Você está na página 1de 89

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO

SECRETARIA-GERAL DE ADMINSTRAÇÃO
SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO EM PERNAMBUCO

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 22/2017


22/2017
(Processo Administrativo n.°00587.000824/2016-10)

Torna-se público, para conhecimento dos interessados, que a Advocacia Geral da


União, por meio da Superintendência de Administração em Pernambuco, sediada na
Avenida Herculano Bandeira, 716 – 2º andar (sala 201) – Pina – Recife/PE, realizará licitação,
na modalidade PREGÃO, na forma ELETRÔNICA, do tipo menor preço, preço, nos termos da Lei nº
10.520, de 17 de julho de 2002, do Decreto nº 5.450, de 31 de maio de 2005, do Decreto
nº 2.271, de 7 de julho de 1997, do Decreto nº 7.746, de 05 de junho de 2012, das
Instruções Normativas SLTI/MP nº 02, de 30 de abril de 2008, nº 02, de 11 de outubro de
2010 e nº 01, de 19 de janeiro de 2010, da Lei Complementar n° 123, de 14 de dezembro
de 2006, da Lei nº 11.488, de 15 de junho de 2007, do Decreto n° 8.538, de 06 de outubro
de 2015, aplicando-se, subsidiariamente, a Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, Portaria
nº 409, de 21 de dezembro de 2016 e as exigências estabelecidas neste Edital.

Data da sessão: 13 de novembro de 2017

Horário: 10h (Horário de Brasília)

Local: Portal de Compras do Governo Federal – www.comprasgovernamentais.gov.br

1. DO OBJETO
1.1. O objeto da presente licitação é a escolha da proposta mais vantajosa para
a contratação de serviços continuados de manutenção predial,
predial preventiva e corretiva,
com dedicação exclusiva de mão de obra, bem como eventuais sob demanda, para a
realização de serviços diversos nos sistemas, equipamentos e instalações das
unidades da Advocacia-Geral da União situadas no Estado do Maranhão, Maranhão que
compreenderá o fornecimento dos postos de serviços, peças, materiais de reposição e
equipamentos necessários e adequados à execução dos serviços, conforme condições,
quantidades e exigências estabelecidas neste Edital e seus anexos.
1.2. A licitação será em um único grupo, conforme tabela constante do Termo de
Referência, Anexo I deste edital.

2. DOS RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS


2.1. As despesas para atender a esta licitação estão programadas em dotação
orçamentária própria, prevista no orçamento da União para o exercício de 2017, na
classificação abaixo:
Gestão/Unidade: 110096

1
Fonte: 00001
Programa de Trabalho: 1038
Elemento de Despesa: 339039
PI: AGU0059

3. DO CREDENCIAMENTO
3.1. O Credenciamento é o nível básico do registro cadastral no SICAF, que
permite a participação dos interessados na modalidade licitatória Pregão, em sua
forma eletrônica.
3.2. O cadastro no SICAF poderá ser iniciado no Portal de Compras do Governo
Federal, no sítio www.comprasgovernamentais.gov.br, com a solicitação de login e
senha pelo interessado.
3.3. O credenciamento junto ao provedor do sistema implica a responsabilidade
do licitante ou de seu representante legal e a presunção de sua capacidade técnica
para realização das transações inerentes a este Pregão.
3.4. O uso da senha de acesso pelo licitante é de sua responsabilidade exclusiva,
incluindo qualquer transação efetuada diretamente ou por seu representante, não
cabendo ao provedor do sistema, ou ao órgão ou entidade responsável por esta
licitação, responsabilidade por eventuais danos decorrentes de uso indevido da senha,
ainda que por terceiros.
3.5. A perda da senha ou a quebra de sigilo deverão ser comunicadas
imediatamente ao provedor do sistema para imediato bloqueio de acesso.

4. DA PARTICIPAÇÃO NO PREGÃO.
4.1. Poderão participar deste Pregão interessados cujo ramo de atividade seja
compatível com o objeto desta licitação, e que estejam com Credenciamento regular
no Sistema de Cadastramento Unificado de Fornecedores – SICAF, conforme disposto
no §3º do artigo 8º da IN SLTI/MP nº 2, de 2010.
4.2. Não poderão participar desta licitação os interessados:
4.2.1. proibidos de participar de licitações e celebrar contratos
administrativos, na forma da legislação vigente;
4.2.2. estrangeiros que não tenham representação legal no Brasil com
poderes expressos para receber citação e responder administrativa ou
judicialmente;
4.2.3. que se enquadrem nas vedações previstas no artigo 9º da Lei nº
8.666, de 1993;
4.2.4. que estejam sob falência, em recuperação judicial ou extrajudicial,
concurso de credores, concordata ou insolvência, em processo de dissolução ou
liquidação;
4.2.5. entidades empresariais que estejam reunidas em consórcio;
4.2.6. Sociedades Cooperativas, considerando a vedação contida no Termo
de Conciliação Judicial firmado entre o Ministério Público do Trabalho e a União,

2
anexo ao Edital, e a proibição do artigo 4° da Instrução Normativa SLTI/MP n°
2, de 30 de abril de 2008.
4.3. Como condição para participação no Pregão, o licitante assinalará “sim” ou
“não” em campo próprio do sistema eletrônico, relativo às seguintes declarações:
4.3.1. que cumpre os requisitos estabelecidos no artigo 3° da Lei
Complementar nº 123, de 2006, estando apto a usufruir do tratamento
favorecido estabelecido em seus arts. 42 a 49.
4.3.1.1. a assinalação do campo “não” apenas produzirá o efeito de o
licitante não ter direito ao tratamento favorecido previsto na Lei
Complementar nº 123, de 2006, mesmo que microempresa ou empresa
de pequeno porte;
4.3.2. que está ciente e concorda com as condições contidas no Edital e seus
anexos, bem como de que cumpre plenamente os requisitos de habilitação
definidos no Edital;
4.3.3. que inexistem fatos impeditivos para sua habilitação no certame,
ciente da obrigatoriedade de declarar ocorrências posteriores;
4.3.4. que não emprega menor de 18 anos em trabalho noturno, perigoso
ou insalubre e não emprega menor de 16 anos, salvo menor, a partir de 14
anos, na condição de aprendiz, nos termos do artigo 7°, XXXIII, da Constituição.
4.3.5. que a proposta foi elaborada de forma independente, nos termos da
Instrução Normativa SLTI/MP nº 2, de 16 de setembro de 2009.

5. DO ENVIO DA PROPOSTA
5.1. O licitante deverá encaminhar a proposta por meio do sistema eletrônico até
a data e horário marcados para abertura da sessão, quando, então, encerrar-se-á
automaticamente a fase de recebimento de propostas.
5.2. Todas as referências de tempo no Edital, no aviso e durante a sessão pública
observarão o horário de Brasília – DF.
5.3. O licitante será responsável por todas as transações que forem efetuadas
em seu nome no sistema eletrônico, assumindo como firmes e verdadeiras suas
propostas e lances.
5.4. Incumbirá ao licitante acompanhar as operações no sistema eletrônico
durante a sessão pública do Pregão, ficando responsável pelo ônus decorrente da
perda de negócios, diante da inobservância de quaisquer mensagens emitidas pelo
sistema ou de sua desconexão.
5.5. Até a abertura da sessão, os licitantes poderão retirar ou substituir as
propostas apresentadas.
5.6. O licitante deverá enviar sua proposta mediante o preenchimento, no
sistema eletrônico, dos seguintes campos:
5.6.1. Valor anual/total do grupo;
5.6.2. Descrição detalhada do objeto, contendo, entre outras, as seguintes
informações:
5.6.2.1. A indicação dos sindicatos, acordos coletivos, convenções
coletivas ou sentenças normativas que regem as categorias profissionais

3
que executarão o serviço e as respectivas datas bases e vigências, com
base na Classificação Brasileira de Ocupações - CBO;
5.6.2.2. A quantidade de pessoal que será alocado na execução
contratual;
5.6.2.3. A relação dos materiais e equipamentos que serão utilizados
na execução dos serviços, indicando o quantitativo e sua especificação;
5.7. Todas as especificações do objeto contidas na proposta vinculam a
Contratada.
5.8. Nos valores propostos estarão inclusos todos os custos operacionais,
encargos previdenciários, trabalhistas, tributários, comerciais e quaisquer outros que
incidam direta ou indiretamente na prestação dos serviços, apurados mediante o
preenchimento do modelo de Planilha de Custos e Formação de Preços, conforme
anexo deste Edital;
5.8.1. A Contratada deverá arcar com o ônus decorrente de eventual
equívoco no dimensionamento dos quantitativos de sua proposta, inclusive
quanto aos custos variáveis decorrentes de fatores futuros e incertos, tais como
os valores providos com o quantitativo de vale transporte, devendo
complementá-los, caso o previsto inicialmente em sua proposta não seja
satisfatório para o atendimento do objeto da licitação, exceto quando ocorrer
algum dos eventos arrolados nos incisos do §1° do artigo 57 da Lei n° 8.666, de
1993.
5.8.2. Caso a proposta apresente eventual equívoco no dimensionamento
dos quantitativos que favoreça a Contratada, este será revertido como lucro
durante a vigência da contratação, mas poderá ser objeto de negociação para
a eventual prorrogação contratual.
5.9. O prazo de validade da proposta não será inferior a 60 (sessenta) dias, a
contar da data de sua apresentação.

6. DA FORMULAÇÃO DE LANCES E JULGAMENTO DAS PROPOSTAS


6.1. A abertura da presente licitação dar-se-á em sessão pública, por meio de
sistema eletrônico, na data, horário e local indicados neste Edital.
6.2. O Pregoeiro verificará as propostas apresentadas, desclassificando desde
logo aquelas que não estejam em conformidade com os requisitos estabelecidos neste
Edital, contenham vícios insanáveis, ilegalidades, ou não apresentem as
especificações técnicas exigidas no Termo de Referência.
6.2.1. A desclassificação será sempre fundamentada e registrada no
sistema, com acompanhamento em tempo real por todos os participantes.
6.2.2. A não desclassificação da proposta não impede o seu julgamento
definitivo em sentido contrário, levado a efeito na fase de aceitação.
6.3. O sistema ordenará automaticamente as propostas classificadas, sendo que
somente estas participarão da fase de lances.
6.4. O sistema disponibilizará campo próprio para troca de mensagens entre o
Pregoeiro e os licitantes.

4
6.5. Iniciada a etapa competitiva, os licitantes deverão encaminhar lances
exclusivamente por meio de sistema eletrônico, sendo imediatamente informados do
seu recebimento e do valor consignado no registro.
6.5.1. O lance deverá ser ofertado pelo valor anual/total do grupo.
6.6. Os licitantes poderão oferecer lances sucessivos, observando o horário
fixado para abertura da sessão e as regras estabelecidas no Edital.
6.7. O licitante somente poderá oferecer lance inferior ao último por ele ofertado
e registrado pelo sistema.
6.7.1. O intervalo entre os lances enviados pelo mesmo licitante não poderá
ser inferior a vinte (20) segundos e o intervalo entre lances não poderá ser
inferior a três (3) segundos
6.8. Não serão aceitos dois ou mais lances de mesmo valor, prevalecendo aquele
que for recebido e registrado em primeiro lugar.
6.9. Durante o transcurso da sessão pública, os licitantes serão informados, em
tempo real, do valor do menor lance registrado, vedada a identificação do licitante.
6.10. No caso de desconexão com o Pregoeiro, no decorrer da etapa competitiva
do Pregão, o sistema eletrônico poderá permanecer acessível aos licitantes para a
recepção dos lances.
6.11. Se a desconexão perdurar por tempo superior a 10 (dez) minutos, a sessão
será suspensa e terá reinício somente após comunicação expressa do Pregoeiro aos
participantes.
6.12. O Critério de julgamento adotado será o menor preço, conforme definido
neste Edital e seus anexos.
6.13. A etapa de lances da sessão pública será encerrada por decisão do Pregoeiro.
O sistema eletrônico encaminhará aviso de fechamento iminente dos lances, após o
que transcorrerá período de tempo de até 30 (trinta) minutos, aleatoriamente
determinado pelo sistema, findo o qual será automaticamente encerrada a recepção
de lances.
6.14. Caso o licitante não apresente lances, concorrerá com o valor de sua
proposta e, na hipótese de desistência de apresentar outros lances, valerá o último
lance por ele ofertado, para efeito de ordenação das propostas.
6.15. Encerrada a etapa de lances, será efetivada a verificação automática, junto
à Receita Federal, do porte da entidade empresarial. O sistema identificará em coluna
própria as microempresas e as empresas de pequeno porte participantes, procedendo
à comparação com os valores da primeira colocada, se esta for empresa de maior
porte, assim como das demais classificadas, para o fim de aplicar-se o disposto nos
arts. 44 e 45 da LC nº 123, de 2006, regulamentada pelo Decreto nº 8.538, de 2015.
6.16. Nessas condições, as propostas de microempresas e empresas de pequeno
porte que se encontrarem na faixa de até 5% (cinco por cento) acima da proposta ou
lance de menor preço serão consideradas empatadas com a primeira colocada.
6.17. A melhor classificada nos termos do item anterior terá o direito de
encaminhar uma última oferta para desempate, obrigatoriamente em valor inferior ao
da primeira colocada, no prazo de 5 (cinco) minutos controlados pelo sistema,
contados após a comunicação automática para tanto.

5
6.18. Caso a microempresa ou a empresa de pequeno porte melhor classificada
desista ou não se manifeste no prazo estabelecido, serão convocadas as demais
licitantes microempresa e empresa de pequeno porte que se encontrem naquele
intervalo de 5% (cinco por cento), na ordem de classificação, para o exercício do
mesmo direito, no prazo estabelecido no subitem anterior.

7. DA ACEITABILIDADE DA PROPOSTA VENCEDORA.


7.1. Encerrada a etapa de lances e depois da verificação de possível empate, o
Pregoeiro examinará a proposta classificada em primeiro lugar quanto ao preço, a sua
exequibilidade, bem como quanto ao cumprimento das especificações do objeto.
7.2. Será desclassificada a proposta ou o lance vencedor com valor superior ao
preço máximo fixado, ou que apresentar preço manifestamente inexequível.
7.2.1. Considera-se inexequível a proposta de preços ou menor lance que:
7.2.1.1. comprovadamente, for insuficiente para a cobertura dos
custos da contratação, apresente preços global ou unitários simbólicos,
irrisórios ou de valor zero, incompatíveis com os preços dos insumos e
salários de mercado, acrescidos dos respectivos encargos, ainda que o
ato convocatório da licitação não tenha estabelecido limites mínimos,
exceto quando se referirem a materiais e instalações de propriedade do
próprio licitante, para os quais ele renuncie a parcela ou à totalidade da
remuneração.
7.2.1.2. apresentar um ou mais valores da planilha de custo que sejam
inferiores àqueles fixados em instrumentos de caráter normativo
obrigatório, tais como leis, medidas provisórias e convenções coletivas de
trabalho vigentes.
7.2.2. A fim de assegurar o tratamento isonômico entre as licitantes, bem
como para a contagem da anualidade prevista no art. 3º, §1º da Lei n.
10.192/2001, informa-se que foram utilizadas as seguintes convenções
coletivas de trabalho no cálculo do valor estimado pela Administração:
7.2.2.1. SINDICATO NACIONAL DA INDUSTRIA DA CONSTRUÇÃO
PESADA, CNPJ n. 33.645.540/0001-81 e o SIND DOS TRAB NA IND DA
CONST PESAD, MOB, ART DE CIM E O.ARTE DE S. LUIS, P.LUMIAR,
S.J.RIBAMAR, RAPOSA E ALCANTARA, CNPJ n. 06.300.875/0001-95;
7.2.2.2. SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO
PESADA, CNPJ n. 33.645.540/0001-81 e a FEDERAÇÃO DOS T NAS IND DA
CONST E DO M. DO E. MARANHÃO, CNPJ n. 23.698.145/0001-03;
7.3. Se houver indícios de inexequibilidade da proposta de preço, ou em caso da
necessidade de esclarecimentos complementares, poderão ser efetuadas diligências,
na forma do § 3° do artigo 43 da Lei n° 8.666, de 1993, a exemplo das enumeradas no
§3º, do art. 29, da IN SLTI/MP nº 2, de 2008.
7.4. Quando o licitante apresentar preço final inferior a 30% (trinta por cento) da
média dos preços ofertados para o mesmo grupo, e a inexequibilidade da proposta não
for flagrante e evidente pela análise da planilha de custos, não sendo possível a sua
imediata desclassificação, será obrigatória a realização de diligências para aferir a
legalidade e exequibilidade da proposta.

6
7.5. Qualquer interessado poderá requerer que se realizem diligências para aferir
a exequibilidade e a legalidade das propostas, devendo apresentar as provas ou os
indícios que fundamentam a suspeita.
7.6. O Pregoeiro poderá convocar o licitante para enviar documento digital, por
meio de funcionalidade disponível no sistema, estabelecendo no “chat” prazo mínimo
de 01 (uma) hora,
hora sob pena de não aceitação da proposta.
7.6.1. O prazo estabelecido pelo Pregoeiro poderá ser prorrogado por
solicitação escrita e justificada do licitante, formulada antes de findo o prazo
estabelecido, e formalmente aceita pelo Pregoeiro.
7.6.2. Dentre os documentos passíveis de solicitação pelo Pregoeiro,
destacam-se as planilhas de custo readequadas com o valor final ofertado.
7.6.3. Todos os dados informados pelo licitante em sua planilha deverão
refletir com fidelidade os custos especificados e a margem de lucro pretendida.
7.6.4. O Pregoeiro analisará a compatibilidade dos preços unitários
apresentados na Planilha de Custos e Formação de Preços com aqueles
praticados no mercado em relação aos insumos e também quanto aos salários
das categorias envolvidas na contratação;
7.6.5. Erros no preenchimento da planilha não constituem motivo para a
desclassificação da proposta. A planilha poderá ser ajustada pelo licitante, no
prazo indicado pelo Pregoeiro, desde que não haja majoração do preço
proposto.
7.6.5.1. Considera-se erro no preenchimento da planilha a indicação
de recolhimento de impostos e contribuições na forma do Simples
Nacional, exceto para atividades de prestação de serviços previstas nos
§§5º-B a 5º-E, do artigo 18, da LC 123, de 2006.
7.7. Se a proposta ou lance vencedor for desclassificado, o Pregoeiro examinará
a proposta ou lance subsequente, e, assim sucessivamente, na ordem de classificação.
7.8. Havendo necessidade, o Pregoeiro suspenderá a sessão, informando no
“chat” a nova data e horário para a continuidade da mesma.
7.9. O Pregoeiro poderá encaminhar, por meio do sistema eletrônico,
contraproposta ao licitante que apresentou o lance mais vantajoso, com o fim de
negociar a obtenção de melhor preço, vedada a negociação em condições diversas das
previstas neste Edital.
7.9.1. Também nas hipóteses em que o Pregoeiro não aceitar a proposta e
passar à subsequente, poderá negociar com o licitante para que seja obtido
preço melhor.
7.9.2. A negociação será realizada por meio do sistema, podendo ser
acompanhada pelos demais licitantes.
7.10. Sempre que a proposta não for aceita, e antes de o Pregoeiro passar à
subsequente, haverá nova verificação, pelo sistema, da eventual ocorrência do empate
ficto, previsto nos artigos 44 e 45 da LC nº 123, de 2006, seguindo-se a disciplina antes
estabelecida, se for o caso.

7
8. DA HABILITAÇÃO
8.1. Como condição prévia ao exame da documentação de habilitação do licitante
detentor da proposta classificada em primeiro lugar, o Pregoeiro verificará o eventual
descumprimento das condições de participação, especialmente quanto à existência de
sanção que impeça a participação no certame ou a futura contratação, mediante a
consulta aos seguintes cadastros:
8.1.1. SICAF;
8.1.2. Cadastro Nacional de Empresas Inidôneas e Suspensas – CEIS,
mantido pela Controladoria-Geral da União
(www.portaldatransparencia.gov.br/ceis);
8.1.3. Cadastro Nacional de Condenações Cíveis por Atos de Improbidade
Administrativa, mantido pelo Conselho Nacional de Justiça
(www.cnj.jus.br/improbidade_adm/consultar_requerido.php).
8.1.4. Lista de Inidôneos, mantida pelo Tribunal de Contas da União – TCU;
8.1.5. A consulta aos cadastros será realizada em nome da empresa
licitante e também de seu sócio majoritário, por força do artigo 12 da Lei n°
8.429, de 1992, que prevê, dentre as sanções impostas ao responsável pela
prática de ato de improbidade administrativa, a proibição de contratar com o
Poder Público, inclusive por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio
majoritário.
8.1.6. Constatada a existência de sanção, o Pregoeiro reputará o licitante
inabilitado, por falta de condição de participação.
8.2. Os licitantes deverão apresentar a seguinte documentação relativa à
Habilitação Jurídica, Regularidade Fiscal e trabalhista:
8.3. Habilitação jurídica:
8.3.1. no caso de empresário individual, inscrição no Registro Público de
Empresas Mercantis;
8.3.2. em se tratando de sociedades comerciais ou empresa individual de
responsabilidade limitada: ato constitutivo em vigor, devidamente registrado,
e, no caso de sociedades por ações, acompanhado de documentos de eleição
de seus administradores;
8.3.3. inscrição no Registro Público de Empresas Mercantis onde opera, com
averbação no Registro onde tem sede a matriz, no caso de ser o participante
sucursal, filial ou agência;
8.3.4. inscrição do ato constitutivo no Registro Civil das Pessoas Jurídicas,
no caso de sociedades simples, acompanhada de prova de diretoria em
exercício;
8.3.5. decreto de autorização, em se tratando de sociedade empresária
estrangeira em funcionamento no País;
8.3.6. Os documentos acima deverão estar acompanhados de todas as
alterações ou da consolidação respectiva;
8.4. Regularidade
Regularidade fiscal e trabalhista:
trabalhista:
8.4.1. prova de inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas;

8
8.4.2. prova de regularidade fiscal perante a Fazenda Nacional, mediante
apresentação de certidão expedida conjuntamente pela Secretaria da Receita
Federal do Brasil (RFB) e pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN),
referente a todos os créditos tributários federais e à Dívida Ativa da União (DAU)
por elas administrados, inclusive aqueles relativos à Seguridade Social, nos
termos da Portaria Conjunta nº 1.751, de 02/10/2014, do Secretário da Receita
Federal do Brasil e da Procuradora-Geral da Fazenda Nacional.
8.4.3. prova de regularidade com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço
(FGTS);
8.4.4. prova de inexistência de débitos inadimplidos perante a Justiça do
Trabalho, mediante a apresentação de certidão negativa ou positiva com efeito
de negativa, nos termos do Título VII-A da Consolidação das Leis do Trabalho,
aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943;
8.4.5. prova de inscrição no cadastro de contribuintes municipal, relativo ao
domicílio ou sede do licitante, pertinente ao seu ramo de atividade e compatível
com o objeto contratual;
8.4.6. prova de regularidade com a Fazenda Municipal do domicílio ou sede
do licitante, relativa à atividade em cujo exercício contrata ou concorre;
8.4.7. caso o licitante seja considerado isento dos tributos municipais
relacionados ao objeto licitatório, deverá comprovar tal condição mediante a
apresentação de declaração da Fazenda Municipal do seu domicílio ou sede, ou
outra equivalente, na forma da lei;
8.4.8. caso o licitante detentor do menor preço seja microempresa ou
empresa de pequeno porte, deverá apresentar toda a documentação exigida
para efeito de comprovação de regularidade fiscal, mesmo que esta apresente
alguma restrição, sob pena de inabilitação.
8.4.9. A licitante melhor classificada deverá, também, apresentar a
documentação de regularidade fiscal das microempresas e/ou empresas de
pequeno porte que serão subcontratadas no decorrer da execução do contrato,
nos moldes do item 13 do Anexo I deste edital, ainda que exista alguma
restrição, aplicando-se o prazo de regularização previsto no art. 4º, §1º do
Decreto nº 8.538, de 2015.
8.5. Qualificação econômico-
econômico-financeira:
8.5.1. certidão negativa de falência ou recuperação judicial expedida pelo
distribuidor da sede do licitante;
8.5.2. balanço patrimonial e demonstrações contábeis do último exercício
social, já exigíveis e apresentados na forma da lei, que comprovem a boa
situação financeira da empresa, vedada a sua substituição por balancetes ou
balanços provisórios, podendo ser atualizados por índices oficiais quando
encerrado há mais de 3 (três) meses da data de apresentação da proposta;
8.5.2.1. no caso de empresa constituída no exercício social vigente,
admite-se a apresentação de balanço patrimonial e demonstrações
contábeis referentes ao período de existência da sociedade;
8.5.3. comprovação da boa situação financeira da empresa mediante
obtenção de índices de Liquidez Geral (LG), Solvência Geral (SG) e Liquidez
Corrente (LC), superiores a 1 (um), obtidos pela aplicação das seguintes
fórmulas:

9
Ativo Circulante + Realizável a Longo
Prazo
LG =
Passivo Circulante + Passivo Não
Circulante

Ativo Total
SG = Passivo Circulante + Passivo Não
Circulante

Ativo Circulante
LC =
Passivo Circulante

8.5.4. As empresas, cadastradas ou não no SICAF, deverão ainda


complementar a comprovação da qualificação econômico-financeira por meio
de:
8.5.4.1. Comprovação de possuir Capital Circulante Líquido (CCL) ou
Capital de Giro (Ativo Circulante – Passivo Circulante) de, no mínimo,
16,66% (dezesseis inteiros e sessenta e seis centésimos por cento) do
valor estimado para a contratação ou item pertinente, tendo por base o
balanço patrimonial e as demonstrações contábeis do último exercício
social;
8.5.4.2. Comprovação de patrimônio líquido de 10% (dez por cento) do
valor estimado da contratação, por meio da apresentação do balanço
patrimonial e demonstrações contáveis do último exercício social,
apresentados na forma da lei, vedada a substituição por balancetes ou
balanços provisórios, podendo ser atualizados por índices oficiais quando
encerrados há mais de 3 (três) meses da data da apresentação da
proposta.
8.5.4.3. Comprovação, por meio de declaração, da relação de
compromissos assumidos, conforme modelo constante do Anexo VII, VII de
que 1/12 (um doze avos) do valor total dos contratos firmados com a
Administração Pública e/ou com a iniciativa privada, vigentes na data da
sessão pública de abertura deste Pregão, não é superior ao Patrimônio
Líquido do licitante, podendo este ser atualizado na forma já disciplinada
neste Edital;
8.5.4.4. a declaração de que trata a subcondição acima deverá estar
acompanhada da Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) relativa
ao último exercício social,
8.5.4.5. quando houver divergência percentual superior a 10% (dez por
cento), para mais ou para menos, entre a declaração aqui tratada e a
receita bruta discriminada na Demonstração do Resultado do Exercício
(DRE), deverão ser apresentadas, concomitantemente, as devidas
justificativas.
8.6. As empresas, deverão comprovar, ainda, a qualificação técnica, por meio de:
8.6.1. Registro ou inscrição da empresa licitante na entidade profissional
(Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA), em plena validade e

10
registro do responsável técnico (Engenheiro Civil) legalmente habilitado para
as atividades de manutenção predial preventiva e corretiva;
8.6.2. Comprovação de aptidão para a prestação dos serviços em
características, quantidades e prazos compatíveis com o objeto desta licitação,
ou com o item pertinente, por período não inferior
inferior a dois anos,
anos mediante a
apresentação de atestados fornecidos por pessoas jurídicas de direito público
ou privado.
8.6.2.1. Os atestados deverão referir-se a serviços prestados no
âmbito de sua atividade econômica principal ou secundária especificadas
no contrato social vigente;
8.6.2.2. Somente serão aceitos atestados expedidos após a conclusão
do contrato ou se decorrido, pelo menos, um ano do início de sua
execução, exceto se firmado para ser executado em prazo inferior.
8.6.2.3. Para a comprovação da experiência mínima de 2 (dois)
dois) anos,
anos
será aceito o somatório de atestados de períodos diferentes.
8.6.2.4. O licitante disponibilizará todas as informações necessárias à
comprovação da legitimidade dos atestados apresentados, apresentando,
dentre outros documentos, cópia do contrato que deu suporte à
contratação, endereço atual da contratante e local em que foram
prestados os serviços;
8.6.2.5. O(s) atestado(s) de capacitação técnico-profissional, será(ão)
comprovado(s) mediante apresentação de Atestado de Capacidade
Técnica, expedido por pessoa jurídica de direito público ou privado,
devidamente registrado no CREA e acompanhado da respectiva Certidão
de Acervo Técnico (CAT) emitida e autenticada pelo CREA, em nome dos
profissionais integrantes do quadro permanente da licitante, na qual fique
comprovada que ela tenha prestado ou esteja prestando serviços
continuados de manutenção predial , com fornecimento de mão de obra,
em quantidade e características compatíveis com o objeto da presente
licitação;
8.6.2.6. No caso de a empresa licitante ou o responsável técnico não
serem registrados ou inscritos no CREA do Estado do Maranhão, deverão
ser providenciados os respectivos vistos deste órgão regional por ocasião
da assinatura do contrato;
8.6.3. Na contratação de serviços continuados com mais de 40 (quarenta)
postos, o licitante deverá comprovar que tenha executado contrato com um
mínimo de 50% (cinquenta por cento) do número de postos de trabalho a serem
contratados.
8.6.4. Quando o número de postos de trabalho a ser contratado for igual ou
inferior a 40 (quarenta), o licitante deverá comprovar que tenha executado
contrato com um quantitativo mínimo igual ou superior ao solicitado no
presente certame licitatório..
8.6.5. Para a comprovação do número mínimo de postos exigido, será aceito
o somatório de atestados que comprovem que o licitante gerencia ou gerenciou
serviços de terceirização compatíveis com o objeto licitado por período não
inferior a 2 (dois) anos, nos termos do art. 19, §12º da IN n. 02/2008.

