Você está na página 1de 15

Abordagem qualitativa

 O processo qualitativo não é linear, mas iterativo e recorrente, as supostas etapas são na verdade
ações para que possamos penetrar mais no problema de pesquisa, e que a tarefa de coletar e
analisar dados é permanente.
 O enfoque qualitativo é selecionado quando buscamos compreender a perspectiva dos
participantes (indivíduos ou grupos pequenos de pessoas que serão pesquisados) sobre os
fenômenos que os rodeiam, aprofundar em suas experiências, pontos de vista, opiniões e
significados, isto a a forma como os participantes percebem subjetivamente sua realidade.
 Também é recomendável selecionar o enfoque qualitativo quando o tema do estudo foi pouco
explorado, ou que não tenha sido realizada pesquisa sobre ele em algum grupo social específico.
 O processo qualitativo começa com a ideia de pesquisa.
 Grinnell, Williams e Unrau (2009) têm uma excelente metáfora sobre o que representa urna
abordagem qualitativa: é como entrar em um labirinto, sabemos onde começartios, mas não
onde iremos terminar. Entramos com convicção, mas sem um"mapa" preciso.
 Mertens (2005), além de Goleman e Unrau (2005), considera que a pesquisa qualitativa é
especialmente útil quando o fenômeno de interesse é muito dificil de ser medido ou não foi
medido anteriormente (deficiências no conhecimento do problema). Como quando não são
encontrados instrumentos padronizados na cultura egípcia, eles preferiram coletar dados com
técnicas qualitativas (observações e entrevistas, além de documentar a linguagem utilizada para
descrever essas pessoas)
 As formulações qualitativas são uma espécie de plano de exploração (entendimento emergente)
e são apropriadas quando o pesquisador se interessa pelo significado das experiências e pelos
valores humanos, pelo ponto de vista interno e individual das pessoas e pelo ambiente natural
onde ocorre o fenômeno estudado, e também quando buscamos uma perspectiva mais próxima
dos participantes.
 Outro caso seria o de um estudo para pesquisar a fundo o medo que algumas mulheres sentem
ao serem agredidas por seus maridos. Em situações como essas, a quantificação poderia ser até
banal. O mais adequado seria se concentrar no significado profundo da experiência dessas
mulheres. Em síntese, o ponto de partida de uma pesquisa qualitativa é a presença do
pesquisador no contexto, que é onde começa sua indução.

Apresentação do tema
Becker:

 Apresentar o tema ao leitor, diga, em poucas palavras, do que trata o assunto, deixando clara e
transparente a ideia que pretende sustentar.
 Justificar a importância do estudo empreendido. Diga a quem ele serve e porque serve. Em
outras palavras, mostre o seu significado o valor de sua pesquisa.
 Venda o seu tema! Deixar o leitor com vontade de ler sua pesquisa.
 Prometa ao leitor o que pode cumprir se a pesquisa for realizada.
 Não mostre os pontos negativo do tema, deixe-os para o item seguinte, pois aqui você deverá
ser valente e inteligente para mostrar o marketing de seu estudo. O seu papel aqui é motivar o
leitor a continuar a leitura e a gostar de seu tema.
 Redija um texto sobre os PROBLEMAS que envolvem e afetam as questões de sua pesquisa. São
problemas mais amplos, mais complexos que circundam o tema.
 Não solucione nada. Deixe para o leitor. Complique, imbrique. Não proponha, investigue,
instigue.

 Faça uma análise crítica sobre a problemática dentro da qual o seu tema está inserido. Aqui, são
as questões gerais que circundam o estudo, as quais o pesquisador não vai responder com sua
pesquisa.

Justificativa
Sampieri

 Guia o estudo, ela tem alguns critérios: conveniência, relevância social, implicações práticas,
valor teórico e utilidade metodológica.
 Pode-se incluir dados quantitativos para dimensionar ó problema de estudo, embora nossa
abordagem seja qualitativa.
 Dados e depoimentos enriquecem a pesquisa( ex: consequências do abuso sexual infantil,
estatísticas sobre o número de abusos relatados, suas consequências e danos).

Richardson

 Explicam-se os motivos de ordem teórica e prática que justificam a pesquisa.


