Você está na página 1de 19

Manual de Configuração

Volume 1/ Edição 1

CONTROLADOR
PCO+OEM Layout
O novo controlador permite
ampliar os recursos lógicos do
produto, foram acrescentados
alarmes e recursos como controle
de válvula de expansão eletrônica
e compressor variável,
controlador horário, o que
permite identificar a data e hora
de alarmes.

O controlador já vem com


MODBUS integrada, tornado um
item de série no produto.

Acima pode se notar que o novo controlador tem recursos para controlar varios dispositivos, para os equipamentos Dala
ele foi preparado para comunicação modbus via BMS2 (D), opcionalmente qualquer protocolo da BMS1 (B), utilização do
Terminal PGD01 (pLan A). As portas FildBus não são configuradas de Fabrica portanto é necessario cunsulta com a
DALA para a utilização delas.

1 PORTAS BMS
Porta BMS 1 deverá ser utilizada com cartão
adquirido opcinalmente.
Porta BMS 2 vem configurada de fabrica para
comunicação RS485 (ModBus RTU).

2 PLAN
A porta pLAN (J14) é utilizada para comunicação entre
máquinas (Rodizio), deverá ser utilizado cabo de 4 vias
com malha.
A Porta pLAN (J15) é reservada para uso de terminal
(Display).
Configuração de software
1 IHM

A PGD1 é uma IHM de 8 linhas com 6 botões, sendo eles:

 1 – Alarme - Ao pressionar esse botão poderá visualizar o alarme que estiver ocorrendo no momento
 2 – PRG – Botão usado para acessar o MENU e para retornar a tela principal
 3 – ESC – Sem Função.
 4 – Seta p/ Cima - navegação e edição de valores.
 5 – Enter – Botão usado para acessar os paramentos.
 6 – Seta p/ Baixo - navegação e edição de valores.

1
4

2
5
3
6

2 TELA PRINCIPAL

DATA HORA END. UNIDADE

STATUS
TEMPERATURA
ON/OFF

UMIDADE

UMIDIFICADOR SUPER AQUEC.

COMPRESSOR

VENTILADOR

REAQUECIMENTO ALARME DE PARADA ALERTA


2.1 DESCRIÇÃO

1. DATA – Informa a data atual conforme configurado no menu PARAMETRO


2. HORA – Informa a hora atual conforme configurado no menu PARAMETRO
3. END. UNIDADE – Endereço configurado para o equipamento.
4. STATUS ON/OFF – Informa se o equipamento está ligado ou desligado.
5. UMIDIFICADOR – Informa o quando o umidificador está liberando de vapor no momento.
6. COMPRESSOR – Informa a porcentagem de sinal que está sendo enviada para o compressor.
7. VENTILADOR – Informa a porcentagem de sinal que está sendo enviada para o ventilador.
8. REAQUECIMENTO – Informa se o reaquecimento está ligado ou desligado.
9. TEMPERATURA - Informa a Temperatura de Retorno de Ar.
10. UMIDADE – Informa a Umidade de Retorno de Ar.
11. SUPER AQUECIMENTO – Informa o Super Aquecimento.
12. ALERTA – Informa que existe algum alarme não para o funcionamento do sistema.
13. ALARME DE PARADA – Informa que existe algum alarme de parada de sistema.

3 TELAS AUXILIARES

3.1 TELA STATUS DO SISTEMA

ESTADO DA VÁLVULA
ABERT EM %
PASSO DE ABERT
ROTAÇÃO
SUPERAQUECIMENTO COMPRESSOR %

3.2 TELA STATUS DE REFRIGERAÇÃO


ESTADO DA VÁLVULA
ABERT EM %

SUPERAQUECIMENTO
TEMP. SUCÇÃO

PASSO DE ABERT
PRESSÃO SUCÇÃO

PRESSÃO CONV. EM TEMP.