11
8.7. Os documentos exigidos para habilitação relacionados nos subitens acima,
deverão ser apresentados em meio digital pelos licitantes, por meio de funcionalidade
presente no sistema (upload), no prazo de 2 (duas) horas,
horas após solicitação do Pregoeiro
no sistema eletrônico. Somente mediante autorização do Pregoeiro e em caso de
indisponibilidade do sistema, será aceito o envio da documentação por meio do e-mail
cpl.sad.pe@agu.gov.br.
cpl.sad.pe@agu.gov.br Posteriormente, os documentos serão remetidos em original,
por qualquer processo de cópia reprográfica, autenticada por tabelião de notas, ou por
servidor da Administração, desde que conferidos com o original, ou publicação em
órgão da imprensa oficial, para análise, no prazo de 03 (três) dias úteis,
úteis após encerrado
o prazo para o encaminhamento via funcionalidade do sistema (upload) ou e-mail.
8.7.1. Não serão aceitos documentos com indicação de CNPJ/CPF diferentes,
salvo aqueles legalmente permitidos.
8.8. Em relação às licitantes cadastradas no Sistema de Cadastro Unificado de
Fornecedores – SICAF, o Pregoeiro consultará o referido Sistema em relação aos
documentos de habilitação jurídica, regularidade fiscal e trabalhista, conforme o
disposto nos arts. 4º, caput, 8º, § 3º, 13 a 18 e 43, III, da Instrução Normativa SLTI/MP
nº 2, de 11.10.10.
8.8.1. Também poderão ser consultados os sítios oficiais emissores de
certidões, especialmente quando o licitante esteja com alguma documentação
vencida junto ao SICAF.
8.8.2. Caso o Pregoeiro não logre êxito em obter a certidão correspondente
através do sítio oficial, ou na hipótese de se encontrar vencida no referido
sistema, o licitante será convocado a encaminhar, no prazo de 2 (duas) horas,
horas
documento válido que comprove o atendimento das exigências deste Edital,
sob pena de inabilitação, ressalvado o disposto quanto à comprovação da
regularidade fiscal das licitantes qualificadas como microempresas ou
empresas de pequeno porte, conforme estatui o art. 43, § 1º da LC nº 123, de
2006.
8.9. A existência de restrição relativamente à regularidade fiscal não impede que
a licitante qualificada como microempresa ou empresa de pequeno porte seja
declarada vencedora, uma vez que atenda a todas as demais exigências do edital.
8.9.1. A declaração do vencedor acontecerá no momento imediatamente
posterior à fase de habilitação.
8.10. Caso a proposta mais vantajosa seja ofertada por microempresa, empresa
de pequeno porte ou sociedade cooperativa equiparada, e uma vez constatada a
existência de alguma restrição no que tange à regularidade fiscal, a mesma será
convocada para, no prazo de 5 (cinco) dias úteis, após a declaração do vencedor,
comprovar a regularização. O prazo poderá ser prorrogado por igual período, a critério
da administração pública, quando requerida pelo licitante, mediante apresentação de
justificativa.
8.11. A não-regularização fiscal no prazo previsto no subitem anterior acarretará
a inabilitação do licitante, sem prejuízo das sanções previstas neste Edital, com a
reabertura da sessão pública.
8.12. Havendo necessidade de analisar minuciosamente os documentos exigidos,
o Pregoeiro suspenderá a sessão, informando no “chat” a nova data e horário para a
continuidade da mesma.

12
8.13. Será inabilitado o licitante que não comprovar sua habilitação, seja por não
apresentar quaisquer dos documentos exigidos, ou apresentá-los em desacordo com
o estabelecido neste Edital.
8.14. No caso de inabilitação, haverá nova verificação, pelo sistema, da eventual
ocorrência do empate ficto, previsto nos artigos 44 e 45 da LC nº 123, de 2006,
seguindo-se a disciplina antes estabelecida para aceitação da proposta subsequente.
8.15. Da sessão pública do Pregão divulgar-se-á Ata no sistema eletrônico.

9. DA REABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA


9.1. A sessão pública poderá ser reaberta:
9.1.1. Nas hipóteses de provimento de recurso que leve à anulação de atos
anteriores à realização da sessão pública precedente ou em que seja anulada a
própria sessão pública, situação em que serão repetidos os atos anulados e os
que dele dependam.
9.1.2. Quando houver erro na aceitação do preço melhor classificado ou
quando o licitante declarado vencedor não assinar o contrato, não retirar o
instrumento equivalente ou não comprovar a regularização fiscal, nos termos
do art. 43, §1º da LC nº 123/2006. Nessas hipóteses, serão adotados os
procedimentos imediatamente posteriores ao encerramento da etapa de
lances.
9.2. Todos os licitantes remanescentes deverão ser convocados para
acompanhar a sessão reaberta.
9.2.1. A convocação se dará por meio do sistema eletrônico (“chat”), e-mail,
ou, ainda, fac-símile, de acordo com a fase do procedimento licitatório.
9.2.2. A convocação feita por e-mail ou fac-símile dar-se-á de acordo com
os dados contidos no SICAF, sendo responsabilidade do licitante manter seus
dados cadastrais atualizados.

10. DO ENCAMINHAMENTO DA PROPOSTA VENCEDORA


10.1. A proposta final do licitante declarado vencedor deverá ser encaminhada no
prazo de 3 (três) dias úteis,
úteis a contar da solicitação do Pregoeiro no sistema eletrônico
e deverá:
10.1.1. ser redigida em língua portuguesa, datilografada ou digitada, em uma
via, sem emendas, rasuras, entrelinhas ou ressalvas, devendo a última folha
ser assinada e as demais rubricadas pelo licitante ou seu representante legal.
10.1.2. apresentar a planilha de custos e formação de preços, devidamente
ajustada ao lance vencedor, em conformidade com o modelo anexo a este
instrumento convocatório.
10.1.3. conter a indicação do banco, número da conta e agência do licitante
vencedor, para fins de pagamento.
10.2. A proposta final deverá ser documentada nos autos e será levada em
consideração no decorrer da execução do contrato e aplicação de eventual sanção à
Contratada, se for o caso.

13
10.2.1. Todas as especificações do objeto contidas na proposta vinculam a
Contratada.

11. DOS RECURSOS


11.1. O Pregoeiro declarará o vencedor e, depois de decorrida a fase de
regularização fiscal de microempresa ou empresa de pequeno porte, se for o caso,
concederá o prazo de no mínimo trinta minutos, para que qualquer licitante manifeste
a intenção de recorrer, de forma motivada, isto é, indicando contra qual(is)
decisão(ões) pretende recorrer e por quais motivos, em campo próprio do sistema.
11.2. Havendo quem se manifeste, caberá ao Pregoeiro verificar a tempestividade
e a existência de motivação da intenção de recorrer, para decidir se admite ou não o
recurso, fundamentadamente.
11.2.1. Nesse momento o Pregoeiro não adentrará no mérito recursal, mas
apenas verificará as condições de admissibilidade do recurso.
11.2.2. A falta de manifestação motivada do licitante quanto à intenção de
recorrer importará a decadência desse direito.
11.2.3. Uma vez admitido o recurso, o recorrente terá, a partir de então, o
prazo de três dias para apresentar as razões, pelo sistema eletrônico, ficando
os demais licitantes, desde logo, intimados para, querendo, apresentarem
contrarrazões também pelo sistema eletrônico, em outros três dias, que
começarão a contar do término do prazo do recorrente, sendo-lhes assegurada
vista imediata dos elementos indispensáveis à defesa de seus interesses.
11.3. O acolhimento do recurso invalida tão somente os atos insuscetíveis de
aproveitamento.
11.4. Os autos do processo permanecerão com vista franqueada aos interessados,
no endereço constante neste Edital.

12. DA ADJUDICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO


12.1. O objeto da licitação será adjudicado ao licitante declarado vencedor, por ato
do Pregoeiro, caso não haja interposição de recurso, ou pela autoridade competente,
após a regular decisão dos recursos apresentados.
12.2. Após a fase recursal, constatada a regularidade dos atos praticados, a
autoridade competente homologará o procedimento licitatório.

13. DA GARANTIA DE EXECUÇÃO


13.1. O adjudicatário, no prazo de 10 (dez) dias úteis após a assinatura do Termo
de Contrato, prestará garantia no valor correspondente a 5% (cinco por cento) do valor
previsto no subitem 5.3 do Termo de Referência (Anexo I do Edital), que será liberada
de acordo com as condições previstas neste Edital, conforme disposto no art. 56 da Lei
nº 8.666, de 1993, desde que cumpridas as obrigações contratuais. O prazo para
apresentação da garantia poderá ser prorrogado por igual período a critério da
Administração contratante.
13.1.1. A inobservância do prazo fixado para apresentação da garantia
acarretará a aplicação de multa de 0,07% (sete centésimos por cento) do valor
total do contrato por dia de atraso, até o máximo de 2% (dois por cento).

14
13.1.2. O atraso superior a 25 (vinte e cinco) dias autoriza a Contratante a
promover a rescisão do contrato por descumprimento ou cumprimento irregular
de suas cláusulas, conforme dispõem os incisos I e II do art. 78 da Lei n. 8.666
de 1993.
13.2. A validade da garantia, qualquer que seja a modalidade escolhida, deverá
abranger um período de 90 dias após o término da vigência contratual, conforme art.
2º, §2º, V, da Portaria MP nº 409, de 2016.
13.3. A garantia assegurará, qualquer que seja a modalidade escolhida, o
pagamento de:
13.3.1. prejuízos advindos do não cumprimento do objeto do contrato;
13.3.2. prejuízos diretos causados à Administração decorrentes de culpa ou
dolo durante a execução do contrato;
13.3.3. multas moratórias e punitivas aplicadas pela Administração à
contratada; e
13.3.4. obrigações trabalhistas e previdenciárias de qualquer natureza e para
com o FGTS, não adimplidas pela contratada, quando couber.
13.4. A modalidade seguro-garantia somente será aceita se contemplar todos os
eventos indicados no item anterior, mencionados no art. 19, XIX, b da IN SLTI/MP
02/2008, observada a legislação que rege a matéria.
13.5. A garantia em dinheiro deverá ser efetuada em favor da Contratante, em
conta específica na Caixa Econômica Federal, com correção monetária.
13.6. No caso de alteração do valor do contrato, ou prorrogação de sua vigência,
a garantia deverá ser ajustada à nova situação ou renovada, seguindo os mesmos
parâmetros utilizados quando da contratação.
13.7. Se o valor da garantia for utilizado total ou parcialmente em pagamento de
qualquer obrigação, a Contratada obriga-se a fazer a respectiva reposição no prazo
máximo de 10 (dez) dias úteis, contados da data em que for notificada.
13.8. A Contratante executará a garantia na forma prevista na legislação que rege
a matéria.
13.9. Após a execução do contrato, será verificado o pagamento das verbas
rescisórias decorrentes da contratação, ou a realocação dos empregados da
Contratada em outra atividade de prestação de serviços, sem que ocorra a interrupção
dos respectivos contratos de trabalho.
13.9.1. Caso a Contratada não logre efetuar uma das comprovações acima
indicadas até o fim do segundo mês após o encerramento da vigência
contratual, a Contratante poderá utilizar o valor da garantia prestada e dos
valores das faturas correspondentes a 1 (um) mês de serviços para realizar o
pagamento direto das verbas rescisórias aos trabalhadores alocados na
execução contratual, conforme arts. 19-A e 35 da Instrução Normativa SLTI/MP
n° 2, de 2008, conforme obrigação assumida pela contratada.
13.10. Será considerada extinta a garantia:
13.10.1. com a devolução da apólice, carta fiança ou autorização para o
levantamento de importâncias depositadas em dinheiro a título de garantia,
acompanhada de declaração da Contratante, mediante termo circunstanciado,
de que a Contratada cumpriu todas as cláusulas do contrato;

15
13.10.2. no prazo de 03 (três) meses após o término da vigência do contrato,
caso a Administração não comunique a ocorrência de sinistros, quando o prazo
será ampliado, nos termos da comunicação.

14. DA CONTA VINCULADA PARA A QUITAÇÃO DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS


TRABALHISTAS
14.1. Para a garantia do cumprimento das obrigações trabalhistas, com base na
súmula nº 331 do Tribunal Superior do Trabalho, a Superintendência de Administração
em Pernambuco/AGU deverá depositar, mensalmente, em conta vinculada específica,
os valores provisionados para o pagamento das férias, 13º salário e rescisão contratual
dos trabalhadores da Contratada envolvidos na execução do contrato, em consonância
com os dispostos no art. 19-A, e no anexo VII, ambos da Instrução Normativa SLTI/MP
nº 02, de 30 de abril de 2008, com as alterações introduzidas pelas Instruções
Normativas SLTI/MP nº 06, de 23 de dezembro de 2013 e nº 03, de 24 de junho de
2014, os quais somente serão liberados para o pagamento direto dessas verbas aos
trabalhadores, nas seguintes condições:
a) parcial e anualmente, pelo valor correspondente aos 13ºs salários, quando
devidos;

b) parcialmente, pelo valor correspondente as férias e ao 1/3 de férias,


quando dos gozos de férias dos empregados vinculados ao contrato;

c) parcialmente, pelo valor correspondente aos 13ºs salários proporcionais,


férias proporcionais e à indenização compensatória porventura devida sobre
o FGTS, quando da demissão de empregado vinculado ao contrato;

d) ao final da vigência do contrato, para o pagamento das verbas rescisórias;


e

e) o saldo restante, com a execução completa do Contrato, após a


comprovação, por parte da Contratada, da quitação de todos os encargos
trabalhistas e previdenciários relativos ao serviço contratado.

14.1.1. As provisões para o pagamento dos encargos trabalhistas de que


tratam este item, poderão ser destacadas do valor mensal do Contrato e
depositados na mencionada conta vinculada, aberta em nome da Contratada,
em instituição bancária bloqueada para movimentação.
14.1.2. A movimentação da conta vinculada será mediante autorização da
SAD-PE/AGU, exclusivamente para o pagamento dessas obrigações.
14.1.3. O montante dos depósitos da conta-depósito vinculada – bloqueada
para movimentação será igual ao somatório dos valores das seguintes
provisões:
a) 13º salário;
b) férias e um terço constitucional de férias;
c) multa sobre o FGTS e contribuição social para as rescisões sem justa causa;
e,
d) encargos sobre férias e 13º salário.
14.1.4. A assinatura do contrato de prestação de serviços entre a SAD-
PE/AGU e a licitante vencedora do certame será processada com os seguintes
atos:

16
a) entrega, pela empresa a ser contratada, da autorização para solicitação de
abertura de conta vinculada, conforme modelo constante do Anexo deste Edital;
e,

b) assinatura, pela empresa a ser contratada, no ato da regularização da conta


corrente vinculada, de termo específico da instituição financeira oficial que
permita ao SAD-PE/AGU ter acesso aos saldos e extratos, e vincule a
movimentação dos valores depositados à autorização da SAD-PE/AGU.

14.1.5. Os valores referentes às provisões de encargos trabalhistas


mencionados no subitem 14.1.3, depositados em conta vinculada deixarão de
compor o valor mensal a ser pago diretamente à Contratada.
14.1.6. O montante correspondente ao aviso prévio de 30 dias deverá ser
integralmente depositado durante a primeira vigência do contrato, e acrescido
em conformidade com a Lei n° 12.506/2011, em eventuais prorrogações.
14.1.7. Os valores provisionados serão discriminados conforme tabela
abaixo:

RESERVA MENSAL PARA O PAGAMENTO DE ENCARGOS TRABALHISTAS –


PERCENTUAIS INCIDENTES SOBRE A REMUNERAÇÃO

ITEM PERCENTUAL

13º (décimo terceiro) salário 8,33% (oito vírgula trinta e três por cento)

Férias e 1/3 (um terço constitucional) 12,10% (doze vírgula dez por cento)

Multa sobre FGTS e contribuição social


sobre o aviso prévio indenizado e sobre o 5,00 % (cinco por cento)
aviso prévio trabalhado
25,43% (vinte e cinco vírgula quarenta
Subtotal
e três por cento)
Incidência do Submódulo 4.1 sobre férias, 7,39 % (sete 7,60% (sete 7,82%(sete vírgula
um terço constitucional de férias e 13º vírgula trinta e vírgula seis por oitenta e dois por
(décimo terceiro) salário* nove por cento) cento) cento)

32,82% (trinta e 33,03% (trinta


33,25% (trinta e
dois vírgula oitenta e três vírgula
três vírgula vinte
TOTAL e dois por cento) zero três por
e cinco por cento)
cento)

* Considerando as alíquotas de contribuição de 1% (um por cento), 2% (dois por cento) ou


3% (três por cento) referentes ao grau de risco de acidente do trabalho, previstas no art.
22, inciso II, da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991.
14.1.8. A Contratada poderá solicitar a autorização da Contratante para
utilizar os valores da conta vinculada para o pagamento de eventuais
indenizações trabalhistas dos empregados ocorridas durante a vigência do
contrato.
14.1.9. Para a liberação dos recursos da conta vinculada, para o pagamento
de eventuais indenizações trabalhistas dos empregados ocorridas durante a
vigência do contrato, a Contratada deverá apresentar à Contratante os

17
documentos comprobatórios da ocorrência das obrigações trabalhistas e seus
respectivos prazos de vencimento.
14.1.10. A Contratante expedirá, após a confirmação da ocorrência da
indenização trabalhista e a conferência dos cálculos, a autorização para a
movimentação encaminhado a referida autorização à instituição financeira
oficial no prazo máximo de cinco dias úteis, a contar da data da apresentação
dos documentos comprobatórios da Contratada.
14.1.11. A autorização de que trata o subitem anterior deverá especificar que
a movimentação será exclusiva para a transferência bancária para a conta
corrente dos trabalhadores favorecidos.
14.1.12. A Contratada deverá apresentar à Contratante, no prazo máximo de
três dias, o comprovante das transferências bancárias realizadas para a
quitação das obrigações trabalhistas.
O saldo remanescente da conta vinculada será liberado à Contratada, no
momento do encerramento do contrato, na presença do sindicato da categoria
correspondente aos serviços contratados, após a comprovação da quitação de
todos os encargos trabalhistas e previdenciários relativos ao serviço
contratado.

15. DO TERMO DE CONTRATO


15.1. Após a homologação da licitação, o adjudicatário terá o prazo de 10 (dez)
dias úteis, contados a partir da data de sua convocação, para assinar o Termo de
Contrato, cuja vigência será de 12 (doze) meses, podendo ser prorrogado por interesse
da Contratante até o limite de 60 (sessenta) meses, conforme disciplinado no contrato.
15.2. Previamente à contratação, a Administração realizará consulta “on line” ao
SICAF, bem como ao Cadastro Informativo de Créditos não Quitados – CADIN, cujos
resultados serão anexados aos autos do processo.
15.2.1. Na hipótese de irregularidade do registro no SICAF, o contratado
deverá regularizar a sua situação perante o cadastro no prazo de até 05 (cinco)
dias, sob pena de aplicação das penalidades previstas no edital e anexos.
15.3. Alternativamente à convocação para comparecer perante o órgão ou
entidade para a assinatura do Termo de Contrato, a Administração poderá encaminhá-
lo para assinatura, mediante correspondência postal com aviso de recebimento (AR)
ou meio eletrônico, para que seja assinado no prazo de 5 (cinco) dias, a contar da data
de seu recebimento.
15.4. O prazo previsto para assinatura ou aceite poderá ser prorrogado, por igual
período, por solicitação justificada do adjudicatário e aceita pela Administração.
15.5. A licitante vencedora deverá apresentar ainda no ato da assinatura do
contrato as seguintes autorizações:

a) Autorização para a Superintendência de Administração em Pernambuco


fazer o desconto na fatura e o pagamento direto dos salários e demais verbas
trabalhistas aos trabalhadores, quando houver falha no cumprimento das
obrigações por parte da empresa, até o momento da regularização, sem
prejuízo das sanções previstas;

b) Autorização para a Superintendência de Administração em Pernambuco


fazer a retenção na fatura e o depósito direto dos valores devidos ao Fundo de

18
Garantia do Tempo de Serviço – FGTS nas respectivas contas vinculadas dos
trabalhadores da Contratada, observada a legislação específica;

c) Autorização para solicitação de abertura de conta vinculada, conforme


modelo constante do Anexo deste Edital;

16. DA REPACTUAÇÃO
16.1. As regras acerca da repactuação do valor contratual são as estabelecidas no
Termo de Contrato, anexo a este Edital.

17. DA ACEITAÇÃO DO OBJETO E DA FISCALIZAÇÃO


17.1. Os critérios de aceitação do objeto e de fiscalização estão previstos no Termo
de Referência.

18. DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE E DA CONTRATADA


CONTRATADA
18.1. As obrigações da Contratante e da Contratada são as estabelecidas no Termo
de Referência.

19. DO PAGAMENTO
19.1. O pagamento será efetuado pela Contratante no prazo de 15 (quinze) dias,
contados da apresentação da Nota Fiscal/Fatura contendo o detalhamento dos serviços
executados e os materiais empregados, através de ordem bancária, para crédito em
banco, agência e conta corrente indicados pelo contratado.
19.2. Os pagamentos decorrentes de despesas cujos valores não ultrapassem o
limite de que trata o inciso II do art. 24 da Lei 8.666, de 1993, deverão ser efetuados
no prazo de até 5 (cinco) dias úteis, contados da data da apresentação da Nota
Fiscal/Fatura, nos termos do art. 5º, § 3º, da Lei nº 8.666, de 1993.
19.3. A apresentação da Nota Fiscal/Fatura deverá ocorrer no prazo de 5 (cinco)
dias, contado da data final do período de adimplemento da parcela da contratação a
que aquela se referir, devendo estar acompanhada dos documentos mencionados no
§1º do art. 36 da IN/SLTI nº 02, de 2008.
19.4. O pagamento somente será autorizado depois de efetuado o “atesto” pelo
servidor competente, condicionado este ato à verificação da conformidade da Nota
Fiscal/Fatura apresentada em relação aos serviços efetivamente prestados,
devidamente acompanhada das comprovações mencionadas no §1º do art. 36, da
IN/SLTI nº 02, de 2008.
19.5. Havendo erro na apresentação da Nota Fiscal/Fatura ou dos documentos
pertinentes à contratação, ou ainda, circunstância que impeça a liquidação da
despesa, como por exemplo, obrigação financeira pendente, decorrente de penalidade
imposta ou inadimplência, o pagamento ficará sobrestado até que a Contratada
providencie as medidas saneadoras. Nesta hipótese, o prazo para pagamento iniciar-
se-á após a comprovação da regularização da situação, não acarretando qualquer ônus
para a Contratante.
19.6. Caso se constate o descumprimento de obrigações trabalhistas ou da
manutenção das condições exigidas para habilitação poderá ser concedido um prazo

19
para que a Contratada regularize suas obrigações, quando não se identificar má-fé ou
a incapacidade de corrigir a situação.
19.6.1. Não sendo regularizada a situação da Contratada no prazo concedido,
ou nos casos em que identificada má-fé, se não for possível a realização desses
pagamentos pela própria Administração, os valores retidos cautelarmente
serão depositados junto à Justiça do Trabalho, com o objetivo de serem
utilizados exclusivamente no pagamento de salários e das demais verbas
trabalhistas, bem como das contribuições sociais e FGTS decorrentes.
19.7. Nos termos do artigo 36, § 6°, da Instrução Normativa SLTI/MP n° 02, de
2008, será efetuada a retenção ou glosa no pagamento, proporcional à irregularidade
verificada, sem prejuízo das sanções cabíveis, caso se constate que a Contratada:
19.7.1. não produziu os resultados acordados;
19.7.2. deixou de executar as atividades contratadas, ou não as executou
com a qualidade mínima exigida;
19.7.3. deixou de utilizar os materiais e recursos humanos exigidos para a
execução do serviço, ou utilizou-os com qualidade ou quantidade inferior à
demandada,
19.8. Será considerada data do pagamento o dia em que constar como emitida a
ordem bancária para pagamento.
19.9. Antes de cada pagamento à contratada, será realizada consulta ao SICAF
para verificar a manutenção das condições de habilitação exigidas no edital.
19.10. Constatando-se, junto ao SICAF, a situação de irregularidade da contratada,
será providenciada sua advertência, por escrito, para que, no prazo de 5 (cinco) dias,
regularize sua situação ou, no mesmo prazo, apresente sua defesa. O prazo poderá ser
prorrogado uma vez, por igual período, a critério da contratante.
19.11. Não havendo regularização ou sendo a defesa considerada improcedente, a
contratante deverá comunicar aos órgãos responsáveis pela fiscalização da
regularidade fiscal quanto à inadimplência da contratada, bem como quanto à
existência de pagamento a ser efetuado, para que sejam acionados os meios
pertinentes e necessários para garantir o recebimento de seus créditos.
19.12. Persistindo a irregularidade, a contratante deverá adotar as medidas
necessárias à rescisão contratual nos autos do processo administrativo
correspondente, assegurada à contratada a ampla defesa.
19.13. Havendo a efetiva execução do objeto, os pagamentos serão realizados
normalmente, até que se decida pela rescisão do contrato, caso a contratada não
regularize sua situação junto ao SICAF.
19.14. Somente por motivo de economicidade, segurança nacional ou outro
interesse público de alta relevância, devidamente justificado, em qualquer caso, pela
máxima autoridade da contratante, não será rescindido o contrato em execução com
a contratada inadimplente no SICAF.
19.15. Quando do pagamento, será efetuada a retenção tributária prevista na
legislação aplicável, em especial a prevista no artigo 31 da Lei 8.212, de 1993.
19.15.1. A Contratada regularmente optante pelo Simples Nacional,
exclusivamente para as atividades de prestação de serviços previstas no §5º-
C, do artigo 18, da LC 123, de 2006, não sofrerá a retenção tributária quanto
aos impostos e contribuições abrangidos por aquele regime, observando-se as

20
exceções nele previstas. No entanto, o pagamento ficará condicionado à
apresentação de comprovação, por meio de documento oficial, de que faz jus
ao tratamento tributário favorecido previsto na referida Lei Complementar.
19.16. Nos casos de eventuais atrasos de pagamento, desde que a Contratada não
tenha concorrido, de alguma forma, para tanto, fica convencionado que a taxa de
compensação financeira devida pela Contratante, entre a data do vencimento e o
efetivo adimplemento da parcela, é calculada mediante a aplicação da seguinte
fórmula:
EM = I x N x VP, sendo:
EM = Encargos moratórios;
N = Número de dias entre a data prevista para o pagamento e a do efetivo
pagamento;
VP = Valor da parcela a ser paga.
I = Índice de compensação financeira = 0,00016438, assim apurado:
I ( 6 / 100 ) I = 0,00016438
I = (TX)
= 365 TX = Percentual da taxa anual = 6%

20. DAS SANÇÕES ADMINISTRATIVAS


ADMINISTRATIVAS
20.1. Comete infração administrativa, nos termos da Lei nº 10.520, de 2002, o
licitante/adjudicatário que:
20.1.1. não assinar o termo de contrato ou aceitar/retirar o instrumento
equivalente, quando convocado dentro do prazo de validade da proposta;
20.1.2. apresentar documentação falsa;
20.1.3. deixar de entregar os documentos exigidos no certame;
20.1.4. ensejar o retardamento da execução do objeto;
20.1.5. não mantiver a proposta;
20.1.6. cometer fraude fiscal;
20.1.7. comportar-se de modo inidôneo;
20.2. Considera-se comportamento inidôneo, entre outros, a declaração falsa
quanto às condições de participação, quanto ao enquadramento como ME/EPP ou o
conluio entre os licitantes, em qualquer momento da licitação, mesmo após o
encerramento da fase de lances.
20.3. O licitante/adjudicatário que cometer qualquer das infrações discriminadas
nos subitens anteriores ficará sujeito, sem prejuízo da responsabilidade civil e criminal,
às seguintes sanções:
20.3.1. Multa de até 10% (dez por cento) sobre o valor estimado do(s) item(s)
prejudicado(s) pela conduta do licitante;
20.3.2. Impedimento de licitar e de contratar com a União e
descredenciamento no SICAF, pelo prazo de até cinco anos;
20.4. A penalidade de multa pode ser aplicada cumulativamente com a sanção de
impedimento.
20.5. A aplicação de qualquer das penalidades previstas realizar-se-á em processo
administrativo que assegurará o contraditório e a ampla defesa ao

21
licitante/adjudicatário, observando-se o procedimento previsto na Lei nº 8.666, de
1993, e subsidiariamente na Lei nº 9.784, de 1999.
20.6. A autoridade competente, na aplicação das sanções, levará em consideração
a gravidade da conduta do infrator, o caráter educativo da pena, bem como o dano
causado à Administração, observado o princípio da proporcionalidade.
20.7. As penalidades serão obrigatoriamente registradas no SICAF.
20.8. As sanções por atos praticados no decorrer da contratação estão previstas
no Termo de Referência.

21. DA IMPUGNAÇÃO AO EDITAL E DO PEDIDO DE ESCLARECIMENTO


21.1. Até 02 (dois) dias úteis antes da data designada para a abertura da sessão
pública, qualquer pessoa poderá impugnar este Edital.
21.2. A impugnação poderá ser realizada por forma eletrônica, pelo e-mail
cpl.sad.pe@agu.gov.br ou por petição dirigida ou protocolada no endereço Av.
Herculano Bandeira, 716, Sala 201, Pina, Recife-PE, CEP: 51.110-131 seção de
Licitações (CPL).
21.3. Caberá ao Pregoeiro decidir sobre a impugnação no prazo de até vinte e
quatro horas.
21.4. Acolhida a impugnação, será definida e publicada nova data para a
realização do certame.
21.5. Os pedidos de esclarecimentos referentes a este processo licitatório deverão
ser enviados ao Pregoeiro, até 03 (três) dias úteis anteriores à data designada para
abertura da sessão pública, exclusivamente por meio eletrônico via internet, no
endereço indicado no Edital.
21.6. As impugnações e pedidos de esclarecimentos não suspendem os prazos
previstos no certame.
21.7. As respostas às impugnações e os esclarecimentos prestados pelo Pregoeiro
serão entranhados nos autos do processo licitatório e estarão disponíveis para consulta
por qualquer interessado.

22. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS


22.1. Não havendo expediente ou ocorrendo qualquer fato superveniente que
impeça a realização do certame na data marcada, a sessão será automaticamente
transferida para o primeiro dia útil subsequente, no mesmo horário anteriormente
estabelecido, desde que não haja comunicação em contrário, pelo Pregoeiro.
22.2. No julgamento das propostas e da habilitação, o Pregoeiro poderá sanar
erros ou falhas que não alterem a substância das propostas, dos documentos e sua
validade jurídica, mediante despacho fundamentado, registrado em ata e acessível a
todos, atribuindo-lhes validade e eficácia para fins de habilitação e classificação.
22.3. A homologação do resultado desta licitação não implicará direito à
contratação.
22.4. As normas disciplinadoras da licitação serão sempre interpretadas em favor
da ampliação da disputa entre os interessados, desde que não comprometam o

22
interesse da Administração, o princípio da isonomia, a finalidade e a segurança da
contratação.
22.5. Os licitantes assumem todos os custos de preparação e apresentação de
suas propostas e a Administração não será, em nenhum caso, responsável por esses
custos, independentemente da condução ou do resultado do processo licitatório.
22.6. Na contagem dos prazos estabelecidos neste Edital e seus Anexos, excluir-
se-á o dia do início e incluir-se-á o do vencimento. Só se iniciam e vencem os prazos
em dias de expediente na Administração.
22.7. O desatendimento de exigências formais não essenciais não importará o
afastamento do licitante, desde que seja possível o aproveitamento do ato, observados
os princípios da isonomia e do interesse público.
22.8. Em caso de divergência entre disposições deste Edital e de seus anexos ou
demais peças que compõem o processo, prevalecerá as deste Edital.
22.9. O Edital está disponibilizado, na íntegra, no endereço eletrônico
www.comprasgovernamentais.gov.br
www.comprasgovernamen tais.gov.br,
tais.gov.br e também poderão ser lidos e/ou obtidos no
endereço Av. Herculano Bandeira, 716, Sala 201, Pina, Recife-PE, CEP: 51.110-131, nos
dias úteis, no horário das 8 horas às 17 horas, mesmo endereço e período no qual os
autos do processo administrativo permanecerão com vista franqueada aos
interessados.
22.10. Integram este Edital, para todos os fins e efeitos, os seguintes anexos:
22.10.1. ANEXO I - Termo de Referência;
22.10.2. ANEXO II - Minuta de Termo de Contrato;
22.10.3. ANEXO III - Termo de Conciliação Judicial firmado entre o Ministério
Público do Trabalho e a União;
22.10.4. ANEXO IV - Planilha de Custos e Formação de Preços;
22.10.5. ANEXO V - Modelo de autorização para a utilização da garantia e de
pagamento direto (arts. 19-A e 35 da IN SLTI/MP nº 2, de 2008);
22.10.6. ANEXO VI - Modelo de Autorização para abertura de conta vinculada
para depósito das provisões;
22.10.7. ANEXO VII - Modelo de declaração de contratos firmados com a
iniciativa privada e a Administração Pública;

Recife, 25 de outubro de 2017

JOSÉ GOMES JÚNIOR


Pregoeiro CPL/SAD-PE/AGU

23
ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO
SECRETARIA-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO
SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO EM PERNAMBUCO

ANEXO I

TERMO DE REFERÊNCIA

1. DO OBJETO

1.1. Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de manutenção


predial preventiva e corretiva, continuados com dedicação exclusiva de mão de obra,
bem como eventuais sob demanda, para a realização de serviços diversos nos sistemas,
equipamentos e instalações das unidades da Advocacia-Geral da União situadas no
Estado do Maranhão,
Maranhão que compreenderá o fornecimento dos postos de serviços, peças,
materiais de reposição e equipamentos necessários e adequados à execução dos
serviços, na forma estabelecida neste termo de referência e seus anexos, abrangendo:

1.1.1. Quanto aos sistemas, equipamentos e instalações a serem manutenidos


e serviços permanentes e eventuais a executar:

I. Sistema Elétrico – cabines de medição, quadros gerais e parciais de


distribuição e de comando, redes elétricas, motores elétricos, sistema
de tomadas e iluminação, subestação de energia, grupo gerador,
equipamentos e banco de capacitores;
II. Estabilizadores de tensão e aterramento;
III. Rede lógica (cabeamento);
IV. Sistemas hidros-sanitários, abrangendo caixas d’agua e cisternas;
V. Serviços de instalação e remanejamento de circuitos elétricos, lógicos e
telefônicos;
VI. Serviços de manutenção de infraestrutura, instalações, revestimentos,
alvenarias, paredes, portas, esquadrias, piso, vidraçaria, pintura,
serralheria e carpintaria cujos materiais seguem o mesmo tipo, cor e
padrão dos existentes nas instalações da AGU envolvidos neste Termo
de Referência e seus anexos; e
VII. Serviços de marcenaria: montagem e desmontagem de mobiliários,
troca e ajuste de fechaduras, pequenos reparos em mesas, cadeiras,
gaveteiros, armários e estantes, serviços de montagem e desmontagem
de divisórias para adequação do layout, regulagem de portas, fixação
de quadros e placas diversas.

1.1.2. Postos de serviços com dedicação exclusiva de mão de obra, para a


completa e perfeita execução dos serviços licitados, referentes aos serviços
contínuos, bem como executar os serviços eventuais sob demanda, compostos
por equipe de profissionais com comprovada qualificação, conforme as
especificações e disposições previstas no item 6 deste Termo de Referência.

1.2. O valor global mensal estimado do contrato corresponde ao valor mensal dos
serviços permanentes, somados ao valor mensal estimado dos serviços eventuais e da
aquisição de materiais de consumo e peças de reposição, conforme a soma dos itens 1,
2 e 3 da tabela a seguir:

24
UNIDADES QUANT.
QUANT.
GRUPO

ITEM VALOR VALOR


OBJETO DA DA AGU DESCRIÇÃO / POSTO
ESTIMADO ESTIMADO
CONTRATAÇÃO ATENDIDAS ESPECIFICAÇÃO DE
MENSAL R$ ANUAL R$
(Localidade) SERVIÇO

-Eletricista
de 01 posto -
220h/mês
R$5.149,88 R$61.798,60
• PF-MA manutenção
• PU-MA em geral
Serviços de • CJU-MA -Oficial de
manutenção serviços
predial, (São Luis – diversos na 01 posto -
R$4.259,68 R$51.115,88
preventiva e MA) manutenção 220h/mês

corretiva, de
1

com edificações
dedicação -Oficial de
exclusiva de serviços
• PSF
mão de obra diversos na 01 posto -
Imperatriz - 220h/mês
R$4.378,18 R$52.538,16
manutenção
MA
de
edificações
Valor Total Estimado (Item
(Item 1) R$ R$13.787,72
R$13.787,72 R$165.452,64
R$165.452,64
• PF-MA
• PU-MA Serviços
1 -Conforme Eventuais
Serviços • CJU-MA R$12.877,76 R$154.533,15
Anexo IV – A6 por
eventuais de (São Luis - demanda
manutenção MA)
predial,
2

• PSF Serviços
preventiva e -Conforme Eventuais
corretiva, por Imperatriz - Anexo IV – A6 por
R$14.511,76 R$174.141,13
demanda MA demanda

Valor Total Estimado (Item


(Item 2) R$ R$27.389,52
R$27.389,52 R$328.674,28
R$328.674,28

• PF-MA
• PU-MA
• CJU-MA Forneci -
Fornecimento • PSF- mento de
de Materiais e Imperatriz -Conforme materiais
e peças,
R$8.755,92 R$105.071,00
peças de Anexo IV – A7
3

por
reposição, por (São Luis e demanda
demanda Imperatriz-
MA)
Valor Total Estimado (Item
(Item 3) R$ R$8.755,92
R$8.755,92 R$105.071,00
R$105.071,00

VALOR TOTAL ESTIMADO (Itens


(Itens 1 + 2 + 3) R$ R$49.933,16
R$49.933,16 R$599.197,92
R$599.197,92

1.2.1. O valor total mensal estimado do contrato corresponde a R$ 49.933,16


(quarenta e nove mil e novecentos e trinta e três reais e dezesseis centavos),
perfazendo o valor total anual estimado de R$599.197,92
R$599.197,92 (quinhentos e
noventa e nove mil e cento e noventa e sete reais e noventa e dois centavos).

1.2.2. O custo estimado da contratação foi apurado mediante preenchimento


de planilha de custos e formação de preços (Anexo IV do Edital), conforme
pesquisas com fornecedores para o item 1 do objeto, bem como o custo máximo
unitário dos serviços eventuais - item 2 do objeto e o valor máximo de materiais,

25
peças e componentes - item 3 do objeto estão limitados aos indicados na tabela
do Sistema de Preços e Custos da Construção Civil da Caixa Econômica Federal
– SINAPI, do Estado do Maranhão,
Maranhão para o mês disponível na data do lançamento
do Edital.

1.2.3. Para obtenção do valor estimado da contratação e para fins de instrução


deste processo, foram priorizados os parâmetros de pesquisas citados nos
incisos I, II e III da IN MPDG Nº3, de 20/04/2017, sem sucesso na obtenção dos
resultados, visto que o objeto a ser contratado é específico e envolvem custos
locais, convenções coletivas e postos de serviços com demanda reduzida nas
licitações públicas realizadas na unidade federativa em questão, dificultando
desta forma encontrar pregões/contratações similares ao objeto a ser
contratado, restando a realização da pesquisa com fornecedores do serviço.
Contudo, foi solicitado pesquisas de preços no mercado local aos
coordenadores administrativos e fiscais dos contratos, das unidades envolvidas
e à empresas do ramo (Sapiens Seq 6 - Id. 108249352), onde as empresas
ENERGIZA ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO LTDA, GLOBAL SERVIÇOS E TOPÁZIO
CONSTRUÇÕES, encaminharam propostas (Sapiens Seq 7 - Id 108250394). Em
conformidade com o art. 2º, inciso IV, da IN MPDG Nº5, de 27/05/2014, alterada
pela IN MPDG Nº3, de 20/04/2017, o valor referencial da contratação foi
calculado, mediante a média das 03 (três) propostas apresentadas.

1.2.4. O valor estimado mensal fixo da contratação é de R$ 13.787,72 (treze


mil e setecentos e oitenta e sete reais e setenta e dois centavos), referente aos
serviços com dedicação exclusiva de mão de obra, e o valor mensal estimado
de R$36.145,44
R$36.145,44 (trinta e seis mil e cento e quarenta e cinco reais e quarenta e
quatro centavos), referente aos serviços eventuais e fornecimento de peças de
reposição e materiais de consumo, pelo qual a CONTRATANTE só demandará a
quantidade que efetivamente necessitar, bem como só remunerará a
CONTRATADA pela quantidade executada e fornecida.

1.2.5. Quando do lançamento do pregão, os valores dos serviços eventuais e


materiais de consumo e peças de reposição serão atualizados pela tabela do
SINAPI mais atualizada e disponível no site da Caixa.

2. JUSTIFICATIVA E OBJETIVO DA CONTRATAÇÃO

2.1. A contratação dos serviços de manutenção predial preventiva e corretiva, para os


sistemas, equipamentos, máquinas e as edificações ocupadas pelas Unidades da
Advocacia-Geral da União nas cidades de São Luis e Imperatriz no Estado do Maranhão,
Maranhão
justifica-se pela necessidade da substituição do Termo de Acordo com a Receita Federal
do Brasil nº 001/2008-
001/2008-AGU,
AGU cuja vigência finalizou em 01/01/2016, em virtude das novas
locações de imóveis nas cidades de São Luis/MA e Imperatriz/MA, que passaram a
atender numa só edificação a Procuradoria da União – PU/MA, Procuradoria Federal –
PF/MA e Consultoria Jurídica da União – CJU/MA em São Luis no Estado do Maranhão,
bem como o novo imóvel que passou a atender a Procuradoria-Seccional Federal em
Imperatriz/MA.

2.2. A falta de manutenção predial preventiva nas instalações prediais, máquinas e


equipamentos pode levar ao colapso de sistemas vitais para o desempenho das
atividades institucionais. Além disso, tais instalações, sistemas, máquinas e
equipamentos, necessitam de efetiva manutenção corretiva, a fim de sanar defeitos
imprevistos ou inevitáveis.

2.3. Em face de inexistirem nos quadros atuais da CONTRATANTE servidores com as


habilidades para execução das atividades de manutenção predial, considerando ainda,
que tais atividades não constituem objeto da instituição, a alternativa da terceirização
se traduz em otimização desses serviços, haja vista a economia de gastos e tributos
sociais com pessoal.

26
2.4. A contratação pretendida não foi parcelada, dividida em itens, estando em um único
grupo, por conta da interdependência dos serviços de manutenção preventiva e
corretiva, contínuos e eventuais, bem como o fornecimento de peças e materiais, onde
o objetivo são as instalações prediais e equipamentos em perfeitas condições de
funcionamento, causando desta forma uma espécie de “unidade no todo”, em que
eventual falha no fornecimento de peças ou nos serviços de manutenção, poderá
repercutir sobre o resultado final. O parcelamento do objeto foi descartado, por
inviabilidade técnica, operacional e por medida de segurança jurídica, diante da
unicidade do serviço, onde, por exemplo, a falta de peças e materiais impossibilitará a
realização dos serviços de manutenção predial, que devem estar interligados;

2.4.1. sob o enfoque administrativo e jurídico, a opção do parcelamento seria


equivocada por demandar várias contratações, instrumentalização, gestão e
fiscalização dos contratos, resultando em maior gasto financeiro, de tempo e
pessoal envolvido, aumento de ocorrências passíveis de sanções contratuais
gerando incerteza na definição das responsabilidades, haja vista a
multiplicidade de empresas prestadoras de serviço;

2.4.2. em razão da interligação entre os serviços contínuos, eventuais e o


fornecimento de peças e materiais, existirá sempre a dependência de operação,
ou seja, se um falhar, repercutirá sobre o outro. Caso haja várias empresas
CONTRATADAS (uma para cada tipo de serviço e outra para o fornecimento de
peças e materiais), fica enorme a impossibilidade de determinar de quem é a
responsabilidade, dificultando a adoção de providências cabíveis;

2.4.3. sob o aspecto econômico, a contratação de uma única pessoa jurídica


proporcionará vantagens econômicas à Administração Pública, com a redução
de custos e despesas e com o ganho de economia de escala, de modo a obter
uma contratação mais vantajosa para a Administração.

2.5. O serviço de manutenção predial, objeto da contratação, tem a classificação de


serviço contínuo (art. 57, II, da Lei nº 8.666/1993), pelo qual o item 1 foi estimado de
forma precisa e certa, Já os itens 2 e 3 do objeto são estimados, uma vez que os
quantitativos a serem contratados não puderam ser precisos pela CONTRATANTE na
fase do planejamento, observada a natureza do objeto e as características dos serviços
de manutenção predial, levando em consideração as características e especificidades
de cada prédio, pelo qual foi fixada uma quantidade máxima, e a CONTRATANTE ao
longo da vigência do contrato demandará o quanto for suficiente para atender às suas
necessidades, sendo a demanda definida durante a execução do contrato. Desta forma,
a CONTRATANTE terá um valor certo, licitado, para cada tarefa a ser executada dos
serviços eventuais (item 2 do objeto) e para o fornecimento de cada item de materiais
e peças (item 3 do objeto), cuja execução/fornecimento serão solicitados e pagos na
proporção de sua necessidade, uma vez que foi estimada a quantidade máxima a ser
adquirida, mas a CONTRATANTE só demandará aquela quantidade que efetivamente
necessitar, bem como só remunerará a CONTRATADA pela quantidade executada e/ou
fornecida. Todavia, a Administração optou pela realização de um único instrumento
contratual, com a possibilidade de vigorar por até 60 (sessenta) meses, contadas as
prorrogações admitidas pelo art. 57, II, da LLCA. Desta forma, foi descartada a utilização
do Sistema de Registro de Preços-SRP, um vez que só poderá gerar resultados por 12
(doze) meses (art. 15, § 3Q, III, da LLCA), além do que cada demanda da Administração
ensejará um novo contrato, o que implicará alguns atos – como a publicação (art. 61,
P.ú., da LLCA) e a gestão de inúmeros contratos - que podem ser eliminados quando da
utilização do contrato de serviço contínuo com os regimes de preço unitário, ganhando
a Administração com mais eficiência econômica e gerencial frente às demais opções
oferecidas pela legislação ao administrador público, em conformidade com o
posicionamento jurídico da Câmara Permanente de Licitações e Contratos do
Departamento de Consultoria da Procuradoria-Geral Federal, na conclusão
DEPCONSU/PGF/AGU Nº55/2013, decorrente do Parecer
Nº10/2013/CPLC/DEPCONSU/PGF/AGU.

27
2.6. As especificações técnicas contidas no presente documento, inclusive quanto ao
detalhamento, requisitos, características, especificações e quantitativos dos materiais,
ferramentas, uniformes, peças, serviços eventuais e postos de serviços do objeto da
contratação, foram definidos por Engenheiro habilitado do setor competente do órgão,
Setor de Engenharia desta Superintendência de Administração em Pernambuco, com
base em parâmetros técnicos objetivos, para a melhor consecução do interesse público,
do qual esta identificado e aprova o presente Termo de Referência e seus anexos no
final deste documento.

2.7. O objetivo da presente contratação é possibilitar a manutenção predial contínua e


ininterrupta dos diversos sistemas, equipamentos e instalações prediais da Advocacia-
Geral da União no Estado do Maranhão,
Maranhão garantindo todas as condições de conforto
ambiental, segurança, saúde e bem-estar, necessárias para o desempenho das
atividades do órgão. Outrossim, zelar pela preservação de imóveis locados e próprios,
bem como do patrimônio público constantes nas instalações.

2.8. Nesse sentido, os serviços são essenciais e sua interrupção pode comprometer o
bom funcionamento administrativo das instalações físicas da AGU/Unidades no Estado
do Maranhão,
Maranhão tornando-se imprescindível à contratação de pessoa jurídica para a
execução dos serviços, que atendam com fornecimento de peças, materiais, inclusive
os de reposição, equipamentos e ferramentas, necessários a execução dos serviços, a
fim de manter o imóvel em perfeitas condições de funcionamento e conservação,
objetivando ainda, conservar o bem público, evitando-se desta forma transtornos para
a Advocacia-Geral da União, no desempenho cotidiano de suas atividades.

3. DA CLASSIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS

3.1. Os serviços com dedicação exclusiva de mão de obra são considerados auxiliares e
de natureza continuada (subitem 5.1.1. deste termo de referência), já os serviços
eventuais serão demandados
demandados conforme necessidade das unidades da AGU/MA para o
desempenho de suas atribuições legais (subitem 8.2. e Anexo IV – A6 do Edital); ambos
se enquadram na classificação de serviços comuns,
comuns por terem padrões de desempenho
e qualidade concisos e objetivamente definidos neste documento, em conformidade
com as especificações usuais praticadas no mercado, além de serem facilmente
prestados por diversas empresas do ramo, atendendo-se, dessa forma, as exigências
contidas na Lei n° 10.520, de 2002, do Decreto n° 3.555, de 2000 e do Decreto 5.450,
de 2005.

3.2. Os serviços a serem contratados enquadram-se nos pressupostos do Decreto n°


2.271, de 1997, caracterizando-se como atividades materiais acessórias, instrumentais
ou complementares à área de competência legal do Órgão licitante, não inerentes às
categorias funcionais abrangidas por seu respectivo plano de cargos.

3.3. A prestação dos serviços não gera vínculo empregatício entre os empregados da
CONTRATADA e a CONTRATANTE, vedando-se qualquer relação entre estes que
caracterize pessoalidade e subordinação direta.

4. FORMA DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS

4.1. As rotinas básicas de manutenção estão compreendidas neste Termo de Referência


e tratam-se de inspeções, verificações, limpezas, operações, consertos, reparos,
substituições, remanejamentos, instalação, desinstalação, pequenas adaptações e
modificações e outras atividades a serem realizadas nas instalações objeto deste termo
de referência e em outras instalações e equipamentos existentes que porventura não
estejam aqui discriminados, mas que façam parte das edificações objeto desta
contratação.

4.2. As manutenções com periodicidades anuais deverão ser executadas,


obrigatoriamente, nos primeiros 6 (seis) meses de vigência do contrato.

28
4.3. Durante a vigência do contrato, a CONTRATADA poderá substituir os equipamentos
por outros modelos mais econômicos, modernos, de capacidade diferente ou de outras
marcas, desta forma a especificação dos equipamentos poderá ser alterada pela
CONTRATANTE, comunicando antecipadamente à CONTRATADA, sem que isso implique
acréscimo nos preços contratados.

4.4. A listagem dos serviços, detalhada neste item do termo de referência, não é
exaustiva (apenas exemplificativa), sendo, portanto da competência dos postos fixos, a
execução do serviço inerente a sua função.

4.5. Os serviços de manutenção predial deverão contemplar, eventualmente, a


execução de serviços de pequeno porte na edificação tais como: demolição, conserto,
instalação, montagem, conservação, reparação, adaptação, manutenção e trabalhos
técnico-profissionais, bem como de novas instalações de elétrica, telefonia, rede lógica
e hidráulica/sanitária, no que tange aos postos fixos e aos serviços eventuais, podendo
inclusive serem executados após a jornada normal de trabalho (respeitando a legislação
trabalhista), inclusive aos sábados, domingos e feriados, a critério da fiscalização.

4.6. Segue abaixo a relação dos serviços e atividades a serem realizados em todas as
instalações referentes ao objeto deste Termo de Referência, o qual servirá de
ferramenta de controle de avaliação pelo fiscal do contrato:

4.6.1. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS


ELÉTRICAS

a. QUADROS GERAIS E DE MEDIÇÃO

 Semanalmente:

- inspeção visual do equipamento quanto ao seu estado geral;


- testar lâmpadas e substituir as queimadas (inclusive as do letreiro);
- leitura de todos os instrumentos de medição;
- verificar o funcionamento de todos os disjuntores, inclusive quanto ao
aquecimento em excesso;
- verificar a existência de ruídos anormais, elétricos e mecânicos;
- medir a corrente dos alimentadores de todas as saídas dos disjuntores para os
andares;
- verificação da concordância com as condições limites de amperagem permitidos
para cada disjuntor;
- testar tomadas e interruptores, substituindo as defeituosas;
- substituir reatores e bocais das lâmpadas quando defeituosos (inclusive as do
letreiro);

 Trimestralmente:

- Testar o funcionamento das lâmpadas de emergência;


- Medir o nível de iluminação;
- Efetuar a limpeza das luminárias;
- Reapertar o parafuso de sustentação das luminárias;
- Reapertar os contatos dos reatores;
- Reapertar os parafusos das bases dos soquetes;
- Verificar os parafusos de contato das tomadas;
- Testar a carga das baterias de emergência, substituindo-as quando necessária.

b. QUADROS PARCIAIS DE DISTRIBUIÇÃO

 Diariamente:

- ligar e desligar as luminárias dos pavimentos;


- verificar o aquecimento nos condutores de alimentação e distribuição;

29
- verificar ruídos anormais;
- inspeção visual de todos os componentes, providenciando a substituição dos
defeituosos.

 Semanalmente:

- verificar as temperaturas dos disjuntores, cabos alimentadores e barras de cobre


– contato manual;
- executar testes de lâmpadas de sinalização;
- verificar se todos os comandos estão operando;
- inspecionar as conexões de saídas dos disjuntores, evitando pontos de resistência
elevada;
- verificar o equilíbrio de fases no alimentador, com todos os circuitos ligados;
- lubrificar as dobradiças das portas dos quadros;
- medir a corrente e tensão do disjuntor geral e verificar se há concordância com os
valores permitidos;
- verificar o aquecimento de todos os disjuntores;
- medir a corrente do disjuntor geral;
- limpeza dos cabos das prumadas com vaselina líquida;
- limpeza externa dos quadros com benzina;
- verificar o funcionamento de todos os disjuntores dos circuitos de distribuição;
- verificar o funcionamento de todos os disjuntores e chaves e, caso se encontrem
com defeitos ou subdimensionados, providenciar as substituições.

 Trimestralmente:

- realizar teste de carga dos diversos circuitos;


- revisão e verificação das cargas;
- verificar o dimensionamento de cabos e fios;
- revisar os quadros de comando e alimentação das bombas d’água do prédio;
- verificar a temperatura de todos os terminais de disjuntores e equipamentos, caso
sejam constatadas temperaturas além do normal, devem ser limpos e
reapertados;
- verificar os terminais e caso estejam oxidados devem ser limpos e protegidos com
produto adequado;
- verificar a existência de pontos de ferrugem nas caixas e eliminá-los;
- realizar a limpeza geral dos barramentos e conexões, com benzina;
- realizar a limpeza externa dos painéis, com benzina;
- realizar a limpeza geral do quadro, com aspirador de pó;
- realizar o teste de isolamento do quadro;
- limpar os condutores aparentes com estopa umedecida em vaselina líquida;
- reapertar todos os parafusos de contato dos disjuntores, barramentos e
aterramentos;
- verificar a tensão das molas dos disjuntores;
- verificar o balanceamento das fases.

c. CIRCUITOS ELÉTRICOS

 Mensalmente

- efetuar medição do aterramento e se estiver acima do permitido, realizar


tratamento até atingir a resistência máxima permitida;
- reapertar e substituir (se necessário) conexões do cabo de terra com a cordoalha;
- verificar o funcionamento de tomadas, interruptores e demais componentes da
rede elétrica.

 Eventualmente

- transferência e instalação de novos pontos elétricos;

30
- lançamento de calha metálica;
- substituir tomadas, disjuntores, interruptores, etc.

d. SUBESTAÇÃO DE ENERGIA (São Luis-


Luis-MA)

 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

• Subestação aérea em poste para transformadores trifásicos até


300kVA (São Luis-MA).
• Transformadores - 75 a 300 kVA (CEMAR), em caixa de baixa tensão
(São Luis-MA).

 Semestralmente

- leitura dos instrumentos de medição;


- inspeção nas chaves seccionadoras e isoladoras;
- verificação da existência de ruídos anormais, elétricos ou mecânicos;
- inspeção em todo equipamento e do ambiente;
- limpeza do local;
- inspeção nas muflas, terminais e cabos;
- verificação do sobreaquecimento dos transformadores;
- inspeção no barramento, conexões e isoladores;
- inspeção nos fios, cabos e muflas terminais;
- fazer um levantamento termográfico em todos os pontos da subestação, para
detecção de aquecimentos anormais, tais como, barramentos, disjuntores,
trafos, conexões, etc.;
- inspeção nas chaves seccionadoras e fusíveis;
- verificação do estado das buchas;
- verificação do estado das partes metálicas quanto à índice de oxidação;
- verificação da carga ao transformador;
- teste do equipamento de segurança;
- verificação da regulagem dos relés;
- verificação do aterramento das ferragens;
- limpeza das chaves seccionadoras;
- limpeza do barramento e isoladores;
- reaperto das conexões e terminais;
- medição do isolamento dos disjuntores;
- reaperto dos parafusos de estanqueidade dos transformadores;
- reaperto dos parafusos de fixação do barramento e isoladores;
- lubrificação das partes mecânicas das chaves seccionadoras;
- verificação dos pinos dos isoladores e grampos de suspensão;
- medição da resistência de isolamento das ferragens;
- regulagem e lubrificação das partes mecânicas;
- executar outras rotinas recomendadas pelo fabricante e normatizadas pela
ABNT.

e. ESTABILIZADORES DE TENSÃO (São Luis-


Luis-MA)

 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

QUANTIDADE MARCA CARACTERISTICA


ESTABILIZADOR FAB STYLE MODELO EIS30030T POT
STYLE
1 30KVA TE: 380VAC (F-F) DELTA TS: 380/220 VAC (F-N)
MODBLU
ESTRELA. LINHA TOPAZIO TRIFÁSICO
ESTABILIZADOR FAB STYLE MODELO EIS40030T POT
STYLE 40KVA TE: 380VAC (F-F) DELTA TS: 380/220 VAC (F-N)
1
MODBLU ESTRELA.
LINHA TOPAZIO TRIFÁSICO

31
ESTABILIZADOR FAB STYLE MODELO EIS50030T POT
STYLE 50KVA TE: 380VAC (F-F) DELTA TS: 380/220 VAC (F-N)
4
MODBLU ESTRELA.
LINHA TOPAZIO TRIFÁSICO

 Eventualmente

- manutenção preventiva e corretiva dos circuitos eletrônicos do estabilizador de


tensão;
- executar outras rotinas recomendadas pelo fabricante e normatizadas pela ABNT.

f. GRUPO GERADOR (São Luis-


Luis-MA)

 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

• Grupo gerador Leon Heimer;


• Modelo: DSE 4520 - DEEP SEA ELECTRONICS PLC;
• Potência de trabalho: 80 kW / 100 kVA;
• Tipo Combustível: Diesel;
• Sistema de Refrigeração: Radiador;
• Arrefecimento: etileno glicol;
• Bateria: 13,9 volts;
• Carregador de bateria: 13,6 volts – 13,8 volts / 3 ampères;
• Voltagem: 220/380 volts (trifásico);
• Temperatura ambiente: 18º c;
• Frequência: 60 hz;
• Autonomia: 2 horas.

 Semestralmente

 MOTOR

a) Tanque de Combustível de Serviço

• Avaliar o estado de conservação do tanque;


• Verificar o nível do combustível dos tanques, inclusive os de reserva,
e realizar o abastecimento até o nível recomendado pelo fabricante;
• Verificar vazamento pelas conexões/ tubulações;
• Drenar para verificar o teor de água e impurezas;
• Drenar água e sedimentos do filtro tipo RACOR;
• Verificar respiro do tanque;
• Verificar se o tanque mantém-se instalado na mesma posição onde o
nível máximo do combustível não deve exceder a linha dos cabeçotes
do motor.

b) Sistema de Combustível e Filtros

• Verificar as mangueiras e as tubulações de óleo combustível;


• Verificar qualidade (marca homologada) dos filtros instalados;
• Controlar e registrar a necessidade de troca dos filtros em
conformidade com as normas do fabricante.

c) Sistema Óleo Lubrificante e Filtros

• Verificar o nível de óleo lubrificante;


• Verificar temperatura do óleo lubrificante;
• Verificar pressão do óleo lubrificante;

32
• Verificar vazamento em juntas e bujões;
• Realizar limpeza do respiro do cárter;
• Controlar e registrar a necessidade de troca de óleo do cárter e dos
filtros em conformidade com as normas do fabricante;
• Controlar a necessidade de troca do elemento do filtro de respiro do
cárter em conformidade com as normas do fabricante;
• Verificar qualidade (marca homologada) dos filtros instalados.

d) Sistema de Arrefecimento

 Radiador ou Intercambiador

o Verificar nível da água de arrefecimento;


o Controlar e registrar a necessidade de troca da água e
anticorrosivo de acordo com as normas do fabricante;
o Verificar funcionamento e fixação;
o Controlar e registrar a necessidade de limpeza sob pressão,
em nível de oficina;
o Verificar as mangueiras do radiador ou intercambiador;
o Verificar temperatura da água de arrefecimento;
o Verificar a existência de vazamento na linha de arrefecimento;
o Medir a cada 90 (noventa) dias, a concentração do
anticorrosivo (0,66 un/l) e providenciar que se faça a adição
quando necessário;
o Controlar e registrar a troca do filtro de água de
arrefecimento;
o Verificar a qualidade (marca homologada) do filtro instalado.