 Deve-se responder a pergunta: porque se deseja fazer a pergunta?
 A justificativa é pessoal e não contém citação.
 Recomenda-se que ela seja escrita: Experiencia vivida em relação ao fenômeno: experiência do
pesquisador (na minha experiência como professora pude observar...) 2paragrafos, Formulação
do que se pretende estudar: problema formulado em termos de pergunta (qual, quê, como e
quando) 1 parágrafo, Contribuições do trabalho: contribuições teóricas e práticas. 1 parágrafo.

Formulação do problema
Sampieri

 Estabelece objetivos e perguntas de perguntas iniciais, justificativas e viabilidade.


 Define de forma provisória o papel que a literatura irá desempenhar.
 Escolhe o ambiente ou contexto que começa se a estudar o problema de pesquisa.
 Seis elementos são fundamentais para formular um problema qualitativo: objetivos de pesquisa,
perguntas de pesquisa, justificativa da pesquisa, sua viabilidade, avaliação das deficiências no
conhecimento do problema e definição inicial do ambiente ou contexto.
 Quando a ideia do estudo já foi concebida, o pesquisador deve se familiarizar como tema em
questão. EXEMPLO : Vamos imaginar que estamos interessados em realizar uma pesquisa sobre
uma cultura indígena, seus valores, ritos e costume& Nesse caso devemos saber ao menos de
onde vem essa cultura, ha quanto tempo existe, suas características essenciais (atividades
econômicas, religião, nível tecnológico, total aproximado de sua população, etc.) e também quão
hostil ela ê em relação as pessoas desconhecidas.
 É preciso definir o intervalo da nossa pesquisa, quem são os sujeitos? qual a idade? Qual o local
que será coletado os dados? O que os sujeitos precisam ter para participarem? Quais as
características desse grupo?
 Ao formular o problema é importante ter em mente que a pesquisa qualitativa:
a) É conduzida primordialmente nos ambientes naturais dos participantes
b) As variáveis não são controladas nem manipuladas (inclusive, não definimos variáveis, mas
conceitos gerais como "emoções", "vivências" e "mecanismos de confrontação").
c) Os significados serão extraídos dos participantes.
d) Os dados não serão reduzidos a valores numéricos (Rothery, Tutty e Grinnell, 1996).
 Patton (2002) sugere um modelo para a formulação de problemas qualitativos. Escolher:
a) Um verbo que sintetize nossa intenção fundamental (explorar, Especificar casos, entender,
identificar, diferenciar, participantes, aprofundar, encontrar, gerar, eventos, etc. compreender,
examinar, etc./. Podemos recorrer à taxonomia de Bloom e Krathwohl 956) e Bloorn 975).
b) Um fenômeno ou tema para o estudo.
c) Especificar casos, participantes, eventos etc.
d) Determinar o ambiente, e contexto ou lugar potencial do estudo

Richardson:

 Delimitar e determinar um problema de pesquisa implica conhecimento do fenômeno


selecionado para o estudo, o que se deseja pesquisar. Existem duas formas utilizadas para a
produção do conhecimento em torno de um objeto de pesquisa:
1. Pesquisador já tem pleno dominio do fenômeno escolhido para ser estudado, devido a
experiencia adquirida em outras pesquisas (livros, artigos), supõe-se em condições de definir seu
problema de pesquisa sem a participação da população em estudo, elaborando instrumentos de
coleta de informações que serão fornecidas por pessoas que serão utilizadas apenas como objeto
de estudo., posteriormente realizando analise e divulgando. Problema de pesquisa é levantado
a priori pelo pesquisador.
2. Insere-se a população que deseja estudar, e juntamente com seus elementos em constante
interação, tenta-se levantar os problemas pesquisados, om o objetivo de produzir um
conhecimento concreto da prática que vivencia. Pesquisador acredita que a população que
pretende estudar é a única que tem condições de levantar seus problemas prioritários de
pesquisa. Problema de pesquisa é trazido no próprio processo de pesquisa, pelos elementos da
população em estudo. Aqui se estabelece uma relação sujeito- sujeito.
 Deve ser concreto e deve ser formulado de forma clara e precisa.
 Exige uma resposta e convenientemente é formulado como pergunta.
 Não pode estabelecer juízos de valor. deve- se referir a fenômenos observáveis possíveis de
verificação empírica.
 Não deve-se referir a casos únicos ou isolados, devendo ser representativo ou passível de
generalização.
 Problema deve acrescentar uma originalidade, não devendo se insistir em problemas já
conhecidos e estudados, a não ser que seja sob ouro ponto de vista
 Etapas da definição do problema ou marco téorico:
1. Definição do fenômeno: pesquisador deve apresentar duas ou três das mais conhecidas
definições, baseada na corrente epistemológica do pesquisador. Ela marca o rumo de todo
trabalho de pesquisa. Deve ter clareza dos pressupostos da definição escolhida.
2. Características do fenômeno: etapa fundamental na elaboração do marco teórico. Deve-se fazer
referencia, do ponto de vista da corrente epistemológica escolhida, ao que tem sido escrito sobre
os elementos que a compõem, suas relações e interligações com outros fenômenos.
3. Conclusão: em um parágrafo faz referência as etapas anteriores. Depois de dar a visão completa
do fenômeno, pesquisador escolhe elementos a serem trabalhados. Conclui-se com o objetivo
geral da pesquisa.