TEMP DE RETORNO
3.3 STATUS DE SENSORES DE SUPERAQUECIMENTO

PRESSÃO SUCÇÃO

TEMP. SUCÇÃO

3.4 STATUS DE COMUNICAÇÃO E REDE

NUMERO DA MÁQUINA

MAQUINAS NA REDE

3.5 DATA E HORA

Data e hora deverá ser configurada no menu “CONFIGURACAO/AVACADOS/AJUSTE DO RELOGIO”


3.6 INFORMAÇÕES DE SOFTWARE E CONTROLADOR

NOME DO SOFTWARE

VERSÃO DE SOFTWARE
NOME CONTROLADOR

VERSÃO DE BIOS

VERSÃO DE BOOT

4 CONFIGURAÇÕES

Para o menu configurações existem duas


senhas de acesso:

 25 – Acesso a configurações básicas


como set point e ajustes de alarmes
 75 – Acesso a todos os paramentros.

Na tela configurações encontramos dois opções:

 Senha – Libera acesso ao menu de configurações.


 LOG alarmes – Essa opção nos mostra até 1.000 alarmes ocorridos com data, hora e número de ocorrência, como
mostra na imagem abaixo:

Ao digitar a senha entraremos no Menu.


5 MENU

No menu temos 3 pontos de configuração, sendo eles:


a. SETPOINT – Configurações de todos os setpoints de trabalho do equipamento.
b. CONFIGURAÇÂO – Abre um novo Menu para configuração de ALARMES, VALVULA DE EXPANSÃO e
MÁQUINA.
c. PARAMENTRO – Onde configuramos as I/Os do CLP, SENHAS, e outros dados como DATA e HORA.

5.1 SETPOINT

5.1.1 TEMPERATURA

SET. TEMP. –Ajuste de fábrica 22.0 °C – Valor de


referência para o controle de temperatura
DIF. TEMP. – 02.0 °C – Valor de referência para a entrada
e saída do compressor.

Exemplo:
SET. TEMP. 22.0 °C
DIF. TEMP. 02.0 °C
O compressor liga com SET. TEMP + DIF. TEMP, ou seja, 22.0 + 02.0 = 24.0 °C
O compressor desliga com SET. TEMP - DIF. TEMP, ou seja, 22.0 - 02.0 = 20.0 °C
5.1.2 UMIDADE

SET. UMID. –Ajuste de fábrica 50.0 % – Valor de


referência para o controle de umidade
DIF. UMID. – 5.0 % – Valor de referência para a entrada e
saída do compressor/umidificador.

Exemplo:
UMIDADE DE RETORNO 63.0%
SET. UMID. 50.0 °C
DIF. UMID. 5.0 °C
O compressor LIGA com UMIDADE DE RETORNO > SET. UMID + DIF. UMID.
O compressor DESLIGA com UMIDADE DE RETORNO menor SET. UMID + DIF. UMID. E maior que SET.
UMID.
O umidificador LIGA com UMIDADE DE RETORNO > SET. UMID - DIF. UMID
O umidificador DESLIGA com UMIDADE DE RETORNO menor SET. UMID + DIF. UMID. E maior que SET.
UMID.

5.1.3 RESISTENCIA DE CARTER

Opção aberta somente com compressor variável.


Os compressores variáveis usados nos produtos DALA
possuem um recurso que dispensa o uso de resistências de
reaquecimento, quando o compressor estiver energizado,
porem desligado, o drive envia um sinal de 5V ao
enrolamento do compressor, por ser um sinal muito baixo
o compressor não gira, porem acaba aquecendo e
funcionado como uma resistência para aquecer o fluido
refrigerante contido dentro do compressor.
O valor se SETPOINT serve para garantir que o compressor não parta com liquido dentro dele, esse valor é a diferença
entre a temperatura de sucção e o carter do compressor.

TEMP.SUÇÃO – TEMP. CARTER > SETPOINT = LIBERA COMPRESSOR


TEMP.SUÇÃO – TEMP. CARTER > SETPOINT = MANTEM COMPRESSOR DESLIGADO ATÉ AQUECER
5.1.4 VENTILADOR DO EVAPORADOR

Esse parâmetro limita o sinal de tensão enviado ao


ventilador do evaporador. Esse parâmetro deve ser ajustado
para 87% dependendo das condições de instalação.

