Você está na página 1de 9

ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS ALUNOS DOS CURSOS DE

ENGENHARIA DO UNICENP NA DISCIPLINA DE CÁLCULO


DIFERENCIAL E INTEGRAL

Júlio Gomes, Professor do Centro Universitário Positivo – UnicenP


Av. N. S. da Aparecida, 174, Curitiba, 80440-000, civil@unicenp.br

Resumo

O Centro Universitário Positivo – UnicenP inaugurou cursos de Engenharia Civil,


Engenharia da Computação, Engenharia Elétrica e Engenharia Mecânica, cujos objetivos e
filosofia de concepção são abordados em outro trabalho neste Congresso (Tozzi et al.,
1999). O presente artigo tem por finalidade discutir o desempenho dos alunos dos referidos
cursos na primeira avaliação bimestral da disciplina de Cálculo Diferencial e Integral. O
artigo faz uma comparação entre os desempenhos apresentados na avaliação realizada após
um curso de nivelamento de 20 horas-aula; em uma auto-avaliação realizada duas semanas
antes da primeira avaliação bimestral; e na primeira avaliação bimestral. A análise é feita
pela comparação de médias e desvios-padrão e através da correlação das notas,
considerando-se os resultados obtidos nas três avaliações. São apresentadas as questões
abordadas na auto-avaliação e na primeira avaliação bimestral. Apresenta-se, também, uma
análise comparativa do desempenho dos alunos participantes de grupo de discussão de
exercícios em relação aos demais alunos. Procurou-se, deste modo, estabelecer um
panorama geral do desempenho dos alunos e avaliar a eficácia de procedimentos como:
auto-avaliação e reuniões para discussão de exercícios; sobre os resultados apresentados na
primeira avaliação bimestral de Cálculo Diferencial e Integral.

1) Introdução

O presente artigo apresenta uma avaliação do desempenho dos alunos dos cursos de
Engenharia Civil, Engenharia da Computação, Engenharia Elétrica e Engenharia Mecânica
do Centro Universitário Positivo - UnicenP na primeira avaliação bimestral da disciplina
de Cálculo Diferencial e Integral I e II. A análise do desempenho dos alunos foi feita pela
comparação entre os desempenhos apresentados na avaliação realizada após um curso de
nivelamento de 20 horas-aula; em uma auto-avaliação realizada duas semanas antes da
primeira avaliação bimestral; e na primeira avaliação bimestral. Foram comparadas as
médias e desvios-padrão das notas das três avaliações. Procedeu-se, também, uma análise
de correlação das notas obtidas nas referidas avaliações.

2) Curso de Nivelamento

Como abordado mais especificamente em outro artigo apresentado neste Congresso


(Dziedzic et al., 1999), os alunos do primeiro ano dos cursos de Engenharia Civil,
Engenharia da Computação, Engenharia Elétrica e Engenharia Mecânica do UnicenP
participaram nas duas primeiras semanas de aula de um curso de Nivelamento em
Matemática com uma carga horária de 20 horas-aula. O conteúdo básico do curso de
nivelamento compreendeu: Conjuntos numéricos; Aritmética básica; Potenciação e
radiciação; Logaritmos; Expressões algébricas; Trigonometria; Funções; Equações;
Matrizes; Sistemas de equações lineares e Inequações. Ao final do curso de nivelamento,

1067
os alunos foram submetidos a uma avaliação cujo conteúdo e resultados são apresentados
por Dziedzic et al. (1999).

1068
3) Grupos de Discussão de Exercícios

Em função do resultado e das deficiências apresentadas na avaliação realizada após


o curso de nivelamento, foram criados grupos de discussão de exercícios com o objetivo de
melhorar o desempenho dos alunos. A adesão aos grupos de discussão foi voluntária, já
que procurou-se caracterizar os grupos como atividade extra-classe. Em função do número
de alunos interessados em participar dos grupos de discussão de exercícios, estabeleceu-se
que os alunos de Engenharia da Computação e Engenharia Mecânica se reuniriam às
terças-feiras (14:00 h às 16:00 h) e que os alunos de Engenharia Civil e Engenharia
Elétrica se reuniriam às quartas-feiras (14:00 h às 16:00 h). Deve-se destacar que as
reuniões dos grupos de discussão não representaram aulas adicionais e nem aulas de
resolução dos exercícios. Os próprios alunos resolveram os problemas sugeridos em sala
de aula e trocaram informações. A função do Professor foi comentar as soluções e
encaminhar a solução dos problemas não resolvidos pelos alunos. Ao longo do primeiro
bimestre foram realizadas quatro reuniões dos grupos de discussão de exercícios.
A Tabela 01 apresenta o acompanhamento da participação dos alunos nos grupos de
discussão de exercícios. São apresentados: o número de alunos dos cursos de Engenharia
Civil, Engenharia da Computação, Engenharia Elétrica e Engenharia Mecânica; a
freqüência dos alunos por número de participações; a freqüência média de alunos; e a taxa
de participação em relação a cada curso.