Becker:

 A pesquisa começa com uma indagação ou uma dúvida que o pesquisador tem dentro do seu
tema.
 O tema ou assunto é amplo, mas a ou as questões são restritas ao que se quer investigar.
 Exemplo: como os professores se relacionam com seus alunos? Que aspectos interferem nesta
relação? Ressalta-se que a ou as questões aqui formuladas indicam o objeto a ser investigado,
portanto, a caminhada a ser implantada.
 O que você perguntar aqui. sua pesquisa deverá responder. Por isso, faça um exercício sério e
constante, tentando implicar e explicitar o seu objeto de investigação em questões norteadoras
de estudo. Cuidado! Pergunte o que é possível ser respondido.

Objetivos da Pesquisa
Sampieri
 Mostram a intenção principal do estudo em uma ou várias orações.
 Segundo Creswell (2009) para estabelecer o propósito de uma pesquisa qualitativa é necessário:
1. Estabelecer cada objetivo em uma oração ou parágrafo separadamente.
2. Ter como foco explorar e compreender um só fenômeno, conceito ou ideia. Considerar que no
decorrer do estudo é provável que sejam identificadas e analisadas relações entre vários
conceitos, mas que devido à natureza indutiva da pesquisa qualitativa não é possível antecipar
esses vínculos no início do projeto.
3. Utilizar palavras que sugiram um trabalho exploratório ("razões", "motivações", "busca",
"indagação", "consequências", "identificação", etc.).
4. Utilizar verbos que comuniquem as ações que serão realizadas para compreender o fenômeno.
Por exemplo, os verbos "descrever","entender","desenvolver", "analisar o significado de",
"descobrir", "explorar", etc., permitem a abertura e flexibilidade de que uma pesquisa qualitativa
necessita.
5. Utilizar linguagem neutra não direcionada. Evitar palavras (principalmente adjetivos
qualificativos) que possam limitar o estudo ou introduzir a um resultado específico.
6. Se o fenómeno ou conceito não for muito conhecido, fornecer uma descrição geral deste.
7. Mencionar os participantes do estudo (independentemente de ser um ou vários indivíduos,
grupos de pessoas ou organizações). Às vezes podem ser animais ou agrupamentos destes, assim
como manifestações humanas (textos, construções, artefatos, etc.)
8. Identificar o lugar ou ambiente inicial do estudo.

Richardson

 São extraídos diretamente dos problemas levantados.


 Em uma pesquisa exploratória 1º começa com os verbos : conhecer, identificar, levantar e
descobrir.
 Em uma pesquisa descritiva 2º : caracterizar, descrever e traçar.
 Em uma pesquisa explicativa 3º: analisar, avaliar, verifica, explicar.
 Os objetivos especificos: definem as etapas que devem ser cumpridas para o alcance do objetivo
geral.
 Deve expressar apenas uma ideia, deve-se referir apenas a pesquisa que será realizada.

Luna

 Constitui um passo fundamental dentro do processo de pesquisar.


 As decisões do pesquisador dependem da formulação do problema, e, portanto, serão mais
claros se estiverem mais adequadas.
 .Um dos recursos para o detalhamento do problema é o destrinchar da formulação inicial,
buscando destacar as respostas que o pesquisador quer obter, ou indicar que aspectos do
fenômeno a estudar ele julga necessário cercar.
 Deve permitir o pesquisador escolher o tipo de literatura que pode interessa-lo no embasamento
da pesquisa e na discussão dos resultados.
 Há relevância e originalidade são critérios importantes para a formulação de um problema de
pesquisa.
 Problema de pesquisa X o que é necessário para estuda-lo? Muitas vezes o pesquisador surge
com a necessidade de contextualizar o problema , o que faz com que ele se perca e o projeto
acaba se desdobrando e perdendo sua viabilidade.
 Se de fato a contextualização, exige uma pesquisa histórica e retrospectiva, então é passível
refletir que alguém já pode ter feito essa pesquisa então não seria aconselhável fazer
novamente.
 Se defronta com as lacunas, uma parte delas deve ser respondida e a outras farão parte de um
conjunto de pressupostos assumidos pelo professor.
 Detalhamento de um problema de pesquisa é um processo aberto, em que o pesquisador se ve
tentado a mudar no processo de coleta de dados.
 Não deve servir como uma camisa de força que faça com que o pesquisador seja insensível a
realidade.

