Você está na página 1de 465

Marina Faraco, Fernando Zantedeschi, Rodrigo Gonçalves, Bruna Pinotti, Silvana Guimarães,

Camila Cury, Zenaide Auxiliadora Pachegas Branco, Ovidio Lopes da Cruz Netto.

Prefeitura Municipal de Niterói do Estado do Rio de Janeiro

NITERÓI-RJ
Guarda Civil Municipal
JN054-19
Todos os direitos autorais desta obra são protegidos pela Lei nº 9.610, de 19/12/1998.
Proibida a reprodução, total ou parcialmente, sem autorização prévia expressa por escrito da editora e do autor. Se
você conhece algum caso de “pirataria” de nossos materiais, denuncie pelo sac@novaconcursos.com.br.

OBRA

Prefeitura Municipal de Niterói do Estado do Rio de Janeiro

Guarda Civil Municipal

Edital Nº 001/2019

AUTORES
Conhecimentos Básicos de Direito Constitucional - Profª Marina Faraco
Conhecimentos Básicos de Direito Administrativo - Profº Fernando Zantedeschi
Conhecimentos Básicos de Direito Penal e Processual Penal - Profº Rodrigo Gonçalves
Conhecimentos Básicos de Direito da Criança e do Adolescente
(Estatuto da Criança e do Adolescente L. 8069/90) - Profª Bruna Pinotti
Estatuto Geral dos Guardas Municipais - Profª Silvana Guimarães
Legislação de Transito Brasileira - Profª Camila Cury
Legislação Municipal - Profª Silvana Guimarães
Língua Portuguesa - Profª Zenaide Auxiliadora Pachegas Branco
Conhecimentos Básicos de Informática - Profº Ovidio Lopes da Cruz Netto
Conhecimentos do Município de Niterói - Profª Silvana Guimarães

PRODUÇÃO EDITORIAL/REVISÃO
Elaine Cristina
Erica Duarte
Leandro Filho

DIAGRAMAÇÃO
Elaine Cristina
Thais Regis
Danna Silva

CAPA
Joel Ferreira dos Santos

www.novaconcursos.com.br

sac@novaconcursos.com.br
SUMÁRIO

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


Princípios fundamentais da Constituição da República (Arts. 1º ao 4º da CF/88).........................................................................................01
Direitos e Garantias Fundamentais: Direitos e Deveres Individuais e Coletivos; Direitos Sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos
(Arts. 5° a 16 da CF/88).........................................................................................................................................................................................................02
Da organização Político-Administrativa (Arts. 18 e 19 da CF/88).........................................................................................................................23
Da União (Arts. 20 a 24 da CF/88).....................................................................................................................................................................................23
Dos Estados Federados (Arts. 25 a 28 da CF/88)........................................................................................................................................................23
Dos Municípios (Arts. 29 a 31 da CF/88)........................................................................................................................................................................23
Normas Constitucionais relativas à Administração Pública e ao Servidor Público (Arts. 37 a 41 da CF/88).......................................23
Princípios Constitucionais da Administração Pública (art. 37 da Constituição Federal)..............................................................................23
Princípios constitucionais de natureza ética: moralidade, impessoalidade, probidade, motivação e publicidade (Art. 37 da
Constituição Federal; Art. 77 da Constituição do Estado do Rio de Janeiro)...................................................................................................37
Organização dos Poderes (Arts. 44 a 135 da CF/88).................................................................................................................................................41
Da Segurança Pública (Art. 144)........................................................................................................................................................................................41

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


Atos administrativos: conceito; elementos; características; mérito do ato administrativo; formação e efeitos; classificação e
espécies; procedimento administrativo; extinção, invalidação e revogação dos atos administrativos.................................................01
Poderes e Deveres dos Administradores; uso e abuso de Poder. Poder Hierárquico e Poder Disciplinar. Poder de Polícia
Administrativa: conceito; competência; Poder de Polícia originário e delegado; fundamentos; finalidade; atuação da
administração; limites; características; legitimidade e sanções.............................................................................................................................07
Responsabilidade administrativa e criminal. Responsabilidade civil: direito brasileiro; aplicação da responsabilidade objetiva;
reparação do dano; direito de regresso..........................................................................................................................................................................12
Agentes Públicos: regimes jurídicos funcionais; servidores públicos; normas constitucionais específicas concernentes aos
servidores públicos; direitos e deveres dos servidores públicos responsabilidades dos servidores públicos; concurso público;
acessibilidade, estabilidade, remuneração e acumulação de cargos e funções; Poder Disciplinar Administrativo dos Servidores
Públicos.......................................................................................................................................................................................................................................14
Lei de Improbidade Administrativa - LIA (Lei Federal nº 8429, de 02 de junho de 1992)..........................................................................21

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO PENAL E PROCESSUAL PENAL


Código Penal Brasileiro (Decreto Lei n.º 2.848, de 07 de dezembro de 1940): Parte geral (art.1º a 120) - Normas penais relati-
vas ao servidor público - Dos crimes contra a Administração Pública: Dos crimes praticados por funcionário público contra a
Administração em geral (Arts. 312 a 327); Dos crimes praticados por particular contra a Administração em geral (Arts. 328 a
337- A); Dos Crimes contra as Finanças Públicas (Arts. 359-A a 359-H)...........................................................................................................01
Lei de Contravenções Penais (Decreto Lei n.º 3.688, de 03 de outubro de 1941).........................................................................................25
Lei dos Juizados Especiais Criminais (art. 60 e seguintes da Lei federal n.º 9.099, de 26 de setembro de 1995).............................33
SUMÁRIO

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE


(ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE-L. 8069/90)
Das Medidas de Proteção da Criança e do Adolescente (Arts. 98 a 101 )........................................................................................................01
Da Prática de Ato Infracional por da Criança e do Adolescente (Arts. 103 a 109).........................................................................................03
Das Garantias Processuais da Criança e do Adolescente (Arts. 110 e 111)......................................................................................................03
Das Medidas Sócioeducativas da Criança e do Adolescente (Arts. 112 a 128)...............................................................................................04
Dos Crimes e das Infrações Administrativas da Criança e do Adolescente (Arts. 225 a 258)....................................................................07

ESTATUTO GERAL DAS GUARDAS MUNICIPAIS


Lei n.º 13.022 , de 08 de agosto de 2014.......................................................................................................................................................................01

LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO BRASILEIRA


Lei nº 13.675 de 11 de junho de 2018 - SUSP (Sistema Único de Segurança Pública)................................................................................01
Código de Trânsito Brasileiro (Lei Federal n.º 9.503, de 23 de setembro de 1997).......................................................................................07

LEGISLAÇÃO MUNICIPAL
Lei Orgânica do Município de Niterói, de 04 de abril de 1990.............................................................................................................................01
Estatuto dos servidores públicos de Niterói (Lei Municipal n.º 531, de 18 de janeiro de 1985)..............................................................02
Estatuto da Guarda Civil Municipal de Niterói (Lei Municipal n.º 2.838, de 30 de maio de 2011)..........................................................02
Plano de Carreira, Cargos e Remuneração dos servidores da Guarda Civil Municipal de Niterói (Lei Municipal n.º 3.076, de 27
de fevereiro de 2014).............................................................................................................................................................................................................03
Regime Adicional de Serviço (RAS) para profissionais da Guarda Civil Municipal de Niterói (Lei Municipal n.º 3.028, de 12 de
abril de 2013)............................................................................................................................................................................................................................05
Uso e comercialização de cerol e de linha chilena no Município de Niterói (Lei Municipal n.º 3.074, de 27 de janeiro de
2014).......................................................................................................................................................................................................................................06
Código Municipal Ambiental de Niterói (Lei Municipal n.º 2.602, de 14 de outubro de 2008)...............................................................07
Código de Posturas do Município de Niterói (Lei Municipal n.º 2.624, de 29 de dezembro de 2008)..................................................08
Rotinas para o controle de condutas que ocasionem perturbação do sossego e do bem-estar público por emissão de som de
qualquer natureza (Decreto Municipal n.º 11.542, de 09 de dezembro de 2013).........................................................................................09
Processo administrativo no âmbito da Guarda Civil Municipal de Niterói.......................................................................................................10

LÍNGUA PORTUGUESA
Compreensão e interpretação de texto contemporâneo.Modos de organização do discurso: descrição, narração, dissertação
argumentativa e dissertação expositiva..........................................................................................................................................................................01
Características da estrutura do parágrafo......................................................................................................................................................................04
Coesão e coerência textuais................................................................................................................................................................................................06
Emprego significativo dos diferentes recursos gramaticais no texto (níveis: fonológico, morfológico, sintático e semântico).. 08
Discurso direto, indireto e indireto livre.........................................................................................................................................................................08
SUMÁRIO

Língua falada e língua escrita: variação, correção e adequação...........................................................................................................................09


Distinção entre fonema e letra. Encontros vocálicos, encontros consonantais e dígrafos.Divisão silábica. .......................................09
Ortografia oficial: emprego de letras...............................................................................................................................................................................12
Acentuação gráfica e emprego de sinais diacríticos..................................................................................................................................................15
Normas de pontuação...........................................................................................................................................................................................................18
Classes de palavras: formas, flexões (nominais e verbais, regulares e irregulares) e emprego................................................................21
Estrutura e formação de palavras......................................................................................................................................................................................60
Semântica: denotação e conotação, polissemia, sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia..........................................................62
Período simples e período composto. Relações de sentido entre orações e segmentos de texto. Processos sintáticos:
coordenação e subordinação.............................................................................................................................................................................................64
Concordância nominal e verbal.........................................................................................................................................................................................78
Regência nominal e verbal...................................................................................................................................................................................................84
Emprego do acento grave indicativo da crase.............................................................................................................................................................90

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE INFORMÁTICA


Conceitos sobre informática, hardware e software. Sistemas operacionais Windows XP / Vista / 7 BR, Linux e software livre........ 01
Processador de texto (Word 2007/2010 BR e BrOffice.org e LibreOffice 3.x.x Writer) – Conceitos e uso dos recursos. Planilhas
eletrônicas (Excel 2007/2010 BR e BrOffice.org e Libreoffice 3.x.x Calc) – Conceitos e uso dos recursos.Editor de Apresentações
(PowerPoint 2007/2010 BR e BrOffice.org e LibreOffice 3.x.x Impress) – Conceitos e uso dos recursos.................................................15
Redes de computadores – Conceitos, equipamentos, transmissão de sinal, cabeamento, protocolos e redes sem fio................49
Conceitos, serviços e tecnologias na Internet e Intranet, web 2.0 e web 3.0. Navegador Internet (Internet Explorer 9 BR, Google
Chrome e Mozilla Firefox v13.0.1)- Conceitos e uso dos recursos, Conceitos e Ferramentas de busca e pesquisa na Web.
Conceitos sobre tecnologias e ferramentas de colaboração, de correio eletrônico e webmail, de grupos de discussão, de fóruns,
de wikis e redes sociais.........................................................................................................................................................................................................67
Segurança da Informação – Conceitos, aplicativos, proteção, ameaças e vulnerabilidades. Cópias de segurança (backup) e
antivírus.......................................................................................................................................................................................................................................80
Criptografia e assinatura digital.........................................................................................................................................................................................89
Conceitos sobre tecnologias e ferramentas multimídia, de reprodução de áudio e vídeo, formatos de imagens e figuras........92

CONHECIMENTOS DO MUNICÍPIO DE NITERÓI


Histórico (da fundação da aldeia aos dias atuais)......................................................................................................................................................01
Formação administrativa (de 1691 aos dias atuais)...................................................................................................................................................05
Informações socioeconômicas: demografia e território; desenvolvimento do Município de Niterói; economia municipal - PIB;
estabelecimentos por porte e setor; potencial de consumo..................................................................................................................................04
Informações estatísticas:.......................................................................................................................................................................................................05
- da população (composição, características, densidade demográfica);...........................................................................................................05
- da prefeitura (Poder Executivo, estrutura organizacional, as secretarias municipais e autarquias);....................................................05
- da educação (Fundação Municipal de Educação, matrículas, docentes e registro escolar);...................................................................05
- do cadastro central de empresas;..................................................................................................................................................................................05
- do registro civil;.....................................................................................................................................................................................................................05
- das finanças públicas;.........................................................................................................................................................................................................05
- da frota;....................................................................................................................................................................................................................................05
- da morbidade hospitalar;..................................................................................................................................................................................................05
- da criminalidade...................................................................................................................................................................................................................05
ÍNDICE

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


Princípios fundamentais da Constituição da República (Arts. 1º ao 4º da CF/88). .......................................................................................01
Direitos e Garantias Fundamentais: Direitos e Deveres Individuais e Coletivos; Direitos Sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos
(Arts. 5° a 16 da CF/88). .......................................................................................................................................................................................................02
Da organização Político-Administrativa (Arts. 18 e 19 da CF/88). .......................................................................................................................23
Da União (Arts. 20 a 24 da CF/88)....................................................................................................................................................................................23
Dos Estados Federados (Arts. 25 a 28 da CF/88). ......................................................................................................................................................23
Dos Municípios (Arts. 29 a 31 da CF/88). ......................................................................................................................................................................23
Normas Constitucionais relativas à Administração Pública e ao Servidor Público (Arts. 37 a 41 da CF/88). .....................................23
Princípios Constitucionais da Administração Pública (art. 37 da Constituição Federal). ............................................................................23
Princípios constitucionais de natureza ética: moralidade, impessoalidade, probidade, motivação e publicidade (Art. 37 da
Constituição Federal; Art. 77 da Constituição do Estado do Rio de Janeiro). .................................................................................................37
Organização dos Poderes (Arts. 44 a 135 da CF/88) ...............................................................................................................................................41.
Da Segurança Pública (Art. 144). ......................................................................................................................................................................................41
PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA 3. Objetivos fundamentais da República Federativa
CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA (ARTS. 1º do Brasil
AO 4º DA CF/88). O art. 3º da CF prevê os objetivos fundamentais da
República Federativa do Brasil, que são as metas que o
Estado brasileiro se propõe a atingir. São elas:
Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República
FIQUE ATENTO! Federativa do Brasil:
I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;
Este tema é bastante cobrado nos concursos.
II – garantir o desenvolvimento nacional;
Recomenda-se a leitura dos arts. 1º a 4º da CF, já
III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as
que as questões, em sua grande maioria, cobram
desigualdades sociais e regionais;
a literalidade do texto constitucional.
IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de
origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de
discriminação.
1. Fundamentos da República Federativa do Brasil
Em seu art. 1º, a CF estabelece os fundamentos da 4. Princípios das relaçõs internacionais
República Federativa do Brasil, que são as bases, as regras O art. 4º da CF contempla os princípios orientadores das
fundamentais sob as quais está alicerçado o Estado relações internacionais do Estado brasileiro, nos seguintes
brasileiro, que são: a soberania, a cidadania, a dignidade termos:
da pessoa humana, os valores sociais do trabalho e da livre Art. 4º A República Federativa do Brasil rege-se nas suas
iniciativa e o pluralismo político. O Parágrafo único do art. 1º relações internacionais pelos seguintes princípios:
da CF prevê, ainda, o princípio democrático, segundo o qual I – independência nacional;
todo poder emana do povo, que o exercerá diretamente, II – prevalência dos direitos humanos;
por meio dos chamados instrumentos da democracia III – autodeterminação dos povos;
participativa (ação popular, plebiscito, referendo e IV – não intervenção;
iniciativa popular das leis), e indiretamente, por meio de V – igualdade entre os Estados;
representantes eleitos para tanto (Presidente da República, VI – defesa da paz;
Prefeitos, Governadores de Estados e parlamentares). A VII – solução pacífica dos conflitos;
CF adotou, portanto, o sistema híbrido de democracia VIII – repúdio ao terrorismo e ao racismo;
participativa, que reúne a democracia direta e a democracia IX – cooperação entre os povos para o progresso da
indireta ou representativa. humanidade;
Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela X – concessão de asilo político.
união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Dis- Parágrafo único. A República Federativa do Brasil buscará
trito Federal, constitui-se em Estado Democrático de a integração econômica, política, social e cultural dos povos
Direito e tem como fundamentos: da América Latina, visando à formação de uma comunidade
I – a soberania; latino-americana de nações.
II – a cidadania;
III – a dignidade da pessoa humana;

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


IV – os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa; EXERCÍCIO COMENTADO
V – o pluralismo político.
Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o 1. (PC-SC – Agente de Polícia Civil– Nível Médio – FE-
exerce por meio de representantes eleitos ou direta- PESE – 2017)
mente, nos termos desta Constituição. Com base na Constituição Federal, a República Federati-
va do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados
2. Separação dos poderes e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado
A Constituição de 1988 adotou a teoria da tripartição Democrático de Direito e tem como fundamentos:
das funções estatais, idealizada por Montesquieu, que, 1. a autonomia.
por sua vez, se inspirou em lições de Aristóteles e de John 2. a cidadania.
Locke. Assim, em seu art. 2º, a CF estabelece que são 3. a dignidade da pessoa humana.
poderes harmônicos e independentes entre si o Executivo, 4. o pluralismo político.
o Legislativo e o Judiciário: “Art. 2º São Poderes da União, Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas cor-
independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o retas.
Executivo e o Judiciário.”. O princípio da separação dos
poderes é uma das cláusulas pétreas da CF, não podendo a) São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 3.
ser retirado (abolido) do seu texto por meio de emenda b) São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 4.
constitucional (art. 60, §4º, III, da CF). c) São corretas apenas as afirmativas 1, 3 e 4.
d) São corretas apenas as afirmativas 2, 3 e 4.
e) São corretas as afirmativas 1, 2, 3 e 4.

1
Resposta: Letra D - Segundo o art. 1º da CF, são funda- Resposta: Letra A - Esta questão cobrou a literalidade
mentos da República Federativa do Brasil: a soberania, a do art. 3º da CF, estando as alternativas b e c erradas em
cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores so- razão da troca de uma palavra e a d porque traz um prin-
ciais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. cípio das relações internacionais da República Federativa
do Brasil, e não um objetivo.
2. (TRE-TO – Técnico Judiciário – Nível Médio – CESPE –
2017)
Em determinado seminário sobre os rumos jurídicos e políti- DIREITOS E GARANTIAS
cos do Oriente Médio, dois professores debateram intensa- FUNDAMENTAIS: DIREITOS E DEVERES
mente sobre a atual situação política da Síria. Hugo, profes- INDIVIDUAIS E COLETIVOS; DIREITOS
sor de relações internacionais, defendeu que o Brasil deveria SOCIAIS; NACIONALIDADE; DIREITOS
realizar uma intervenção militar com fins humanitários. José, POLÍTICOS (ARTS. 5° A 16 DA CF/88).
professor de direito constitucional, argumentou que essa
ação não seria possível conforme os princípios constitucio-
nais que regem as relações internacionais da República Fe- Antes de ingressarmos no estudo da temática
derativa do Brasil. Nessa situação hipotética, com base na proposta pelo edital, importante justificar o motivo pelo
Constituição Federal de 1988 (CF), qual os tópicos foram unificados. Cumpre destacar que a
Constituição Federal trata os direitos individuais e coletivos
a) Hugo está correto, pois a intervenção humanitária é um dentro do capítulo I do Título II chamado de “Dos Direitos e
dos princípios constitucionais que rege as relações inter- garantias fundamentais”. Portanto, didaticamente se torna
nacionais do Brasil. indispensável a unificação de tais temas.
b) José está correto, pois a não intervenção e a solução pací-
fica dos conflitos são princípios constitucionais que orien-
tam as relações internacionais do Brasil. #FicaDica
c) Hugo está errado, pois a defesa da paz e dos direitos hu-
O presente estudo tem por finalidade a análise
manos não são princípios constitucionais que regem as
pormenorizada de todos os incisos previstos no
relações internacionais do Brasil.
art. 5º da Constituição Federal; referido artigo
d) Hugo está correto, pois a dignidade da pessoa humana é
elenca os direitos e os deveres individuais e co-
um dos fundamentos constitucionais do estado brasileiro letivos, assegurando-os a todos que estejam em
e uma das causas que autorizam a intervenção militar do território nacional, seja brasileiro nato, naturaliza-
Brasil em outros Estados soberanos. do ou mesmo estrangeiro por motivos diversos.
e) José está errado, pois a declaração de guerra é ato político Cada inciso receberá o comentário pertinente.
discricionário e unilateral do presidente da República, não
estando sujeito a limites jurídicos.

Resposta: Letra B - Segundo o art. 4º da CF, são princí- Título II


pios das relações internacionais da República Federativa Dos direitos e garantias fundamentais
do Brasil: a independência nacional; a prevalência dos di- Capítulo I
reitos humanos; a autodeterminação dos povos; a não in- Dos direitos e deveres individuais e coletivos
tervenção; a igualdade entre os Estados; a defesa da paz;
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

a solução pacífica dos conflitos; o repúdio ao terrorismo e Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção
ao racismo; a cooperação entre os povos para o progres- de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e
so da humanidade e a concessão de asilo político. aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do
direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à
3. (MPE-RN – Técnico do Ministério Público Estadual – propriedade, nos termos seguintes:
Nível Médio – COMPERVE – 2017) I - homens e mulheres são iguais em direitos e obriga-
Os objetivos fundamentais da república brasileira são metas ções, nos termos desta Constituição;
que o Estado deve promover com força vinculante e ime- II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer
diata, servindo como norte a ser seguido em toda e qual- alguma coisa senão em virtude de lei;
quer atividade estatal. Nessa acepção, a Constituição Federal III - ninguém será submetido a tortura nem a trata-
aponta, expressamente, como objetivo fundamental a pro- mento desumano ou degradante;
moção: IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo ve-
dado o anonimato;
a) do bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao
e cor. agravo, além da indenização por dano material, moral
b) de uma sociedade livre, justa e solidária com repúdio ao ou à imagem;
racismo e ao terrorismo. VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença,
c) da erradicação da miséria e da marginalização e da redu- sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos
ção da desigualdade nacional. e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de
d) da autodeterminação dos povos e dos direitos humanos. culto e a suas liturgias;

2
VII - é assegurada, nos termos da lei, a prestação de XXV - no caso de iminente perigo público, a autorida-
assistência religiosa nas entidades civis e militares de de competente poderá usar de propriedade particu-
internação coletiva; lar, assegurada ao proprietário indenização ulterior, se
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de houver dano;
crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, XXVI - a pequena propriedade rural, assim definida em
salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a lei, desde que trabalhada pela família, não será objeto
todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alter- de penhora para pagamento de débitos decorrentes
nativa, fixada em lei; de sua atividade produtiva, dispondo a lei sobre os
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artís- meios de financiar o seu desenvolvimento;
tica, científica e de comunicação, independentemente XXVII - aos autores pertence o direito exclusivo de utili-
de censura ou licença; zação, publicação ou reprodução de suas obras, trans-
X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra missível aos herdeiros pelo tempo que a lei fixar;
e a imagem das pessoas, assegurado o direito a inde- XXVIII - são assegurados, nos termos da lei:
nização pelo dano material ou moral decorrente de sua a) a proteção às participações individuais em obras
violação; coletivas e à reprodução da imagem e voz humanas,
XI - a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela inclusive nas atividades desportivas;
podendo penetrar sem consentimento do morador, sal- b) o direito de fiscalização do aproveitamento econô-
vo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para pres- mico das obras que criarem ou de que participarem
tar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial; aos criadores, aos intérpretes e às respectivas repre-
XII - é inviolável o sigilo da correspondência e das co- sentações sindicais e associativas;
municações telegráficas, de dados e das comunicações XXIX - a lei assegurará aos autores de inventos indus-
telefônicas, salvo, no último caso, por ordem judicial, triais privilégio temporário para sua utilização, bem
nas hipóteses e na forma que a lei estabelecer para fins como proteção às criações industriais, à propriedade
de investigação criminal ou instrução processual penal; das marcas, aos nomes de empresas e a outros signos
XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou distintivos, tendo em vista o interesse social e o desen-
profissão, atendidas as qualificações profissionais que
volvimento tecnológico e econômico do País;
a lei estabelecer;
XXX - é garantido o direito de herança;
XIV - é assegurado a todos o acesso à informação e
XXXI - a sucessão de bens de estrangeiros situados no
resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao
País será regulada pela lei brasileira em benefício do
exercício profissional;
cônjuge ou dos filhos brasileiros, sempre que não lhes
XV - é livre a locomoção no território nacional em tem-
seja mais favorável a lei pessoal do de cujus ;
po de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da
XXXII - o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa
lei, nele entrar, permanecer ou dele sair com seus bens;
do consumidor;
XVI - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas,
em locais abertos ao público, independentemente de XXXIII - todos têm direito a receber dos órgãos pú-
autorização, desde que não frustrem outra reunião blicos informações de seu interesse particular, ou de
anteriormente convocada para o mesmo local, sendo interesse coletivo ou geral, que serão prestadas no
apenas exigido prévio aviso à autoridade competente; prazo da lei, sob pena de responsabilidade, ressalvadas
XVII - é plena a liberdade de associação para fins lícitos, aquelas cujo sigilo seja imprescindível à segurança da

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


vedada a de caráter paramilitar; sociedade e do Estado;
XVIII - a criação de associações e, na forma da lei, a de XXXIV - são a todos assegurados, independentemente
cooperativas independem de autorização, sendo veda- do pagamento de taxas:
da a interferência estatal em seu funcionamento; a) o direito de petição aos poderes públicos em defesa
XIX - as associações só poderão ser compulsoriamente de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder;
dissolvidas ou ter suas atividades suspensas por deci- b) a obtenção de certidões em repartições públicas,
são judicial, exigindo-se, no primeiro caso, o trânsito para defesa de direitos e esclarecimento de situações
em julgado; de interesse pessoal;
XX - ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a XXXV - a lei não excluirá da apreciação do Poder Judi-
permanecer associado; ciário lesão ou ameaça a direito;
XXI - as entidades associativas, quando expressamente XXXVI - a lei não prejudicará o direito adquirido, o ato
autorizadas, têm legitimidade para representar seus fi- jurídico perfeito e a coisa julgada;
liados judicial ou extrajudicialmente; XXXVII - não haverá juízo ou tribunal de exceção;
XXII - é garantido o direito de propriedade; XXXVIII - é reconhecida a instituição do júri, com a or-
XXIII - a propriedade atenderá a sua função social; ganização que lhe der a lei, assegurados:
XXIV - a lei estabelecerá o procedimento para desa- a) a plenitude de defesa;
propriação por necessidade ou utilidade pública, ou b) o sigilo das votações;
por interesse social, mediante justa e prévia indeniza- c) a soberania dos veredictos;
ção em dinheiro, ressalvados os casos previstos nesta d) a competência para o julgamento dos crimes dolo-
Constituição; sos contra a vida;

3
XXXIX - não há crime sem lei anterior que o defina, LVI - são inadmissíveis, no processo, as provas obtidas
nem pena sem prévia cominação legal; por meios ilícitos;
XL - a lei penal não retroagirá, salvo para beneficiar o réu; LVII - ninguém será considerado culpado até o trânsito
XLI - a lei punirá qualquer discriminação atentatória em julgado de sentença penal condenatória;
dos direitos e liberdades fundamentais; LVIII - o civilmente identificado não será submetido a
XLII - a prática do racismo constitui crime inafiançável identificação criminal, salvo nas hipóteses previstas em lei;
e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos LIX - será admitida ação privada nos crimes de ação
da lei; pública, se esta não for intentada no prazo legal;
XLIII - a lei considerará crimes inafiançáveis e insusce- LX - a lei só poderá restringir a publicidade dos atos
tíveis de graça ou anistia a prática da tortura, o tráfico processuais quando a defesa da intimidade ou o inte-
ilícito de entorpecentes e drogas afins, o terrorismo e resse social o exigirem;
os definidos como crimes hediondos, por eles respon- LXI - ninguém será preso senão em flagrante delito ou
dendo os mandantes, os executores e os que, podendo por ordem escrita e fundamentada de autoridade ju-
evitá-los, se omitirem; diciária competente, salvo nos casos de transgressão
XLIV - constitui crime inafiançável e imprescritível a militar ou crime propriamente militar, definidos em lei;
ação de grupos armados, civis ou militares, contra a LXII - a prisão de qualquer pessoa e o local onde se
ordem constitucional e o Estado democrático; encontre serão comunicados imediatamente ao juiz
XLV - nenhuma pena passará da pessoa do condenado, competente e à família do preso ou à pessoa por ele
podendo a obrigação de reparar o dano e a decretação indicada;
do perdimento de bens ser, nos termos da lei, esten- LXIII - o preso será informado de seus direitos, entre os
didas aos sucessores e contra eles executadas, até o quais o de permanecer calado, sendo-lhe assegurada a
limite do valor do patrimônio transferido; assistência da família e de advogado;
XLVI - a lei regulará a individualização da pena e adota- LXIV - o preso tem direito à identificação dos respon-
rá, entre outras, as seguintes: sáveis por sua prisão ou por seu interrogatório policial;
a) privação ou restrição da liberdade; LXV - a prisão ilegal será imediatamente relaxada pela
b) perda de bens; autoridade judiciária;
LXVI - ninguém será levado à prisão ou nela manti-
c) multa;
do quando a lei admitir a liberdade provisória, com ou
d) prestação social alternativa;
sem fiança;
e) suspensão ou interdição de direitos;
LXVII - não haverá prisão civil por dívida, salvo a do
XLVII - não haverá penas:
responsável pelo inadimplemento voluntário e inescu-
a) de morte, salvo em caso de guerra declarada, nos
sável de obrigação alimentícia e a do depositário infiel;
termos do art. 84, XIX;
LXVIII - conceder-se-á habeas corpus sempre que al-
b) de caráter perpétuo; guém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência
c) de trabalhos forçados; ou coação em sua liberdade de locomoção, por ilegali-
d) de banimento; dade ou abuso de poder;
e) cruéis; LXIX - conceder-se-á mandado de segurança para pro-
XLVIII - a pena será cumprida em estabelecimentos dis- teger direito líquido e certo, não amparado por habeas
tintos, de acordo com a natureza do delito, a idade e o corpus ou habeas data , quando o responsável pela ile-
sexo do apenado; galidade ou abuso de poder for autoridade pública ou
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

XLIX - é assegurado aos presos o respeito à integridade agente de pessoa jurídica no exercício de atribuições
física e moral; do poder público;
L - às presidiárias serão asseguradas condições para LXX - o mandado de segurança coletivo pode ser im-
que possam permanecer com seus filhos durante o pe- petrado por:
ríodo de amamentação; a) partido político com representação no Congresso
LI - nenhum brasileiro será extraditado, salvo o natu- Nacional;
ralizado, em caso de crime comum, praticado antes da b) organização sindical, entidade de classe ou asso-
naturalização, ou de comprovado envolvimento em ciação legalmente constituída e em funcionamento há
tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, na forma pelo menos um ano, em defesa dos interesses de seus
da lei; membros ou associados;
LII - não será concedida extradição de estrangeiro por LXXI - conceder-se-á mandado de injunção sempre
crime político ou de opinião; que a falta de norma regulamentadora torne inviável o
LIII - ninguém será processado nem sentenciado senão exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das
pela autoridade competente; prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e
LIV - ninguém será privado da liberdade ou de seus à cidadania;
bens sem o devido processo legal; LXXII - conceder-se-á habeas data :
LV - aos litigantes, em processo judicial ou administra- a) para assegurar o conhecimento de informações re-
tivo, e aos acusados em geral são assegurados o con- lativas à pessoa do impetrante, constantes de registros
traditório e a ampla defesa, com os meios e recursos a ou bancos de dados de entidades governamentais ou
ela inerentes; de caráter público;

4
b) para a retificação de dados, quando não se prefira Regra geral: indivíduos têm primeiro direitos, depois
fazê-lo por processo sigiloso, judicial ou administrativo; deveres e os direitos que o Estado tem sobre o indivíduo
LXXIII - qualquer cidadão é parte legítima para propor estão ordenados de modo a melhor cuidar de seus cida-
ação popular que vise a anular ato lesivo ao patrimô- dãos. É a demonstração clara do pacto social firmado en-
nio público ou de entidade de que o Estado participe, tre os indivíduos e o Estado – é a cessão de parte de suas
à moralidade administrativa, ao meio ambiente e ao liberdades, entregando-as ao Estado de modo que este,
patrimônio histórico e cultural, ficando o autor, salvo em contrapartida, devolva algo que seja positivo – como,
comprovada má-fé, isento de custas judiciais e do ônus por exemplo, proíbe-se (exceto as possibilidade previstas
da sucumbência; na lei) da autotutela (exercício da autodefesa) entregando
LXXIV - o Estado prestará assistência jurídica integral e essa função ao Estado para que este exerça a tutela da se-
gratuita aos que comprovarem insuficiência de recur- gurança do indivíduo.
sos; Geração de Direitos Fundamentais
LXXV - o Estado indenizará o condenado por erro ju- - 1ª Geração de direitos: são postulados de abstenção
diciário, assim como o que ficar preso além do tempo dos governantes se obrigando a não intervir na vida
fixado na sentença; pessoal de cada indivíduo. Indispensável a todos os
LXXVI - são gratuitos para os reconhecidamente po- homens. Como por exemplo, direito a vida, ou seja,
bres, na forma da lei: salvo em situações específicas, o Estado não privará
a) o registro civil de nascimento; o indivíduo de seguir sua vida.
b) a certidão de óbito; Característica: universal; não ocasiona desigualdade so-
LXXVII - são gratuitas as ações de habeas corpus e ha- cial. Ex: liberdade,
beas data , e, na forma da lei, os atos necessários ao - 2ª Geração de direitos: surge com a necessidade do
exercício da cidadania. povo de não apenas ter liberdade, mas outros direi-
LXXVIII - a todos, no âmbito judicial e administrativo, tos que o conduzem a exercer a liberdade, seguir sua
são assegurados a razoável duração do processo e os vida, com dignidade. São os valores sociais variados,
meios que garantam a celeridade de sua tramitação. importando intervenção ativa do Estado na vida eco-
§ 1º As normas definidoras dos direitos e garantias fun- nômica com o viés de proporcionar justiça social.
damentais têm aplicação imediata. Característica: Liberdade real e igual para todos. Ex:
§ 2º Os direitos e garantias expressos nesta Constitui- igualdade – saúde, educação, trabalho entre outros. São
ção não excluem outros decorrentes do regime e dos chamados de direitos sociais não por serem direitos da co-
princípios por ela adotados, ou dos tratados internacio- letividade, mas por alusão ao termo justiça social. Os titu-
nais em que a República Federativa do Brasil seja parte. lares são os próprios indivíduos singularizados, apesar dos
§ 3º Os tratados e convenções internacionais sobre di- mesmos poderem se voltar a coletividade.
reitos humanos que forem aprovados, em cada Casa do - 3ª Geração de direitos: direitos de titularidade difusa.
Congresso Nacional, em dois turnos, por três quintos
Proteção do homem em sua forma coletiva, grupos,
dos votos dos respectivos membros, serão equivalentes
não mais individualmente.
às emendas constitucionais.
Característica: proteção do homem em grupos. Ex: di-
§ 4º O Brasil se submete à jurisdição de Tribunal Penal
reito ao meio ambiente equilibrado, direito a paz.
Internacional a cuja criação tenha manifestado adesão.
Conclusão

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


Histórico
A visão dos direitos fundamentais em termos de ge-
rações indica a evolução desses direitos no tempo. Cada
- Direitos Fundamentais
Normas obrigatórias: os direitos fundamentais não são direito de cada geração interage com os das outras e, nesse
sempre os mesmos em todas as épocas. Porém devem processo, dá-se à compreensão.
constar obrigatoriamente em textos constitucionais consi-
derados democráticos; constando referidos direitos podem Características dos direitos fundamentais
anuir que aquela constituição está alicerçada nos pilares da
democracia. - Universais e absolutos
Dignidade humana: foi impulsionada pelo cristianismo, A questão da universalidade: direito previsto para todo
uma vez que segundo essa religião o homem era feito a homem, ainda que nem todo homem o exerça.
imagem e semelhança de Deus. Sendo assim, ganhou uma Absoluto: os direitos fundamentais não são absolutos,
proteção especial no texto da Constituição. Importante apesar de gozarem de prioridade absoluta sobre qualquer
lembrar que falar em dignidade humana é falar em garantir outro direito.
o direito do indivíduo ter direitos – iguais entre seres hu-
manos. - Historicidade
Positivação dos direitos fundamentais: Bill of Rights, De- Os direitos fundamentais são um conjunto de facul-
claração da Virgínia, Declaração Francesa. Tais documentos dades e instituições que somente faz sentido num deter-
trataram de positivar direitos que naturalmente são ineren- minado contexto histórico. A história permite entender a
tes ao homem. existência de cada um dos direitos.

5
A história explica que os direitos possam ser apregoa- de leis que definam crimes e sanções) e – direito à
dos em certa época, desaparecendo em outras, ou se mo- propriedade (propriedade particular, privada, desde
dificam no tempo. Verifica-se, portanto, a evolução dos que atendida sua função social).
direitos fundamentais. O direito à vida pressupõe a negativa do Estado de
promover qualquer ato que ofenda a integridade física
- Inalienabilidade e Indisponibilidade ou moral do indivíduo; por esta razão, proíbe-se a tortura
Inalienável: o titular do direito não pode impossibilitar o ou qualquer exposição vexatória. Também não permite
exercício para si mesmo. Encontra fundamento no valor da que a vida chegue ao fim se não pelas causas naturais –
dignidade humana. A indisponibilidade gera nulidade de caso venha ocorrer, o Estado oferece sanções àquele que
qualquer disposição contratual feita. promoveu o encurtamento da vida humana.
Podem, tais direitos, terem seu exercício. Ex.: manifesta- No que tange a liberdade, pode o indivíduo fazer tudo
ção religiosa em templo religioso diverso do seu. aquilo que a lei não proíbe, tem a faculdade de decidir os
- Direitos humanos são direitos postulados em bases rumos de sua própria vida. Por esta razão sua liberdade de
jusnaturalistas, contam índole filosófica e não pos- locomoção é amplamente protegida; dentro do conceito
suem como característica básica a positivação numa de liberdade se enquadra o direito a manifestação de toda
ordem jurídica particular. espécie: religiosa, de pensamento, de associação, ou seja,
- Direitos Fundamentais: é reservada aos direitos rela- a todos é conferido o direito de expor seus pensamentos e
cionados com posições básicas das pessoas, inscritos suas escolhas. Neste ponto é importante demonstrar que
em diplomas normativos de cada Estado. São direitos essa liberdade de expressão não pode ocasionar danos a
que vigem numa ordem jurídica concreta, sendo, por outrem de modo que se assim o fizer, estará praticando
isso, garantidos e limitados no espaço e no tempo. ato contra terceiros e por isso poderá ser responsabilizado.
- Vinculação dos Poderes Públicos A igualdade também é dos pilares dos direitos
fundamentais. Por conta desse princípio a lei deve conferir
O fato de os direitos fundamentais estarem previstos tratamento igualitário para todos; assim, não se permite
na Constituição torna-os parâmetros de organização e de qualquer espécie de distinção da lei, além de vedar toda
limitação dos poderes constituídos. A constitucionalização espécie de discriminação.
A segurança é outro importante direito fundamental,
dos direitos fundamentais impede que sejam considerados
pois compreende não apenas aquela que visa a proteção
meras autolimitações dos poderes constituídos - dos Pode-
patrimonial (seja ele material ou mesmo imaterial), mas
res Executivo, Legislativo e Judiciário -, passíveis de serem
também a segurança jurídica. Deste modo, todo cidadão
alteradas ou suprimidas ao talante destes.
deve ter conhecimento das leis que regem o país para que
não “sejam mais pegos de surpresa”.
- Aplicabilidade imediata
Por fim, o direito à propriedade abarca o último
As normas que definem direitos fundamentais são nor- grupo dos direitos fundamentais. A CF/88 confere a todo
mas de caráter preceptivo, e não meramente programáti- cidadão o direito à propriedade privada, particular. Porém,
co. Explicita-se, além disso, que os direitos fundamentais se importante que aquele que detenha a propriedade se
fundam na Constituição, e não na lei - com o que se deixa atente para a função social que a mesmo carrega.
claro que é a lei que deve mover-se no âmbito dos direitos
fundamentais, não o contrário. I - homens e mulheres são iguais em direitos e obriga-
A Constituição brasileira de 1988 filiou-se a essa ções, nos termos desta Constituição;
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

tendência, conforme se lê no §1º do art. 5º do Texto, em que Neste inciso está insculpido o princípio da isonomia,
se diz que “as normas definidoras dos direitos e garantias que é exatamente o tratamento igualitário, para todos,
fundamentais têm aplicação imediata”. O texto se refere vedada qualquer forma de discriminação – modalidade
aos direitos fundamentais em geral, não se restringindo de preceito universal. Segundo a Declaração Universal dos
apenas aos direitos individuais. direitos do homem, “todos os seres humanos nascem livres
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção e iguais em dignidade e direitos.
de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos
estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer
vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, alguma coisa senão em virtude de lei;
nos termos seguintes: Eis o princípio da legalidade. Referido princípio limita
O caput do art. 5º é talvez um dos mais importantes toda forma de arbitrariedade; evidente que o convívio em
artigos do texto constitucional, para não dizer o principal sociedade pressupõe o aceite de determinadas regras de
artigo da constituição federal. Esse artigo nos elenca cinco convívio. Porém, tais regras derivam de autoridade com
grupos de direitos que são amplamente protegidos pela competência para tanto que agem de maneira impessoal
nossa lei maior. A saber: e geral.
- Direito à vida (integridade física e moral), - direito à
liberdade (manutenção de qualquer forma de mani- III - ninguém será submetido a tortura nem a tratamen-
festação do indivíduo), - direito à igualdade (o tra- to desumano ou degradante;
tamento da lei é conferido igualmente para todos), Entende-se por tortura qualquer forma de castigo
- direito à segurança (direito de todos – necessidade corpóreo agressivo, violento, que utilize de qualquer

6
instrumento mecânico ou psicológico levando aquele lembrar que a prática religiosa amparada pela CF/88 não
que está sendo torturado praticar ato que não o faria pode se confundir com aquelas práticas consideradas
se estivesse em condições normais. A tortura é crime ilegais para o direito brasileiro, como por exemplo aquelas
inafiançável e insuscetível de fiança. que leva a necessidade de sacrifício humano. Neste caso,
sendo considerado crime o encurtamento da vida, não será
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo veda- amparado o sacrifício pela liberdade religiosa.
do o anonimato;
É a liberdade conferida ao indivíduo para que o mesmo IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística,
possa expressar de qualquer forma o que pensa a respeito científica e de comunicação, independentemente de
de religião, política, ciência ou qualquer outro instituto. censura ou licença;
Importante lembrar que essa liberdade de manifestação Este inciso é autoexplicativo. No que tange a liberdade
está condicionada ao não anonimato; deste modo, todos de expressão é importante destacar alguns institutos
podem se manifestar sendo porém vedada a manifestação legislativos que conferem regulamentação ao tema, como
anônima. por exemplo, a lei de imprensa (Lei 5.250/67), Lei de Direitos
Também importante lembrar que a liberdade de autorais (Lei 9.610/98) entre outras.
manifestação protegida pela CF/88 não protege a prática de
crimes sob a argúcia da liberdade. Qualquer manifestação X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra
ofensiva a terceiros que fira sua honra, imagem ou e a imagem das pessoas, assegurado o direito a in-
integridade poderá ser punida pela lei. denização pelo dano material ou moral decorrente
de sua violação;
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao XI - a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela
agravo, além da indenização por dano material, mo- podendo penetrar sem consentimento do morador,
ral ou à imagem; salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou
A CF/88 assegura o direito de resposta proporcional para prestar socorro, ou, durante o dia, por determi-
ao agravo. Assim, aquele que causar prejuízo a outrem nação judicial;
tem assegurado para si o direito a indenização por dano XII - é inviolável o sigilo da correspondência e das co-
material ou moral. O prejuízo a que se refere o inciso V pode municações telegráficas, de dados e das comunica-
ções telefônicas, salvo, no último caso, por ordem
patrimonial ou não. Prejuízo de ordem não patrimonial é
judicial, nas hipóteses e na forma que a lei estabe-
aquele causado por pessoa (física ou jurídica) que ofenda
lecer para fins de investigação criminal ou instrução
liberdade, honra, família ou profissão de determinado
processual penal;
indivíduo.
É inviolável tudo aquilo que não pode ser entregue ao
VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença,
público, que merece ser preservado. Sempre que violada
sendo assegurado o livre exercício dos cultos religio-
a honra, a imagem, a vida privada, sem consentimento do
sos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais indivíduo, a este caberá indenização pelo dano material
de culto e a suas liturgias; ou moral pelo ato cometido. No que tange ao domicílio,
VII - é assegurada, nos termos da lei, a prestação de este poderá ser violado a qualquer horário sempre que
assistência religiosa nas entidades civis e militares de caso de flagrante delito ou desastre, ou ainda no caso de
internação coletiva; determinação judicial, neste último caso apenas durante o
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de dia (06h00 as 18h00).

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


crença religiosa ou de convicção filosófica ou polí- Das formas de comunicação, sejam elas por
tica, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação correspondência, comunicação telegráfica ou telefônica,
legal a todos imposta e recusar-se a cumprir presta- somente a última, por determinação judicial, poderá ser
ção alternativa, fixada em lei; parcialmente quebrada, com prazo de duração.

Assegurada a plena liberdade de consciência, ofertando XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou
a lei de proteção aos locais de culto e suas liturgias. Esse profissão, atendidas as qualificações profissionais
inciso compreende três formas de liberdade: crença, culto que a lei estabelecer;
e organização religiosa. A possibilidade de escolher qual Toda atividade profissional exercida espontaneamente
religião seguir, ou mesmo não seguir nenhuma religião pelo indivíduo é respeitada pela CF/88, inclusive aquelas
está amparada pela liberdade de crença. Porém, importante não classificadas para efeito de registro em carteira de
destacar que a liberdade de escolher sua própria religião trabalho. Assim, em se tratando de atividade lícita poderá
não pode servir de amparo ao embaraçamento daquele o indivíduo exercê-la livremente.
que pretende praticar outra religião.
A assistência religiosa é assegurada a quem dela queira XIV - é assegurado a todos o acesso à informação e
fazer uso; logo, não será ofertada assistência religiosa sem resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao
a anuência do interessado. exercício profissional;
Por fim, sob o tópico “religião”, importante fazer Tem esse inciso a função de afastar o indivíduo da
menção ao direito de professar ou não qualquer religião censura; permite-se a liberdade de expressão do indivíduo
inclusive exercer suas práticas, com cultos. Importante desde que não venha a ferir direitos de outrem.

7
XV - é livre a locomoção no território nacional em tem-
po de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos #FicaDica
da lei, nele entrar, permanecer ou dele sair com seus
bens; Cumpridos tais requisitos, poderá a associação
É a possibilidade conferida em tempos de paz a todos funcionar sem, inclusive, sofrer qualquer
os indivíduos de circular livremente no território nacional interferência do Estado; no entanto, por meio
de decisão judicial transitada em julgada poderá
sem qualquer limitação, nos termos da lei.
ser dissolvida a associação ou ter suas atividades
suspensas. Além das associações também
XVI - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas,
possíveis as cooperativas com objetivos diferentes
em locais abertos ao público, independentemente
das associações.
de autorização, desde que não frustrem outra reu-
nião anteriormente convocada para o mesmo local,
sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade
competente; XXII - é garantido o direito de propriedade;
O direito de reunião vem estampado no art. 5º como XXIII - a propriedade atenderá a sua função social;
modalidade de direito fundamental para demonstrar XXIV - a lei estabelecerá o procedimento para desapro-
a força da democracia. Por conta desse direito, todos priação por necessidade ou utilidade pública, ou por
podem reunir-se em local público com finalidades diversas, interesse social, mediante justa e prévia indenização
independentemente de autorização. É necessário, no em dinheiro, ressalvados os casos previstos nesta
entanto, que aqueles que desejam se reunir comuniquem Constituição;
autoridade competente, especialmente para não ferir XXV - no caso de iminente perigo público, a autoridade
direitos daqueles que previamente se decidiram pela competente poderá usar de propriedade particular,
reunião em local da vontade de ambos. Assim, desde assegurada ao proprietário indenização ulterior, se
que pacificamente, sem armas, indivíduos podem se houver dano;
reunir em locais públicos, necessitando apenas informar XXVI - a pequena propriedade rural, assim definida em
as autoridades. Não é necessário autorização do poder lei, desde que trabalhada pela família, não será obje-
público, mas apenas sua comunicação. to de penhora para pagamento de débitos decorren-
tes de sua atividade produtiva, dispondo a lei sobre
XVII - é plena a liberdade de associação para fins lícitos, os meios de financiar o seu desenvolvimento;
vedada a de caráter paramilitar; Os incisos acima compõem o grupo dos direitos
XVIII - a criação de associações e, na forma da lei, a de individuais e coletivos voltados à propriedade. A CF/88
cooperativas independem de autorização, sendo ve- confere a todos o direito de propriedade, ter para si
dada a interferência estatal em seu funcionamento; propriedade particular (privada); no entanto, o uso deve
XIX - as associações só poderão ser compulsoriamente atender a função daquela propriedade. Assim, por exemplo,
dissolvidas ou ter suas atividades suspensas por de- determinada propriedade rural deve atender sua finalidade,
cisão judicial, exigindo-se, no primeiro caso, o trân- qual seja, produção de riqueza por meio do agronegócio
sito em julgado; (seja para o próprio sustento ou comércio com terceiros).
XX - ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a Não exercendo sua função social, a propriedade poderá
permanecer associado; ser destacada do patrimônio daquele indivíduo. Em
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

XXI - as entidades associativas, quando expressamente outras palavras, a propriedade urbana exerce sua função
autorizadas, têm legitimidade para representar seus social quando atende às exigências fundamentais de
filiados judicial ou extrajudicialmente; organização da cidade expressas em seu plano diretor; já a
Referidos incisos tratam da questão da associação. propriedade rural exercerá sua função social quando fizer o
Em primeiro, a associação é livre, não podendo ninguém aproveitamento correto dos recursos naturais, preservando
ser compelido a associar-se se assim não desejar. As o meio ambiente e protegendo relações de trabalho e
associações poderão ser criadas para fins lícitos; de exploração que favoreçam o bem estar dos proprietários e
forma alguma será autorizado funcionar associações com dos trabalhadores.
objetivos paramilitares (corporações privadas de nacionais
ou também de estrangeiros normalmente aparelhados por #FicaDica
uniformes e armamentos militares sem contudo pertencer
aos quadros das forças armadas). O direito à propriedade também poderá ser
relativizado quando o Estado necessitar de
determinada propriedade, bem ou serviços
prestados por particular, mediante indenização.
A CF/88 autoriza o poder público a se utilizar
da propriedade particular na iminência ou na
ocorrência de alguma situação que ofereça perigo
à coletividade.

