservação integrantes UNIDADES DE CONSERVAÇÃO FEDERAL


do S.N.U.C (Sistema Nacional de Unidades de
Conservação) dividem-se em dois grupos, com as
seguintes categorias de manejo:

UNIDADES DE
UNIDADES DE USO
PROTEÇÃO
SUSTENTÁVEL
INTEGRAL

Área de Proteção
Estação Ecológica
Ambiental

Área de Proteção
Reserva Biológica
Estadual
Área de Relevante
Parque Nacional
Interesse Ecológico
Parque Estadual Floresta Nacional
Fonte: MMA (Ministério do Meio Ambiente) 2008.
Monumento Natural Floresta Estadual
Refúgio de Vida
Reserva Extrativista
Silvestre
PERCENTUAL DE ÁREA OCUPADA POR UC’S
--------------------------- Reserva de Fauna FEDERAIS POR BIOMA
Reserva de
--------------------------- Desenvolvimento
Sustentável

Reserva Particular do
---------------------------
Patrimônio Natural

Fonte: www.ambientebrasil.com.br

No Brasil existem aproximadamente 300


Uc’s que estavam sob a responsabilidade do IBAMA Na região Amazônica existem mais de 260
(Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos áreas sob proteção legal, que somam cerca de 676
Naturais Renováveis). A partir de 2007, as Uc’s mil km², ou 13% da Amazônia brasileira. No Cerrado
passaram a ser administradas pelo Instituto Chico aparecem mais de 60 unidades de conservação que
Mendes de Conservação da Biodiversidade, uma atingem cerca de 160 mil km², ou 8% do território
autarquia ligada ao MMA e ao SISNAMA (Sistema do Cerrado. A Mata Atlântica é o bioma no país que
Nacional do Meio Ambiente). Além das unidades sob conta com o maior número de áreas de conservação,
gestão do Instituto Chico Mendes, existem ainda são aproximadamente 800. O Pantanal é a área
cerca de 600 Uc’s criadas e mantidas pelos governos que apresenta o menor número de unidades de
estaduais. conservação, são apenas 2 áreas, o Parque Nacional
do Pantanal e a Estação Ecológica Taiamã.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


64

UNIDADE DE PROTEÇÃO INTEGRAL O Brasil apresenta hoje dois Hotspot9, o mais


degradado é a Mata Atlântica, que está reduzida a
São unidades que têm como objetivo básico
aproximadamente 8% de sua área total, e é habitat
a preservação da natureza, não sendo permitido a
de 1.300 espécies de mamíferos, aves, répteis e
exploração dos seus recursos naturais de forma direta.
anfíbios, das quais 567 são endêmicas, como o mico-
As únicas atividades humanas permitidas são de
leão-dourado, e 90 estão ameaçadas de extinção. O
cunho científico, cultural ou recreativo, assim mesmo
segundo maior bioma do país está reduzido a 22%
de forma controlada. Fazem parte desse grupo:
de sua área original de acordo com o Conservation
International. O Cerrado abriga 4.400 espécies de
• Monumentos Naturais. plantas endêmicas e mamíferos de grande porte,
• Refúgios de Vida Silvestre. como a onça-pintada e o tamanduá-bandeira.
• Estações Ecológicas.
• Reservas Biológicas.
• Parques Nacionais. POLÍTICA NACIONAL DE MUDANÇAS
CLIMÁTICAS

UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL A Política Nacional sobre Mudança do Clima


(PNMC) oficializa o compromisso voluntário do Brasil
São unidades cujo objetivo principal é
junto à Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre
compatibilizar a conservação da natureza com o
Mudança do Clima de redução de emissões de gases
uso sustentável. Nelas são permitidos determinados
de efeito estufa entre 36,1% e 38,9% das emissões
tipos de atividades e de exploração, desde que sejam
projetadas até 2020. Ela foi instituída em 2009 pela Lei
utilizadas técnicas de manejo adequadas de forma a
nº 12.187, buscando garantir que o desenvolvimento
garantir a sustentabilidade dos seus recursos naturais.
econômico e social contribuam para a proteção do
Compõe esse grupo:
sistema climático global. Mesmo sendo um país
componente do grupo sem obrigatoriedade de reduzir
• Florestas Nacionais. suas emissões (Não-Anexo I do Protocolo de Kyoto),
• Reservas extrativistas. o Brasil, de forma inovadora, comprometeu-se no
• Áreas de Proteção Ambiental. plano interno.
• Reservas Particulares do patrimônio natural.
• Áreas de relevantes interesses ecológicos.
• Reservas de fauna.
Os objetivos alcançados pela PNMC devem
• Reservas de desenvolvimento sustentável. se harmonizar com o desenvolvimento sustentável
buscando o crescimento econômico, a erradicação
da pobreza e a redução das desigualdades sociais.
EVOLUÇÃO DAS UC’S NO BRASIL Para viabilizar o alcance destes objetivos, o texto
institui algumas diretrizes, como fomento a práticas
que efetivamente reduzam as emissões de gases de
efeito estufa e o estímulo a adoção de atividades e
tecnologias de baixas emissões desses gases, além
de padrões sustentáveis de produção e consumo.

9
O conceito de Hotspot foi concebido em 1988, pelo ecólogo
inglês Norman Myers. Ele definiu os hotspots como ecossistemas
que cobrem uma pequena parcela da superfície da Terra, mas
abrigam uma alta porcentagem da biodiversidade global [...]
Mais tarde, o conceito foi refinado [...] Dois fatores determinam a
classificação de uma área como hotspot: o número de espécies
Fonte: ICMBIO endêmicas (que existem ali e em nenhuma outra parte do planeta)
e o grau de ameaça.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


65

PROTOCOLO DE KYOTO O Tratado de Kyoto também permite - através dos


O Protocolo de Kyoto, anexado à Convenção MDLs (Mecanismos de Desenvolvimento Limpo) -que
sobre Mudanças Climáticas Globais, em 1997, empresas do primeiro mundo invistam em países
representou uma importante alteração nas políticas pobres, financiando entidades ambientais, em projetos
globais para o meio ambiente. O protocolo de Kyoto ecologicamente “limpos” nos campos de geração de
previa que os países mais industrializados do planeta energia e de meio ambiente.
deveriam reduzir suas emissões de CO2 até 2012 em
5,2% em relação aos níveis de 1990. Além disso, o
protocolo criou ainda um sistema de comércio de
emissões entre os países, porém, somente entre
os países desenvolvidos, que passaram a ter duas
opções:

• Investir na redução das emissões;


• Comprar de outros países créditos de carbono.

OS CRÉDITOS DE CARBONO
Créditos de carbono são certificados que Esses investimentos possibilitam que essas
autorizam o direito de poluir. O princípio é simples. empresas compensem a poluição que produzem
As agências de proteção ambiental reguladoras e ainda permitem, a essas mesmas empresas,
emitem certificados autorizando emissões de aumentarem suas emissões de CO2 para cada 6
toneladas de dióxido de enxofre, monóxido de dólares investidos em projetos no terceiro mundo.
carbono e outros gases poluentes. Inicialmente, Contudo, vale lembrar que só serão aceitos projetos
selecionam-se indústrias que mais poluem no país, e investimentos aprovados pela ONU e outros órgãos
e são estabelecidas metas para a redução de suas de certificação.
emissões. As empresas recebem bônus negociáveis
na proporção de suas responsabilidades. Cada O MDL é um dos mecanismos de flexibilização
bônus, cotado em dólares, equivale a uma tonelada criados pelo Protocolo de Kyoto para auxiliar o
de poluentes. Quem não cumpre as metas de processo de redução de emissões de gases de efeito
redução progressiva estabelecidas por lei tem estufa (GEEs) ou de captura de carbono (ou sequestro
que comprar certificados das empresas mais bem de carbono) por parte dos países do Anexo I.
sucedidas. O sistema tem a vantagem de permitir
que cada empresa estabeleça seu próprio ritmo de O propósito do MDL é prestar assistência
adequação às leis ambientais. às Partes Não Anexo I da Convenção-Quadro das
Nações Unidas sobre Mudança do Clima (CQNUMC,
Disponível em <www.ambientebrasil.com.br>. Acesso em 4 de ou com a sigla em inglês UNFCCC) para que
jul.2007. viabilizem o desenvolvimento sustentável através da
implementação da respectiva atividade de projeto e
contribuam para o objetivo final da Convenção e, por
outro lado, prestar assistência às Partes Anexo I para
TRATADO DE KYOTO
que cumpram seus compromissos quantificados de
O Protocolo de Kyoto entrou em vigor em 16 de limitação e redução de emissões de gases do efeito
fevereiro de 2005, passando a ser um tratado, estufa.
com 141 assinaturas e o compromisso dos países
O primeiro projeto de MDL, aprovado pela ONU,
signatários - dentre os quais o Brasil - na redução da
no mundo, foi o do aterro sanitário de Nova Iguaçu, no
emissão de gases intensificadores do efeito estufa
Estado do Rio de Janeiro, que utiliza tecnologias bem
em 5,2%, até 2012. As regras do Tratado de Kyoto
precisas de engenharia sanitária, tendo os créditos de
estabelecem cotas de redução de gases maiores
carbono sido negociados diretamente com os Países
para os países industrializados do primeiro mundo e,
Baixos.
cotas menores, para os países em desenvolvimento.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


66

Em março de 2001, George W. Bush contestou A tabela abaixo apresenta os resultados totais
o acordo de Kyoto, alegando que as determinações e em termos de setores e gases das estimativas anuais
do acordo seriam prejudiciais à economia norte- de emissões de gases de efeito estufa no Brasil,
americana principalmente, pelo fato do país estar publicadas em 2014 (últimos dados disponíveis).
atravessando uma grave crise energética. Bush alegou
ainda que o acordo era pouco rigoroso com os países
em desenvolvimento, portanto ele não ratificaria
o protocolo de Kyoto. A posição norte-americana
reduziu substancialmente a chance de sucesso do
acordo.

A primeira etapa de Kyoto venceu em 2012


sem alcançar inúmeros de seus objetivos. Apesar da
discordância de alguns países desenvolvidos chegou-
se a uma conclusão em Durban, COP 17: o prazo
de validade da primeira etapa do Protocolo de Kyoto
será 2017. Foi assinado aí a Plataforma Durban, um A Lei nº 12.187/2009 traz alguns princípios que devem
documento que fixou uma agenda que culminará ser observados:
na criação em 2015, de um novo acordo que obriga • Precaução;
todas as nações - e não apenas aquelas listadas em
Kyoto - a cumprir metas de redução nas emissões a • Prevenção;
partir de 2020. Na prática a Plataforma Durban é só • Participação cidadã;
uma promessa. • Desenvolvimento sustentável
O Poder Executivo, seguindo as diretrizes da • Responsabilidades comuns, porém, diferen-
PNMC, estabelece os Planos setoriais de mitigação e ciadas (este último no âmbito internacional).
adaptação à mudança do clima para a consolidação
de uma economia de baixo consumo de carbono. Os CONCEITOS RELEVANTES”
Planos visam a atender metas gradativas de redução GEEs (GASES DE EFEITO ESTUFA): constituintes
de emissões antrópicas quantificáveis e verificáveis, gasosos, naturais ou antrópicos, que, na atmosfera,
considerando diversos setores, como geração e absorvem e reemitem radiação infravermelha;
distribuição de energia elétrica, transporte público
urbano, indústria, serviços de saúde e agropecuária, EFEITO ESTUFA: é um dos principais fatores para
considerando as especificidades de cada setor, a manutenção da temperatura do planeta. Mas sua
inclusive por meio do Mecanismo de Desenvolvimento intensificação se acelerou no século XX, o que está
Limpo (MDL) e das Ações de Mitigação Nacionalmente alterando ciclos biológicos. Um exemplo perturbador
Apropriadas (NAMAS). é o do ozônio (O3), que existe em todas as camadas
do ar. O aumento da quantidade do gás em baixas
Os instrumentos para sua execução são, altitudes agrava o efeito estufa, pois aumenta a
entre outros: o Plano Nacional sobre Mudança do retenção de energia solar. Porém, a relação entre
Clima, o Fundo Nacional sobre Mudança do Clima e o aumento das emissões de CO2 e as alterações
a Comunicação do Brasil à Convenção-Quadro das climáticas não é consenso entre os pesquisadores.
Nações Unidas sobre Mudança do Clima.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


67

Os resultados do efeito Sequestro de Carbono


podem ser quantificados através da estimativa da
biomassa da planta acima e abaixo do solo, do cálculo
de carbono estocado nos produtos madeireiros e
pela quantidade de CO2 absorvido no processo de
fotossíntese. Para se proceder à avaliação dos teores
de carbono dos diferentes componentes da vegetação
(parte aérea, raízes, camadas decompostas sobre o
solo, entre outros) e, por consequência, contribuir para
estudos de balanço energético e do ciclo de carbono
na atmosfera, é necessário, inicialmente, quantificar a
biomassa vegetal de cada componente da vegetação.
O aumento de formações vegetais implica no maior
consumo de gás carbônico pelos vegetais, através do
processo de fotossíntese, diminuindo o acúmulo de
gás carbônico na atmosfera.

