Você está na página 1de 96

Fundamentos de Química

Teoria Atômica

Referência:
T. L. Brown, H. E. LeMay, Jr., B. E. Bursten;
Química, A Ciência Central; 9ª edição; Pearson
Prentice Hall; 2007. Cap. 2.
UMA BREVE HISTÓRIA
O universo à nossa volta é constituído por
diferentes substâncias, algumas com vida,
outras inanimadas.

A matéria geralmente muda de uma forma


química para outra.

 Com o intuito de explicar essas observações,


filósofos antigos especulavam sobre a natureza
da ‘matéria’ fundamental da qual o mundo era
feito.
UMA BREVE HISTÓRIA

 Demócrito (460 – 370 a.C.) e outros filósofos


gregos antigos pensavam que o mundo material
deveria ser constituído de partículas indivisíveis
muito pequenas que eram chamadas de átomos,
o que significava “indivisíveis”.

 Platão e Aristóteles formularam a hipótese de


que não poderia haver partículas indivisíveis.
UMA BREVE HISTÓRIA

A visão “atômica” da matéria enfraqueceu-se


por vários séculos, durante os quais a filosofia
aristotélica dominou a cultura ocidental.

A noção sobre átomos ressurgiu na Europa


durante o século XVII, quando os cientistas
tentaram explicar as propriedades dos gases.
UMA BREVE HISTÓRIA
 Isaac Newton o mais famoso cientista de seu
Newton,
tempo, defendeu a ideia da existência de átomos.

 Quando os químicos aprenderam a medir a


quantidade de matéria que reagia com outra
para formar uma nova substância, a base da
teoria atômica estava proposta.

 Essa teoria surgiu durante o período 1803 –


1807 no trabalho de um professor inglês, John
Dalton.
Dalton
TEORIA ATÔMICA DA MATÉRIA
 John Dalton estabeleceu os seguintes
postulados:
postulados
1- Cada elemento é composto de partes
extremamente pequenas chamadas átomos
átomos.
2- Todos os átomos de um elemento são idênticos;
os átomos de diferentes elementos são
diferentes e têm diferentes propriedades.
3- Nas reações químicas, os átomos não são
alterados.
4- Os compostos são formados quando átomos de
mais de um elemento se combinam.
TEORIA ATÔMICA DA MATÉRIA

 De acordo com a teoria atômica de Dalton,


átomos são os componentes básicos da matéria.

 Eles são as menores partes de um elemento que


mantêm a identidade química desse elemento.

 Segundo os postulados de Dalton, um elemento


é composto de apenas uma espécie de átomo,
enquanto um composto contém átomos de dois
ou mais elementos.
TEORIA ATÔMICA DA MATÉRIA

A teoria de Dalton explica várias leis simples de


combinação química que eram conhecidas
naquela época.

 Lei de composição constante:


constante em
determinado composto o número relativo de
átomos e seus tipos são constantes (postulado
4).
TEORIA ATÔMICA DA MATÉRIA
 Lei massa a massa total
da conservação da massa:
dos materiais presentes depois da reação
química é igual à massa total antes da reação
(postulado 3).
A teoria de Dalton não apenas explicou leis
conhecidas na época, mas também previu novas.
 Dalton usou sua teoria para deduzir a lei das
proporções múltiplas.
TEORIA ATÔMICA DA MATÉRIA
 Lei de Dalton das proporções múltiplas:
múltiplas
Quando dois elementos formam diferentes
compostos, a proporção da massa dos elementos
em um composto está relacionada à proporção da
massa do outro através de um número inteiro
pequeno. (Ex.: H20 e H2O2)
 Na formação da água, 8,0 g de oxigênio combinam-se com
1,0 g de hidrogênio. Na água oxigenada existem 16,0 g de
oxigênio para 1,0 g de hidrogênio. A proporção da massa de
oxigênio por grama de hidrogênio nos dois compostos é 2:1.
Ou seja, a água oxigenada contém duas vezes mais átomos
de oxigênio por átomos de hidrogênio do que a água.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
o Os gregos antigos foram os primeiros a postular
que a matéria é constituída de elementos
indivisíveis.
indivisíveis
o Mais tarde, os cientistas constataram que o
átomo era constituído de partículas
subatômicas ainda menores.
o O átomo é composto em parte por partículas
eletricamente algumas com carga
carregadas eletricamente,
positiva (+
+) e outras com carga negativa (--).
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RAIOS CATÓDICOS E ELÉTRONS