8
Importante também explicar que a necessidade pública XXXIII - todos têm direito a receber dos órgãos públicos
ocorre sempre que o Estado se coloca diante de uma informações de seu interesse particular, ou de inte-
situação extremamente urgente que não pode ser adiada. resse coletivo ou geral, que serão prestadas no pra-
A utilidade pública é quando impõe ao Poder Público a zo da lei, sob pena de responsabilidade, ressalvadas
possibilidade de propor o uso de determinado bem em aquelas cujo sigilo seja imprescindível à segurança
contrapartida a oferta de alguma serviço que seja útil para da sociedade e do Estado;
a coletividade. Por fim, tem interesse social aquilo que XXXIV - são a todos assegurados, independentemente
venha a trazer melhorias as classes menos privilegiadas. do pagamento de taxas:
XXVII - aos autores pertence o direito exclusivo de uti- a) o direito de petição aos poderes públicos em defesa
lização, publicação ou reprodução de suas obras, de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder;
transmissível aos herdeiros pelo tempo que a lei fixar; b) a obtenção de certidões em repartições públicas,
XXVIII - são assegurados, nos termos da lei: para defesa de direitos e esclarecimento de situações
a) a proteção às participações individuais em obras co- de interesse pessoal;
letivas e à reprodução da imagem e voz humanas, Essência da democracia, ao cidadão cabível a proteção
inclusive nas atividades desportivas; do seu direito de manter-se informado de tudo aquilo
b) o direito de fiscalização do aproveitamento econômi- que envolve tanto o Estado como seu próprio nome. Ato
co das obras que criarem ou de que participarem aos contínuo, protege-se também o direito de petição ao
criadores, aos intérpretes e às respectivas represen- indivíduo; assim, todo aquele que pretender buscar pela
tações sindicais e associativas; tutela jurisdicional do Estado ou mesmo acessar legislativo
XXIX - a lei assegurará aos autores de inventos indus- e executivo, terá assegurado seu direito de petição.
triais privilégio temporário para sua utilização, bem
como proteção às criações industriais, à propriedade XXXV - a lei não excluirá da apreciação do Poder Judici-
das marcas, aos nomes de empresas e a outros sig- ário lesão ou ameaça a direito;
nos distintivos, tendo em vista o interesse social e o XXXVI - a lei não prejudicará o direito adquirido, o ato
desenvolvimento tecnológico e econômico do País; jurídico perfeito e a coisa julgada;
Esse conjunto de incisos trata dos direitos autorais; são XXXVII - não haverá juízo ou tribunal de exceção;
os frutos a serem colhidos por aqueles que desenvolvem O Brasil adota uma jurisdição. Assim, não serão tolerados
trabalho intelectual. Referidos direitos versam sobre o tribunais de exceção ou o exercício de juízes ad-hoc,
ineditismo da obra; importante lembrar que os sucessores voltados a julgar um ou outro caso. Marco da democracia,
do autor permanecerão recebendo a título universal os onde a lei vale para todos e todos devem cumpri-la. Uma
louros da obra daquele que sucedeu. lei nova não pode prejudicar direitos já conquistados
A marca também é protegida em todo território nacional pelo indivíduo sob pena de ferir o pacto social firmado
e o seu uso exclusivo a quem dela fez o registro; esse tema entre o indivíduo e o Estado – aceitando mudanças sem
consta inserido na seara do direito empresarial, em especial previsão legal estar-se-ia referendando arbitrariedades
no código de propriedade industrial. – é o chamado princípio da irretroatividade. Vale lembrar
que, em se tratando de retroação benéfica da lei, nenhum
XXX - é garantido o direito de herança; obstáculo se imporá. Portanto, uma crime praticado cuja
XXXI - a sucessão de bens de estrangeiros situados no pena seja alta passe por um abrandamento dessa pena
por nova lei, aquilo punido nos moldes da lei antiga será

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


País será regulada pela lei brasileira em benefício do
cônjuge ou dos filhos brasileiros, sempre que não beneficiado pela novel legislação.
lhes seja mais favorável a lei pessoal do de cujus;
Entende-se por herança a totalidade dos bens móveis XXXVIII - é reconhecida a instituição do júri, com a orga-
e imóveis deixados por aquele que veio a falecer, também nização que lhe der a lei, assegurados:
chamado de de cujus. Aquele que vier a suceder o falecido a) a plenitude de defesa;
poderá aceitar a herança, renunciá-la ou mesmo imitir-se b) o sigilo das votações;
na posse. c) a soberania dos veredictos;
d) a competência para o julgamento dos crimes dolosos
XXXII - o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa contra a vida;
do consumidor; O júri é o formato mais antigo de tribunal. Compostos
Enquadra-se no conceito de consumidor a coletividade por pessoas comuns, chamados de jurados, formam o
de pessoas, ainda que não seja possível determiná-las, que conselho de sentença, cuja função principal é opinar pela
tenham participado de uma relação de consumo composta culpa ou não do indivíduo que praticou um crime doloso
por fornecedor e consumidor. contra a vida. Serão escolhidos 07, dentre 21 pessoas
No Brasil, as relações de consumo são disciplinadas pelo a comporem o conselho de sentença. Aos jurados é
Código de Defesa do Consumidor, Lei 8.078/90, além de assegurado o sigilo das votações e ao réu a plenitude de
outras cuja matéria é mais específica como leis relacionadas defesa; ao júri, como um todo, assegurado a soberania do
a crimes contra ordem tributária, ordem econômica, entre veredicto. O tribunal do júri funcionará sempre que houver
outras. um crime doloso contra a vida.

9
XXXIX - não há crime sem lei anterior que o defina, nem trabalho forçado, cruéis ou de banimento. Inserido no sistema
pena sem prévia cominação legal; prisional, ao indivíduo assegurado respeito a sua integridade
Também chamado de princípio da legalidade. Por este física e moral. Para as mulheres, tratativa diferenciada em perío-
princípio o indivíduo só poderá responder criminalmente por dos de amamentação, podendo ficar com seu filho.
alguma conduta por ele praticado se esta conduta houver sido
considerada crime antes de sua prática. Ou seja, a conduta LI - nenhum brasileiro será extraditado, salvo o naturaliza-
definida como crime deve ser anterior a sua prática. do, em caso de crime comum, praticado antes da natu-
XL - a lei penal não retroagirá, salvo para beneficiar o réu; ralização, ou de comprovado envolvimento em tráfico
XLI - a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos ilícito de entorpecentes e drogas afins, na forma da lei;
direitos e liberdades fundamentais; LII - não será concedida extradição de estrangeiro por cri-
A exceção ao princípio da irretroatividade, anteriormente me político ou de opinião;
explicado, é exatamente com relação ao benefício para LIII - ninguém será processado nem sentenciado senão
o réu. pela autoridade competente;
XLII - a prática do racismo constitui crime inafiançável e Os incisos acima compõem a proteção do direito à
imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos nacionalidade. Ao brasileiro nato (aquele que nasceu em
da lei; território brasileiro – respeitada exceção em que os genitores,
XLIII - a lei considerará crimes inafiançáveis e insuscetíveis estrangeiros, estão a serviço de seu país – ou aquele tem
de graça ou anistia a prática da tortura, o tráfico ilícito por seus genitores algum, ou ambos, brasileiros) não será
de entorpecentes e drogas afins, o terrorismo e os de- autorizada a extradição. Portanto, o brasileiro nato não será
finidos como crimes hediondos, por eles respondendo extraditado em hipótese alguma. O naturalizado, em regra
os mandantes, os executores e os que, podendo evitá- não será extraditado; salvo se houver praticado crime comum
-los, se omitirem; antes de sua naturalização ou comprovado envolvimento em
XLIV - constitui crime inafiançável e imprescritível a ação tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins.
de grupos armados, civis ou militares, contra a ordem Outra vedação à extradição é aquela solicitada em razão
constitucional e o Estado democrático; de estrangeiro ter praticado crime político ou de opinião
XLV - nenhuma pena passará da pessoa do condenado, em seu país de origem. Por defendermos a liberdade de
podendo a obrigação de reparar o dano e a decretação
manifestação, seja ela qual for, asseguramos também ao
do perdimento de bens ser, nos termos da lei, estendi-
estrangeiro esse direito.
das aos sucessores e contra eles executadas, até o limi-
te do valor do patrimônio transferido;
LIV - ninguém será privado da liberdade ou de seus bens
XLVI - a lei regulará a individualização da pena e adotará,
sem o devido processo legal;
entre outras, as seguintes:
Este inciso revela em simples palavras que ninguém
a) privação ou restrição da liberdade;
pode “ser pego de surpresa”, que “as regras do jogo” devem
b) perda de bens;
ser cumpridas. Logo, tanto a privação da liberdade como
c) multa;
d) prestação social alternativa; a privação de bens deve observar o cumprimento de um
e) suspensão ou interdição de direitos; processo judicial e o esgotamento das formas de defesa.
XLVII - não haverá penas:
a) de morte, salvo em caso de guerra declarada, nos ter- LV - aos litigantes, em processo judicial ou administrativo,
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

mos do art. 84, XIX; e aos acusados em geral são assegurados o contradi-
b) de caráter perpétuo; tório e a ampla defesa, com os meios e recursos a ela
c) de trabalhos forçados; inerentes;
d) de banimento; LVI - são inadmissíveis, no processo, as provas obtidas por
e) cruéis; meios ilícitos;
XLVIII - a pena será cumprida em estabelecimentos dis- LVII - ninguém será considerado culpado até o trânsito em
tintos, de acordo com a natureza do delito, a idade e o julgado de sentença penal condenatória;
sexo do apenado; LVIII - o civilmente identificado não será submetido a iden-
XLIX - é assegurado aos presos o respeito à integridade tificação criminal, salvo nas hipóteses previstas em lei;
física e moral; Rol de incisos que estipulam regras aos processos judiciais
L - às presidiárias serão asseguradas condições para que ou administrativos. Princípios de extrema importância, o
possam permanecer com seus filhos durante o período contraditório e a ampla defesa derivam do princípio da
de amamentação; legalidade. Assim, ao indivíduo garantido o direito de se
Rol de incisos relacionados a seara do direito penal e direito defender e ofertar contestação a tudo quanto a ele estiver
processual penal. As penas no Brasil são definidas pela CF/88; sendo alegado.
assim, possível apenas as penas de privação ou restrição da li- LIX - será admitida ação privada nos crimes de ação públi-
berdade, perda de bens, multa, prestação alternativa e suspen- ca, se esta não for intentada no prazo legal;
são parcial ou temporária de direitos. Toda pena diferente des- LX - a lei só poderá restringir a publicidade dos atos pro-
tas não será autorizada pela legislação infraconstitucional em cessuais quando a defesa da intimidade ou o interesse
especial aquelas que levem a morte, tortura, caráter perpétuo, social o exigirem;

10
Cabe ao Ministério Público o exercício das ações penais b) para a retificação de dados, quando não se prefira fazê-
públicas. No entanto, a lei faculta ao indivíduo, nas hipóteses -lo por processo sigiloso, judicial ou administrativo;
previstas em lei, a possibilidade do próprio indivíduo intentar LXXIII - qualquer cidadão é parte legítima para propor
a ação. Em regra, todos os atos são públicos, resguardada a ação popular que vise a anular ato lesivo ao patrimô-
defesa da intimidade e do interesse social do indivíduo. nio público ou de entidade de que o Estado participe,
à moralidade administrativa, ao meio ambiente e ao
LXI - ninguém será preso senão em flagrante delito ou por patrimônio histórico e cultural, ficando o autor, salvo
ordem escrita e fundamentada de autoridade judiciária comprovada má-fé, isento de custas judiciais e do ônus
competente, salvo nos casos de transgressão militar ou da sucumbência;
crime propriamente militar, definidos em lei; Este rol de incisos apresentam os remédios constitucionais.
LXII - a prisão de qualquer pessoa e o local onde se encon- São eles, habeas corpus, habeas data, mandado de segurança,
tre serão comunicados imediatamente ao juiz compe- mandado de injunção e ação popular, cada qual disciplinado
tente e à família do preso ou à pessoa por ele indicada; por lei específica.
LXIII - o preso será informado de seus direitos, entre os
quais o de permanecer calado, sendo-lhe assegurada a LXXIV - o Estado prestará assistência jurídica integral e
assistência da família e de advogado; gratuita aos que comprovarem insuficiência de recur-
LXIV - o preso tem direito à identificação dos responsáveis sos;
por sua prisão ou por seu interrogatório policial; LXXV - o Estado indenizará o condenado por erro judiciá-
LXV - a prisão ilegal será imediatamente relaxada pela au- rio, assim como o que ficar preso além do tempo fixado
toridade judiciária; na sentença;
LXVI - ninguém será levado à prisão ou nela mantido quando LXXVI - são gratuitos para os reconhecidamente pobres,
a lei admitir a liberdade provisória, com ou sem fiança; na forma da lei:
LXVII - não haverá prisão civil por dívida, salvo a do res- a) o registro civil de nascimento;
ponsável pelo inadimplemento voluntário e inescusável b) a certidão de óbito;
de obrigação alimentícia e a do depositário infiel; LXXVII - são gratuitas as ações de habeas corpus e habeas
Rol de incisos que garante direitos àqueles que estiverem data , e, na forma da lei, os atos necessários ao exercício
presos. Em regra, o indivíduo somente será preso por da cidadania.
determinação judicial ou em caso de flagrante delito. Aquele LXXVIII - a todos, no âmbito judicial e administrativo,
que vier a ser preso indicará alguém de sua família ou são assegurados a razoável duração do processo e os
qualquer outro sobre a prisão. Além da assistência da família e meios que garantam a celeridade de sua tramitação.
de advogado, terá o preso direito de permanecer em silêncio. § 1º As normas definidoras dos direitos e garantias funda-
mentais têm aplicação imediata.
LXVIII - conceder-se-á habeas corpus sempre que alguém § 2º Os direitos e garantias expressos nesta Constituição
sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou co- não excluem outros decorrentes do regime e dos prin-
ação em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade cípios por ela adotados, ou dos tratados internacionais
ou abuso de poder; em que a República Federativa do Brasil seja parte.
LXIX - conceder-se-á mandado de segurança para prote- § 3º Os tratados e convenções internacionais sobre direi-
ger direito líquido e certo, não amparado por habeas tos humanos que forem aprovados, em cada Casa do
corpus ou habeas data , quando o responsável pela ile- Congresso Nacional, em dois turnos, por três quintos
galidade ou abuso de poder for autoridade pública ou dos votos dos respectivos membros, serão equivalentes

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


agente de pessoa jurídica no exercício de atribuições às emendas constitucionais.
do poder público; § 4º O Brasil se submete à jurisdição de Tribunal Penal In-
LXX - o mandado de segurança coletivo pode ser impe- ternacional a cuja criação tenha manifestado adesão.
trado por: Regras gerais a respeito dos direitos fundamentais.
a) partido político com representação no Congresso Na-
cional; Dos direitos sociais
b) organização sindical, entidade de classe ou associa-
ção legalmente constituída e em funcionamento há Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimen-
pelo menos um ano, em defesa dos interesses de seus tação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segu-
membros ou associados; rança, a previdência social, a proteção à maternidade e à
LXXI - conceder-se-á mandado de injunção sempre que infância, a assistência aos desamparados, na forma des-
a falta de norma regulamentadora torne inviável o ta Constituição. (Artigo com redação dada pela Emenda
exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das Constitucional nº 90, de 2015)
prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais,
à cidadania; além de outros que visem à melhoria de sua condição
LXXII - conceder-se-á habeas data : social:
a) para assegurar o conhecimento de informações relati- I - relação de emprego protegida contra despedida ar-
vas à pessoa do impetrante, constantes de registros ou bitrária ou sem justa causa, nos termos de lei comple-
bancos de dados de entidades governamentais ou de mentar, que preverá indenização compensatória, dentre
caráter público; outros direitos;

11
II - seguro-desemprego, em caso de desemprego invo- XXIX - ação, quanto aos créditos resultantes das relações
luntário; de trabalho, com prazo prescricional de cinco anos para
III - fundo de garantia do tempo de serviço; os trabalhadores urbanos e rurais, até o limite de dois
IV - salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, anos após a extinção do contrato de trabalho;
capaz de atender às suas necessidades vitais básicas e às a) (Alínea revogada pela Emenda Constitucional nº 28, de
de sua família com moradia, alimentação, educação, saú- 2000)
de, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, b) (Alínea revogada pela Emenda Constitucional nº 28, de
com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aqui- 2000)
sitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim; XXX - proibição de diferença de salários, de exercício de
V - piso salarial proporcional à extensão e à complexidade funções e de critério de admissão por motivo de sexo,
do trabalho; idade, cor ou estado civil;
VI - irredutibilidade do salário, salvo o disposto em con- XXXI - proibição de qualquer discriminação no tocante a
venção ou acordo coletivo; salário e critérios de admissão do trabalhador portador
VII - garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os
de deficiência;
que percebem remuneração variável;
XXXII - proibição de distinção entre trabalho manual, téc-
VIII - décimo terceiro salário com base na remuneração in-
nico e intelectual ou entre os profissionais respectivos;
tegral ou no valor da aposentadoria;
IX - remuneração do trabalho noturno superior à do diur- XXXIII - proibição de trabalho noturno, perigoso ou insa-
no; lubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a me-
X - proteção do salário na forma da lei, constituindo crime nores de dezesseis anos, salvo na condição de aprendiz,
sua retenção dolosa; a partir de quatorze anos;
XI - participação nos lucros, ou resultados, desvinculada da XXXIV - igualdade de direitos entre o trabalhador com
remuneração, e, excepcionalmente, participação na gestão vínculo empregatício permanente e o trabalhador avulso.
da empresa, conforme definido em lei; Parágrafo único. São assegurados à categoria dos traba-
XII - salário-família pago em razão do dependente do tra- lhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV,
balhador de baixa renda nos termos da lei; VI, VII, VIII, X, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XXI, XXII, XXIV,
XIII - duração do trabalho normal não superior a oito horas XXVI, XXX, XXXI e XXXIII e, atendidas as condições esta-
diárias e quarenta e quatro semanais, facultada a compen- belecidas em lei e observada a simplificação do cumpri-
sação de horários e a redução da jornada, mediante acor- mento das obrigações tributárias, principais e acessórias,
do ou convenção coletiva de trabalho; decorrentes da relação de trabalho e suas peculiaridades,
XIV - jornada de seis horas para o trabalho realizado em os previstos nos incisos I, II, III, IX, XII, XXV e XXVIII, bem
turnos ininterruptos de revezamento, salvo negociação co- como a sua integração à previdência social. (Parágrafo
letiva; único com redação dada pela Emenda Constitucional nº
XV - repouso semanal remunerado, preferencialmente aos 72, de 2013)
domingos; Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, obser-
XVI - remuneração do serviço extraordinário superior, no vado o seguinte:
mínimo, em cinqüenta por cento à do normal; I - a lei não poderá exigir autorização do Estado para a
XVII - gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, fundação de sindicato, ressalvado o registro no órgão
um terço a mais do que o salário normal; competente, vedadas ao poder público a interferência e a
XVIII - licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

intervenção na organização sindical;


salário, com a duração de cento e vinte dias; II - é vedada a criação de mais de uma organização sindi-
XIX - licença-paternidade, nos termos fixados em lei;
cal, em qualquer grau, representativa de categoria profis-
XX - proteção do mercado de trabalho da mulher, median-
sional ou econômica, na mesma base territorial, que será
te incentivos específicos, nos termos da lei;
definida pelos trabalhadores ou empregadores interessa-
XXI - aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo
dos, não podendo ser inferior à área de um Município;
no mínimo de trinta dias, nos termos da lei;
XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio III - ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses
de normas de saúde, higiene e segurança; coletivos ou individuais da categoria, inclusive em ques-
XXIII - adicional de remuneração para as atividades peno- tões judiciais ou administrativas;
sas, insalubres ou perigosas, na forma da lei; IV - a assembléia geral fixará a contribuição que, em se
XXIV - aposentadoria; tratando de categoria profissional, será descontada em
XXV - assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o folha, para custeio do sistema confederativo da represen-
nascimento até 5 (cinco) anos de idade em creches e pré- tação sindical respectiva, independentemente da contri-
-escolas; buição prevista em lei;
XXVI - reconhecimento das convenções e acordos coleti- V - ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-se filia-
vos de trabalho; do a sindicato;
XXVII - proteção em face da automação, na forma da lei; VI - é obrigatória a participação dos sindicatos nas nego-
XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do ciações coletivas de trabalho;
empregador, sem excluir a indenização a que este está VII - o aposentado filiado tem direito a votar e ser votado
obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa; nas organizações sindicais;

12
VIII - é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a Educação – direito de todos / dever do Estado e da família:
partir do registro da candidatura a cargo de direção ou exercício da cidadania e qualificação para o trabalho. Ver art.
representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até 205 a 214.
um ano após o final do mandato, salvo se cometer falta - Educação de baixa qualidade = reflexos políticos negati-
grave nos termos da lei. vos. Ex: referendo / plesbicito.
Parágrafo único. As disposições deste artigo aplicam-se
à organização de sindicatos rurais e de colônias de pes- Saúde – direito de todos / dever do Estado: redução do
cadores, atendidas as condições que a lei estabelecer. risco de doenças e acesso universal aos serviços de saúde.
Art. 9º É assegurado o direito de greve, competindo aos Ver art. 196
trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo - SUS – Art. 200: atendimento integral, com prioridade
e sobre os interesses que devam por meio dele defen- para atividades preventivas.
der. - Judicialização do direito a saúde. (problemas de gestão)
§ 1º A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e
disporá sobre o atendimento das necessidades inadiá- Alimentação – Comissão de Direitos Humanos da ONU
veis da comunidade. (1993). EC 64/2010. Direito a alimentação adequada, ou seja,
§ 2º Os abusos cometidos sujeitam os responsáveis às inerente a dignidade da pessoa humana e indispensável.
penas da lei. Trabalho – instrumento para assegurar uma existência
Art. 10. É assegurada a participação dos trabalhadores e digna. Governo, política econômica não recessiva,
empregadores nos colegiados dos órgãos públicos em possibilitando a busca por empregos.
que seus interesses profissionais ou previdenciários se- Moradia - promover programas de construção de moradias
jam objeto de discussão e deliberação. e melhoria das condições habitacionais e de saneamento
Art. 11. Nas empresas de mais de duzentos emprega- básico. Princípios: intimidade, privacidade, inviolabilidade de
dos, é assegurada a eleição de um representante destes domicílio.
com a finalidade exclusiva de promover-lhes o entendi-
mento direto com os empregadores. Impenhorabilidade do bem de família
Regra geral: impenhorabilidade.
Direitos sociais em espécie (11 espécies): os direitos Exceções: fiador em contrato de aluguel, devedor de
sociais “disciplinam situações subjetivas pessoais ou grupais IPTU, pagamento de débitos trabalhistas aos trabalhadores
de caráter concreto”. Tratam-se de prestações positivas do domésticos do imóvel. E imóvel de maior valor?
Estado a serem implementadas, no sentido de possibilitar Lazer – função urbanística do Estado. O lazer interfere nas
busca por melhores condições de vida. São irrenunciáveis. condições de trabalho e de vida do ser humano.
Ao contrário dos direitos individuais que se apresentam pelo Segurança: também presente no artigo 5. Porém, lá com
“não fazer” do Estado, no que tange aos direitos sociais, as características de garantia individual. Já como social, volta-
estes demandam o “agir” do Estado. se a segurança pública.
Rol de direitos sociais Previdência social: direitos relacionados com a seguridade
- Art. 6 social. Erradicar a pobreza e a marginalização, reduzir as
- Art. 7 a 11 desigualdades sociais e promover o bem de todos.
- Art. 193 a 232 (Da ordem Social) Proteção a maternidade e a infância: dois aspectos:
Cláusula pétrea? Art. 60 §4 IV Direito previdenciário: assistência pelo afastamento,

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


Destinatários dos direitos sociais: todos os indivíduos, desoneração do empregador.
especialmente os hipossuficientes. Aqueles que necessitam Direito assistencial: estatuto da juventude.
da ação positiva do Estado. Assistência aos desamparados: ver art. 203 V – LOAS.
Modalidades do artigo 6º (círculo virtuoso) (rol Garantir o sustento, provisório ou permanente, dos que
exemplificativo) não têm condições para tanto. Não significa estabelecer
5 - Educação boas condições de vida, mas condições suficientes para
2 – Saúde (art. 196 a 200) manutenção de sua dignidade.
3 - Alimentação Transporte: transporte público tem influência direta em
7 - Trabalho outros aspectos da vida dos cidadãos. Ex: evasão escolar;
4 - moradia trabalho; bem estar.
11 - Lazer
10 - Segurança
9 - Previdência Social
1 - Proteção a maternidade e a infância
8 - Assistência aos desamparados (art. 194 e 195)
6 - Transportes

13
Direitos relativos aos trabalhadores

Quem é empregado? Pessoa física presta serviços de natureza não eventual para um empregador mediante salário. Como
se identificar um contrato de trabalho? Caráter personalíssimo, subordinação, remuneração e permanência de vínculo.
Art. 7 cabível para empregado urbano ou rural que preencha as características acima.
Direitos das relações individuais de trabalho (exemplos)
- Proteção contra dispensa arbitrária, sem justa causa.
- Seguro desemprego
- Fundo de garantia
- Salário mínimo fixado em lei.
- Piso salarial
- 13 Salário
- remuneração trabalho noturno
- repouso semanal
- Férias
- Licença gestante
Atenção para o Art. 7 parágrafo único: empregado doméstico.
Direitos das relações coletivas
- direito de associação profissional ou sindical;
Vedado impedir a criação
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

Liberdade de ser associado ou não


Possibilidade de cobranças para custos
Vedação de dispensa de empregado sindicalizado
- direito de greve;
Cabe aos empregados decidir o momento oportuno e a pauta de reinvindicações. Alguns serviços são considerados
essenciais, necessários. Nesse caso, a lei definirá que tipo de serviço será considerado essencial.
- direito de substituição processual;
Legitimidade dos sindicatos para a representação dos empregados sindicalizados.
- direito de participação;
Participação de trabalhadores em colegiados de órgãos públicos em assuntos de interesse da categoria.
- direito de representação classista.
Empresas com mais de 200 empregados podem eleger um representante para estabelecer diálogo com empregadores.

Capítulo III
Da nacionalidade

Art. 12. São brasileiros:


I - natos:
a) os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde que estes não estejam a serviço
de seu país;

14
b) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou de de deveres. Referida associação - entre indivíduo e Estado
mãe brasileira, desde que qualquer deles esteja a serviço é que determina e permite a identificação dos sujeitos
da República Federativa do Brasil; que compõe a dimensão pessoal do Estado, um dos
c) os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de seus elementos constitutivos básicos”. Trata-se de direito
mãe brasileira, desde que sejam registrados em repartição previsto no artigo 15 da Declaração Universal dos Direitos
brasileira competente ou venham a residir na República do Homem.
Federativa do Brasil e optem, em qualquer tempo, depois - Elementos do Estado: território, soberania e povo.
de atingida a maioridade, pela nacionalidade brasileira; - Vínculo político e social: nacionalidade. (obs:
II - naturalizados: nacionalidade ≠ nação).
a) os que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade Modalidades de aquisição da nacionalidade
brasileira, exigidas aos originários de países de língua - Primária: nascimento do indivíduo.
portuguesa apenas residência por um ano ininterrupto e - Secundário: obtida voluntariamente pelo indivíduo –
idoneidade moral; Ex: casamento.
b) os estrangeiros de qualquer nacionalidade residentes Critérios para determinar nacionalidade
na República Federativa do Brasil há mais de quinze - Jus soli: indivíduo nascido em território específico.
anos ininterruptos e sem condenação penal, desde que - jus sanguinis: prioriza laços familiares, filiação.
requeiram a nacionalidade brasileira. Apátridas: conhecidos por serem aqueles que não
§ 1º Aos portugueses com residência permanente no detêm pátria por não se enquadrarem no critério previsto
País, se houver reciprocidade em favor dos brasileiros, para aquisição da nacionalidade. Os poliapátridas são
serão atribuídos os direitos inerentes ao brasileiro, salvo os aqueles que preenchem tanto os critérios para aquisição
casos previstos nesta Constituição. de nacionalidade do Estado que nasceu como no Estado
§ 2º A lei não poderá estabelecer distinção entre de origem dos pais.
brasileiros natos e naturalizados, salvo nos casos previstos
nesta Constituição. Exemplo: nascido em território estrangeiro que adota
§ 3º São privativos de brasileiro nato os cargos:
com exclusividade o critério jus sanguinis; ou ainda pelo
I - de Presidente e Vice-Presidente da República;
cancelamento da naturalização cujo país não admite dupla
II - de Presidente da Câmara dos Deputados;
naturalização. Atualmente os países adotam critérios
III - de Presidente do Senado Federal;
mistos.
IV - de Ministro do Supremo Tribunal Federal;
V - da carreira diplomática;
1) Espécies de nacionalidade
VI - de oficial das Forças Armadas;
- Originária: é aquela que se adquire pela ocorrência
VII – de Ministro de Estado da Defesa.
do fato natural (nascimento). Trata-se de um meio
§ 4º Será declarada a perda da nacionalidade do
brasileiro que: involuntário.
I - tiver cancelada sua naturalização, por sentença - Secundária: trata-se, normalmente, de ato voluntário.
judicial, em virtude de atividade nociva ao interesse A naturalização decorre da vontade do interessado de
nacional; compor o povo de um Estado específico.
II - adquirir outra nacionalidade, salvo nos casos:
a) de reconhecimento de nacionalidade originária pela Hipóteses de aquisição

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


lei estrangeira; - Originária
b) de imposição de naturalização, pela norma
estrangeira, ao brasileiro residente em Estado estrangeiro,
como condição para permanência em seu território ou para
o exercício de direitos civis;
Art. 13. A língua portuguesa é o idioma oficial da
República Federativa do Brasil.
§ 1º São símbolos da República Federativa do Brasil a
bandeira, o hino, as armas e o selo nacionais.
§ 2º Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios
poderão ter símbolos próprios.

Direitos de nacionalidade
Introdução
Conceitos importantes: segundo Nathália Masson,
entende-se por nacionalidade o “vínculo jurídico-político
que liga o indivíduo a um determinado Estado, comando-o
um componente do povo, o que o capacita a exigir a
proteção estatal, a fruição de prerrogativas ínsitas à
condição de nacional, bem como o sujeita ao cumprimento

15
- Critério jus soli
Trata-se de critério territorial. Será considerado nato o indivíduo nascido em território nacional; independe da
nacionalidade de seus ascendentes. O que faz parte do território nacional?
Território nacional: - Terras delineadas pelos limites geográficos do país
- rios, baías, golfos, ilhas, bem como o espaço aéreo e o mar territorial;
Atenção! Extensão ficcional:
É o ato de reconhecer como parte do território nacional os navios e as aeronaves públicos (ou requisitados) brasileiros,
onde quer que se encontrem, assim como os navios privados brasileiros em alto mar, as aeronaves privadas brasileiras em
voo sobre o alto mar e as embarcações privadas estrangeiras em mar (ou espaço aéreo) brasileiro.
Obs: se o nascido for filho de estrangeiros a serviço do seu país de origem, não haverá o reconhecimento da nacionalidade.
Ex: casal de suíços a serviço da Suíça (o mesmo não se pode falar daqueles a serviço de empresa privada ou outro país)
concebem seu filho em solo brasileiro – o filho, ainda que nascido em território no Brasil não será brasileiro. No exemplo
acima, caso um dos genitores seja brasileiro, o fato do outro cônjuge estar a serviço de seu país, será o nascido brasileiro.
- Critério jus sanguinis
Trata-se de uma espécie de mitigação do critério territorial com a finalidade de se evitar a existência de apátridas.
Oportuno registrar que esse critério não se resume sozinho. Sempre dependerá da conjugação com alguns elementos:
- Critério funcional: um dos pais brasileiros (ou ambos) a serviço do Brasil. Ex: nascido em território estrangeiro, filho de
um dos pais (ou ambos) brasileiro, estando este a serviço do país. Mesmo não nascendo em território brasileiro, será
considerado brasileiro nat.

- Registro em repartição brasileira: criança nascida no estrangeiro, filho de brasileiro (ou ambos), com registro de
nascimento feito em repartição brasileira competente, como por exemplo, embaixada ou consulado. Em tempo, esse direito
foi suprimido e posteriormente reinserido no texto em 2007.
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

- Opção após maioridade: nascido no estrangeiro, filho de pai ou mãe (ou ambos) brasileiro, resolve residir, após a
maioridade, no Brasil. Esta poderá fazer a opção de se registrar como brasileira.

- Secundária
- Tácita: países com número de nacionais inferior ao desejado; caso não declare o estrangeiro sua intenção de permanecer
estrangeiro, automaticamente se torna nacional daquele país. (não aceito no Brasil).
- Expressa (duas formas: ordinária / extraordinária).
Ordinária
- Estatuto do Estrangeiro:
Residência permanente por mais de 04 anos
Capacidade Civil

16
Domínio da língua VII - seis cidadãos brasileiros natos, com mais de trinta
Exercício da profissão e cinco anos de idade, sendo dois nomeados pelo Pre-
Bons procedimentos sidente da República, dois eleitos pelo Senado Federal
Boa saúde. e dois eleitos pela Câmara dos Deputados, todos com
- Países de língua Portuguesa: mandato de três anos, vedada a recondução.
Residência permanente por no mínimo 01 ano 3º) Extradição (brasileiro nato não pode ser extraditado).
Demais condições apontadas acima. No que tange ao naturalizado, a CF/88 permitiu a extradição
- Radicação precoce: do naturalizado em duas situações).
Vem residir no Brasil antes de completar 05 anos. - Crime comum antes da naturalização.
Necessário requerimento de naturalização - Envolvimento comprovado com o tráfico ilícito de
Prazo: 02 anos a partir da maioridade (18 anos). entorpecentes ou drogas afins.
- Conclusão ensino superior: 4º) Propriedade de empresa jornalística e de radiodifusão
Estrangeiros vindo a residir no país antes da maioridade; sonora e de sons e imagens.
Conclusão ensino superior instituição nacional; - Privativo de brasileiros natos ou naturalizados há mais
Requisição nacionalidade até 01 ano formado. de 10 anos.
- Procedimento
Tem natureza administrativa uma vez que todo o 3) Perda do Direito de Nacionalidade
procedimento ocorre no Ministério da Justiça até decisão Previsão: art. 12 §4º CF/88
final do Presidente da República; a entrega, porém, é feita Hipóteses:
pela Justiça Federal. Trata-se de ato ex nunc. - Cancelamento por sentença judicial (atividade nociva
Extraordinária ao interesse nacional:
- Quinze anos de residência ininterrupta Ordem pública ou segurança nacional) Chamada de
- Ausência de condenação penal perda-punição.
- Requerimento de naturalização. - Aquisição voluntária de nova nacionalidade (perda
mudança). Vale tanto para natos como naturalizados.

4) Quase naturalização
Segundo Nathália Masson, “o texto constitucional, se
houver reciprocidade em favor de brasileiros residentes em
Portugal, os portugueses que aqui residam terão tratamento
jurídico similar ao dispensado ao brasileiro naturalizado,
sem precisarem, para isso, de se submeterem a qualquer
procedimento de naturalização. Como a reciprocidade
existe, os portugueses residentes na República Federativa
do Brasil em caráter permanente poderão comparecer
ao Ministério da Justiça, munidos de documento que
comprove a nacionalidade portuguesa, a capacidade civil
2) Diferença de tratamento (natos e naturalizados)
e a admissão na República Federativa do Brasil em caráter
Vedação: nos termos do art. 5º, desdobrado no art.

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


permanente, para requerer a quase nacionalidade”.
12§2º da Constituição Federal. Exceções:
1º) Cargos: Presidente da República e aqueles em sua Capítulo IV
linha de sucessão, além dos cargos responsáveis pela Dos direitos políticos
Segurança Nacional:
- Presidente da República e Vice-Presidente da Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio
República, universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual
- Presidente da Câmara dos Depurados, Presidente do para todos, e, nos termos da lei, mediante:
Senado Federal e Ministro do STF, I - plebiscito;
- Membro da carreira diplomática, II - referendo;
- Oficial das Forças Armadas e III - iniciativa popular.
- Ministro de Estado da Defesa. § 1º O alistamento eleitoral e o voto são:
2º) Conselho da República: art. 89 VII (formação) I - obrigatórios para os maiores de dezoito anos;
I - o Vice-Presidente da República; II - facultativos para:
II - o Presidente da Câmara dos Deputados; a) os analfabetos;
III - o Presidente do Senado Federal; b) os maiores de setenta anos;
IV - os líderes da maioria e da minoria na Câmara dos c) os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos.
Deputados; § 2º Não podem alistar-se como eleitores os estrangei-
V - os líderes da maioria e da minoria no Senado Federal; ros e, durante o período do serviço militar obrigatório,
VI - o Ministro da Justiça; os conscritos.

17
§ 3º São condições de elegibilidade, na forma da lei: II - incapacidade civil absoluta;
I - a nacionalidade brasileira; III - condenação criminal transitada em julgado, en-
II - o pleno exercício dos direitos políticos; quanto durarem seus efeitos;
III - o alistamento eleitoral; IV - recusa de cumprir obrigação a todos imposta ou
IV - o domicílio eleitoral na circunscrição; prestação alternativa, nos termos do art. 5º, VIII;
V - a filiação partidária; V - improbidade administrativa, nos termos do art. 37, § 4º.
VI - a idade mínima de: Art. 16. A lei que alterar o processo eleitoral entrará em
vigor na data de sua publicação, não se aplicando à
a) trinta e cinco anos para Presidente e Vice-Presidente eleição que ocorra até um ano da data de sua vigência.
da República e Senador;
b) trinta anos para Governador e Vice-Governador de Trata-se de prerrogativa do direito de nacionalidade. É
Estado e do Distrito Federal; assegurado a determinado grupo de pessoas chamados
c) vinte e um anos para Deputado Federal, Deputado de cidadãos. São os meios pelos quais o povo exerce sua
Estadual ou Distrital, Prefeito, Vice-Prefeito e juiz de soberania, ou seja, a soberania popular. É a exteriorização
paz; da vontade do povo na condução da coisa pública.
d) dezoito anos para Vereador.
§ 4º São inelegíveis os inalistáveis e os analfabetos.
§ 5º O Presidente da República, os Governadores de #FicaDica
Estado e do Distrito Federal, os Prefeitos e quem os
Nacionalidade ≠ Cidadania: segundo José
houver sucedido ou substituído no curso dos manda-
Afonso da Silva, “a nacionalidade é o vínculo
tos poderão ser reeleitos para um único período sub-
ao território estatal por nascimento ou por
sequente.
naturalização, tem status político”; cidadania
§ 6º Para concorrerem a outros cargos, o Presidente
“qualifica os participantes da vida do Estado, é
da República, os Governadores de Estado e do Distrito
atributo das pessoas integradas na sociedade
Federal e os Prefeitos devem renunciar aos respectivos
estatal, atributo político decorrente do direito
mandatos até seis meses antes do pleito.
de participar no governo e direito de ser
§ 7º São inelegíveis, no território de jurisdição do titu-
ouvido pela representação política”.
lar, o cônjuge e os parentes consanguíneos ou afins,
até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da
República, de Governador de Estado ou Território, do
E continua:
Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substi-
“Cidadão, no direito brasileiro, é o indivíduo que seja
tuído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo
titular dos direitos políticos de votar e ser votado e suas
se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição.
§ 8º O militar alistável é elegível, atendidas as seguintes consequências. Nacionalidade é o conceito mais amplo do
condições: que cidadania, e é pressuposto desta, uma vez que só o
I - se contar menos de dez anos de serviço, deverá titular da nacionalidade brasileiro poder ser cidadão”.
afastar-se da atividade;
II - se contar mais de dez anos de serviço, será agrega- 1. Regime democrático
do pela autoridade superior e, se eleito, passará auto- - Democracia direta: exercício do poder diretamente
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

maticamente, no ato da diplomação, para a inatividade. pelo povo, sem intermediários.


§ 9º Lei complementar estabelecerá outros casos de - Democracia representativa: povo elege seus
inelegibilidade e os prazos de sua cessação, a fim de representantes.
proteger a probidade administrativa, a moralidade - Democracia participativa: sistema híbrido; parte
para o exercício do mandato, considerada a vida pre- exercida diretamente pelo povo e parte pelos representantes
gressa do candidato, e a normalidade e legitimidade eleitos pelo povo.
das eleições contra a influência do poder econômico
ou o abuso do exercício de função, cargo ou emprego
na administração direta ou indireta.
#FicaDica
§ 10. O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Modelo brasileiro: democracia participativa –
Justiça Eleitoral no prazo de quinze dias contados da CF Art. 1º par. Único e Art. 14.
diplomação, instruída a ação com provas de abuso do
poder econômico, corrupção ou fraude.
§ 11. A ação de impugnação de mandato tramitará em Democracia direta (institutos)
segredo de justiça, respondendo o autor, na forma da - Plesbicito, referendo, participação popular e ação po-
lei, se temerária ou de manifesta má-fé. pular.
Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, cuja Plesbicito e referendo: ambos são formas de consulta
perda ou suspensão só se dará nos casos de: ao povo de matéria de extrema relevância (ex: siste-
I - cancelamento da naturalização por sentença transi- ma de governo; desarmamento). O que os difere é o
tada em julgado; momento em que essa consulta é feita.

18
- Plesbicito (consulta prévia): primeiro ocorre a consulta - Nacionalidade brasileira (excluídos os estrangeiros)
popular para só então ser tomada a decisão política. - Idade mínima de 16 anos
Ex: sistema de governo. Facultativo: entre 16 e 18 anos; acima de 70 anos.
- Referendo (consulta a posteriori): primeiro é tomada Obrigatório: entre 18 e 70 anos.
a decisão política para então ser levada a apreciação - Não ser conscrito (serviço militar obrigatório): o
do povo que poderá ratificar ou rejeitar. Ex: desarma- conscrito não poderá votar. E se por acaso o conscrito se
mento. engajar no serviço miltar permanente? São obrigados a se
- Iniciativa popular: apresentação de projeto de lei para alistarem como eleitores
a Câmara dos Deputados, subscrito por no mínimo - Soberania Popular: exercida pelo sufrágio universal e
1% do eleitorado brasileiro, distribuídos por no míni- pelo voto direto e secreto. É possível classificar a sobe-
mo 5 estados com não menos de 0,3% dos eleitores rania como: una, indivisível, inalienável e imprescritível.
de cada um deles. - Sufrágio: direito que o cidadão possui de participar
- Ação popular: Lei 4.717/65 da organização política estatal. É a permissão para
eleger e/ou ser eleito. Sufrágio universal: “quando se
outorga o direito de votar a todos os nacionais de
um país, sem restrições derivadas das condições de
#FicaDica nascimento, de fortuna e capacidade especial”.
Atenção! Uma vez proclamado o resultado do - Direito de voto e escrutínio: o voto é uma das formas
plesbicito ou do referendo, seria possível sua do exercício do sufrágio; é o instrumento pelo qual
alteração por meio de Emenda Constitucional ou se exterioriza sua vontade. Tem por características:
Lei? Não. Tais medidas seriam inconstitucionais. direto, secreto, Periódico e universal. No Brasil, tem
Logo, a democracia direta prevalece sobre a por característica ser personalíssimo e obrigatório. A
representativa. Sua mudança poderia ocorrer
apenas após nova consulta popular.
obrigatoriedade do voto é cláusula pétrea? Não, nos
termos do art. 60 §4º II.

Conceitos (Teoria Geral do Estado) #FicaDica


Cidadania: capacidade de possuir direitos políticos, votar Características do voto: direto, secreto, universal
e ser votado. e periódico.
Sufrágio: direito de votar e ser votado.
Voto: modo pelo qual se exerce o sufrágio.
Escrutínio: modo pelo qual se exercita o voto.
- Direto: o eleitor vota diretamente no candidato. Obs:
eleição indireta – possível. Vacância do cargo de pre-
2. Classificação dos Direitos Políticos sidente e vice presidente nos dois últimos anos de
Memorizar: mandato – eleição realizada pelo Congresso nacio-
nal.
- Secreto: veda-se a publicidade do voto. Votação parla-
mentar: aberta. O sigilo do voto deverá ser assegura-

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


do e, adotadas as seguintes providências:
- Isolamento em cabine indevassável
- Verificação documental e sua autenticidade
- Urna que assegure a inviolabilidade.
- Universal: direcionada a qualquer cidadão, sem discri-
minação de natureza econômica, social, racial.
- Periódica: posto que o mandato é por prazo determi-
nado.
Eleitorado: conjunto de todos aqueles que detém o di-
reito ao sufrágio. A organização brasileira é da se-
2.1 Positivos (liberdade do cidadão participar ativamente guinte forma:
da vida pública) - Circunscrições eleitorais: nas eleições presidenciais a
Ativo: direito de votar, capacidade de ser eleitor, circunscrição será o país; nas eleições federais e esta-
alistabilidade. duais a circunscrição será o estado e nas municipais
Passivo: direito de ser votado, elegibilidade. o próprio município.
- Ativa (pressupostos para votar) – Palavra chave: alista- - Zonas eleitorais: unidades territoriais de natureza ju-
bilidade (capacidade de ser eleitor). risdicional sob a titularidade de um juiz de direito.
- Alistamento eleitoral: qualificação e inscrição da pes- - Seções eleitorais (de 300 a 400 eleitores)
soa como eleitor perante a Justiça Eleitoral (título de - Passiva (pressupostos para ser votado) – Palavra cha-
eleitor) ve: elegibilidade

19
Condições de elegibilidade (capacidade de ser eleito)
- Nacionalidade: brasileira
- Pleno exercício dos direitos políticos
- Alistamento eleitoral
- Domicílio eleitoral na circunscrição (onde for concorrer ao mandato)
- Filiação partidária
- Idade Mínima:
35 – Presidente, vice, senador.
30 – Governador e vice.
21 – Deputados estaduais e federais, prefeito e vice.
18 – Vereador.

#FicaDica

21 anos 30 anos 35 anos


18 anos
-Dep. Fed. - Governador - Pres. República/vice
- Vereador
-Dep. Est - Vice Governador - Senador
-Prefeito/Vice

2.2 Direitos Políticos Negativos


Podem ser definidas como as suspensões e/ou privações de direitos políticos. Atenção! Segundo Nathália Masson,
“importante, desde já, deixar firmado que a cassação dos direitos políticos, consistente na retirada arbitrária dos direitos,
engendrada por perseguições ideológicas, tão típicas dos períodos de hiato constitucional (antidemocráticos), é vedada
pela atual Constituição de 1988”.
- Inelegibilidade (Art. 14 §4º a 8º)
Absolutas: impedimento eleitoral para qualquer cargo eletivo, taxativamente previstas na CF/88.
- Inalistável: se não pode ser eleitor, não pode se eleger (estrangeiros e conscritos).
- Analfabeto: pode se alistar, mas não pode ser eleito.
- Relativas: impedimento eleitoral para algum cargo eletivo ou mandato, em função de situações em que se encontre o
cidadão candidato, previstas na CF/88 ou lei complementar.
- Em razão da função exercida:
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

- Referente ao mesmo cargo: - Chefes do executivo nas 03 esferas, não podem ser eleitos para um terceiro mandato.
(subsequente e sucessivo).
- Referente a outro cargo (desincompatibilização).
- Prefeito profissional: cumpre dois mandatos, transfere seu domicílio para concorrer ao terceiro. Impossibilidade tanto
para o próprio município como para diverso.
- Desincompatibilização: afastamento das funções por 06 meses para concorrer a outros cargos. Ex: é deputado, quer
concorrer para prefeito.
- Grau de parentesco.
- Cônjuge e os parentes consanguíneos ou afins, até o segundo grau. (presidente, governador e prefeito).
- Conhecida como inelegibilidade reflexa, haja vista incidir sobre terceiros, isto é, “refletir” em indivíduos em razão do
parentesco, da afinidade ou da condição de cônjuge que possuem freme a um chefe do Poder Executivo.
- Candidato for militar.
- Menos de 10 anos de atividade: afastamento definitivo.
- Mais de 10 anos: afastamento temporário. Se eleito, inatividade.
- Outras inelegibilidades previstas pela LC 64/90
- Probidade administrativa
- Moralidade
- Normalidade e legitimidade das eleições.

20
3. Perda dos direitos políticos I - caráter nacional;
Definitiva. II - proibição de recebimento de recursos financeiros
- Cancelamento da naturalização de entidade ou governo estrangeiros ou de subordi-
- Recusa de cumprir obrigação imposta a maioria nação a estes;
- Perda da nacionalidade em razão de ter adquirido outra. III - prestação de contas à Justiça Eleitoral;
IV - funcionamento parlamentar de acordo com a lei.
4. Suspensão dos direitos políticos § 1º É assegurada aos partidos políticos autonomia
Temporária. para definir sua estrutura interna e estabelecer regras
- Incapacidade civil absoluta sobre escolha, formação e duração de seus órgãos
- Condenação criminal definitiva. permanentes e provisórios e sobre sua organização e
- Improbidade administrativa. funcionamento e para adotar os critérios de escolha e
- Exercício de direitos políticos em outro país. Pode vo- o regime de suas coligações nas eleições majoritárias,
tar em Portugal, suspende o direito de votar no Brasil. vedada a sua celebração nas eleições proporcionais,
sem obrigatoriedade de vinculação entre as candida-
#FicaDica turas em âmbito nacional, estadual, distrital ou muni-
Não existe “cassação” de direitos políticos. cipal, devendo seus estatutos estabelecer normas de
Ou poderá ocorrer a perda ou mesmo a disciplina e fidelidade partidária. (Parágrafo com reda-
suspensão. O termo cassação pressupõe ato ção dada pela Emenda Constitucional nº 97, de 2017)
unilateral em contraditório e ampla defesa, § 2º Os partidos políticos, após adquirirem personali-
ferindo os alicerces da democracia. dade jurídica, na forma da lei civil, registrarão seus es-
tatutos no Tribunal Superior Eleitoral.
§ 3º Somente terão direito a recursos do fundo partidá-
rio e acesso gratuito ao rádio e à televisão, na forma da
5. Das Eleições
lei, os partidos políticos que alternativamente: (“Caput”
Segundo José Afonso da Silva, “as eleições são
do parágrafo com redação dada pela Emenda Consti-
procedimentos técnicos para a designação de pessoas para
tucional nº 97, de 2017)
um cargo (outras maneiras de designação são a sucessão, a
I - obtiverem, nas eleições para a Câmara dos Deputa-
cooptação, a nomeação, a aclamação) ou para a formação
dos, no mínimo, 3% (três por cento) dos votos válidos,
de assembleias. Eleger significa, geralmente, expressar uma
distribuídos em pelo menos um terço das unidades da
preferência entre alternativas, realizar um ato formal de
decisão”. Federação, com um mínimo de 2% (dois por cento) dos
Reeleição: “possibilidade que a Constituição reconhece ao votos válidos em cada uma delas; ou (Inciso acrescido
titular de um mandato eletivo de pleitear sua própria eleição pela Emenda Constitucional nº 97, de 2017)
para um mandato sucessivo ao que está desempenhando”. II - tiverem elegido pelo menos quinze Deputados Fe-
derais distribuídos em pelo menos um terço das unida-
des da Federação. (Inciso acrescido pela Emenda Cons-
titucional nº 97, de 2017)
§ 4º É vedada a utilização pelos partidos políticos de
organização paramilitar.
§ 5º Ao eleito por partido que não preencher os re-
quisitos previstos no § 3º deste artigo é assegurado o

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


mandato e facultada a filiação, sem perda do mandato,
a outro partido que os tenha atingido, não sendo essa
Majoritário: “a representação, em dado território, cabe ao filiação considerada para fins de distribuição dos recur-
candidato ou candidatos que obtiveram a maioria (absoluta/ sos do fundo partidário e de acesso gratuito ao tem-
relativa) dos votos. O Brasil consagra o sistema majoritário por po de rádio e de televisão. (Parágrafo acrescido pela
maioria absoluta (com dois turnos se preciso) para a eleição Emenda Constitucional nº 97, de 2017)
de Presidenta e Vice-Presidente da República, de Governador
e Vice-governador de estado e de Prefeito e Vice-Prefeito Instrumento indispensável no regime democrático por
municipal e por maioria relativa para a eleição de Senadores”. ser responsável pela organização da vontade popular na
Proporcional: utilizado para as eleições de deputados busca de realização de projetos comuns. Vale lembrar que
federais, estaduais e para vereadores. o exercício da cidadania não se faz exclusivamente através
de partidos políticos; no entanto, o exercício desse mister
Capítulo v quando estivermos diante da elegibilidade, a filiação
Dos partidos políticos partidária se torna obrigatória – requisito indispensável.
Atualmente o Brasil tem 35 partidos políticos registrados
Art. 17. É livre a criação, fusão, incorporação e extinção no Tribunal Superior Eleitoral, sendo o PMDB o partido mais
de partidos políticos, resguardados a soberania nacio- antigo, registrado em 30/06/1981, seguido neste mesmo
nal, o regime democrático, o pluripartidarismo, os di- ano pelos Partidos PTB (03/11/81) e PDT (10/11/1981) e
reitos fundamentais da pessoa humana e observados o partido político mais jovem é o PMB (Partido da Mulher
os seguintes preceitos: Brasileira) registrado em 29/09/2015.

