Você está na página 1de 64

1

2°sem/11

AVALIAÇÃO
DE EMPRESAS

Prof. Alcides T. Lanzana


2

AVALIAÇÃO DE EMPRESAS

Introdução

“Valuation”

Métodos de atribuição de valor à empresa


3

USOS DO “VALUATION”

Compra e Venda

Fusões e Incorporações

Dissolução e Cisão

Gestão
4

CONSIDERAÇÕES SOBRE OS MÉTODOS

Todo Método Tem Limitações.


Uma Boa Avaliação Nunca Será Precisa.

Avaliação Suportada por Métodos Quantitativos


Nem Sempre é Objetiva.

Necessidade de Ajustes

Fatores Imponderáveis
5

NÃO EXISTE FÓRMULA MÁGICA


PARA DETERMINAR O
VALOR DE QUALQUER EMPRESA
6
INSTRUMENTOS BÁSICOS DE AVALIAÇÃO:
DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Balanço Patrimonial

Demonstração de Resultados (Lucro)

Demonstração do Fluxo de Caixa


7
Como se forma o Balanço Patrimonial?

O Foco de Negócio da Empresa

 TAM - transporte aéreo


 Ford – produção de veículos
 Pão de Açúcar – comércio de mercadorias
 Armazém do Pereira – comércio
 Pingo de Ouro Funilaria e Pintura – serviços de reparos

Objetivo do Negócio Geração de Valor

 Lucro
 Retorno
 “Ganhar dinheiro”
8
Como se forma o Balanço Patrimonial?

Foco de Negócio e Decisões Financeiras

➨ Decisão de Investimento – Aquisição de Bens


(Ativos Fixos e de Giro)
 Instalações
 Máquinas
 Equipamentos
 Estoques
 Crédito ao Cliente
9
Como se forma o Balanço Patrimonial?

Foco de Negócio e Decisões Financeiras


➨ Decisão de Investimento – Aquisição de Bens
➨ Decisão de Financiamento – Quais as fontes
de Recursos
 Fornecedores
 Impostos a Pagar (Governo) da operação

 Bancos
 Sócios/Quotistas/Acionistas
10
Como se forma o Balanço Patrimonial?

CIA. INDUSTRIAL DE PEÇAS AUTOMOTIVAS


BALANÇO PATRIMONIAL

ATIVO PASSIVO

Dinheiro em Caixa 50.000 Impostos a Pagar 70.000


Estoques 350.000 Fornecedores 120.000
Duplicatas a Receber 720.000 Contas a Pagar 25.000
ATIVO DE GIRO 1.120.000 PASSIVO DE GIRO 215.000
Máquinas 1.200.000 Empréstimos de Curto Prazo 750.000
Instalações 1.500.000 Empréstimos de Longo Prazo 1.255.000
Caminhões 780.000 PASSIVO BANCÁRIO 2.005.000
Terrenos 1.700.000 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 4.080.000
ATIVO FIXO 5.180.000
ATIVO TOTAL 6.300.000 PASSIVO TOTAL 6.300.000
11
Como se forma a Demonstração de Resultados?

Foco de Negócio e Decisões Financeiras

➨ Decisões de Investimento – Aquisição de Bens


➨ Decisões de Financiamento – Quais as fontes de
Recursos
➨ Decisões de Operação - “fazer a empresa
funcionar”. Utilização de recursos para operação.
Como se forma a Demonstração de Resultados? 12

. Os ativos da Empresa necessitam ser operados


. As Áreas Funcionais da Empresa
Consumo de Matéria – prima
Manutenção dos Equipamentos
Produção Utilização de mão de obra
Fabricação dos produtos

Desenvolvimento de propaganda
Pesquisa de mercado
Marketing Lançamento de novos produtos
Avaliação dos canais de distribuição

Recursos Política de Benefícios


Política de Salários
Humanos Programa de Treinamento/Recrutamento
Avaliação de Desempenho

Gestão de caixa
Planejamento e Controle Financeiro
Finanças Contabilidade
Relacionamento bancário
13
Relembrando

 Foco de negócio
 Decisões Financeiras
 Geração de Valor

 Lucro
 Retorno
 “ganhar dinheiro”

 Como avaliar se o objetivo está sendo atingido?


 Mensuração do Desempenho da Empresa.
14
AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO EMPRESARIAL

Regime de caixa
As receitas e as despesas serão contabilizadas no período
em que ocorrerem pagamentos e recebimentos.