 Bomba d'água

o Verificar vazamento e funcionamento.

 Ventilador

o Verificar tensão da correia, fixação de grade de proteção e


estado das pás e parafusos.

 Resfriador de Óleo

o Verificar a conservação, fixação e vedação.

 Bomba Injetora e Sistema de Injeção

o Verificar a fixação e reaperto da bomba injetora;


o Verificar vazamentos externos e reparos nos injetores;
o Verificar a necessidade de ajustar válvulas de admissão e
escape de acordo com as normas do fabricante;
o Verificar a necessidade de ajustar bicos injetores de acordo
com as normas do fabricante;
o Realizar limpeza do pick-up magnético;
o Ajustar a rotação do motor diesel;
o Verificar a necessidade de limpeza do pré-filtro da bomba
alimentadora.

 Filtro de Ar

o Verificar conservação e fixação;


o Realizar limpeza no filtro do pré-filtro de ar e gamela coletora
de pó;

33
o Verificar o indicador de restrição;
o Controlar e registrar a necessidade de troca do elemento
filtrante de acordo com as normas do fabricante;
o Verificar qualidade (marca homologada) do filtro de ar
instalado;
o Verificar a limpeza interna da tubulação do pós-filtro e anterior
à turbina.

 Turbinas

o Verificar vazamento esternos, conservação e fixação;


o Verificar folga dos turbocompressores;
o Controlar e registrar a necessidade de revisão das turbinas,
em nível de oficina de acordo com as normas do fabricante.

 Sistema de Partida

o Verificar motor de partida;


o Verificar chave de partida e contatos elétricos;
o Medir o nível de tensão e densidade das baterias;
o Revisar terminais de baterias;
o Monitorar a necessidade de substituição das baterias após
2(dois) anos de uso, aproximadamente.

 Proteções do Motor

o Simular eletricamente atuação do termostato de


desligamento por alta temperatura d'água;
o Simular eletricamente a atuação do pressostato de
desligamento por baixa pressão do óleo;
o Verificar a atuação do sensor de sobrevelocidade (parâmetro
65/66 HZ);
o Verificar eletricamente a atuação do sensor de baixo nível
d'água do radiador/intercambiador, quando existente;
o Verificar atuação da válvula de fluxo d'água do intercambiador
quando existente.

e) Outras Verificações

• Verificar ruídos estranhos e/ou anormais do motor;


• Verificar tensão, desgaste e vida útil das correias;
• Verificar as condições de funcionamento dos instrumentos;
• Verificar fiação, estado do sensor e valor ajustado do sistema de pré-
aquecimento;
• Verificar amortecedores de vibrações;
• Realizar limpeza do(s) grupo(s) gerador(es).

 GERADOR

• Verificar estado de conservação e realizar limpeza externa;


• Verificar obstrução de passagens de ar internas e externas;
• Avaliar a temperatura da carcaça do estator;
• Realizar aperto dos terminais de força e de comando na saída do
gerador;
• Verificar e avaliar vibrações;
• Verificar acoplamento, borrachas e aperto dos parafusos;
• Realizar lubrificação dos rolamentos (de acordo com o modelo e
tabela do fabricante);

34
• Realizar reaperto dos tirantes (prisioneiros) do estator.

a) Quadro de Comando

 Regulador de Tensão do Gerador

o Verificar os ajustes de tensão, ganho e estabilidade do


regulador;
o Verificar o comportamento dinâmico com carga e sem carga
no grupo gerador;
o Verificar ajuste de compensação de reativo (quando aplicado
em grupos paralelos);
o Verificar conexões e contatos elétricos.

 Regulador de Velocidade

o Verificar ajustes de frequência, ganho e estabilidade;


o Verificar comportamento dinâmico com carga e sem carga;
o Verificar conexões e contatos elétricos;
o Revisar o sensor magnético (pick-up).

 Carregador de Baterias (Retificados)

o Realizar medições e calibragem de corrente em carga e


flutuação;
o Realizar medições e calibragem de tensão em carga e
flutuação;
o Realizar simulação de defeitos no retificador;
o Verificar conexões e contatos elétricos;
o Verificar sensor de sobrevelocidade;
o Verificar medições do sinal emitido pelo sensor magnético
(pick-up) ou tacogerador;
o Realizar ajuste da faixa de atuação de sobrevelocidade do
motor;
o Verificar conexões e contatos elétricos.

 Pré – Aquecimento

o Verificar aquecimento no bloco do motor;


o Realizar ajuste do termostato regulável;
o Realizar medição da corrente de consumo da(s) resistência(s);
o Verificar conexões e contatos elétricos.

 Sistema de Controle Automático (SCA)

o Realizar teste das funções lógicas do quadro de comando e


proteções do grupo;
o Verificar atuação dos sensores de tensão frequência;
o Verificar conexões e contatos elétricos.

 ST2000, PCC ONAM E CLP'S

o Conferir as leituras de sinais pelo display digital;


o Verificar conexões e contatos elétricos.

 Equilibrador de Carga e Sincronizador

o Realizar ajustes de distribuição de potência ativa;


o Verificar ajuste de fase zero para fechamento dos grupos em

35
paralelo;
o Verificar tempo de entrada dos grupos em sincronismo;
o Verificar atuação do sensor de potência inversa.

 Sensor de Controle de Paralelismo (SCP)

o Verificar o tempo de confirmação de grupo na barra;


o Realizar teste de lógica de funcionamento;
o Verificar conexões e contatos elétricos;

 Paralelismo

o Verificar os níveis de reativos entre os grupos;


o Analisar o funcionamento em conjunto dos grupos;

 Disjuntores

o Verificar o circuito de fechamento, abertura e proteção com


teste de funcionamento;

 Controlador de Corrente Térmico (CCT)

o Repassar as temporizações do sensor;


o Verificar atuação do sensor observando limites de corrente em
função do fator de potência da carga.

 Alternador Carregador de Baterias

o Realizar teste de funcionamento;


o Realizar medição da tensão e corrente de carga das baterias.

 Diversos Testes e Ajustes

o Verificar instrumentos de medição;


o Verificar lâmpadas sinalizadoras;
o Verificar fusíveis;
o Verificar conexões de comando e de força;
o Verificar chaves seletoras;
o Realizar testes de falta de rede comercial e verificar a entrada
do grupo gerador;
o Verificar estado e caminho dos cabos elétricos;
o Verificar partes quentes;
o Executar limpeza interna do quadro, com aspirador de pó, a
cada 6 (seis) meses, aproximadamente;
o executar outras rotinas recomendadas pelo fabricante e
normatizadas pela ABNT.

4.6.2. INSTALAÇÕES LÓGICAS

 Mensalmente

- efetuar medição do aterramento e se estiver acima do permitido, realizar


tratamento até atingir a resistência máxima permitida;
- reapertar e substituir conexões ( se necessário) do cabo de terra com a cordoalha;
- verificar o funcionamento da rede elétrica estabilizada, o funcionamento dos
estabilizadores de tensão e NO-BREAK.

 Eventualmente

- transferência e instalação de novos pontos lógicos;

36
- lançamento de calha metálica;
- certificação do ponto lógico;
- lançamento de fibra óptica;
- substituir tomada padrão;
- medição da performance de transmissão, perda de retorno e atraso de
propagação.

4.6.3. INSTALAÇÕES TELEFÔNICAS


TELEFÔNICAS

 Eventualmente

- substituir tomada padrão;


- identificar defeitos em linhas e ramais, solucionando os problemas;
- transferir ramais e linhas;
- instalar novos pontos, lançando-os através dos dutos existentes ou através de
eletrocalhas;
- instalar novos pontos telefônicos, inclusive dutos e eletrocalhas quando não existir.

4.6.4. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS


HIDRÁULICAS

 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

QUANTIDADE MARCA CARACTERISTICA


MB FNI T6,0CV-154MM-220/380/440V-2P-R-60HZ-IP55-
1 FAMAC
GCB STD (MOTO BOMBA – INCÊNDIO)
MB F830-IN T3, 0CV-127MM-220/380/440V-2P-R-60HZ-
1 FAMAC
IP21-GCB STD (MOTO BOMBA – INCÊNDIO)
MB FSG-SHB T3,0CV-155MM-220/380/440V-2P-R-
2 FAMAC
60HZ-IP21-GCB (MOTO BOMBA RECALQUE)

 Eventualmente

- manutenção preventiva e corretiva das moto bombas e seus sistemas;


- executar outras rotinas recomendadas pelo fabricante e normatizadas pela ABNT.

 Quinzenalmente

- inspecionar as calhas e condutores (drenos) de águas pluviais, procedendo à


limpeza e desobstrução;
- inspecionar todas as Bombas d'água, inclusive as do sistema de incêndio,
realizando as manutenções e verificando vazamento e funcionamento;
- limpar as telas e aberturas das Bombas d'água;
- inspecionar se a bóia da bomba não está presa, mantendo a flutuação livre.

 Semestralmente

- limpar caixa d’água e cisterna.

 Eventualmente

- verificar caixa de descarga acoplada e proceder com a troca do reparo, quando


necessário;
- verificar as válvulas de descarga e proceder com a troca desta ou dos reparos, se
necessário;
- verificar vazamento nas torneiras, duchas, pias, lavatórios ou outros que,
porventura venham a ocorrer;
- verificar o estado das tubulações e conexões;
- promover os reparos e substituir, quando necessário, as peças defeituosas de todo
o sistema hidráulico;

37
- manutenção preventiva e corretiva das moto bombas e seus sistemas;
- executar outras rotinas recomendadas pelo fabricante e normatizadas pela ABNT.

4.6.5. INSTALAÇÕES SANITÁRIAS


SANITÁRIAS

 Mensalmente

- inspeção geral das caixas coletoras e de gorduras, procedendo a retirada de


materiais sólidos, óleos e gorduras.

 Eventualmente

- verificar vasos entupidos e desentupi-los, quando necessário;


- verificar tubulações de esgoto entupidas e desentupi-las, quando necessário;
- verificar e sanar vazamentos e problemas de assentamentos dos vasos sanitários,
inclusive com troca do anel de vedação e rejunte;
- verificar e sanar problemas com assentos dos vasos sanitários;
- verificar parafusos de fixação dos vasos sanitários;
- testar continuidade de esgotamento das tubulações verticais de esgoto;
- limpar caixas de passagens;
- verificar caixas e ralos sanfonados e secos;
- verificar o nível das caixas de gordura e proceder a remoção do material ali
existente;
- em todos os casos deverão ser substituídos os materiais considerados impróprios
e efetuados os reparos que garantam o efetivo funcionamento dessas instalações.

4.6.6. ESQUADRIAS, DIVISÓRIAS,


DIVISÓRIAS, PORTAS, PORTÕES,
PORTÕES, CANCELAS E VIDROS

 Trimestralmente:

- realizar lubrificação e manutenção preventiva nas portas de vidro, portões


(comando automático), cancelas, portas (dobradiças e fechaduras) de divisórias e
esquadrias de alumínio.

 Eventualmente

- substituir vidros trincados ou quebrados de portas e janelas;


- substituir massas ou borrachas endurecidas e ressecadas dos painéis de vidro;
- verificar e ajustar ferragem e fechaduras das portas divisórias e de vidro;
- remover, quando solicitado pela fiscalização, painéis divisórios e reinstalá-lo em
um novo local;
- assentar portas e painéis divisórios;
- substituição de partes danificadas de divisórias;
- verificação da situação dos vidros e ferragens das esquadrias;
- revisar, regular ou substituir, se necessário, fechaduras, ferragens, pinos, travas e
molas de portas, janelas e divisórias;
- ajuste e readequação, quando necessário, dos suportes de aparelhos de ares
condicionados;
- colocação de telas de proteção, nos suportes de aparelhos de ares condicionados,
para evitar a proliferação de pombos e outros pássaros;
- verificar e substituir rodízios, rolamentos e peças com defeitos ou que apresente
desgaste do portão de acesso (comando automático) e cancela;
- substituir portas e janelas que não possam ser recuperadas;
- cancela: revisão da base de fixação e ajuste com calibração e teste de uso;
- cancela: quando necessário realizar o alinhamento do eixo central com reforço
no cabeçotes de abertura do braço (haste da cancela).

4.6.7. PISO, TETO, PAREDES, COBERTAS E FORROS

 Eventualmente

38
- retocar partes de paredes e tetos onde foram executados serviços elétricos e
hidráulicos, com massa, gesso e pintura;
- substituir peças danificadas dos diversos tipos de piso (cerâmica, paviflex, taco,
assoalho e etc.);
- inspecionar a cobertura do prédio, substituindo e/ou rejuntando telhas quebradas
e/ou deslocadas;
- detectar e solucionar pontos de umidade existentes;
- realizar reparos em reboco e massa corrida;
- repintura geral de paredes e forros;
- conserto de partes de pisos, paredes e tetos rachados;
- detectar e sanar problemas em forros de gesso.

5. INFORMAÇÕES RELEVANTES PARA O DIMENSIONAMENTO DA PROPOSTA

5.1. Os serviços deverão ser executados com base nos parâmetros mínimos a seguir
estabelecidos:

5.1.1. Os serviços de manutenção predial, objeto do presente Termo de


Referência, serão prestados com 3 (três) postos de trabalho e com serviços
eventuais relacionados no Anexo IV
IV – A6 do Edital,
Edital no âmbito da Advocacia –
Geral da União no Estado do
do Maranhão,
Maranhão bem como considerando a carência de
pessoal nesta área e as recomendações da Instrução Normativa SLTI/MPOG n.º
02, de 30.04.08 (com as devidas atualizações), foi estimada a necessidade da
contratação do efetivo conforme discriminado na tabela a seguir:

Dias da Qtde. de Nº de
Local Tipo CBO Turno
Semana postos empregados
-Eletricista de Diurno Segunda
Todas as 9511-05 01 01
Manutenção em Geral - 44h a Sexta
Unidades da
-Oficial de serviços
AGU em São Diurno Segunda
diversos na manutenção 5143-25 01 01
Luis - MA - 44h a Sexta
de edificações
Todas as
- Oficial de serviços
Unidades da Diurno Segunda
diversos na manutenção 5143-25 01 01
AGU em - 44h a Sexta
de edificações
Imperatriz - MA
Total de Postos 03 03

5.1.2. Os postos fixos funcionarão de segunda-feira a sexta-feira, num total de


44 horas semanais, podendo a critério da CONTRATANTE a execução dos
serviços, excepcionalmente, aos sábados, domingos e feriados com
compensação das horas em folgas.

5.1.3. Durante as etapas que antecederam a elaboração deste Termo de


Referência, concluiu-se pela necessidade de adotar, por premissa, a decisão de
instruir o processo de forma a mensurar os serviços necessários para garantir
atendimento imediato, eficiente e eficaz, capaz de solucionar as demandas
oriundas das unidades que integram a estrutura organizacional da AGU nas
cidades de São Luis e Imperatriz no Estado do Maranhão,
Maranhão executados por
intermédio da mão de obra com dedicação exclusiva.

5.1.4. Os postos para execução dos serviços foram definidos em conformidade


com as atividades descritas na Classificação Brasileira de Ocupações-CBO
(CBO2002), do Ministério do Trabalho e Emprego - MTE, cabendo a
CONTRATADA verificar por intermédio do respectivo código CBO, quais são as
atividades elencadas referentes aos postos de serviços e enquadrá-los
corretamente nas condições de trabalho e ao piso salarial da categoria do

39
profissional, devendo ser qualificado e apto para executar as atividades
ocupacionais requeridas neste Termo de Referência, bem como a contratação
deve estar em concordância ao convencionado pelo sindicato da categoria em
sua Convenção Coletiva de Trabalho vigente.

5.1.5. Quando houver necessidade, a CONTRATANTE requisitará à


CONTRATADA a execução dos serviços eventuais nas Unidades da AGU nas
cidades de São Luis e Imperatriz no Estado do Maranhão.
Maranhão.

5.2. DAS DEFINIÇÕES

5.2.1. Manutenção preventiva:


preventiva série de procedimentos destinados a prevenir a
ocorrência de falhas, quebras e defeitos dos equipamentos e sistemas que
integram as instalações prediais, bem como das estruturas das edificações
conservando-os em perfeito estado de uso e ocupação, de acordo com os
manuais e normas técnicas específicas. A manutenção preventiva deve
respeitar rotinas previamente programadas pela CONTRATADA, autorizadas
pela CONTRATANTE e executados pela equipe residente.

5.2.2. Manutenção corretiva: série de procedimentos destinados a recolocar os


equipamentos, instalações, edificações e mobiliários em perfeito estado de uso
e ocupação, compreendendo, inclusive, substituição de peças, componentes e
materiais da mesma espécie ou similar, com os ajustes e recuperações de
partes dos bens, de forma a restaurar suas condições.

5.2.3. Gestor do contrato:


contrato servidor especialmente designado, na forma dos
arts. 67 e 73 da Lei nº 8.666, de 1993, e do art. 6º do Decreto nº 2.271, de
1997. É o representante da Administração, que deverá exercer o
acompanhamento e a fiscalização da execução contratual, devendo informar a
Administração sobre eventuais vícios, irregularidades ou baixa qualidade dos
serviços prestados pela CONTRATADA, propor soluções para regularização das
falhas e problemas observados e sanções que entender cabíveis, de acordo com
as disposições contidas neste Termo de Referência.

5.2.4. Fiscal Administrativo


Administrativo do contrato: servidor designado para auxiliar o
Gestor quanto à fiscalização dos aspectos administrativos do contrato.

5.2.5. Fiscal Técnico do contrato: servidor designado para auxiliar o Gestor


quanto à fiscalização do objeto do contrato da Lei nº 8.666/93.

5.2.6. Ordem de Serviço: documento utilizado pela Administração para


solicitação, acompanhamento e controle de tarefas relativas à execução dos
contratos de prestação de serviços, que deverá estabelecer quantidades,
estimativas e prazos da atividade a ser executada, e possibilitar a verificação
da conformidade do serviço executado com o solicitado (Anexo
Anexo I- I-B do Edital).

5.2.7. Rotina de Execução dos Serviços: detalhamento das tarefas que deverão
ser executadas em determinados intervalos de tempo, sua ordem de execução,
especificações, duração e frequência.

5.3. DA GARANTIA

5.3.1. A CONTRATADA, prestará garantia contratual correspondente a 5%


(cinco por cento) do valor contratado, unicamente, dos serviços de manutenção
predial, preventiva e corretiva, com dedicação exclusiva de mão de obra,
obra item
1 do objeto, em uma das modalidades previstas no artigo 56 da Lei 8.666/93,
no prazo de 10 (dez) dias úteis, contado da assinatura do contrato, observadas
as condições previstas no Edital.

40
5.3.2. A CONTRATANTE não exigirá garantia contratual para os serviços
eventuais de manutenção predial, preventiva e corretiva (item 2 do objeto), e
para o fornecimento de materiais e peças de reposição (item 3 do objeto), uma
vez que serão executados e fornecidos por demanda, bem como não envolvem
postos de trabalho com dedicação exclusiva de mão de obra, desta forma serão
excluídos para o cálculo da garantia contratual.

5.4. DO REAJUSTE E REPACTUAÇÃO

5.4.1. Visando à adequação dos preços praticados no mercado, desde que


solicitado pela CONTRATADA, o valor contratado será repactuado/reajustado,
conforme tabela a seguir, na forma estatuída no Decreto n° 2.271, de 1997, e
nas disposições aplicáveis da Instrução Normativa SLTI/MPOG n° 2, de 2008,
bem como conforme estabelecido na Cláusula de Repactuação da minuta do
contrato que compõe o Edital.
GRUPO

ITEM

OBJETO DA PRAZO PARA


INDICE
CONTRATAÇÃO REPACTUAÇÃO / REAJUSTE

Serviços de
Interregno mínimo de um
manutenção predial, Conforme estabelecido na
ano, contado a partir da
preventiva e Cláusula de Repactuação
data limite para a
1

corretiva, com da minuta do contrato que


apresentação da proposta
dedicação exclusiva compõe o Edital.
(Anualidade).
de mão de obra.

Os serviços eventuais com


valores baseados no
SINAPI, serão reajustados
conforme última tabela de
custo de composições, não
desonerado, para o Estado
do Maranhão, atualizada e
Serviços eventuais de Interregno mínimo de um divulgada pela Caixa,
manutenção predial, ano, contado a partir da referente ao mês da
1 preventiva e data limite para a repactuação/reajuste.
2

corretiva, por apresentação da proposta Os serviços eventuais com


demanda. (Anualidade). valores baseados no
MERCADO, serão
reajustados pela variação
do IPCA – Índice Nacional
de Preços ao Consumidor
Amplo, ou outro que venha
substituí-lo, divulgado
pelo IBGE.
Serão reajustados
conforme última tabela do
Interregno mínimo de um
Fornecimento de SINAPI de insumos, não
ano, contado a partir da
Materiais e peças de desonerado, para o Estado
data limite para a
3

reposição, por do Maranhão,


Maranhão atualizada e
apresentação da proposta
demanda divulgada pela Caixa,
(Anualidade).
referente ao mês da
repactuação.

5.4.2. Quando um item dos serviços eventuais (composições) ou de materiais


(insumos), relacionados na Planilha de Custos e Formação de Preços – Anexo IV

41
do Edital, for excluído da tabela do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e
Índices da Construção Civil - SINAPI, o mesmo será reajustado pela variação do
IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, ou outro que venha
substituí-lo, divulgado pelo IBGE.

5.5. DO LOCAL DA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS

5.5.1. Os serviços serão executados nos seguintes endereços:

Local Unidades Endereço


Procuradoria da União no
Estado do Maranhão – PU/MA, Av. Monção, Quadra 35, Lote
Procuradoria Federal no 01, s/n. - Loteamento Boa Vista
São Luis -MA Estado do Maranhão - PF/MA e - Edifício Via Manhattan Center
Consultoria Jurídica da União III - Jardim Renascença - São
no Estado do Maranhão – Luís-MA - CEP 65.075-692
CJU/MA
Procuradoria-Seccional Rodovia BR 010, nº 116 –
Imperatriz-
Imperatriz-
Federal na cidade de Entroncamento - Imperatriz/MA
MA
Imperatriz/MA - CEP: 65.913-460.

5.5.2. Poderão ocorrer mudanças de endereço das unidades beneficiadas


para imóveis localizados na mesma cidade, bem como eventuais alterações
quantitativas ou qualitativas no objeto do contrato, por força do disposto no art.
65, I, alínea b), da Lei nº 8.666/93, respeitados os limites previstos no § 1.º do
art. 65 da mesma Lei, inclusive a inclusão de novos serviços de manutenção
predial para atender as unidades da Advocacia-Geral da União no Estado do
Maranhão.
Maranhão.

6. DA METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO DA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS
SERVIÇOS

6.1. Os serviços deverão ser executados com base nos parâmetros mínimos a seguir
estabelecidos:

6.1.1. NORMAS E MÉTODOS

6.1.1.1. Os serviços serão executados dentro das normas técnicas da ABNT,


em atendimento às exigências das concessionárias locais de energia
elétrica, água, saneamento e telefonia, dentro das especificações
técnicas dos fabricantes dos equipamentos e materiais, bem como em
obediência as Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e
Emprego.

6.1.2. EQUIPE TÉCNICA

6.1.2.1. A CONTRATADA deverá possuir, uma equipe de técnicos, devidamente


qualificados, uniformizados, portadores de crachá de identificação,
para atendimento às solicitações da CONTRATANTE, nos dias e
horários previstos para a prestação dos serviços e nos dias e horários
não cobertos pelo subitem 5.1, no caso de chamados emergenciais
(inclusive sábados, domingos e feriados);

6.1.2.1.1. Os chamados de emergência deverão ser atendidos em até


120 (cento e vinte) minutos da efetivação dos mesmos.

6.1.2.2. A CONTRATADA poderá, após o consentimento da CONTRATANTE,


realizar a subcontratação de profissionais ou empresas para a
execução dos serviços eventuais, item 2 do objeto da contratação,

42
mantendo-se, porém, as mesmas condições de apresentação e
qualificação exigidas;

6.1.2.3. De forma excepcional e a critério da CONTRATANTE, os postos fixos


poderão realizar os serviços eventuais nos horários fora da jornada de
trabalho habitual (inclusive sábados, domingos e feriados durante o
dia ou a noite);

6.1.2.4. O eletricista deverá possuir experiência (mínimo de 6 meses) em rede


lógica e telefonia, devendo estar preparado para executar os serviços
já relacionados nesse Termo de Referência e que estejam dentro de
sua área de atuação;

6.1.2.5. A CONTRATADA deverá executar as atividades (serviço eventual) de


manutenção preventiva e corretiva na subestação de energia elétrica
(aérea) com responsáveis técnicos (Engenheiros ou Técnicos)
legalmente habilitados, devidamente registrados no CREA e atender
todas as exigências da NR10 do Ministério do Trabalho e Emprego;

6.1.2.6. A CONTRATADA deverá possuir responsável técnico (Engenheiro Civil)


legalmente habilitado para as atividades de manutenção predial
preventiva e corretiva.

7. UNIFORMES

7.1. Os uniformes a serem fornecidos pela CONTRATADA a seus empregados deverão


ser condizentes com a atividade a ser desempenhada no órgão CONTRATANTE,
compreendendo peças para todas as estações climáticas do ano, sem qualquer repasse
do custo para o empregado, observando o disposto no subitem seguinte:

7.1.1. O uniforme deverá compreender as seguintes peças do vestuário:

Quantidade - Oficial de
Quantidade - Eletricista de
Descrição do Uniforme serviços diversos na
manutenção em geral
manutenção de edificações
Calça 02 02
Camisa de malha 03 03
Calçado de segurança
para proteção dos pés 02 pares 02 pares
contra choques elétricos
Bota de borracha ---------- ----------
Meia 04 pares 04 pares
Cinto 01 01

7.2. O fornecimento dos uniformes deverá ser efetivado da seguinte forma:

7.2.1. 01 (um) conjunto completo ao empregado no início da execução do


contrato, devendo ser substituído 01 (um) conjunto completo de uniforme a
cada 06 (seis) meses, ou a qualquer época, no prazo máximo de 72 (setenta e
duas) horas, após comunicação escrita da CONTRATANTE, sempre que não
atendam as condições mínimas de apresentação, ou quando o seu desgaste
comprometa a segurança do trabalhador;

7.2.2. no caso de empregada gestante, os uniformes deverão ser apropriados


para a situação, substituindo-os sempre que estiverem apertados;

43
7.2.3. as peças devem ser confeccionadas com tecido e material de qualidade,
garantindo inclusive a segurança do trabalhador;

7.2.4. os uniformes deverão ser entregues mediante recibo, cuja cópia,


devidamente acompanhada do original para conferência, deverá ser enviada
ao servidor responsável pela fiscalização do contrato.

7.3. Os uniformes dos profissionais que executarão os serviços eventuais deverão ser
no mesmo padrão dos homens fixos.

8. MATERIAIS A SEREM DISPONIBILIZADOS E DOS SERVIÇOS EVENTUAIS

8.1. Para a perfeita execução dos serviços, a CONTRATADA deverá disponibilizar os


materiais, equipamentos, ferramentas e utensílios necessários, nas quantidades
estimadas, qualidades e características estabelecidas no Anexo IV do Edital,
promovendo sua substituição quando necessário, bem como:

8.1.1. A CONTRATADA será responsável pelo fornecimento de todos os materiais,


ferramentas, instrumentos de medição, máquinas e equipamentos necessários
para a plena e perfeita execução dos serviços contratados.

8.1.2. Os materiais, peças, componentes e equipamentos deverão ser novos, de


primeira qualidade e aprovados pela fiscalização da CONTRATANTE. As peças
deverão ser originais e genuínas.

8.1.3. Em caso de impasse acerca da reprovação de algum material, peça,


componente ou equipamento fornecido pela CONTRATADA e considerado pela
fiscalização como não sendo de primeira qualidade, a CONTRATADA deverá
apresentar laudo técnico de laboratório credenciado pelo Instituto Nacional de
Metrologia e Qualidade Industrial – INMETRO, como contraprova da boa qualidade
do produto ofertado, para a aprovação do material, sem ônus adicional para a
CONTRATANTE.

8.1.4. A CONTRATADA deverá manter, nas dependências da CONTRATANTE,


estoque de materiais como lâmpadas, reatores, disjuntores, cabos e fios diversos,
soquetes, resistências, relés, contatos, tomadas, interruptores, entre outros, para
substituições ou instalações imediatas.

8.1.5. O custo unitário dos itens de serviços eventuais e de materiais, peças e


componentes relacionados nos Anexos IV IV - A.6 e A.7 do Edital,
Edital, estão limitados aos
indicados na proposta da empresa vencedora do certame, que serão ressarcidos,
mensalmente, à CONTRATADA, de acordo com os preços cotados, para cada item
em sua proposta inicial ou da última repactuação, conforme o caso.