21
Conceito
A Professora Nathália Masson, destaca em sua obra EXERCÍCIO COMENTADO
conceito de Georg Jellinek, segundo o qual os partidos
políticos podem ser definidos como “grupos políticos
1) Aplicada em: 2017 Banca: CESPE Órgão: TRF - 1ª RE-
formados sob a influência de convicções comuns voltadas
GIÃO Prova: Técnico Judiciário - Segurança e Transporte.
para cercos fins políticos, que se esforçam para realizar”.
Considerando o que dispõe a Constituição Federal de
Em regra, esses grupos têm por base concepções políticas
1988 (CF) sobre direitos humanos, julgue o item que se se-
ou interesses políticos comuns.
gue. Desde que não frustrem outra reunião anteriormen-
A lei 9.096/95, também chamada de “Lei dos Partidos
te convocada para o mesmo local, todos podem reunir-se
Políticos” também tratou de conceituar os partidos
em locais abertos ao público, independentemente de au-
políticos no Brasil. Nos termos do art. 1º desta lei, “o
torização, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade
partido político, pessoa jurídica de direito privado, destina-
competente.
se a assegurar, no interesse do regime democrático, a
autenticidade do sistema representativo e a defender os ( ) Certo ( ) Errado
direitos fundamentais definidos na Constituição Federal”.
Natureza Jurídica Resposta: Certo - Trata-se de direito fundamental pre-
Pessoa Jurídica de Direito Privado. Sua organização está visto no art. 5º XVI que aborda o direito de reunião.
prevista no texto da Constituição Federal, lhes assegurando Todos podem se reunir pacificamente, sem armas, em
autonomia, liberdade de criação, fusão, incorporação locais públicos; não necessitam de autorização do poder
e extinção, além de resguardar a soberania nacional, o público, mas sim a sua comunicação para evitar frustrar
regime democrático, o pluripartidarismo e os direitos outra reunião já previamente agendada.
fundamentais. Essa pessoa jurídica deve ser registrada em
Cartório de Registro de Pessoas Jurídicas e os estatutos do 2) Aplicada em: 2017Banca: CESPEÓrgão: TCE-PE Prova:
partido registrados no TSE. Analista de Gestão – Julgamento.
- Requisitos a serem observados quando de sua criação Acerca dos princípios fundamentais e dos direitos e deve-
- Caráter Nacional: evitar partidos com projetos res individuais e coletivos, julgue o item a seguir.
regionais ou mesmo municipais. A liberdade para o exercício de qualquer trabalho, ofício ou
- Critério: 0,5% dos votos válidos nas últimas eleições profissão está condicionada ao atendimento das qualifica-
para a Câmara dos Deputados, distribuídos no mínimo ções profissionais estabelecidas por lei, mas nem todos os
entre 1/3 dos estados-membros (9 estados) e, em cada ofícios ou profissões, para serem exercidos, estarão sujeitos
estado, 1/10 dos eleitores daquele estado. à existência de lei.
- Proibição de recebimento de recursos financeiros de
entidades ou governos estrangeiros ou de subordinação ( ) Certo ( ) Errado
Vedado receber qualquer recurso de entidade ou
governo estrangeiro, pois o aceite poderia tornar o partido Resposta: Certo - A constituição coloca no art. 5º XIII
subordinado a estes apoiadores. É uma forma indireta de que é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou
também proteger a soberania nacional. profissão; porém, algumas profissões podem ser regula-
- Prestação de constas à Justiça Eleitoral mentadas por lei infraconstitucional. É o caso, por exem-
Com o propósito de afastar o abuso do poder econômico, plo, do exercício da advocacia que além da conclusão do
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

tudo aquilo que for recebido deve ser apresentado em bacharelado em direito, necessário aprovação no exame
forma de prestação de contas para a justiça eleitoral. Esta da OAB.
prestação vem disciplinada pela lei 9.504/97 em seus arts.
17 a 27. 3) Aplicada em: 2018 Banca: CESPE Órgão: PC-MA Pro-
Características dos Partidos Políticos va: Investigador de Polícia.
Autonomia: o Estado evitará intervir em qualquer Entre os direitos sociais previstos pela Constituição Federal
partido político, posto que os mesmos possuem liberdade de 1988 (CF) inclui-se o direito à
para definir sua estrutura, organização e funcionamento.
Por esta razão as coligações eleitorais são possíveis. a) amamentação aos filhos de presidiárias.
Fidelidade Partidária: sua não observância acarreta b) moradia.
a perda do mandato de Deputado Federal e de Senador c) propriedade.
se estes trocarem de partido sem justa causa. Sobre a d) gratuidade do registro civil de nascimento.
fidelidade partidária, importante consignar que: e) assistência jurídica e integral gratuita.
- a vaga do titular do mandato parlamentar pertence à
coligação e não ao partido político. Resposta: Letra B - Nos termos do art. 6º são direitos
- Reconhecida a justa causa, afastamento da perda do sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a
mandato eletivo. moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência
social, a proteção à maternidade e à infância, a assistên-
cia aos desamparados, na forma desta Constituição.

22
4) Aplicada em: 2018 Banca: CESPE Órgão: ABIN Prova:
Agente de Inteligência.
DA ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-
Julgue o item seguinte, relativo ao direito de nacionalidade.
ADMINISTRATIVA (ARTS. 18 E 19 DA
Filho de brasileiros nascido no estrangeiro que opte pela
nacionalidade brasileira não poderá ser extraditado, uma CF/88). DA UNIÃO (ARTS. 20 A 24 DA
vez que os efeitos dessa opção são plenos e têm eficácia CF/88). DOS ESTADOS FEDERADOS
retroativa. (ARTS. 25 A 28 DA CF/88). DOS
MUNICÍPIOS (ARTS. 29 A 31 DA CF/88).
( ) Certo ( ) Errado NORMAS CONSTITUCIONAIS RELATIVAS
À ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E AO
Resposta: Certo - Brasileiro nato não poderá ser extradi- SERVIDOR PÚBLICO (ARTS. 37 A 41 DA
tado, salvo se vier a perder, nos casos previsto na Consti- CF/88). PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS
tuição Federal, a sua nacionalidade. O naturalizado tam- DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (ART. 37
bém não será extraditado, exceto se pratica comprovada
DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL).
de crime comum antes de sua naturalização ou tráfico
ilícito de drogas e entorpecentes.

5) Aplicada em: 2017Banca: CESPE Órgão: TRE-TO Pro- Título III


va: Analista Judiciário - Área Administrativa. Da organização do estado
A perda ou a suspensão dos direitos políticos do eleitor Capítulo I
ocorrerá se: Da organização político-administrativa

a) sua naturalização for cancelada por sentença transitada Art. 18. A organização político-administrativa da Repúbli-
em julgado. ca Federativa do Brasil compreende a União, os Estados,
b) for-lhe imposta condenação criminal, ainda que seja o Distrito Federal e os Municípios, todos autônomos, nos
passível de recurso. termos desta Constituição.
c) ele completar setenta anos de idade. § 1º Brasília é a Capital Federal.
d) ele completar oitenta anos de idade. § 2º Os Territórios Federais integram a União, e sua criação,
e) sobrevier-lhe, por qualquer motivo, incapacidade civil transformação em Estado ou reintegração ao Estado de
relativa. origem serão reguladas em lei complementar.
§ 3º Os Estados podem incorporar-se entre si, subdividir-se
ou desmembrar-se para se anexarem a outros, ou forma-
Resposta: Letra A - Nos termos do art. 15 é vedada a
rem novos Estados ou Territórios Federais, mediante apro-
cassação de direitos políticos, mecanismo característico
vação da população diretamente interessada, através de
de períodos de regimes ditatoriais, desvinculados da de- plebiscito, e do Congresso Nacional, por lei complementar.
mocracia. No entanto, possível a suspensão ou a perda § 4º A criação, a incorporação, a fusão e o desmembra-
nas seguintes hipóteses: mento de Municípios, far-se-ão por lei estadual, dentro
I - cancelamento da naturalização por sentença transita- do período determinado por Lei Complementar Federal,
da em julgado; e dependerão de consulta prévia, mediante plebiscito, às
II - incapacidade civil absoluta; populações dos Municípios envolvidos, após divulgação

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


III - condenação criminal transitada em julgado, enquan- dos Estudos de Viabilidade Municipal, apresentados e pu-
to durarem seus efeitos; blicados na forma da lei.
IV - recusa de cumprir obrigação a todos imposta ou Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal
prestação alternativa, nos termos do art. 5º, VIII; e aos Municípios:
V - improbidade administrativa, nos termos do art. 37, § 4º. I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los,
embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou
seus representantes relações de dependência ou aliança, res-
salvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público;
II - recusar fé aos documentos públicos;
III - criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si.

Capítulo II
Da união

Art. 20. São bens da União:


I - os que atualmente lhe pertencem e os que lhe vierem a
ser atribuídos;
II - as terras devolutas indispensáveis à defesa das fron-
teiras, das fortificações e construções militares, das vias
federais de comunicação e à preservação ambiental,
definidas em lei;

23
III - os lagos, rios e quaisquer correntes de água em cações, nos termos da lei, que disporá sobre a organi-
terrenos de seu domínio, ou que banhem mais de um zação dos serviços, a criação de um órgão regulador e
Estado, sirvam de limites com outros países, ou se es- outros aspectos institucionais;
tendam a território estrangeiro ou dele provenham, XII - explorar, diretamente ou mediante autorização,
bem como os terrenos marginais e as praias fluviais; concessão ou permissão:
IV as ilhas fluviais e lacustres nas zonas limítrofes com a) os serviços de radiodifusão sonora, e de sons e ima-
outros países; as praias marítimas; as ilhas oceânicas gens;
e as costeiras, excluídas, destas, as que contenham b) os serviços e instalações de energia elétrica e o
a sede de Municípios, exceto aquelas áreas afetadas aproveitamento energético dos cursos de água, em
ao serviço público e a unidade ambiental federal, e articulação com os Estados onde se situam os poten-
as referidas no art. 26, II; (Redação dada pela Emenda ciais hidroenergéticos;
Constitucional nº 46, de 2005) c) a navegação aérea, aeroespacial e a infra-estrutura
V - os recursos naturais da plataforma continental e da aeroportuária;
zona econômica exclusiva; d) os serviços de transporte ferroviário e aquaviário
VI - o mar territorial; entre portos brasileiros e fronteiras nacionais, ou que
VII - os terrenos de marinha e seus acrescidos; transponham os limites de Estado ou Território;
VIII - os potenciais de energia hidráulica; e) os serviços de transporte rodoviário interestadual e
IX - os recursos minerais, inclusive os do subsolo; internacional de passageiros;
X - as cavidades naturais subterrâneas e os sítios ar- f) os portos marítimos, fluviais e lacustres;
queológicos e pré-históricos; XIII - organizar e manter o Poder Judiciário, o Minis-
XI - as terras tradicionalmente ocupadas pelos índios. tério Público do Distrito Federal e dos Territórios e a
§ 1º É assegurada, nos termos da lei, aos Estados, ao Defensoria Pública dos Territórios;
Distrito Federal e aos Municípios, bem como a órgãos XIV - organizar e manter a polícia civil, a polícia mili-
da administração direta da União, participação no re- tar e o corpo de bombeiros militar do Distrito Federal,
sultado da exploração de petróleo ou gás natural, de bem como prestar assistência financeira ao Distrito Fe-
recursos hídricos para fins de geração de energia elé- deral para a execução de serviços públicos, por meio
trica e de outros recursos minerais no respectivo ter- de fundo próprio;
ritório, plataforma continental, mar territorial ou zona XV - organizar e manter os serviços oficiais de estatís-
econômica exclusiva, ou compensação financeira por tica, geografia, geologia e cartografia de âmbito na-
essa exploração. cional;
§ 2º A faixa de até cento e cinqüenta quilômetros de XVI - exercer a classificação, para efeito indicativo, de
largura, ao longo das fronteiras terrestres, designada diversões públicas e de programas de rádio e televi-
como faixa de fronteira, é considerada fundamental são;
para defesa do território nacional, e sua ocupação e XVII - conceder anistia;
utilização serão reguladas em lei. XVIII - planejar e promover a defesa permanente con-
Art. 21. Compete à União: tra as calamidades públicas, especialmente as secas e
I - manter relações com Estados estrangeiros e partici- as inundações;
par de organizações internacionais; XIX - instituir sistema nacional de gerenciamento de
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

II - declarar a guerra e celebrar a paz; recursos hídricos e definir critérios de outorga de di-
III - assegurar a defesa nacional; reitos de seu uso; XX - instituir diretrizes para o desen-
IV - permitir, nos casos previstos em lei complementar, volvimento urbano, inclusive habitação, saneamento
que forças estrangeiras transitem pelo território nacio- básico e transportes urbanos;
nal ou nele permaneçam temporariamente; XXI - estabelecer princípios e diretrizes para o sistema
V - decretar o estado de sítio, o estado de defesa e a nacional de viação;
intervenção federal; XXII - executar os serviços de polícia marítima, aero-
VI - autorizar e fiscalizar a produção e o comércio de portuária e de fronteiras;
material bélico; XXIII - explorar os serviços e instalações nucleares de
VII - emitir moeda; qualquer natureza e exercer monopólio estatal sobre a
VIII - administrar as reservas cambiais do País e fiscali- pesquisa, a lavra, o enriquecimento e reprocessamen-
zar as operações de natureza financeira, especialmen- to, a industrialização e o comércio de minérios nuclea-
te as de crédito, câmbio e capitalização, bem como as res e seus derivados, atendidos os seguintes princípios
de seguros e de previdência privada; e condições:
IX - elaborar e executar planos nacionais e regionais a) toda atividade nuclear em território nacional so-
de ordenação do território e de desenvolvimento eco- mente será admitida para fins pacíficos e mediante
nômico e social; aprovação do Congresso Nacional;
X - manter o serviço postal e o correio aéreo nacional; b) sob regime de permissão, são autorizadas a comer-
XI - explorar, diretamente ou mediante autorização, cialização e a utilização de radioisótopos para a pes-
concessão ou permissão, os serviços de telecomuni- quisa e usos médicos, agrícolas e industriais;

24
c) sob regime de permissão, são autorizadas a produ- XXVIII - defesa territorial, defesa aeroespacial, defesa
ção, comercialização e utilização de radioisótopos de marítima, defesa civil e mobilização nacional;
meia-vida igual ou inferior a duas horas; XXIX - propaganda comercial.
d) a responsabilidade civil por danos nucleares inde- Parágrafo único. Lei complementar poderá autorizar os
pende da existência de culpa; Estados a legislar sobre questões específicas das maté-
XXIV - organizar, manter e executar a inspeção do tra- rias relacionadas neste artigo.
balho; Art. 23. É competência comum da União, dos Estados,
XXV - estabelecer as áreas e as condições para o exercí- do Distrito Federal e dos Municípios:
cio da atividade de garimpagem, em forma associativa. I - zelar pela guarda da Constituição, das leis e das insti-
Art. 22. Compete privativamente à União legislar sobre: tuições democráticas e conservar o patrimônio público;
I - direito civil, comercial, penal, processual, eleitoral, II - cuidar da saúde e assistência pública, da proteção e
agrário, marítimo, aeronáutico, espacial e do trabalho; garantia das pessoas portadoras de deficiência;
II - desapropriação; III - proteger os documentos, as obras e outros bens de
III - requisições civis e militares, em caso de iminente valor histórico, artístico e cultural, os monumentos, as
perigo e em tempo de guerra; paisagens naturais notáveis e os sítios arqueológicos;
IV - águas, energia, informática, telecomunicações e IV - impedir a evasão, a destruição e a descaracteriza-
radiodifusão; ção de obras de arte e de outros bens de valor histórico,
V - serviço postal; artístico ou cultural;
VI - sistema monetário e de medidas, títulos e garantias V - proporcionar os meios de acesso à cultura, à edu-
dos metais; cação, à ciência, à tecnologia, à pesquisa e à inovação;
VII - política de crédito, câmbio, seguros e transferência (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 85, de
de valores; 2015)
VIII - comércio exterior e interestadual; VI - proteger o meio ambiente e combater a poluição
IX - diretrizes da política nacional de transportes; em qualquer de suas formas;
X - regime dos portos, navegação lacustre, fluvial, ma- VII - preservar as florestas, a fauna e a flora;
rítima, aérea e aeroespacial;
VIII - fomentar a produção agropecuária e organizar o
XI - trânsito e transporte;
abastecimento alimentar;
XII - jazidas, minas, outros recursos minerais e meta-
IX - promover programas de construção de moradias
lurgia;
e a melhoria das condições habitacionais e de sanea-
XIII - nacionalidade, cidadania e naturalização;
mento básico;
XIV - populações indígenas;
X - combater as causas da pobreza e os fatores de mar-
XV - emigração e imigração, entrada, extradição e ex-
ginalização, promovendo a integração social dos seto-
pulsão de estrangeiros;
res desfavorecidos;
XVI - organização do sistema nacional de emprego e
condições para o exercício de profissões; XI - registrar, acompanhar e fiscalizar as concessões de
XVII - organização judiciária, do Ministério Público do direitos de pesquisa e exploração de recursos hídricos e
Distrito Federal e dos Territórios e da Defensoria Públi- minerais em seus territórios;
ca dos Territórios, bem como organização administra- XII - estabelecer e implantar política de educação para
tiva destes; a segurança do trânsito.

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


XVIII - sistema estatístico, sistema cartográfico e de ge- Parágrafo único. Leis complementares fixarão normas
ologia nacionais; para a cooperação entre a União e os Estados, o Distrito
XIX - sistemas de poupança, captação e garantia da Federal e os Municípios, tendo em vista o equilíbrio do
poupança popular; desenvolvimento e do bem-estar em âmbito nacional.
XX - sistemas de consórcios e sorteios; Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao Distrito Fe-
XXI - normas gerais de organização, efetivos, material deral legislar concorrentemente sobre:
bélico, garantias, convocação e mobilização das polí- I - direito tributário, financeiro, penitenciário, econômi-
cias militares e corpos de bombeiros militares; co e urbanístico;
XXII - competência da polícia federal e das polícias ro- II - orçamento;
doviária e ferroviária federais; III - juntas comerciais;
XXIII - seguridade social; IV - custas dos serviços forenses;
XXIV - diretrizes e bases da educação nacional; V - produção e consumo;
XXV - registros públicos; VI - florestas, caça, pesca, fauna, conservação da natu-
XXVI - atividades nucleares de qualquer natureza; reza, defesa do solo e dos recursos naturais, proteção
XXVII – normas gerais de licitação e contratação, em do meio ambiente e controle da poluição;
todas as modalidades, para as administrações públicas VII - proteção ao patrimônio histórico, cultural, artístico,
diretas, autárquicas e fundacionais da União, Estados, turístico e paisagístico;
Distrito Federal e Municípios, obedecido o disposto no VIII - responsabilidade por dano ao meio ambiente, ao
art. 37, XXI, e para as empresas públicas e sociedades consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético,
de economia mista, nos termos do art. 173, § 1°, III; histórico, turístico e paisagístico;

25
IX - educação, cultura, ensino, desporto, ciência, tecno- § 1º Será de quatro anos o mandato dos Deputados Es-
logia, pesquisa, desenvolvimento e inovação; (Reda- taduais, aplicando- sê-lhes as regras desta Constituição
ção dada pela Emenda Constitucional nº 85, de 2015) sobre sistema eleitoral, inviolabilidade, imunidades, re-
X - criação, funcionamento e processo do juizado de muneração, perda de mandato, licença, impedimentos
pequenas causas; e incorporação às Forças Armadas.
XI - procedimentos em matéria processual; § 2º O subsídio dos Deputados Estaduais será fixado
XII - previdência social, proteção e defesa da saúde; por lei de iniciativa da Assembléia Legislativa, na ra-
XIII - assistência jurídica e Defensoria pública; zão de, no máximo, setenta e cinco por cento daquele
XIV - proteção e integração social das pessoas porta- estabelecido, em espécie, para os Deputados Federais,
doras de deficiência; observado o que dispõem os arts. 39, § 4º, 57, § 7º, 150,
XV - proteção à infância e à juventude; II, 153, III, e 153, § 2º, I.
XVI - organização, garantias, direitos e deveres das po- § 3º Compete às Assembléias Legislativas dispor sobre
lícias civis. seu regimento interno, polícia e serviços administrati-
§ 1º No âmbito da legislação concorrente, a competên- vos de sua secretaria, e prover os respectivos cargos.
cia da União limitar-se-á a estabelecer normas gerais. § 4º A lei disporá sobre a iniciativa popular no processo
§ 2º A competência da União para legislar sobre nor- legislativo estadual.
mas gerais não exclui a competência suplementar dos Art. 28. A eleição do Governador e do Vice-Governador
Estados. de Estado, para mandato de quatro anos, realizar-se-á
§ 3º Inexistindo lei federal sobre normas gerais, os Es- no primeiro domingo de outubro, em primeiro turno,
tados exercerão a competência legislativa plena, para e no último domingo de outubro, em segundo turno,
atender a suas peculiaridades. se houver, do ano anterior ao do término do mandato
§ 4º A superveniência de lei federal sobre normas ge- de seus antecessores, e a posse ocorrerá em primeiro
rais suspende a eficácia da lei estadual, no que lhe for de janeiro do ano subseqüente, observado, quanto ao
contrário. mais, o disposto no art. 77.
§ 1º Perderá o mandato o Governador que assumir
Capítulo III outro cargo ou função na administração pública direta
Dos estados federados ou indireta, ressalvada a posse em virtude de concurso
público e observado o disposto no art. 38, I, IV e V. (R
§ 2º Os subsídios do Governador, do Vice-Governador
Art. 25. Os Estados organizam-se e regem-se pelas
e dos Secretários de Estado serão fixados por lei de
Constituições e leis que adotarem, observados os prin-
iniciativa da Assembléia Legislativa, observado o que
cípios desta Constituição.
dispõem os arts. 37, XI, 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153,
§ 1º São reservadas aos Estados as competências que
§ 2º, I.
não lhes sejam vedadas por esta Constituição.
§ 2º Cabe aos Estados explorar diretamente, ou me-
Capítulo IV
diante concessão, os serviços locais de gás canalizado, Dos municípios
na forma da lei, vedada a edição de medida provisória
para a sua regulamentação. Art. 29. O Município reger-se-á por lei orgânica, votada
§ 3º Os Estados poderão, mediante lei complementar, em dois turnos, com o interstício mínimo de dez dias,
instituir regiões metropolitanas, aglomerações urba- e aprovada por dois terços dos membros da Câmara
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

nas e microrregiões, constituídas por agrupamentos Municipal, que a promulgará, atendidos os princípios
de municípios limítrofes, para integrar a organização, estabelecidos nesta Constituição, na Constituição do
o planejamento e a execução de funções públicas de respectivo Estado e os seguintes preceitos:
interesse comum. I - eleição do Prefeito, do Vice-Prefeito e dos Verea-
Art. 26. Incluem-se entre os bens dos Estados: dores, para mandato de quatro anos, mediante pleito
I - as águas superficiais ou subterrâneas, fluentes, direto e simultâneo realizado em todo o País;
emergentes e em depósito, ressalvadas, neste caso, na II - eleição do Prefeito e do Vice-Prefeito realizada no
forma da lei, as decorrentes de obras da União; primeiro domingo de outubro do ano anterior ao tér-
II - as áreas, nas ilhas oceânicas e costeiras, que estive- mino do mandato dos que devam suceder, aplicadas as
rem no seu domínio, excluídas aquelas sob domínio da regras do art. 77, no caso de Municípios com mais de
União, Municípios ou terceiros; duzentos mil eleitores;
III - as ilhas fluviais e lacustres não pertencentes à III - posse do Prefeito e do Vice-Prefeito no dia 1º de
União; janeiro do ano subseqüente ao da eleição;
IV - as terras devolutas não compreendidas entre as IV - para a composição das Câmaras Municipais, será
da União. observado o limite máximo de:
Art. 27. O número de Deputados à Assembléia Legisla- a) 9 (nove) Vereadores, nos Municípios de até 15.000
tiva corresponderá ao triplo da representação do Esta- (quinze mil) habitantes;
do na Câmara dos Deputados e, atingido o número de b) 11 (onze) Vereadores, nos Municípios de mais de
trinta e seis, será acrescido de tantos quantos forem os 15.000 (quinze mil) habitantes e de até 30.000 (trinta
Deputados Federais acima de doze. mil) habitantes;

26
c) 13 (treze) Vereadores, nos Municípios com mais de u) 49 (quarenta e nove) Vereadores, nos Municípios
30.000 (trinta mil) habitantes e de até 50.000 (cinquenta de mais de 5.000.000 (cinco milhões) de habitantes e de
mil) habitantes; até 6.000.000 (seis milhões) de habitantes; (Incluída pela
d) 15 (quinze) Vereadores, nos Municípios de mais de Emenda Constitucional nº 58, de 2009)
50.000 (cinquenta mil) habitantes e de até 80.000 (oiten- v) 51 (cinquenta e um) Vereadores, nos Municípios de
ta mil) habitantes; mais de 6.000.000 (seis milhões) de habitantes e de até
e) 17 (dezessete) Vereadores, nos Municípios de mais de 7.000.000 (sete milhões) de habitantes;
80.000 (oitenta mil) habitantes e de até 120.000 (cento e w) 53 (cinquenta e três) Vereadores, nos Municípios de
vinte mil) habitantes; mais de 7.000.000 (sete milhões) de habitantes e de até
f) 19 (dezenove) Vereadores, nos Municípios de mais de 8.000.000 (oito milhões) de habitantes; e
120.000 (cento e vinte mil) habitantes e de até 160.000 x) 55 (cinquenta e cinco) Vereadores, nos Municípios de
(cento sessenta mil) habitantes; mais de 8.000.000 (oito milhões) de habitantes;
g) 21 (vinte e um) Vereadores, nos Municípios de mais V - subsídios do Prefeito, do Vice-Prefeito e dos Secre-
de 160.000 (cento e sessenta mil) habitantes e de até tários Municipais fixados por lei de iniciativa da Câmara
300.000 (trezentos mil) habitantes; Municipal, observado o que dispõem os arts. 37, XI, 39, §
h) 23 (vinte e três) Vereadores, nos Municípios de mais 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I;
de 300.000 (trezentos mil) habitantes e de até 450.000 VI - o subsídio dos Vereadores será fixado pelas res-
(quatrocentos e cinquenta mil) habitantes; pectivas Câmaras Municipais em cada legislatura para a
i) 25 (vinte e cinco) Vereadores, nos Municípios de mais subseqüente, observado o que dispõe esta Constituição,
de 450.000 (quatrocentos e cinquenta mil) habitantes e observados os critérios estabelecidos na respectiva Lei
de até 600.000 (seiscentos mil) habitantes; Orgânica e os seguintes limites máximos:
j) 27 (vinte e sete) Vereadores, nos Municípios de mais a) em Municípios de até dez mil habitantes, o subsídio
de 600.000 (seiscentos mil) habitantes e de até 750.000 máximo dos Vereadores corresponderá a vinte por cento
(setecentos cinquenta mil) habitantes; do subsídio dos Deputados Estaduais;
b) em Municípios de dez mil e um a cinqüenta mil habi-
k) 29 (vinte e nove) Vereadores, nos Municípios de mais
tantes, o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá
de 750.000 (setecentos e cinquenta mil) habitantes e de
a trinta por cento do subsídio dos Deputados Estaduais;
até 900.000 (novecentos mil) habitantes;
c) em Municípios de cinqüenta mil e um a cem mil ha-
l) 31 (trinta e um) Vereadores, nos Municípios de mais de
bitantes, o subsídio máximo dos Vereadores correspon-
900.000 (novecentos mil) habitantes e de até 1.050.000
derá a quarenta por cento do subsídio dos Deputados
(um milhão e cinquenta mil) habitantes;
Estaduais;
m) 33 (trinta e três) Vereadores, nos Municípios de mais
d) em Municípios de cem mil e um a trezentos mil ha-
de 1.050.000 (um milhão e cinquenta mil) habitantes e
bitantes, o subsídio máximo dos Vereadores correspon-
de até 1.200.000 (um milhão e duzentos mil) habitantes; derá a cinqüenta por cento do subsídio dos Deputados
n) 35 (trinta e cinco) Vereadores, nos Municípios de mais Estaduais;
de 1.200.000 (um milhão e duzentos mil) habitantes e de e) em Municípios de trezentos mil e um a quinhentos
até 1.350.000 (um milhão e trezentos e cinquenta mil) mil habitantes, o subsídio máximo dos Vereadores cor-
habitantes; responderá a sessenta por cento do subsídio dos Depu-
o) 37 (trinta e sete) Vereadores, nos Municípios de tados Estaduais;

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


1.350.000 (um milhão e trezentos e cinquenta mil) habi- f) em Municípios de mais de quinhentos mil habitantes,
tantes e de até 1.500.000 (um milhão e quinhentos mil) o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a se-
habitantes; tenta e cinco por cento do subsídio dos Deputados Es-
p) 39 (trinta e nove) Vereadores, nos Municípios de mais taduais;
de 1.500.000 (um milhão e quinhentos mil) habitantes VII - o total da despesa com a remuneração dos Verea-
e de até 1.800.000 (um milhão e oitocentos mil) habi- dores não poderá ultrapassar o montante de cinco por
tantes; cento da receita do Município;
q) 41 (quarenta e um) Vereadores, nos Municípios de VIII - inviolabilidade dos Vereadores por suas opiniões,
mais de 1.800.000 (um milhão e oitocentos mil) habitan- palavras e votos no exercício do mandato e na circunscri-
tes e de até 2.400.000 (dois milhões e quatrocentos mil) ção do Município;
habitantes; IX - proibições e incompatibilidades, no exercício da ve-
r) 43 (quarenta e três) Vereadores, nos Municípios de reança, similares, no que couber, ao disposto nesta Cons-
mais de 2.400.000 (dois milhões e quatrocentos mil) ha- tituição para os membros do Congresso Nacional e na
bitantes e de até 3.000.000 (três milhões) de habitantes; ( Constituição do respectivo Estado para os membros da
s) 45 (quarenta e cinco) Vereadores, nos Municípios de Assembléia Legislativa;
mais de 3.000.000 (três milhões) de habitantes e de até X - julgamento do Prefeito perante o Tribunal de Justiça; (
4.000.000 (quatro milhões) de habitantes; XI - organização das funções legislativas e fiscalizadoras
t) 47 (quarenta e sete) Vereadores, nos Municípios de da Câmara Municipal;
mais de 4.000.000 (quatro milhões) de habitantes e de XII - cooperação das associações representativas no
até 5.000.000 (cinco milhões) de habitantes; planejamento municipal;

27
XIII - iniciativa popular de projetos de lei de interesse VI - manter, com a cooperação técnica e financeira da
específico do Município, da cidade ou de bairros, atra- União e do Estado, programas de educação infantil e
vés de manifestação de, pelo menos, cinco por cento de ensino fundamental;
do eleitorado; VII - prestar, com a cooperação técnica e financeira da
XIV - perda do mandato do Prefeito, nos termos do art. União e do Estado, serviços de atendimento à saúde
28, parágrafo único. da população;
Art. 29-A. O total da despesa do Poder Legislativo Mu- VIII - promover, no que couber, adequado ordenamen-
nicipal, incluídos os subsídios dos Vereadores e excluí- to territorial, mediante planejamento e controle do
dos os gastos com inativos, não poderá ultrapassar os uso, do parcelamento e da ocupação do solo urbano;
seguintes percentuais, relativos ao somatório da recei- IX - promover a proteção do patrimônio histórico-cul-
ta tributária e das transferências previstas no § 5o do tural local, observada a legislação e a ação fiscalizadora
art. 153 e nos arts. 158 e 159, efetivamente realizado federal e estadual.
no exercício anterior: Art. 31. A fiscalização do Município será exercida pelo
I - 7% (sete por cento) para Municípios com população Poder Legislativo Municipal, mediante controle exter-
de até 100.000 (cem mil) habitantes; no, e pelos sistemas de controle interno do Poder Exe-
II - 6% (seis por cento) para Municípios com popula- cutivo Municipal, na forma da lei.
ção entre 100.000 (cem mil) e 300.000 (trezentos mil) § 1º O controle externo da Câmara Municipal será exer-
habitantes; cido com o auxílio dos Tribunais de Contas dos Esta-
III - 5% (cinco por cento) para Municípios com popula- dos ou do Município ou dos Conselhos ou Tribunais de
ção entre 300.001 (trezentos mil e um) e 500.000 (qui- Contas dos Municípios, onde houver.
nhentos mil) habitantes; § 2º O parecer prévio, emitido pelo órgão competente
IV - 4,5% (quatro inteiros e cinco décimos por cento) sobre as contas que o Prefeito deve anualmente pres-
para Municípios com população entre 500.001 (qui- tar, só deixará de prevalecer por decisão de dois terços
nhentos mil e um) e 3.000.000 (três milhões) de habi- dos membros da Câmara Municipal.
tantes; § 3º As contas dos Municípios ficarão, durante sessenta
V - 4% (quatro por cento) para Municípios com popu- dias, anualmente, à disposição de qualquer contribuin-
lação entre 3.000.001 (três milhões e um) e 8.000.000 te, para exame e apreciação, o qual poderá questionar-
(oito milhões) de habitantes; -lhes a legitimidade, nos termos da lei.
VI - 3,5% (três inteiros e cinco décimos por cento) para § 4º É vedada a criação de Tribunais, Conselhos ou ór-
Municípios com população acima de 8.000.001 (oito gãos de Contas Municipais.
milhões e um) habitantes.
§ 1o A Câmara Municipal não gastará mais de seten- Capítulo V
ta por cento de sua receita com folha de pagamento, Do distrito federal e dos territórios
incluído o gasto com o subsídio de seus Vereadores. Seção I
§ 2o Constitui crime de responsabilidade do Prefeito Do distrito federal
Municipal:
I - efetuar repasse que supere os limites definidos nes- Art. 32. O Distrito Federal, vedada sua divisão em Mu-
te artigo; nicípios, reger- se-á por lei orgânica, votada em dois
II - não enviar o repasse até o dia vinte de cada mês; turnos com interstício mínimo de dez dias, e aprovada
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

ou por dois terços da Câmara Legislativa, que a promulga-


III - enviá-lo a menor em relação à proporção fixada na rá, atendidos os princípios estabelecidos nesta Cons-
Lei Orçamentária. tituição.
§ 3o Constitui crime de responsabilidade do Presiden- § 1º Ao Distrito Federal são atribuídas as competências
te da Câmara Municipal o desrespeito ao § 1o deste legislativas reservadas aos Estados e Municípios.
artigo. § 2º A eleição do Governador e do Vice-Governador,
Art. 30. Compete aos Municípios: observadas as regras do art. 77, e dos Deputados Dis-
I - legislar sobre assuntos de interesse local; tritais coincidirá com a dos Governadores e Deputados
II - suplementar a legislação federal e a estadual no Estaduais, para mandato de igual duração.
que couber; § 3º Aos Deputados Distritais e à Câmara Legislativa
III - instituir e arrecadar os tributos de sua competên- aplica-se o disposto no art. 27.
cia, bem como aplicar suas rendas, sem prejuízo da § 4º Lei federal disporá sobre a utilização, pelo Governo
obrigatoriedade de prestar contas e publicar balance- do Distrito Federal, das polícias civil e militar e do cor-
tes nos prazos fixados em lei; po de bombeiros militar.
IV - criar, organizar e suprimir distritos, observada a
legislação estadual; Seção II
V - organizar e prestar, diretamente ou sob regime de Dos territórios
concessão ou permissão, os serviços públicos de inte-
resse local, incluído o de transporte coletivo, que tem Art. 33. A lei disporá sobre a organização administrati-
caráter essencial; va e judiciária dos Territórios.

28
§ 1º Os Territórios poderão ser divididos em Municí- Art. 36. A decretação da intervenção dependerá:
pios, aos quais se aplicará, no que couber, o disposto no I - no caso do art. 34, IV, de solicitação do Poder Legis-
Capítulo IV deste Título. lativo ou do Poder Executivo coacto ou impedido, ou
§ 2º As contas do Governo do Território serão submeti- de requisição do Supremo Tribunal Federal, se a coação
das ao Congresso Nacional, com parecer prévio do Tri- for exercida contra o Poder Judiciário;
bunal de Contas da União. II - no caso de desobediência a ordem ou decisão ju-
§ 3º Nos Territórios Federais com mais de cem mil ha- diciária, de requisição do Supremo Tribunal Federal, do
bitantes, além do Governador nomeado na forma desta Superior Tribunal de Justiça ou do Tribunal Superior
Constituição, haverá órgãos judiciários de primeira e se- Eleitoral;
gunda instância, membros do Ministério Público e de- III - de provimento, pelo Supremo Tribunal Federal, de
fensores públicos federais; a lei disporá sobre as eleições representação do Procurador-Geral da República, na
para a Câmara Territorial e sua competência deliberativa. hipótese do art. 34, VII, e no caso de recusa à execução
de lei federal. (Redação dada pela Emenda Constitucio-
Capítulo VI nal nº 45, de 2004)
Da intervenção IV - (Revogado pela Emenda Constitucional nº 45, de
2004)
Art. 34. A União não intervirá nos Estados nem no Distri- § 1º O decreto de intervenção, que especificará a am-
to Federal, exceto para: plitude, o prazo e as condições de execução e que, se
I - manter a integridade nacional; couber, nomeará o interventor, será submetido à apre-
II - repelir invasão estrangeira ou de uma unidade da ciação do Congresso Nacional ou da Assembléia Legis-
Federação em outra; lativa do Estado, no prazo de vinte e quatro horas.
III - pôr termo a grave comprometimento da ordem pú- § 2º Se não estiver funcionando o Congresso Nacional
blica; ou a Assembléia Legislativa, far-se-á convocação extra-
IV - garantir o livre exercício de qualquer dos Poderes ordinária, no mesmo prazo de vinte e quatro horas.
nas unidades da Federação; § 3º Nos casos do art. 34, VI e VII, ou do art. 35, IV, dis-
pensada a apreciação pelo Congresso Nacional ou pela
V - reorganizar as finanças da unidade da Federação
Assembléia Legislativa, o decreto limitar-se-á a suspen-
que:
der a execução do ato impugnado, se essa medida bas-
a) suspender o pagamento da dívida fundada por mais
tar ao restabelecimento da normalidade.
de dois anos consecutivos, salvo motivo de força maior;
§ 4º Cessados os motivos da intervenção, as autorida-
b) deixar de entregar aos Municípios receitas tributárias
des afastadas de seus cargos a estes voltarão, salvo im-
fixadas nesta Constituição, dentro dos prazos estabele-
pedimento legal.
cidos em lei;
VI - prover a execução de lei federal, ordem ou decisão Capítulo VII
judicial; Da administração pública
VII - assegurar a observância dos seguintes princípios Seção I
constitucionais: Disposições gerais
a) forma republicana, sistema representativo e regime
democrático; Art. 37. A administração pública direta e indireta de
b) direitos da pessoa humana; qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distri-

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


c) autonomia municipal; to Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios
d) prestação de contas da administração pública, direta de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicida-
e indireta. de e eficiência e, também, ao seguinte:
e) aplicação do mínimo exigido da receita resultante de I - os cargos, empregos e funções públicas são aces-
impostos estaduais, compreendida a proveniente de síveis aos brasileiros que preencham os requisitos es-
transferências, na manutenção e desenvolvimento do tabelecidos em lei, assim como aos estrangeiros, na
ensino e nas ações e serviços públicos de saúde. forma da lei;
Art. 35. O Estado não intervirá em seus Municípios, nem II - a investidura em cargo ou emprego público depen-
a União nos Municípios localizados em Território Fede- de de aprovação prévia em concurso público de provas
ral, exceto quando: ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a
I - deixar de ser paga, sem motivo de força maior, por complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista
dois anos consecutivos, a dívida fundada; em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comis-
II - não forem prestadas contas devidas, na forma da lei; são declarado em lei de livre nomeação e exoneração;
III – não tiver sido aplicado o mínimo exigido da receita III - o prazo de validade do concurso público será de
municipal na manutenção e desenvolvimento do ensino até dois anos, prorrogável uma vez, por igual período;
e nas ações e serviços públicos de saúde; IV - durante o prazo improrrogável previsto no edital
IV - o Tribunal de Justiça der provimento a representação de convocação, aquele aprovado em concurso público
para assegurar a observância de princípios indicados na de provas ou de provas e títulos será convocado com
Constituição Estadual, ou para prover a execução de lei, prioridade sobre novos concursados para assumir car-
de ordem ou de decisão judicial. go ou emprego, na carreira;

29
V - as funções de confiança, exercidas exclusivamente a) a de dois cargos de professor;
por servidores ocupantes de cargo efetivo, e os car- b) a de um cargo de professor com outro técnico ou
gos em comissão, a serem preenchidos por servidores científico;
de carreira nos casos, condições e percentuais mínimos c) a de dois cargos ou empregos privativos de profis-
previstos em lei, destinam-se apenas às atribuições de sionais de saúde, com profissões regulamentadas;
direção, chefia e assessoramento; XVII - a proibição de acumular estende-se a empregos
VI - é garantido ao servidor público civil o direito à livre e funções e abrange autarquias, fundações, empresas
associação sindical; públicas, sociedades de economia mista, suas subsidiá-
VII - o direito de greve será exercido nos termos e nos rias, e sociedades controladas, direta ou indiretamente,
limites definidos em lei específica; pelo poder público;
VIII - a lei reservará percentual dos cargos e empregos XVIII - a administração fazendária e seus servidores
públicos para as pessoas portadoras de deficiência e de- fiscais terão, dentro de suas áreas de competência e
finirá os critérios de sua admissão; jurisdição, precedência sobre os demais setores admi-
IX - a lei estabelecerá os casos de contratação por tem- nistrativos, na forma da lei;
po determinado para atender a necessidade temporária XIX – somente por lei específica poderá ser criada au-
de excepcional interesse público; tarquia e autorizada a instituição de empresa pública,
X - a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de sociedade de economia mista e de fundação, ca-
de que trata o § 4º do art. 39 somente poderão ser fixa- bendo à lei complementar, neste último caso, definir as
dos ou alterados por lei específica, observada a iniciativa áreas de sua atuação;
privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, XX - depende de autorização legislativa, em cada caso,
sempre na mesma data e sem distinção de índices; a criação de subsidiárias das entidades mencionadas
XI - a remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos, no inciso anterior, assim como a participação de qual-
funções e empregos públicos da administração direta, quer delas em empresa privada;
autárquica e fundacional, dos membros de qualquer dos XXI - ressalvados os casos especificados na legislação,
Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos as obras, serviços, compras e alienações serão contra-
Municípios, dos detentores de mandato eletivo e dos tados mediante processo de licitação pública que asse-
demais agentes políticos e os proventos, pensões ou ou- gure igualdade de condições a todos os concorrentes,
tra espécie remuneratória, percebidos cumulativamente com cláusulas que estabeleçam obrigações de paga-
ou não, incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer mento, mantidas as condições efetivas da proposta,
outra natureza, não poderão exceder o subsídio mensal, nos termos da lei, o qual somente permitirá as exigên-
em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, cias de qualificação técnica e econômica indispensá-
aplicando-se como limite, nos Municípios, o subsídio do veis à garantia do cumprimento das obrigações.
Prefeito, e nos Estados e no Distrito Federal, o subsídio XXII - as administrações tributárias da União, dos Es-
mensal do Governador no âmbito do Poder Executivo, o tados, do Distrito Federal e dos Municípios, atividades
subsídio dos Deputados Estaduais e Distritais no âmbito essenciais ao funcionamento do Estado, exercidas por
do Poder Legislativo e o subsidio dos Desembargado- servidores de carreiras específicas, terão recursos prio-
res do Tribunal de Justiça, limitado a noventa inteiros e ritários para a realização de suas atividades e atuarão
vinte e cinco centésimos por cento do subsídio mensal, de forma integrada, inclusive com o compartilhamento
em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, de cadastros e de informações fiscais, na forma da lei
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

no âmbito do Poder Judiciário, aplicável este limite aos ou convênio.


membros do Ministério Público, aos Procuradores e aos § 1º A publicidade dos atos, programas, obras, serviços
Defensores Públicos; e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter
XII - os vencimentos dos cargos do Poder Legislativo e educativo, informativo ou de orientação social, dela
do Poder Judiciário não poderão ser superiores aos pa- não podendo constar nomes, símbolos ou imagens
gos pelo Poder Executivo; que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou
XIII - é vedada a vinculação ou equiparação de quais- servidores públicos.
quer espécies remuneratórias para o efeito de remune- § 2º A não observância do disposto nos incisos II e III
ração de pessoal do serviço público; implicará a nulidade do ato e a punição da autoridade
XIV - os acréscimos pecuniários percebidos por servidor responsável, nos termos da lei.
público não serão computados nem acumulados para § 3º A lei disciplinará as formas de participação do usu-
fins de concessão de acréscimos ulteriores; ário na administração pública direta e indireta, regu-
XV - o subsídio e os vencimentos dos ocupantes de car- lando especialmente:
gos e empregos públicos são irredutíveis, ressalvado o I - as reclamações relativas à prestação dos serviços
disposto nos incisos XI e XIV deste artigo e nos arts. 39, públicos em geral, asseguradas a manutenção de ser-
§ 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I; viços de atendimento ao usuário e a avaliação perió-
XVI - é vedada a acumulação remunerada de cargos pú- dica, externa e interna, da qualidade dos serviços; (II
blicos, exceto, quando houver compatibilidade de horá- - o acesso dos usuários a registros administrativos e a
rios, observado em qualquer caso o disposto no inciso informações sobre atos de governo, observado o dis-
XI: posto no art. 5º, X e XXXIII;

30
III - a disciplina da representação contra o exercício ne- Art. 38. Ao servidor público da administração direta,
gligente ou abusivo de cargo, emprego ou função na autárquica e fundacional, no exercício de mandato ele-
administração pública. tivo, aplicam-se as seguintes disposições:
§ 4º Os atos de improbidade administrativa importarão I - tratando-se de mandato eletivo federal, estadual
a suspensão dos direitos políticos, a perda da função ou distrital, ficará afastado de seu cargo, emprego ou
pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento função;
ao erário, na forma e gradação previstas em lei, sem II - investido no mandato de Prefeito, será afastado do
prejuízo da ação penal cabível. cargo, emprego ou função, sendo-lhe facultado optar
§ 5º A lei estabelecerá os prazos de prescrição para ilí- pela sua remuneração;
citos praticados por qualquer agente, servidor ou não, III - investido no mandato de Vereador, havendo com-
que causem prejuízos ao erário, ressalvadas as respec- patibilidade de horários, perceberá as vantagens de
tivas ações de ressarcimento. seu cargo, emprego ou função, sem prejuízo da remu-
§ 6º As pessoas jurídicas de direito público e as de di- neração do cargo eletivo, e, não havendo compatibili-
reito privado prestadoras de serviços públicos respon- dade, será aplicada a norma do inciso anterior;
derão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, IV - em qualquer caso que exija o afastamento para
causarem a terceiros, assegurado o direito de regresso o exercício de mandato eletivo, seu tempo de serviço
contra o responsável nos casos de dolo ou culpa. será contado para todos os efeitos legais, exceto para
§ 7º A lei disporá sobre os requisitos e as restrições promoção por merecimento;
ao ocupante de cargo ou emprego da administração V - para efeito de benefício previdenciário, no caso de
direta e indireta que possibilite o acesso a informações afastamento, os valores serão determinados como se
privilegiadas. no exercício estivesse.
§ 8º A autonomia gerencial, orçamentária e financei-
ra dos órgãos e entidades da administração direta e Seção II
indireta poderá ser ampliada mediante contrato, a ser Dos servidores públicos
firmado entre seus administradores e o poder público,
que tenha por objeto a fixação de metas de desem- Art. 39. A União, os Estados, o Distrito Federal e os
penho para o órgão ou entidade, cabendo à lei dispor Municípios instituirão conselho de política de admi-
sobre: (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de nistração e remuneração de pessoal, integrado por
1998) servidores designados pelos respectivos Poderes.
I - o prazo de duração do contrato; § 1º A fixação dos padrões de vencimento e dos de-
II - os controles e critérios de avaliação de desempe- mais componentes do sistema remuneratório obser-
nho, direitos, obrigações e responsabilidade dos diri- vará:
gentes; I - a natureza, o grau de responsabilidade e a comple-
III - a remuneração do pessoal.” xidade dos cargos componentes de cada carreira;
§ 9º O disposto no inciso XI aplica-se às empresas pú- II - os requisitos para a investidura;
blicas e às sociedades de economia mista, e suas subsi- III - as peculiaridades dos cargos.
diárias, que receberem recursos da União, dos Estados, § 2º A União, os Estados e o Distrito Federal mante-
do Distrito Federal ou dos Municípios para pagamento rão escolas de governo para a formação e o aperfei-
de despesas de pessoal ou de custeio em geral. çoamento dos servidores públicos, constituindo-se a
§ 10. É vedada a percepção simultânea de proventos participação nos cursos um dos requisitos para a pro-

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


de aposentadoria decorrentes do art. 40 ou dos arts. moção na carreira, facultada, para isso, a celebração
42 e 142 com a remuneração de cargo, emprego ou de convênios ou contratos entre os entes federados.
função pública, ressalvados os cargos acumuláveis na § 3º Aplica-se aos servidores ocupantes de cargo pú-
forma desta Constituição, os cargos eletivos e os car- blico o disposto no art. 7º, IV, VII, VIII, IX, XII, XIII, XV,
gos em comissão declarados em lei de livre nomeação XVI, XVII, XVIII, XIX, XX, XXII e XXX, podendo a lei esta-
e exoneração. belecer requisitos diferenciados de admissão quando
§ 11. Não serão computadas, para efeito dos limites a natureza do cargo o exigir.
remuneratórios de que trata o inciso XI do caput des- § 4º O membro de Poder, o detentor de mandato ele-
te artigo, as parcelas de caráter indenizatório previstas tivo, os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais
em lei. e Municipais serão remunerados exclusivamente por
§ 12. Para os fins do disposto no inciso XI do caput subsídio fixado em parcela única, vedado o acréscimo
deste artigo, fica facultado aos Estados e ao Distrito de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio,
Federal fixar, em seu âmbito, mediante emenda às verba de representação ou outra espécie remunera-
respectivas Constituições e Lei Orgânica, como limite tória, obedecido, em qualquer caso, o disposto no art.
único, o subsídio mensal dos Desembargadores do res- 37, X e XI.
pectivo Tribunal de Justiça, limitado a noventa inteiros § 5º Lei da União, dos Estados, do Distrito Federal e
e vinte e cinco centésimos por cento do subsídio men- dos Municípios poderá estabelecer a relação entre a
sal dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, não se maior e a menor remuneração dos servidores públi-
aplicando o disposto neste parágrafo aos subsídios cos, obedecido, em qualquer caso, o disposto no art.
dos Deputados Estaduais e Distritais e dos Vereadores. 37, XI.