Regime de competência
As receitas e as despesas serão contabilizadas no período
em ocorrerem.

Valorização da Empresa
Percepção pelo mercado do valor do empreendimento
15
Como se forma a Demonstração de Resultados?

Utilização de Geração
Recursos para EMPRESA de
Operação Produto

Custos
Receitas
e
Despesas

Resultado da
Eficiência
Empresarial
(Lucro)
16

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS
MATÉRIA PRIMA
MÃO-DE-OBRA
O que foi obtido O que foi usado ENERGIA
EQUIPAMENTOS
BANCOS
GOVERNO

RECEITAS CUSTOS
(VENDAS) DESPESAS
17

CIA. INDUSTRIAL DE PEÇAS AUTOMOTIVAS


DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS – R$ mil

ANO

RECEITAS DE VENDAS 5.800

(-) Custo dos Produtos Vendidos 3.880

LUCRO BRUTO 1.920

(-) Despesas Operacionais 1.200


LUCRO OPERACIONAL 720
(-) Despesas Financeiras 160

LUCRO ANTES DO IR 560

(-) Imposto de Renda 140


LUCRO LÍQUIDO (GERAÇÃO DE VALOR) 420
18
Como se forma a Demonstração do Fluxo de Caixa?

BALANÇO
PATRIMONIAL

DECISÕES DEMONSTRAÇÃO
DE RESULTADOS
FINANCEIRAS

DEMONSTRAÇÃO
DO FLUXO DE
CAIXA
19
Como se forma a Demonstração do Fluxo de Caixa?

CIA. INDUSTRIAL DE PEÇAS AUTOMOTIVAS


DEMONSTRATIVO DO FLUXO DE CAIXA – R$ mil

ANO

Entradas de Caixa 7.200

(-) Saídas de Caixa 5.680


Resultado de Caixa 1.520

Problemas?
20

Problemas?
 Necessidade de Avaliar a Operação
 Confrontar Receitas (Vendas) com Despesas/Custos
 Nem tudo que entra no Caixa é Receita (Venda)
• Empréstimo Bancário
• Capitalização pelos Sócios

 Nem tudo que sai do caixa é Despesa/Custo


• Amortização de Empréstimo Bancário
• Distribuição de Lucro (Dividendos)
• Pagamento da Compra de um Equipamento
21
Problemas? Solução?
“Montar” o Demonstrativo do Fluxo de Caixa somente
das Operações

ANO

RECEBIMENTO DE VENDAS 5.500


Total das Entradas 5.500
PAGAMENTO DE SALÁRIOS 420
PAGAMENTO DE IMPOSTOS 800
PAGAMENTO DE FORNECEDORES 2.720
PAGAMENTO DE OUTRAS DESPESAS 260
Total das Saídas 4.200
FLUXO DE CAIXA LÍQUIDO (GERAÇÃO DE VALOR) 1.300
22

A Demonstração do Fluxo de Caixa como medida


de geração de valor deve ser abandonada?

 Útil para pequenos empreendimentos

 Controle muito simples e objetivo


 Operações não complexas
 Caixa da empresa e bolso do dono
 Necessidade de separação do fluxo exclusivo
da operação

 Muito utilizado nas avaliação de empresas.


 Método do Fluxo de Caixa Descontado
23
Relembrando:

 As Demonstrações Financeiras formam um Sistema


de Informações

 Principais Demonstrativos:
Balanço Patrimonial
• Bens que a empresa possui (Ativos)
• Compromissos da empresa (Passivos)

Demonstração de Resultados (Lucro)


• Balança que afere a confrontação entre receitas e
despesas.
• Desenvolvido na forma dedutiva.

Demonstração do Fluxo de Caixa


• Entradas e saídas de dinheiro.
24
O que estamos avaliando?