8.1.6. Quando se tratar de itens não previstos nos Anexos IV


IV - A.6,
A.6, A.7
A.7 do Edital e
subitem 8.3.
8.3. do Termo de Referência,
Referência a CONTRATANTE reembolsará esses valores
à CONTRATADA. Para tanto, a mesma apresentará, previamente:

8.1.6.1. O levantamento de preços e custos desses itens, com base no Sistema


de Preços e Custos da Construção Civil da Caixa Econômica Federal – SINAPI,
do Estado do Maranhão,
Maranhão sendo o valor mais atualizado, e sobre esses valores
serão aplicados o LDI conforme porcentagem indicada na Proposta da
CONTRATADA;

8.1.6.2. Nos casos em que a tabela SINAPI não oferecer preços ou custos
unitários de insumos ou serviços, deverá ser utilizada a pesquisa de mercado
no local da prestação do serviço, com no mínimo três orçamentos, devendo ser
adquirido o de menor preço unitário desde que, o insumo ou serviço eventual
proposto seja equivalente aos demais, e sobre esses valores devem ser
aplicados o LDI conforme porcentagem indicada na Proposta da CONTRATADA;

44
8.1.6.3. A solicitação de material de consumo e peças de reposição deverá ser
formalizada pela CONTRATANTE por e-mail, por intermédio da emissão de
Formulário de Solicitação de Materiais e Peças (FSMP), conforme modelo
constante no Anexo I-I-A do Edital;
Edital

8.1.6.4. A solicitação de serviços eventuais deverá ser formalizada pela


CONTRATANTE por e-mail, por intermédio da emissão de Formulário de Ordem
de Serviço, conforme modelo constante no Anexo I-B do Edital;
Edital

8.1.6.5. A CONTRATADA deverá enviar ao fiscal do contrato,


preferencialmente por correio eletrônico, a planilha de orçamento em até 3
dias úteis, contados da solicitação;

8.1.6.6. O fiscal do contrato deverá autorizar através do Formulário de


Solicitação de Materiais e Peças (FSMP) ou da Ordem de Serviço, o orçamento
que apresentar o menor valor, o qual deverá ser encaminhado a CONTRATADA
para que seja providenciada a compra ou a execução do serviço eventual;

8.1.6.7. Caso a fiscalização discorde do menor preço obtido pela CONTRATADA


uma pesquisa no mercado será feita em busca de preços menores para os
mesmos itens. Encontrando, dará conhecimento à CONTRATADA para que a
mesma forneça ou execute o serviço eventual, de imediato, e pelo menor preço
encontrado pela fiscalização;

8.1.6.8. Os orçamentos deverão ser obtidos nas empresas que comercializam


materiais de construção ou revendas especializadas, bem como empresas
especialistas na execução do serviço eventual solicitado. A escolha deverá ser
do item de menor preço de cada orçamento, na condição de preço à vista. Caso
a CONTRATADA obtenha algum desconto no orçamento de menor preço,
deverá repassá-lo à CONTRATANTE;

8.1.6.9. O valor estimado para serviços eventuais, não relacionados no


subitem 8.3. deste Termo e Anexo IV IV – A6 do Edital, a serem reembolsados,
não poderá ultrapassar a 8% (oito por cento) do valor estimado anual previsto
para os serviços eventuais - Anexo IVIV – A.6 do Edital, limitado a R$15.000,00
(quinze mil reais) por exercício financeiro (art. 24, I, da Lei nº 8.666/93) e por
cada município (grupo de unidades da AGU) atendido do Estado do Maranhão;
Maranhão

8.1.6.10. O valor estimado para materiais, peças e componentes, não


relacionados no Anexo IV IV – A.7 do Edital,
Edital a serem reembolsados, não poderá
ultrapassar a 8% (oito
(oito por cento) do valor estimado anual previsto para peças,
materiais e insumos - Anexo IV IV – A.7
A.7 do Edital, limitado a R$8.000,00 (oito mil
reais) por exercício financeiro (art. 24, II, da Lei nº 8.666/93) para as unidades
do Estado do Maranhão;
Maranhão

8.1.7. Os quantitativos e itens informados nos Anexos IV


IV - A.6 e A.7 do Edital são
estimados, devendo a CONTRATADA fornecer e faturar unicamente quando
demandado pela CONTRATANTE, estando ciente que é a quantidade máxima e
que ao longo da vigência do contrato, a CONTRATANTE irá demandar o quanto for
suficiente para atender às suas necessidades, uma vez que o quantitativo fixado
não pôde ser determinado com precisão, razão pela qual se prevê uma estimativa
a ser executada conforme surja a necessidade da CONTRATANTE (demanda), que
irá remunerar a CONTRATADA pela quantidade de serviços eventuais executados
e materiais e peças fornecidos.

8.1.8. A CONTRATADA deverá definir com a fiscalização, imediatamente após a


assinatura do contrato, os materiais constantes do Anexo IV – A.6 do Edital,
Edital, que
deverão ser fornecidos ao preço cotado em sua proposta, para fins de formação
do estoque mínimo de materiais básicos para o pronto atendimento dos serviços

45
deste projeto. Definidos os materiais, a entrega deverá ocorrer, no máximo, em
03 (três) dias úteis.

8.1.9. Os postos fixos de Eletricista de Manutenção em Geral e Oficial de Serviços


Diversos
Diversos na Manutenção de Edificações,
Edificações deverão prestar contas ao preposto da
CONTRATADA com relação ao material gasto no mês, baseando-se no controle
feito pelas demandas discriminadas nos Formulários de Solicitações de Materiais
e Peças (FSMP).

8.1.10. Todos os materiais destinados aos serviços, que não forem aplicados na
sua totalidade e que possam ser armazenados, deverão ser utilizados e
reaproveitados em novos serviços.

8.2. SERVIÇOS EVENTUAIS

8.2.1. A CONTRATANTE, por intermédio da FISCALIZAÇÃO, convocará a


CONTRATADA, sempre que necessário, para a realização de serviços eventuais
de manutenção ou de reparos, os quais não poderão ser executados pelos
postos de serviço, salvo se autorizado expressamente pela FISCALIZAÇÃO. Tais
trabalhos deverão ser executados por profissionais qualificados e
especializados com o acompanhamento e orientação de encarregado da
CONTRATADA.

8.2.2. Em função da dimensão e complexidade dos serviços eventuais a serem


realizados, será definido prazo para conclusão dos mesmos em comum acordo
entre a FISCALIZAÇÃO e a CONTRATADA. Tal prazo será registrado em livro de
ocorrência próprio e seu descumprimento estará sujeito à aplicação de multa
contratual.

8.2.3. Os serviços eventuais envolverão as especialidades profissionais de:


engenharia eletrotécnica, engenharia mecânica, engenharia civil, soldador,
serralheiro, pintor, pedreiro, serventes de pedreiro, gesseiro, artífice de
manutenção em marcenaria e divisórias, esquadrilheiro, ajudantes gerais,
cabista, vidraceiro, técnico em telefonia, técnico bombeiro hidráulico, ajudante
de bombeiro, técnico eletricista, ajudante de eletricista, técnico com
especialização em instalações elétricas, técnico com especialização em
instalações hidrossanitárias, técnico em rede estabilizada, técnico em
eletrônica e técnico em instalações e proteção contra incêndio.

8.2.4. Todos os materiais a serem empregados nos serviços deverão ser novos,
comprovadamente de primeira qualidade, e estarem de acordo com as
especificações, devendo ser submetidos à aprovação da FISCALIZAÇÃO.

8.2.5. Para fins de medição e pagamento (constarão de item específico),


portanto, serão ora considerados como serviços eventuais aqueles que, ainda
que tenham natureza preventiva, não sejam executados diretamente pelos
postos de serviço (exceto nas situações previstas neste contrato) e que
constem deste caderno de especificações e da respectiva planilha de
quantitativos e preços.

8.3. Os serviços eventuais serão, basicamente, os seguintes:

8.3.1. MANUTENÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA (aérea)

Serviços técnicos especializados em manutenção de subestação aérea de


energia, conforme a necessidade descrita no subitem 4.6.1. – d;

Observações:

46
(1) O trabalho deverá ser executado observando as disposições da norma
regulamentadora;

(2) Durante a execução dos serviços, é obrigatória a utilização de


Equipamentos de Proteção Individual;

(3) A CONTRATADA deverá providenciar, sem ônus adicional para o


CONTRATANTE, sinalização de segurança e elementos, no local da execução dos
serviços, de proteção para bens e pessoas.

8.3.2. MANUTENÇÃO DE GRUPO GERADOR

Serviços técnicos especializados em manutenção de Grupo Gerador,


conforme a necessidade descrita no subitem 4.6.1.-
4.6.1.- f;

Observações:

(1) O trabalho deverá ser executado observando as disposições da norma


regulamentadora;

(2) Durante a execução dos serviços, é obrigatória a utilização de


Equipamentos de Proteção Individual;

(3) A CONTRATADA deverá providenciar, sem ônus adicional para o


CONTRATANTE, sinalização de segurança e elementos, no local da execução dos
serviços, de proteção para bens e pessoas.

8.3.3. MANUTENÇÃO DE ESTABILIZADORES DE TENSÃO

Serviços técnicos especializados em manutenção de Estabilizadores de


Tensão, conforme a necessidade descrita no item 4.6.1.-
4.6.1.-e;

8.3.4. MANUTENÇÃO DE CAIXAS D’AGUA E CISTERNA

Serviços técnicos especializados em manutenção e limpeza de caixa d’agua


e cisterna.

8.3.5. FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE VIDRO

Serviços técnicos especializados de instalação e fornecimento de vidros,


transparente, incolor, liso, com formatos, dimensões e espessuras diversos,
conforme instalados no imóvel.

8.3.6. FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE FORRO

Serviços técnicos especializados de instalação e fornecimento de forro de


gesso e outros, abrangendo a demolição e a retirada do forro e a limpeza do local
do serviço.

8.3.7. SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO EM OBRAS CIVIS

Serviços técnicos especializados de grande proporção, definido pela


FISCALIZAÇÃO, que não poderão ser realizados pelos postos de serviço permanente.

A) SERVIÇOS DE PEDREIRO

Os serviços consistem nas seguintes atividades:

a) realizar recomposição/reforma de elementos de vedação com argamassas e


alvenarias;

47
b) efetuar aplicação de revestimentos em paredes, pisos: azulejos, pedras, colagem
de revestimentos vinílicos, melamínicos e carpetes;
c) realizar instalação de bancadas, divisores e outros elementos em banheiros,
copas, etc;
d) realizar chumbamento de peças e tubulações internas;
e) efetuar recuperação e execução de caixas de passagem e inspeção, em sistemas
hidrossanitários;
f) executar serviços de recomposição/reforma de bases e lajes de cimento para
emprego em muros, caixas d’água e sépticas, esgotos e tanques;
g) efetuar recomposição/reforma de vigas, pilares e outros elementos estruturais;
h) realizar recomposição de alvenarias;
i) realizar recomposição de calçamentos, pavimentações e complementos (meios-
fios, etc.);
j) efetuar montagem de armações metálicas apropriadas para as estruturas.

B) SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO EM CALÇAMENTO EM PLACAS DE CONCRETO E/OU


BLOCOS INTERTRAVADOS

Os serviços consistem, basicamente, em efetuar:

a) retirada de blocos/placas danificadas;


b) refazimento do colchão de assentamento (areia, pó de brita ou outro elemento
adequado);
c) montagem de novos blocos/placas, nivelados.

Observação:

(1) Os blocos intertravados ou placas são aqueles que compõem o calçamento das vias
imediatas de acesso e de saída da garagem.

C) SERVIÇOS DE RECUPERAÇÃO DE PISOS COLADOS

Os serviços consistem nas seguintes atividades:

a) efetuar retirada do piso danificado;


b) retirar a camada de adesivo;
c) regularizar o piso ou o contrapiso;
d) aplicar nova camada adesiva;
e) efetuar aplicação de piso novo.

Observações:

(1) A recuperação da base (contrapiso) somente poderá ser feita de forma adversa
ou com materiais diferentes daqueles existentes se houver aprovação da
FISCALIZAÇÃO do CONTRATANTE.
(2) A recomposição complementar decorrente dos serviços executados será
prestada: se grosseira, imediatamente após o término dos trabalhos; se em nível
de acabamento, no prazo estabelecido pela FISCALIZAÇÃO.

8.3.8. SERVIÇOS DE PINTURA

Serviços técnicos especializados de grande proporção, definido pela


FISCALIZAÇÃO, que não poderão ser realizados pelos postos de serviço (expediente e
plantão).

A) PINTURA

Serviços técnicos especializados em pinturas de ambientes, materiais e


equipamentos diversos.

48
Os profissionais deverão ser capazes de pintar, emassar, lixar, incluindo:

a) paredes, pisos, tetos, forros, rodapés, ferragens, tubulações etc.;


b) pintura ou repintura de tubulações, tampas, caixas, equipamentos, sinalizações
etc.;
c) demarcações de vagas de garagem e de estacionamentos, inclusive sinalizações
horizontais e verticais;
d) pintura ou repintura de elementos metálicos (esquadrias, alambrados, grades,
portões etc.), inclusive aplicação de primmer.

Observações:

(1) A aplicação de bases apropriadas será sempre exigida caso seja verificada a
necessidade por parte da FISCALIZAÇÃO do CONTRATANTE;
(2) A CONTRATANTE deverá empregar elementos de proteção e isolamento com o
objetivo de não causar danos ou transtornos;
(3) As tubulações prediais devem ser mantidas pintadas com as cores específicas
conforme dispõe a NBR6493/94 ou outro dispositivo complementar ou que vier a
substituí-la;
(4) A pintura de sinalização e identificação de equipamentos contra incêndio deverá
seguir as determinações da norma da ABNT NBR07195/95 – NB00076;
(5) A CONTRATADA deverá disponibilizar todas as ferramentas e equipamentos
necessários para execução dos serviços, inclusive em altura, com utilização de
andaimes, equipamentos de proteção individual, equipamentos de proteção
coletivo e outros que sejam necessários aos trabalhos.

8.3.9. SERVIÇOS EM FORRO DE GESSO

Serviços técnicos especializados de execução, de instalação e de


recuperação de forro de gesso, de grande proporção, definido pela FISCALIZAÇÃO, que
não podem ser realizados pelos postos de serviço. Consistem nas seguintes atividades:

a) fornecimento e instalação de forro de gesso, em placas, com emprego de aditivos


resistentes ao fogo, envolvidos ou não com cartão Multiplex para acabamento,
com espessura mínima de 1(um) cm com 3(três)cm de borda e 1(um)cm de
centro, para áreas maiores que 0,36 m2;

b) fornecimento e instalação de forro de gesso acartonado, tipo GYPSUM, em chapas


com emprego de aditivos resistentes ao fogo, envolvidos ou não com cartão
Multiplex para acabamento, com espessura mínima de 1(um)cm;

c) chumbamento de trincas no forro com materiais adequados, tais como fibras


vegetais, pó de gesso etc. Inclui todos os procedimentos necessários à perfeita
execução dos serviços tais como: abertura de furos para acesso à parte superior
do forro, recomposição destes furos e outros;

d) conserto de pequenos furos, quebras ou remendos em locais danificados pela


retirada de luminárias, bico de chuveiros automáticos (sprinklers) e outros, com
área menor que 0,02m2;

e) recuperação de forro de gesso, utilizando-se pó de gesso, em locais danificados


por inspeção ou manutenção de instalações, remoção e remanejamento de
divisórias etc. em toda área compreendida entre 0,02 m2 e 0,36 m2.

Observações:

(1) A CONTRATADA deverá providenciar remoção do entulho e realização de limpeza


grossa;

49
(2) Os perfis de sustentação poderão ser executados em aço com tratamento de
tinta poliéster eletrostática, em alumínio anodizado ou pintura eletrostática;

(3) Nos forros de gesso que vão receber pintura, deverá ser empregado selador como
tratamento de base, de forma a evitar-se o selamento das placas com a absorção
da umidade da tinta;

(4) A fixação das placas à estrutura de sustentação será feita com parafusos
autoatarrachantes, fosfatizados, visando evitar o processo de oxidação entre os
parafusos e as chapas de gesso;

(5) As fitas de sustentação poderão ser substituídas por tirantes de arame de aço
galvanizado e regulador com mola (tipo borboleta), para permitir o perfeito
nivelamento da estrutura do forro. A critério da FISCALIZAÇÃO, poderá ser
admitido o emprego de tirantes em arame de aço galvanizado com 2 pernas, cuja
regulagem de nível é feita pela simples torção dos fios, parando no ponto
desejado. A bitola do arame será função da carga estabelecida no projeto;

(6) A fixação dos dutos de ar-condicionado e da rede hidráulica e elétrica será


sempre independente da fixação do forro falso. Não se admitirá, em hipótese
alguma o engastamento dos tirantes em tubulações e dutos das redes elétrica,
hidrossanitária e de ar-condicionado;

(7) O nivelamento da estrutura de sustentação será rigoroso e o alinhamento das


placas ou painéis será tomado a cada fiada instalada.

8.3.10. MANUTENÇÃO DE CANCELA, PORTÕES DE ACESSO COMUM, EXTERNOS E


INTERNOS

Serviços técnicos especializados em substituição, alinhamento e reparos de


roldanas, portas e portões (comando automático) e cancelas.

- verificar e substituir rodízios, rolamentos e peças com defeitos ou que apresente


desgaste do portão de acesso (comando automático);
- lubrificar dobradiças dos portões externos e substituir fechaduras;
- cancela: revisão da base de fixação e ajuste com calibração e teste de uso;
- cancela: quando necessário realizar o alinhamento do eixo central com reforço
no cabeçotes de abertura do braço (haste da cancela).

Observações:

(1) Empregar roldanas idênticas as instaladas nos portões;


(2) Observar a manutenção do correto alinhamento.

8.3.11. ESQUADRIAS, DIVISÓRIAS E VIDROS

 Trimestralmente:

- realizar lubrificação e manutenção nas portas de vidro, portas (dobradiças e


fechaduras) de divisórias e esquadrias de alumínio.

 Eventualmente

- substituir vidros trincados ou quebrados de portas e janelas;


- substituir massas ou borrachas endurecidas e ressecadas dos painéis de vidro;
- verificar e ajustar ferragem e fechaduras das portas divisórias e de vidro;
- remover, quando solicitado pela fiscalização, painéis divisórios e reinstalá-lo em
um novo local;
- assentar portas e painéis divisórios;
- substituição de partes danificadas de divisórias;

50
- verificação da situação dos vidros e ferragens das esquadrias;
- revisar, regular ou substituir, se necessário, fechaduras, ferragens, pinos, travas e
molas de portas, janelas e divisórias;
- substituir portas e janelas que não possam ser recuperadas.

8.4. Para obter o RESSARCIMENTO pelos serviços eventuais, a CONTRATADA deverá


observar a seguinte rotina de procedimentos:

a) Realizar o serviço solicitado pelo Fiscal do contrato, sendo para isso utilizado o
Modelo de Ordem de Serviço (OS) conforme Anexo I- I-B deste instrumento;
instrumento

b) O pagamento, pelos serviços eventuais executados, será efetuado em função dos


serviços efetivamente solicitados e realizados no mês da apresentação da nota
fiscal/fatura atestada pelo fiscal do contrato;

c) Entregar à fiscalização do contrato a respectiva nota fiscal de serviço;

d) Serão objeto de ressarcimento os custos decorrentes dos serviços eventuais, que


são variáveis, sendo ressarcidos nas quantidades efetivamente realizadas.

8.5. Os serviços eventuais especializados a cargo de diferentes empresas


SUBCONTRATADAS serão coordenados pela CONTRATADA de modo a proporcionar o
andamento harmonioso em seu conjunto, permanecendo sob sua responsabilidade o
cumprimento das obrigações contratuais. Serão de responsabilidade da CONTRATADA,
quaisquer incidentes ocorridos durante a execução do serviço, não sendo aceita sob
nenhum pretexto, a transferência de qualquer responsabilidade da CONTRATADA para
outras empresas SUBCONTRATADAS.

8.6. É permitida a subcontratação dos serviços eventuais, dependendo de autorização


prévia da CONTRATANTE, a quem incumbe avaliar se a subcontratada cumpre os
requisitos de qualificação técnica, além da regularidade fiscal e trabalhista, necessários
à execução do objeto.

8.7. Em qualquer hipótese de subcontratação, permanece a responsabilidade integral


da CONTRATADA pela perfeita execução contratual, cabendo-lhe realizar a supervisão e
coordenação das atividades da subcontratada, bem como responder perante a
CONTRATANTE pelo rigoroso cumprimento das obrigações contratuais correspondentes
ao objeto da subcontratação.

9. INÍCIO DA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS

9.1. A execução dos serviços será iniciada após a CONTRATADA receber a Ordem de
Serviço – OS, inicial, emitida pela CONTRATANTE, oficializando a data de início, ocasião em
que deverá apresentar-se a Coordenação da Advocacia-Geral da União nas cidades de São
Luis e Imperatriz no Estado do Maranhão,
Maranhão a fim de tomar conhecimento das normas
estabelecidas para acesso às dependências da CONTRATANTE, relativas ao expediente de
trabalho, orientando-se inclusive quanto aos procedimentos para entrada e saída de
materiais e de seus empregados, portando ferramentas e/ou instrumentos de medição.

9.2. A CONTRATADA deverá submeter o Plano de Manutenção Preventiva à aprovação


prévia da fiscalização, antes da emissão da primeira fatura mensal de serviços. Neste
deverão ser descritas as rotinas mensais de limpeza, ajustes, medições e vistoria das
instalações de infraestrutura predial que compõe o escopo de serviços que integra o objeto
contratual.

9.3. Ao longo dos primeiros 30 (trinta) dias, a CONTRATADA deverá providenciar


levantamento pormenorizado das edificações relacionadas no subitem 5.5 deste Termo,
Termo
analisando plantas, diagramas e toda documentação técnica disponível, a fim de orientar
seus empregados quando da implementação das rotinas de manutenção preventiva, bem
como em caso de intervenção corretiva.

51
9.4. A relação de manutenções preventivas e corretivas contidas no subitem
subitem 4.6
4.6 deste
Termo não é exaustiva, e sim, exemplos de ações e serviços pretendidos, não podendo ser
recusada a execução pela CONTRATADA de qualquer serviço que, por sua natureza, está
inseparavelmente ligado às atividades de manutenção predial das instalações da
Advocacia-Geral da União nas cidades de São Luis e Imperatriz no Estado do Maranhão.
Maranhão

9.5. Ao iniciar cada atendimento, a CONTRATADA deverá assinar a Ordem de Serviço – OS,
Anexo I-I-B deste instrumento, emitida pela fiscalização, a qual explicitará o prazo de
execução em dias corridos, a contar da data de seu recebimento, conforme definido no
referido documento, que deverá ter início imediato e conclusão dentro do prazo
estabelecido, sob pena de aplicação de sanções cabíveis.

9.6. Quando se tratar de serviços de maior complexidade de execução, seja por questões
técnicas ou pelo volume do serviço, a CONTRATADA deverá estabelecer e registrar, de
comum acordo com a fiscalização, em cada OS, as datas de início e conclusão do serviço
nela solicitado, que só poderão ser prorrogadas, em caráter excepcional, mediante prévia
concordância da fiscalização do contrato.

9.7. A CONTRATADA deverá fazer constar, em cada OS atendida, os materiais aplicados e


seus respectivos quantitativos e custos, as datas e horas de início e término, bem como os
nomes dos empregados envolvidos.

9.8. As OS’s só poderão ser consideradas atendidas, após o “de acordo” da fiscalização e
o “ciente” do cliente interno (usuário) da CONTRATANTE.

9.9. Cumpridas as etapas do subitem anterior, as OS’s serão encaminhadas, de imediato,


à fiscalização, para providenciar o seu ateste e finalização.

9.10. A CONTRATADA deverá fornecer à fiscalização, juntamente com a fatura dos serviços
prestados, relatório mensal completo, conforme subitem 12.35 deste Termo de Referência,
informando: as manutenções preventivas e corretivas, identificando detalhadamente,
equipamentos e locais contemplados, o total das ordens de serviço recebidas no mês, o
número de atendimentos por especialidade, bem como o consolidado dos materiais
aplicados com seus respectivos quantitativos e valores. Relatar as ordens de serviço
pendentes de execução, que passarão para o mês subsequente, apontando a data limite
para a conclusão de cada uma.

9.11. A CONTRATADA deverá agir e operar com organização completa, fornecendo a mão
de obra, ferramentas, materiais, utensílios e equipamentos necessários à perfeita
execução dos serviços, realizando, também, todas as atividades inerentes à coordenação,
administração e execução dos serviços, utilizando-se de empregados treinados preparados
e de bom nível educacional, moral e mental.

9.12. A CONTRATADA deverá refazer, às suas custas, os serviços reprovados pela


fiscalização, quer seja pela baixa qualidade dos materiais aplicados, quanto pela imperícia,
imprudência e/ou incompetência de seus empregados, arcando com o custo de todos os
materiais necessários.

9.13. A CONTRATADA deverá zelar para não danificar os pisos/paredes/forros/móveis,


tomando todas as precauções necessárias para não riscar e/ou impregná-los com sujeiras,
adotando as ações cabíveis para entregar os locais dos serviços em perfeito estado.

9.14. Os empregados da CONTRATADA deverão manter limpos os lugares onde estiverem


trabalhando, livres e desobstruídos, visando minimizar o impacto dos serviços nos
ambientes. Após a conclusão dos serviços, efetuarão a limpeza completa do local, antes
de comunicar à fiscalização da CONTRATANTE, o encerramento dos trabalhos, para fins de
vistoria e aceite pela fiscalização;

52
9.14.1. A CONTRATADA deverá promover a retirada do entulho dos serviços
executados, com destinação ambiental correta, comunicando, por escrito, à
fiscalização quando a realização desse serviço exigir prazo superior a 02 (dois) dias;

9.15. A CONTRATADA deverá executar os serviços de acordo com as especificações e


normas técnicas brasileiras e instruções dos fabricantes dos equipamentos utilizados.

9.16. Os reparos ou indenizações de avarias em equipamentos, instalações e bens,


causadas por seus empregados na execução dos serviços ou por imperícia, imprudência
ou vandalismo, inclusive a servidores e terceiros, sem ônus adicional para a
CONTRATANTE, deverão ser providenciados no prazo máximo de 48 horas.

10. DA VISTORIA

10.1. Para o correto dimensionamento e elaboração de sua proposta, o licitante poderá


realizar vistoria nas instalações no local de execução dos serviços, acompanhado por
servidor designado para esse fim, de segunda à sexta-feira, das 08 horas às 17 horas,
devendo o agendamento ser efetuado previamente pelos telefones indicados abaixo:

Ana Paula Viegas Pereira / Radine Vanderley da Rocha -


PF/MA
Telefone: (98) 3878-7544
Sergiomar Araújo Lopes / Solange Ferreira Oliveira -
PU/MA
Telefone: (98) 3878-7527
Cleuton de Jesus Marques / Cleyton Ribeiro Junior - Telefone:
CJU/MA
(98) 3198-0858
Luciano Farias Pinto / Sandro de Brito Cunha - Telefone: (99)
PSF/IMZ/MA
3221-7200

10.2. O prazo para vistoria iniciar-se-á no dia útil seguinte ao da publicação do Edital,
estendendo-se até o dia útil anterior à data prevista para abertura da sessão pública.

10.3. Na vistoria deve ser observado todos os materiais (pias, chuveiros, torneiras,
bacias sanitárias, caixas acopladas, ralos, reparos, cabos, calhas, vidros, janelas,
esquadrias, cerâmicas, portas, dobradiças, tomadas, interruptores, spots, tintas,
lâmpadas, entre outros) instalados no imóvel, devendo a mesma fornecer todo material
no mesmo modelo, marca e padrão de qualidade existente no imóvel. Em se tratando
de materiais fora de linha, o mesmo deverá ser substituído por outro modelo de mesma
qualidade, superior e/ou de consumo eficiente, devendo o mesmo ser vistoriado e
autorizado pelo fiscal do contrato.

10.4. Para a vistoria, o licitante ou o seu representante, deverá estar devidamente


identificado.

10.5. As pessoas jurídicas licitantes têm o direito à vistoria prévia, porém, a interessada
deverá decidir se arcará com o ônus de tal operação ou assumirá o risco de uma
avaliação menos acurada.

10.6. A pessoa jurídica licitante que decidir não realizar a vistoria e, eventualmente,
subestimar sua proposta, estará incorrendo em risco típico do seu negócio, não
podendo, futuramente, opô-lo contra a Administração para eximir-se de qualquer
obrigação assumida ou para rever os termos do contrato que vier a firmar.

11. OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE

11.1. Exigir o cumprimento de todas as obrigações assumidas pela CONTRATADA, de


acordo com as cláusulas contratuais e os termos de sua proposta.

11.2. Exercer o acompanhamento e a fiscalização dos serviços, por servidor


especialmente designado, anotando em registro próprio as falhas detectadas, indicando

53
dia, mês e ano, bem como o nome dos empregados eventualmente envolvidos, e
encaminhando os apontamentos à autoridade competente para as providências
cabíveis.

11.3. Notificar a CONTRATADA por escrito da ocorrência de eventuais imperfeições no


curso da execução dos serviços, fixando prazo para a sua correção.

11.4. Não permitir que os empregados da CONTRATADA realizem horas extras, exceto
em caso de comprovada necessidade de serviço, formalmente justificada pela
autoridade do órgão para o qual o trabalho seja prestado e desde que observado o limite
da legislação trabalhista.

11.5. Pagar à CONTRATADA o valor resultante da prestação do serviço, no prazo e


condições estabelecidas no Edital e seus anexos.

11.6. Efetuar as retenções tributárias devidas sobre o valor da fatura de serviços da


CONTRATADA, em conformidade com o art. 36, §8º da IN SLTI/MPOG N. 02/2008.

11.7. Não praticar atos de ingerência na administração da CONTRATADA, tais como:

11.7.1. Exercer o poder de mando sobre os empregados da CONTRATADA, devendo


reportar-se somente aos prepostos ou responsáveis por ela indicados,
exceto quando o objeto da contratação previr o atendimento direto, tais
como nos serviços de recepção e apoio ao usuário;

11.7.2. Direcionar a contratação de pessoas para trabalhar nas empresas


CONTRATADAS;

11.7.3. Promover ou aceitar o desvio de funções dos trabalhadores da


CONTRATADA, mediante a utilização destes em atividades distintas
daquelas previstas no objeto da contratação e em relação à função
específica para a qual o trabalhador foi contratado; e

11.7.4. Considerar os trabalhadores da CONTRATADA como colaboradores


eventuais do próprio órgão ou entidade responsável pela contratação,
especialmente para efeito de concessão de diárias e passagens.