MUDANÇAS CLIMÁTICAS: mudança de clima que


possa ser direta ou indiretamente atribuída à atividade
humana que altere a composição da atmosfera
mundial e que se some àquela provocada pela
variabilidade climática natural observada ao longo de
períodos comparáveis;

SEQUESTRO DE CARBONO E/OU SUMIDOURO:


processo, atividade ou mecanismo que remova da
atmosfera gás de efeito estufa, aerossol ou precursor
de gás de efeito estufa.

O aumento do dióxido de carbono na atmosfera


POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS
tem sido uma preocupação de governantes, cientistas
e da sociedade como um todo, por ser este, um dos Nos últimos dez anos, a população do Brasil
constituintes da atmosfera responsáveis pelo aumento aumentou 9,65%, enquanto que, no mesmo período,
do efeito estufa e da temperatura global. Este aumento o volume de lixo cresceu mais do que o dobro disso,
de dióxido de carbono, deve-se principalmente a 21%. Esta enorme geração de lixo, entretanto, não é
atividades antropogênicas, seguidas pela mudança acompanhada de um descarte adequado. De acordo
o uso da terra, com redução da capacidade de com dados da Associação Brasileira de Empresas de
armazenamento de carbono na biomassa. Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), só
em 2012, dos 64 milhões de toneladas de resíduos
O conceito de sequestro de carbono foi produzidos pela população, 24 milhões (37,5%) foram
consagrado pela Conferência de Kyoto, em 1997, com enviados para destinos inadequados. O descarte
a finalidade de conter e reverter o acúmulo de CO2 inadequado de lixo é prejudicial à saúde pública e
na atmosfera, visando a diminuição do efeito estufa. danoso ao meio ambiente.
A conservação de estoques de carbono nos solos,
florestas e outros tipos de vegetação, a preservação A fim de enfrentar as consequências sociais,
de florestas nativas, a implantação de florestas e econômicas e ambientais do manejo de resíduos
sistemas agroflorestais e a recuperação de áreas sólidos sem prévio e adequado planejamento técnico,
degradadas são algumas ações que contribuem para a Lei nº 12.305/10 instituiu a Política Nacional de
a redução da concentração do CO2 na atmosfera. Resíduos Sólidos (PNRS), regulamentada pela Decreto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


68

7.404/10. Esta política propõe a prática de hábitos de Natureza ou Origem


consumo sustentável e contém instrumentos variados
para propiciar o incentivo à reciclagem e à reutilização - Lixo Doméstico ou Residencial
dos resíduos sólidos (reciclagem e reaproveitamento), - Lixo Comercial
bem como a destinação ambientalmente adequada - Lixo Público
dos dejetos. - Lixo Domiciliar especial
- Entulho de obras
- Pilhas e baterias
O QUE SÃO RESÍDUOS SÓLIDOS?
- Lâmpadas fluorescentes
Segundo a ABNT, resíduos sólidos são aqueles que: - Pneus

“resultam de atividades de origem industrial, Lixo de Fontes especiais


doméstica, hospitalar, comercial, agrícola, de
serviços e de varrição. Ficam incluídos nesta - Lixo industrial
definição os lodos provenientes de sistemas - Lixo radioativo
de tratamento de água, aqueles gerados em - Lixo de portos, aeroportos e terminais rodoviários
equipamentos e instalações de controle de - Lixo agrícola
poluição, bem como determinados líquidos - Resíduos de serviços de saúde
cuja particularidades tornem inviável o seu
lançamento na rede pública de esgotos ou corpos
de água, ou exijam para isso soluções, técnica Além da classificação citada, o texto preliminar
e economicamente, inviáveis em face à melhor do Plano Nacional de Resíduos Sólidos propõe outra
tecnologia disponível.” forma para agrupar tais resíduos, que considera o
local ou atividade em que a geração ocorre:
Os resíduos sólidos apresentam uma vasta
diversidade e complexidade, sendo que suas • Resíduos Sólidos Urbanos: divididos em materiais
características físicas, químicas e biológicas variam recicláveis (metais, aço, papel, plástico, vidro, etc.) e
de acordo com a fonte ou atividade geradora. Os matéria orgânica.
resíduos sólidos podem ser classificados tanto em
relação aos riscos potenciais de contaminação do • Resíduos da Construção Civil: gerados nas cons-
meio ambiente como em relação à natureza ou à truções, reformas, reparos e demolições, bem como
origem. na preparação de terrenos para obras.

Riscos Potenciais de Contaminação ao Meio • Resíduos com Logística Reversa Obrigatória:


Ambiente pilhas e baterias; pneus; lâmpadas fluorescentes de
vapor de sódio e mercúrio e de luz mista; óleos lubrifi-
• Classe I ou Perigosos: Aqueles que apresentam cantes, seus resíduos e embalagens; produtos eletro-
periculosidade, conforme definido em (risco à saúde eletrônicos e seus componentes; entre outros a serem
pública ou risco ao meio ambiente), ou uma das incluídos.
características de: inflamabilidade, corrosividade,
reatividade, toxicidade, patogenicidade ou constem • Resíduos Industriais: gerados nos processos pro-
nos anexos A ou B. dutivos e instalações industriais; normalmente, gran-
• Classe II ou Não-Inertes: Aqueles que não se de parte são resíduos de alta periculosidade.
enquadram nas classificações de resíduos classe
I - Perigosos ou de resíduos classe II B - Inertes. • Resíduos Sólidos do Transporte Aéreo e Aquavi-
Os resíduos classe II A - Não Inertes podem ter ário: gerados pelos serviços de transportes, de natu-
rezas diversas, como ferragens, resíduos de cozinha,
propriedades, tais como: biodegradabilidade,
material de escritório, lâmpadas, pilhas, etc.
combustibilidade ou solubilidade em água.
• Classe III ou Inertes: Quaisquer resíduos que não
• Resíduos Sólidos do Transporte Rodoviário e
tiverem nenhum de seus constituintes solubilizados a Ferroviário: gerados pelos serviços de transportes,
concentrações superiores aos padrões de potabilidade acrescidos de resíduos sépticos que podem conter
de água, excetuando-se aspecto, cor, turbidez, dureza organismos patogênicos.
e sabor.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


69

• Resíduos de Serviços de Saúde: gerados em qual- Cria metas importantes que irão contribuir
quer serviço de saúde. para a eliminação dos lixões e institui instrumentos
de planejamento nos níveis nacional, estadual,
• Resíduos Sólidos de Mineração: gerados em qual- microregional, intermunicipal e metropolitano e
quer atividade de mineração.
municipal; além de impor que os particulares elaborem
• Resíduos Sólidos Agrossilvopastoris (orgânicos seus Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos.
e inorgânicos): dejetos da criação de animais; resídu- Também coloca o Brasil em patamar de igualdade aos
os associados a culturas da agroindústria, bem como principais países desenvolvidos no que concerne ao
da silvicultura; embalagens de agrotóxicos, fertilizan- marco legal e inova com a inclusão de catadoras e
tes e insumos. catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis, tanto
na Logística Reversa quando na Coleta Seletiva. Além
POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS disso, os instrumentos da PNRS ajudarão o Brasil
A Lei nº 12.305/10, que institui a Política a atingir uma das metas do Plano Nacional sobre
Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) é bastante atual Mudança do Clima, que é de alcançar o índice de
e contém instrumentos importantes para permitir reciclagem de resíduos de 20% em 2015.
o avanço necessário ao País no enfrentamento
dos principais problemas ambientais, sociais e A Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS,
econômicos decorrentes do manejo inadequado dos criada pela Lei nº 12.305, de 2010 e regulamentada
resíduos sólidos.
pelo Decreto nº 7.404, de 2010, criou como um dos
Prevê a prevenção e a redução na geração de seus principais instrumentos o Plano Nacional de
resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de Resíduos Sólidos. O Decreto nº 7.404/2010 instituiu e
consumo sustentável e um conjunto de instrumentos
delegou ao Comitê
para propiciar o aumento da reciclagem e da
reutilização dos resíduos sólidos (aquilo que tem valor
econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado) e Interministerial - CI, composto por 12 Ministé-
a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos rios e coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente,
(aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado). a responsabilidade de coordenar a elaboração e a im-
Institui a responsabilidade compartilhada dos plementação do Plano Nacional de Resíduos Sólidos.
geradores de resíduos: dos fabricantes, importadores, Além do Plano Nacional de de Resíduos Sólidos, po-
distribuidores, comerciantes, o cidadão e titulares de demos destacar o Plano Intermunicipal de Resíduos
serviços de manejo dos resíduos sólidos urbanos na Sólidos, o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sóli-
Logística Reversa dos resíduos e embalagens pós- dos e o Plano Municipal de Resíduos Sólidos.
consumo e pós-consumo.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


70

HISTÓRICO DA POLÍTICA NACIONAL DE QUESTÕES CORRELATAS


RESÍDUOS SÓLIDOS
(COMENTADA)
ANO ACONTECIMENTOS RELEVANTES • Comentário apenas em incorretas •