J. J. Thomson

A primeira evidência experimental da estrutura


interna do átomo foi a descoberta, em 1897, da
primeira partícula subatômica, o elétron.
elétron

 Thomson observou muitas propriedades dos raios


catódicos, estudados na época, inclusive que uma
lâmina metálica exposta a raios catódicos
adquire carga elétrica negativa.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RAIOS CATÓDICOS E ELÉTRONS

J. J. Thomson

 Em um artigo publicado em 1897, ele apresentou


suas observações e concluiu que os raios catódicos
são jatos de partículas com massa, carregadas
negativamente.

O artigo de Thomson é conhecido como a


‘descoberta’ daquilo que chamamos de elétron
elétron.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RAIOS CATÓDICOS E ELÉTRONS

J. J. Thomson

 Thomson construiu um tubo de raios catódicos


com uma tela fluorescente (figura).

 Um tubo de raios catódicos (CRT) é um recipiente


profundo com um eletrodo em cada extremidade.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RAIOS CATÓDICOS E ELÉTRONS

o Uma voltagem alta é aplicada através dos


eletrodos.
eletrodos
o A voltagem faz com que partículas negativas se
desloquem do eletrodo negativo para o eletrodo
positivo.
o A trajetória dos elétrons pode ser alterada pela
presença de um campo magnético.
o Considere os raios catódicos saindo do eletrodo
positivo através de um pequeno orifício.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RAIOS CATÓDICOS E ELÉTRONS
– Se eles interagirem com um campo magnético
perpendicular a um campo elétrico aplicado, os
raios catódicos podem sofrer diferentes desvios.

– A quantidade de desvio dos raios catódicos


depende dos campos magnético e elétrico
aplicados.

– Por sua vez, a quantidade do desvio também


depende da proporção carga--massa
carga do
elétron.
elétron
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RAIOS CATÓDICOS E ELÉTRONS

 Em 1897, Thomson determinou que a proporção


carga-massa de um elétron é 1,76 x 108 C/g
C/g.

 Em 1909 Robert Millikan


Millikan, conseguiu medir
com êxito a carga de um elétron realizando o
que é conhecido como “Experimento da Gota de
Óleo de Millikan”.

 Objetivo: encontrar a carga no elétron para


determinar sua massa.
Experimento da Gota de Óleo de Millikan
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RAIOS CATÓDICOS E ELÉTRONS
o Neste experimento, gotas de óleo são borrifadas
sobre uma chapa carregada positivamente
contendo um pequeno orifício.
o À medida que as gotas de óleo passam através do
orifício, elas são carregadas negativamente.
o A gravidade força as gotas para baixo. O campo
elétrico aplicado força as gotas para cima.
o Quando uma gota está perfeitamente
equilibrada, seu peso é igual à força de atração
eletrostática entre a gota e a chapa positiva.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RAIOS CATÓDICOS E ELÉTRONS

o Utilizando este experimento, Millikan


determinou que a carga no elétron é 1,60 x
10-19 C.

o Conhecendo a proporção carga-massa, 1,76 x 108


C/g, Millikan calculou a massa do elétron:
elétron
9,10 x 10-28 g.

o Com números mais exatos, concluimos que a


massa do elétron é 9,10939 x 10-28 g.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RADIOATIVIDADE
 Em 1896, Henri Bequerel estava estudando o
mineral urânio quando descobriu que ele
espontaneamente emitia radiação de alta
energia.

 Essa emissão espontânea de radiação é


chamada de radioatividade
radioatividade.

 Marie Curie e Pierre


Pierre, começaram
experimentos para isolar os componentes
radioativos do mineral.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RADIOATIVIDADE
 Estudos posteriores sobre a natureza da
radioatividade revelaram três tipos de
radiação: alfa (α), beta(
beta(ββ) e gama (γ).

 Cada tipo difere um do outro quanto a sua


reação a um campo elétrico como mostrado na
figura.