Pressupostos/ hipóteses
Sampieri

 As hipóteses adquirem um papel diferente do desempenhado na pesquisa quantitativa.


 Em raras ocasiões elas são estabelecidas antes de entrar no ambiente ou contexto e começar a
coleta dos dados (Williams, Unrau e Grinnell, 2005).
 Na verdade, durante o processo o pesquisador vai gerando hipóteses de trabalho que são
aprimoradas paulatinamente conforme mais dados são coletados, ou as hipóteses são um dos
resultados do estudo (Flenderson, 2009).
 As hipóteses são modificadas com base nos raciocínios do pesquisador, portanto, não são
testadas estatisticamente.
 As hipóteses de trabalho qualitativas são então gerais ou amplas, emergentes, flexíveis e
contextuais, adaptam-se aos dados e às mudanças no decorrer da pesquisa.

Richardson

 Podem ser formuladas dependendo do tipo de problema:


 Hipoteses univariadas: apresenta só uma variável;
 Hipoteses multivariadas: apresentam ligação entre duas ou mais variáveis;
 Hipoteses de relação causal: as que apresentam relação de causa e efeito entre as variáveis.
 As hipóteses precisam ser claras e precisas, indicam a importância e a contribuição teórica,
definir as variáveis em termo operacionais distinguindo as dependentes e independentes, no
caso das multivariadas especificar o modelo hipotético e a inter-relação das variáveis que serão
testadas.
 Hipótese: uma suposição, uma conjectura e quando aplicada a pesquisa implica conjectura
quanto aos possíveis resultados a serem obtidos.
 Representa uma formalização do problema. Para ela ser bem estruturada depende de um
problema claro sem ambiguidades.
 A explicitação do que se espera vir a conseguir com a realização da pesquisa não substitui a
formulação do problema, nem se confunde com ela

Becker:

 Tanto hipóteses quanto pressupostas constituem a ideia da tese.


 A hipótese expressa uma ideia positivista, mensurável, controlável. Ele implica a relação de duas
variáveis: independente (causa) e dependente (efeito).
 As variáveis são extraídas das hipóteses. Exemplo: os alunos que estudam matemática pelo
método X, obtêm melhores notas que aqueles que estudam pelo método
 . Os pressupostos, em nossa concepção, são hipóteses qualitativas que pertencem a pesquisas
também qualitativas e não quantitativas.
 Nas hipóteses, o critério de análise é o mimem, nos pressupostos, o critério é a razão.
 Pesquisas qualitativas são embasadas em pressupostos e em fatores qualitativos de análise e não
em hipóteses e variáveis.
 As hipóteses compreendem variáveis.
 Os pressupostos compreendem fatores qualitativos de análise.
 Tanto hipóteses quanto pressupostas, constituem respostas provisórias às questões formuladas
no item anterior (questões específicas).
 As pesquisas qualitativas não trabalham com hipóteses e nem com variáveis, mas com
pressupostos e fatores qualitativos de análise.
 Os fatores qualitativos podem ser: aspectos genéticos e biológicos, de um lado e personalidade,
caráter, temperamento, comportamento, atitude e urna infinidade de outros fatores, de outro
lado, que podem ser revisitados, categorizados e tratados qualitativamente.