11.8. Fiscalizar mensalmente, por amostragem, o cumprimento das obrigações


trabalhistas, previdenciárias e para com o FGTS, especialmente:

11.8.1. A concessão de férias remuneradas e o pagamento do respectivo adicional,


bem como de auxílio-transporte, auxílio-alimentação e auxílio-saúde,
quando for devido;

11.8.2. O recolhimento das contribuições previdenciárias e do FGTS dos


empregados que efetivamente participem da execução dos serviços
contratados, a fim de verificar qualquer irregularidade;

11.8.3. O pagamento de obrigações trabalhistas e previdenciárias dos empregados


dispensados até a data da extinção do contrato.

11.9. Analisar os termos de rescisão dos contratos de trabalho do pessoal empregado


na prestação dos serviços no prazo de 30 (trinta) dias, prorrogável por igual período,
após a extinção ou rescisão do contrato, nos termos do art. 34, §5º, d, I e §8º da IN
SLTI/MPOG n. 02/2008.

12. DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA

12.1. Executar os serviços conforme especificações deste Termo de Referência e de sua


proposta, com a alocação dos empregados necessários ao perfeito cumprimento das

54
cláusulas contratuais, além de fornecer os materiais e equipamentos, ferramentas e
utensílios necessários, na qualidade e quantidade especificadas neste Termo de
Referência e em sua proposta.

12.2. Reparar, corrigir, remover ou substituir, às suas expensas, no total ou em parte,


no prazo fixado pelo fiscal do contrato, os serviços efetuados em que se verificarem
vícios, defeitos ou incorreções resultantes da execução ou dos materiais empregados.

12.3. Manter o empregado nos horários predeterminados pela Administração.

12.4. Responsabilizar-se pelos vícios e danos decorrentes da execução do objeto, de


acordo com os artigos 14 e 17 a 27, do Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078,
de 1990), ficando a CONTRATANTE autorizada a descontar da garantia, caso exigida no
edital, ou dos pagamentos devidos à CONTRATADA, o valor correspondente aos danos
sofridos.

12.5. Utilizar empregados habilitados e com conhecimentos básicos dos serviços a


serem executados, em conformidade com as normas e determinações em vigor.

12.6. Vedar a utilização, na execução dos serviços, de empregado que seja familiar de
agente público ocupante de cargo em comissão ou função de confiança no órgão
CONTRATANTE, nos termos do artigo 7° do Decreto n° 7.203, de 2010.

12.7. Disponibilizar à CONTRATANTE os empregados devidamente uniformizados e


identificados por meio de crachá, além de provê-los com os Equipamentos de Proteção
Individual - EPI, quando for o caso.

12.8. Fornecer os uniformes a serem utilizados por seus empregados, conforme disposto
neste Termo de Referência, sem repassar quaisquer custos a estes.

12.9. As empresas CONTRATADAS que sejam regidas pela Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT) deverão apresentar a seguinte documentação no primeiro mês de
prestação dos serviços:

12.9.1. Relação dos empregados, contendo nome completo, cargo ou função,


horário do posto de trabalho, números da carteira de identidade (RG) e da
inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), com indicação dos
responsáveis técnicos pela execução dos serviços, quando for o caso;

12.9.2. Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) dos empregados admitidos


e dos responsáveis técnicos pela execução dos serviços, quando for o caso,
devidamente assinada pela CONTRATADA; e

12.9.3. Exames médicos admissionais dos empregados da CONTRATADA que


prestarão os serviços;

12.9.4. Os documentos acima mencionados deverão ser apresentados para cada


novo empregado que se vincule à prestação do contrato administrativo. De
igual modo, o desligamento de empregados no curso do contrato de
prestação de serviços deve ser devidamente comunicado, com toda a
documentação pertinente ao empregado dispensado, à semelhança do que
se exige quando do encerramento do contrato administrativo.

12.10. Quando não for possível a verificação da regularidade no Sistema de Cadastro


de Fornecedores – SICAF, a empresa CONTRATADA cujos empregados vinculados ao
serviço sejam regidos pela CLT deverá entregar ao setor responsável pela fiscalização
do contrato, até o dia trinta do mês seguinte ao da prestação dos serviços, os seguintes
documentos: 1) prova de regularidade relativa à Seguridade Social; 2) certidão conjunta
relativa aos tributos federais e à Dívida Ativa da União; 3) certidões que comprovem a
regularidade perante as Fazendas Estadual, Distrital e Municipal do domicílio ou sede

55
do contratado; 4) Certidão de Regularidade do FGTS – CRF; e 5) Certidão Negativa de
Débitos Trabalhistas – CNDT.

12.11. Substituir, no prazo de 02 (duas) horas, em caso de eventual ausência, tais como,
faltas, férias e licenças, o empregado posto a serviço da CONTRATANTE, devendo
identificar previamente o respectivo substituto ao Fiscal do Contrato.

12.12. Responsabilizar-se pelo cumprimento das obrigações previstas em Acordo,


Convenção, Dissídio Coletivo de Trabalho ou equivalentes das categorias abrangidas
pelo contrato, por todas as obrigações trabalhistas, sociais, previdenciárias, tributárias
e as demais previstas em legislação específica, cuja inadimplência não transfere a
responsabilidade à CONTRATANTE.

12.12.1. Não serão incluídas nas planilhas de custos e formação de preços as


disposições contidas em Acordos, Dissídios ou Convenções Coletivas que
tratem de pagamento de participação dos trabalhadores nos lucros ou
resultados da empresa contratada, de matéria não trabalhista, ou que
estabeleçam direitos não previstos em lei, tais como valores ou índices
obrigatórios de encargos sociais ou previdenciários, bem como de preços
para os insumos relacionados ao exercício da atividade.

12.13. Efetuar o pagamento dos salários dos empregados alocados na execução


contratual mediante depósito na conta bancária de titularidade do trabalhador, em
agência situada na localidade ou região metropolitana em que ocorre a prestação dos
serviços, de modo a possibilitar a conferência do pagamento por parte da
CONTRATANTE. Em caso de impossibilidade de cumprimento desta disposição, a
CONTRATADA deverá apresentar justificativa, a fim de que a Administração analise sua
plausibilidade e possa verificar a realização do pagamento.

12.14. Autorizar a Administração CONTRATANTE, no momento da assinatura do


contrato, a fazer o desconto nas faturas e realizar os pagamentos dos salários e demais
verbas trabalhistas diretamente aos trabalhadores, bem como das contribuições
previdenciárias e do FGTS, quando não demonstrado o cumprimento tempestivo e
regular dessas obrigações, até o momento da regularização, sem prejuízo das sanções
cabíveis;

12.14.1. Quando não for possível a realização desses pagamentos pela própria
Administração (ex.: por falta da documentação pertinente, tais como folha
de pagamento, rescisões dos contratos e guias de recolhimento), os valores
retidos cautelarmente serão depositados junto à Justiça do Trabalho, com o
objetivo de serem utilizados exclusivamente no pagamento de salários e das
demais verbas trabalhistas, bem como das contribuições sociais e FGTS
decorrentes.

12.15. Autorizar o provisionamento de valores para o pagamento das férias, 13º salário
e rescisão contratual dos trabalhadores da CONTRATADA, bem como de suas
repercussões trabalhistas, fundiárias e previdenciárias, que serão depositados pela
CONTRATANTE em conta-depósito vinculada específica, em nome do prestador dos
serviços, bloqueada para movimentação, conforme disposto no anexo VII da Instrução
Normativa SLTI/MPOG nº 2, de 2008, os quais somente serão liberados para o
pagamento direto dessas verbas aos trabalhadores, nas condições estabelecidas §1º,
do art. 19-A, da referida norma.

12.15.1. O montante dos depósitos da conta vinculada será igual ao somatório dos
valores das provisões a seguir discriminadas, incidentes sobre a
remuneração, cuja movimentação dependerá de autorização do órgão ou
entidade promotora da licitação e será feita exclusivamente para o
pagamento das respectivas obrigações:

12.15.1.1. 13º (décimo terceiro) salário;

56
12.15.1.2. Férias e um terço constitucional de férias;

12.15.1.3. Multa sobre o FGTS e contribuição social para as rescisões sem justa
causa; e

12.15.1.4. Encargos sobre férias e 13º (décimo terceiro) salário, conforme no art.
22, inciso II, da Lei no 8.212, de 1991 (Item 1.1.1 do Anexo VII da IN
SLTI/MPDG n. 02/2008, com a redação dada pela IN n. 3, de 2014.

12.15.1.5. Os percentuais de provisionamento e a forma de cálculo serão aqueles


indicados no Anexo VII da IN SLTI/MP n. 2/2008.

12.15.2. O saldo da conta-depósito será remunerado pelo índice de correção da


poupança pro rata die, conforme definido em Termo de Cooperação Técnica
firmado entre o promotor desta licitação e instituição financeira. Eventual
alteração da forma de correção implicará a revisão do Termo de
Cooperação Técnica.

12.15.3. Os valores referentes às provisões mencionadas neste edital que sejam


retidos por meio da conta-depósito, deixarão de compor o valor mensal a
ser pago diretamente à empresa que vier a prestar os serviços.

12.15.4. Em caso de cobrança de tarifa ou encargos bancários para


operacionalização da conta-depósito, os recursos atinentes a essas
despesas serão debitados dos valores depositados.

12.15.5. A empresa CONTRATADA poderá solicitar a autorização do órgão ou


entidade CONTRATANTE para utilizar os valores da conta-depósito para o
pagamento dos encargos trabalhistas previstos nos subitens acima ou de
eventuais indenizações trabalhistas aos empregados, decorrentes de
situações ocorridas durante a vigência do contrato;

12.15.5.1. Na situação do subitem acima, a empresa deverá apresentar os


documentos comprobatórios da ocorrência das obrigações
trabalhistas e seus respectivos prazos de vencimento. Somente após
a confirmação da ocorrência da situação pela Administração, será
expedida a autorização para a movimentação dos recursos creditados
na conta-depósito vinculada, que será encaminhada à Instituição
Financeira no prazo máximo de 5 (cinco) dias úteis, a contar da data
da apresentação dos documentos comprobatórios pela empresa;

12.15.5.2. A autorização de movimentação deverá especificar que se destina


exclusivamente para o pagamento dos encargos trabalhistas ou de
eventual indenização trabalhista aos trabalhadores favorecidos;

12.15.5.3. A empresa deverá apresentar ao órgão ou entidade CONTRATANTE,


no prazo máximo de 3 (três) dias úteis, contados da movimentação, o
comprovante das transferências bancárias realizadas para a quitação
das obrigações trabalhistas.

12.15.6. O saldo remanescente dos recursos depositados na conta-depósito será


liberado à respectiva titular no momento do encerramento do contrato, na
presença do sindicato da categoria correspondente aos serviços
contratados, quando couber, e após a comprovação da quitação de todos os
encargos trabalhistas, previdenciários e para com o FGTS relativos ao
serviço contratado.

12.16. Não permitir que o empregado designado para trabalhar em um turno preste
seus serviços no turno imediatamente subsequente.

57
12.17. Atender às solicitações da CONTRATANTE quanto à substituição dos empregados
alocados, no prazo fixado pelo fiscal do contrato, nos casos em que ficar constatado
descumprimento das obrigações relativas à execução do serviço, conforme descrito
neste Termo de Referência.

12.18. Instruir seus empregados quanto à necessidade de acatar as Normas Internas da


Administração.

12.19. Instruir seus empregados a respeito das atividades a serem desempenhadas,


alertando-os a não executar atividades não abrangidas pelo contrato, devendo a
CONTRATADA relatar à CONTRATANTE toda e qualquer ocorrência neste sentido, a fim
de evitar desvio de função.

12.20. Instruir seus empregados, no início da execução contratual, quanto à obtenção


das informações de seus interesses junto aos órgãos públicos, relativas ao contrato de
trabalho e obrigações a ele inerentes, adotando, entre outras, as seguintes medidas:

12.20.1. Viabilizar o acesso de seus empregados, via internet, por meio de senha
própria, aos sistemas da Previdência Social e da Receita do Brasil, com o
objetivo de verificar se as suas contribuições previdenciárias foram
recolhidas, no prazo máximo de 60 (sessenta) dias, contados do início da
prestação dos serviços ou da admissão do empregado;
12.20.2. Viabilizar a emissão do cartão cidadão pela Caixa Econômica Federal para
todos os empregados, no prazo máximo de 60 (sessenta) dias, contados do
início da prestação dos serviços ou da admissão do empregado;

12.20.3. Oferecer todos os meios necessários aos seus empregados para a obtenção
de extratos de recolhimentos de seus direitos sociais, preferencialmente por
meio eletrônico, quando disponível;

12.21. Deter instalações, aparelhamento e pessoal técnico adequados e disponíveis


para a realização do objeto da licitação;

12.21.1. Para a realização do objeto da licitação, a CONTRATADA deverá entregar


declaração de que instalará escritório de representação na cidade ou região
metropolitana de São Luis no Estado do Maranhão,
Maranhão a ser comprovado no
prazo máximo de 60 (sessenta) dias contados a partir da vigência do
contrato, dispondo de capacidade operacional,
operacional para receber e solucionar
qualquer demanda da CONTRATANTE, bem como realizar todos os
procedimentos pertinentes à seleção, treinamento, admissão e demissão
dos funcionários.

12.22. Manter preposto nos locais de prestação de serviço, aceito pela CONTRATANTE,
para representá-la na execução do contrato.

12.23. Relatar à CONTRATANTE toda e qualquer irregularidade verificada no decorrer


da prestação dos serviços.

12.24. Fornecer, sempre que solicitados pela CONTRATANTE, os comprovantes do


cumprimento das obrigações previdenciárias, do Fundo de Garantia do Tempo de
Serviço - FGTS, e do pagamento dos salários e demais benefícios trabalhistas dos
empregados colocados à disposição da CONTRATANTE:

12.24.1. A ausência da documentação pertinente ou da comprovação do


cumprimento das obrigações trabalhistas, previdenciárias e relativas ao FGTS
implicará a retenção do pagamento da fatura mensal, em valor proporcional
ao inadimplemento, mediante prévia comunicação, até que a situação seja
regularizada, sem prejuízo das demais sanções cabíveis.

58
12.24.2. Ultrapassado o prazo de 15 (quinze) dias, contados na comunicação
mencionada no subitem anterior, sem a regularização da falta, a
CONTRATANTE poderá efetuar o pagamento das obrigações diretamente aos
empregados da contratada que tenham participado da execução dos serviços
objeto do contrato, sem prejuízo das demais sanções cabíveis.

12.24.2.1. O sindicato representante da categoria do trabalhador deverá ser


notificado pela CONTRATANTE para acompanhar o pagamento das
respectivas verbas.

12.25. Não permitir a utilização de qualquer trabalho do menor de dezesseis anos,


exceto na condição de aprendiz para os maiores de quatorze anos; nem permitir a
utilização do trabalho do menor de dezoito anos em trabalho noturno, perigoso ou
insalubre.

12.26. Manter durante toda a vigência do contrato, em compatibilidade com as


obrigações assumidas, todas as condições de habilitação e qualificação exigidas na
licitação.

12.27. Guardar sigilo sobre todas as informações obtidas em decorrência do


cumprimento do contrato.

12.28. Não beneficiar-se da condição de optante pelo Simples Nacional, salvo as


exceções previstas no § 5º-C do art. 18 da Lei Complementar no 123, de 14 de dezembro
de 2006.

12.29. Comunicar formalmente à Receita Federal a assinatura do contrato de prestação


de serviços mediante cessão de mão de obra, salvo as exceções previstas no § 5º-C do
art. 18 da Lei Complementar no 123, de 14 de dezembro de 2006, para fins de exclusão
obrigatória do Simples Nacional a contar do mês seguinte ao da contratação, conforme
previsão do art.17, XII, art.30, §1º, II e do art. 31, II, todos da LC 123, de 2006;

12.29.1. Para efeito de comprovação da comunicação, a CONTRATADA deverá


apresentar cópia do ofício enviado à Receita Federal do Brasil, com
comprovante de entrega e recebimento, comunicando a assinatura do
contrato de prestação de serviços mediante cessão de mão de obra, até o
último dia útil do mês subsequente ao da ocorrência da situação de vedação.

12.30. Arcar com o ônus decorrente de eventual equívoco no dimensionamento dos


quantitativos de sua proposta, inclusive quanto aos custos variáveis decorrentes de
fatores futuros e incertos, tais como os valores providos com o quantitativo de vale
transporte, devendo complementá-los, caso o previsto inicialmente em sua proposta
não seja satisfatório para o atendimento do objeto da licitação, exceto quando ocorrer
algum dos eventos arrolados nos incisos do § 1º do art. 57 da Lei nº 8.666, de 1993.

12.31. Sujeitar-se à retenção da garantia prestada e dos valores das faturas


correspondentes a 1 (um) mês de serviços, por ocasião do encerramento da prestação
dos serviços contratados, podendo a Administração CONTRATANTE utilizá-los para o
pagamento direto aos trabalhadores vinculados ao contrato no caso da não
comprovação (1) do pagamento das respectivas verbas rescisórias ou (2) da realocação
dos trabalhadores em outra atividade de prestação de serviços, nos termos do art. 35,
parágrafo único da Instrução Normativa SLTI/MPOG n. 02/2008.

12.32. Quando da emissão das notas fiscais, a CONTRATADA deverá encaminhar duas
notas fiscais distintas, sendo uma para a prestação de serviços (itens 1 e 2 do objeto) e
outra para o fornecimento de materiais/peças (item 3 do objeto), visto que a tributação
incidente são diferenciadas. Poderá a CONTRADATA apresentar uma Nota Fiscal
conjugada, neste caso deverá encaminhar junto com a Nota Fiscal conjugada, o acordo
de cooperação entre a Sefaz Estadual e a Prefeitura Municipal de competência tributária

59
para recolhimento dos respectivos impostos resultantes da prestação dos serviços e
fornecimento de materiais/peças.

12.33. Fornecer, quando solicitado pela fiscalização o registro de ocorrências relativas


a pessoal, andamento dos serviços e material retirado e adquirido.

12.34. Providenciar visitas periódicas do preposto da CONTRATADA às Unidades


vinculadas ao objeto do contrato.

12.35. Elaborar e apresentar à CONTRATANTE, junto com a nota fiscal, Relatório Técnico
Mensal, documento este imprescindível do processo de pagamento, detalhando a
execução dos serviços, assinado pelo Responsável Técnico, citando no mínimo os
seguintes aspectos:

12.35.1.1. discriminação dos serviços executados, contendo a data e o


local onde os mesmos foram executados;

12.35.1.2. resumo das anormalidades e fatos ocorridos no período;

12.35.1.3. resumo dos serviços preventivos e corretivos executados com


indicação das pendências, as razões de sua existência e os que
estejam dependendo de solução por parte da CONTRATANTE;

12.35.1.4. as peças, acessórios, componentes e materiais substituídos por


defeito ou desgaste;

12.35.1.5. se for o caso, sugestões sobre reparos preventivos ou


modernizações cuja necessidade tenha sido constatada;

12.35.1.6. sugestões indicando quais materiais/equipamentos podem ser


substituídos visando melhor eficiência energética e de água,
para redução dos consumos de água e energia elétrica bem
como a relação custo-benefício que justifique o investimento;

12.35.1.7. parecer sobre as condições de conservação, desgaste e


funcionamento dos equipamentos (gerador, bombas
hidráulicas, motores, transformadores, estabilizadores, etc.);

12.35.1.8. outros que julgar necessário para o diagnóstico preciso.

12.36. Cumprir rigorosamente com toda a legislação aplicável à execução dos serviços
contratados, executando-os em conformidade com as normas técnicas vigentes,
zelando pela segurança e saúde do trabalhador, responsabilizando-se por qualquer
acidente de trabalho, danos ou prejuízos causados à CONTRATANTE e a terceiros, de tal
modo que os serviços sejam prestados com eficiência e máxima segurança.

12.37. Observar as normas de segurança e saúde no trabalho, em especial as NR 06,


NR 10, NR 17 e NR 18.

12.38. Providenciar sinalização de segurança (cones, faixas de alerta e interdição,


placas de advertência, etc.), no local da execução dos serviços, de proteção para bens
e pessoas.

12.39. Utilizar material novo, sem defeitos ou deformações em quaisquer serviços de


manutenção. Tais materiais deverão ser de classe, qualidade e grau adequados e em
conformidade com as últimas revisões dos padrões da ABNT e das normas descritas
neste Termo de Referência.

60
12.40. Utilizar material, equipamentos e instalações em conformidade com os
regulamentos de proteção contra incêndio, especialmente os isolamentos térmicos, que
deverão ser feitos de material incombustível ou auto extinguível.

12.41. Manter todos os equipamentos e utensílios necessários à execução dos serviços


em perfeitas condições de uso, devendo os danificados serem substituídos em até 24
(vinte e quatro) horas. Os equipamentos elétricos devem ser dotados de proteção, de
modo a evitar danos à rede elétrica.

12.42. Ser responsável pelo atendimento aos seus empregados por quaisquer acidentes
e/ou mal súbito de que possam ser vitimados, quando em serviço.

12.43. Assumir inteira responsabilidade pela execução dos serviços, devendo os


materiais utilizados receberem prévia aprovação da fiscalização, que se reserva o direito
de rejeitá-los sempre que contrariarem os padrões especificados.

12.44. Disponibilizar, para a perfeita prestação dos serviços, somente técnicos


especializados, habilitados, qualificados e treinados, os quais deverão estar
devidamente identificados e utilizar somente ferramentas, aparelhos e equipamentos
adequados a cada tipo de serviço.

12.45. Verificar todas as características de funcionamento exigidas nas especificações


técnicas e nos desenhos de catálogos dos equipamentos e seus componentes.

12.46. Proteger os móveis, documentos e objetos existentes no local de realização dos


serviços com lonas ou outro material adequado, afim de evitar danos aos equipamentos,
amarrando com cordas e vedando com fitas adesivas, sem que isso implique acréscimo
nos preços contratados.

12.47. Manter o local do serviço limpo, efetuando tanto a limpeza grossa quanto fina no
período de execução dos serviços.

12.48. Disponibilizar sistemas de comunicação por rádio, telefonia celular ou tecnologia


similar, para comunicação remota entre os funcionários da equipe permanente de
manutenção, a fim de agilizar e otimizar as atividades da equipe, bem como para
comunicação da equipe com a CONTRATANTE.

12.49. Cuidar para que os serviços a serem executados acarretem a menor perturbação
possível aos serviços públicos, às vias de acesso e a todo e qualquer bem, público ou
privado, adjacente às instalações da CONTRATANTE, providenciando sinalização e/ou
isolamento das áreas de serviço.

12.50. Providenciar para que, após os serviços, todos os ambientes fiquem exatamente
como estavam antes da execução dos serviços.

12.51. Em nenhuma hipótese alegar desconhecimento, incompreensão, dúvidas ou


esquecimento de qualquer detalhe, e arcará com quaisquer ônus decorrentes desses
fatos.

12.52. Instruir os seus empregados quanto à prevenção de incêndios nas áreas das
edificações da CONTRATANTE.

12.53. Cumprir as normas e regulamentos internos da CONTRATANTE e substituir,


sempre que exigido e independente de justificativa por parte desta, qualquer
empregado cuja atuação, permanência ou comportamento sejam julgados prejudiciais,
inconvenientes ou insatisfatórios à disciplina da repartição ou ao interesse do serviço
público.

12.54. Adotar CRITÉRIOS DE SUSTENTABILIDADE na execução dos serviços, conforme


determinado abaixo:

61
12.54.1. Racionalizar o uso de substâncias potencialmente tóxicas ou poluentes,
informando, se for o caso, o tratamento adotado para o recolhimento dos
resíduos;

12.54.2. Substituir as substâncias tóxicas por outras atóxicas ou de menor


toxicidade;

12.54.3. Separar e acondicionar em recipientes adequados para destinação


específica as lâmpadas fluorescentes, baterias, pilhas, óleos e frascos de
aerossóis em geral, demonstrando os procedimentos utilizados para o
recolhimento adequado dos materiais;

12.54.4. Manter critérios especiais e privilegiados para aquisição de produtos e


equipamentos que apresentem eficiência energética e redução de consumo
de energia, classificados pelo Selo Procel de Economia de Energia (um
instrumento promocional do Procel – Programa Nacional de Conservação de
Energia Elétrica coordenado pelo Ministério das Minas e Energia), que
comprova a eficiência energética;

12.54.5. Utilizar exclusivamente lâmpadas fluorescentes compactas, tubulares de


alto rendimento ou leds e luminárias eficientes, realizando a avaliação e
implementação de intervenções energeticamente mais eficientes;

12.54.6. Priorizar o emprego de mão de obra, materiais, tecnologias e matérias-


primas de origem local na execução dos serviços;

12.54.7. Providenciar o recolhimento dos materiais inservíveis e dos recipientes de


tintas, vernizes, óleos e solventes originários dos serviços executados, para
posterior repasse às empresas industrializadoras, responsáveis pela
reciclagem ou reaproveitamento dos mesmos, ou destinação final
ambientalmente adequada, demonstrando os procedimentos utilizados para
o recolhimento adequado dos materiais;

12.54.8. Promover a Eficiência Energética por meio de ações que contemplem a


redução do desperdício de energia elétrica advindo da ineficiência dos
processos e ou equipamentos nas instalações das unidades atendidas da
Advocacia-Geral da União. Essas ações devem contemplar quando da
substituição de equipamentos, por outros com melhor rendimento nos
sistemas de iluminação, força motriz, dentre outros. Em suma, qualquer
sistema, contanto que comprovada a Eficiência Energética gerada de acordo
com as premissas da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL;

12.54.9. Realizar um programa interno de treinamento de seus empregados, nos


três primeiros meses de execução contratual, para redução de consumo de
energia elétrica, de consumo de água e redução de produção de resíduos
sólidos, observadas as normas ambientais vigentes, sendo o conteúdo
programático do curso aprovado pela administração por meio do fiscal do
contrato;

12.54.10. A CONTRATADA deverá estabelecer, em comum acordo com a


CONTRATANTE, procedimentos e rotinas voltadas ao monitoramento e
melhoria contínua da eficiência energética e hidráulica da edificação e de
seus equipamentos;

12.54.11. Os materiais empregados pela CONTRATADA deverão atender a melhor


relação entre custos e benefícios, considerando-se os impactos ambientais,
positivos e negativos, associados ao produto;

62
12.54.12. A qualquer tempo a CONTRATANTE poderá solicitar à CONTRATADA a
apresentação de relação com as marcas e fabricantes dos produtos e
materiais utilizados, que devem ser os mesmos instalados no imóvel locado
pela AGU, podendo vir a solicitar a substituição de quaisquer itens por
outros, com a mesma finalidade, considerados mais adequados do ponto de
vista dos impactos ambientais.

13. DA SUBCONTRATAÇÃO

13.1. É permitida a subcontratação parcial do objeto, conforme as seguintes condições:

13.1.1. A subcontratação é permitida para os serviços eventuais de manutenção


predial, preventiva e corretiva, por demanda, item 2 do objeto e para o
Fornecimento de Materiais e peças de reposição, por demanda, item 3 do
objeto.

13.1.2. É vedada a sub-rogação dos serviços de manutenção predial, preventiva e


corretiva, com dedicação
dedicação exclusiva de mão de obra,
obra item 1 do objeto, sendo
considerada como a parcela principal da obrigação e não pode ser
subcontratada.

13.1.3. É vedada a subcontratação de microempresas e empresas de pequeno porte


que estejam participando da licitação.

13.2. As microempresas e/ou empresas de pequeno porte a serem subcontratadas serão


indicadas e qualificadas pela licitante melhor classificada juntamente com a descrição
dos bens e/ou serviços a serem por elas fornecidos e seus respectivos valores.

13.3. São obrigações adicionais da CONTRATADA, em razão da subcontratação:

13.3.1. Apresentar a documentação de regularidade fiscal das microempresas e


empresas de pequeno porte subcontratadas, sob pena de rescisão,
aplicando-se o prazo para regularização previsto no § 1º do art. 4º do Decreto
nº 8.538, de 2015.

13.3.2. Substituir a subcontratada, no prazo máximo de trinta dias, na hipótese de


extinção da subcontratação, mantendo o percentual originalmente
subcontratado até a sua execução total, notificando o órgão ou entidade
contratante, sob pena de rescisão, sem prejuízo das sanções cabíveis, ou a
demonstrar a inviabilidade da substituição, hipótese em que ficará
responsável pela execução da parcela originalmente subcontratada.

13.4. Em qualquer hipótese de subcontratação, permanece a responsabilidade integral


da CONTRATADA pela perfeita execução contratual, bem como pela padronização, pela
compatibilidade, pelo gerenciamento centralizado e pela qualidade da subcontratação,
cabendo-lhe realizar a supervisão e coordenação das atividades da subcontratada, bem
como responder perante a CONTRATANTE pelo rigoroso cumprimento das obrigações
contratuais correspondentes ao objeto da subcontratação.

13.5. Não será aplicável a exigência de subcontratação quando a licitante for qualificada
como microempresa ou empresa de pequeno porte.

14. ALTERAÇÃO SUBJETIVA

14.1. É admissível a fusão, cisão ou incorporação da CONTRATADA com/em outra pessoa


jurídica, desde que sejam observados pela nova pessoa jurídica todos os requisitos de
habilitação exigidos na licitação original; sejam mantidas as demais cláusulas e
condições do contrato; não haja prejuízo à execução do objeto pactuado e haja a
anuência expressa da Administração à continuidade do contrato.

63
15. CONTROLE E FISCALIZAÇÃO
FISCALIZAÇÃO DA EXECUÇÃO

15.1. O acompanhamento e a fiscalização da execução do contrato consistem na


verificação da conformidade da prestação dos serviços e da alocação dos recursos
necessários, de forma a assegurar o perfeito cumprimento do ajuste, devendo ser
exercidos por um ou mais representantes da CONTRATANTE, especialmente designados,
na forma dos arts. 67 e 73 da Lei nº 8.666, de 1993, e do art. 6º do Decreto nº 2.271,
de 1997;

15.1.1. A fiscalização dos contratos, no que se refere ao cumprimento das


obrigações trabalhistas, deve ser realizada com base em critérios
estatísticos, levando-se em consideração falhas que impactem o contrato
como um todo e não apenas erros e falhas eventuais no pagamento de
alguma vantagem a um determinado empregado.

15.2. O representante da CONTRATANTE deverá ter a experiência necessária para o


acompanhamento e controle da execução dos serviços e do contrato.