O caminho das radiações α e β é desviado pelo


campo elétrico, apesar de estar em sentidos
opostos, e γ não é afetada.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RADIOATIVIDADE
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RADIOATIVIDADE
 Rutherford mostrou que os raios α e β
consistem de partículas de movimento rápido
nomeadas partículas α e β.
 Aspartículas β são elétrons em alta velocidade
e podem ser consideradas o análogo radioativo
dos raios catódicos; portanto são atraídas para a
placa positiva.
 As partículas α são muito mais compactas do
que as partículas β e têm cargas positivas;
portanto são atraídas para a placa negativa.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
RADIOATIVIDADE
o Um alto desvio no sentido da chapa positiva
corresponde à radiação que é negativamente
carregada e tem massa baixa. Essa se chama
radiação β (consiste de elétrons).
o Nenhum desvio corresponde a uma radiação
neutra. Essa se chama radiação γ.
o Um pequeno desvio no sentido da chapa carregada
negativamente corresponde à radiação carregada
positivamente e de massa alta. Essa se chama
radiação α.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
O ÁTOMO COM NÚCLEO

 Pela separação da radiação, conclui-se que o


átomo consiste de entidades neutras e
carregadas negativa e positivamente.

 Thomson supôs que todas essas espécies


carregadas eram encontradas em uma esfera.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
O ÁTOMO COM NÚCLEO

o Thomson (sec. XX) propôs que


o átomo consistia em uma
esfera positiva uniforme de
matéria, na qual os elétrons
estavam incrustados, como a
figura ao lado.

o Esse modelo, chamado de


modelo “pudim
pudim de ameixa
ameixa”,
teve uma vida muito curta.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
O ÁTOMO COM NÚCLEO

o Em 1910, Rutherford executou um


experimento que contestava o modelo de
Thomson:

o Uma fonte de partículas α foi colocada na boca


de um detector circular.

o As partículas α foram lançadas através de um


pedaço de chapa de ouro.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
O ÁTOMO COM NÚCLEO

A maioria das partículas α passaram


diretamente através da chapa, sem desviar.

 Algumas partículas α foram desviadas com


ângulos grandes.

 Se o modelo do átomo de Thomson estivesse


correto, o resultado de Rutherford seria
impossível.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
O ÁTOMO COM NÚCLEO
• Para fazer com que a maioria das partículas α
passe através de um pedaço de chapa sem sofrer
desvio, a maior parte do átomo deve consistir de
carga negativa difusa de massa baixa − o
elétron.
elétron
• Para explicar o pequeno número de desvios
grandes das partículas α, o centro ou núcleo do
átomo deve ser constituído de uma carga
positiva densa.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
O ÁTOMO COM NÚCLEO

o Rutherford modificou o
modelo de Thomson da
seguinte maneira:

– Suponha que o átomo é


esférico, mas a carga
positiva deve estar
localizada no centro
centro, com
uma carga negativa
difusa em torno dele.
dele
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
O ÁTOMO COM NÚCLEO

 Por volta de 1911, Rutherford conseguiu


explicar essas observações, postulando que:
A maioria da massa do átomo e toda a sua carga
positiva residiam em uma região muito pequena
e extremamente densa, que ele chamou de
núcleo.
núcleo
A maior parte do volume total do átomo é o
espaço vazio, no qual os elétrons movem-se ao
redor do núcleo
núcleo.
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
O ÁTOMO COM NÚCLEO

o Estudos experimentais subsequentes levaram


à descoberta de ambas as partículas no núcleo:

o As partículas positivas (protóns


protóns) e

o As partículas neutras (nêutrons


nêutrons).

o Os prótons foram descobertos em 1919 por


Rutherford.
Rutherford
A DESCOBERTA DA ESTRUTURA ATÔMICA
O ÁTOMO COM NÚCLEO

o Os nêutrons foram descobertos em 1923 por


James Chadwich.
Chadwich

o O átomo consite de entidades neutras,


positivas e negativas:

nêutrons,, prótons e elétrons


nêutrons elétrons.
A VISÃO MODERNA DA ESTRUTURA ATÔMICA

 Os físicos têm aprendido muito sobre a


composição detalhada do núcleo atômico.

