Você está na página 1de 205

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

FAZER EXAME
COM CERTEZA
MATEMÁTICA
12ª CLASSE
15 Exames . 645 Exercícios Resolvidos
2008 a 2012
JUSTIFICATIVA DO VOLUNTÁRIO DA JICA SOBRE O LIVRO
“ FAZER EXAME COM CERTEZA ”
Até agora, é muito difícil os alunos encontrarem os passos de resolução dos exames finais
de Matemática e é mais difícil encontrarem um espaço para colocar as dificuldades aos
seus professores de Matemática. Penso que a razão deste fenómeno prende-se com a
ocupação excessíva dos professores e reduzida carga horária de Matemática em
Moçambique. Por isso, muitos alunos não conseguem a satifsfação das suas dúvidas fora
do pouco tempo lectivo programado no horário. Desde que comecei a trabalhar em
Moçambique, eu percebi que muitos alunos têm sede de receber a explicação dos exames
pelos seus professores. Além disso, muitos alunos moçambicanos pensam que Matemática
é a disciplina mais complicada porque eles não têm o hábito e o gosto de resolver muitos
exercícios de Matemática. Penso que isto é um problema grave e é necessário mudar esta
situação.

Este manual “FAZER EXAME COM CERTEZA”, uma coletânia de 15 exames de 2008 a
2012 com 645 exercícios resolvidos é uma contribuição para resolver este problema. Os
alunos têm neste livro a oportunidade de encontrar os passos detalhados de resolução dos
exames finais de Matemática. Os alunos podem ler e compreender este manual sozinhos.
Através deste manual, desejo que muitos alunos consigam resolver correctamente os
exercícios de Matemática, tenham o gosto pela Matemática e alcancem bons resultados
no exame final. Assim, os alunos não terão medo de exame de Matemática. Hão de
perceber que muitos exercícos apresentam uma característica comum no passos
necessários para sua resolução.
Com este manual, os alunos fazem exame com certeza de passar de classe.

O manual “FAZER EXAME COM CERTEZA” também é um instrumento de apoio aos


professores de Matemática para preparar melhor os seus alunos. Sei que os colegas
professores sempre têm muita ocupação mas penso que a obrigação profissional de um
professor é atender bem as solicitações dos alunos, dar as aulas com amor e ter os alunos
bem capacitados para passar nos exames. Os professores podem criar um ambiente
favorável para que os alunos aprendam bem Matemática, aumentando o contacto com os
alunos, dando fichas de exercícios, resolvendo mais exercícios com alunos e escutando as
preocupações dos alunos em relação à Matemática.

Os assuntos deste livro não são suficientes e nunca serão suficientes para cobrir todas as
necessidades matemáticas dos alunos. Muitos alunos das escolas secundárias precisam de
ajuda dos professores de Matemática para entender melhor a Matemática. Além disso,
muitos graduados do ensino secundário precisam de entender os passos de resoluçao dos
exames de admissão às faculdadeds. Penso que os colegas professores podem produzir
melhores manuais de apoio aos alunos, num espírito de amor, sacrifício e volutariadade.
Assim, estaremos a mostrar que Matemática é a disciplina mais interessante para os
nossos alunos.

Xai-Xai, Dezembro 2012


Takaaki Kamioka
PREFÁCIO
A introdução do Novo Currículo do Ensino Secundário Geral, iniciada em 2008, criou a
necessidade de se reformular o sistema de avaliação e a forma de exame para o 2º Ciclo do
Ensino Secundário Geral. Adoptou-se um exame que assume sempre a forma escrita, que
se realiza em duas épocas, 1ª e 2ª, com respostas de escolha múltipla e elevado número de
perguntas em cada época, exigindo do aluno maior rapidez de execução, comprovada
competência, conhecimentos seguros, capacidades, habilidades e atitudes académicas
mais desenvolvidas. Passados cinco anos da implementação do Novo Currículo do Ensino
Secundário Geral, os resultados do exame de Matemática do 2º Ciclo, ano após ano, têm
se mostrado negativos porque durante a realização da prova a maioria dos alunos
entrega-se ao exercício da escolha de uma opção. Como que adivinhos, os alunos optam
por uma alternativa que lhes parece favorável à resposta desejada e não se dignam a fazer
algum raciocínio matemático ou cálculo necessário para a obtenção da solução correcta.

O presente manual é produto de uma reflexão de alguns professores de Matemática do 2º


Ciclo da Escola Secundária Joaquim Chissano Xai-Xai subordinada ao tema “FAZER
EXAME COM CERTEZA” - colectânea de 15 exames oficiais (1.ª Época, 2.ª Época e
extraordinário) com 645 exercícios de Matemática do Ensino Pré-Universitário realizados
nos últimos cinco anos na República de Moçambique.

O manual “FAZER EXAME COM CERTEZA” pretende servir aos estudantes do 2º Ciclo do
Ensino Secundário Geral em Moçambique como guia prático e didáctico para a resolução
dos exames de Matemática. Trata-se de fornecer aos estudantes finalistas do Ensino
Secundário Geral bases seguras para que eles resolvam o exame de Matemática a
contento, com conhecimento, competência, habilidade, eficiência e eficácia, desenvolvendo
neles o carácter técnico, lógico, operacional e conceitual que se necessita na realização de
uma prova de Matemática.

Cada exame apresenta enunciados e resoluções acompanhados de explicação, exemplos


claros, conceitos e propriedades relativas aos assuntos examinados para complementar ou
recordar o conhecimento dos estudantes.

Os autores do manual “FAZER EXAME COM CERTEZA” são professores com certa
experiência em assuntos do ensino e aprendizagem de Matemática e com formação
matemática em universidades moçambicana e japonesa. O manual reflecte as experiências
partilhadas entre os professores de Matemática na Escola Secundária Joaquim
Chissano-Xai-Xai no âmbito da cooperação entre Moçambique e Japão representada por
Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA). Não pretendem, de forma nenhuma,
que o manual seja considerado único instrumento para a preparação dos alunos para os
exames de Matemática.

Agradecimentos são endereçados à Direcção Provincial de Educação e Cultura de Gaza, à


Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA), à Escola Secundária Joaquim
Chissano e à Professora Emi Nagasawa (Voluntária da JICA) pelo seu apoio especial para
produção deste livro.

Os autores
Xai-Xai, Dezembro de 2012
Índice

 2012. EXTRAORDINÁRIO ......................................................... 3


 2012. 1ª ÉPOCA ........................................................................ 16
 2012. 2ª ÉPOCA ........................................................................ 29
 2011. EXTRAORDINÁRIO ......................................................... 44
 2011. 1ª ÉPOCA ........................................................................ 59
 2011. 2ª ÉPOCA ........................................................................ 73
 2010. EXTRAORDINÁRIO ........................................................ 86
 2010. 1ª ÉPOCA ........................................................................ 100
 2010. 2ª ÉPOCA ........................................................................ 114
 2009. EXTRAORDINÁRIO ........................................................ 129
 2009. 1ª ÉPOCA ........................................................................ 142
 2009. 2ª ÉPOCA ........................................................................ 154
 2008. EXTRAORDINÁRIO ........................................................ 167
 2008. 1ª ÉPOCA ........................................................................ 178
 2008. 2ª ÉPOCA ........................................................................ 190
República de Moçambique
Matemática Ministério da Educação Exame Extraordinário
12ª Classe / 2012 Conselho Nacional de Exames, Certificação e Equivalências 120 Minutos
Esta prova contém 40 perguntas com 4 alternativas de resposta para cada uma. Escolha a alternativa correcta e
RISQUE a letra correspondente na sua folha de respostas. Responda a todas as primeiras 35 perguntas. As últimas
5 perguntas responda somente às da sua secção (Letras ou Ciências).

【Resolução】
1. 
Qual das expressões é equivalente a p ∨ (∼ p ∧ q)?
A. ∼ p ∧ q B. p ∨ q C. ∼ p∧ ∼ q D. ∼ p∨ ∼ q
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
p∨ ∼ pp) ∧ (p ∨ q)
p ∨ (∼ p ∧ q) = (p∨ ←− Propriedade distributiva:
A ∧ (B ∨ C) = (A ∧ B) ∨ (A ∧ C)
= V ∧ (p ∨ q) ←− A∨ ∼ A = V porque uma das proposições é V, isto é,
A ou ∼ A é V.
= p∨q ←− V ∧ A = A: O valor lógico V é o elemento neutro na
Opção: B conjunção.
2. 
A tabela refere-se a equivalência material. Nestas condições, quais são os valores de x e y?

A. x = 1 e y = 1 p q p⇔q
B. x = 0 e y = 1 1 1 x
1 0 0
C. x = 1 e y = 0 0 1 0
0 0 y
D. x = 0 e y = 0
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Pela leitura da tabela, conclui-se que 0 e 1 representam respec- ←− A equivalência de duas proposições só é verdadeira se
tivamente falsa e verdadeira. ambas as proposições têm o mesmo valor lógico.
Logo, x = 1 e y = 1.
Opção: A
3. 

Qual é a solução da equação 2x2 + 3x − 10 = −2?
A. x = 2, x = −3, 5 B. x = −3, 5 C. x = 2 D. ∅
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
√ √ √
Como 2x2 + 3x − 10 ≥ 0, a equação 2x2 + 3x − 10 = −2 é ←− Sendo x ≥ 0, tem-se: x ≥ 0
impossível. Por isso, a solução da equação é ∅.
Opção: D
4. 

Qual é o domínio de existência da expressão 1 ?


x2 − 4
A. R \ {0; 2} B. R \ {0; 4} C. R \ {−2; 2} D. R \ {2; 4}
 2012. Extraordinário 

1/13 3
2012/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
Como o denominador é diferente de zero, tem-se a condição:
x2 − 4 , 0 ⇔ (x − 2)(x + 2) , 0 ⇔ x , ±2 ←− Factoriza-se x2 − 4 aplicando a2 − b2 = (a − b)(a + b)
Portanto, o domínio é R \ {−2; 2}.
Opção: C
5. 
Qual é a solução da equação 4x −5· 2x + 4 = 0?
{ }
A. {0; −2} B. {0; 2} C. {1; 4} D. 4
3
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
A equação transforama-se em (2 x )2 − 5 · 2 x + 4 = 0. ←− 4 x = (22 ) x = 22x = 2 x·2 = (2 x )2
Fazendo 2 x = t, se t > 0, a equação fica: ←− t > 0 porque a x > 0, ∀a ∈ R+ \ {1}
t2 − 5t + 4 = 0 ⇔ (t − 1)(t − 4) = 0 ⇔ t = 1 ∨ t = 4 ←− t = 1 e t = 4 satisfazem a condição t > 0.
Como t = 2 x , então:
2 x = 1 ∨ 2 x = 4 ⇔ 2 x = 20 ∨ 2 x = 22 ←− Reduz-se os dois membros à mesma base.
⇔ x=0∨x=2 ←− Iguala-se os expoentes: am = an ⇔ m = n
Opção: B
6. 

Sabendo que senx = 4 , π < x < π, qual é o valor de cos x?


5 2
A. − 5 B. − 3 C. 3 D. 5
3 5 5 3
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Substituindo senx por 4 na fórmula fundamental da
←− Fórmula fundamental da trigonometria:
5
sen2 x + cos2 x = 1
trigonometria sen + cos x = 1, tem-se:
2 2
( )2
4 + cos2 x = 1 ⇔ cos2 x = 9 ⇔ cos x = ± 3
5 25 5 <Sinal das razões trigonométricas>
π < x < π, então cos x < 0.
α 1◦ Q 2◦ Q 3◦ Q 4◦ Q
Se ←−
2 senα + + - -
3 cos α + - - +
Portanto, o valor de cos x é: cos x = −
5 tgα + - + -
Opção: B cotgα + - + -
7. 

Qual é a solução da inequação 2x + 6 < 0?


2−x
A. ] − 3; 2[ B. ] − ∞; −2[∪]3; +∞[ C. ] − ∞; −3[∪]2; +∞[ D. R
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
A condição é: 2− x , 0 ⇔ x , 2.  ←− O denominador é diferente de zero
   
2x + 6 < 0 ⇔  2x + 6 > 0 
2x + 6 < 0 f (x) 

 f (x) > 0 

 f (x) < 0

 ∨ 
 ←− >0⇔ ∨ 

2−x 2 − x < 0 2 − x > 0 g(x) g(x) > 0 g(x) < 0
  + −


 x > −3 

 x < −3 porque =+e = +.
+  −
⇔ x > 2 ∨ 
x < 2 ⇔ x > 2 ∨ x < −3 
  f (x) 

 f (x) > 0 

 f (x) < 0
<0⇔ ∨ 
 g(x) < 0 g(x) > 0
Então, a solução da inequação é: x < −3 ∨ x > 2 g(x)
Opção: C porque + = − e − = −.
− +

2/13 4
2012/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Outra resolução】
Constroi-se a tabela:
· · · −3 ··· 2 ··· ←− −3 e 2 são os zeros do numerador e o denominador,
2x + 6 − 0 + + + respectivamente.
2−x + 0 + 0 −
2x + 6 − + + −
2−x ←− − = −; + = +; + = −; − = +
+ + − −
A partir da tabela, a solução da inequação 2x + 6 < 0 é:
2−x
x ∈ ] − ∞; −3[ ∪ ]2; +∞[
8. 
1◦
Sabendo que α é um ângulo do quadrante, a que quadrante pertence o ângulo π − α?
A. I B. II C. III D. IV
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Como α é um ângulo do 1◦ quadrante, tem-se: 0 < α < π
No circulo trigonométrico, tem-se:
y
2
Multiplicando por −1 todos os ambros da inequação, tem-se: IIQ IQ
π π
0 > −α > − ⇔ − < −α < 0 π−α
2 2 π
−α α
Adicionado π a ambos os membros da inequação, tem-se: O x
−π +π<π−α<0+π⇔ π <π−α<π
2 2
Logo, o ângulo π − α pentence ao 2◦ quadrante. IIIQ IV Q
Opção: B
π − α pertence ao 2◦ quadrante.
【Outra resolução】
Para se obter a solução, trata-se um ângulo do 1◦ quadrante.
Por exemplo, o ângulo α = π = 45◦ pertence ao 1◦ quadrante. ←−π = 180◦
4
Neste caso, tem-se: π − π = 180◦ − 45◦ = 135◦
4
Como 135◦ perternce ao 2◦ quadrante, conclui-se que π − α
pertence ao 2◦ quadrante.
9. 

Sabendo que tgα = −2, π < α < 3π . Qual é o valor de senα + 2 cos α?
2 2
A. − √1 B. 0 C. √1 D. 1
5 5
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
tgα = −2 ⇔ senα = −2 ⇔ senα = −2 cos α ←− Fórmula: tgα = senα
cos α cos α
⇔ senα + 2 cos α = 0
Opção: B
10. 
Qual é a solução da equação 2x − 6 = 4?
A. x = 1 ∨ x = 5 B. x = 3 ∨ x = 5 C. { } D. R
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
2x − 6 = 4 ⇔ 2x − 6 = 4 ∨ 2x − 6 = −4 ←− Equação modular do tipo x = aa, onde a ≥ 0:
⇔ 2x = 10 ∨ 2x = 2 ⇔ x = 5 ∨ x = 1 x = a ⇔ x = a ∨ x = −a
Opção: A

3/13 5
2012/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

11. 
Qual é a condição para que 3x − 6 + x + 11 seja igual a 17 − 2x?
A. x ≥ −11 B. x < 11 C. x < 2 D. x > 2
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Resolve-se a equação 3x − 6 + x + 11 = 17 − 2x:
3x − 6 + x + 11 = 17 − 2x ⇔ 3x − 6 = −3x + 6
⇔ 3x − 6 = −(3x − 6)
Para que 3x − 6 = −(3x − 6) é necessário que o número que
está no dentro do módulo seja negativo, isto é:
3x − 6 < 0 ⇔ x < 2 ←− Se x ≥ 0, então x = x.
Se x < 0, então x − x.
Opção: C
【Outra resolução】
 


3x − 6 + x + 11, se 3x − 6 ≥ 0 

 x se x ≥ 0
3x − 6 + x + 11 =   ←− x =  −x se x < 0

−(3x − 6) + x + 11, se 3x − 6 < 0



4x + 5, se x ≥ 2
⇔ 
−2x + 17, se x < 2
Por isso, se x < 2, então 3x − 6 + x + 11 = 17 − 2x.
12. 
(n + 1)!
Qual é a expressão equivalente a ?
(n − 1)!
A. n + 1 B. n − 1 C. n(n − 1) D. n(n + 1)
 2012. Extraordinário 

【Resolução】
(n−1)!
(n + 1)! (n + 1)n(n − 1)! z }| {
= = (n + 1)n ←− (n + 1)! = (n + 1)n (n − 1)(n − 2) · · · 3 · 2 · 1
(n − 1)! (n − 1)! = (n + 1)n(n − 1)!
Opção: D
13. 
Existem 7 cadeiras diferentes e pretende-se escolher 4. De quantas formas isso pode acontecer?
A. 35 B. 70 C. 270 D. 840
 2012. Extraordinário 

【Resolução】
Deseja-se o número total das maneiras diferentes possíveis de ←− Cnp é o número total das maneiras diferentes possíveis
escolher 4 elementos dentre 7 elementos. Como não interessa de escolher p elementos dentre n elementos. Quando
ordem, trata-se de uma combinação de 7 elementos tomados 4 não interessa ordem, trata-se de uma combinação.
p factores
a 4, isto é: z }| {
C7 = C7 =
4 3 7 · 6 · 5 = 35 ←− Cn =
p Anp
=
n(n − 1) · · · (n − r + 1)
3 · 2· p! p(p − 1) · · · 3 · 2 · 1
Opção: A
14. 
De quantas maneiras diferentes se podem sentar 3 raparigas e quatro rapazes, num banco de sete lugares
sabendo que em cada um dos extremos fica uma rapariga?
A. 20 B. 240 C. 720 D. 5040
 2012. Extraordinário 

4/13 6
2012/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
O número total das maneiras diferentes de em cada um dos ex- ←− An é o número total das maneiras possíveis de escol-
p

tremos ficar uma rapariga é A23 porque se escolhem 2 raparigas her p elementos dentre n elementos e permutar os p
elementos entre si. Quando interessa a ordem, trata-
dentre 3 e se permutam as 2 raparigas entre si. se de um arranjo.
O número total das maneiras diferentes de permutar as restantes Anp = n(n − 1)(n − 2) · · · (n − p + 1)
| {z }
7 − 2 = 5 pessoas para prencherem os 5 lugares excepto os ex- pfactores

tremos é P5 = 5!. ←− Pn = n! é o número total das maneiras diferentes pos-


Portanto a solução é: A3 · 5! = 3 · 2 · 5 · 4 · 3 · 2 · 1 = 720
2 síveis de permutar os n elementos numa fila.
Opção: C
 15. 
Num saco estão 4 bolas de igual tamanho numeradas de 1 a 4. Tirando-se sucessivamente sem reposição, as
quatro bolas do saco, qual é a probabilidade de as bolas saírem por ordem crescente?
A. 1 B. 1 C. 1 D. 2
24 6 4 3
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
O número de casos possíveis é 4 · 3 · 2 · 1. ←− C14 · C13 · C12 · C11
O número de casos favoráveis é 1. ←− Apenas um caso em ordem seguinte: ⃝ 1 ⃝2 ⃝
3 ⃝
4
1
Logo, a probabilidade pedida é . ←− Probabilidade= número de casos favoráveis
24 número de casos possíveis
Opção: A
 16. 
Qual das sucessões é divergente?
( )n ( )n
A. n − 1 B. n + 1 C. 3 D. 2
n+1 n 2 3
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se o limite de cada sucessão das opções dadas:
[ ]
A. lim n − 1 = ∞ = 1 = 1 ←− Se o numerador e o denominador têm o mesmo grau,
n→∞ n + 1 [ ∞] 1 então o limite quando x → ∞ é igual ao quociente
B. lim n + 1 = ∞ = 1 = 1 dos coeficientes dos termos de maior grau, isto é:
n→∞ n ∞ 1 a xn + b1 xn−1 + c1 xn−2 + · · · a
( )n lim 1 n = 1
3 x→∞ a2 x + b2 xn−1 + c2 xn−2 + · · · a
=∞
2
C. lim ←− Se a > 1, então lim an = ∞
n→∞ 2
( )n n→∞

D. lim 2 = 0 ←− Se a < 1, então lim an = 0


n→∞ 3 n→∞
Como o limite da sucessão da opção C não é um número real, ←− Uma sucessão an é convergente se lim an = α ∈ R.
n→∞
então esta sucessão é divergente. Uma sucessão que não é convergente é divergente.
Opção: C
 17. 
( )
Considere a sucessão 1; 1 ; 1 ; 1 ; · · · . Qual é o seu termo geral?
3 9 27
A. Un = n n B. Un = 1n C. Un = 13 D. Un = n−1 1
3 3 n 3
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Como o quociente entre dois termos conscutivos é constante 1 , ←− 1, 1 , 1 , 1 . . .
3 3 9 27
esta sucessão é uma PG em que a1 = 1 e q = . 1
3 × 13 × 13 × 13
( )n−1
Logo, o termo geral desta sucessão é: an = 1 · 1 = n−11
←− O termo geral de uma PG é dado por an = a1 qn−1
3 3
Opção: D

5/13 7
2012/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

18. 
Qual das sucessões NÃO forma nenhuma progressão?
A. 3; 12; 48; 192; . . . B. 1; 3; 5; 7; . . .
C. 1; −3; 5; −7; . . . D. 1; 1 ; 1 ; 1 ; 1 ; . . .
2 4 8 16
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
A sucessão da opção A é uma PG em que a1 = 3 e q = 4. Definição de PA e PG:
A sucessão da opção B é uma PA em que a1 = 1 e d = 2. ⋆ Se a diferença entre dois termos consecutivos de
A sucessão da opção C não é PA nem PG. uma sucessão an é constante, então an é uma PA.

A sucessão da opção D é uma PG em que a1 = 1 e q = 1 . ⋆ Se o quociente entre dois termos consecutivos de


2 2 uma sucessão an é constante, então an é uma PG.
Opção: C
19. 
Numa progressão aritmética finita, a soma dos seus termos é 110. Se o primeiro e o último termos são
respectivamente 2 e 20, quantos termos tem a sucessão?
A. 21 B. 20 C. 11 D. 10
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Pela condição, tem-se: S n = 110, a1 = 2 e an = 20
Aplicando a fórmula de soma dos n primeiro termos de uma PA, ←− A soma dos n primeiros termos de uma PA é dada por:
n(2 + 20) n(a1 + an ) n[2a1 + (n − 1)d]
tem-se: = 110 ⇔ 11n = 110 ⇔ n = 10 Sn =
2
ou S n =
2
2
Opção: D
 20. 
Qual é a solução da equação x + x + x + x + · · · = 40?
2 4 8
A. 10 B. 20 C. 30 D. 40
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
( )
A equação dada fica: x 1 + 1 + 1 + 1 + . . . = 40 ←− Coloca-se o factor comum x em evidência.
2 4 8
1 + 1 + 1 + 1 + . . . é a soma duma PG infinita em que a1 = 1
2 4 8
e q = 1 . Como q = 1 < 1, então tem-se:
2 2
1 1 1 a1 1
1 + + + + ··· = = =2 ←− A soma de uma PG infinita em que q < 1 é dada
2 4 8 1−q 1− 1 por: S =
a1
2 1−q
Logo, a equação dada fica:
x · 2 = 40 ⇔ 2x = 40 ⇔ x = 20
Opção: B
 21. 
Dados os conjuntos M = {a; b; c} e N = {1; 2; 3; 4} considere a relação R : M → N representada na figura.
Qual das opções representa a relação R?
N
M
A. R = {(a; 1), (b; 3), (c; 4), (a; 3)}
1
a
B. R = {(1; a), (4; a), (3; b), (c; 2)} b
2
3
C. R = {(a; 1), (b; 3), (c; 2)} c
4
D. R = {(a; 1), (a; 4), (b; 3), (c; 2)}
 2012. Extraordinário 

6/13 8
2012/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
A partir da figura, a relação R é: ←− a corresponde a 1 e 4 ⇒ (a; 1), (a; 4)
R = {(a; 1), (a; 4), (b; 3), (c; 2)} b corresponde a 3 ⇒ (b; 3)
Opção: D c corresponde a 2 ⇒ (c; 2)
22. 
Qual é o contradomínio da relação R = {(1; 1), (2; 3), (3; 5), (5; 1), (7; 7)}?
A. CD = {1; 2; 3; 5; 7} B. CD = {1; 2; 5; 7} C. CD = {1; 3; 5; 7} D. CD = {3; 5; 7}
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Como R = {(1; 1), (2; 3), (3; 5), (5; 1), (7; 7)}, ←− (objecto; imagem)
as imagens da relação R são 1, 3, 5 e 7.
Logo, CD = {1; 3; 5; 7} ←− Ao conjunto das imagens chama-se contradomínio e
Opção: C representa-se por CD.
23. 
Sabendo que na função f (x) = ax − 11; a ∈ R, f (3) = 7, qual é o valor da constante a?
A. 3 B. 6 C. 7 D. 11
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
f (3) = a · 3 − 11 = 3a − 11 ←− Substitui-se x por 3 em f (x) = ax − 11.
Como f (3) = 7, tem-se: 3a − 11 = 7 ⇔ 3a = 18 ⇔ a = 6
Opção: B
 24. 



2x − 4 se x < 2
Considere a função f : R → R definida por: f (x) = 
3 se x ≥ 2
Qual das figuras representa o gráfico da função f (x)?
A. y B. y C. y D. y
3 3 3 3

O 2 4 x O 2 4 x O 2 4 x O 2 4 x

−4 −4 −4 −4
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Como a função f (x) é constante se x ≥ 2, o gráfico da função ←− O gráfico de y = a é uma recta que é perpendicular ao
f (x) para x ≥ 2 é uma recta perpendicular ao eixo das abcissas. eixo de abcissas e passa por (0; a).
A opção B ou D representa a função f (x).
Como f (x) = 3 se x ≥ 2, então f (2) = 3.
Portanto, o gráfico passa por (2; 3). ←− O ponto (2; 3) tem que ser pintado.
Por isso, a opção D representa a função f (x).
Opção: D
25. 
Qual das figuras representa uma função sobrejectiva?
A. M N B. M N C. M N D. M N
1 6 1 6 1 6 1 6
2 7 2 7 2 7 2 7
3 8 3 8 3 8 3 8
4 9 4 9 4 9 4 9

 2012. Extraordinário 

7/13 9
2012/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
A opção B não representa nenhuma função porque o objecto 3 ←− Dá se o nome de função f a uma correspondência en-
corresponde a duas imagens 7 e 8. tre um conjunto M e um conjuto N se a cada elemento
E também, a opção D não representa nenhuma função porque o x de M corresponde a um e só um elemento f (x) de
N.
objecto 1 corresponde a duas imagens 7 e 9.
As opções A e C representam funções porque cala elemento de
M corresponde a um e só um elemento de N.
Como o contradomínio da função da opção A é N, então a ←− Uma função diz-se sobrejectiva quando o con-
função da opção A representa uma função sobrejectiva. tradomínio coincide com o conjunto de chegada.
Opção: A
 26. 
Qual é a afirmação correcta?
A. lim x − 9 = 0 B. lim x − 9 = ∞ C. lim x − 9 = 3 D. lim x − 9 = −6
2 2 2 2

x→3 x + 3 x→−3 x + 3 x→−3 x + 3 x→3 x + 3


 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se lim x − 9 e lim x − 9 :
2 2

x→3 x + 3 x→−3 x + 3
x 2−9 3 2−9
⋆lim = = 0 =0 ←− Como não é nenhuma indeterminação, basta substi-
x→3 x + 3 3 + 3 6
[ ] tuir x por 3.
(x − 3)(x + 3)
⋆ lim x − 9 = 0 = lim
2
←− Factoriza-se x2 − 9 aplicando a2 − b2 = (a − b)(a + b) e
x→−3 x + 3 0 x→−3 x+3
= lim (x − 3) = −3 − 3 = −6 simplifica-se x + 3 para levantar a indeterminação 0 .
x→−3 0
Portanto, a opção correta é A.
Opção: A
27. 

Qual é o valor do lim sen2 x ?


x→0 1 − cos x
A. 1 B. 2 C. 3 D. 4
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
[ ]
sen 2x sen2 x(1 + cos x)
lim = 0 = lim ←− Multiplica-se pelo conjugado 1 + cos x de 1 − cos x o
x→0 1 − cos x 0 x→0 (1 − cos x)(1 + cos x) numerador e o denominador.
sen2 x(1 + cos x)
= lim ←− (1 − cos x)(1 + cos x) = 1 − cos2 x por (a − b)(a + b) =
x→0 1 − cos2 x a2 − b2 .
sen2 x(1 + cos x)
= lim ←− Como sen2 x + cos2 x = 1, então sen2 x = 1 − cos2 x.
x→0 sen2 x
= lim (1 + cos x) ←− Simplifica-se sen2 x.
x→0
=1+1=2 ←− Substitui-se x por 0. cos 0 = 1
Opção: B
28. 
Na figura está representado o gráfico da função f . Qual é a alternativa correcta?
y
A. lim+ f (x) = 1
x→1
3
B. lim− f (x) = 3
x→1
1
C. lim+ f (x) = 3
x→1 O 1 x
−1
D. lim− f (x) = −1
x→1
 2012. Extraordinário 

8/13 10
2012/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
Nota-se que quando x se aproxima de 1 pela direita, f (x) se
aproxima de 3 e quando x se aproxima de 1 pela esquerda, f (x)
se aproxima de 1.
Então tem-se: lim+ f (x) = 3 e lim− f (x) = 1 ←− Quando x se aproxima de a pela esquerda, f (x)
x→1 x→1 aproxima-se de α, simbolicamente, lim− f (x) = α.
Logo, a alternativa correcta é C. x→a

Opção: C Quando x se aproxima de a pela direita, f (x)


aproxima-se de α, simbolicamente, lim+ f (x) = α.
x→a
29. 



k , se x = 0
Para que a função f (x) = 
 seja contínua em R, qual deve ser o valor de k?
 senx , se x , 0
x
A. 0 B. 1 C. 2 D. 3
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Para que f (x) seja contínua em R, é necessário que f (x) seja ←− A partir da definição de f (x), o gráfico de f (x) muda-
contínua no ponto x = 0. se no ponto x = 0.
Existe o limite de f (x) no ponto x = 0 e seu valor é: ←− Para x , 0, os limites laterais são iguais.
lim f (x) = lim senx = 1 ←− Limite notável: lim senx = 1
x→0 x→0 x x→0 x
O valor de f (x) no ponto x = 0 é: f (0) = k
Para que f (x) seja contínua no ponto x = 0, é necessário que ←− f é contínua em x = a
k = 1. ⇔ ∃lim f (x) e lim f (x) = f (a).
x→a x→a
Opção: B
30. 
Uma função real de variável real f é tal que f (x) = f ′ (x) para todo o número real x. Qual das expressões pode
definir a função f ?
A. 3x2 B. senx C. e5x D. 2e x
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se a primeira derivada de cada função das opções dadas
e compara-se com f (x):
A. f ′ (x) = (3x2 )′ = 3 · 2x = 6x , f (x) ←− (x2 )′ = 2x aplicando ∀x ∈ R, (xn )′ = nxn−1 .
′ ′
B. f (x) = (senx) = cos x , f (x) ←− (senx)′ = cos x
′ ′ ′ [ ]′
C. f (x) = (e ) = e · (5x) = 5e , f (x)
5x 5x 5x
←− e f (x) = e f (x) · f ′ (x) porque (e x )′ = e x .
D. f ′ (x) = (2e x )′ = 2e x = f (x)
Portanto, a solução é a opção D.
Opção: D
31. 

Sendo f (x) = 13 , qual é o valor de f ′ (1)?


x
A. 3 B. 1 C. 1 D. −3
3
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se f ′ (x):
f ′ (x) = (x−3 )′ = −3x−3−1 = −3x−4 = − 34 ←− ∀x ∈ R, (xn )′ = nxn−1
x
′ 3
Logo, f (1) = − 4 = −3 ←− Substitui-se x por 1 em f ′ (x) = − 34
1 x
Opção: D

9/13 11
2012/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

32. 
Qual é a derivada da função f (x) = · 2x x2 ?
A. 2 x x(ln 2 + 2) B. 2 x x(x ln 2 + 2) C. 2 x x(ln x + 2) D. 2 x x(ln x + 2x)
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
f (x) = (2 x · x2 )′ = (2 x )′ x2 + 2 x (x2 )′

←− [ f (x)g(x)]′ = f ′ (x)g(x) + f (x)g′ (x)
= 2 ln 2 · x + 2 · 2x = 2 x · x ln 2 + 2 x · 2
x 2 x x x ←− (2 x )′ = 2 x ln 2 aplicando (a x )′ = a x ln a
= 2 x(x ln 2 + 2)
x
←− Coloca-se o factor comum 2 x x em evidência.
Opção: B
 33. 
Qual é a primeira derivada da função f (x) = ln x2 ?
A. 2 ln x B. 12 C. 2 D. 2x2
x x ln x
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
(x2 )′ 2x = 2 f ′ (x)
f ′ (x) = (ln x2 )′ = 2
= 2
←− [ln f (x)]′ =
f (x)
porque (ln x)′ = 1 .
x
x x x
Opção: C
 34. 
Dada a função f (x) = x3 − 1. Quais são as abcissas dos pontos em que a função tem extremos?
A. x = 1 ∨ x = −1 B. x = −1 C. x = 0 ∨ x = 1 D. x = 0
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
f ′ (x) = (x3 − 1)′ = 3x2 ⋆ Se uma função f (x) tem derivada nula para x = a e f ′ (x)

Resolvendo f (x) = 0, tem-se: 3x = 0 ⇔ x = 0
2 passa nesse ponto de negativa a positiva, a função f (x) tem
Logo, constroi-se a tabela de monotonia e extremos: para x = a um extremo mínimo.
⋆ Se uma função f (x) tem derivada nula para x = a e f ′ (x)
x ··· 0 ··· passa nesse ponto de positiva a negativa, a função f (x) tem
f ′ (x) + 0 + para x = a um extremo máximo.
f (x) ↗ −1 ↗ ⋆ Ainda que f (x) tenha derivada nula para x = a( ou seja
′ ′
f (a) = 0 ), se o sinal de f (x) não muda à direita e à
A função f ′ (x) tem um zero para x = 0, mas a partir da tabela, esquerda, a função f (x) não tem extremos.
nota-se que não muda de sinal à direita e à esquerda desse valor.
Por isso, a função f (x) não tem nenhum extremo.
Opção: Nenhuma
 35. 
A diferença entre dois números é 4. Quais são esses números se o produto dos mesmos for mínimo?
A. −2 e 2 B. −4 e 2 C. −4 e −2 D. 0 e 2
 ⋆2012. Extraordinário 
【Resolução】
Sejam x e y dois números cuja diferença é 4.
Então, tem-se: x − y = 4 ⇔ y = x − 4
Seja p o produto dos dois números. Então tem-se:
p = x · y = x(x − 4) = x2 − 4x ( )2 ( )2
Fazendo o quadrado perfeito, tem-se: p = (x − 2)2 − 4 ←− Quadrado perfeito: x2 + bx = x + b − b
2 2
Como a função p = (x − 2)2 − 4 é quadrática, então o seu ←− As coordenadado do vértice da função quadrática y =
gráfico é uma parabola que tem vértice y a(x − p)2 + q são dadas por (p; q).
2
(2; −4) e tem a concavidade virada para O x Se a > 0, a parábola tem a concavidade virada para
cima e Se a < 0, tem a concavidade virada para baixo.
cima como a figura mostra.
Por isso, para x = 2, p é mínimo.
Logo, y = 2 − 4 = −2. −4 ←− Substitui-se x por 2 em y = x − 4 para ter o valor de y.
Portanto os números são −2 e 2.
Opção: A

10/13 12
2012/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Outra resolução】
Seja p(x) o produto dos dois números x e y cuja diferença é 4.
Então p(x) = x · y = x(x − 4) = x2 − 4x. ←− Como a diferença dos dois números x e y é 4, então
Calcula-se o mínimo da função p(x). x − y = 4 ⇔ y = x − 4.
Como p′ (x) = 2x − 4, o zero da derivada da função p(x) é: ←− (x2 − 4)′ = 2x − 4
2x − 4 = 0 ⇔ 2x = 4 ⇔ x = 2 ←− Há possibilidade de ter um extremo no ponto x = 2.
Constroi-se a tabela de monotonia e extremos:
x ··· 2 ···
p′ (x) − 0 + ←− Se p′ (x) < 0, então p(x) é decrescente.
p(x) ↘ Mín ↗ Se p′ (x) > 0, então p(x) é crescente.
Se p′ (x) = 0, então p(x) é constante.
A partir da tabela, a função p(x) tem o mínimo no ponto x = 2.
Logo, y = 2 − 4 = −2. Portanto os números pedidos são −2 e 2.

Somente para a Secção de Letras


36. 
Qual é a alternativa NÃO correcta?
A. N ∪ Z = Z B. R \ Z = N C. R ∪ N = R D. N ∩ Z = N
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Verifica-se se cada alternativa é correta ou não. ←− R = {Números reais}
Z = {Números inteiros}
A. N ∪ Z = Z porque N ⊂ Z. Logo é correcta.
= {· · · , −3, −2, −1, 0, 1, 2, 3, · · · }
B. R \ Z , N porque R \ Z é exterior de Z e N ⊂ Z. N = {Números naturais} = {1, 2, 3, 4, · · · }
Logo não é correcta. R
Z
N
C. R ∪ N = R porque N ⊂ R. Logo é correcta. N⊂Z⊂R
D. N ∩ Z = N porque N ⊂ Z. Logo é correcta.
Portanto, a solucção é B.
Opção: B
37. 
Qual dos conjuntos é igual a Q = {x ∈ R : x2 + 5x + 6 ≤ 0}?
A. [−3; −2] B. ] − 3; −2] C. ] − ∞; −3] ∪ [−2; +∞[ D. ] − ∞; −3[∪] − 2; +∞[
 ⋆2012. Extraordinário 
【Resolução】
Resolve-se a inequação x2 + 5x + 6 ≤ 0.
x2 + 5x + 6 ≤ 0 ⇔ (x + 2)(x + 3) ≤ 0 ←− Factoriza-se x2 + 5x + 6 aplicando x2 + (a + b)x + ab =
A partir da figura, tem-se: (x + a)(x + b)
−3 ≤ x ≤ −2 −3 −2 x ←− A inequação f (x) ≤ 0 significa o intervalo de x, in-
cluindo os extremos, cujo gráfico está em baixo do
Portanto, Q = {x ∈ R : x2 + 5x + 6 ≤ 0}
eixo das abcissas. A inequação f (x) ≥ 0 significa
= {x : x ∈ [−3; −2]} o intervalo de x, incluindo os extremos, cujo gráfico
Opção: A está em cima do eixo das abcissas.
38. 
Numa pesquisa realizada na loja do senhor João, verificou-se que dos clientes consultados, 120 compram arroz,
150 óleo e 80 compram as duas coisas (arroz e óleo) e 110 clientes não compram nada. Quantos clientes foram
consultados?
A. 300 B. 220 C. 190 D. 110
 2012. Extraordinário 

11/13 13
2012/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
Sejam U- Conjunto dos clientes que foram consultados
A- Conjunto dos clientes que compraram arroz ←− Nota-se que:
O- Conjunto dos clientes que compraram óleo n(A) = 120, n(O) = 150, n(A ∩ O) = 80 e n(A ∪ B) =
Então pode-se construir o diagrama de Venn como a figura 110
mostra.
U
Os clientes que compraram só arroz ←− 120 compraram arroz e 80 compraram arroz e óleo.
são 120 − 80 = 40. A(120) O(150)
Os clientes que compraram só óleo 40 80 70 ←− 150 compraram óleo e 80 compraram arroz e óleo.
são 150 − 70 = 80. Então, os clientes
que foram consultados são: 110
40 + 80 + 70 + 110 = 300
Opção: A
 39. 

Qual é o valor de lim 2 x − 2 ?


x→2 x − 5x + 6
A. −2 B. −1 C. 0 D. 1
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
[ ]
lim 2 x − 2 = 0 = lim x−2
←− Factoriza-se x2 − 5x + 6 utilizando x2 + (a + b)x + ab =
x→2 x − 5x + 6 0 x→2 (x − 3)(x − 2)
(x + a)(x + b).
= lim 1 = 1 = −1 ←− Substitui-se x por 2.
x→2 x − 3 2−3
Opção: B
 40. 
( )x
Qual é o valor de lim 1 − 5x ?
x→∞
A. e5 B. e3 C. e−5 D. e−3
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
( ) Sejam lim f (x) = 1 e limg(x) = ∞. Então tem-se:
( )x 5 −1 ·x x→a x→a
lim [ f (x)−1]·g(x)
lim 1− lim[ f (x)]g(x) = [1∞ ] = ex→a
lim 1 − 5
x = [1∞ ] =e x→∞ x x→a
x→∞ 【Outra resolução】
lim (−5) ( )x ( )x
= ex→∞ = e−5 Como lim 1 + k = ek , então lim 1 − 5 = e−5
Opção: C x→∞ x x→∞ x

Somente para a Secção de Ciências


36. 
Qual é a equação da recta que passa pelo ponto (5; −3) e é paralela à recta y = 2x − 1?
A. y = −2x + 3 B. y = 2x + 3 C. y = −2x − 13 D. y = 2x − 13
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
O declive da recta y = 2x − 1 é 2. ←− O declive de uma recta y = ax + b é a.
Como a recta desejada é paralela à recta y = 2x−1, o seu declive ←− Se as duas rectas y = a1 x + b1 e y = a2 x + b2 são
também é 2. paralelas, então os declives são iguais, isto é: a1 = a2 .
Portanto, a equação da recta que passa pelo ponto (5; −3) e tem
o declive 2 é: y − (−3) = 2(x − 5) ⇔ y = 2x − 13 ←− A equação da recta que passa por (x1 ; y1 ) e tem o de-
Opção: D clive a é dada por y − y1 = a(x − x1 ).
 37. 
Sendo f (g(x)) = 5x − 2 e f (x) = 5x + 4, a que é igual g(x)?
A. x − 2 B. x − 5 C. x − 6 D. 5x − 2
 3 5
2012. Extraordinário 

12/13 14
2012/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
Calcula-se: f (g(x)) = 5g(x) + 4 ←− Substitui-se x por g(x) em f (x) = 5x + 4.
Como f (g(x)) = 5x − 2, tem-se:
5g(x) + 4 = 5x − 2 ⇔ 5g(x) = 5x − 6 ⇔ g(x) = x − 6
5
Opção: C
38. 
Qual é a inversa da função f (x) = log3 (x + 3)?
A. f −1 (x) = 3 x + 3 B. f −1 (x) = 3 x − 3 C. f −1 (x) = 3 x−3 D. f −1 (x) = 3 x+3
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Substituindo f (x) por y, tem-se: y = log3 (x + 3).
Resolve-se em ordem a x:
log3 (x + 3) = y ⇔ . log3 (x + 3) = log3 3y ←− Adopta-se log3 no segundo membro da equação.
⇔ x + 3 = 3y ⇔ x = 3y − 3 ←− Como as bases dos dois membros da equação são
Trocando as variáveis x por y e y por x, tem-se: y = 3 x − 3, que iguais, iguala-se os logaritmandos.
é a função inversa pedida, f −1 (x) = 3 x − 3. ←− Como a função dada é logarítmica, a sua inversa é
Opção: B uma função exponencial.
 39. 
∫ ( )
Qual é a solução de senx + 3 dx?
x
A. cos x + 3 ln x + c B. ln x − cos x + c C. cos x − 3 ln x + c D. 3 ln x − cos x + c
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
Deriva-se a função de cada opção para se encontrar a função
cuja primeira derivada é f (x) = senx + 3 :
x
A. (cos x + 3 ln x + c) = −senx + 3

←− (cos x)′ = −senx; (ln x )′ = 1 ;
x x
′ 1 (c)′ = 0, ∀c ∈ R
B. (ln x − cos x + c) = + senx
x
Definição da função primitiva:
C. (cos x − 3 ln x + c)′ = −senx − 3 Sejam F(x) e f (x) duas funções contínuas. A função F(x)
x
′ 3 é uma primitiva de f (x) para qualquer x do domínio de f (x)
D. (3 ln x − cos x + c) = + senx = f (x) se a derivada de F(x) é igual a f (x). Isto é: F ′ (x) = f (x).
x
Portanto, a opção correcta é D. Definição do integral indefinida:
Opção: D Se f (x) é uma função contínua em R, então chama-se in-

【Outra resolução】 tegral indefinida, à expressáo f (x) dx = F(x) + c, onde
Determina-se a primitiva de f (x) = senx + 3 . F(x) é uma primitiva de f (x) e c é uma constante.

x
O integral de f (x), sendo c ∈ R, é: Se F ′ (x) = f (x)
(x), então f (x) dx = F(x) + c
∫ ( ) ∫ ∫
senx + 3 dx = − cos x + 3 ln x + c ←− senx dx = − cos x + c, 1 dx = ln x + c
x x
40. 
A que é igual o módulo de z = 2 + i?

A. 5 B. 5i C. 25 D. 3i
 2012. Extraordinário 
【Resolução】
√ √
z = 2 + i = 22 + 12 = 5 ←− Dado o número complexo z = a + bi, o módulo de z é

Opção: A dado por z = a2 + b2 .

FIM

13/13 15
República de Moçambique
Matemática Ministério da Educação 1ª Época
12ª Classe / 2012 Conselho Nacional de Exames, Certificação e Equivalências 120 Minutos
Esta prova contém 40 perguntas com 4 alternativas de resposta para cada uma. Escolha a alternativa correcta e
RISQUE a letra correspondente na sua folha de respostas. Responda a todas as primeiras 35 perguntas. As últimas
5 perguntas responda somente às da sua secção (Letras ou Ciências).

【Resolução】
1. 
√3
Considere as seguintes expressões: I : 4 + 1 ; II : 5 + 3 > 3; III : 2x + 1 = 0; IV : 6 ≤ 10. Quais
5
representam proposições?
A. I e II B. I e III C. II e IV D. III e IV
 2012. 1ª época 
【Resolução】
II e IV são proposições porque é possível dizer se são ver- ←− Uma proposição é uma expressão à qual é possível
dadeiras ou falsas. atribuir um valor lógico (verdadeiro ou falso).
I e III não são proposições porque não é possível dizer se são
verdadeiras ou falsas.
Opção: C
2. 
Considere o conjunto M = {−2; −1; 0; 1; 3}. Qual é a proporsição verdadeira?
A. ∀x ∈ M : 2x = 10 B. ∃x ∈ M : 2x = 40 C. ∀x ∈ M : x2 + 9 = 17 D. ∃x ∈ M : x2 > x + 1
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Na proposição D,
para x = −2, tem-se: (−2)2 > (−2) + 1 ⇔ 4 > −1 é V.
Para x = −1, tem-se: (−1)2 > (−1) + 1 ⇔ 1 > 0 é V.
Para x = 3, tem-se: 22 > 2 + 1 ⇔ 4 > 3 é V
A proposição D é verdadeira porque existe pelo menos um ele- ←− Ao símbolo ∀ dá-se o nome de quantificador univer-
mento que pertence a M, tal que x2 > x + 1. sar e lê-se «qual quer que seja».
Ao símbolo ∃ dá-se o nome de quantificador existen-
Opção: D cial e lê-se «existe pelo menos um».
3. 
Qual é o valor de m na equação log2 m = log2 8 + log2 2?
A. 16 B. 8 C. 4 D. 2
 2012. 1ª época 
【Resolução】
log2 m = log2 8 + log2 2 = log2 8 · 2 = log2 16 ←− loga M + loga N = loga M · N
Por isso, tem-se: log2 m = log2 16 ⇔ m = 16 ←− Como as bases de ambos os membros da equação são
Opção: A iguais, pode-se igualar os logaritmandos.
4. 

Qual é a solução da equação x − 2 − 3 = 0?
A. −1 B. 5 C. 7 D. 11
 2012. 1ª época 

1/13 16
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
√ √
A equação x − 2 − 3 = 0 tem a condição: x − 2 ≥ 0 ⇔ x ≥ 2 ←− Expressão algébrica irracional n x:
√ √
Resolve-se a equação: x − 2 − 3 = 0 ⇔ x − 2 = 3 ⋆ Se o índice n é par, então x ≥ 0.
⋆ Se o índice n é ímpar, então x ∈ R.
Elevando ambos os membros da equação ao quadrado, tem-se:

( x − 2)2 = 32 ⇔ x − 2 = 9 ⇔ x = 11 ←− Como 11 > 2, x = 11 satisfaz a condição x ≥ 2.
Opção: D
5. 

Qual é a expressão equivalente a √x + 1 ?


x+1

1 √ x+1
A. B. x + 1 C. D. x + 1

x + 1 x+1 
2012. 1ª época
【Resolução】

x + 1 = (x + 1) · x + 1 √
√ √ √ ←− Racionaliza-se a fracção, multiplicando por x+1
x+1 x + 1√ x + 1 ambos os membros da fracção.
(x + 1) x + 1 √
= = x+1 ←− Simplifica-se x + 1.
x+1
Opção: B
6. 

1 −3 1
Qual é o valor numérico de 1 0 −2 ?
3 −1 −4
A. −3 B. −2 C. 2 D. 3
 2012. 1ª época 

【Resolução 】
1 −3 1
a b c
1 0 −2 = 1 · 0 · (−4) + (−3) · (−2) · 3 + 1 · 1 · (−1) ←− d

f = aei + b f g + cdh − (gec + dbi + ah f )

e

3 −1 −4 g h i
−[3 · 0 · 1 + 1 · (−3) · (−4) + 1 · (−1) · (−2)]
= 0 + 18 − 1 − (0 + 12 + 2) = 17 − 14 = 3
Opção: D
7. 
Qual é o valor de cos(−3660◦ )?
√ √
3 3
A. − B. − 1 C. 1 D.
2 2 2 2
 2012. 1ª época 
【Resolução】
cos(−3660◦ ) = cos 3660◦ ←− sen(−α) = −senα; cos(−α) = cos α
α;
= cos(60◦ + 3600◦ ) = cos(60◦ + 360◦ × 10) tg(−α) = −tgα; cotg(−α) = −cotgα

= cos 60◦ = 1 ←− Sendo n ∈ Z, tem-se:


2 sen(α+360◦ ×n) = senα; cos(α + 360◦ × n) = cos αα;
Opção: C
tg(α + 180◦ × n) = tgα; cotg(α + 180◦ × n) = cotgα
8. 