31
§ 6º Os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário pu- I - portadores de deficiência;
blicarão anualmente os valores do subsídio e da remu- II - que exerçam atividades de risco;
neração dos cargos e empregos públicos.) III - cujas atividades sejam exercidas sob condições
§ 7º Lei da União, dos Estados, do Distrito Federal e especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade
dos Municípios disciplinará a aplicação de recursos or- física.
çamentários provenientes da economia com despesas § 5º Os requisitos de idade e de tempo de contribuição
correntes em cada órgão, autarquia e fundação, para serão reduzidos em cinco anos, em relação ao disposto
aplicação no desenvolvimento de programas de quali- no § 1º, III, “a”, para o professor que comprove exclu-
dade e produtividade, treinamento e desenvolvimento, sivamente tempo de efetivo exercício das funções de
modernização, reaparelhamento e racionalização do magistério na educação infantil e no ensino fundamen-
serviço público, inclusive sob a forma de adicional ou tal e médio.
prêmio de produtividade. § 6º Ressalvadas as aposentadorias decorrentes dos
§ 8º A remuneração dos servidores públicos organiza- cargos acumuláveis na forma desta Constituição, é
dos em carreira poderá ser fixada nos termos do § 4º. vedada a percepção de mais de uma aposentadoria à
Art. 40. Aos servidores titulares de cargos efetivos da conta do regime de previdência previsto neste artigo.
União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municí- § 7º Lei disporá sobre a concessão do benefício de
pios, incluídas suas autarquias e fundações, é assegu- pensão por morte, que será igual:
rado regime de previdência de caráter contributivo e I - ao valor da totalidade dos proventos do servidor
solidário, mediante contribuição do respectivo ente falecido, até o limite máximo estabelecido para os be-
público, dos servidores ativos e inativos e dos pensio- nefícios do regime geral de previdência social de que
nistas, observados critérios que preservem o equilíbrio trata o art. 201, acrescido de setenta por cento da par-
financeiro e atuarial e o disposto neste artigo. cela excedente a este limite, caso aposentado à data
§ 1º Os servidores abrangidos pelo regime de previ- do óbito; ou
dência de que trata este artigo serão aposentados, cal- II - ao valor da totalidade da remuneração do servidor
culados os seus proventos a partir dos valores fixados no cargo efetivo em que se deu o falecimento, até o
na forma dos §§ 3º e 17: limite máximo estabelecido para os benefícios do regi-
I - por invalidez permanente, sendo os proventos pro- me geral de previdência social de que trata o art. 201,
porcionais ao tempo de contribuição, exceto se decor- acrescido de setenta por cento da parcela excedente a
rente de acidente em serviço, moléstia profissional ou este limite, caso em atividade na data do óbito.
doença grave, contagiosa ou incurável, na forma da lei; § 8º É assegurado o reajustamento dos benefícios para
II - compulsoriamente, com proventos proporcionais preservar-lhes, em caráter permanente, o valor real,
ao tempo de contribuição, aos 70 (setenta) anos de conforme critérios estabelecidos em lei.
idade, ou aos 75 (setenta e cinco) anos de idade, na § 9º O tempo de contribuição federal, estadual ou mu-
forma de lei complementar; nicipal será contado para efeito de aposentadoria e o
III - voluntariamente, desde que cumprido tempo míni- tempo de serviço correspondente para efeito de dis-
mo de dez anos de efetivo exercício no serviço público ponibilidade.
e cinco anos no cargo efetivo em que se dará a apo- § 10 A lei não poderá estabelecer qualquer forma de
sentadoria, observadas as seguintes condições: contagem de tempo de contribuição fictício.
a) sessenta anos de idade e trinta e cinco de contribui- § 11 Aplica-se o limite fixado no art. 37, XI, à soma total
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

ção, se homem, e cinqüenta e cinco anos de idade e dos proventos de inatividade, inclusive quando decor-
trinta de contribuição, se mulher; rentes da acumulação de cargos ou empregos públi-
b) sessenta e cinco anos de idade, se homem, e sessen- cos, bem como de outras atividades sujeitas a contri-
ta anos de idade, se mulher, com proventos proporcio- buição para o regime geral de previdência social, e ao
nais ao tempo de contribuição. montante resultante da adição de proventos de inativi-
§ 2º Os proventos de aposentadoria e as pensões, por dade com remuneração de cargo acumulável na forma
ocasião de sua concessão, não poderão exceder a re- desta Constituição, cargo em comissão declarado em
muneração do respectivo servidor, no cargo efetivo em lei de livre nomeação e exoneração, e de cargo eletivo.
que se deu a aposentadoria ou que serviu de referência § 12 Além do disposto neste artigo, o regime de previ-
para a concessão da pensão. dência dos servidores públicos titulares de cargo efe-
§ 3º Para o cálculo dos proventos de aposentadoria, tivo observará, no que couber, os requisitos e critérios
por ocasião da sua concessão, serão consideradas as fixados para o regime geral de previdência social.
remunerações utilizadas como base para as contribui- § 13 Ao servidor ocupante, exclusivamente, de cargo
ções do servidor aos regimes de previdência de que em comissão declarado em lei de livre nomeação e
tratam este artigo e o art. 201, na forma da lei. exoneração bem como de outro cargo temporário ou
§ 4º É vedada a adoção de requisitos e critérios diferen- de emprego público, aplica-se o regime geral de pre-
ciados para a concessão de aposentadoria aos abran- vidência social.
gidos pelo regime de que trata este artigo, ressalvados, § 14 A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municí-
nos termos definidos em leis complementares, os ca- pios, desde que instituam regime de previdência com-
sos de servidores: plementar para os seus respectivos servidores titulares

32
de cargo efetivo, poderão fixar, para o valor das apo- § 2º Invalidada por sentença judicial a demissão do ser-
sentadorias e pensões a serem concedidas pelo regime vidor estável, será ele reintegrado, e o eventual ocu-
de que trata este artigo, o limite máximo estabelecido pante da vaga, se estável, reconduzido ao cargo de ori-
para os benefícios do regime geral de previdência so- gem, sem direito a indenização, aproveitado em outro
cial de que trata o art. 201. cargo ou posto em disponibilidade com remuneração
§ 15. O regime de previdência complementar de que proporcional ao tempo de serviço.
trata o § 14 será instituído por lei de iniciativa do res- § 3º Extinto o cargo ou declarada a sua desnecessida-
pectivo Poder Executivo, observado o disposto no art. de, o servidor estável ficará em disponibilidade, com
202 e seus parágrafos, no que couber, por intermédio remuneração proporcional ao tempo de serviço, até
de entidades fechadas de previdência complementar, seu adequado aproveitamento em outro cargo.
de natureza pública, que oferecerão aos respectivos § 4º Como condição para a aquisição da estabilidade,
participantes planos de benefícios somente na modali- é obrigatória a avaliação especial de desempenho por
dade de contribuição definida. comissão instituída para essa finalidade.
§ 16 Somente mediante sua prévia e expressa opção, o
disposto nos §§ 14 e 15 poderá ser aplicado ao servi- Introdução
dor que tiver ingressado no serviço público até a data - Princípio Federativo: descentralização do poder. Uma
da publicação do ato de instituição do correspondente ordem jurídica central e outras ordens jurídicas parciais, de
regime de previdência complementar. forma que a primeira abarca todos os indivíduos que se
§ 17. Todos os valores de remuneração considerados encontrem no território do Estado Nacional, e as outras, os
para o cálculo do benefício previsto no § 3° serão devi- sujeitos que se achem na circunscrição dos entes federados.
damente atualizados, na forma da lei. Estado Federado
§ 18. Incidirá contribuição sobre os proventos de apo- - Segundo Jellinek, citado por Nathália Masson,
sentadorias e pensões concedidas pelo regime de que federalismo por ser entendido como a unidade na
trata este artigo que superem o limite máximo estabe- pluralidade. É a reunião, feita por uma constituição, de
lecido para os benefícios do regime geral de previdên- entidades políticas autônomas unidas por um vínculo
cia social de que trata o art. 201, com percentual igual indissolúvel.
ao estabelecido para os servidores titulares de cargos Características
efetivos. - Descentralização no exercício do poder político;
§ 19. O servidor de que trata este artigo que tenha - Auto-organização
completado as exigências para aposentadoria voluntá- - Auto-governo
ria estabelecidas no § 1º, III, a, e que opte por permane- - Auto-administração
cer em atividade fará jus a um abono de permanência - Indissolubilidade do vínculo federativo;
equivalente ao valor da sua contribuição previdenciária - Rigidez Constitucional;
até completar as exigências para aposentadoria com- - Existência de um Tribunal Constitucional
pulsória contidas no § 1º, II.
§ 20. Fica vedada a existência de mais de um regime Federalismo pelo CF/88
próprio de previdência social para os servidores titula- É o primeiro princípio da CF/88. Trata-se, inclusive, de
res de cargos efetivos, e de mais de uma unidade ges- cláusula pétrea. Compreende a seguinte divisão: União,
estados-membros, Distrito Federal e municípios.

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


tora do respectivo regime em cada ente estatal, ressal-
vado o disposto no art. 142, § 3º, X. - União: “União é o ente central da federação, possui
§ 21. A contribuição prevista no § 18 deste artigo in- total autonomia em relação às demais entidades federadas e
cidirá apenas sobre as parcelas de proventos de apo- concentra um grande volume de atribuições administrativas,
sentadoria e de pensão que superem o dobro do limite legislativas e tributárias enunciadas ao longo do texto
máximo estabelecido para os benefícios do regime ge- constitucional”. Presença de duas personalidades: ambas
ral de previdência social de que trata o art. 201 desta representadas pelo Pres. da República: a primeira como
Constituição, quando o beneficiário, na forma da lei, chefe de Estado e a segunda como chefe de governo.
for portador de doença incapacitante. Trata-se de um ente autônomo e central.
Art. 41. São estáveis após três anos de efetivo exercí- União ≠ Federação: união é a congregação dos estados-
cio os servidores nomeados para cargo de provimento membros. Federação é a reunião dos entes federados, leia-
efetivo em virtude de concurso público. se, união, estados-membros, municípios e DF.
§ 1º O servidor público estável só perderá o cargo: - Estados-membros: resultado da descentralização do
I - em virtude de sentença judicial transitada em jul- poder político; são partes autônomas do Estado Federal.
gado; Podem ter sua própria constituição, desde que analisados
II - mediante processo administrativo em que lhe seja os limites traçados pelo texto da lei maior. Cada estado-
assegurada ampla defesa; membro tem competência para estruturar seus poderes –
III - mediante procedimento de avaliação periódica de sem interferência federal. A saber:
desempenho, na forma de lei complementar, assegura- - Legislativo: art. 27 / - Executivo: art. 28 / - Judiciário:
da ampla defesa. art. 125

33
- Municípios: passaram a integrar a estrutura da federação com a CF/88 que lhes garantiu plena autonomia. Alguns
pontos merecem análise no tocante a participação dos municípios na estrutura da federação. O primeiro ponto é que
nenhuma federação fez esse tipo de inclusão; o segundo ponto é a ausência de participação nacional, uma vez que
vereadores não participam das assembleias legislativas. Por fim, caso afrontem a indissolubilidade do pacto federativo, não
poderão sofrer intervenção federal, apenas estadual.
- Forma de organização: Lei Orgânica – votada em dois turnos com interstício de 10 dias com aprovação de 2/3 da
Câmara Municipal. O legislativo, composto por vereadores, tem a quantidade prevista na CF/88. A faixa de habitantes no
município corresponderá ao número de vereadores.
- Distrito Federal: local no qual os órgãos do Poder Federal possam se estabelecer e apresentar as diretrizes governamentais
ora pertinentes a toda a federação, ora relacionadas somente à União. É um ente federativo autônomo, com capacidade de
auto-organização. Possui atribuições legislativas (tanto de estado-membro como de município) e judiciárias.
- Territórios federais: antes da CF/88 eram assemelhados aos estados-membros. Com a novel constituição os antigos
territórios se tornaram estados-membros (Roraima e Amapá). Atualmente não existem territórios; mas, se criados fossem,
não passaram de unidades descentralizadas de administração.
- Formação de novos estados-membros e municípios
- Inadmissibilidade do direito à secessão
- Formação de novos estados-membros (possibilidades):
Requisitos para incorporação, subdivisão ou desmembramento:
- Consulta a população interessada (plebiscito): tanto da população da área desmembrada como da área remanescente.
Somente a manifestação da maioria permitirá que o processo dê sequência;
- Oitiva assembleias legislativas envolvidas (parecer opinativo – não vincula o CN): fornecimento de detalhamento
técnico;
- Aprovação do Congresso Nacional expedindo-se Lei complementar;
- Formação de novos municípios (possibilidades):
- Edição de lei complementar federal fixando o período em que poderá ocorrer a mudança;
- Aprovação de Lei ordinária apresentando a viabilidade municipal;
- Consulta a população interessada (plebiscito), não podendo ser substituída por outra espécie de consulta;
- Aprovação de lei ordinária estadual.
- Vedações Constitucionais
- Estabelecer cultos religiosos ou embaraçar o funcionamento de igrejas.
- Entes federados não podem adotar oficialmente uma religião.
- Repartição de competências
Trata-se de elemento fundamental do federalismo. A descentralização propõe que cada ente federado pode disciplinar
determinados comandos e, por conta disso, necessária a repartição de competências. A temática se alicerça ao princípio da
preponderância dos interesses.
- Técnicas de Repartição
Sistema Americano: (modelo adotado no Brasil) – prevê competências taxativas da União e os remanescentes ao estado;
como nossos municípios também são entes autônomos, estes também recebem atribuições.
Sistema canadense: a atribuição taxativa fica voltada aos estados, reservados aqueles da União.
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

Sistema indiano: enumeração exaustiva de atribuições para todos os entes da federação. Constituição robusta, prolixa
ao extremo. Muitos artigos.
Técnicas de efetivação
- Repartição horizontal: Constituição Federal delega a cada ente atribuições que lhe sejam próprias, particulares. Distribui,
portanto, a cada um, o que é seu; a cada entidade, matéria específica de sua competência. (competências privativas e
exclusivas)
- Repartição vertical: distribuição de competências exercidas em conjunto. (competências comuns e concorrentes).
- Das competências
As competências podem ser divididas em duas espécies. São as chamadas competências não legislativas (são
competências políticas e administrativas) e as legislativas (autorização para legislar). A saber, em formato esquematizado:

34
#FicaDica

- Da união: - exclusivas: art. 21


- privativas: art. 22 (cunho legislativo)
- comuns: art. 23 (dispostas para todos os entes da federação)
- concorrentes: art. 24
Competências exclusivas (art. 21) dão a ideia da necessidade de fazer algo (organizar / administrar). Estão todas
organizadas em verbos. Por serem indelegáveis (intransferíveis), devem ser necessariamente prestadas pela União. Ex:
“organizar”, “manter”, “emitir”, “conceder”.
Obs: dos incisos I ao V do art. 21 apresentam-se as competências pelas quais a União representa o Estado brasileiro
internacionalmente. Exemplo:
- Manter relações com Estados estrangeiros.
- Assegurar a defesa nacional.
- Declarar guerra e celebrar a paz.
Outros destaques (segundo Nathália Masson) das competências mais importantes:
Inciso I – União representa a República Federativa no Brasil na esfera internacional. Porém, União e RFB são pessoas
jurídicas distintas. A primeira, de direito público interno; a segunda, de direito público externo.
Inciso X – compete a União a manutenção do serviço postal e correio aéreo nacional.
Inciso XI – disciplinar e prestar serviços de telecomunicação.
Inciso XII “a” – obrigatoriedade de irradiação da voz do Brasil.
Competências privativas (art. 22): se tratam de temas em que a União irá legislar. Os incisos iniciam sempre com

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


substantivos. Ao contrário das exclusivas, estas podem ser delegáveis, inclusive com autorização expressa no art. 22,
parágrafo único. Importante aduzir que essa modalidade de competência pode ser transferida e não cedida pela União; é
possível aos estados-membros legislarem sobre temas dentre os assuntos principais de competência da União, sempre que
a estes forem feitas delegações.
Exemplo:
- Estado do Maranhão edita lei estadual dando prioridade no andamento processual em litígios que apresente mulher
vítima de violência doméstica. Referida lei foi declarada inconstitucional por vício formal, já que invadida competência
privativa da União.
- Estado do Paraná editou lei que obrigava empresas comerciantes de GLP a pesarem os botijões na frente do
consumidor e abater eventual irregularidade. Referida lei julgada inconstitucional pelo STF, por vício formal, já que compete
privativamente a União legislar sobre recursos energéticos.
- Estado de Santa Catarina teve lei estadual declarada inconstitucional, pois proibia veiculação de propaganda de
medicamentos. Como a competência para legislar sobre propaganda comercial é privativa da União, não poderia ter o
estado-membro legislado.
- Requisitos para delegação:
- Formal: apenas a União pode efetuar a delegação por meio de lei complementar.
- Material: a delegação não será voltada para legislar sobre toda a matéria, mas sim alguns temas afetos ao tema.
- Implícito: a delegação não pode privilegiar um ou outro ente da federação; a delegação deverá ser para todos –
princípio da isonomia.

35
Competências comuns (art. 23) serão cumpridas pela União e demais entes federados. São atribuições exercitadas por
todos os entes concomitantemente; podem ser intituladas “cumulativas”, uma vez que não há limites prévios estipulados para
o cumprimento delas, isto é, a atuação de um ente não inviabiliza ou restringe a atuação dos demais. Por conta de serem
comuns, ideal que se faça pelo legislativo federal a normatização das matérias que podem ser alvo de conflitos entre os entes.
Em havendo o conflito, o STF irá analisar mediante os critérios de preponderância dos interesses.
Exemplos:
- Zelar pela guarda da Constituição e das leis, das instituições democráticas e patrimônio público.
- Cuidar da saúde, da assistência pública.
- Proteger documentos, obras e outros bens de valor histórico.
- Proteger o meio ambiente e combater a poluição.
- Preservar as florestas, fauna, flora.
Competência concorrente (art. 24) – verificação explícita do chamado federalismo de cooperação (marble cake): verifica-
se para a União competências legislativas concorrentes, pertencentes ao ente em estudo em concorrência com os Estados-
membros e o Distrito Federal. Ao contrário das “comuns” que são cumulativas, a competência concorrente é “não cumulativa”,
pois existem limitações expressas à atuação dos entes, ou seja, as tarefas são previamente definidas.
A União deverá fazer a normatização geral e os estados-membros fazer a sua complementação (competência complementar),
adequando-a a sua realidade. Se a União não fizer, os estados poderão fazer (competência suplementar). Caso o estado-membro
tenha feito pela inércia da União e esta depois resolva fazer, prevalecerá a norma da união pela superveniência da norma geral
federal; isso não significa que a lei estadual será revogada, mas sim suspensa a sua eficácia no que for contrária a lei federal.
Exemplos:
- Legislar sobre florestas, caça, pesca, fauna, conservação da natureza. Em âmbito federal presente a Lei dos Crimes
ambientais (Lei 9605/98) e no âmbito estadual, como no Rio Grande do Sul, lei dispondo sobre essa temática.
- Dos estados-membros
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

Competem aos estados-membros e DF as atribuições que não são reservadas, posto que vedadas à União. Conforme
doutrina, trata-se de uma atuação bastante esvaziada em virtude da existência de diversas atribuições já previstas para a União.
- Materiais exclusivos (art. 25§1º) são as matérias remanescentes; aquelas não enumeradas pelo art. 21 e/ou de interesse
local.
- Legislativas privativas: poderão legislar sobre matérias que não tenham sido previstos nem para a União nem para os
municípios, ou que sejam vedadas pela CF/88.
- Atenção! Competência legislativa tributária expressa: art. 155. Tratam-se dos impostos com possibilidade de
regulamentação pelos estados-membros e DF.

Municípios
Competência não legislativa: - Comum (art.23)
- Exclusiva (art. 30 III a IX)
Competência legislativa: - Elaborar Lei Orgânica (art. 29 caput)
- Legislar assunto de interesse local (art. 30 I)
- Suplementar (art. 30 II)

36
- Elaborar plano diretor (art. 182 §1º) que dispõe o art. 18 e também o art. 29, segundo o qual,
- Tributária (art. 156). Município reger-se-á por lei orgânica, votada em dois
- Competência do Distrito Federal: este ente da federação turnos, com o interstício mínimo de dez dias, e aprovada
acumula competências voltadas aos estados-membros por dois terços dos membros da Câmara Municipal, que
e aos municípios, posto que não é apenas reconhecido a promulgará, atendidos os princípios estabelecidos nesta
como estado ou como município. Ao ente serão atribuídas Constituição, na Constituição do respectivo Estado e os
as competências legislativas reservadas aos Estados e seguintes preceitos.
Municípios (art. 32, § 1°, CF/88) e a competência tributária
dos Municípios (art. 147 CF/88).
Competências (Nathália Masson)
(i) editar sua própria Lei Orgânica;
PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DE
(ii) exercer a competência legislativa remanescente (e NATUREZA ÉTICA: MORALIDADE,
as eventuais enumeradas) dos Estados-membros; IMPESSOALIDADE, PROBIDADE,
(iii) exercer a eventual competência legislativa delega- MOTIVAÇÃO E PUBLICIDADE (ART. 37
da pela União; DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL; ART. 77 DA
(iv) exercer a competência legislativa concorrente-su- CONSTITUIÇÃO DO ESTADO DO RIO DE
plementar (complementar e supletiva) com os Estados- JANEIRO).
-membros;
(vi) exercer a competência legislativa enumerada dos
Municípios; e Prezado candidado o assunto referente ao art 37 já foi
(vii) exercer a competência legislativa suplementar dos apresentado no decorrer da matéria.
Municípios.
Art. 77 da Constituição do Estado do Rio de Janeiro
EXERCÍCIO COMENTADO
Constituição Estadual
Seção I
1) Aplicada em: 2018Banca: CESPE Órgão: EMAP Pro-
I - DISPOSIÇÕES GERAIS
va: Conhecimentos Básicos - Cargos de Nível Médio. No
Capítulo IV
que se refere à organização dos poderes, julgue o item que
IV - DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
segue. A criação de cargo público federal é matéria que
Seção I
cabe ao Congresso Nacional dispor, mas depende da san-
DISPOSIÇÕES GERAIS
ção do presidente da República.
Art. 77 - A administração pública direta, indireta ou
( ) Certo ( ) Errado
fundacional, de qualquer dos Poderes do Estado e dos
Resposta: Certo - Nos termos do art. 48 X, Cabe ao Con- Municípios, obedecerá aos princípios da legalidade,
gresso Nacional, com a sanção do Presidente da Repúbli- impessoalidade, moralidade, publicidade, interesse co-
ca, não exigida esta para o especificado nos arts. 49, 51 letivo e, também, ao seguinte:
e 52, dispor sobre todas as matérias de competência da I - os cargos, empregos e funções públicas são acessí-

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


União, especialmente sobre criação, transformação e ex- veis aos brasileiros que preencham os requisitos esta-
tinção de cargos, empregos e funções públicas, observado belecidos em lei;
o que estabelece o art. 84, VI, b. II - a investidura em cargo ou emprego público da ad-
ministração direta, indireta ou fundacional depende de
2) Aplicada em: 2018Banca: CESPE Órgão: PGM - Ma- aprovação prévia em concurso público de provas ou
naus - AM Prova: Procurador do Município. Conforme de provas e títulos, ressalvadas as nomeações para car-
regras e interpretação da CF, julgue o item subsequente, go em comissão declarado em lei de livre nomeação e
relativo a autonomia municipal e intervenção de estado- exoneração;
-membro em município. Da capacidade de auto-organi- · Lei nº 4053, de 30 de dezembro de 2002, que esta-
zação municipal decorre a constatação de que o estado- belece normas para os concursos públicos e dá outras
-membro não pode ingerir na autonomia organizatória do providências.
município, o que confere a este a possibilidade de ordenar III - não haverá limite máximo de idade para a inscri-
internamente, inclusive por meio de lei orgânica, sem a ne- ção em concurso público, constituindo-se, entretanto,
cessidade de anuência do respectivo governo estadual. em requisito de acessibilidade ao cargo ou emprego a
possibilidade de permanência por cinco anos no seu
( ) Certo ( ) Errado efetivo exercício;
IV - o prazo de validade do concurso público será de
Resposta: Certo - Os entes da federação são indepen- até dois anos, prorrogável uma vez, por igual período;
dentes e autônomos entre si. Tem por característica au- V - tanto no prazo de validade quanto no de sua pror-
to-organização, autogoverno e auto-administração. É o rogação, previstos no edital de convocação, o apro-

37
vado em concurso público de provas ou de provas e O direito do candidato aprovado em concurso público
títulos será, observada a classificação, convocado com de provas, ou de provas e títulos, ostenta duas dimensões:
prioridade sobre novos concursados para assumir car- 1) o implícito direito de ser recrutado segundo a ordem
go ou emprego, na carreira; descendente de classificação de todos os aprovados
VI - a convocação do aprovado em concurso far-se- (concurso é sistema de mérito pessoal) e durante o
-á mediante publicação oficial, e por correspondência prazo de validade do respectivo edital de convoca-
pessoal; ção (que é de 2 anos, prorrogável, apenas uma vez,
* VII - a classificação em concurso público, dentro do por igual período);
número de vagas obrigatoriamente fixado no respec- 2) o explícito direito de precedência que os candidatos
tivo edital, assegura o provimento no cargo no prazo aprovados em concurso anterior têm sobre os candi-
máximo de cento e oitenta dias, contado da homolo- datos aprovados em concurso imediatamente pos-
gação do resultado; terior, contanto que não-escoado o prazo daquele
* STF - SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL primeiro certame; ou seja, desde que ainda vigente o
RE 229450 / RJ - RIO DE JANEIRO prazo inicial ou o prazo de prorrogação da primeira
competição pública de provas, ou de provas e títulos.
RECURSO EXTRAORDINÁRIO Mas ambos os direitos, acrescente-se, de existência
Relator(a): Min. MAURÍCIO CORRÊA condicionada ao querer discricionário da adminis-
Julgamento: 10/02/2000 Órgão Julgador: Tribunal Pleno tração estatal quanto à conveniência e oportunida-
Publicação: DJ DATA-30-08-01 PP-00065 EMENT VOL- de do chamamento daqueles candidatos tidos por
02041-04 PP-00683 aprovados. O dispositivo estadual adversado, embo-
ra resultante de indiscutível atributo moralizador dos
EMENTA: RECURSO EXTRAORDINÁRIO. ADMINISTRATI- concursos públicos, vulnera os artigos 2º, 37, inciso
VO. ARTIGO 77, VII, DA CONSTITUIÇÃO DO ESTADO DO IV, e 61, § 1º, inciso II, “c”, da Constituição Federal
RIO DE JANEIRO: NOMEAÇÃO DE CANDIDATO APROVADO de 1988. precedente: RE 229.450, Rel. Min. Maurício
EM CONCURSO PÚBLICO. PRAZO MÁXIMO CONTADO DA Corrêa. Ação direta julgada procedente para declarar
HOMOLOGAÇÃO DO RESULTADO DO CONCURSO PÚBLI- a inconstitucionalidade do inciso VII do artigo 77 da
CO. INCONSTITUCIONALIDADE. Constituição do Estado do Rio de Janeiro.
VIII - os cargos em comissão e as funções de confian-
1. Aprovação em concurso público. Direito subjetivo do ça serão exercidos, preferencialmente, por servidores
candidato à nomeação, de acordo com a respectiva ocupantes de cargo de carreira técnica ou profissional,
ordem de classificação e no prazo de sua validade. 2. nos casos e condições previstos em lei;
Constituição do Estado do Rio de Janeiro, artigo 77, IX - os cargos de natureza técnica só poderão ser ocu-
VII. Provimento de cargo público. Iniciativa reservada pados pelos profissionais legalmente habilitados e de
ao Chefe do Executivo para edição de leis que dispo- comprovada atuação na área;
nham sobre o regime jurídico dos servidores públi- X - a administração fazendária e seus servidores fiscais
cos. Ofensa ao princípio da separação dos poderes: terão, em suas áreas de competência e jurisdição, pre-
Inconstitucionalidade formal. Recurso extraordinário cedência sobre os demais setores administrativos, na
conhecido e provido para cassar a segurança, decla- forma da lei;
rando-se, incidenter tantum, a inconstitucionalidade XI - a lei estabelecerá os casos de contratação por tem-
do inciso VII do artigo 77 da Constituição do Estado po determinado para atender à necessidade temporá-
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

do Rio de Janeiro. ria de excepcional interesse público;


* STF - ADIN - 2931, de 2003 - Decisão do Mérito: “Jul- XII - à revisão geral da remuneração dos servidores pú-
gamento do Pleno - Procedente - Decisão: o Tribunal, por blicos, sem distinção de índices entre servidores públi-
maioria, julgou procedente a ação para declarar a incons- cos civis e militares, far-se-á sempre na mesma data;
titucionalidade do inciso VII do artigo 77 da Constituição XIII - a lei fixará o limite máximo e a relação de valores
do Estado do Rio de Janeiro, nos termos do voto do rela- entre a maior e a menor remuneração dos servidores
tor, vencidos os senhores Ministros Marco Aurélio, Celso de públicos, observados, como limites máximos e no âm-
Mello e Sepúlveda Pertence. Votou o Presidente, Ministro bito dos respectivos poderes, os valores percebidos
Nelson Jobim. Ausente, justificadamente, o senhor Ministro como remuneração, em espécie, a qualquer título, por
Eros Grau. Plenário, 24.02.2005. Deputados Estaduais, Secretários de Estado e Desem-
bargadores, e, nos Municípios, os valores percebidos
EMENTA: AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE. como remuneração, em espécie, pelo Prefeito;
ARTIGO 77, INCISO VII, DA CONSTITUIÇÃO DO ESTADO DO * XIII - a remuneração e o subsídio dos ocupantes de
RIO DE JANEIRO. TEXTO NORMATIVO QUE ASSEGURA O cargos, funções e empregos públicos da administração
DIREITO DE NOMEAÇÃO, DENTRO DO PRAZO DE CENTO direta, autárquica e fundacional, dos Poderes do Esta-
E OITENTA DIAS, PARA TODO CANDIDATO QUE LOGRAR do do Rio de Janeiro, do Ministério Público, do tribunal
APROVAÇÃO EM CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS, OU de Contas do Estado, da procuradoria Geral do Estado
DE PROVAS DE TÍTULOS, DENTRO DO NÚMERO DE VAGAS e da Defensoria Pública e os proventos, pensões ou ou-
OFERTADAS PELA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTADUAL E tra espécie remuneratória, percebidos cumulativamen-
MUNICIPAL. te ou não, incluídas as vantagens pessoais ou de qual-

38
quer outra natureza, não poderão exceder o subsídio * STF - ADIN - 227-9/600, de 1997 - Decisão do Méri-
mensal, em espécie, dos Desembargadores do Tribunal to: “O Tribunal, por votação unânime, julgou procedente a
de Justiça, nos termos do § 12 do art. 37 da Constitui- ação direta e declarou, no inciso XVII do art. 77, da Consti-
ção da República Federativa do Brasil; tuição do Estado do Rio de Janeiro, a inconstitucionalidade
* Nova redação dada pela Emenda Constitucional nº da expressão “ou tê-las transformadas em pecúnia indeni-
58, de 26 de junho 2014. zatória, segundo sua opção”. Votou o Presidente.” - Plená-
Nota: Artigo 2º e 3º da Emenda Constitucional nº 58 rio, 19.11.1997. Acórdão, DJ 18.05.2001.
de 2014 - Art. 2º A aplicação e os efeitos financeiros
do limite único de que trata o inciso XIII do art. 77 da EMENTA: AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE
Constituição do Estado do Estado do Rio de Janeiro, . ART. 77, XVII DA CONSTITUIÇÃO DO ESTADO DO RIO DE
com a sua redação conferida por esta Emenda Consti- JANEIRO. FACULDADE DO SERVIDOR DE TRANSFORMAR
tucional, para as carreiras cuja remuneração ou subsí- EM PECÚNIA INDENIZATÓRIA A LICENÇA ESPECIAL E FÉ-
dio tenham como limite, até a data da publicação deste RIAS NÃO GOZADAS. AFRONTA AOS ARTS. 61 , § 1 º, II , “A”
ato, o subsídio mensal do Governador do Estado, serão E 169 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.
escalonados progressivamente, nos seguintes termos:
I - a partir de 1º de julho de 2014: 75,16% (setenta e 1. A Constituição Federal, ao conferir aos Estados a ca-
cinco inteiros e dezesseis centésimos por cento) do pacidade de auto-organização e de autogoverno,
subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supre- impõe a obrigatória observância aos seus princípios,
mo Tribunal Federal; entre os quais o pertinente ao processo legislativo,
II - a partir de 1º de julho de 2015: 80,19% (oitenta de modo que o legislador constituinte estadual não
inteiros e dezenove centésimos por cento) do subsídio pode validamente dispor sobre as matérias reserva-
mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribu- das à iniciativa privativa do Chefe do Executivo.
nal Federal; 2. O princípio da iniciativa reservada implica limitação
III - a partir de 1º de julho de 2016: 85,22% (oitenta e ao poder do Estado-Membro de criar como ao de
cinco inteiros e vinte e dois centésimos por cento) do revisar sua Constituição e, quando no trato da refor-
subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supre- mulação constitucional local, o legislador não pode
mo Tribunal Federal; e se investir da competência para matéria que a Carta
IV - a partir de 1º de julho de 2017: 90,25% (noventa da República tenha reservado à exclusiva iniciativa
inteiros e vinte e cinco centésimos por cento) do sub- do Governador.
sídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo 3. Constituição do Estado do Rio de Janeiro. Faculdade
Tribunal Federal. do servidor de transformar em pecúnia indenizatória
* § 1° Ficam diferidos para 1° de janeiro de 2018 os a licença especial e férias não gozadas. Concessão de
pagamentos relativos ao acréscimo remuneratório de- vantagens. Matéria estranha à Carta Estadual. Con-
corrente da aplicação do disposto nos incisos lII e IV do versão que implica aumento de despesa. Inconsti-
caput deste artigo. tucionalidade. Ação direta de inconstitucionalidade
* § 2° O montante nominal dos valores não pagos até procedente.
31 de dezembro de 2017, em decorrência do disposto XVIII - os vencimentos dos servidores públicos, civis e
no §1° deste artigo, será restituído em 12 (doze) parcelas militares, são irredutíveis e a remuneração observará o
mensais iguais e sucessivas, a partir de janeiro de 2018. que dispõem os incisos XIII e XIV deste artigo e o arti-
* §§ 1º e 2º acrescentados pela Emenda Constitucional go 153, III e § 2º, I, da Constituição da República;

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


nº 67, de 19 de julho de 2016 XIX - é vedada a acumulação remunerada de cargos
Art. 3º Esta Emenda Constitucional entra em vigor na públicos, exceto quando houver compatibilidade de
data de sua publicação, produzindo os seus efeitos a horários:
partir de 1º de julho de 2014. a) a de dois cargos de professor, assim considerado o
XIV - os vencimentos dos cargos do Poder Legislativo de especialista de educação;
e do Poder Judiciário não poderão ser superiores aos b) a de um cargo de professor com outro técnico ou
pagos pelo Poder Executivo; científico;
XV - é vedada a vinculação ou equiparação de venci- c) e de dois cargos privativos de médico.
mentos, para o efeito de remuneração de pessoal do XX - a proibição de acumular não se aplica a proventos
serviço público, ressalvado o disposto no inciso ante- de aposentadoria, mas se estende a empregos e fun-
rior e no artigo 82, § 1º, desta Constituição; ções e abrange autarquias, empresas públicas, socie-
XVI - os acréscimos pecuniários percebidos por servi- dades de economia mista e fundações mantidas pelo
dor público não serão computados nem acumulados, Poder Público;
para fins de concessão de acréscimos ulteriores, sob o XXI - somente por lei específica poderão ser criadas,
mesmo título ou idêntico fundamento; empresa pública, sociedade de economia mista, autar-
* XVII - o servidor público estadual, civil ou militar, po- quia ou fundação pública;
derá gozar licença especial e férias na forma da lei ou XXII - depende de autorização legislativa, em cada
de ambas dispor, sob a forma de direito de contagem caso, a criação de subsidiárias das entidades mencio-
em dobro para efeito de aposentadoria ou tê-las trans- nadas no inciso anterior, assim como a participação de
formadas em pecúnia indenizatória, segundo sua opção; qualquer delas em empresa privada;

39
XXIII - ressalvada a legislação federal aplicável, ao ser- Quartéis de Bombeiro Militar, Reitores das Universida-
vidor público estadual é proibido substituir, sob qual- des Públicas Estaduais e ainda para todos os cargos de
quer pretexto, trabalhadores de empresas privadas em livre provimento dos poderes Executivo, Legislativo e
greve; Judiciário do Estado.
XXIV - aos servidores públicos do Estado é vedado se- * Acrescentado pela Emenda Constitucional nº 50/2011
rem proprietários, controlarem direta ou indiretamen- * Inciso regulamentado pela Lei Complementar nº 143,
te, ou fazerem parte da administração de empresas de 9 de janeiro de 2012.
privadas fornecedoras de suas instituições ou que de- * XXX - As atividades do sistema de controle interno,
las dependam para controle ou credenciamento e, na previstas no Art. 129, essenciais ao funcionamento da
forma da lei: administração pública, contemplarão, em especial, as
a) as vedações deste inciso estender-se-ão aos paren- funções de ouvidoria, controladoria e auditoria gover-
tes diretos, consangüíneos ou afins, assim como aos namental, e serão desempenhadas por Órgão de natu-
seus prepostos; reza permanente, e exercidas por servidores organiza-
b) as punições específicas aos transgressores desta dos em carreira específica, na forma de Lei.
norma serão impostas, sem prejuízos das sanções ge- * Acrescentado pela Emenda Constitucional nº 68, de 28
néricas que lhes sejam aplicáveis. de julho de 2016
XXV - ressalvados os casos especificados na legislação, § 1º - Compreende-se na administração direta os servi-
as obras, serviços, compras e alienações serão contra- ços sem personalidade jurídica própria, integrados na
tados mediante processo de licitação pública que asse- estrutura administrativa de qualquer dos Poderes do
gure igualdade de condições e de pagamentos a todos Estado; na administração indireta, constituída de en-
os concorrentes, com previsão de atualização monetá- tidades dotadas de personalidade jurídica própria, as
ria para os pagamentos em atraso, penalidades para os autarquias, as empresas públicas e as sociedades de
descumprimentos contratuais, permitindo-se, no ato economia mista, bem como as subsidiárias dessas en-
convocatório, somente as exigências de qualificação tidades, incluindo as fundações instituídas ou mantidas
técnica, jurídica e econômico-financeira indispensáveis pelo Poder Público.
§ 2º - Considera-se:
à garantia do cumprimento das obrigações.
I - autarquia - o serviço autônomo criado por lei, com
· Lei nº 4103, de 13 de maio de 2003, dispõe sobre a
personalidade jurídica de direito público, patrimônio
disponibilização, na internet, de informações relativas aos
e receita próprios, para executar atividades típicas da
atos, contratos e licitações, no âmbito do poder público do
administração pública, que requeiram, para seu melhor
Estado do Rio de Janeiro.
funcionamento, gestão administrativa e financeira des-
XXVI - os servidores públicos não poderão ser coloca-
centralizada;
dos à disposição de outros setores da administração II - empresa pública - a entidade dotada de perso-
pública da União, dos Estados e dos Municípios, antes nalidade jurídica de direito privado com patrimônio
de completarem dois anos de efetivo exercício funcio- próprio e capital público maioritariamente do Estado,
nal no órgão de origem; criada por lei para a exploração de atividade econô-
XXVII - os servidores da administração pública direta, mica que o Governo seja levado a exercer por força
colocados à disposição da administração pública in- de contingência ou de conveniência administrativa,
direta ou fundacional, quando da transferência para a podendo revestir-se de qualquer das formas admitidas
inatividade, incorporarão aos proventos a complemen- em direito;
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

tação de vencimentos que venham percebendo, desde III - sociedade de economia mista - a entidade dotada
que caracterizada essa situação há, no mínimo, oito de personalidade jurídica de direito privado, criada por
anos consecutivos. lei para a exploração de atividade econômica, sob a
* XXVIII - a licença médica para tratamento de saúde, forma de sociedade anônima, cujas ações com direito
concedida aos servidores públicos, que exceder o pra- a voto pertençam em sua maioria ao Estado ou a enti-
zo de 120 (cento e vinte) dias no período de 12 (doze) dade da administração indireta;
meses, a contar do primeiro dia de afastamento, será IV - fundação pública - a entidade dotada de persona-
concedida mediante avaliação por junta médica oficial. lidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos,
* Acrescentado pela Emenda Constitucional nº 46/2011 criada em virtude de autorização legislativa, para o de-
* XXIX – É vedada a nomeação de pessoas que se en- senvolvimento de atividades que não exijam execução
quadram nas condições de inelegibilidade nos termos por órgãos ou entidades de direito público, com auto-
da legislação federal para os cargos de Secretário de nomia administrativa, patrimônio próprio gerido pelos
Estado, Subsecretário, Procurador Geral de Justiça, Pro- respectivos órgãos de direção, e funcionamento custe-
curador Geral do Estado, Defensor Público Geral, Su- ado por recursos do Estado e de outras fontes.
perintendentes e Diretores de órgãos da administração § 3º - A publicidade dos atos e programas, obras e
pública indireta, fundacional, de agências reguladoras serviços dos órgãos públicos somente poderá ser feita
e autarquias, Chefe de Polícia Civil, Titulares de Dele- em caráter educativo e de orientação social, dela não
gacias de Polícia, Comandante Geral da Polícia Militar, podendo constar nomes, símbolos ou imagens que ca-
Comandante Geral do Corpo de Bombeiros, Coman- racterizem promoção pessoal de autoridades ou servi-
dantes de Batalhões de Polícia Militar, Comandante de dores públicos.

40
§ 4º - A não observância do disposto nos incisos II e V * § 14 - Em caso de violação do disposto nos pará-
deste artigo implicará a nulidade do ato e a punição da grafos 11 e 12 deste artigo, as autoridades públicas e
autoridade responsável, nos termos da lei. membros de Poder incorrerão em falta disciplinar grave
§ 5º - As reclamações relativas à prestação de serviços e serão solidariamente responsáveis com os beneficia-
públicos serão disciplinadas em lei. dos, sem prejuízo das sanções de outra ordem cabíveis
§ 6º - Os atos de improbidade administrativa importa- e da nulidade dos atos praticados.
rão a perda da função pública, a indisponibilidade dos * Acrescentado pela Emenda Constitucional nº 34/2005.
bens e o ressarcimento ao erário, na forma e gradação
previstas em lei, sem prejuízo da ação penal cabível. ORGANIZAÇÃO DOS PODERES (ARTS.
§ 7º - As pessoas jurídicas de direito público e as de di-
44 A 135 DA CF/88). 10. DA SEGURANÇA
reito privado prestadoras de serviços públicos respon-
derão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, PÚBLICA (ART. 144).
causarem a terceiros, assegurado o direito de regresso
contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.
§ 8º - Os Conselhos, Seccional da Ordem dos Advo- Capítulo I
gados do Brasil e Regionais das demais profissões Do poder legislativo
regulamentadas, serão obrigatoriamente chamados a Seção I
participar de todas as fases do processo de concurso Do congresso nacional
público, desde a elaboração dos editais até a homo-
logação e publicação dos resultados, sempre que nos Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso
referidos concursos se exigirem conhecimentos téc- Nacional, que se compõe da Câmara dos Deputados e
nicos dessas categorias, cabendo, na inexistência dos do Senado Federal.
Conselhos, idêntico direito às entidades de funcioná- Parágrafo único. Cada legislatura terá a duração de
rios. quatro anos.
§ 9º - O Estado não subvencionará nem beneficiará, Art. 45. A Câmara dos Deputados compõe-se de repre-
sentantes do povo, eleitos, pelo sistema proporcional,
com isenção ou redução de tributos, taxas, tarifas, ou
em cada Estado, em cada Território e no Distrito Federal.
quaisquer outras vantagens, as entidades dedicadas a
§ 1º O número total de Deputados, bem como a re-
atividades educacionais, culturais, hospitalares, sanitá-
presentação por Estado e pelo Distrito Federal, será es-
rias, esportivas ou recreativas, cujos atos constitutivos
tabelecido por lei complementar, proporcionalmente à
e estatutos não disponham expressamente esses fins
população, procedendo-se aos ajustes necessários, no
exclusivamente filantrópicos e não lucrativos, ou que,
ano anterior às eleições, para que nenhuma daquelas
de forma direta ou indireta, remunerem seus institui-
unidades da Federação tenha menos de oito ou mais
dores, diretores, sócios ou mantenedores. de setenta Deputados.
§ 10 - É vedada ao Poder Público, direta ou indireta- § 2º Cada Território elegerá quatro Deputados.
mente, a publicidade de qualquer natureza, fora do Art. 46. O Senado Federal compõe-se de representan-
território do Estado, para fins de propaganda gover- tes dos Estados e do Distrito Federal, eleitos segundo o
namental. princípio majoritário.
* § 11 - São vedadas, na Administração Pública do Es- § 1º Cada Estado e o Distrito Federal elegerão três Se-
tado do Rio de Janeiro: nadores, com mandato de oito anos.