A lista de partículas que compõem o núcleo tem


crescido muito e continua a crescer.

 Como químicos, podemos adotar uma visão


muito simples do átomo porque apenas três
partículas subatômicas – próton, elétron e
nêutron – influenciam o comportamento
químico.
A VISÃO MODERNA DA ESTRUTURA ATÔMICA

A carga de um elétron é -1,602 x 10-19 C, e a do


próton é +1,602 x 10-19 C.

 Por conveniência, as cargas atômicas e


subatômicas são normalmente expressas em
múltiplos desta carga em vez de coulombs.

 Assim, a carga do elétron é 1-, e a do próton, 1+.

 Nêutrons não têm carga e, por consequência,


são eletricamente neutros.
A VISÃO MODERNA DA ESTRUTURA ATÔMICA
 Os átomos têm um número igual de elétrons
e prótons; logo, eles têm uma carga elétrica
líquida neutra.
 Prótons e nêutrons são encontrados no núcleo
do átomo, que é extremamente pequeno.
A maior parte do volume atômico é o espaço no
qual o elétron é encontrado.
 Eles são atraídos pelo prótons e nêutrons no
núcleo pela força que existe entre as partículas
de cargas elétricas opostas.
A VISÃO MODERNA DA ESTRUTURA ATÔMICA
 Osátomos têm massas extremamente pequenas,
por isso usamos a unidade de massa atômica
ou u para expressar massas tão pequenas em
gramas.
-24
 Uma u é igual a 1,66054 x 10 g.
 As massas de prótons e nêutrons são
aproximadamente iguais, e maiores do que a do
elétron. Um próton tem uma massa de 1,0073 u,
um nêutron , de 1,0087 u, e um elétron, de 5,486
-4
x 10 u.
A VISÃO MODERNA DA ESTRUTURA ATÔMICA

 Os átomos são extremamente pequenos .


 Uma unidade de comprimento conveniente para
expressar dimensões atômicas é o angström (Å
Å)
-10
 Um angström é igual a 10 m.
 Os átomos têm diâmetros na ordem de 1-5 Å.
 Osdiâmetros de núcleos atômicos são da ordem
-4
de 10 Å.
A VISÃO MODERNA DA ESTRUTURA ATÔMICA
NÚMERO ATÔMICO
o O número de prótons no núcleo de um átomo
determina a identidade do átomo.
o Cada elemento tem portanto, um número
atômico (Z) entre 1 e 144, que é igual ao
número de prótons no núcleo de um átomo
daquele elemento.
o Átomos neutros contêm exatamente o número
de elétrons necessários para equilibrar a carga
do núcleo.
A VISÃO MODERNA DA ESTRUTURA ATÔMICA
NÚMERO ATÔMICO

 Osátomos de um dado elemento cujo número de


nêutrons difere são chamados isótopos
isótopos.
12 12
O símbolo 6C ou simplesmente C representa
o átomo de carbono com seis prótons e seis
nêutrons.
O número de prótons, chamado número atômico,
é mostrado pelo índice inferior.
O índice superior é chamado de número de
massa.
A VISÃO MODERNA DA ESTRUTURA ATÔMICA
NÚMERO DE MASSA

O núcleo de um átomo também é descrito por


um número de massa (A) que é a soma do
número de prótons e nêutrons no núcleo.

A diferença entre o número de massa e o número


atômico de um átomo é, portanto, igual ao
número de nêutrons no núcleo daquele átomo.
A VISÃO MODERNA DA ESTRUTURA ATÔMICA

 Número atômico (Z) = número de prótons no


núcleo.

 Número de massa (A) = número de prótons e


nêutrons .

 Por convenção, para um elemento X, escreve-se:


AX
Z
A VISÃO MODERNA DA ESTRUTURA ATÔMICA
ISÓTOPOS

 Átomos com o mesmo número atômico, mas


números diferentes de nêutrons, são chamados de
isótopos.
isótopos

 Isótopos são dois ou mais átomos que possuem


mesmo número atômico (Z) e diferentes números de
massa (A)

 Ex.: O carbono tem três isótopos que ocorrem


naturalmente: 12C (6 prótons e 6 nêutrons), 13C (6
prótons e 7 nêutrons) e 14C (6 prótons e 8 nêutrons).
A VISÃO MODERNA DA ESTRUTURA ATÔMICA
ISÓBAROS E ISÓSTONOS

 Isóbaros
Isóbaros: são dois ou mais átomos que possuem
mesmo número de massa (A) e diferentes
números atômicos (Z).