Qual é a expressão simplificada de cos 2x ?


cos x − senx
A. 2 + senx B. senx + cos x C. −cotgx D. − 1
senx
 2012. 1ª época 

2/13 17
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
= cos x − sen x
cos 2x 2 2
←− Fórmula do ângulo duplo:
cos x − senx cos x − senx
(cos x − senx)(cos x + senx) ⋆sen2x = 2senx cos x; ⋆ cos 2x = cos2 x − sen2 x
= 2tgx 1 − tg2 x
cos x − senx ⋆tg2x = ; ⋆cotg2x =
= cos x + senx = senx + cos x 1 − tg x
2 2tgx
Opção: B
9. 
Considere a inequação − x ≤ 0. Qual é a solução?
A. { } B. ] − ∞; 0[ C. ]0; +∞[ D. R
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Multiplicando por −1 ambos os membros da inequação, ←− Quando se multiplica ambos os membros da in-
tem-se: x ≥ 0 equação por um número negativo, o sinal da desigual-
dade muda de sentido.
∀x ∈ R, x ≥ 0 é sempre verdadeira. ←− ∀x ∈ R, x ≥ 0
Opção: D
10. 
Qual é a soma das raízes da equação 3 + x = 2?
A. −6 B. −5 C. −4 D. −1
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Primeiro, calcula-se as raízes da equação:
3 + x = 2 ⇔ 3 + x = ±2 ⇔ x = −3 ± 2 ⇔ x = −1 ∨ x = −5 ←− Equação modular do tipo x = aa, onde a ≥ 00:
Segundo, calcula-se a soma das raízes: (−1) + (−5) = −6 ⋆ x = a ⇔ x = ±a
Opção: A
11. 
Sendo nC
2 = 45, n > 2 qual é o valor de n?
A. 90 B. 45 C. 10 D. 9
 2012. 1ª época 
【Resolução】 p factores
z }| {
n C = C2 = An = n(n − 1)
2
Anpn(n − 1)(n − 2) · · · (n − p + 1)
2 n ←− Cnp = =
2! 2 p! p(p − 1)(p − 2) · · · 3 · 2 · 1
Como n C2 = 45, tem-se:
n(n − 1)
= 45 ⇔ n(n − 1) = 90
2
⇔ n2 − n − 90 = 0 ⇔ (n − 10)(n + 9) = 0 ←− Fatoriza-se n2 − n − 90
⇔ n = 10 ∨ n = −9 aplicando x2 + (a + b)x + ab = (x + a)(x + b)
Como n > 2, então n = 10. ←− n = −9 não satisfaz a condição n > 2.
Opção: C
12. 
Quantos números de três algarismos diferentes podem ser escritos com os algarismos do conjunto M =
{1; 3; 7; 8; 9}?
A. 10 B. 30 C. 60 D. 125
 2012. 1ª época 

3/13 18
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
O conjunto M tem 5 elementos. Deseja-se o número total das ←− An é o número total das maneiras possiveis de es-
p

maneiras diferentes possíveis de escolher 3 elementos dentre 5 colher p elementos dentre n elementos e permutar
os p elementos entre si. Quando interessa a ordem,
elementos e permutar os 3 elementos entre si. aplica-se um arranjo Anp . Quando não interessa a or-
Como interessa a ordem, trata-se de um arranjo de 5 elementos dem, aplica-se uma combinação Cnp .
tomados 3 a 3, isto é:
A35 = 5| ·{z
4 ·}
3 = 60 ←− Anp = n! = n(n − 1)(n − 2) · · · (n − p + 1)
(n − p)! | {z }
3 factores p factores

Opção: C
13. 
Duas moedas são lançadas uma vez ao mesmo tempo. Qual é a probabilidade de ao caírem, apresentarem faces
idênticas?
A. 1 B. 1 C. 3 D. 1
4 2 4
 2012. 1ª época 
【Resolução】
A probabildade de cairem com duas caras é: 1 · 1 = 1 ←− Ao lançar uma moeda, a probabilidade de cair com
2 2 4
A probabilidade de cairem com duas coroas é também: uma cara e tabmém com uma coroa é 1 .
2
1 · 1 = 1 【Outra resolução】
2 2 4 Designa-se por C1 : cara e C2 : coroa.
A probabilidade pedida é igual à probabilidade de cairem com Os acontecimentos possíveis são 2 · 2 = 4 que são os
duas caras ou duas coroas. seguintes: C1 C1 ; C1 C2 ; C2 C1 ; C2 C2
Portanto a probabilidade pedida é: 1 + 1 = 2 = 1 O número de casos favoráveis é 2 que são os
4 4 4 2 seguintes: C1 C1 ; C2 C2
Opção: B Logo, a probabilidade é: 2 = 1 .
 14.
4 2 
Uma caixa contém dez camisas das quais quatro são de mangas compridas. Extrai-se duas ao acaso. Qual é a
probabilidade de que nenhuma das camisas extraídas seja de mangas compridas?
A. 1 B. 1 C. 2 D. 2
5 3 5 3
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Esta caixa contém 10 camisas das quais 4 são de mangas com-
pridas e 6 são de mangas não compridas..
O número de casos possíveis é C210 porque se escolhem 2 ←− Cnp é o número total das maneiras possíveis de escol-
camisas dentre 10 camisas. her p elementos dentre n elementos. Quando não in-
2
E o número de caso favoráveis é C6 porque se escolhem 2 teressa ordem, trata-se de uma combinação.
p factores
camisas de mangas não compridas dentre 6 camisas de man- n
z }| {
Ap n(n − 1) · · · (n − r + 1)
gas não compridas. Cp =
n
=
p! p(p − 1)(p − 2) · · · 3 · 2 · 1
6·5
C26 2 6 · 5 1
Por isso, a probabilidade pedida é: 2 = 10·9 = = ←− A probabilidade de um acontecimento A é dada por:
C10 10 · 9 3
2 P(A)= número de casos favoráveis
Opção: B número de casos possíveis
 15. 
Qual é a ordem do termo 3 na sucessão dada por an = 2n − 1?
A. 2 B. 3 C. 4 D. 5
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Para se obter a ordem do termo 3 nesta sucessão, resolve-se a ←− an significa o termo da ordem n.
equação an = 3:
an = 3 ⇔ 2n − 1 = 3 ⇔ 2n = 4 ⇔ n = 2
Opção: A

4/13 19
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

16. 
Qual é o termo geral da sucessão: 2; 6; 18; . . . ?
A. an = 2 · 2n−1 B. an = 3 · 2n−1 C. an = 2 · 3n−1 D. an = 3 · 3n−1
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Como o quociente é constante 3, esta sucessão é uma PG em ←− 2, 6, 18, . . .
que a1 = 2 e q = 3.
×3 ×3 ×3
Então, o termo geral é: an = a1 · qn−1 ⇔ an = 2 · 3n−1 ←− O termo geral de uma PG é dado por an = a1 qn−1
Opção: C
17. 
Qual é a característica correcta que corresponde a sucessão an = 5 + 2−3n ?
A. Constante B. Decrescente C. Crescente D. Oscilante
 2012. 1ª época 
【Resolução】
an+1 − an = 5 + 2−3(n+1) − (5 + 2−3n ) = 2−3n−3 − 2−3n ←− Substituindo n por n + 1 em an = 5 + 2−3n , obtém-se
an+1 = 5 + 2−3(n+1) .
= 2−3n · 2−3 − 2−3n = 2−3n · 1 − 2−3n ←− 2−3n−3 = 2−3n · 2−3 ; 2−3 = 13 = 1
( ) ( 8 ) 2 8
=2 −3n 1 −1 =2 · 1−8
−3n
←− Coloca-se em evidência o factor comum 2−3n , como
8
( ) 8 A · B − A = A(B − 1)
7 ( )
−3n
=2 · − <0 ←− Como 2−3n > 0 e − 7 < 0, então 2−3n · − 7 < 0.
8 8 8
Conclui-se que an+1 − an < 0. Portanto, an é decrescente. ←− Uma sucessão an é crescente se ∀n ∈ N, an+1 − an > 0
Opção: B Uma sucessão an é decrescente se ∀n ∈ N, an+1 − an <
0
18. 
De uma progressão aritmética sabe-se que o quarto termo é 17 e o décimo terceiro termo é 62. Quais são,
respectivamente, os valores do 1◦ termo e da diferença?
A. −5 e 5 B. 2 e 5 C. 1 e 7 D. 5 e 17
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Como o quarto termo da sucessão é 17 e o décimo terceiro
termo é 62, então tem-se o seguinte sistema:
 


a4 = 17 

a1 + (4 − 1)d = 17

 ⇔ ←− O termo geral de uma PA é dada por: an = a1 +(n−1)d
a13 = 62 a1 + (13 − 1)d = 62 Logo, neste caso, a4 = a1 + (4 − 1)d e a13 = a1 + (13 −



a1 + 3d = 17 · · · ⃝
1
1)d.
⇔
a1 + 12d = 62 · · · ⃝2

Calculando ⃝ 1 −⃝ 2 , tem-se: −9d = −45 ⇔ d = 5 ←− a1 + 3d = 17


Substituindo d por 5 em ⃝ 1 , tem-se: a1 + 3 · 5 = 17 ⇔ a1 = 2 −) a1 + 12d = 62
Por isso, os valores do 1◦ termo e da diferença são, respectiva- − 9d = −45
mente, 2 e 5.
Opção: B
19. 
Sabendo que o lucro semanal da venda de automóveis cumpre a ordem (2000; 4000; 8000; . . . ), qual é o lucro
obtido durante as primeiras 10 semanas?
A. 1024 B. 2046 C. 1024000 D. 2046000
 2012. 1ª época 

5/13 20
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
Como o quociente entre dois termos consectivos da sucessão é ←− 2000, 4000, 8000, . . .
constante 2, esta sucessão é uma PG em que a1 = 2000 e q = 2.
×2 ×2 ×2
O lucro obtido durante as primeiras 10 semanas é igual à soma
dos 10 primeiros termos, isto é:
2000(1 − 210 )
S 10 = = −2000(−1023) = 2046000 ←− A soma dos n primeiros termos de uma PG é dada
1−2 a1 (1 − qn )
Opção: D por: S n =
1−q
20. 
Dados os conjuntos M = {a; b; c} e N = {1; 2; 3; 4} considere a relação R : M → N
representada na figura. Qual das opções é relação inversa de R?
A. R−1 = {(1; a), (4; a), (3; b), (2; c)} M
N
1
B. R−1 = {(a; 1), (a; 4), (b; 3), (c; 2)} a
2
−1 b
C. R = {(4; a), (2; c)} 3
c
4
D. R−1 = {(1; a), (2; c)}
 2012. 1ª época 
【Resolução】 N
M
Pela leitura da figura, tem-se: R−1 1
R = {(a; 1), (a; 4), (b; 3), (c; 2)} a
2
Portanto, a relação inversa de R é; b
3
R−1 = {(1; a), (4; a), (3; b), (2; c)} c
4
Opção: A
21. 
Qual é o contradomínio da relação R = {(x; y) : 2x + y = 8}, com x e y pertencentes ao conjunto N?
A. { } B. N C. {0; 1; 2; 3; 4} D. {0; 2; 4; 6; 8}
 2012. 1ª época 
【Resolução】
2x + y = 8 ⇔ y = −2x + 8
Começa-se por substituir x = 0. ←− N = {Números naturais} = {0, 1, 2, 3, 4, 5, . . . }
Se x = 0, então y = −2 · 0 + 8 = 8 ∈ N. ←− y = 8 ∈ CDR .
Se x = 1, então y = −2 · 1 + 8 = 6 ∈ N. ←− y = 6 ∈ CDR .
Se x = 2, então y = −2 · 2 + 8 = 4 ∈ N. ←− y = 4 ∈ CDR .
Se x = 3, então y = −2 · 3 + 8 = 2 ∈ N. ←− y = 2 ∈ CDR .
Se x = 4, então y = −2 · 4 + 8 = 0 ∈ N. ←− y = 0 ∈ CDR .
Se x = 5, então y = −2 · 5 + 8 = −2 < N. ←− y = −2 < CDR .
Continuando aumentar os valores de x, nota-se que para x ≥ 5,
já não é possível y ∈ N.
Por isso, o contradomínio de R é: {0; 2; 4; 6; 8}

Opção: D 
22.
Qual é o gráfico que representa a função y = x + 2 com x; y ∈ R?
A. y B. y C. y D. y
4
2
2 2
−2 O x
4 4 O x
−2
O x O x
 2012. 1ª época 

6/13 21
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
O coeficiente de x da função y = x + 2 é 1 > 0. Por isso, o ←− Função do 1◦ grau f (x) = ax + b:
gráfico é crescente. E como a ordenada na origem é 2, o gráfico ⋆Se a > 0, então f é crescente.
passa pelo ponto (0; 2). Se a < 0, então f é decrescente.
Se a = 0, então f é constante.
Então, a opção C representa o gráfico da função y = x + 2 ⋆O gráfico passa pelo ponto (0; b)
Opção: C
23. 
2◦
Qual é a abcissa do vértice do gráfico de uma função do grau, cujos zeros são −7 e −1?
A. −4 B. −2 C. 2 D. 4
 2012. 1ª época 
【Resolução】
A abcissa do ponto médio dos zeros é: ←− Sejam A(x1 ; y1 ) e B(x2 ; y2 ) dois pontos. Então, o
( )
−7 + (−1) x1 + x2 y1 + y2
= −4 ponto médio do segmento AB é
2
;
2
.
2
Como a abcissa do vértice do gráfico de uma função do 2◦ grau ←−
é igual à abcissa do ponto médio dos zeros da função, então a x1 +x2

solução é −4. 2
x1 x2 x
Opção: A
24. 

Qual é o valor do lim 1 − cos x?


x→0 x2
A. 2 B. 1 C. 1 D. 1
2 4
 2012. 1ª época 
【Resolução】
[ ]
1 − cos x (1 − cos x)(1 + cos x)
lim = 0 = lim ←− Multiplica-se pelo conjugado 1 + cos x de 1 − cos x o
x→0 x 2 0 x→0 x2 (1 + cos x) numerador e o denominador.
= lim 21 − cos x
2
←− (1−cos x)(1+cos x) = 1−cos2 x porque (a−b)(a+b) =
x→0 x (1 + cos x)
a2 − b2 .
2
= lim 2 sen x ←− Como sen2 x + cos2 x = 1, então 1 − cos2 x = sen2 x.
x→0 x (1 + cos x)
( )2
= lim senx · 1
x→0 x 1 + cos x
= 12 · 1 = 1 ←− Limite notável: lim senx = 1;
1+1 2 x→0 x
Opção: C cos 0 = 1
 25. 
1
Qual é o valor do lim (1 + x) ?x
x→0

A. e2 B. e C. e D. 1
e
 2012. 1ª época 
【Resolução】
1
lim (1 + x) x = e ←− Limite notável: ( )x
x→0
⋆ lim 1 + 1 = e
1
Opção: B ⋆lim(1 + x) x = e;
x→0 x→∞ x
26. 



 x2 se x ≤ −3
Considere a função f (x) = 
 . Qual é o valor de lim − f (x)?
2x + 15 se x > −3 x→−3

A. −3 B. 0 C. 3 D. 9
 2012. 1ª época 

7/13 22
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
Quando x se aproxima de −3 pela esquerda, x < −3.
Logo, quando x → −3− , f (x) = x2 . ←− f (x) = x2 , se x ≤ −3.
Então o limite lateral à esquerda de x = −3 é:
lim − f (x) = lim − x2 = (−3)2 = 9 ←− Substitui-se f (x) por x2 .
x→−3 x→−3
Opção: D
27. 



4x + 1 se x < 3
Considere a função f (x) = 
 . Qual deve ser o valor de k para que a função seja contínua
k + 3 se x ≥ 3
no ponto de abcissa x = 3?
A. 1 B. 3 C. 10 D. 13
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Para que a função seja contínua em x = 3, é necessário que: ←− f (x) é contínua no ponto de abcissa x = a
lim− f (x) = lim+ f (x) = f (3) ⇐⇒ ∃lim f (x) e lim f (x) = f (a)
x→a x→a
x→3 x→3
⇐⇒ lim− f (x) = lim+ f (x) = f (a)
O limite lateral à esquerda de x = 3 é: x→a x→a

lim− f (x) = lim− (4x + 1) = 4 · 3 + 1 = 13 ←− Quando x → 3− , isto é, x < 3, f (x) = 4x + 1.


x→3 x→3
O limite lateral à direita de x = 3 é:
lim+ f (x) = lim+ (k + 3) = k + 3 ←− Quando x → 3+ , isto é, x > 3, f (x) = k + 3.
x→3 x→3
O valor da função no ponto x = 3 é: f (0) = k + 3 ←− f (x) = k + 3, se x = 3
Como estes são iguais, tem-se:
k + 3 = 13 ⇔ k = 10
Opção: C
28. 
Qual é a primeira derivada da função f (x) = + 2x + 2?
4x2

A. f (x) = 8x + 2 ′
B. f (x) = 4x + 2 C. f ′ (x) = x + 4 D. f ′ (x) = x + 2
 2012. 1ª época 
【Resolução】
f ′ (x) = 4 · 2x + 2 · 1 + 0 = 8x + 2 ←− (x2 )′ = 2x e (x)′ = 1 porque ∀n ∈ R, (xn )′ = nxn−1 ;
Opção: A (2)′ = 0 porque ∀k ∈ R, (k)′ = 0

29. 
Qual é a primeira derivada da função f (x) = · cos x? ex
A. e x senx B. e x (cos x + senx) C. e x (senx − cos x) D. e x (cos x − senx)
 2012. 1ª época 
【Resolução】
f ′ (x)
= (e x · cos x)′ = (e x )′ · cos x + e x · (cos x)′ ←− [ f (x) · g(x)]′ = f ′ (x)g(x) + f (x)g′ (x)
= e x cos x + e x (−senx) = e x (cos x − senx) ←− (e x )′ = e x ; (cos x)′ = −senx
Opção: D
30. 

Qual é a primeira derivada da função y = x2 − 1?
A. √ 2 B. √ 2x C. √ x D. √
x
x −1
2 x2 − 1 x2 − 1 2 x2 − 1
 2012. 1ª época 

8/13 23
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
= √1
y′ · (x2 − 1)′ = √ 2x = √ x ←− Derivada de uma função composta:
2 x −1
2 2 x −1
2 x2 − 1 [√ ]′ √
Opção: C f (x) = √1 1
· f ′ (x) porque ( x)′ = √
2 f (x) 2 x
31. 
Qual é a segunda derivada de cos x?
A. cos x B. senx C. −senx D. − cos x
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Sendo f (x) = cos x, a primeira derivada de f (x) é:
f ′ (x) = (cos x)′ = −senx ←− (cos x)′ = −senx
Logo, a segunda derivada de f (x) é:
f ′′ (x) = (−senx)′ = − cos x ←− (senx)′ = cos x
Opção: D A segunda derivada é a derivada da primeira derivada.
 32. 
Qual é a equação da recta tangente ao gráfico f (x) = x − x no ponto de P(0; 0)?
3

A. x + y = 0 B. x − y = 0 C. x + y + 1 = 0 D. x + y − 1 = 0
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Calcula-se f ′ (x): f ′ (x) = 3x2 − 1
A abcissa do ponto P(0; 0) é 0.
Então, o declive da recta tangente ao gráfico f (x) = x3 − x no ←− f ′ (a) é igual ao declive da recta tangente ao gráfico de
ponto P(0; 0) é igual a f ′ (0), isto é: f (x) em x = a.

f (0) = 3 · 0 − 1 = −1
2
←− Substuitui-se x por 0 em f ′ (x) = 3x2 − 1.
Como a recta tangente tem o declive −1 e passa por (0; 0), a
equação da recta tangente é dada por:
y − 0 = −1(x − 0) ⇔ y = −x ⇔ x + y = 0 ←− A equação da recta que passa pelo ponto (x1 ; y1 ) e tem
Opção: A o declive m é dada por: y − y1 = m(x − x1 )
 33. 
Considere a função representada. Quais são as abcissas dos pontos em que a função NÃO é derivável?
y
A. x = −3 e x = 2 3
2
B. x = −2 e x = 2
−2
−3 2 x
C. x = 0 e x = 2
−2
D. x = −3 e x = −2
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Calcula-se as derivadas laterais de f (x) em x = −2 e x = 2.
Pela leitura da figura, a derivada lateral à esquerda de −2 é:
f ′ (−2− ) = −2 − 0 = −2 ←− f ′ (−2− ) é igual ao declive da recta da esquerda do
−2 − (−3) ponto x = −2.
E a derivada lateral à direita de −2 é:
2 − (−2)
f ′ (−2+ ) = =1 ←− f ′ (−2− ) é igual ao declive da recta da esquerda do
2 − (−2) ponto x = 0.
Como f ′ (−2− ) , f ′ (−2+ ), então não é derivável em x = −2. ←− Uma função é derivável num ponto x = a se e só se é
De mesmo modo, a derivada lateral à esquerda de 2 é: derivável à esquerda e à direita do mesmo ponto e as
2 − (−2) derivadas laterais são iguais: f ′ (a+ ) = f ′ (a− )
f ′ (2− ) = =1
2 − (−2)

9/13 24
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

A derivada lateral à direita de 2 é 0 porque a recta da direita do


ponto de x = 2 é uma função constante.
Como f ′ (1− ) , f ′ (1+ ), então também não é drivável em x = 2. ←− Se f ′ (a+ ) = f ′ (a− ), então f (x) é derivável em x = a.
Por isso, a função não é derivável nos pontos x = −2 e x = 2.
Opção: B
【Outra resolução】
Observando o gráfico, é claro que os declives das rectas da es- y
querda e da direita do ponto x = −2 são diferentes.
Como os declives das rectas da esquerda e da direita do ponto
−2
x = −2 são iguais a f ′ (−2− ) e f ′ (−2+ ) respectivamente, tem-se: O x
2
f ′ (−2− ) , f ′ (−2+ ).
Também como os declives das rectas da esquerda e da direita
do ponto x = 2 são diferentes, então f ′ (2− ) , f ′ (2+ ).
Por isso, a função não é derivável nos pontos x = −2 e x = 2. ←−O ponto anguloso não é derivável.
34. 
Em que intervalo a função f (x) = − 12x é crescente?
x3
A. ] − ∞; −2[ B. [−2; 2] C. ] − ∞; −2[∪]2; +∞[ D. ] − ∞; −2] ∪ [2; +∞[
 2012. 1ª época 
【Resolução】
f ′ (x)
= 3x2 − 12 ←− (x3 − 12x)′ = 3x2 − 12
Para que f seja cresente, é necessário que f ′ (x) > 0. ←− Se f ′ (x) > 0, então f é crescente.
Logo, resolve-se a inequação f ′ (x) > 0. Se f ′ (x) < 0, então f é decrescente.
f ′ (x) > 0 ⇔ 3x2 − 12 > 0 ⇔ x2 − 4 > 0
⇔ (x − 2)(x + 2) > 0 ⇔ x < −2 ∨ 2 < x ←−
Por isso, conclui-se que:
x
f é crescente no intervalo ] − ∞; −2[∪]2; +∞[. −2 2
Opção: C
【Outra resolução】
Calcula-se os zeros de f ′ (x): O gráfico da função y = x3 − 12x representa-se:
f ′ (x) = 0 ⇔ 3x2 − 12 = 0 ⇔ x2 − 4 = 0 y
16
⇔ (x − 2)(x + 2) = 0 ⇔ x = 2 ∨ x = −2 f (x) = x3 − 12x
Constroi-se a tabela de monotonia e extremos:
2
x ··· −2 ··· 2 ··· x
′ −2O
f (x) + 0 − 0 +
f (x) ↗ Máx ↘ Mín ↗
−16
A partir da tabela, couclui-se que f (x) é crescente no intervalo
] − ∞; −2[∪]2; +∞[.
35. 
A Maria decompôs o número 20 em duas parcelas x e y. Quais são essas parcelas se o seu produto é máximo?
A. x = 0 e y = 20 B. x = 10 e y = 10 C. x = 8 e y = 12 D. x = 4 e y = 16
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Pela condição, tem-se: x + y = 20 ⇔ y = −x + 20
Seja p o produto dos números. Então tem-se:
p = x · y = x(−x + 20) ←− Substitui-se y por −x + 20
Calcula-se o valor de x quando p é máximo. ( )2 ( )2
p = x(−x + 20) = −x2 + 20x = −(x2 − 20x) ←− Quadrado perfeito: x2 + bx = x + b − b
2 2
= −[(x − 10)2 − 102 ] = −(x − 10)2 + 100

10/13 25
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

Então o gráfico da função é uma y ←− As coordenadas de uma função quadrática y = a(x −


parábola do vertice (10; 100) e tem a 100 p)2 + q são (p; q) e se a < 0, o gráfico tem a concavi-
concavidade virada para baixo como a dade volatada para baixo.
figura mostra.
Por isso, para x = 10,
O 10 x
p é máximo.
Logo, y = −10 + 20 = 10. ←− Substitui-se x por 10 em y = −x + 20 para ter o valor
Portanto os números são 10 e 10. de y.
Opção: B
【Outra resolução】
Seja p o produto dos dois números x e y cuja soma é 20.
Então p = x · y = x(−x + 20) = −x2 + 20x. ←− x + y = 20 ⇔ y = −x + 20
Calcula-se o máximo da função p(x).
Como p′ = 2x + 20, o zero da derivada da função p é: ←− (−x2 + 20x)′ = −2x + 20
−2x + 20 = 0 ⇔ −2x = −20 ⇔ x = 10 ←− Há possibilidade de ter um extremo no ponto x =
Constroi-se a tabela de monotonia e extremos: −10.
x ··· 10 ···
p′ + 0 − ←− Se f ′ (x) < 0, então f (x) é decrescente.
p ↗ Máx ↘ Se f ′ (x) > 0, então f (x) é crescente.
Se f ′ (x) = 0, então f (x) é constante.
A partir da tabela, a função p tem o máximo no ponto x = 10.
Logo, y = −x + 20 = −10 + 20 = 19.
Por isso, os números pedidos são 10 e 10.

Somente para a secção de Letras

36. 
Se M = {x ∈ R : 2 < x < 5} e N = {x ∈ R : 3 ≤ x < 8}. Qual das afirmações é verdadeira?
A. M ∩ N = [3; 5[ B. M ∪ N = [3; 5] C. M ∩ N = [3; 5] D. M ∪ N = [3; 5[
 2012. 1ª época 
【Resolução】 M
N
M ∩ N = [3; 5[ e M ∪ N =]2; 8[ ←−
Opção: A 2 3 5 8 2 3 5 8
M∩N M∩N
37. 
Sejam M e N dois conjuntos definidos no universo U. Qual é a expressão simplificada de M ∪ (M ∪ N)?
A. ∅ B. U C. M ∪ N D. M ∩ N
 2012. 1ª época 
【Resolução】
M ∪ (M ∪ N) = (M ∪ M) ∪ N ←− Propriedade assosiativa: A ∪ (B ∪ C) = (A ∪ B) ∪ C
=U∪N =U ←− Sejam A qualquer conjunto e U conjunto universsal.
Então;
Opção: B A ∪ A = U; A ∩ A = ∅; A ∪ U = U; A ∩ U = A
38. 
Numa escola de 630 alunos, 350 estudam matemática, 260 estudam português e 90 estudam as duas disciplinas.
Quantos alunos NÃO estudam nenhuma das disciplinas?
A. 110 B. 170 C. 260 D. 520
 2012. 1ª época 

11/13 26
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
Sejam U- Conjunto de todos os alunos da escola;
M- Conjunto dos alunos que estudam Matemática; ←− Nota-se que:
P- Conjunto dos alunos que estudam Português. n(U) = 630, n(M) = 350, n(P) = 90 e n(M ∩ P) = 90
Pode-se construir o diagrama de Venn como a figura mostra.
Os alunos que gostam só de Matemática U(630)
são: 350 − 90 = 260 M(350) ←− 350 estudam matemática e 90 estudam as duas dici-
Os alunos que gostam só de Português P(260) plinas.
são: 260 − 90 = 170 260 90 170 ←− 260 estudam potugês e 90 estudama as duas dici-
Por isso, os alunos que não estudam plinas.
nenhuma das disciplinas são:
630−(260+90+170) = 630−520 = 110
Opção: A
 39. 
√ √
Qual é o valor do lim ( x + 1 + x)?
x→+∞

A. −1 B. 0 C. 1 D. +∞

4 
2012. 1ª época
【Resolução】
√ √
lim ( x + 1 + x) = +∞ ←− Não é nenhuma indeterminação. ∞ + ∞ = ∞
x→+∞
Opção: D
40. 

Qual é o valor de lim x − 5x + 4 ?


2

x→1 x−1
A. −4 B. −3 C. −2 D. −1
 2012. 1ª época 
【Resolução】
[ ]
x 2 − 5x + 4 (x − 4)(x − 1)
lim = 0 = lim ←− x2 − 5x + 4 = (x − 4)(x − 1) porque x2 + (a + b)x + ab =
x→1 x−1 0 x→1 x−1 (x + a)(x + b)
= lim (x − 4) = 1 − 4 = −3 ←− Substitui-se x por 1.
x→1
Opção: B

Somente para a secção de Ciências


36. 
Qual é a equação da recta paralela à recta de equação y = x + 2?
A. y = −x + 2 B. y = x + 4 C. y = 2x − 3 D. y = 2x + 1
 2012. 1ª época 
【Resolução】
O declive da recta y = x + 2 é 1. ←− O declive de uma recta y = ax + b é a.
Como a recta desejada é paralela à recta y = x + 2, o seu declive ←− Se as duas rectas y = ax+b e y = a′ x+b′ são paralelas,
também é 1. Das opções dadas, somente a função y = x + 4 da então os declives são iguais, isto é, a = a′ .
opção B tem o declive 1.
Logo, a opção correcta é B.
Opção: B
 37. 

Sendo f (x) = 2x e g(x) = 1 , qual é o domínio de (go f )(x)?


x+2
A. R \ {2} B. R \ {−2} C. R \ {1} D. R \ {−1}
 2012. 1ª época 

12/13 27
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
Determina-se (go f )(x): (go f )(x) = g( f (x)) = g(2x) = 1
←− Seja f e g duas funções. Então ( f og)(x) = f (g(x)).
2x + 2
Então, o domínio de (go f )(x) é:
←− O denominador é diferente de zero.
2x + 2 , 0 ⇔ 2x , −2 ⇔ x , −1 ⇔ x ∈ R \ {−1}
Opção: D
 38. 

Qual é a inversa da função f (x) = x + 5 ?


x−2
A. x + 2 B. x − 2 C. 2x + 5 D. 2x + 5
x−5 x+5 x−1 x−2
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Substituindo f (x) por y, tem-se: y = x + 5 . ←− Passos para obter a expressão da função inversa
x−2
Resolve-se em ordem a x: 1. Substitui-se f (x) por y.

y = x + 5 ⇔ (x − 2)y = x + 5 ⇔ xy − 2y = x + 5 2. Resolve-se em ordem a x.


x−2 3. Trocam-se as variáveis x por y e y por x.
2y + 5
⇔ xy − x = 2y + 5 ⇔ x(y − 1) = 2y + 5 ⇔ x =
y−1
Trocando as variáveis x por y e x por y, tem-se: y = 2x + 5 ,
x−1
−1
que é a função inversa pedida, f (x) = 2x + 5
x−1
Opção: C
 39. 
Qual é o conjugado de z = (3 + i) − (2 + 5i)?
A. z = 1 − 4i B. z = 1 + 4i C. z = −4i D. z = (3 + i) + (2 + 5i)
 2012. 1ª época 
【Resolução】
z = (3 + i) − (2 + 5i) = 3 + i − 2 − 5i = 3 − 2 + i − 5i = 1 − 4i ←− (a + bi) + (c + di) = (a + c) + (b + d)i
Por isso, o conjugado de z = 1 − 4i é: z = 1 + 4i. ←− O conjugado de z = a + bi é: z = a − bi.
Opção: B
 40. 

Qual é a solução do integral 3 dx?

A. 3x + c B. 1 x + c C. 3 + c D. 1 + c
3 3
 2012. 1ª época 
【Resolução】
Deriva-se a função de cada opção para se encontrar a função Definição da função primitiva:
cuja primeira dericada é 3. Sejam F(x) e f (x) duas funções contínuas. A função F(x)
( )′ é uma primitiva de f (x) para qualquer x do domínio de f (x)
A. (3x + c)′ = 3 B. 1 x + c = 1 se a derivada de F(x) é igual a f (x). Isto é: F ′ (x) = f (x).
(3 )′ 3

C. (3 + c) = 0 D. 1 +c =0
Definição do integral indefinida:
3 ∫ Se f (x) é uma função contínua em R, chama-se integral

indefinida, à expressáo f (x) dx = F(x) + c, onde F(x) é
Na opção A, como (3x + c)′ = 3, tem-se: 3 dx = 3x + c uma primitiva de f (x) e c é uma constante.

Opção: A Se F ′ (x) = f (x)
(x), então f (x) dx = F(x) + cc.
【Outra resolução】
∫ ∫
3 dx = 3x + c ←−Como (kx + c)′ = k, k dx = kx + cc.

FIM

13/13 28
República de Moçambique
Matemática Ministério da Educação 2ª Época
12ª Classe / 2012 Conselho Nacional de Exames, Certificação e Equivalências 120 Minutos
Esta prova contém 40 perguntas com 4 alternativas de resposta para cada uma. Escolha a alternativa correcta e
RISQUE a letra correspondente na sua folha de respostas. Responda a todas as primeiras 35 perguntas. As últimas
5 perguntas responda somente à da sua secção (Letras ou Ciências).

【Resolução】
1. 
Qual é a proposição equivalente ∼ (a ∨ b)?
A. a ∨ b B. ∼ a∧ ∼ b C. ∼ a∨ ∼ b D. ∼ (a ∧ b)
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Pelas primeiras leis de De Morgan, tem-se: ←− Primeiras leis de De Morgan:
∼ (a ∨ b) =∼ a∧ ∼ b Se p e q são duas proposições quaisquer, então:
Opção: B ⋆ ∼ (p ∨ q) =∼ p∧ ∼ q; ⋆ ∼ (p ∧ q) =∼ p∨ ∼ q

2. 
Considere a seguinte tabela:
Quais são os valores de x, t e z, respectivamente?

A. VVV p q ∼p ∼q p∧ ∼ q ∼p⇔q
B. VVF V V F F F t
V F F V x V
C. FVF F V V F F z
F F V V F F
D. VFV
 2012. 2ª época 
【Resolução】
O valor de x é V porque V ∧ V é V. ←− p ∧ q só é V se ambas as proposições p e q são V.
O valor de t é F porque F ⇔ V é F. ←− p ⇔ q só é V se ambas as prposições p e q têm o
O valor de z é V porque V ⇔ V é V. mesmo valor lógico.
Opção: D
3. 
( ) √
Qual é o valor de log2 32 − log3 1 − 2 log 32?
32
27
A. 1 B. 5 C. 7 D. 8
 2012. 2ª época 
【Resolução】
( ) √
log2 32 − log3 1 − 2 log32 32
27

= log2 25 − log3 3−3 − 2 log32 32 2
1
←− 1n = a−n ;
1
a = a2
a
= 5 − (−3) − 2 · 1 = 7 ←− loga a n = n
2
Opção: C

1/15 29
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

4. 

Qual é a equação cujas raízes são − 7 e 1?


2
A. 2x2 + 5x − 7 = 0 B. 2x2 − 5x − 7 = 0 C. −2x2 + 5x − 7 = 0 D. −2x2 − 5x − 7 = 0
 2012. 2ª época 
【Resolução】
A equação cujas raízes são − 7 e 1 é dada por:
( ) 2
k x+ 7 (x − 1) = 0, onde k ∈ R ←− A equação cujas raízes são x1 e x2 é dada por:
2 k(x − x1 )(x − x2 ) = 0, onde k ∈ R
Se k = 2, então a equação fica:
( )
2 x + 7 (x−1) = 0 ⇔ (2x+7)(x−1) = 0 ⇔ 2x2 +5x−7 = 0 ←− (2x + 7)(x − 1) = 2x2 − 2x + 7x − 7 = 2x2 + 5x − 7
2
Por isso, a solução é a opção A.
Opção: A
【Outra resolução】
Verifica-se se − 7 e 1 são as raízes da equação da opção A a ←− Dada a equação f (x) = 0. Se f (a) = 0, então a é uma
2 raíz da equação f (x) = 0.
apartir do método de substituição:
Substituindo x por − 7 na equação 2x2 + 5x − 7 = 0, tem-se:
2
( )2 ( ) ( )
2 · − 7 + 5 · − 7 − 7 = 49 − 35 − 7 = 14 − 7 = 0 ←− Como f − 7 = 0, − 7 é uma raíz da equação.
2 2 2 2 2 2 2
Substituindo x por 1 na equação 2x2 + 5x − 7 = 0, tem-se:
←− Como f (1) = 0, 1 é uma raíz da equação.
2 · 12 + 5 · 1 − 7 = 0
Por isso, − 7 e 1 são as raízes da equação 2x2 + 5x − 7 = 0 da ←− As equações das opções B, C e D não satisfazem
2 ( )
opção A. f − 7 = 0 e f (1) = 0.
2
5. 
Qual é a soma das raízes da equação x3 + 3x2 − 4x = 0?
A. −4 B. −3 C. 0 D. 1
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Primeiro, calcula-se as raízes da equação:
x3 + 3x2 − 4x = 0 ⇔ x(x2 + 3x − 4) = 0 ←− Coloca-se o factor comum x em evidência.
⇔ x(x + 4)(x − 1) = 0 ←− Factoriza-se x2 +3x−4 aplicando x2 +(a+b)x+ab = 0.
⇔ x = 0 ∨ x = −4 ∨ x = 1
Por fim, a soma das raízes da equação é: 0 + (−4) + 1 = −3
Opção: B
6. 

1 1 1
Considere a equação 3 1 3 = 4. Qual é o valor de k?
k 2 2
A. 1 B. 2 C. 3 D. 4
 2012. 2ª época 
【Resolução 】
1 1 1
a b c

3 1 3 = 1 · 1 · 2 + 1 · 3 · k + 1 · 3 · 2 − (k · 1 · 1 + 3 · 1 · 2 + 1 · 2 · 3) ←− d e f = aei + b f g + cdh − (gec + dbi + ah f )

k 2 2 g h i

= 2 + 3k + 6 − (k + 6 + 6) = 2k − 4
Por isso, tem-se: 2k − 4 = 4 ⇔ k = 4
Opção: D

2/15 30
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

7. 

Qual é o valor numérico da expressão 2 + 3 ?


2 − sen30◦ 3 + 3 cos 60◦
A. 5 B. 8 C. 2 D. 8
3 3
 2012. 2ª época 
【Resolução】
θ 0◦ 30◦ 45◦ 60◦ 90◦
2 + 3 = 2 + 3
√ √
2 − sen30◦ 3 + 3 cos 60◦ 2− 1 3+3· 1 1 2 3
senθ 0 1
2 2 2 2 2
√ √
= 2 + 3 3 2 1
cos θ 1 0
3 9 2 2 2

2 2 3 √
tgθ 0 1 3 @
3
= 4 + 6 = 4 + 2 = 6 =2 √

3 9 3 3 3 cotgθ @ 3 1
3
0
Opção: C 3

8. 

Qual é a expressão simplificada de 1 ?


cos x(tgx + 1)
A. 1 B. 1 C. 1 D. 1
cos x + senx cos x(tgx + 1) cos x − senx 2 cos x
 2012. 2ª época 
【Resolução】
1 = 1
cos x(tgx + 1) cos x · tgx + cos x
= 1
senx ←− Fórmula: tgx = senx ; cotgx = 1 = cos x
cos x · + cos x cos x tgx senx
cos x
= 1 = 1
senx + cos x cos x + senx
Opção: A
9. 
Que valores, k pode tomar, para que a equação 3x − 2 = 4 − k NÃO tenha solução?
A. k ∈] − ∞; 4] B. k ∈] − ∞; 4[ C. k ∈]4; +∞[ D. k ∈ [4; +∞[
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Como 3x − 2 ≥ 0, para que a equação 3x − 2 = 4 − k não ←− O módulo de qualquer número real é sempre maior
tenha solução, é necessário que: 4 − k < 0 igual a 0, isto é, ∀x ∈ R, x ≥ 0.
Resolve-se a inequação 4 − k < 0:
4 − k < 0 ⇔ −k < −4 ⇔ k > 4 ⇔ k ∈]4; +∞[ ←− Se multiplicar pelo número negativo ambos os mem-
bros da inequação, então o sinal de desigualdade
Opção: C muda de sentido.
10. 
Qual é a solução da inequação 3 + x ≥ 2?
A. ] − ∞; −5] ∪ [−1; +∞[ B. ] − ∞; −5[∪] − 1; +∞[ C. [−5; −1] D. R
 2012. 2ª época 
【Resolução】
3 + x ≥ 2 ⇔ 3 + x ≥ 2 ∨ 3 + x ≤ −2 ←− Inequações modulares: ⋆ x ≥ a ⇔ x ≥ a ∨ x ≤ −a
⇔ x ≥ −1 ∨ x ≤ −5 ⋆ x ≤ a ⇔ x ≤ a ∧ x ≥ −a
⇔ x ∈] − ∞; −5] ∪ [−1; +∞[ ←− x ≤ −5 x ≥ −1
Opção: A
−5 −1 x

3/15 31
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

11. 
Sendo = 110, n > 2, qual é o valor de n?
A2n
A. {−10; 11} B. {−11; 10} C. {−10} D. {11}
 2012. 2ª época 
【Resolução】 z }|
p factores
{
n!
= 110 ⇔ n(n − 1) = 110 ⇔ n2 − n = 110
A2n ←− A np =
(n − p)!
= n(n − 1)(n − 2) · · · (n − p + 1)
⇔ n2 − n − 110 = 0 ⇔ (n − 11)(n + 10) = 0 ←− Factoriza-se n2 −n−110 aplicando x2 +(a+b)x+ab =
⇔ n = 11 ∨ n = −10 (x + a)(x + b)
Como n > 2, tem-se: n = 11 ←− n = −10 não satisfaz a condição n > 2.
Opção: D
12. 
n! + (n + 1)!
Qual é a expressão equivalente a ?
(n − 1)!
C. n + n D. n + 1
2
A. n2 + 2n B. n2 − 2n
2 n−1
 2012. 2ª época 
【Resolução】
n! + (n + 1)! (n − 1)! + (n + 1)n(n
n(n (n − 1)!
= ←− n! = n(n
(n − 1)(n − 2) · · · 3 · 2 · 1 = n · (n − 1)!
1)!;
(n − 1)! (n − 1)!
(n + 1)! = (n + 1)n(n
(n − 1) · · · 2 · 1 = (n + 1)n(n (n − 1)!
(n − 1)! · [n + (n + 1)n]
= ←− Coloca-se o factor comum (n − 1)! em evidência.
(n − 1)!
= n + (n + 1)n = n + n2 + n = n2 + 2n
Opção: A
13. 
De quantas maneiras diferentes três amigos podem se posicionar numa fila para tirar uma fotografia?
A. 3 B. 6 C. 9 D. 12
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Deseja-se o número total das maneiras diferentes de permutar ←− Pn = n! é o numero total das maneiras de permutar n
3 elementos numa fila. Então trata-se de uma permutação de 3 elementos numa fila.
elementos, isto é: P3 = 3! = 6 Calcula-se: Pn = n! = n(n − 1)(n − 2)(n − 3) · · · 3 · 2 · 1
Opção: B
14. 
Uma bola é retirada de uma sacola contendo 5 bolas verdes e 7 amarelas. Qual é a probabilidade da bola
retirada ser de cor verde?
A. 1 B. 1 C. 1 D. 5
12 7 5 12
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Como 5+7 = 12, então esta sacola contém um total de 12 bolas.
Então, o número de casos possíveis é C112 porque retira-se 1 bola ←− Escolhe-se 1 elemento dentre 12 elementos =⇒ C112
dentre 12 bolas.
O número de casos favoráveis é C15 porque retira-se 1 bola verde ←− Escolhe-se 1 elemento dentre 5 elementos =⇒ C112
dentre 5 bolas verdes.
Portanto, a probabilidade pedida é: ←− A probabilidade de um acontecimento A é dada por:
1
C5 5 P(A)= número de casos favoráveis
= ←− Cn = n
1 número de casos possíveis
C112 12
Opção: D

4/15 32
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

15. 
Qual é o termo geral da sucessão 1; −5; −11; −23; . . . ?
A. an = 6n − 5 B. an = 7 − 6n C. an = 6n + 75 D. an = −6n
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Considerando os três primeiros termos da sucessão dada:
Como a diferença entre dois termos consecutivos é constante ←− 1, −5, −11, . . .
−6, esta sucessão é uma PA em que a1 = 1 e d = −6. −6 −6 −6
Então, o termo geral desta PA é dado por:
an = 1 + (n − 1) · (−6) = −6n + 7 = 7 − 6n ←− O termo geral de uma PA é a n = a1 + (n − 1)d.
Opção: B O termo geral de uma PG é a n = a1 q n−1 .

Depois do 3 termo, para que a sucessão dada seja uma PA é
necessário acrescentar o 4◦ termo −17, sem o qual nenhuma
das opções dadas é solução.
 16. 
Qual é a ordem do termo 4 na sucessão dada por an = 2n − 6?
A. 2 B. 3 C. 5 D. 6
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Resolve-se a equação an = 4: ←− an significa o termo da ordem n.
an = 4 ⇔ 2n − 6 = 4 ⇔ 2n = 10 ⇔ n = 5 Então, a solução da equação an = 4 é a ordem do
Opção: C termo 4.
17. 
Os extremos de uma progressão aritmética de 5 termos são 1 e 13. Qual é a soma de todos os termos dessa
sucessão?
A. 7 B. 14 C. 35 D. 70
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Pela condição, tem-se: a1 = 1 e a5 = 13
Então, a soma de todos os termos desta PA é: ←− A soma dos n primeiros termos é dada por;
n(a1 + an ) 5(1 + 13) n[2a1 + (n − 1)d] n(a1 + an )
Sn = ⇔ S5 = = 35 Sn =
2
ou S n =
2
2 2
Opção: C
 18. 
Quais são os três primeiros termos de uma progressão geométrica em que o sétimo termo é 192 e o segundo é
6?
A. 1; 6; 36 B. 3; 6; 9 C. 2; 6; 10 D. 3; 6; 12
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Pela condição tem-se: a7 = 192 e a2 = 6
Como an = a1 qn−1 , tem-se o seguinte sistema: ←− O termo geral de uma PG é dado por an = a1 qn−1


a1 q = 192 ⇔ a1 q · q = 192 · · · ⃝
6 5 1


 a1 q = 6 · · · ⃝
2

Substituindo ⃝ 2 em ⃝1 , tem-se:

6q = 192 ⇔ q5 = 32 ⇔ q5 = 25 ⇔ q = 2
5
←− Numa igualdade de duas potências com mesmo ex-
Substituindo q por 2 em ⃝ 2 , tem-se: a1 · 2 = 6 ⇔ a1 = 3 poente ímpar iguala-se as bases, isto é, se m é um
número ímpar, então am = bm ⇔ a = b.
Portanto, o termo geral desta PA é: an = a1 qn−1 ⇔ an = 3 · 2n−1
Numa igualdade de duas potências com mesmo ex-
Logo, tem-se: a3 = 3 · 23−1 = 3 · 4 = 12 poente par iguala-se as bases, isto é, se m é um
Portanto, os três primeiros termos são 3; 6; 12. número par, então am = bm ⇔ a = ±b.
Opção: D

5/15 33
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

19. 

Qual é o valor da soma 1 + 1 + 1 + · · · ?


3 9
A. 2 B. 4 C. 3 D. ∞
3 3 2
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Isto é a soma de todos os termos de uma PG em que a1 = 1 e ←− 1, 1 , 1 , . . .
3 9
q= 1.
3 × 13 × 13 × 13
Como q < 1, a soma de todos os termos desta PG é:
a1
1 + 1 + 1 + ··· = 1 1 = = 12 = 3 ←− A soma de todos os termos de uma PG em que q < 1
3 9 1− 3 1 − q 2 é dada por: S =
a1
.
3
1−q
Opção: C
20. 
Dados os conjuntos M = {1; 2; 3} e N = {1; 3; 4; 5} e a relação R = {(x; y) ∈ M × N : y = 2x − 1}
Qual dos gráficos representa a relação R?
A. y B. y C. y D. y
5 5 5 5
4 4 4 4
3 3 3 3
2 2 2 2
1 1 1 1
1 2 3 x 1 2 3 x 1 2 3 4 x 1 2 3 4 x
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Se x = 1, então y = 2 · 1 − 1 = 1. ←− Substitui-se x por 1 em y = 2x − 1.
Logo, o gráfico da relação R passa pelo ponto (1; 1). ←− Se f (a) = b, então o gráfico da função y = f (x) passa
Se x = 2, então y = 2 · 2 − 1 = 3. pelo ponto (a; b).
Logo, o gráfico da relação R passa pelo ponto (2; 3).
Se x = 3, então y = 2 · 3 − 1 = 5. ←− Substitui-se x por 3 em y = 2x − 1.
Logo, o gráfico da relação R passa pelo ponto (3; 5).
Por isso, a opção A representa a relação R. ←− Apenas o gráfico da opção A passa pelos três pontos
Opção: A (1; 1), (2; 3) e (3; 5).

21. 
Na função f (x) = ax + b sabe-se que f (−2) = 8 e f (−1) = 2. Quais são os valores de a e b?
A. a = −4; b = −6 B. a = −6; b = −4 C. a = 6; b = 4 D. a = 4; b = 6
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Calcula-se f (−2) e f (−1):
f (−2) = a · (−2) + b = −2a + b ←− Substitui-se x por −2 em f (x) = ax + b.
f (−1) = a · (−1) + b = −a + b ←− Substitui-se x por −1 em f (x) = ax + b.
Como f (−2) = 8 e f (−1) = 2 , tem-se o sistema seguinte:



−2a + b = 8 · · · ⃝1


−a + b = 2 · · · ⃝ −2a + b = 8
2
−) − a + b = 2
Calculando ⃝1 −⃝ 2 , tem-se: −a = 6 ⇔ a = −6 ←− − a = 6
Substituindo a por −6 na equanção ⃝
2 , tem-se:
−(−6) + b = 2 ⇔ b = −4
Opção: B

6/15 34
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

22. 
Qual é o contradomínio da função f (x) = (x − 1)(x − 5) definida sobre o domínio D = {1; 2; 3; 4; 5}?
A. CD = {−4; −3; 0} B. CD = {−4; 0; 3} C. CD = {0; 3; 4} D. CD = {4; 3; 0}
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Calcula-se f (1), f (2), f (3), f (4) e f (5):
f (1) = (1 − 1)(1 − 5) = 0 · (−4) = 0 ←− Substuitui-se x por 1 em f (x) = (x − 1)(x − 5).
f (2) = (2 − 1)(2 − 5) = 1 · (−3) = −3 ←− Substuitui-se x por 2 em f (x) = (x − 1)(x − 5).
f (3) = (3 − 1)(3 − 5) = 2 · (−2) = −4 ←− Substuitui-se x por 3 em f (x) = (x − 1)(x − 5).
f (4) = (4 − 1)(4 − 5) = 3 · (−1) = −3 ←− Substuitui-se x por 4 em f (x) = (x − 1)(x − 5).
f (5) = (5 − 1)(5 − 5) = 4 · 0 = 0
Por isso, tem-se: CD = {−4; −3; 0} ←− Ao conjunto das imagens chama-se contradomínio e
representa-se por CD.
Opção: A Observação: As opções C e D dadas são iguais.
23. 

x+2−2
Qual é o valor de lim ?
x→2 x−2

A. 0 B. 1 C. 1 D. 2
4
 2012. 2ª época 
【Resolução】
√ [ ] √ √
x+2−2 0 x+2−2 x+2+2 √ √
lim = = lim · √ ←− Multiplica-se pelo conjugado x + 2 + 2 de x + 2 −
x→2 x−2 0 x→2 x−2 x+2+2 2.
(x + 2) − 4 √ √ (√ )2
= lim √ ←− ( x + 2−2)( x + 2+2) = x + 2 −22 = (x+2)−4
x→2 (x − 2)( x + 2 + 2)

= lim x−2

x→2 (x − 2)( x + 2 + 2)

= lim √ 1 = √1 = 1 ←− Substitui-se x por 2.


x→2 x+2+2 4+2 4
Opção: B
24. 

Qual é o valor de lim 5x2 − 2x ?


x→+∞ −3x4 + 2x3 − x2

A. − 5 B. − 3 C. 0 D. +∞
3 5
 2012. 2ª época 
【Resolução】
[ ] 5x2 −2x
lim 5x2 − 2x = − ∞ = lim x4
←− Para levantar a indeterminação do tipo ∞ ou − ∞ ,
x→+∞ −3x4 + 2x3 − x2 ∞ x→+∞ −3x4 +2x3 −x2 ∞ ∞
x4 divide-se o numerador e o denominador pela potência
5
x2
− 2
x3
máxima.
= lim Neste caso, como o denominador é do 4◦ grau, divide-
−3 + 2x − x12
x→+∞
se o numerador e o denominador por x4 .
= 0−0 =0
−3 + 0 − 0
Opção: C
【Outra resolução】
Como o grau do denominador é maior que o grau do numerador,
tem-se:
5x2 − 2x =0
lim ←− Se o grau do denominador é maior que o grau do nu-
x→+∞ −3x4 + 2x3 − x2
merador, então o limite quando x → ∞ é zero.

7/15 35
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

25. 
De uma função sabe-se que: O domínio de f é R+ , lim f (x) = 0 e lim f (x) = −∞.
x→+∞ x→0
Qual dos gráficos pode ser o gráfico de f ?
A. y B. y C. y D. y

x x 1 x x

 ⋆2012. 2ª época 
【Resolução】
Determina-se o domínio, lim f (x) e lim f (x) de cada função
x→+∞ x→0
dos gráficos das opções dadas:
A. D f = R \ {0}; lim f (x) = 0; lim f (x) = +∞ ←− Como a recta x = 0 é uma AV, então D f = R \ {0}.
x→+∞ x→0 Como quando x → +∞, f (x) se aproxima de 0,
B. D f = R \ {0}; lim f (x) = 0; lim f (x) = −∞ lim f (x) = 0.
x→+∞
x→+∞ x→0
Como lim+ f (x) = lim− f (x) = +∞,lim f (x) = +∞.
x→0 x→0 x→0
C. D f = R+ ; lim f (x) = +∞; @lim f (x) ←− Como o gráfico coloca-se à direita do eixo das orde-
x→+∞ x→0 nadas, D f = R+ . Como quando x → +∞, f (x) tende
D. D f = R+ ; lim f (x) = 0; @lim f (x) para +∞, lim = +∞.
x→+∞
x→+∞ x→0
Como @ lim− f (x), então @lim f (x).
Por isso, não há nenhuma solução correcta. x→0 x→0

Opção: Nenhuma
Observação:
Para que haja solução, é necessário que a última condição dada
lim f (x) = −∞ passe para lim+ f (x) = −∞.
x→0 x→0
A solução seria a opção D.
Ou:
A primeira condição dada o domínio de f é R+ passe para o
domínio de f é R \ {0}. A solução seria a opção B.

26. 



−x2 + 1, se x ≤ 1
Qual é o valor de m de modo que a função f (x) = 
 seja contínua no ponto x = 1?
2x + m, se x > 1
A. −2 B. −1 C. 1 D. 2
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Para que a função seja contínua em x = 1, é necessário que: ←− f (x) é contínua no ponto de abcissa x = a
lim− f (x) = lim+ f (x) = f (1) ⇐⇒ ∃lim f (x) e lim f (x) = f (a)
x→a x→a
x→1 x→1
⇐⇒ lim− f (x) = lim+ f (x) = f (a)
O limite lateral de f (x) à esquerda de x = 1 é: x→a x→a

lim− f (x) = lim− (−x2 + 1) = −12 + 1 = 0 −


←− Quando x → 1 , isto é, x < 1, f (x) = −x2 + 1.
x→1 x→1
O limite lateral de f (x) à direita de x = 1 é:
lim+ f (x) = lim+ (2x + m) = 2 · 1 + m = 2 + m ←− Quando x → 1+ , isto é, x > 1, f (x) = 2x + m.
x→1 x→1
O valor de f (x) no ponto x = 1 é: f (1) = 2 · 1 + m = 2 + m ←− Quando x = 1, f (x) = 2x + m.
Como estes são iguais, tem-se: 2 + m = 0 ⇔ m = −2
Opção: A

8/15 36
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

27. 
Considere o gráfico da função f (x) representado na figura:
Quais são as abcissas dos pontos em que a função não é derivável?
y
A. −1 e 0

B. 0 e 2

C. −1 e 3
−3 −2 −1 1 2 3 4 x
D. 2 e 3
 2012. 2ª época 
【Resolução】 y
Observando o gráfico, é claro que os declives das rectas da es-
querda e da direita do ponto x = −1 são diferentes.
Como os declives das rectas da esquerda e da direita do ponto
x = 0 são iguais a f ′ (−1− ) e f ′ (−1+ ) respectivamente, tem-se: −3 −2 −1 1 2 3 4 x
f ′ (−1− ) , f ′ (−1+ ).
Por isso, a função f (x) não é derivável no ponto x = −1. ←−Em geral, o ponto anguloso não é derivável.
Como a função f (x) é descontínua no ponto x = 3, a função
f (x) não é derivável no ponto x = 3. ←−Se uma função f (x) é descontínua no ponto x = a,
Por isso, a função não é derivável nos pontos x = −1 e x = 3. então a função f (x) não é derivável nesse ponto.
Opção: C
28. 
Qual é a primeira derivada da função f (x) = (x2 + 1)(x2 − 1)?
A. 2x2 B. 4x3 C. x2 + 1 D. 4(x3 + x2 )
 2012. 2ª época 
【Resolução】
f ′ (x) = [(x2 + 1)(x2 − 1)]′ ←− Derivada do produto de duas funções:
= (x2 + 1)′ (x2 − 1) + (x2 + 1)(x2 − 1)′ ⋆[ f (x)g(x)]′ = f ′ (x)g(x) + f (x) + g′ (x)
= 2x(x2 − 1) + (x2 + 1) · 2x ←− (x2 + 1)′ = 2x porque ∀n ∈ R, (xn )′ = nxn−1 e ∀k ∈
= 2x3 − 2x + 2x3 + 2x = 4x3 R, (k)′ = 0.
Opção: B
【Outra resolução】
f (x) = (x2 + 1)(x2 − 1) = x4 − 1 ←− (a − b)(a + b) = a2 − b2
Então, tem-se: f ′ (x) = (x4 − 1)′ = 4x3 ←− (x4 )′ = 4x4−1 = 4x3 ; (1)′ = 0
29. 

Qual é a primeira derivada da função f (x) = ex ?


x
e x (x − 1)
B. e −2 x D. e −2 1
x x
A. e x C.
x x2 x
 2012. 2ª época 
【Resolução】
( x )′
(e x )′ · x − e x · (x)′
f ′ (x) = e = ←− Derivada do quociente de duas funções:
x x2 [ ]′
f (x) f ′ (x)g(x) − f (x)g′ (x)
⋆ =
e x = e (x − 1)
x
= e x−
x g(x) [g(x)]2
←− (e x )′ = e x ; (x)′ = 1
x2 x2
Opção: C

9/15 37
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

30. 

Sendo f (x) = 2x4 + 2, qual é o valor de f ′ (1)?
A. 1 B. 2 C. 3 D. 4
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Calcula-se f ′ (x):
(√ )′ 1 (√ )′ ( √ )′
f ′ (x) = 2x4 + 2 = √ · (2x4 + 2)′ ←− f (x) = √
1 · f ′ (x) porque x = √1 .
2 2x + 2
4 2 f (x) 2 x

= √ 2 · 4x 3
= √ 4x
3
←− (2x4 + 2)′ = 2 · 4x3 + 0
2 2x4 + 2 2x4 + 2
Logo, tem-se: f ′ (1) = √ 4 · 1
3
= √4 = 4 = 2
3
←− Substitui-se x por 1 em f ′ (x) = √ 4x
2 · 14 + 2 4 2 2x4 + 2
Opção: B
 31. 
Qual é a primeira derivada de f (x) = ln(x2 − 1)?
A. 2 ln(x2 − 1) B. ln(2x) C. 2x D. 2x
ln(x2 − 1) x2 −1
 2012. 2ª época 
【Resolução】
(x2 − 1)′
f ′ (x) = [ln(x2 − 1)]′ = = 22x ←− [ln f (x)]′ =
f ′ (x)
porque (ln x)′ = 1 .
x2 − 1 x −1 f (x) x
Opção: D (x2 − 1)′ = 2x − 0 = 2x.
32. 
Qual é a segunda derivada de senx?
A. − cos x B. −senx C. senx D. cos x
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Seja f (x) = senx.
Então, a primeira derivada de f (x) é: f ′ (x) = (senx)′ = cos x ←− Derivada da função seno: (senx)′ = cos x
Logo, a segunda derivada de f (x) é: f ′′ (x) = (cos x)′ = −senx ←− Derivada da função co-seno: (cos x)′ = −senx
Opção: B ⋆ A segunda derivada de f (x) é a derivada da primeira
derivada de f (x), isto é, f ′′ (x) = [ f ′ (x)]′ .
33. 
A diferença entre dois números é 4. Quais são esses números se o produto dos mesmos for mínimo?
A. −2 e 2 B. 0 e 4 C. −6 e −2 D. 4 e 8
 ⋆2012. 2ª época 
【Resolução】
Sejam x e y dois números cuja diferença é 4.
Então, tem-se: x − y = 4 ⇔ y = x − 4
Seja p o produto dos dois números. Então tem-se:
p = x · y = x(x − 4) = x2 − 4x ( )2 ( )2
Fazendo o quadrado perfeito, tem-se: p = (x − 2)2 − 4 ←− Quadrado perfeito: x2 + bx = x + b − b
2 2
Como a função p = (x − 2)2 − 4 é quadrática, então o seu ←− As coordenadadas do vértice da função quadrática y =
gráfico é uma parabola que tem vértice y a(x − p)2 + q são dadas por (p; q).
2
(2; −4) e tem a concavidade virada para O x Se a > 0, então a parábola tem a concavidade virada
para cima e se a < 0, então tem a concavidade virada
cima como a figura mostra.
para baixo.
Por isso, para x = 2, p é mínimo.
Logo, y = 2 − 4 = −2. −4 ←− Substitui-se x por 2 em y = x − 4 para ter o valor de y.
Portanto os números pedidos são −2 e 2.
Opção: A

10/15 38
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Outra resolução】
Seja p(x) o produto dos dois números x e y cuja diferença é 4.
Então p(x) = x · y = x(x − 4) = x2 − 4x. ←− Como a diferença dos dois números x e y é 4, então
Calcula-se o mínimo da função p(x). x − y = 4 ⇔ y = x − 4.
Como p′ (x) = 2x − 4, o zero da derivada da função p(x) é: ←− (x2 − 4)′ = 2x − 4
2x − 4 = 0 ⇔ 2x = 4 ⇔ x = 2 ←− Há possibilidade de ter um extremo no ponto x = 2.
Constroi-se a tabela de monotonia e extremos:
x ··· 2 ···
p′ (x) − 0 + ←− Se p′ (x) < 0, então p(x) é decrescente.
p(x) ↘ Mín ↗ Se p′ (x) > 0, então p(x) é crescente.
Se p′ (x) = 0, então p(x) é constante.
A partir da tabela, a função p(x) tem o mínimo no ponto x = 2.
Logo, y = 2 − 4 = −2. Portanto os números pedidos são −2 e 2.
34. 
Qual é a equação da recta tangente ao gráfico da função f (x) = − 3x + 5 em x = 2?
x3
A. x − 3y + 11 = 0 B. 9x − y + 11 = 0 C. 9x + y − 11 = 0 D. 9x − y − 11 = 0
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Sabe-se que o valor de f ′ (2) é igual ao declive da recta tangente ←− O valor de f ′ (a) é igual ao declive da recta tangente
ao gráfico de f (x) em x = 2. ao gráfico de f (x) em x = a.
Como f ′ (x) = 3x2 − 3, então f ′ (2) = 3 · 22 − 3 = 9. ←− f ′ (x) = (x3 − 3x + 5)′ = 3x2 − 3 · +0 = 3x2 − 3
Logo, o declive da recta tangente é 9.
Como f (2) = 23 − 3 · 2 + 5 = 7, o gráfico da recta tangente passa ←− Se f (a) = b, então o gráfico da função de y = f (x)
pelo ponto (2; 7). passa pelo ponto (a; b).
Por isso, a equação da recta tangente é:
y − 7 = 9(x − 2) ⇔ y = 9x − 11 ⇔ 9x − y + 11 = 0
Opção: B
35. 
Em que intervalo a função f (x) = − 12x é decrescente?
x3
A. ] − ∞; 12[ B. ]12; +∞[ C. [−2; 2] D. ] − 2; 2[
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Calcula-se: f ′ (x) = 3x2 − 12 ←− (x3 − 12x)′ = 3x2 − 12 · 1 = 3x2 − 12
Para que f (x) seja decrescente num intervalo, é necessário que ←− Se f ′ (x) > 0, então f (x) é crescente.
f ′ (x) < 0 nesse intervalo. Se f ′ (x) < 0, então f (x) é decrescente.
Resolve-se a inequação f ′ (x) < 0:
y = (x − 2)(x + 2)
3x2 − 12 < 0 ⇔ x2 − 4 < 0 ⇔ (x − 2)(x + 2) < 0
⇔ −2 < x < 2 ←−
Por isso, conclui-se que f (x) é decrescente em ] − 2; 2[. −2 2 x
Opção: D
【Outra resolução】
Calcula-se os zeros de f ′ (x): O gráfico da função y = x3 − 12x representa-se:
f ′ (x) = 0 ⇔ 3x2 − 12 = 0 ⇔ x2 − 4 = 0 y
16
⇔ (x − 2)(x + 2) = 0 ⇔ x = 2 ∨ x = −2 f (x) = x3 − 12x
Constroi-se a tabela de monotonia e extremos:
2
x ··· −2 ··· 2 ··· x
−2O
f ′ (x) + 0 − 0 +
f (x) ↗ Máx ↘ Mín ↗
−16
A partir da tabela, couclui-se que f (x) é decrescente em ]−2; 2[.