Projeto de Lei 203 dispõe sobre acondicionamento,


1991 coleta, tratamento, transporte e destinação dos Ano: 2018 Banca: CESPE Órgão: Polícia Federal
resíduos de serviços de saúde. Prova: CESPE - 2018 - Polícia Federal - Perito
Criminal Federal - Área 5
Proposição Conama 259 intitulada Diretrizes
Técnicas para a Gestão de Resíduos Sólidos. Julgue o próximo item à luz do que dispõem as Leis
1999
Aprovada pelo plenário do conselho, mas não n.º 9.985/2000, que institui o Sistema Nacional de
chegou a ser publicada. Unidades de Conservação da Natureza (SNUC); n.º
9.605/1998, que dispõe sobre as sanções penais e
Câmara dos Deputados cria e implementa administrativas derivadas de condutas e atividades
Comissão Especial da Política Nacional de lesivas ao meio ambiente; e n.º 12.305/2010, que
Resíduos com o objetivo de apreciar as matérias
institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos.
2001 contempladas nos projetos de lei apensados ao
Projeto de Lei 203/91 e formular uma proposta
substitutiva global. Com o encerramento da Por pertencerem ao SNUC, especificamente ao
legislatura, a Comissão foi extinta. grupo das unidades de uso sustentável, os parques
nacionais pertencem ao domínio público, sendo
Instituição do Grupo de Trabalho Interministerial
mantidas as áreas particulares incluídas em seus
de Saneamento Ambiental a fim de promover a limites.
integração das ações de saneamento ambiental,
2003
no âmbito do governo federal. GT reestrutura o Gabarito: Item Errado
setor de saneamento e resulta na criação do
Programa Resíduos Sólidos Urbanos. Comentário: Conforme está expresso na Lei 9.985/
2000 que regulamenta o Sistema Nacional de Unidades
Criado grupo interno na Secretaria de Qualidade de Conservação da Natureza, o Parque Nacional tem
Ambiental nos Assentamentos Humanos do
MMA para consolidar contribuições do Seminário como objetivo básico a preservação de ecossistemas
2005
Conama, os anteprojetos de lei existentes no naturais de grande relevância ecológica e beleza
Congresso Nacional e as contribuições dos cênica, possibilitando a realização de pesquisas
diversos atores envolvidos na gestão de resíduos
sólidos./ Encaminhado anteprojeto de lei de científicas e o desenvolvimento de atividades de
“Política Nacional de Resíduos Sólidos” educação e interpretação ambiental, de recreação
em contato com a natureza e de turismo ecológico.
Aprovado relatório (deputado Ivo José) que Além disso, o Parque Nacional é de posse e domínio
2006 trata do PL 203/91 acrescido da liberação da
importação de pneus usados no Brasil. públicos, sendo que as áreas particulares incluídas em
seus limites serão desapropriadas, de acordo com o
que dispõe a lei.
Realizadas audiências públicas, com contribuição
da CNI, da representação de setores interessados,
2007
do Movimento Nacional de Catadores de Materiais
Recicláveis e dos demais membros do GTRESID.

No dia 11 de março, o plenário da Câmara dos


Deputados aprovou em votação simbólica um
substitutivo ao Projeto de Lei 203/91, do Senado,
2010 que institui a Política Nacional de Resíduos
Sólidos e impõe obrigações aos empresários, aos
governos e aos cidadãos no gerenciamento dos
resíduos.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


71

QUESTÕES CORRELATAS (CESPE - ANTT - 2013 - Especialista em


Regulação de Serviços de Transportes Terrestres
- Eng.Ambiental/Florestal) Com relação à Política
(CESPE - IBAMA - 2013 - Analista Ambiental) Nacional de Mudanças Climáticas (PNMC) julgue
Julgue o item seguinte, no que se refere a proteção os itens subsequentes:
da atmosfera e mudança do clima.
04. Uma das ausências detectadas na PNMC e que
01. No âmbito das diretrizes da Política Nacional sobre deve ser inserida em futuras revisões diz respeito às
Mudança do Clima, as atividades de sumidouro que ações que poderiam promover o sequestro dos gases
removem gás de efeito estufa, aerosol ou precursor de do efeito estufa.
gás de efeito estufa devem ser apoiadas e fomentadas,
como também devem ser utilizados instrumentos Item Errado
financeiros e econômicos para promover ações de Comentário: De acordo com o art. 4o, a Política
mitigação com esse fim. Nacional sobre Mudança do Clima - PNMC
Item Correto visará: (... ) IV - ao fortalecimento das remoções
antrópicas por Sumidouros De Gases De Efeito
Estufa no território nacional;

(CESPE - CÂMARA DOS DEPUTADOS - 2014


- Analista Legislativo) A respeito das políticas
nacionais relativas a recursos hídricos, mudanças 05. A PNMC estabelece que o país assumirá o
climáticas e gestão dos resíduos sólidos, julgue os compromisso voluntário de reduzir a emissão de
itens que se seguem. gases do efeito estufa projetada para 2020 entre 36%
e 39%.
02. O Brasil, em cumprimento às obrigações Item Correto
decorrentes do Protocolo de Quioto, editou a Política
Nacional de Mudança do Clima para cumprir o seu
compromisso de redução de 2% das emissões de
gases de efeito estufa no país. 06. O objetivo principal da PNMC é reduzir as emissões
de gases do efeito estufa no território nacional por
Item Errado meio da redução de atividades de desmatamento na
Comentário: o Brasil não possui obrigações Amazônia.
decorrentes do Protocolo de Quioto (apenas
metas voluntárias); Item Errado
Comentário: A Política Nacional de Mudança do
Clima se desdobra em cinco planos setoriais: a
redução de 80% do desmatamento na Amazônia,
03. A Política Nacional de Mudança do Clima exige as
mesmas obrigações a todos os setores econômicos, a redução de 40% do desmatamento no bioma
tendo em vista a vedação constitucional de cerrado, as ações para o setor de energia, para a
discriminação entre diferentes atividades econômicas. agricultura e pecuária, e para a indústria.

Item Errado
Comentário: De acordo com o art. 3o a PNMC
e as ações dela decorrentes, executadas sob
a responsabilidade dos entes políticos e dos
órgãos da administração pública, observarão
os princípios: das responsabilidades comuns,
porém diferenciadas, este último no âmbito
internacional, e, quanto às medidas a serem
adotadas na sua execução.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


72

(Pref. de Rio Branco-AC - Geógrafo - 2007) (MPE-SC / Promotor de Justiça - 2016)


Tanto na Amazônia quanto em outros países as
10. Estação Ecológica, Reserva Biológica, Floresta
mudanças climáticas globais são consequências
das ações humanas. Os vários modelos usados Nacional, Monumento Natural e Refúgio de Vida
na avaliação dessas mudanças apontam para Silvestre são todas as categorias de unidade
um efeito dramático do aquecimento global de conservação que compõem o grupo das
sobre a Amazônia, com profundas alterações Unidades de Proteção Integral, de acordo com o
da fisiografia local. O recente relatório do Painel art. 8º da Lei n. 9.985/00 (Sistema Nacional de
Intergovernamental de Mudanças do Clima (IPCC, Unidades de Conservação da Natureza).
na sigla em inglês) reforçou essa preocupação.
Ganha corpo o conceito de que manter a floresta em Item Errado
pé é vital para o clima da região e do mundo e para Comentário: LEI 9985. Art. 8o O grupo das
a vida dos amazônidas. No entanto, enquanto não Unidades de Proteção Integral é composto pelas
se proporcionar um caminho digno para a geração seguintes categorias de unidade de conservação:
de renda, que possa competir com a extração de Estação Ecológica; Reserva Biológica; Parque
madeira e a implantação de pastagens para gado Nacional; Monumento Natural e Refúgio de Vida
e culturas agrícolas, a floresta continuará a ser
Silvestre.
derrubada.

Adalberto Luiz Val. et al. - Instituto Nacional de Pesquisas


da Amazônia (IMPA). In: Revista Ciência, v. 40, n.º 239, p. (Banco da Amazônia - Engenheiro Ambiental -
27 (com adaptações). CESPE - 2012) Com base na Lei n.º 9.985/2000,
relacionada ao Sistema Nacional de Unidades de
Conservação da Natureza (SNUC), julgue o item
A partir das informações contidas no texto, julgue que se segue.
os itens a seguir.
11. Um dos objetivos do SNUC é a proteção dos
recursos naturais necessários à subsistência de
07. Devido aos crescentes índices de populações tradicionais, devendo-se respeitar
desmatamento na Amazônia, o aquecimento e valorizar o conhecimento e a cultura dessas
global e outros desastres de proporções globais populações e promovê-las social e economicamente.
serão, dentro de pouco tempo, provocados Item Correto
principalmente por essa ação.
Item Errado

08. As unidades de conservação e as terras


indígenas localizadas na Amazônia auxiliam
no bloqueio ao desmatamento da floresta e
colaboram para a manutenção dos recursos
hídricos.
Item Correto

09. O Sistema de Vigilância da Amazônia (SIVAM),


como rede integrada de telecomunicações e
sensoriamento remoto, somado às bases de
dados obtidas por satélites e radares, permite
o monitoramento de queimadas das florestas,
desmatamentos, garimpos ilegais e outras
depredações da biodiversidade na região.
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


73

CAPÍTULO 10 dessa aproximação que se desenvolveu desde os


tempos de colonização, a qual, como sabemos, não
foi, necessariamente, um processo amistoso entre
GEOPOLÍTICA DO TERRITÓRIO colonizadores e colonizados, entre brancos e índios,
entre brancos e negros. Se é verdade que portugueses,
BRASILEIRO indígenas e africanos estiveram em permanente
-------------------------------------------------------------
contato, também é fato que essa aproximação foi
O BRASIL E A QUESTÃO CULTURAL marcada pela exploração e pela violência impostas
a índios e negros pelos europeus colonizadores, os
A nação brasileira é resultado de um projeto quais a seu modo tentavam impor seus valores, sua
político que garantiu a unidade territorial e a identidade religião e seus interesses. Porém, ao retomarmos a
dos brasileiros. Os fluxos migratórios inter-regionais ideia de cultura, adotada no início do texto, podemos
acompanharam a apropriação histórica do território e afirmar que, apesar desse contato hostil num primeiro
os sucessivos deslocamentos espaciais para o polo momento entre as etnias, o processo de mestiçagem
econômico do país. contribuiu para a diversidade da cultura brasileira no
que diz respeito aos costumes, práticas, valores, entre
A diversidade cultural refere-se aos diferentes outros aspectos que poderiam compor o que alguns
costumes de uma sociedade, entre os quais podemos autores chamam de caráter nacional.
citar: vestimenta, culinária, manifestações religiosas,
tradições, entre outros aspectos. O Brasil, por conter A culinária africana misturou-se à indígena
um extenso território, apresenta diferenças climáticas, e à europeia; os valores do catolicismo europeu
econômicas, sociais e culturais entre as suas regiões. fundiram-se às religiões e aos símbolos africanos,
configurando o chamado sincretismo religioso; as
Os principais disseminadores da cultura linguagens e vocabulários afros e indígenas somaram-
brasileira são os colonizadores europeus, a população se ao idioma oficial da coroa portuguesa, ampliando
indígena e os escravos africanos. Posteriormente, os as formas possíveis para denominarmos as coisas
imigrantes italianos, japoneses, alemães, poloneses, do dia a dia; o gosto pela dança, assim como um
árabes, entre outros, contribuíram para a pluralidade forte erotismo e apelo sexual juntaram-se ao pudor
cultural do Brasil. de um conservadorismo europeu. Assim, do vatapá
ao chimarrão, do frevo à moda de viola caipira, da
Mesmo admitindo a existência de diversos forte religiosidade ao carnaval e ao samba, tudo isso,
estudos e discussões antropológicas sobre o conceito a seu modo, compõe aquilo que conhecemos como
de cultura, podemos considerá-la,  grosso modo, da cultura brasileira. Ela seria resultado de um Brasil-
seguinte forma: a cultura diz respeito a um conjunto cadinho (aqui se fazendo referência àquele recipiente,
de hábitos, comportamentos, valores morais, crenças geralmente de porcelana, utilizado em laboratório
e símbolos, dentre outros aspectos mais gerais, como para fundir substâncias) no qual as características
forma de organização social, política e econômica que das três “raças” teriam se fundido e criado algo novo:
caracterizam uma sociedade. Além disso, os processos o brasileiro. Além disso, do ponto de vista moral e
históricos são em grande parte responsáveis pelas comportamental, acredita-se que o brasileiro consiga
diferenças culturais, embora não sejam os únicos reunir, ao mesmo tempo, características contraditórias:
fatores a se considerar. Isso nos permite afirmar que se por um lado haveria um tipo de homem simples
não existem culturas superiores ou inferiores, mas acostumado a lutar por sua sobrevivência contra as
sim diferentes, com processos históricos também hostilidades da vida (como a pobreza), valorizando o
diversos, os quais proporcionaram organizações mérito das conquistas pessoais pelo trabalho duro,
sociais com determinadas peculiaridades. Dessa por outro lado este mesmo homem seria conhecido
forma, podemos pensar na seguinte questão: o que pelo seu “jeitinho brasileiro”, o qual encurta distâncias,
caracteriza a cultura brasileira? Certamente, ela possui aproxima diferenças, reúne o público e o privado.
suas particularidades quando comparada ao restante
do mundo, principalmente quando nos debruçamos Ainda hoje há quem possa acreditar que nossa
sobre um passado marcado pela miscigenação racial mistura étnica tenha promovido uma democracia
entre índios, europeus e africanos. racial ao longo dos séculos, com maior liberdade,
respeito e harmonia entre as pessoas de origens,
A cultura brasileira em sua essência seria etnias e cores diferentes. Contudo, essa visão
composta por uma diversidade cultural, fruto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