Ativos de Giro Passivos de Giro


Fornecedores
Estoques
Impostos
Contas a Receber

Empréstimos
Ativos Fixos Bancários
Instalações
Equipamentos Patrimônio dos
Prédios
Acionistas

Ativos não
Passivos não
Operacionais
Operacionais

Ativos Invisíveis Passivos Invisíveis


Marca Fiscal
Capacidade Tecnológica Trabalhista
25

VALOR DA EMPRESA x VALOR DO PATRIMÔNIO

Valor da Empresa (Valor do Negócio)


Valor do Patrimônio (Acionistas/Sócios)

DÍVIDAS
VALOR DA VALOR DO
EMPRESA = PATRIMÔNIO + BANCÁRIAS
LÍQUIDAS

(*) Possibilidade de Ajustes

Método Contábil é exceção


26
O Exemplo do Apartamento

DÍVIDAS
DÍVIDAS
SFH
APARTAMENTO

ATIVOS (BENS)
$20.000
$300.000

DONO
SÓCIOS
(PL)

$100.000 $80.000 $1.000.000 $700.000


27
MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS

 Método do Valor Contábil (Valor de Livros)


 Método de Múltiplos (Transações Comparáveis)
 Método do Fluxo de Caixa Descontado
 Método do Índice Preço/Lucro (*)

 Método do Mercado de Ações (*)


INDICADORES DE VALOR 28

Balanço Patrimonial como medida de valor

EMPRESA INDUSTRIAL S/A - BALANÇO PATRIMONIAL

ATIVOS $ PASSIVOS $

Ativos de Giro 360.000 Passivos de Giro 250.000

Caixa e Bancos 10.000 Fornecedores 200.000

Estoques 150.000 Impostos a Pagar 50.000

Contas a Receber 200.000


Empréstimos 1.110.000
Ativos Fixos 2.500.000

Máquinas 550.000

Instalações 750.000 Patrimônio - Acionistas 1.500.000

Imóveis 1.200.000
ATIVO TOTAL 2.860.000 PASSIVO TOTAL 2.860.000
29
INDICADORES DE GERAÇÃO DE VALOR

Receita Operacional Líquida


Lucro Operacional
Lucro Líquido
Geração Operacional de Caixa (EBITDA)
Fluxo de Caixa Livre para Empresa
Dividendos
Medidas Físicas
30
MÉTODO DO VALOR CONTÁBIL

DÍVIDAS
BENS
E
DIREITOS

PATRIMÔNIO
LÍQUIDO
31
MÉTODO CONTÁBIL - EXEMPLO

ELETROPAULO METROPOLITANA
BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVOS R$ mil

ATIVOS 2010 2009

Disponibilidades Financeiras 1.664.395 1.249.245

Recebíveis 1.450.945 1.426.554

Estoques 54.504 52.991

Outros Ativos Circulantes 96.164 260.137

Ativo Circulante 3.266.008 2.988.927

Ativos Fixos 15.204 62.146

Intangíveis/Diferido 5.853.003 5.837.092

Outros Ativos não Circulantes 2.261.796 2.290.180

Ativo não Circulante 8.130.003 8.189.418

ATIVO TOTAL 11.396.011 11.178.345


32

ELETROPAULO METROPOLITANA
BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVOS R$ mil

PASSIVOS 2010 2009

Fornecedores 978.814 829.647


Financiamento de Curto Prazo 322.556 623.825
Outros Passivos Circulantes 1.193.953 1.263.518
Passivo Circulante 2.495.323 2.716.990

Financiamento de Longo Prazo 2.460.979 2.010.571


Outros Passivos Onerosos 1.372.781 1.444.033
Outros Passivos de Longo Prazo 1.329.571 1.285.022

Patrimônio Líquido 3.737.357 3.721.729


PASSIVO TOTAL 11.396.011 11.178.345
33
Como utilizar o método quando não há balanço?

1) Ativos (Bens)
 Estoques
 Contas a Receber
 Terrenos
 Equipamentos

2) Passivos (Dívidas)
 Impostos e Obrigações Sociais
 Fornecedores
 Empréstimos Bancários (Saldo Atualizado)

3) Patrimônio Líquido (parcela dos sócios)


 É a diferença entre Ativos (bens) e Passivos
(dívidas).
34

MÉTODO DO VALOR CONTÁBIL

Simplicidade

Rapidez de Avaliação

Objetividade

Limitações

Gestão Empresarial
35

MÉTODO DE MÚLTIPLOS

VALOR DA BASE
EMPRESA = MÚLTIPLO x SELECIONADA
36

Utilização do Método de Múltiplos

1) Base de Valor:
 Receita (Vendas);
 EBITDA;
 Lucro Bruto ou Lucro Operacional
 Etc.

2) Múltiplo
 Transações assemelhadas.
37
MÉTODO DE MÚLTIPLOS - ILUSTRAÇÃO

Quanto vale o Supermercado Bandeira?

 Método – Múltiplos
 Base de Valor – Receitas (Vendas) Anuais
 Múltiplos – Tabela a seguir

Dados do Supermercado Bandeira?