Tabela 01. Acompanhamento da participação dos alunos nos grupos de discussão de


exercícios.
Curso Número de Participações dos Freqüência média de alunos Taxa de
alunos alunos nos grupos de nos grupos de discussão de participação
(1) discussão de exercícios exercícios (%)
(2) (1)/(2)
Engenharia Civil 62 1 (4 participações) 14,50 23,4
5 (3 participações)
14 (2 participações)
11 (1 participação)
Engenharia da 59 1 (4 participações) 5,75 9,7
Computação 2 (3 participações)
3 (2 participações)
7 (1 participação)
Engenharia 18 2 (3 participações) 3,25 18,1
Elétrica 3 (2 participações)
1 (1 participação)
Engenharia 44 3 (4 participações) 9,00 20,5
Mecânica 5 (3 participações)
1 (2 participações)
7 (1 participação)

4) Auto-avaliação

Uma das deficiências observadas na avaliação do curso de nivelamento foi a


dificuldade dos alunos em apresentar o desenvolvimento matemático utilizado para a
solução de um determinado problema. Em alguns casos, o aluno apresentava somente a
resposta, ou seja, um número, sem mostrar o raciocínio empregado. Com o objetivo de
destacar a importância da apresentação do desenvolvimento matemático e proporcionar ao
aluno uma oportunidade de verificação da assimilação do conteúdo abordado, realizou-se,
duas semanas antes da primeira avaliação, um teste denominado de auto-avaliação. O teste,
composto de dez questões valendo 1,0 ponto cada, é apresentado no Anexo 01.

1069
O teste foi aplicado para todos os cursos sem aviso prévio e foi corrigido pelo
próprio aluno. A correção foi feita sob duas formas. Uma primeira forma, denominada
sem raciocínio, na qual a solução da questão só poderia ser considerada errada (zero ponto)
ou certa (1 ponto) e uma segunda forma, denominada com raciocínio, na qual o valor
dado à solução de cada questão poderia ser zero, 0,5 (meio ponto) e 1.
Para o aluno poder atribuir uma nota nesta segunda forma de correção, foram
apresentadas cinco alternativas para cada problema, uma verdadeira e quatro falsas. As
alternativas falsas apresentavam uma lógica em sua construção, eram provenientes de erros
básicos, passíveis de ocorrerem em um situação de pressão como, por exemplo, uma
avaliação bimestral. O aluno verificava se a sua resposta era equivalente a alguma das
alternativas propostas. No caso da resposta ser equivalente à alternativa verdadeira, o aluno
atribuía 1,0 ponto à questão; se a resposta fosse equivalente a uma das alternativas falsas, o
aluno atribuía 0,5 ponto à questão; e, caso o aluno não conseguisse identificar a sua
resposta em nenhuma das cinco alternativas propostas, sua questão era considerada
totalmente errada e era atribuído 0 (zero) à questão. Como feedback, depois da atribuição
da nota, os alunos foram divididos em dez grupos e cada grupo ficou responsável pela
solução e explanação da solução de uma das questões do teste de auto-avaliação para os
demais alunos.

5) Primeira Avaliação Bimestral

O texto adotado como base para o estudo da disciplina Cálculo Diferencial e


Integral foi o apresentado em Swokowski (1994). O conteúdo ministrado no primeiro
bimestre abordou os dois primeiros capítulos da referência citada e constituiu-se de uma
revisão pré-cálculo (capítulo 01), relativa a álgebra e a funções, e do estudo de limites
(capítulo 02).
A primeira avaliação bimestral, apresentada no Anexo 02, foi elaborada procurando
verificar o nível de aprendizagem dos seguintes conceitos:
− Revisão pré-cálculo: resolução de equação do 2° grau, distância entre pontos,
ponto médio de um segmento de reta, equação da reta, equação do círculo e
função composta;
− Limites: conceito de limite, limites laterais, existência do limite, propriedades
de limites, operações com limites, limites que envolvem infinito,
indeterminações, continuidade de funções e teorema do valor intermediário.