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


I - a nomeação de cônjuge, companheiro ou paren- § 2º A representação de cada Estado e do Distrito Fede-
te, até o terceiro grau civil inclusive, de membro de ral será renovada de quatro em quatro anos, alternada-
Poder, para cargo em comissão declarado em Lei de mente, por um e dois terços.
livre nomeação e exoneração ou função de confian- § 3º Cada Senador será eleito com dois suplentes.
ça, qualquer que seja a denominação ou símbolo da Art. 47. Salvo disposição constitucional em contrário, as
gratificação; deliberações de cada Casa e de suas comissões serão
II - a contratação, sem que seja por concurso público, tomadas por maioria dos votos, presente a maioria ab-
ainda que por tempo determinado, para atender a ne- soluta de seus membros.
cessidade temporária de excepcional interesse públi-
co, das pessoas descritas no inciso anterior. Seção II
* Acrescentado pela Emenda Constitucional nº 34/2005. Das atribuições do congresso nacional
* § 12 - A vedação prevista no parágrafo anterior es-
tende-se aos membros de órgão coletivo, reciproca- Art. 48. Cabe ao Congresso Nacional, com a sanção do
mente, de modo que não poderão as pessoas men- Presidente da República, não exigida esta para o espe-
cionadas exercer qualquer das funções previstas, no cificado nos arts. 49, 51 e 52, dispor sobre todas as ma-
referido órgão. térias de competência da União, especialmente sobre:
* Acrescentado pela Emenda Constitucional nº 34/2005. I - sistema tributário, arrecadação e distribuição de rendas;
* § 13 – O disposto no parágrafo anterior não se aplica II - plano plurianual, diretrizes orçamentárias, orçamen-
a servidores efetivos. to anual, operações de crédito, dívida pública e emis-
* Acrescentado pela Emenda Constitucional nº 34/2005. sões de curso forçado;

41
III - fixação e modificação do efetivo das Forças Armadas; X - fiscalizar e controlar, diretamente, ou por qualquer
IV - planos e programas nacionais, regionais e setoriais de suas Casas, os atos do Poder Executivo, incluídos os
de desenvolvimento; da administração indireta;
V - limites do território nacional, espaço aéreo e marí- XI - zelar pela preservação de sua competência legis-
timo e bens do domínio da União; lativa em face da atribuição normativa dos outros Po-
VI - incorporação, subdivisão ou desmembramento de deres;
áreas de Territórios ou Estados, ouvidas as respectivas XII - apreciar os atos de concessão e renovação de con-
Assembléias Legislativas; cessão de emissoras de rádio e televisão;
VII - transferência temporária da sede do Governo Fe- XIII - escolher dois terços dos membros do Tribunal de
deral; Contas da União;
VIII - concessão de anistia; XIV - aprovar iniciativas do Poder Executivo referentes
IX - organização administrativa, judiciária, do Ministé- a atividades nucleares;
rio Público e da Defensoria Pública da União e dos Ter- XV - autorizar referendo e convocar plebiscito;
ritórios e organização judiciária e do Ministério Público XVI - autorizar, em terras indígenas, a exploração e o
aproveitamento de recursos hídricos e a pesquisa e la-
do Distrito Federal;
vra de riquezas minerais;
X – criação, transformação e extinção de cargos, em-
XVII - aprovar, previamente, a alienação ou concessão
pregos e funções públicas, observado o que estabelece
de terras públicas com área superior a dois mil e qui-
o art. 84, VI, b;
nhentos hectares.
XI – criação e extinção de Ministérios e órgãos da ad- Art. 50. A Câmara dos Deputados e o Senado Federal,
ministração pública; ou qualquer de suas Comissões, poderão convocar Mi-
XII - telecomunicações e radiodifusão; nistro de Estado ou quaisquer titulares de órgãos dire-
XIII - matéria financeira, cambial e monetária, institui- tamente subordinados à Presidência da República para
ções financeiras e suas operações; prestarem, pessoalmente, informações sobre assunto
XIV - moeda, seus limites de emissão, e montante da previamente determinado, importando crime de res-
dívida mobiliária federal. ponsabilidade a ausência sem justificação adequada.
XV - fixação do subsídio dos Ministros do Supremo Tri- § 1º Os Ministros de Estado poderão comparecer ao
bunal Federal, observado o que dispõem os arts. 39, § Senado Federal, à Câmara dos Deputados ou a qual-
4º; 150, II; 153, III; e 153, § 2º, I. quer de suas comissões, por sua iniciativa e mediante
Art. 49. É da competência exclusiva do Congresso Na- entendimentos com a Mesa respectiva, para expor as-
cional: sunto de relevância de seu Ministério.
I - resolver definitivamente sobre tratados, acordos ou § 2º As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado
atos internacionais que acarretem encargos ou com- Federal poderão encaminhar pedidos escritos de infor-
promissos gravosos ao patrimônio nacional; mação a Ministros de Estado ou a qualquer das pes-
II - autorizar o Presidente da República a declarar guer- soas referidas no caput deste artigo, importando em
ra, a celebrar a paz, a permitir que forças estrangeiras crime de responsabilidade a recusa, ou o não atendi-
transitem pelo território nacional ou nele permaneçam mento, no prazo de trinta dias, bem como a prestação
temporariamente, ressalvados os casos previstos em lei de informações falsas.
complementar;
Seção III
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

III - autorizar o Presidente e o Vice-Presidente da Re-


pública a se ausentarem do País, quando a ausência Da câmara dos deputados
exceder a quinze dias;
Art. 51. Compete privativamente à Câmara dos Depu-
IV - aprovar o estado de defesa e a intervenção federal,
tados:
autorizar o estado de sítio, ou suspender qualquer uma
I - autorizar, por dois terços de seus membros, a instau-
dessas medidas;
ração de processo contra o Presidente e o Vice-Presi-
V - sustar os atos normativos do Poder Executivo que
dente da República e os Ministros de Estado;
exorbitem do poder regulamentar ou dos limites de II - proceder à tomada de contas do Presidente da
delegação legislativa; República, quando não apresentadas ao Congresso
VI - mudar temporariamente sua sede; Nacional dentro de sessenta dias após a abertura da
VII - fixar idêntico subsídio para os Deputados Federais sessão legislativa;
e os Senadores, observado o que dispõem os arts. 37, III - elaborar seu regimento interno;
XI, 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I; IV – dispor sobre sua organização, funcionamento, po-
VIII – fixar os subsídios do Presidente e do Vice-Presi- lícia, criação, transformação ou extinção dos cargos,
dente da República e dos Ministros de Estado, obser- empregos e funções de seus serviços, e a iniciativa de
vado o que dispõem os arts. 37, XI, 39, § 4º, 150, II, 153, lei para fixação da respectiva remuneração, observados
III, e 153, § 2º, I; os parâmetros estabelecidos na lei de diretrizes orça-
IX - julgar anualmente as contas prestadas pelo Pre- mentárias;
sidente da República e apreciar os relatórios sobre a V - eleger membros do Conselho da República, nos ter-
execução dos planos de governo; mos do art. 89, VII.

42
Seção IV XIV - eleger membros do Conselho da República, nos
Do senado federal termos do art. 89, VII.
XV - avaliar periodicamente a funcionalidade do Siste-
Art. 52. Compete privativamente ao Senado Federal: ma Tributário Nacional, em sua estrutura e seus com-
I - processar e julgar o Presidente e o Vice-Presidente ponentes, e o desempenho das administrações tribu-
da República nos crimes de responsabilidade, bem tárias da União, dos Estados e do Distrito Federal e dos
como os Ministros de Estado e os Comandantes da Municípios.
Marinha, do Exército e da Aeronáutica nos crimes da Parágrafo único. Nos casos previstos nos incisos I e II,
mesma natureza conexos com aqueles; funcionará como Presidente o do Supremo Tribunal
II - processar e julgar os Ministros do Supremo Tri- Federal, limitando-se a condenação, que somente será
bunal Federal, os membros do Conselho Nacional de proferida por dois terços dos votos do Senado Federal,
Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público, à perda do cargo, com inabilitação, por oito anos, para
o Procurador-Geral da República e o Advogado-Geral o exercício de função pública, sem prejuízo das demais
da União nos crimes de responsabilidade; sanções judiciais cabíveis.
III - aprovar previamente, por voto secreto, após argui-
Seção V
ção pública, a escolha de:
Dos deputados e dos senadores
a) magistrados, nos casos estabelecidos nesta Cons-
tituição; Art. 53. Os Deputados e Senadores são invioláveis, civil
b) Ministros do Tribunal de Contas da União indicados e penalmente, por quaisquer de suas opiniões, palavras
pelo Presidente da República; e votos.
c) Governador de Território; § 1º Os Deputados e Senadores, desde a expedição do
d) presidente e diretores do Banco Central; diploma, serão submetidos a julgamento perante o Su-
e) Procurador-Geral da República; premo Tribunal Federal.
f) titulares de outros cargos que a lei determinar; § 2º Desde a expedição do diploma, os membros do
IV - aprovar previamente, por voto secreto, após argui- Congresso Nacional não poderão ser presos, salvo em
ção em sessão secreta, a escolha dos chefes de missão flagrante de crime inafiançável. Nesse caso, os autos
diplomática de caráter permanente; serão remetidos dentro de vinte e quatro horas à Casa
V - autorizar operações externas de natureza finan- respectiva, para que, pelo voto da maioria de seus
ceira, de interesse da União, dos Estados, do Distrito membros, resolva sobre a prisão.
Federal, dos Territórios e dos Municípios; § 3º Recebida a denúncia contra o Senador ou Deputa-
VI - fixar, por proposta do Presidente da República, li- do, por crime ocorrido após a diplomação, o Supremo
mites globais para o montante da dívida consolidada Tribunal Federal dará ciência à Casa respectiva, que,
da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Mu- por iniciativa de partido político nela representado e
nicípios; pelo voto da maioria de seus membros, poderá, até a
VII - dispor sobre limites globais e condições para as decisão final, sustar o andamento da ação.
operações de crédito externo e interno da União, dos § 4º O pedido de sustação será apreciado pela Casa
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, de suas respectiva no prazo improrrogável de quarenta e cinco
autarquias e demais entidades controladas pelo poder dias do seu recebimento pela Mesa Diretora.
§ 5º A sustação do processo suspende a prescrição, en-

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


público federal;
VIII - dispor sobre limites e condições para a conces- quanto durar o mandato.
são de garantia da União em operações de crédito ex- § 6º Os Deputados e Senadores não serão obrigados
a testemunhar sobre informações recebidas ou pres-
terno e interno;
tadas em razão do exercício do mandato, nem sobre
IX - estabelecer limites globais e condições para o
as pessoas que lhes confiaram ou deles receberam in-
montante da dívida mobiliária dos Estados, do Distrito
formações.
Federal e dos Municípios; § 7º A incorporação às Forças Armadas de Deputados e
X - suspender a execução, no todo ou em parte, de Senadores, embora militares e ainda que em tempo de
lei declarada inconstitucional por decisão definitiva do guerra, dependerá de prévia licença da Casa respectiva.
Supremo Tribunal Federal; § 8º As imunidades de Deputados ou Senadores sub-
XI - aprovar, por maioria absoluta e por voto secreto, sistirão durante o estado de sítio, só podendo ser sus-
a exoneração, de ofício, do Procurador-Geral da Repú- pensas mediante o voto de dois terços dos membros
blica antes do término de seu mandato; da Casa respectiva, nos casos de atos praticados fora
XII - elaborar seu regimento interno; do recinto do Congresso Nacional, que sejam incom-
XIII - dispor sobre sua organização, funcionamento, patíveis com a execução da medida.
polícia, criação, transformação ou extinção dos cargos, Art. 54. Os Deputados e Senadores não poderão:
empregos e funções de seus serviços, e a iniciativa de I - desde a expedição do diploma:
lei para fixação da respectiva remuneração, observa- a) firmar ou manter contrato com pessoa jurídica de di-
dos os parâmetros estabelecidos na lei de diretrizes reito público, autarquia, empresa pública, sociedade de
orçamentárias; economia mista ou empresa concessionária de serviço

43
público, salvo quando o contrato obedecer a cláusulas § 1º O suplente será convocado nos casos de vaga, de
uniformes; investidura em funções previstas neste artigo ou de li-
b) aceitar ou exercer cargo, função ou emprego remu- cença superior a cento e vinte dias.
nerado, inclusive os de que sejam demissíveis ad nu- § 2º Ocorrendo vaga e não havendo suplente, far-se-
tum , nas entidades constantes da alínea anterior; -á eleição para preenchê-la se faltarem mais de quinze
II - desde a posse: meses para o término do mandato.
a) ser proprietários, controladores ou diretores de em- § 3º Na hipótese do inciso I, o Deputado ou Senador
presa que goze de favor decorrente de contrato com poderá optar pela remuneração do mandato.
pessoa jurídica de direito público, ou nela exercer fun-
ção remunerada; Seção VI
b) ocupar cargo ou função de que sejam demissíveis ad Das reuniões
nutum , nas entidades referidas no inciso I, a ;
c) patrocinar causa em que seja interessada qualquer Art. 57. O Congresso Nacional reunir-se-á, anualmente,
das entidades a que se refere o inciso I, a ; na Capital Federal, de 2 de fevereiro a 17 de julho e de
d) ser titulares de mais de um cargo ou mandato pú- 1º de agosto a 22 de dezembro.
blico eletivo. § 1º As reuniões marcadas para essas datas serão trans-
Art. 55. Perderá o mandato o Deputado ou Senador: feridas para o primeiro dia útil subseqüente, quando
I - que infringir qualquer das proibições estabelecidas recaírem em sábados, domingos ou feriados.
no artigo anterior; § 2º A sessão legislativa não será interrompida sem a
II - cujo procedimento for declarado incompatível com aprovação do projeto de lei de diretrizes orçamentá-
o decoro parlamentar; rias.
III - que deixar de comparecer, em cada sessão legisla- § 3º Além de outros casos previstos nesta Constituição,
tiva, à terça parte das sessões ordinárias da Casa a que a Câmara dos Deputados e o Senado Federal reunir-se-
pertencer, salvo licença ou missão por esta autorizada; -ão em sessão conjunta para:
I - inaugurar a sessão legislativa;
IV - que perder ou tiver suspensos os direitos políticos;
II - elaborar o regimento comum e regular a criação de
V - quando o decretar a Justiça Eleitoral, nos casos pre-
serviços comuns às duas Casas;
vistos nesta Constituição;
III - receber o compromisso do Presidente e do Vice-
VI - que sofrer condenação criminal em sentença tran-
-Presidente da República;
sitada em julgado.
IV - conhecer do veto e sobre ele deliberar.
§ 1º É incompatível com o decoro parlamentar, além
§ 4º Cada uma das Casas reunir-se-á em sessões pre-
dos casos definidos no regimento interno, o abuso das
paratórias, a partir de 1º de fevereiro, no primeiro ano
prerrogativas asseguradas a membro do Congresso da legislatura, para a posse de seus membros e eleição
Nacional ou a percepção de vantagens indevidas. das respectivas Mesas, para mandato de 2 (dois) anos,
§ 2º Nos casos dos incisos I, II e VI, a perda do man- vedada a recondução para o mesmo cargo na eleição
dato será decidida pela Câmara dos Deputados ou imediatamente subseqüente.
pelo Senado Federal, por maioria absoluta, mediante § 5º A Mesa do Congresso Nacional será presidida
provocação da respectiva Mesa ou de partido político pelo Presidente do Senado Federal, e os demais car-
representado no Congresso Nacional, assegurada am- gos serão exercidos, alternadamente, pelos ocupantes
pla defesa. (Parágrafo com redação dada pela Emenda de cargos equivalentes na Câmara dos Deputados e no
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

Constitucional nº 76, de 2013) Senado Federal.


§ 3º Nos casos previstos nos incisos III a V, a perda será § 6º A convocação extraordinária do Congresso Nacio-
declarada pela Mesa da Casa respectiva, de ofício ou nal far-se-á:
mediante provocação de qualquer de seus membros I - pelo Presidente do Senado Federal, em caso de
ou de partido político representado no Congresso Na- decretação de estado de defesa ou de intervenção fe-
cional, assegurada ampla defesa. deral, de pedido de autorização para a decretação de
§ 4º A renúncia de parlamentar submetido a processo estado de sítio e para o compromisso e a posse do
que vise ou possa levar à perda do mandato, nos ter- Presidente e do Vice-Presidente da República;
mos deste artigo, terá seus efeitos suspensos até as II - pelo Presidente da República, pelos Presidentes
deliberações finais de que tratam os §§ 2º e 3º. da Câmara dos Deputados e do Senado Federal ou a
Art. 56. Não perderá o mandato o Deputado ou Sena- requerimento da maioria dos membros de ambas as
dor: Casas, em caso de urgência ou interesse público rele-
I - investido no cargo de Ministro de Estado, Gover- vante, em todas as hipóteses deste inciso com a apro-
nador de Território, Secretário de Estado, do Distrito vação da maioria absoluta de cada uma das Casas do
Federal, de Território, de Prefeitura de capital ou chefe Congresso Nacional.
de missão diplomática temporária; § 7º Na sessão legislativa extraordinária, o Congresso
II - licenciado pela respectiva Casa por motivo de do- Nacional somente deliberará sobre a matéria para a
ença, ou para tratar, sem remuneração, de interesse qual foi convocado, ressalvada a hipótese do § 8º deste
particular, desde que, neste caso, o afastamento não artigo, vedado o pagamento de parcela indenizatória,
ultrapasse cento e vinte dias por sessão legislativa. em razão da convocação.

44
§ 8º Havendo medidas provisórias em vigor na data
de convocação extraordinária do Congresso Nacional,
serão elas automaticamente incluídas na pauta da con-
vocação.

Seção VII
Das comissões

Art. 58. O Congresso Nacional e suas Casas terão co-


missões permanentes e temporárias, constituídas na
forma e com as atribuições previstas no respectivo re-
gimento ou no ato de que resultar sua criação.
§ 1º Na constituição das Mesas e de cada comissão,
é assegurada, tanto quanto possível, a representação
proporcional dos partidos ou dos blocos parlamenta-
res que participam da respectiva Casa.
§ 2º Às comissões, em razão da matéria de sua compe- Composição das Casas Legislativas
tência, cabe: - Câmara dos Deputados
I - discutir e votar projeto de lei que dispensar, na for- - Representantes do povo.
ma do regimento, a competência do plenário, salvo se - Eleitos pelo sistema proporcional.
houver recurso de um décimo dos membros da Casa; Art. 45. A Câmara dos Deputados compõe-se de repre-
II - realizar audiências públicas com entidades da so- sentantes do povo, eleitos, pelo sistema proporcional,
ciedade civil; em cada Estado, em cada Território e no Distrito Fe-
III - convocar Ministros de Estado para prestar informa- deral.
ções sobre assuntos inerentes a suas atribuições;
IV - receber petições, reclamações, representações ou - Quantidade: 513 deputados (máximo – cf. LC nº
queixas de qualquer pessoa contra atos ou omissões 78/1993).
das autoridades ou entidades públicas; - Mínimo: 08 deputados / - Máximo: 70 Deputados.
V - solicitar depoimento de qualquer autoridade ou ci- Art. 45 §1º O número total de Deputados, bem como a
dadão; representação por Estado e pelo Distrito Federal, será
VI - apreciar programas de obras, planos nacionais, estabelecido por lei complementar, proporcionalmente
regionais e setoriais de desenvolvimento e sobre eles à população, procedendo-se aos ajustes necessários,
emitir parecer. no ano anterior às eleições, para que nenhuma daque-
§ 3º As comissões parlamentares de inquérito, que te- las unidades da Federação tenha menos de oito ou
rão poderes de investigação próprios das autoridades mais de setenta Deputados.
judiciais, além de outros previstos nos regimentos das - Mandato: 04 anos, possibilidade de reeleição de forma
respectivas Casas, serão criadas pela Câmara dos De- ilimitada.
putados e pelo Senado Federal, em conjunto ou se-
paradamente, mediante requerimento de um terço de Art. 44 Parágrafo único. Cada legislatura terá a duração

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


seus membros, para a apuração de fato determinado e de quatro anos.
- Requisitos de elegibilidade:
por prazo certo, sendo suas conclusões, se for o caso,
- Nacionalidade brasileira (nato ou naturalizado –
encaminhadas ao Ministério Público, para que promo-
exceção para o cargo de presidente da casa)
va a responsabilidade civil ou criminal dos infratores.
- Idade mínima: 21 anos.
§ 4º Durante o recesso, haverá uma comissão repre-
- Alistamento Eleitoral: capacidade eleitoral ativa
sentativa do Congresso Nacional, eleita por suas Casas
- Ausência de impedimentos por inelegibilidade.
na última sessão ordinária do período legislativo, com
- Suplência: (afastamento, renúncia ou morte) próximo
atribuições definidas no regimento comum, cuja com-
candidato com melhor votação da coligação
posição reproduzirá, quanto possível, a proporcionali- - Atribuições : art. 51; exercidas em regra por resolução
dade da representação partidária. (dispensa sanção ou veto)
Organização: bicameralismo federativo (Congresso Art. 51. Compete privativamente à Câmara dos Depu-
Nacional) tados:
Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso I - autorizar, por dois terços de seus membros, a instau-
Nacional, que se compõe da Câmara dos Deputados e ração de processo contra o Presidente e o Vice-Presi-
do Senado Federal. dente da República e os Ministros de Estado;
II - proceder à tomada de contas do Presidente da
- Câmara dos Deputados: representação do povo. República, quando não apresentadas ao Congresso
- Senado Federal: representação dos Estados. Nacional dentro de sessenta dias após a abertura da
Estrutura do Poder Legislativo sessão legislativa;

45
III - elaborar seu regimento interno;
IV – dispor sobre sua organização, funcionamento, polícia, criação, transformação ou extinção dos cargos, empregos e
funções de seus serviços, e a iniciativa de lei para fixação da respectiva remuneração, observados os parâmetros esta-
belecidos na lei de diretrizes orçamentárias;
V - eleger membros do Conselho da República, nos termos do art. 89, VII.

- Senado Federal
Composição: 81 senadores.
Eleitos pelo sistema majoritário.
Art. 46. O Senado Federal compõe-se de representantes dos Estados e do Distrito Federal, eleitos segundo o princípio
majoritário.
Suplência: cada Senador será eleito com dois suplentes.
Art. 46 §3º Cada Senador será eleito com dois suplentes.
Mandato: 8 anos (renovação 1/3 x 2/3)
Art. 46 §2º A representação de cada Estado e do Distrito Federal será renovada de quatro em quatro anos, alternadamente,
por um e dois terços.
- Requisitos:
- Nacionalidade brasileira (nato ou naturalizado – exceção para o cargo de presidente da casa)
- Idade mínima: 35 anos.
- Alistamento Eleitoral: capacidade eleitoral ativa
- Ausência de impedimentos por inelegibilidade.
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

- Suplência: (afastamento, renúncia ou morte) próximo candidato com melhor votação da coligação
- Atribuições: art. 53.
Compete privativamente ao Senado Federal:
I - processar e julgar o Presidente e o Vice-Presidente da República nos crimes de responsabilidade, bem como os Mi-
nistros de Estado e os Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica nos crimes da mesma natureza conexos
com aqueles;
II processar e julgar os Ministros do Supremo Tribunal Federal, os membros do Conselho Nacional de Justiça e do
Conselho Nacional do Ministério Público, o Procurador-Geral da República e o Advogado-Geral da União nos crimes
de responsabilidade;
III - aprovar previamente, por voto secreto, após arguição pública, a escolha de:
a) Magistrados, nos casos estabelecidos nesta Constituição;
b) Ministros do Tribunal de Contas da União indicados pelo Presidente da República;
c) Governador de Território;
d) Presidente e diretores do banco central;
e) Procurador-Geral da República;
f) titulares de outros cargos que a lei determinar;
IV - aprovar previamente, por voto secreto, após arguição em sessão secreta, a escolha dos chefes de missão diplomá-
tica de caráter permanente;
V - autorizar operações externas de natureza financeira, de interesse da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos
Territórios e dos Municípios;

46
VI - fixar, por proposta do Presidente da República, limites globais para o montante da dívida consolidada da União, dos
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios;
VII - dispor sobre limites globais e condições para as operações de crédito externo e interno da União, dos Estados,
do Distrito Federal e dos Municípios, de suas autarquias e demais entidades controladas pelo Poder Público federal;
VIII - dispor sobre limites e condições para a concessão de garantia da União em operações de crédito externo e
interno;
IX - estabelecer limites globais e condições para o montante da dívida mobiliária dos Estados, do Distrito Federal e
dos Municípios;
X - suspender a execução, no todo ou em parte, de lei declarada inconstitucional por decisão definitiva do Supremo
Tribunal Federal;
XI - aprovar, por maioria absoluta e por voto secreto, a exoneração, de ofício, do Procurador-Geral da República antes
do término de seu mandato;
XII - elaborar seu regimento interno;
XIII - dispor sobre sua organização, funcionamento, polícia, criação, transformação ou extinção dos cargos, empregos
e funções de seus serviços, e a iniciativa de lei para fixação da respectiva remuneração, observados os parâmetros
estabelecidos na lei de diretrizes orçamentárias;
XIV - eleger membros do Conselho da República, nos termos do art. 89, VII.
XV - avaliar periodicamente a funcionalidade do Sistema Tributário Nacional, em sua estrutura e seus componentes, e
o desempenho das administrações tributárias da União, dos Estados e do Distrito Federal e dos Municípios.
Parágrafo único. Nos casos previstos nos incisos I e II, funcionará como Presidente o do Supremo Tribunal Federal, li-
mitando-se a condenação, que somente será proferida por dois terços dos votos do Senado Federal, à perda do cargo,
com inabilitação, por oito anos, para o exercício de função pública, sem prejuízo das demais sanções judiciais cabíveis.

Câmara dos Deputados Senado Federal


513 (Mínimo 08 / Máximo 70 por
Parlamentares 81 (03 por estado)
estado)
Composição Representantes do povo Representantes dos Estados e DF
Representação Proporcional Paritário
Mandato 01 Legislatura 02 Legislaturas
Renovação Total Parcial
Idade 21 anos 35 anos
Nato ou naturalizado (Presidência Nato ou naturalizado (Presidência
Nacionalidade
apenas nato) apenas nato)
Sistema Eleitoral Proporcional Majoritário
Suplência Candidato mais votado coligação Cada senador com 02 suplentes

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


- Assembleia Legislativa
- Autonomia dos estados-membros
- Eleitos pelo sistema proporcional
- Mandato: 04 anos.
- Número de integrantes: proporcional ao número de deputados federais.
- Regra: art. 27
Art. 27. O número de Deputados à Assembleia Legislativa corresponderá ao triplo da representação do Estado na
Câmara dos Deputados e, atingido o número de trinta e seis, será acrescido de tantos quantos forem os Deputados
Federais acima de doze.
§ 1º Será de quatro anos o mandato dos Deputados Estaduais, aplicando-sê-lhes as regras desta Constituição sobre
sistema eleitoral, inviolabilidade, imunidades, remuneração, perda de mandato, licença, impedimentos e incorporação
às Forças Armadas.
§ 2º O subsídio dos Deputados Estaduais será fixado por lei de iniciativa da Assembleia Legislativa, na razão de, no
máximo, setenta e cinco por cento daquele estabelecido, em espécie, para os Deputados Federais, observado o que
dispõem os arts. 39, § 4º, 57, § 7º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I.
§ 3º Compete às Assembleias Legislativas dispor sobre seu regimento interno, polícia e serviços administrativos de sua
secretaria, e prover os respectivos cargos.
§ 4º A lei disporá sobre a iniciativa popular no processo legislativo estadual.

47
Explicando:
- Nº deputados federais (08 a 12) = Nº deputados
federais x 3.
Exemplo: MT (08 deputados federais). 8 x 3 = 24
deputados estaduais
- Nº deputados federais (13 a 70) = Nº deputados
federais + 24
Exemplo: SP (70 deputados federais) = 70 + 24 = 94
deputados estaduais

#FicaDica
Não existe impedimento direto quanto a na-
cionalidade para os cargos de senador ou
deputado federal. No entanto, para assumir a
presidência da casa necessário ser brasileiro
nato, uma vez que estes constam da lista de
sucessão do presidente da república.

- Câmara Legislativa do Distrito Federal - Funcionamento


Número Deputados Federais: 8. Estaduais: 8 x 3 = 24. Sessão legislativa: 02/02 a 17/07 e 01/08 a 22/12
- Câmaras Municipais:(Regra prevista no art. 29 IV (ordinária).
CF/88) Recesso: 18/07 a 31/07 e 23/12 a 31/12.
Legislatura: duração de quatro anos
Possibilidade de convocação em período de recesso:
sessões extraordinárias (art. 57 §6º a 8º).
Obs: as convocações extraordinárias não são
remuneradas a parte ou de maneira especial.
Formato da sessão
- câmara dos deputados: pequeno expediente (+/- 60
min), grande expediente (+/- 50 minutos) e ordem do dia
(+/- 120 min) para deliberações.
- senado federal: expediente (+/- 120 min) e ordem do
dia (+/-150 min)
- Início (instalação) da sessão: câmara dos deputados:
quórum mínimo presente de 10%.
Senado Federal: quórum mínimo presente de 5%.
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

Tipos de sessões
1 - Preparatórias: 1º/02 do início de cada legislatura.
Tem por objetivo a posse de seus membros e a eleição das
respectivas mesas.
Eleição das mesas diretoras (art. 57 §4º)
Art. 57 § 4º Cada uma das Casas reunir-se-á em sessões
preparatórias, a partir de 1º de fevereiro, no primeiro ano
da legislatura, para a posse de seus membros e eleição das
respectivas Mesas, para mandato de 2 (dois) anos, vedada a
recondução para o mesmo cargo na eleição imediatamente
subsequente.
- Mesa do Congresso Nacional
(1) Presidente do Senado;
(2) 1° Vice-Presidente da Câmara;
(3) 2° Vice-Presidente do Senado;
(4) 1° secretário da Câmara;
(5) 2° secretário do Senado;
(6) 3° secretário da Câmara;
(7) 4° secretário do Senado.

48
2 – Sessão Conjunta (art. 57 § 3º): regra é o funcionamento 4) Pacto Federativo: em respeito a autonomia dos
de cada casa separadamente. demais entes, é vedado as CPIs instaladas em âmbito federal
- Inaugurar sessão legislativa. investigar assuntos de interesse regional ou local, que não
- Elaborar regimento comum e criação de serviços comuns. tenha impacto digno de destaque no plano nacional.
- Receber compromisso do Presidente da República Poderes
- Conhecer e deliberar sobre o veto. 1) Busca e apreensão NÃO domiciliar.
3 – Das Comissões Parlamentares 2) Quebra de sigilo bancário, fiscal e de dados.
Órgãos colegiados de natureza técnica integrante - Bancário: medida excepcional com prazo de duração.
da estrutura do Congresso Nacional e de suas casas - Telefônico: divulgação dos números de telefone, mas
legislativas. Tem por função primordial o estudo inaugural não interceptação telefônica.
das proposições, mas também podem ser criadas com - Fiscal: quando necessária a investigação por crimes
finalidade investigativa, representativa e de fiscalização da fiscais.
gestão da coisa pública.
Classificação das comissões
- Exclusiva (formada por membros de apenas uma das EXERCÍCIO COMENTADO
casas) / - mista: mescla das duas casas.
- Permanentes (sem prazo máximo de funcionamento) /
temporárias: previsão de duração. 1)Aplicada em: 2018Banca: FUNRIO Órgão: AL-RR Pro-
Tipos de comissões va: Assistente Legislativo. As reuniões das Comissões Per-
- Comissão Representativa do Congresso Nacional: manentes são denominadas
tem por finalidade representar o Congresso durante os
intervalos da sessão legislativa. a) Ordinárias e especiais.
- Comissão Parlamentar de Inquérito b) Comuns e especiais.
Requisitos para criação c) Ordinárias e extraordinárias.
- Subscrição de requerimento: 1/3 dos membros de d) Comuns e extraordinárias.
cada casa se forem em conjunto ou 1/3 dos membros da
casa se forem separado. Resposta: Letra C - As reuniões das comissões
- Indicação de fato determinado a ser investigado. permanentes, aquelas que não estão vinculadas a assuntos
- Prazo certo para apuração de referido fato. específicos que demandam criação de comissões temporárias,
Portanto, para abertura do inquérito parlamentar basta são chamadas de ordinárias e extraordinárias.
o preenchimento destas 03 condições. Válido também para
os estados e municípios. Atenção! As minorias também se 2)Aplicada em: 2018 Banca: FUNRIO Órgão: AL-
veem representadas amparando sua pretensão no direito RR Prova: Assessor Técnico Legislativo. A sessão do
de oposição. Congresso Nacional em que Deputados e Senadores se
Poderes e limites da atuação da CPI. reúnem para debater determinado assunto e, ao final,
As CPIs possuirão os poderes instrutórios rotineiros dos votam simultaneamente, mas cuja deliberação é tomada
magistrados, salvo aqueles que se submetem à esfera única de forma separada, é conhecida como sessão
de decisão dos juízes.
Limites na atuação a) bicameral.
1) Reserva de Jurisdição: ficam reservados atos que

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


b) unicameral.
somente podem ser determinados por juízes ou tribunais. c) conjunta.
Portanto, vedado: d) plenária.
- Determinar busca e apreensão domiciliar
- Determinar quebra do sigilo das comunicações Resposta: Letra C - Segundo previsto no art. 57, § 3º
telefônicas além de outros casos previstos nesta Constituição, a Câ-
- Decretar a prisão
mara dos Deputados e o Senado Federal reunir-se-ão em
2) Direitos fundamentais: a atuação das CPI estão
SESSÃO CONJUNTA para:
limitadas ao respeito dos direitos fundamentais. Deste,
I - inaugurar a sessão legislativa;
verificamos os seguintes desdobramentos:
II - elaborar o regimento comum e regular a criação de
- Ficar em silêncio / não autoincriminação.
serviços comuns às duas Casas;
- Assistência de um advogado.
III - receber o compromisso do Presidente e do Vice-Presi-
- Sigilo Profissional
dente da República;
3) Separação de Poderes: os poderes das CPIs devem
estar amparados pelas atribuições do Poder Legislativo. IV - conhecer do veto e sobre ele deliberar.
Portanto:
- Não podem promover a responsabilização.
- Anular atos de outros poderes.
- Convocar magistrado para investigar sua atuação
jurisdicional.
- Subverter, revogar, cassar, alterar decisões judiciais.

49
Do poder judiciário IV - previsão de cursos oficiais de preparação, aperfei-
Seção I çoamento e promoção de magistrados, constituindo
Disposições gerais etapa obrigatória do processo de vitaliciamento a parti-
cipação em curso oficial ou reconhecido por escola na-
Art. 92. São órgãos do Poder Judiciário: cional de formação e aperfeiçoamento de magistrados;
I - o Supremo Tribunal Federal; V - o subsídio dos Ministros dos Tribunais Superiores
I-A - o Conselho Nacional de Justiça; corresponderá a noventa e cinco por cento do subsídio
II - o Superior Tribunal de Justiça; mensal fixado para os Ministros do Supremo Tribunal
II-A - o Tribunal Superior do Trabalho; (Inciso acrescido Federal e os subsídios dos demais magistrados serão
pela Emenda Constitucional nº 92, de 2016) fixados em lei e escalonados, em nível federal e esta-
III - os Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais; dual, conforme as respectivas categorias da estrutura
IV - os Tribunais e Juízes do Trabalho; judiciária nacional, não podendo a diferença entre uma
V - os Tribunais e Juízes Eleitorais; e outra ser superior a dez por cento ou inferior a cinco
VI - os Tribunais e Juízes Militares; por cento, nem exceder a noventa e cinco por cento do
VII - os Tribunais e Juízes dos Estados e do Distrito Fe- subsídio mensal dos Ministros dos Tribunais Superiores,
deral e Territórios. obedecido, em qualquer caso, o disposto nos arts. 37,
§ 1º O Supremo Tribunal Federal, o Conselho Nacional XI, e 39, § 4º;
de Justiça e os Tribunais Superiores têm sede na Capital VI - a aposentadoria dos magistrados e a pensão de
Federal. seus dependentes observarão o disposto no art. 40;
§ 2º O Supremo Tribunal Federal e os Tribunais Supe- VII - o juiz titular residirá na respectiva comarca, salvo
riores têm jurisdição em todo o território nacional. autorização do tribunal;
Art. 93. Lei complementar, de iniciativa do Supremo Tri- VIII - o ato de remoção, disponibilidade e aposentado-
bunal Federal, disporá sobre o Estatuto da Magistratu- ria do magistrado, por interesse público, fundar-se-á
ra, observados os seguintes princípios: em decisão por voto da maioria absoluta do respectivo
I - ingresso na carreira, cujo cargo inicial será o de juiz tribunal ou do Conselho Nacional de Justiça, assegura-
substituto, mediante concurso público de provas e tí- da ampla defesa;
tulos, com a participação da Ordem dos Advogados
VIII-A - a remoção a pedido ou a permuta de magis-
do Brasil em todas as fases, exigindo-se do bacharel
trados de comarca de igual entrância atenderá, no que
em direito, no mínimo, três anos de atividade jurídica
couber, ao disposto nas alíneas a, b, c e e do inciso II;
e obedecendo-se, nas nomeações, à ordem de classi-
IX - todos os julgamentos dos órgãos do Poder Judiciá-
ficação;
rio serão públicos, e fundamentadas todas as decisões,
II - promoção de entrância para entrância, alternada-
sob pena de nulidade, podendo a lei limitar a presen-
mente, por antiguidade e merecimento, atendidas as
ça, em determinados atos, às próprias partes e a seus
seguintes normas:
a) é obrigatória a promoção do juiz que figure por três advogados, ou somente a estes, em casos nos quais a
vezes consecutivas ou cinco alternadas em lista de me- preservação do direito à intimidade do interessado no
recimento; sigilo não prejudique o interesse público à informação;
b) a promoção por merecimento pressupõe dois anos X - as decisões administrativas dos tribunais serão mo-
de exercício na respectiva entrância e integrar o juiz tivadas e em sessão pública, sendo as disciplinares to-
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

a primeira quinta parte da lista de antiguidade desta, madas pelo voto da maioria absoluta de seus membros;
salvo se não houver com tais requisitos quem aceite o XI - nos tribunais com número superior a vinte e cinco
lugar vago; julgadores, poderá ser constituído órgão especial, com
c) aferição do merecimento conforme o desempenho o mínimo de onze e o máximo de vinte e cinco mem-
e pelos critérios objetivos de produtividade e presteza bros, para o exercício das atribuições administrativas
no exercício da jurisdição e pela frequência e aprovei- e jurisdicionais delegadas da competência do tribunal
tamento em cursos oficiais ou reconhecidos de aper- pleno, provendo-se metade das vagas por antiguidade
feiçoamento; e a outra metade por eleição pelo tribunal pleno;
d) na apuração de antiguidade, o tribunal somente XII - a atividade jurisdicional será ininterrupta, sendo ve-
poderá recusar o juiz mais antigo pelo voto funda- dado férias coletivas nos juízos e tribunais de segundo
mentado de dois terços de seus membros, conforme grau, funcionando, nos dias em que não houver expe-
procedimento próprio, e assegurada ampla defesa, diente forense normal, juízes em plantão permanente;
repetindo-se a votação até fixar-se a indicação; XIII - o número de juízes na unidade jurisdicional será
e) não será promovido o juiz que, injustificadamente, proporcional à efetiva demanda judicial e à respectiva
retiver autos em seu poder além do prazo legal, não população;
podendo devolvê-los ao cartório sem o devido despa- XIV - os servidores receberão delegação para a prática
cho ou decisão; de atos de administração e atos de mero expediente
III - o acesso aos tribunais de segundo grau far-se-á sem caráter decisório;
por antiguidade e merecimento, alternadamente, apu- XV - a distribuição de processos será imediata, em to-
rados na última ou única entrância; dos os graus de jurisdição.

50
Art. 94. Um quinto dos lugares dos Tribunais Regionais b) a criação e a extinção de cargos e a remuneração
Federais, dos tribunais dos Estados, e do Distrito Fe- dos seus serviços auxiliares e dos juízos que lhes forem
deral e Territórios será composto de membros do Mi- vinculados, bem como a fixação do subsídio de seus
nistério Público, com mais de dez anos de carreira, e membros e dos juízes, inclusive dos tribunais inferiores,
de advogados de notório saber jurídico e de reputação onde houver;
ilibada, com mais de dez anos de efetiva atividade pro- c) a criação ou extinção dos tribunais inferiores;
fissional, indicados em lista sêxtupla pelos órgãos de d) a alteração da organização e da divisão judiciárias;
representação das respectivas classes. III - aos Tribunais de Justiça julgar os juízes estaduais
Parágrafo único. Recebidas as indicações, o tribunal e do Distrito Federal e Territórios, bem como os mem-
formará lista tríplice, enviando-a ao Poder Executivo, bros do Ministério Público, nos crimes comuns e de
que, nos vinte dias subsequentes, escolherá um de responsabilidade, ressalvada a competência da Justiça
seus integrantes para nomeação. Eleitoral.
Art. 95. Os juízes gozam das seguintes garantias: Art. 97. Somente pelo voto da maioria absoluta de seus
I - vitaliciedade, que, no primeiro grau, só será adqui- membros ou dos membros do respectivo órgão espe-
rida após dois anos de exercício, dependendo a perda cial poderão os tribunais declarar a inconstitucionali-
do cargo, nesse período, de deliberação do tribunal a dade de lei ou ato normativo do poder público.
que o juiz estiver vinculado e, nos demais casos, de Art. 98. A União, no Distrito Federal e nos Territórios, e
sentença judicial transitada em julgado; os Estados criarão:
II - inamovibilidade, salvo por motivo de interesse pú- I - juizados especiais, providos por juízes togados, ou
blico, na forma do art. 93, VIII; togados e leigos, competentes para a conciliação, o
III - irredutibilidade de subsídio, ressalvado o disposto julgamento e a execução de causas cíveis de menor
nos arts. 37, X e XI, 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I. complexidade e infrações penais de menor potencial
Parágrafo único. Aos juízes é vedado: ofensivo, mediante os procedimentos oral e sumaríssi-
I - exercer, ainda que em disponibilidade, outro cargo mo, permitidos, nas hipóteses previstas em lei, a tran-
ou função, salvo uma de magistério; sação e o julgamento de recursos por turmas de juízes
II - receber, a qualquer título ou pretexto, custas ou de primeiro grau;
participação em processo; II - justiça de paz, remunerada, composta de cidadãos
III - dedicar-se a atividade político-partidária.
eleitos pelo voto direto, universal e secreto, com man-
IV - receber, a qualquer título ou pretexto, auxílios ou
dato de quatro anos e competência para, na forma da
contribuições de pessoas físicas, entidades públicas ou
lei, celebrar casamentos, verificar, de ofício ou em face
privadas, ressalvadas as exceções previstas em lei;
de impugnação apresentada, o processo de habilitação
V - exercer a advocacia no juízo ou tribunal do qual se
e exercer atribuições conciliatórias, sem caráter jurisdi-
afastou, antes de decorridos três anos do afastamento
cional, além de outras previstas na legislação.
do cargo por aposentadoria ou exoneração.
§ 1º Lei federal disporá sobre a criação de juizados es-
Art. 96. Compete privativamente:
peciais no âmbito da Justiça Federal.
I - aos tribunais:
a) eleger seus órgãos diretivos e elaborar seus regi- § 2º As custas e emolumentos serão destinados exclu-
mentos internos, com observância das normas de pro- sivamente ao custeio dos serviços afetos às atividades
cesso e das garantias processuais das partes, dispondo específicas da Justiça.

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


sobre a competência e o funcionamento dos respecti- Art. 99. Ao Poder Judiciário é assegurada autonomia
vos órgãos jurisdicionais e administrativos; administrativa e financeira.
b) organizar suas secretarias e serviços auxiliares e os § 1º Os tribunais elaborarão suas propostas orçamentá-
dos juízos que lhes forem vinculados, velando pelo rias dentro dos limites estipulados conjuntamente com
exercício da atividade correicional respectiva; os demais Poderes na lei de diretrizes orçamentárias.
c) prover, na forma prevista nesta Constituição, os car- § 2º O encaminhamento da proposta, ouvidos os ou-
gos de juiz de carreira da respectiva jurisdição; tros tribunais interessados, compete:
d) propor a criação de novas varas judiciárias; I - no âmbito da União, aos Presidentes do Supremo
e) prover, por concurso público de provas, ou de provas Tribunal Federal e dos Tribunais Superiores, com a
e títulos, obedecido o disposto no art. 169, parágrafo aprovação dos respectivos tribunais;
único, os cargos necessários à administração da justiça, II - no âmbito dos Estados e no do Distrito Federal e
exceto os de confiança assim definidos em lei; Territórios, aos Presidentes dos Tribunais de Justiça,
f) conceder licença, férias e outros afastamentos a seus com a aprovação dos respectivos tribunais.
membros e aos juízes e servidores que lhes forem ime- § 3º Se os órgãos referidos no § 2º não encaminha-
diatamente vinculados; rem as respectivas propostas orçamentárias dentro do
II - ao Supremo Tribunal Federal, aos Tribunais Superio- prazo estabelecido na lei de diretrizes orçamentárias, o
res e aos Tribunais de Justiça propor ao Poder Legislati- Poder Executivo considerará, para fins de consolidação
vo respectivo, observado o disposto no art. 169: da proposta orçamentária anual, os valores aprovados
a) a alteração do número de membros dos tribunais na lei orçamentária vigente, ajustados de acordo com
inferiores; os limites estipulados na forma do § 1º deste artigo.

51
§ 4º Se as propostas orçamentárias de que trata este casos de preterimento de seu direito de precedência
artigo forem encaminhadas em desacordo com os li- ou de não alocação orçamentária do valor necessário
mites estipulados na forma do § 1º, o Poder Executivo à satisfação do seu débito, o sequestro da quantia res-
procederá aos ajustes necessários para fins de consoli- pectiva.
dação da proposta orçamentária anual. § 7º O Presidente do Tribunal competente que, por
§ 5º Durante a execução orçamentária do exercício, não ato comissivo ou omissivo, retardar ou tentar frustrar
poderá haver a realização de despesas ou a assunção a liquidação regular de precatórios incorrerá em crime
de obrigações que extrapolem os limites estabeleci- de responsabilidade e responderá, também, perante o
dos na lei de diretrizes orçamentárias, exceto se pre- Conselho Nacional de Justiça.
viamente autorizadas, mediante a abertura de créditos § 8º É vedada a expedição de precatórios complemen-
suplementares ou especiais. tares ou suplementares de valor pago, bem como o
Art. 100. Os pagamentos devidos pelas Fazendas Públi- fracionamento, repartição ou quebra do valor da exe-
cas Federal, Estaduais, Distrital e Municipais, em virtu- cução para fins de enquadramento de parcela do total
de de sentença judiciária, far-se-ão exclusivamente na ao que dispõe o § 3º deste artigo.
ordem cronológica de apresentação dos precatórios e § 9º No momento da expedição dos precatórios, inde-
à conta dos créditos respectivos, proibida a designação pendentemente de regulamentação, deles deverá ser
de casos ou de pessoas nas dotações orçamentárias e abatido, a título de compensação, valor corresponden-
nos créditos adicionais abertos para este fim. te aos débitos líquidos e certos, inscritos ou não em
§ 1º Os débitos de natureza alimentícia compreendem dívida ativa e constituídos contra o credor original pela
aqueles decorrentes de salários, vencimentos, proven- Fazenda Pública devedora, incluídas parcelas vincendas
tos, pensões e suas complementações, benefícios pre- de parcelamentos, ressalvados aqueles cuja execução
videnciários e indenizações por morte ou por invali- esteja suspensa em virtude de contestação administra-
dez, fundadas em responsabilidade civil, em virtude de tiva ou judicial.
sentença judicial transitada em julgado, e serão pagos § 10. Antes da expedição dos precatórios, o Tribunal
com preferência sobre todos os demais débitos, exceto solicitará à Fazenda Pública devedora, para resposta
sobre aqueles referidos no § 2º deste artigo. em até 30 (trinta) dias, sob pena de perda do direito de
§ 2º Os débitos de natureza alimentícia cujos titula- abatimento, informação sobre os débitos que preen-
cham as condições estabelecidas no § 9º, para os fins
res, originários ou por sucessão hereditária, tenham
nele previstos.
60 (sessenta) anos de idade, ou sejam portadores de
§ 11. É facultada ao credor, conforme estabelecido em
doença grave, ou pessoas com deficiência, assim de-
lei da entidade federativa devedora, a entrega de cré-
finidos na forma da lei, serão pagos com preferência
ditos em precatórios para compra de imóveis públicos
sobre todos os demais débitos, até o valor equivalente
do respectivo ente federado.
ao triplo fixado em lei para os fins do disposto no §
§ 12. A partir da promulgação desta Emenda Constitu-
3º deste artigo, admitido o fracionamento para essa
cional, a atualização de valores de requisitórios, após
finalidade, sendo que o restante será pago na ordem
sua expedição, até o efetivo pagamento, independen-
cronológica de apresentação do precatório. temente de sua natureza, será feita pelo índice oficial
§ 3º O disposto no caput deste artigo relativamente à de remuneração básica da caderneta de poupança, e,
expedição de precatórios não se aplica aos pagamen- para fins de compensação da mora, incidirão juros sim-
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

tos de obrigações definidas em leis como de pequeno ples no mesmo percentual de juros incidentes sobre a
valor que as Fazendas referidas devam fazer em virtude caderneta de poupança, ficando excluída a incidência
de sentença judicial transitada em julgado. de juros compensatórios.
§ 4º Para os fins do disposto no § 3º, poderão ser fi- § 13. O credor poderá ceder, total ou parcialmente,
xados, por leis próprias, valores distintos às entidades seus créditos em precatórios a terceiros, independen-
de direito público, segundo as diferentes capacidades temente da concordância do devedor, não se aplicando
econômicas, sendo o mínimo igual ao valor do maior ao cessionário o disposto nos §§ 2º e 3º.
benefício do regime geral de previdência social. § 14. A cessão de precatórios somente produzirá efei-
§ 5º É obrigatória a inclusão, no orçamento das enti- tos após comunicação, por meio de petição protoco-
dades de direito público, de verba necessária ao paga- lizada, ao tribunal de origem e à entidade devedora.
mento de seus débitos, oriundos de sentenças transi- § 15. Sem prejuízo do disposto neste artigo, lei com-
tadas em julgado, constantes de precatórios judiciários plementar a esta Constituição Federal poderá estabe-
apresentados até 1º de julho, fazendo-se o pagamento lecer regime especial para pagamento de crédito de
até o final do exercício seguinte, quando terão seus va- precatórios de Estados, Distrito Federal e Municípios,
lores atualizados monetariamente. dispondo sobre vinculações à receita corrente líquida e
§ 6º As dotações orçamentárias e os créditos abertos forma e prazo de liquidação.
serão consignados diretamente ao Poder Judiciário, ca- § 16. A seu critério exclusivo e na forma de lei, a União
bendo ao Presidente do Tribunal que proferir a decisão poderá assumir débitos, oriundos de precatórios, de
exequenda determinar o pagamento integral e autori- Estados, Distrito Federal e Municípios, refinanciando-
zar, a requerimento do credor e exclusivamente para os -os diretamente.