11/15 39
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

Somente para a Secção de Letras


36. 
Sendo M = {a; b; c; d; e} e N = {a; b}, a que é igual o conjunto M \ N?
A. {a; b; c; d; e} B. {c; d; e} C. {a; b; e} D. {a; b; c; d; e}
 2012. 2ª época 
【Resolução】 M
M\N e
A diferença de M e N é: c ←− A \ B = {x|x ∈ A e x < B}
M \ N = {c; d; e} N
d a b A B
A\B

Opção: B
37. 
Sendo M e N dois conjuntos definidos no universo U, qual é a opção equivalente a M ∩ (M ∪ N)?
A. U B. ∅ C. M ∪ N D. M ∩ N
 2012. 2ª época 
【Resolução】
M ∩ (M ∪ N) = (M ∩ M) ∪ (M ∩ N) ←− Lei Distributiva: A ∩ (B ∪ C) = (A ∩ B) ∪ (A ∩ C)
= ∅ ∪ (M ∩ N) ←− Lei do Complementar: A ∩ A = ∅
= M∩N ←− Lei de Identidade: ∅ ∪ A = A
Opção: D
38. 
Um exame continha apenas duas questões. Sabe-se que 100 examinandos acertaram as duas questões e 170
acertaram a primeira questão. Quantos examinandos acertaram somente a primeira questão?
A. 30 B. 70 C. 270 D. 365
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Sejam:
U- Conjunto dos examinados;
A - Conjunto dos examinados que acertaram a 1ªquestão; ←− Nota-se que:
B - Conjunto dos examindados que acertaram a 2ªquestão. n(A ∩ B) = 100 e n(A) = 170
Então pode-se construir o diagrama U
de Venn como a figura mostra. A(170) B
Os examinados que acertaram so- 70 100
100
mente a 1ª questão são:
170 − 100 = 70 ←− 170 examindados acertaram a 1ª questão e 100 acer-
Opção: B taram as duas questões.

39. 
Qual é a abcissa do vértice do gráfico da função g(x) = x2 − 2x?
A. 1 B. 2 C. 3 D. 4
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Fazendo quadrado perfeito, tem-se: ( )2 ( )2
g(x) = x2 − 2x = (x − 1)2 − 12 = (x − 1)2 − 1 ←− Quadrado perfeito: x2 + ax = x + a − a
2 2
Por isso, a abcissa do vértice da função f (x) = x2 − 2x é 1. ←− As abcissas do vértice do gráfio de uma função y =
Opção: A (x − p)2 + q são ( p; q).

12/15 40
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Outra resolução】
Pela fórmula, a abcissa do vértice do gráfico da função g(x) = ←− Dada a função quadrática y = ax2 + bx + c. Então, as
( )
x2 − 2x é: − −2 = 1 coordenadas do vértice são − b ; − ∆ , onde ∆ =
2·1 2a 4a
【Outra resolução】 b2 − 4ac.
Calcula-se os zeros da função g(x):
g(x) = 0 ⇔ x2 − 2x = 0 ⇔ x(x − 2) = 0 ⇔ x = 0 ∨ x = 2
0+2 =1
Então, o ponto médio dos dois zeros é: ←− O ponto médio entre os dois pontos (x1 ; y1 ) e (x2 ; y2 )
2 ( )
x + x2 y1 + y2
é dado por 1 ; .
Porisso, a abcissa do vértice do gráfico da função g(x) = x2 −2x 2 2
é 1. ←− Sejam x1 e x2 os zeros da função qudrática. Então, a
x1 + x2
abcissa do vértice da função é .
2
40. 
Qual das funções é sobrejectiva?
A. y B. y C. y D. y

x
x x x

 2012. 2ª época 

【Resolução】
O gráfico da função da opção B rep- y ←− ⋆Se cada uma das rectas palalelas ao eixo de xx cor-
resenta uma função bijectiva porque tar o gráfico em um só ponto ou não cortar o gráfico
cada uma das rectas paralelas ao eixo de uma função, então a função é injectiva.
das ordenadas corta o gráfico em um ⋆Se cada uma das rectas palalelas ao eixo de xx cortar
o gráfico uma função em um ou mais pontos, então a
só ponto. x função é sobrejectiva.
Como a função da opção B é bijectiva, ⋆Se cada uma das rectas palalelas ao eixo de xx cortar
então é sobrejectiva. o gráfico uma função em um só ponto , então a função
A função da opção A não é injectiva é bijectiva. (Se uma função for simultaneamente in-
nem sobrejectiva. jectiva e sobrejectiva, a função é bijectiva.)
A funções da opções C e D são injectivas mas não são sobrejec-
tivas.
Opção: B
【Outra resolução】
Das opções dadas, só a função da opção B tem o contradomínio ←− O contradomínio de uma função sobrejectiva é R.
R. Por isso, a função da opção B é sobrejectiva.

13/15 41
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

Somente para a Secção de Ciências

36. 
Qual é a equação geral da recta que passa pelo ponto P(−3; 2) e tem coeficiente angular igual a 2?
A. 2x + y + 6 = 0 B. x + 2y + 2 = 0 C. 2x − y + 8 = 0 D. x − 2y + 6 = 0
 2012. 2ª época 
【Resolução】
A equação geral da recta que passa pelo ponto P(−3; 2) e tem ←− A equação da recta que passa pelo ponto (x1 ; y1 ) e tem
coeficiente angular igual a 2 é dada por: coeficiente angular igual a m é dada por:
y − 2 = 2[x − (−3)] ⇔ y = 2x + 8 ⇔ 2x − y + 8 = 0 y − y1 = m(x − x1 )
Opção: C
37. 
Seja f (x) = x3 com x ∈ R. Qual é o valor de f −1 (8)?
A. 1 B. 2 C. 3 D. 4
 2012. 2ª época 
【Resolução】 Passos para obter a expressão da função inversa
Calcula-se a iversa da função f (x) = x3 : 1. Substitui-se f (x) por y.
Substituindo f (x) por y, tem-se: y = x3 2. Resolve-se em ordem a x.
Resolvendo em ordem a x, tem-se: 3. Trocam-se as variáveis x por y e y por x.
1 √ √3 √n
x3 = y ⇔ x = y 3 ⇔ x = 3 y 1
←→y 3 =
m
y aplicando a n = am

Trocando as variáveis x por y e y por x, tem-se y = 3 x, que é a

função inversa, f −1 (x) = 3 x.
√3 √3 √3
Então, tem-se: f −1 (8) = 8 = 23 = 2 ←−Substitui-se x por 8 em f −1 = x.
√3 √n
Opção: B 23 = 3 aplicando an = a.
【Resolução】
Como f (2) = 23 = 8, então f −1 (8) = 2. ←−Se f (a) = b, então f −1 (b) = a.
38. 
Qual é a expressão analítica da função cujo gráfico está representado na figura?

A. y = x2 − 2 y
4
B. y = x2 − 4

C. y = x2 − 4

D. y = x2 − 4
−2 O 2 x
 2012. 2ª época 
【Resolução】
O gráfico obtém-se a partir do y = x2 − 4 y ←− O gráfico da função y = f (x) obtém-se a partir do
gráfico de y = x2 − 4, passando gráfico de y = f (x), passando os pontos de ordenada
negativa do gráfico para cima do eixo das abcissas.
os pontos de ordenada negativa
do gráfico para cima do eixo O gráfico de uma função y = f ( x ) obtém-se a par-
tir do gráfico da função y = f (x) através da simetria
das abcissas. O x
em relação ao eixo das ordenadas, representando os
Por isso, a expressão analítica pontos que estão à direita do eixo das ordenadas à es-
da função cujo gráfico está querda do mesmo eixo.
y = x2 − 4
representado na figura é y =
x2 − 4 .
Opção: C

14/15 42
2012/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

39. 

Qual é a solução (e x − 1)dx?
A. e x − 1 + c B. e x + 1 + c C. e x + x + c D. e x − x + c
 2012. 2ª época 
【Resolução】
Deriva-se a função de cada opção para se encontrar a função
cuja primeira derivada é e x − 1.
A. (e x − 1 + c)′ = e x ←− (e x )′ = e x ; (c)′ = 0, ∀c ∈ R
B. (e x + 1 + c)′ = e x Definição da função primitiva:
Sejam F(x) e f (x) duas funções contínuas. A função F(x)
C. (e x +x+ c)′ = ex +1 é uma primitiva de f (x) para qualquer x do domínio de f (x)
D. (e x − x + c)′ = e x − 1 se a derivada de F(x) é igual a f (x). Isto é: F ′ (x) = f (x).
′ Definição do integral indefinida:
∫ (e − x + c) = e − 11, tem-se:
Como x x
Se f (x) é uma função contínua em R, chama-se integral

e x dx − 1 = e x − x + c indefinida, à expressáo f (x) dx = F(x) + c, onde F(x) é
uma primitiva de f (x) e c é uma constante.

Logo, a opção correcta é D.
Se F ′ (x) = f (x)
(x), então f (x) dx = F(x) + cc.
【Outra resolução】
∫ ∫
(e x − 1) dx = e x − x + c ←− Como (e x + c)′ = e x , e x dx = e x + cc.

Opção: D Como (kx + c)′ = k, k dx = kx + cc.
40. 
Qual é a expressão equivalente a i13 ?
A. −1 B. −i C. i D. i3
 2012. 2ª época 
【Resolução】
= i12+1 = i12 · i = (i2 )6 · i = (−1)6 · i = i
i13 ←− Definição de número imaginário:

Opção: C ⋆ −1 = i ⋆i2 = −1
【Outra resolução】
( √ )13 √ √
i13 = −1 = (−1)13 = −1 = i √ √
←− ( a)n = an

FIM

15/15 43
República de Moçambique
Matemática Ministério da Educação Exame Extraordinário
12ª Classe / 2011 Conselho Nacional de Exames, Certificação e Equivalências 120 Minutos
Esta prova contém 40 perguntas com 4 alternativas de resposta para cada uma. Escolha a alternativa correcta e
RISQUE a letra correspondente na sua folha de respostas. Responda a todas as primeiras 35 perguntas. As últimas
5 perguntas responda somente às da sua secção (Letras ou Ciências).

【Resolução】
1. 
Qual é a escrita simbólica de "o quadrado de um número real não é negativo"?
A. ∃x ∈ R : x2 > 0 B. ∃x ∈ R : x2 ≥ 0 C. ∀x ∈ R : x2 ≥ 0 D. ∀x ∈ R : x2 > 0
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
O quadrado de um número real não é negativo.
Isto é: ∀x ∈ R : x2 ≥ 0 ←− Um número real que não é negativo é maior ou igual
Opção: C a zero.
2. 
Sabendo que p ⇔ q é uma proposição falsa, qual das proposições é falsa?
A. p ∧ q B. p ∨ q C. ∼ p ⇒ q D. p ⇒∼ q
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Como p ⇔ q é F, então pode ser um dos dois casos seguintes: ←− p ⇔ q so é V se ambas proposições têm o mesmo
• p é V e q é F.· · · ⃝
1 • p é F e q é V.· · · ⃝
2 valor lógio.
A. Se pelo menos de uma das propsições é falsa, então p ∧ q
é F. ←− p ∧ q só é V se p é V e q é V.
B. Se pelo menos de uma das proposição é verdadeira, então
p ∨ q é V. ←− p ∨ q só é F se p é F e q é F.
C. Há que analizar dois casos, ⃝ 1 e⃝ 2 . No caso ⃝
1 , se não p
é F e q é F, então ∼ p ⇒ q é V.
No caso ⃝ 2 , se não p é V e q é V então ∼ p ⇒ q é V. ←− p ⇒ q só é falsa se p é V e q é F.
D. Há que analizar dois casos, ⃝ 1 e⃝ 2 . No caso ⃝
1 , se p é V
e não q é F, então p ⇒∼ q é F.
No caso ⃝ 2 , se p é V e não q é V então p ⇒∼ q é V. ←− p ⇒ q só é falsa se p é V e q é F.
Logo, apenas a proposição da opção A é falsa.
Opção: A
 3. 

x+1
Qual é o domínio de existência da expressão 2 ?
x −4
A. R \ {4} B. R \ {±2} C. [−1; +∞[ D. [−1; +∞[\{2}
 2011. Extraordinário 
【Resolução】

Apresenta-se as condições: x+1 ≥ 0 · · · ⃝ 1 ∧ x2 −4 , 0 · · · ⃝
2 ←− A expressão irracional n x, onde n é par, tem a
Resolvendo ⃝ 1 ′
1 , tem-se: x ≥ −1 · · · ⃝ condição: x ≥ 0. O denominador é diferente de zero.
Resolvendo ⃝ 2 , tem-se: (x − 2)(x + 2) , 0 ⇔ x , ±2 · · · ⃝ 2 ′ ←− x2 − 4 = x2 − 22 = (x − 2)(x + 2)

1/15 44
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

Calculando a intersecção de ⃝
1 com ⃝
2 , tem-se:

x ≥ −1 ∧ x , 2 ⇔ x ∈ [−1; +∞[\{2} ←−
Opção: D −2 −1 2 x
4. 



2x + y + z = 7



Qual é a soma dos valores de x; y e z no sistema 
 x−y+z=2 ?



3x − y + 2z = 7
A. 2 B. 4 C. 6 D. 8
 2011. Extraordinário 
【Resolução】



 2x + y + z = 7 · · · ⃝1



Seja  x − y + z = 2···⃝ 2



3x − y + 2z = 7 · · · ⃝ 3 2x + y + z = 7
+) x − y + z = 2
Calculando ⃝ 1 +⃝ 2 , tem-se: 3x + 2z = 9 · · · ⃝
4 ←− 3x + 2z = 9
Calculando ⃝1 +⃝ 3 , tem-se: 5x + 3z = 14 · · · ⃝
5 ←− 2x + y + z = 7
Então agora tem-se o sistema seguinte com duas incógninats: +) 3x − y + 2z = 7
 + 3z = 14

3x + 2z = 9 · · · ⃝
 4
5x


5x + 3z = 14 · · · ⃝ 9x + 6z = 27
5
+) −10x − 6z = −28
Calculando ⃝ 4 ×3+⃝ 5 × (−2), tem-se: −x = −1 ⇔ x = 1 ←− − x = − 1
Substituindo x = 1 em ⃝ 4 , tem-se:
3 + 2z = 9 ⇔ 2z = 6 ⇔ z = 3
Substituindo x = 1 e z = 3 em ⃝ 1 , tem-se:
2+y+3=7⇔y=2
Como (x; y; z) = (1; 2; 3), então: x + y + z = 1 + 2 + 3 = 6
Opção: C
5. 
Quais são as raízes da equação x3 − 4x2 − 5x = 0?
A. 0; 1; 5 B. −1; 0; 5 C. −1; 1; 5 D. −5; 0; 1
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
  x3 − 4x2 − 5x = 0 ⇔ x(x2 − 4x − 5) = 0 ←− Coloca-se o factor comum x em evidência.
⇔ x(x − 5)(x + 1) = 0 ←− x2 − 4x − 5 = x2 + (−5 + 1)x + (−5) · 1 = (x − 5)(x + 1),
⇔ x = 0 ∨ x = 5 ∨ x = −1 aplicando x2 + (a + b)x + ab = (x + a)(x + b).
Opção: B
6. 

Qual é a expressão equivalente a 27 − 3x2 ?


−x2 − 6x − 9
A. 3x + 9 B. 9 − x C. 3x − 9 D. 3x − 9
2

x−3 x+3 x+3 x+3


 2011. Extraordinário 
【Resolução】
27 − 3x2 = 3x2 − 27 = 3(x − 9)
2
←− Multiplica-se por −1 o numerador e o denominador.
−x2 − 6x − 9 x2 + 6x + 9 (x + 3)2
⋆x2 + 6x + 9 = (x + 3)2 ; 3x2 − 27 = 3(x2 − 9)
3(x − 3)(x + 3) 3(x − 3)
= = = 3x − 9 ←− x2 − 9 = (x − 3)(x + 3) porque a2 − b2 = (a − b)(a + b)
(x + 3) 2 x + 3 x+3
Opção: C

2/15 45
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

7. 
Quando o ângulo de elevação do sol em relação ao solo é de 30◦ ,
a sombra de um edifício mede 18m. Qual é
a altura do edifício?
√ √ √ √
A. 3 3m B. 4 3m C. 6 3m D. 18 3m
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
y
Seja x a altura do edifício em mêtros. Sol ⋆ senα =
r r
Pela figura, tem-se: y ⋆ cos α = x
r
tg30◦ = x ⇔ x = 18 · tg30◦ ←− α
⋆ tgα =
y
18 x x
18 xm
⇔x= √ ←− tg30◦ = √1
3√ 30◦ 3
18 3 18m √
⇔x= ←− Racionaliza-se a fracção, multiplicando por 3 am-
√3 bos os termos da fracção.
⇔x=6 3
Opção: C
 8. 

Sabendo que tgα = − 3 e cos α = 1 , qual é o valor de senα?
√2 √
√ 3 3 √
A. −2 3 B. − C. D. 2 3
2 2
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
A partir da fórmula tgα = senα , tem-se: ←− Fórmula: tgx = senx ⇔ senx = tgx · cos x
cos α √ cos x
√ 1 3 √
senα = tgα · cos α = − 3 · =− ←− Substitui-se tgα por − 3 e cos α poe 1 .
2 2 2
Opção: B
 9. 

Sendo x > 1 , a que é igual −2x + 1 ?


2
A. −2x + 1 B. −2x − 1 C. 2x − 1 D. 2x + 1
 2011. Extraordinário 
【Resolução】



−2x + 1 se −2x + 1 ≥ 0 ⇔ −2x ≥ −1
−2x + 1 =   ←− Definição de módulo:

−(−2x + 1) se −2x + 1 < 0 ⇔ −2x < −1 

  x se x ≥ 0
⋆ x = −x se x < 0

 1 
−2x + 1 se x ≤ 2

=

2x − 1 se x > 1
2
1
Por isso, sendo x > , tem-se: −2x + 1 = 2x − 1
2
Opção: C
 10. 
Qual é o conjunto solução da equação 3x + 2 = 1?
{ } { } { }
A. −1; − 1 B. −1; 1 C. − 1 D. {−1}
3 3 3
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
3x + 2 = 1 ⇔ 3x + 2 = 1 ∨ 3x + 2 = −1 ←− Equação modular do tipo x = aa, onde a ≥ 00:
1 ⋆ x = a ⇔ x = a ∨ x = −a
⇔ 3x = −1 ∨ 3x = −3 ⇔ x = − ∨ x = −1
3
Opção: A

3/15 46
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

11. 
(n + 1)! − n!
Qual é a expressão equivalente a ?
(n − 1)!
A. n2 − 2n B. n2 C. n2 + 2n D. n2 + 2n + 1
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
(n + 1)! − n! (n + 1)n(n − 1)! − n(n − 1)!
= ←− (n + 1)! = (n + 1)n (n − 1) · · · 3 · 2 · 1 = (n + 1)n(n − 1)!
(n − 1)! (n − 1)! | {z }
(n − 1)![(n + 1)n − n] (n−1)!
= ←− Coloca-se o factor comum (n − 1)! em evidência.
(n − 1)!
= (n + 1)n − n = n2 + n − n = n2 ←− Simplifica-se (n − 1)!.
Opção: B
12. 
Um examinando precisa de responder 8 das 10 perguntas do exame de Matemática para poder transitar de
classe. De quantas maneiras diferentes o examinando pode fazer a sua escolha?
A. 90 B. 80 C. 45 D. 8
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Deseja-se o número total das maneiras diferentes de escolher 8 ←− Cnp é o número total das maneiras diferentes possíveis
elementos dentre 10 elementos. de escolher p elementos dentre n elementos. Quando
Como não interessa ordem, trata-se de uma combinação de 10 não interessa ordem, trata-se de uma combinação Cnp .
elementos tomados 8 a 8, isto é: p factores
2 z }| {
A
C810 = C210 = 10 = 10 · 9 = 45 n(n − 1) · · · (n − p + 1)
p
A n!
←− Cnp = n = =
2! 2 p! (n − p)!p! p(p − 1) · · · 3 · 2 · 1
Opção: C Propriedade: Cnp = Cn−p
n
13. 
Numa certa família, 10 pessoas jogam futebol, 8 andebol e 3 praticam as duas modalidades. Qual será a
probabilidade de, ao escolher ao acaso um membro desta família, seja somente praticante de andebol?
A. 1 B. 1 C. 2 D. 1
5 3 5 2
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Sejam:
F- Conjunto das pessoas que jogam futebol;
A- Conjunto das pessoas que jogam andebol.
Construi-se o diagrama de Venn como a figura mostra.
O número das pessoas somente prati-
F(10) A(8) ←− 8 pessoas jogam andebol e 3 pessoas praticam futebol
cantes de andebol é: 8 − 3 = 5
O número das pessoas somente prati- e andebol.
7 3 5
cantes de futebol é: 10 − 3 = 7 ←− 10 pessoas jogam futebol e 3 pessoas praticam futebol
Então o número da família é: 7+3+5 = 15 e andebol.
Logo, o número de casos favoráveis e o número de casos pos-
síveis são respectivamente 5 e 15. ←− C15 = 5 e C115 = 15
5 = 1
Portanto a probabilidade procurada é : ←− A probabilidade de um acontecimento A é dada por:
15 3
Opção: B P(A)= número de casos favoráveis
número de casos possíveis
14. 
Duas moedas são lançadas ao mesmo tempo. Qual é a probabilidade de cairem com a mesma face?
A. 0, 25 B. 0, 50 C. 0, 75 D. 1, 0
 2011. Extraordinário 

4/15 47
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
A probabildade de cairem com duas caras é: 1 · 1 = 1 ←− Ao lançar uma moeda, a probabilidade de cair com
2 2 4
A probabilidade de cairem com duas coroas é também: uma cara e tabmém com uma coroa é 1 .
2
1 · 1 = 1 【Outra resolução】
2 2 4 Designa-se por C1 : cara e C2 : coroa.
A probabilidade pedida é igual à probabilidade de cairem com Os acontecimentos possíveis são 2 · 2 = 4 que são os
duas caras ou duas coroas. seguintes: C1 C1 ; C1 C2 ; C2 C1 ; C2 C2
Portanto a probabilidade pedida é: 1 + 1 = 2 = 1 = 0, 50
O número de casos favoráveis é 2 que são os
4 4 4 2 seguintes: C1 C1 ; C2 C2
Opção: B Logo, a probabilidade é: 2 = 1 .
4 2
15. 
Os extremos de uma progressão aritmética de 5 termos são 1 e 13. Qual é a soma destes 5 termos?
A. 7 B. 14 C. 35 D. 70
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Como os extremos de uma progressão aritmética de 5 termos
são 1 e 13, então tem-se: a1 = 1 e a5 = 13
5(1 + 13)
Logo, a soma destes 5 termos é: S 5 = = 35 ←− A soma dos n primeiros termos de uma PA é dada por:
2 n(a1 + an ) n[2a1 + (n − 1)d]
Opção: C Sn = ou S n = .
2 2
16. 
A soma de três primeiros termos de uma progressão aritmética é 27 e o produto dos dois primeiros termos é
36. Qual é o primeiro termo da progressão?
A. 4 B. 5 C. 9 D. 27
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Como a sucessão é uma PA, então tem-se:
a2 = a1 + d e a3 = a2 + d = a1 + 2d ←− a1 , a2 , a3 ; a3 = a2 + d = (a1 + d) + d = a1 + 2d
Pela condição, tem-se: +d +d
 


a1 + a2 + a3 = 27 

a1 + (a1 + d) + (a1 + 2d) = 27 ←− Substitui-se a2 por a1 + d e a3 por a1 + 2d.

 ⇔ 
a1 · a2 = 36 a1 (a1 + d) = 36 ←− Substitui-se a2 por a1 + d.



3a1 + 3d = 27
⇔ 
a1 (a1 + d) = 36



 a1 + d = 9 · · · ⃝
1
⇔ 
a1 (a1 + d) = 36 · · · ⃝
2

Substituindo ⃝
1 em ⃝
2 , tem-se: a1 · 9 = 36 ⇔ a1 = 4
Opção: A
17. 
Quantos múltiplos de 2 se escrevem com dois algarismos?
A. 98 B. 88 C. 45 D. 44
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Os múltiplos de 2 de dois algarismos são:
10, 12, 14, · · · , 96, 98 ⇔ 2 · 5, 2 · 6, 2 · 7, · · · , 2 · 48, 2 · 49
Então os números são: 49 − 5 + 1 = 45 ←− Os números da sucessão dos números naturais con-
sectivos cujo primeiro termo é n e o último termo é m
Opção: C são encontrados por m − n + 1.

5/15 48
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

18. 
Qual das sucessões é infinitamente pequena?
A. 0; 1 ; 2 ; . . . B. 1 ; 2 ; 3 . . . C. 2; 3 ; 4 ; . . . D. 1; 1 ; 1 ; . . .
2 3 2 3 4 2 3 2 3
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se o limite de cada sucessão das opções dadas:
A. O termo geral é n − 1 . Logo lim n − 1 = 1 = 1 ←− Se o numerador e o denominador de uma expressão
n n→∞ n 1 algébrica racional fraccionária têm o mesmo grau, en-
B. O termo geral é n . Logo lim n = 1 = 1 tão o limite da expressão quando x → ∞ é igual ao
n+1 n→∞ n + 1 1 quociente dos coeficientes dos termos de maior grau,
C. O termo geral é n + 1 . Logo lim n + 1 = 1 = 1 a xn + b1 xn−1 + c1 xn−2 + · · · a
n n→∞ n 1 isto é: lim 1 n = 1
x→∞ a2 x + b2 xn−1 + c2 xn−2 + · · · a2
D. O termo geral é 1 . Logo lim 1 = 0
n n→∞ n
Como o limite da sucessão da opção D é zero, conclui-se que a ←− A sucessão an é infinitamente pequena se lim an = 0.
n→∞
sucessão da opção D é infinitamente pequena. A sucessão an é infinitamente grande se:
Opção: D lim an = +∞ ou lim an = −∞
n→∞ n→∞
19. 
Qual é o valor de x na equação x + x + x + · · · = 20?
2 4
A. 10 B. 11 C. 20 D. 80
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
( )
x + x + x + · · · = 20 ⇔ x 1 + 1 + 1 + · · · = 20 ←− Coloca-se o factor comum x em evidência.
2 4 2 4
Calcula-se 1 + 1 + 1 + · · · . ←− 1, 1 , 1 , . . .
2 4 2 4
1
Isto é a soma de todos os termos da PG em que a1 = 1 e q = . × 12 × 12 × 12
2
Como q < 1, utilizando a fórmula tem-se:
a1
1 + 1 + 1 + ··· = = 1 = 1 =2 ←− A soma de todos os termos de uma PG de q < 1 é
2 4 1−q 1− 1 1
a1
2 2 dada por S = porque:
Portanto, tem-se: 1 −q
a1 (1 − qn )
x(1 + 1 + 1 + · · · ) = 20 ⇔ x · 2 = 20 ⇔ x = 10 S = lim S n = lim
n→+∞ n→+∞ 1−q
2 4 a1 (1 − 0) a1
Opção: A = =
1−q 1−q
 20. 
Qual é o contradomínio da função f (x) = cos x − 3?
A. [−4; −2] B. [−3; 3] C. [−1; 1] D. [2; 4]
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Sabe-se que: −1 ≤ cos x ≤ 1 ←− Contradomínio de funções trigonométricas:
Subtraindo 3 em todos os membros da inequação, tem-se; ⋆ − 1 ≤ senx ≤ 1;
−1 − 3 ≤ cos x − 3 ≤ 1 − 3 ⇔ −4 ≤ f (x) ≤ −2 ⋆ − 1 ≤ cos x ≤ 1;
⋆ − ∞ < tgx < +∞
Portanto, o contradomínio de f (x) é [−4; −2].
Opção: A
21. 
Qual é o período da função f (x) = cos 3x?
A. 3π B. 3π C. 2π D. π
2 4 3 2
 2011. Extraordinário 

6/15 49
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
←− ⋆ Os períodos de y = senkx e y = cos kx são 2π
Como o coeficiente de x de cos 3x é 3, então o período é: k
2π = 2π ⋆ O período de y = tgkx é π .
k
3 3
Opção: C
 22. 
Em que quadrante, simultaneamente, senx > 0 e cos x < 0?
A. IQ B. IIQ C. IIIQ D. IV Q
 2011. Extraordinário 
<Sinal das razões trigonométricas>
【Resolução】
◦ ◦ ◦ ◦ α 1◦ Q 2◦ Q 3◦ Q 4◦ Q
Em 1 e 2 quadrantes, senx > 0 e em 2 e 3 quadrantes, ←−
senα + + - -
cos x > 0. cos α + − - +
Logo, em 2◦ quadrante, simultaneamente, senx > 0 e cos x < 0. tgα + - + -
Opção: B cotgα + - + -
23. 
Qual é a expressão que define a função representada na figura? y
 


2 se x ≤ 0 

 x + 2 se x ≥ 0 2
A. f (x) = 
−2 se x > 0 B. f (x) = 
 x − 2 se x < 0
 
  −2 O 2 x


 x + 2 se x ≤ 0 

2 se x > 0
C. f (x) = 
 D. f (x) = 
 −2
 x − 2 se x > 0 −2 se x ≤ 0
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Como o gráfico para x ≤ 0 passa pelos pontos (−2; 0) e (0; 2),
então a expressão da recta que passa por estes dois pontos é:
y − 0 = 2 − 0 [x − (−2)] ⇔ y = x + 2 ←− A expressão da recta que passa pelos dois pontos
0 − (−2) (x1 ; y1 ) e (x2 ; y2 ) é dada por:
Como o gráfico para x > 0 passa pelos pontos (0; −2) e (2; 0), y2 − y1
y − y1 = (x − x1 )
então a expressão da recta que passa por estes dois pontos é: x 2 − x1
0 − (−2)
y − (−2) = (x − 0) ⇔ y = x − 2
2−0
Logo, a solução é a opção C.
Opção: C
24. 

Qual é a classificação da função f (x) = 1 quanto à paridade?


x
A. Par B. Ímpar C. Não par nem ímpar D. Par e ímpar
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se: f (−x) = 1 = − 1 = − f (x) ←− Substitui-se x por −x em f (x) = 1 .
−x x x
Como f (−x) = − f (x), a função f (x) é ímpar. ←− Se f (−x) = f (x), então f (x) é par.
Opção: B Se f (−x) = − f (x), então f (x) é ímpar.

25. 

x+8−3
Qual é o valor de lim ?
x→1 x−1
A. 1 B. 1 C. 1 D. 1
12 9 6 3
 2011. Extraordinário 

7/15 50
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
√ [ ] √ √
x+8−3 0 ( x + 8 − 3)( x + 8 + 3) √ √
lim = = lim √ ←− Multiplica-se pelo conjugado x + 8+3 de x + 8−3
x→1 x−1 0 x→1 (x − 1)( x + 8 + 3) o numerador e o denominador.
(x + 8) − 9 √ √ √
= lim √ ←− ( x + 8−3)( x + 8+3) = ( x + 8)2 −32 = (x+8)−9,
x→1 (x − 1)( x + 8 + 3)
aplicando (a − b)(a + b) = a2 − b2 .
= lim x−1
√ ←− Simplifica-se a fracção.
x→1 (x − 1)( x + 8 + 3)

= lim √ 1
x→1 x+8+3
= √ 1 = 1 = 1 ←− Substitui-se x por 1.
1+8+3 3+3 6
Opção: C
26. 

Qual é o valor de lim x2 −1?


x→−1 x3 +1
A. − 3 B. − 2 C. 2 D. 3
2 3 3 2
 2011. Extraordinário 

【Resolução】
[ ]
(x − 1)(x + 1)
lim x3 − 1 = 0 = lim
2
←− a2 − b2 = (a−b)(a +b); a3 ±b3 = (a+ b)(a2 ∓ab+b2 )
x→−1 x + 1 0 x→−1 (x + 1)(x2 − x + 1)

= lim 2 x − 1 ←− Simplifica-se a fracção.


x→−1 x − x + 1

= −1 − 1 =−2 ←− Substitui-se x por −1.


(−1)2 − (−1) + 1 3
Opção: B
27. 
Qual é o valor de limπ senx − cos x ?
x→ 4 1 − tgx
√ √ √ √
3 2 2 3
A. − B. − C. D.
2 2 2 2
 2011. Extraordinário 

【Resolução】
[ ]
limπ senx − cos x = 0 = limπ senx −senx cos x
←− Fórmula: tgx = senx
x→ 4 1 − tgx 0 x→ 4 1 − cos x
cos x
senx − cos
= limπ cos x − senxx
←− Denominador: 1 − senx = cos x − senx
x→ 4 cos x cos x
cos x
cos x(senx − cos x)
= limπ
x→ 4 cos x − senx
cos x(senx − cos x)
= limπ ←− cos x − senx = −(senx − cos x)
x→ 4 −(senx − cos x)
√ √
= limπ (− cos x) = − cos π = −
2
←− cos π = √1 =
2
x→ 4 4 2 4 2 2
Opção: B
28. 

Considere a função f (x) = x−2 . Qual é a abcissa do ponto de descontinuidade não eliminável?
x2 − 5x + 6
A. −3 B. −2 C. 2 D. 3
 2011. Extraordinário 

8/15 51
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
f (x) = 2 x − 2 = x−2
←− Factoriza-se x2 − 5x + 6 aplicando x2 + (a + b)x + ab =
x − 5x + 6 (x − 2)(x − 3)
(x + a)(x + b).
Como o denominador é diferente de zero, tem-se a condição:
x2 − 5x + 6 , 0 ⇔ (x − 3)(x − 2) , 0 ⇔ x , 3 ∧ x , 2
Por isso, a função não está definida nos pontos x = 2 e x = 3,
isto é, @ f (2) e @ f (3).
Logo, a função é descontínua nos pontos x = 2 e x = 3. ←− Se não existe o valor de f (a), a função f (x) é descon-
Se x , 2 e x , 3, então f (x) = x − 2 = 1 . tínua no ponto x = a.
(x − 2)(x − 3) x−3
Verifica-se se existem lim f (x) e lim f (x).
x→2 x→3

Como lim f (x) = lim 1 = −1, existe lim f (x) (x). ←− A função f tem uma descontinuidade eliminável em
x→2 x→2 x − 3 x→2 x = a se ∃lim f (x) mas lim f (x) , f (a)
Então, a função f (x) tem um ponto de descontinuidade elim- x→a x→a

inável em x = 2.
Os limites laterais no ponto x = 3 são:
lim f (x) = lim+ 1 = +∞ ←− 1+ = +∞
x→3+ x→3 x − 3 0
lim f (x) = lim− 1 = −∞ ←− 1− = −∞
x→3− x→3 x − 3 0
Como os limites laterais são diferentes, não existe lim f (x)
(x). ←− ⋆ lim+ f (x) = lim− f (x) = α ⇔ lim f (x) = α
x→3 x→a x→a x→a
⋆ lim+ f (x) , lim− f (x) ⇔ @lim f (x)
x→a x→a x→a
Por isso, a função f (x) tem um ponto de descontinuidade não ←− A função f tem uma descontinuidade eliminável em
eliminável em x = 3. x = a se @lim f (x)
(x).
x→a
Opção: D
29. 
Qual das figuras representa uma função com um ponto de descontinuidade eliminável?
A. y B. y C. y D. y
3
4
2 3
1
1
O 1 x O 5 x O 5 x
O 1 2 x
−1
 2011. Extraordinário 

【Resolução】
A. Observando a figura, tem-se lim− f (x) = 0 e lim+ f (x) = 2. ←− f (x) é contínua no ponto de abcissa x = a
x→1 x→1 ⇐⇒ ∃lim f (x) e lim f (x) = f (a)
Como os limites laterais são diferentes, @lim f (x). Logo, x→a x→a
x→1 ⇐⇒ lim− f (x) = lim+ f (x) = f (a)
x→a x→a
x = 1 é um ponto de descontinuidade não eliminável. ←− x = a é uma abcissa do ponto de descontinuidade não
B. Observando a figura, a função é contínua. eliminável se @lim f (x)
(x).
x→a

C. Como lim+ f (x) = lim− f (x) = 3, então ∃lim f (x) e o seu


x→1 x→1 x→1
limite é 3. Mas como f (1) = 1, então lim f (x) , f (1)
(1).
x→1
Logo, x = 1 é um ponto de descontinuidade eliminável. ←− x = a é uma abcissa do ponto de descontinuidade
eliminável se ∃lim f (x) mas lim f (x) , f (a)
(a).
D. Como os limites laterais em x = 5 são diferentes, então x→a x→a

@lim f (x). Por isso x = 5 é um ponto de descontinuidade


x→5
não eliminável.
Opção: C

9/15 52
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

30. 

Qual é a 1ª derivada da função f (x) = e 2x ?
√ √
√ √ √ √ 2x 2x
A. 2x · e 2x B. 2 · e 2x C. 2e
√ D. e√
2·x 2x
 2011. Extraordinário 
【Resolução】 [ ]′
[ √ ]′ √ ( √ )′
←− e f (x) = e f (x) · f ′ (x) porque (e x )′ = e x .
f ′ (x) = e 2x = e 2x · 2x
√ √
√ (√ )′
· √1 · (2x)′ = e √ · 2 = e√
2x 2x √
= e 2x ←− f (x) = √
1 1 .
· f ′ (x) porque ( x)′ = √
2 2x 2 2x 2x 2 f (x) 2 x
Opção: D
31. 
Sendo g(x) = x2 + 2x, qual é o valor de g′ (1)?
A. 0 B. 2 C. 3 D. 4
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se: g′ (x) = (x2 + 2x)′ = 2x + 2 ←− (xα )′ = αxα−1 , ∀α ∈ R
Por isso, tem-se: g′ (1) = 2 · 1 + 2 = 4 ←− Substitui-se x por 1.
Opção: D
32. 
Qual é a 2ª derivada da função f (x) = ln x?
A. − 1 B. − 12 C. 1 D. 12
x x x x
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se: f ′ (x) = (ln x)′ = 1 ←− (ln x)′ = 1
x
x
Por isso, a 2ª derivada da função é:
( )′
f (x) = 1 = (x−1 )′ = −1 · x−1−1 = −x−2 = − 12
′′ ←− (xα )′ = αxα−1 , ∀α ∈ R
x x A segunda derivada é a derivada da primeira derivada,
Opção: B isto é, f ′′ (x) = [ f ′ (x)]′ .
33. 
O gráfico da função f , definida por f (x) = 2 x , tem um extremo mínimo. Quais são as coordenadas desse
x +1
ponto?
( ) ( ) ( ) ( )
A. − 1 ; 1 B. −1; − 1 C. −1; 1 D. 1; 1
2 2 2 2
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Antes da resolução, calcula-se o domínio da função.
Como o denominador é diferente de zero, tem-se:
x2 + 1 , 0 ⇔ x2 , −1
Como x2 ≥ 0, x2 , −1 é sempre verdade em x ∈ R. ←− ∀x ∈ R, x ≥ 0
Logo, D f = R.
Calcula-se f ′ (x):
( )′
(x)′ (x2 + 1) − (x2 + 1)′ x
f ′ (x) = 2 x = ←− Derivada do quociente de duas funções:
x +1 (x2 + 1)2 [
f (x)
]′
f ′ (x)g(x) − f (x)g′ (x)
=
(x2 + 1) − 2x · x
= −x
2+1 g(x) [g(x)]2
= ←− (x) = 1; (x + 1)′ = 2x
′ 2
(x + 1)
2 2 (x + 1)2
2

10/15 53
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

Calcula-se os zeros da função derivada:


f ′ (x) = 0 ⇔ −x
2+1
= 0 ⇔ −x2 + 1 = 0
(x + 1)
2 2

⇔ x2 − 1 = 0 ⇔ (x − 1)(x + 1) = 0 ⇔ x = ±1 ←− Há posibilidade de ter extremos para x = −1 e x = 1.


Constroi-se a tabela de monotonia e extremos: y
1 Máx
x ··· −1 ··· 1 ··· −1 2
f ′ (x) − 0 + 0 − O 1 x
f (x) ↘ Mín ↗ Máx ↘ −1
Mín 2
Pela tabela, couclui-se que a função f (x) tem um extremo mín- ←− ⋆ Se f (a) = 0 e f ′ (x) passa em x = a de negativa

imo para x = −1. Como f (−1) = −1 = − 1 , as coorde- a positiva, a função f (x) tem para x = a um mínimo
(−1)2 + 1 2 extremo.
( ) ⋆ Se f ′ (a) = 0 e f ′ (x) passa em x = a de positiva a
nadas do extremo mínimo são −1; − . 1
negativa, a função f (x) tem para x = a um máximo
2 extremo.
Opção: B
34. 
Quais são as coordenadas do ponto de tangência da curva definida pela expressão y = − 7x + 3 e a recta de
x2
equação 5x + y − 2 = 0?
A. (−1; −9) B. (−1; −3) C. (1; −3) D. (1; 9)
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Sejam f (x) = x2 − 7x + 3 e A(a; f (a)) o ponto de tangência.
Então, tem-se: f ′ (x) = 2x − 7 e f ′ (a) = 2a − 7.
Neste caso, sabe-se que f ′ (a) é igual ao declive da recta tan- ←− O declive da recta tangente ao gráfico de uma função
gente 5x + y − 2 = 0 em x = a. y = f (x) no ponto x = a é igual a f ′ (a).

Como o declive da recta 5x + y − 2 = 0 é −5, tem-se: f (a) = −5 ←− Como 5x + y − 2 = 0 ⇔ y = −5x + 2, o declive da
Como f ′ (a) = 2a − 7, tem-se: recta 5x + y − 2 = 0 é −5.
2a − 7 = −5 ⇔ 2a = 2 ⇔ a = 1 y
1
Portanto a ordenada do ponto A de tangência é: O x
f (1) = 1 − 7 · 1 + 3 = −3
2 −3 A y = x2 − 7x + 3
Logo, as coordenadas do ponto de tangência são (1; −3).

Opção: C y = −5x + 2

35. 
Seja f (x) uma função cujo gráfico tem um ponto máximo de abcissa x = 2. Qual das características abaixo
poderá representar a sua primeira derivada?
A. f ′ (x) < 0; ∀x ∈] − ∞; 2] B. f ′ (x) < 0; ∀x ∈] − ∞; 2[

C. f (x) > 0; ∀x ∈] − ∞; 2[ D. f ′ (x) > 0; ∀x ∈] − ∞; 2]
 2011. Extraordinário 
【Resolução】 f ′ (x) > 0 f ′ (x) < 0
Para que f (x) tenha um ponto máximo de ←− ⋆ Se f ′ (a) = 0 e f ′ (x) passa em x = a de negativa
abcissa x = 2, é necessário que o gráfico da a positiva, a função f (x) tem para x = a um mínimo
função seja crescente à esquerda de x = 2 e extremo.
⋆ Se f ′ (a) = 0 e f ′ (x) passa em x = a de positiva a
decrescente à direita de x = 2.
x=2 negativa, a função f (x) tem para x = a um máximo
Isto é: extremo.
f ′ (x) > 0; ∀x ∈] − ∞; 2[ e f ′ (x) < 0; ∀x ∈]2; +∞[. ←− ⋆Se f ′ (x) > 0, então f (x) é crecente.
Por isso, a solução é a opção C. ⋆Se f ′ (x) < 0, então f (x) é decrecente.
Opção: C ⋆Se f ′ (x) = 0, então f (x) é constante.

11/15 54
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

Somente para a Secção de Letras


36. 
Dados os conjuntos N, Z, Q e R, qual é a afirmação NÃO correcta?
A. Z ∪ N = Z B. Z ∩ Q = Z C. N ⊃ R D. Q ⊂ R
 2011. Extraordinário 
【Resolução】 N = {Números naturais} = {1, 2, 3, 4, · · · }
Verifica-se se cada opção é correcta ou não: Z = {Números inteiros} = {· · · , −2, −1, 0, 1, 2 · · · }
Q = {Números racionais = Z ∪ {Números fraccionários}
A. A afirmação Z ∪ N = Z é correcta porque N ⊂ Z.
R = {Números reaisl} = Q ∪ {Números irracionais}
B. A afirmação Z ∩ Q = Z é correcta porque Z ⊂ Q. R
Q
C. A afirmação N ⊃ R não é correcta porque N ⊂ R Z N⊂Z⊂Q⊂R
D. A afirmação Q ⊂ R é correcta. N

Opção: C
37. 
Seja U = {1; 2; 3; . . . ; 10} o conjunto universo, M = {2; 4; 6; 8; 10} e N = {2; 5; 8} seus subconjuntos. Qual é o
conjunto M ∩ N?
A. {1; 3; 7; 9} B. {1; 3; 5; 7; 9} C. {1; 3; 5; 7} D. {1; 2; 3; 5; 7}
 2011. Extraordinário 
【Resolução】 A é o conjunto de todos os elementos que pertencem a U e
Determina-se M e N: não pentencem a A. Isto é A = U \ A.
M = U \ M = {1, 3, 5, 7, 9} U U
N = U \ N = {1, 3, 4, 6, 7, 9, 10} M 1
5 1 3 N
Por isso, tem-se: M ∩ N = {1, 3, 7, 9} 2 4 6
3
4
6 7
2 8
8 10 5
Opção: A 7 9 9
10 N
【Outra resolução】 M
Pelas leis de De Morgan, tem-se: M ∩ N = M ∪ N ←−Leis de De Morgan: M ∪ N = M∩N; M ∩ N = M∪N

Como U = {1, 2, 3, . . . , 10} e M ∪ N = {2, 4, 5, 6, 8, 10}, tem-se: M∪N M∪N


U
2 4 5 1 3
M∪N =U\M∪N 6 10 7
= {1, 3, 7, 9} 8 9
 38. 
De entre os pratos servidos num juntar de 10 pessoas sabe se que 4 pessoas comeram lulas, 6 comeram peixe
e 3 comeram lulas e peixe. Quantas pessoas não comeram lulas nem peixe?
A. 0 B. 1 C. 2 D. 3
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Sejam U- Conjunto de todas as pessoas que estiveram no juntar; ←− n(U) = 10
L- Conjunto das pessoas que comeram lulas; ←− n(L) = 4
P- Conjunto das pessoas que comeram peixe. ←− n(P) = 6
Constroi-se o diagrama de Venn como se mostra à direita.
As pessoas que comeram apenas lulas U(10)
são: 4 − 3 = 1 ←− 4 pessoas comeram lulas e 3 comeram lulas e peixe.
L(4) P(6)
As pessoas que comeram apenas peixe
são: 6 − 3 = 3 1 3 3 ←− 6 pessoas comeram peixe e 3 comeram lulas e peixe.
Por isso, as pessoas que não comeram
lulas nem peixe são:
10 − (1 + 3 + 3) = 10 − 7 = 3
Opção: D

12/15 55
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

39. 
( √ )
3
A que é igual arctg ?
3
A. π B. π C. π D. π
6 4 3 2
 2011. Extraordinário 
【Resolução】

3
Deseja-se o ângulo cujo tangente é . ←− A função inversa da tangente é arctangente.
3
Calcula-se a tangente do ângulo de cada opção dada. Se f (x) = tgx, então f −1 (x) = arctgx.

π
A. tg = √ = 1 3
B. tg π = 1;
Por exemplo,
√ √
tg π = 3 ⇔ arctg 3 = π
;
6 3 3 4
π √ 3 3
C. tg = 3; D. Não existe tg π . tg π = 1 ⇔ arctg1 = π
4 4
3 √ ( √ )2
Na opção A, como tg = π 3
, então arctg
3
= π.
6 3 3 6
Opção: A

【Outra resolução】

3
Resolve-se a equação tgx = com −90◦ ≤ x ≤ 90◦ . ←− As soluções da equação tgθ = α são os ângulos for-
( √ ) 3 mados pelo segmento OP com o eixo das abcissas
3 no sentido positivo e pelo semento OQ com o eixo
Toma-se o ponto T 1; .
3 y das abcissas no sentido positivo, onde os pontos P
1 e Q são as intersecções da recta OT com o círculo
Sejam P e Q os dois pontos das √ trigonométrico, onde o ponto T é (1; α ).
intersecções da recta OT com o 3 T

3 P
círculo torigonométrico. π
Como os ângulos x pedidos −1 6
6 1
O x
são formados pelo segmento OP
com o eixo das abcissas no sen- Q
tido positivo e pelo segmento
OQ com o eixo das abcissas no −1
sentido positivo,
então x = π e x = 7π . Como 0 ≤ x ≤ π, então x = π
6 6 6
40. 
Para que valores de x g(x) > f (x)? y
4
f (x )
3
A. ]0; 1[ 2

B. [0; 1] −5 −4 −3 −2 −1 O 1 2 3 4 x
−1

C. ] − ∞; 1[ −2
g(x )
−3

−4
D. ]1; +∞[ −5

 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Deseja-se o intervalo de x em que o gráfico de y = g(x) está em ←− g(x) > f (x) significa o intervalo de x em que o gráfico
cima do gráfico de y = f (x). da função y = g(x) está em cima do gráfico da função
Pela leitula do gráfico, conclui-se que o gráfico de y = g(x) está y = f (x).
em cima do gráfico de y = f (x) no intervalo ]0; 1[ .
Opção: A

13/15 56
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

Somente para a Secção de Ciências


36. 
Qual é a equação reduzida da circunferência de centro C(−1; 3) e raio r = 5?
A. (x−1)2 +(y−3)2 = 25 B. (x+1)2 +(y−3)2 = 25 C. (x−1)2 +(y+3)2 = 25 D. (x+1)2 +(y+3)2 = 25
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
A equação reduzida da circunferência de centro C(−1; 3) e raio ←− A equação reduzida da circunferência de centro
r = 5 é: C(a, b) e raio r é dada por:
[x − (−1)] + (y − 3) = 5 ⇔ (x + 1) + (y − 3) = 25
2 2 2 2 2 (x − a)2 + (y − b)2 = r2

Opção: B
37. 
∫ ( )
Qual é a solução de senx + 3 dx?
x
A. cos x + 3 ln x + c B. 3 ln x − cos x + c C. cos x − 3 ln x + c D. ln x − cos x + c
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Deriva-se a função de cada opção para se encontrar a função
cuja primeira derivada é senx + 3 :
x
A. (cos x + 3 ln x + c) = −senx + 3 · 1 = −senx + 3

←− (cos x)′ = −senx; (ln x )′ = 1
x x x

B. (3 ln x − cos x + c)′ = 3 · 1 − (−senx) = 3 + senx


x x ⋆Definição da função primitiva:
1 Sejam F(x) e f (x) duas funções contínuas.

C. (cos x − 3 ln x + c) = −senx − 3 · = −senx − 3 A função F(x) é uma primitiva de f (x) para qualquer x do
x x
domínio de f (x) se a derivada de F(x) é igual a f (x), isto
D. (ln x − cos x + c)′ = 1 − (−senx) = 1 + senx é, F ′ (x) = f (x).
x x ⋆Definição de integral indefinida:
Se f (x) é uma função contínua em R, então chama-se in-
Na opção B, como (3 ln x − cos x + c)′ = senx + 3 , tem-se: ∫
∫ ( x tegral indefinida, à expressáo f (x) dx = F(x) + c, onde
)
senx + 3 dx = 3 ln x − cos x + c F(x) é uma primitiva de f (x) e c é uma constante.

x F ′ (x) = f (x) ⇐⇒ f (x) dx = F(x) + cc, onde c ∈ R.
Opção: B
【Outra resolução】
∫ ( ) ∫ ∫
senx + 3 dx = − cos x + 3 ln x + c ←− senxdx = − cos x + c; 1 dx = ln x + c
x x
= 3 ln x − cos x + c

38. 

Usando a unidade imaginária i, como pode ser escrito o número 3 + −25?
A. 3 − 5i B. −2i C. 3 + 5i D. 8i
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
√ √ √ √
3 + −25 = 3 + 25 · −1 = 3 + 25i = 3 + 5i ←− Definição de número imaginário:

⋆ −1 = i; ⋆i2 = −1
Opção: C

14/15 57
2011/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

39. 
Dada a função h(x) = 4x + 2, qual das funções representa (hoh)(x)?
A. 4x + 2 B. 8x + 4 C. 16x + 4 D. 16x + 10
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
(hoh)(x) = h[h(x)] ←− Função composta: (hoh)(x) = h[h(x)]
= h(4x + 2) ←− h(x) = 4x + 2
= h(4x + 2) + 2 ←− Substitui-se x por 4x + 2 em h(x) = 4x + 2.
= 16x + 8 + 2 = 16x + 10
Opção: D
40. 
Considera a função f (x) = log2 x . Qual é o domínio da função?
A. R− B. R+ C. R \ {0} D. R
 2011. Extraordinário 
【Resolução】
Como o logaritmando é positivo, tem-se a condição: x > 0 ←− loga x tem como condição: x > 0
Então resolve-se a inequação x > 0.
Sabe-se que ∀x ∈ R, x ≥ 0 e que quando x = 0, x = 0.
Portanto, a solução da inequação x > 0 é R \ {0}. ←− x > 0 ⇔ x ≥ 0 ∧ x , 0
⇔ x∈R∧x,0
Opção: C ⇔ x ∈ R \ {0}

FIM

15/15 58
República de Moçambique
Matemática Ministério da Educação 1ª Época
12ª Classe / 2011 Conselho Nacional de Exames, Certificação e Equivalências 120 Minutos
Esta prova contém 40 perguntas com 4 alternativas de resposta para cada uma. Escolha a alternativa correcta e
RISQUE a letra correspondente na sua folha de respostas. Responda a todas as primeiras 35 perguntas. As últimas
5 perguntas responda somente às da sua secção (Letras ou Ciências).

1.
【Resolução】 
Considere as proposições:
p: Samora Machel foi 1◦ presidente de Moçambique independente.
q: Moçambique é um país africano.
Qual é a escrita simbólica de:
Samora Machel foi o 1◦ presidente de Moçambique independente e Moçambique não é um país africano?
A. p ∧ q B. ∼ p ∧ q C. p∧ ∼ q D. ∼ (p ∧ q)
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Samora Machel foi o 1◦ presidente de Moçambique indepen- ⋆ negação(∼) → não ⋆ conjunção(∧) → e
dente e Moçambique não é um país africano. ⋆ disjunção(∨) → ou
Isto é a proposição p e a negação da proposição q, ou seja, é
p∧ ∼ q.
Opção: C
2. 
Qual das proposições é equivalente a p ∧ (p∧ ∼ q)?
A. p∧ ∼ q B. ∼ p ∧ q C. p ∧ q D. p∨ ∼ q
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
p ∧ (p∧ ∼ q) = (pp ∧ pp)∧ ∼ q = p∧ ∼ q ←− Propriedade associativa: (p ∧ q) ∧ r = p ∧ (q ∧ r);
Opção: A p∧ p= p
3. 