 Receitas (Vendas) Anuais - $ 3.750.000
 Dívidas Bancárias - $ 770.000
38

Tabela do Método de Múltiplos


MÚLTIPLO
VENDAS VALOR DA
EMPRESA VALOR/
ANUAIS EMPRESA
VENDAS
BOMDIA 755.000 720.000 0,95
TENDTUDO 272.000 350.000 1,29
HIRATA 227.800 200.000 0,88
PAMPLONA 534.000 767.000 1,43
ACRE 1.777.000 2.100.000 1,18
MÉDIA /////////////// /////////////// 1,15
39

Avaliação do Supermercado Bandeira

RECEITAS (VENDAS) 3.750.000

MÚLTIPLO 1,15

VALOR DA EMPRESA (OPERAÇÃO) 4.312.500

DÍVIDAS BANCÁRIAS 770.000

VALOR PATRIMONIAL (SÓCIOS) 3.542.500


40

MÉTODO DE MÚLTIPLOS

Disponibilidade de Informações

Comparabilidade

Perspectivas de Crescimento

Método “checador”

Ampliação do Uso
41

Tabela de Múltiplos - Brasil

TIPO DE NEGÓCIO BASE MÚLTIPLO

Padaria Faturamento Mensal 4a5


Lotérica Faturamento Mensal 25
Banca de Jornais Faturamento Mensal 5
Pizzaria Faturamento Mensal 6
Mercearia Faturamento Mensal 5
Bar Faturamento Mensal 4
Restaurante Faturamento Mensal 4
Fonte: Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios – 2.000

Cuidado com o uso de Múltiplos: Informe-se sobre a


metodologia
42
TABELA DE MÚLTIPLOS - USA

VALOR/ VALOR/
SEGMENTOS
VENDAS EBITDA
AUTO-PEÇAS 0,29 2,67
BEBIDAS 1,99 8,25
QUÍMICA BÁSICA 0,88 4,56
INTERNET 2,22 9,04
COMÉRCIO ELETRÔNICO 1,86 10,54
PETRÓLEO - PRODUÇÃO 1,29 2,62
SIDERURGIA 0,55 3,80
ELETRICIDADE 1,65 5,47
COMÉRCIO - ALIMENTOS 0,54 6,08
MÉDIA GERAL 1,28 5,05
43

MÉTODO DE MÚLTIPLOS

 Receitas (Vendas)
 EBITDA
A Lógica do EBITDA 44

Demonstração de Resultados
ANO

RECEITAS DE VENDAS 10.000


(-) CPV 7.000 operação
LUCRO BRUTO 3.000
(-) Despesas Operacionais 750
D/A
(-) Depreciação/Amortização 500
LUCRO OPERACIONAL 1.750
I
(-) Despesas Financeiras 350
LUCRO ANTES DO IR 1.400
T
(-) Imposto de Renda 350
LUCRO LÍQUIDO 1.050
45

Na prática o EBITDA será dado por:

ANO

LUCRO OPERACIONAL 1.750

(+) Depreciação/Amortização 500

EBITDA 2.250

No ano em questão, os ativos da empresa geraram


caixa de $ 2.250
46

MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO

 Uma empresa vale porque gera caixa

 Portanto, necessitamos projetar o caixa futuro

 Definir o horizonte de avaliação (prazo)


 Definir, se necessário, um possível valor residual.

 Descontar os fluxos futuros a Valor Atual


 Definir uma taxa de oportunidade do capital
 Taxa Real ou Taxa Nominal
47
ILUSTRAÇÃO

Quanto vale uma agência franqueada dos correios?

 Método – Fluxo de Caixa Descontado


 Base de Valor – Geração de Caixa

Informações necessárias
 Fluxo de Caixa Anual (da operação)
 Horizonte de avaliação
 Taxa de Oportunidade do Capital
48
1) Fluxo de Caixa Anual (da operação)

ANUAL

Receita (Vendas) 225.000


Custos e Despesas 150.000
Resultado de Caixa 75.000

2) Horizonte de avaliação
10 anos;
20 anos;
Ambos sem valor residual

3) Taxa de oportunidade do capital


15% a.a.
20% a.a.
49

Avaliação da agência

15% 20%

10 anos 376.408 314.435


20 anos 469.450 365.218

Significado desses valores?