52
§ 17. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Mu- Seção II
nicípios aferirão mensalmente, em base anual, o com- Do supremo tribunal federal
prometimento de suas respectivas receitas correntes
líquidas com o pagamento de precatórios e obriga- Art. 101. O Supremo Tribunal Federal compõe-se de
ções de pequeno valor. onze Ministros, escolhidos dentre cidadãos com mais
§ 18. Entende-se como receita corrente líquida, para de trinta e cinco e menos de sessenta e cinco anos de
os fins de que trata o § 17, o somatório das receitas idade, de notável saber jurídico e reputação ilibada.
tributárias, patrimoniais, industriais, agropecuárias, de Parágrafo único. Os Ministros do Supremo Tribunal Fe-
contribuições e de serviços, de transferências corren- deral serão nomeados pelo Presidente da República,
tes e outras receitas correntes, incluindo as oriundas depois de aprovada a escolha pela maioria absoluta do
do § 1º do art. 20 da Constituição Federal, verificado Senado Federal.
no período compreendido pelo segundo mês imedia- Art. 102. Compete ao Supremo Tribunal Federal, preci-
tamente anterior ao de referência e os 11 (onze) meses puamente, a guarda da Constituição, cabendo-lhe:
precedentes, excluídas as duplicidades, e deduzidas: I - processar e julgar, originariamente:
a) a ação direta de inconstitucionalidade de lei ou ato
I – na União, as parcelas entregues aos Estados, ao
normativo federal ou estadual e a ação declaratória de
Distrito Federal e aos Municípios por determinação
constitucionalidade de lei ou ato normativo federal;
constitucional;
b) nas infrações penais comuns, o Presidente da Re-
II – nos Estados, as parcelas entregues aos Municípios
pública, o Vice-Presidente, os membros do Congresso
por determinação constitucional; Nacional, seus próprios Ministros e o Procurador-Geral
III - na União, nos Estados, no Distrito Federal e nos da República;
Municípios, a contribuição dos servidores para custeio c) nas infrações penais comuns e nos crimes de respon-
de seu sistema de previdência e assistência social e sabilidade, os Ministros de Estado e os Comandantes
as receitas provenientes da compensação financeira da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, ressalvado o
referida no § 9º do art. 201 da Constituição Federal. disposto no art. 52, I, os membros dos Tribunais Supe-
(Parágrafo acrescido pela Emenda Constitucional nº riores, os do Tribunal de Contas da União e os chefes
94, de 2016) de missão diplomática de caráter permanente;
§ 19. Caso o montante total de débitos decorrentes d) o habeas corpus , sendo paciente qualquer das pes-
de condenações judiciais em precatórios e obrigações soas referidas nas alíneas anteriores; o mandado de
de pequeno valor, em período de 12 (doze) meses, ul- segurança e o habeas data contra atos do Presidente
trapasse a média do comprometimento percentual da da República, das Mesas da Câmara dos Deputados e
receita corrente líquida nos 5 (cinco) anos imediata- do Senado Federal, do Tribunal de Contas da União, do
mente anteriores, a parcela que exceder esse percen- Procurador-Geral da República e do próprio Supremo
tual poderá ser financiada, excetuada dos limites de Tribunal Federal;
endividamento de que tratam os incisos VI e VII do e) o litígio entre Estado estrangeiro ou organismo in-
art. 52 da Constituição Federal e de quaisquer outros ternacional e a União, o Estado, o Distrito Federal ou o
limites de endividamento previstos, não se aplicando a Território;
esse financiamento a vedação de vinculação de receita f) as causas e os conflitos entre a União e os Estados, a
prevista no inciso IV do art. 167 da Constituição Fede- União e o Distrito Federal, ou entre uns e outros, inclu-
sive as respectivas entidades da administração indireta;

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


ral. (Parágrafo acrescido pela Emenda Constitucional
nº 94, de 2016) g) a extradição solicitada por Estado estrangeiro;
§ 20. Caso haja precatório com valor superior a 15% h) (Revogada pela Emenda Constitucional nº 45, de
2004)
(quinze por cento) do montante dos precatórios apre-
i) o habeas corpus, quando o coator for Tribunal Supe-
sentados nos termos do § 5º deste artigo, 15% (quinze
rior ou quando o coator ou o paciente for autoridade
por cento) do valor deste precatório serão pagos até
ou funcionário cujos atos estejam sujeitos diretamente
o final do exercício seguinte e o restante em parcelas
à jurisdição do Supremo Tribunal Federal, ou se tra-
iguais nos cinco exercícios subsequentes, acrescidas te de crime sujeito à mesma jurisdição em uma única
de juros de mora e correção monetária, ou mediante instância;
acordos diretos, perante Juízos Auxiliares de Conci- j) a revisão criminal e a ação rescisória de seus julgados;
liação de Precatórios, com redução máxima de 40% l) a reclamação para a preservação de sua competência
(quarenta por cento) do valor do crédito atualizado, e garantia da autoridade de suas decisões;
desde que em relação ao crédito não penda recurso m) a execução de sentença nas causas de sua compe-
ou defesa judicial e que sejam observados os requi- tência originária, facultada a delegação de atribuições
sitos definidos na regulamentação editada pelo ente para a prática de atos processuais;
federado. (Parágrafo acrescido pela Emenda Constitu- n) a ação em que todos os membros da magistratura
cional nº 94, de 2016) sejam direta ou indiretamente interessados, e aquela
em que mais da metade dos membros do tribunal de
origem estejam impedidos ou sejam direta ou indireta-
mente interessados;

53
o) os conflitos de competência entre o Superior Tribu- VIII - partido político com representação no Congres-
nal de Justiça e quaisquer tribunais, entre Tribunais Su- so Nacional;
periores, ou entre estes e qualquer outro tribunal; IX - confederação sindical ou entidade de classe de
p) o pedido de medida cautelar das ações diretas de âmbito nacional.
inconstitucionalidade; § 1º O Procurador-Geral da República deverá ser pre-
q) o mandado de injunção, quando a elaboração da viamente ouvido nas ações de inconstitucionalidade e
norma regulamentadora for atribuição do Presidente em todos os processos de competência do Supremo
da República, do Congresso Nacional, da Câmara dos Tribunal Federal.
Deputados, do Senado Federal, da Mesa de uma des- § 2º Declarada a inconstitucionalidade por omissão de
sas Casas Legislativas, do Tribunal de Contas da União, medida para tornar efetiva norma constitucional, será
de um dos Tribunais Superiores, ou do próprio Supre- dada ciência ao Poder competente para a adoção das
mo Tribunal Federal; providências necessárias e, em se tratando de órgão
r) as ações contra o Conselho Nacional de Justiça e administrativo, para fazê-lo em trinta dias.
contra o Conselho Nacional do Ministério Público. § 3º Quando o Supremo Tribunal Federal apreciar a
inconstitucionalidade, em tese, de norma legal ou ato
II - julgar, em recurso ordinário:
normativo, citará, previamente, o Advogado-Geral da
a) o habeas corpus , o mandado de segurança, o habe-
União, que defenderá o ato ou texto impugnado.
as data e o mandado de injunção decididos em única
§ 4º (Parágrafo acrescido pela Emenda Constitucional
instância pelos Tribunais Superiores, se denegatória a
nº 3, de 1993 e revogado pela Emenda Constitucional
decisão; nº 45, de 2004)
b) o crime político; Art. 103-A. O Supremo Tribunal Federal poderá, de ofí-
III - julgar, mediante recurso extraordinário, as causas cio ou por provocação, mediante decisão de dois ter-
decididas em única ou última instância, quando a de- ços dos seus membros, após reiteradas decisões sobre
cisão recorrida: matéria constitucional, aprovar súmula que, a partir de
a) contrariar dispositivo desta Constituição; sua publicação na imprensa oficial, terá efeito vinculan-
b) declarar a inconstitucionalidade de tratado ou lei te em relação aos demais órgãos do Poder Judiciário
federal; e à administração pública direta e indireta, nas esfe-
c) julgar válida lei ou ato de governo local contestado ras federal, estadual e municipal, bem como proceder
em face desta Constituição. à sua revisão ou cancelamento, na forma estabelecida
d) julgar válida lei local contestada em face de lei fe- em lei.
deral. § 1º A súmula terá por objetivo a validade, a interpre-
§ 1º A argüição de descumprimento de preceito fun- tação e a eficácia de normas determinadas, acerca das
damental, decorrente desta Constituição, será aprecia- quais haja controvérsia atual entre órgãos judiciários
da pelo Supremo Tribunal Federal, na forma da lei. ou entre esses e a administração pública que acarrete
§ 2º As decisões definitivas de mérito, proferidas pelo grave insegurança jurídica e relevante multiplicação de
Supremo Tribunal Federal, nas ações diretas de incons- processos sobre questão idêntica.
titucionalidade e nas ações declaratórias de constitu- § 2º Sem prejuízo do que vier a ser estabelecido em
cionalidade, produzirão eficácia contra todos e efeito lei, a aprovação, revisão ou cancelamento de súmula
vinculante, relativamente aos demais órgãos do Poder poderá ser provocada por aqueles que podem propor
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

Judiciário e à administração pública direta e indireta, a ação direta de inconstitucionalidade.


nas esferas federal, estadual e municipal. § 3º Do ato administrativo ou decisão judicial que con-
§ 3º No recurso extraordinário o recorrente deverá trariar a súmula aplicável ou que indevidamente a apli-
demonstrar a repercussão geral das questões consti- car, caberá reclamação ao Supremo Tribunal Federal
que, julgando-a procedente, anulará o ato administra-
tucionais discutidas no caso, nos termos da lei, a fim
tivo ou cassará a decisão judicial reclamada, e determi-
de que o Tribunal examine a admissão do recurso, so-
nará que outra seja proferida com ou sem a aplicação
mente podendo recusá-lo pela manifestação de dois
da súmula, conforme o caso.
terços de seus membros.
Art. 103-B. O Conselho Nacional de Justiça compõe-
Art. 103. Podem propor a ação direta de inconstitucio- -se de 15 (quinze) membros com mandato de 2 (dois)
nalidade e a ação declaratória de constitucionalidade: anos, admitida 1 (uma) recondução, sendo:
I - o Presidente da República; I - o Presidente do Supremo Tribunal Federal;
II - a Mesa do Senado Federal; II - um Ministro do Superior Tribunal de Justiça, indica-
III - a Mesa da Câmara dos Deputados; do pelo respectivo tribunal;
IV - a Mesa de Assembléia Legislativa ou da Câmara III - um Ministro do Tribunal Superior do Trabalho, indi-
Legislativa do Distrito Federal; cado pelo respectivo tribunal;
V - o Governador de Estado ou do Distrito Federal; IV - um desembargador de Tribunal de Justiça, indica-
VI - o Procurador-Geral da República; do pelo Supremo Tribunal Federal;
VII - o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do V - um juiz estadual, indicado pelo Supremo Tribunal
Brasil; Federal;

54
VI - um juiz de Tribunal Regional Federal, indicado pelo V - rever, de ofício ou mediante provocação, os pro-
Superior Tribunal de Justiça; cessos disciplinares de juízes e membros de tribunais
VII - um juiz federal, indicado pelo Superior Tribunal julgados há menos de um ano;
de Justiça; VI - elaborar semestralmente relatório estatístico so-
VIII - um juiz de Tribunal Regional do Trabalho, indica- bre processos e sentenças prolatadas, por unidade da
do pelo Tribunal Superior do Trabalho; Federação, nos diferentes órgãos do Poder Judiciário;
IX - um juiz do trabalho, indicado pelo Tribunal Supe- VII - elaborar relatório anual, propondo as providências
rior do Trabalho; que julgar necessárias, sobre a situação do Poder Judi-
X - um membro do Ministério Público da União, indica- ciário no País e as atividades do Conselho, o qual deve
do pelo Procurador-Geral da República; integrar mensagem do Presidente do Supremo Tribu-
XI - um membro do Ministério Público estadual, es- nal Federal a ser remetida ao Congresso Nacional, por
colhido pelo Procurador-Geral da República dentre os ocasião da abertura da sessão legislativa.
nomes indicados pelo órgão competente de cada ins- § 5º O Ministro do Superior Tribunal de Justiça exercerá
tituição estadual; a função de Ministro-Corregedor e ficará excluído da
XII - dois advogados, indicados pelo Conselho Federal distribuição de processos no Tribunal, competindo-lhe,
da Ordem dos Advogados do Brasil; além das atribuições que lhe forem conferidas pelo Es-
XIII - dois cidadãos, de notável saber jurídico e reputa- tatuto da Magistratura, as seguintes:
ção ilibada, indicados um pela Câmara dos Deputados I - receber as reclamações e denúncias, de qualquer
e outro pelo Senado Federal. interessado, relativas aos magistrados e aos serviços
§ 1º O Conselho será presidido pelo Presidente do Su- judiciários;
premo Tribunal Federal e, nas suas ausências e impe- II - exercer funções executivas do Conselho, de inspe-
dimentos, pelo Vice-Presidente do Supremo Tribunal ção e de correição geral;
Federal. III - requisitar e designar magistrados, delegando-lhes
§ 2º Os demais membros do Conselho serão nomeados atribuições, e requisitar servidores de juízos ou tribu-
pelo Presidente da República, depois de aprovada a es- nais, inclusive nos Estados, Distrito Federal e Territórios.
colha pela maioria absoluta do Senado Federal. § 6º Junto ao Conselho oficiarão o Procurador-Geral da
§ 3º Não efetuadas, no prazo legal, as indicações pre- República e o Presidente do Conselho Federal da Or-
dem dos Advogados do Brasil.
vistas neste artigo, caberá a escolha ao Supremo Tribu-
§ 7º A União, inclusive no Distrito Federal e nos Terri-
nal Federal.
tórios, criará ouvidorias de justiça, competentes para
§ 4º Compete ao Conselho o controle da atuação admi-
receber reclamações e denúncias de qualquer interes-
nistrativa e financeira do Poder Judiciário e do cumpri-
sado contra membros ou órgãos do Poder Judiciário,
mento dos deveres funcionais dos juízes, cabendo-lhe,
ou contra seus serviços auxiliares, representando dire-
além de outras atribuições que lhe forem conferidas
tamente ao Conselho Nacional de Justiça.
pelo Estatuto da Magistratura:
I - zelar pela autonomia do Poder Judiciário e pelo Seção III
cumprimento do Estatuto da Magistratura, podendo Do superior tribunal de justiça
expedir atos regulamentares, no âmbito de sua com-
petência, ou recomendar providências; Art. 104. O Superior Tribunal de Justiça compõe-se de,
II - zelar pela observância do art. 37 e apreciar, de ofí- no mínimo, trinta e três Ministros.

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


cio ou mediante provocação, a legalidade dos atos Parágrafo único. Os Ministros do Superior Tribunal de
administrativos praticados por membros ou órgãos do Justiça serão nomeados pelo Presidente da República,
Poder Judiciário, podendo desconstituí-los, revê-los ou dentre brasileiros com mais de trinta e cinco e menos
fixar prazo para que se adotem as providências neces- de sessenta e cinco anos, de notável saber jurídico e
sárias ao exato cumprimento da lei, sem prejuízo da reputação ilibada, depois de aprovada a escolha pela
competência do Tribunal de Contas da União; maioria absoluta do Senado Federal, sendo:
III - receber e conhecer das reclamações contra mem- I - um terço dentre juízes dos Tribunais Regionais Fede-
bros ou órgãos do Poder Judiciário, inclusive contra rais e um terço dentre desembargadores dos Tribunais
seus serviços auxiliares, serventias e órgãos presta- de Justiça, indicados em lista tríplice elaborada pelo
dores de serviços notariais e de registro que atuem próprio Tribunal;
por delegação do poder público ou oficializados, sem II - um terço, em partes iguais, dentre advogados e
prejuízo da competência disciplinar e correicional dos membros do Ministério Público Federal, Estadual, do
tribunais, podendo avocar processos disciplinares em Distrito Federal e dos Territórios, alternadamente, indi-
curso e determinar a remoção, a disponibilidade ou a cados na forma do art. 94.
aposentadoria com subsídios ou proventos proporcio- Art. 105. Compete ao Superior Tribunal de Justiça:
nais ao tempo de serviço e aplicar outras sanções ad- I - processar e julgar, originariamente:
ministrativas, assegurada ampla defesa; a) nos crimes comuns, os Governadores dos Estados e
IV - representar ao Ministério Público, no caso de crime do Distrito Federal, e, nestes e nos de responsabilidade,
contra a administração pública ou de abuso de auto- os desembargadores dos Tribunais de Justiça dos Es-
ridade; tados e do Distrito Federal, os membros dos Tribunais

55
de Contas dos Estados e do Distrito Federal, os dos I - a Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento
Tribunais Regionais Federais, dos Tribunais Regionais de Magistrados, cabendo-lhe, dentre outras funções,
Eleitorais e do Trabalho, os membros dos Conselhos ou regulamentar os cursos oficiais para o ingresso e pro-
Tribunais de Contas dos Municípios e os do Ministério moção na carreira;
Público da União que oficiem perante tribunais; II - o Conselho da Justiça Federal, cabendo-lhe exercer,
b) os mandados de segurança e os habeas data con- na forma da lei, a supervisão administrativa e orçamen-
tra ato de Ministro de Estado, dos Comandantes da tária da Justiça Federal de primeiro e segundo graus,
Marinha, do Exército e da Aeronáutica ou do próprio como órgão central do sistema e com poderes correi-
Tribunal; cionais, cujas decisões terão caráter vinculante.
c) os habeas corpus, quando o coator ou paciente for
qualquer das pessoas mencionadas na alínea a, ou Seção IV
quando o coator for tribunal sujeito à sua jurisdição, Dos tribunais regionais federais e dos juízes federais
Ministro de Estado ou Comandante da Marinha, do
Exército ou da Aeronáutica, ressalvada a competência Art. 106. São órgãos da Justiça Federal:
da Justiça Eleitoral; I - os Tribunais Regionais Federais;
d) os conflitos de competência entre quaisquer tribu- II - os Juízes Federais.
nais, ressalvado o disposto no art. 102, I, o , bem como Art. 107. Os Tribunais Regionais Federais compõem-se
entre tribunal e juízes a ele não vinculados e entre juí- de, no mínimo, sete juízes, recrutados, quando possí-
zes vinculados a tribunais diversos;
vel, na respectiva região e nomeados pelo Presidente
e) as revisões criminais e as ações rescisórias de seus
da República dentre brasileiros com mais de trinta e
julgados;
f) a reclamação para a preservação de sua competência menos de sessenta e cinco anos, sendo:
e garantia da autoridade de suas decisões; I - um quinto dentre advogados com mais de dez anos
g) os conflitos de atribuições entre autoridades admi- de efetiva atividade profissional e membros do Minis-
nistrativas e judiciárias da União, ou entre autoridades tério Público Federal com mais de dez anos de carreira;
judiciárias de um Estado e administrativas de outro ou II - os demais, mediante promoção de juízes federais
do Distrito Federal, ou entre as deste e da União; com mais de cinco anos de exercício, por antiguidade
h) o mandado de injunção, quando a elaboração da e merecimento, alternadamente.
norma regulamentadora for atribuição de órgão, en- § 1º A lei disciplinará a remoção ou a permuta de juí-
tidade ou autoridade federal, da administração direta zes dos Tribunais Regionais Federais e determinará sua
ou indireta, excetuados os casos de competência do jurisdição e sede.
Supremo Tribunal Federal e dos órgãos da Justiça Mi- § 2º Os Tribunais Regionais Federais instalarão a justi-
litar, da Justiça Eleitoral, da Justiça do Trabalho e da ça itinerante, com a realização de audiências e demais
Justiça Federal; funções da atividade jurisdicional, nos limites territo-
i) a homologação de sentenças estrangeiras e a con- riais da respectiva jurisdição, servindo-se de equipa-
cessão de exequatur às cartas rogatórias; mentos públicos e comunitários.
II - julgar, em recurso ordinário: § 3º Os Tribunais Regionais Federais poderão funcio-
a) os habeas corpus decididos em única ou última
nar descentralizadamente, constituindo Câmaras re-
instância pelos Tribunais Regionais Federais ou pelos
gionais, a fim de assegurar o pleno acesso do jurisdi-
tribunais dos Estados, do Distrito Federal e Territórios,
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

quando a decisão for denegatória; cionado à justiça em todas as fases do processo.


b) os mandados de segurança decididos em única Art. 108. Compete aos Tribunais Regionais Federais:
instância pelos Tribunais Regionais Federais ou pelos I - processar e julgar, originariamente:
tribunais dos Estados, do Distrito Federal e Territórios, a) os juízes federais da área de sua jurisdição, incluídos
quando denegatória a decisão; os da Justiça Militar e da Justiça do Trabalho, nos cri-
c) as causas em que forem partes Estado estrangeiro mes comuns e de responsabilidade, e os membros do
ou organismo internacional, de um lado, e, do outro, Ministério Público da União, ressalvada a competência
Município ou pessoa residente ou domiciliada no País; da Justiça Eleitoral;
III - julgar, em recurso especial, as causas decididas, em b) as revisões criminais e as ações rescisórias de julga-
única ou última instância, pelos Tribunais Regionais Fe- dos seus ou dos juízes federais da região;
derais ou pelos tribunais dos Estados, do Distrito Fede- c) os mandados de segurança e os habeas data contra
ral e Territórios, quando a decisão recorrida: ato do próprio Tribunal ou de juiz federal;
a) contrariar tratado ou lei federal, ou negar-lhes vi- d) os habeas corpus , quando a autoridade coatora for
gência; juiz federal;
b) julgar válido ato de governo local contestado em e) os conflitos de competência entre juízes federais
face de lei federal; vinculados ao Tribunal;
c) der a lei federal interpretação divergente da que lhe
II - julgar, em grau de recurso, as causas decididas pe-
haja atribuído outro tribunal.
los juízes federais e pelos juízes estaduais no exercício
Parágrafo único. Funcionarão junto ao Superior Tribu-
da competência federal da área de sua jurisdição.
nal de Justiça:

56
Art. 109. Aos juízes federais compete processar e julgar: § 5º Nas hipóteses de grave violação de direitos huma-
I - as causas em que a União, entidade autárquica ou nos, o Procurador-Geral da República, com a finalidade
empresa pública federal forem interessadas na condi- de assegurar o cumprimento de obrigações decorren-
ção de autoras, rés, assistentes ou oponentes, exceto as tes de tratados internacionais de direitos humanos dos
de falência, as de acidentes de trabalho e as sujeitas à quais o Brasil seja parte, poderá suscitar, perante o Su-
Justiça Eleitoral e à Justiça do Trabalho; perior Tribunal de Justiça, em qualquer fase do inquérito
II - as causas entre Estado estrangeiro ou organismo ou processo, incidente de deslocamento de competên-
internacional e Município ou pessoa domiciliada ou re- cia para a Justiça Federal.
sidente no País; Art. 110. Cada Estado, bem como o Distrito Federal,
III - as causas fundadas em tratado ou contrato da constituirá uma seção judiciária, que terá por sede a res-
União com Estado estrangeiro ou organismo interna- pectiva capital, e varas localizadas segundo o estabele-
cional; cido em lei.
IV - os crimes políticos e as infrações penais praticadas Parágrafo único. Nos Territórios Federais, a jurisdição e
em detrimento de bens, serviços ou interesse da União as atribuições cometidas aos juízes federais caberão aos
ou de suas entidades autárquicas ou empresas públi- juízes da Justiça local, na forma da lei.
cas, excluídas as contravenções e ressalvada a compe-
tência da Justiça Militar e da Justiça Eleitoral; Seção V
V - os crimes previstos em tratado ou convenção inter- Do tribunal superior do trabalho, dos tribunais regio-
nacional, quando, iniciada a execução no País, o resul- nais do trabalho e dos juízes do trabalho
tado tenha ou devesse ter ocorrido no estrangeiro, ou (Denominação da Seção com redação dada pela
reciprocamente; Emenda Constitucional nº 92, de 2016)
V-A - as causas relativas a direitos humanos a que se
refere o § 5º deste artigo; Art. 111. São órgãos da Justiça do Trabalho:
VI - os crimes contra a organização do trabalho e, nos I - o Tribunal Superior do Trabalho;
casos determinados por lei, contra o sistema financeiro II - os Tribunais Regionais do Trabalho;
e a ordem econômico-financeira; III - Juizes do Trabalho.
VII - os habeas corpus , em matéria criminal de sua § 1º (Revogado pela Emenda Constitucional nº 45, de
competência ou quando o constrangimento provier de 2004)
autoridade cujos atos não estejam diretamente sujeitos § 2º (Revogado pela Emenda Constitucional nº 45, de
a outra jurisdição; 2004)
VIII - os mandados de segurança e os habeas data con- § 3º (Revogado pela Emenda Constitucional nº 45, de
tra ato de autoridade federal, excetuados os casos de 2004)
competência dos tribunais federais; Art. 111-A. O Tribunal Superior do Trabalho compor-se-á
IX - os crimes cometidos a bordo de navios ou aerona- de vinte e sete Ministros, escolhidos dentre brasileiros
ves, ressalvada a competência da Justiça Militar; com mais de trinta e cinco anos e menos de sessenta e
X - os crimes de ingresso ou permanência irregular de cinco anos, de notável saber jurídico e reputação iliba-
estrangeiro, a execução de carta rogatória, após o exe- da, nomeados pelo Presidente da República após apro-
quatur , e de sentença estrangeira, após a homologa- vação pela maioria absoluta do Senado Federal, sendo:
ção, as causas referentes à nacionalidade, inclusive a (“Caput” do artigo com redação dada pela Emenda

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


respectiva opção, e à naturalização; Constitucional nº 92, de 2016)
XI - a disputa sobre direitos indígenas. I - um quinto dentre advogados com mais de dez anos
§ 1º As causas em que a União for autora serão afo- de efetiva atividade profissional e membros do Ministé-
radas na seção judiciária onde tiver domicílio a outra rio Público do Trabalho com mais de dez anos de efetivo
parte. exercício, observado o disposto no art. 94;
§ 2º As causas intentadas contra a União poderão ser II - os demais dentre juízes dos Tribunais Regionais do
aforadas na seção judiciária em que for domiciliado o Trabalho, oriundos da magistratura da carreira, indica-
autor, naquela onde houver ocorrido o ato ou fato que dos pelo próprio Tribunal Superior.
deu origem à demanda ou onde esteja situada a coisa, § 1º A lei disporá sobre a competência do Tribunal Su-
ou, ainda, no Distrito Federal. perior do Trabalho.
§ 3º Serão processadas e julgadas na Justiça estadual, § 2º Funcionarão junto ao Tribunal Superior do Trabalho:
no foro do domicílio dos segurados ou beneficiários, as I - a Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento
causas em que forem parte instituição de previdência de Magistrados do Trabalho, cabendo-lhe, dentre outras
social e segurado, sempre que a comarca não seja sede funções, regulamentar os cursos oficiais para o ingresso
de vara do juízo federal, e, se verificada essa condição, e promoção na carreira;
a lei poderá permitir que outras causas sejam também II - o Conselho Superior da Justiça do Trabalho, caben-
processadas e julgadas pela Justiça estadual. do-lhe exercer, na forma da lei, a supervisão administra-
§ 4º Na hipótese do parágrafo anterior, o recurso ca- tiva, orçamentária, financeira e patrimonial da Justiça do
bível será sempre para o Tribunal Regional Federal na Trabalho de primeiro e segundo graus, como órgão cen-
área de jurisdição do juiz de primeiro grau. tral do sistema, cujas decisões terão efeito vinculante.

57
§ 3º Compete ao Tribunal Superior do Trabalho proces- § 1º Os Tribunais Regionais do Trabalho instalarão a
sar e julgar, originariamente, a reclamação para a pre- justiça itinerante, com a realização de audiências e de-
servação de sua competência e garantia da autoridade mais funções de atividade jurisdicional, nos limites ter-
de suas decisões. ritoriais da respectiva jurisdição, servindo-se de equi-
Art. 112. A lei criará varas da Justiça do Trabalho, po- pamentos públicos e comunitários.
dendo, nas comarcas não abrangidas por sua jurisdi- § 2º Os Tribunais Regionais do Trabalho poderão fun-
ção, atribuí-la aos juízes de direito, com recurso para o cionar descentralizadamente, constituindo Câmaras
respectivo Tribunal Regional do Trabalho. regionais, a fim de assegurar o pleno acesso do ju-
Art. 113. A lei disporá sobre a constituição, investidura, risdicionado à justiça em todas as fases do processo.
jurisdição, competência, garantias e condições de exer- Art. 116. Nas Varas do Trabalho, a jurisdição será exer-
cício dos órgãos da Justiça do Trabalho.
cida por um juiz singular.
Art. 114. Compete à Justiça do Trabalho processar e
Parágrafo único. (Revogado pela Emenda Constitucio-
julgar:
I - as ações oriundas da relação de trabalho, abrangi- nal nº 24, de 1999)
dos os entes de direito público externo e da adminis- Art. 117. (Revogado pela Emenda Constitucional nº 24,
tração pública direta e indireta da União, dos Estados, de 1999)
do Distrito Federal e dos Municípios;
II - as ações que envolvam exercício do direito de greve; Seção VI
III - as ações sobre representação sindical, entre sindi- Dos tribunais e juízes eleitorais
catos, entre sindicatos e trabalhadores, e entre sindica-
tos e empregadores; Art. 118. São órgãos da Justiça Eleitoral:
IV - os mandados de segurança, habeas corpus e ha- I - o Tribunal Superior Eleitoral;
beas data, quando o ato questionado envolver matéria II - os Tribunais Regionais Eleitorais;
sujeita à sua jurisdição; III - os juízes eleitorais;
V - os conflitos de competência entre órgãos com juris- IV - as Juntas Eleitorais.
dição trabalhista, ressalvado o disposto no art. 102, I, o; Art. 119. O Tribunal Superior Eleitoral compor-se-á, no
VI - as ações de indenização por dano moral ou patri- mínimo, de sete membros, escolhidos:
monial, decorrentes da relação de trabalho; I - mediante eleição, pelo voto secreto:
VII - as ações relativas às penalidades administrativas a) três juízes dentre os Ministros do Supremo Tribunal
impostas aos empregadores pelos órgãos de fiscaliza-
Federal;
ção das relações de trabalho;
b) dois juízes dentre os Ministros do Superior Tribunal
VIII - a execução, de ofício, das contribuições sociais
previstas no art. 195, I, a, e II, e seus acréscimos legais, de Justiça;
decorrentes das sentenças que proferir; II - por nomeação do Presidente da República, dois
IX - outras controvérsias decorrentes da relação de tra- juízes dentre seis advogados de notável saber jurídico
balho, na forma da lei. e idoneidade moral, indicados pelo Supremo Tribunal
§ 1º Frustrada a negociação coletiva, as partes poderão Federal.
eleger árbitros. Parágrafo único. O Tribunal Superior Eleitoral elegerá
§ 2º Recusando-se qualquer das partes à negociação seu Presidente e o Vice-Presidente dentre os Ministros
coletiva ou à arbitragem, é facultado às mesmas, de do Supremo Tribunal Federal, e o corregedor eleitoral
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

comum acordo, ajuizar dissídio coletivo de natureza dentre os Ministros do Superior Tribunal de Justiça.
econômica, podendo a Justiça do Trabalho decidir o Art. 120. Haverá um Tribunal Regional Eleitoral na ca-
conflito, respeitadas as disposições mínimas legais de pital de cada Estado e no Distrito Federal.
proteção ao trabalho, bem como as convencionadas § 1º Os Tribunais Regionais Eleitorais compor-se-ão:
anteriormente. I - mediante eleição, pelo voto secreto:
§ 3º Em caso de greve em atividade essencial, com pos- a) de dois juízes dentre os desembargadores do Tribu-
sibilidade de lesão do interesse público, o Ministério nal de Justiça;
Público do Trabalho poderá ajuizar dissídio coletivo, b) de dois juízes, dentre juízes de direito, escolhidos
competindo à Justiça do Trabalho decidir o conflito.
pelo Tribunal de Justiça;
Art. 115. Os Tribunais Regionais do Trabalho compõem-
II - de um juiz do Tribunal Regional Federal com sede
-se de, no mínimo, sete juízes, recrutados, quando pos-
sível, na respectiva região, e nomeados pelo Presidente na capital do Estado ou no Distrito Federal, ou, não
da República dentre brasileiros com mais de trinta e havendo, de juiz federal, escolhido, em qualquer caso,
menos de sessenta e cinco anos, sendo: pelo Tribunal Regional Federal respectivo;
I - um quinto dentre advogados com mais de dez anos III - por nomeação, pelo Presidente da República, de
de efetiva atividade profissional e membros do Minis- dois juízes dentre seis advogados de notável saber ju-
tério Público do Trabalho com mais de dez anos de efe- rídico e idoneidade moral, indicados pelo Tribunal de
tivo exercício, observado o disposto no art. 94; Justiça.
II - os demais, mediante promoção de juízes do traba- § 2º O Tribunal Regional Eleitoral elegerá seu Presiden-
lho por antiguidade e merecimento, alternadamente. te e o Vice-Presidente dentre os desembargadores.

58
Art. 121. Lei complementar disporá sobre a organiza- Seção VIII
ção e competência dos Tribunais, dos juízes de direito Dos tribunais e juízes dos estados
e das Juntas Eleitorais.
§ 1º Os membros dos Tribunais, os juízes de direito e os Art. 125. Os Estados organizarão sua Justiça, observa-
integrantes das Juntas Eleitorais, no exercício de suas dos os princípios estabelecidos nesta Constituição.
funções, e no que lhes for aplicável, gozarão de plenas § 1º A competência dos tribunais será definida na
garantias e serão inamovíveis. Constituição do Estado, sendo a lei de organização ju-
§ 2º Os juízes dos Tribunais Eleitorais, salvo motivo jus- diciária de iniciativa do Tribunal de Justiça.
tificado, servirão por dois anos, no mínimo, e nunca § 2º Cabe aos Estados a instituição de representação de
por mais de dois biênios consecutivos, sendo os substi- inconstitucionalidade de leis ou atos normativos esta-
tutos escolhidos na mesma ocasião e pelo mesmo pro- duais ou municipais em face da Constituição estadual,
cesso, em número igual para cada categoria. vedada a atribuição da legitimação para agir a um úni-
§ 3º São irrecorríveis as decisões do Tribunal Superior co órgão.
Eleitoral, salvo as que contrariarem esta Constituição § 3º A lei estadual poderá criar, mediante proposta do
e as denegatórias de habeas corpus ou mandado de Tribunal de Justiça, a Justiça Militar estadual, constitu-
segurança. ída, em primeiro grau, pelos juízes de direito e pelos
§ 4º Das decisões dos Tribunais Regionais Eleitorais so- Conselhos de Justiça e, em segundo grau, pelo próprio
mente caberá recurso quando: Tribunal de Justiça, ou por Tribunal de Justiça Militar
I - forem proferidas contra disposição expressa desta nos Estados em que o efetivo militar seja superior a
Constituição ou de lei; vinte mil integrantes.
II - ocorrer divergência na interpretação de lei entre § 4º Compete à Justiça Militar estadual processar e jul-
dois ou mais Tribunais Eleitorais; gar os militares dos Estados, nos crimes militares defi-
III - versarem sobre inelegibilidade ou expedição de di- nidos em lei e as ações judiciais contra atos disciplina-
plomas nas eleições federais ou estaduais; res militares, ressalvada a competência do júri quando
IV - anularem diplomas ou decretarem a perda de a vítima for civil, cabendo ao tribunal competente de-
mandatos eletivos federais ou estaduais; cidir sobre a perda do posto e da patente dos oficiais e
V - denegarem habeas corpus, mandado de segurança, da graduação das praças.
habeas data ou mandado de injunção. § 5º Compete aos juízes de direito do juízo militar
processar e julgar, singularmente, os crimes militares
Seção VII cometidos contra civis e as ações judiciais contra atos
Dos tribunais e juízes militares disciplinares militares, cabendo ao Conselho de Justiça,
sob
Art. 122. São órgãos da Justiça Militar: § 6º O Tribunal de Justiça poderá funcionar descentra-
I - o Superior Tribunal Militar; lizadamente, constituindo Câmaras regionais, a fim de
II - os Tribunais e juízes militares instituídos por lei. assegurar o pleno acesso do jurisdicionado à justiça
Art. 123. O Superior Tribunal Militar compor-se-á de em todas as fases do processo.
quinze Ministros vitalícios, nomeados pelo Presiden- § 7º O Tribunal de Justiça instalará a justiça itinerante,
te da República, depois de aprovada a indicação pelo com a realização de audiências e demais funções da
Senado Federal, sendo três dentre oficiais-generais da atividade jurisdicional, nos limites territoriais da res-

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


Marinha, quatro dentre oficiais-generais do Exército, pectiva jurisdição, servindo-se de equipamentos públi-
três dentre oficiais-generais da Aeronáutica, todos da cos e comunitários.
ativa e do posto mais elevado da carreira, e cinco den- Art. 126. Para dirimir conflitos fundiários, o Tribunal de
tre civis. Justiça proporá a criação de varas especializadas, com
Parágrafo único. Os Ministros civis serão escolhidos competência exclusiva para questões agrárias.
pelo Presidente da República dentre brasileiros maio- Parágrafo único. Sempre que necessário à eficiente
res de trinta e cinco anos, sendo: prestação jurisdicional, o juiz far-se-á presente no local
I - três dentre advogados de notório saber jurídico e do litígio.
conduta ilibada, com mais de dez anos de efetiva ativi-
dade profissional;
II - dois, por escolha paritária, dentre juízes-auditores e
membros do Ministério Público da Justiça Militar.
Art. 124. À Justiça Militar compete processar e julgar os
crimes militares definidos em lei.
Parágrafo único. A lei disporá sobre a organização, o
funcionamento e a competência da Justiça Militar.

59
Garantias do Judiciário

Institucionais:
- Autonomia orgânico administrativa: eleger seus órgãos de direção / elaborar regimento interno / organizar a
administração interna.
- Autonomia financeira: elaborarão suas próprias propostas financeiras, desde que compatíveis com os limites estipulados
pela Lei.
Funcionais:
- Independência os órgãos:
- Vitaliciedade: somente perderá o cargo por sentença transitada em julgado. Estabilidade adquirida após 02 anos
(estágio probatório).
Atenção!
1º grau – vitaliciedade após 02 anos
Tribunais – após a posse no cargo superior
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

- Inamovibilidade: impossibilidade de remoção sem anuência do juiz, exceto por interesse público, sendo essa decisão
aprovada e votada por 2/3 do TJ ou do CNJ.
- Irredutibilidade de subsídios: salário não pode ser reduzido, garantindo livre exercício profissional.
- Garantia de imparcialidade (vedações que possam prejudicar a imparcialidade)
Art. 95 parágrafo único
- exercer, ainda que em disponibilidade, outro cargo ou função, salvo uma de magistério;
- receber, a qualquer título ou pretexto, custas ou participação em processo;
- dedicar-se à atividade político-partidária;
- receber, a qualquer título ou pretexto, auxílios ou contribuições de pessoas físicas, entidades públicas ou privadas,
ressalvadas as exceções previstas em lei (EC n. 45/2004);
- exercer a advocacia no juízo ou tribunal do qual se afastou, antes de decorridos três anos do afastamento do cargo por
aposentadoria ou exoneração (EC n. 45/2004 — a assim denominada quarentena de saída).

60
#FicaDica

Divisões em instâncias
1ª Instância (1º grau – órgãos singulares): juízes singulares. Exercem a jurisdição – apenas 01 juiz pode “dizer o direito”.
Decisão individual.
2ª Instância (2º grau – órgão colegiado) podem ser divididos internamente. Ex: STF – 02 turmas. Outros casos podem
depender do plenário. Decisão colegiada.

Sequência do processo
O andamento processual não obedece a uma sequência predeterminada. Ex: começa em primeira instância e encerra no
STF. Eu posso ter processos que podem iniciar direto no STF face a competência originária.
Regra: Os órgãos do judiciário são órgãos federais, da união; exceto Tribunais de Justiça e Juízes de direito (estaduais).
TJ/DF embora competência de tribunal estadual, é mantido pela união.

Justiça especializada
Tribunais específicos – Justiça especializada.
TRE / TSE – TRT / TST – STM ( jurisdição em território nacional)
- Sede e jurisdição
Sede dos Tribunais Superiores / STF e CNJ: sede na capital federal. Atenção: CNJ não exerce jurisdição. O CNJ é um órgão
de controle interno do poder judiciário. Tem a função de controlar a atuação administrativa e financeira do poder judiciário
e fiscalizar a atuação dos juízes – não haverá julgamento de litígios, mas sim fiscalizar administração, despesas e atuação
funcional.
TJ – Jurisdição estadual
TRE / TST / Justiça Federal: divididos em regiões.

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


Composição dos órgãos
Composição tribunais superiores
STF – membros: 11 ministros
Brasileiros natos, mais de 35 e menos de 65, notável saber jurídico, reputação ilibada.
Indicação do presidente / aprovação do Senado Federal (sabatina) maioria absoluta / nomeação Pres. República.
Vontades complexas. Necessário ser juiz de carreira? Não. Basta a indicação e aprovação do Senado. A doutrina pacificou
a necessidade do curso de direito.
STJ – membros: mínimo 33 ministros
Brasileiro nato ou naturalizado
1/3 juízes dos TRF
1/3 desembargadores TJ
1/6 dentre advogados; e
1/6 dentre membros do MP
TST – membros: 27 ministros
4/5 juízes do TRT
1/5 advogados e membros do MP
TSE – membros: 07 ministros
03 ministros do STF (eleitos entre si por voto secreto)
02 ministros do STJ (eleitos entre si por voto secreto)
02 advogados indicados em lista sêxtupla pelo STF e nomeado pelo Pres. República.

61
STM – membros: 15 ministros
03 oficiais da marinha
03 da aeronáutica
04 do exército
03 advogados + 10 anos profissão
02 membros do MP da justiça militar
Nomenclatura: ministros.

Composição tribunais 2º grau


TRF / TRT / TRE: repetir o menor número de membros: 07
TJ: cada estado define o seu
Tribunal Militar: em caso de guerra pode ser criado.
Juízes: conforme a demanda.
Todos os membros dos tribunais superiores e cnj são indicados. Nomeados pelo presidente com aprovação do Senado.
Estaduais: chefe do executivo

Regra do quinto constitucional


Apenas para TJ - TRF - TRT - -TST
Quinto constitucional: TJ / TRF / TRT / TST – 1/5 dos membros vem de advogado e membros do MP indicados. Arredonda
pra cima. (Art. 94)
Regra: OAB e representativo do MP propõem uma lista sêxtupla e submete ao Tribunal para que dentro os 06 escolha
03. Os 03 escolhidos serão levados a conhecimento do chefe do executivo que fará a escolha final e nomeação.
STJ: regra do terço: 1/3 advogados e membros do MP

Conselho nacional de justiça


CNJ: 15 membros – Art. 103B mandato de 02 anos (uma recondução)
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

09 membros do Judiciário.
- 01 STF – Presidente.
- 01 STJ – indicado pelo próprio Tribunal
- 01 TRF – indicado pelo STJ
- 01 Juiz federal – indicado pelo STJ
- 01 TST – indicado pelo próprio Tribunal
- 01 TRF – indicado pelo TST
- 01 Juiz Trabalho indicado pelo TST
- 01 Desembargador indicado pelo STF
- 01 Juiz estadual indicado pelo STF

62
E os demais? - Justiça militar (art. 124 E dl 1001/96)
02 – 02 – 02 - Justiça federal e trf (art. 109 E 108)
02 Advogados – indicados pelo Conselho Federal OAB - Justiça estadual (competência residual – definida pela
02 Ministério Público: 01 MPU indicado pelo PGR / 01 constituição do estado)
MP estados (26: escolhido pelo PGR.
02 cidadãos: notável saber jurídico e reputação ilibada:
01 indicado pela Câmara e outro pelo Senado Federal. EXERCÍCIO COMENTADO
Exceto presidente e vice presidente do STF, os demais
serão indicados e nomeados pelo Presidente da República.
1) Aplicada em: 2018Banca: CESPE Órgão: EMAP Pro-
Presidente do CNJ: Presidente do STF e na ausência o
va: Conhecimentos Básicos - Cargos de Nível Médio. No
vice.
que se refere à organização dos poderes, julgue o item que
Ministro Corregedor: Ministro do STJ
segue. Aos juízes, ainda que em disponibilidade, é vedado
Controle dos atos do CNJ: STF / CNJ controla STF? Não
o exercício de qualquer outro cargo ou função pública.
Estatuto da magistratura ( ) CERTO ( ) ERRADO
Estatuto da magistratura – art. 93 (aprovado por Lei
Complementar – maioria absoluta) – Lei ordinária (maioria
Resposta: Errado - Por conta do cargo, o juiz goza de al-
simples) Projeto de Iniciativa do STF – Câmara vota e
gumas garantias para que possa exercer sua função com
aprova, senado vota e aprovada – Presidente promulga.
total imparcialidade. Também por conta do cargo enfren-
- Ingresso na carreira
ta algumas vedações, a saber:
Art. 93 I
I - exercer, ainda que em disponibilidade, outro cargo ou
Concurso público – provas e títulos – participação da
função, salvo uma de magistério;
OAB em todas as fases.
II - receber, a qualquer título ou pretexto, custas ou parti-
Bacharel em Direito, mínimo de 03 experiência jurídica.
cipação em processo;
Entra como juiz substituto. (Residência) após, promoção
III - dedicar-se à atividade político-partidária.
para juiz titular.
IV receber, a qualquer título ou pretexto, auxílios ou con-
- Promoção (antiguidade e merecimento)
tribuições de pessoas físicas, entidades públicas ou priva-
Art. 93 II – Promoção entrância para entrância /
das, ressalvadas as exceções previstas em lei;
classificação de comarcas diferente de instância. 1ª
V exercer a advocacia no juízo ou tribunal do qual se afas-
entrância (vara única) 2ª entrância (mais de uma vara)
tou, antes de decorridos três anos do afastamento do car-
Entrância especial (Ex: capital ou grandes cidades)
go por aposentadoria ou exoneração.
Critério: alternadamente 7 - por antiguidade ou
merecimento.
2) Aplicada em: 2018Banca: CESPEÓrgão: EMAPProva:
Promoção por antiguidade: juiz mais antigo; salvo se
Conhecimentos Básicos - Cargos de Nível Superior. Jul-
2/3 recusarem. TJ
gue o próximo item, relativo à organização dos poderes. A
Promoção por merecimento: 02 anos na entrância / 1ª
inamovibilidade dos juízes é uma garantia não absoluta.
quinta parte
Merecimento: desempenho, atualização em cursos. ( ) CERTO ( ) ERRADO

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


Promoção obrigatória: aparecer 03 x consecutivas lista
tríplice ou 5 alternadas. Não serão promovidos aqueles que
Resposta: Certo - A inamovibilidade é uma das garan-
obstaculizarem o desenvolvimento processual.
tias previstas na CF/88 para o cargo de juiz; no entanto,
por motivo de interesse público, poderá ocorrer a remo-
Competências do poder judiciário
ção desde que a decisão pela remoção seja decisão por
- Supremo tribunal federal (art. 102 E 103)
voto da maioria absoluta do respectivo tribunal ou do
Guardião da CF – controle de constitucionalidade
Conselho Nacional de Justiça, assegurada ampla defesa.
- Competências originárias: art. 102 I
- Competências recursais: Recurso Ordinário (Art. 102
Capítulo IV
II) e Extraordinário (Art.102 III) – Repercussão geral para o
Das funções essenciais à justiça
extraordinário (recusar apreciação pela votação de 2/3 dos
Seção
membros)
Do ministério público
- Superior tribunal de justiça (art. 105)
Guardião da Lei infraconstitucional
Art. 127. O Ministério Público é instituição permanente,
- Competências originárias: art. 105 I
essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-
- Competências recursais: Recurso Ordinário (Art. 105 II)
-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democráti-
e Recurso Especial (Art. 105 III)
co e dos interesses sociais e individuais indisponíveis.
- Justiça trabalhista (art. 113 E 114) em regra as relações
§ 1º São princípios institucionais do Ministério Público a
regidas pela clt, excetuando as relações estatutárias.
unidade, a indivisibilidade e a independência funcional.
- Justiça eleitoral (art. 121 E código eleitoral)

63
§ 2º Ao Ministério Público é assegurada autonomia I - as seguintes garantias:
funcional e administrativa, podendo, observado o dis- a) vitaliciedade, após dois anos de exercício, não po-
posto no art. 169, propor ao Poder Legislativo a criação dendo perder o cargo senão por sentença judicial tran-
e extinção de seus cargos e serviços auxiliares, proven- sitada em julgado;
do-os por concurso público de provas ou de provas e b) inamovibilidade, salvo por motivo de interesse públi-
títulos, a política remuneratória e os planos de carreira; co, mediante decisão do órgão colegiado competente
a lei disporá sobre sua organização e funcionamento. do Ministério Público, pelo voto da maioria absoluta de
§ 3º O Ministério Público elaborará sua proposta or- seus membros, assegurada ampla defesa;
çamentária dentro dos limites estabelecidos na lei de c) irredutibilidade de subsídio, fixado na forma do art.
diretrizes orçamentárias. 39, § 4º, e ressalvado o disposto nos arts. 37, X e XI, 150,
§ 4º Se o Ministério Público não encaminhar a respec- II, 153, III, 153, § 2º, I;
tiva proposta orçamentária dentro do prazo estabele- II - as seguintes vedações:
cido na lei de diretrizes orçamentárias, o Poder Execu- a) receber, a qualquer título e sob qualquer pretexto,
tivo considerará, para fins de consolidação da proposta honorários, percentagens ou custas processuais;
orçamentária anual, os valores aprovados na lei orça- b) exercer a advocacia;
mentária vigente, ajustados de acordo com os limites c) participar de sociedade comercial, na forma da lei;
estipulados na forma do § 3º. d) exercer, ainda que em disponibilidade, qualquer ou-
§ 5º Se a proposta orçamentária de que trata este arti- tra função pública, salvo uma de magistério;
go for encaminhada em desacordo com os limites esti- e) exercer atividade político-partidária;
pulados na forma do § 3º, o Poder Executivo procederá f) receber, a qualquer título ou pretexto, auxílios ou
aos ajustes necessários para fins de consolidação da contribuições de pessoas físicas, entidades públicas ou
proposta orçamentária anual. privadas, ressalvadas as exceções previstas em lei.
§ 6º Durante a execução orçamentária do exercício, não § 6º Aplica-se aos membros do Ministério Público o
poderá haver a realização de despesas ou a assunção disposto no art. 95, parágrafo único, V.
de obrigações que extrapolem os limites estabeleci- Art. 129. São funções institucionais do Ministério Pú-
dos na lei de diretrizes orçamentárias, exceto se pre-
blico:
viamente autorizadas, mediante a abertura de créditos
I - promover, privativamente, a ação penal pública, na
suplementares ou especiais.
forma da lei;
Art. 128. O Ministério Público abrange:
II - zelar pelo efetivo respeito dos Poderes Públicos e
I - o Ministério Público da União, que compreende:
dos serviços de relevância pública aos direitos assegu-
a) o Ministério Público Federal;
rados nesta Constituição, promovendo as medidas ne-
b) o Ministério Público do Trabalho;
c) o Ministério Público Militar; cessárias a sua garantia;
d) o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios; III - promover o inquérito civil e a ação civil pública,
II - os Ministérios Públicos dos Estados. para a proteção do patrimônio público e social, do
§ 1º O Ministério Público da União tem por chefe o Pro- meio ambiente e de outros interesses difusos e cole-
curador-Geral da República, nomeado pelo Presidente tivos;
da República dentre integrantes da carreira, maiores de IV - promover a ação de inconstitucionalidade ou re-
trinta e cinco anos, após a aprovação de seu nome pela presentação para fins de intervenção da União e dos
maioria absoluta dos membros do Senado Federal, Estados, nos casos previstos nesta Constituição;
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

para mandato de dois anos, permitida a recondução. V - defender judicialmente os direitos e interesses das
§ 2º A destituição do Procurador-Geral da República, populações indígenas;
por iniciativa do Presidente da República, deverá ser VI - expedir notificações nos procedimentos adminis-
precedida de autorização da maioria absoluta do Se- trativos de sua competência, requisitando informações
nado Federal. e documentos para instruí-los, na forma da lei comple-
§ 3º Os Ministérios Públicos dos Estados e o do Distrito mentar respectiva;
Federal e Territórios formarão lista tríplice dentre inte- VII - exercer o controle externo da atividade policial,
grantes da carreira, na forma da lei respectiva, para es- na forma da lei complementar mencionada no artigo
colha de seu Procurador-Geral, que será nomeado pelo anterior;
Chefe do Poder Executivo, para mandato de dois anos, VIII - requisitar diligências investigatórias e a instau-
permitida uma recondução. ração de inquérito policial, indicados os fundamentos
§ 4º Os Procuradores-Gerais nos Estados e no Distrito jurídicos de suas manifestações processuais;
Federal e Territórios poderão ser destituídos por deli- IX - exercer outras funções que lhe forem conferidas,
beração da maioria absoluta do Poder Legislativo, na desde que compatíveis com sua finalidade, sendo-lhe
forma da lei complementar respectiva. vedada a representação judicial e a consultoria jurídica
§ 5º Leis complementares da União e dos Estados, cuja de entidades públicas.
iniciativa é facultada aos respectivos Procuradores- § 1º A legitimação do Ministério Público para as ações
-Gerais, estabelecerão a organização, as atribuições e o civis previstas neste artigo não impede a de tercei-
estatuto de cada Ministério Público, observadas, relati- ros, nas mesmas hipóteses, segundo o disposto nesta
vamente a seus membros: Constituição e na lei.