Qual é o domínio de existência da expressão 22 + x ?


x +3 √
A. R \ {−3} B. R \ {0} C. R \ {± 3} D. R
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como o denominador é diferente de zero, tem-se:
f (x)
x2 + 3 , 0 ⇔ x2 , −3 ←− =⇒ Condição : g(x) , 0
g(x)
Como x2 ≥ 0, então ∀x ∈ R, é verdade que x2 , −3. ←− O quadrado de qualquer número real é maior ou igual
Opção: D a zero, isto é: ∀x ∈ R, x2 ≥ 0
4. 

1 1 1
Qual é o valor de 1 1 0 ?
0 1 1
A. −1 B. 0 C. 1 D. 2
 2011.1ªÉpoca 

1/14 59
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução

1 1 1
1 1 0 = 1 · 1 · 1 + 1 · 0 · 0 + 1 · 1 · 1 − (0 · 1 · 1 + 1 · 1 · 1 + 1 · 1 · 0) a b c

←− d e f = aei + b f g + cdh − (gec + dbi + ah f )

0 1 1 g h i
= 1 + 0 + 1 − (0 + 1 + 0) = 1
Opção: C
 5. 

Qual é o intervalo que corresponde a solução de x − 3 ≥ 2?


x+5
A. ] − ∞; −13] B. [−13; −5[ C. [−13; +∞[ D. [−13; −5]
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como o denominador é diferente de zero, tem-se a condição:
x + 5 , 0 ⇔ x , −5

1 caso: x + 5 > 0 ⇔ x > −5 · · · ⃝ 1
Multiplicando ambos os membros da inequação por x + 5, tem-
se: x − 3 ≥ 2(x + 5) ⇔ −x ≥ 13 ⇔ x ≤ −13 · · · ⃝
2 ←− Neste caso, como x + 5 > 0, multiplicando por x + 5
Então, calculando a intersecção de ⃝ 1 e⃝2 , tem-se: ambos os membros da inequação, o sinal da desigual-
dade mantem-se.
] − 5; +∞[∩] − ∞; −13] = ∅ · · · ⃝
3
x − 3 ≥ 2 ⇔ x − 3 ≥ 2(x + 5)

2 caso: x + 5 < 0 ⇔ x < −5 · · · ⃝ 4 x+5
Multiplicando ambos os membros da inequação por x + 5, tem-
se: x − 3 ≤ 2(x + 5) ⇔ −x ≤ 13 ⇔ x ≥ −13 · · · ⃝
5 ←− Neste caso, como x + 5 < 0, multiplicando por x + 5
Então, a intersecção de ⃝ 4 e⃝ 5 é: ambos os membros da inequação, o sinal da desigual-
] − ∞; −5[∩[−13; +∞[= [−13; −5[· · · ⃝ 6 dade muda de sentido.
x − 3 ≥ 2 ⇔ x − 3 ≤ 2(x + 5)
Por fim, calculando a reunião de ⃝3 ⃝
e , tem-se a solução:
6 x+5
∅ ∪ [−13; −5[= [−13; −5[
Opção: B
【Outra resolução】
Também tem-se a condição: x , −5
x − 3 ≥ 2 ⇔ x − 3 − 2 ≥ 0 ⇔ x − 3 − 2(x + 5) ≥ 0
x+5 x+5 x+5
⇔ −x − 13 ≥0
x+5 Se g(x) , 0, então tem-se:
Para que se verigfique −x − 13 ≥ 0, é necessário que: ⋆
f (x)
> 0 ⇔ f (x) > 0∧ g(x) > 0 ou f (x) < 0∧ g(x) < 0
x+5 g(x)
−x − 13 ≥ 0 ∧ x + 5 > 0 ∨ −x − 13 ≤ 0 ∧ x + 5 < 0 porque + = +, − = +.
+ −
⇔ −x ≥ 13 ∧ x > −5 ∨ −x ≤ 13 ∧ x < −5 f (x)
⇔ x ≤ −13 ∧ x > −5 ∨ x ≥ −13 ∧ x < −5 ⋆ < 0 ⇔ f (x) > 0∧ g(x) < 0 ou f (x) < 0∧ g(x) > 0
g(x)
⇔ x∈∅ ∨ −13 ≤ x < −5 porque + = −, − = −.
− +
⇔ −13 ≤ x < −5
 6. 
Qual é a soma das raízes da equação x3 − x2 − 6x = 0?
A. −2 B. 0 C. 1 D. 3
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Primeiro, calcula-se as raízes da equação:
x3 − x2 − 6x = 0 ⇔ x(x2 − x − 6) = 0 ←− Coloca-se em evidência o factor comum x.
⇔ x(x − 3)(x + 2) = 0 ←− x2 − x − 6 = x2 + (−3 + 2)x + (−3) · 2 = (x − 3)(x + 2)
⇔ x = 0 ∨ x = 3 ∨ x = −2
Segundo, calcula-se a somo das raízes: 0 + 3 + (−2) = 1
Opção: C

2/14 60
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

7. 
Qual das expressões é equivalente a −
x2 (x 1)2 ?
A. x(x − 1) B. x(x − 1)2 C. x2 (x − 1)2 D. x(x − 1)
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como x2 (x − 1)2 = x2 (x − 1)2 , a opção correcta é C. ←− ∀x ∈ R, x2 = x2
Opção: C
8. 
Qual é a condição para que −x + 1 = −x + 1?
A. x < −1 B. x ≥ 1 C. x < 1 D. x ≤ 1
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】 


Para que −x + 1 = −x + 1, é necessário que a expressão que ←− x =  x, se x ≥ 0
−x, se x < 0
está no dentro do módulo seja maior ou igual a zero.
Então, tem-se: −x + 1 ≥ 0 ⇔ −x ≥ −1 ⇔ x ≤ 1 ←− Quando se multiplica ambos os membros da in-
Opção: D equação por um número negativo, o sinal da desigual-
dade muda de sentido.
9. 
(n + 1)!
Qual é o valor de n na equação = 68?
n!
A. − 1 B. 1 C. 67 D. 69
67 67
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
(n + 1)! (n + 1)n!
= 68 ⇔ = 68 ⇔ n + 1 = 68 ⇔ n = 67 ←− (n+1)! = (n+1) n(n − 1)(n − 2) · · · 3 · 2 · 1 = (n+1)n!
n! n! | {z }
Opção: C n!

10. 
Numa festa há cinco tipos de doces e três de salgados. Se cada pessoa receber apenas três tipos de doces e dois
de salgados, de quantas maneiras diferentes poder-se-á, fazer esta distribuição?
A. 120 B. 30 C. 26 D. 13
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
As maneiras diferentes possíveis de escolher 3 doces dentre 5 ←− Cnp é o número total das maneiras diferentes possíveis
doces são C25 . de escolher p elementos dentre n elementos. Quando
As maneiras diferentes possíveis de escolher 2 salgados dentre não interessa a ordem, trata-se de uma combinação.
Quando interessa a ordem, trata-se de um arranjo.
3 salgados são C23 .
Portanto, o número total das maneiras diferentes possíveis desta
distribuição é: z
p factorres
}| {
C5 · C3 =
2 2 5 · 4 2
· 3 · 2 = 10 · 3 = 30 ←− C p =
n Anp
= n! =
n(n − 1) · · · (n − p + 1)
2 2 p! (n − p)!p! p(p − 1) · · · 3 · 2 · 1
Opção: B
11. 
Uma bola será retirada de uma sacola contendo 5 bolas verdes e 7 amarelas(idênticas). Qual é a probabilidade
desta bola ser verde?
A. 1 B. 5 C. 7 D. 5
5 12 12 7
 2011.1ªÉpoca 

3/14 61
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
Como 5 + 7 = 12, esta sacola contém 12 bolas.
Então, o número de casos possíveis é C112 porque retira-se 1 bola ←− Escolhe-se 1 elemento dentre 12 elementos =⇒ C112
dentre 12 bolas.
O número de casos favoráveis é C15 porque retira-se 1 bola verde ←− Escolhe-se 1 elemento dentre 5 elementos =⇒ C15
dentre 5 bolas verdes.
Portanto, a probabilidade pedida é: ←− A probabilidade de um acontecimento A é dada por:
C15 P(A)= número de casos favoráveis
= 5 ←− Cn = n
1 número de casos possíveis
C112 12
Opção: B
12. 
A figura representa atletas de uma associação recreativa, praticantes de atletismo (A), futebol (F) e natação
(N). Qual é a probabilidade de, escolhido ao acaso um atleta, ser praticante das três modalidades?

A. 103 F
357 A
30 67 75 105
B.
119 15
13 25
C. 28
357 57
5 N
D.
119
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Pela leitura da figura, o númro de atletas praticantes das três ←− n(A ∩ F ∩ N) = 15
modalidades é 15.
E o número total de atletas é:
67 + 75 + 105 + 13 + 15 + 25 + 57 = 357 ←− n(A∪ F ∪ N) = 67+75+105+13+15+25+57 = 357
1
Então, o número de casos possíveis é C357 porque escolhe-se 1
atleta de 357 atletas.
E o número de casos favoráveis é C115 porque escolhe-se 1 atleta
praticante das três modalidades dentre 15 atletas praticantes das
três modalidades .
C1
Por isso, a probabilidade pedida é: 115 = 15 = 5 ←− A probabilidade de um acontecimento A é dada por:
C357 357 119
P(A)= número de casos favoráveis
Opção: D número de casos possíveis

13. 
Qual é a expressão analítica da função cujo gráfico está representado na figura?
y

A. −x2 + 2x − 1 1
O x
−1
B. −x2 − 2x − 1

C. −x2 + 2x + 1

D. −x2 − 2x + 1
 2011.1ªÉpoca 

4/14 62
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
Pela leitura da figura, o ponto do vértice é (1; 0).
Então, a expressão analítica da função é representada por:
y = a(x − 1)2 + 0 = a(x − 1)2 , onde a ∈ R ←− Se o ponto do vértice do gráfico de uma função
Calcula-se o valor de a. quadrática é ( p; q), a expressão analítica é dada por
Como o gráfico passa pelo ponto (0, −1), y = a(x − p)2 + q.
substituindo x = 0 e y = −1 em y = a(x − 1)2 , tem-se:
−1 = a(0 − 1)2 ⇔ a = −1 ←− Se o gráfico de uma função y = f (x) passa pelo ponto
(x1 ; y1 ), então y1 = f (x1 ).
Por fim, substituindo a = −1 em y = a(x − 1) , obtém-se a
2

expressão analítica da função:


y = −1(x − 1)2 = −(x2 − 2x + 1) = −x2 + 2x − 1 ←− (a ± b)2 = a2 ± 2ab + b2
Opção: A
14. 
Qual é o contradomínio da função f (x) = 2 + cos x?
A. [−3; −1] B. [−2; 2] C. [−1; 1] D. [1; 3]
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Sabe-se que −1 ≤ cos x ≤ 1. ←− Contradomínio das funções trigonométricas
Adicionando 2 a todos os membros da inequação, tem-se: • −1 ≤ sen f (x) ≤ 1
−1 + 2 ≤ cos x + 2 ≤ 1 + 2 ⇔ 1 ≤ 2 + cos x ≤ 3 • −1 ≤ cos f (x) ≤ 1
⇔ 1 ≤ f (x) ≤ 3 • −∞ < tg f (x) < +∞
Portanto, o contradomínio da função f (x) é [1; 3].
Opção: D
15. 
( )
Considere a função f (x) = senx com x ∈ [−π; π]. Qual é o domínio da função h(x) = f x − π ?
[ ] [ ] [ ] 2
A. − 3π ; π B. − ; π 3π π
C. − ; π D. [−π; π]
2 2 2 2 2 2
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
( )
O gráfico da função h(x) = f x − π obtém-se a partir do grá- ←− O gráfico de uma função y = f (x − p) + q obtém-se
2 a partir do gráfico da função y = f (x) através de uma
fico da função f (x) = senx através da translação de π unidades translação p unidades para direita e q unidades para
2 esquerda.

para direita. y +π
π 2 2
Transladando unidades para direita o gráfico de f (x) cujo
2 f (x) h(x)
domínio é [−π; π], obtém-se o gráfico de h(x) cujo domínio é: 3π
π 2
[ ] [ ]
−π − π2 O π
−π + π ; π + π = − π ; 3π
x
2
2 2 2 2
Opção: B π
+
2
16. 
Qual é a classificação da função f (x) = x3 − x + 2 quanto à paridade?
A. Par B. Ímpar C. Não par nem ímpar D. Par e ímpar
 2011.1ªÉpoca 

5/14 63
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
Calcula-se f (−x) e − f (x):
f (−x) = (−x)3 − (−x) + 2 = −x3 + x + 2; ←− Subustituindo x por −x em f (x) = x3 − x2 + 2.

− f (x) = −(x3 − x + 2) = −x3 + x − 2


Como f (−x) , f (x) e também f (−x) , − f (x), a função não é ←− Se f (−x) = f (x), então f (x) é par.
par nem ímpar. Se f (−x) = − f (x), então f (x) é ímpar.
Opção: C
17. 
Observe as figuras. Qual é o gráfico da inversa da função f (x) = log2 x?
A. B. C. D.
y y y y

O x O x O x O x

 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】 y
A opção B representa o gráfio da funcção f (x) = log2 x.
f −1 (x)
A inversa da função f (x) = log2 x obtém-se pela simetria em O
f (x) = log2 x
relação à recta y = x. x
Por isso, a opção A representa o gráfico da inversa da função
f (x) = log2 x. y=x Os gráficos de funções inversas uma da outra
Opção: A são simétricos em relação à recta y = x.
18. 
Numa sucessão de termo geral an = an−1 + 5 com n ∈ N, o termo de ordem três é igual a 17. Qual é o termo
de ordem 2?
A. 5 B. 10 C. 12 D. 22
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Substituindo n = 3 em an = an−1 + 5, tem-se: a3 = a2 + 5 ←− a3 = a3−1 + 5
Como a3 = 17, então tem-se: a2 + 5 = 17 ⇔ a2 = 12
Opção: C
19. 
Qual é a ordem do termo 3 na sucessão dada por an = 2n − 5?
A. 1 B. 2 C. 3 D. 4
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Para se obter a ordem do termo 3, resolve-se a equação an = 3: ←− Como an representa o termo da ordem n, a solução da
an = 3 ⇔ 2n − 5 = 3 ⇔ 2n = 8 ⇔ n = 4 equação an = 3 é a ordem do termo 3.
Opção: D
 20. 
Qual é o termo geral da sucessão 2; 6; 18; . . . ?
A. an = 2 · 3n−1 B. an = 3 · 2n−1 C. an = 2 · 3n+1 D. an = 3 · 2n+1
 2011.1ªÉpoca 

6/14 64
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
Como o quociente entre dois termos consecutivos é constante ←− 2, 6, 18, . . .
3, então esta sucessão é uma PG em que a1 = 2 e q = 3.
×3 ×3 ×3
Então, o termo geral é: an = a1 · qn−1 ⇔ an = 2 · 3n−1 ←− O termo geral de uma PG é dado por an = a1 qn−1 .
Opção: A O termo geral de uma PA é dado por
an = a1 + (n − 1)d
21. 
Numa progressão aritmética finita, em que a soma dos seus termos é 110, o primeiro e o último termos são
respectivamente 2 e 20. Quantos termos tem a sucessão?
A. 21 B. 20 C. 11 D. 10
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Pela condição, tem-se: S n = 110, a1 = 2 e an = 20
Aplicando a fórmula de soma dos n primeiro termos de uma PA, ←− A soma dos n primeiros termos de uma PA é dada por:
n(2 + 20) n(a1 + an ) n[2a1 + (n − 1)d]
tem-se: = 110 ⇔ 11n = 110 ⇔ n = 10 Sn =
2
ou S n =
2
2
Opção: D
 22. 
Quais são os três primeiros termos de uma progressão geométrica em que o sétimo termo é 192 e o segundo é
6?
A. 1; 6; 36 B. 3; 6; 9 C. 3; 6; 12 D. 2; 6; 10
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Pela condição tem-se: a7 = 192 e a2 = 6
Como an = a1 qn−1 , tem-se o seguinte sistema: ←− O termo geral de uma PG é dado por an = a1 qn−1


a1 q6 = 192 ⇔ a1 q · q5 = 192 · · · ⃝
1


 a1 q = 6 · · · ⃝
2

Substituindo ⃝ 2 em ⃝1 , tem-se:

6q = 192 ⇔ q5 = 36 ⇔ q5 = 25 ⇔ q = 2
5
←− Numa igualdade de duas potências com mesmo ex-
Substituindo q por 2 em ⃝ 1 , tem-se: a1 · 2 = 6 ⇔ a1 = 3 poente ímpar iguala-se as bases, isto é, se m é um
número ímpar, então am = bm ⇔ a = b.
Portanto, o termo geral desta PA é: an = a1 qn−1 ⇔ an = 3 · 2n−1
Logo, tem-se: a3 = 3 · 23−1 = 3 · 4 = 12 ←− Substitui-se n = 3 em an = 3 · 2n−1
Portanto, os três primeiros termos são 3; 6; 12.
Opção: C
 23. 
Considere a função f representada na figura. Qual é o valor de lim− f (x)?
x→1
y
A. 0 3
2
B. 1

C. 2 O 1 2 x
D. Não existe.
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Nota-se que quando x se aproxima de 1 pela esquerda, o gráfico ←− Quando x se aproxima de a pela esquerda, f (x)
da função f aproxima-se de 0, isto é: lim− f (x) = 0 aproxima-se de α, simbolicamente, lim− f (x) = α.
x→a
x→1
Quando x se aproxima de a pela direita, f (x)
Opção: A aproxima-se de α, simbolicamente, lim+ f (x) = α.
x→a

7/14 65
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

24. 



3x − 4x + k se x ≤ −1
 2
A função g(x) = 
 2x + 3 é contínua no ponto de abcissa x = −1. Qual é o valor de k?

 se x > −1
x
A. −8 B. −5 C. 5 D. 8
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】 ⋄ Definição de continuidade de funções
Para que seja contínua no ponto de x = −1, é necessário que: Uma função f (x) é contínua para x = a se e só se existe
lim − g(x) = lim + g(x) = g(−1) lim f (x) e lim f (x) = f (a). Isto é:
x→a x→a
x→−1 x→−1
lim f (x) = lim− f (x) = f (a)
O limite lateral de g(x) à esquerda de x = − é: x→a+
x→a

lim g(x) = lim − (3x2 − 4x + k) = 3(−1)2 − 4(−1) + k = k + 7 ←− Quando x → −1− , isto é, x < −1, g(x) = 3x2 − 4x + k.
x→−1− x→−1
O limite lateral de g(x9 à direita de x = −1 é:
2(−1) + 3
lim + g(x) = lim + 2x + 3 = = −1 ←− Quando x → −1+ , isto é, x > −1, g(x) = 2x + 3 .
x→−1 x→−1 x −1 x
O valor da função g(x) no potno x = −1 é;
2(−1) + 3
g(−1) = = −1 ←− Quando x = −1, g(x) = 3x2 − 4x + k.
−1
Como estes são iguais, tem-se: k + 7 = −1 ⇔ k = −8
Opção: A
25. 

x−1
Qual é o valor de lim ?
x→1 x−1
A. − 1 B. − 1 C. 1 D. 1
2 4 4 2
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
√ √ √
x−1 [0] ( x − 1)( x + 1)
lim = = lim √ ←− Multiplica-se o numerador e o denominador pelo con-
x→1 x − 1 0 x→1 (x − 1)( x + 1) √ √
jugado x + 1 de x − 1.
= lim x−1 √ √ √
√ ←− ( x − 1)( x + 1) = ( x)2 − 12 = x − 1
x→1 (x − 1)( x + 1)

= lim √ 1 = √1 = 1 ←− Substitui-se x por 1.


x→1 x+1 1+1 2
Opção: D
26. 
sen 2x
Qual é o valor de lim ?
x→0 x

A. 1 B. 1 C. 1 D. 1
2 3 4 5
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
[ ] ( )
sen 2x 0 sen 2x 1 sen 2x
lim = = lim x = lim · x
x→0 x 0 x→0 2 · 2 x→0 2 2
x
sen
= 1 lim x 2 = 1 · 1 = 1 ←− Limite notável: lim senx = 1
2 x→0 2 2 2 x→0 x
Opção: A Em geral, lim senkx = 1.
x→0 kx
【Outra resolução】
sen 2x 1
lim = 2 = 1 ←− lim senαx = α ; lim senαx = α
x→0 x 1 2 x→0 βx β x→0 senβx β

8/14 66
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

27. 
( )x
Qual é o valor de lim 1 − 1 ?
x→∞ x+1
A. −1 B. e −1 C. 1 D. e
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
( )
( )x lim 1−
1 −1 ·x
lim 1 − 1 = [1∞ ] = ex→∞ x + 1 ←− Sejam lim f (x) = 1 e limg(x) = ∞. Então tem-se:
x→∞ x+1 x→a x→a
lim [ f (x)−1]·g(x)
( ) lim[ f (x)]g(x) = [1∞ ] = ex→a
lim −
x (x→a )
= ex→∞ x + 1 ←− lim − x
x→∞ x+1
= −1 porque como numerador e o

= e− 1 = e−1
1
denominador têm o mesmo grau, o limite quando
x → ∞ é o quociente dos coeficientes dos termos de
Opção: B maior grau.
28. 
Considere a função f representada na figura.
y
Qual é o valor de f ′ (0)? 4

3
A. 0
2

B. 1 1

O x
C. ∞ -3 -2 -1 1 2 3

-1

D. Não existe
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Pela figura, a função não é contínua no ponto de abcissa x = 0 ←− Toda a função que admite derivada finita num dado
porque @ f (0). Portanto, f ′ (0) não existe. ponto é contínua nesse ponto.
Opção: D
 29. 
2
Qual é a 1ª derivada da função f (x) = x ?
ln x
2x − 1
2x 2 x(2 ln x − 1) 2x ln x − x x
A. B. 2
C. D. 2
ln x ln x ln x ln x
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
[ 2 ]′ 2x ln x − x2 · 1x [ ]
′ x (x2 )′ ln x − x2 (ln x)′ f ′ (x)g(x) − f (x)g′ (x)
f (x) = = 2
= 2 ←−
f (x)
= .
ln x (ln x) ln x g(x) [g(x)]2
x(2 ln x − 1)
= 2x ln2x − x = 2
⋆ (xn )′ = nxn−1 , ∀n ∈ R ⋆ (ln x)′ = 1
x
ln x ln x
Opção: B
 30. 

Qual é a 1ª derivada da função f (x) = 2x − 1?
√ √
1 2 2x 2x
A. − √ B. √ C. D.
2x 2x 2x x
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
√ √
f ′ (x) = ( 2x − 1)′ = ( 2x)′ ←− (k)′ = 0; ∀ ∈ R

2x
= √1 · (2x)′ = √2 = √1 = ←− Derivada de uma função composta:
2 2x 2 2x 2x 2x [√ ]′ √
Opção: C f (x) = √1 · f ′ (x) porque ( x)′ = √1 .
2 f (x) 2 x

9/14 67
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

31. 
Qual é a 2ª derivada da função f (x) = cos x?
A. −senx B. − cos x C. cos x D. senx
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
A primeira derivada de f (x) é: f ′ (x) = (cos x)′ = −senx ←− (cos x)′ = −senx
′′ ′
Logo, a segunda derivada de f (x) é: f (x) = (−senx) = − cos x ←− (senx)′ = cos x
⋆A segunda derivada é a derivada da primeira
Opção: B derivada.
32. 
O gráfico da função f , definida por f (x) = x , tem um extremo máximo. Quais são as coordenadas desse
x2 + 1
ponto?
( ) ( ) ( ) ( )
A. 1; − 1 B. −1; − 1 C. −1; 1 D. 1; 1
2 2 2 2
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Começa-se por calcular:
x′ (x2 + 1) − x(x2 + 1)′
f ′ (x) = ←− Derivada
[ ]′ do ′quociente de duas funções:
(x2 + 1)2 f (x) f (x)g(x) − f (x)g′ (x)
=
x2 + 1 − x(2x) g(x) [g(x)]2
= y
(x2 + 1)2 f (x) = 2 x
x +1
= −x
2+1 1
2
−1
(x + 1)2
2
O 1 x
Calcula-se os zeros da função derivada: − 12
f ′ (x) = 0 ⇔ −x2 + 1 = 0 ⇔ x2 − 1 = 0
⇔ (x + 1)(x − 1) = 0 ⇔ x = ±1 ←− Há posibilidade de ter extremos para x = ±1.
Constroi-se a tabela de monotonia e extremos: ←− ⋆ Se uma função f (x) tem derivada nula para x = a
( ou seja f ′ (a) = 0 ) e f ′ (x) passa nesse ponto de
x ··· −1 ··· 1 ··· negativa a positiva, a função f (x) tem para x = a um
f ′ (x) − 0 + 0 − extremo mínimo.
f (x) ↘ Mín ↗ Máx ↘ ⋆ Se uma função f (x) tem derivada nula para x = a
( ou seja f ′ (a) = 0 ) e f ′ (x) passa nesse ponto de
Pela tabela, a função f (x) tem para x = 1 um extremo máximo. positiva a negativa, a função f (x) tem para x = a um
( ) extremo máximo.
Como f (1) = 1 , o ponto do extremo máximo é 1; 1 . ←− Subsitui-se x por 1 em f (x) = 2 x .
2 2 x +1
Opção: D
 33. 
A recta de equação y = 3x é tangente ao gráfico de uma certa função f , no ponto de abcissa x = 1. Qual das
expressões pode definir a função f ?
A. f (x) = x2 + x + 1 B. f (x) = x2 + 3x + 1 C. f (x) = x2 + 3x − 1 D. f (x) = x2 + 2x + 1
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como o declive da equação y = 3x é 3, pela condição, tem-se ←− O declive da equação da recta tangente ao gráfico de
f ′ (1) = 3. Então, para que se verifique f ′ (1) = 3, calcula-se o uma função y = f (x) em x = a é igual a f ′ (a).

valor de f (1) da função de cada opção: y
f (x) = x2 + x + 1
A. Como f ′ (x) = 2x + 1, então f ′ (1) = 3.
B. Como f ′ (x) = 2x + 3, então f ′ (1) = 5. 3
C. Como f ′ (x) = 2x + 3, então f ′ (1) = 5.
D. Como f ′ (x) = 2x + 2, então f ′ (1) = 4. y = 3x
Portanto, a opção correcta é A.
O 1 x
Opção: A

10/14 68
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

34. 
Um projéctil é lançado verticalmente de baixo para cima. Admitindo que a sua trajectória é descrita pela
equação h(t) = 4 t3 − 2t2 + t, qual é, em m/s2 , a aceleração do projéctil 3 segundos após o lançamento?
3
A. 4m/s2 B. 20m/s2 C. 24m/s2 D. 36m/s2
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
A velocidade do projéctil t segundos após o lançamento é:
( )′
h′ (t) = 4 t3 − 2t2 + t = 3 · 3t2 − 2 · 2t + 1 = 4t2 − 4t + 1
3 4 ←− Se h é a posição de um ponto P que se move vertica-
Logo, a aceleração do projéctil t segundos após o lançamento é: mente na hora t e apresentada por h = f (t), então a
′′ ′
h (t) = (4t − 4t + 1) = 8t − 4
2 velocidade v e aceleração a do ponto P na hora t são
dadas por v = f ′ (t) e a = f ′′ (t), respectivamente.
Portanto, a aceleração do projéctil 3 segundos após o lança-
mento é:
h′′ (3) = 8 · 3 − 4 = 20 ←− Substitui-se t por 3 em h′′ (t) = 8t − 4.
Opção: B
35. 
Quais são as abcissas dos pontos em que a função não é derivável?

A. −2 e 0 y

B. −2 e 1
1
C. 0 e 1
−2 O 1 x
D. 1 e 2
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Calcula-se as derivadas laterais de f (x) em x = 0 e x = 1.
Pela leitura da figura, a derivada lateral à esquerda de 0 é:
f ′ (0− ) = 1 − 0 = 1 ←− f ′ (0− ) é igual ao declive da recata da esquerda do
0 − (−2) 2 ponto x = 0.
E a derivada lateral à direita de 0 é:
f ′ (0+ ) = 0 − 1 = −1 ←− f ′ (0− ) é igual ao declive da recata da esquerda do
1−0 ponto x = 0.
Logo, como f ′ (0− ) , f ′ (0+ ), então não é derivável no ponto ←− Uma função é derivável num ponto x = a se e só se é
x = 0. derivável à esquerda e à direita do mesmo ponto e as
De modo igual, pela leitura da figura, é claro que: derivadas laterais são iguais: f ′ (a+ ) = f ′ (a− )

f ′ (1− ) , f ′ (1+ )
Logo, não é derivável também no ponto x = 0.
Por isso, a função não é derivável nos pontos x = 0 e x = 1.
Opção: C
【Outra resolução】 y
Observando o gráfico, é claro que os declives das rectas da es-
querda e da direita do ponto x = 0 são diferentes.
1
Como os declives das rectas da esquerda e da direita do ponto
x = 0 são iguais a f ′ (0− ) e f ′ (0+ ) respectivamente, tem-se: −2 O 1 x
f ′ (0− ) , f ′ (0+ ).
Por isso, a função f (x) não é derivavel no ponto x = 0. ←−Em geral, o ponto anguloso não é derivável.
Também como os declives das rectas da esquerda e da direita
do ponto x = 1 são diferentes, então f ′ (1− ) , f ′ (1+ ).
Por isso, a função não é derivável nos pontos x = 0 e x = 1.

11/14 69
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

Somente para a Secção de Letras

36. 
Quais são as medidas dos catetos de um triângulo cuja hipotenusa mede 6cm e um dos ângulos mede 60◦ ?
√ √ √
3 3 3 √
A. cm e 1 cm B. cm e cm C. 3cm e 3 3cm D. 3cm e 6cm
12 12 12 2
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Sejam x e y as medidas dos catetos como a figura
y
mostra. Então tem-se: ⋆ senα =
y r
e cos 60◦ = x
r
sen60◦ = 6 y ←− y ⋆ cos α = x
√ 6 6
◦ α y
r
3 60 ⋆ tgα =
Como sen60◦ = , tem-se: x x x
2 √
√ √ √
y 3 y
sen60◦ = ⇔ = ⇔ 2y = 6 3 ⇔ y = 3 3 ←− sen60◦ =
3
6 2 6 2

Como cos 60◦ = 1 , tem-se: 2
3
2 ◦
60
cos 60◦ = x ⇔ 1 = x ⇔ 2x = 6 ⇔ x = 3 ←− cos 60◦ = 1
6 2 6 2 1

Portanto, as medidas dos catetos são 3cm e 3 3cm.
Opção: C
 37. 
Um pára-quedista salta de um avião a 400m de altitude. Dirige-se para o solo, formando um ângulo de 60 ◦

com a vertical. Que distância percorre o pára-quedista?


√ √
A. 200m B. 200 3m C. 300 3m D. 800m
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Se r é a medida da hipotenusa do trian-
gulo como a figura mostra, então a dis- r 60◦
tância que o pára-quedista percorre é o 400m
30 ◦
valor de r.
Pela leitura da figura, tem-se:
sen30◦ = 400 ⇔ 1 = 400 ⇔ r = 800 ←− 2
sen30◦ = 1
2
r 2 r 1
Opção: D 30◦

3
38. 
Qual é o complementar, em R, do conjunto M =] − 3; 5[?
A. ] − ∞; −3] ∪ [5; +∞[ B. ] − ∞; −3]∪]5; +∞[ C. ] − ∞; −3[∪[5; +∞[ D. ] − ∞; −3[∪]5; +∞[
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】 Considerem-se os conjuntos U (Universal) e A, de tal modo
Pela leitura da figura, o complemen- que A ⊂ U. Chama-se complementar do conjunto A, ao
tar do conjunto M é: conjunto de todos os elementos que pertencem a U e não
M M
M pertencem a A. U
M =] − ∞; −3] ∪ [5; +∞[
−3 5 A A
Opção: A
39. 
Dados os conjuntos M = {2; 4; 6} e N = {1; 2; 3; 6}. Qual é o cardinal de M ∪ N?
A. 2 B. 3 C. 4 D. 5
 2011.1ªÉpoca 

12/14 70
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
{ 
 }
M ∪ N = {1; 2; 3; 4; 6} ←− M ∪ N = x 
 x ∈ M ou x ∈ N
Como M ∪ N contém 5 elementos, o cardinal de M ∪ N é 5. ←− Chama-se cardinal ao número de elementos de um
Opção: D conjunto.
 40. 
Num seminário com 50 participantes, 21 falam português, 14 falam inglês, 9 falam português e inglês e os
restantes falam outras línguas. Quantos falam outras línguas?
A. 15 B. 21 C. 24 D. 35
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Sejam U- Conjunto de todos os participantes no seminário; ←− Nota-se que:
P- Conjunto dos participantes que falam portugûes; n(U) = 50, n(P) = 21, n(I) = 14 e n(P ∩ I) = 9.
I - Comjunto dos participantes que falam inglês. Os participantes que falam só português são 21 − 9 =
Então pode-se construir o diagramma de U(50) 12.
Venn como a figura mostra. Os participantes que falam só inglês são 14 − 9 = 5.
P(21) I(14)
A partir do diagramma, os participantes
12 9 5
que falam outras línguas são:
50 − (12 + 9 + 5) = 50 − 26 = 24
Opção: C

Somente para a Secção de Ciências


36. 
Para que os pontos (0; −3), (k; 7) e (−1; −5) sejam colineares, qual deve ser o valor de k?
A. 6 B. 5 C. 4 D. 3
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
A equação da recta que passa pelos pontos (0; −3) e (−1; −5) é: ←− A equação da recta que passa pelos pontos (x1 ; y1 ) e
−5 − (−3) (y1 ; y2 ) é dada por: y − y1 =
y2 − y1
(x − x1 )
y − (−3) = (x − 0) ⇔ y + 3 = 2x ⇔ y = 2x − 3 2 − x1
−1 − 0 x
Como esta recta também passa pelo ponto (k; 7), tem-se:
7 = 2k − 3 ⇔ 2k = 10 ⇔ k = 5 ←− Substitui-se x = k e y = 7 em y = 2x − 3.
Opção: B
 37. 
Considere a função f definida pela tabela seguinte:
x 1 2 3 4 5
f (x) 4 1 3 5 2
Qual é o valor de f [ f (4)]?
A. 4 B. 3 C. 2 D. 1
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
(4)] = f (55) = 2
Pela leitura da tabela, tem-se: f [ f (4) ←− Pela 5ªcoluna, tem-se f (4) = 5 e pela 6ª coluna, tem-
Opção: C se f (5) = 2.
 38. 

Usando a unidade imaginária i, como pode ser escrito o número −4?
A. −2i B. i C. 2i D. Não existe
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
√ √ √
−4 = 4 · −1 = 2i ←− Definição de número imaginario:

Opção: C ⋆ −1 = i; ⋆i = −1

13/14 71
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

39. 
Qual é a função cuja primeira derivada em ordem a x é f (x) = + 2x? x3
4 4
A. x + x2 B. x4 + x2 C. − x − x2 D. x4 + 2x
4 4
 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Deriva-se a função de cada opção para se encontrar a função
cuja primeira derivada é f (x) = x3 + 2x:
( 4 )′ ( 4 )′
x + x2 = 4x3 + 2x = x3 + 2x = f (x)
A: ←− Por x + x2 = f (x), a opção A é a solução.
( 4 )′ 4 4
B: x4 + x2 = 4x3 + 2x ⋆Definição da função primitiva:
( 4 )′ 3 Sejam F(x) e f (x) duas funções contínuas.
C: − x − x2 = − 4x − 2x = −x3 − 2x A função F(x) é uma primitiva de f (x) para qualquer x do
4 4 domínio de f (x) se a derivada de F(x) é igual a f (x), isto
D: (x4 + 2x)′ = 4x3 + 2 é, F ′ (x) = f (x).
Portanto, a opção correcta é A.
⋆Definição de integral indefinida:
Opção: A Se f (x) é uma função contínua em R, chama-se integral

【Outra resolução】 indefinida, à expressáo f (x) dx = F(x) + c, onde F(x) é
Determina-se a primitiva de f (x) = x3 + 2x. uma primitiva de f (x) e c é uma constante.

O integral
∫ de f (x), sendo c ∈ R, é: F ′ (x) = f (x)∫⇐⇒ f (x) dx = F(x) + cc, onde c ∈ R.
4
(x3 + 2x) dx = 1 x4 + 2 · 1 x2 + c = x + x2 + c ←−Fórmula: x dx = 1 xn+1 + c, onde c ∈ R.
n
4 2 4 n+1
4
Quando c = 0, isto será x + x2 da opção A.
4
 40. 
Qual das figuras representa o gráfico da função f (x) = 1 − x ?
A. B. C. D.
y y y y
5 5 5 5

4 4 4 4

3 3 3 3

2 2 2 2

1 1 1 1

-4 -3 -2 -1 O 1 2 3 x -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 x -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 x -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 x
-1 -1 -1 -1

-2 -2 -2 -2

 2011.1ªÉpoca 
【Resolução】
Substituindo f (x) por y, tem-se: y = 1 − x = x − 1 . ←− y = 1 − x = −(x − 1) = x − 1
A opção A representa o gráfico da função de y = x . ←− O gráfico da função y = x passa pela origem.
O gráfico de y = x − 1 obtém-se a partir do gráfico de y = x ←− O gráfico da função y = f (x − p) + q obtém-se a partir
através da translação de 1 unidade para direita. Então, o gráfico do gráfico da função y = f (x) através da translação de
de f (x) é da opção B. p unidades para direita e q unidades para cima.
Opção: B Os gráficos das função y = x e y = x − 1 são:
【Outra resolução】 y
y= x −1
Substituindo x = 1 em f (x) = 1 − x , tem-se:
f (1) = 1 − 1 = 0
Portanto, o gráfico da função passa pelo ponto (1; 0). y= x 1
Verifica-se que só o gráfico da opção B passa pelo ponto (1; 0). O 1 x
Então, a solução é a opção B.

FIM

14/14 72
República de Moçambique
Matemática Ministério da Educação 2ª Época
12ª Classe / 2011 Conselho Nacional de Exames, Certificação e Equivalências 120 Minutos
Esta prova contém 40 perguntas com 4 alternativas de resposta para cada uma. Escolha a alternativa correcta e
RISQUE a letra correspondente na sua folha de respostas. Responda a todas as primeiras 35 perguntas. As últimas
5 perguntas responda somente às da sua secção (Letras ou Ciências).

【Resolução】
1. 
A soma de quaisquer dois números naturais é sempre maior do que zero. Qual é a quantificação correcta?
A. ∃x; y ∈ N : x + y > 0 B. ∃x; y ∈ N : x + y ≥ 0 C. ∀x; y ∈ N : x + y ≥ 0 D. ∀x; y ∈ N : x + y > 0
 2011. 2ª época 
【Resolução】
A soma de quaisquer dois números naturais é sempre maior do Ao símbolo ∀ dá-se o nome de quantificador universar e
que zero. lê-se «qual quer que seja».
Isto é: ∀x; y ∈ N : x + y > 0 Ao símbolo ∃ dá-se o nome de quantificador existencial e
lê-se «existe pelo menos um».
Opção: D
2. 
Considere p ⇒ q, uma proposição falsa. Qual é o valor lógico das proposições iniciais?
A. Ambas são falsas B. Ambas são verdadeiras
C. p é verdadeira e q é falsa D. p é falsa e q é verdadeira
 2011. 2ª época 
【Resolução】
Como p ⇒ q é uma proposição falsa, então p é verdadeira e q ←− p ⇒ q só é falsa se o antecedente for verdadeiro e o
é falsa. consequente falso.
Opção: C
3. 

Qual é o domínio de existência da expressão √3x + 2 ?


x−1
A. R B. R \ {1} C. ]0; +∞[ D. ]0; +∞[\{1}
 2011. 2ª época 
【Resolução】
√ √
Como o√denominador é√diferente de zero, então tem-se: ←− Como o índice 3 de 3 x é ímpar, a expressão 3 x não
3
x − 1 , 0 ⇔ 3 x , 1 ⇔ x , 13 ⇔ x , 1 tem como condição.
Portanto, o domínio é R \ {1}. Se o índice fosse par, teria a condição: x ≥ 0.
Opção: B
4. 

1 0 1
Considere k −1 1 = 6. Qual é o valor de k?
1 2 −1
A. −1 B. 0 C. 1 D. 3
 2011. 2ª época 

1/13 73
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Resolução 】
1 0 1
a b c
k −1 1 = 1 · (−1) · (−1) + 0 · 1 · 1 + 1 · k · 2 ←− d e f = aei + b f g + cdh − (gec + dbi + ah f )

1 2 −1 g h i
− [1 · (−1) · 1 + 0 · k · (−1) + 1 · 1 · 2]
= 1 + 2k − (−1 + 2) = 2k
Logo, tem-se: 2k = 6 ⇔ k = 3
Opção: D
 5. 
Para quaisquer x e y reais positivos, lg x · lg y é igual a...
( )
A. lg ylg x B. lg(x · y) C. lg(x + y) D. lg(x)y
 2011. 2ª época 
【Resolução】
lg x · lg y = lg ylg x ←− ∀k ∈ R, k loga x = loga x k
Opção: A
6. 
√3
Qual é a solução da equação 2 x+1 = 4?
A. 3−1 B. 3 C. 5 D. 23
 2011. 2ª época 
【Resolução】
√3
2 x+1 = 4 ⇔ 2 x+1 = 43 ⇔ 2 x+1 = (22 )3 ⇔ 2x+1 = 26 ←− Eleva-se ambos os membros da equação ao cubo.
⇔ x+1=6⇔ x=5 ←− Iguala-se os expoentes porque as bases são iguais.
Opção: C
 7. 
Sabendo que α é um ângulo do 1◦ quadrante, a que quadrante pertence o ângulo π − α?
A. IQ B. IIQ C. IIIQ D. IV Q
 2011. 2ª época 
【Resolução】
Como α é um ângulo do 1◦ quadrante, então 0 < α < π .
No circulo trigonométrico, tem-se:
y
2
Multiplicando por −1 todos os membros da inquação, tem-se: IIQ IQ
π π
0 > −α > − ⇔ − < −α < 0 π−α
2 2 π
Adicionando π a todos os membros da inquação, tem-ses: −α α
O
π− π <π−α<π⇔ π <π−α<π
x
2 2
Por isso, π − α pertence ao 2◦ quadrante. IIIQ IV Q
Opção: B
【Outra resolução】 π − α pertence ao 2◦ quadrante.
Para se obter a solução, trata-se de um ângulo do 1◦ quadrante.
Por exemplo, o ângulo α = π = 45◦ pertence ao 1◦ quadrante. ←−π = 180◦
4
Neste caso, tem-se: π − α = π − π = 180◦ − 45◦ = 135◦
4
Como 135◦ perternce ao 2◦ quadrante, conclui-se que π − α
pertence ao 2◦ quadrante.
8. 
1◦
Para alcançar o andar da sua escola, a Marília tem de subir uma rampa de 40m de comprimento, que forma
com o solo, um ângulo de 30◦ . Alcançado o 1◦ andar, a quantos metros do solo a Marília estará?
√ √
A. 20m B. 10 3m C. 20 3m D. 80m
 2011. 2ª época 

2/13 74
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Resolução】
Pela leitura da figura, tem-se: y
40m ⋆ senα =
sen30◦ = x ⇔ 1 = x x r r
y ⋆ cos α = x
40 2 40 30◦ r
⇔ 2x = 40 ⇔ x = 20 α
⋆ tgα =
y
Opção: A x x

9. 
A distância entre os pontos da recta numérica cujas abcissas são x e −2 é igual a 4. Como se escreve simboli-
camente esta afirmação?
A. x − 4 = 2 B. x + 4 = 2 C. x − 2 = 4 D. x + 2 = 4
 2011. 2ª época 

【Resolução】
A distâcia entre x e −2 é dada por: ←− A distância entre os pontos A(a) e B(b) situados no
x − (−2) = x + 2 ou −2 − x = −(x + 2) = x + 2 eixo das abcissas é AB = b − a ou AB = a − b
Por isso, a solução é x + 2 = 4 b − a ou a − b
Opção: D
A B x
10. 
Qual é o conjunto solução da equação 3x − 1 = 5?
{ } { } { } { }
A. 4 ; 2 B. −2; 4 C. − 4 ; 2 D. −2; − 4
3 3 3 3
 2011. 2ª época 

【Resolução】
3x − 1 = 5 ⇔ 3x − 1 = 5 ∨ 3x − 1 = −5 ←− Equação modular do tipo x = a, onde α ∈ R:
⇔ 3x = 6 ∨ 3x = −4 ⋆ x = a ⇔ x = a ∨ x = −a
⇔x=2 ∨ x=−4
3
Opção: C
11. 
De quantas maneiras diferentes pode-se guardar numa prateleira, dois pares de sapatos e três de chinelos, de
modo que os calçados do mesmo tipo fiquem lado a lado?
A. 48 B. 24 C. 12 D. 4
 2011. 2ª época 

【Resolução】 z
2!
}| { z
3!
}| {
Considera-se que os dois pares de sapatos S 1S 1 e S 2S 2 são uma S 1S 1 , S 2S 2 , C1 C1 , C2 C2 , C3 C3
única letra S e os três pares de chinelos C1C1 , C2C2 e C3C3 são | {z }
2!
uma única letra C.
Logo, as maneiras de permutar duas letras S e C numa fila são ←−Pn = n! é igual ao número total das maneiras difer-
2!. entes possíveis de permutar n elementos numa fila.
As maneiras de permutar os dois pares de sapatos numa fila e
os três de chinelos numa fila são respectivamente 2! e 3!.
Por isso, as maneiras procuradas são 2! · 2! · 3! = 2 · 2 · 3 · 2 = 24. ←−n! = n(n − 1)(n − 2) · · · 3 · 2 · 1
| {z }
Opção: B n factores

12. 
Quantos números de três algarismos diferentes podem ser escritos com os elementos do conjunto {1; 3; 7; 8; 9}?
A. 6 B. 10 C. 60 D. 120
 2011. 2ª época 

3/13 75
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Resolução】
O conjunto tem 5 elementos. Então o número procurado é igual ←− A p é o número total das maneiras possiveis de escol-
n

ao número total das maneiras diferentes possíveis de escolher her p elementos dentre n elementos e permutar os p
3 elementos dentre 5 elementos e em seguida permutar os 3 elementos. Quando interessa a ordem, aplica-se um
arranjo Anp . Quando não interessa a ordem, aplica-se
elementos entre si. uma combinação Cnp .
Como interessa a ordem, trata-se de um arranjo de 5 elementos
tomados 3 a 3.
Portanto, tem-se: A53 = 5| ·{z
4 ·}
3 = 60
←− Anp = n! = n(n − 1)(n − 2) · · · (n − p + 1)
3 factores
(n − p)! | {z }
Opção: C p factores

13. 
A Maria pretende ter filhos. Sabe-se que a probabilidade de NÃO engravidar por mês é de 0, 3. Qual é a
probabilidade de engravidar por mês?
A. 1 B. 0, 7 C. 0, 5 D. 0, 3
 2011. 2ª época 
【Resolução】
Como a probabilidade de não engravidar por mês é de 0, 3, en- ←− A probabilidade do acontecimento A (não A) é igual
tão a probabilidade de engravidar por mês é: 1 − 0, 3 = 0, 7 a 1 menos a probabilidade do acontecimento A. Isto
Opção: B é: p(A) = 1 − p(A)
14. 
Lança-se, uma vez, um dado equilibrado, de faces numeradas de 1 a 6. Qual será a probabilidade de sair um
número ímpar?
A. 1 B. 1 C. 1 D. 2
6 3 2 3
 2011. 2ª época 
【Resolução】
Se A é um acontecimento de sair um número ímpar, então A =
{1, 3, 5}.
Logo, o número de casos possíveis é 6 e o número de casos
favoráveis é 3. ←− O conjunto A tem 3 elementos.
3 = 1
Logo, a probabilidade de sair um número ímpar é: ←− A probabilidade de um acontecimento A é dada por:
6 2
Opção: C p(A) = número de casos favoráveis
número de casos possíveis
15. 
Sejam 3p − 4; 4p − 3; 7p − 6, três primeiros termos de uma progressão aritmética. Qual é o valor de p?
A. −2 B. 1 C. 2 D. 4
 2011. 2ª época 

【Resolução】
Como a sucessão é uma PA, então a diferença entre dois termos ←− Diz-se que uma sucessão é uma PA se a diferença en-
consectivos é constante. Por isso, tem-se: tre dois termos consecutivos é constante.
(4p − 3) − (3p − 4) = (7p − 6) − (4p − 3) ←− A diferença entre 1◦ termo e 2◦ termo é (4p − 3) −
⇔ p + 1 = 3p − 3 ⇔ −2p = −4 ⇔ p = 2 (3p − 4).
Opção: C A diferença entre 2◦ termo e 3◦ termo é (7p − 6) −
(4p − 3).
16. 
Considere uma progressão geométrica de razão igual a 2, cujo primeiro termo é 3. Qual é a posição do termo
192?
A. 6 B. 7 C. 8 D. 9
 2011. 2ª época 

4/13 76
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Resolução】
O termo geral da PG em que a1 = 3 e q = 2 é: an = 3 · 2n−1 . ←− O termo geral de uma PG é an = a1 · qn−1 .
Resolve-se a equação an = 192: O termo geral de uma PA é an = a1 + (n − 1)d
1)d.
3·2 n−1 = 192 ⇔ 2 n−1 = 64 ⇔ 2 n−1 =2 6

⇔n−1=6⇔n=7 ←− am = an ⇔ m = n
Opção: B
 17. 
Quantos números pares de 3 algarismos, menores do que 200, existem?
A. 150 B. 100 C. 50 D. 25
 2011. 2ª época 
【Resolução】
Os pares de 3 algarismos menores do que 200 são:
100, 102, 104, · · · , 196, 198
←− Os pares são múltiplos de 2.
Isto é: 2 · 50, 2 · 51, 2 · 52, · · · , 2 · 98, 2 · 99
Então, os números são: 99 − 50 + 1 = 50 ←− Os números da sucessão dos números naturais con-
sectivos cujo primeiro termo é n e o último termo é m
Opção: C são encontrados por m − n + 1.
18. 
A soma dos três primeiros termos de uma progressão aritmética é 27 e o produto dos dois primeiros termos é
36. Qual é o primeiro termo da sucessão?
A. 4 B. 5 C. 9 D. 27
 2011. 2ª época 
【Resolução】
Como a sucessão é uma PA, tem-se:
a2 = a1 + d e a3 = a2 + d = a1 + 2d ←− a1 , a2 , a3 ; a3 = a2 + d = (a1 + d) + d = a1 + 2d
Pela condição, tem-se: +d +d
 


 1
a + a2 + a3 = 27 

 1
a + (a1 + d) + (a 1 + 2d) = 27 ←− Substitui-se a2 por a1 + d e a3 por a1 + 2d.

 ⇔ 
a1 · a2 = 36 a1 (a1 + d) = 36 ←− Substitui-se a2 por a1 + d.



3a1 + 3d = 27 · · · ⃝1
⇔ 
a (a + d) = 36 · · · ⃝
1 1 2

Por ⃝1 , 3(a1 + d) = 27 ⇔ a1 + d = 9.
Substituindo a1 + d por 9 em ⃝ 2 , tem-se: a1 · 9 = 36 ⇔ a1 = 4
Opção: A
 19. 
Um automóvel percorreu no primeiro dia de viagem xkm, no segundo dia percorreu o dobro de x e no terceiro
dia percorreu o triplo de x, assim sucessivamente. Até ao fim de 10 dias, percorreu uma distância total de
1650km. Quantos quilómetros o automóvel percorreu no primeiro dia de viagem?
A. 165km B. 60km C. 30km D. 15km
 2011. 2ª época 
【Resolução】
A distância percorrida pelo automóvel representa-se pela
seguinte sucessão: x, 2x, 3x, · · ·
Esta sucessão é uma PA em que a1 = x e d = x. ←− x, 2x, 3x, · · ·
Até ao fim de 10 dias, o automóvel percorreu uma distância que +x +x +x
é igual à soma dos10 primeiros termos, isto é:
10[2 · x + (10 − 1)x]
S 10 = = 110x = 55x ←− A soma de uma PA de n primeiros termos é dada por:
2 2 n(a1 + an ) n[2a1 + (n − 1)d]
Como até ao fim de 10 dias, percorreu uma distância total de Sn = ou S n =
2 2
1650km, tem-se: 55x = 1650 ⇔ x = 30
Opção: C

5/13 77
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

20. 
Qual é a classificação da função f (x) = cos x + 2 quanto à paridade?
A. Par B. Ímpar C. Não par nem ímpar D. Par e ímpar
 2011. 2ª época 
【Resolução】
Calcula-se: f (−x) = cos(−x) + 2 ←− cos(−α) = cos α
α; sen(−α) = −senα
= cos x + 2 = f (x) tg(−α) = −tgα; cotg(−α) − cotgα
Como f (−x) = f (x), então f é par. ←− Se f (−x) = f (x), então f é par.
Opção: A Se f (−x) = − f (−x), então f é ímpar.
21. 

Qual é a equação da assímptota horizontal do gráfico da função f (x) = 2 ?


x+1
A. x = −1 B. y = −1 C. x = 0 D. y = 0
 2011. 2ª época 
【Resolução】
2 é homográfica.
A função f (x) = ←− Uma função do tipo f (x) = ax + b é homográ-
x+1 cx + d
Como f (x) = 2 = 0 · x + 2 , a equação da assímptota
fica cujas assímptotas vertiacal e horizontal são dadas
x+1 1·x+1 pelas seguintes equações:

horizontal é y = 0 = 0. ⋆AV : x = − d (← Zero do denominador)


c
1
Opção: D ⋆AH : y = a (← Quociente dos coeficientes de x)
c
 22. 
O gráfico de uma função do primeiro grau passa pelo ponto (4; 0) e pelo vértice da parábola dada pela expressão
y = x2 − 2x. Qual é a expressão analítica dessa função do primeiro grau?
A. y = 1 x − 4 B. y = − 1 x − 4 C. y = − 1 x + 4 D. y = 1 x + 4
3 3 3 3 3 3 3 3
 2011. 2ª época 
【Resolução】
Calcula-se o ponto do vértice de y = x2 −2x fazendo o quadrado
perfeito: y = x2 − 2x = (x − 1)2 − 1
Logo, o ponto do vértice é (1; −1). ←− O ponto do vértice do gráfico de uma função
Portanto, a equação da recta que passa pelos pontos (4; 0) e quadrática y = a(x − p)2 + q é ( p; q).
(1; −1) é: y − 0 = −1 − 0 (x − 4) ⇔ y = 1 x − 4 ←− A equação da recta que passa pelos pontos (x1 ; y1 ) e
1−4 3 3 y2 − y1
Opção: A (x2 ; y2 ) é dada por y − y1 = (x − x1 )
x2 − x1
【Outra resolução】
Pela fórmula, o ponto do vértice de y = x2 − 2x)é: ←− Fórmula para obtenção o ponto do vértice:
( ) ( 2−4·1·0
− b ; ∆ = − −2 ;
(−2) O ponto do vértice da parábola dada pela expressão
= (1; −1) ( )
2a 4a 2 4 y = ax2 + bx + c é: − b ; ∆ , onde ∆ = b2 − 4ac.
2a 4a
Continua-se de mesmo modo que Resolução· · · · · · · · · · · · · · ·
23. 
Os gráficos das f (x) = ax e g(x) = x2 − 1 interceptam-se num ponto de abcissa 3. Qual é o valor de a?
A. 1 B. 2 C. 3 D. 4
 2011. 2ª época 
【Resolução】
f (3) = a3 e g(3) = 32 − 1 = 8 ←− Substitui-se x por 3 nas funções f (x) e g(x).
Pela condição, tem-se:
f (3) = g(3) ⇔ a3 = 32 − 1 ⇔ a3 = 8 ⇔ a3 = 23 ⇔ a = 2 ←− Numa igualdade de duas potências com mesmo ex-
poente ímpar iguala-se as bases, isto é, se m é um
Opção: B número ímpar, então am = bm ⇔ a = b.

