Você está na página 1de 11

UNIVERSIDADE ZAMBEZE

FACULDADE DE CIENCIAS E TECNOLOGIAS


ENGENHARIA INFORMATICA 3° ANO
ENGENHARIA DE SOFTWARE

TEMA:
FERRAMENTAS E AMBIENTES INTEGRADOS
Grupo 8

Discentes:
Marelo Ngulube
Sanchez Mateus Vilanculos
Raúl José Manuel Domingos

Docente:
Eng. Taheer A. Mithá
Eng. Arsénio Cafuro

Beira, Abril de 2019

1
ÍNDICE
Introdução ..................................................................................................................2
Ferramentas e Ambientes Integrados .........................................................................4
Ferramenta (PSEE) ....................................................................................................5
Tecnologias de processo de software.........................................................................6
Modelos de PSEE......................................................................................................7
Modelagem de Processos ...........................................................................................7
Instanciamento ...........................................................................................................8
Execução ....................................................................................................................9
Mecanismos de Execução ..........................................................................................9
Conclusão .................................................................................................................10
Referencias bibliográficas ........................................................................................11

2
INTRODUÇÃO

Engenharia de Software pode ser entendido como as tecnologias e práticas usadas para
criar software para computadores melhorando a produtividade e qualidade, Em seu contexto
Engenharia envolve a criação, construção, análise, desenvolvimento e manutenção.
Wasserman (1996) cita uma série de fatores que têm influenciado a disciplina de Engenharia de
Software (ES) desde a década de 70, de entre elas: os produtos comerciais vêm exigindo a entrega
de produtos em um tempo cada vez mais crítico; As mudanças na economia da computação
(redução dos custos de hardware e aumento nos custos de desenvolvimento e manutenção).
A Engenharia de Software é uma disciplina que envolve: Abstração, Métodos e notações de análise
e projeto, Protótipo da interface com o usuário, Arquitetura de software, Processo de software,
Reuso, Medição, Ferramentas e ambientes integrados, neste presente trabalho abordaremos
assuntos relacionados as Ferramentas e Ambientes Integrados.

3
FERRAMENTAS E AMBIENTES INTEGRADOS

É um produto de software que auxiliam uma ou mais tarefas específicas de uma ou mais fases do
processo do desenvolvimento do software.

Existem um número muito grande de diferentes ferramentas de automação de engenharia de


software, que são conhecidas como ferramentas: CASE, CAME, IPSE, PSEE.

Para este presente trabalho, destacaremos as Ferramentas CASE e PSEE.

Ferramentas CASE (do inglês computer-Aided software Engineering), essa classificação abrange
toda ferramenta baseada em computadores que auxiliam atividades de engenharia de software,
desde a análise de requisitos e modelagem ate programação e testes.

Vantagens:

 Proporciona o aumento da produtividade, melhor qualidade, diminuição dos custos, melhor


gerenciamento e a grande facilidade de manutenção.
 Um dos componentes indispensáveis de uma ferramenta CASE e a modelagem visual, ou
seja, a possibilidade de representar através de modelos gráficos.

Classificação

As ferramentas CASE classificam-se em: Horizontais e verticais

 As Horizontais- disponibilizam tarefas utilizadas ao longo de todo o processo do software.


 As verticais- são utilizadas em fases específicas do processo de software.

As Ferramentas Case em ambientes integrados, Traz muitos benefícios, tais como: a transferência
harmoniosa de informações (modelos, programas, documentos, etc),a redução do esforço para
realizar atividade de controle de qualidade, controle de configuração, documentação, maior
controle do projeto, maior facilidade de coordenar os membros de uma equipe.

4
FERRAMENTA (PSEE)

Um ambiente de engenharia de software orientado a processos (PSEE), pode ser representado


como sendo uma nova versão do SEE. Uma PSEE compreende o suporte a discrição e execução
dos processos de um SEE, tendo a missão de controlo de atividades que fazem parte do ciclo de
vida do software, ou seja mais precisamente na produção e manutenção do software.

Com a evolução, deu-se a novos estudos realizados ao PSEE, levaram a construção dos ambientes
ExPSEE e WebAPSEE.

No ExPSEE: tem a ver com os objetos de software e os operadores de software. E responsável


pela criação e transformação dos objetos de software. Para um melhor entendimento os objetos de
software são tratados como variáveis do processo, enquanto os operadores representam as
ferramentas e procedimentos pertencentes ao ambiente.

Enquanto no WebAPSEE: permite a integração de vários serviços de gerência de processos,


incluindo modelagem, execução, visualização, instanciação e resposta a eventos da execução.
Através do Manager Console o Gerente do Processo de Desenvolvimento de software pode
modelar os processos, Gerenciar a execução de processos, visualizar relatórios do processos e
gerenciar informações da organização como: artefactos, pessoas e recursos.

O PSEE compreende três partes que ao compõe que são:

 Um ambiente computacional para permitir a execução de processo;


 Um ambiente de interação com o usuário, constituído de ferramentas como compiladores,
editores;
 Um repositório para armazenar os produtos do processo;

No ambiente de execução e executado o processo. A execução opera sobre os artefactos


armazenados em um repositório que coordena as operações feitas durante o processamento. A
execução do processo pode invocar operações que afetam a operação do usuário com o
ambiente.

Exemplo: A execução automática de uma determinada ferramenta como (edição automática).


5
Utilidade da ferramenta PSEE

Ela relaciona-se com o problema de como sistemas computacionais podem ser utilizados no
desenvolvimento de software ou seja o software para ajudar a construir os outros subsequentes de
modo a inovação de um modelo melhorado.