Esse parâmetro limita o sinal de tensão enviado ao


ventilador do evaporador quando o equipamento entra em
processo de desumidificação. Esse parâmetro deve ser
ajustado entre 10% e 15% abaixo da MAXIMA
ROTAÇÃO.
Ao término do processo de desumidificação o ventilador
retornará a velocidade máxima em rampa, para garantir que
não exista o arrasto de água.

5.2 CONFIGURAÇÃO

O MENU CONFIGURAÇÃO é subdividido em 3 partes:


a. MAQUINA
b. EVD
c. ALARMES
Para acessa-las basta usar as setas para cima e para baixa e
pressionar ENTER para entrar.

5.2.1 MÁQUINA

A Tela de Configuração aparece apenas na máquina “1” ela


nos permites a configuração de rodizio.

 QUANTIDADE - colocamos a quantidade de


máquina na rede, esse valor não pode ultrapassar 9 máquinas
 TIPO RODIZIO - Configuramos rodizio por
TEMPO, quando a rede contiver apenas máquinas iguais
(somente fixa ou somente variável) ou CAPACIDADE
quando a rede possuir uma máquina diferente (comumente
uma variável e as demais fixas)
Para o Rodizio do tipo TEMPO deverá ser configurado o TEMPO DE RODIZIO, que determina quanto tempo levará
para os equipamentos revezarem.
Para o Rodizio do Tipo CAPACIDADE, não haverá o TEMPO DE RODIZIO, pois as demais máquinas entraram de
acordo com a necessidade da sala, caso a máquina variável chegue a capacidade máxima ela irá chamar a próxima máquina
(U:2) e reduzirá sua capacidade ao mínimo, caso ela volta a ficar em capacidade máxima de capacidade irá chamar a
máquina (U:3), e retornará a capacidade mínima, e assim sucessivamente.
Lembrando que para essa condição os valores de referência de capacidade (umidade e temperatura) são apenas da máquina
U:1, ou seja, todo aumento ou redução de capacidade, o ligar e desligar de máquinas está baseada no sensor da máquina
“1”.
Nessa tela é possível ajustar quando a máquina “1” irá ligar
ou desligar as máquinas reservas

5.2.1.1 OPCIONAIS

Na tela a direita podemos configurar os opcionais das


máquinas.

 Resistencia de reaquecimento
 Umidificador
 Gerenciamento de Compressor (Inverter)
 Resistencia de Carter (Inverter, esse parâmetro deve
ser desabilitado caso a máquina não possua
compressor variável)

5.2.1.2 AJUSTE DE PID (INVERTER)


5.2.1.3 TEMPORIZAÇÃO DE COMPRESSOR

Esse parâmetro impede que o


compressor ligue antes de
completar o tempo pré-
determinado.
Esse parâmetro impede que o
compressor desligue antes de
completar o tempo pré-
determinado.

5.2.1.4 VENTILADOR

Ventiladores EC (Eletronicamente Controlados), tem rotação variável e controlada por sinal de 0...10V
Ventiladores AC, tem Rotação fixa e sem sinal de controle

5.2.1.5 COMPRESSOR

Compressor EC (Inverter), tem rotação variável e controlado por sinal de 0...10V


Compressor AC, tem Rotação fixa e sem sinal de controle
5.2.2 EVD (VALVULA DE EXPANSÃO ELETRONICA)

É dividida em 3 Menus mostrados ao lado.

5.2.2.1 CONFIGURAÇÃO

Todos o as telas que não possuírem comentários são telas de configuração padrão CAREL, a alteração de seus valores
pode acarretar o não funcionamento da Válvula de Expansão.

Todos os equipamentos da linha CDC são em R410A, esse


parâmetro deverá ser corrigido.

Ajustar unidade de medida para bar/°C e N. Válvula:


para 1.
A válvula de Expansão é o modelo CAREL E2V.