74

pode esconder algumas armadilhas. Nas ciências possuir uma visão histórica da produção do espaço
sociais brasileiras não são poucos os autores que já geográfico nos diversos modos de produção e fazer
apontaram a questão da falsidade dessa democracia uma pequena incursão no contexto mundial à época
racial, apontando para a existência de um racismo da conquista do território brasileiro. Isso permitirá
velado, implícito, muitas vezes, nas relações sociais. estabelecer comparações e esclarecer algumas
Dessa forma, o discurso da diversidade (em todos particularidades atuais das realidades regionais do
os seus aspectos, como em relação à cultura), do país.
convívio harmônico e da tolerância entre brancos e
negros, pobres e ricos, acaba por encobrir ou sufocar Espaços geográficos produzidos no decorrer
a realidade da desigualdade, tanto do ponto de vista da história, ou seja, nos diversos modos de produção,
racial como de classe social. Ainda hoje, mesmo com com exceção do comunista primitivo, sempre
leis claras contra atos racistas, é possível afirmarmos mostraram que sua produção, sua organização, sua
a existência do preconceito de raça na sociedade apropriação e seu usufruto foram determinados pelas
brasileira, no transporte coletivo, na escola, até no relações de poder (político, econômico, religioso e
ambiente de trabalho. Isso não significa que vivamos militar) existentes entre os grupos sociais das diversas
numa sociedade racista e preconceituosa em sua sociedades humanas, como também pelas condições
essência, mas sim que esta carrega ainda muito de técnicas como que cada uma aconteceu em cada
um juízo de valor dos tempos do Brasil colonial, de época.
forte preconceito e discriminação. Além disso, se a
diversidade cultural não apagou os preconceitos O novo modo de produção - o capitalismo-,
raciais, também não diminuiu outro ainda muito levado pelo europeu para os vários cantos do
presente, dado pela situação econômica-social do mundo, com sua política colonialista, teve um papel
indivíduo. decisivo no processo de produção e organização
dos espaços geográficos mundiais. Os espaços
É preciso considerar que a escravidão trouxe geográficos africanos, asiáticos e americanos foram
consequências gravíssimas de ordem econômica para profundamente modificados, tanto o meio físico
a formação da sociedade brasileira, uma vez que os natural como as parcelas dos territórios ocupados por
negros (pobres e marginalizados em sua maioria) até populações nativas sofreram grande intervenção dos
hoje não possuem as mesmas oportunidades, criando- contingentes europeus, que reestruturaram segundo
se uma enorme distância entre as estratificações seus interesses, sobretudo de ordem econômica, e as
sociais. Como sugere o antropólogo Darcy Ribeiro, interpretaram de acordo com sua organização social,
mais do que preconceitos de raça ou de cor, têm os política e valores próprios (normas, religião, costumes
brasileiros um forte preconceito de classe social. etc), também sofreram grandes modificações.

Dessa forma, o Brasil da diversidade é, ao Houve uma imposição, muitas vezes à força,
mesmo tempo, o país da desigualdade. Por isso tudo do novo modo de produção, com implicações na
é importante que, ao iniciarmos uma leitura sobre a dinâmica e na estrutura dos espaços geográficos e nas
cultura brasileira, possamos ter um senso crítico mais paisagens naturais. Por exemplo, antes da chegada do
aguçado, tentando compreender o processo histórico europeu e do capitalismo, a terra era vista como fonte
da formação social do Brasil e seus desdobramentos de vida pela grande variedade de povos que ocupavam
no presente para além das versões oficiais da história. as terras no Novo Mundo. Ela cumpria funções sociais
de produzir alimentos e de fornecer matérias-primas
O Brasil é um país autônomo e independente para atender às necessidades de sobrevivência e
politicamente, possui um território dividido em estados, culturais das comunidades ou sociedades que nela
que nesse caso são vinte seis, além do distrito federal viviam. Mas, com a expansão comercial e o novo modo
que representa uma unidade da federação que foi de produção, a terra passou a ser vista como fonte
instituída com intuito de abrigar a capital do Brasil e de lucro. Teria de produzir artigos que atendessem
também a sede do Governo Federal. às necessidades do comércio entre as metrópoles
ou entre a Europa e as colônias e Feitorias*. Assim o
Para entender as características fundamentais sistema produtivo das sociedades africanas, asiáticas
da organização espacial do Brasil processada ao longo e americanas, que estava organizado para atender as
de séculos de colonização portuguesa, é importante suas necessidades, foi largamente desestruturado.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


75

Foi esse o caso, por exemplo, da desarticulação Reinado as preocupações eram voltadas apenas
ou destruição da agricultura de subsistência e sua para as obras de arte e históricas, e na República se
substituição pela agricultura comercial de exportação percebia um quadro de abandono geral e ausência de
(cana-de-açúcar, amendoim, algodão e, em tempos preocupação por parte dos governantes, para com a
mais recentes, café, soja, laranja, etc). proteção de bens culturais arquitetônicos. O que se
percebia na época, eram atitudes pontuais, de um ou
O mesmo ocorreu em relação ao artesanato. outro em particular, algum colecionador ou intelectual,
Sua produção estava organizada para supriras que solicitava a defesa de monumentos arquitetônicos,
necessidades de uso das comunidades ou sociedades como é o caso de Augusto de Lima, em Minas Gerais
nativas dos territórios invadidos pelos europeus. O e Gustavo Barroso no Rio de Janeiro.
colonialismo e o mercantilismo forçaram a introdução
da manufatura europeia nesses territórios, o que Na década de 20, nota-se uma preocupação
originou uma dependência tecnológica de muitos maior com a valorização do patrimônio brasileiro
deles em relação aos estados nacionais europeus. principalmente oriundo do movimento cultural
Esse fato, junto com outras diversas imposições intitulado “Semana de 22” , com destaque para
político-econômicas, ajuda a explicar o pequeno Mário de Andrade e Lúcio Costa, que viriam a exercer
desenvolvimento industrial dos países colonizados. papel determinante na criação e funcionamento da
Tudo isso, ao lado do processo cultural de agência nacional de proteção. Em 1923, o deputado
europeização do mundo, teve um peso muito grande Luiz Cedro apresenta um projeto de lei destinado a
na produção dos espaços geográficos mundiais, salvar nosso patrimônio, sugerindo a criação de uma
incluindo o brasileiro. inspetoria dos monumentos históricos. O jurista Jair
Lins, em 1925, a pedido do governador mineiro Mello
Vianna, tratou de defender os bens representativos
NOÇÕES SOBRE HISTÓRIA E
do nosso passado, onde bens móveis ou imóveis, de
INSTITUICIONALIZAÇÃO DO PATRIMÔNIO
ordem histórica ou artística deveriam ser conservados
CULTURAL NO BRASIL E NO MUNDO
para a coletividade. No final da década, o deputado
A Revolução Francesa em 1792 pode ser Wanderley Pinho apresenta um projeto relativo à
considerada o momento histórico que deu origem proteção do patrimônio nacional cultural, que incluía
as primeiras discussões acerca da preservação do bens preserváveis como forros, portas, janelas,
patrimônio nacional. Para consolidação de uma nação azulejos, etc. que pudessem ser retirados de uma
recém-formada, a necessidade de criação de uma edificação para outra, o que ocorria com frequência
identidade impulsiona a instituição de símbolos, que naquele tempo. Importante ressaltar que estes anseios
possibilitem aos indivíduos partilharem de elementos fragmentados pela preservação nacional, eram quase
nacionais comuns e assegurar o sentimento de na sua totalidade voltados para o patrimônio de pedra
pertencimento. e cal.

Por ser uma instituição de representação No entanto, a década de 30 propiciou uma


por natureza, os museus serviram como principais regulamentação de caráter oficial no que diz respeito à
artifícios de homologação cultural/identitária, preservação do patrimônio nacional. Em 1933, a cidade
sobretudo de uma maneira pedagógica, ressaltando o de Ouro Preto é tombada como Monumento Nacional,
discurso oficial de uniformidade cultural, que cada vez colocando o Brasil em um cenário preservacionista.
mais aparecia no Ocidente. Nessas instituições, os A Constituição de 1934, a primeira a ser promulgada
elementos locais e regionais desapareciam em nome no Governo Vargas, trouxe dispositivos de proteção
de um discurso nacional, construindo arbitrariamente às belezas naturais, patrimônio histórico e cultural
a imagem de uma nação homogênea e coesa. Na e competência da União em matéria de riquezas do
França, o discurso do patrimônio, seus valores e subsolo, mineração, águas, florestas, caça, pesca e
importância de sua preservação se consolidaram sua exploração. Esse artigo colocou o patrimônio sob
no âmbito de um contexto de destruição dos bens a proteção legal do Estado.
culturais móveis e imóveis após a Revolução.
Em 1936, o recém criado Ministério da
No Brasil, a questão preservacionista é Educação e Saúde Pública, sob o comando de Gustavo
relativamente recente, tendo em vista que no Segundo Capanema, solicita a Mário de Andrade, por indicação

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


76

de Carlos Drummond de Andrade, um anteprojeto Inconfidência, em Ouro Preto (1938) e o Museu de


de lei que regulamentasse o preceito constitucional, São Miguel das Missões no Rio Grande do Sul (1940).
voltado para a organização de um serviço de proteção
ao patrimônio artístico nacional. O projeto propunha a Essas ações procuravam reafirmar o discurso
criação do Serviço do Patrimônio Artístico Nacional - nacional de uniformidade, ressaltando o passado
SPAN. histórico brasileiro, com os preceitos de civilização,
glorificando personagens históricos, fatos memoráveis
De acordo com seu anteprojeto, ele definiu o e heróis nacionais, com o objetivo de educar a
patrimônio artístico nacional como: Entende-se por população. Além desses preceitos explanados
patrimônio artístico nacional, todas as obras de arte acima, a eleição de elementos que foram percebidos
pura ou de arte aplicada, popular ou erudita, nacional como autenticamente brasileiros – podemos citar o
ou estrangeira, pertencentes aos poderes públicos, barroco mineiro como expressão cultural tipicamente
a organismos sociais e a particulares, estrangeiros, brasileira, de “estilo puro” -, também foi de suma
residentes no Brasil. (cap. II - Anteprojeto do SPAN) importância para a validação do discurso em questão.