6) Análise Comparativa do Desempenho dos Alunos

A análise comparativa do desempenho dos alunos foi feita através dos valores de
média e desvio-padrão das três avaliações realizadas, conforme apresentados na Tabela 02.
As estatísticas referentes à auto-avaliação foram calculadas considerando-se as notas
obtidas através da segunda forma de correção, como descrita no item 4.
Analisando-se os valores apresentados na Tabela 02, verifica-se que as menores
médias dos quatro cursos foram obtidas na auto-avaliação, o que era esperado pelo fato de
ter sido uma avaliação feita sem nenhum aviso prévio. Comparando-se as médias
apresentadas na avaliação de nivelamento e na primeira avaliação bimestral, verifica-se
uma melhoria do desempenho dos alunos. Destaca-se, também, que o conteúdo abordado
na primeira avaliação bimestral é de maior complexidade em comparação ao abordado na
avaliação de nivelamento.
A auto-avaliação foi importante por propiciar a discussão sobre a importância da
forma de apresentação da solução das questões e por fornecer ao aluno um panorama do
1070
seu estágio de aprendizado em relação ao conteúdo já apresentado da disciplina. De modo
geral, houve uma significativa melhoria na apresentação das soluções das questões.

Tabela 02. Comparação do desempenho dos alunos na avaliação do nivelamento, na auto-


avaliação e na primeira avaliação bimestral
Nivelamento Auto-Avaliação Primeira Bimestral
Curso média desvio- média desvio- média desvio-
padrão padrão padrão
Engenharia Civil 5,6 2,3 3,3 1,4 6,1 2,3
Engenharia da 4,8 2,3 4,0 2,2 5,4 2,7
Computação
Engenharia Elétrica 5,1 2,7 4,5 2,0 6,2 2,6
Engenharia Mecânica 4,5 2,2 3,2 1,8 5,1 2,6

Procedeu-se, também, uma análise das correlações entre as notas da avaliação do


nivelamento, da auto-avaliação e da avaliação bimestral, como apresentadas nas Figuras 01
a 03. Em cada uma das figuras, apresenta-se uma reta de mesmo desempenho,
representando uma situação hipotética, na qual os desempenhos, apresentados nas
avaliações que estão sendo comparadas, são idênticos, servindo como elemento auxiliar de
análise.
10
9 reta de mesmo desempenho
8 correlação das notas

7
Auto avaliação

6
5
4

3
2

1
0
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Avaliação do nivelamento

Figura 01. Comparação das notas da avaliação do nivelamento e da auto-avaliação

Verifica-se, pela análise da Figura 01, que o desempenho dos alunos na auto-
avaliação foi inferior ao apresentado no nivelamento. Explica-se pela complexidade
crescente do conteúdo abordado e, principalmente, por ter-se aplicado o teste de auto-
avaliação sem aviso prévio, como já mencionado anteriormente. É importante destacar a
melhoria de desempenho dos alunos que haviam obtido nota inferior a 2,0 na avaliação do
nivelamento.
Verifica-se, pela análise da Figura 02, que o desempenho dos alunos na avaliação
bimestral foi superior ao apresentado na auto-avaliação. Destaca-se, novamente, a eficácia
da auto-avaliação em mostrar a importância de apresentar-se o desenvolvimento
matemático da solução das questões e não apenas a "resposta" das questões. A auto-
avaliação também amenizou o impacto inicial de uma primeira avaliação, onde o aluno não
tem ainda uma noção do modo pelo qual o conteúdo abordado pode ser questionado.

1071
10

Avaliação bimestral
7

2 reta de mesmo desempenho


correlação das notas
1

0
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Auto avaliação

Figura 02. Comparação das notas da auto-avaliação e da avaliação bimestral

10
9

8
Avaliação bimestral

6
5
4

3
2
reta de mesmo desempenho
1
correlação das notas
0
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Avaliação do nivelamento

Figura 03. Comparação das notas da avaliação do nivelamento e da avaliação


bimestral

Verifica-se, pela análise da Figura 03, que, de modo geral, o desempenho dos
alunos na avaliação bimestral foi superior ao apresentado no nivelamento. Destaca-se que a
melhoria do desempenho foi mais significativa para os alunos que haviam obtido as notas
mais baixas no nivelamento, mostrando um aspecto positivo de recuperação destes alunos.
Para alguns alunos que haviam obtido notas altas no nivelamento e tiveram um pior
desempenho na avaliação bimestral, explica-se pela complexidade crescente do conteúdo e
pela dificuldade em se manter sempre um alto desempenho.

