Você está na página 1de 19
UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA - UFPB CENTRO DE ENERGIAS ALTERNATIVAS E RENOVÁVEIS - CEAR DEPARTAMENTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA - UFPB CENTRO DE ENERGIAS ALTERNATIVAS E RENOVÁVEIS - CEAR DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - DEE

PROCESSO DE DE-EMBEDDING DE UM CIRCUITO COM TEST FIXTURES

EM CASCATA UTILIZANDO O ADVANCED DESIGN SOFTWARE E

SOFTWARES MATEMÁTICOS

Alef Kaian Feitosa Barbosa

Rodrigo do Nascimento Tôledo

João Pessoa PB

Dezembro de 2016

1.

Objetivo

Deseja-se caracterizar um quadripolo (DUT Device Under Test), porém este quadripolo geralmente não está isolado, devido a estar imerso em um circuito ou mesmo os aparelhos usados na medição possuírem indutâncias ou capacitâncias. Estes quadripolos ou componentes que impedem a medição direta do DUT são chamados de test fixtures. Na figura abaixo é mostrado o DUT que desejamos caracterizar, e os test fixtures que desejamos eliminar da caracterização.

os test fixtures que desejamos eliminar da caracterização. 2. Introdução teórica 2.1 Parâmetros S Redes de

2. Introdução teórica

2.1 Parâmetros S

Redes de duas portas, também conhecidas como quadripolos, podem ser caracterizadas pelos mais diversos parâmetros que descrevem a relação entre a tensão e corrente de cada porta, podemos citar: os parâmetros de impedância, de admitância, a matriz de transferência ou também os parâmetros S.

Rede de duas portas Os parâmetros S são conhecidos por Scattering Parameters , neles no

Rede de duas portas

Os parâmetros S são conhecidos por Scattering Parameters, neles no lugar de trabalharmos a tensão e corrente em cada porta, trabalhamos com as ondas refletidas (b1, b2) em função das ondas incidentes (a1, a2).

( b1, b2 ) em função das ondas incidentes ( a1, a2 ) . Os elementos

Os elementos da matriz S11, S12, S21, S22 são os parâmetros S, onde

S11, S22 são conhecidos pelos coeficientes de reflexão e S21, S12 são os

coeficientes

transmissão.

de

As ondas viajantes podem ser calculadas da seguinte forma:

As ondas viajantes podem ser calculadas da seguinte forma: Onde Z0 é a impedância de referências

Onde Z0 é a impedância de referências que na prática é escolhida como 50

ohm.

Em baixas frequências, podemos usar as matrizes de impedância ou de transferência para caracterizar o quadripolo, quando chegamos à frequências estudadas em micro-ondas, temos dificuldades de medir suas tensões e correntes, assim fica necessário usar os parâmetros S.

Devemos mostrar que os parâmetros S têm os conceitos de potência, onde cada onda pode ser vista da seguinte forma:

potência, onde cada onda pode ser vista da seguinte forma: Assim podemos calcular cada parâmetro individualmente,

Assim podemos calcular cada parâmetro individualmente,

.
.

2.2 Parâmetros T

Parâmetros T, também conhecidos como Chain Scattering Parameters, Scattering Transfer Parameters, T Matrix e Transmission Coefficients, são outro tipo de parâmetros usados para descrever um quadripolo, que é muito utilizado em circuitos RF. Assim como os parâmetros S, os parâmetros T trabalham com ondas incidentes e ondas refletidas em vez de tensão e corrente nos terminais.

Não se pode utilizar parâmetros S para determinar uma resposta geral para um conjunto de quadripolos porque não se pode multiplicá-los e obter algo útil. Como foi visto, os parâmetros S definem as ondas refletidas de cada porta em função das ondas incidentes. Já os parâmetros T definem as ondas na entrada do quadripolo em função das ondas na saída do quadripolo, algo mais parecido com uma função de transferência. Então eles estão definidos como na figura abaixo.