Ex.: 146C e 147N

 Isótonos
Isótonos: são dois ou mais átomos que possuem
mesmo número de nêutrons (N) e diferentes
números atômicos (Z) e de massa (A).

Ex.: 136C e 147N


PESO ATÔMICO OU MASSA ATÔMICA
A ESCALA DE MASSA ATÔMICA

 Quando lidamos com massas extremamente


pequenas é conveniente usar a unidade de
massa atômica (u).
-24
1 u = 1,66054 x 10 g
23
1 g = 6,02214 x 10 u

A u é atualmente definida fixando uma massa


12
de exatamente 12 u para o isótopo C de
carbono.
PESO ATÔMICO OU MASSA ATÔMICA
MASSAS ATÔMICAS MÉDIAS

A maioria dos elementos são encontrados na


natureza como mistura de isótopos.

 Podemos determinar a massa atômica média


de um elemento usando as massas de seus
vários isótopos e suas abundâncias relativas.

A massa atômica média de cada elemento é


também conhecida como seu peso atômico
atômico.
A TABELA PERIÓDICA
o A organização dos elementos em ordem
crescente de número atômico, com elementos
tendo propriedades similares colocados nas
colunas verticais, é conhecida como tabela
periódica.
periódica
A TABELA PERIÓDICA
A TABELA PERIÓDICA
o As colunas na tabela periódica chamam-se
grupos ou famílias (numeradas de 1A a 8A ou
de 1 a 18).
o Elementos que pertencem ao mesmo grupo
geralmente apresentam algumas similaridades
em suas propriedades físicas e químicas porque
apresentam o mesmo tipo de organização dos
elétrons na periferia dos átomos.
o As linhas na tabela periódica chamam-se
períodos.
períodos
A TABELA PERIÓDICA

o Os metais estão localizados no lado esquerdo


da tabela periódica (a maioria dos elementos
são metais).

o Os não
não--metais estão localizados na parte
superior do lado direito da tabela periódica.

o Os elementos com propriedades similares, tanto


com os metais quanto com os não-metais, são
chamados metalóides e estão localizados no
espaço entre os metais e os não-metais.
A TABELA PERIÓDICA
o Alguns dos grupos na tabela periódica recebem
nomes especiais.
o Estes nomes indicam as similaridades entre os
membros de um grupo:
o Grupo 1A: Metais Alcalinos
o Grupo 2A: Metais Alcalinos Terrosos
o Grupo 6A: Calcogênios
o Grupo 7A: Halogênios
o Grupo 8A: Gases Nobres
MOLÉCULAS E COMPOSTOS MOLECULARES

o O átomo é a menor amostra representativa de


um elemento, mas somente os gases nobres são
normalmente encontrados na natureza como
átomos isolados.

o A maior parte da matéria é composta de


íons as quais são formadas por
moléculas ou íons,
átomos.

o Moléculas são reuniões de dois ou mais átomos


ligados firmemente entre si.
MOLÉCULAS E COMPOSTOS MOLECULARES
MOLÉCULAS E FÓRMULAS QUÍMICAS

o Muitos elementos são encontrados na natureza


na forma molecular; isto é, dois ou mais átomos
do mesmo tipo estão ligados entre si.

o Cada molécula tem uma fórmula química.


química

o A fórmula química indica:

o quais átomos são encontrados na molécula e

o em qual proporção eles são encontrados.