A instituição de um novo jogo político gerado pelo Na prática dos tombamentos, o SPHAN
golpe de Estado de 1937 estimula a industrialização privilegiou inicialmente os bens imóveis dos séc. XVI,
e a modernização do país. Nessa nova conjuntura é XVII e XVIII, predominantemente da arquitetura colonial
criado o Serviço de Patrimônio Histórico e Artístico e religiosa, sobretudo nos estados do Rio de Janeiro,
Nacional - SPHAN, com o objetivo de proteger os Minas Gerais e Bahia. Posteriormente os imóveis de
bens nacionais no sentido de evitar sua perda, já que estilo neoclássico, a exemplo da Igreja da Pampulha,
tratamos aqui, de um contexto de destruição devido à em Belo Horizonte em 1947 também identificados
industrialização desenfreada da época. como merecedores de proteção e preservação.

O Serviço de Patrimônio Histórico e Artístico Desde a sua criação, a instituição teve seu
Nacional - SPHAN - institucionalizado em 30 de nome alterado diversas vezes de acordo com o
Novembro de 1937 definia patrimônio histórico e entendimento dos tecnocratas de plantão em cada
artístico nacional como: O conjunto dos bens móveis governo, mostrando assim, a influência da cultural
e imóveis existentes no país e cuja conservação personalista presente no poder. Primeiramente o
seja de interesse público, quer por sua vinculação SPHAN passou ser o Departamento do Patrimônio
a fatos memoráveis da história do Brasil, quer por Histórico e Artístico Nacional (DPHAN) em 1946;
seu excepcional valor arqueológico ou etnográfico, depois transformado em Instituto do Patrimônio
bibliográfico ou arquivístico. (Art. 1º Decreto-lei, nº Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 1970; sendo
25). posteriormente dividido em SPHAN (secretaria), na
condição de órgão normativo, e na Fundação Nacional
O órgão foi dirigido por Rodrigo de Melo Franco Pró Memória (FNPM), como órgão executivo, em
de Andrade, que manteve seu cargo por 30 anos. 1979. Em 1990, o SPHAN e o FNPM foram extintos,
Ao assumir a diretoria contou com a colaboração para a criação do Instituto Brasileiro do Patrimônio
de intelectuais, arquitetos, historiadores, juristas, Cultural (IBPC), e finalmente, em 06 de Dezembro de
literatos e etc., preocupados com os assuntos acerca 1994, através da medida provisória nº752, o IBPC
do patrimônio, como, Mário de Andrade, Lúcio Costa, se transforma em Instituto do Patrimônio Histórico e
Gilberto Freyre, Carlos Drummond de Andrade, Artístico Nacional.
Vinícius de Moraes, Afonso Arinos de Melo Franco,
Oscar Niemeyer, entre outros. Particularmente, a descontinuidade das
políticas culturais envolvendo o órgão refletiu
O órgão teve sua atuação voltada para o negativamente junto à sociedade, aos órgãos
tombamento de bens edificados de valor religioso, civil, internacionais de preservação mas, principalmente,
oficial e militar, abraçando um patrimônio monumental trouxeram prejuízos ao patrimônio nacional. Tais
apoiado na excepcionalidade e na projeção nacional prejuízos envolveram ausência de investimento
do que seria memorável. As primeiras ações do financeiro, acarretando abandono de obras e
SPHAN envolveram a criação do Museu Nacional de restaurações já iniciadas, redução do corpo técnico
Belas Artes, no Rio de Janeiro (1937), o Museu da da própria instituição e desmotivação do mesmo,

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


77

além da descontinuidade das diretrizes políticas, diversidade, tanto no âmbito cultural, quanto natural,
e principalmente da instituição em momentos ou biológico, no sentido de preservar as culturas
importantes para assegurar a proteção dos bens diversas enquanto expressões da unidade da vida
culturais. humana.

Em 1994, ocorreu a última mudança para PATRIMÔNIO MATERIAL x PATRIMÔNIO


resgatar não só o nome da instituição, mas também IMATERIAL
as raízes do patrimônio histórico e artístico nacional,
O patrimônio material protegido pelo Iphan é
propostas por Mário de Andrade e outros idealizadores.
composto por um conjunto de bens culturais
No contexto do governo Collor, o Brasil sofreu perdas
classificados segundo sua natureza, conforme os
significativas no que diz respeito às instituições
quatro Livros do Tombo: arqueológico, paisagístico
culturais de uma maneira geral, como fechamento
e etnográfico; histórico; belas artes; e das artes
de museus, casas de cultura, delegacias regionais,
aplicadas. A Constituição Federal de 1988, em seus
escritórios técnicos e demissões de profissionais
artigos 215 e 216, ampliou a noção de patrimônio
especializados na área patrimonial. As ações
cultural ao reconhecer a existência de bens culturais
ocorridas nesse governo impulsionaram a mobilização
de natureza material e imaterial e, também, ao
de segmentos da sociedade, comprometidos com
estabelecer outras formas de preservação - como
a história, com a cultura e com a preservação do
o Registro e o Inventário - além do Tombamento,
patrimônio histórico nacional.
instituído pelo Decreto-Lei nº. 25, de 30 de novembro
de 1937, que é adequado, principalmente, à proteção
Atualmente, o IPHAN tem por entendimento
de edificações, paisagens e conjuntos históricos
que o patrimônio cultural não se restringe apenas
urbanos.
a imóveis oficiais isolados, igrejas ou palácios, mas
na sua concepção contemporânea se estende a
Os bens tombados de natureza material
imóveis particulares, trechos urbanos e até ambientes
podem ser imóveis como os cidades históricas, sítios
naturais de importância paisagística, passando por
arqueológicos e paisagísticos e bens individuais;
imagens, mobiliário, utensílios e outros bens móveis.
ou móveis, como coleções arqueológicas, acervos
Por este motivo é possível realizar uma das mais
museológicos, documentais, bibliográficos,
importantes distinções que se pode fazer com relação
arquivísticos, videográficos, fotográficos e
ao Patrimônio Cultural, pois sendo ele diferente das
cinematográficos.
outras modalidades da cultura restritas apenas ao
mercado cultural, apresenta interfaces significativas
Os bens culturais de natureza imaterial dizem
com outros importantes segmentos da economia
respeito àquelas práticas e domínios da vida social que
como a construção civil e o turismo, ampliando
se manifestam em saberes, ofícios e modos de fazer;
exponencialmente o potencial de investimentos. (SITE
celebrações; formas de expressão cênicas, plásticas,
OFICIAL IPHAN).
musicais ou lúdicas; e nos lugares (como mercados,
feiras e santuários que abrigam práticas culturais
Dentro desse novo contexto, a instituição
coletivas). A Constituição Federal de 1988, em seus
valida o patrimônio imaterial. Retomando o
artigos 215 e 216, ampliou a noção de patrimônio
anteprojeto visionário proposto por Mário de Andrade
cultural ao reconhecer a existência de bens culturais
em 1936, o IPHAN, somente em 2000, institui o
de natureza material e imaterial.
Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial,
através do Decreto Federal nº 3551, impulsionado
Art. 215. O Estado garantirá a todos o pleno
por experiências veiculadas ao modelo patrimonial
exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da
japonês, voltado para a preservação do “saber fazer”.
cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização
O IPHAN encontra-se atualmente desafiado a não só
e a difusão das manifestações culturais.
representar, mas como também fomentar, promover
a diversidade cultural de nosso país, considerando a
§ 1º O Estado protegerá as manifestações das culturas
transformação antropológica da palavra cultura. Se
populares, indígenas e afro-brasileiras, e das de outros
anteriormente, o patrimônio estava comprometido
grupos participantes do processo civilizatório nacional.
com a ideia de nação, no sentido tradicional de
preservação do passado, hoje, a palavra de ordem é
§ 2º A lei disporá sobre a fixação de datas

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


78

comemorativas de alta significação para os diferentes do Iphan, no texto do Decreto-Lei nº 25, de 1937.
segmentos étnicos nacionais. Reconhecidos como parte integrante do Patrimônio
Cultural Brasileiro pela Constituição Federal de 1988,
§ 3º A lei estabelecerá o Plano Nacional de Cultura, em seu artigo 216, os bens de natureza material de
de duração plurianual, visando ao desenvolvimento valor arqueológico são definidos e protegidos pela Lei
cultural do País e à integração das ações do poder nº 3.924, de 26 de julho de 1961, sendo considerados
público que conduzem à: bens patrimoniais da União.

I - defesa e valorização do patrimônio cultural Também são considerados sítios arqueológicos


brasileiro; os locais onde se encontram vestígios positivos
II - produção, promoção e difusão de bens culturais; de ocupação humana, os sítios identificados como
III - formação de pessoal qualificado para a gestão da cemitérios, sepulturas ou locais de pouso prolongado
cultura em suas múltiplas dimensões; ou de aldeamento, “estações” e “cerâmicos”, as
IV - democratização do acesso aos bens de cultura; grutas, lapas e abrigos sob rocha. além das inscrições
V - valorização da diversidade étnica e regional. rupestres ou locais com sulcos de polimento, os
sambaquis e outros vestígios de atividade humana.
Art. 216. Constituem patrimônio cultural brasileiro São passíveis de processo judicial por danos ao
os bens de natureza material e imaterial, tomados patrimônio da União e omissão, por exemplo, os
individualmente ou em conjunto, portadores de proprietários de terras que encontrarem qualquer
referência à identidade, à ação, à memória dos achado arqueológico e não comunicarem ao Iphan no
diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, prazo de 60 dias.
nos quais se incluem:
Todos os sítios arqueológicos têm proteção
I - as formas de expressão; legal e quando são reconhecidos devem ser
II - os modos de criar, fazer e viver; cadastrados no Cadastro Nacional de Sítios
III - as criações científicas, artísticas e tecnológicas; Arqueológicos (CNSA). Com a criação do Centro
IV - as obras, objetos, documentos, edificações Nacional de Arqueologia (CNA) o Iphan atendeu à
e demais espaços destinados às manifestações necessidade de fortalecimento institucional da gestão
artístico-culturais; desse patrimônio, normatizada pelo Decreto nº 6.844,
V - os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, de 07 de maio de 2009. Cabe ao CNA, a elaboração
paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, de políticas e estratégias para a gestão do patrimônio
ecológico e científico. arqueológico, a modernização dos instrumentos
normativos e de acompanhamento das pesquisas
Nesses artigos da Constituição, reconhece-se arqueológicas que, em duas décadas, aumentaram
a inclusão, no patrimônio a ser preservado pelo Estado de cinco para quase mil ações por ano.
em parceria com a sociedade, dos bens culturais que
sejam referências dos diferentes grupos formadores Entre as principais atividades do Centro estão
da sociedade brasileira. O patrimônio imaterial é o desenvolvimento de ações de acautelamento
transmitido de geração a geração, constantemente (tombamento e proposição de medidas diversas para
recriado pelas comunidades e grupos em função de a proteção e valorização do patrimônio arqueológico),
seu ambiente, de sua interação com a natureza e de a autorização e a permissão para realização,
sua história, gerando um sentimento de identidade e acompanhamento e fiscalização de pesquisas
continuidade, contribuindo para promover o respeito arqueológicas; e a implementação de diversas
à diversidade cultural e à criatividade humana. ações de socialização do patrimônio arqueológico.
O instrumento central para orientação dessas ações
PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO é o Plano Diretor Estratégico, que deve estabelecer
a política nacional para o patrimônio arqueológico
O Brasil possui mais de 26 mil sítios
quanto à identificação, pesquisa, proteção, promoção
arqueológicos cadastrados e reconhece a importância
e socialização, incluindo um modelo institucional de
desses bens como representantes dos grupos
gestão e um programa de tombamento de bens de
humanos responsáveis pela formação da identidade
natureza arqueológica, dentre outras ações.
cultural da sociedade brasileira. A proteção dos bens de
natureza arqueológica está presente, desde a criação

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


79

QUESTÕES CORRELATAS QUESTÕES CORRELATAS


(COMENTADA)
• Comentário apenas em incorretas • (MPU - Analista de Geografia / Perito CESPE-2010)
O que importa ao olhar antropológico não é apenas
o reconhecimento e o registro da diversidade
Julgue o próximo item, relativo a patrimônio
cultural, nesse e em outros domínios das práticas
cultural material e imaterial.
culturais, e sim a busca do significado de tais
comportamentos: são experiências humanas — de
A definição de patrimônio cultural imaterial adotada
sociabilidade, de trabalho, de entretenimento, de
no Brasil não contempla os espaços socialmente
religiosidade — e que só aparecem como exóticas,
significativos como praças, mercados e feiras.
estranhas ou até mesmo perigosas quando
seu significado é desconhecido. O processo de
Gabarito: Item Errado
acercamento e descoberta desse significado pode
ser trabalhoso, mas o resultado é enriquecedor,
Comentário: Os bens culturais de natureza imaterial
permite conhecer e participar de uma experiência
dizem respeito àquelas práticas e domínios da vida
nova, compartilhando-a com aqueles que a vivem
social que se manifestam em saberes, ofícios e modos
como se fosse “natural”, posto que se trata de sua
de fazer; celebrações; formas de expressão cênicas,
cultura.
plásticas, musicais ou lúdicas; e nos lugares (como
mercados, feiras e santuários que abrigam práticas J. G. C. Magnani. Quando o campo é a cidade: fazendo
culturais coletivas). antropologia na metrópole. 1996 (com adaptações).