15.3. As disposições previstas nesta cláusula não excluem o disposto no Anexo IV (Guia
de Fiscalização dos Contratos de Terceirização) da Instrução Normativa SLTI/MPOG nº
02, de 2008.

15.4. A verificação da adequação da prestação do serviço deverá ser realizada com base
nos critérios previstos neste Termo de Referência;

15.5. A execução dos contratos deverá ser acompanhada e fiscalizada por meio de
instrumentos de controle, que compreendam a mensuração dos aspectos mencionados
no art. 34 da Instrução Normativa SLTI/MPOG nº 02, de 2008, quando for o caso.

15.6. O fiscal ou gestor do contrato, ao verificar que houve subdimensionamento da


produtividade pactuada, sem perda da qualidade na execução do serviço, deverá
comunicar à autoridade responsável para que esta promova a adequação contratual à
produtividade efetivamente realizada, respeitando-se os limites de alteração dos
valores contratuais previstos no § 1º do artigo 65 da Lei nº 8.666, de 1993.

15.7. A conformidade do material a ser utilizado na execução dos serviços deverá ser
verificada juntamente com o documento da CONTRATADA que contenha a relação
detalhada dos mesmos, de acordo com o estabelecido neste Termo de Referência e na
proposta, informando as respectivas quantidades e especificações técnicas, tais como:
marca, qualidade e forma de uso.

15.8. O representante da CONTRATANTE deverá promover o registro das ocorrências


verificadas, adotando as providências necessárias ao fiel cumprimento das cláusulas
contratuais, conforme o disposto nos §§ 1º e 2º do art. 67 da Lei nº 8.666, de 1993.

15.9. Na fiscalização do cumprimento das obrigações trabalhistas e sociais nas


contratações com dedicação exclusiva dos trabalhadores da contratada, exigir-se-á,
dentre outras, as comprovações previstas no §5º do art. 34 da Instrução Normativa
SLTI/MPOG nº 02, de 2008.

15.10. O fiscal do contrato também poderá solicitar ao preposto que forneça os


seguintes documentos:

a) extrato da conta do INSS e do FGTS de qualquer empregado, a critério da


Administração contratante;
b) cópia da folha de pagamento analítica de qualquer mês da prestação dos serviços,
em que conste como tomador o órgão ou entidade contratante;
c) cópia dos contracheques dos empregados relativos a qualquer mês da prestação dos
serviços ou, ainda, quando necessário, cópia de recibos de depósitos bancários;

64
d) comprovantes de entrega de benefícios suplementares (vale-transporte, vale
alimentação, entre outros), a que estiver obrigada por força de lei ou de convenção
ou acordo coletivo de trabalho, relativos a qualquer mês da prestação dos serviços
e de qualquer empregado; e
e) comprovantes de realização de eventuais cursos de treinamento e reciclagem que
forem exigidos por lei ou pelo contrato;

15.10.1. Tal solicitação será realizada periodicamente, por amostragem, isto é,


abrangendo, a cada ocasião, determinado quantitativo de empregados, de
modo que, ao final de 12 (doze) meses de execução contratual, todos ou a
maior parte dos empregados alocados tenham sido abrangidos ao menos
uma vez;

15.10.2. Para tanto, conforme previsto neste Termo de Referência, a empresa


deverá instruir seus empregados, no início da execução contratual, quanto
à obtenção de tais informações, bem como oferecer os meios necessários
para que obtenham tais extratos, preferencialmente por meio eletrônico,
quando disponível;

15.10.3. Os empregados também deverão ser orientados a realizar tais verificações


periodicamente e comunicar ao fiscal do contrato qualquer irregularidade,
independentemente de solicitação por parte da fiscalização.

15.11. O fiscal do contrato poderá solicitar ao preposto os documentos comprobatórios


da realização do pagamento de vale-transporte e auxilio alimentação em nome dos
empregados, relativos ao período de execução contratual, para fins de conferência pela
fiscalização;

15.11.1. Tal solicitação será realizada periodicamente, inclusive por amostragem,


isto é, abrangendo, a cada ocasião, determinado quantitativo de
empregados, de modo que, ao final de 12 (doze) meses de execução
contratual, todos ou a maior parte dos empregados alocados tenham sido
abrangidos ao menos uma vez;

15.12. O descumprimento total ou parcial das demais obrigações e responsabilidades


assumidas pela CONTRATADA, incluindo o descumprimento das obrigações trabalhistas
ou a não manutenção das condições de habilitação, ensejará a aplicação de sanções
administrativas, previstas no instrumento convocatório e na legislação vigente, podendo
culminar em rescisão contratual, conforme disposto nos artigos 77 e 80 da Lei nº 8.666,
de 1993.

15.13. O contrato só será considerado integralmente cumprido após a comprovação,


pela CONTRATADA, do pagamento de todas as obrigações trabalhistas, sociais e
previdenciárias referentes à mão de obra alocada em sua execução, inclusive quanto às
verbas rescisórias.

15.14. A fiscalização de que trata esta cláusula não exclui nem reduz a responsabilidade
da CONTRATADA, inclusive perante terceiros, por qualquer irregularidade, ainda que
resultante de imperfeições técnicas, vícios redibitórios, ou emprego de material
inadequado ou de qualidade inferior e, na ocorrência desta, não implica em
corresponsabilidade da CONTRATANTE ou de seus agentes e prepostos, de
conformidade com o art. 70 da Lei nº 8.666, de 1993.

15.15. Por ocasião do encerramento da prestação dos serviços ou em razão da dispensa


de empregado vinculado à execução contratual, a CONTRATADA deverá entregar no
prazo de 10 (dez) dias a seguinte documentação pertinente a cada trabalhador: a)
termos de rescisão dos contratos de trabalho dos empregados prestadores de serviço,
devidamente homologados, quando exigível pelo sindicato da categoria; b) guias de
recolhimento da contribuição previdenciária e do FGTS, referentes às rescisões
contratuais; c) extratos dos depósitos efetuados nas contas vinculadas individuais do

65
FGTS de cada empregado dispensado; e d) exames médicos demissionais dos
empregados dispensados.

15.16. Os documentos necessários à comprovação do cumprimento das obrigações


trabalhistas, previdenciárias e para com o FTGS poderão ser apresentados em original
ou por qualquer processo de cópia autenticada por cartório competente ou por servidor
da Administração.

16. DO RECEBIMENTO E ACEITAÇÃO DO OBJETO

16.1. Os serviços serão recebidos provisoriamente no prazo de 5 (cinco) dias, pelo(a)


responsável pelo acompanhamento e fiscalização do contrato, para efeito de posterior
verificação de sua conformidade com as especificações constantes neste Termo de
Referência e na proposta.

16.2. Os serviços poderão ser rejeitados, no todo ou em parte, quando em desacordo


com as especificações constantes neste Termo de Referência e na proposta, devendo
ser corrigidos/refeitos/substituídos no prazo fixado pelo fiscal do contrato, às custas da
CONTRATADA, sem prejuízo da aplicação de penalidades.

16.3. Os serviços serão recebidos definitivamente no prazo de 10 (dez) dias, contados


do recebimento provisório, após a verificação da qualidade e quantidade do serviço
executado e materiais empregados, com a consequente aceitação mediante termo
circunstanciado;

16.3.1. Na hipótese de a verificação a que se refere o subitem anterior não ser


procedida dentro do prazo fixado, reputar-se-á como realizada, consumando-
se o recebimento definitivo no dia do esgotamento do prazo;

16.4. O recebimento provisório ou definitivo do objeto não exclui a responsabilidade da


CONTRATADA pelos prejuízos resultantes da incorreta execução do contrato.

17. DO ACORDO DE NÍVEL DE


DE SERVIÇO – ANS

17.1. O acordo de nível de serviço (ANS) para fins deste termo de referência, que define,
em bases compreensíveis, tangíveis, objetivamente observáveis e comprováveis, os
níveis esperados de qualidade da prestação do serviço e respectivas adequações de
pagamento ao atendimento das metas, esta descrito neste item 17 e será celebrado
entre o CONTRATADO e a CONTRATANTE, conforme abaixo:

• Tipo de serviço:
serviço Manutenção Predial, visando à manutenção preventiva e corretiva
nas instalações das unidades da AGU no Estado do Maranhão;
Maranhão;

• Finalidade:
Finalidade Garantir a realização e qualidade na manutenção predial, através do
acompanhamento e da avaliação periódica dos serviços prestados pela
CONTRATADA;

• Meta a cumprir:
cumprir Σ SUB – Indicadores em desacordo contidos na planilha de
valoração de subitens em desacordo (PVSD) = 0 a 2,0 (zero a dois);

• Instrumento de medição:
medição Planilha de Subitens (SUB) em desacordo e suas
valorações, comprovados pelo Fiscal do Contrato, e informados por escrito à
CONTRATADA;

• Forma de acompanhamento:
acompanhamento De acordo com o Plano de Manutenção, conferência
das Ordens de Serviços (OS) e Formulário de Solicitação de Materiais e Peças (FSMP);

• Periodicidade:
Periodicidade Mensal;

66
• Início da vigência:
vigência Data de assinatura do contrato;

• Cálculo do fator de qualidade


qualidade: Cada SUB será valorado segundo planilha de
valoração de subitens em desacordo (PVSD) para serem somados conforme
fórmula:

 X= (10 – Σ SUB)

• Disposições gerais:
gerais

 A aplicação do presente acordo de nível de serviço (ANS) na avaliação de


qualidade dos serviços deverá ser dividida em 02 (duas) fases distintas como
segue:

1. Fase Inicial: até 30 (trinta) dias do efetivo início da execução: momento


no qual os indicadores de níveis de serviço serão apenas medidos e
apresentados à CONTRATADA, sem que haja a aplicação do sistema de
ajustes dos pagamentos;

2. Fase de Aplicação: após 31 (trinta e um) dias do efetivo início da


execução: momento no qual o presente ANS será plenamente aplicado
com todas as suas consequências contratuais.

17.2. Deverá ser anotado em “livro de ocorrências” fato ou situação que venha a
impossibilitar ou dificultar a prestação dos serviços objeto do presente Termo de
Referência, de maneira a ser considerado no cálculo final do fator de qualidade geral;

17.3. A ordem de serviço (Anexo


Anexo I-
I-B do Edital) é o documento utilizado pela
CONTRATANTE para a solicitação, acompanhamento e controle de tarefas relativas à
execução dos contratos de prestação de serviços. Esta deverá estabelecer as
quantidades, os prazos, os custos das atividades a serem executadas, o nome dos
empregados envolvidos e deve possibilitar a verificação da conformidade do serviço a
ser executado, considerando atendidas apenas quando do visto do Fiscal do contrato;

17.4. Os serviços serão avaliados pelo fiscal do contrato mediante vistoria em diversos
pontos do prédio, para identificar a sua qualidade;

17.5. Mensalmente, o fiscal do contrato preparará relatório do nível de qualidade dos


serviços, anotando e avaliando a execução do Plano de Manutenção,
Manutenção se péssimo, regular
ou bom;

17.6. A nota classificada como “Péssimo”, equivalente a 0,5 (zero vírgula cinco), indica
que o serviço não foi executado;

17.7. A nota classificada como “Regular”, equivalente a 0,25 (zero vírgula vinte e cinco),
indica que o serviço foi executado de forma precária;

17.8. A nota classificada como “Bom”, equivalente a 0 ponto, indica que o serviço foi
executado de forma satisfatória;

17.9. A nota mensal será de 10 pontos se todos os serviços forem considerados bons e
se não houver a ocorrência de algum indicador em desacordo conforme descrito na
Planilha de Valoração de Subitens em Desacordo (PVSD). No entanto, na existência de
serviços considerados regulares ou péssimos poderá haver ajuste no pagamento das
citadas notas mensais, conforme a tabela a seguir:

67
FAIXAS DE AJUSTE NO PAGAMENTO

Fator de Qualidade Pagamento

8,0 ≤ X Pagamento de 100% do valor da Nota Fiscal

7,0 ≤ X < 8,0 Pagamento de 95% do valor da Nota Fiscal

6,0 ≤ X < 7,0 Pagamento de 90% do valor da Nota Fiscal

X < 6,0 Pagamento de 80% do valor da Nota Fiscal

17.10. Será anotado apenas um nível de satisfação (péssimo, regular ou bom) para
avaliação no conjunto dos serviços de mesmo tipo a serem executados;

17.11. Segue abaixo o modelo que será utilizado pela fiscalização para fins de avaliação
dos serviços permanentes, eventuais, bem como da qualidade de administração e
gerenciamento da CONTRATADA:

AVALIAÇÃO DO SERVIÇO DE MANUTENÇÃO PREDIAL

Contrato Nº: CONTRATADA: Período: / / a / /

Fiscal do Contrato: Fone:

PLANILHA DE VALORAÇÃO DE SUBITENS EM DESACORDO (PVSD)


COMPOSIÇÃO CONCEITO PONTOS
Sistemas Elétricos
Sistemas de Rede Lógica (Cabeamento)
Sistemas Hidros-sanitários
Serviços de instalação e remanejamento
de circuitos elétricos, lógicos e telefônicos
Estabilizadores de tensão e aterramento
Serviços de marcenaria: montagem e
desmontagem de mobiliários, troca e
Serviços ajuste de fechaduras, pequenos reparos
em mesas, cadeiras, gaveteiros, armários
e estantes, serviços de montagem e
Eventuais e desmontagem de divisórias para
adequação do layout, regulagem de
Permanentes portas, fixação de quadros e placas
diversas
Serviços de manutenção em portões
eletrônico e cancela de estacionamento
Serviços de manutenção de
infraestrutura, instalações,
revestimentos, alvenarias, paredes,
portas, esquadrias, piso, vidraçaria,
pintura, serralheria e carpintaria
Serviços de marcenaria

Atendimento das ordens de serviço (OS)


nos prazos estabelecidos

68
Administração e Atendimento ao fornecimento de
materiais e peças (FSMP) nos prazos
estabelecidos
Gerenciamento Intervenções emergenciais e corretivas
nos prazos estabelecidos
Cobertura dos postos
Equipamentos e acessórios
Qualificação dos empregados
Atendimento ao público e postura
profissional dos empregados
Assiduidade dos empregados
TOTAL DE PONTOS
Conceito Pontos Obs.:
Obs Quando não for possível analisar
Péssimo 0,50 determinado item, este não será avaliado e
Regular 0,25 consequentemente deverá ser desconsiderado,
Bom 0,00 deixando a célula sem preenchimento.

Fiscal do Contrato

18. DAS SANÇÕES ADMINISTRATIVAS


ADMINISTRATIVAS

18.1. Comete infração administrativa nos termos da Lei nº 8.666, de 1993 e da Lei nº
10.520, de 2002, a CONTRATADA que:

18.1.1. inexecutar total ou parcialmente qualquer das obrigações assumidas em


decorrência da contratação;

18.1.2. ensejar o retardamento da execução do objeto;

18.1.3. fraudar na execução do contrato;

18.1.4. comportar-se de modo inidôneo;

18.1.5. cometer fraude fiscal;

18.1.6. não mantiver a proposta.

18.2. Comete falta grave, podendo ensejar a rescisão unilateral da avença, sem prejuízo
da aplicação de sanção pecuniária e do impedimento para licitar e contratar com a
União, nos termos do art. 7º da Lei 10.520, de 2002, aquele que:

18.2.1. não promover o recolhimento das contribuições sociais previdenciárias e


para com o FGTS exigíveis até o momento da apresentação da fatura, após
o prazo de 15 dias da solicitação da Administração;

18.2.2. deixar de realizar pagamento do salário, do vale-transporte e do auxílio


alimentação e demais encargos trabalhistas, após o prazo de 15 dias da
solicitação da Administração, o que ensejará o pagamento das obrigações
diretamente aos empregados da contratada que tenham participado da
execução dos serviços objeto do contrato.

69
18.3. A CONTRATADA que cometer qualquer das infrações discriminadas nos subitens
acima ficará sujeita, sem prejuízo da responsabilidade civil e criminal, às seguintes
sanções:

18.3.1. advertência por faltas leves, assim entendidas aquelas que não acarretem
prejuízos significativos para a CONTRATANTE;

18.3.2. multa moratória de 3% (três por cento) por dia de atraso injustificado sobre
o valor da parcela inadimplida, até o limite de 30 (trinta) dias;

18.3.2.1. em se tratando de inobservância do prazo fixado para apresentação


da garantia (seja para reforço ou por ocasião de prorrogação), aplicar-
se-á multa de 0,07% (sete centésimos por cento) do valor do contrato
por dia de atraso, observado o máximo de 2% (dois por cento), de
modo que o atraso superior a 25 (vinte e cinco) dias autorizará a
Administração contratante a promover a rescisão do contrato;

18.3.2.2. as penalidades de multa decorrentes de fatos diversos serão


consideradas independentes entre si;

18.3.3. multa compensatória de 10% (dez por cento) sobre o valor total do contrato,
no caso de inexecução total do objeto;

18.3.3.1. em caso de inexecução parcial, a multa compensatória, no mesmo


percentual do subitem acima, será aplicada de forma proporcional à
obrigação inadimplida;

18.3.4. suspensão de licitar e impedimento de contratar com o órgão, entidade ou


unidade administrativa pela qual a Administração Pública opera e atua
concretamente, pelo prazo de até dois anos;

18.3.5. impedimento de licitar e contratar com a União com o consequente


descredenciamento no SICAF pelo prazo de até cinco anos;

18.3.6. declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração


Pública, enquanto perdurarem os motivos determinantes da punição ou até
que seja promovida a reabilitação perante a própria autoridade que aplicou
a penalidade, que será concedida sempre que a CONTRATADA ressarcir a
CONTRATANTE pelos prejuízos causados;

18.3.7. Também ficam sujeitas às penalidades do art. 87, III e IV da Lei nº 8.666, de
1993, a CONTRATADA que:

18.3.7.1. tenha sofrido condenação definitiva por praticar, por meio dolosos,
fraude fiscal no recolhimento de quaisquer tributos;
18.3.7.2. tenha praticado atos ilícitos visando a frustrar os objetivos da licitação;
18.3.7.3. demonstre não possuir idoneidade para contratar com a
Administração em virtude de atos ilícitos praticados.

18.3.8. A aplicação de qualquer das penalidades previstas realizar-se-á em processo


administrativo que assegurará o contraditório e a ampla defesa à
CONTRATADA, observando-se o procedimento previsto na Lei nº 8.666, de
1993, e subsidiariamente a Lei nº 9.784, de 1999;

18.4. Pelo descumprimento de cláusulas contratuais, a CONTRATANTE poderá aplicar à


CONTRATADA as seguintes sanções, de acordo com os graus atribuídos, conforme as
tabelas 1 e 2 a seguir:

70
GRAU CORRESPONDÊNCIA
01 Multa de 0,3% sobre o valor mensal do contrato

02 Multa de 0,6% sobre o valor mensal do contrato

03 Multa de 1,2% sobre o valor mensal do contrato

04 Multa de 2,4% sobre o valor mensal do contrato

05 Multa de 4,8% sobre o valor mensal do contrato

06 Multa de 9,6% sobre o valor mensal do contrato

07 Multa de 20% sobre o valor mensal do contrato

INFRAÇÃO

ITEM DESCRIÇÃO GRAU


Permitir a presença de empregados sem uniformes, com uniformes sujos,
1 1
manchados ou mal apresentados, por empregado e por ocorrência
Atrasar na implantação de medidas corretivas exigidas pelo fiscal do contrato
2 1
ou na execução de outras obrigações contratuais, por ocorrência
Deixar de substituir empregado que se conduza de modo inconveniente ou
3 1
não atenda às necessidades, por ocorrência
Deixar de cumprir quaisquer dos itens do edital e de seus anexos não
4 1
previstos nesta tabela de multas, por ocorrência
Deixar de executar no prazo programado ou de forma satisfatória as rotinas
5 1
constantes dos itens referentes à descrição dos serviços, por ocorrência

Deixar de observar as determinações da Instituição quanto à permanência e


6 1
circulação de seus empregados nos prédios, por ocorrência
Recusar-se a executar serviço determinado pela fiscalização, desde que
7 1
pertinentes às suas atividades, por ocorrência
8 Deixar de registrar as ocorrências no livro apropriado 1
Deixar de cumprir quaisquer dos itens do edital e seus anexos não previstos
9 nesta tabela de multas, após reincidência formalmente notificada pelo fiscal,
2
por item e por ocorrência
Deixar de fornecer os uniformes para cada categoria, nas quantidades
10
requeridas, por funcionário e por ocorrência 2
11 Deixar de cumprir determinação formal ou instrução do fiscal, por ocorrência 2
Deixar de fornecer EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual), quando
exigido em lei ou convenção, aos seus empregados ou deixar de impor
12 2
penalidades àqueles que se negarem a usá-los, por empregado e por
ocorrência
Deixar de apresentar registro de frequência e escala de férias de seus
13 2
empregados, quando solicitado pelo fiscal, por ocorrência
14 Deixar de prestar esclarecimentos à CONTRATANTE, por ocorrência 2
Manter empregado sem a qualificação exigida para executar os serviços
15 3
contratados, por empregado e por ocorrência
16 Deixar de zelar pelas instalações da AGU utilizadas, por item e por ocorrência 3
Deixar de notificar à CONTRATANTE, previamente sobre qualquer
17 3
transferência ou substituição de pessoal, por empregado

71
Deixar de comunicar, por escrito, à Instituição, imediatamente após o fato,
18 3
qualquer anormalidade ocorrida nos serviços, por fato ocorrido
Manter, em serviço, número de empregados inferior ao contratado, por
19 4
empregado e por ocorrência

Descontar, indevidamente, do salário dos seus empregados o custo do


20 4
uniforme, calçado e equipamento de proteção individual, por empregado
21 Deixar de designar preposto, por ocorrência 4
Deixar de tomar medidas necessárias ao atendimento de empregados
22 acidentados ou com mal súbito, inclusive atendimento em caso de 4
emergência, por empregado
Suspender ou interromper, salvo motivo de força maior ou caso fortuito, os
23
serviços contratuais por ocorrência, total ou parcialmente 5
24 Interromper a realização dos serviços, por ocorrência de paralisação 5
Atrasar o pagamento dos salários ou acréscimos salariais decorrentes de lei,
25 5
contrato ou dissídio, por ocorrência
Deixar de manter equipamentos e acessórios necessários à execução dos
26 5
serviços
Deixar de anotar regularmente as funções profissionais nas carteiras de
27 trabalho dos empregados que atuarão na prestação de serviços, por 5
empregado
Permitir situação que crie a possibilidade de causar dano físico, lesão corporal
28 6
ou consequências letais
Deixar de entregar os salários, vales-transportes e/ou tíquete-refeição nas
29 6
datas avençadas, por ocorrência
Deixar de efetuar o pagamento de salários, seguros, encargos fiscais e
30 sociais, bem como arcar com quaisquer despesas diretas e/ou indiretas 6
relacionadas à execução do contrato, por ocorrência
Deixar de cumprir as obrigações trabalhistas previstas na lei e na convenção
31 6
coletiva
Receber 80% do valor da nota fiscal no ajuste de pagamento do acordo de
32 7
nível de serviço

18.5. Se o motivo ocorrer por comprovado impedimento ou por motivo de reconhecida


força maior, devidamente justificado e aceito pela CONTRATANTE, a CONTRATADA ficará
isenta das penalidades mencionadas.

18.6. A sanção de impedimento de licitar e contratar com a Administração Pública


poderá ser aplicada à CONTRATADA juntamente com a de multa, descontando-a dos
pagamentos a serem efetuados.

18.7. Após 30 (trinta) dias de descumprimento de cláusulas contratuais poderá ser


considerada inexecução do contrato.

18.8. As multas referidas neste capítulo poderão ser descontadas do pagamento devido
pela CONTRATANTE, ou da garantia prestada na assinatura do contrato, ou cobradas
judicialmente.

18.9. As penalidades serão obrigatoriamente registradas no Sistema de Cadastramento


de Fornecedores – SICAF.

72
ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO
SECRETARIA-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO
SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO EM PERNAMBUCO

ANEXO I – A

FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE MATERIAIS E PEÇAS - FSMP

CONTRATADA: DATA:____/____/______

LOCAL DE ENTREGA SOLICITANTE TELEFONE/FAX


Endereço Completo da Unidade

Peças de Reposição / Material


Preço Unitário Und. Qtd. Preço Total
Solicitado
1. R$ R$

2. R$ R$

3. R$ R$

4. R$ R$

5. R$ R$

R$

AUTORIZAÇÃO DE COMPRA ENTREGA


DATA: ___/___/____ DATA: ___/___/____

VISTO/ CARIMBO DO FISCAL DO CONTRATO VISTO DO PREPOSTO OU RESPONSÁVEL TÉCNICO

Importante:

1. O orçamento da CONTRATADA deverá ser encaminhado no prazo de 01 (um) dia útil contados da data da
solicitação do Fiscal do Contrato;
2. Os materiais e peças deverão ser fornecidos no prazo de até 01 (um) dia útil da data da autorização.

73
ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO
SECRETARIA-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO
SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO EM PERNAMBUCO

ANEXO I – B ORDEM DE SERVIÇO Nº

MODELO DE ORDEM DE SERVIÇO


Serviços Eventuais
UNIDADE TELEFONE/FAX SOLICITANTE

Profissional Solicitado:

Nº Serviço a ser executado Justificativa

 Os campos abaixo deverão ser preenchidos após a execução dos serviços:

Unidade de Medida Quantidade da


Nº Serviço Executado
( m², und, m³, kg, etc.) Unidade de Medida

INÍCIO DO SERVIÇO: TÉRMINO DO SERVIÇO:


DATA: ___/___/____ HORA: DATA: ___/___/____ HORA:
INÍCIO DO SERVIÇO: TÉRMINO DO SERVIÇO:
DATA: ___/___/____ HORA: DATA: ___/___/____ HORA:

VISTO DO PRESTADOR DE SERVIÇO / RG: CARIMBO DO FISCAL DO CONTRATO

74
ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO
SECRETARIA-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO
SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO EM PERNAMBUCO

ANEXO II

TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO COM DISPONIBILIZAÇÃO DE MÃO DE


OBRA EM REGIME DE DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE

SERVIÇOS Nº ......../…, QUE FAZEM ENTRE SI A

UNIÃO, POR INTERMÉDIO DA ADVOCACIA GERAL

DA UNIÃO E A EMPRESA........................................

A União,
União por intermédio da ADVOCACIA-ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO, UNIÃO com sede na Avenida Herculano
Bandeira, na cidade de Recife/PE, 716 – Pina CEP – 51.110-130, inscrito no CNPJ sob o nº
03.559.037/0001-42, neste ato representada pela SUPERINTENDENTE REGIONAL DE
ADMINISTRAÇÃO EM PERNAMBUCO,, Senhora MARIA LÚCIA CARVALHO DE PAULA, nomeada
pela Portaria nº 211, de 06 de julho de 2015, publicada no D.O.U. nº 127, Seção 2, de 07
de julho de 2015, doravante denominada CONTRATANTE, CONTRATANTE e o(a) ..............................
inscrito(a) no CNPJ/MF sob o nº ............................, sediado(a) na ..................................., em
............................. doravante designada CONTRATADA, neste ato representada pelo(a)
Sr.(a) ....................., portador(a) da Carteira de Identidade nº ................., expedida pela (o)
.................., e CPF nº ........................., tendo em vista o que consta no Processo nº
.............................. e em observância às disposições da Lei nº 8.666, de 21 de junho de
1993, da Lei nº 10.520, de 17 de julho de 2002, do Decreto nº 2.271, de 7 de julho de 1997
e da Instrução Normativa SLTI/MPOG nº 2, de 30 de abril de 2008 e suas alterações,
resolvem celebrar o presente Termo de Contrato, decorrente do Pregão nº ........../20....,
mediante as cláusulas e condições a seguir enunciadas.

1. CLÁUSULA PRIMEIRA – OBJETO


OBJETO
1.1. O objeto do presente instrumento é a contratação de serviços continuados de
manutenção predial,
predial preventiva e corretiva, com dedicação exclusiva de mão de obra,
bem como eventuais sob demanda, para a realização de serviços diversos nos
sistemas, equipamentos e instalações das unidades da Advocacia-Geral da União
situadas no Estado do Maranhão,
Maranhão que compreenderá o fornecimento dos postos de
serviços, peças, materiais de reposição e equipamentos necessários e adequados à
execução dos serviços, que serão prestados nas condições estabelecidas no Termo de
Referência, anexo do Edital.
1.2. Este Termo de Contrato vincula-se ao Edital do Pregão, identificado no preâmbulo
e à proposta vencedora, independentemente de transcrição.

75
1.3. Objeto da contratação:

ITEM LOCAL DE QUANTIDAD HORÁRIO/ CARGA VALORES


(SERVIÇO) EXECUÇÃO E/ PERÍODO HORÁRIA
POSTOS

2. CLÁUSULA SEGUNDA – VIGÊNCIA


2.1. O prazo de vigência deste Termo de Contrato é aquele fixado no Edital, com início
na data de .........../......../........ e encerramento em .........../........./.........., podendo ser
prorrogado por interesse das partes até o limite de 60 (sessenta) meses, desde que
haja autorização formal da autoridade competente e observados os seguintes
requisitos:
2.1.1. Os serviços tenham sido prestados regularmente;
2.1.2. A Administração mantenha interesse na realização do serviço;
2.1.3. O valor do contrato permaneça economicamente vantajoso para a
Administração; e
2.1.4. A contratada manifeste expressamente interesse na prorrogação.
2.2. A prorrogação de contrato deverá ser promovida mediante a celebração de termo
aditivo.

3. CLÁUSULA TERCEIRA – PREÇO


3.1. O valor mensal da contratação é de R$ .......... (.....), perfazendo o valor total de
R$ ....... (....).
3.2. No valor acima estão incluídas todas as despesas ordinárias diretas e indiretas
decorrentes da execução do objeto, inclusive tributos e/ou impostos, encargos sociais,
trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais incidentes, taxa de administração,
frete, seguro e outros necessários ao cumprimento integral do objeto da contratação.