6/13 78
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

24. 
Qual dos gráficos representa uma função injectiva?
A. B. C. D.
y y y y

O x O x O x O x

 2011. 2ª época 
【Resolução】
O gráfico da opção C representa uma y ←− ⋆Se nenhuma recta horizontal corta o gráfico de f em
função injectiva porque nenhuma recta mais um ponto, então f é injectiva.
horizontal corta o gráfico em mais um ⋆Se toda recta horizontal corta o gráfico de f , então
ponto. Os gráficos das opções A, B, f é sobrejectiva.
O x
e D não são injectivas porque algumas ⋆Se toda recta corta o gráfico de f em um sóponto,
rectas horizontais cortam os gráficos então f é bijectiva.
(Se uma função f é simultaneamente injectiva e so-
em mais um ponto.
brejectiva, então f é bijectiva.)
Opção: C
25. 
√ √
Qual é o valor de lim ( x + 1 + x)?
x→+∞
A. −1 B. 0 C. 1 D. +∞
 2011. 2ª época 
【Resolução】
√ √
lim ( x + 1 + x) = +∞ ←− ∞ + ∞ = ∞
x→+∞
Opção: D
26. 

x−1
Qual é o valor de lim ?
x→1 x−1
A. 0 B. 1 C. 1 D. 1
4 2
 2011. 2ª época 
【Resolução】
√ √ √
x−1 [0] ( x − 1)( x + 1)
lim = = lim √ ←− Multiplica-se o numerador e o denominador pelo con-
x→1 x − 1 0 x→1 (x − 1)( x + 1) √ √
jugado x + 1 de x − 1.
= lim x−1 √ √ √
√ ←− ( x − 1)( x + 1) = ( x)2 − 12 = x − 1
x→1 (x − 1)( x + 1)

= lim √ 1 = √1 = 1 ←− Substitui-se x por 1.


x→1 x+1 1+1 2
Opção: C
27. 
2
Qual é o valor de lim (1 − x) x ?
x→0
A. −2 B. 0 C. e−2 D. e2
 2011. 2ª época 
【Resolução】
lim (1−x−1)· 2x lim (−2)
lim (1 − x) x = [1∞ ] = ex→0 = e−2
2
= ex→0 ←− Sejam lim f (x) = 1 e limg(x) = ∞. Então tem-se:
x→0 x→a x→a
lim [ f (x)−1]·g(x)
Opção: C lim[ f (x)] g(x)
= [1∞ ] = ex→a
x→a

7/13 79
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

28. 

Qual é o valor de lim− 2x − 4 ?


x→2 x−2
A. −2 B. 1 C. 2 D. ∞
 2011. 2ª época 
【Resolução】
Quando x → 2− , x < 2. Logo, x − 2 = −(x − 2). ←− x → 2− significa que x se aproxima de 2 pela es-
Portanto, tem-se: querda. Portanto, x → 2− é x < 2.

2(x − 2) 
lim 2x − 4 = lim−

x − 2 se x − 2 ≥ 0 ⇔ x ≥ 2
= lim− 2 = −2 x−2 = 
x→2− x − 2 x→2 −(x − 2) x→2 −1 −(x − 2) se x − 2 < 0 ⇔ x < 2
Opção: A
29. 

Considere a função f (x) = x−2 .


x2 − 5x + 6
Em que ponto a função tem um ponto de descontinuidade eliminável?
A. −3 B. −2 C. 2 D. 3
 2011. 2ª época 
【Resolução】
f (x) = 2 x − 2 = x−2
←− Factoriza-se x2 − 5x + 6 aplicando x2 + (a + b)x + ab =
x − 5x + 6 (x − 2)(x − 3)
(x + a)(x + b).
Como o denominador é diferente de zero, tem-se a condição:
x2 − 5x + 6 , 0 ⇔ (x − 3)(x − 2) , 0 ⇔ x , 3 ∧ x , 2
Por isso, a função não está definida nos pontos x = 2 e x = 3,
isto é, @ f (2) e @ f (3).
Logo, a função é descontínua nos pontos x = 2 e x = 3. ←− Se não existe o valor de f (a), a função f (x) é descon-
Se x , 2 e x , 3, então f (x) = x − 2 = 1 . tínua no ponto x = a.
(x − 2)(x − 3) x−3
Verifica-se se existem lim f (x) e lim f (x).
x→2 x→3

Como lim f (x) = lim 1 = −1, existe lim f (x) (x). ←− A função f tem uma descontinuidade eliminável em
x→2 x→2 x − 3 x→2 x = a se ∃lim f (x) mas lim f (x) , f (a)
Então, a função f (x) tem um ponto de descontinuidade elim- x→a x→a

inável em x = 2.
Os limites laterais no ponto x = 3 são:
lim f (x) = lim+ 1 = +∞ ←− 1+ = +∞
x→3+ x→3 x − 3 0
lim f (x) = lim− 1 = −∞ ←− 1− = −∞
x→3− x→3 x − 3 0
Como os limites laterais são diferentes, não existe lim f (x)
(x). ←− ⋆ lim+ f (x) = lim− f (x) = α ⇔ lim f (x) = α
x→3 x→a x→a x→a
⋆ lim+ f (x) , lim− f (x) ⇔ @lim f (x)
x→a x→a x→a
Por isso, a função f (x) tem um ponto de descontinuidade não ←− A função f tem uma descontinuidade eliminável em
eliminável em x = 3. x = a se @lim f (x)
(x).
x→a
Opção: C
30. 
Qual é a 1ª derivada da função f (x) = + 1)?
cos(x2
A. −2xsen(x + 1)
2 B. −2xsen(x − 1)
2 C. sen(x2 − 1) D. 2xsen(x2 + 1)
 2011. 2ª época 
【Resolução】
f ′ (x)
= [cos(x2 + 1]′ = −sen(x2 + 1) · (x2 + 1)′ ←− Derivada de uma função composta:
= −sen(x2 + 1) · 2x = −2xsen(x2 + 1) [cos f (x)]′ = −sen f (x) · f ′ (x) porque (cos x)′ =
Opção: A −senx.

8/13 80
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

31. 

Qual é a 1ª derivada da função f (x) = e 2x ?
√ √ √ √ √ √ √ √
e 2x · 2x e 2x · 2x e 2x· x e 2x· 2
A. B. C. D.
x 2x 2x x
 2011. 2ª época 
【Resolução】
√ √ ( √ )′ √
1
f ′ (x) = [e 2x ]′ =e 2x · 2x = e 2x · √ · (2x)′ ←− [e f (x) ]′ = e f (x) · f ′ (x) porque (e x )′ = e x ;
2 2x (√ )′ √
√ √ √ √ f (x) = √1 · f ′ (x) porque ( x)′ = √ 1 .
· 2x √ x
2
= e √ · 2 = e√
2x 2x e 2x 2 f (x)
= ←− Racionaliza-se a fracção, multiplicando por 2x am-
2 2x 2x 2x bos os termos da fracção.
Opção: B
32. 
Qual é a 2ª derivada da função f (x) = tgx?
2tgx 1 tgx 2tgx
A. − B. C. D.
cos2 x cos4 x cos2 x cos2 x
 2011. 2ª época 
【Resolução】
A primeira derivada de f (x) é:
f ′ (x) = (tgx)′ = 1 = (cos x)−2 1
←− (tgx)′ =
cos2 x cos2 x
Então, a segunda derivada de f (x) é:
f ′′ (x) = [(cos x)−2 ]′ = −2(cos x)−3 · (cos x)′ ←− [ f (x)n ]′ = n f (x)n−1 · f ′ (x) porque (xn )′ = nxn−1 .
= −2 · 13 · (−senx) = 2senx ←− (cos x)′ = −senx
cos x cos3 x
senx
2senx tgx
2tgx
= = ←− senx = tgx
cos x · cos x
2 cos2 x cos x
Opção: D
33. 
Seja y = (k − 1)x + 2 a equação da recta tangente ao gráfico da função y = x3 + 1 no ponto de abcissa x = 1.
Qual é o valor de k?
A. 4 B. 3 C. 2 D. 1
 2011. 2ª época 
【Resolução】
Sendo f (x) = x3 + 1, f ′ (1) é igual ao declive da recta tangente ←− O valor de f ′ (a) é igual ao declive da recta tangente
ao gráfico de f (x) = x3 + 1 no ponto x = 1. ao gráfico da função y = f (x) em x = a.
Como f ′ (x) = (x3 )′ = 3x2 , então f ′ (1) = 3. ←− Aplicando (xn )′ = xn−1 , (x3 )′ = 3x2 .
Como o declive da recta y = (k − 1)x + 2 é k − 1, então tem-se: ←− O declive da recta y = ax + b é a(Coeficiente de x).
k−1=3⇔k =4
Opção: A
34. 
Qual é a abcissa do extremo máximo do gráfico da função f (x) = −x2 + 1?
A. −2 B. −1 C. 0 D. 1
 2011. 2ª época 
【Resolução】
Calcula-se: f ′ (x) = (−x2 + 1)′ = −2x ←− (x2 )′ = 2x; ∀k ∈ R, (k)′ = 0
Calcula-se os zeros de f ′ (x):
f ′ (x) = 0 ⇔ −2x = 0 ⇔ x = 0 ←− Há possibilidade de ter um extremo no ponto x = 0.

9/13 81
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

Constroi-se a tabela de monotonia e extremos.


x ··· 0 ··· ←− Se f ′ (x) < 0, então f (x) é decrescente.
f ′ (x) + 0 − Se f ′ (x) > 0, então f (x) é crescente.
f (x) ↗ −1 ↘ Se f ′ (x) = 0, então f (x) é constante.

A partir da tabela, f (x) tem para x = 0 o extremo máximo −1. ←− f (x) tem para x = a um extremo máximo se f (a) =
Por isso, a abcissa do extremo máximo de f (x) é x = 0 0 e f ′ (x) passa em x = a de positiva a negativa.
f (x) tem para x = a um extremo mínimo se f (a) =
Opção: C 0 e f ′ (x) passa em x = a de negativa a positiva.
35. 
Em que valor de x a função representada na figura não é derivável?
y
4
A. −1 3
2
1
B. 0
−5 −4 −3 −2 −1 O 1 2 3 4 x
−1
C. 1 −2
−3
−4
D. 2 −5
 2011. 2ª época 

【Resolução】
Por observação do gráfico, a função é descontínua em x = 0 ←− A descontinuidade pode acontecer ou porque a função
porque não existe o valor de f (0). apresenta um furo, ou dá salto nesse ponto.
Logo, a função não é derivável em x = 0. ←− Se uma função é descontínua em x = a, então a
Opção: B função não é derivável nesse ponto.

Somente para a Secção de Letras

36. 
Considere os conjuntos M = {x ∈ R : −2 < x ≤ 6} e N = {x ∈ R : x < 3}. Qual é o conjunto M \ N?
A. [3; 6] B. ]3; 6] C. ] − ∞; −2] ∪ [2; 6] D. ] − ∞; −2]∪]2; 6]
 2011. 2ª época 

【Resolução】
Pela leitura da figura, N M\N
M \ N = {x ∈ R : 3 ≤ x ≤ 6} M ←− A \ B = {x|x ∈ A e x < B}
= [3; 6] A B
Opção: A
37. 
Qual é a expressão equivalente à N ∩ (M ∪ N)?
A. M B. N C. M ∩ N D. M ∪ N
 2011. 2ª época 

【Resolução】
N ∩ (M ∪ N) = (N ∩ M) ∪ (N ∩ N) ←− Lei Distributiva: A ∩ (B ∪ C) = (A ∩ B) ∪ (A ∩ C)
= (N ∩ M) ∪ ∅ ←− Lei do Complementar: A ∩ A = ∅
=N∩M ←− Lei de Identidade: A ∪ ∅ = A
= M∩N ←− Lei Comutativa: A ∩ B = B ∩ A
= M∪N ←− Leis de De Morgan: A ∩ B = A ∪ B; A ∪ B = A ∩ B
Opção: D

10/13 82
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

38. 
Uma prova tinha duas questões, 30 alunos acertaram somente uma questão, 24 acertaram a segunda questão,
10 acertaram as duas questões, 26 erraram a primeira questão.
Quantos alunos não acertaram nenhuma das questões?
A. 12 B. 24 C. 26 D. 56
 2011. 2ª época 

【Resolução】
Sejam:
U- Conjunto dos alunos que fizeram a prova;
A - Conjunto dos alunos que acertaram a 1ªquestão; ←− Nota-se que:
B - Conjunto dos alunos que acertaram a 2ªquestão. n(A ∪ B) − n(A ∩ B) = 30, n(B) = 24, n(A ∩ B)=10 e
Então pode-se construir o diagrama U n(A) = 26.
de Venn como a figura mostra. A B(24)
Os alunos que acertaram somente a
100
10
2ª questão são: 24 − 10 = 14 ←− 24 acertaram a 2ª questão e 10 acertaram as duas
Os alunos que acertaram somente a 26 questões.
1ª questão são: 30 − 14 = 16 ←− 30 acertaram somente uma questão e 14 acertaram so-
Por isso, os alunos que não acertaram nenhuma das questões mente a 2ªquestã.
são: 26 − 14 = 12 ←− 26 erraram a primeira questão e 14 acertaram somente
Opção: A a 2ªquestão.

39. 
Qual é o ângulo formado entre a recta de equação y = x − 2 e o sentido positivo do eixo das abcissas?
A. 30◦ B. 45◦ C. 60◦ D. 90◦
 2011. 2ª época 

【Resolução】
O declive da recta y = x − 2 é 1 porque o coeficiente de x é 1. ←− O declive da recta dada pela equação y = ax + b é a.
Seja α o ângulo formado entre a recta y
y = −2 e o sentido positivo do eixo das
abcissas. 45◦
Então tem-se: O x

tgα = 1, onde 0 ≤ α < 180 ◦
y= x−2 ←− O declive (coeficiente angular) da recta que forma um
Logo, α = 45◦ . ângulo α com o sentido positivo do eixo das abcissas
Opção: B tgα, onde 0◦ ≤ α < 180◦ .
é igual a tgα

40. 
Considere as aplicações Q : 2x2 + 2y = 4, T : 2x + 2y2 = 4, P : 2x + 2y = 4 e M : 2x + 2y2 − 2xy = 4.
Quais destas aplicações correspondem a funções?
A. Q e P B. Q e T C. T e M D. P e M
 2011. 2ª época 

【Resolução】
Os graus de y das aplicações de T e M são pares. ←− Definição da função:
Por isso, estas aplicações não são funções. Uma função f é uma correspondência entre um con-
Os graus de y das aplicações de Q e P são ímpares. junto A e um conjunto B se a cada elemento x de A
correspende um e só um elemento y de B.
Logo, estas funções são funções.
A aplicação Q é uma função quadrática e a aplicação P é uma Por isso, se o grau de y é par, y não é nenhuma função,
porque neste caso alguns elementos de x correspon-
função do primeiro grau. dem a mais de um elemento y.
Opção: A

11/13 83
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

Somente para a Secção de Ciências

36. 
Qual é a equação reduzida da circunferência de centro C(2; 3) e que passa pelo ponto P(−1; 5)?
A. (x−2)2 +(y−3)2 = 26 B. (x+2)2 +(y+3)2 = 13 C. x2 + y2 = 13 D. (x−2)2 +(y−3)2 = 13
 2011. 2ª época 
【Resolução】
Como a distância entre dois pontos C(2; 3) e P(−1; 5) é igual ao
raio r da circunferência, então tem-se:
√ √
r = (−1 − 2)2 + (5 − 3)2 = 13 ←− A distância entre dois pontos (x1 ; y1 ) e (x2 ; y2 ) é dada

Logo, a equação reduzida da circunferência do centro C(2; 3) e por (x2 − x1 )2 + (y2 − y1 )2 .

o raio 13 é dada por:
( √ )2
(x − 2)2 + (y − 3)2 = 13 ⇔ (x − 2)2 + (y − 3)2 = 13 ←− A equação reduzida da circunferência de centro
Opção: D C(a, b) e raio r é dada por (x − a)2 + (y − b)2 = r2 .
37. 

Usando a unidade imaginária i, como pode ser escrito o número 5 − −18?
6
5 5 √ 5 √
A. − 9i B. − 3 2i C. − 3i D. 5 + 3 2i
6 6 6 6
 2011. 2ª época 

【Resolução】
5 − √−18 = 5 − √18 · √−1 = 5 − √32 · 2 · i = 5 − 3 √2i
←− Definição de númro imaginário:
6 6 6 6 √
Opção: B ⋆ −1 = i; ⋆i2 = −1

38. 

Qual é a primitiva da função f (x) = 12 ?


x
A. 1 B. 2 1 C. − 1 D. − 12
x x x x
 2011. 2ª época 

【Resolução】
Deriva-se a função de cada opção para se encontrar a função
cuja primeira derivada é f (x) = 12 .
( )′ x
1 ( )′
A. = (x−1 )′ = −x−2 = − 12 ←− 1 = − 12
( x )′ x x x
1
B. 2 = (x−2 )′ = −2x−3 = − 3 2
←−∀n ∈ R, (xn )′ = nxn−1
x ( ) x
( )
1 ′
C. − = − − 12 = 12 = f (x)
x x x
( )′ ( )
D. − 12 = − − 23 = 23
x x x

Como a derivada da função da opção C é igual a f (x) = 12 , a ←−Definição da função primitiva:


x Sejam F(x) e f (x) duas funções contínuas.
1
função da opção C é a primitiva da função f (x) = 2 . A função F(x) é uma primitiva de f (x) para qualquer
x x do domínio de f (x) se a derivada de F(x) é igual a
Opção: C f (x), isto é, F′ (x) = f (x).

12/13 84
2011/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Outra resolução】
Determina-se a primitiva da função f (x) = 12 .
x
1
O integral de f (x) = 2 é:
∫ ∫x ∫
1 dx = x−2 dx = 1 x−2+1 + c 1 xn+1 + c, onde c ∈ R.
−2 + 1 ←− Fórmula: xn dx =
x2 n+1
= −x−1 + c = − 1 + c Definição de integral indefinida:
x Se f (x) é uma função contínua em R, chama-se inte-

Por isso, quando c = 0, será igual a − 1 da alternativa C. gral indefinida, à expressáo f (x) dx = F(x)+c, onde
x
F(x) é uma primitiva de f (x) e c é uma constante.

Então, conclui-se que − é a primitiva da função f (x) = 12 .
1
x x F ′ (x) = f (x) ⇐⇒ f (x) dx = F(x) + cc, onde c ∈ R.
39. 
Dada a função h(x) = 4x + 2, qual é o valor de (hoh)(−1)?
A. −6 B. −4 C. −3 D. −2
 2011. 2ª época 

【Resolução】
Calcula-se: h(−1) = 4 · (−1) + 2 = −2. ←− Substitui-se x por −1 em h(x) = 4x + 2.
Então: (hoh)(−1) = h[h(−1)] ←− Função composta: ( f og)(x) = f [g(x)]
= h(−2) = 4(−2) + 2 = −6 ←− Para se calcular h(−2), substitui-se x por −2 em
Opção: A h(x) = 4x + 2.
40. 
Qual das figuras pode representar o gráfico de uma função invertível?
A. y B. y C. y D. y

O x O x O x O x

 2011. 2ª época 

【Resolução】
Para que uma função seja invertível, é y ←− Se uma função f (x) é injectiva, então a função f (x) é
necessário que a função seja injectiva. ivertível.
A função representada no gráficao da ←− ⋆Se nenhuma recta horizontal corta o gráfico de f em
opção C é injectiva porque nenhuma x
mais um ponto, então f é injectiva.
O
recta horizontal corta o gráfico em ⋆Se toda recta horizontal corta o gráfico de f , então
mais um ponto. f é sobrejectiva.
Como a função da opção C é injectiva, ⋆Se toda recta corta o gráfico de f em um sóponto,
então esta função é invertível. então f é bijectiva.
(Se uma função f é simultaneamente injectiva e so-
Como as funções representadas nos gráficos das opções A, B e
brejectiva, então f é bijectiva.)
D não são injectivas, estas funções não são invertíveis.
Opção: C

FIM

13/13 85
República de Moçambique
Matemática Ministério da Educação Exame Extraordinário
12ª Classe / 2010 Conselho Nacional de Exames, Certificação e Equivalências 120 Minutos
Esta prova contém 40 perguntas com 4 alternativas de resposta para cada uma. Escolha a alternativa correcta e
RISQUE a letra correspondente na sua folha de respostas. Responda a todas as primeiras 35 perguntas. As últimas
5 perguntas responda somente às da sua secção (Letras ou Ciências).

【Resolução】
1. 
Sendo p e q duas proposições verdadeiras então...
A. p ∨ q é falsa. B. ∼ (p ∧ q) é verdadeira.
C. ∼ p∨ ∼ q é falsa. D. p ⇒ q é falsa.
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
A. Como p e q são verdadeiras, então p ∨ q é verdadeira.
Logo, a opção A não é correcta. ←− p ∨ q só é falsa se ambas as proposições são falsas.
B. Como p ∧ q é verdadeira, ∼ (p ∧ q) é falsa. ←− p ∧ q só é verdadeira se ambas as proposições são
Logo, a opção B não é correcta. verdadeiras.
C. Como ∼ p e ∼ q são falsas, ∼ p∨ ∼ q é falsa. ←− Se uma proposição p é verdadeira, a sua negação ∼ p
Logo, a opção C não é correcta. é falsa e vice-versa.
D. p ⇒ q é falsa. Logo, a opção D é correta. ←− p ⇒ q só é falsa se o antecedente é verdadeiro e o
consequente é falso.
Opção: D
2. 
Qual é a negação de ∀x ∈ R; x + 1 , 3?
A. ∃!x ∈ R; x + 1 = 3 B. ∀x ∈ R; x + 1 = 3 C. ∀x ∈ R; x − 1 , 3 D. ∃!x ∈ R; x − 1 = 3
 2010. Extraordinário 

【Resolução】
Pelas segundas leis de De Morgan, tem-se: ←− Segundas leis de De Morgan
"∼ (∀x ∈ R; x + 1 , 3)” é "∃!x ∈ R : x + 1 = 3" Seja p uma proposição qualquer. Então:
⋆ ∼ (∀x : p) = ∃!x :∼ p ⋆ ∼ (∃!x : p) = ∀x :∼ p
Opção: A
3. 
Qual é a negação da proposição ∼ p ∧ q?
A. ∼ p ∨ q B. p∨ ∼ q C. p∧ ∼ q D. ∼ p∧ ∼ q
 2010. Extraordinário 

【Resolução】 Primeiras leis de De Morgan:


∼ (∼ p ∧ q) =∼ (∼ p)∧ ∼ q = p∨ ∼ q Sejam p e q duas proposições quaisquer. Então tem-se:
Opção: B ⋆ ∼ (p ∨ q) =∼ p∧ ∼ q; ⋆ ∼ (p ∧ q) =∼ p∨ ∼ q

4. 

Qual é o domínio de existência da expressão √x − 2 ?


x2 − 9
A. R \ {3} B. R\] − 3; 3[ C. R \ {±3} D. R \ [−3; 3]
 2010. Extraordinário 

1/14 86
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
Tem-se as seguintes duas condições:
f (x)
Como o denominador é diferente de zero, tem-se a condição: ←− ⇒ Condição: g(x) , 0
√ g(x)
x 2 − 9 , 0 ⇔ x2 − 9 , 0 · · · ⃝1 .
√n
Como o índice 2 é par, o radicando é maior ou igual a zero. Por ←− Expressão algébrica irracional x:
• se o índice n é par, então x ≥ 0.
isso, tem-se a condição: x2 − 9 ≥ 0 · · · ⃝ 2
• se o índice n é ímpar, então x ∈ R.
Por ⃝ 1 e⃝ 2 , tem-se: x2 − 9 > 0. ←− x2 − 9 , 0 ∧ x2 − 9 ≥ 0 ⇔ x2 − 9 > 0
Resolvendo a inequação x − 9 > 0, tem-se:
2

x2 − 9 > 0 ⇔ (x − 3)(x + 3) > 0 ←−


⇔ x < −3 ∨ 3 < x ⇔ R \ [−3; 3]
Opção: D −3 3 x
 5. 

A expressão 23x + 2 − x + 3 com x , ±1 é equivalente a...


x −1 x−1 x−1
x 2+x+1 x2 − x − 1 x2 − x + 1 x2 + x − 1
A. − B. − C. − D. −
x2 − 1 x2 − 1 x2 − 1 x2 − 1
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
3x + 2 − x + 3 = 3x + 2 − x + 3 ←− Factoriza-se x2 − 1 = (x − 1)(x + 1)
x2 − 1 x−1 x−1 (x − 1)(x + 1) x−1 x−1 aplicando a2 − b2 = (a − b)(a + b)
3x + 2(x + 1) − (x + 3)(x + 1)
= ←− m.m.c [(x − 1)(x + 1), x − 1] = (x − 1)(x + 1)
(x − 1)(x + 1)
3x + 2x + 2 − (x + 4x + 3)
2
=
(x − 1)(x + 1)
= −x 2+x−1
= − x2 − x + 1
←− −x2 + x − 1 = −(x2 − x + 1)
x2 − 1 x2 − 1
Opção: C
 6. 



 x+y−z=2



Se (a; b; c) é solução do sistema   2x − y + z = 4 , qual será o valor de a + b + c?



 x + 2y + z = −2

A. −1 B. − 2 C. 2 D. 1
3 3
 2010. Extraordinário 
【Resolução】



 x + y − z = 2···⃝ 1



Seja  2x − y + z = 4 · · · ⃝ 2 .


 x + y − z = 2
 x + 2y + z = −2 · · · ⃝ 3
+) 2x − y + z = 4
Calculando ⃝ 1 +⃝ 2 , tem-se: 3x = 6 ⇔ x = 2 ←− 3x = 6
Calculando ⃝ 1 +⃝ 3 , tem-se: 2x + 3y = 0 · · · ⃝
4 ←− x + y − z = 2
Em seguida, substituindo x por 2 na equação ⃝ 4 , tem-se: +) x + 2y + z = −2
2x + 3y = 0
2 · 2 + 3y = 0 ⇔ y = − 4
3
Por fim, substituindo x por 2 e y por − 4 na equação ⃝ 2 , tem-se:
3
4 − (− 4 ) + z = 4 ⇔ z = − 4
3 3
4 4
Logo, (a; b; c) = (2; − ; − ).
3 3
Por isso, a + b + c = 2 + (− 4 ) + (− 4 ) = − 2 . ←− 2 · 3 − 4 − 4 = −2
3 3 3 3 3
Opção: B

2/14 87
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

7. 
Qual é a solução da equação log2 x + log4 x = 1?
√3 √ √3 √3
A. x = 3 2 B. x = 23 C. x = 2 D. x = 4
 ⋆⋆2010. Extraordinário 
【Resolução】
Como o logritmando é positivo, tem-se a condição: x > 0 ←− loga x ⇒ Condição: x > 0
Pela fórmula da mudança de base, tem-se: ←− Fórmula da mudança de base:
log2 x log2 x logc b
log4 x = = loga b =
logc a
log2 4 2
Então, a equação transforma-se em: ←− Ao resolver as equações logarítmicas com bases difer-
log2 x 2 log2 x + log2 x entes, cria-se a condição de obter a mesma base.
log2 x + =1⇔ =1
2 2
3 log2 x
⇔ = 1 ⇔ log2 x = 2 ←− Adopta-se log2 no segundo membro da equação.
2 3
2 2
⇔ log2 x = log2 2 ⇔ x = 2
3 3 ←− 2 = log2 2 3 aplicando loga a p = p
2

√3 √3 3 √n
⇔ x = 22 ⇔ x = 4 m
←− a n = am
Opção: D
8. 
Qual é a solução da equação −x4 2x2 + 1 = 0?
A. ±1 B. ±2 C. ±3 D. ±4
 2010. Extraordinário 

【Resolução】
Fazendo x2 = t, se t ≥ 0, a equação fica: t2 − 2t + 1 = 0 ←− Equação biquadrada: (x2 )2 − 2x2 + 1 = 0
t2 − 2t + 1 = 0 ⇔ (t − 1)2 = 0 ⇔ t = 1 ←− Factoriza-se t2 −2t+1 aplicando a2 −2ab+b2 = (a−b)2 .
Como t = x2 , então tem-se: x2 = 1 ⇔ x = ±1 t = 1 satisfaz a condição t ≥ 0.
Opção: A
9. 
◦ ◦
Qual é o número designado pela expressão cos 570 + ◦sen30 ?
tg45
√ √ √ √
3+1 3−1 3+1 3−1
A. − B. − C. D.
2 2 2 2
 2010. Extraordinário 

【Resolução】
Calcula-se cos 570◦ , sen30◦ e tg45◦ :
cos 570◦ =cos(360◦ + 210◦ ) = cos 210◦ ←− sen(360◦ + α) = senα; cos(360◦ + α) = cos α
α;
√ tg(360◦ + α) = tgα; cotg(360◦ + α) = cotgα
3
= cos(180◦ + 30◦ ) = − cos 30◦ = − ←− sen(180◦ + α) = −senα; cos(180◦ + α) = − cos α
2 tg(180◦ + α) = tgα; cotg(180◦ + α) = cotgα
sen30◦ = 1 ; tg45◦ = 1
2
Logo, a expressão fica:

3 √ √
− + 1
2 2 =− 3 + 1 =− 3−1
1 2 2 2
Opção: B
10. 
A que é igual a soma das soluções da equação 2x − 1 = x + 2 ?
A. 8 B. 4 C. 2 D. 1
3 3 3 3
 2010. Extraordinário 

3/14 88
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
2x − 1 = x + 2 ⇔ 2x − 1 = ±(x + 2) ←− Equação modular do tipo f (x) = g(x) :
⇔ 2x − 1 = x + 2 ∨ 2x − 1 = −x − 2 ⋆ f (x) = g(x) ⇔ f (x) = ±g(x)
⇔ x = 3 ∨ 3x = −1
⇔x=3 ∨ x=−1
3 ( )
Por isso, a soma das soluções da equação é: 3 + − 1 = 8 ←− 9 − 1 = 8
3 3 3 3 3
Opção: A
11. 
Seja f (x) = 2senx uma função de domínio R. Qual é contradomínio da função y = f (x) ?
A. [−2; 2] B. ] − 2; 2[ C. [0; 2] D. ]0; 2[
 2010. Extraordinário 

【Resolução】
Como −1 ≤ senx ≤ 1, então 0 ≤ senx ≤ 1. ←− Contradomínio de funções trrigonométricas:
Multiplicando por 2 todos os membros da inequação, tem-se: ⋆ − 1 ≤ sen f (x) ≤ 1; ⋆ − 1 ≤ cos f (x) ≤ 1;
⋆ − ∞ ≤ tg f (x) ≤ +∞
0 ≤ 2 senx ≤ 2 = 2 ⇔ 0 ≤ 2senx ≤ 2 ⇔ 0 ≤ y ≤ 2 ←− 2 senx = 2 · senx = 2senx
Por isso, o contra domínio de f (x) é [0; 2]
Opção: C
12. 

Sendo n! = 30, qual é o valor de n?


(n − 2)!
A. 2 B. 4 C. 5 D. 6
 2010. Extraordinário 

【Resolução】
Antes da resolução apresenta-se a condição:
n≥0 ∧ n−2≥0⇔n≥0 ∧ n≥2⇔n≥2 ←− n! ⇒ Condição: n ≥ 0
n! n(n − 1)(n − 2)!
= 30 ⇔ = 30 ⇔ n(n − 1) = 30 ←− n! = n(n − 1) (n − 2) · · · 3 · 2 · 1 = n(n − 1)(n − 2)!
| {z }
(n − 2)! (n − 2)!
(n−2)!
⇔ n2 − n − 30 = 0 ⇔ (n − 6)(n + 5) = 0
⇔ n = 6 ∨ n = −5
Como n ≥ 0, tem-se n = 6. ←− Como n = −5 < 2, não satisfaz a condição n ≥ 2.
Opção: D
13. 
De quantas maneiras diferentes pode-se escolher o chefe da turma e seu adjunto, numa turma de 10 alunos?
A. 5 B. 20 C. 45 D. 90
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Deseja-se o número total das maneiras diferentes de escolher 2 ←− O arranjo de n elementos tomados, p a p é o produto
alunos dentre 10 alunos e em seguida permutar os 2 alunos en- de p números naturais consectivos, por ordem decres-
tre si pela ordem do chefe e seu adjunto. cente, a partir de n e representa-se por Anp , isto é:
Como interessa ordem, trata-se do arranjo de 10 elementos Anp = n(n − 1)(n − 2) · · · (n − p + 1)
| {z }
p termos
tomados 2 a 2, isto é:
Anp é igual ao número total das maneiras diferentes de
Portanto, tem-se:
escolher p elementos dentre n elementos e perumutar
A210 = 10 · 9 = 90 os p elementos entre si. Quando interessa a ordem,
Opção: D trata-se de um arranjo Anp .

4/14 89
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

14. 
De quantas maneiras diferentes pode-se formar uma comissão de 3 professores dentre os 7 de uma turma?
A. 6 B. 35 C. 210 D. 5040
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Deseja-se o número total das maneiras diferentes de escolher 3 ←− A combinação de n, p a p é o quociente de Anp por p!
professores dentre os 7 professores. e representa-se por Cnp , isto é:
p factores
Como não interessa a ordem, trata-se da combinação de 7 ele- z }| {
mentos tomados 3 a 3, isto é: A p
n! n(n − 1) · · · (n − p + 1)
Cnp = n = =
A3 p! (n − p)!p! p(p − 1) · · · 3 · 2 · 1
Portanto, tem-se: C37 = 7 = 7 · 6 · 5 = 35 Cnp é igual ao número total das maneiras diferentes de
3! 3·2 escolher p elementos dentre n elementos. Quando não
Opção: B interessa a ordem, trata-se de uma combinação Cnp .
15. 
Um casal planeja ter dois filhos. Considerando igual a probabilidade de se ter um filho do sexo masculino ou
feminino, qual é a probabilidade de ambos serem do sexo feminino?
A. 25% B. 50% C. 75% D. 80%
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Designa-se por M-masculino e F-feminino.
O número de casos possíveis é 22 = 4, que são os seguintes: ←− Há duas possibilidades:
{M; M}, {M; F}, {F; M} e {F; F} ter um filho do sexo masculino ou feminino
E o número de casos favoráveis é 1, que é o seguinte: {F; F}
Por isso, a probabilidade é: 1 = 0, 25 = 25% ←− A probabilidade de um acontecimento A é dada por:
4
Opção: A P(A)= número de casos favoráveis
número de casos possíveis
16. 
A sucessão (3m; m + 1; 5) é uma progressão aritmética. Qual é o valor da diferença entre os seus termos?
A. −7 B. −3 C. 3 D. 7
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se o valor de m.
Como a sucessão é uma PA, então a diferença entre dois termos ←− Uma PA é uma sucessão em que a diferença entre dois
consecutivos deve ser constante. Logo tem-se: termos consectivos é constante.
(m + 1) − 3m = 5 − (m + 1) ⇔ −2m + 1 = 4 − m ⇔ m = −3 ←− A diferença entre os termos 3m e m + 1 é: (m + 1) − 3m
Por isso, a sucessão fica: A diferença entre os termos m + 1 e 5 é: 5 − (m + 1)
(3(−3); −3 + 1; 5) = (−9; −2; 5). ←− Substitui-se m por −3 em (3m; m + 1; 5).
Logo, a diferença é: 5 − (−2) = 7 ←− Também pode se calcular a diferença como −2 −
Opção: D (−9) = 7.
17. 
Em uma progressão geométrica, a8 = 128 e q = 2, qual é o valor da soma dos dez primeiros termos?
A. 2000 B. 1533 C. 1023 D. 1000
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Como a8 = 128 e q = 2, então tem-se: ←− O termo geral de PG é dado por an = a1 · qn−1 .
O termo geral de PA é dado por an = a1 + (n − 1)d.
an = a1 · qn−1 ⇔ a1 · 27 = 128 ⇔ a1 = 128 ⇔ a1 = 1
128
Portanto, a soma dos dez primeiros termos é: ←− A soma dos n primeiros termos de uma PG é dada por
1(1 − 210 ) a1 (1 − qn )
S 10 = = 1 − 1024 = 1023 Sn =
1−q
1−2 −1
Opção: C

5/14 90
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

18. 
Na sucessão an = an−1 + 5 com n ∈ N, se a3 = 17, qual será o termo de ordem 5?
A. 27 B. 24 C. 21 D. 18
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Pela condição an = an−1 + 5 com n ∈ N, nota-se que an é uma ←− an é uma PA cujo diferença é d
PA cuja diferença d é 5. ⇔ an+1 = an + d; ∀n ∈ N ⇔ an+1 − an = d; ∀n ∈ N
Como a3 = 17, então tem-se: a1 + (3 − 1) · 5 = 17 ⇔ a1 = 7 ←− O termo geral de uma PA é an = a1 + (n − 1)d.
Logo, o termo geral é: an = 7 + (n − 1) · 5 = 5n + 2.
Portanto, o termo de ordem 5 é: a5 = 5 · 5 + 2 = 27 ←− Substitui-se n por 5 em an = 5n + 2.
Opção: A
【Outra resolução】
Sustituindo n = 4 em an = an−1 + 5, tem-se:
a4 = a3 + 5 = 17 + 5 = 22 ←− a3 = 17
De mesmo modo, substituindo n = 5 em an = an−1 + 5, tem-se:
a5 = a4 + 5 = 22 + 5 = 27 ←− a4 = 22
 19. 
Quantos termos tem a sucessão −14; −10; −6; . . . ; 42?
A. 4 B. 15 C. 30 D. 40
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
A sucessão é uma PA porque a diferença entre dois termos con- ←− − 14, −10, −6, . . .
secutivos é constante 4. +4 +4 +4
Como a1 = −14 e d = 4, o termo geral é:
an = −14 + (n − 1) · 4 = 4n − 18 ←− O termo geral de uma PA é an = a1 + (n − 1)d.
Para se obter o número dos termos, resolve-se a equação: ←− an significa o termo da ordem n.
an = 42 ⇔ 4n − 18 = 42 ⇔ 4n = 60 ⇔ n = 15
Portanto, a sucessão tem 15 termos.
Opção: B
 20. 

Qual é o valor de lim 2n2 + 1 ?


2
n→∞ n + 1
A. 1 B. 2 C. 3 D. 4
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
2+1 [ ] 2n2 +1
2+ 1
lim 2n = ∞ lim n2
= lim n2
= 2 =2 ←− Para levantar uma indeterminação do tipo ∞ , divide-
n→∞ n2 + 1 ∞ n→∞ n2 +1 n→∞ 1+ 1 1 ∞
n2 n2 se o numerador e o denominador pela potência máx-
Opção: B ima do denominador.
【Outra resolução】
Como o numerador e o denominador têm mesmo grau, tem-se: ←− Se o numerador e o denominador têm o mesmo grau,

lim 2n2 + 1 = 2
2 o limite quando n → ∞ é o quociente dos coeficientes
n→∞ n + 1 1 dos termos de maior grau.

21. 
Qual é a classificação da função f (x) = sen2x quanto à paridade?
A. Ímpar B. Ímpar e par C. Não é par nem ímpar D. Par
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se f (−x): f (−x) = sen(−2x) = −sen2x = − f (x) ←− sen(−α) = −senα
Como f (−x) = − f (x), f (x) é ímpar. ←− Se f (−x) = f (x), então f (x) é par.
Opção: A Se f (−x) = − f (x), então f (x) é ímpar.

6/14 91
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

22. 
Na função f (x) = 2x , a que é igual f (a + 1) − f (a)?
A. 1 B. 2 C. f (a) D. f (1)
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Primeiro, calcula-se f (a + 1) e f (a):
f (a + 1) = 2a+1 e f (a) = 2a ←− Para se obter f (a + 1) e f (a), substitui-se x por a + 1
Por fim, tem-se: e a em f (x) = 2 x respectivamente.
f (a + 1) − f (a) = 2a+1 − 2a = 2 · 2 a − 2 a = 2 a (2 − 1) = 2a = f (a) ←− 2a+1 = 2a · 21 = 2a · 2 aplicando am+n = am · an
Opção: C
 23. 
Uma função f é tal que f (0) = 1. Qual das seguintes expressões pode definir a função f ?
A. x + 2 B. x C. 3x + 3 D. 2senx
x+1 x+1 2
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se f (0) na função de cada opção. ←− f (0) obtém-se através da substituição de x por 0.
A. f (0) = 0 + 2 =2
0+1
B. f (0) = 0 = 0
0+1
C. f (0) = 3 · 0 + 3 = 3
2 2
D. f (0) = 2sen0 = 20 = 1 ←− sen0 = 0
Portanto, a solução é a opção D.
Opção: D
 24. 
Dado o gráfico de uma função y = f (x). Então...
y
A. lim− f (x) = 1 e f (3) = 1
x→3
1
B. lim+ f (x) = 1 e f (3) = 0
x→3 O x
3
C. lim− f (x) = 1 e f (3) = 0
x→3

D. lim− f (x) = 0 e f (3) = 0


x→3
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Pela leitura do gráfico, nota-se que quando x se aproxima de ←− O limite lateral à esquerda de 3 é 1 e o limite lateral à
3 pela esquerda, o valor de y se aproxima de 1 e quando x se direita de 3 é 0.
aproxima de 3 pela direita, o valor de y se aproxima de 0.
Então, simbolicamente escreve-se:
lim− f (x) = 1 e lim+ f (x) = 0
x→3 x→3
Como o ponto (3; 0) é pintado, então f (3) = 0. ←− Como o gráfico passa por (3; 0), tem-se: f (3) = 0
Portanto, a opção C é correcta.
Opção: C
25. 

Qual é o valor de lim 2x − 7 ?


x→7 x − 49

A. 1 B. 1 C. 14 D. ∞
 14 2010. Extraordinário 

7/14 92
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
[ ]
lim 2x − 7 = 0 = lim x−7 = lim 1 = 1 ←− Factoriza-se x2 − 49 aplicando a2 − b2 = (a − b)(a + b)
x→7 x − 49 0 x→7 (x − 7)(x + 7) x→7 x + 7 14
Opção: A
26. 

Qual é o valor de lim x −3 x + 3 ?


4
x→∞ 3x + 1

A. 0 B. 1 C. 3 D. ∞
 3 
2010. Extraordinário
【Resolução】
[ ] x4 −x+3
lim x −3 x + 3 = ∞ = lim
4
←− Para levantar a indeterminação do tipo ∞ , divide-se
x3
x→∞ 3x + 1 ∞ x→∞ 3x3 +1 ∞
x3 o numerador e o denominador pela potência máxima
x− 1
+ x33 do denominador.
←− ∞ − 0 + 0 = ∞ = ∞
x2
= lim = ∞
x→∞ 3 + x13 3+0 3
Opção: D
27. 
2
Qual é o valor de lim sen x ?
x→0 x
A. 0 B. 1 C. 2 D. ∞
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
2 [ ]
lim sen x = 0 = lim senx · senx = 1 · 0 = 0 ←− Limite notável: lim senx = 1;
x→0 x 0 x→0 x x→0 x
Opção: A sen0 = 0
28. 



2x − 3, se x ≤ 0
Para que a função f (x) = 
 seja contínua no ponto x = 0, qual deve ser o valor de k?
k − 4, se x > 0

A. −3 B. − 3 C. 1 D. 1
4 2
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Para que a função seja contínua em x = 0, é necessário que: ←− f (x) é contínua no ponto de abcissa x = a
lim− f (x) = lim+ f (x) = f (0) ⇐⇒ ∃lim f (x) e lim f (x) = f (a)
x→a x→a
x→0 x→0
⇐⇒ lim− f (x) = lim+ f (x) = f (a)
O limite lateral à esquerda de f (x) de x = 0 é: x→a x→a

lim− f (x) = lim− (2x − 3) = 2 · 0 − 3 = −3 −


←− Quando x → 0 , isto é, x < 0, f (x) = 2x − 3.
x→0 x→0
O limite lateral à direita de f (x) de x = 0 é:
lim+ f (x) = lim+ (k − 4) = k − 4 ←− Quando x → 0+ , isto é, x > 0, f (x) = k − 4.
x→0 x→0
O valor de f (x) no ponto x = 0 é: f (0) = 2 · 0 − 3 = −3 ←− Quando x = 0, f (x) = 2x − 3.
Como estes são iguais, tem-se: k − 4 = −3 ⇔ k = 1
Opção: D
29. 
Qual é a primeira derivada da função f (x) = lg x2 ?
A. f ′ (x) = 2 B. f ′ (x) = 2 C. f ′ (x) = 2 D. f ′ (x) = 2
x ln x x ln 10 x2 ln e x2 ln 10
 2010. Extraordinário 

8/14 93
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
Como f (x) = lglgx2 = log10 x2 , tem-se: ←− lg
lgx = log10 x
(x2 )′
f ′ (x) = (log10 x2 )′ = 2 = 2 2x = 2
←− Derivada de uma função composta:
x ln 10 x ln 10 x ln 10 f ′ (x)
Opção: B [loga f (x)]′ = porque (loga x)′ = 1 .
f (x) ln a x ln a
【Outra resolução】
Como f (x) = lg x2 = log10 x2 = 2 log10 x, tem-se: ←− loga M k = k loga M
f ′ (x) = (2 log10 x)′ = 2 · 1 = 2
←− (loga x)′ = 1 .
x ln 10 x ln 10 x ln a
30. 
Sendo f (x) = sen2x, qual é o valor da segunda derivada no ponto de abcissa x = π ?
4
A. −4 B. −1 C. 0 D. 1
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
A primeira derivada é:
f ′ (x) = (sen2x)′ = cos 2x · (2x)′ = 2 cos 2x ←− Derivada de uma função composta:
Então, a segunda derivada é: [sen f (x)]′ = cos f (x) · f ′ (x) porque (senx)′ = cos x
′′ ′ ′
f (x) = (2 cos 2x) = 2(−sen2x) · (2x) = −4sen2x ←− Derivada de uma função composta:
[cos f (x)]′ = −sen f (x) · f ′ (x) porque (senx)′ = cos x.
Portanto, o valor da segunda derivada em x = π é: ⋆A segunda derivada de f (x) é a derivada da primeira
4
( ) derivada de f (x).
f ′′ π = −4sen2 · π = −4sen π = −4 π
←− sen = 11; cos π = 0; @tg π ; cotg π = 0
4 4 2 2 2 2 2
Opção: A
31. 
Na figura seguinte está a representação gráfica da função h e de uma recta t, tangente ao gráfico no ponto de
abcissa x = a. Qual é o valor de h′ (a)? y h
A. − 1 B. 1 3 t
2 6
C. 1 D. 1
3 2 O a x
6
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Seja m o declive da recta t. Então tem-se: h′ (a) = m ←− O declive da recta tangente ao gráfico da função y =
Calcula-se o valor de m. f (x) em x = a é igual a f ′ (a).
Pela leitura do gráfico, o gráfico passa pela origem e pelo ponto
(6; 3).
Então, o declive da recta t é: m = 3 − 0 = 1 ←− O declive de uma recta que passa pelos pontos (x1 ; y1 )
6−0 2 ∆y y2 − y1
Portanto, tem-se: h′ (a) = m = 1 e (x2 ; y2 ) é = .
∆x x2 − x1
2
Opção: D
32. 

Quais são os extremos da função f (x) = x2 + 2x − 4 ?


x−2
A. máximo (0; 2) e mínimo (10; 4) B. máximo (2; 0) e mínimo (10; 4)
C. máximo (0; 2) e mínimo (4; 10) D. máximo (4; 10) e mínimo (0; 2)
 2010. Extraordinário 

9/14 94
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
Antes da resolução, apresenta-se a condição:
x−2,0⇔ x,2 ←− O denominador é diferente de 0.
Calcula-se f ′ (x):
( 2 )′

f (x) = x + 2x − 4 ←− Derivada do quociente de duas funções:
x−2 [ ]′
f (x) f ′ (x)g(x) − f (x)g′ (x)
(x2 + 2x − 4)′ (x − 2) − (x2 + 2x − 4)(x − 2)′ =
= g(x) [g(x)]2
(x − 2)2
(2x + 2)(x − 2) − (x2 + 2x − 4)
= ←− (x2 + 2x − 4)′ = 2x + 2; (x − 2)′ = 1
(x − 2)2
O gráfico da função f (x) representa-se:
= 2x − 4x + 2x − 4 −2 x − 2x + 4
2 2
y
(x − 1)
= x − 4x2
2
10
(x − 1)
Calcula-se os zeros da função derivada:
2
f ′ (x) = 0 ⇔ x − 4x2 = 0 ⇔ x2 − 4x = 0
2 2
O 4 x
(x − 1)
⇔ x(x − 4) = 0 ⇔ x = 0 ∨ x = 4 ←− Há posibilidade de ter extremos para x = 0 e x = 4.
Constroi-se a tabela de monotonia e extremos: ←− ⋆ Se f ′ (a) = 0 e f ′ (x) passa em x = a de negativa
a positiva, a função f (x) tem para x = a um extremo
x ··· 0 ··· 2 ··· 4 ···
mínimo. ⋆ Se f ′ (a) = 0 e f ′ (x) passa em x = a de
f ′ (x) + 0 − − 0 + positiva a negativa, a função f (x) tem para x = a um
f (x) ↗ Máx; 2 ↘ ↘ Mín; 10 ↗ extremo máximo.

Pela tabela, conclui-se que o extrémo máximo é (0; 2) e o ex- ←− f (0) = 0 + 0 − 4 = 2; f (4) = 16 + 8 − 4 = 10
0−2 4−2
trémo mínimo é (4; 10).
Opção: C
33. 

Quais são as equações das assímptotas do gráfico da função h(x) = − 1 ?


2x + 1
A. x = − 1 e y = 0 B. x = 1 e y = 0 C. x = − 1 e y = −1 D. x = 0 e y = − 1
2 2 2 2
 2010. Extraordinário 

【Resolução】 Uma função do tipo f (x) = ax + b é homográfica cujas


A função é homográfica e fica assim: cx + d
assímptotas vertical e horizontal são dadas pelas seguintes
h(x) = − 1 = −1 = 0 · x − 1 equações:
2x + 1 2x + 1 2x + 1
Então, conclui-se que: ⋆AV : x = − d (← Zero do denominador)
c
AV é x = − 1 e AH é y = 0 = 0 ⋆AH : y = a (← Quociente dos coeficientes de x)
c
2 2
Opção: A
34. 
Quais são os intervalos de monotonia do gráfico da função g(x) = x3 − 6x2 ?

A. g(x) ↗ ∀x ∈] − ∞; 0[∪]4; +∞[ e g(x) ↘ ∀x ∈]0; 4[

B. g(x) ↘ ∀x ∈] − ∞; 0[∪]4; +∞[ e g(x) ↗ ∀x ∈]0; 4[

C. g(x) ↗ ∀x ∈] − ∞; −4[∪]0; +∞[ e g(x) ↘ ∀x ∈] − 4; 0[

D. g(x) ↗ ∀x ∈] − ∞; 4[ e g(x) ↘ ∀x ∈]4; +∞[


 2010. Extraordinário 

10/14 95
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
g′ (x) = 3x2 − 6 · 2x = 3x2 − 12x = 3x(x − 4) O gráfico de g(x) = x3 − 6x2 representa-se:
Calcula-se os zeros da função derivada: y
g′ (x) = 0 ⇔ 3x(x − 4) = 0 ⇔ x = 0 ∨ x = 4 4
Constroi-se a tavela de monotonia e extremos: O x

x ··· 0 ··· 4 ···


g′ (x) + 0 − 0 +
−32
g(x) ↗ Máx ↘ Mín ↗
Pela leitura da tabela, conclui-se que: ←−⋆Se f ′ (x) > 0 num intervalo, então f (x) é crescente
g(x) ↗ ∀x ∈] − ∞; 0[∪]4; +∞[ e g(x) ↘ ∀x ∈]0; 4[ nesse intervalo.
⋆Se f ′ (x) < 0 num intervalo, então f (x) é decrescente
Opção: A nesse intervalo.
35. 
A soma de dois números reais é 5. Quais serão os números se o produto deles é máximo?
A. 1 e 9 B. 5 e 5 C. 3 e 2 D. 4 e 1
2 2 2 2
 2010. Extraordinário 

【Resolução】
Seja x um de dois números reais cuja soma é 5. Então o outro ←− Sejam x e y dois números reais cuja soma é 5. Como
nú mero é 5 − x. x + y = 5, entãoy = 5 − x
Se p é o produto dos dois números, então tem-se: ←− Outro caminho para se obter o vértice da função
p
p = x(5 − x) = −x2 + 5x 25
p = x(5 − x)
x):
= −(x2 − 5x) 4 Os zeros da função p = x(5 − x) são x = 0 e x = 5.
[( )2 ( )2 ] Como a abcissa do vértice é o ponto médio dos dois
=− x− 5 − 5 zeros, então a abcissa do véritice é: 0+5
2
= 52 .
2 2 Substituindo x por 5
em p = x(5 − x), obtém-se a
( )2 O 5 x 2
( )
= − x − 5 + 25
2 ordenada do vértice: p = 52 5 − 52 = 254
2 4 ( )
Logo, as coordenadas do vértice do gráfico da função são Por isso, as coordenadas do vértice são 25 ; 25 .
( )
4

5 ; 25 e o gráfico se representa como a figura em cima. ←− O gráfico de uma função quadrática, y = a(x − p)2 + q,
2 4 é uma parábola e tem o vértice ( p; q). Se a > 0 a
Pela leitura da figura, quando x = 5 , p é máximo 25 . parábola tem a concavidade virada para cima e se a <
2 4 0, a parábola tem a concavidade virada para baixo.
5 5 5
Então os números pedidos são e5− = . ←− 5 − x = 5 − 5 = 10 − 5 = 5
2 2 2 2 2 2
Opção: B
【Outra resolução】
De igual modo, pode-se ter p = −x2 + 5x.
Calculando a primeira derivada, tem-se p′ = −2x + 5. ←− (−x2 )′ = −2x; (5x)′ = 5
Resolvendo p′ = 0, tem-se: −2x + 5 = 0 ⇔ x = 5
2
Logo, a tabela de monotonia e extremos é dada por:
x ··· 5
2 ···
p ′ + 0 −
p ↗ Máx ↘

Pela leitura da tabela, p tem um extremo máximo para x = 5 . ←− ⋆ Se f ′ (a) = 0 e f ′ (x) passa em x = a de negativa a
2 positiva, f (x) tem para x = a um extremo mínimo.
Neste caso, como o extremo máximo coicide com o máximo
⋆ Se f ′ (a) = 0 e f ′ (x) passa em x = a de positiva a
5
absoluto. Quando x = , p é máximo. negativa, f (x) tem para x = a um extremo máximo.
2
Então os números pedidos são 5 e 5 − 5 = 5 .
2 2 2

11/14 96
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

Somente para a Secção de Letras


36. 
No universo U = {1; 2; 3; 4; 5; 6}, qual é o complementar do conjunto N = {4; 5}?
A. {1; 2; 3; 6; 7; 8; 9; 10} B. {1; 2; 3} C. {1; 2; 3; 4; 5; 6} D. {1; 2; 3; 6}
 2010. Extraordinário 
【Resolução】 U
O complementar do conjunto N é: N N
1
N = U \ N = {1; 2; 3; 6} 4
5 3 2
Opção: D 6
37. 
Dados os conjuntos M = {x ∈ R : −3 ≤ x < 4} e N = {x ∈ R : 2 ≤ x ≤ 6}. Quais são os valores inteiros de x
que pertencem ao conjunto M ∩ N?
A. [2; 4[ B. [2; 3] C. {2; 3} D. {2; 3; 4}
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
A intersecção de M com N é: N
M ∩ N = {x ∈ R : −2 ≤ x < 4} = [2; 4[ ←− M
Então, os números inteiros que pertencem a este intervalo são 2
e 3. −3 2 4 6 x
Opção: B
38. 
Num teste de Matemática saíram apenas duas questões e:
• 100 alunos acertaram as duas questões;
• 170 alunos acertaram a 1ª questão;
• 100 alunos acertaram apenas uma questão;
• 95 alunos erraram as duas questões.
Quantos alunos fizeram a prova?
A. 465 B. 295 C. 270 D. 265
 2010. Extraordinário 

【Resolução】
Sejam:
U- Conjunto de todos os alunos que fizeram a prova;
A - Conjunto dos alunos que acertaram a 1ª questão; ←− Nota-se que:
B - Conjunto dos alunos que acertaram a 2ª questão; n(A∩ B) = 100, n(A) = 170, n(A∪ B)−n(A∩ B) = 100
Pode-se construir o diagrama de Venn U e n(A ∪ B) = 95.
como a figura mostra. B A(170)
Pela leitura do diagrama, os alunos que ←− Os alunos que acertaram apenas 1ª questão são 170 −
30 100 70
fizeram a prova são: 100 = 70.
30 + 100 + 70 + 95 = 295 95
Como os alunos que acertaram apenas uma questão
são 100, os alunos que acertaram apenas 2ª questão
são 100 − 70 = 30.
Opção: B
39. 
Qual das expressões define uma função injectiva de domínio R?
A. y = x2 B. y = cos x C. y = senx D. y = a x
 2010. Extraordinário 

12/14 97
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
O gráfico da função y = a x y ←− ⋆Se nenhuma recta horizontal corta o gráfico de f em
da opção D representa-se como a mais um ponto, então f é injectiva.
figura mostra. Se a > 1, então ⋆Se toda recta horizontal corta o gráfico de f , então
a
a função y = a x é cresente e se 0 < a < 1 a>1 f é sobrejectiva.
0 < a < 1, então é decrescente. ⋆Se toda recta corta o gráfico de f em um sóponto,
A partir da figura, nota-se que a então f é bijectiva.
função y = a x é injectiva porque −1 1 x (Se uma função f é simultaneamente injectiva e so-
brejectiva, f é bijectiva.)
nenhuma recta horizontal corta o gráfico da função em mais
um ponto. As funções das outras opções A, B e C não são in-
jectivas porque algumas rectas horizontais cortam o gráfico da
função em mais um ponto.
Opção: D
 40. 
Seja uma função polinomial do terceiro grau, cujo gráfico se encontra representado na figura. Quantas são as
soluções da equação f (x) = 0? y
4
3
A. Duas 2
1
B. Três −5 −4 −3 −2 −1 O 1 2 3 4 x
−1
−2
C. Quatro
−3
−4
D. Uma −5
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
Pela leitura da figura, nota-se que o gráfico da função intersecta
o eixo das abcissas em dois pontos.
Logo, a equação f (x) = 0 tem duas soluções. ←− A solução da equação f (x) = 0 é: x = −3 ∨ x = 1
Opção: A

Somente para a Secção de Ciências


36. 
Qual é a distância entre os pontos (1; 1) e (4; 2)?

A. 3 B. 10 C. 4 D. 10
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
A distância entre os pontos (1; 1) e (4; 2) é:
√ √
d = (4 − 1)2 + (2 − 1)2 = 10 ←− A distância entre dois pontos (x1 ; y1 ) e (x2 ; y2 ) é dada

Opção: B por: d = (x2 − x1 )2 + (y2 − y1 )2
37. 
Qual é a equação da recta que passa pelos pontos (1; 1) e (4; 2)?
A. x − 3y + 2 = 0 B. x + 3y + 2 = 0 C. 3x − y + 2 = 0 D. x − 3y − 2 = 0
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
O declive da recta que passa por (1; 1) e (4; 2) é 2 − 1 = 1 . ←− O decllive da recta que passa pelos pontos A(x1 ; y1 ) e
4−1 3 ∆y y2 − y1
Logo, a equação da recta que passa por (1; 1) e tem o declive 1 B(x2 ; y2 ) é = .
∆x x2 − x1
3
1
é: y − 1 = (x − 1) ⇔ 3y − 3 = x − 1 ⇔ x − 3y + 2 = 0 ←− A equação da recta que passa pelo ponto (x1 ; y1 ) e tem
3 o declive m é dada por y − y1 = m(x − x1 )
Opção: A

13/14 98
2010/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

38. 
Qual é o declive da recta perpendicular à recta da equação y = −3x + 2?
A. −3 B. − 1 C. 1 D. 3
3 3
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
O declive da recta da equação y = −3x + 2 é −3. ←− O declive da recta de uma equação y = ax + b é a.
Se m é o declive da recta perpendicular à recta da equação y =
−3x + 2, então tem-se: −3 · m = −1 ⇔ m = 1 ←− Sejam m1 e m2 os declives das duas rectas l1 e l2 .
3 ⋆Se l1 e l2 são perpendiclares, então m1 · m2 = −1.
Opção: C
⋆Se l1 e l2 são paralelas, então m1 = m2 .
39. 
Sendo f (x) = x + 1 e g(x) = x2 + x, qual é o valor de ( f og)(x)?
A. x2 + x + 1 B. x2 + 3x + 2 C. x2 + 2x + 1 D. x2 − x + 1
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
( f og)(x) = f (g(x)) = f (x2 + x) = (x2 + x) + 1 = x2 + x + 1 ←− Função composta: ( f og)(x) = f (g(x))
Opção: A
 40. 
Considere a função f , definida no intervalo [−5; 5].
y
5

−5
5 x

−5

Qual dos seguintes gráficos pode ser o da função g(x) = f (x + 1) + 1?