Metodologia
Sampieri

 Contatar os participantes potenciais e a coletar dados, o método que iremos utilizar nesse
trabalho será provavelmente a entrevista.
 Após realizarmos as primeiras entrevistas, poderíamos começar a gerar dados.
 Os dados nos levam para diferentes direções e é nessa hora que podemos dar respostas para o
problema original e modificá-lo.
Richardson

Definição operacional das varáveis:

 a variável pode ser entendida como um conceito que pode ser classificado em duas ou mais
categorias, em casos de ser variáveis de atributos.
 Ela pode ser estrutural e funcional, a estrutural é um processo mental de abstração das
características do objeto do estudo, assim ao estudar o fenômeno o pesquisador extrai dele as
caracteristicas que o compõem.
 A funcional é uma abstração das funções do objeto, com base nas coisas mais fáceis ou mais
complexas
 .A definição conceitua é ampla e geral, enquanto a definição operacional é restrita voltada
diretamente aos aspectos do objeto possibilitando observação e mensuração das variáveis.
 No projeto de pesquisa é necessário incluir os indicadores das variáveis a serem medidas.
 Especificação o projeto: descrever o plano de pesquisa utilizado, se o estudo é exploratório
(quando não se tem informação sobre determinado tema mas se deseja conhecer o fenômeno),
descritivo (quando se deseja descrever as caracteristicas de um fenômeno) e explicativo (quando
se deseja analisar as causas ou consequências de um fenômeno).
 Descrever o tratamento sujeito a controle das variáveis que podem interferir nos resultados da
pesquisa.
 Especificar procedimentos estatísticos ou qualitativos utilizados na analise de informações.

Becker:

 O pesquisador deverá dizer COMO, ONDE, COM QUEM, COM QUE INSTRUMENTOS, QUANTO E
QUANDO será feita a pesquisa.
 Deve deixar claros os passos e processos que serão utilizados.
 Descrever e analisar sua pesquisa do ponto de vista teórico e prático. Para isso, relembramos
alguns passos, considerando que eles podem ser alterados e modificados de acordo com a
natureza e realidade de cada pesquisa.

Revisão de Literatura
 Detectar conceitos-chave que não havíamos pensado. Termos ideias em relação a métodos de
coleta de dados e análise, para sabermos corno foram utilizados por outras pessoas.
 Ter em mente os erros que outros cometeram anteriormente.
 Conhecer diferentes maneiras de pensar e abordar a formulação.
 Melhorar o entendimento dos dados e aprofundar as interpretações.
 Em síntese, a revisão da literatura pode ser útil para a formulação do problema qualitativo inicial;
mas nosso fundamento não se restringe ou se limita a essa revisão, seu papel é mais de apoio e
consulta.
 A pesquisa qualitativa se baseia principalmente no próprio processo de coleta e análise.

Richardson

 Decidir a corrente epistemológica que orientará o trabalho que deseja realizar.


 Depois estudar em nível macro, dentro da corrente escolhida, as aproximações ao fenômeno.
 Analisa -se os trabalhos realizados, pois o pesquisador deve mostrar domínio do fenômeno.
 Ele deve realizar uma interpretação do fenômeno analisando criticamente diversas concepções
e perspectivas apresentadas, mediante referência a tudo que se escreveu sobre ele.
 Incluir a descrição da relação do problema com o marco teórico em questão, especificação da
relação do problema com pesquisas anteriores, apresentação de questões ou hipóteses
alternativas possíveis de estudo.

Luna

 Quanto mais complexo e extenso for o problema, maior e mais complexa será a revisão de
literatura.
 Estudos que determinam o estado da arte, tem como principal objetivo, descrever o estado atual
de uma dada área de pesquisa, o que já se sabe, quais as principais lacunas, entraves teóricos e
metodológicos. Eles constituem uma excelente fonte de atualização para os pesquisadores for
da área na qual se realiza o estudo, na medida em que se condensam os pontos importantes do
problema em questão.
 A revisão teórica tem como objetivo circunscrever um dado problema de pesquisa dentro de um
quadro de referencia teórico que pretende explica-lo. Sua importância assme diferentes
contornos, dependendo do tipo de problema em estudo, da teoria em questão, e do
compromisso com aquele que julga a teoria.
 Revisão de pesquisa empírica sua principal função é a explicação de como o problema em
questão vem sendo pesquisado especialmente do ponto de vista metodologico. Fornece dados
resultantes das pesquisas analisadas. Informações como coleta de dados, tempo e custo
envolvidos podem ser obtidos por essa revisão.
 A revisão teórica tem como principal objetivo a recuperação da evolução de um conceito, área,
tema, etc e a inserção dessa evolução denro de um quadro de referencias que explique fatores
determinantes e as implicações das mudanças. Ninguem deveria entrar em uma área de pesquisa
sem realiar uma boa revisão histórica dos conceitos.
 O uso de cada tipo de revisão de literatura irá depender de dos objetivos e necessidades

da pesquisa.