MOLÉCULAS E COMPOSTOS MOLECULARES
MOLÉCULAS E FÓRMULAS QUÍMICAS
o Ex.: o oxigênio encontrado normalmente no ar,
compõe-se de moléculas que contêm dois átomos
de oxigênio.
o Representa-se a fórmula molecular do oxigênio
pela fórmula química O2.
o A molécula constituída de dois átomos é
chamada de molécula diatômica
diatômica.
o Os elementos em geral encontrados como
moléculas diatômicas são hidrogênio, oxigênio,
nitrogênio e halogênios.
MOLÉCULAS E COMPOSTOS MOLECULARES
MOLÉCULAS E FÓRMULAS QUÍMICAS
MOLÉCULAS E COMPOSTOS MOLECULARES
MOLÉCULAS E FÓRMULAS QUÍMICAS

o Compostos formados a partir de moléculas


são compostos moleculares e contêm mais
de um tipo de átomo.

o Ex.: H2O

o A maioria das substâncias moleculares que


encontraremos contém apenas não-metais
MOLÉCULAS E COMPOSTOS MOLECULARES
FÓRMULAS MOLECULARES E MÍNIMAS

 Fórmulas químicas que indicam os números e


tipos efetivos de átomos em uma molécula são
chamadas fórmulas moleculares.
moleculares

 Ex.: H2O, CO2, CO, CH4, H2O2, O2, O3 e C2H4.

 Fórmulas químicas que dão somente os números


relativos de átomos de cada tipo em uma
molécula são chamadas fórmulas mínimas.
mínimas
MOLÉCULAS E COMPOSTOS MOLECULARES
FÓRMULAS MOLECULARES E MÍNIMAS
MOLÉCULAS E COMPOSTOS MOLECULARES
FÓRMULAS MOLECULARES E MÍNIMAS

 Os índices inferiores em uma fórmula mínima


são sempre os menores números inteiros
proporcionais possíveis.

 Ex.: Peróxido de Hidrogênio

Fórmula molecular: H2O2

Fórmula mínima: HO
ÍONS E COMPOSTOS IÔNICOS

 Os átomos podem facilmente ganhar ou perder


elétrons.

 Se elétrons são removidos ou adicionados a um


átomo neutro, uma partícula carregada chamada
íon é formada.

 Um íon com carga positiva é chamado de cátion


cátion;

 Um íon com carga negativa é chamado de ânion


ânion.
ÍONS E COMPOSTOS IÔNICOS
o Quando um átomo ou uma molécula perde
elétrons, eles ficam com carga positiva – Cátion
Cátion.
o Ex.: quando o Na perde um elétron, ele se
transforma em Na+.
o Quando um átomo ou uma molécula ganha
elétrons, eles ficam com carga negativa – Ânion
Ânion.
o Ex.: quando o Cl ganha um elétron ele se
transforma em Cl-.
o Importante: Um átomo ou uma molécula pode
perder mais de um elétron.
ÍONS E COMPOSTOS IÔNICOS
PREVISÃO DAS CARGAS IÔNICAS
 Muitos átomos ganham ou perdem elétrons para
que fiquem com o mesmo número de elétrons do
gás nobre mais próximo deles na tabela periódica.

 Ex.: a perda de um elétron do átomo de sódio


deixa-o com o mesmo número de elétrons do
átomo neutro de neônio.

A tabela periódica é muito útil para lembrar as


cargas dos íons, especialmente daqueles
elementos à esquerda e à direita da tabela.
ÍONS E COMPOSTOS IÔNICOS
PREVISÃO DAS CARGAS IÔNICAS

Em geral
geral::

Átomos metálicos tendem a perder elétrons para

se transformarem em cátions; íons não-metálicos

tendem a ganhar elétrons para formarem ânions.

O número de elétrons que um átomo perde está

relacionado com a sua posição na tabela periódica.


ÍONS E COMPOSTOS IÔNICOS
PREVISÃO DAS CARGAS IÔNICAS

-
- -
- -
ÍONS E COMPOSTOS IÔNICOS
COMPOSTOS IÔNICOS
Grande parte da química envolve a transferência de
elétrons entre substâncias. Íons são formados quando um
ou mais elétrons se transferem de um átomo neutro para
outro.
Exemplo:
Exemplo:
– Para formar o NaCl, o átomo de sódio neutro, Na,
deve perder um elétron para se transformar em um
cátion: Na+.
– O elétron não pode ser totalmente perdido, dessa
forma ele é transferido para um átomo de cloro, Cl,
que então se transforma em um ânion: o Cl-.
– Os íons Na+ e Cl- ligam-se para formar o cloreto de
sódio (NaCl), mais conhecido como sal de cozinha.
ÍONS E COMPOSTOS IÔNICOS
COMPOSTOS IÔNICOS
ÍONS E COMPOSTOS IÔNICOS
COMPOSTOS IÔNICOS

O cloreto de sódio é um exemplo de composto


iônico,
iônico que contém tanto íons carregados
positiva quanto negativamente.