Desse modo, tal como uma função de transferência, podemos multiplicar várias matrizes T e obter

Desse modo, tal como uma função de transferência, podemos multiplicar várias matrizes T e obter uma matriz T equivalente.

várias matrizes T e obter uma matriz T equivalente. Os parâmetros T possuem essa vantagem em

Os parâmetros T possuem essa vantagem em relação aos parâmetros S, porém os parâmetros S são muito mais fáceis de ser medidos. Portanto serão feitas medições em parâmetros S e cálculos e manipulações matemáticas em parâmetros T. Para isso é necessário a conversão da matriz T para a S e vice- versa. Essas conversões são dadas abaixo.

2.3 Parâmetros ABCD Parâmetros ABCD são também chamados de Transmission Matrix, Chain Matrix, Cascade Parameters
2.3 Parâmetros ABCD Parâmetros ABCD são também chamados de Transmission Matrix, Chain Matrix, Cascade Parameters

2.3 Parâmetros ABCD

Parâmetros ABCD são também chamados de Transmission Matrix, Chain Matrix, Cascade Parameters e Chain Parameters.

Diferente dos parâmetros S e T, estes parâmetros descrevem um quadripolo em função de tensões e correntes nos terminais. Os parâmetros ABCD são definidos como abaixo.

terminais. Os parâmetros ABCD são definidos como abaixo. Estes parâmetros são muito difíceis de serem medidos

Estes parâmetros são muito difíceis de serem medidos em altas frequências pela necessidade de curto circuitar e abrir os terminais, portanto são os piores parâmetros apresentados aqui no quesito de medição. Porém, todas as manipulações matemáticas podem ser aplicadas a eles, inclusive as matrizes ABCD podem ser cascateadas assim como as matrizes T, e por isso eles são utilizados para a técnica de de-embedding. Abaixo estão as relações entre parâmetros ABCD e parâmetros S.

3. Processo de de-embedding Foi visto que tanto as matrizes T como as ABCD podem
3. Processo de de-embedding Foi visto que tanto as matrizes T como as ABCD podem

3. Processo de de-embedding

Foi visto que tanto as matrizes T como as ABCD podem ser multiplicadas para quadripolos em cascata para se obter uma matriz T ou ABCD equivalente. Portanto, usando a matriz T como exemplo para caracterizar o DUT mostrado na pãgina 2 (mas este processo se aplica do mesmo jeito para a matriz ABCD), tem- se que:

[ ] = [ ][ ][ ]

Onde TTotal é a matriz T do circuito inteiro, TFL é a matriz T do test fixture da esquerda, TFR é a matriz do test fixture da direita e TDUT é a matriz T do quadripolo que se deseja caracterizar. Utilizando algumas manipulações matemáticas se chega à expressão:

[ ] = [ ] 1 [ ][ ] 1 (∗)

Desse modo, para caracterizar os parâmetros S de um DUT qualquer são feitos os seguintes passos:

1- É feita a medição dos parâmetros S do circuito completo (DUT + test fixtures) e de cada test fixture individualmente.

2-

3- Aplica-se a equação (*) às matrizes T encontradas. Obs.: A ordem das matrizes deve ser a mesma da equação, e deve ser a mesma ordem dos

quadripolos no cicuito. 4- A matriz T do DUT é convertida para S e tem-se o resultado da caracterização do DUT.

É calculada a

T correspondente a cada matriz S encontrada.

Obs.: O mesmo passo a passo pode ser seguido utilizando parâmetros ABCD.

4. Resultados

Na atividade é pedido para achar os parâmetros S do DUT indicado a seguir, onde devemos chegar ao resultado correto mesmo com a interferência das Test Fixtures, os valores de cada componente e as frequências de 1MHz até 1GHz foram previamente pedidas.

