Você está na página 1de 3

Disciplina optativa [2019/2]:

História Intelectual e Sociologia da Sociologia: em busca de mediações

Responsável: Prof. Dr. Zé Szwako


Docente convidado: Dr. Leonardo Nobrega

Ementa:
O contínuo adensamento das produções dedicadas ao pensamento social brasileiro
parece não ter vindo acompanhado de um incremento, ou de uma superação
metodológica, da disjuntiva entre texto e contexto. No caso das histórias das
Ciências Sociais brasileiras, essa disjuntiva ficou expressa na antinomia entre uma
sociologia da cultura (i.e., da institucionalização de campos disciplinares e do
investimento biográfico dos supostos ‘heróis’ que teriam instaurado tais campos) e
uma sociologia dos intelectuais (i.e., de suas obras e ideias, e dos momentos e
argumentos dessas obras e ideias). Este curso parte de diferentes paradigmas de
elaboração teórica (a saber: história cultural, sociologia da ciência e nova sociologia
das ideias) que, na interface com a história intelectual, podem fornecer alternativas
de objetos e abordagens àquela disjuntiva. Além das três partes intermediárias
dedicadas às contribuições de cada um desses paradigmas, o curso é composto por
uma abertura e por um fechamento. À abertura, são discutidos modelos hoje
consagrados de interpretação da vida intelectual (nessa ordem: Williams, Manhheim,
Ringer, Schorske, Bourdieu), ao passo que no fechamento são discutidas duas
celeumas que foram, no Brasil, protagonizadas pelos ditos ‘heróis’ (Ramos e
Fernandes) e pela pugna de dois intérpretes de nossas Ciências Sociais (Pecaut e
Miceli). No seu todo, nas interfaces de uma história intelectual renovada, o curso
busca por mediações textuais e, sobretudo, extratextuais frente às quais o chamado
‘contexto’ não gira em falso ao redor de uma noção como a de ‘campo’. Tais
mediações, esperamos, podem ser encontradas seguindo a inspiração daqueles
paradigmas: i) no mundo das editoras e dos livros e revistas, de seus leitores, suas
leituras e sociabilidades; ou também ii) na infraestrutura tecnocientífica e nas redes
sociotécnicas que engendram a divisão do trabalho científico e seus achados; ou
ainda iii) nos ideais e projetos, nas apostas e projeções elaboradas por grupos e redes
de pesquisadores que, organizados não só na Universidade mas também na
sociedade civil e em aparelhos de Estado, se engajam em verdadeiras batalhas
político-científico-intelectuais como se fossem... movimentos sociais.

Formulação do problema [6 encontros]

WILLIAMS, R. Cultura. Paz e Terra, 2000.

WILLIAMS, R. Materialismo e cultura. Unesp, 2011.

MANNHEIM, K. Sociologia da cultura. São Paulo: Perspectiva, 1974.

RINGER, Fritz K. O Declínio dos Mandarins Alemães: a comunidade acadêmica alemã,


1890-1933. São Paulo: Edusp, 2000.
SCHORSKE, Carl. Viena Fin de siecle. Política e Cultura. Cia das Letras, 1996.

BOURDIEU, P. Ontologia política de M. Heidegger. Papirus, 1992.

BOURDIEU, P. Homo Academicus. Florianópolis: EdUFSC, 2011.

Leitura complementar
SANTOS, W. G. “A imaginação político-social brasileira”, Dados, nº 2/3, 1967.

1º Paradigma: História cultural [3 encontros]

CHARTIER, R. A história cultural. Entre práticas e representações. Difel, 1990.

DARNTON, R. O beijo de Lamourette. Cia das Letras, 1990. esp. Partes 3 a 5. [A


palavra impressa; Como andam as coisas; Bons vizinhos]

SAPIRO, G. La sociología de la literatura. Fondo de Cultura Económica, 2016, esp.


Cap. 4 [‘Sociología de la recepción].

Leitura complementar

McKENZIE, D. Bibliography and the Sociology of Texts. Cambridge Univ. Press, 1999.

SORÁ, G. Traducir el Brasil: una antropología de la circulación internacional de


ideas. Buenos Aires: Libros del Zorbal, 2001.

2ª Paradigma: Ciência como ethos e como prática: sociologia da ciência,


ontem e hoje [2 encontros]

MERTON, R. Ensaios de sociologia da ciência. Editora 34, 2010.

KUHN, T. A Estrutura das Revoluções Científicas. São Paulo: Perspectiva, 1996.

LATOUR, B. A esperança de Pandora. Ensaios sobre a realidade dos estudos científicos.


Edusc, 2001

LATOUR, B. Reassembling the social. An Introduction to Actor-Network-Theory. Oxford:


Oxford Univ. Press, 2005.

Leitura complementar

PICKERING, P. From Science as Knowledge to Science as Practice. In Science as


Practice and Culture. Chicago Univ. Press, 1992.
3ª Paradigma: Intelectuais qua movimentos sociais. A Nova Sociologia das
Ideias [2 encontros]

CAMIC, Charles; GROSS, Neil. “The New Sociology of Ideas”. In The Blackwell
Companion to Sociology. Londres: Blackwell, 2008

COLLINS, Randall. “Toward a Theory of Intellectual Change: the Social Causes of


Philosophy”. Science, Technology & Human Values, v. 14, n. 2, 1989, pp. 107-40

COLLINS, R. “The Durkheimian movement in France and in world sociology”. In


The Cambridge Companion to Durkheim. Cambridge: Cambridge University Press, 2005

FRICKEL, Scott; GROSS, Neil. (2005) “A General Theory of Scientific/


Intellectual Movements”. American Sociological Review, 70. 2, 204-32.

Fechamento: Sociologia da sociologia brasileira: intelectuais ou ‘heróis’? [2


encontros]

FERNANDES, Florestan. A sociologia no Brasil. Petrópolis, Vozes, 1977.

RAMOS, A. Guerreiro. Introdução crítica à sociologia brasileira. Rio: Andes, 1957

MICELI, Sérgio. (org.). História das Ciências Sociais no Brasil. Vol. 1 & Vol 2. São
Paulo: Editora Sumaré, 2001[1989]; 1995

MICELI, S. Intelectuais brasileiros. O que ler nas Ciências Sociais (1970-1995). Anpocs,
1995.

PÉCAUT, Daniel. Os intelectuais e a política no Brasil. São Paulo: Ática, 1990.

Leitura complementar
IANNI, O. Sociologia da Sociologia. 3ºed. São Paulo: Ática, 1989.

LAHUERTA, Milton. Intelectuais e transição: entre a política e a profissão. Tese de


doutorado. São Paulo: FFLCH-USP, 1999.

MEUCCI, Simone. Institucionalização da sociologia no Brasil: primeiros manuais e


cursos. São Paulo: Hucitec: Fapesp, 2011.

OLIVEIRA, Lucia L. A sociologia do Guerreiro. Rio: UFRJ, 1995.

ROMÃO, Wagner. A experiência do Cesit: sociologia e política acadêmica nos anos


1960. Dissertação (Mestrado em Sociologia), USP, 2003
VIANNA, Luiz W. Em busca de um marco comparativo. Dados, 1994, 37/3, p. 357-
403