Com base no texto acima, julgue os itens a seguir.

01. Em virtude da procedência de seus habitantes,


da riqueza de suas tradições culturais, da variedade
de seus modos de vida, e da infinita possibilidade de
trocas e contatos que propicia, a maioria das grandes
cidades brasileiras constitui um espaço privilegiado
para as diversas experiências humanas citadas no
texto.
Item Correto

02. Algumas formas de sociabilidade e de cultura de


grupos jovens são denominadas tribos urbanas. São
exemplos de tribos urbanas os grunges, os carecas e
os rappers.
Item Correto

Muitas formas de organização podem ser


produtos de uma cultura nacional, da mesma
forma que uma língua pode produzir muitíssimos
textos. Entretanto, o organizador não pode ignorar
as propriedades da cultura se pretende que os
resultados de sua organização sejam conformes
às suas expectativas, da mesma forma que o
escritor que deseja ser compreendido não pode
ignorar as propriedades da língua.

Fernando C. Prestes Motta. Cultura nacional e


internacional. In: Eduardo Davel e João
Vasconcellos (Orgs.). Recursos humanos e subjetividade.
Petrópolis, RJ, Ed. Vozes, 1995.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


80

A partir do texto acima e acerca de cultura brasileira uma valorização fragmentária de suas  variantes
e multiculturalismo, julgue os itens seguintes. estéticas, conformando uma controversa ideologia
espacial de sentido identitário à nação. Progresso,
03. A cultura brasileira possui lógica própria, isto é, modernização e integração territorial emergem
a coerência de um hábito cultural brasileiro somente como palavras de ordem no elo entre a nação
pode ser compreendida a partir da análise do sistema imaginada, no Brasil Imperial, e a nação tal como
em que ele está inserido. se concretiza, ao longo do século XX, apesar do
Item Correto discurso e das ações em resgate à cultura síntese
de brasilidade.
04. São características marcantes da cultura brasileira Everaldo B. da Costa & Júlio C. Suzuki. A ideologia
nas organizações o personalismo, que se caracteriza espacial constitutiva do Estado Nacional brasileiro
por uma sociedade baseada em relações pessoais e
pela busca da proximidade e afeto nas relações, e o Com relação aos assuntos abordados no texto
paternalismo, caracterizado como o domínio moral e acima, julgue os itens seguintes.
econômico.
Item Correto 07. Na década de 30 do século XX, a região do litoral
brasileiro e não a hinterlândia foi vista como celeiro da
cultura e da identidade nacionais, pois guardou uma
O que constitui a nação é a transmissão, entre as identidade que se forja pelo território concreto, pelas
gerações, de uma herança coletiva inalienável. A lembranças materiais de um passado marcado pela
criação das identidades nacionais consistirá em complexização espacial da orla atlântica.
inventariar esse patrimônio comum, isto é, de fato, Item Errado
em inventá-lo.
Anne-Marie Thiesse. Ficções criadoras: as identidades nacionais.
Anos 90, v. 9, n.º 15, nov./2008. Internet: <www.seer.ufrgs.br> Considerando o disposto na legislação brasileira
(com adaptações). sobre preservação de bens culturais, julgue o item
subsecutivo.
Tendo o fragmento de texto precedente como
referência inicial, julgue o item subsequente. 08. A Constituição Federal de 1988 prevê garantias de
proteção às manifestações culturais populares, afro-
05. A identidade do sertanejo, caracterizada por brasileiras e indígenas, atribuindo ao Estado o dever
uma cultura específica e distinta da degenerada pelo de garantir o pleno exercício dos direitos culturais e o
cosmopolitismo, foi projetada, em grandes obras acesso às fontes da cultura nacional.
regionalistas da literatura brasileira - por exemplo, Os Item Correto
Sertões, de Euclides da Cunha - como uma possível
identidade nacional em formação. 09. Segundo a Convenção para a Salvaguarda
‘ do Patrimônio Cultural Imaterial, consideram-se
patrimônio cultural imaterial as tradições e expressões
Relativamente ao processo de ocupação inicial do orais, incluindo-se a língua como vetor do patrimônio
território brasileiro e a questão indígena por ele cultural imaterial.
suscitada, julgue o item que se segue. Item Correto

06. Diferentemente do ocorrido nas demais regiões 10. A Convenção para a Proteção do Patrimônio
americanas, os povos indígenas que viviam no Brasil Mundial, Cultural e Natural considera monumentos
apresentavam impressionante homogeneidade naturais somente as formações geológicas.
cultural. Item Errado
Item Errado Comentário: Artigo 2º Para fins da presente
Comentário: Os povos indígenas brasileiros são Convenção serão considerados como patrimônio
extremamente heterogêneos. natural: Os monumentos naturais constituídos por
formações físicas e biológicas ou por grupos de
tais formações com valor universal excepcional
No debate sobre a construção do Estado do ponto de vista estético ou científico.
nacional brasileiro, partimos do pressuposto de
que esse processo consolidou-se no cerne de

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


81

CAPÍTULO 11 Houve uma imposição, muitas vezes à força,


do novo modo de produção, com implicações na
dinâmica e na estrutura dos espaços geográficos e nas
GEOPOLÍTICA DO TERRITÓRIO paisagens naturais. Por exemplo, antes da chegada do
BRASILEIRO europeu e do capitalismo, a terra era vista como fonte
------------------------------------------------------------- de vida pela grande variedade de povos que ocupavam
as terras no Novo Mundo. Ela cumpria funções sociais
A INTEGRAÇÃO DO BRASIL AO de produzir alimentos e de fornecer matérias-primas
PROCESSO DE INTERNACIONALIZAÇÃO para atender às necessidades de sobrevivência e
DA ECONOMIA culturais das comunidades ou sociedades que nela
viviam. Mas, com a expansão comercial e o novo modo
O Brasil é um país autônomo e independente de produção, a terra passou a ser vista como fonte
politicamente, possui um território dividido em estados, de lucro. Teria de produzir artigos que atendessem
que nesse caso são vinte seis, além do distrito federal às necessidades do comércio entre as metrópoles
que representa uma unidade da federação que foi ou entre a Europa e as colônias e Feitorias*. Assim o
instituída com intuito de abrigar a capital do Brasil e sistema produtivo das sociedades africanas, asiáticas
também a sede do Governo Federal. e americanas, que estava organizado para atender as
suas necessidades, foi largamente desestruturado.
Para entender as características fundamentais Foi esse o caso, por exemplo, da desarticulação
da organização espacial do Brasil processada ao longo ou destruição da agricultura de subsistência e sua
de séculos de colonização portuguesa, é importante substituição pela agricultura comercial de exportação
possuir uma visão histórica da produção do espaço (cana-de-açúcar, amendoim, algodão e, em tempos
geográfico nos diversos modos de produção e fazer mais recentes, café, soja, laranja, etc).
uma pequena incursão no contexto mundial à época
da conquista do território brasileiro. Isso permitirá O mesmo ocorreu em relação ao artesanato.
estabelecer comparações e esclarecer algumas Sua produção estava organizada para supriras
particularidades atuais das realidades regionais do necessidades de uso das comunidades ou sociedades
país. nativas dos territórios invadidos pelos europeus. O
colonialismo e o mercantilismo forçaram a introdução
Espaços geográficos produzidos no decorrer da manufatura europeia nesses territórios, o que
da história, ou seja, nos diversos modos de produção, originou uma dependência tecnológica de muitos
com exceção do comunista primitivo, sempre deles em relação aos estados nacionais europeus.
mostraram que sua produção, sua organização, sua Esse fato, junto com outras diversas imposições
apropriação e seu usufruto foram determinados pelas político-econômicas, ajuda a explicar o pequeno
relações de poder (político, econômico, religioso e desenvolvimento industrial dos países colonizados.
militar) existentes entre os grupos sociais das diversas Tudo isso, ao lado do processo cultural de
sociedades humanas, como também pelas condições europeização do mundo, teve um peso muito grande
técnicas como que cada uma aconteceu em cada na produção dos espaços geográficos mundiais,
época. incluindo o brasileiro.

O novo modo de produção - o capitalismo-, Após a primeira revolução industrial, a partir


levado pelo europeu para os vários cantos do da metade do século XVIII, quando então se instaura
mundo, com sua política colonialista, teve um papel o capitalismo industrial, acentua-se o processo
decisivo no processo de produção e organização de produção do espaço geográfico, segundo os
dos espaços geográficos mundiais. Os espaços interesses de alguns, e não de todos, com a imposição
geográficos africanos, asiáticos e americanos foram do grande capital, representado pelas corporações
profundamente modificados, tanto o meio físico financeiras, industriais e comerciais que surgem nesse
natural como as parcelas dos territórios ocupados por período.
populações nativas sofreram grande intervenção dos
contingentes europeus, que reestruturaram segundo
seus interesses, sobretudo de ordem econômica, e as
interpretaram de acordo com sua organização social,
política e valores próprios (normas, religião, costumes
etc), também sofreram grandes modificações.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