4. CLÁUSULA QUARTA – DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA


4.1. As despesas decorrentes desta contratação estão programadas em dotação
orçamentária própria, prevista no orçamento da União, para o exercício de 2017, na
classificação abaixo:
Gestão/Unidade: 110096
Fonte: 00001
Programa de Trabalho: 1038
Elemento de Despesa: 339039
PI: AGU0059

76
4.2. No(s) exercício(s) seguinte(s), correrão à conta dos recursos próprios para atender
às despesas da mesma natureza, cuja alocação será feita no início de cada exercício
financeiro.

5. CLÁUSULA QUINTA – PAGAMENTO


5.1. O prazo para pagamento à CONTRATADA e demais condições a ele referentes
encontram-se definidos no Edital.

6. CLÁUSULA SEXTA – REPACTUAÇÃO


6.1. Visando à adequação aos novos preços praticados no mercado, desde que
solicitado pela CONTRATADA e observado o interregno mínimo de 1 (um) ano contado
na forma apresentada no subitem que se seguirá, o valor consignado neste Termo de
Contrato será repactuado, nos moldes contemplados no subitem 5.4 do Termo de
Referência (Anexo I do Edital),
Edital) competindo à CONTRATADA justificar e comprovar a
variação dos custos, apresentando memória de cálculo e planilhas apropriadas para
análise e posterior aprovação da CONTRATANTE, na forma estatuída no Decreto n°
2.271, de 1997, e nas disposições aplicáveis da Instrução Normativa SLTI/MP n° 2, de
2008.
6.2. A repactuação poderá ser dividida em tantas parcelas quantas forem necessárias,
em respeito ao princípio da anualidade do reajustamento dos preços da contratação,
podendo ser realizada em momentos distintos para discutir a variação de custos que
tenham sua anualidade resultante em datas diferenciadas, tais como os custos
decorrentes da mão de obra e os custos decorrentes dos insumos necessários à
execução do serviço.
6.3. O interregno mínimo de 1 (um) ano para a primeira repactuação será contado:
6.3.1. Para os custos relativos à mão de obra, vinculados à data-base da
categoria profissional: a partir dos efeitos financeiros do acordo, dissídio ou
convenção coletiva de trabalho, vigente à época da apresentação da proposta,
relativo a cada categoria profissional abrangida pelo contrato;
6.3.2. Para os insumos discriminados na planilha de custos e formação de
preços que estejam diretamente vinculados ao valor de preço público (tarifa):
do último reajuste aprovado por autoridade governamental ou realizado por
determinação legal ou normativa;
6.3.3. Para os demais custos, sujeitos à variação de preços do mercado: a partir
da data limite para apresentação das propostas constante do Edital.
6.4. Nas repactuações subsequentes à primeira, o interregno de um ano será
computado da última repactuação correspondente à mesma parcela objeto de nova
solicitação. Entende-se como última repactuação, a data em que iniciados seus efeitos
financeiros, independentemente daquela em que celebrada ou apostilada.
6.5. O prazo para a CONTRATADA solicitar a repactuação encerra-se na data da
prorrogação contratual subsequente ao novo acordo, dissídio ou convenção coletiva
que fixar os novos custos de mão de obra da categoria profissional abrangida pelo
contrato, ou na data do encerramento da vigência do contrato, caso não haja
prorrogação.

77
6.6. Caso a CONTRATADA não solicite a repactuação tempestivamente, dentro do
prazo acima fixado, ocorrerá a preclusão do direito à repactuação.
6.7. Nessas condições, se a vigência do contrato tiver sido prorrogada, nova
repactuação só poderá ser pleiteada após o decurso de novo interregno mínimo de 1
(um) ano, contado:
6.7.1. da vigência do acordo, dissídio ou convenção coletiva anterior, em
relação aos custos decorrentes de mão de obra;
6.7.2. do último reajuste aprovado por autoridade governamental ou realizado
por determinação legal ou normativa, para os insumos discriminados na
planilha de custos e formação de preços que estejam diretamente vinculados
ao valor de preço público (tarifa);
6.7.3. do dia em que se completou um ou mais anos da apresentação da
proposta, em relação aos custos sujeitos à variação de preços do mercado;
6.8. Caso, na data da prorrogação contratual, ainda não tenha sido celebrado o novo
acordo, dissídio ou convenção coletiva da categoria, ou ainda não tenha sido possível
à CONTRATANTE ou à CONTRATADA proceder aos cálculos devidos, deverá ser inserida
cláusula no termo aditivo de prorrogação para resguardar o direito futuro à
repactuação, a ser exercido tão logo se disponha dos valores reajustados, sob pena de
preclusão.
6.9. Quando a contratação envolver mais de uma categoria profissional, com datas
base diferenciadas, a repactuação deverá ser dividida em tantas parcelas quantos
forem os acordos, dissídios ou convenções coletivas das categorias envolvidas na
contratação.
6.10. É vedada a inclusão, por ocasião da repactuação, de benefícios não previstos na
proposta inicial, exceto quando se tornarem obrigatórios por força de instrumento
legal, sentença normativa, Acordo, Convenção e Dissídio Coletivo de Trabalho.
6.11. A CONTRATANTE não se vincula às disposições contidas em Acordos, Dissídios
ou Convenções Coletivas que tratem do pagamento de participação dos trabalhadores
nos lucros ou resultados da empresa contratada, de matéria não trabalhista, ou que
estabeleçam direitos não previstos em lei, tais como valores ou índices obrigatórios de
encargos sociais ou previdenciários, bem como de preços para os insumos
relacionados ao exercício da atividade.
6.12. Quando a repactuação se referir aos custos da mão de obra, a CONTRATADA
efetuará a comprovação da variação dos custos dos serviços por meio de Planilha de
Custos e Formação de Preços, acompanhada da apresentação do novo acordo, dissídio
ou convenção coletiva da categoria profissional abrangida pelo contrato.
6.13. Quando a repactuação se referir aos demais custos, a CONTRATADA demonstrará
a variação por meio de Planilha de Custos e Formação de Preços e comprovará o
aumento dos preços de mercado dos itens abrangidos, considerando-se:
6.13.1. os preços praticados no mercado ou em outros contratos da
Administração;
6.13.2. as particularidades do contrato em vigência;
6.13.3. a nova planilha com variação dos custos apresentados;
6.13.4. indicadores setoriais, tabelas de fabricantes, valores oficiais de
referência, tarifas públicas ou outros equivalentes;

78
6.13.5. índice específico, setorial ou geral, que retrate a variação dos preços
relativos a alguma parcela dos custos dos serviços, desde que devidamente
individualizada na Planilha de Custos e Formação de Preços da Contratada.
6.13.6. A CONTRATANTE poderá realizar diligências para conferir a variação de
custos alegada pela CONTRATADA.
6.14. Os novos valores contratuais decorrentes das repactuações terão suas vigências
iniciadas observando-se o seguinte:
6.14.1. a partir da ocorrência do fato gerador que deu causa à repactuação;
6.14.2. em data futura, desde que acordada entre as partes, sem prejuízo da
contagem de periodicidade para concessão das próximas repactuações futuras;
ou
6.14.3. em data anterior à ocorrência do fato gerador, exclusivamente quando
a repactuação envolver revisão do custo de mão de obra em que o próprio fato
gerador, na forma de acordo, dissídio ou convenção coletiva, ou sentença
normativa, contemplar data de vigência retroativa, podendo esta ser
considerada para efeito de compensação do pagamento devido, assim como
para a contagem da anualidade em repactuações futuras.
6.15. Os efeitos financeiros da repactuação ficarão restritos exclusivamente aos itens
que a motivaram, e apenas em relação à diferença porventura existente.
6.16. A decisão sobre o pedido de repactuação deve ser feita no prazo máximo de
sessenta dias, contados a partir da solicitação e da entrega dos comprovantes de
variação dos custos.
6.17. O prazo referido no subitem anterior ficará suspenso enquanto a CONTRATADA
não cumprir os atos ou apresentar a documentação solicitada pela CONTRATANTE para
a comprovação da variação dos custos.
6.18. As repactuações serão formalizadas por meio de apostilamento, exceto quando
coincidirem com a prorrogação contratual, caso em que deverão ser formalizadas por
aditamento ao contrato.

7. CLÁUSULA SÉTIMA – GARANTIA DE EXECUÇÃO

7.1. A CONTRATADA prestará garantia no valor de R$ ............... (.......................), na


modalidade de .............................., correspondente a 5% (cinco por cento) do valor
contratado, unicamente, dos serviços de manutenção predial, preventiva e corretiva,
com dedicação exclusiva de mão de obra, conforme previsto no item 1 da tabela
colacionada - no subitem 1.2 do OBJETO do Termo de Referência,
Referência no prazo de 10 (dez)
dias, observadas as condições previstas no Edital.
7.2. A garantia prevista em edital somente será liberada ante a comprovação de que
a empresa pagou todas as verbas rescisórias decorrentes da contratação, e que, caso
esse pagamento não ocorra até o fim do segundo mês após o encerramento da
vigência contratual, a garantia será utilizada para o pagamento dessas verbas
trabalhistas, incluindo suas repercussões previdenciárias e relativas ao FGTS,,
conforme estabelecido no art. 19-A, inciso IV, da Instrução Normativa SLTI/MP n.
02/2008 e no art. 2º, §2º, V da Portaria MP n. 409/2016, observada a legislação que
rege a matéria.

79
8. CLÁUSULA OITAVA – REGIME DE EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS E FISCALIZAÇÃO
8.1. O regime de execução dos serviços a serem executados pela CONTRATADA, os
materiais que serão empregados e a fiscalização pela CONTRATANTE são aqueles
previstos no Termo de Referência, anexo do Edital.

9. CLÁUSULA NONA – OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE E DA CONTRATADA


9.1. As obrigações da CONTRATANTE e da CONTRATADA são aquelas previstas no
Termo de Referência, anexo do Edital.

10. CLÁUSULA DÉCIMA – SANÇÕES ADMINISTRATIVAS.


10.1. As sanções relacionadas à execução do contrato são aquelas previstas no Termo
de Referência, anexo do Edital.

11. CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA – RESCISÃO


11.1. O presente Termo de Contrato poderá ser rescindido nas hipóteses previstas no
art. 78 da Lei nº 8.666, de 1993, com as consequências indicadas no art. 80 da mesma
Lei, sem prejuízo da aplicação das sanções previstas no Termo de Referência, anexo
do Edital.
11.2. Os casos de rescisão contratual serão formalmente motivados, assegurando-se
à CONTRATADA o direito à prévia e ampla defesa.
11.3. A CONTRATADA reconhece os direitos da CONTRATANTE em caso de rescisão
administrativa prevista no art. 77 da Lei nº 8.666, de 1993.
11.4. O termo de rescisão, sempre que possível, será precedido:
11.4.1. Balanço dos eventos contratuais já cumpridos ou parcialmente
cumpridos;
11.4.2. Relação dos pagamentos já efetuados e ainda devidos;
11.4.3. Indenizações e multas.

12. CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA – VEDAÇÕES


12.1. É vedado à CONTRATADA:
12.1.1. caucionar ou utilizar este Termo de Contrato para qualquer operação
financeira;
12.1.2. interromper a execução dos serviços sob alegação de inadimplemento
por parte da CONTRATANTE, salvo nos casos previstos em lei.

13. CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA – ALTERAÇÕES


13.1. Eventuais alterações contratuais reger-se-ão pela disciplina do art. 65 da Lei nº
8.666, de 1993.

80
13.2. A CONTRATADA é obrigada a aceitar, nas mesmas condições contratuais, os
acréscimos ou supressões que se fizerem necessários, até o limite de 25% (vinte e
cinco por cento) do valor inicial atualizado do contrato.
13.3. As supressões resultantes de acordo celebrado entre as partes contratantes
poderão exceder o limite de 25% (vinte e cinco por cento) do valor inicial atualizado
do contrato.

14. CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA – DOS CASOS OMISSOS


14.1. Os casos omissos serão decididos pela CONTRATANTE, segundo as disposições
contidas na Lei nº 8.666, de 1993, na Lei nº 10.520, de 2002 e demais normas federais
aplicáveis e, subsidiariamente, segundo as disposições contidas na Lei nº 8.078, de
1990 – Código de Defesa do Consumidor – e normas e princípios gerais dos contratos.

15. CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA – PUBLICAÇÃO


15.1. Incumbirá à CONTRATANTE providenciar a publicação deste instrumento, por
extrato, no Diário Oficial da União, no prazo previsto na Lei nº 8.666, de 1993.

16. CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA – FORO


16.1. É eleito o Foro da ...... para dirimir os litígios que decorrerem da execução deste
Termo de Contrato que não possam ser compostos pela conciliação, conforme art. 55,
§2º da Lei nº 8.666/93.

Para firmeza e validade do pactuado, o presente Termo de Contrato foi lavrado em


duas (duas) vias de igual teor, que, depois de lido e achado em ordem, vai assinado pelos
contraentes e por duas testemunhas.

..........................................., .......... de.......................................... de 20.....

_________________________
Representante legal da CONTRATANTE
_________________________
Representante legal da CONTRATADA
TESTEMUNHAS:
1-
2-

81
ADVOCACIA-
ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO
SECRETARIA--GERAL DE ADMINSTRAÇÃO
SECRETARIA
SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO EM PERNAMBUCO

ANEXO III

TERMO DE CONCILIAÇÃO JUDICIAL

O MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO, neste ato representado pelo Procurador-


Geral do Trabalho, Dr. Guilherme Mastrichi Basso, pela Vice-Procuradora-Geral do Trabalho,
Dra. Guiomar Rechia Gomes, pelo Procurador-Chefe da PRT da 10ª Região, Dr. Brasilino
Santos Ramos e pelo Procurador do Trabalho Dr. Fábio Leal Cardoso, e a UNIÃO, neste ato
representada pelo Procurador-Geral da União, Dr. Moacir Antonio da Silva Machado, pela
Sub Procuradora Regional da União - 1ª Região, Dra. Helia Maria de Oliveira Bettero e pelo
Advogado da União, Dr. Mário Luiz Guerreiro;

CONSIDERANDO que toda relação jurídica de trabalho cuja prestação laboral não eventual
seja ofertada pessoalmente pelo obreiro, em estado de subordinação e mediante
contraprestação pecuniária, será regida obrigatoriamente pela Consolidação das Leis do
Trabalho ou por estatuto próprio, quando se tratar de relação de trabalho de natureza
estatutária, com a Administração Pública;

CONSIDERANDO que a legislação consolidada em seu art. 9º, comina de nulidade absoluta
todos os atos praticados com o intuito de desvirtuar, impedir ou fraudar a aplicação da lei
trabalhista;

CONSIDERANDO que as sociedades cooperativas, segundo a Lei n. 5.764, de 16.12.1971,


art. 4º, “(...) são sociedades de pessoas, com forma e natureza jurídica próprias, de
natureza civil, não sujeitas à falência, constituídas para prestar serviços aos associados”.

CONSIDERANDO que as cooperativas podem prestar serviços a não associados somente


em caráter excepcional e desde que tal faculdade atenda aos objetivos sociais previstos
na sua norma estatutária, (art. 86, da Lei n. 5.764, de 16.12.1971), aspecto legal que revela
a patente impossibilidade jurídica das cooperativas funcionarem como agências de locação
de mão-de-obra terceirizada;

CONSIDERANDO que a administração pública está inexoravelmente jungida ao princípio da


legalidade, e que a prática do merchandage é vedada pelo art. 3º, da CLT e repelida pela
jurisprudência sumulada do C. TST (En. 331);

CONSIDERANDO que os trabalhadores aliciados por cooperativas de mão-de-obra, que


prestam serviços de natureza subordinada à UNIÃO embora laborem em situação fática
idêntica a dos empregados das empresas prestadoras de serviços terceirizáveis,
encontram-se à margem de qualquer proteção jurídico-laboral, sendo-lhes sonegada a
incidência de normas protetivas do trabalho, especialmente àquelas destinadas a tutelar a
segurança e higidez do trabalho subordinado, o que afronta o princípio da isonomia, a
dignidade da pessoa humana e os valores sociais do trabalho (arts. 5º, caput e 1º, III e IV
da Constituição Federal);

CONSIDERANDO que num processo de terceirização o tomador dos serviços (no caso a
administração pública) tem responsabilidade sucessiva por eventuais débitos trabalhistas
do fornecedor de mão-de-obra, nos termos do Enunciado 331, do TST, o que poderia gerar
graves prejuízos financeiros ao erário, na hipótese de se apurar a presença dos requisitos

82
do art. 3º, da CLT na atividade de intermediação de mão-de-obra patrocinada por falsas
cooperativas;

CONSIDERANDO o teor da Recomendação Para a Promoção das Cooperativas aprovada na


90ª sessão, da OIT – Organização Internacional do Trabalho, em junho de 2002, dispondo
que os Estados devem implementar políticas nos sentido de:
“8.1.b Garantir que as cooperativas não sejam criadas para, ou direcionadas a, o não
cumprimento das leis do trabalho ou usadas para estabelecer relações de emprego
disfarçados, e combater pseudocooperativas que violam os direitos dos trabalhadores
velando para que a lei trabalhista seja aplicada em todas as empresas.”

RESOLVEM

Celebrar CONCILIAÇÃO nos autos do Processo 01082-2002-020-10-00-0, em tramitação


perante a MM. Vigésima Vara do Trabalho de Brasília-DF, mediante os seguintes termos:

Cláusula Primeira - A UNIÃO abster-se-á de contratar trabalhadores, por meio de


cooperativas de mão-de-obra, para a prestação de serviços ligados às suas atividades-fim
ou meio, quando o labor, por sua própria natureza, demandar execução em estado de
subordinação, quer em relação ao tomador, ou em relação ao fornecedor dos serviços,
constituindo elemento essencial ao desenvolvimento e à prestação dos serviços
terceirizados, sendo eles:

a) – Serviços de limpeza;
b) – Serviços de conservação;
c) – Serviços de segurança, de vigilância e de portaria;
d) – Serviços de recepção;
e) – Serviços de copeiragem;
f) – Serviços de reprografia;
g) – Serviços de telefonia;
h) – Serviços de manutenção de prédios, de equipamentos, de veículos e de instalações;
i) – Serviços de secretariado e secretariado executivo;
j) – Serviços de auxiliar de escritório;
k) – Serviços de auxiliar administrativo;
l) – Serviços de office boy (contínuo);
m) – Serviços de digitação;
n) – Serviços de assessoria de imprensa e de relações públicas;
o) – Serviços de motorista, no caso de os veículos serem fornecidos pelo próprio órgão
licitante;
p) – Serviços de ascensorista;
q) – Serviços de enfermagem; e
r) – Serviços de agentes comunitários de saúde.

Parágrafo Primeiro – O disposto nesta Cláusula não autoriza outras formas de terceirização
sem previsão legal.

Parágrafo Segundo – As partes podem, a qualquer momento, mediante comunicação e


acordos prévios, ampliar o rol de serviços elencados no caput.

Cláusula Segunda - Considera-se cooperativa de mão-de-obra, aquela associação cuja


atividade precípua seja a mera intermediação individual de trabalhadores de uma ou várias
profissões (inexistindo assim vínculo de solidariedade entre seus associados), que não
detenham qualquer meio de produção, e cujos serviços sejam prestados a terceiros, de
forma individual (e não coletiva), pelos seus associados.

Cláusula Terceira - A UNIÃO obriga-se a estabelecer regras claras nos editais de licitação,
a fim de esclarecer a natureza dos serviços licitados, determinando, por conseguinte, se
os mesmos podem ser prestados por empresas prestadoras de serviços (trabalhadores
subordinados), cooperativas de trabalho, trabalhadores autônomos, avulsos ou eventuais;

83
Parágrafo Primeiro - É lícita a contratação de genuínas sociedades cooperativas desde que
os serviços licitados não estejam incluídos no rol inserido nas alíneas “a” a “r” da Cláusula
Primeira e sejam prestados em caráter coletivo e com absoluta autonomia dos cooperados,
seja em relação às cooperativas, seja em relação ao tomador dos serviços, devendo ser
juntada, na fase de habilitação, listagem contendo o nome de todos os associados.
Esclarecem as partes que somente os serviços podem ser terceirizados, restando
absolutamente vedado o fornecimento (intermediação de mão-de-obra) de trabalhadores
a órgãos públicos por cooperativas de qualquer natureza.

Parágrafo Segundo – Os editais de licitação que se destinem a contratar os serviços


disciplinados pela Cláusula Primeira deverão fazer expressa menção ao presente termo de
conciliação e sua homologação, se possível transcrevendo-os na íntegra ou fazendo parte
integrante desses editais, como anexo.

Parágrafo Terceiro - Para a prestação de serviços em sua forma subordinada, a licitante


vencedora do certame deverá comprovar a condição de empregadora dos prestadores de
serviços para as quais se objetiva a contratação, constituindo-se esse requisito, condição
obrigatória à assinatura do respectivo contrato.

DAS SANÇÕES PELO DESCUMPRIMENTO

Cláusula Quarta – A UNIÃO obriga-se ao pagamento de multa (astreinte) correspondente a


R$ 1.000,00 (um mil reais) por trabalhador que esteja em desacordo com as condições
estabelecidas no presente Termo de Conciliação, sendo a mesma reversível ao Fundo de
Amparo ao Trabalhador (FAT).

Parágrafo Primeiro – O servidor público que, em nome da Administração, firmar o contrato


de prestação de serviços nas atividades relacionadas nas alíneas “a” a “r” da Cláusula
Primeira, será responsável solidário por qualquer contratação irregular, respondendo pela
multa prevista no caput, sem prejuízo das demais cominações legais.

Parágrafo Segundo – Em caso de notícia de descumprimento dos termos firmados neste


ajuste, a UNIÃO, depois de intimada, terá prazo de 20 (vinte) dias para apresentar sua
justificativa perante o Ministério Público do Trabalho.

DA EXTENSÃO DO AJUSTE À ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA

Cláusula Quinta – A UNIÃO se compromete a recomendar o estabelecimento das mesmas


diretrizes ora pactuadas em relação às autarquias, fundações públicas, empresas públicas
e sociedades de economia mista, a fim de vincular todos os órgãos integrantes da
administração pública indireta ao cumprimento do presente termo de conciliação, sendo
que em relação às empresas públicas e sociedades de economia mista deverá ser dado
conhecimento ao Departamento de Coordenação e Controle das Empresas Estatais – DEST,
do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, ou órgão equivalente, para que
discipline a matéria no âmbito de sua competência.

DA HOMOLOGAÇÃO
HOMOLOGAÇÃO JUDICIAL DO AJUSTE

Cláusula Sexta – - As partes submetem os termos da presente conciliação à homologação


do Juízo da MM. Vigésima Vara do Trabalho, para que o ajuste gere os seus efeitos jurídicos.

Cláusula Sétima - Os termos da presente avença gerarão seus efeitos jurídicos a partir da
data de sua homologação judicial.

Parágrafo único – Os contratos em vigor entre a UNIÃO e as Cooperativas, que contrariem


o presente acordo, não serão renovados ou prorrogados.

Cláusula Oitava -A presente conciliação extingue o processo com exame do mérito apenas
em relação à UNIÃO, prosseguindo o feito quanto aos demais réus. Dito isto, por estarem
as partes ajustadas e compromissadas, firmam a presente conciliação em cinco vias, a qual

84
terá eficácia de título judicial, nos termos dos artigos 831, parágrafo único, e 876, caput,
da CLT.

Brasília, 05 de junho de 2003.

GUILHERME MASTRICHI BASSO GUIOMAR RECHIA GOMES


Procurador-Geral do Trabalho Vice-Procuradora-Geral do Trabalho

BRASILINO SANTOS RAMOS FÁBIO LEAL CARDOSO


Procurador-Chefe/PRT 10ª Região Procurador do Trabalho

MOACIR ANTONIO DA SILVA MACHADO


Procurador-Geral da União

HELIA MARIA DE OLIVEIRA BETTERO MÁRIOLUIZ GUERREIRO


Sub-Procuradora-Regional da União–1ª Região Advogado da União

Testemunhas:_________________________________________________

GRIJALBO FERNANDES COUTINHO


Presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho –
ANAMATRA

PAULO SÉRGIO DOMINGUES


Presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil - AJUFE

REGINA BUTRUS
Presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho - ANPT

Termo de Conciliação Judicial celebrado entre a União e o Ministério Público do trabalho,


nos autos do processo nº 1082/02, da 20ª Vara do Trabalho de Brasília/DF, homologado em
05 de junho de 2003.

85
ADVOCACIA-
ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO
SECRETARIA--GERAL DE ADMINSTRAÇÃO
SECRETARIA
SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO EM PERNAMBUCO

ANEXO IV

Modelo de Planilha de Custos e Formação de Preços

86
ANEXO V

MODELO DE AUTORIÇÃO PARA A UTILIZAÇÃO DA GARANTIA E DE PAGAMENTO DIRETO


(art. 19-
19-A e 35 da IN SLTI/IMPOG nº 2, de 2008);

______________________________________________ (identificação do licitante),


inscrita no CNPJ nº _______________, por intermédio de seu representante legal, o Sr.
___________________________ (nome do representante), portador da Cédula de Identidade RG
nº _______________ e do CPF nº _______________, AUTORIZA o(a) (Nome do Órgão ou Entidade
promotora da licitação), para os fins dos artigos 19-A e 35 da Instrução Normativa n° 02,
de 30/04/2008, da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do
Planejamento, Orçamento e Gestão, e dos dispositivos correspondentes do Edital do Pregão
n. XXX/20XX:

1) que sejam descontados da fatura e pagos diretamente aos trabalhadores


alocados a qualquer tempo na execução do contrato acima mencionado os valores relativos
aos salários e demais verbas trabalhistas, previdenciárias e fundiárias devidas, quando
houver falha no cumprimento dessas obrigações por parte da CONTRATADA, até o
momento da regularização, sem prejuízo das sanções cabíveis, conforme o artigo 19-A,
inciso V, da Instrução Normativa SLTI/MPOG n° 2/2008;

2) que sejam provisionados valores para o pagamento dos trabalhadores


alocados na execução do contrato e depositados em conta corrente vinculada, bloqueada
para movimentação, e aberta em nome da empresa (indicar o nome da empresa) junto a
instituição bancária oficial, conforme o artigo 19-A, inciso I, e Anexo VII, da Instrução
Normativa SLTI/MPOG n° 2/2008, cuja movimentação dependerá de autorização prévia
da(o) (Nome do Órgão ou Entidade promotora da licitação), que também terá permanente
autorização para acessar e conhecer os respectivos saldos e extratos, independentemente
de qualquer intervenção da titular da conta.

Nota explicativa:
explicativa A assinatura desta “Autorização Complementar” deve ser precedida da
solicitação de abertura da conta-depósito para a Instituição Financeira com quem se tenha
firmado Termo de Cooperação Técnica e é condição para a celebração do contrato. Caso,
porém, não seja possível a utilização da conta vinculada, nos termos do art. 19-A, §2º da
IN SLTI/MPOG n. 02/2008, será desnecessária a utilização da autorização referida no Item
2.

3) que a CONTRATANTE utilize o valor da garantia prestada para realizar o


pagamento direto das verbas rescisórias aos trabalhadores alocados na execução do
contrato, caso a CONTRATADA não efetue tais pagamentos até o fim do segundo mês após
o encerramento da vigência contratual, conforme artigos 19, XIX, e 35, da Instrução
Normativa SLTI/MPOG n° 2/2008.

..........................................., .......... de.......................................... de 20.....

________________________________________

(assinatura do representante legal do licitante)

87
ANEXO VI

MODELO DE AUTORIZAÇÃO PARA ABERTURA DE CONTA VINCULADA

PARA DEPÓSITO DAS PROVISÕES

Em cumprimento do disposto no art. 19-A e no Anexo VII, da IN SLTI/MPOG nº 2/2008, com


as alterações introduzidas pela IN SLTI/MPOG nº 3, de 15/10/2009 (DOU de 16/10/09), a
empresa:_______________________________, CNPJ nº ______________, sediada em
_________________________, à ______________________ nº___________, Bairro:____________ e CEP
____________, autoriza o/a _________ (órgão contratante), a:

Abrir, em seu nome e em instituição financeira oficial, uma conta corrente


vinculada, na qual serão depositados os valores descritos no item 2, abaixo.
Deduzir de suas faturas mensais os valores correspondentes às provisões
para 13º salário, férias e abono de férias, adicional do FGTS para as rescisões sem justa
causa e impacto sobre férias e 13º salário, dos seus empregados vinculados à contratação
decorrente do Pregão nº xx/2010 – , Processo nº .000XX/2010-xx nos montantes
determinados pelo Anexo VII, item 10, da IN SLTI/MPOG nº 2/2008, com as alterações
introduzidas pela IN SLTI/MPOG nº 3 de 15/10/2009, os quais serão depositados na conta
referida acima.
A aplicação destas disposições ficará condicionada à celebração de convênio
entre a Contratante e uma instituição financeira oficial, ainda a ser determinada, o qual
terá efeito subsidiário às Instruções Normativas citadas neste documento e determinará as
condições para abertura, acesso e movimentação da conta corrente vinculada.
Declara, ainda, ter conhecimento de que os valores depositados somente
poderão ser movimentados ou sacados mediante autorização da _______________ (órgão
contratante), exclusivamente para as situações previstas nas Instruções Normativas
citadas na introdução.
_________________ , ______ de ________________ de 201x.

________________________________________

Representante da licitante
Qualificação do representante:
Nome: _____________________________, Cargo ou função: ___________Documento de
identidade nº:___________ Tipo:________ Órgão expedidor:______

OBS.: Esta autorização deverá ser assinada pela licitante vencedora por ocasião da
celebração do contrato.

88
ANEXO VII

MODELO DE DECLARAÇÃO DE CONTRATOS FIRMADOS COM A INICIATIVA PRIVADA


E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Declaro que a empresa ___________________________________________________, inscrita no

CNPJ (MF) no ____________________, inscrição estadual no ________________________,

estabelecida em __________________________, possui os seguintes contratos firmados com a

iniciativa privada e a administração pública:

Nome do Órgão/Empresa Vigência do Contrato Valor total do contrato

____________________ ________________ _________________

______________________ ________________ _________________

______________________ ________________ _________________

______________________ ________________ _________________

Valor total dos Contratos R$_______________

Local e data

______________________________________________

Assinatura e carimbo do emissor

Observação:
Além dos nomes dos órgãos/empresas, o licitante deverá informar também o endereço
completo dos órgãos/empresas, com os quais tem contratos vigentes.

89