Para realizar a atividade do de-embedding, foi decidido comparar ADS com dois diferentes softwares matemáticos, o Scilab e o Matlab. No Matlab, foi utilizado a função “smithchart” para que fosse possível plotar os parâmetros calculados na carta de Smith, e no Scilab, foi instalado a a Microwave Toolbox feita por Tibault Reveyrand para realizar a mesma função, esta toolbox está disponível para download gratuitamente no site:

A seguir, são mostrados os parâmetros S em todas as situações em que

foram necessárias calcular, nos softwares ADS, Scilab e Matlab:

Circuito Completo: DUT com as Test Fixtures

Esquemático no ADS ADS Scilab/Matlab

Esquemático no ADS

Esquemático no ADS ADS Scilab/Matlab

ADS

Esquemático no ADS ADS Scilab/Matlab
Esquemático no ADS ADS Scilab/Matlab

Scilab/Matlab

Test Fixture da esquerda:

 Test Fixture da esquerda: Esquemático no ADS ADS Scilab/Matlab

Esquemático no ADS

 Test Fixture da esquerda: Esquemático no ADS ADS Scilab/Matlab

ADS

 Test Fixture da esquerda: Esquemático no ADS ADS Scilab/Matlab
 Test Fixture da esquerda: Esquemático no ADS ADS Scilab/Matlab

Scilab/Matlab

Test Fixture da direita:

 Test Fixture da direita: Esquamático no ADS ADS Scilab/ADS

Esquamático no ADS

 Test Fixture da direita: Esquamático no ADS ADS Scilab/ADS

ADS

 Test Fixture da direita: Esquamático no ADS ADS Scilab/ADS
 Test Fixture da direita: Esquamático no ADS ADS Scilab/ADS

Scilab/ADS

Após o cálculo do deembending usando os “chain scattering parameters”, também conhecidos como parâmetros T, obtivemos os seguintes resultados:

como parâmetros T, obtivemos os seguintes resultados: Scilab/Matlab ADS Agora, é mostrado o resultado do cálculo
como parâmetros T, obtivemos os seguintes resultados: Scilab/Matlab ADS Agora, é mostrado o resultado do cálculo

Scilab/Matlab

T, obtivemos os seguintes resultados: Scilab/Matlab ADS Agora, é mostrado o resultado do cálculo do

ADS

Agora, é mostrado o resultado do cálculo do deembending usando a “chain matrix” também conhecida como matriz ABCD:

Scilab/Matlab ADS *S(8,7) e S(8,8) são calculadas do esquemático a seguir: Cálculo direto do DUT

Scilab/Matlab

Scilab/Matlab ADS *S(8,7) e S(8,8) são calculadas do esquemático a seguir: Cálculo direto do DUT sem

ADS

*S(8,7) e S(8,8) são calculadas do esquemático a seguir:

Scilab/Matlab ADS *S(8,7) e S(8,8) são calculadas do esquemático a seguir: Cálculo direto do DUT sem

Cálculo direto do DUT sem as Test Fixtures

É possível observar que o resultado do de-embedding foi muito mais preciso utilizando parâmetros ABCD do que utilizando parâmetros T. Porém o resultado não foi perfeito. Veja o resultado do de-embedding utilizando a matriz ABCD no matlab novamente:

Utilizando a ferramenta de zoom, é possível ver que o que se acha que é
Utilizando a ferramenta de zoom, é possível ver que o que se acha que é um
ponto, na verdade são vários pontos.
Isso mostra que nenhum dos dois métodos é perfeito, mas isso reforça a superioridade de

Isso mostra que nenhum dos dois métodos é perfeito, mas isso reforça a superioridade de precisão ao se utilizar parâmetros ABCD em vez de T.

Agora comparando o primeiro e o último ponto dos resultados (1 MHz e 1 GHz).

o primeiro e o último ponto dos resultados (1 MHz e 1 GHz). Nota-se que em

Nota-se que em baixas frequências os dois métodos dão resultados muito próximos, mas a disparidade aumenta com a frequência.