 Valor do foco de negócio;


 Inclui todos os ativos necessários à operação;
 Inclui os “ativos invisíveis”;
 Não é, necessariamente, o valor a ser desembolsado.
50
Tabela Simplificada
Para Fluxo de Caixa constante

TAXA de DESCONTO (% a.a.)


ANOS 15% 18% 20% 25%
10 5,019 4,494 4,192 3,571
15 5,847 5,092 4,675 3,859
20 6,259 5,353 4,870 3,954
25 6,464 5,467 4,948 3,985
30 6,566 5,517 4,979 3,995

∞ 6,667 5,556 5,000 4,000

Fluxo de Caixa Anual – $ 100.000


Taxa de Oportunidade do Capital – 20% VE = $467.500
Horizonte – 15 anos
51

MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO

Visão mais completa

Etapas a serem desenvolvidas na Avaliação

1. ATIVIDADES OPERACIONAIS
- Necessidade de se conhecer muito bem a empresa
52

MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO

2. PROJEÇÃO DA DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS


- Projeta-se o resultado (lucro) do foco da atividade

ITENS

Receita Operacional
(-) Custo dos Produtos
Lucro Bruto
(-) Despesas Operacionais
(-) Depreciação do Período
Lucro Operacional
(-) Imposto de Renda
Lucro Operacional Líquido
53

MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO

3. PROJEÇÃO DO FLUXO DE CAIXA OPERACIONAL

ITENS

Lucro Operacional Líquido


(+) Depreciação
(=) Fluxo de Caixa Operacional
54

MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO

4. NOVOS INVESTIMENTOS FIXOS


 Aquisição de novos imobilizados
 Reposição de imobilizados

5. NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO


 Necessidade de mais estoque
 Necessidade de mais crédito ao cliente
55

MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO

6. PROJEÇÃO DO FLUXO DE CAIXA LIVRE


- Parte do Fluxo Caixa Operacional está comprometido

ITENS

Lucro Operacional Líquido


(+) Depreciação
(=) Fluxo de Caixa Operacional
(-) Necessidade de Capital de Giro
(-) Novos Investimentos Fixos
(=) Fluxo de Caixa Livre - Empresa
56

MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO

7. HORIZONTE DE PROJEÇÃO
a) Período Explícito

- Detalhamento dos dados projetados

b) Período Residual

- Estimativa de um possível valor após o período


explícito de projeção
57

MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO

8. Custo de Oportunidade do Capital

- Alternativas de Aplicação
- Risco do Negócio
58
AVALIAÇÃO DE UMA EMPRESA - APLICAÇÃO

Empresa: INFOCO – Peças Especiais Ltda.


Situação: Desentendimentos entre sócios
59

Projeção da Demonstração de Resultados (Lucro)


R$ mil

Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5

Vendas Líquidas 19.900 21.386 23.047 24.915 27.024


(-) CPV 14.944 15.891 16.882 17.961 19.154
Lucro Bruto 4.956 5.495 6.165 6.954 7.870

(-) Despesas Operacionais 2.652 3.443 3.653 3.890 4.158

Lucro Operacional 2.304 2.052 2.512 3.064 3.712

(-) IR (35%) 806 718 879 1.072 1.299

Lucro Operacional Líquido 1.498 1.334 1.633 1.992 2.413


60
Projeção do Fluxo de Caixa da Operação
R$ mil

Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5

Lucro Operacional Líquido 1.498 1.334 1.633 1.992 2.413

(+) Depreciação 474 478 482 490 517

Geração de Caixa (Operação) 1.972 1.812 2.115 2.482 2.930

Investimentos Fixos 50 50 50 300 50

Investimento em Giro 353 313 351 394 443

Fluxo de Caixa Livre - Operação 1.569 1.449 1.714 1.788 2.437


61
Projeção do Fluxo de Caixa
R$ mil

Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5

Fluxo de Caixa Livre - Operação 1.569 1.449 1.714 1.788 2.437

Valor Residual 7.997

Fluxo de Caixa Livre Total 1.569 1.449 1.714 1.788 10.434


62

10.434
1.778
1.569

1.449

1.714
0 5
15%

Valor da Empresa (Operação) = R$ 9.796 mil


63

O que está incluído nesse valor?

Todos os ativos (bens) voltados à operação da empresa

 Estoques
 Contas a Receber
 Máquinas
 Terrenos, Instalações
 Marca
 Capacidade tecnológica
64
MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO

O método e a Teoria de Finanças


Ativos invisíveis
Subjetividade
“Entra lixo, sai lixo”
Muito trabalhoso