 De maneira geral, podemos dizer se um composto


é iônico (constituído de íons) ou molecular
(formado por moléculas) a partir de sua
composição.

 Normalmente, cátions são íons metálicos,


enquanto ânions são íons não-metálicos.
ÍONS E COMPOSTOS IÔNICOS
COMPOSTOS IÔNICOS

 Consequentemente:

Compostos iônicos são em geral combinações


de metais e não-metais, como em NaCl.

Compostos moleculares são quase sempre


constituídos somente de não-metais,

como no H2O.
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS IÔNICOS

 Compostos iônicos geralmente constituem-se de


combinações químicas de metais e não
não--metais.
metais

 Os metais formam os íons positivos e os não-


metias os negativos.

 Examinaremos a nomenclatura dos íons


positivos e, em seguida, a dos íons negativos.
Depois agruparemos os nomes dos íons para
identificar o composto iônico como um todo.
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS IÔNICOS

1- Íons positivos (cátions)

(a) Os cátions formados de átomos de um metal


têm o mesmo nome do metal.
+ 2+
Ex.: Na - íon sódio Zn - íon zinco

Íons formados a partir de um único átomo são


chamados íons monoatômicos
monoatômicos.
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS IÔNICOS

(b) Se um metal pode formar cátions de


diferentes cargas, a carga positiva é
indicada pelo número romano entre
parênteses depois do nome do metal.

Fe2+ - íon ferro(II


II) Cu+ - íon cobre(II)

Fe3+ - íon ferro(III


III) Cu2+ - íon cobre(II
II)

Íons com diferentes cargas exibem diversas


propriedade e cores.
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS IÔNICOS

A maioria dos metais com cargas variáveis são


transição. As cargas desses íons são
metais de transição
indicadas pelos números romanos.

 Um método mais antigo e ainda muito utilizado


para distinguir entre dois íons de um metal
carregados diferentemente é adicionar a
terminação –oso ou –ico.
ico Essas terminações
representam as cargas mais baixas e mais altas
dos íons de um metal, respectivamente.
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS IÔNICOS

 Elas são adicionadas à raiz dos nomes latinos dos


elementos:

Fe2+ - íon ferroso Cu+ - íon cuproso

Fe3+ - íon férrico Cu2+ - íon cúprico


NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS IÔNICOS

(c) Cátions formados por átomos não-metálicos


têm nomes terminados em – ônio:
ônio

NH4+ - íon amônio H3O+ - íon hidrônio

Esses íons são poliatômicos (composto por


muitos átomos).

Os nomes e fórmulas de alguns dos cátions


mais comuns estão relacionados na tabela
seguinte.
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS IÔNICOS
2- Íons negativos (ânions)
(a) Ânions monoatônicos têm nomes formados
pela substituição da terminação do nome do
elemento por –eto ou –ido
ido:
- 2- 3-
H - íon hidreto O - íon óxido
ido N - íon nitreto
Alguns ânions poliatômicos simples também
têm seus nomes terminados em –eto ou –ido
ido:
- - 2-
OH - íon hidróxido CN - íon cianeto O2 - íon peróxido
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS IÔNICOS

(b) Ânions poliatômicos contendo oxigênio têm


seus nomes terminados em –ato ou –ito.
ito
Esses ânions são chamado oxiânions.

A terminação –ato é usada para a maioria


dos oxiânions comuns de um elemento.

