Você está na página 1de 2

Reforma protestante: causas e consequências

10621 palavras 43 páginas

Exibir mais A REFORMA PROTESTANTE

Causas e consequências

Rafael Schenkel Pereira[1]

Profª Fabiani Ortiz Portella[2]

RESUMO

O presente estudo diz respeito à Reforma Religiosa ocorrida durante o século XVI. Aborda amplamente
aspectos das dimensões sociais, políticas e religiosas da Reforma Protestante e da Contra-Reforma
Católica. O referido trabalho também apresenta o nascimento e o desenvolvimento da Igreja, mostrando
os fatores que levaram à Reforma Protestante. O Presente artigo abordará, ainda, as consequências da
Reforma protestante, tanto para os contemporâneos do século XVI quanto para nós, no século XXI. O
presente trabalho foi desenvolvido a partir de uma pesquisa bibliográfica, chegando à conclusão de que
a Reforma …exibir mais conteúdo…

(FIGUEIRA, 2002, p. 66).

Num primeiro momento os cristãos foram duramente perseguidos pelo Império Romano. Muitos foram
lançados nas arenas para serem devoradores por leões famintos, outros foram presos, terrivelmente
torturados e posteriormente degolados. Neste período, o principal lugar de reunião dos cristãos eram as
catacumbas de Roma (lugares subterrâneos que serviam de cemitérios). Com o passar do tempo, porém,
como os Cristãos enfrentavam com bravura os sofrimentos e o número de adeptos da nova religião só
aumentava, ela acabou sendo aceita pelo imperador romano. Hill (2008, p. 56) argumenta que “Aqueles
que perdiam a vida eram celebrados como mártires”. Ao ver a resistência dos cristãos, muitos pagãos
acabavam se convertendo ao cristianismo. Deste modo as perseguições imperiais contra os cristãos
acabaram tendo um efeito contrário.
A propagação do cristianismo se intensificou no século III, quando teve início o enfraquecimento do
Estado Romano. Foi nesse contexto que o imperador Constantino assinou em 313, o Edito de Milão,
concedendo liberdade religiosa aos cristãos. Finalmente, em 391 o imperador Teodósio reconheceu o
cristianismo como a religião oficial do Império Romano. (FIGUEIRA, 2002, p. 66).

A IMPORTÂNCIA DA REFORMA PROTESTANTE PARA A EVANGELIZAÇÃO MUNDIAL.

A Reforma Protestante foi importante para o cristianismo porque chamou a atenção para verdades
(doutrinas) e práticas bíblicas que haviam sido esquecidas ou distorcidas pela Igreja Medieval. Não foi
um movimento inovador, mas restaurador das convicções e ênfases do cristianismo original. Algumas de
suas principais contribuições foram: retorno às Escrituras; a centralidade de Cristo; a salvação vista como
dádiva da graça de Deus, a ser recebida por meio da fé; a Igreja não é a instituição ou a hierarquia, mas o
povo de Deus – cada cristão é um sacerdote.

Embora tenha sido um movimento predominantemente religioso, a Reforma teve importantes ligações
com as realidades econômicas, políticas e sociais do século 16. Na área econômica, contribuíram para a
Reforma fenômenos como o fim do feudalismo, o desenvolvimento do capitalismo e a crescente
urbanização. Ao contrário da mentalidade católica medieval, os protestantes tinham uma visão positiva
do trabalho, do lucro e das ocupações “seculares”. Suas concepções acerca da pobreza também eram
diferentes. Por outro lado, a Reforma foi um protesto contra a opulência da Igreja Majoritária e suas
contínuas interferências na economia das nações europeias (através de inúmeros impostos eclesiásticos
e outros meios