Becker:

 E um trabalho de pesquisa que, se não supõe esgotar as fontes, supõe um aprofundamento e


uma análise muito aguçada do assunto.
 Um tema tem sua história e por que não começar por ela?
 Um tema supõe teorias, correntes, concepções e princípios e por que não organizá-los, tratá-los,
contrasta-los?
 Trata-se, então, de um trabalho pessoal, onde o pesquisador cria, critica, analisa, nega, compara
e toma posição.
 Não é cópia e nem parecido com cópia.
 Não é justaposição de idéias (montinho de idéias desconexas), mas uma rede de idéias.
 Use citações e paráfrases, mas não esqueça nem de citar, nem de referenciar os autores e obras.

Respondendo ao problema
 O ambiente pode ser tão variado como a formulação do problema (um hospital, uma ou várias
empresas, uma universidade, um lugar público, um consultório, uma casa onde ha reunião de
grupos, etc.).
 E o contexto implica uma definição geográfica, mas é inicial, visto que ele pode variar, ser
ampliado ou reduzido. Um tipo de estudo muito utilizado é o denominado "clientes misteriosos
ou ocultos" (mystery shoppers), em que pessoas que são supostos clientes (mas, na verdade, são
avaliadores qualificados) avaliam níveis de serviços de atendimento (são criados casos ou
situações específicas para analisar questões como: tempo de espera para o atendimento,
amabilidade das pessoas que se relacionam com o cliente, resolução de problemas, saber lidar
com clientes dificeis).
 Explorar o contexto selecionado inicialmente. E isso significa visitá-lo e avalia-10 para verificar se
é adequado, e até mesmo para considerar nossa relação com o ambiente com uma série de
reflexões e resolver qualquer situação que possa atrapalhar o estudo (Esterberg, 2002):
 E também para tentar estimar o tempo aproximado do estudo e reavaliar sua viabilidade,
porque, segundo Mertens (2005), duas dimensões são essenciais em relação ao ambiente:
conveniência e acessibilidade..
 Desenvolver relações (Ganhar a confiança dos gatekeepers dos participantes ao sermos amáveis,
honestos, sensíveis, cooperativos e sinceros, quanto mais confiança e empatia, melhor),
apoiando em alguma necessidade (em termos educacionais, pedir assessoria médica ou
psicológica; resolver problemas: alguns pesquisadores chegaram a consertar desde um curto-
circuito até um encanamento; prestar favores, transportar pessoas: dar carona ou "nos
transformarmos em táxi"). Aproveitar nossas redes pessoais (p. ex., em estudos com religiosas,
um parente sacerdote ou uma freira conhecida podem nos ajudar de maneira significativa; o
mesmo com forças policiais e em hospitais).
 Elaborar uma história sobre a pesquisa : Ter preparado um pequeno roteiro sobre o estudo
(propósito central, tempo aproximado de permanência no ambiente, utilização dos resultados).
É importante falar sobre a pesquisa, desde que não afete os resultados. É necessário preparar
algumas respostas para perguntas que muitas vezes os participantes costumam nos fazer. Por
exemplo: Por que devo cooperar como estudo? O que eu e os meus colaboradores ganhamos
com a pes- quisa? Por que fui escolhido fina participar no estudo? Quem serão os beneficiados
com os resultados?
 Estabelecer vínculos com os participantes, utilizando todas as técnicas de aproximação
(programação neurolinguística, rapport e outras que sejam úteis ), assim corno as habilidades
sociais. Começar a obter o ponto de vista "interno" dos participantes a respeito de questões
vinculadas com a formulação do problema.
 O trabalho do pesquisador se parece com o do detetive que chega á cena do crime: primeiro
observa o lugar de forma holística; por exemplo, se for o assassinato em uma casa, observa toda
a área em que está o cadáver (desde as paredes, portas e janelas até o piso), assim como os
objetos que há no local e o mobiliário. Cada parte é vista em relação a todo o contexto. Analisa
a posição do corpo, as expressões da pessoa morta, os rastros de sangue, etc. Também pega
amostras de qualquer artefato ou material, desde uma possível arma até cabelos e fibras da
roupa ou do piso, assim como rastros e vestígios. Tudo é considerado, e não só do local onde
está o indivíduo supostamente assassinado, mas de cada quarto e canto da casa: jardim,
garagem, sótão... Se existem dados que não foram considerados podemos perder informação
valiosa que mais tarde poderia ser muito útil para responder as perguntas de pesquisa: Será que
foi realmente um assassinato? Quando e como ocorreu? Quem pode ser o assassino? A mente
do pesquisador ao entrar no campo tem de ser inquisitiva. Em cada observação deve se
perguntar: O que significa isso que observei? O que significa para o marco do estudo? Como se
relaciona com a formulação? O que acontece ou aconteceu? Por quê?
 Também é necessário avaliar as observações a partir de diversos ângulos e das perspectivas de
diferentes participantes. A descrição do ambiente é uma interpretação detalhada de casos, seres
vivos, pessoas, objetos, lugares específicos e eventos do contexto, e deve transportar o leitor
para o local da pesquisa (Creswell, 2009). Vamos mostrar um exemplo da descrição de um
contexto.O pesquisador qualitativo deve demonstrar respeito em suas observações. Não existe
um modelo de descrição, cada um irá capturar os elementos que chamam mais sua atenção e
isso é um dado (como toda intervenção do pesquisador). Por outro lado, o pesquisador escreve
o que observa, escuta e percebe por meio de seus sentidos, mediante duas ferramentas:
anotações e diário de campo. Geralmente nesse diário são registra-. das as anotações.