A. B. C. D.
y y y y
6 6
4 4

−4 −6 −6 4
6x 4 x 4 x 6x

−4 −4
−6 −6
 2010. Extraordinário 
【Resolução】
O gráfico da função
y = f (x + 1) + 1 ⇔ y = f [x − (−1)] + 1 ←− O gráfico da função y = f (x − p) + q obtém-se a partir
obtém-se a partir do gráfico da função y = f (x) através da do gráfico da função y = f (x) através da translação de
translação de −1 unidade para direita, ou seja, 1 unidade para p unidades para direita e q unidades para cima.
esquerda, e de 1 unidade para cima. y
Como o domínio da função f (x) é [−5; 5], o domínio da função 6
5
g(x) é: [−5 − 1; 5 − 1] = [−6; 4]
g(x)
Como o contradomínio da função g(x) é [−5; 5], o con- −6 −5
tradomínio de g(x) é: [−5 + 1; 5 + 1] = [−4; 6] O f (x) 4 5 x
Por isso, o gráfico da função g(x) = f (x + 1) + 1 é da opção B. −4
Opção: B −5

FIM

14/14 99
República de Moçambique
Matemática Ministério da Educação 1ª Época
12ª Classe / 2010 Conselho Nacional de Exames, Certificação e Equivalências 120 Minutos
Esta prova contém 40 perguntas com 4 alternativas de resposta para cada uma. Escolha a alternativa correcta e
RISQUE a letra correspondente na sua folha de respostas. Responda a todas as primeiras 35 perguntas. As últimas
5 perguntas responda somente às da sua secção (Letras ou Ciências). Na sua folha de respostas escreva a letra (L)
se for Letras e (C) se for Ciências.

【Resolução】
1. 
A expressão p ∧ (q∨ ∼ p), tendo p falso, é idêntica a...
A. F B. V C. p ∨ q D. p∨ ∼ q
 2010.1ªÉpoca 

【Resolução】
Como p é falsa, então ∼ p é verdadeira.
q∨ ∼ p tambem é verdadeira pois q∨V = V independentemente ←− p ∨ q é falsa se e só se p e q são falsas.
do valor lógico de p. V é o elemento absorvente na disjunção: A ∨ V = V
Portanto, p ∧ (q∨ ∼ p) é falsa pois F ∧ V = F. ←− p ∧ q é verdadeira se e só se p e q são verdadeiras.
Opção: A
2. 
Sejam t e s duas proposições quaisquer. Qual é a expressão equivalente ∼ (t ⇒ s)?
A. ∼ t ∨ s B. ∼ t ∧ s C. t∧ ∼ s D. t ∨ s
 2010.1ªÉpoca 

【Resolução】
p q p⇒ q ∼ (p ⇒ q) ∼q p∧ ∼ q
Como a negação da implicação equivale à conjunção do an- V V V F F F
tecedente com a negação do consequente, tem-se: V F F V V V
∼ (t ⇒ s) = t∧ ∼ s F V V F F F
F F V F V F
Opção: C
3. 
Qual é a negação da expressão ∀x ∈ R : + 1 ≥ 0?
x2
A. ∃!x ∈ R : x2 + 1 < 0 B. ∀x ∈ R : x2 + 1 < 0 C. ∃!x ∈ R : x2 + 1 ≤ 0 D. ∀x ∈ R : x2 + 1 ≥ 0
 2010.1ªÉpoca 

【Resolução】
Pelas segundas leis de De Morgan, ←− Segundas leis de De Morgan
⋆ ∼ (∀x : p) =!∃x :∼ p
∼ (∀x ∈ R : x2 + 1 ≥ 0) é !∃x ∈ R : x2 + 1 < 0.
⋆ ∼ (!∃x : p) = ∀x :∼ p
Opção: A
4. 
√ √3 √
Qual é o domínio da expressão x + 2 + x − 5 − 2x − 1?
[ [ { }
A. [−2; +∞[ B. 1 ; +∞ C. R \ −2; 1 D. R
2 2
 2010.1ªÉpoca 

1/14 100
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】

Esta expressão é uma a expressão irracional. ←− Expressão algébrica irracional n x:
√ √
Como os índices 2 de x + 2 e 2x − 1 são pares, tem-se as ⋆ Se o índice n é par, então x ≥ 0.
⋆ Se o índice n é ímpar, então x ∈ R.
condições:
x + 2 ≥ 0 ∧ 2x − 1 ≥ 0 ⇔ x ≥ −2 ∧ x ≥ 1 x ≥ 12
2 x ≥ −2
⇔x≥ 1
←−
2
Opção: B −2 1 x
2
 5. 

Quais são respectivamente os valores de a e b para que 2 8x = a + b ?


x − 2x − 3 x+1 x−3
A. −2 e 6 B. 0 e 6 C. 2 e 6 D. 4 e 6
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
a + b = a(x − 3) + b(x + 1)
←− m.m.c (x + 1; x − 3) = (x + 1)(x − 3)
x+1 x−3 (x + 1)(x − 3)
= ax − 3a + bx + b = (a + b)x + (−3a + b)
x2 − 2x − 3 x2 − 2x − 3 ←− Ordena-se segundo as potências de x
Entã,o tem-se:
8x (a + b)x + (−3a + b)
= ←− Iguala-se os numeradores de ambos os membros da
x − 2x − 3
2 x2 − 2x − 3 equação.
⇔ 8x = (a + b)x + (−3a + b)
⇔ 8x + 0 = (a + b)x + (−3a + b)
Para que esta igualdade seja verdadeira, os coeficientes dos ter- ←− Dois polinómios P(x) e Q(x) são idênticos se e só se
mos do mesmo grau dos seus dois membros devem ser iguais. os coeficientes dos termos do mesmo grau de x são
Logo, tem-se o seginte sistema: iguais.



a + b = 8 · · · ⃝ 1


−3a + b = 0 · · · ⃝ ←− Iguala-se os coeficientes dos termos do meso grau.
2

Calculando ⃝ 1 −⃝ 2 , tem-se:

4a = 8 ⇔ a = 2 ←− a + b = 8
−) −3a + b = 0
Substituindo a por 2 na equação ⃝ 1 , tem-se:
4a = 8
2+b=8⇔b=6
Portanto, a e b respectivamente são 2 e 6.
Opção: C
6. 
Qual das expressões é racional inteira?

√ 1 5 2
A. 2x − 5x B. C. +4 D. x − x
x+2 x 3
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
A expressão da opção A é irracional. ←− Uma expressão diz-se expressão algébrica racional
As expressões das opções B e C são racionais fraccionárias. inteira quando não se indica uma divisão em que a
Só a expressão da opção D é racional inteira. variável fica no divisor e não aparece sob sinal de rad-
ical.
Opção: D
 7. 
Quais são as raízes da equação 8x6 + 7x3 − 1 = 0?
{ } { }
A. −1; 1 B. −1; 1 C. {−1; 1} D. {2; −1}
8 2
 2010.1ªÉpoca 

2/14 101
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
A equação dada fica: 8(x3 )2 + 7x3 − 1 = 0 ←− x6 = x3·2 = (x3 )2 porque amn = (am )n
Fazendo x3 = t, onde (t ∈ R), tem-se a equação quadrática:
8t2 + 7t − 1 = 0
Factorizando o primeiro membro, tem-se:
8 −1 −→ −1
(8t − 1)(t + 1) = 0 ⇔ t = 1 ∨ t = −1 ←− 1 1 −→ 8
8 7
Substituindo t por x3 tem-se: Se é difícil factorizar, então aplique a fórmula resol-
vente como a seguir:
∆ = 72 √
− 4 · 8 · (−1) = 49 + 32 = 81
x3 = 1 ∨ x3 = −1 Logo, ∆ = 9.
8
( )3 Portanto, t = −7 ± 9
2·8
⇔ x = 1 ∨ x3 = (−1)3
3
= 1 ∨ −1
2 8
⇔x= 1 ∨ x = −1 ←− Iguala-se as bases porque tem-se uma igualdade de
2 duas potências com mesmo expoente ímpar, isto é
Opção: B
a p = b p ⇔ a = b, onde p é um número ímpar.
8. 



 3
2 + 2 = 8
x y
Qual é a solução do sistema 
 ?

x − y = 1
A. (−2; −3) B. (−2; 3) C. (2; −3) D. (2; 3)
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】



 3
2 + 2 = 8
x y
Seja o sistema 


x − y = 1 ⇔ x = y + 1
Substituindo x por y + 1 na 1ªequação, tem-se:
2y+1 + 2y = 3 ⇔ 2 · 2y + 2y = 3 ←− 2y+1 = 2y · 21 = 2 · 2y porque am · an = am+n
8 8
⇔ 2 (2 + 1) =
y 3 ⇔ 3 · 2y = 3 ←− Coloca-se o factor comum 2y em evidência.
8 8
⇔ 2y = 1 ⇔ 2y = 2−3 ←− 1 = 13 = 2−3
8 8 2
⇔ y = −3 ←− Iguala-se os expoentes de dois membros porque as
Substituindo y por −3 na 2ªequação, tem-se: x = −3 + 1 = −2 bases de ambos os membros da equação são iguais,
Logo, (x, y) = (−2, −3). isto é, a p = aq ⇔ p = q.
Opção: A
9. 
Um avião levanta voo sob um ângulo de 30◦ . Após percorrer 14 Km, a que altura se encontrará?

3 √
A. Km B. 14 Km C. 7 Km D. 7 3 Km
14 3
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Seja h o comprimento do cateto oposto do triângulo. Como h é
a altura do avião após percorrer 14Km, tem-se: y
⋆ senα =
r r
sen30◦ = h ←− y ⋆ cos α = x
r
14 14 Km α y
h ⋆ tgα =
⇔ 1 = h ⇔ 2h = 14 x x
2 14 30 ◦
⇔h=7
Opção: C

3/14 102
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

10. 

Qual é a distância entre as abcissas − 1 e 3 ?


5 4
A. − 19 B. − 11 C. 11 D. 19
20 20 20 20
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
( )
3 − − 1 = 3 + 1 = 15 + 4
←− A distância entre os pontos A(a) e B(b) situados no
4 5 4 5 20 20
eixo das abcissas é AB = b − a ou a − b
= 19 = 19 b−a
20 20 A B
Opção: D a b
11. 

Qual é a solução da inequação 5x ≥ −5?


3
A. x ∈ { } B. x < −3 C. x ≥ −3 D. R
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como o módulo de qualquer número real é maior ou igual a 0, ←− a significa a distancia entre a origem e o ponto A(a)
então 5x ≥ 0. situado no eixo das abcissas.
3 Logo, deve ser |a| ≥ 0.
Por isso, é sempre verdade que 5x ≥ −5, ∀x ∈ R.
3
Opção: D
12. 
(n + 1)! + (n + 1) · (n − 1)!
Qual é a forma mais simples da expressão ?
(n + 1) · (n − 1)!
A. n + 1 B. n(n + 2) C. n! D. (n + 1)!
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】 ⋄ n! é o produto de n facotores naturais e sucessivos desde
(n + 1)! + (n + 1) · (n − 1)! n até 1.
(n + 1) · (n − 1)! n! = n(n − 1)(n − 2)· · ·3 · 2 · 1
(n + 1) · n · (n − 1)! + (n + 1) · (n − 1)!
(n−1)!
z }| {
= ←−(n + 1)! = (n + 1)n (n − 1)(n − 2) · · · 3 · 2 · 1
(n + 1) · (n − 1)!
= (n + 1)n(n − 1)!!
(n + 1) · (n − 1)! · (n + 1)
= =n+1 ←−Coloca-se o facor comun (n + 1)(n − 1)! em evidência.
·(n + 1) · (n − 1)!
Opção: A
13. 
Na equação C2n+1 = 21, com n ∈ N e n > 1, qual é o valor de n?
A. 4 B. 5 C. 6 D. 7
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】 p factores
z }| {
A2n+1 Anp n(n − 1) · · · (n − p + 1)
Cn+1 = 21 ⇔
2 = 21 ←− Cn =
p
= n! =
2! p! (n − p)!p! p(p − 1) · · · 2 · 1
(n + 1)n
⇔ = 21 ⇔ (n + 1)n = 42 ←− ⋆ A2n+1 = (n + 1)n; ⋆ 2! = 2 · 1 = 2
2
⇔ n + n − 42 = 0 ⇔ (n + 7)(n − 6) = 0
2
←− Factoriza-se n2 + n − 42 aplicando x2 + (a + b)x + ab =
⇔ n = −7 ∨ n = 6 (x + a)(x + b).
Como n > 1, n = 6. ←− n = −7 não satisfaz a condição n > 1.
Opção: C

4/14 103
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

14. 
Quantos números de 3 algarismos diferentes podem ser escritos com os algarismos do conjunto M =
{1; 3; 7; 8; 9}?
A. 10 B. 15 C. 60 D. 125
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
O conjunto M tem 5 elementos. ←− A np é o número total das maneiras possiveis de escol-
Deseja-se o número total das maneiras diferentes possíveis de her p elementos dentre n elementos e permutar os
p elementos entre si. Se interessa a ordem, então
escolher 3 elementos dentre 5 elementos e em seguida permutar aplica-se um arranjo Anp . Se não interessa a ordem,
os 3 elementos entre si. então aplica-se uma combinação Cnp .
Como interessa a ordem, trata-se de um arranjo de 5 tomados 3
a 3, isto é:
A35 = 5| ·{z
4 ·}
3 = 60 ←− Anp = n! = n(n − 1)(n − 2) · · · (n − p + 1)
(n − p)! | {z }
3 factores p factores

Opção: C
15. 
Numa determinada empresa há 20 trabalhadores, dos quais 8 são eventuais e 12 são efectivos. Deseja-se formar
uma comissão de 2 trabalhadores para representar a empresa numa reunião sobre a concertação salarial. Qual
é a probabilidade de os dois trabalhadores escolhidos ao acaso serem efectivos?
A. 33 B. 2 C. 3 D. 94
95 5 5 95
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
O número de casos possíveis é C220 porque escolhe 2 trabal- ←− Cnp é o número total das maneiras possíveis de escol-
hadores dentre 20 trabalhadores. her p elementos dentre n elementos. Não interessa
2 ordem.
O número de casos favoráveis é C12 porque escolhe 2 trabal- p factores
hadores efectivos dentre 12 efectivos. z }| {
Anp
n! n(n − 1) · · · (n − p + 1)
Portanto, a probabilidade pedida é: C p
= = =
n
p! (n − p)!p! p(p − 1) · · · 2 · 1
12 · 11
C212
= 2 = 12 · 11 = 33 ←− A probabilidade de um acontecimento A é dada por:
2
C20 20 · 19 20 · 19 95
P(A)= número de casos favoráveis
2 número de casos possíveis
Opção: A
16. 

Qual é o quinto termo da sucessão 15 ; 15 ; 15 ; . . . ?


256 64 16
A. 10 B. 15 C. 20 D. 25
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como o quociente entre dois termos consecutivos da sucessão é ←− 15 , 15 , 15 , . . .
256 64 16
constante 4, esta sucessão é uma PG em que a1 = 15 e q = 4.
256 ×4 ×4 ×4
Logo, o termo geral desta PG é: ←− O termo geral de uma PG é dado por an = a1 qn−1 . O
termo geral de uma PA é dado por an = a1 + (n − 1)d.
an = 15 · 4n−1 = 154 · 4n−1 = 15 · 4n−5
256 4 n−1 m
⋆ 4 4 = 4n−1−4 = 4n−5 porque a n = am−n
Portanto, o quinto termo é: 4 a

a5 = 15 · 4 5−5
= 15 · 4 = 15 · 1 = 15
0
←− Substitui-se n por 5 na expressão do termo geral
Opção: B

5/14 104
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

17. 

Dada a sucessão 1 ; 1 ; 1 ; 1 ; . . . , qual é a ordem do termo 1 ?


2 4 8 16 256
A. 8 B. 16 C. 32 D. 64
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como o quociente entre dois termos consecutivos da sucessão é ←− 1 , 1 , 1 , 1 , . . .
2 4 8 16
constante 1 , esta sucessão é uma PG em que a1 = 1 e q = 1 .
2 2 2 ×2 ×2
1 1
×21
× 12
( )n−1 ( )n
Então, o termo geral desta PG é: an = 1 · 1 = 1
2 2 2 ←− O termo geral de uma PG é dado por an = a1 qn−1 .
Para se obter a ordem do termo 1 , resolve-se an = 1 :
256 256
( )n ( )n ( )8
1 = 1 ⇔ 1 = 1 ⇔n=8 ←− 256 = 28
2 256 2 2
Portanto, a ordem do termo 1 é 8.
256
Opção: A
18. 
Qual das sucessões é divergente?
( )n ( )n
A. n − 1 B. n + 1 C. 3 D. 2
n+1 n 2 3
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Calcula-se o limite de cada sucessão das opções dadas:
A. lim n − 1 = lim 1 · n − 1 = 1 = 1 ←− Como o numerador e o denominador têm o mesmo
n→+∞ n + 1 n→+∞ 1 · n + 1 1 grau , o limite da sucessão é igual ao quociente dos
B. lim n + 1 lim 1 · n + 1 = 1 =1 coeficientes dos termos de maior grau.
n→+∞ n n→+∞ 1 · n 1
( )n
C. lim 3 = +∞ ←− Se r > 1, então lim rn = +∞.
x→+∞ 2
( )n x→+∞

D. lim 2 = 0 ←− Se r < 1, então lim rn = 0.


x→+∞ 3 x→+∞
Por isso, as sucessões das opções A, B e D são convergentes e ←− Uma sucessão an é convergente se lim an = α ∈ R.
x→+∞
a sucessão da opção C é divergente. Uma sucessão an que não é convergente é divergente.
Opção: C
19. 
De uma progressão aritmética sabe-se que o primeiro termo é 5 e o quarto é 17. Qual é o valor do termo de
ordem 3?
A. 12 B. 13 C. 14 D. 15
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Pela condição, tem-se: a1 = 5 e a4 = 17.
Como o termo geral de uma PA é an = a1 + (n − 1)d, tem-se: ←− O termo geral de uma PA é a n = a1 + (n − 1)d.
a4 = 5 + (4 − 1)d = 5 + 3d.
Como a4 = 17, tem-se:
5 + 3d = 17 ⇔ 3d = 12 ⇔ d = 4
Portanto, o valor do termo da ordem 3 é:
a3 = 5 + (3 − 1)4 = 13 ←− Substitui-se a1 = 5, n = 3 e d = 4 em an = a1 + (n −
19d.
Opção: B

6/14 105
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

20. 
( )2n
Qual é o valor de lim n + 1 ?
n→∞ n − 3
A. e0 B. e C. e2 D. e8
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
( )2n
lim n + 1 = [1∞ ] ←− lim n + 1 = lim 1 · n + 1 = 1 = 1
n→∞ n − 3 n→∞ n − 3 n→∞ 1 · n − 3 1
lim ( n+1 −1)·2n
= en→∞ n−3 ←− Para levantar a indeterminação do tipo 1∞ , utiliza-se
lim n+1−(n−3) ·2n lim 8n a seguinte fórmula:
=e n→∞ n−3
=e n→∞ n−3
Sejam lim f (x) = 1 e limg(x) = ∞. Então tem-se:
8n
lim x→a x→a
=e n→∞ 1·n−3 lim [ f (x)−1]·g(x)
lim[ f (x)]g(x) = [1∞ ] = ex→a , onde e
8
=e =e
1 8 x→a
chama-se número de Nepper; tal que e = 2, 7183 · · ·
Opção: D
21. 
( )
Qual é o período da função f (x) = cos 1 − x ?
3
A. π B. π C. 3π D. 6π
6 3
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
( ) ( )
⋄ Seja k ∈ R.
f (x) = cos 1 − x = cos − x + 1 .
3 3( ) ⋆ Os períodos de y = senkx e y = cos kx são p = 2π .
k
Como o coeficiente de x de cos − x é − 1 , o período é: ⋆ O período de y = tgkx é p = π .
3 3 k
←− 2π = 2π × 3 = 6π
p= 2π = 2π = 6π
−1 1 1 1 ×3
3 3 3 3
Opção: D
22. 
Qual é o contradomínio da função g(x) = −x + 1 ?
A. R− B. R−0 C. R+0 D. R
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como −x + 1 ≥ 0, o contra domínio de g(x) = −x + 1 é ←− O módulo de qualquer número real é sempre maior ou
[0; +∞[, isto é, R+0 . igual a zero, isto é, a ≥ 0, ∀a ∈ R
⋆ R− = {x|x < 0} ⋆ R−0 = {x|x ≤ 0}
Opção: C ⋆ R+0 = {x|x ≥ 0} ⋆ R = {x| − ∞ ≤ x ≤ +∞}.
23. 

Quais são os zeros da função y = −1 ?


x2
+ 2x
x2
A. {−2; 0} B. {−1; 1} C. {−2; −1} D. {0; 1}
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
O domínio da função é:
x2 + 2x , 0 ⇔ x(x + 2) , 0 ⇔ x , 0 ∧ x , −2 ←− O denominador é diferente de zero.
Para se obter os zeros da função, substituindo y por 0, tem-se:
x2 − 1 = 0 ⇔ x2 − 1 = 0
←− Multiplica-se ambos os membros da equação por x2 +
x2 + 2x
2x porque x2 + 2x , 0
⇔ (x + 1)(x − 1) = 0 ⇔ x = −1 ∨ x = 1 ←− a2 − b2 = (a − b)(a + b)
Como x = −1 e x = 1 pertencem ao domínio, a solução é {−1; 1} ←− x = −1 e x = 1 são diferentes de x = 0 e x = −2.
Opção: B

7/14 106
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

24. 
Qual dos gráficos representa uma função injectiva?
A. B. C. D.
y y y y

2 2 2 2

1 1 1 1

-5 -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x -5 -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x -5 -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x -5 -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x
-1 -1 -1 -1

-2 -2 -2 -2

-3 -3 -3 -3

 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
O gráfico da função da opção D y ←− ⋆Se cada uma das rectas palalelas ao eixo de xx cor-
representa uma função bijectiva tar o gráfico em um só ponto ou não cortar o gráfico
porque cada uma das rectas par- de uma função, então a função é injectiva.
alelas ao eixo de xx corta o grá- ⋆Se cada uma das rectas palalelas ao eixo de xx cortar
O x o gráfico uma função em um ou mais pontos, então a
fico em um só ponto. função é sobrejectiva.
Como a função da opção D é bi- ⋆Se cada uma das rectas palalelas ao eixo de xx cortar
jectiva, então é injectiva. o gráfico uma função em um só ponto , então a função
As funções das opções A, B e D não são injectivas nem sobre- é bijectiva. (Se uma função for simultaneamente in-
jectivas. jectiva e sobrejectiva, então a função é bijectiva.)
Opção: D
25. 

Dada a função f (x) = 2x − 1 . Quais são as equações das assímptotas vertical e horizontal?
x−1
A. x = −2 e y = 1 B. x = 1 e y = 2 C. x = 1 e y = 1 D. x = 1 e y = −1
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Uma função do tipo f (x) = ax + b é homográfica cujas
A função f (x) = 2x − 1 = 2 · x − 1 é homográfica. cx + d
x−1 1·x−1 assímptotas vertical e horizontal são dadas pelas seguintes
A assímptota vertical é: x = − −1 = 1 equações:
1 ⋆AV : x = − d (← Zero do denominador)
A assímptota horizontal é: y = 2 = 2 c
1 ⋆AH : y = a (← Quociente dos coeficientes de x)
c
Opção: B
26. 
Sabe-se que o gráfico da função p(x) = x3 + (a − 2)x + b passa pelos pontos (−1; 0) e (2; 0). Qual é o valor de
p(0)?
A. −2 B. −1 C. 1 D. 2
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como o gráfico de p(x) passa por (−1; 0) e (2; 0), tem-se:
p(−1) = 0 e p(2) = 0. ←− Se o gráfico de uma função y = f (x) passa pelo ponto
Como p(−1) = 0, então tem-se: (a; b), então f (a) = b.

(−1)3 + (a − 2)(−1) + b = 0 ⇔ −a + b = −1 · · · ⃝ 1 ←− Substitui-se x por −1 em p(x).


Como p(2) = 0, então tem-se:
23 + (a − 2) · 2 + b = 0 ⇔ 2a + b = −4 · · · ⃝
2 ←− Substitui-se x por 2 em p(x).
Calculando ⃝ 1 −⃝ 2 , tem-se: −3a = 3 ⇔ a = −1
Substituindo a por −1 em ⃝ 2 , tem-se: 2(−1)+b = −4 ⇔ b = −2 ←− Substitui-se a por −1 e b por −2 em p(x).
Portanto, tem-se: p(x) = x + (−1 − 2)x − 2 = x3 − 3x − 2
3

Logo, tem-se: p(0) = 03 − 3 · 0 − 2 = −2 ←− Substitui-se x por 0 em p(x) = x3 − 3x − 2.


Opção: A

8/14 107
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

27. 

A figura representa o gráfico da função y = f (x). y


4

Qual é o gráfico que representa y = f ( x )? -5 -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x


-1

-2

-3

f -4

-5

A. B. C. D.
y y y y
4 4 4 4

3 3 3 3

2 2 2 2

1 1 1 1

-5 -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x -5 -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x -5 -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x -5 -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x
-1 -1 -1 -1

-2 -2 -2 -2

-3 -3 -3 -3

-4 -4 -4 -4

-5 -5 -5 -5

 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】 y
y = f (x)
y
y = f( x )
O gráfico de uma função y = f ( x ) obtém-se a partir do gráfico
da função y = f (x) através da simetria em relação ao eixo dos 2 −2 2
yy, representando os pontos que estão à direita do eixo dos yy à O x O x
−2 −2
esquerda do mesmo eixo.
Portanto, o gráfico da função f ( x ) é D.
Opção: D ⋄ Como f ( −x ) = f ( x ), y = f ( x ) é uma função par.
 28. 
Se ∀x1 ; x2 ∈ D f com x1 > x2 tivermos f (x1 ) < f (x2 ) diz-se que a função y = f (x) é...
A. bijectiva B. crescente C. decrescente D. sobrejectiva
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Se ∀x1 ; x2 ∈ D f com x1 > x2 tivermos f (x1 ) < f (x2 ) diz-se ←− Se ∀x1 ; x2 ∈ D f com x1 > x2 tivermos f (x1 ) > f (x2 )
que a função y = f (x) é decrecente. diz-se que a função y = f (x) é crescente.
Opção: C
 29. 



 x2 + 3x + 1, se x > 0
Considere a função f (x) =  , em x = 0 f (x) é...
 x + 1, se x ≤ 0
A. contínua. B. contínua apenas à direita.
C. contínua apenas à esquerda. D. descontinua.
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Calcula-se os limites laterais de x = 0 e o valor da função f (x) ←− Uma função f é contínua no ponto x = a
em x = 0. ⇔ ∃ f (a), ∃lim f (x) e lim f (x) = f (a)
x→a x→a
lim+ f (x) = lim+ (x2 + 3x + 1) = 02 + 3 · 0 + 1 = 1 ⇔ lim− f (x) = lim+ f (x) = f (a)
x→0 x→0 x→a x→a
lim− f (x) = lim− (x + 1) = 0 + 1 = 1 Uma função que não é contínua no ponto x = a é
x→0 x→0 descontínua nesse ponto.
f (0) = 0 + 1 = 1
Portanto, conclui-se que: lim+ f (x) = lim− f (x) = f (0).
x→0 x→0
Por isso, a função f (x) é contínua em x = 0.
Opção: A

9/14 108
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

30. 

O valor de k para que lim kx2+ 12x + 5 = 0 é...


x→∞ 4x2 + 6
A. 0 B. 1 C. 2 D. 4
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
kx2 + 12x + 5
[ ]
lim kx + 212x + 5 = ∞ = lim x2
2
x→∞ 4x + 6 ∞ x→∞ 4x + 6
2 ←− Para levantar a indeterminação do tipo ∞ , divide-se

x2 o numerador e o denominador pela potência máxima
k+ 12 + 25 do denominador.
x x Neste caso, como o denominador 4x2 +6 é do 2◦ grau,
= lim
x→∞
4+ 2 6 divide-se o numerador e o denominador por x2 .
x
= k + 0 + 0 = k
4+0 4 ←− Substitui-se x por ∞.
kx 2 + 12x + 5
Como lim = 0, então tem-se:
x→∞ 4x2 + 6
k =0⇔k=0
4
Opção: A
【Outra resolução】
lim kx +212x + 5 = k
2
←− Se o numerador e o denominador têm o mesmo grau,
x→∞ 4x + 6 4 então o limite quando x → ∞ é igual ao quociente
Por isso, tem-se: k =0⇔k=0 dos coeficientes dos termos de maior grau, isto é:
4 a xn + b1 xn−1 + c1 xn−2 + · · · a
lim 1 n = 1
x→∞ a2 x + b2 xn−1 + c2 xn−2 + · · · a2
31. 

Qual é o valor de lim x4− 16 ?


x→2 x−2
A. 2 B. 4 C. 16 D. 32
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
[ ]
(x2 )2 − 42
lim x − 16 = 0 = lim
4

x→2 x − 2 0 x→2 x−2


(x − 4)(x2 + 4)
2
= lim ←− Factorização: (x2 )2 − 42 = (x2 − 4)(x2 + 4)
x→2 x−2
aplicando a2 − b2 = (a + b)(a − b).
(x − 2)(x + 2)(x2 + 4)
= lim ←− x2 − 4 = x2 − 22 = (x − 2)(x + 2)
x→2 x−2
= lim (x + 2)(x2 + 4)
x→2
= (2 + 2)(22 + 4) = 4 · 8 = 32 ←− Substitui-se x por 2.
Opção: D
32. 

Qual é o valor de lim sen5x ?


x→0 cos 2x
A. 0 B. 2, 5 C. 5 D. +∞
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
lim sen5x = sen5 · 0 = sen0 = 0 = 0 ←− Como não é nenhuma indeterminação, substitui-se x
x→0 cos 2x cos 2 · 0 cos 0 1 por 0 logo.
Opção: A
⋆ sen0 = 0 ⋆ cos 0 = 1

10/14 109
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

33. 
Dada a função f (x) = (x − 5) · ex ,
qual é o valor de f ′ (0)?
A. −e 4 B. −4 C. 4 D. e4
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Calcula-se f ′ (x):
f ′ (x) = [(x − 5) · e x ]′ = (x − 5)′ · e x + (x − 5) · (e x )′ ←− [ f (x)g(x)]′ = f ′ (x)g(x) + f (x)g′ (x)
= 1 · e x + (x − 5) · e x ←− (e x )′ = e x
= e x + x · e x − 5e x = x · e x − 4e x
Portanto, tem-se:
f ′ (0) = 0 · e0 − 4e0 = −4 · 1 = −4 ←− Substitui-se x por 0 em f ′ (x) = x · e x − 4e x
Opção: B
34. 
Em que ponto a recta de equação y = −x − 1 é tangente ao gráfico da função f (x) = x2 + x?
A. (−1; 0) B. (0; 3) C. (1; 3) D. (2; 2)
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Calcula-se: f ′ (x) = 2x + 1 ←− (x2 + x)′ = 2x + 1
Se a recta y = −x − 1 cujo declive é −1 é tangente ao gráfico de ←− O declive da equação da recta tangente ao gráfico de
y = f (x) em x = a é igual a f ′ (a)
f (x) = x2 + x em x = a, então f ′ (a) = −1.
Como f ′ (a) = 2a + 1, tem-se:
2a + 1 = −1 ⇔ 2a = −2 ⇔ a = −1
Portanto, a abcissa do ponto de tangência é x = −1. ←− A recta y = −x − 1 é tangente ao gráfico de f (x) =
A seguir, calcula-se a ordenada do ponto de tangência: x2 + x em x = −1.
y
Como o gráfico da função f (x) = x2 + x passa pelo ponto de f (x) = x2 + x
tangência, a abcissa do ponto de tangência é:
f (−1) = (−1)2 − 1 = 0 y = −x − 1
Logo, o ponto de tangência é (−1, 0).
O x
−1
Opção: A
35. 

Qual é a primeira derivada da função f (x) = 4x ?


x4
4 (x · ln 4 − 4)
x 4 x (x − 4) 4 x (x · ln 4 − 4)
A. x · 4 3
x−1
B. C. D.
4x x5 x5 x8
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
( )′
x (4 x )′ · x4 − 4 x · (x4 )′ [ ]′
f ′ (x) = 44 = ←−
f (x)
=
f ′ (x)g(x) − f (x)g′ (x)
x (x4 )2 g(x) [g(x)]2
= 4 ln 4 · x 8− 4 · 4x
x 4 x 3
←− (4 x )′ = ln 4 porque (a x )′ = a x ln a;
x
(x4 )′ = 4x3 porque (xn )′ = nxn−1
4 x x3 (x ln 4 − 4)
= ←− 4 x ln 4 · x4 − 4 x · 4x3 = 4xx x33 · x ln 4 − 4x x3 · 4
x8 = 4 x (x ln 4 − 4)
4 (x ln 4 − 4)
x
= 3
←− x8 = x3−8 = x−5 = 15
x5 x x
Opção: B

11/14 110
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

Somente para a Secção de Letras


36. 
A expressão 1 − senx · cos x · tgx é equivalente à...
A. sen2 x B. 1 − senx C. cos2 x D. 1 − tgx
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
1 − senx · cos x · tgx = 1 − senx · cos x · senx ←− Substitui-se tgx por cos x porque tgx = senx
cos x senx cos x
= 1 − sen2 x = cos2 x ←− sen2 x + cos2 x = 1 ⇔ 1 − sen2 x = cos2 x
Opção: C
37. 
Qual é o valor do ângulo θ, para o qual senθ = cos θ; sendo 180◦
≤θ≤ 360◦ ?
A. 270 ◦ B. 225 ◦ C. 210 ◦ D. 180◦
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】 < Transformação de asenθ + b cos θ >
senθ = cos θ ⇔ senθ
√ − cos θ =◦ 0
Seja o ponto P a extremidade de um segmento com outra
⇔ 2sen(θ − 45 ) = 0 ⇔ sen(θ − 45◦ ) = 0 extremidade na origem do sistema cartesiano, OP = r e α
o ângulo produzido pelo segmento OP em relação ao eixo
Fazendo θ − 45◦ = t, sent = 0. das abcissas.
Como 180◦ ≤ θ ≤ 360◦ , 135◦ ≤ t ≤ 315◦ . y P(a, b)
Logo, a solução de sent = 0 (135◦ ≤ t ≤ 315◦ ) é t = 180◦ . b
Como t = θ − 45◦ , então: r

θ − 45◦ = 180 ⇔ θ = 225◦ α


O a x
Opção: B √
asenθ + b cos = r · sen(θ + α) = a2 + b2 sen(θ + α)
【Outra resolução】
Dividindo ambos os membros da equação senθ = cos θ por
cos θ, tem-se: senθ = 1 ⇔ tgθ = 1 ←− tgθ = senθ
cos θ cos θ
Resolve-se a equação tgθ = 1 com 0◦ ≤ θ ≤ 360◦ . ←− As soluções da equação tgθ = α são os ângulos for-
Toma-se o ponto T(1; 1). y mados pelo segmento OP com o eixo das abcissas
1 T no sentido positivo e pelo semento OQ com o eixo
Sejam P e Q os dois pontos das in-
tersecções da recta OT com o círculo P das abcissas no sentido positivo, onde os pontos P
225◦ 45◦ e Q são as intersecções da recta OT com o círculo
torigonométrico. trigonométrico, onde o ponto T é (1; α ).
Como os ângulos θ pedidos são forma- −1 O 1x
dos pelo segmento OP com o eixo das Q
abcissas no sentido positivo e pelo seg- −1
mento OQ com o eixo das abcissas no sentido positivo, tem-se
θ = 45 e θ = 225◦ . Como 180◦ ≤ θ ≤ 360◦ , θ = 225◦ .
38. 
Qual é a alternativa que NÃO é correcta?
A. N ∪ Z = Z B. R \ Z = N C. R ∪ N = R D. N ∩ Z = N
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Verifica-se se cada alternativa é correta ou não. ←− R = {Números reais}
A. N ∪ Z = Z porque N ⊂ Z. Z = {Números inteiros}
= {· · · , −3, −2, −1, 0, 1, 2, 3, · · · }
B. R \ Z , N porque R \ Z é exterior de Z e N ⊂ Z N = {Números naturais} = {0, 1, 2, 3, 4, · · · }
C. R ∪ N = R porque N ⊂ R R
Z
D. N ∩ Z = N porque N ⊂ Z N
Portanto, a alternativa que não é correcta é B. N⊂Z⊂R
Opção: B

12/14 111
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

39. 
No universo R, dados os conjuntos: M = {x ∈ R : −10 < x < 0} e P = [−2; 5[. A que é igual o conjunto
M∩P?
A. ] − ∞; −2[ B. ]0; +∞[ C. ] − ∞; −2[∪[0; +∞[ D. ] − ∞; 2] ∪ [0; +∞[
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
M ∩ P é o complementar do P
conjunto M ∩ P. M
{  }

Como M ∩ P = [−2; 0[, ←− Como M ∩ P = x 
−2≤ x≤0 ,
−10 −2 0 5 x { 
 }
então tem-se: então M ∩ P = x

 x < −2 ∨ 0 < x .
M ∩ P =] − ∞; −2[∪[0; +∞[ M∩P
Opção: C
40. 
Numa turma, 19 dos 52 alunos gostam de Inglês, 8 gostam de Física e 6 gostam das duas disciplinas. Quantos
alunos NÃO gostam de Inglês NEM de Física?
A. 25 B. 31 C. 32 D. 33
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Sejam:
U-Conjunto de todos os alunos da turma; ←− Nota-se que:
I- Conjunto dos alunos que gostam de Inglês; n(U) = 52, n(I) = 19, n(F) = 8 e n(I ∩ F) = 6
F-Conjunto dos alunos que gostam de Física. Os alunos que gostam só de Ingleles são:
U(52) 19 − 6 = 13
Constroi-se o diagramma como a figura Os alunos que gostam só de Física são:
mostra. I(19) F(8)
8−6=2
A partir do diagramma, os alunos que não 13 6 2
gostam de Inglês nem de Física são:
52 − (13 + 6 + 2) = 52 − 21 = 31
Opção: B

Somente para a Secção de Ciências


36. 
Qual é o ponto médio do segmento cujos pontos extremos são P(1; −4) e R(−5; 2)?
A. (−2; −1) B. (−1; −2) C. (1; 2) D. (2; 1)
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
O ponto médio do segmento cujos pontos extremos são P(1; −4) ←− Sejam A(x1 ; y1 ) e B(x2 ; y2 ). Então, o ponto médio do
( ) ( )
1 + (−5) −4 + 2 x + x2 y1 + y2
e R(−5; 2) é: ; = (−2; −1) segmento AB é 1
2
;
2
.
2 2
Opção: A
37. 
Qual é o declive da recta que passa pelos pontos P(3; 5) e R(6; −1)?
A. −2 B. −1 C. 2 D. 3
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
O declive da recta que passa pelos pontos P(3; 5) e R(6; −1) é: ←− O decllive da recta que passa pelos pontos A(x1 ; y1 ) e
−1 − 5 = −6 = −2 ∆y y2 − y1
B(x2 ; y2 ) é = .
6−3 3 ∆x x2 − x1
Opção: A

13/14 112
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

38. 
Qual é a inversa da função f (x) = − 1? 2x
A. f −1 (x) = log2 x + 1 B. f −1 (x) = log2 x − 1 C. f −1 (x) = log2 (x + 1) D. f −1 (x) = log2 (x − 1)
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】 Passos para obter a inversa de uma função f (x):
Substituindo f (x) por y, tem-se: y = 2 x − 1 1. Substitui-se f (x) por y.
Resolve-se em ordem a x: 2. Resolve-se em ordem a x.
3. Troca-se as variáveis x por y e y por x.
2 = y + 1 ⇔ log2 2 = log2 (y + 1)
x x
←− Adopta-se log2 para ambos os membros.
⇔ x = log2 (y + 1) ←− log2 2 x = x porque loga a p = p
Trocando as variáveis x por y e y por x, tem-se: y = log2 (x + 1), ←− A inversa de uma função exponencial é uma função
que é a função inversa pedida, f −1 (x) = log2 (x + 1). logarítmica.
Opção: C
 39. 
Seja f (x) = x − 2x e g(x) = ax + b onde a e b são números reais. Nestas condições, a que é igual ( f og)(0)?
2

A. 0 B. b C. 2b − b2 D. b2 − 2b
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
( f og)(0) = f [g(0)] = f (b) = b2 − 2b ←− ( f og)(a) = f [g(a)]; g(0) = a · 0 + b = b
Opção: D
40. 

Sendo f (x) = 1 ; x ∈ R \ {0}, qual é o gráfico que representa g(x) = f (x − 2) + 1?


x
A. B. C. D.
y y y y
4 4 4
3
3 3 3
2
2 2 2
1
1 1 1
−5 −4 −3 −2 −1 O 1 2 3 4 x
−1 −5 −4 −3 −2 −1 O 1 2 3 4 x −5 −4 −3 −2 −1 O 1 2 3 4 x −5 −4 −3 −2 −1 O 1 2 3 4 x
−1 −1 −1
−2
−2 −2 −2
−3
−3 −3 −3
−4
−4 −4 −4
−5 −5 −5
 2010.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como g(x) = f (x − 2) + 1, o gráfico de g(x) obtém-se a partir ←− O gráfico da função y = f (x − p) + q obtém-se a partir
do gráfico da função y = f (x) através da translação de
do gráfico de f (x) = 1 através da translação 2 unidades para
x p unidades para direita e q unidades para cima.
direita e 1 unidade para cima. y
Então , o centro do gráfico de g(x) é (2; 1) porque o centro do g

gráfico de f (x) = 1 é a origem. 1


x +1
Logo, o gráfico de g(x) é o gráfico da opção A. O +2 2 x
Opção: A f
【Outra resolução】
Como g(x) = f (x − 2) + 1, então tem-se:
g(x) = 1 + 1 = 1 + x − 2 = x − 1 ←− f (x − 2) = 1
x−2 x−2 x−2 x−2
Logo, a função g(x) é homográfica.
Assim, a AV é: x = − −2 = 2 e a AH é: y = 1 = 1. ←− A AV e a AH do gráfico de uma função homográfica
1 1
Portanto, o gráfico que representa g(x) é da opção A. y = ax + b são respecrtivamente x = − d e y = a .
cx + d c c

FIM

14/14 113
República de Moçambique
Matemática Ministério da Educação 2ª Época
12ª Classe / 2010 Conselho Nacional de Exames, Certificação e Equivalências 120 Minutos
Esta prova contém 40 perguntas com 4 alternativas de resposta para cada uma. Escolha a alternativa correcta e
RISQUE a letra correspondente na sua folha de respostas. Responda a todas as primeiras 35 perguntas. As últimas
5 perguntas responda somente às da sua secção (Letras ou Ciências).

 【Resolução】 
1.
"Todo o número natural não é negativo" simbolicamente esta expressão corresponde a...
A. ∃!x ∈ N : x > 0 B. ∀x ∈ N : x ≥ 0 C. ∃x ∈ N : x ≤ 0 D. ∀x ∈ N : x < 0
 2010. 2ª época 
【Resolução】
A expressão "Todo o número natural não é negativo" simboli- ←− "Todo o número natural" corresponde a ∀x ∈ N
camente corresponde a ∀x ∈ N : x ≥ 0 "Não é negativo" corresponde a x ≮ 0, ou seja, x ≥ 0
Opção: B
 2. 
A operação lógica que associa duas proposições falsas numa nova proposição verdadeira chama-se...
A. Conjunção B. Disjunção inclusiva C. Equivalência D. Negação
 2010. 2ª época 
【Resolução】
Se p e q são duas operações falsas, então p ⇔ q é verdadeira. ←− p ⇔ q somente é verdadeira se ambas as proposições
Logo, a alternativa correcta é C. p e q têm o mesmo valor lógico.
Opção: C
 3. 
A tabela refere-se a disjunção inclusiva.
Nestas condições os valores de x e y são respectivamente...

A. 0 e 0 p q p∨ q
B. 0 e 1 0 0 x
1 0 1
C. 1 e 0 0 1 y
1 1 1
D. 1 e 1
 2010. 2ª época 
【Resolução】
Pela leitura da tabela, conclui-se que 0 e 1 representam respec- ←− A proposição p ∨ q é falsa se e somente se ambas as
tivamente falsa e verdadeira. proposições p e q são falsas.
Como F ∨ F = F, então o valor de x é 0. Como p ∨ q na terceira linha é 1, então 1 deve corre-
sponder a verdadeira.
Como F ∨ V = V, então o valor de y é 1.
Opção: B
 4. 
√ √
Considere as expressões I = x − 5 , II = x − 4x , III = 5x, IV = x − x3 .
2 2

10 3x
Qual das opções está incorrecta?
A. I e II são racionais fraccionárias B. I e III são racionais inteiras
C. IV é irracional D. II é racional fraccionária
 2010. 2ª época 

1/15 114
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Resolução】
Nota-se que: ←− Uma expressão diz-se expressão racional inteira
I é racional inteira; quando não se indica uma divisão em que a variável
II é racional fraccionária; fica no divisor e não aparece sob sinal de radical.
III é racional inteira; Uma expressão diz-se expressão racional frac-
IV é irracional inteira. cionária quando no divisor figura a variável.
Então a opção A está incorrecta. Uma expressão diz-se expressão irracional quando,
sob sinal de radical, figura a variável.
Opção: A
5. 

Considerando como domínio da função f (x) = 1 − x − √4 x o intervalo [a; b]. Qual é o valor de a + b?
x+1
A. 3 B. 2 C. 1 D. 0
 2010. 2ª época 
【Resolução】
As condições são:
1 − x ≥ 0···⃝ √
1 ∧ x+1 , 0 ⇔ x , −1 · · · ⃝2 ∧ x ≥ 0···⃝
3 ←− ⋆Se o índice n em n x é par, tem-se: x ≥ 0
x+1 √
⋆Se o índice n em n x é ímpar, tem-se: x ∈ R
Resolve-se a inequação ⃝ 1 :
  ⋆O denominador é diferente de 0.
 

 − ≥ 
 − ≤
1−x ≥0⇔ 1 x 0

 1 x 0 f (x) 

 f (x) > 0 

 f (x) < 0


x + 1 > 0 

x + 1 < 0 ←− >0⇔  ∨  
x+1 g(x) g(x) > 0 g(x) < 0
  + −


−x ≥ −1 

−x ≤ −1 porque =+e = +.
+  −
⇔  ∨ 
 
 x > −1  x < −1 f (x) 

 f (x) > 0 

 f (x) < 0
  < 0 ⇔ 
 ∨ 

g(x) g(x) < 0 g(x) > 0


x ≤ 1 

x ≥ 1
⇔ + −
 x > −1 ∨ 
  x < −1
 porque

=−e
+
= −.

⇔ −1 < x ≤ 1 ∨ x ∈ ∅ ←−
1 ′
⇔ −1 < x ≤ 1 · · · ⃝ ∨
′ −1 1 x −1 1 x
1 ,⃝
Calculando a interesecção de ⃝ 2 e⃝3 , tem-se: −1 < x ≤ 1 x∈∅
0 ≤ x ≤ 1 ⇔ x ∈ [0; 1]
Como a = 1 e b = 1, então tem-se: a + b = 2
Opção: B
6. 



 x+y+z=1



O sistema 
 y+z=3 tem solução x; y; z. Qual é o valor de x + y + z?



 3z = 6
A. −3 B. −2 C. 1 D. 2
 2010. 2ª época 
【Resolução】



 x + y + z = 1···⃝1 【Outra resolução】


 Calculando ⃝ 1 −⃝ 2 , tem-se: x = −2
Seja 
 y + z = 3···⃝2 Substituindo x por −2 e z por 2 na equação ⃝
1 , tem-se:



 3z = 6 ⇔ z = 2 −2 + y + 2 = 1 ⇔ y = 1
Portanto, tem-se: x + y + z = 1
Substituindo z por 2 na equação ⃝ 2 , tem-se: y + 2 = 3 ⇔ y = 1.
Substituindo z por 2 e y por 1 na equação ⃝ 1 , tem-se:
x + 1 + 2 = 1 ⇔ x = −2.
Portanto, tem-se: x + y + z = −2 + 1 + 2 = 1
Opção: C

2/15 115
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

7. 

Qual é a solução da inequação 2x − 1 > 0?


] [ x+3 ] [
A. −3; 1 B. ] − 3; 4[ C. ] − ∞; −3[∪]4; +∞[ D. ] − ∞; −3[∪ 1 ; +∞
2 2

 2010. 2ª época 

【Resolução】
   
 
2x − 1 > 0 ⇔ 
2x − 1 > 0
∨ 

2x − 1 < 0 f (x) 

 f (x) > 0 

 f (x) < 0


x + 3 > 0 
x + 3 < 0 ←− >0⇔ ∨ 
g(x) < 0
x+3 g(x)  g(x) > 0 
  Porque + = + e − = +.


 1 

 1 + −
x > 2 x < 2
⇔ ∨ 
 ←−

 x > −3 
 x < −3 ∨
−3 −1 x −3 −1 x
⇔ x > 1 ∨ x < −3
2 2
←−
2 ] [
⇔ x ∈] − ∞; −3[∪ 1 ; +∞ −3 1 x
2 2
Opção: D
8. 
Quais são as raízes da equação x3 − 4x2 − 5x = 0?
A. {−5; −1; 0} B. {−1; 0; 5} C. {0; 1; 5} D. {1; 2; 5}
 2010. 2ª época 

【Resolução】
x3 − 4x2 − 5x = 0 ⇔ x(x2 − 4x − 5) = 0 ←− Coloca-se em evidência o factor comum x.
⇔ x(x − 5)(x + 1) = 0 ←− Factoriza-se x2 − 4x − 5 = (x − 5)(x + 1) aplicando
⇔ x = 0 ∨ x = 5 ∨ x = −1 x2 + (a + b)x + ab = (x + a)(x + b).
Opção: B
9. 
Qual é a expressão equivalente a senx + senx ?
1 − senx 1 + senx
2tgx 2cotgx 2cotgx 2tgx
A. B. C. D.
senx cos x senx cos x
 2010. 2ª época 

【Resolução】
senx + senx = senx(1 + senx) + senx(1 − senx)
←− m.m.c (1 − senx, 1 + senx) = (1 − senx)(1 + senx).
1 − senx 1 + senx (1 − senx)(1 + senx)
= senx + sen x + senx − sen2 x
2
←− (1 − senx)(1 + senx) = 1 − sen2 x
1 − sen x
2
porque (a − b)(a + b) = a2 − b2 .
= 2senx
←− sen2 x + cos2 x = 1 ⇔ 1 − sen2 x = cos2 x
cos2 x
= 2senx
←− cos2 x = cos x · cos x
cos x · cos x
2tgx
= ←− senx = tgx
cos x cos x
Opção: D
10. 
Simplificando a expressão x tem-se...
x
A. −1 B. −1 ou 1 C. 1 D. [−1; 1]
 2010. 2ª época 

3/15 116
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Resolução】
Como o denominador é diferente de zero, tem-se a condição:
x ,0⇔x,0
Então, tem-se:
x 

  
x =  x se x > 0 
1 se x > 0 

 x se x ≥ 0

 = 
 ←− Definição de módulo: x = 

x 
 x se x < 0 −1 se x < 0 −x se x < 0
−x
Opção: B
11. 
A expressão 5x − 10 − x + 2 é equivalente a 4x − 8 se...
A. x < 2 B. x ≤ 2 C. x > 2 D. x ≥ 2
 2010. 2ª época 
【Resolução】
5x − 10 − x + 2 = 4x − 8 ⇔ 5x − 10 = 5x − 10. 


Para que seja verdadeira esta igualdade, é necessário que se ver- ←− Definição de módulo: x =  x se x ≥ 0
−x se x < 0
ifique a condição:
5x − 10 ≥ 0 ⇔ 5x ≥ 10 ⇔ x ≥ 2 ←− Para que x = x, é necessário que o número que está
no dentro do módulo seja maior ou igual a zero, isto
Opção: D é, x ≥ 0.
12. 
Na equação (n + 1)! = n!, qual é o valor de n?
A. 0 B. 1 C. 2 D. 3
 2010. 2ª época 
【Resolução】
Dividindo por n! ambos os membros da equação, tem-se:
(n + 1)! (n + 1)n!
=1⇔ =1 ←− (n + 1)! = (n + 1) n(n − 1) · · · 3 · 2 · 1 = (n + 1) · n!
n! n! | {z }
⇔n+1=1⇔n=0 n!