7) Análise do Desempenho dos Alunos Participantes dos Grupos de Discussão

A análise do desempenho dos alunos participantes dos grupos de discussão de


exercícios foi feita pela comparação das médias obtidas nas três avaliações em relação às
médias apresentadas pelas turmas dos seus respectivos cursos, apresentadas na Tabela 03.
As médias dos grupos de discussão foram obtidas através de um cálculo de média
ponderada, utilizando-se como ponderadores o número de participações de cada aluno nas
reuniões de discussão de exercícios.

1072
Tabela 03. Comparação da média das notas dos alunos dos grupos de discussão em relação
às respectivas turmas
Nivelamento Auto-Avaliação Primeira Bimestral
Curso Turma grupo de turma grupo de turma grupo de
discussão discussão discussão
Engenharia Civil 5,6 5,3 3,3 3,3 6,1 6,4
Engenharia da 4,8 5,6 4,0 4,2 5,4 5,5
Computação
Engenharia Elétrica 5,1 4,4 4,5 3,1 6,2 6,0
Engenharia Mecânica 4,5 3,6 3,2 2,2 5,1 5,6

Analisando-se os valores apresentados na Tabela 03, verifica-se que os grupos de


discussão foram eficazes para as turmas de Engenharia Civil, Mecânica e Elétrica. No
curso de Engenharia Civil, a nota média da turma aumentou de 5,6 (nivelamento) para 6,1
(avaliação bimestral), enquanto que a média do grupo de discussão aumentou de 5,3 para
6,4. No curso de Engenharia Mecânica, a nota média da turma aumentou de 4,5
(nivelamento) para 5,1 (avaliação bimestral), enquanto que a média do grupo de discussão
aumentou de 3,6 para 5,6. Já no curso de Engenharia Elétrica, a nota média da turma
aumentou de 5,1 (nivelamento) para 6,2 (avaliação bimestral), enquanto que a média do
grupo de discussão aumentou de 4,4 para 6,0.
Em relação ao curso de Engenharia da Computação, a nota média da turma
aumentou de 4,8 (nivelamento) para 5,4 (avaliação bimestral), enquanto que a média do
grupo de discussão diminuiu de 5,6 para 5,5. Esta diferença de comportamento em relação
aos outros cursos pode ser explicada em parte por dois fatores. Conforme apresentado na
Tabela 01, o curso de Engenharia da Computação foi o que apresentou a menor taxa de
participação nos grupos de discussão e, dentro do grupo de discussão, houve a participação
de alunos que tiveram excelente desempenho no nivelamento e que, de forma natural,
tiveram um ligeira queda de desempenho na avaliação bimestral.

8) Conclusões

A análise dos resultados apresentados permitiu verificar a melhoria de desempenho


dos alunos dos cursos de Engenharia do UnicenP na primeira avaliação bimestral em
relação à avaliação feita após o curso de nivelamento. A realização de uma auto-avaliação
foi importante por propiciar a discussão sobre a importância da apresentação do
desenvolvimento matemático utilizado para a solução das questões, por fornecer ao aluno
um panorama do seu nível de aprendizado em relação ao conteúdo abordado e por diminuir
o impacto inicial de uma primeira avaliação, onde não se sabe, a princípio, a forma pela
qual o conteúdo vai ser avaliado. Finalmente, verificou-se a eficácia dos grupos de
discussão de exercícios no aumento das notas médias das turmas em geral e na recuperação
de alunos que haviam obtido um desempenho ruim na avaliação do nivelamento.

Referências Bibliográficas

Dziedzic, M., Krüger, C. M., Gomes, J., Tozzi, M. J., Rodacoski, M. R. Nivelamento em
matemática para os cursos de engenharia do UnicenP. XXVII Congresso Brasileiro
de Ensino de Engenharia, Natal, RN, 1999, 12 a 15 de setembro.
Swokowski, E. W. Cálculo com geometria analítica. 2.ed. São Paulo : Makron Books,
1994
Tozzi, M. J., Dziedzic, M., Ferlin, E. P., Nitsch, J. C., Rodacoski, M. R. Os cursos de
engenharia do Unicenp. XXVII Congresso Brasileiro de Ensino de Engenharia, Natal,
RN, 1999, 12 a 15 de setembro.
1073
Anexo 01 - Teste de auto-avaliação

UnicenP – Centro Universitário Positivo


Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas
Disciplina: Cálculo Diferencial e Integral I e II

Nome: Curso:

AUTO –AVALIAÇÃO
(folha de questões)

Questão 01 (1,0 ponto): Resolva a equação do 2° grau: x2 + 4x + 2 =0.