Sua finalidade principal e atender requisitos organizacionais para auxiliar na coordenação das
atividades de desenvolvimento de software.

TECNOLOGIAS DE PROCESSO DE SOFTWARE

A tecnologia de processo de desenvolvimento de software é uma importante área de estudo e


pesquisa na Engenharia de software, que tem exigido inúmeros esforços em busca de técnicas e
modelos capazes de viabilizar melhorias na qualidade do processo de desenvolvimento de
software. Essa tecnologia basea-se na descrição formal do processo, a fim de propiciar a sua
automação, verificação, aperfeiçoamento, e reutilização.

As atividades deste ciclo de vida são chamados de meta-produtos de software, e o processo de


desenvolvimento e evolução de processos de software e denominado de meta-processos. As
principais atividades do meta-processos são:

 Análise de Requisitos do Processo: identifica os requisitos para a atividade de projeto de


um novo processo.
 Projeto ou (Modelagem) do Processo: prove a arquitetura geral e detalhada do processo.
Nessa etapa as linguagens de modelagem do processo são utilizadas com o objetivo de
descrever os elementos básicos do software.
 Instanciação do Processo: gera um modelo de processo instanciado, contendo
informações detalhadas sobre os prazos, agentes e recursos utilizados por cada atividade
definida no processo.

6
 Simulação do Processo: ocupa um papel chave na verificação e validação dos processos
definidos.
 Execução do modelo do processo: o modelo de processo instanciado e executado através
da invocação de ferramentas para guiar e assistir a realização no mundo real.
 Avaliação do Processo: prove informação quantitativa e qualitativa descrevendo o
desempenho de todo o processo em execução.

MODELOS DE PSEE

A PSEE disponibiliza três tipos principais de modelos a citar:

 Modelos Abstratos (patterns ou templates), disponibiliza modelos de solução


para um problema comum. Que pode se verificar em vários outros modelos de
modo a detetar erros e outros problemas em comum. Um processo abstrato e um
modelo de alto nível que e projetado para regular a funcionalidade e interação em
um PSEE.
 Modelos Instanciados (executáveis): são modelos prontos para a execução,
podendo ser submetidos a execução por uma máquina de processo.
 Modelos em execução ou executados: registram o passado histórico da execução
de um processo incluindo os eventos e modificações realizadas no modelo
associado.

MODELAGEM DE PROCESSOS
O modelo de um processo de software representa formalmente os itens envolvidos neste processo
onde cada elemento pode ser executado por pessoas ou maquinas. Um dos objetivos da modelagem
de processo e detalhar o suficiente estas descrições para orientar a execução do processo. Podem-
se modelar diferentes elementos de um processo como: atividades, produtos (artefactos), atores e
papéis.

7
 Atividade: e o estagio que produz mudanças visíveis de estado no produto de software.
Pode ter uma entrada, uma saída e alguns resultados intermediários.
 Artefactos ou Produto: e o produto ou subproduto de um processo ou atividade. Um
artefacto produzido por um processo pode ser usado como fonte de material para o
mesmo ou algum outro processo produzir outro artefacto.
 Ator: e a entidade que executa o processo. Atores podem ser divididos em dois grupos:
atores humanos ou atores se sistema.
 Papel: define o conjunto de atores ou de responsabilidades, deveres e conhecimentos
necessário para se executar uma atividade.

Principais objetivos da modelagem do processo de software

 Facilita a comunicação e entendimento entre as pessoas;


 Facilita o aperfeiçoamento do processo: através desse modelo, e possível identificar pontos
de melhora;
 Reutilização: suas discrições podem ser armazenadas e reutilizadas quando necessário;
 Fornecer gerência do processo: com um processo definido, e possível realizar estimativas
e panejamentos;

INSTANCIAMENTO

É a fase do ciclo de vida do processo aonde se apresentam características específicas relacionadas


ao contexto da organização de desenvolvimento de software envolvida e aos prazos reais do
projeto. Modelos Instanciados, são modelos prontos para execução, podendo ser submetidos à
execução por uma máquina de processo, é considerado uma instância de um modelo abstrato, já
com parâmetros definidos.

8
EXECUÇÃO

É uma fase do ciclo de vida de processos de software, onde de fato as atividades modeladas são
realizadas pelos desenvolvedores e também automaticamente. A fase de execução de um processo
de software utiliza o modelo obtido da instanciação dos conceitos abstratos do modelo de processo
de software construído na fase de modelagem e pode ser caracterizada como a realização
automatizada da construção de um software.

MECANISMOS DE EXECUÇÃO

São necessárias ferramentas para manipular a descrição de um processo e tornar o gerenciamento


de execução de processos de software automatizado. Um mecanismo de execução de processo é
responsável pela coordenação das atividades a se realizar por pessoas e outras ferramentas
automatizadas.

9
CONCLUSÃO

As ferramentas CASE hoje em dia são Ferramentas individuais que estão sendo usadas por muitas
empresas, e há um sério esforço para integrar ferramentas individuais a fim de se formar um
ambiente consistente, também á diversos tipos de integração para as mesmas ferramentas.

Hoje a tendência no desenvolvimento de software está distante do computador mainframe e


caminha na direção da estação de trabalho como plataforma de engenharia de software. Estações
de trabalho individuais são dispostas em redes, de forma que os engenheiros de software possam
comunicar-se efetivamente.

10
REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS
[Pressman-95] Roger S. Pressman, Engenharia de Software, Makron Books do Brazil Editora,
1995.

11

Você também pode gostar