82

É nesse contexto histórico que se moldou pela metrópole ou pelo próprio capitalismo comercial:
o território brasileiro. A valorização (econômica) e à metrópole cabia a produção e a venda de
organização de suas áreas foram realizadas segundo manufaturados para as colônias e feitorias, e a estas
o modo e ser europeu, mais especificamente segundo cabia o fornecimento de produtos primários para as
o projeto colonizador de Portugal, essencialmente metrópoles.
mercantilista, politicamente centralizado e predador
das riquezas naturais O Brasil-Colônia, ao ser incorporado pelo
império Português, teve sua dinâmica econômica,
Considerado que o poder político do estado política e social e, portanto, também seus espaços
sempre foi ocupado pelas classes dominantes, isto é, geográficos estruturados dentro dos moldes das
pelos detentores dos poderes dos poderes econômico, necessidades e interesses de exploração de Portugal.
militar e religioso, a gestão ou a administração do Organizou-se assim, uma economia colonial, cujos
espaço geográfico, sua produção, organização e principais traços podem ser assim considerados:
apropriação se fizerem segundo os interesses delas,
e não segundo os das classes dominadas. O Brasil, • Produção apoiada nas relações servis ou escra-
portanto, não foi exceção. vistas de trabalho que se caracterizavam pela in-
tensa exploração da força de trabalho;
Manuel Correia Andrade, geógrafo pernambucano, • Produção e exportação de produtos primários
coloca a questão da seguinte forma: (produtos alimentares, matérias-primas, especia-
rias etc) e importação de manufaturados;
“[...] No processo de produção de um espaço para
alguns e não para todos, a sociedade, calcada no • A função da economia colonial era a de comple-
poder político do estado, organiza o território visando mentar a economia metropolitana;
utilizá-lo de determinadas formas e com determinados • Setor produtor de alimentos subordinado aos in-
fins”. teresses exportadores dos grandes proprietários
rurais;
INSERÇÃO DO BRASIL NO CAPITALISMO
• A economia da Colônia estava organizada de
NASCENTE E A PRODUÇÃO E SEUS ESPAÇOS
forma a atender as necessidades externas, e não
GEOGRÁFICOS.
as da sociedade local em formação;
Vimos que até o século XV o horizonte • Monopólio do comércio exercido pela burguesia
geográfico e comercial europeu restringiu-se ao Mar comercial metropolitana. Essa situação manteve-
mediterrâneo. A esse tempo, comércio já era a principal -se durante algum tempo, até aproximadamente
atividade econômica na Europa e as burguesias 1642, a partir de quando, em virtude dos vários
mercantis, em aliança com seus reis, substituíam os acordos assinados entre Portugal e Inglaterra, tal
senhores feudais em poder e riqueza. Era a passagem monopólio passou para os comerciantes ingle-
do modo de produção feudal, ou feudalismo, para o ses, o que representou perdas tanto para Portugal
capitalismo, ou modo de produção capitalista. como para o Brasil-Colônia;
A Apropriação do território e a colonização • Economia da colônia estruturada com base no
implantada no Brasil no século XVI pelos portugueses latifúndio e na monocultura.
introduziu a colonização de exploração, cujo objetivo
era explorar tudo o que a colônia pudesse oferecer Foi, portanto, a partir dos fatos transcorridos
para o desenvolvimento do nascente capitalismo durante o projeto colonial português aqui implantado
comercial europeu, particularmente o português, o por mais de três séculos que se processou a inserção
holandês e o inglês. do Brasil no nascente capitalismo europeu ou
capitalismo mercantil. Essa inserção, por sua vez,
A colônia era vista como uma grande empresa estabeleceu uma situação de dependência do Brasil
comercial , cuja função era a de fornecer produtos em relação aos centros de decisão do capitalismo
primários (pau-brasil, drogas do sertão*,madeiras de mundial. As práticas capitalistas, espalhando-se
lei, açúcar, tabaco, algodão, ouro e pedras preciosas, da Europa para o mundo, estruturaram um sistema
café etc), para a venda na Europa , tendo por base uma global, no qual a hegemonia coube aos “países
divisão internacional do trabalho (DIT), estabelecida centrais” e a dependência, aos espaços gegráficos

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


83

“periféricos” (colônias, feitorias etc), imersos estes QUESTÕES CORRELATAS


numa divisão internacional da produção desfavorável
a seu desenvolvimento.
(COMENTADA)
• Comentário apenas em incorretas •
É importante destacar que essa denominação
era vital para os estados europeus e suas burguesias, A fábrica global instala-se além de toda e qualquer
pois permitia-lhes consolidar o novo modo de produção fronteira, articulando capital, tecnologia, força de
(o capitalismo), dissipando, consequentemente, o trabalho, divisão do trabalho social e outras forças
poder dos senhores feudais. Compreende-se, dessa produtivas. Acompanhada pela publicidade, a
forma, que a própria formação e consolidação do mídia impressa e eletrônica, a indústria cultural,
capitalismo como sistema dependia dessa exploração misturadas em jornais, revistas, livros, programas
econômica, pois, como já destacamos, a economia de rádio, emissões de televisão, videoclipes,
colonial complementava a metropolitana, contribuindo fax, redes de computadores e outros meios de
decisivamente para desintegração do feudalismo. As comunicação, informação e fabulação, dissolve
colônias constituíam-se grandes fontes de riqueza ou fronteiras, agiliza os mercados, generaliza o
de acumulação primitiva de capital para os estados consumismo. Provoca a desterritorialização e
europeus e suas burguesias. O lucro obtido nas reterritorialização das coisas, gentes e ideias.
colônias era apropriado em sua quase totalidade pela Promove o redimensionamento de espaços e
burguesia metropolitana. tempos.

No processo de colonização do Brasil, Octavio Ianni. Teorias da Globalização. Rio de Janeiro:


Editora Civilização, 2002.
tais circunstâncias geraram um quadro em que os
territórios indígenas foram cedendo lugar para a
produção de um espaço geográfico colonial. Os Considerando o texto precedente e os múltiplos
espaços indígenas, antes tomados como fonte de aspectos a ele relacionados, julgue o item seguinte.
vida ou de recursos para subsistência ou a reprodução
da espécie e como mantenedores da identidade dos O processo de internacionalização da economia
grupos que os habitavam, transformaram-se em capitalista, que culminou na denominada globalização,
espaços geográficos organizados para produção é um fenômeno nascido no contexto do neoliberalismo
de valores de troca e subordinados ao exterior, que marcou o final do século XX.
ou seja, aos centros de decisão localizados na
Gabarito: Item Errado
Europa (Portugal, Inglaterra, Holanda e Espanha).
Isso, por sua vez, implicou a criação de espaços
Comentário: Apesar de não haver consenso entre
geográficos pouco ou nada articulados entre si,
os pesquisadores, muitos afirmam que podemos
produzidos e organizados segundo nódulos ”ilhas” ou
falar em globalziação desde o período das Grandes
“arquipélagos” econômicos. Desse modo, no Brasil
Navegações Comerciais. O termo “globalização” tem
colonial eles demonstravam a ausência de uma efetiva
estado em uso crescente desde meados da  década
integração espacial interna, muito embora estivessem
de 1980  e especialmente a partir de meados
profundamente integrados ou articulados como o
da  década de 1990.  Em 2000, o  Fundo Monetário
espaço metropolitano.
Internacional (FMI) identificou quatro aspectos básicos
da globalização:  comércio  e  transações financeiras,
movimentos de capital  e de  investimento,  migração
e movimento de pessoas e a disseminação
de conhecimento. Além disso, os desafios ambientais,
como a mudança climática, poluição do ar e excesso
de pesca do oceano, estão ligados à globalização.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


84

QUESTÕES CORRELATAS 04. Os fatores de expressivos resultados nas políticas


sociais e o crescimento da economia através do
BRASIL: POTÊNCIA OU COLÔNIA? fortalecimento do mercado interno têm levado a crer
que o Brasil está na categoria de potência.
Não há dúvidas de que, em alguns aspectos, a Item Correto
economia brasileira vai bem, com seu crescimento
puxado pelo forte consumo do mercado interno.
Também é preciso reconhecer que nos últimos Julgue o próximo item, relativo à industrialização
anos o país obteve resultados expressivos no que e à integração do Brasil ao processo de
diz respeito às políticas sociais, tendo tirado mais internacionalização da economia.
de 20 milhões de brasileiros do estado de miséria e
elevado mais de 30 milhões à classe média. Por outro 05. O Brasil, potência regional na economia do mundo,
lado, alguns indicadores ainda nos envergonham integra redes de produção e consumo em escala
e mostram que estamos muito distantes do global, principalmente nos setores de produção
mínimo necessário para nos considerarmos uma de soja, minério de ferro, óleos brutos de petróleo,
nação em desenvolvimento. Como exemplo, automóveis de passageiros e açúcar de cana bruto.
podemos citar um quesito fundamental à saúde, Item Correto
que é o saneamento ambiental, cujos indicadores
são alarmantes (...). Na educação, ciência e
tecnologia a situação não é diferente(...). No que No atual período histórico, caracterizado pela
se refere à Política Industrial, a situação também forte internacionalização do modo de produção
é extremamente preocupante, pois o atual modelo capitalista, importantes transformações de ordem
econômico nos empurra para uma primarização técnica, política e econômica têm promovido
da economia. O fato é que o Brasil está priorizando intensa reestruturação produtiva e regional do
a exportação de commodities em detrimento das Brasil e do mundo. A intensificação do poder das
exportações de bens de maior valor agregado(...). empresas transnacionais sobre o espaço mundial
é uma dessas manifestações.
NETO, Luiz Aubert. Revista Mercado Comum. Ano
XVIII – Ed. 218. p. 112, 113.Texto adaptado. Iná Elias de Castro. Política pública e conflito no espaço
urbano. In: GEOgraphia, ano 18, n. º 36, 2016 (com
Em relação ao texto acima e seu título, são adaptações).
apresentadas as seguintes afirmativas, julgue-as.
Considerando esse texto, julgue o item a seguir.
01. O Brasil mostra características de potência, devido
ao valor agregado dos seus produtos industrializados. 06. Um dos efeitos da internacionalização da economia
Item Errado brasileira é a perda de competitividade da indústria
Comentário: O país é um grande exportador de nacional, com a transferência de fábricas da região
commodities. concentrada do país para outros países da América
Latina e da Ásia. A desindustrialização do Brasil é
02. Alguns indicadores de extrema relevância, como comprovada por meio da queda da participação da
saúde, educação, política industrial ainda incluem o indústria e dos serviços no PIB nacional neste século.
país na classificação do subdesenvolvimento. Item Errado
Item Correto Comentário: O que torna o enunciado
incongurente é dizer que a participação dos
03. A exportação de commodities, em detrimento das serviços também diminuiu.
exportações de bens de maior valor, coloca o Brasil
na categoria de potência.
Item Errado
Comentário: De acordo com o texto o Brasil é um
grande produtor de commodities.

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


85

Julgue o próximo item, relativo à industrialização


e à integração do Brasil ao processo de
internacionalização da economia.

07. A reestruturação produtiva recente do território


brasileiro promoveu, entre outros resultados, a
desindustrialização da cidade de São Paulo e
região metropolitana e o deslocamento das plantas
industriais paulistanas para diversas regiões brasileiras
e mundiais, como o sul do Brasil, o litoral nordestino,
a China e países do MERCOSUL.
Item Errado
Comentário: A cidade de São Paulo e a Região
Metropolitana – que haviam se industrializado,
respectivamente entre os anos 1930-1950 e entre
os anos 1950-1970 – estão passando por um
processo de desconcentração industrial, e não de
desindustrialização. Neste contexto, o interior de
São Paulo, o Centro-Oeste (este principalmente
por conta do agronegócio) e o litoral nordestino
estão configurando-se como novos polos
industriais. Além disso, não é possível afirmar
que há deslocamento das plantas industriais
paulistanas para o Sul do Brasil. Por fim, e de
fato, empresas brasileiras estão, por exemplo,
migrando para o Paraguai (Mercosul) e para a
China, onde podem galgar maior competitividade.

08. Devido à participação da China na economia


mundial e ao fato de esse país ser o principal parceiro
comercial do Brasil na atualidade, uma redução do
crescimento chinês tende a significar menor potencial
de expansão da economia brasileira.
Item Correto

09. Desde as últimas décadas do século XX, o Brasil,


diante das novas exigências do comércio global, vem
mantendo ou criando estratégias econômicas com o
objetivo de aumentar sua participação na economia
mundial.
Item Correto

10.  A década de 90 do século XX será lembrada na


história da economia brasileira como o período em
que o Brasil entrou para a era da globalização, ao
mesmo tempo em que se desmontaram as bases do
modelo de substituição das importações, adotado
desde a última década do século XIX
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


86

CAPÍTULO 12
com a ONU, 2008 foi o ano em que a maioria das
pessoas do planeta passou a viver em áreas urbanas.