Opção: A
 13. 
Qual é o número representado por P2 · C35 ?
A. 20 B. 30 C. 60 D. 120
 2010. 2ª época 
【Resolução】 ⋆Pn = n! = n(n − 1)(n − 2) · · · 3 · 2 · 1
A 3 p factores
P2 · C35 = 2! · 5 = 2 · 1 · 5 · 4 · 3 = 20
z }| {
3! 3·2·1 Anp
n! n(n − 1) · · · (n − p + 1)
⋆Cn =
p
= =
Opção: A p! (n − p)!p! p(p − 1)3 · · · 2 · 1

14. 
Os números de telefones de uma cidade são uma sequência de três dígitos diferentes e em nenhum deles entra
o algarismo zero. Quantos telefones tem a cidade?
A. 120 B. 151 C. 504 D. 630
 2010. 2ª época 
【Resolução】
Deseja-se o número total de escolher três algarismos dentre 9 ←− An é o número total das maneiras diferentes possíveis
p

algarismos (de 1 a 9) e permutar os três algarismos entre si. de escolher p elementos dentre n elementos e permu-
tar os p elementos entre si. Se interessa a ordem, en-
Como interessa a ordem, trata-se de um arranjo de 9 elementos
tão trata-se de um arranju Anp .
tomados 3 a 3, isto é: A39 = 9 · 8 · 7 = 504 Anp = n(n − 1)(n − 2) · · · (n − p + 1)
| {z }
Opção: C pfactores

4/15 117
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

15. 
Uma urna tem 10 bolas idênticas, enumeradas de 1 a 10. Se retirarmos ao acaso uma bola da urna, qual é a
probabilidade de não obtermos a bola de número 7?
A. 1 B. 1 C. 2 D. 9
10 5 9 10
 2010. 2ª época 
【Resolução】
O número de casos possíveis é C110 porque retira-se ao acaso ←− Cnp é o número total das maneiras possíveis de escol-
uma bola dentre 10 bolas, isto é uma combinação de 10 ele- her p elementos dentre n elementos. Se não interessa
mentos, tomados 1 a 1. a ordem, então trata-se uma combinação Cnp .
p factores
O número de casos favoráveis é C19 porque retira-se ao acaso z }| {
uma bola dentre 9 bolas (excepto a bola de número 7), isto é A p
n! n(n − 1) · · · (n − p + 1)
Cnp = n = =
p! (n − p)!p! p(p − 1) · · · 3 · 2 · 1
uma combinação de 9 elementos, tomados 1 a 1.
Caso especial: C1n = n
C1
Então a probabilidade pedida é: 19 = 9 ←− A probabilidade de um acontecimento A é dada por:
C10 10
Opção: D P(A)= número de casos favoráveis
número de casos possíveis
16. 
Qual é o termo geral da sucessão 3; 7; 11; 15; ...?
A. 4 − n B. n + 2 C. 4n − 1 D. 2n + 1
 2010. 2ª época 
【Resolução】
Como a diferença entre dois termos consecutivos é constante 4, ←− 3, 7, 11, 15, . . .
esta sucessão é uma PA em que a1 = 3 e d = 4. +4 +4 +4 +4
Logo, o termo geral desta PA é: an = 3 + (n − 1)4 = 4n − 1 ←− O termo geral de uma PA é: an = a1 + (n − 1)d
Opção: C O termo geral de uma PG é: an = a1 · qn−1
 17. 
Qual destas sucessões é infinitamente pequena?
B. 3n 2+ 1
2 2 2 n
A. − √ C. n D. 5
1+ n n 3n 3
 2010. 2ª época 
【Resolução】
Calcula-se o limite de cada sucessão das opções dadas:
A. lim − 2
√ =0 ←− − 2 = 0
n→+∞ 1+ n ∞
B. lim 3n 2+ 1 = lim 3 + 12 = 3
2
←− 1 = 0
n→+∞ n n→+∞ n ∞
n2 n
C. lim = = +∞ ←− ∞ = ∞
n→+∞ 3n 3 3
n
D. lim 5 = +∞ ←− Como 5 > 1, então lim 5n = +∞. Logo ∞ = ∞
n→+∞ 3 n→+∞ 3
Como o limite da sucessão da opção A é igual a zero, a sucessão ←− Diz-se que uma sucessão an é infinitamente pequena
da opção A é infinitamente pequena. se lim an = 0.
n→∞
Diz-se que uma sucessão an é infinitamente grande se:
Opção: A lim an = ∞ ou lim an = −∞
n→∞ n→∞
18. 

1 + 1 + 1 + 1 + · · · + 1n
Qual é o valor de lim 2 4 8 2 ?
n→∞ 1
1+ + + 1 1 + · · · + 1n
3 9 27 3
A. 1 B. 2 C. 4 D. 5
3 3 3 3
 2010. 2ª época 

5/15 118
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Resolução】
( )
lim 1 + 1 + 1 + 1 + · · · + 1n é a soma de todos os ter-
n→∞ 2 4 8 2
mos de uma PG em que q = . 1
2
Como q < 1, aplicadno a fórmula da soma de todos os termos ←− A soma de todos os termos de uma PG de q < 1 é
de uma(PG, tem-se: a1
) dada por S =
a 1 −q
lim 1 + 1 + 1 + 1 + · · · + 1n = 1
= 1 =2
n→∞ 2 4 8 2 1−q 1− 1
2
De igual modo, tem-se:
( )
lim 1 + 1 + 1 + 1 + · · · + 1n = 1 = 1 = 3 ←− Soma de todos os termos de uma PG em que a1 = 1 e
n→∞ 3 9 27 3 1− 1 2 2
3 3 q= 1.
3
Portanto, tem-se:
1 + 1 + 1 + 1 + · · · + 1n
2 4 8 2 = 2 = 4
lim ←− 2 = 2 · 2 = 4
n→∞
1+ + +1 1 1 + ··· + n1 3 3 3 3 ·2 3
3 9 27 3 2 2 2
Opção: C
19. 
No primeiro dia de um mês, uma capoeira produziu 3 ovos, no segundo dia 9 ovos, no terceiro dia 27 ovos e
assim em diante. No dia em que produziu 729 ovos começou a comercialização. Em que dia do mês começou
a comercialização?
A. 4◦ dia B. 5◦ dia C. 6◦ dia D. 7◦ dia
 2010. 2ª época 

【Resolução】
A producão dos ovos na capoeira representa-se pela seguinte
sucessão: 3; 9; 27; · · · ; 729 ←− 3, 9, 27, . . .
Esta é uma PG em que a1 = 3 e q = 3. ×3 ×3 ×3
Logo, o termo geral desta PG é:
an = a1 · qn−1 = 3 · 3n−1 = 3n ←− O termo geral de uma PG é dada por: an = a1 · qn−1 .
Para se obter o dia em que a capoeira produziu 729 ovos,
resolve-se an = 729:
an = 729 ⇔ 3n = 729 ⇔ 3n = 36 ⇔ n = 6 ←− a p = aq ⇔ p = q
Opção: C
20. 
De uma progressão aritmética sabe-se que a1 = −2 e a8 = 19. Qual é a soma dos primeiros oito termos?
A. 86 B. 68 C. 58 D. 56
 2010. 2ª época 
【Resolução】
n(a1 + a8 ) 8(−2 + 19)
S8 = = = 68 ←− A soma dos n primeiros termos de uma PA é dada por:
2 2 n(a1 + an ) n[2a1 + (n − 1)d]
Sn = ou S n =
Opção: B 2 2
21. 
O gráfico da função y = −2x2 + bx + c passa pelo ponto (1; 0) e tem como vértice o ponto (3; s). Qual é o valor
de s?
A. −5 B. 4 C. 8 D. 18
 2010. 2ª época 

6/15 119
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Resolução】
Como o gráfico passa pelo ponto (1; 0), tem-se:
←− Substitui-se x = 1 e y = 0 em y = −2x2 + bx + c.
0 = −2 · 12 + b · 1 + c ⇔ b + c = 2 · · · ⃝ 1
Faz-se o quadrado perfeito de y = −2x + bx + c.
2
( )
y = −2x2 + bx + c = −2 x2 − b x + c
[( ] 2 ←− Evidencia-se −2, coeficiente de x2 , em −2x2 + bx + c.
)2 2
= −2 x − b − b + c ←− Faz-se o quadrado perfeito.
4 16
( )2 2
= −2 x − b + b + c ←− Desembaraça-se de parenteses rectos.
4 8 ( )
2
Portanto, as coordenadas do vértice são b ; b + c . ←− As coordenadas do vértice do gráfico da função y =
4 8
Logo, tem-se o seguinte sistema: a(x − p)2 + q são (p; q).



 b ⃝
 4 = 3 ⇔ b = 12 · · ·
 2


 b2 + c = s · · · ⃝

 3
8
Substituindo ⃝ 2 em ⃝ 1 , tem-se: 12 + c = 2 ⇔ c = −10 · · · ⃝ 4
Substituindo ⃝ 2 e⃝ 4 em ⃝ 3 , tem-se:
122 − 10 = s ⇔ s = 144 − 80 ⇔ s = 8
8 8
Opção: C
【Outra resolução】
De igual modo, obtém-se a equação b + c = 2 · · · ⃝ 1
Calcula-se: ∆ = b − 4 · (−2) · c = b + 8c
2 2

Por isso, as coordenadas do vértice são:


( ) ( )
−b ; − b2 + 8c = b ; b2 + c ←− As coordenadas do vértice de uma função quadrática
2 · (−2) 4 · (−2) 4 8 ( )
Logo, tem-se o seguinte sistema: y = a2 + bx + c são −b ; − ∆ , onde ∆ = b2 − 4ac.
2a 4a
Continua-se de mesmo modo que a resolução· · · · · · · · · · · ·

22. 



 x2 − 4 se x ≤ 0
Quais são os zeros da função f (x) = 

−4 se x > 0
A. −4 e −2 B. −2 C. 2 D. −2 e 2
 2010. 2ª época 
【Resolução】 y
Resolve-se a equação x2 − 4 = 0 com x ≤ 0. y = x2 − 4
x2 − 4 = 0 ⇔ (x − 2)(x + 2) = 0 ⇔ x = ±2
Mas como x ≤ 0, somente x = −2 é o zero. −2 O x
Quando x > 0, f (x) = −4 não tem zeros.
Logo, a função tem apenas um zero, x = −2.
−4 y = −4
Opção: B
23. 
Considere as funções f (x) = x2 − 4; g(x) = 2 x ; m(x) = x e n(x) = senx.
x−1
Quais das funções NÃO são injectivas?
A. f e g B. f e m C. g e n D. f e n
 2010. 2ª época 

7/15 120
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Resolução】
Como g é uma função exponencial e m é uma função homográ- ←− ⋆Se nenhuma recta horizontal corta o gráfico de f em
fica, então g e m são funções injectivas porque nenhuma recta mais um ponto, então f é injectiva.
horizontal corta os gráficos em mais de um ponto. Como f é ⋆Se toda recta horizontal corta o gráfico de f , então
uma função quadrática e n é uma função seno, então f e n não f é sobrejectiva.
são injectivas porque algumas rectas horizontais cortam os grá- ⋆Se toda recta corta o gráfico de f em um sóponto,
ficos em mais de um ponto. então f é bijectiva.
(Se uma função f é simultaneamente injectiva e so-
Os gráficos das funções f , g, m e n são representados como se
brejectiva, f é bijectiva.)
segue:
y y y y
g m
f n
O x O x O x
O x
Opção: D
24. 
Considere as funções f (x) = − 4 e g(x) = x + 2. Quantas soluções tem a equação f (x) = g(x)?
x2
A. Nenhuma B. Uma C. Duas D. Três
 2010. 2ª época 

【Resolução】
Como f (x) = g(x), então tem-se a equação quadrática:
x2 − 4 = x + 2 ⇔ x 2 − x − 6 = 0
Calcula-se o discriminante ∆ da equação: ←− Se ∆ é o discriminante de uma equação ax2 + bx + c =
∆ = (−1)2 − 1 · (−6) = 7 0, então ∆ = b2 − 4ac.
Como ∆ > 0, a equação f (x) = g(x) tem duas soluções. ←− Se ∆ > 0, a equação tem duas soluções.
Se ∆ = 0, a equação tem uma única solução.
Opção: C Se ∆ < 0, a equação não tem nenhuma solução.
25. 
Considere a função f (x) = cos x + 3. Qual é o contradomínio da função?
A. [−3; 3] B. [−1; 1] C. [0; 3] D. [2; 4]
 2010. 2ª época 

【Resolução】  


cos x (x ≥ 0) 

cos x (x ≥ 0)
Como cos(−x) = cos x, então cos x = cos x. ←− cos x =   = = cos x
cos(−x) (x < 0)  cos x (x < 0)
Sabe-se que: −1 ≤ cos x ≤ 1
Então, tem-se:
⇔ −1 ≤ cos x ≤ 1 ←− cos x = cos x
⇔ −1 + 3 ≤ cos x + 3 ≤ 1 + 3 ←− Adiciona-se 3 a todos os membros da inequação.
⇔ 2 ≤ f (x) ≤ 4 Contradomínio de funções trigonométricas:
Por isso, o contra domínio da função f (x) = cos x + 3 é [2; 4]. ⋆ − 1 ≤ sen f (x) ≤ 1; ⋆ − 1 ≤ cos f (x) ≤ 1;
Opção: D ⋆ − ∞ ≤ tgx ≤ +∞

26. 
Qual das seguintes funções tem como período p = 4π e contradomínio I = [−2; 6]?
( ) ( )
A. f (x) = 2 + 3sen x B. f (x) = 2 − 4 cos x
( 2) 2( )
C. f (x) = 2 + 4tg x D. f (x) = −1 − 2cotg x
4 4
 2010. 2ª época 

8/15 121
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Resolução】
A. O período é 2π1
= 4π e o contradomínio é [−1; 5] porque: ←− O período de y = senkx é 2π .
k
( )
2 ( )
−1 ≤ sen x ≤ 1 ⇔ −3 ≤ 3sen x ≤ 3 ←− O contradomínio de y = senkx é [−1; 1], ou seja, −1 ≤
2 ( ) 2 senkx ≤ 1. Multiplica-se por 3 a todos os menbros.
⇔ −1 ≤ 2 + 3sen x ≤ 5 ⇔ −1 ≤ f (x) ≤ 5 ←− Adicona-se 2 a todos os memros.
2
B. O período é 2π1
= 4π e o contradomínio é [−2; 6] porque: ←− O período de y = cos kx é 2π .
k
(2 ) ( )
−1 ≤ cos x ≤ 1 ⇔ 4 ≥ cos x ≥ −4 ←− O contradomínio de y = cos kx é [−1; 1], ou seja,
2 ( ) 2 −1 ≤ cos kx ≤ 1. Multiplica-se por −4.
−2 ≤ 2 − 4 cos x ≤ 6 ⇔ −2 ≤ f (x) ≤ 6 ←− Adicona-se 2 a todos os memros.
2
C. O período é π = 4π e o contradomínio é R.
1
←− O periodo de y = tgkx é π e o contradomínio é R.
k
4
D. O período é π1 = 4π e o seu contradomínio é R. ←− O periodo de y = cotgkx é π e o seu contradomínio
k
4
é R.
Opção: B
27. 
Qual dos gráficos representa a função y = log2 x ?
A. B. C. D.
y y y y
4 4 4 4
3 3 3 3
2 2 2 2
1 1 1 1

−5 −4 −3 −2 −1 O 1 2 3 4 x −5 −4 −3 −2 −1 O 1 2 3 4 x −5 −4 −3 −2 −1 O 1 2 3 4 x −5 −4 −3 −2 −1 O 1 2 3 4 x
−1 −1 −1 −1
−2 −2 −2 −2
−3 −3 −3 −3
−4 −4 −4 −4
−5 −5 −5 −5

 2010. 2ª época 
【Resolução】
O gráfico da função y = log2 x é da opção B. O gráfico da ←− O gráfico de uma função y = f ( x ) obtém-se a partir
função y = log2 x é da opção A porque o gráfico da função do gráfico da função y = f (x) através da simetria em
y = log2 x obtém-se a partir do gráfico de y = log2 x através relação ao eixo dos yy, representando os pontos que
estão à direita do eixo dos yy à esquerda do mesmo
da simetria em relação ao eixo dos yy, representando os pontos
eixo.
que estão à direita do eixo dos yy à esquerda do mesmo eixo.
Opção: A
 28. 

Quais são os pontos de descontinuidade do gráfico da função f (x) = 2 x − 2 ?


x − 5x + 6
A. −3 e −2 B. −3 e 2 C. −2 e 3 D. 2 e 3
 2010. 2ª época 
【Resolução】
Como o denominador é diferente de zero, tem-se a condição:
x2 − 5x + 6 , 0 ⇔ (x − 3)(x − 2) , 0 ⇔ x , 3 ∧ x , 2 ←− Factoriza-se x2 − 5x + 6 aplicando x2 + (a + b)x + ab =
Logo, nota-se que a função não está definida para x = 2 e x = 3, (x + a)(x + b)
isto é, @ f (2) e @ f (3).
Como @ f (2) e @ f (3), não se pode dizer que lim f (2) = f (2) e ←− Diz-se que uma função f é contínua num ponto a se e
x→2
só se ∃lim f (x) e lim f (x) = f (a).
lim f (x) = f (3). x→a x→a
x→3 Diz-se que uma função f é descontínua num ponto a
Portanto x = 2 e x = 3 são os pontos de descontinuidade. se a função f não é contínua nesse ponto.
Opção: D

9/15 122
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

29. 



2x + 1, se x ≥ 4
Sabendo que a função f (x) = 
 é contínua em x = 4, qual é o valor de k?
kx − 3, se x < 4

A. 9 B. 3 C. 3 D. −9
2
 2010. 2ª época 
【Resolução】
Para que seja contínua em x = 4, é necessário que: ←− Diz-se que uma função f é contínua num ponto a se e
lim− f (x) = lim+ f (x) = f (4). só se ∃lim f (x) e lim f (x) = f (a), ou seja, lim− f (x) =
x→a x→a x→a
x→4 x→4
O limite lateral à esquerda de x = 4 é: lim+ f (x) = f (a)
x→a
lim− f (x) = lim− (kx − 3) = k · 4 − 3 = 4k − 3 ←− Quando x → 4− , issto é, x < 4, f (x) = kx − 3.
x→4 x→4
O limite lateral à direita de x = 4 é:
lim+ f (x) = lim+ (2x + 1) = 2 · 4 + 1 = 9 ←− Quando x → 4+ , issto é, x > 4, f (x) = 2x + 1.
x→4 x→4
O valor da função no ponto x = 4 é:
f (4) = 2 · 4 + 1 = 9 ←− Quando x = 4, f (x) = 2x + 1.
Como estes são iguais, tem-se:
4k − 3 = 9 ⇔ 4k = 12 ⇔ k = 3
Opção: B
30. 
( )4x
Qual é o valor de lim 1 − π ?
x→+∞ x
A. e−4π B. 1 C. e4 D. e4π
 2010. 2ª época 

【Resolução】
( )4x
lim 1 − π = [1∞ ] ←− Para levantar a indeterminação do tipo 1∞ , utiliza-se
x→+∞ x ( ) a seguinte fórmula:
π −1 ·4x
lim 1− Sejam lim f (x) = 1 e limg(x) = ∞. Então tem-se:
= ex→∞ x x→a x→a
lim [ f (x)−1]·g(x)
lim −4π lim[ f (x)]g(x) = [1∞ ] = ex→a , onde e
= ex→∞ = e−4π x→a
chama-se número de Nepper; tal que e = 2, 7183 · · ·
Opção: A
31. 

Qual é o valor de lim cos x 2− 1 ?


x→0 3x
A. − 1 B. 1 C. 1 D. 1
6 6 3
 2010. 2ª época 
【Resolução】
[ ]
(cos x − 1)(cos x + 1)
lim cos x 2− 1 = 0 = lim ←− Multiplica-se pelo conjugado cos x + 1 de cos x − 1 o
x→0 3x 0 x→0 3x2 (cos x + 1)
2x−1 numerador e o denominador.
= lim cos ←− (a − b)(a + b) = a2 − b2
x→0 3x (cos x + 1)
2

= lim 2−sen x
2

x→0 3x (cos x + 1) ←− Como sen2 x + cos2 x = 1, então cos2 x − 1 = −sen2 x


[ ( ) ]
1 senx 2 1 ( )2
= lim − · · 2
←− sen2 x = senx
x→0 3 x cos x + 1 x x
1
= − ·1 · 1 =− 1
←− Limite notável: lim senx = 1
2
3 1+1 6 x→0 x
Opção: A cos 0 = 1

10/15 123
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

32. 

Qual é o valor de lim x2 −x−6?


x→3 x3 − 27
A. 0 B. 5 C. 5 D. ∞
54 27
 2010. 2ª época 
【Resolução】
[ ]
(x − 3)(x + 2)
lim x 3− x − 6 = 0 = lim
2
←− Factoriza-se o numerador e o denominador aplicando
x→3 x − 27 0 x→3 (x − 3)(x2 + 3x + 9)
respectivamente:
= lim 2 x + 2 x2 + (a + b)x + ab = (x + a)(x + b);
x→3 x + 3x + 9 a3 − b3 = (a − b)(a2 + ab + b2 )
= 2 3+2 = 5 ←− Substitui-se x por 3.
3 +3·3+9 27
Opção: C
33. 
f (x) − f (2)
Considere a função f (x) = x2 + 3x derivável em x = 2. Qual é o valor de lim ?
x→2 x−2
A. 0 B. 3 C. 6 D. 7
 2010. 2ª época 
【Resolução】
Pela definição de derivada num ponto, tem-se: ←− Definição de derivada num ponto:
f (x) − f (2) A derivada de uma função f em x = a é dada por:
f ′ (2) = lim f (a + h) − f (a)
x→2 x−2 f ′ (a) = lim
Como f ′ (x) = 2x + 3, então f ′ (2) = 2 · 2 + 3 = 7. ou
h→0 h
f (x) − f (2) f (x) − f (a)
Por isso, tem-se: lim =7 f ′ (a) = lim
x→2 x−2 x→a x−a
Opção: D
【Outra resolução】
[ ]
f (x) − f (2)
= lim x + 3x − 10 = 0
2
lim ←− Como f (2) = 22 + 3 · 2 = 10, substitui-se f (2) por 10.
x→2 x−2 x→2 x−2 0
(x + 5)(x − 2)
= lim = lim (x + 5) = 7
x→2 x−2 x→2

34. 
Pela leitura do gráfico, qual é a solução da equação g′ (x) = 0?

A. x ∈ { } y
3
2
B. x = −1 1

−5 −4 −3 −2 −1 O 1 2 3 4 x
C. x = 0 −1
−2

D. x = 1 −3

 2010. 2ª época 
【Resolução】
Pela leitura do gráfico, a recta tan- y
3

gente ao gráfico de g em x = 0 é uma 2

função constante y = 1. 1
y=1
O
Como o declive da recta y = 1 é 0, -4 -3 -2 -1
-1
1 2 3 4 x
←− ⋆O declive de toda função constante é zero.
tem-se: g′ (0) = 0 -2 ⋆g′ (a) é igual ao declive da recta tangente ao gráfico
Logo, a solução de g′ (x) = 0 é x = 0. -3 da função y = g(x) em x = a

Opção: C

11/15 124
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

35. 
Um corpo move-se ao longo de um eixo horizontal orientado positivamente da esquerda para direita de acordo
com a equação e(t) = −t3 − 9t2 + 24t + 1. Qual é a aceleração no instante t = 1s ?
A. −24m/s2 B. −12m/s2 C. −10m/s2 D. −9m/s2
 2010. 2ª época 
【Resolução】
A velocidade do corpo no instante t é:
e′ (t) = −3t2 − 9 · 2t + 24 · 1 = −3t2 − 18t + 24 ←− Se e é a posição de um ponto P que se move horizon-
tamente na hora t e apresentado por e = f (t), então a
Logo, a aceleração do corpo no instante t é:
velocidade v e aceleração a do ponto P na hora t são
e′′ (t) = −3 · 2t − 18 · 1 = −6t − 18 respectivamente v = f ′ (t) e a = f ′′ (t).
Portanto, a aceleração do corpo no instante t = 1s é:
e′′ (1) = −6 − 18 · 1 = −24
Opção: A

Somente para a Secção de Letras

36. 
Qual é o conjunto solução da equação 2senx − 1 = 0 (0 < x < 2π)?
{ } { } { } { }
A. π B. π ; 5π C. 5π D. 7π ; 11π
6 6 6 6 6 6
 2010. 2ª época 
【Resolução】 y
1
2senx − 1 = 0 ⇔ senx = 1 y= 1 1
2 2 2 P ←− A solução da equação sen
senθ = α é o ângulo formado
Sejam P e Q os dois pon- Q 5π
π
pelo segmento OP com o eixo das abcissas no sentido
6
−1 6 1 positivo, onde P é o ponto da intersecção da recta y =
tos das intersecções da recta O x α com o círculo trigonométrico.
y = 1 com o círculo cosθ = α é o ângulo formado
A solução da equação cos
2 pelo segmento OP com o eixo das abcissas no sentido
trigonométrico. positivo, onde P é o ponto da intersecção da recta x =
−1 α com o círculo trigonométrico.
Como os ângulos procura-
dos x são os ângulos formados pelo segmento OP com o eixo
das abcissas no sentido positivo e pelo segmento OQ com o eixo
das abcissas no sentido positivo, tem-se x = π e x = 5π .
6 6
Então o conjunto solução é B.
Opção: B
37. 
Simplificando a expressão P ∩ (Q ∩ P) teremos...
A. ∅ B. P C. Q D. Universo
 2010. 2ª época 
【Resolução】
P ∩ (Q ∩ P) = P ∩ (P ∩ Q) ←− Propriedade comutativa: A ∩ B = B ∩ A
= (P ∩ P) ∩ Q ←− Propriedade associativa: A ∩ (B ∩ C) = (A ∩ B) ∩ C
=∅∩Q ←− A ∩ A = ∅ porque A e A são conjuntos disjuntos.
=∅ ←− ∅ ∩ A = ∅
Opção: A

12/15 125
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

38. 
Se M = {1; 3; 7; 19}, N = {x ∈ N : x − 5 = 2} e P = {x ∈ R : 5 < x < 8}. A que é igual (M ∩ P) ∩ N?
A. {7} B. {3; 7} C. {6; 7} D. {3; 5; 7}
 2010. 2ª época 

【Resolução】
N = {x ∈ N : x − 5 = 2} = {x ∈ N : x = 7} = {7}
A interesecção de M com P é M ∩ P = {7}. ←−
Logo, (M ∩ P) ∩ N = {7} ∩ {7} = {7}.
1 3 5 7 8 19
Opção: A
39. 
Se E = {x ∈ R : x − 1 ≥ 0} e F = [0, 5[, qual das seguintes afirmações é verdadeira?
A. E ∩ F = [1, 5] B. E \ F = [0, 1] C. E ∪ F = [1, +∞[ D. F =] − ∞, 0[∪[5, +∞[
 2010. 2ª época 
【Resolução】
E = {x ∈ R : x − 1 ≥ 0} = {x ∈ R : x ≥ 1} = [1; +∞[
Determina-se cada intervalo das opções dadas:
A. E ∩ F = [1; 5[ F ←− E interesecção com F.
B. E \ F = [5; +∞[ E ←− E menos F.
C. E ∪ F = [0; +∞[ ←− E união com F.
D. F =] − ∞; 0[∪[5; +∞[ 0 1 5 ←− Complementar do conjunto F.
Logo, a afirmação da opção D é verdadeira.
Opção: D
40. 
Numa loja onde vendem óleo e batata entram em média diária 300 clientes dos quais 120 compram batata, 150
óleo e 80 compram as duas coisas. Quantos clientes entram na loja e não compram nada?
A. 100 B. 110 C. 120 D. 130
 2010. 2ª época 
【Resolução】
Sejam:
U- Conjunto dos clientes que entram na loja
B- Conjuntos dos clientes que compram batata ←− Nota-se que:
O- Conjuntos dos clientes que compraram óleo. n(U) = 300, n(B) = 120, n(O) = 150 e n(B∩M) = 80.
Então pode-se construir o diagrama U(300) Os clientes que compram só batata são 120 − 80 = 40.
de Venn como a figura mostra. B(120) O(150) Os clientes que compraram só óleo são 150−80 = 70.
Pela figura, os clientes que entram 40 80 70
na loja e não compram nada são:
300 − (40 + 80 + 70) = 110
Opção: B

13/15 126
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

Somente para a Secção de Ciências


36. 
A distância entre os pontos P(2; −2) e Q(−1; y) é de cinco unidades. Qual é o valor de y?
A. 4 B. 3 C. 2 D. 1
 2010. 2ª época 
【Resolução】
Pela condição, tem-se PQ = 5. Por isso:

(−1 − 2)2 + [y − (−2)]2 = 5 ⇔ (−3)2 + (y + 2)2 = 52 ←− A distância entre os pontos (x1 ; y1 ) e (x2 ; y2 ) é

⇔ 9 + y2 + 4y + 4 − 25 = 0 ⇔ y2 + 4y − 12 = 0 (x2 − x1 )2 + (y2 − y1 )2 .
⇔ (y + 6)(y − 2) = 0 ⇔ y = −6 ∨ y = 2 ←− Factoriza-se y2 + 4y − 12 aplicando x2 + (a + b)x + ab =
Então, a solução é a opção C. (x + a)(x + b).
Opção: C
 37. 
A recta −x + 2y + 3 = 0 é perpendicular à recta y = mx; m ∈ R. Qual é o valor de m?
A. 0, 5 B. −0, 5 C. −1 D. −2
 2010. 2ª época 
【Resolução】
−x + 2y + 3 = 0 ⇔ 2y = x − 3 ⇔ y = 1 x − 3
2 2
1
Então, o declive da recta é .
2 ←− O declive da recta y = ax + b é a.
Como esta recta é perpendicular à recta y = mx, então é ←− Se duas rectas y = a1 x + b1 e y = a2 x + b2 são perpen-
necessário que: 1 · m = −1 ⇔ m = −2 diculares entre si, então o produto dos seus declives é
2 igual a −1, isto é, a1 · a2 = −1.
Opção: D
 38. 
Qual é a distância do ponto P(2; 5) à recta de equação 3x − 4y = 6?
A. 0 B. 1 C. 3 D. 4
 2010. 2ª época 
【Resolução】
3x − 4y = 6 ⇔ 3x − 4y − 6 = 0
Então, a distância, d, do ponto (2; 5) à recta 3x − 4y − 6 = 0 é ←− A distância, d, do ponto (x1 ; y1 ) à recta de equação
3·2−4·5−6 −20 ax1 + by1 + c
dada por: d = √ = √ = 20 = 4. ax + by + c = 0 é dada por: d = √ .
32 + (−4)2 25 5 a2 + b2
Opção: D
39. 
Qual é a inversa da função f (x) = log3 (x + 3)?
A. f −1 (x) = 3 x − 3 B. f −1 (x) = 3 x + 2 C. f −1 (x) = 3 x+1 D. f −1 (x) = 3 x−2
 2010. 2ª época 
【Resolução】
Substituindo f (x) por y, tem-se: y = log3 (x + 3).
Resolve-se y = log3 (x + 3) em ordem a x:
log3 (x + 3) = y ⇔ log3 (x + 3) = log3 3y ←− Adopta-se log3 no o segundo membro. y = log3 3y
⇔ x+3=3 y ←− Como as bases dos dois membros são iguais, iguala-
⇔ x = 3y − 3 se os logaritmandos.
Trocando as variáveis x por y e y por x, tem-se: y = 3 x − 3, que ←− A função inversa de uma função logarítmica é uma
é a função inversa pedida, f −1 (x) = 3 x − 3. função exponencial.
Opção: A

14/15 127
2010/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

40. 
Sendo f (x) = x2 − 1, para −2 ≤ x ≤ 2. Qual é o gráfico que representa g(x) = f (x − 2) + 1?
A. y B. y C. y D. y
2 4
O x
4 4 4

−4
−4 −2 O x O 2 4 x −2 O 2 x
 2010. 2ª época 

【Resolução】
Determina-se g(x):
g(x) = f (x − 2) + 1 = (x − 2)2 − 1 + 1 = (x − 2)2 ←− Calcula-se f (x − 2) substituindo x por x − 2 em f (x) =
Então, o gráfico da função g(x) = (x − 2)2 = (x − 2)2 + 0 x2 − 1.
tem o vertice (2; 0) e a concavidade virada para cima porque o
coeficiente de x2 é positivo. ←− O gráfico de uma função quadrática, y = a(x − p)2 + q,
Por isso, conclui-se que o gráfico da função g(x) é da opção C. é uma parábola e tem o vértice ( p; q). Se a > 0 a
Opção: C parábola tem a concavidade virada para cima e se a <
0, a parábola tem a concavidade virada para baixo.
【Outra resolução】
O gráfico de g(x) = f (x − 2) + 1 obtém-se a partir do gráfico de ←− O gráfico de y = f (x − p) + q obtém-se a partir do
f (x) através da translação de 2 unidades para direita e 1 unidade gráfico de y = f (x) através de uma translação de p
para cima. unidades para direita e q unidades para cima.

Como o ponto do vértice de f (x) = x2 − 1 é (0; −1), o ponto do y


vértice de g(x) = f (x − 2) + 1 é (0 + 2; −1 + 1) = (2; 0). f (x) = x − 1
2 g(x) = f (x − 2) + 1
Como o gráfico de f (x) tem a concavidade virada para cima, 4
então o gráfico de g(x) também tem a concavidade virada para 3
cima.
Como o domínio de f (x) é [−2; 2], o domínio de g(x) é:
2
[−2 + 2; 2 + 2] = [0; 4] O
−2 +1 4 x
Por isso, conclui-se que o gráfico da função g(x) é da opção C.
−1 +2

FIM

15/15 128
República de Moçambique
Matemática Ministério da Educação Exame Extraordinário
12ª Classe / 2009 Conselho Nacional de Exames, Certificação e Equivalências 120 Minutos
Esta prova contém 40 perguntas com 4 alternativas de resposta para cada uma. Escolha a alternativa correcta e
RISQUE a letra correspondente na sua folha de respostas.
1. 
Sabendo que o valor do produto escalar entre os vectores ⃗a = (2; k) e ⃗b = (1; 4) é igual a 18, qual é o valor de
k?
A. 1 B. 2 C. 3 D. 4
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se: ⃗a · ⃗b = 2 · 1 + k · 4 = 2 + 4k ←− Produto de dois vectores:
Como ⃗a · ⃗b = 18, tem-se: Sejam ⃗a = (a1 , a2 ) e ⃗b = (b1 , b2 ). Então:
2 + 4k = 18 ⇔ 4k = 16 ⇔ k = 4 ⃗a · ⃗b = a1 b1 + a2 b2
Opção: D
2. 
Quais são as coordenadas do ponto médio do segmento cujas extremidades são (2; 7) e (8; 5)?
A. (2; 3) B. (3; 4) C. (5; 6) D. (6; 5)
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
As coordenadas do ponto(médio do segmento ) cujas extremi- ←− Ponto médio de segmento:
dades são (2; 7) e (8; 5) é: 2 + 8 ; 7 + 5 = (5; 6)
Sejam A(x1 ; y1 ) e B(x2 ; y2 ). Então o ponto médio do
( )
2 2 x + x2 y1 + y2
segmento AB é: 1 ;
Opção: C 2 2
3. 
Qual é a equação da recta que passa pelo ponto (−2; 5) paralelamente à recta de equação x − 2y − 12 = 0?
A. −x + 2y − 12 = 0 B. x + 2y − 12 = 0 C. 2x + y − 1 = 0 D. −2x + y + 1 = 0
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Seja l a recta procurada.
x − 2y − 12 = 0 ⇔ −2y = −x + 12 ⇔ y = 1 x − 6
2
1
Logo, o declive da recta y = x − 6 é . 1
←− O declive da recta dada por y = ax + b é a.
2 2
Como a recta l é paralela à recta y = 1 x − 6, o declive da recta ←− Se m1 e m2 são declives das duas rectas perpendicu-
2 lares, então tem-se: m1 · m2 = −1
l também é . 1
Se m1 e m2 são declives das rectas paralelas, então
2 tem-se: m1 = m2
Então, a equação da recta l é dada por:
y − 5 = 1 [x − (−2)] ⇔ 2y − 10 = x + 2 ⇔ −x + 2y − 12 = 0 ←− A equação da recta que passa por (x1 ; y1 ) e tem de-
2 clive m é dada por y − y1 = m(x − x1 )
Opção: A
4. 
Qual é a expressão equivalente a M ∩ (M ∪ N)?
A. M ∩ N B. M ∩ N C. M ∪ N D. M ∪ N
 2009. Extraordinário 

1/13 129
2009/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
M∩M
M ∩ (M ∪ N) = (M M) ∪ (M ∩ N) ←− Lei distributiva: A ∩ (B ∪ C) = (A ∩ B) ∪ (A ∩ C);
A ∪ (B ∩ C) = (A ∪ B) ∩ (A ∪ C)
= ∅ ∪ (M ∩ N) ←− A intersecção de qualquer conjunto A com o seu com-
plementar A é o conjunto vazio, isto é, A ∩ A = ∅.
= M∩N ←− A reunião de qualquer conjunto A com o conjunto
Opção: B vazio é sempre o próprio conjunto A, isto é, ∅∪A = A.
5. 
Numa turma de 50 alunos, 25 gostam de Matemática e 27 de Física. Se 8 alunos gostam das duas disciplinas,
quantos NÃo gostam de nenhuma das disciplinas acima referidas?
A. 19 B. 17 C. 6 D. 2
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Sejam:
U- Conjunto de todos os alunos da turma; ←− Nota-se que:
M- Conjunto dos alunos que gostam de Matemática; n(U) = 50, n(M) = 25, n(F) = 27 e n(M ∩ N) = 8
F - Conjunto dos alunos que gostam de Física.
Então constroi-se o diagramma como a U(50) ←− Os alunos que gostam somente de Matemátiaca são:
figura mostra. F(27) 25 − 8 = 17
M(25) Os alunos que gostam somente de Física são: 27−8 =
A partir do diagramma, os alunos que 17 8 19 19
não gostam de nenhuma das disciplinas
são:
50 − (17 + 8 + 19) = 50 − 44 = 6
Opção: C
 6. 
Qual é a solução da equação 5 x + 5 x+1 = 30?
A. x = 1 B. x = 2 C. x = 3 D. x = 4
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
5 x + 5 x+1 = 30 ⇔ 5 x + 5 x · 5 = 30 ←− 5 x+1 = 5 x · 51 = 5 x · 5 aplicando am+n = am · an
⇔ 5 x (1 + 5) = 30 ⇔ 6 · 5 x = 30 ←− Coloca-se o factor comun 5 x em evidência.
⇔5 =5⇔5 =5 ⇔x=1
x x 1 ←− am = an ⇔ m = n
Opção: A
 7. 

Qual é a solução da equação 3 − 2x = 2?
A. − 7 B. − 1 C. − 1 D. − 1
2 2 4 5
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Antes da resolução, apresenta-se a condição:
3 − 2x ≥ 0 ⇔ −2x ≥ −3 ⇔ x ≤ 3 ←− Como o índice 2 é par, o radicando é maior igual a
√ 2 zero. √
Resolve-se a equação 3 − 2x = 2: Expressão algébrica irracional n x:
Elevando ambos os membros da equação ao quadrado, tem-se: • Se o índice n é par, então x ≥ 0
• Se o índice n é ímpar, então x ∈ R
3 − 2x = 4 ⇔ −2x = 1 ⇔ x = − 1 ←− Como x = − 1 < 3 , satisfaz a condição x ≤ 3 .
2 2 2 2
Opção: B
 8. 
Ao dividir um polinómio p(x) por x2 + 1 obtém-se como quociente 2x − 1 e resto x + 1. Qual é o polinómio
p(x)?
A. −2x3 − x2 + 3x B. −2x3 − x2 − 3x C. 2x3 − x2 − 3x D. 2x3 − x2 + 3x
 2009. Extraordinário 

2/13 130
2009/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
Como o quociente e o resto da divisão de p(x) por x2 + 1 são
respectivamente 2x − 1 e x + 1, tem-se:
p(x) = (x2 + 1) · (2x − 1) + (x + 1) ←− Se o quociente e o resto da divisão de um polinómio
= 2x3 − x2 + 2x − 1 + x + 1 = 2x3 − x2 + 3x p(x) por d(x) forem respectivamente q(x) e r(x), então
Opção: D tem-se: p(x) = d(x) · q(x) + r(x)
 9. 


2 x = 4

A solução do sistema   é...
x + y = 2
A. (0; 3) B. (2; 0) C. (3; 0) D. (2; 2)
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Resolvendo a primeira equação, tem-se: 2 x = 22 ⇔ x = 2 ←− Iguala-se os expoentes porque as bases dos dois mem-
Substituindo x por 2 na segunda equação, tem-se: bros da equação são iguais, isto é, am = an ⇔ m = n.
2 + y = 2 ⇔ y = 0.
Opção: B
10. 
Observa a tabela:
Valor de x 1 2 3 4 5
Frequência de x 1 2 3 4 5
Qual é o valor da mediana de x?
A. 2 B. 3 C. 4 D. 5
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
O número de dados é: 1 + 2 + 3 + 4 + 5 = 15 ←− Soma da frequência
Como o número de dados é ímpar, a mediana será o valor cen- ←− Mediana é o valor que ocupa a posição central de um
tral. conjunto de dados ordenados.
1| 2 2 {z
3 3 3 }
4 4 4| 4 5 {z 5 5 5 5} Para determinar a mediana é preciso ordenar os da-
dos. Se o número de dados é ímpar, então a mediana
7 dados 7 dados
é o valor que ocupa a posição central dos dados orde-
Logo, a mediana é 4. nados. Se o número de dados é par, então a mediana
Opção: C é a média aritmética dos dois valores que ocupam a
posição central dos dados ordenados.
11. 

Sendo cos x = − 1 , com x ∈ 3◦ quadrante, qual é o valor de senx?


√ 3 √ √ √
3 2 2 2 3 2 2 2
A. − B. C. D. −
2 3 2 3
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Na fórmula fundamental de trigonometria sen2 x + cos2 x = 1, ←− <Relações trigonométricas do mesmo ângulo>
1. sen2 θ + cos2 θ = 1 2. tgθ = senθ
substituindo cos x por − 1 , tem-se: cos θ
3 √ 3. 1 + tg2 θ = 12
( )2 cos θ
2 2
sen2 x + − 1 = 1 ⇔ sen2 x = 8 ⇔ senx = ± <Sinal das razões trigonométricas>
3 9 3
α 1◦ Q 2◦ Q 3◦ Q 4◦ Q
Como x ∈ 3◦ quadrante, então senx < 0. ←−
√ senα + + - -
2 2 α + +
Logo, senx = − cos - -
3 tgα + - + -
Opção: D cotgα + - + -

3/13 131
2009/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

12. 

Qual é a solução da equação sen(x + π) = 1 ; x ∈ [0; 2π]?


2
A. − 5π B. − π C. − 2π D. − π
6 2 3 3
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Com a condição x ∈ [0; 2π], não há nenhuma opção correcta. ←− Os valores de x das opções dadas não pertencem ao
Se não tivesse a condição, a resolução seria: intervalo [0; 2π].
Substitui-se x por cada valor das opções dadas na equação:
( ) ( )
A. sen − 5π + π = sen π = 1 ←− Como sen − 5π + π = 1 , então − 5π é a solução
( 6 ) 6 2 6 2 6
π
B. sen − + π = sen = 1 , 1π da equação sen(x + π) = 1
2 2 √ 2 2
( )
C. sen − 2π = sen π =
3
, 1
3 3 2
√ 2
( )
D. sen − π = sen 2π =
3
, 1
3 3 2 2
Por isso, sem condição a solução seria a opção A.
Opção: A
【Outra resolução】
Como sen(x + π) = −senx, a equação fica: ←− sen(x + π) = −senx; cos(x + π) = − cos x
tg(x + π) = tgx; cotg(x + π) = cotgx
sen(x + π) = 1 ⇔ −senx = 1 ⇔ senx = − 1
2 2 2
1
Resolve-se a equação senx = − ; x ∈ [0; 2π].
2 ←− A solução da equação cos
cosθ = α é o ângulo formado
Sejam P e Q os dois pontos das intersecções da recta y = − 1 pelo segmento OP com o eixo das abcissas no sentido
2 positivo, onde P é o ponto da intersecção da recta x =
com o círculo trigonométrico. y α com o círculo trigonométrico.
1 senθ = α é o ângulo dado pelo
A solução da equação sen
Como os ângulos procurados x
segmento OP, onde P é a intersecção da recta y = α
são os ângulos formados pelo com o círculo trigonométrico.

7
segmento OP com o eixo das
−1 O 1
abcissas no sentido positivo e x

pelo segmento OQ com o eixo 11

das abcissas no sentido posi- P − 12 Q


tivo, tem-se:
−1
x = 7 π e x = 11 π
6 6
13. 
Em R, a solução da equação 3x − 1 = −2 é...
{ } { }
A. − 1 B. { } C. {1} D. 1
3 3
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Como 3x − 1 ≥ 0, então a equação 3x − 1 = −2 não é pos- ←− O módulo de qualquer número é sempre maior ou
sível em R. igual a zero, isto é, ∀x ∈ R, x ≥ 0.
Logo, a solução da equação é o conjunto vazio.
Opção: B
14. 

Qual é a solução da inequação 2x + 1 ≤ 3 ?


4
A. 1 ≤x≤ 7 B. − ≤ x ≤ 1
7 C. − 7 ≤ x ≤ − 1 D. − 1 ≤ x ≤ 7
8 8 8 8 8 8 8 8
 2009. Extraordinário 

4/13 132
2009/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
2x + 1 ≤ 3 ⇔ 2x + 1 ≤ 3 ∨ 2x + 1 ≥ − 3 ←− Inequações módulares:
4 4 4 ⋆ x < a ⇔ x < a ∧ x > −a
⇔ 2x ≤ 3 3
− 1 ∨ 2x ≥ − − 1 ⋆ x > a ⇔ x > a ∨ x < −a
4 4
⇔ 2x ≤ − 1 ∨ 2x ≥ − 7
4 4 x≤−1
⇔x≤− 1 ∨ x≥− 7 8
8 8 x≥−7
8
7
⇔− ≤x≤− 1
8 8 ←−
Opção: C −7 −1
8 8
15. 
Qual é o gráfico da função y = x − 1 ?
A. B. C. D.
y y y y
4 4 4 4

3 3 3 3

2 2 2 2

1 1 1 1

-4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x -4 -3 -2 -1 O 1 2 3 4 x
-1 -1 -1 -1

-2 -2 -2 -2

-3 -3 -3 -3

-4 -4 -4 -4

 2009. Extraordinário 
【Resolução】
O gráfico de y = x − 1 obtém-se a partir do gráfico y = x ←− O gráfico da função y = f (x − p) + q obtém-se a partir
através da translação de 1 unidade para direita. do gráfico da função y = f (x) através da translação de
Então, a solução é da opção A. p unidades para direita e q unidades para cima.
Opção: A O gráfico da função y = x é:
【Outra resolução】 y
y= x −1
Substituindo x = 1 em y = x − 1 , tem-se y = 1 − 1 = 0.
Portanto o gráfico da função passa pelo ponto (1; 0).
De igual modo, nota-se que passa pelo ponto (0; 1). y= x 1
Verifica-se que só o gráfico da opção A passa pelos pontos O 1 x
(1; 0) e (0, 1).
Então, a opção correcta é A.
16. 
) (
Qual é o período da função m(x) = sen x ?
2
A. π B. 2π C. 3π D. 4π
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
( ) ←− Períodos das funções trigonométricas:
Como o coeficiente de x de sen x é 1 , então o período da ⋆ Os períodos de y = senkx e y = cos kx são 2π .
2 2 k
função m(x) é: 2π = 2π = 4π. ⋆ O período de y = tgkx é π .
1 1 k
2 2
Opção: D
 17. 

Na função f (x) = 2x + 2 qual é a equação da assímptota horizontal?


x+3
A. y = 2 B. y = 3 C. x = 2 D. x = 3
 2009. Extraordinário 

5/13 133
2009/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】 Uma função do tipo f (x) = ax + b é homográfica cujas


cx + d
A função f (x) = 2x + 2 = 2 · x + 2 é homográfica. assímptotas vertical e horizontal são dadas pelas seguintes
x+3 1·x+3 equações:
Então a equação da assímptota horizontal é y = 2 = 2. ⋆AV : x = − d (← Zero do denominador)
1 c
⋆AH : y = a (← Quociente dos coeficientes de x)
Opção: A c
18. 
Se o ponto (2; 4) pertence ao gráfico da função y = f (x), quais são as coordenadas de um ponto do gráfico da
função g(x) = 2 f (x − 3) + 1?
A. (2; 6) B. (3; 7) C. (4; 8) D. (5; 9)
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Como o ponto (2; 4) pertence ao gráfico da função y = f (x), ←− Se o ponto (x1 ; y1 ) pentence ao gráfico de uma função
tem-se: f (2) = 4 y = f (x), então tem-se: f (x1 ) = y1
Logo, tem-se: g(5) = 2 f (5 − 3) + 1 = 2 ←− Substitui-se x por 5 em g(x) = 2 f (x − 3) + 1.
= f (2) + 1
=2·4+1=9 ←− f (2) = 4
Como g(5) = 9, então (5; 9) é um ponto do gráfico de g(x).
Opção: D
19. 
Seja f (x) = x2 uma função definida no intervalo [−2; 2]. Qual é o contradomínio da função g(x) = 2 f (x) + 3?
A. [−1; 7] B. [−4; 6] C. [3; 11] D. ]3; 11[
 2009. Extraordinário 
【Resolução】 y
Pela leitura da figura, o contradomínio da 4 ←− As coordenadas do vértice da função f (x) = x2 são
função f (x) = x em [−2; 2] é [0; 4].
2 (0; 0) porque f (x) = x2 = (x − 0)2 + 0.
Em seguida, determina-se o con-
tradomínio de g(x):
0 ≤ f (x) ≤ 4 ⇔ 0 ≤ 2 f (x) ≤ 8 −2 O 2 x ←− Multiplica-se por 2 todos os membros da inequação.
⇔ 3 ≤ 2 f (x) + 3 ≤ 11 ⇔ 3 ≤ g(x) ≤ 11 ←− Adiciona-se 3 a todos os membros da inequação.
Por isso, o contradomínio de g(x) é [3; 11].
Opção: C
20. 
Qual é a inversa da função f (x) = log3 (x + 2)?
A. f −1 (x) = 3 x+2 B. f −1 (x) = 3 x − 2 C. f −1 (x) = 3 x−2 D. f −1 (x) = 3 x
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Substituindo f (x) por y, tem-se: y = log3 (x + 2).
Resolve-se y = log3 (x + 2) em ordem a x:
log3 (x + 2) = y ⇔ log3 (x + 2) = log3 3y ←− Adopta-se log3 no segundo membro. y = log3 3y
⇔ x+2=3 y ←− Como as bases dos dois membros são iguais, iguala-
⇔ x=3 −2y se os logaritmandos.
Trocando as variáveis x por y e y por x, tem-se y = 3 − 2, que ←− Como a função dada é logarítmica, a sua inversa será
x

é a função inversa pedida, f −1 (x) = 3 x − 2. uma função exponencial.


Opção: B
21. 
Dadas as funções k(x) = x2 + 1 e g(x) = x − 2, sendo [kog](x) = 1, qual é o valor de x?
A. 0 B. 1 C. 2 D. 3
 2009. Extraordinário 

6/13 134
2009/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

【Resolução】
Calcula-se [kog](x):
[kog](x) = k( g(x)) ←− Função composta: (kog)(x) = k(g(x))
= k(x − 2) = (x − 2)2 + 1 = x2 − 4x + 5 ←− Para se obter k(x−2) substitui-se x por x−2 em k(x) =
Como [kog](x) = 1, tem-se: x2 + 1.
x2 − 4x + 5 = 1 ⇔ x2 − 4x + 4 = 0
⇔ (x − 2)2 = 0 ⇔ x = 2 ←− Factoriza-se x2 − 4x + 4 aplicando a2 ± 2ab + b2 =
Opção: C (a ± b)2 .
22. 
Das sucessões seguintes qual é infinitamente pequena?
A. 0; 1 ; 2 ; . . . B. 1; 1 ; 1 ; . . . C. 1 ; 2 ; 3 ; . . . D. 2; 3 ; 4 ; . . .
2 3 2 3 2 3 4 2 3
 2009. Extraordinário 

【Resolução】
Calcula-se o limite de cada sucessões das opções dadas.
A. O termo geral é n − 1 . Logo lim n − 1 = 1 = 1 ←− Se o numerador e o denominador de uma expressão
n n→∞ n 1 algébrica racional fraccionária têm o mesmo grau, en-
B. O termo geral é n . Logo lim n = 1 =1 tão o limite da expressão quando x → ∞ é igual ao
n+1 n→∞ n + 1 1 quociente dos coeficientes dos termos de maior grau,
C. O termo geral é 1 . Logo lim 1 = 0 a xn + b1 xn−1 + c1 xn−2 + · · ·
isto é: lim 1 n
a
= 1
n n→∞ n x→∞ a2 x + b2 xn−1 + c2 xn−2 + · · · a2
D. O termo geral é n + 1 . Logo lim n + 1 = 1 = 1
n n→∞ n 1
Como o limite da sucessão da opção C é 0, então conclui-se que ←− Diz-se que uma sucessão an é infinitamente pequena
a sucessão de C é infinitamente pequena. se lim an = 0. Diz-se que uma sucessão an é infinita-
n→∞
Opção: C mente grande se lim an = ∞ ou −∞ −∞.
 
x→∞
23.
Se o Aldeir corre na primeira semana 5km, qual será a distância percorrida até a décima semana se por semana
aumenta 3km?
A. 32km B. 35km C. 175km D. 185km
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
A distância percorrida pelo Aldeir representa-se pela seguinte
sucessão: 5; 8; 11; 14; . . . ←− 5, 8, 5, 11, 14, . . .
Esta sucessão é uma PA porque a diferença entre dois termos +3 +3 +3 +3 +3
consecutivos é constante 3.
Logo, o termo geral da sucessão é: ←− O termo geral de uma PA cuja a diferença é d é dado
an = a1 + (n − 1)d ⇔ an = 5 + (n − 1)3 = 3n + 2 por: an = a1 + (n − 1)d
Deseja-se a soma dos 10 primeiros termos, isto é: ←− A soma dos n primeiros termos de uma PA cuja difer-
10[2 · 5 + (10 − 1)3] 10 · 37 ença é d é dada por:
S 10 = = = 185 n[2a1 + (n − 1)d] n(a1 + an )
2 2 Sn = ou S n = .
Opção: D 2 2
 24. 
Numa progressão geométrica com a1 = 3 e q = 2. Qual é a ordem do termo 192?
A. 7 B. 6 C. 5 D. 4
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
O termo geral de uma PG em que a1 = 3 e q = 2 é: an = 3 · 2n−1 ←− O termo geral de uma PG é dado por: an = a1 · qn−1
Resolve-se a equação an = 192:
an = 192 ⇔ 3 · 2n−1 = 192 ⇔ 2n−1 = 64 ⇔ 2n−1 = 26 ←− 64 = 26
⇔n−1=6⇔n=7 ←− am = an ⇔ m = n
Opção: A

7/13 135
2009/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

25. 

x2 + 3x
Qual é o valor de lim ?
x→−∞ x √
A. −∞ B. −1 C. 1 D. 3
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
√ ( ) √ √
√ x 2 1+ 3 x 2 · 1+ 3 ( )
x2 + 3x x x
←− x2 + 3x = x2 1 + 3
lim = lim = lim x
x→−∞ x x→−∞
√x x→−∞ x
−x 1 + x3 √ 
√ 

 x se x ≥ 0
= lim = lim − 1 + 3 ←− Sabe-se x2 = x =

−x se x < 0
.
x→−∞ x x→−∞ x
√ √
= − 1 = −1 Quando x → −∞, como x < 0, então x2 = −x.
Opção: B
26. 

Qual é o valor do lim sen5x ?


x→0 2x

A. 2 B. 2 C. 5 D. 5
5 2
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
lim sen5x = lim sen5x · 5x = 1 · 5 = 5 ←− Limite notável: lim senx = 1
x→0 2x x→0 5x 2x 2 2 x→0 x
Opção: C
【Outra resolução】
α
Como lim senα x = α , então lim sen5x = 5 ←− ⋆lim senαx = α ; ⋆lim senαx = α
x→0 β x β x→0 2x 2 x→0 βx β x→0 senβx β

27. 

Qual é o valor de lim √3x − 1 ?


x→1 x−1
A. 0 B. 1 C. 2 D. 3
 2009. Extraordinário 
【Resolução】

x − 1 ( 3 x)3 − 13 √ √
lim √ = lim √3 ←− x = ( 3 x)3 porque a = ( n a)n
x→1 3 x − 1 x→1 x−1
√ √ √
( 3 x − 1)[( 3 x)2 + 3 x + 1]
= lim √3 ←− a3 − b3 = (a − b)(a2 + ab + b2 )
x→1 x−1
√3 √3
= lim ( x + x + 1) = 1 + 1 + 1 = 3
2
←− Subsitui-se x por 1.
x→1
Opção: D
【Outra resolução】
Seja x = t3 , se x → 0 então t → 0. ←− Encontra-se o mínimo múltiplo comum (m.m.c) dos
Logo, o limite dado fica: índices dos radicais: m.m.c(3, 1) = 3

lim √3t − 1 = lim t − 1


3 3 √n
←− an = a
t→1 t3 − 1 x→1 t − 1
(t − 1)(t2 + t + 1)
= lim ←− a3 − b3 = (a − b)(a2 + ab + b2 )
x→1 t−1
= lim (t2 + t + 1) = 1 + 1 + 1 = 3 ←− Substitui-se t por 1.
x→1

8/13 136
2009/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

28. 
De uma função f sabe-se que: domínio de f é R+ ; lim f (x) = 0; lim f (x) = −∞. Qual dos gráficos poderá
x→+∞ x→0
ser de f (x)?
A. y B. y C. y D. y

O x O x O x O x

 ⋆2009. Extraordinário 
【Resolução】
Determina-se o domínio, lim f (x) e lim f (x) de cada função
x→+∞ x→0
dos gráficos das opções dadas:
A. D f = R+ ; lim f (x) = 0; @lim f (x) ←− Como o gráfico coloca-se à direita do eixo das orde-
x→+∞ x→0 nadas, D f = R+ . Como quando x → +∞, f (x) tende
B. D f =]0; k[, onde k ∈ R+ ; @ lim f (x); @lim f (x) para 0, lim = 0.
x→+∞
x→+∞ x→0
Como @ lim− f (x), então @lim f (x).
x→0 x→0
C. D f = R \ {0}; lim f (x) = 0; lim f (x) = −∞ ←− Como a recta x = 0 é uma AV, então D f = R \ {0}.
x→+∞ x→0 Como quando x → +∞, f (x) se aproxima de 0,
D. D f = R+ ; lim f (x) = 0; @lim f (x) lim f (x) = 0.
x→+∞
x→+∞ x→0
Como lim− f (x) = lim+ f (x) = −∞, lim f (x) = −∞.
Por isso, não há nenhuma solução correcta. x→0 x→0 x→0

Opção: Nenhuma
Observação:
Para que haja solução, é necessário que a última condição dada
lim f (x) = −∞ passe para lim+ f (x) = −∞.
x→0 x→0
A solução seria a opção A.
Ou:
A primeira condição dada o domínio de f é R+ passe para o
domínio de f é R \ {0}. A solução seria a opção C.
29. 



 x2 se x < 0



Os valores de p e q para que a função f (x) = 
 px + q se 0 ≤ x < 1 seja contínua em R são respectivamente...