Voltando às matrizes de conversão de parâmetros.

Voltando às matrizes de conversão de parâmetros. Nota-se que tanto os parâmetros ABCD quanto os parâmetros
Voltando às matrizes de conversão de parâmetros. Nota-se que tanto os parâmetros ABCD quanto os parâmetros

Nota-se que tanto os parâmetros ABCD quanto os parâmetros T dependem fortemente do valor de S21. Assim, são pegos 3 valores de S21 tanto do circuito completo quanto de um test fixture.

fortemente do valor de S21. Assim, são pegos 3 valores de S21 tanto do circuito completo
fortemente do valor de S21. Assim, são pegos 3 valores de S21 tanto do circuito completo
O valor de S21 tanto no circuito completo quanto nos test fixtures diminui drasticamente com

O valor de S21 tanto no circuito completo quanto nos test fixtures diminui drasticamente com o aumento da frequência, isto torna a matriz T uma função fraca. Lembrando que a matriz T define as ondas na entrada do circuito em função das ondas na saída. Como o valor de S21 é muito pequeno, as ondas na saída são desprezíveis em relação às ondas na entrada, e isto torna a matriz T uma função fraca. Veja, se duas entradas são desprezíveis elas podem ser consideradas praticamente as mesmas. Matematicamente, uma função não pode ter dois valores para um mesmo valor da variável independente. Isto também é verdade para a matriz ABCD.

Agora analisando as matrizes de transformação para S.

independente. Isto também é verdade para a matriz ABCD. Agora analisando as matrizes de transformação para
É possível notar que os parâmetros S dependem fortemente do parâmetro T22 e em relação

É possível notar que os parâmetros S dependem fortemente do parâmetro T22 e em relação aos parämetros ABCD os parâmetros S dependem de todos igualmente. Isto faz com que uma variação grande do parâmetro T22 influencie mais no resultado do que uma variação grande de qualquer parâmetro ABCD individualmente. Isto pode ser melhor analisado utilizando a função de sensibilidade em relação a uma variável. A sensibilidade de uma função f em relação a uma variável x é dada por:

() =

(, , , … )

(, , , … )

Empiricamente foi possível analisar que a sensibilidade do resultado em relação ao S21 do circuito completo foi muito maior utilizando parâmetros T do que parâmetros ABCD. Não foram colocados os resultados dessa análise aqui porque eles são muito grandes e complicados de serem analisados, mas fica essa sugestão para ser feita caso o leitor deseje uma resposta absoluta.

Abaixo é mostrado o resultado de um de-embedding no mesmo circuito feito de 1 GHz a 5 GHz. Nele é visível que a utilzação de parâmetros ABCD começa a se tornar imprecisa, mas ainda é muito mais precisa que a utilização de parâmetros T. Nota-se também que o resultado com parâmetros T falha completamente, saindo do plano da carta de Smith.

5. Conclusão Após alguns dias de estudos não foi possível determinar o motivo que fazem

5. Conclusão

Após alguns dias de estudos não foi possível determinar o motivo que

fazem os parâmetros ABCD serem mais estáveis, sendo assim, é deixado em

aberto, talvez para um trabalho de mestrado, encontrar este motivo.

Como foi observado que para todas as situações testadas o de-embedding

com os parâmetros ABCD foram mais precisos, iremos realizar sempre estes

parâmetros para o cálculo de quadripolo em cascata, ou seja, para realizar o de-

embedding, é sugerido utilizar os parâmetros ABCD.

6. Referências

(1) Practical RF System Design, WILLIAM F. EGAN

(2) Microwave Engineering, 4th ed. DAVID M. POZAR

(3) De-embedding and Embedding. S-Parameter Networks Using a Vector Network Analyzer, Agilent Application Note 1364-1

(4) Network Scattering Parameters, R. MAVADDAT