GEOPOLÍTICA DO TERRITÓRIO
AGLOMERAÇÕES URBANAS COM MAIS DE 10
BRASILEIRO MILHÕES DE HABITANTES (MEGACIDADES)
-------------------------------------------------------------
O SÉCULO XX: URBANIZAÇÃO DA
SOCIEDADE E CULTURA DE MASSAS

PLANETA FAVELA
“A Terra urbanizou-se ainda mais depressa do
que previra o Clube de Roma em seu relatório em
1972, Limits os Grownth [Limites do Crescimento],
sabidamente malthusiano. Em 1950, havia 86
cidades no mundo com mais de 1 milhão de
habitantes; hoje são 400, e em 2015 serão pelo
menos 550. Com efeito, as cidades absorveram
quase dois terços da explosão populacional global
desde 1950 e hoje o crescimento é de 1 milhão de
bebês e migrantes por semana. A força de trabalho
urbana no mundo mais que dobrou desde 1980, e a
população urbana atual de 3,2 bilhões de pessoas é As cidades resultam de um processo de
maior do que a população total do mundo quando ocupação e organização do espaço com algumas
J.F.Kennedy tomou posse. Enquanto isso, o campo, características comuns. A cidade é a mais complexa
no mundo todo, chegou à sua população máxima forma de transformação do espaço geográfico
e encolherá a partir de 2020. Em consequência, as
realizada pelos seres humanos. Hoje, é praticamente
cidades serão responsáveis por quase 10 bilhões de
impossível imaginar a vida fora das cidades ou mesmo
habitantes, espera-se que aconteça em 2050.”
fugir da influência urbana. A urbanização, no entanto,
DAVIS, Mike. Planeta Favela. São Paulo: Boitempo, 2006. é um fato relativamente novo.

Pelos critérios da ONU, para ser considerada


CRESCIMENTO POPULACIONAL MUNDIAL cidade, uma aglomeração urbana deve contar com
mais de 20 mil habitantes. Contudo, esse critério
quantitativo varia de um país para outro e é muito
relativo. Na Islândia, uma aglomeração com apenas
300 habitantes já é classificada como cidade; na
Grécia são necessários 10 mil habitantes; no Brasil,
toda sede de município onde exista uma prefeitura,
uma Câmara de Vereadores e a Comarca do Poder
Judiciário são consideradas cidades, mesmo que
tenha poucos habitantes.

Fonte: ONU. Em 2008 pela primeira vez na história, o número


de habitantes vivendo em cidade superou o número de
O processo de urbanização ocorre quando, pessoas que vivem no campo. Um milhão de pessoas
num determinado momento histórico, a população a mais por semana. É esse o ritmo do crescimento das
residente nas cidades cresce num ritmo mais cidades do mundo. Em 1950, havia 86 cidades com
acelerado que o dá população total do país. Nesse
caso, a taxa de crescimento da população urbana é
maior que a da população rural. Atualmente, metade
da população mundial vive em cidades. De acordo

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


87

mais de 1 milhão de habitantes; atualmente há 400. Para os dois pensadores, a autonomia e poder
Naquele ano, Nova York era uma megacidade solitária crítico das obras artísticas derivariam de sua oposição
no planeta; hoje há 25, dois terços delas concentrados à sociedade. No entanto, o valor contestatório dessas
nos países em desenvolvimento. Foram necessários obras poderia não mais ser possível, já que provou ser
100 mil anos para que, a população urbana - cerca facilmente assimilável pelo mundo comercial. Adorno
de 3,4 bilhões - superasse a do campo. Mas em 2025 e Horkheimer afirmavam que a máquina capitalista de
o porcentual da população urbana já será de 61%, reprodução e distribuição da cultura estaria apagando
segundo projeções da Organização das Nações aos poucos tanto a arte erudita quanto a arte popular.
Unidas (ONU). Isso estaria acontecendo porque o valor crítico dessas
duas formas artísticas é neutralizado por não permitir
a participação intelectual dos seus espectadores.
POPULAÇÃO RURAL E URBANA
NO PLANETA (1950-2040) A indústria cultural impede a formação de
indivíduos autônomos, independentes, capazes de
julgar e de decidir conscientemente. Com as palavras
do próprio Adorno, podemos compreender o porque
das suas reflexões acerca desse tema.

A parte mais vistosa desse processo de


urbanização é a explosão das megacidades. Pela
definição da ONU, as megalópoles têm mais de 10
milhões de habitantes em seus limites geográficos
formais. E uma voracidade que cria manchas urbanas
que podem englobar dezenas de municípios. Nas
últimas décadas, a conurbação de São Paulo a Theodor Wiesengrund-Adorno, em parceria
Campinas, por exemplo, foi tão intensa que criou com outros filósofos contemporâneos, estão inseridos
a primeira macrometrópole do Hemisfério Sul, num trabalho muito árduo: pensar filosoficamente a
superando as previsões de que Lagos, na Nigéria, realidade vigente. A realidade em que vivia estava
chegaria antes. sofrendo várias transformações, principalmente, na
dimensão econômica. O Comércio tinha se fortalecido
após as revoluções industriais, ocorridas na Europa
INDÚSTRIA DE MASSAS E O PODER DA e, com isso, o Capitalismo havia se fortalecido
INDÚSTRIA CULTURAL definitivamente, principalmente, com as novas
descobertas cientificas e, consequentemente, com
O termo Indústria Cultural foi criado pelos o avanço tecnológico. O homem havia perdido a sua
filósofos e sociólogos alemães Theodor Adorno autonomia. Em consequência disso, a humanidade
(1903-1969) e Max Horkheimer (1895-1973), a fim de estava cada vez mais se tornando desumanizada.
designar a situação da arte na sociedade capitalista Em outras palavras, poderíamos dizer que o nosso
industrial. Membros da Escola de Frankfurt, os dois caro filósofo contemplava uma geração de homens
filósofos alemães empregaram o termo pela primeira doentes, talvez gravemente. O domínio da razão
vez no capítulo: O iluminismo como mistificação das humana, que no Iluminismo era como uma doutrina,
massas no ensaio Dialética do Esclarecimento, escrita passou a dar lugar para o domínio da razão técnica.
em 1942, mas publicada somente em 1947. Os valores humanos haviam sido deixados de lado em

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


88

troca do interesse econômico. O que passou a reger QUESTÕES CORRELATAS


a sociedade foi a lei do mercado, e com isso, quem (COMENTADA)
conseguisse acompanhar esse ritmo e essa ideologia
de vida, talvez, conseguiria sobreviver; aquele que
não conseguisse acompanhar esse ritmo e essa No que se refere à atividade industrial e à
ideologia de vida ficava a mercê dos dias e do tempo, urbanização brasileira, julgue o item subsecutivo.
isto é, seria jogado à margem da sociedade. Nessa
corrida pelo ter, nasce o individualismo, que, segundo O Sudeste tornou-se polo da industrialização brasileira
o nosso filósofo, é o fruto de toda essa Indústria devido à infraestrutura urbana e de transportes
Cultural. Segundo Adorno, na Indústria Cultural, tudo desenvolvida pela economia cafeeira.
se torna negócio.
Gabarito: Item Correto

Comentário: O desenvolvimento industrial na região


ocorreu principalmente a partir do século XX, após
o declínio do café. O café ocupou durante muito
tempo lugar de destaque nas exportações e essas
“seguravam” a economia brasileira. Na região sudeste
os estados produtores de café eram principalmente
São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. O declínio
do café, no final da década de 1920, foi provocado
pela crise de 29, por não oferecer grandes lucros
uma grande parcela de fazendeiros vendeu suas
propriedades. Com o recurso adquirido na venda
das fazendas investiram, entre outras, na indústria,
as primeiras se limitavam ao setor têxtil, alimentação,
bens de consumo, sabão e velas.

QUESTÕES CORRELATAS
• Comentário apenas em incorretas •

O processo de urbanização dos espaços


geográficos mundiais vem se intensificando nas
últimas décadas. Sobre a temática julgue os itens
que se seguem.

01. A urbanização no fim do século XX foi marcada


por profundas diferenças entre o nível de vida dos
habitantes de países ricos e o de países pobres.
Item Correto

02. Nos países desenvolvidos, o crescimento das


cidades e a importância que elas passaram a ter
na vida das sociedades se consolidaram com a
Revolução Industrial e o estabelecimento da indústria
como atividade essencialmente urbana.
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com


89

03. O processo de urbanização dos países Nas últimas décadas, as cidades têm representado
subdesenvolvidos começou após a Segunda Guerra uma grande conquista do homem moderno. Hoje
Mundial; alguns países industrializaram-se e atraíram em dia são elas que dirigem e organizam o mundo,
elevado contingente populacional para as cidades. pois concentram os grandes centros de decisões
Item Correto político-econômicas e científico-tecnológicas.
Acerca do processo de urbanização brasileiro,
04. Na atualidade, a urbanização dos países julgue o item que segue.
desenvolvidos e subdesenvolvidos é processo
independente, principalmente devido ao isolamento 09. A urbanização brasileira ocorreu, inicialmente, em
geográfico dos espaços mundiais e à ausência de áreas isoladas, como verdadeiras ilhas, generalizando-
conexão das redes urbanas se somente a partir do século XX.
Item Errado Item Correto

De acordo com a Organização das Nações Unidas Estudos específicos sobre o fazer comunicativo, ou
(ONU), o número de megacidades no mundo sobre os meios de comunicação, datam do início
aumentou de quatorze, em 1995, para vinte e nove, do século XX. São contemporâneos das profundas
em 2015. mudanças que atingiram esse domínio, as quais
se referem ao desenvolvimento vertiginoso das
Com relação a esse fenômeno de urbanização da técnicas, à institucionalização e à profissionalização
sociedade contemporânea, julgue os itens a seguir. das práticas e às novas configurações espaço-
temporais que se estabelecem no âmbito da nova
05. O conceito de megacidade coincide com o de realidade comunicativa.
cidade global. Vera Veiga França. O Objeto de comunicação/a
Item Errado comunicação como objeto. Vozes, 2001.
Comentário: São conceitos diferentes, enquanto
o conceito de megacidade é quantitativo, o de Tendo o texto acima como referência inicial, julgue
cidade global é um conceito qualitativo. o item que se segue.

06. Denominam-se megacidades as áreas urbanas 10. Os termos cultura de massa e meios de
com população superior a dez milhões de habitantes. comunicação de massa têm origem nas reflexões
Item Correto sociológicas empreendidas no início do século XX
acerca da sociedade moderna.
07. A maior parte das megacidades está localizada Item Errado
em países desenvolvidos, que possuem altos índices Comentário: Na verdade, os termos cultura de
de urbanização. massa e meios de comunicação de massa têm
Item Errado origem no século XIX, em meio à mudanças
Comentário: Está localizada nos países sociais provenientes da Revolução Industrial.
subdesenvolvidos Esse evento tão importante começou em
1760, mas atingiu seu pico entre 1820 e 1840,
08. Os problemas de saúde física e mental decorrentes quando sociedade reconfigurada pelas novas
da vida nas megacidades levou ao surgimento da área características se consolidou, portanto, século XIX.
do conhecimento denominada neuro-urbanismo.
Item Correto

Licensed to Luccas Edington Anselmo da Silva - Email: luccas1989@hotmail.com