Acesso ao contexto, ambiente ou local

 Escolher. o contexto, ambiente ou local.


 Avaliar nossos vínculos com o contexto.
 Conseguir o acesso ao contexto ou lugar e aos participantes.
 'Contatar as pessoas que controlam a entrada no ambiente ou local e que têm acesso aos lugares
e pessoas que o compõem . (gatekeepers), assim como obter sua boa vontade e participação.
 Realizar uma imersão completa no contexto e avaliar se é o adequado de acordo com nossa
formulação.
 Conseguir que os participantes atendam ao pedido de informação e forneçam dados.
 Decidir em que lugar do contexto os dados serão coletados.
 Planejar os tipos de dados que deverão coletados.
 Desenvolver os instrumentos para coletar os dados (roteiro de entrevistas, de observação, etc.).

Observações

 Registrar notas de campo críveis, desde a entrada no ambiente (impressões iniciais) até a sarda;
escritas ou gravadas em algum meio eletrônico.
 Registrar citações textuais dos participantes.
 Definir e assumir o papel de observador.
 Transitar na observação: ir paulatinamente do geral ao particular.
 Validar se os meios planejados para coletar os dados são as melhores opções para obter
informação.

Entrevistas

 Planejá-las cuidadosamente.
 Marcar reuniões.
 Preparar a equipe para gravar as entrevistas.
 Comparecer as reuniões pontualmente.
 Realizar as entrevistas.
 Registrar anotações e fatos relevantes das entrevistas.

Documentos

 Elaborar listas de lugares onde é possível localizar e obter documentos.


 Seguir os trámites para pedir autorização para obtê-los e reproduzi-los.
 Preparar a equipe para escanear, gravar em vídeo ou fotografar os documentos.
 Questionar o valor dos documentos.

• Certificar a autenticidade dos documentos.

Diários

 Pedir aos participantes que escrevam diários.


 Revisar periodicamente esses diários.

Nos estudos qualitativos, os objetivos e as perguntas são mais gerais e enunciativos. Os elementos para
justificar a formulação qualitativa são iguais aos da quantitativa: conveniência, relevância social,
implicações práticas, valor teórico e utilidade metodológica. A flexibilidade da formulação qualitativa é
maior do que a da quantitativa. As formulações qualitativas são: abertas, expansivas, inicialmente não
direcionadas, fundamentadas na experiência e intuição, são aplicadas a um número pequeno de casos, o
entendimento do fenômeno se dá em todas suas dimensões, estão voltadas para aprender com as
experiências e os pontos de vista dos indivíduos.

Para responder as perguntas de pesquisa ê necessário escolher um contexto ou ambiente onde o estudo
será realizado; também é preciso situar a formulação no espaço e no tempo.

Para aqueles que estão se iniciando na pesquisa qualitativa, sugerimos que visualizem graficamente o
problema de estudo.

As formulações qualitativas são uma espécie de plano de exploração e são apropriadas quando o
pesquisador se interessa pelo significado das experiências e dos valores humanos, pelo ponto de vista
interno e individual das pessoas e pelo ambiente natural onde ocorre o fenômeno estudado: também
quando buscamos ter uma perspectiva próxima.