A Configuração ao lado já chama valores padrões para a tela


de superaquecimento da abaixo.

Os valores a esquerda são referentes aos dados do sensor de


pressão da linha de sucção.

Os valores a direita são referentes ao sensor NTC


(Temperatura) da linha de sucção.

A tela a esquerda refere-se a sensores reservas, que não são


padrões nesses equipamentos, portanto deve-se manter esses
valores como “NÃO ATIVO”.
Em caso de necessidade de teste de funcionamento da Valvula
de expansão, pode-se usar a tela ao lado para setar um valor de
abertura na Válvula. Ao mudar Habilitar posição manual
para “SIM” a válvula para de trabalhar pelo superaquecimento
e vai buscar o VALOR DA POSIÇÃO MANUAL dado em
“stp”.

5.2.2.2 REGULAGEM

A tela a esquerda é para fazer a compensação nos sensores


de pressão e temperatura de sucção
5.2.2.3 CUSTOMIZAÇÃO
5.2.3 ALARMES

Limites para baixa e alta temperatura.


Em baixa temperatura o equipamento alarme e para apenas o
compressor
Em alta temperatura o equipamento alarme e dispara um
sinal na rede para que o equipamento que estiver em stand-
by. Entre para ajudar a baixar a temperatura.

Limites para baixa e alta umidade


Ambos o alarme não tem influência no comportamento do
equipamento, esses valores são apenas para alertar de um
problema relacionado a umidade, por exemplo, infiltração de
umidade externa.

Limites de alarmes para pressão de sucção, para baixa


pressão, o equipamento para e chama a máquina reserva.
Devido à alta capacidade de compressão dos compressores
SCROLL, os mesmos podem ter seus SCROLL danificados
ou até mesmos fundidos se o compressor entrar em vácuo.
De acordo com informações do fabricante, 2 min é tempo
suficiente para fundir o SCROLL.

O Parâmetro ao lado é de grande importância para o


funcionamento correto do equipamento, ele deve ser
ajustado abaixo do SET. TEMP. pois ele é responsável por
garantir que o equipamento venha a se congelar durante o
ciclo de desumidificação.
5.3 PARAMETROS

O Menu paramentos, assim como os demais menus é divido


em 3 partes mostrados na figura ao lado.

5.3.1 SENHAS

Tela usada para alterar as senhas de acesso aos menus.

5.3.2 AVANÇADOS

Ajuste de Data e Hora

Configuração do Endereço da Máquina


Configuração de protocolo de comunicação, para a placa
pCO WEB, deve-se configurar o End 001 diferentes para
cada placa, o protocolo deverá ser CAREL RS485 e Baud
Rate de 19200.

Apaga o histórico de alarmes.

5.3.3 IO CONFIG

Tela de configuração de entradas analógicas, nessa tela é


possível mudar uma entrada de pino, recurso para ser
usados em teste de funcionamento de entradas ou quando
alguma entrada está queimada.

Ajuste do tipo de sensor usado para ler temperatura, o


padrão é o NTC.

Assim como nas entradas analógicas as entradas digitais


também podem ser alteradas em casa de queima das
mesmas.
Lembrando que as entradas TIPO “D” são Digitais, ou seja,
somente ligada ou desligada. As entradas TIPO “U” são
Universais, podem ser configuradas tanto como digital
como analógica, ou seja, podem receber sinal de liga/desliga
como um sinal variável (0...10V).
Nessa tela é possível ver o status das entradas.

Essa tela é usada para a calibragem dos sensores.

Nessa tela é possível configurar os pinos das saídas digitais.

Nas telas abaixo é possível alterar as saídas analógicas de acordo com a necessidade

É possível também configurar o mínimo e o máximo que


cada saída liberará de sinal.
Essa tela é usada para desabilitar o alarmes de algum
opcional que não exista do produtos, quando a máquina for
completa todos deverão estar em “NF”

Status de saída Analógica.

Status de alarmes Criticos.

DALA AR CONDICIONADO LTDA.


Av. Zélia de Lima Rosa, 1720