Questão 02 (1,0 ponto): Dados os pontos A(3, -3) e B(5,1), determine a distância entre A e B e o ponto médio
M.

Questão 03 (1,0 ponto): Determine a equação do círculo com centro C(-4, 6) e passando por P (1, 2).

Questão 04 (1,0 ponto): Determine a equação da reta que passa por A (2, -4) e é paralela à reta 4x – 2y = 4.

Questão 05 (1,0 ponto): Dadas as funções f(x) = x2 – 3 e g ( x) = x + 2 , determine o domínio de (f o g)(x)

Questão 06 (1,0 ponto): Ache os limites:


lim 7 lim x lim (− x) lim (−1)
x → +∞ x →4 x → −3 x →π

Questão 07 (1,0 ponto): Dada a função

 3 
 x , para x < 1 
 
f(x) =  4, para x = 1  . Determine lim− f ( x) ; lim+ f ( x) ; lim f ( x)
  x →1 x →1 x→1
( 3 − x ), para x > 1
 

r2 − r
Questão 08 (1,0 ponto): Ache o limite: lim
r →1 2r + 5r − 7
2

x − 16
Questão 09 (1,0 ponto): Determine o limite: lim
x →16 x −4

3x 3 − x + 1
Questão 10 (1,0 ponto): Determine o limite: lim
x → +∞ 6 x 3 + 2 x 2 − 7

Nota (sem raciocínio): Nota (com raciocínio):

QUESTÃO Sua resposta Nota Nota


(sem raciocínio) (com raciocínio)
01
02
03
04
05
06
07
08
09

1074
10
Anexo 02 - Primeira Avaliação Bimestral

ALUNO_______________________________________CURSO:___________

DISCIPLINA: CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I e II

PROFESSOR: JÚLIO GOMES

DATA:________________________________________NOTA:____________
_
INSTRUÇÕES: Leia atentamente antes de iniciar a prova
- Preencher o cabeçalho da folha de questões;
- Preencher o cabeçalho da folha de respostas (papel com pauta entregue junto com esta folha de
questões);
- Todo o desenvolvimento e as respostas das questões devem ser colocados somente na folha de respostas;
- No desenvolvimento podem ser usados lápis ou caneta tinta azul/preta;
- As respostas devem ser todas escritas com caneta azul/preta;
- Não é permitido o uso de calculadoras;
- As folhas de questões e respostas devem ser entregues juntas ao final da prova

QUESTÕES

Questão 01 (1,0 ponto): Resolva a equação do 2° grau: 2x2 - 6x + 1 =0.

Questão 02 (1,0 ponto): Dadas as funções f(x) = x2 + 1 e g ( x) = x − 4 , determine (f o g)(x) e (g o f)(x)

Questão 03 (1,0 ponto): Determine a equação da reta que passa por A (-1, 2) e é paralela à reta 4x – 2y = 8.

Questão 04 (1,0 ponto): Os pontos A(-4, 3) e B(2, 1) definem o diâmetro de um círculo. Determine a
equação do círculo.

Questão 05 (1,0 ponto): Ache os limites:


lim 1 lim x lim (− x) lim (−1)
x →0 x →π x → −1 x →∞
Questão 06 (1,0 ponto): Dada a função
 
 x 2 , para x < 1 
f(x) =  
(2 x − 1), para x ≥ 1
 
Determine se existe o lim f ( x) e qual o seu valor. Explique o por quê da existência ou não do limite.
x→1

x 2 − 3x + 2
Questão 07 (1,0 ponto): Ache o limite: lim
x →1 x 2 − 6 x + 5

4− x
Questão 08 (1,0 ponto): Determine o limite: lim
x→4 2− x
x3 + 2 x
Questão 09 (1,0 ponto): Determine o limite: lim
x → +∞ 6 x3 − x 2 + 1
Questão 10 (1,0 ponto):
 2 
 x , para x < 1 
 
f(x) =  6, para x = 1  . A função f(x) é contínua no ponto x = 1? Por quê ?
 
(2 − x), para x > 1
 
1075