2 se x ≥ 1
A. 0 e 1 B. 2 e 0 C. 1 e 2 D. 2 e 1
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Para que a função f (x) seja contínua em R, é necessário que ←− Pela leitura da definição de f (x), nota-se que o gráfico
seja contínua em x = 0 e x = 1. de f (x) muda-se em x = 0 e x = 1.
Então, para que f seja contínua em x = 0, é necessário que: ←− f (x) é contínua no ponto de abcissa x = a
lim− f (x) = lim+ f (x) = f (0) ⇐⇒ ∃lim f (x) e lim = f (a)
x→a x→a
x→0 x→0
E para que seja contínua em x = 1, também é necessário que: ⇐⇒ lim− f (x) = lim+ f (x) = f (a)
x→a x→a
lim− f (x) = lim+ f (x) = f (1)
x→1 x→1
Em x = 0, tem-se:
O limite lateral à esqurerda de x = 0 é: lim− f (x) = 02 = 0 ←− Quando x → 0− , isto é, x < 0, f (x) = x2 .
x→0
O limite lateral à direita x = 0 é: lim+ f (x) = p · 0 + q = q ←− Quando x → 0+ , isto é, 0 < x < 1, f (x) = px + q.
x→0
O valor da função no ponto x = 0 é: f (0) = p · 0 + q = q ←− Quando x = 0, f (x) = px + q.
Como estes devem ser iguais, tem-se: q = 0.

9/13 137
2009/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

Em x = 1, tem-se:
O limite lateral à esqurerda de x = 1 é:
lim− f (x) = p · 1 + q = p + q = p + 0 = p ←− Quando x → 1− , isto é, 0 < x < 1, f (x) = px + 1.
x→1
O limite lateral à direita de x = 1 é: lim+ f (x) = 2 ←− Quando x → 1+ , isto é, x > 1, f (x) = 2.
x→1
O valor da função no ponto x = 0 é: f (1) = 2 ←− Quando x = 1, f (x) = 2.
Como estes são iguais, tem-se: p = 2
Por isso, p e q são respectivamente 2 e 0.
Opção: B
30. 
A figura representa o gráfico de uma função y = f (x). Com base na figura podemos concluir que...

A. existe lim f (x) y


x→1
B. lim− f (x) = 3 3
x→1
2
C. lim+ f (x) = 1
x→1
−1
D. não existe lim f (x) O x
x→1 1
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Pela leitura da figura, tem-se: ←− Quando x se aproxima de 1 pela esquerda, f (x)
aproxima-se de 2, isto é: lim− f (x) = 2.
lim f (x) = 2 e lim+ f (x) = 3 x→1
x→1− x→1 Quando x se aproxima de 1 pela direita, f (x)
Como os limites laterais em x = 1 são diferentes, então conclui- aproxima-se de 3, isto é: lim+ f (x) = 3
x→1
se que não existe lim f (x). ←− lim− f (x) = lim+ f (x) = α ⇐⇒ lim f (x) = α
x→1 x→a x→a x→a
Então, a opção correcta é D. lim− f (x) , lim+ f (x) ⇐⇒ @lim f (x)
x→a x→a x→1
Opção: D
 31. 
Considerando a figura do exercício n◦ 30, qual é o valor de f ′ (0)?
A. 1 B. 2 C. 3 D. 4
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
f ′ (0) é igual ao declive da recta tangente ao gráfico de f (x) em ←− f ′ (a) é igual ao declive da recta tangente ao gráfico de
x = 0. Logo, determina-se o declive da recta tangente em x = 0. f (x) em x = a.
A recta tangente em qualquer ponto no intervalo x < 1 coincide ←− A recta tangente ao gráfico da função do primeiro
com o gráfico da função f (x) à esquerda de x = 1. grau em qualquer ponto coincide com esse gráfico.
Pela leitura da figura, como o gráfico de f à esquerda de x = 1
passa por (−1; 0) e (1; 2),
então o seu declive é dado por: 2−0 =1
←− O declive da recta que passa pelos dois pontos (x1 ; y1 )
1 − (−1) y2 − y1

Por isso, f (0) = 1. e (x2 ; y2 ) é dado por .
x2 − x1
Opção: A
 32. 
Qual é a derivada da função f (x) = tgx?
A. cotgx B. 1 C. 1 D. 1
sen2 x cos2 x cotg2 x
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
f ′ (x) = 1 ←− (senx)′ = cos x; (cos x)′ = −senx;
cos2 x 1 ; (cotgx)′ = − 1
Opção: C (tgx)′ =
cos2 x sen2 x

10/13 138
2009/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

33. 
Qual é a derivada da função h(x) = · ex xe ?
( ) ( ) ( ) ( )
A. e x xe 1 − x B. e x xe 1 − e C. e x xe 1 + x D. e x xe 1 + e
e x e x
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
h′ (x) = (e x · xe )′ = (e x )′ · xe + e x · (xe )′ ←− [ f (x) · g(x)]′ = f ′ (x)g(x) + f (x)g′ (x)
= e x · xe + e x · exe−1 ←− (e x )′ = e x ;
(xe )′ = exe−1 porque (xn )′ = nxn−1 , ∀n ∈ R
= e x xe + e x · e · xe · x−1 ←− xe−1 = xe · x−1 porque am+n = am · an
= e x xe + e x xe · e ←− a−n = 1n ; Caso especial: a−1 = 1
( )x a a
=e x 1+
x e e
←− Coloca-se em evidência o factor comun e x xe .
x
Opção: D
34. 
Qual é o declive da recta tangente ao gráfico da função g(x) = x2 − 2x no ponto de abcissa x = 2?
A. 0 B. 1 C. 2 D. 3
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se: g′ (x) = 2x − 2 ←− (x2 )′ = 2x; (2x)′ = 2
Logo, o declive da tangente ao gráfico de g(x) em x = 2 é: ←− O declive da recta tangente ao gráfico da função f (x)
g′ (2) = 2 · 2 − 2 = 2 em x = a é igual a f ′ (a).
Opção: C
35. 
Qual é a altura máxima, em metros, que um objecto lançado verticalmente para cima segundo a equação
h(t) = 12t − 3t2 atinge?
A. 6m B. 12m C. 18m D. 24m
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Deseja-se o máximo da função y
quadrática h(t) = 12t − 3t .
2 12
Como t representa o tempo, deve ser
maior ou igual a zero.
Então, o dominio é: t ≥ 0 O 2 t
h(t) = −3t2 + 12t = −3(t2 − 4t) ( )2 ( )2
= −3[(t−2)2 −22 ] = −3(t−2)2 +12 ←− Quadrado pergfetio; x2 + ax = x + a − a
2 2
Logo, o gráfico representa-se como a figura mostra e tem a ←− O vértice do gráfico da função quadrática y = a(x −
concavidade virada para baixo e o vértice (2; 12), sendo 12 o p)2 + q é (p; q). Se a > 0, então o gráfico tem a
valor máximo da função. concavidade virada para cima e se a > 0, tem a con-
cavidade virada para baixo.
Por isso, a altura máxima é 12m.
Opção: B
【Outra resolução】
Calcula-se: h′ (t) = 12 − 3 · 2t = 12 − 6t
Resolvendo h′ (t) = 0, tem-se: 12 − 6t = 0 ⇔ t = 2
Constroi-se a tabela de monotonia e extremos:
t 0 ··· 2 ··· ←− Diz-se que a função f (x) tem para x = a um extremo
h′ (t) + 0 − máximo se f (a) = 0 e f ′ (x) passa em x = a de posi-
h(t) ↗ Máx ↘ tiva a negativa.
Diz-se que a função f (x) tem para x = a um extremo
A partir da tabela, o máximo da função h(t) é: mínimo se f (a) = 0 e f ′ (x) passa em x = a de nega-
h(2) = 12 · 2 − 3 · 22 = 12 tiva a positiva.

11/13 139
2009/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

36. 
Em qual dos intervalos a função f (x) = − 3x é decrescente?
x3
A. ] − 1; 1[ B. ] − ∞; −1[ C. ] − 1; 2[ D. ]1; +∞[
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Calcula-se: f ′ (x) = 3x2 − 3 · 1 = 3x2 − 3 ←− (x3 − 3x)′ = 3x2 − 3
Para que f (x) seja decrescente num intervalo, é necessário que ←− Se f ′ (x) > 0, f (x) é crescente.
f ′ (x) < 0 nesse intervalo. Se f ′ (x) < 0, então f (x) é decrescente.
Resolve-se a inequação f (x) < 0: ′
y = (x − 1)(x + 1)
3x2 − 3 < 0 ⇔ x2 − 1 < 0 ⇔ (x − 1)(x + 1) < 0
⇔ −1 < x < 1 ←−
Por isso, conclui-se que f (x) é decrescente em ] − 1; 1[. −1 1 x
Opção: A
【Outra resolução】
O gráfico da função y = x3 − 3x representa-se:
Calcula-se os zeros de f ′ (x): y
3x2 − 3 = 0 ⇔ x2 − 1 = 0 ⇔ (x − 1)(x + 1) = 0 ⇔ x = ± 2 f (x) = x3 − 3x
Constroi-se a tabela de monotonia e extremos:
x ··· −1 ··· 1 ··· 1
′ −1 O x
f (x) + 0 − 0 +
f (x) ↗ Máx ↘ Mín ↗ −2
A partir da tabela, couclui-se que f (x) é decrescente em ]−1; 1[.
 37. 
2
O senhor Victor pretende comprar rede para vedar uma machamba rectangular de 200m , situada ao longo de
um rio. Não sendo necessário vedar o lado do rio e desejando que o perímetro da vedação seja mínimo, qual é
a quantidade de rede a comprar?
A. 20m B. 30m C. 40m D. 50m
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Sejam x e y os comprimentos de Rio
dois lados da machamba como a
xm 200m2 xm
figura mostra. Então x > 0 e y > 0.
Então, tem-se: x · y = 200 · · · ⃝ 1 ym ←− porque a área da machamba rectangular é 200m2 .
Como não é necessário vedar o lado do rio, o perímetro da
vedação é 2x + y. Então, calcula-se o mínimo de 2x + y: ←− x + y + x = 2x + y

Por , como y = 200 , tem-se: 2x + y = 2x + 200
1 ←− xy = 200 ⇔ y = 200
x x x
200 ′ 200 ( )′
Sendo f (x) = 2x + , tem-se: f (x) = 2 − 2 ←− 1 = (x−1 )′ = −x−2 = − 12
x x x x
Resolvendo f ′ (x) = 0, tem-se:
2 − 200 2
= 0 ⇔ 2x2 = 200 ⇔ x2 = 100 ⇔ x = ±10
x
Então, constroi-se a tabela de monotonia e extremos:
x 0 ··· 10 ···
f ′ (x) − 0 +
f (x) ↘ Mín ↗ ←− ⋆ Se uma função f (x) tem derivada nula para x = a
( ou seja f ′ (a) = 0 ) e f ′ (x) passa nesse ponto de
Pela leitura da tabela, conclui-se que f (x) tem o extremo mín-
negativa a positiva, a função f (x) tem para x = a um
imo em x = 10. Neste caso, o extremo mínimo é o mínimo extremo mínimo.
absoluto da função f (x). ⋆ Se uma função f (x) tem derivada nula para x = a
( ou seja f ′ (a) = 0 ) e f ′ (x) passa nesse ponto de
Logo, o mínimo de f (x) é f (10) = 20 + 200 = 20 + 20 = 40. positiva a negativa, a função f (x) tem para x = a um
100
Opção: C extremo máximo.

12/13 140
2009/ 12ª Classe/ Exame Extraordinário de Matemática

38. 
Qual é a negação de ∃!x ∈ R : x + 1 = 3?
A. ∃!x ∈ R : x + 1 , 3 B. ∀x ∈ R : x + 1 , 3 C. ∀x ∈ R : x − 1 , 3 D. ∃!x ∈ R : x − 1 = 3
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Pelas segundas leis de De Morgan, tem-se: ←− Segundas leis de De Morgan:
"∼ (∃x ∈ R : x + 1 = 3)" é "∀x ∈ R : x + 1 , 3" Seja p uma proposição qualquer. Então:
⋆ ∼ (∀x : p) = ∃x :∼ p
Opção: B ⋆ ∼ (∃x : p) = ∀x :∼ p
39. 
De quantas maneiras diferentes duas pessoas podem sentar num banco de cinco lugares?
A. 5! B. 5!2! C. 5! D. 5!
2! 2!3! 3!
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
Deseja-se o número total das maneiras diferentes possíveis de ←− An é o número total das maneiras diferentes possíveis
p

escolher 2 elementos dentre 5 elementos e permutar os 2 ele- de escolher p elementos dentre n elementos e permu-
tar os p elementos entre si. Quando interessa a ordem,
mentos entre si. Como interessa a ordem, trata-se de um arranjo
trata-se de um arranjo Anp .
de 5 elementos tomados 2 a 2. Logo, tem-se: n!
Anp = = n(n − 1)(n − 2) · · · (n − p + 1)
5! 5! (n − p)! | {z }
A5 =
2 =
(5 − 2)! 3! pfactores

Opção: D
40. 
Numa caixa contendo 20 pacotes de bolachas enumerados de um a vinte, extraiu-se um ao acaso. Qual é a
probabilidade de o número do pacote extraído ser um divisor de 20?
A. 0, 1 B. 0, 2 C. 0, 3 D. 0, 4
 2009. Extraordinário 
【Resolução】
O conjunto dos divisores de 20 é: {1; 2; 4; 5; 10; 20}
Então, o número de casos favoráveis é 6. ←− Os elementos do conjunto {1; 2; 4; 5; 10; 20} são 6.
O número de casos possíveis é 20.
Por isso, a probabilidade procurada é: 6 = 3 = 0, 3 ←− Probabilidade= número de casos favoráveis
20 10 número de casos possíveis
Opção: C

FIM

13/13 141
República de Moçambique
Matemática Ministério de Educação e Cultura 1ª Época
12ª Classe / 2009 Conselho Nacional de Exames, Certificação e Equivalências 120 Minutos
Esta prova contém 40 perguntas com 4 alternativas de resposta para cada uma. Escolha a alternativa correcta e
RISQUE a letra correspondente na sua folha de respostas.

【Resolução】
1. 
Qual é o ponto do eixo das abcissas, equidistante dos pontos A(−2; 2) e B(2; 6)?
A. (4; 0) B. (3; 0) C. (2; 0) D. (−4; 0)
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como o ponto pedido pertence ao eixo das abcissas, o ponto
pode ser representado por P(x, 0).
Como AP = BP, tem-se:
√ √
[x − (−2)]2 + (0 − 2)2 = (x − 2)2 + (0 − 6)2 ←− A distância entre dois ponots (x1 , y1 ) e (x2 , y2 ) é

Elevando ambos os membro ao quadrado, tem-se (x − x )2 + (y2 − y1 )2
√ 2 √1
(x + 2) + 4 = (x − 2) + 36
2 2
←− A = B ⇐⇒ A = B
⇔ x2 + 4x + 4 + 4 = x2 − 4x + 4 + 36
⇔ 8x = 32 ⇔ 3x = 4
Portanto, o ponto pedido é (4, 0).
Opção: A
2. 
Qual é o coeficiente angular da recta que passa pelos pontos A(1; 4) e B(0; 1)?
A. −3 B. 3 C. 1 D. 4
4
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como a recta passa pelos (1; 4) e (0; 1),
então o coeficiente angular é: 1 − 4 = −3 = 3 ←− O coeficiente angular da recta que passa pelos dois
0−1 −1 ( )
Opção: B y2 − y1 ∆y
pontos (x1 , y1 ) e (x2 , y2 ) é ⇐
x2 − x1 ∆x
3. 
Qual é a distância do ponto (1; −1) à recta de equação y − 3x + 8 = 0?
√ √ √
√ 3 10 3 10 2 10
A. 10 B. C. D.
7 5 5
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
y − 3x + 8 = 0 ⇔ −3x + y + 8 = 0 ←− Para utilizar a fórmula da distâcia de um ponto a uma
Então a distância do ponto (1; −1) á recta −3x + y + 8 = 0 é: recta, transforma-se a equação da recta na forma ax +
√ √ by + c = 0.
−3 · 1 + (−1) + 8 4 4 10 2 10 ←− A distância do ponto (x1 , y1 ) à recta da equação
√ = √ = =
(−3)2 + 12 10 10 5 ax1 + by1 + c
ax + by + c = 0 é √
Opção: D a2 + b2

1/12 142
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

4. 
Qual é a alternativa correcta?
A. O conjunto Z é subconjunto de N B. Se B ⊂ N, então B ⊂ Z+
C. Se A ⊂ N, então A ⊂ Z D. Se A ⊂ Z e N ⊂ Z, então A = N
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】 Z
A opcão A não é correcta porque N ⊂ Z. N Z = {. . . , −2, −1, 0, 1, 2, . . . }
A opcão B não é correcta porque Z+ ⊂ N. Z+ N = {0, 1, 2, 3, 4, . . . }
A opcão C é correcta porque N ⊂ Z. 0 Z+ = {1, 2, 3, 4, 5, . . . }
A opcão D é não é correcta. Então, Z+ ⊂ N ⊂ Z
Opção: C
5. 
Sendo U = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6}, M = {1, 2}, N = {2, 3, 4} e P = {4, 5}, então a que é igual (U \ M) ∩ (N ∪ P)?
A. {1, 3, 4, 5} B. {3, 4, 5} C. {3} D. { }
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】 U
Calcula-se:
U\M
U \ M = {0, 3, 4, 5, 6} e N ∪ P = {2, 3, 4, 5} M
0 3 U\M=M
Então, tem-se: 1 2 4
5 6
(U \ M) ∩ (N ∪ P) = {0, 3, 4, 5, 6} ∩ {2, 3, 4, 5} = {3, 4, 5}
Opção: B
 6. 
Uma prova contendo dois problemas foi dada a 200 alunos. Sabe-se que:
• 50 Alunos acertaram os dois problemas;
• 100 Alunos acertaram o 1◦ problema;
• 99 Alunos acertaram o 2◦ problema;
Qual é o número de alunos que erraram os dois problemas?
A. 51 alunos B. 50 alunos C. 49 alunos D. 1 aluno
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Sejam:
U- Todos alunos que fizeram a prova; ←− Nota-se que:
A - Alunos que acertaram o 1◦ problema; n(A ∩ B) = 50; n(A) = 100; n(B) = 99

B - Alunos que acertaram o 2 problem:
Então, como 50 alunos acertaram os dois problemas e 100 U(200 alunos)
alunos acertaram o 1◦ problema, então os alunos que acertaram
somente o 1◦ problema são: 100 − 50 = 50. A(100 alunos)
B(99 alunos)
De modo igual, como 50 alunos acertaram os dois problemas e
99 alunos acertaram o 2◦ problema, então os alunos que acer- 50 A∩B 49

taram somente o 2 problema são: 99 − 50 = 49. 50 99 − 50
100 − 50
Por isso, o número de alunos que erraram os dois problemas é:
200 − (50 + 50 + 49) = 200 − 149 = 51 200 − (50 + 50 + 49)

Opção: A
 7. 

Qual das fracções é equivalente a expressão a3− a ?


2

a −1
A. − a B. 2 a C. − 2 a D. − 2 a
a−1 a +a+1 a +a+1 a +1
 2009.1ªÉpoca 

2/12 143
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
a − a2 = a(1 − a)
←− a − a2 = a − a · a = a(1 − a);
a −1
3 (a − 1)(a2 + a + 1) a3 − 1 = (a − 1)(a2 + a + 1) aplicando a3 − b3 =
−a(a − 1) (a − b)(a2 + ab + b2 )
= =− 2 a ←− 1 − a = −a + 1 = −(a − 1)
(a − 1)(a + a + 1)
2 a +a+1
Opção: C
8. 
Dados os polinómios P1 (x) = 5x4 + 3x3 + 2x − 1 e P2 (x) = −5x4 − 3x3 + 2x + 5. Qual é o grau do polinómio
P1 (x) + P2 (x)?
A. 4 B. 3 C. 2 D. 1
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
P1 (x) + P2 (x) = 5x4 + 3x3 + 2x − 1 + (−5x4 − 3x3 + 2x + 5)
= 4x + 4
Logo, o grau do polinónmio P1 (x) + P2 (x) é 1. ←− O grau de um polinómio P(x) é o maior grau de dos
Opção: D seus monómios do polinómio.
 9. 
O quociente e o resto da divisão de P(x) = x + x + 1 por D(x) = x − x + 1 são respectivamente:
4 2 2

A. x2 + x e x B. −x2 − x − 1 e −x + 1 C. x2 + x + 1 e 0 D. x2 − x e x − 1
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
P(x) D(x)
x 4 + 0 · x 3 + x 2 + 0 · x + 1 x2 − x + 1
2+x+1 ←− Cálculo auxiliar:
− x4 − x 3 + x 2 x::::::::
x4 = x2 ; x3 = 1; x2 = 1
x3 + 0 · x2 + 0 · x + 1 Quociente x 2
x2 x2
− x 3 − x2 + x
x2 − x + 1
− x2 − x + 1
0
::
Resto
Logo, o quociente e o resto da divisão de P(x) por D(x) são
respectivamente x2 + x + 1 e 0.
Opção: C
10. 
Sabendo que 9x − 3x = 72, qual é o valor numérico de + 5?
x2
A. 9 B. 12 C. 14 D. 86
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
9x− 3 x = 72 ⇔ (3 x )2 − 3 x − 72 = 0. ←− 9 x = (32 ) x = 32x = 3 x·2 = (3 x )2
Fazendo 3 x = t, se t > 0, a equação fica: ←− O contradomínio da função exponencial y = a x (a >
t2 − t − 72 = 0 ⇔ (t − 9)(t + 8) = 0 ⇔ t = 9 ∨ t = −8 0, a , 1) é R+ . Neste caso, como a x > 0, t > 0.
Como t > 0, a solução da equação é t = 9. ←− t = −8 não é solução porque não satisfaz a condição
Como t = 3 x , tem-se: t>0
3 x = 9 ⇔ 3 x = 32 ⇔ x = 2 ←− Iguala-se os expoentes porque as bases de ambos os
membros da euqção são iguais, isto é:
Substituindo x por 2 em x2 + 5, tem-se:
a p = aq ⇔ p = q
x2 + 5 = 22 + 5 = 9
Opção: A

3/12 144
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

11. 

Observa a tabela.
Qual é o valor aproximado da média aritmética? Classes xi fi
[0,14[ 7 8
A. 28, 4 [14,28[ 21 12
B. 30, 7 [28,42[ 35 6
[42,56[ 49 5
C. 35, 1 [56,70[ 63 3
[70,84[ 77 2
D. 37, 2
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
A média aritmética é:
x = 7 · 8 + 21 · 12 + 35 · 6 + 49 · 5 + 63 · 3 + 77 · 2 ←− A média aritmética é dada por:
8 + 12 + 6 + 5 + 3 + 2 ∑n
xi fi ∑
x = ∑i=1 , onde é o somatório, fi é a
= 1106 = 30, 722 · · ·
n
f
i=1 i
36 frequência e os valores xi são os pontos médios das
Opção: B classes dadas.
12. 

Se x é um arco do 2◦ quadrante e senx = 2 , qual é o valor de cos x?


√ 3 √
5 5
A. B. 1 C. 2 D. −
3 3 3
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
2 na fórmula fundamental de
Substituindo senx por ←− <Relações trigonométricas do mesmo ângulo>
3
trigonometria sen2 x + cos2 x = 1, tem-se: 1. sen2 θ + cos2 θ = 1 2. tgθ = senθ
cos θ
( )2 √ 1
2 + cos2 x = 1 ⇔ cos2 x = 5 ⇔ cos x = ± 5 3. 1 + tg 2
θ =
cos2 θtrigonométricas>
<Sinal das razões
3 9 3
α 1◦ Q 2◦ Q 3◦ Q 4◦ Q
Como x é um arco do 2◦ quadrante, cos x < 0. ←−
√ senα + + - -
5 α + +
Por isso, tem-se: cos x = − . cos - -
3 tgα + - + -
Opção: D cotgα + - + -
13. 
Qual é o valor de p ∈ R+ , que satisfaz a equação 3p + 1 = p + 3 ?
A. 2 B. 1 C. 0 D. −1
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como p > 0, é claro que: 3p + 1 > 0; p + 3 > 0 


a (a ≥ 0)
Portanto, tem-se: 3p + 1 = 3p + 1; p + 3 = p + 3. ←− Definição de módulo: a = 

−a (a < 0)
Então, a equação fica: 3p + 1 = p + 3 ⇔ 2p = 2 ⇔ p = 1
Opção: B
【Outra resolução】
Elevando ambos os membros da equação ao quadrado, tem-se:
3p + 1 2 = p + 3 2 ⇔ (3p + 1)2 = (p + 3)2 ←− A = B ⇐⇒ A 2
= B 2

⇔ 9p2 + 6p + 1 = p2 + 6p + 9
⇔ 8p2 − 8p = 0 ⇔ p2 − p = 0
⇔ p(p − 1) = 0 ⇔ p = 0 ∨ p = 1
Como p > 0, a solução é p = 1. ←− Como p = 0 < R+ , p = 0 não é solução.

4/12 145
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

14. 
Qual é o esboço do gráfico da fução y = x −1 ?
A. B. C. D.
y y y y
2 2

1 1 1 1

−2 −1 O 1 2x −3 −2 −1 O 1 x −2 −1 O 1 2x −2 −1 O 1 2 x

−1 −1 −1 −1

−2 −2 −2 −2

 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
O gráfico de y = x − 1 obtém-se a partir do gráfico de y = x ←− O gráfico da função y = f (x − p) + q obtém-se a partir
através da translação de 1 unidade para baixo. Então, o gráficco do gráfico da função y = f (x) através da translação de
da função y = x − 1 é da opção A. p unidades para direita e q unidades para cima.
E o gráfico da função y = x − 1 obtém-se a partir do gráfico ←− O gráfico de uma função y = f (x) obtém-se a partir
de y = x − 1 passando os pontos de ordenada negativa do do gráfico da função y = f (x), passando os pontos de
gráfico para cima do eixo das abcissa. ordenada negativa do gráfico para cima do eixo das
abcissas.
Por isso, O gráfico de y = x − 1 é da opção C.
Opção: C O gráfico de uma função y = f ( x ) obtém-se a partir
do gráfico da função y = f (x) através da simetria
【Outra resolução】 em relação ao eixo das ordenadas, representando os
Substituindo x por 0 em y = x − 1 , então: pontos que estão à direita do eixo das ordenadas à
y = 0 − 1 = −1 = 1 esquerda do mesmo eixo.

Por isso, o gráfico de y = x − 1 passa pelo ponto (0, 1).


Logo a solução é a opção B ou C.
Substituindo x por 1 em y = x − 1 da mesma maneira, en- y y
tão: y= x −1 y= x −1

y= 1 −1 = 0 =0 1
Logo, tambem passa pelo ponto (1, 0). x x
−1 O 1 −1 O 1
Conclui-se que apenas o gráfico da opção C passa pelos dois −1
pontos (0, 1) e (1, 0).
Por isso, a soluçáo é a opção C.
15. 
Qual é o gráfico da fução y = cos θ?
A. B. C. D.
y y y y
1 1 1 1

O 90° 180° 270° 360° x O 90° 180° 270° 360° x O 90° 180° 270° 360° x O 90° 180° 270° 360° x

−1 −1 −1 −1

 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
y y = sin x
Como o gráfico da função y = cos θ passa pelos pontos 1
seguintes:
(0◦ , 1), (90◦ , 0), (180◦ , −1) e (270◦ , 0)
−90° O 90° 180° 270° 360° x
Então, a solução é a opção A.
−1
Opção: A y = cos x

5/12 146
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

16. 

Qual é o domínio da função f (x) = −8 ?


x2 − 4 { √ }
A. D f = R \ {2} B. D f = R \ {±4} C. D f = R \ ± 2 D. D f = R \ {±2}
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
f (x)
Como o denominador é diferente de zero, tem-se a condição: ←− Uma expressão algébrica racional fraccionária
g(x)
x2 − 4 , 0 ⇔ (x − 2)(x + 2) , 0 ⇔ x , 2 ∧ x , −2 tem a condição g(x) , 0.
Por isso, o domínio da função de f (x) é D f = R \ {±2}.
Opção: D
17. 
Qual é o contradomínio da função f (x) = 5 cos(10x)?
A. R B. [−5; 5] C. [−2; 2] D. [−10; 10]
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Sabe-se que: −1 ≤ cos(10x) ≤ 1 ←− Contradomínio de funções trigonométricas:
Multiplicando todos os membros da inequação por 5, tem-se: ⋆ − 1 ≤ sen f (x) ≤ 1
⋆ − 1 ≤ cos f (x) ≤ 1
−5 ≤ 5 cos(10x) ≤ 5 ⇔ −5 ≤ f (x) ≤ 5
⋆ − ∞ ≤ tg f (x) ≤ +∞
Por isso, o contradoménio de f é: [−5; 5].
Opção: B
18. 
Se f e g são funções reais de variável real dadas por f (x) = 3x + 4 e g(x) = log3 x, qual é o valor de (go f )(−1)?
A. 2 B. 1 C. 0 D. −1
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Calcula-se f (−1): f (−1) = 3 · (−1) + 4 = 1 ←− Substitui-se x por −1 em f (x) = 3x + 4.
Por isso , tem-se:
(go f )(−1) = g[ f (−1)
(−1)] = g(1) ←− Função composta: ( gof )(x) = g[ f (x)]
= log3 1 = log3 30 = 0 ←− Obtém-se g(1) substituindo x por 1 em g(x) = log3 x.
Opção: C ⋆log
loga 1 = loga a0 = 0
19. 
Uma função y = f (x) é par, ∀x ∈ R se...
A. f (x) = f (x2 ) B. f (x) = f −1 (x) C. f (x) = − f (x) D. f (x) = f (−x)
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Uma função y = f (x) é par, ∀x ∈ R se f (x) = f (−x) ←− Uma função y = f (x) é ímpar,
Opção: D ∀x ∈ R se f (x) = − f (−x).
 20. 
Na sucessão de números ímpares a que é igual o termo de ordem 135?
A. 269 B. 260 C. 169 D. 135
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
A sucessão de números ímpares é (1; 3; 5; 7; 9; . . . ). ←− 1, 3, 5, 7, 9, . . .
Como a diferença entre dois termos consecutivos é constante 2,
+2 +2 +2 +2 +2
esta sucessão é uma PA em que a1 = 1 e d = 2.
Então, o termo geral desta PA é: ←− O termo geral de uma PA é an = a1 + (n − 1)d.
an = 1 + (n − 1) · 2 = 2n − 1 O termo geral de uma PG é an = a1 · qn−1 .
Por isso, o termo de ordem 135 é: a135 = 2 · 135 − 1 = 269 ←− Substitui-se n = 135 em an = 2n − 1
Opção: A

6/12 147
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

21. 
O primeiro termo de uma progressão aritmética é −10 e a soma dos oito primeiros termos é 60. Qual é a
diferença dessa progressão?
A. 15 B. 10 C. 6 D. 5
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Pela condição, tem-se: a1 = −10 e S 8 = 60.
Calcula-se a soma dos oito primeiros termos:
8[2(−10) + (8 − 1)d]
S8 = = 4(−20 + 7d) = −80 + 28d ←− A soma dos n primeiros termos de uma PA é:
2
Como S 8 = 60, tem-se: −80+28d = 60 ⇔ 28d = 140 ⇔ d = 5 Sn =
n(a1 + an )
ou S n =
n[2a1 + (n − 1)d]
Opção: D 2 2
 22. 
Qual é a soma de todos os termos da progressão 16; 8; 4; . . . ?
A. 28 B. 30 C. 32 D. 34
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
O quociente entre dois termos consecutivos é constante 1 . ←− 16, 8, 4, . . .
2
Logo, esta sucessão é uma PG em que a1 = 16 e q = 1 . × 12 × 12 × 12
2
Como q < 11, a soma de todos os termos desta PG é:
16 + 8 + 4 + · · · = 16 = 16 = 32 ←− A soma de todos os termos de uma PG com q < 1 é
1− 1 1
dada por: S =
a1
.
2 2 1−q
Opção: C
 23. 
A figura representa o gráfico de uma função y = f (x). Qual é o valor de lim+ f (x)?
x→2
y
A. 3
3 y = f (x)
B. +∞

C. Não existe.

D. 2 O 2 x
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
A partir da figura, nota-se que quando x se aproxima de 2 pela ←− Quando x se aproxima de a pela direita, f (x)
direita, f (x) tende para +∞. aproxima-se de α. Escreve-se: lim+ f (x) = α.
x→a
Por isso, tem-se: lim+ f (x) = +∞ Quando x se aproxima de a pela esquerda, f (x)
x→2
aproxima-se de α. Escreve-se: lim− f (x) = α.
Opção: B x→a

24. 
Qual é o valor de lim log2 (2x + 6)?
x→5
A. 4 B. 10 C. 16 D. 216
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
lim log2 (2x + 6) = log2 (2 · 5 + 6) ←− Substitui-se x por 5.
x→5
= log2 16 = log2 24 = 4 ←− loga a p = p
Opção: A

7/12 148
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

25. 

Qual é o valor de lim x2 − 5x + 6 ?


x→3 x−3
A. −2 B. 0 C. 1 D. 2
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
[ ]
(x − 3)(x − 2)
lim x − 5x + 6 = 0 = lim
2
←− Factoriza-se x2 − 5x + 6 aplicando x2 + (a + b)x + ab =
x→3 x−3 0 x→3 (x − 3)
(x + a)(x + b).
= lim (x − 2) ←− Substitui-se x por 3.
x→3
=3−2=1
Opção: C
26. 

x+2−2
Qual é o valor de lim ?
x→2 x−2

A. 0 B. 1 C. 1 D. 2
4
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
√ [ ] √ √
x+2−2 0 x+2−2 x+2+2 √ √
lim = = lim · √ ←− Multiplica-se pelo conjugado x + 2+2 de x + 1−2
x→2 x − 2 0 x→2 x − 2 x+2+2 o numerador e o denominador.
(x + 2) − 4 √ √ √
= lim √ ←− ( x + 2 − 2)( x + 2 + 2) = ( x + 2)2 − 22 aplicando
x→2 (x − 2)( x + 2 + 2)
(a − b)(a + b) = a2 − b2 .
= lim x−2
√ ←− Simplifica-se a fracção.
x→2 (x − 2)( x + 2 + 2)

= lim √ 1
x→2 x+2+2
= √ 1 = 1 ←− Substitui-se x por 2.
2+2+2 4
Opção: B
27. 

Qual é a equação da assípmtota vertical do gráfico da função g(x) = x + 2 ?


x
A. x = 2 B. x = 0 C. x = −2 D. Não tem assímptota
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como lim+ g(x) = +∞ e lim− g(x) = −∞, ←− A recta x = a, com a ∈ R é uma assímptota vertical
x→0 x→0 (AV) do gráfico da função y = f (x) se:
então x = 0 é uma assímptota vertical do gráfico de g(x). ⋆ lim− f (x) = +∞ (ou −∞)
x→a
Opção: B ou
【Outra resolução】 ⋆ lim+ f (x) = +∞ (ou −∞)
x→a
O zero do denominador é x = 0 e este não anula o numerador. ←− Toda a função racional fraccionária, y = f (x) , tem
g(x)
Por isso, conclui-se que x = 0 é uma assímptota vertical do
AV: x = a se a for zero do denominador, isto é, g(a) =
gráfico de g(x). 0, e não anular o numerador, isto é, f (a) , 0.
28. 

Qual é a equação da assímptota horizontal do gráfico da função h(x) = x−1 ?


x2 − 4x + 3
A. y = 0 B. y = 2 C. y = 3 D. Não tem assímptota
 2009.1ªÉpoca 

8/12 149
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

【Resolução】
Calcula-se os limites de h(x) quando x → +∞ e x → −∞:
[ ]
x − 1 = ∞
lim h(x) = lim 2 ←− Levanta-se a indeterminação do tipo , ∞ dividindo
x→+∞ x→+∞ x − 4x + 3 ∞ ∞
x − x2
x−1 1 1 pela potência máxima do denominador.
x2
= lim (x−1)(x−3) = lim ⋆Outro caminho do cálculo deste limite:
x→+∞ x→+∞ 1 − 4 + 3
x2 x x2 Como o grau do numerador é menor do que o grau do
= 0 =0 denominador, então lim 2 x − 1 =0
1 x→+∞ x − 4x + 3

De igual modo, tem-se: Em geral, se o grau do numerador de uma expressão


x − x2
1 1 algébrica racional fraccionária é menor que o grau
lim h(x) = lim = 0 =0 do denominador da expressão, então o limite da ex-
x→−∞ x→−∞ 1 − 4 + 3 1 pressão quando x → ∞ é igual a zero.
x 2x
Como lim h(x) = 0 e lim h(x) = 0, y = 0 é uma AH de h(x). ←− A recta da equação y = b é assímptota horizontal do
x→+∞ x→−∞
grá fico da função y = f (x) se e só se:
Opção: A ⋆ lim f (x) = b ou ⋆ lim f (x) = b
x→+∞ x→−∞
29. 



2(x − 1), se x < 1
Para qua a função f (x) = 
 seja contínua no ponto x = 1, qual deve ser o valor de k?
kx, se x ≥ 1
A. −1 B. 1 C. 0 D. 2
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Para que a função seja contínua em x = 1, é necessário que: ←− f (x) é contínua no ponto de abcissa x = a
lim− f (x) = lim+ f (x) = f (1) ⇐⇒ ∃lim f (x) e lim f (x) = f (a).
x→a x→a
x→1 x→1
⇐⇒ lim− f (x) = lim+ f (x) = f (a)
O limite lateral de f (x) à esquerda de x = 1 é: x→a x→a

lim− f (x) = lim− 2(x − 1) = 2(1 − 1) = 0 −


←− Quando x → 1 , isto é, x < 1, f (x) = 2(x − 1).
x→1 x→1
O limite lateral de f (x) à direita de x = 1 é:
lim+ f (x) = lim+ kx = k · 1 = k ←− Quando x → 1+ , isto é, x > 1, f (x) = kx.
x→1 x→1
O valor de f (x) no ponto x = 1 é: f (1) = k · 1 = k ←− Quando x = 1, f (x) = kx.
Como estes valores são iguais, tem-se: k = 0
Opção: C
 30. 
Observa a figura. Qual é o valor de f ′ (0)?
y
A. 0

B. 1 y = f (x)

C. +∞ O x

D. Não existe
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】 y

f (0) é igual ao declive da equação ←− O declive da equação da recta tangente ao gráfico de
da recta tangente ao gráfico da uma função y = f (x) em x = a é igual a f ′ (a).
y = f (x)
função y = f (x) em x = 0. y = f (x)
y
A partir da figura, a recta tangente O x
em x = 0 é uma função constante. ′
f (a) Declive: f (a)
Como o declive de toda a função Função constante
constante é zero, então tem-se: f ′ (0) = 0 O x
a
Opção: A

9/12 150
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

31. 

Sendo h(x) = 13 , qual é o valor de h (1)?


x
A 1 B 1 C −3 D −4
3
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
( )′
h (x) = 13 = (x−3 )′ = −3x−3+1 = −3x−2 = − 32

←− ⋆ (xn )′ = nxn−1 , ∀n ∈ R; ⋆ a−n = 1n
x x a
′ 3
Logo, tem-se: h (1) = − 2 = −3 ←− Substitui-se x por 1 em h′ (x) = − 32
1 x
Opção: C
32. 
Qual é a derivada da função y = sen(2x − 3)?
A y′ = 2sen(2x − 3) B y′ = −sen(2x − 3)
C y′ = (2x − 3) cos(2x − 3) D y′ = 2 cos(2x − 3)
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
y′ = [sen(2x − 3)]′ = cos(2x − 3) · (2x − 3)′ ←− Derivada de uma função composta:
= cos(2x − 3) · 2 [sen f (x)]′ = cos f (x) · f ′ (x) porque (senx)′ = cos x.
= 2 cos(2x − 3)
Opção: D
33. 

Qual é a derivada da função f (x) = 3x + 5 ?


x−1
A. −8 B. 2 C. 6x − 8 D. 6x + 2
(x − 1)2 (x − 1)2 (x − 1)2 (x − 1)2
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
( )′ [ ]′
′ 3x + 5 (3x + 5)′ (x − 1) − (3x + 5)(x − 1)′ f (x) f ′ (x)g(x) − f (x)g′ (x)
f (x) = = ←− =
x−1 (x − 1)2 g(x) [ f (x)]2
3(x − 1) − (3x + 5) · 1
= ←− (3x + 5)′ = 3; (x − 1)′ = 1
(x − 1)2
= 3x − 3 − 3x2 − 5 = −8
(x − 1) (x − 1)2
Opção: A
34. 
Qual é a equação da recta tangente à curva da função f (x) = x2 − 2x + 7 no ponto de abcissa x = 0?
A. 2x + y + 7 = 0 B. 2x + y − 7 = 0 C. 2x − y − 7 = 0 D. x + y − 7 = 0
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Começa-se por calcular f ′ (x):
f ′ (x) = (x2 − 2x + 7)′ = 2x − 2
Então, o declive da recta tangente em x = 0 é: f ′ (0) = −2 ←− O declive da equação da recta tangente à curva de uma
Como f (0) = 7, o gráfico da recta tangente passa por (0, 7). função y = f (x) em x = a é igual a f ′ (a)
Portanto, a equação da recta tangente em x = 0 é:
y − 7 = −2(x − 0) ⇔ 2x + y − 7 = 0 ←− A equação da recta que passa pelo ponto (x1 ; y1 ) e tem
o declive m é dada por y − y1 = m(x − x1 ).
Opção: B

10/12 151
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

35. 
Em qual dos intervalos a função f (x) = x3 − 3x2 + 2 é decrescente?
A. ] − ∞; 0[ B. ]2; +∞[ C. ]0; 2[ D. ] − ∞; 0[∪]2; +∞[
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Para que f (x) seja decrescente, é necessário que f ′ (x) < 0. ←− Uma função y = f (x) é crecente se f ′ (x) > 0.
Como f ′ (x) = 3x2 − 6x, então resolve-se a inequação: Uma função y = f (x) é decrecente se f ′ (x) < 0.
3x2 − 6x < 0 ⇔ x2 − 2x < 0 O gráfico de f (x) = x3 − 3x2 + 2 representa-se:
Logo, x(x − 2) < 0 y = x(x − 2) y
f (x) = x3 − 3x2 + 2
Pela leitura da figura, tem-se:
0<x<2 0 2 x
2
Opção: C O x
【Outra resolução】
Determina-se f ′ (x): f ′ (x) = 3x2 − 3 · 2x + 0 = 3x2 − 6x
Calcula-se os zeros da derivada de f (x):
f ′ (x) = 0 ⇔ 3x2 − 6x = 0 ⇔ x2 − 2x = 0
⇔ x(x − 2) = 0 ⇔ x = 0 ∨ x = 2 ←− Há possibilidade de ter extremos para x = 0 ou x = 2.
Constroi-se a tabela de monotonia e extremos:
x ··· 0 ··· 2 ···

f (x) + 0 − 0 + ←− ⋆Se f (x) < 0, então f (x) é decrescente.
f (x) ↗ Máx ↘ Mín ↗ ⋆Se f (x) > 0, então f (x) é crescente.
⋆Se f (x) = 0, então f (x) é constante.
A partir da tabela, conclui-se que f (x) é decrescente no inter-
valo ]0; 2[.
36. 
Qual é a ordenada do extremo máximo do gráfico da função f (x) = x3 − 3x2 + 2?
A. −2 B. −1 C. 0 D. 2
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Observando a tabela da outra resolução do exercício anterior, ←− Se f ′ (a) = 0 e f ′ (x) passa no ponto x = a de negativa
nota-se que a função f (x) tem para x = 0 um extremo máximo. a positiva, então f (x) tem para x = a um mínimo
Logo, a ordenada do extremo máximo é: f (0) = 0 −3·0+2 = 2
3 extremo. Se f ′ (a) = 0 e f ′ (x) passa no ponto x = ade
positiva a negativa, então f (x) tem para x = a um
Opção: D máximo extremo.
37. 
Considere as seguintes proposições:
p: 15 é um número primo.
q: 15 é um número ímpar.
Qual das seguintes proposições tem um valor lógico verdadeiro?
A. ∼ p B. p ∧ q C. p ∨ q D. p ⇔ q
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Como 15 não é um número primo mas é ímpar, tem-se: ←− Um número natural maior que 1 diz-se primo quando
unicamente é divisível por si próprio e pela unidade,
p é falsa e q é verdadeira. isto é, não possui nenhum divisor efectivo.
A. Como p é falsa, então ∼ p é verdadeira. ←− ∼ p tem o valor lógico do verso de p.
B. Como p é falsa e q é verdadeira, então p ∧ q é falsa. ←− p ∧ q só é verdadeira se p e q são verdadeiras.
C. Como p é falsa e q é verdadeira, então p ∨ q é verdadeira. ←− p ∨ q só é falsa se p e q são falsas.
D. Como p é falsa e q é verdadeira, então p ⇔ q é falsa. ←− p ⇔ q só é verdadeira se p e q têm o mesmo valor
Opção: A e C lógico.

11/12 152
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 1ª Época

38. 
Sendo = 30, com n > 2, qual é o valor de n?
A2n
A n = 13 B n = 11 C n = 10 D n=6
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
n!
A2n = 30 ⇔ n(n − 1) = 30 ⇔ n2 − n − 30 = 0 ←− Anp = = n(n − 1)(n − 2) · · · (n − p + 1)
(n − p)! | {z }
⇔ (n − 6)(n + 5) = 0 ⇔ n = 6 ∨ n = −5 p factores

Pela condição n > 2, a solução procurada é n = 6. ←− n = −5 não é solução porque não satisfaz a condição
Opção: D n > 2.

39. 
Numa cidade, 4 ruas estão sem nome. Existem 6 nomes para serem atribuídos a essas ruas. De quantas
maneiras diferentes pode ser feita a referida atribuição?
A. 720 B. 360 C. 24 D. 15
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
Deseja-se o número total das maneiras diferentes possíveis de ←− An é o número total das maneiras diferentes possiveis
p

escolher 4 elementos dentre 6 elementos e permutar os 4 ele- de escolher p elementos dentre n elementos e permu-
tar os p elementos entre si. Se interessa a ordem,
mentos entre si.
então aplica-se um arranjo Anp e se não interessa a or-
Como interessa a ordem, trata-se de um arranjo de 6 elementos dem, então aplica-se uma combinação Cnp .
tomados 4 a 4.
Portanto, tem-se:
A46 = 6| · 5{z
· 4 ·}
3 = 360 ←− Anp = n! = n(n − 1)(n − 2) · · · (n − p + 1)
(n − p)! | {z }
4 factores p factores

Opção: B
40. 
Qual é a probabilidade de uma bola branca aparecer ao retirar uma única bola de uma urna contendo quatro
bolas brancas, três vermelhas e cinco azuis?
A. 1 B. 1 C. 1 D. 1
2 3 4 12
 2009.1ªÉpoca 
【Resolução】
O número total das bolas da urna é: 4 + 3 + 5 = 12
Então, o número de casos possíveis é C112 porque escolhe uma ←− Cn é o número total das maneiras diferentes possíveis
p

de escolher p elementos dentre n elementos. Quando


bola dentre 12 bolas.
não interessa ordem, aplica-se uma combinação
O número de casos favoráveis é C14 porque escolhe uma bola Cnp .
branca dentre 4 bolas brancas. p factores
z }| {
Portanto, a probabilidade pedida é: Anp
n! n(n − 1) · · · (n − p + 1)
p
Cn = = =
p! (n − p)!p! p(p − 1) · · · 3 · 2 · 1
C14
= 4 = 1 ⋆Caso =
1
especial: C n
←− A probabilidade den um acontecimento A é dada por:
C112 12 3
P(A)= número de casos favoráveis
número de casos possíveis
Opção: B

FIM

12/12 153
República de Moçambique
Matemática Ministério de Educação e Cultura 2ª Época
12ª Classe / 2009 Conselho Nacional de Exames, Certificação e Equivalências 120 Minutos
Esta prova contém 40 perguntas com 4 alternativas de resposta para cada uma. Escolha a alternativa correcta e
RISQUE a letra correspondente na sua folha de respostas.


【Resolução】 
1.
Qual é o comprimento do vector ⃗a = (3; 4)?
A. 3 B. 4 C. 5 D. 7
 2009. 2ª época 
【Resolução】
√ √
⃗a = 32 + 42 = 25 = 5 ←− O comprimento do vector ⃗a = (a1 ; a2 ) é dado por:

Opção: C ⃗a = a 2 + a 2
1 2
2. 
Se o ponto P(x; −3) é equidistante aos pontos Q(−2; 1) e R(1; 3), qual é o valor de x?

A. 17 B. 17 C. 1 D. 6
6 6 17
 2009. 2ª época 
【Resolução】
Pela condição, tem-se: PQ = PR
√ √
Logo; (−2 − x)2 + [1 − (−3)]2 = (1 − x)2 + [3 − (−3)]2 ←− A distância entre dois pontos A(x1 ; y1 ) e B(x2 ; y2 ) é
⇔ (−2 − x)2 + 42 = (1 − x)2 + 62 dada por:

⇔ 4 + 4x + x2 + 16 = 1 − 2x + x2 + 36 AB = (x2 − x1 )2 + (y2 − y1 )2
⇔ 6x = 17 ⇔ x = 17
6
Opção: A
 3. 

Qual é a equação da recta que passa pelo ponto (8; −2) e tem como declive 1 ?
2
1
A. y = x + 3 1
B. y = x − 2 1
C. y = x + 2 D. y = 1 x − 6
2 2 2 2
 2009. 2ª época 
【Resolução】
y − (−2) = 1 (x − 8) ⇔ y + 2 = 1 x − 4 ⇔ y = 1 x − 6 ←− A equação da recta que passa por (x1 ; y1 ) e tem o de-
2 2 2 clive m é dada por: y − y1 = m(x − x1 ).
Opção: D
 4. 
Qual é a distância do ponto (2; 3) à recta de equação 4y = 3x − 2?
A. −4 B. 8 C. 4 D. 5
5 8
 2009. 2ª época 
【Resolução】
4y = 3x − 2 ⇔ 3x − 4y − 2 = 0 ←− Para utilizar a fórmula da distâcia de um ponto a uma
Então a distância do ponto (2; 3) à recta 3x − 4y − 2 = 0 é dada recta, transforma-se a equação da recta na forma ax +
3·2−4·3−2 −8 8 by + c = 0.
por: d = √ = √ = ←− A distância do ponto (x1 , y1 ) à recta da equação
32 + (−4)2 25 5
ax1 + by1 + c
Opção: B ax + by + c = 0 é d = √
2a +b 2

1/13 154
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

5. 
Sendo U = {1, 2, 3, . . . , 10}, M = {2, 4, 6, 8, 10} e N = {2, 5, 7}, qual dos conjuntos representa M ∩ N?
A. {3, 9} B. {1, 3, 9} C. {1, 3, 4, } D. {6, 7, 8, 9}
 2009. 2ª época 
【Resolução】 A é o conjunto de todos os elementos que pertencem a U e
Determina-se M e N: não pentencem a A. Isto é A = U \ A.
M = U \ M = {1, 3, 5, 7, 9} U U
N = U \ N = {1, 3, 4, 6, 8, 9, 10} M 1
5 1 3 N
Por isso, tem-se: 2 4 6 3 4 2 7
9 6
M ∩ N = {1, 3, 9} 8 10
7 9
8 5
Opção: B 10 N
M
【Outra resolução】
Pelas leis de De Morgan, tem-se: M ∩ N = M ∪ N ←−Leis de De Morgan: A ∪ B = A ∩ B; A ∩ B = A ∪ B

Como U = {1, 2, 3, . . . , 10} e M ∪ N = {2, 4, 5, 6, 7, 8, 10}, tem- M∪N M∪N


U
se: 2 4 5 1 3
6 7 10
M ∪ N = U \ M ∪ N = {1, 3, 9} 8 9

6. 
Um vendedor de frutas perguntou a 120 pessoas acerca do tipo de frutas que gostam dentre Ananases (A),
Bananas (B) e Cocos (C). O diagrama mostra o resultado do inquérito.
O vendedor tirou as seguintes conclusões:
A B
I. 19 pessoas gostam apenas de 2 tipos de frutas. 47
5
28 15
II. 47 pessoas não gostam de nenhum tipo. 3
4 7
III. 3 pessoas gostam de ananases, bananas e cocos.
IV. 40 pessoas gostam de ananases. 11
C
Qual das conclusões é correcta? Somente...
A. I; II e III B. II e IV C. III e IV D. II; III e IV
 2009. 2ª época 
【Resolução】 A B
A conclusão I não é correcta porque 4 + 5 + 7 = 16 pessoas 47
5
gostam apenas de 2 tipos de frutas. 28 15
3
Pela leitura do diagrama as conclusões II e III são correctas. 4 7
A conclusão IV é também correcta porque 28 + 4 + 3 + 5 = 40. 11
Pessoas gostam apenas de
2 tipos de frutas
Opção: D C

7. 
Qual é o nome que se dá a expressão (a + bx + cx2 + dx3+ + · · · )?
ex4
A. Equação B. Identidade C. Polinómio D. Variável
 2009. 2ª época 
【Resolução】
Como a + bx + cx2 + dx3 + ex4 + · · · é a soma de monómios, ←− Se a expressão tivesse a igualdade, seria uma equação.
então isto é um polinómio.
Opção: C
8. 
Quais são as raízes de x3 − − 6x?
x2
A. −2, 0 e 3 B. −2, 1e 3 C. 0, 2 e 3 D. 1, 2 e 3
 2009. 2ª época 

2/13 155
2009/ 12ª Classe/ Exame de Matemática/ 2ª Época

【Resolução】
Resolve-se a equação x3 − x2 − 6x = 0.
x3 − x2 − 6x = 0 ⇔ x(x2 − x − 6) = 0 ←− Coloca-se o factor comum x em evidência.
⇔ x(x − 3)(x + 2) = 0 ⇔ x = 0 ∨ x = 3 ∨ x = −2 ←− Factoriza-se x2 − x − 6 aplicando
Opção: A x2 + (a + b)x + ab = (x + a)(x + b)
9. 
y
Se xy = 2 e x + y = 5, qual é o valor numérico de x + + 2?
y x
A. 5 B. 1 C. 5 D. 25
4 2 2 2
 2009. 2ª época 
【Resolução】
2
x + y + 2 = x2 + y + 2xy
←− m.m.c(x, y) = xy
y x xy xy xy
x + 2xy + y
2 2 (x + y)2
= = ←− Factoriza-se x2 +2xy+y2 = (x+y)2 aplicando a+ 2ab+
xy xy
2 y2 = (a + b)2 .
= 5 = 25 ←− Substitui-se xy = 2 e x + y = 5.
2 2
Opção: D
10. 
Qual é a solução de log2 x + log4 x = 1?
√3 √ √3 √3
A. 2 B. 3 2 C. 4 D. 2 2
 2009. 2ª época 
【Resolução】
Como o logritmando é positivo, tem-se a condição: x > 0 ←− A expressão logarítmica loga x tem a codição x > 0.
A partir da fórmula de mudança de base, tem-se: ←− Fórmula de mudança de base:
log2 x log2 x logc b
log4 x = = loga b =
logc a
log2 4 2
Então, a equação fica:
log2 x 2 log2 x + log2 x
log2 x + =1⇔ =1 ←− Ao resolver equações logarítmicas com bases difer-
2 2 entes, cria-se a condição de obter a mesma base
3 log2 x