Após escolhermos um ambiente ou lugar apropriado que iniciamos a tarefa de responder as perguntas de
pesquisa. O ambiente pode ser tão variado como a formulação do problema. Esse ambiente pode variar,
ser ampliado ou reduzido e é explorado para ver se ê o apropriado.

Duas dimensões são essenciais para a seleção do ambiente: conveniência e acessibilidade. Para conseguir
o acesso ao *ambiente devemos negociar com os gatekeepers.

A imqrsão total implica observar eventos, estabelecer vínculos com os participantes, começar a obter seu
ponto de vista; coletar dados sobre seus conceitos, linguagem e maneiras de se expressar, histórias
relações; detectar processos sociais fundamentais.

Tomar notas e começar a gerar dados na forma de apontamentos, mapas, esquemas, quadros, diagramas
e fotografias, assim como coletar objetos e artefatos; elaborar descrições do ambiente.

Ter consciência de seu próprio papel como pesquisador das alterações que são provocadas; e também
refletir sobre as experiências de vida. No início, as observações são gerais, mas vão se concentrando na
formulação.

BECKER

Desenvolvimento

Na primeira parte (introdução), o pesquisador apresentou o plano de seu trabalho, ou seja, como ele seria
elaborado. Agora, nesta parte, chega de promessa, pois se trata do desenvolvimento da pesquisa_ De
maneira geral, o desenvolvimento se divide em duas seções: a primeira reservada à revisão da literatura
e a segunda reservada à apresentação e analise dos dados, se for o caso.

CONCLUSÕES E SUGESTÕES
Uma boa conclusão deve encerrar a idéia de toda a pesquisa. É uma retomada organizada das partes na
montagem e análise do todo. Para isso, sugerimos que a conclusão contemple implicitamente quatro
enfoques ou janelas:

- Uma retrospectiva de todo o trabalho, relembrando ao leitor as questões e pressupostos do primeiro


capitulo, bem como unta ligeira pincelada na metodologia e na revisão da literatura;

- Apresentação de itens (resumo) conclusivos, como base Exemplo: nos dados e na literatura. Em face do
que se analisou nos dados e na literatura, pode-se concluir que: I., 2., 3. etc.

- Apresentação de conclusões pessoais ou inferenciais, sem o apoio nos dados ou na literatura, mas que
o pesquisador acredita que sejam verdades.

- Enfim, apresentação de outras questões e de sugestões a outros pesquisadores e estudiosos.

MONTAGEM DO TEXTO

Para a montagem do texto monográfico ou Dissertação de Mestrado, há três partes a serem consideradas:

1 Elementos pré-textuais - que compreendem, por ordem: capa, folha de rosto, termo de aprovação,
epígrafe e ou dedicatória, agradecimentos, sumário, listas de Texto - com os capítulos, desde a introdução
até a conclusão.

3 Elementos pós-textuais - que compreendem por ordem: anexos, glossário, referências bibliográficas e
capa. Para concluir, lembramos ainda alguns aspectos indispensáveis para a apresentação final do texto
de pesquisa: A revisão final é necessária, obrigatória e indispensável. Durante e após a elaboração, o
pesquisador deverá submeter seu trabalho a uma séria revisão. Primeiramente por ele próprio e depois
por especialistas da área.

4-As normas devem ser cumpridas: copiou-Citou! Citou-Referenciou. Nenhuma desculpa cabe para a
expressão: copiei de um livro azul- da biblioteca, mas não me lembro mais o nome do autor ou: não sei
se foi Paulo ou Pedro que disse isso em tal página, pois esqueci de anotar na hora da (einem Em resumo,
a linguagem do pesquisador deve ser segura, coerente e firme, diferente da linguagem popular, vulgar.
Existem normas e mais normas.

Existem as normas da ABNT, que são nacionais. Vale à pena lar uma olhada nelas. .

ATENÇÃO
Richardson

 Dentro da dinâmica da execução de pesquisa SÃO:


1. O levantamento exagerado de informações sem qualquer objetivos predeterminados,
ocasionando uma elevação de custos, perda de tempo e inviabilidade.
2. Diminuição ou ampliação da problemática e de seus aspectos, o que levaria a uma nova
adequação de referencial teórico.
3. Necessidade de definir com precisão as variáveis de estudo, evitando interpretações dúbias.
4. Problema selecionado para ser estudado o professor deve explicitar sobre o tipo de plano que
deverá ser utilizado, se será transversal ou longitudinal.