64
§ 2º As funções do Ministério Público só podem ser instituição, podendo avocar processos disciplinares em
exercidas por integrantes da carreira, que deverão resi- curso, determinar a remoção, a disponibilidade ou a
dir na comarca da respectiva lotação, salvo autorização aposentadoria com subsídios ou proventos proporcio-
do chefe da instituição. nais ao tempo de serviço e aplicar outras sanções ad-
§ 3º O ingresso na carreira do Ministério Público far- ministrativas, assegurada ampla defesa;
-se-á mediante concurso público de provas e títulos, IV - rever, de ofício ou mediante provocação, os pro-
assegurada a participação da Ordem dos Advogados cessos disciplinares de membros do Ministério Público
do Brasil em sua realização, exigindo-se do bacharel da União ou dos Estados julgados há menos de um
em direito, no mínimo, três anos de atividade jurídica ano;
e observando-se, nas nomeações, a ordem de classifi- V - elaborar relatório anual, propondo as providências
cação. que julgar necessárias sobre a situação do Ministério
§ 4º Aplica-se ao Ministério Público, no que couber, o Público no País e as atividades do Conselho, o qual
disposto no art. 93. deve integrar a mensagem prevista no art. 84, XI.
§ 5º A distribuição de processos no Ministério Público § 3º O Conselho escolherá, em votação secreta, um
será imediata. Corregedor nacional, dentre os membros do Ministério
Art. 130. Aos membros do Ministério Público junto aos Público que o integram, vedada a recondução, compe-
Tribunais de Contas aplicam-se as disposições desta tindo-lhe, além das atribuições que lhe forem conferi-
seção pertinentes a direitos, vedações e forma de in- das pela lei, as seguintes:
vestidura. I - receber reclamações e denúncias, de qualquer inte-
Art. 130-A. O Conselho Nacional do Ministério Públi- ressado, relativas aos membros do Ministério Público e
co compõe-se de quatorze membros nomeados pelo dos seus serviços auxiliares;
Presidente da República, depois de aprovada a esco- II - exercer funções executivas do Conselho, de inspe-
lha pela maioria absoluta do Senado Federal, para um ção e correição geral;
mandato de dois anos, admitida uma recondução, sen- III - requisitar e designar membros do Ministério Públi-
do: co, delegando-lhes atribuições, e requisitar servidores
I - o Procurador-Geral da República, que o preside;
de órgãos do Ministério Público.
II - quatro membros do Ministério Público da União,
§ 4º O Presidente do Conselho Federal da Ordem dos
assegurada a representação de cada uma de suas car-
Advogados do Brasil oficiará junto ao Conselho.
reiras;
§ 5º Leis da União e dos Estados criarão ouvidorias do
III - três membros do Ministério Público dos Estados;
Ministério Público, competentes para receber reclama-
IV - dois juízes, indicados um pelo Supremo Tribunal
ções e denúncias de qualquer interessado contra mem-
Federal e outro pelo Superior Tribunal de Justiça;
V - dois advogados, indicados pelo Conselho Federal bros ou órgãos do Ministério Público, inclusive contra
da Ordem dos Advogados do Brasil; seus serviços auxiliares, representando diretamente ao
VI - dois cidadãos de notável saber jurídico e reputa- Conselho Nacional do Ministério Público.
ção ilibada, indicados um pela Câmara dos Deputados
e outro pelo Senado Federal. Seção II
§ 1º Os membros do Conselho oriundos do Ministério Da advocacia pública
Público serão indicados pelos respectivos Ministérios
Públicos, na forma da lei. Art. 131. A Advocacia-Geral da União é a instituição

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


§ 2º Compete ao Conselho Nacional do Ministério Pú- que, diretamente ou através de órgão vinculado, repre-
blico o controle da atuação administrativa e financeira senta a União, judicial e extrajudicialmente, cabendo-
do Ministério Público e do cumprimento dos deveres -lhe, nos termos da lei complementar que dispuser
funcionais de seus membros, cabendo lhe: sobre sua organização e funcionamento, as atividades
I - zelar pela autonomia funcional e administrativa do de consultoria e assessoramento jurídico do Poder Exe-
Ministério Público, podendo expedir atos regulamen- cutivo.
tares, no âmbito de sua competência, ou recomendar § 1º A Advocacia-Geral da União tem por chefe o Ad-
providências; vogado-Geral da União, de livre nomeação pelo Presi-
II - zelar pela observância do art. 37 e apreciar, de ofí- dente da República dentre cidadãos maiores de trinta
cio ou mediante provocação, a legalidade dos atos e cinco anos, de notável saber jurídico e reputação ili-
administrativos praticados por membros ou órgãos do bada.
Ministério Público da União e dos Estados, podendo § 2º O ingresso nas classes iniciais das carreiras da ins-
desconstituí-los, revê-los ou fixar prazo para que se tituição de que trata este artigo far-se-á mediante con-
adotem as providências necessárias ao exato cumpri- curso público de provas e títulos.
mento da lei, sem prejuízo da competência dos Tribu- § 3º Na execução da dívida ativa de natureza tributária,
nais de Contas; a representação da União cabe à Procuradoria-Geral da
III - receber e conhecer das reclamações contra mem- Fazenda Nacional, observado o disposto em lei.
bros ou órgãos do Ministério Público da União ou dos Art. 132. Os Procuradores dos Estados e do Distrito Fe-
Estados, inclusive contra seus serviços auxiliares, sem deral, organizados em carreira, na qual o ingresso de-
prejuízo da competência disciplinar e correicional da penderá de concurso público de provas e títulos, com a

65
participação da Ordem dos Advogados do Brasil em to- 1 - Ministério público (art. 127 A 130-a)
das as suas fases, exercerão a representação judicial e a Definição: O Ministério Público é instituição permanente,
consultoria jurídica das respectivas unidades federadas. essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe
Parágrafo único. Aos procuradores referidos neste arti- a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos
go é assegurada estabilidade após três anos de efetivo interesses sociais e individuais indisponíveis.
exercício, mediante avaliação de desempenho perante Parte da doutrina fala em quarto poder, no entanto,
os órgãos próprios, após relatório circunstanciado das essa classificação não é unânime, já que a CF não prevê um
corregedorias. (Redação dada pela Emenda Constitucio- quarto poder, apenas o legislativo, executivo e judiciário.
nal nº 19, de 1998) Em suma, o Ministério Público foi, pela Constituição
de 1988, “arquitetado para atuar desinteressadamente
Seção III na persecução dos valores mais encarecidos da ordem
Da advocacia constitucional”.

Art. 133. O advogado é indispensável à administração


da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifesta- #FicaDica
ções no exercício da profissão, nos limites da lei. Natureza jurídica: instituição independente e
autônoma, que não se inclui na estrutura de
Seção IV nenhum dos poderes tradicionais.
Da defensoria pública

Art. 134. A Defensoria Pública é instituição permanente, Princípios


essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo- - Unidade (existência de uma divisão orgânica, todas
-lhe, como expressão e instrumento do regime democrá- sob a chefia do Procurador Geral de Justiça).
tico, fundamentalmente, a orientação jurídica, a promo- - Indivisibilidade (possibilidade de um ser substituído
ção dos direitos humanos e a defesa, em todos os graus, por outro; o promotor não se vincula pessoalmente a
judicial e extrajudicial, dos direitos individuais e coletivos, causa).
de forma integral e gratuita, aos necessitados, na forma - Independência funcional (membros do MP não se
do inciso LXXIV do art. 5º desta Constituição Federal. subordinam as convicções de outrem).
§ 1º Lei complementar organizará a Defensoria Pública Funções do MP (competências exemplificativas,
da União e do Distrito Federal e dos Territórios e pres- podendo ser ampliadas).
creverá normas gerais para sua organização nos Esta- - Defesa da Ordem Jurídica
dos, em cargos de carreira, providos, na classe inicial, - Defesa do Regime Democrático
mediante concurso público de provas e títulos, assegu- - Defesa dos interesses sociais e individuais indisponíveis.
rada a seus integrantes a garantia da inamovibilidade Obs: proteção e fiscalização.
e vedado o exercício da advocacia fora das atribuições Ingresso (concurso público) – art. 129 § 3º
institucionais. -Bacharelado em direito
§ 2º Às Defensorias Públicas Estaduais são asseguradas - Ocuparão as funções do MP apenas membros de
autonomia funcional e administrativa e a iniciativa de carreira.
sua proposta orçamentária dentro dos limites estabele- - Mínimo de 03 anos de atividade jurídica (documentada
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

cidos na lei de diretrizes orçamentárias e subordinação e formalizada)


ao disposto no art. 99, § 2º. - Observância da classificação.
§ 3º Aplica-se o disposto no § 2º às Defensorias Públicas Regulamentação
da União e do Distrito Federal. Nacional: Lei 8.625/93
§ 4º São princípios institucionais da Defensoria Pública a Federal: LC 75/93
unidade, a indivisibilidade e a independência funcional, Estaduais: cada estado elabora sua respectiva lei
aplicando-se também, no que couber, o disposto no art. orgânica
93 e no inciso II do art. 96 desta Constituição Federal. Garantias
Art. 135. Os servidores integrantes das carreiras discipli- Institucionais (ligadas ao órgão)
nadas nas Seções II e III deste Capítulo serão remunera- - Princípios Institucionais (Art. 127 §1º)
dos na forma do art. 39, § 4º. Unidade
Indivisibilidade
As funções essenciais à justiça são todas aquelas Independência
atividades (públicos e privadas) profissionais sem as quais - Autonomia (Art. 127 §2º)
o poder judiciário não funcionaria, ou funcionaria mal, tem Financeira
o objetivo de dinamizar a atividade jurisdicional, chamadas Funcional
de funções essenciais à justiça. É a mola propulsora do Administrativa
judiciário, lembrando que a atividade judiciária é inerte. Funcionais (ligadas ao membro do MP)
Apesar de extrema importância, tais funções não integram - Independência (art. 128 §5º I)
o poder judiciário. Inamovibilidade

66
Exceção: por motivo de interesse público, mediante Procurador Geral de Justiça (estadual)
decisão, por maioria absoluta de votos, do órgão colegiado - Lista tríplice dos membros da carreira
competente (que é o Conselho Nacional do Ministério - Nomeação pelo Chefe do Executivo.
Público), assegurada ampla defesa. - Mandato de 02 anos, uma única recondução.
Vitaliciedade (após 02 anos) CONAMP (Conselho Nacional do Ministério Público)
Irredutibilidade de subsídios (submetido ao teto / SFT) Composição
Resumo das garantias: 01 PGR (presidente)
01 membro MPF
01 membro MPT
01 membro MPM
01 membro MPDF
06 membros de outras carreiras
02 Advogados
02 Cidadãos (01 Câmara / 01 Senado)
02 Juízes (01 STF / 01 STJ)

2 – Advocacia geral da união (art. 131)


Natureza
- Representação da União extra ou judicialmente.
- Consultoria e assessoria jurídica do Poder Executivo.

Organização

Vedações
- receber, a qualquer título e sob qualquer pretexto,
honorários, percentagens ou custas processuais.
- exercer a advocacia.
- participar de sociedade comercial.
- exercer função pública, salvo uma de magistério.
- exercer atividade político partidário.
- receber qualquer forma de auxílio ou contribuição de
pessoas físicas, entidades públicas ou privadas, exceto nas
situações autorizadas em lei.

Estrutura do Ministério Público

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


Ingresso nas classes iniciais
Concurso público de provas e títulos. Não tem
vitaliciedade, mas sim estabilidade após 03 anos.
Chefe da Instituição (advogado-geral da União)
Livre nomeação e exoneração pelo Presidente da
República dentre cidadãos:
+ de 35 anos
Reputação ilibada.
Atenção: não precisa de autorização do senado.
Obs: tem status de Ministro. STF – julga por crime
comum / Senado – julga por crimes de responsabilidade.
Procurador Geral da República
- Membro da carreira 3 – Advocacia privada – art. 133
- Mais de 35 anos - Habilitação perante a Ordem dos Advogados do Brasil
- Aprovação do nome pela maioria absoluta do Senado - Declarado constitucional em 2011 pelo plenário do STF
Federal. - Capacidade postulatória (participação facultativa em
- Mandato: 02 anos. algumas ações)
- Possibilidade de várias reconduções. - Inviolabilidade da advocacia

67
Imunidade material: imune aos crimes de injuria e CAPÍTULO III
difamação. DA SEGURANÇA PÚBLICA
Obs: a imunidade não vale para calúnia.
- Direitos do advogado: Código de Ética Profissional. Art. 144. A segurança pública, dever do Estado, direito
e responsabilidade de todos, é exercida para a preser-
4 – Defensorias públicas – art. 134 vação da ordem pública e da incolumidade das pesso-
- Gozam de autonomia funcional e administrativa as e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:
- Regidas pelos mesmos princípios do Ministério Público I - polícia federal;
- Unidade II - polícia rodoviária federal;
- Indivisibilidade III - polícia ferroviária federal;
- Independência funcional IV - polícias civis;
- Ingresso: concurso público V - polícias militares e corpos de bombeiros militares.
- Garantias e prerrogativas: § 1º A polícia federal, instituída por lei como órgão
Inamovibilidade permanente, organizado e mantido pela União e estru-
Independência funcional turado em carreira, destina-se a: (Redação dada pela
Irredutibilidade de subsídios Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
Estabilidade I - apurar infrações penais contra a ordem política e
- Vedações social ou em detrimento de bens, serviços e interesses
Exercício da advocacia fora dos limites da instituição. da União ou de suas entidades autárquicas e empresas
públicas, assim como outras infrações cuja prática te-
nha repercussão interestadual ou internacional e exija
repressão uniforme, segundo se dispuser em lei;
EXERCÍCIO COMENTADO II - prevenir e reprimir o tráfico ilícito de entorpecen-
tes e drogas afins, o contrabando e o descaminho, sem
prejuízo da ação fazendária e de outros órgãos públi-
1)Aplicada em: 2018Banca: CESPE Órgão: EMAP Prova: cos nas respectivas áreas de competência;
Analista Portuário - Área Jurídica. Acerca da advocacia III - exercer as funções de polícia marítima, aeroportu-
pública, julgue o item subsequente. Aos membros da Ad- ária e de fronteiras; (Redação dada pela Emenda Cons-
vocacia-Geral da União são concedidas as garantias consti- titucional nº 19, de 1998)
tucionais previstas para os membros do Ministério Público. IV - exercer, com exclusividade, as funções de polícia
judiciária da União.
( ) Certo ( ) Errado § 2º A polícia rodoviária federal, órgão permanente,
organizado e mantido pela União e estruturado em
Resposta: Errado - Aos membros da Advocacia Pública é carreira, destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento
assegurada a estabilidade após 3 anos de efetivo exercí- ostensivo das rodovias federais. (Redação dada pela
cio, e aos membros do Ministério Público é assegurada a Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
vitaliciedade após 2 anos de exercício. A estabilidade está § 3º A polícia ferroviária federal, órgão permanente,
definida no art. 41 da CF. organizado e mantido pela União e estruturado em
carreira, destina-se, na forma da lei, ao patrulhamen-
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

2) Aplicada em: 2018 Banca: CESPE Órgão: PC-MA Pro- to ostensivo das ferrovias federais. (Redação dada pela
va: Investigador de Polícia. Observada a ordem de nome- Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
ação, o ingresso na carreira do Ministério Público se dará § 4º Às polícias civis, dirigidas por delegados de polícia
mediante concurso público de provas e títulos, exigindo-se de carreira, incumbem, ressalvada a competência da
do bacharel em direito, no mínimo: União, as funções de polícia judiciária e a apuração de
infrações penais, exceto as militares.
a) cinco anos de atividade jurídica. § 5º Às polícias militares cabem a polícia ostensiva e
b) um ano de atividade jurídica. a preservação da ordem pública; aos corpos de bom-
c) dois anos de atividade jurídica. beiros militares, além das atribuições definidas em lei,
d) três anos de atividade jurídica. incumbe a execução de atividades de defesa civil.
e) quatro anos de atividade jurídica. § 6º As polícias militares e corpos de bombeiros milita-
res, forças auxiliares e reserva do Exército, subordinam-
Resposta: Letra D - Nos termos do art. 129, § 3º o in- -se, juntamente com as polícias civis, aos Governadores
gresso na carreira do Ministério Público far-se-á mediante dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios.
concurso público de provas e títulos, assegurada a partici- § 7º A lei disciplinará a organização e o funcionamen-
pação da Ordem dos Advogados do Brasil em sua realiza- to dos órgãos responsáveis pela segurança pública, de
ção, exigindo-se do bacharel em direito, no mínimo, três maneira a garantir a eficiência de suas atividades.
anos de atividade jurídica e observando-se, nas nomea- § 8º Os Municípios poderão constituir guardas muni-
ções, a ordem de classificação. cipais destinadas à proteção de seus bens, serviços e
instalações, conforme dispuser a lei.

68
§ 9º A remuneração dos servidores policiais integran-
tes dos órgãos relacionados neste artigo será fixada na HORA DE PRATICAR
forma do § 4º do art. 39. (Incluído pela Emenda Cons-
titucional nº 19, de 1998)
§ 10. A segurança viária, exercida para a preservação da 01) Aplicada em: 2016 Banca: CESPE Órgão: TRT - 8ª
ordem pública e da incolumidade das pessoas e do seu Região (PA e AP)Prova: Técnico Judiciário - Área Ad-
patrimônio nas vias públicas: (Incluído pela Emenda ministrativa. Constitui objetivo fundamental da República
Constitucional nº 82, de 2014) Federativa do Brasil
I - compreende a educação, engenharia e fiscalização
de trânsito, além de outras atividades previstas em lei, a) a independência nacional.
que assegurem ao cidadão o direito à mobilidade ur- b) a solução pacífica de conflitos.
bana eficiente; e (Incluído pela Emenda Constitucional c) a autodeterminação dos povos.
nº 82, de 2014) d) a construção de uma sociedade livre, justa e solidária.
II - compete, no âmbito dos Estados, do Distrito Fede- e) a cooperação entre os povos para o progresso da hu-
ral e dos Municípios, aos respectivos órgãos ou entida- manidade.
des executivos e seus agentes de trânsito, estruturados
em Carreira, na forma da lei. (Incluído pela Emenda 02) Aplicada em: 2015Banca: CESPEÓrgão: TRE-MTPro-
Constitucional nº 82, de 2014) va: Analista Judiciário – Administrativa. No que se refere
aos princípios fundamentais estabelecidos na Constituição
Federal de 1988 (CF), assinale a opção correta.

a) O princípio da construção de uma sociedade livre, justa


e solidária está contemplado na CF de forma implícita.
b) Em decorrência do princípio da defesa da paz e da reso-
lução pacífica dos conflitos, o Brasil é proibido de parti-
cipar de qualquer guerra externa, devendo-se posicionar
como país neutro em conflitos bélicos.
c) Conforme o princípio da democracia representativa,
explicitamente previsto na CF, todo o poder emana do
povo, e seu exercício ocorre exclusivamente por meio
dos representantes eleitos.
d) Os Poderes da União, independentes e harmônicos entre
si, são o Executivo, o Judiciário, o Ministério Público e o
Legislativo.
e) A integração econômica, política, social e cultural dos
povos da América Latina, com a finalidade de constituir
uma comunidade latino-americana de nações, constitui
um princípio fundamental da República brasileira.

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL


03) Aplicada em: 2018Banca: QuadrixÓrgão: CRP - 2º
Região (PE)Prova: Psicólogo Orientador - Fiscal
Com relação à nacionalidade, assinale a alternativa correta.

a) Com exceção dos casos previstos na CF, a lei não pode


estabelecer distinção entre brasileiros natos e naturali-
zados.
b) O estrangeiro residente no Brasil há mais de quinze
anos, sem condenação penal, adquire automaticamente
a nacionalidade brasileira.
c) O brasileiro naturalizado será extraditado somente na
hipótese de crime político ou de responsabilidade prati-
cado antes da naturalização.
d) Embora não conste expressamente da CF, considera-se
a língua portuguesa como idioma oficial da República
Federativa do Brasil.
e) Aos portugueses com residência fixa no País e sem con-
denação penal serão atribuídos direitos inerentes ao
brasileiro nato.

69
04) Aplicada em: 2018 Banca: Quadrix Órgão: CRP - 2º 08) Aplicada em: 2017Banca: CESPEÓrgão: TRE-BAPro-
Região (PE)Prova: Psicólogo Orientador – Fiscal. Maria, va: Técnico Judiciário – Área Administrativa. A Constitui-
brasileira nata, mudou-se para a França em razão do tra- ção Federal de 1988 estabelece que “todo o poder emana
balho. Alguns anos depois, casou-se com Pierre (francês), do povo”, que pode exercê-lo diretamente. Nesse sentido,
com quem teve o filho Pedro (nascido em solo francês). o instrumento constitucional que materializa uma conse-
Considerando esse caso hipotético e as regras constitucio- quência advinda do princípio invocado é o(a):
nais sobre nacionalidade, assinale a alternativa correta.
a) plebiscito.
a) Não há previsão constitucional para que Pedro alcance b) filiação partidária.
status de brasileiro nato. c) greve.
b) Pedro será brasileiro naturalizado se for imediatamente d) alistamento militar.
registrado em repartição brasileira competente. e) livre expressão da atividade intelectual.
c) Mesmo que Maria estivesse a serviço do Brasil, Pedro
não seria brasileiro nato, uma vez que nasceu em terri- 09) Aplicada em: 2017 Banca: CESPE Órgão: TRE-PE
tório francês. Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa. De
d) Mesmo nascendo em território estrangeiro e sendo filho acordo com a Constituição Federal de 1988 (CF), a perda
de pai francês, Pedro será brasileiro nato caso Maria es- ou a suspensão dos direitos políticos se dará em caso de:
teja a serviço do Brasil.
e) Pedro será brasileiro naturalizado caso se mude para o a) condenação criminal por decisão de tribunal contra a
Brasil e escolha, depois de atingida a maioridade, a na- qual caiba recurso.
cionalidade brasileira. b) incapacidade civil relativa.
c) condenação em ação de improbidade administrativa,
05) Aplicada em: 2018 Banca: FUMARC Órgão: PC-MG nos termos da lei.
Prova: Delegado de Polícia Substituto. NÃO constitui d) cancelamento da naturalização por decisão judicial de
cargo privativo de brasileiro nato: primeira instância.
e) condenação criminal por decisão judicial de primeira ins-
a) Ministro de Estado da Defesa. tância.
b) Oficial das Forças Armadas.
c) Presidente da Câmara dos Deputados. 10) Aplicada em: 2016 Banca: CESPE Órgão: FUB Pro-
d) Senador da República. va: Conhecimentos Básicos - Cargo 20. Com referência à
Constituição Federal de 1988 e às disposições nela inscritas
06) Aplicada em: 2017 Banca: CESPE Órgão: TRE-TO relativamente a direitos sociais e políticos, administração
Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa. A perda pública e servidores públicos, julgue o item subsequente.
ou a suspensão dos direitos políticos do eleitor ocorrerá se: No Brasil, o alistamento eleitoral e o voto são facultativos
para os analfabetos, os maiores de setenta anos de idade
a) sua naturalização for cancelada por sentença transitada e os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos de
em julgado. idade.
b) for-lhe imposta condenação criminal, ainda que seja
passível de recurso. ( ) Certo ( ) Errado
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

c) ele completar setenta anos de idade.


d) ele completar oitenta anos de idade.
e) sobrevier-lhe, por qualquer motivo, incapacidade civil
relativa. GABARITO

07) Aplicada em: 2017Banca: CESPEÓrgão: TCE-PEPro- 1 D


va: Analista de Gestão – Julgamento. Com relação aos
direitos sociais, aos direitos de nacionalidade, aos direitos 2 E
políticos e aos partidos políticos, julgue o próximo item. Es- 3 A
trangeiro que resida no Brasil há mais de quinze anos inin-
4 D
terruptos e não tenha condenação penal poderá tornar-se,
após requerimento, brasileiro naturalizado e, nessa condi- 5 D
ção, candidatar-se a deputado federal ou senador, mas, se 6 A
eleito, estará impedido de presidir a casa legislativa à qual
7 Certo
pertencer.
8 A
( ) Certo ( ) Errado 9 C
10 Certo

70
ÍNDICE

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


Atos administrativos: conceito; elementos; características; mérito do ato administrativo; formação e efeitos; classificação e
espécies; procedimento administrativo; extinção, invalidação e revogação dos atos administrativos ................................................01
Poderes e Deveres dos Administradores; uso e abuso de Poder. Poder Hierárquico e Poder Disciplinar. Poder de Polícia
Administrativa: conceito; competência; Poder de Polícia originário e delegado; fundamentos; finalidade; atuação da
administração; limites; características; legitimidade e sanções. ...........................................................................................................................07
Responsabilidade administrativa e criminal. Responsabilidade civil: direito brasileiro; aplicação da responsabilidade objetiva;
reparação do dano; direito de regresso.........................................................................................................................................................................12
Agentes Públicos: regimes jurídicos funcionais; servidores públicos; normas constitucionais específicas concernentes aos
servidores públicos; direitos e deveres dos servidores públicos responsabilidades dos servidores públicos; concurso público;
acessibilidade, estabilidade, remuneração e acumulação de cargos e funções; Poder Disciplinar Administrativo dos Servidores
Públicos. .....................................................................................................................................................................................................................................14
Lei de Improbidade Administrativa - LIA (Lei Federal nº 8429, de 02 de junho de 1992). ........................................................................21
Resposta: Letra C. Alternativa A está incorreta pois os
ATOS ADMINISTRATIVOS: CONCEITO; atos de polícia são considerados atos de império, e não de
ELEMENTOS; CARACTERÍSTICAS; MÉRITO gestão. Alternativa B está errada pois atos complexos são
DO ATO ADMINISTRATIVO; FORMAÇÃO aqueles manifestados por dois ou mais órgãos distintos. Al-
E EFEITOS; CLASSIFICAÇÃO E ESPÉCIES; ternativa D está incorreta pois os vícios quanto ao motivo
dos atos é caso de nulidade, não sendo possível sua convali-
PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO;
dação. Alternativa E está incorreta pois as certidões e enun-
EXTINÇÃO, INVALIDAÇÃO E REVOGAÇÃO
ciados são atos meramente enunciativos, não são passíveis
DOS ATOS ADMINISTRATIVOS. de revogação.

CONCEITO DE ATO ADMINISTRATIVO REQUISITOS DOS ATOS ADMINISTRATIVOS

Tudo que praticamos nas nossas vidas podem ser consi- Os requisitos ou elementos dos atos administrativos é ma-
derados atos. Mas, para o Direito, os atos são aqueles capazes téria com grande divergência doutrinária. A maioria dos con-
de produzir efeitos jurídicos. E, assim como as pessoas na vida cursos públicos ainda adota a concepção mais clássica dos re-
privada, a Administração Pública também pratica atos, que são quisitos dos atos administrativos e, por isso, daremos maior
capazes de produzir efeitos jurídicos diversos. destaque a ela. De modo geral, a corrente clássica, defendida
Os atos administrativos são as manifestações de von- por autores como Hely Lopes Meirelles, tende a atribuir aos
tade da Administração Pública que objetivam adquirir, atos administrativos cinco requisitos para a sua formação, uti-
resguardar, transferir, modificar, extinguir e declarar direi- lizando como inspiração o preceito legal disposto no art. 2º
tos ou impor obrigações aos particulares ou a si própria. da Lei nº 4.717/1965. São eles: a) competência, b) objeto, c)
Isso significa que a Administração, antes mesmo de iniciar sua forma, d) motivo, e e) finalidade.
atuação, deve expedir uma declaração que exprime a sua von-
tade de realizar o referido ato. 1. Competência
Importante frisar o caráter infralegal dos atos administrati-
vos, pois imprescindível é a submissão da Administração Públi- Competência diz respeito à capacidade do agente público
ca, seus agentes e órgãos à soberania popular. O ato adminis- para o exercício dos atos administrativos. É requisito de vali-
trativo, dessa forma, deve estar previsto em lei, e seu conteúdo dade, haja vista que, no Direito Administrativo, a lei é quem
não pode ser contrário à lei (contra legem), mas complementar estabelece as competências atribuídas a seus agentes para o
a ela, isso é, deve estar conforme a lei (secundum legem). desempenho de suas funções. Quando o agente atua fora dos
limites da lei, diz-se que cometeu ato nulo por excesso de po-
der. É, por isso, sempre um ato vinculado.
EXERCÍCIO COMENTADO A competência possui certas características próprias, a sa-
ber: obrigatória, intransferível, irrenunciável, imodificável,
imprescritível e improrrogável. Obrigatória porque represen-
1. (TRT1-RJ – TÉCNICO JUDICIÁRIO – INSTITUTO ta um dever do agente público. Irrenunciável porque o agente
AOCP – 2018) público não pode abrir mão de sua competência. Imprescritível,
Referente aos atos administrativos, assinale a alternativa cor- porque a competência perdura ao longo do tempo, ela não ca-

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


reta. duca. Improrrogável significa dizer que se é competente hoje,
continuará sendo sempre, exceto por previsão legal expressa
a) Atos de gestão são os praticados pela Administração Públi- em sentido contrário. Intransferível, ou inderrogável, é a impos-
ca com todas as prerrogativas e privilégios de autoridade, sibilidade de se transferir a competência de um para outro, por
como os atos de polícia. interesse das partes.
b) Atos complexos são os que decorrem da declaração de von- No entanto, essas características não vedam a possibilidade
tade de um único órgão, desde que este seja colegiado. de delegação ou avocação, quando prevista em lei. Por isso,
c) Ato composto é o que resulta da manifestação de dois ou pode-se dizer também que a delegabilidade é outra carac-
mais órgãos, em que a vontade de um é instrumental em terística da competência. Porém, atente-se ao disposto no art.
relação a de outro, que edita o ato principal.
13 da Lei nº 9.784/1999: “Não podem ser objeto de delegação:
d) Os atos que apresentarem defeitos sanáveis, estes entendi-
I - a edição de atos de caráter normativo; II - a decisão de recur-
dos por vícios na forma e no motivo, poderão ser convali-
sos administrativos; III - as matérias de competência exclusiva
dados pela própria Administração, desde que não acarre-
do órgão ou autoridade”. Alguns atos, então, não podem ser
tem lesão ao interesse público ou prejuízo a terceiros.
delegados a outras autoridades, principalmente se tais atos são
e) Prevalece na doutrina que os meros atos administrativos,
de competência exclusiva do agente público.
como certidões e atestados, são suscetíveis de revogação
pela Administração.

1
2. Objeto 5. Finalidade

Objeto é o conteúdo do ato, ou o resultado que pretende Finalidade é o objetivo a ser almejado pela prática daquele
ser almejado pela prática do ato administrativo. Todo ato ad- ato administrativo. Em muitos casos, o objetivo almejado é a
ministrativo tem por objeto a criação, modificação, ou com- proteção do interesse público. Sempre que o ato for pratica-
provação de situações jurídicas concernentes a pessoas, bens, do tendo em vista o interesse alheio, será nulo por desvio de
ou atividades sujeitas ao exercício do Poder Público. É através finalidade.
dele que a Administração exerce seu poder, concede um be- Além dessa concepção clássica, há também uma classifica-
nefício, aplica uma sanção, declara sua vontade, estabelece um ção mais moderna dos requisitos dos atos administrativos, ela-
direito do administrado, etc. borada por autores como Celso Antônio Bandeira de Mello. Por
O objeto pode não estar previsto expressamente na legis- ser pouco utilizada em concursos públicos, observaremos ape-
lação, cabendo ao agente competente a opção que seja mais nas os pontos essenciais e didáticos da referida classificação.
oportuna e conveniente ao interesse público. A definição de Para essa concepção moderna, são requisitos dos atos ad-
objeto do ato administrativo trata-se, por isso, de ato discri- ministrativos: a) sujeito; b) motivo; c) requisitos procedimen-
cionário. tais; d) finalidade; e) causa e f) formalização. Sujeito, requisitos
procedimentais e causa são os requisitos vinculados, enquanto
3. Forma que o motivo, a finalidade e a formalização são requisitos dis-
cricionários.
A forma é o modo através do qual se exterioriza o ato ad-
ministrativo, é seu revestimento. O desrespeito à forma do ato
acarreta na sua nulidade. Trata-se de ato vinculado, quando EXERCÍCIO COMENTADO
exigida por Lei, e discricionário quando a sua escolha couber
ao próprio agente público. 1. (DPE-AM – ASSISTENTE TÉCNICO – FCC – 2018)
Em regra, os atos administrativos são sempre exterio- Desvio de poder é a denominação de um dos possíveis vícios
rizados por escrito, mas podem também ser orais, gestuais, que acometem os atos administrativos, implicando invalidade.
ou até mesmo expedidos por máquinas. O art. 22 da Lei nº Referido vício relaciona-se diretamente ao elemento:
9.784/1999 determina que “os atos do processo administrati-
vo não dependem de forma determinada senão quando a lei a) objeto, também conhecido como conteúdo do ato.
expressamente a exigir”. b) forma, que diz respeito às formalidades essenciais à exis-
tência do ato.
4. Motivo c) finalidade do ato, podendo, também, estar vinculado à com-
petência.
O motivo é a circunstância de fato ou de direito que deter- d) pressuposto fático, que leva à inexistência do ato.
mina ou autoriza a prática do ato, isso é, a situação fática que e) motivos de fato, em razão, no Brasil, da teoria dos motivos
justifica a realização do ato. Situação de fato é o conjunto de determinantes.
circunstâncias que motivam a realização do ato; questões de
direito é a previsão legal que leva à realização do ato. Resposta: Letra C. Desvio de poder é hipótese de vício de
O motivo pode ser tanto requisito vinculado como discri- ato administrativo praticado com finalidade diversa daque-
cionário, dependendo do comando legal imposto aos agentes. la legalmente prevista. Por haver uma sobreposição de inte-
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

O motivo será vinculado quando a lei expressamente obrigar o resses particulares do agente público em face do interesse
agente a agir de um certo modo, como na hipótese de lança- público, trata-se de ato inválido, sujeito a anulação com
mento tributário (o fiscal da Receita não tem direito de esco- efeitos retroativos.
lha, se deve ou não fazer o lançamento). Situação diversa é a
do pedido de demissão de servidor público no caso de incon- ATRIBUTOS DOS ATOS ADMINISTRATIVOS
tinência pública (art. 132, V, da Lei nº 8.112/1990), hipótese em
que a autoridade competente tem maior liberdade para avaliar Atributos são as características dos atos administrativos,
se a demissão é realmente ato necessário ou não, dependendo que os distinguem dos demais atos jurídicos, pois estão sub-
do caso concreto. metidos ao regime jurídico administrativo. Essas característi-
Não se confunde motivo com motivação. Esta é a justifica- cas traduzem em prerrogativas concedidas à Administração
tiva para a realização de determinado ato. O motivo ocorre em Pública para que ela possa atender de maneira adequada às
momento anterior a prática do ato, enquanto que a motiva- necessidades da população.
ção, por ser uma série de explicações que justificam a expedi- A doutrina mais moderna faz referência a cinco atributos
ção do ato, ocorre sempre em momento posterior. Assim, todo distintos: a) presunção de legitimidade e veracidade; b) im-
o ato tem seu motivo, mas nem sempre é expedido adjunto peratividade; c) exigibilidade; d) autoexecutoriedade; e e)
com a motivação, que nada mais é do que a exteriorização tipicidade.
dos motivos.

2
1. Presunção de legitimidade e veracidade 4. Autoexecutoriedade

Também pode ser denominado presunção de legalidade, A autoexecutoriedade permite que a Administração Públi-
significa que todo ato administrativo é considerado válido no ca possa realizar a execução material de seus atos. A expressão
âmbito jurídico, até surgir prova em contrário. Se, pelo princípio “auto” advém do fato de que o Poder Público não necessita
da legalidade, ao Administrador só cabe fazer o que a lei permi- de autorização judicial para desconstituir a situação irregular
te, então presume-se que o fez respeitando a lei. e violadora da ordem jurídica, o que a difere da exigibilidade,
Nosso Direito admite duas formas de presunção: presunção ju- que não tem o condão de, por si só, desconstituir a irregulari-
ris et de jure que significa “de direito e por direito”, é presunção ab- dade do ato, apenas pune o infrator. Para tanto, necessita da
soluta, que não admite prova em contrário. Temos também a pre- presença de dois requisitos: a previsão legal, como nos casos
sunção juris tantum, resultante do próprio direito e, embora por ele de Poder de Polícia; e o caráter de urgência, a fim de preservar
estabelecida como verdadeira, admite prova em contrário. A pre- o interesse coletivo.
sunção dos atos administrativos é juris tantum. Trata-se, então, Assim, não há necessidade de intervenção judicial nas hi-
de presunção relativa. Cabe ao particular que alegou a ilegalidade póteses de: apreensão de mercadorias contrabandeadas, na
do ato administrativo provar a carência de legitimidade do mesmo. demolição de construção irregular, na interdição de estabe-
A presunção atinge todos os atos, inclusive aqueles pratica- lecimento comercial irregular, entre outros. Todavia, afirmar
dos pela Administração com base no direito privado. Qualquer que a execução independe de manifestação do Judiciário não
que seja o ato, se praticado pela Administração Pública, será significa dizer que escapa do controle judicial. Poderá ser leva-
presumidamente legítimo e verdadeiro. do ao crivo, mas somente a posteriori, depois de seu cumpri-
mento, se houver provocação da parte interessada. As medi-
2. Imperatividade das judiciais mais adequadas para contestar a força coercitiva
administrativa são o mandado de segurança e o habeas data
Compreendida também como coercibilidade, os atos ad- (art. 5º, LXIX e LXVIII, da CF/1988).
ministrativos se impõem aos destinatários, independentemente Importante ressaltar ainda que os princípios da razoabili-
de sua concordância, outorgando-lhes deveres e obrigações. A dade e proporcionalidade impõem limites na atuação coerciti-
imperatividade garante ao Poder Público a capacidade de pro- va dos agentes públicos. A autoexecutoriedade (leia-se o uso
duzir atos que geram consequências perante terceiros. de força física) deve ser utilizada com bom senso e moderação.
A justificativa da criação unilateral, ainda que contra a von-
tade dos administrados, dos atos administrativos é o Poder
5. Tipicidade
coercitivo do Estado, também denominado Poder Extroverso.
Esse não é um atributo comum a todos os atos, mas tão so-
A tipicidade diz respeito à necessidade de respeitar as fi-
mente aos que impõem obrigações aos administrados. Assim,
nalidades específicas delimitadas pela lei, para cada espécie
não têm essa característica os atos que outorgam direitos (au-
de ato administrativo. Dependendo da finalidade que o Poder
torização, permissão, licença), bem como aqueles meramente
Público almeja, existe um ato definido em lei. A lei deve sem-
administrativos (certidão, parecer).
pre estabelecer os tipos de atos e suas consequências, promo-
vendo ao particular a garantia de que a Administração Pública
2. Imperatividade
não fará uso de atos inominados, sem tipificação, que impõem
Compreendida também como coercibilidade, os atos ad- obrigações cuja previsão legal não existe. É um atributo que
ministrativos se impõem aos destinatários, independentemente deriva do próprio princípio da legalidade.

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


de sua concordância, outorgando-lhes deveres e obrigações. A
imperatividade garante ao Poder Público a capacidade de pro- #FicaDica
duzir atos que geram consequências perante terceiros.
A justificativa da criação unilateral, ainda que contra a von- A tipicidade é característica marcante da expro-
tade dos administrados, dos atos administrativos é o Poder priação de bens particulares pelo Poder Público.
coercitivo do Estado, também denominado Poder Extroverso. É o caso de desapropriação administrativa, hipó-
Esse não é um atributo comum a todos os atos, mas tão so- tese em que o Poder Público tem a prerrogativa
mente aos que impõem obrigações aos administrados. Assim, de tirar da esfera de alguma pessoa física a titu-
não têm essa característica os atos que outorgam direitos (au- laridade sobre bem imóvel, transformando-o em
torização, permissão, licença), bem como aqueles meramente bem público. Para tanto, deve realizar um proce-
administrativos (certidão, parecer). dimento envolvendo aspectos mais complexos,
como a declaração de utilidade ou necessidade
3. Exigibilidade pública (art. 5º, XXIV, da CF/1998), bem como a
necessidade de prévia indenização ao particular
Consiste no atributo que permite à Administração Pública que teve seu bem expropriado, em pecúnia (art.
aplicar sanções aos particulares por violação da ordem jurídica, 182, § 3º, da CF/1988).
sem a necessidade de recorrer ao processo judicial, que é dema-
siado longo e repleto de solenidades. A exigibilidade permite ao
Administrador aplicar as sanções administrativas, como multas,
advertências, e interdição de estabelecimentos comerciais.

3
devida, o ato não estará perfeito.
EXERCÍCIO COMENTADO Atos compostos: é aquele que advém de manifesta-
ção de apenas um órgão. Porém, para que produza
1. (DPE-AM – ASSISTENTE TÉCNICO – FCC – 2018) efeitos, depende da aprovação, visto, ou anuência de
O atributo do ato administrativo que depende de expressa outro ato, que o homologa, como condição para a
previsão legal ou se justifica diante de necessidade urgente executoriedade daquele ato. Costuma-se afirmar que
denomina-se: o ato posterior é acessório do anterior, pois a mani-
festação do segundo ato não possui a mesma maté-
a) autoexecutoriedade. ria do primeiro: ele apenas complementa a aplicação
b) presunção de legitimidade e veracidade. deste. Exemplo: a nomeação de servidor público, que
c) motivo ou finalidade. deve sempre anteceder a sua aprovação em concur-
d) unilateralidade ou tipicidade. so público.
e) imperatividade. c) Quanto aos destinatários:
Atos gerais: são o conjunto de regras de caráter abs-
Resposta: Letra A. A autoexecutoriedade permite que a trato e impessoal. Seus destinatários são muitos, mas
Administração Pública possa realizar a execução material unidos por características em comum, que os faz
de seus atos. Necessita da presença de dois requisitos au- destinatários do mesmo ato. Para produzirem seus
torizadores: a expressa previsão legal, como nos casos de efeitos, já que externos, devem ser publicados na im-
poder de polícia, e o caráter de urgência, a fim de preservar prensa oficial. Exemplos: os editais de concurso pú-
o interesse coletivo. blico, as instruções normativas.
Atos coletivos: são aqueles expedidos a um grupo
CLASSIFICAÇÃO DOS ATOS ADMINISTRATIVOS definido de destinatários. É o caso, por exemplo,
de alteração de horário de funcionamento de uma
Atos administrativos existem dos mais variados tipos. Para repartição pública. Tal ato, evidentemente, somente
efeitos didáticos, costuma-se dividir e agrupá-los, formando- é do interesse daqueles funcionários. A publicidade
-se uma verdadeira classificação desses atos. Portanto, passe- é atendida apenas com a comunicação dos interes-
mos a analisar as diversas modalidades de atos administrati- sados, visto que é um ato interno da Administração
vos, observando os seguintes critérios: Pública.
Atos individuais: são aqueles destinados a apenas um
a) Quanto ao grau de liberdade: único destinatário. Exemplo: a promoção de um de-
Atos vinculados: são aqueles praticados pela Adminis- terminado servidor público. A exigência da publici-
tração Pública sem nenhuma liberdade de atuação. dade depende somente da comunicação do interes-
A lei define todas as margens de sua conduta. Ha- sado, não há necessidade de publicação pelo Diário
vendo vício no ato vinculado, pode-se pleitear a sua Oficial.
anulação e não a revogação, pois trata-se de vício de d) Quanto aos efeitos:
legalidade. É o caso, por exemplo, da concessão de Atos constitutivos: são aqueles que geram uma nova
aposentadoria para o contribuinte beneficiário. situação jurídica aos destinatários. Pode ser pela ou-
Atos discricionários: a lei também estabelece uma torga de um novo direito, como permissão de uso
série de regras para a prática de um ato, mas deixa de bem público, ou a imposição de uma obrigação,
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

certo grau de liberdade ao agente público, que po- como estabelecer um período de suspensão.
derá optar por um entre vários caminhos igualmente Atos declaratórios: são aqueles que afirmam uma si-
válidos. Há uma avaliação subjetiva prévia à edição tuação já existente, seja de fato ou de direito. Não
do ato. É o caso das permissões para o uso de bem cria, transfere ou extingue situação jurídica, apenas
público. a reconhece. É o caso da expedição de uma certidão
b) Quanto à formação de vontade: de tempo de serviço.
Atos simples: são aqueles que nascem da manifestação Atos modificativos: são os que têm capacidade de
de vontade de apenas um órgão, seja ele unipessoal alterar a situação já existente, sem que seja extinta.
(formado só por uma pessoa) ou colegiado (compos- Todavia, não tem o condão de criar direitos e obriga-
to por várias pessoas). O ato que altera o horário de ções. Exemplo: a alteração do horário de atendimen-
atendimento da repartição pública, emitido por uma to da repartição
única pessoa, bem como a decisão administrativa do Atos extintivos: também denominados atos descons-
Conselho de Contribuintes do Ministério da Fazenda, titutivos, são aqueles que põem termo a um direito
que expressa vontade única apesar de ser órgão co- ou dever pré-existentes. Exemplo: a demissão de ser-
legiado, são exemplos de atos simples. vidor público.
Atos complexos: são aqueles que se formam pela e) Quanto ao objeto:
união de várias vontades, isso é, que necessitam da Atos de império: são aqueles praticados pela Adminis-
manifestação de vontade de dois ou mais órgãos tração em posição de superioridade perante os par-
diferentes para a sua formação. Enquanto todos os ticulares, como na imposição de multa por infração
órgãos competentes não se manifestarem da forma administrativa.

4
Atos de gestão: são expedidos pela Administração, em ESPÉCIES DE ATOS ADMINISTRATIVOS
posição de igualdade em relação aos administrados.
É o caso da alienação de bem público. Os atos administrativos tipificados pela legislação brasileira
Atos de expediente: são atos internos, elaborados por são diversos. Por isso, também é utilizado, para fins didáticos,
autoridade subalterna, que não têm capacidade de- uma sistematização dos atos administrativos. A doutrina divide
cisória. Exemplo: numeração dos autos no processo os atos administrativos previstos da legislação em cinco espé-
judicial. cies distintas:
f) Quanto à exequibilidade:
Atos perfeitos: são aqueles que completaram seu pro- a) Atos normativos: são aqueles que apresentam co-
cesso de formação, e estão prestes a produzir seus mandos gerais e abstratos para o cumprimento da
efeitos. Perfeição não se confunde com validade, lei. Alguns autores, inclusive, chegam a considerar tais
pois um ato válido pode não ser obrigatoriamente atos “leis em sentido material”. São atos normativos:
perfeito. os decretos e regulamentos; as instruções normativas;
Atos imperfeitos: são os que ainda não completaram os regimentos; as resoluções; e as deliberações.
seu processo de formação, e por isso mesmo, não es- b) Atos ordinatórios: correspondem a manifestações
tão aptos a produzirem efeitos. Atos imperfeitos ge- internas da Administração Pública decorrentes do
ralmente necessitam de outro ato que o homologue. poder hierárquico, estabelecendo regras de funciona-
Atos pendentes: são aqueles que se sujeitam a condi- mento de seus órgãos internos e regras de conduta
ção ou termo para começar a produzir efeitos. Seu de seus agentes. Tais atos não podem disciplinar as
ciclo de formação está concluído, porém depende condutas dos particulares. São atos ordinatórios: as
ainda de um evento para tornar-se apto a produzir instruções; as circulares; os avisos; as portarias; os ofí-
efeitos. cios; as ordens de serviço; os despachos; entre outros.
c) Atos negociais: são aqueles que manifestam a vonta-
Os critérios apresentados não são exaustivos: há outras
de da Administração em consonância com o interesse
formas de classificação dos atos administrativos adotadas por
dos particulares. Exemplos: a licença, a autorização,
diversos autores. Escolhemos apresentar aqueles que têm mais
a permissão, a concessão, a aprovação, a homologa-
chances de aparecer em uma questão de concurso público.
ção, a renúncia, etc. Os atos negociais podem ser vin-
culados (licença) ou discricionários (autorização), de-
finitivos ou precários, sendo passíveis de revogação
EXERCÍCIO COMENTADO pelo Poder Público a qualquer tempo. A característica
1. (TRT-PE – TÉCNICO JUDICIÁRIO – FCC – 2018) especial desses atos é que eles não disciplinam direi-
Um particular interessado em obter porte de arma solicitou tos, e sim interesses dos particulares.
à Administração consentimento para tanto. Nesta hipótese, a d) Atos enunciativos: também denominados “atos de
manifestação positiva da Administração, que demanda análise pronúncia”, são aqueles que certificam, ou atestam a
de aspectos subjetivos do requerente, consistirá em um ato existência de uma situação jurídica peculiar. Tais atos
administrativo: possuem caráter predominantemente declaratório.
São atos enunciativos: as certidões; os atestados; os
a) unilateral e vinculado, que faculta o uso, sem restrições, pareceres; etc.
e) Atos punitivos: como o próprio nome supõe, são

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


quando o particular preencher as condições objetivas ne-
cessárias e previstas em lei. os atos que aplicam sanções aos particulares, ou aos
b) vinculado, de natureza bilateral, que se denomina licença. servidores que pratiquem condutas irregulares, nos
c) discricionário e precário, que se denomina licença e se fun- termos da lei. São atos punitivos: as multas, as inter-
damenta no poder disciplinar. dições; e a destruição de coisas.
d) discricionário, mas não precário, bilateral, podendo deno-
minar-se licença ou autorização, indistintamente.
e) unilateral, discricionário e precário, que se denomina auto- EXERCÍCIO COMENTADO
rização.
1. (AL-RS – ANALISTA LEGISLATIVO – FUNDATEC
Resposta: Letra E. No caso mencionado, é evidente que – 2018)
o interesse pelo porte de arma é somente do particular. A Considerando o entendimento da clássica e majoritária doutri-
análise das condições, nesse caso, está submetida aos re- na administrativista, quanto às espécies de atos administrati-
quisitos de conveniência e oportunidade (“aspectos subje- vos, é incorreto afirmar que:
tivos do requerente”). Não se trata de ato vinculado, logo,
jamais poderia ser a licença. A autorização é ato adminis- a) A instrução normativa pode ser classificada como ato admi-
trativo discricionário e precário pelo qual a Administração nistrativo negocial.
autoriza o particular a exercer determinada atividade que b) O alvará é ato administrativo que formaliza o consentimento
seja de seu interesse. da administração pública para o exercício de atividades pe-
los particulares.