A terminação –ito é usada para um


oxiânion que tem a mesma carga, mas um
átomo de O a menos.
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS IÔNICOS
- 2-
NO3 - íon nitrato
ato SO4 - íon sulfato
ato
- 2-
NO2 - íon nitrito
ito SO3 - íon sulfito
ito
 Os prefixos são usados quando uma série de
oxiânions de um elemento se amplia para
quatro membros, como no caso dos halogênios.
 O prefixo per
per–– indica um átomo de O a mais
que o oxiânion terminado em –ato
ato; o prefixo
hipo–
hipo – indica um átomo de O a menos que o
oxiânion terminado em –ito:
ito
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS IÔNICOS
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS IÔNICOS

(c) Ânions derivados da adição de H+ a um


oxiânion têm seu nome formado pela adição
da palavra hidrogeno ou dihidrogeno
como um prefixo, como apropriado.
2-
CO3 - íon carbonato
ato
-
HCO3 - íon hidrogeno ato (bicarbonato)
hidrogenocarbonato
3-
PO4 - íon fosfato
ato
-
H2PO4 - íon dihidrogeno ato
dihidrogenofosfato
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS IÔNICOS
2- Compostos Iônicos
Os nomes dos compostos iônicos consistem do
nome do ânion seguido da preposição ‘de’ e do
nome do cátion:

CaCl2 – cloreto de cálcio


Al(NO3)3 – nitrato de alumínio
Cu(ClO4)2 – perclorato de cobre(II)
(ou perclorato cúprico)
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DOS ÁCIDOS
 Ácidos são uma importante classe de compostos
que contêm hidrogênio, e seus nomes são dados
de maneira especial.

 Podemos considerar um ácido como sendo


constituído de um ânion ligado a um número
suficiente de íons H+ capazes de neutralizar ou
balancear a carga do ânion.

O nome do ácido está relacionado ao nome de seu


ânion.
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DOS ÁCIDOS

1- Ácidos derivados de ânions cujos nomes


terminam em –eto.
eto

 Ânions cujos nomes terminam em –eto têm o


ácido associado com uma terminação –ídrico
ídrico:

Ânion Ácido correspondente

Cl- (cloreto
eto) HCl (ácido clorídrico)
S2- (sulfeto
eto) H2S (ácido sulfídrico)
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DOS ÁCIDOS

2- Ácidos derivados de ânions cujos nomes


terminam em –ato ou –ito.
ito

 Ânions cujos nomes terminam em –ato têm seu


ácido associado com uma terminação –ico,
ico
enquanto ânions cujos nomes terminam em –ito
têm seu ácido associado com a terminação –oso
oso.

 Prefixos nos nomes dos ânions são mantidos no


nome dos ácidos.
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DOS ÁCIDOS

2- Ácidos derivados de ânions cujos nomes


terminam em –ato ou –ito.
ito

Ânion Ácido correspondente

ClO4- (perclorato
ato) HClO4 (ácido perclórico)
ClO3- (clorato
ato) HClO3 (ácido clórico)
ClO2- (clorito
ito) HClO2 (ácido cloroso)
ClO- (hipoclorito
ito) HClO (ácido hipocloroso)
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS MOLECULARES BINÁRIOS
 Os procedimentos usados para dar nome a
compostos moleculares binários (dois
elementos) são similares àqueles usados para dar
nomes aos compostos iônicos:

1- O símbolo do elemento mais à esquerda da


tabela periódica é sempre escrito primeiro na
fórmula química.

Exceção:: O oxigênio é sempre escrito por último na


Exceção
fórmula química, exceto quando combinado com o flúor.
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS MOLECULARES BINÁRIOS

2- Quando ambos os elementos estão no mesmo


grupo da tabela periódica, o símbolo do elemento
mais abaixo do grupo aparece primeiro.

3- O elemento à direita na fórmula química do


composto recebe o nome com a terminação –eto
(exceto para o oxigênio que usa-se –ido
ido) seguido
da preposição de.
de
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS MOLECULARES BINÁRIOS

4- Acrescenta-se o nome do elemento que aparece


primeiro na fórmula química logo após a
preposição de.

5- Prefixos gregos são utilizados para indicar o


número de átomos de cada elemento.

O prefixo mono
mono-- nunca é usado com o segundo
elemento da fórmula química.
NOMENCLATURA DE COMPOSTOS INORGÂNICOS
NOMES E FÓRMULAS DE COMPOSTOS MOLECULARES BINÁRIOS

Ex
Ex.:
.:

Cl2O – monó
monóxido de dicloro
di

N2O4 – tetró
tetróxido de dinitrogênio
di

NF3 – tri
trifluoreto de nitrogênio

P4S10 – deca
decassulfeto de tetra
tetrafósforo