5
c) O parecer é considerado ato administrativo que exterioriza 1. Revogação
manifestação técnica de caráter opinativo, salvo previsão
legal em contrário. Revogação é a extinção de ato administrativo que se en-
d) O regimento interno é ato administrativo normativo. contra perfeito e apto a produzir seus efeitos, praticado pela
e) As certidões podem ser classificadas como atos administra- própria Administração Pública, fundada em razões de conve-
tivos enunciativos. niência e oportunidade, sempre almejando a proteção do inte-
resse público. Nessa hipótese, ocorre uma causa supervenien-
Resposta: Letra A. A instrução normativa é modalidade de te, que altera o juízo de conveniência e oportunidade sobre a
ato normativo, que apresenta comandos gerais e abstratos permanência de ato discricionário, obrigando a Administração
para o fiel cumprimento da lei. Os atos negociais, por sua a expedir um segundo ato capaz de revogar esse ato anterior.
vez, são aqueles que manifestam uma declaração de vontade O conceito de revogação tem previsão no art. 53 da Lei
do Poder Público coincidente com a pretensão do particular, nº 9.784/1999: “A Administração deve anular seus próprios
visando à concretização de negócios jurídicos públicos ou atos, quando eivados de vício de legalidade, e pode revogá-
à atribuição de certos direitos ou vantagens ao interessado. -los por motivo de conveniência ou oportunidade, respeitados
os direitos adquiridos”. Sobre o mesmo assunto, a Súmula nº
INVALIDAÇÃO DOS ATOS ADMINISTRATIVOS 473, do STF: “A administração pode anular seus próprios atos,
quando eivados de vícios que os tornam ilegais, porque deles
Os atos administrativos possuem um ciclo de vida. Eles são não se originam direitos; ou revogá-los, por motivo de conve-
criados, começam a produzir efeitos, e depois de um tempo, desa- niência ou oportunidade, respeitados os direitos adquiridos, e
parecem. Vamos analisar com mais detalhes justamente o desapa- ressalvada, em todos os casos, a apreciação judicial”.
recimento dos atos administrativos, embora seja preferível utilizar Por tratar-se de questão de mérito, a revogação somen-
o termo “extinção” (ou “invalidação”) dos atos administrativos. te pode ser decretada pela própria Administração Pública. É,
Para melhor compreensão do tema, a doutrina utiliza-se de também, decorrência do princípio da autotutela: a Administra-
uma sistematização das formas de extinção dos atos adminis- ção Pública tem competência para anular e revogar seus atos,
trativos. A principal divisão que deve ser feita é em relação a
sendo descabido a manifestação do Poder Judiciário nos atos
produção de efeitos: existem atos administrativos eficazes, e
administrativos discricionários. A revogação é elaborada pela
atos ineficazes. Quando ineficaz, o ato pode ser extinto pela re-
mesma autoridade que praticou o ato principal.
tirada, ou pela sua recusa pelo beneficiário. Tratando-se de atos
O ato revocatório é sempre secundário, constitutivo e
eficazes, há quatro formas de distinção dos atos administrativos:
discricionário. Seu objeto será sempre o ato administrativo
ou a relação jurídica anterior perfeita e eficaz, destituído de
a) Extinção ipsu iure pelo cumprimento dos efeitos:
qualquer vício. A revogação atinge somente os atos discri-
é a extinção que ocorre pelo cumprimento integral
cionários: para os atos vinculados, a medida cabível é a anu-
dos efeitos do ato administrativo. É a extinção natural
lação.
esperada por todo ato administrativo. Pode ocorrer
Por fim, em relação a seus efeitos, a revogação não pode
mediante: a.1) esgotamento do conteúdo, como a
vacinação de enfermos após expedição de ordem de atingir as situações jurídicas do passado. Isso significa que a
entrega das vacinas; a.2) execução da ordem, como revogação produz efeitos futuros, não retroativos, ou ex nunc.
o guinchamento de veículo; a.3) implemento de Há a possibilidade do particular, que se sentiu prejudicado
condição resolutiva ou termo final, como o prazo com a referida medida, ingressar em juízo com pedido de in-
final para renovação da CNH. denização contra a Administração.
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

b) Extinção ipsu iure pelo desaparecimento da pessoa


ou objeto: os atos administrativos podem dizer res- 2. Anulação
peito a pessoas, ou coisas. Desaparecendo um desses
elementos, o ato extingue-se automaticamente, pois É a extinção de ato administrativo defeituoso, pois carece
perdeu a sua utilidade. As pessoas “desaparecem” de legalidade, podendo ser expedido pela Administração Pú-
com seu falecimento, como a morte de servidor pú- blica, ou até mesmo pelo Poder Judiciário. A anulação deriva
blico que receberia promoção; e as coisas com a sua do próprio princípio da legalidade e autotutela. Também pos-
ruína ou destruição, como o desabamento de prédio sui fundamento no art. 53, da Lei nº 9.784/1999, bem como na
que recebeu licença para a sua reforma. Súmula nº 473, do STF.
c) Extinção por renúncia: ocorre quando o próprio be- A anulação realizada pela própria Administração ocorre
neficiário abre mão da situação proporcionada pelo mediante a expedição de ato anulatório. Suas características
ato administrativo. É o caso da exoneração de cargo principais são: ato secundário, constitutivo e vinculado.
público a pedido do seu ocupante. Tanto a Administração como o Poder Judiciário podem de-
d) Retirada do ato: é a forma mais importante de extin- cretar a anulação de ato administrativo. Outra característica
ção dos atos administrativos, para os concursos pú- importante é o prazo definido pelo caput do art. 54 da Lei nº
blicos. É a extinção que se dá pela expedição de um 9.784/1999: “O direito da Administração de anular os atos ad-
segundo ato, elaborado para extinguir ato adminis- ministrativos de que decorram efeitos favoráveis para os desti-
trativo anterior a ele. Comporta cinco modalidades, natários decai em cinco anos, contados da data em que foram
que serão vistas com maiores detalhes: revogação, praticados, salvo comprovada má-fé”. O prazo decadencial de
anulação, cassação, caducidade e contraposição. cinco anos é atributo exclusivo da anulação.

6
Por fim, em relação a seus efeitos, importante frisar que o
ato nulo (aquele que carece de legalidade), tem o seu defeito PODERES E DEVERES DOS
constatado desde a sua concepção. Por isso, a anulação deve ADMINISTRADORES; USO E ABUSO
desconstituir os efeitos desde a data da prática daquele ato. DE PODER. PODER HIERÁRQUICO
Podemos afirmar, então, que a anulação possui efeito retroativo, E PODER DISCIPLINAR. PODER
ou ex tunc. Em regra, não gera ao particular direito à indeniza-
DE POLÍCIA ADMINISTRATIVA:
ção pela anulação de ato ilegal, salvo se comprovar ter sofrido
dano anormal para ocorrência, do qual não tenha participado.
CONCEITO; COMPETÊNCIA; PODER DE
POLÍCIA ORIGINÁRIO E DELEGADO;
3. Cassação FUNDAMENTOS; FINALIDADE; ATUAÇÃO
DA ADMINISTRAÇÃO; LIMITES;
São hipóteses em que o administrado deixa de preencher CARACTERÍSTICAS; LEGITIMIDADE E
condição necessária para a permanência da referida vantagem. SANÇÕES.
Exemplo: habilitação da CNH cassada por pessoa enferma.

4. Caducidade A Administração Pública deve cumprir suas atribuições


constitucionais, por imposição legal. Para tanto, o exercício
Também denominada decaimento, consiste na modalidade de suas funções depende de certas prerrogativas, ou Poderes,
de extinção de ato administrativo em consequência de norma conferidos pela legislação. Esses poderes são considerados ins-
jurídica superveniente, a qual impede a permanência da situa- trumentos de trabalho. Significa dizer que esses poderes-de-
ção anteriormente consentida. Como não pode produzir efeitos veres são instrumentais, utilizados pela Administração com o
automaticamente, é necessária a prática de um ato secundário, objetivo maior de promover a supremacia do interesse público.
determinando a extinção do ato decaído. Exemplo: perda do Quando o agente público exerce adequadamente suas
direito de comercializar em área que passa a ser considerada competências, atuando em conformidade com a legislação,
exclusivamente residencial. sem excessos ou desvios, diz-se que ele faz uso regular do po-
der. Entretanto, havendo hipóteses de exercício de competên-
5. Contraposição cias fora dos limites legais, visando apenas interesses alheios,
trata-se de clara hipótese de uso irregular do poder, também
É o modo de extinção que ocorre com a expedição de um se- denominado abuso de poder. O abuso de poder, além de cau-
gundo ato, fundado em competência diversa, cujos efeitos são con- sar a invalidade do ato, constitui em ilícito ensejador de res-
trapostos aos do ato inicial. É uma espécie de revogação praticada ponsabilidade pela autoridade competente que causou danos
por autoridade distinta da que expediu o ato inicial. Exemplo: no- com seu uso irregular.
Abuso de poder pode se manifestar no exercício das fun-
meação de um funcionário anteriormente exonerado de seu cargo.
ções administrativas sob duas formas: pelo excesso de poder,
e pelo desvio de finalidade. Excesso de poder é a hipótese de
uso irregular dos poderes administrativos pelo qual a autorida-
EXERCÍCIO COMENTADO de competente ou não, pratica algum ato desrespeitando os
limites impostos, exorbitando o uso de suas faculdades admi-
1. (SEFAZ-RS – AUDITOR DO ESTADO – CESPE –
nistrativas. Ao exceder sua competência legal, o agente respon-
2018) sável age com exageros e desproporcionalidade, o que torna o
Determinado prefeito exarou ato administrativo autorizando o

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


ato praticado por ele absolutamente inválido. Mas o excesso
uso de bem público em favor de um particular. Pouco tempo de poder admite convalidação, ou seja, há hipóteses em que se
depois, lei municipal alterou o plano diretor, no que tange à pode corrigir vício cometido no ato preservando sua eficácia,
ocupação do espaço urbano, tendo proibido a destinação de tal dependendo do caso concreto.
bem público à atividade particular. Desvio de finalidade, por sua vez, é vício do ato adminis-
Nessa situação hipotética, o referido ato administrativo de auto- trativo, praticado sempre por autoridade competente, que tem
rização de uso de bem público extingue-se por por fim diverso daquele previsto, explícita ou implicitamente,
nas regras de competência da legislação (art. 2º, par. único, e,
a) revogação. da Lei nº 4.717/1965). A finalidade diversa não macula os requi-
b) anulação. sitos essenciais dos atos administrativos (competência, objeto,
c) contraposição. forma, motivo), mas tende a macular o ato, tornando-o nulo. O
d) caducidade. único caminho possível para esse ato é a anulação, ou seja, não
e) cassação. há possibilidade de convalidação. O desvio de finalidade pode
ocorrer tanto nas condutas comissivas, em seu campo de atua-
Resposta: Letra D. Pela leitura do enunciado, podemos per- ção, quanto nas condutas omissivas, isso é, quando o agente
ceber que a extinção da referida autorização de uso de bem público se abstém de realizar tarefa legalmente imposta.
público se deu pela edição de lei municipal que alterou o Exemplos de desvio de finalidade são bastante comuns na
plano diretor da cidade. A única hipótese cabível é a caduci- Administração Pública brasileira: a construção de estrada cujo
dade, por ser justamente hipótese de extinção de ato admi- trajeto foi elaborado com objetivo de valorizar a propriedade
nistrativo devido a norma jurídica superveniente que altera, rural de um governador; a transferência de servidor público
ou impede a permanência da situação jurídica anterior. para outro Estado apenas para ficar longe da filha do delega-

7
do de polícia da cidade, a nomeação de réu em ação penal a da margem de interpretação das normas, pois se um decreto
cargo público para obter foro privilegiado e transferir seu pro- dispõe qual é a forma mais correta de aplicação da lei, esta
cesso para o STF, etc. Percebe-se que, em todos os casos, há a perde um pouco de seu caráter geral e abstrato, seu campo
sobreposição de um interesse particular sobre o interesse da de discricionariedade é reduzido a uma única forma válida de
coletividade: os agentes estatais, dessa forma, praticam atos aplicação no âmbito jurídico. Por isso, o poder regulamentar
visando obter alguma vantagem pessoal, para eles mesmos apresenta natureza vinculada.
ou para outrem, concretizando, assim, o desvio de finalidade. Exis tem diversas espécies de regulamentos administrativos:
O estudo dos poderes da Administração Pública, assim, é a) Regulamentos administrativos ou de organização:
de extrema importância para verificar quais são os seus limites são aqueles que disciplinam questões internas de
de atuação. Para tanto, a doutrina costuma dividir esse poder estruturação e funcionamento da Administração
conferido à Administração em seis vertentes: poder vinculado; Pública, bem como as relações jurídicas de sujeição
poder discricionário; poder disciplinar; poder hierárquico; po- especial do Poder Público perante particulares. Ex-
der de polícia; e poder regulamentar. emplo: regulamento que disciplina organização e
Poder vinculado é aquele em que a lei atribui determi- funcionamento da administração federal (art. 84, VI,
nada competência ao administrador, delimitando todos os a, da CF/1988).
aspectos de sua conduta, o qual deve compulsoriamente se- b) Regulamentos habilitados ou delegados: em al-
guir a forma prevista na lei, não havendo qualquer margem de guns países, há a possibilidade do Poder Legislativo
liberdade para que o agente público escolha a melhor forma delegar ao Executivo a disciplina de matérias reser-
de cumprir suas funções. Os atos praticados no exercício do
vadas privativamente à lei, havendo uma transfer-
poder vinculado são denominados atos vinculados.
ência de competência legislativa. Tais regulamentos
Poder discricionário é o poder que o legislador, ao deli-
não são admitidos no direito administrativo bra-
mitar a competência da Administração Pública, confere tam-
bém uma margem de liberdade para que o agente público
sileiro.
possa escolher, diante da situação jurídica, qual o caminho c) Regulamentos executivos: são os regulamentos co-
mais adequado, ou qual a melhor forma de solução daquela muns, expedidos sobre matéria disciplinada pela leg-
desavença. A lei não impõe um único comportamento como islação, permitindo a fiel execução da norma legal. É
no poder vinculado: ela delega ao administrador a faculdade a hipótese do art. 84, IV, da CF/1988.
de avaliar a melhor solução para cada caso. Garantir margem d) Regulamentos autônomos: são os que dispõem
de liberdade não significa que o administrador deve agir fora sobre tema não disciplinado pela legislação. Há um
da lei, pois a discricionariedade não o permite estar acima da conjunto de temas que a norma constitucional reti-
legislação. Além disso, o poder discricionário também pode rou da competência do Poder Legislativo e atribuiu
sofrer controle pelo Poder Judiciário, exceto quando a questão sua disciplina ao Poder Executivo. A EC nº 32/2001
for referente ao mérito dos atos discricionários, cuja compe- elenca dois temas que só podem ser disciplinados
tência é exclusiva da própria Administração. por decreto expedido pelo Presidente da República:
a organização da administração federal; e a extinção
PODER REGULAMENTAR de funções e cargos vagos e não ocupados.

O poder regulamentar consiste na possibilidade do Chefe


do Poder Executivo de cada entidade da Federação de editar
atos administrativos gerais, abstratos ou concretos, expe- EXERCÍCIO COMENTADO
didos para dar fiel cumprimento à lei. Seu fundamento legal
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

encontra-se disposto no art. 84, IV, da CF/1988: “Compete pri- 1. (CÂMARA DE BELO HORIZONTE-MG – CONSUL-
vativamente ao Presidente da República: IV - sancionar, pro- TOR LEGISLATIVO – CONSULPLAN – 2018)
mulgar e fazer publicar as leis, bem como expedir decretos e Considerando os conceitos de abuso de poder, excesso de po-
regulamentos para sua fiel execução”. Por ser de competência der e desvio de poder, assinale a afirmativa em que a hipótese
exclusiva do Chefe do Poder Executivo, é indelegável a qual-
apresentada está corretamente identificada com a espécie de
quer subordinado. Embora o texto constitucional faça menção
uso indevido do poder:
somente ao Presidente da República, o referido poder pode
ser exercido, por simetria, pelos Governadores e Prefeitos.
a) Excesso de poder – “o servidor deixa, propositadamente,
Uma das palavras chave do poder regulamentar é “regu-
de praticar um ato de sua competência, estando presente
lamento”. Trata-se de ato administrativo que tem por escopo
o dever de agir”.
estabelecer detalhes e diretrizes quanto ao modo de aplicação
b) Desvio de poder – “remoção de um servidor, para outro
dos dispositivos legais, dando maior concretude aos coman-
setor, como medida disciplinar pela prática de infração ad-
dos gerais e abstratos presentes na legislação. Não se confun- ministrativa”.
de com o decreto, que é outro ato administrativo que introduz c) Desvio de poder – “a demissão de um servidor improbo,
o regulamento em si. Decreto representa a forma do ato admi- realizada por sua chefia imediata, sendo tal competência da
nistrativo, enquanto o regulamento representa seu conteúdo. autoridade máxima”.
Ambos os decretos e regulamentos são atos em posição d) Excesso de poder – “qualquer forma de abuso de poder ou
de inferioridade em relação as leis e, por isso, não são capazes desvio de poder perpetrada por agente público no exercí-
de criar direitos e obrigações aos particulares sem fundamen- cio de suas funções”.
to legal. Suas funções primordiais, no entanto, são a redução

8
Resposta: Letra B. Alternativa A está incorreta pois o ex- camente subordinados, quando for conveniente, em razão de
cesso de poder pressupõe uma ação de agente que prati- circunstâncias de índole técnica, social, econômica, jurídica ou
cou conduta fora de sua competência, não uma omissão. territorial”. Essa transferência de competência é sempre provi-
Alternativa C está incorreta pois trata-se de hipótese de sória, o que significa que pode ser revogada a qualquer tempo.
excesso de poder. Alternativa D está errada pois o abuso A regra geral é sempre a delegabilidade das competên-
de poder é gênero, do qual o excesso de poder é espécie. cias. Todavia, a própria legislação (art. 13 da Lei nº 9.784/1999)
assevera três matérias que não podem ser delegadas. Assim,
PODER HIERÁRQUICO são indelegáveis: a edição de ato de caráter normativo, pois
constituem-se em regras gerais aplicáveis a todos os órgãos,
Poder hierárquico é o poder que dispõe o Executivo para incompatível com a delegação; a decisão em recursos admi-
organizar e distribuir as funções de seus órgãos, bem como nistrativos, para evitar que a mesma autoridade possa julgar
ordenar e rever a atuação de seus agentes, estabelecendo o mesmo processo mais de uma vez pela delegação; e as ma-
uma relação de subordinação entre os servidores do seu térias que forem consideradas de competência exclusiva do
quadro de pessoas. As relações de hierarquia são caracterís- órgão ou autoridade.
ticas únicas, existem somente no âmbito do Poder Executivo, A avocação encontra-se disposta no art. 15 da Lei nº
isso é, não existe hierarquia entre órgãos do Poder Legislativo 9.784/1999. Consiste na possibilidade da autoridade compe-
e do Judiciário. Além disso, importante frisar que não existe tente de chamar para si a competência de um agente ou
poder hierárquico entre membros da Administração Indireta, órgão subordinado. Trata-se de medida excepcional e tem-
pois estes são entidades autônomas, que não se subordinam porária, e somente pode ser realizada dentro da mesma linha
hierárquica, o que significa que a avocação só pode ser verti-
aos entes que o criaram. Pela hierarquia, há a imposição ao
cal, não se admite a avocação horizontal.
subalterno da estrita obediência às ordens e instruções legais
Por fim, a revisão é a capacidade de rever os atos dos
superiores, além de definir a responsabilidade de cada um de
inferiores hierárquicos, apreciando todos os seus aspectos
seus agentes e órgãos públicos.
para a análise de sua manutenção ou invalidação. É somente
Quanto às suas características, diz-se que o poder hierár-
possível a revisão de atos praticados pelos órgãos públicos e
quico é interno e permanente. Interno é o poder que atinge
agentes subordinados hierarquicamente.
apenas os próprios membros da Administração, não tem o
Para as entidades da Administração Indireta, existe apenas
condão de atingir as relações dos particulares. É também um
uma forma de controle fiscalizatório e finalístico de seus atos,
poder permanente, porque não é exercido de modo esporá- o qual denomina-se supervisão ministerial, que não tem rela-
dico e episódico, como o que acontece no poder disciplinar. ção com o poder hierárquico. A supervisão ministerial não ad-
Do poder hierárquico são decorrentes certas faculdades mite a revisão dos atos praticados pelas autarquias, fundações,
implícitas ao superior, tais como dar ordens e fiscalizar o seu e demais entidades da Administração Indireta.
cumprimento, delegar e avocar atribuições, bem como rever
atos de seus inferiores.
EXERCÍCIO COMENTADO
#FicaDica
2. (PC-SP – ESCRIVÃO DE POLÍCIA – VUNESP –
A Lei nº 9.784/1999 dispõe sobre a delegação e a 2018)
avocação. A delegação traduz-se numa distribui- Os poderes de comando, de fiscalização e revisão de atos ad-
ção temporária de competências para um subal- ministrativos, assim como os poderes de delegação e avoca-

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


terno, representando um movimento centrífugo. ção de competências são expressão do poder administrativo:
As delegações devem ser feitas nos casos em que
as atribuições forem genéricas e não fixadas como a) de autotutela.
privativas de certo executor. A avocação, por sua b) hierárquico.
vez, concentra (absorve) as competências em um c) disciplinar.
único agente, caracterizando um movimento cen- d) de polícia judiciária.
trípeto. Para melhor recordação: e) de polícia.

Delegação = Distribuição de competências Resposta: Letra B. Alternativa A está errada pois a auto-
Avocação = Absorção de competências tutela não é poder, mas uma característica própria da Ad-
ministração Pública de rever os próprios atos sem a neces-
sidade de intervenção judicial. Alternativa C está incorreta
A delegação é a transferência temporária de compe- pois poder disciplinar sempre pressupõe a prática de uma
tência administrativa de seu titular, a outro órgão ou agente infração por um agente público (característica sancionado-
público subordinado à autoridade outorgante (delegação ver- ra). Alternativas D e E estão incorretas porque o poder de
tical), ou fora da sua linha hierárquica (delegação horizontal). polícia é, em regra, exercido contra os particulares, e não
O art. 12 da Lei nº 9.784/1999 dispõe do mesmo modo: “Um dentro da esfera da Administração. Lembre-se que a dele-
órgão administrativo e seu titular poderão, se não houver im- gação e a avocação são elementos característicos do poder
pedimento legal, delegar parte da sua competência a outros hierárquico.
órgãos ou titulares, ainda que estes não lhe sejam hierarqui-

9
PODER DISCIPLINAR Resposta: Letra B. Alternativa A está errada, pois na ver-
dade ela descreve hipótese do poder disciplinar. Alternativa
O poder disciplinar consiste na faculdade da Administra- C está incorreta porque ela descreve as características do
ção de punir seus agentes, nas hipóteses em que estes te- poder hierárquico. Alternativa D está incorreta pois o poder
nham cometido alguma infração de ordem funcional. Cor- revisional diz respeito à capacidade da Administração de
relato com o poder hierárquico, mas não se confunde com o rever seus próprios atos, é intrínseco ao poder hierárquico.
mesmo. No poder hierárquico, a Administração Pública distri- Alternativa E está incorreta pois, na verdade, descreve as
bui e escalona as suas funções executivas. Já no uso do poder
características do poder regulamentar.
disciplinar, a Administração simplesmente controla o desem-
penho de funções e a conduta de seus servidores, responsabi-
lizando-os pelas faltas porventura cometidas.
PODER DE POLÍCIA
Em relação as suas características, o poder disciplinar é
interno, não-permanente ou temporário, . Assim como o A expressão “poder de polícia” pode ser interpretada de
poder hierárquico, a imposição de sanções pela Administração duas maneiras: em um sentido amplo, corresponde a qualquer
não se aplica aos particulares, somente a seus próprios servi- limitação estatal à liberdade e propriedade privada, de origem
dores, salvo as hipóteses destes serem contratados pela Admi- administrativa ou legislativa. Há também o poder de polícia em
nistração Pública. Todavia, distingue-se do poder hierárquico sentido restrito, mais utilizado pela doutrina, que engloba ape-
na medida em que é não-permanente, isso é, só será aplicado nas as restrições impostas pelas limitações administrativas, ex-
apenas se e quando o servidor cometer infração funcional. cluindo as limitações de ordem legal. Em sentido restrito, envol-
Percebe-se, então, que o poder disciplinar apresenta caráter ve atividades administrativas de fiscalização e condicionamento
punitivo e sancionador, enquanto o poder hierárquico advém da esfera privada de interesses, em prol da coletividade.
da simples obediência dos subalternos para com a entidade O poder de polícia tem grande destaque no exercício das
detentora deste poder. A discricionariedade do poder disci- funções da Administração moderna, junto com a prestação de
plinar traduz-se na possibilidade da Administração em poder serviços públicos e o fomento à iniciativa privada. Porém, essas
escolher qual a punição mais apropriada para cada caso, isso duas funções representam uma atuação estatal ampliativa, en-
é, ela possui certa margem de liberdade para o seu exercício.
quanto que o poder de polícia representa uma atuação restritiva
Os servidores públicos que cometerem qualquer infração
do Estado, limitando a liberdade e a propriedade individual em
no exercício de suas funções estão sujeitos às seguintes pena-
favor do interesse público.
lidades, dispostas no art. 127 da Lei nº 8.112/1990: advertên-
cia; suspensão; demissão; cassação de aposentadoria ou dis- O art. 78 do Código Tributário Nacional (CTN) tem seu con-
ponibilidade; destituição de cargo em comissão; e destituição ceito legal de poder de polícia:
de função comissionada. A aplicação de qualquer uma dessas
penalidades depende de prévio processo administrativo, res- Art. 78. Considera-se poder de polícia atividade da ad-
peitada a garantia de contraditório e ampla defesa, sob pena ministração pública que, limitando ou disciplinando di-
de nulidade da sanção. reito, interesse ou liberdade, regula a prática de ato ou
abstenção de fato, em razão de interesse público con-
cernente à segurança, à higiene, à ordem, aos costumes,
EXERCÍCIO COMENTADO à disciplina da produção e do mercado, ao exercício de
atividades econômicas dependentes de concessão ou
1. (PC-PI – AGENTE DE POLÍCIA CIVIL – NUCEPE – autorização do Poder Público, à tranquilidade pública
2018) ou ao respeito à propriedade e aos direitos individuais
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

Para que a Administração Pública possa exercer suas funções, ou coletivos.


se faz necessário que seja dotada de poderes, a fim de que
organize e cumpra o seu planejamento. Assim, marque a al- Diante de tudo que foi exposto, podemos conceituar poder
ternativa CORRETA em relação aos Poderes Administrativos: de polícia como a atividade da Administração Pública, com
fundamento na lei e na supremacia geral, que consiste na im-
a) Poder hierárquico ocorre quando há a faculdade de punir posição de limites à liberdade e à propriedade dos particulares,
internamente as infrações funcionais dos servidores. regulando a prática desses atos, ou a abstenção dos mesmos,
b) Poder hierárquico é o de que dispõe o Executivo para orga- manifestando-se por meio de atos normativos ou concretos,
nizar e distribuir as funções de seus órgãos, estabelecendo
tudo isso em benefício do interesse público.
a relação de subordinação entre os servidores do seu qua-
Ao dizer que se trata de atividade da Administração Pública,
dro de pessoal.
c) Poder regulamentar tem como objetivo ordenar, coordenar, procuramos enfatizar a concepção stricto sensu do poder de po-
controlar e corrigir as atividades administrativas, no âmbito lícia, que não se confunde com as limitações à liberdade e ao di-
interno da Administração Pública. reito de propriedade impostas pelo legislador. Por ser atividade
d) Poder Revisional é o poder de avocar, delegar ou conferir da Administração, deve ser exercido, respeitando os princípios
a outrem, da própria Administração Pública, seus poderes da razoabilidade e proporcionalidade.
originais. A fundamentação legal é outro aspecto importante do po-
e) Poder hierárquico deve detalhar a lei para sua correta exe- der de polícia, uma vez que a lei condiciona o exercício de deter-
cução, ou de expedir decretos autônomos sobre matéria de minadas atividades à obtenção de licenças ou concessões pelo
sua competência ainda não disciplinada por lei. É um poder Poder Público. O legislador deve, então, elaborar os requisitos
inerente do Chefe do Executivo. necessários para o exercício do poder de polícia pelo Estado.

10
O poder de polícia tem por objeto a imposição de limita- regras de Direito Administrativo. No Brasil, a polícia administrati-
ções à liberdade e propriedade dos particulares, instituindo va é exercida pela Polícia Militar e os vários órgãos de fiscalização
condições capazes de compatibilizar seu exercício às necessi- de diversas áreas, como saúde, educação, trabalho, previdência e
dades de interesse público. Tais imposições também podem assistência social. A polícia administrativa protege os interesses
ser aplicadas ao Estado. Isso significa que até mesmo o Poder primordiais da sociedade ao impedir comportamentos indivi-
Público pode ter suas liberdades e propriedades limitadas em duais que possam causar prejuízos maiores à coletividade.
detrimento das necessidades do interesse público. A polícia judiciária, por sua vez, apresenta caráter repres-
Para o seu exercício, a Administração Pública deve regular sivo. Sua atuação ocorre após a constatação do crime. Após a
a prática dos atos ou a abstenção de fatos. Em regra, o po- ocorrência do crime, deve a polícia judiciária abrir um processo
der de polícia manifesta-se em obrigações negativas, ou de não de investigação em busca da autoria e materialidade do crime.
fazer, impostas aos particulares, limitando a esfera de atuação Sua razão de ser é a punição dos infratores. Rege-se pelas re-
dos seus direitos. Excepcionalmente, pode também manifestar- gras de Direito Processual Penal. Ela incide sobre pessoas, ao
-se mediante obrigações positivas ou de fazer, como é o caso da contrário da polícia administrativa, que age sobre a atividade
imposição da função social da propriedade ao dono do imóvel, das pessoas. A polícia judiciária é exercida pelas corporações
disposta no art. 5º, XXII, da CF/1988. especializadas, denominadas Polícia Civil e Polícia Federal.
O poder de polícia se manifesta pela expedição de atos
normativos, como é o caso das regras sobre o direito de cons-
truir, ou por meio de atos concretos, como a obtenção de licen-
ça para a reforma de um imóvel, cujo interesse é exclusivo do
EXERCÍCIO COMENTADO
particular (proprietário do imóvel, no caso).
Por fim, convém ressaltar a finalidade do poder de polícia, 1. (TJ-AL – ANALISTA JUDICIÁRIO – FGV – 2018)
qual seja, agir em prol do interesse público. Por isso, o Estado Poder de polícia pode ser conceituado como uma atividade da
deve conciliar os direitos individuais, com o interesse da cole- Administração Pública que se expressa por meio de seus atos
tividade. Tal finalidade é típica da Administração Pública, pois normativos ou concretos, com fundamento na supremacia ge-
tem como fundamento o princípio sistêmico da primazia do in- ral do interesse público para, na forma da lei, condicionar a
teresse público sobre o privado.
liberdade e a propriedade individual, mediante ações fiscaliza-
doras preventivas e repressivas.
1. Natureza jurídica do poder de polícia De acordo com ensinamentos da doutrina de Direito Admi-
nistrativo, são características ou atributos do poder de polícia:
Quanto a sua natureza jurídica, é entendimento majoritário
que o poder de polícia é discricionário. Na doutrina, muitos a) a hierarquia, a disciplina e a legalidade.
autores costumam definir poder de polícia, utilizando-se a ex- b) a imperatividade, a delegabilidade e a imprescritibilidade.
pressão “faculdade que o Estado possui de impor limites...”. Isso c) a discricionariedade, a autoexecutoriedade e a coercibilidade.
quer dizer que não apresenta características de obrigação legal, d) a indelegabilidade, a hierarquia e o respeito às forças de
mas de uma permissão. A escolha sobre qual método utilizar segurança pública.
para o exercício do referido poder, e quando, compete somente e) a imposição da força policial, a voluntariedade e a disciplina.
à própria Administração Pública.
Porém, vale ressaltar as hipóteses de obtenção de licença.
Resposta: Letra C. Lembre-se que, como regra geral, o po-
A licença é ato administrativo relacionado ao poder de polícia,
der de polícia é função da Administração que atinge os par-
que apresenta previsão legal para a sua obtenção, tratando-se
por isso, de ato vinculado. Com isso, podemos afirmar que a ticulares, o que a diferencia do poder hierárquico e discipli-

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


manifestação do poder de polícia pode ocorrer mediante a ex- nar. O poder de polícia não precisa de prévia autorização
pedição de atos no exercício da competência discricionária da do Poder Judiciário (autoexecutoriedade). Não há relação
Administração, ou por meio de atos vinculados, com a devida de hierarquia, embora o Poder Público utilize-se de força
previsão legal. O poder de polícia também é indelegável, uma física (coercibilidade) para impor limitações aos direitos e
vez que pressupõe a posição de superioridade de quem o exer- liberdades dos particulares. A Administração possui mar-
ce, não podendo ser transferido a particulares (art. 4º, III, da Lei gem de liberdade para escolher a melhor forma de impor
nº 11.079/2004). tais limites (discricionariedade).

2. Polícia administrativa e polícia judiciária Abuso de Poder: hipóteses

A concepção do poder de polícia abrange muito mais do Quando o agente público exerce adequadamente suas
que a simples promoção de segurança pública. Todavia, impres- competências, atuando em conformidade com a legislação,
cindível destacar as atividades estatais de prevenção e repres- sem excessos ou desvios, diz-se que ele faz uso regular do
são da criminalidade sob a ótica do poder de polícia. Assim, poder. Entretanto, havendo hipóteses de exercício de com-
costuma-se dividir a atuação do Estado para promoção da se- petências fora dos limites legais, visando apenas interesses
gurança pública em duas categorias de “polícias” distintas: a alheios, trata-se de clara hipótese de uso irregular do po-
polícia administrativa, e a polícia judicial. der, também denominado abuso de poder. O abuso de po-
A polícia administrativa tem um caráter preventivo. Isso der, além de causar a invalidade do ato, constitui em ilícito
significa que a sua atuação deve ocorrer antes da prática do cri- ensejador de responsabilidade pela autoridade competen-
me, tendo por finalidade evitar a sua ocorrência. Submete-se às te que causou danos com seu uso irregular.

11
Abuso de poder pode se manifestar no exercício das Resposta: Letra D. O excesso de poder é a hipótese de
funções administrativas sob duas formas: pelo excesso de uso irregular dos poderes administrativos pelo qual a
poder, e pelo desvio de finalidade. Excesso de poder é a autoridade, competente ou não, pratica algum ato des-
hipótese de uso irregular dos poderes administrativos pelo respeitando os limites impostos, exorbitando o uso de
qual a autoridade competente ou não, pratica algum ato suas faculdades administrativas. Já o desvio de poder
desrespeitando os limites impostos, exorbitando o uso configura-se quando o agente, ao invés de perseguir a
de suas faculdades administrativas. Ao exceder sua com- finalidade prevista em lei (em atendimento ao interes-
petência legal, o agente responsável age com exageros e se público), acaba praticando ato com fim diverso, seja
desproporcionalidade, o que torna o ato praticado por ele para obter uma vantagem pecuniária para si ou para ou-
absolutamente inválido. Mas o excesso de poder admite trem, ou para prejudicar um
convalidação, ou seja, há hipóteses em que se pode corrigir
vício cometido no ato preservando sua eficácia, dependen-
do do caso concreto. RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA
Desvio de finalidade, por sua vez, é vício do ato admi- E CRIMINAL. RESPONSABILIDADE CIVIL:
nistrativo, praticado sempre por autoridade competente, DIREITO BRASILEIRO; APLICAÇÃO DA
que tem por fim diverso daquele previsto, explícita ou im- RESPONSABILIDADE OBJETIVA; REPARAÇÃO
plicitamente, nas regras de competência da legislação (art. DO DANO; DIREITO DE REGRESSO.
2º, par. único, e, da Lei nº 4.717/1965). A finalidade diversa
não macula os requisitos essenciais dos atos administra-
tivos (competência, objeto, forma, motivo), mas tende a Nos dias atuais, temos a total compreensão da ideia de
macular o ato, tornando-o nulo. O único caminho possível responsabilidade civil e extracontratual do Estado. Significa di-
para esse ato é a anulação, ou seja, não há possibilidade zer que ao Estado é imputado o dever de ressarcir particulares
de convalidação. O desvio de finalidade pode ocorrer tanto pelos prejuízos praticados na conduta de seus agentes, inde-
pendentemente de qualquer acordo ou pacto estabelecido.
nas condutas comissivas, em seu campo de atuação, quan-
Todavia, essa concepção que temos atualmente não “brotou
to nas condutas omissivas, isso é, quando o agente público
da terra”: ela foi o resultado de uma longa evolução histórica
se abstém de realizar tarefa legalmente imposta.
sobre a forma de atuação do Poder Público na esfera privada.
Exemplos de desvio de finalidade são bastante comuns Por isso, importante analisar a evolução histórica da responsa-
na Administração Pública brasileira: a construção de estra- bilidade estatal, tendo como foco os países ocidentais, sobre-
da cujo trajeto foi elaborado com objetivo de valorizar a tudo o Brasil.
propriedade rural de um governador; a transferência de
servidor público para outro Estado apenas para ficar longe 1. Evolução histórica da responsabilidade do Estado
da filha do delegado de polícia da cidade, a nomeação de
réu em ação penal a cargo público para obter foro privile- De modo geral, pode-se afirmar que a responsabilidade
giado e transferir seu processo para o STF, etc. Percebe-se civil da Administração passou por três grandes fases. A primei-
que, em todos os casos, há a sobreposição de um interes- ra fase, denominada Teoria da Irresponsabilidade, adveio na
se particular sobre o interesse da coletividade: os agentes época dos Estados Absolutistas, na qual havia uma concen-
estatais, dessa forma, praticam atos visando obter alguma tração do poder político nas mãos de uma única pessoa. O
vantagem pessoal, para eles mesmos ou para outrem, con- Monarca, assim, praticava atos que jamais poderiam ensejar
cretizando, assim, o desvio de finalidade. a reparação pelos danos, uma vez que o Monarca fazia a sua
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

vontade ter força de lei. A fundamentação dessa soberania


dos reis absolutistas era baseada na teoria político-teológica
EXERCÍCIO COMENTADO de que eles eram representantes de Deus na terra, investidos
desse Poder por obra divina. Tal teoria seria superada com o
1. (IF-GO – Assistente em Administração – CS-UFG – 2017) advento do Estado de Direito francês, sobretudo do julgamen-
Os poderes administrativos são outorgados aos agentes to pelo Tribunal de Conflitos da França, denominado Aresto
do Poder Público para que exerçam suas funções no in- Blanco, no ano de 1873. O julgamento consistia na imputação
tuito de atender aos interesses da coletividade. A conduta ao Estado do dever de reparar danos causados por um vagão
abusiva dos administradores públicos pode decorrer de da Companhia Nacional de Manufatura do Fumo, que havia
duas fontes: quando o agente atua fora dos limites de sua atropelado uma menina enquanto brincava na rua.
A Teoria da Responsabilidade Subjetiva foi a primeira
competência ou quando o agente, embora dentro de sua
tentativa de explicar a imputação ao Estado do dever de re-
competência, afasta-se do interesse público que deve nor-
parar os danos patrimoniais e demais prejuízos causados pela
tear todo o desempenho administrativo. As duas fontes de conduta de seus agentes. Por essa corrente teórica, o Estado
conduta abusiva do Poder Público são conhecidas, respec- passaria a adquirir uma segunda personalidade denominada
tivamente, como: “fisco”, sendo esta uma personalidade patrimonial, capaz de
ressarcir os particulares pela prática de atos de gestão. Tem
a) poder regulamentar e excesso de poder. seu fundamento ligado às noções mais de responsabilidade
b) improbidade administrativa e desvio de poder. mais amplas do que o âmbito de Direito Civil, o que significa
c) desvio de poder e excesso de poder. que, para o Estado ser considerado responsável, deve haver a
d) excesso de poder e desvio de poder comprovação de que este agiu com culpa lato sensu, abran-

12
gendo as hipóteses de dolo (intenção de lesar), bem como as Assim, considera-se dano indenizável:
de negligência, imprudência e imperícia (culpa stricto sensu).
Essa era a grande dificuldade dessa teoria: pelo fato da re- a) Dano anormal: é o dano que ultrapassa os inconven-
lação entre a Administração Pública e o particular ser desi- ientes naturais e esperados da vida em sociedade. A
gual, a vítima muitas vezes não possuía meios suficientes para vida em sociedade é caracterizada pelo advento de
comprovar a conduta dolosa ou culposa do Estado. No Brasil, certos incômodos normais e toleráveis a todos os
adotamos a teoria subjetiva no Direito Público, excepcio- cidadãos. Tais desconfortos só ensejaram o dever de
nalmente, nos casos de omissão da Administração, ou na indenizar se forem considerados intoleráveis. Assim,
possibilidade de ação regressiva desta perante seus agentes.
por exemplo, a feira colocada em rua residencial não
A terceira teoria, denominada Teoria da Responsabilida-
enseja dever de indenizar.
de Objetiva, surge nos meados de 1946. Consiste no afasta-
b) Dano específico: é aquele que atinge uma certa
mento da necessidade de comprovação de dolo ou culpa do
agente público, tendo por fundamento do dever de indenizar pessoa, ou uma certa categoria de pessoas. Dessa
a concepção de risco administrativo. Quem presta um servi- forma, se o ato da Administração é capaz de causar
ço público, assume o risco dos prejuízos que eventualmente danos de modo geral, para toda a coletividade, não
causar a outrem. Não cabe, dessa forma, a discussão sobre se caracteriza dano indenizável. Por exemplo: não é
aspectos subjetivos da responsabilidade estatal, exceto nas hi- considerado dano indenizável o aumento da tarifa
póteses de ação regressiva. do transporte público, haja vista que todas as pes-
A Constituição Federal de 1988 adotou a teoria da res- soas daquela cidade sofrerão com tal medida.
ponsabilidade objetiva, na variação de risco administrati-
vo, que admite algumas excludentes ao dever de indenizar, 3. Danos por ação e danos por omissão
conforme se depreende da leitura do art. 37, § 6º, da CF/1988:
O Estado pode causar danos aos particulares por ação ou
As pessoas jurídicas de direito público e as de direito pri- por omissão. Quando o fato administrativo é comissivo, não
vado prestadoras de serviços públicos responderão pelos há questionamento acerca da culpa do Estado em sua condu-
danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a ta. Nesse caso a responsabilidade objetiva do Estado se dará
terceiros, assegurado o direito de regresso contra o res- pela presença dos seus pressupostos: o fato administrativo, o
ponsável nos casos de dolo ou culpa. dano, e o nexo causal existente entre os dois.
Todavia, quando a conduta estatal for omissiva, será pre-
Observe que o texto constitucional imputa as pessoas jurí- ciso distinguir se a omissão constitui ou não fato gerador da
dicas de direito privado, como sociedades de economia mista responsabilidade civil do Estado. Isso significa que nem toda
e empresas públicas, o dever de reparar na mesma modalidade conduta omissiva caracteriza-se em um dever de indenizar.
que as pessoas da Administração Direta. A Lei nº 8.112/1990, Somente quando o Estado se omitir diante do dever legal
que dispõe sobre o regime dos servidores públicos, apresenta de impedir a ocorrência do dano é que será civilmente
uma seção sobre responsabilidades dos agentes públicos, co- responsável. Observe que em tais casos, há uma análise sub-
locando em destaque a responsabilidade objetiva. Prescreve jetiva da conduta do Poder Público. Assim, o entendimento
o art. 112 da referida Lei: “A responsabilidade civil decorre de mais correto é de que a responsabilidade civil do Estado, no
ato omissivo ou comissivo, doloso ou culposo, que resulte em caso de conduta omissiva, só ocorrerá quando presentes os
prejuízo ao erário ou a terceiros”. elementos que caracterizam a culpa.
O dever estatal de indenizar os particulares possui dois

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


fundamentos distintos: a legalidade, e a igualdade. Na hipó-
tese de o Poder Público praticar um ato ilícito, causador de
danos patrimoniais para a coletividade, o dever de indenizar
EXERCÍCIO COMENTADO
advém do princípio da legalidade, uma vez que a atuação do 1. (TRT 1ª REGIÃO – ANALISTA JUDICIÁRIO –
agente público deve ser feita sempre de acordo com a lei (se-
AOCP – 2018)
cundum legem). Há, também, casos em que a Administração
Assinale a alternativa correta no tocante à responsabilidade
pratique atos lícitos, mas que também podem causar prejuízos
extracontratual do Estado.
especiais ao particular. Nessas hipóteses, o dever de indenizar
advém do princípio da isonomia, que pressupõe a igual repar-
tição dos encargos sociais. a) O marco histórico do início das teorias publicistas foi o caso
Blanco, ocorrido em 1873 na França, a partir do qual in-
2. Características do dano indenizável terpretou-se que a responsabilidade do Estado não pode
reger-se pelos princípios do Código Civil.
Para que haja a configuração da responsabilidade civil do b) De acordo com a teoria civilista da culpa, admitia-se a res-
Estado, importante a presença de três elementos: a) um ato ponsabilidade civil do Estado quando decorrente de atos
do agente público, b) dano ao particular, c) nexo de casua- de império, haja visto ser ato de autoridade, e a afastava no
lidade entre o dano e o ato praticado. Em relação ao segundo tocante aos atos de gestão.
elemento, a doutrina costuma apontar quais são os danos que c) Segundo a jurisprudência, o Estado é civilmente responsá-
ensejam o dever de indenizar, isso é, quais são os denomina- vel pela morte de detento no interior de estabelecimento
dos danos indenizáveis. prisional, com base na teoria do risco integral.

13
d) O Estado não pode ser responsabilizado por atos do Poder vas. Não se confunde com o caso fortuito, em que o
Legislativo na sua função legislativa, ainda que a lei venha dano decorre de ato humano, ou da própria Admin-
a ser declarada inconstitucional em sede de controle con- istração, como o desabamento de uma estrada. O
centrado de constitucionalidade. caso fortuito enseja o dever de responsabilidade so-
e) Conforme entendimento do Superior Tribunal de Justiça, ao mente se tal evento for causado pelo agente público.
dano ambiental aplica-se a teoria do risco administrativo. c) Culpa de terceiro: é a hipótese em que o prejuízo é
atribuído a pessoa estranha aos quadros da Admin-
Resposta: Letra A. Alternativa B está incorreta, pois pela istração Pública. Dessa forma, não há como o Estado
teoria civilista da culpa, o Estado se responsabilizava so- ser imputado responsável por atos praticados por
mente quanto aos atos de gestão, e não aos atos de im- pessoas que não fazem parte de sua composição.
pério. Alternativa C está incorreta no seu final, pois o Brasil
não adotou a teoria do risco integral para a Administração
Pública. Alternativa D está errada pois segundo disposição #FicaDica
do Informativo nº 0297 do STJ (2006), a declaração de in-
constitucionalidade de uma lei pode ensejar a reparação Curioso é o caso dos danos causados pelas en-
civil de ato criador, em sede de controle concentrado de chentes, sobretudo em cidades onde o escoa-
constitucionalidade. Alternativa E está incorreta, pois o STJ mento das águas é precário, como ocorre em
pacificou entendimento (Tema/Repetitivo nº 681 - 2004) de algumas regiões da cidade de São Paulo. Como
que a responsabilidade por danos ambientais fundamenta- regra geral, o Estado não se responsabiliza por
-se pela teoria do risco integral. prejuízos causados pelas enchentes. A 3ª Câmara
de Direito Público do TJ/SP negou provimento à
CAUSAS EXCLUDENTES E ATENUANTES DA RES- AC nº 0170440220058260602 interposta por três
PONSABILIDADE proprietários de imóveis afetados pelas fortes
chuvas do início do ano de 2012, que pleiteavam
Dentro do âmbito da teoria objetiva da responsabilidade pedido de indenização pelos danos causados pe-
estatal, existem duas vertentes distintas. A primeira, denomi- las chuvas, pois as galerias pluviais de seu bair-
nada risco integral, dispõe que o Estado possui o dever de ro não eram suficientes para escoar toda a água,
indenizar todo e qualquer dano causado pela prática de seus caracterizando-se em falta no serviço público. Se-
atos, não admitindo nenhuma excludente. Trata-se de uma va- gundo voto do relator, porém, não havia qualquer
riação radical, em que a Administração se transforma em um prova que defina a ocorrência de qualquer falta
indenizador universal. Não é adotado em nenhum país, sendo de serviço que possa ser atribuída ao Município e
adotado no Brasil somente como exceção em alguns casos que tenha sido causa concorrente para o evento.
específicos, como nos acidentes de trabalho, na indenização
coberta pelo seguro obrigatório para automóveis (DPVAT), etc.
A segunda vertente, denominada teoria do risco admi- Todo aquele que se sentir prejudicado por conduta co-
nistrativo, é a adotada como regra geral no direito brasileiro. missiva ou omissiva de agente público pode pleitear, pela via
Tal teoria reconhece algumas excludentes da responsabilidade administrativa ou judicial, a devida reparação pelos danos cau-
do Estado. Excludentes são circunstâncias que, como o próprio sados. Na via administrativa, basta que o prejudicado formule
nome diz, afastam o dever de indenizar durante a sua ocorrên- o pedido a autoridade competente, que instaurará processo
cia. São, ao todo, três modalidades: administrativo para apurar a responsabilidade e o pagamento
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

de indenização.
a) Culpa exclusiva da vítima: são hipóteses em que Porém, é preferível que a vítima utilize a via judicial, hipóte-
o prejuízo é consequência da intenção deliberada se mais comum haja vista o direito de petição, que se caracte-
da própria vítima. O prejudicado, ao utilizar o refer- riza no dever do Poder Judiciário de atender todas as deman-
ido serviço público, acaba sofrendo danos por uma das feitas pelos cidadãos. O direito à indenização da vítima se
ação tomada por ela mesma, não havendo qualquer instrumentaliza pela ação indenizatória. A ação indenizatória,
relação com as condutas do Poder Público. É o caso, dessa forma, é aquela proposta pela vítima contra a pessoa
por exemplo, de pessoa que se joga na frente de jurídica à qual o agente público causador do dano pertence.
viatura policial para ser atropelada. Não se con- Conforme dispõe o art. 206, § 3º, V, do Código Civil, o prazo
funde com a culpa concorrente, que se traduz no prescricional para a propositura de ação indenizatória é de três
dano causado pela conduta recíproca do Estado e anos, contados da ocorrência do evento danoso.
da própria vítima. Neste caso, há uma análise pericial
para determinar os diferentes graus de culpa de cada
agente, ensejando reparação.
b) Força maior: é o evento imprevisível e involuntário
que rompe o nexo de casualidade entre o ato da
Administração e o prejuízo sofrido pela vítima. Ger-
almente são causados pela força da natureza. É o
caso, por exemplo, do desabamento de terras que
arruínam as casas de um bairro, devido às fortes chu-

14
EXERCÍCIO COMENTADO
1. (UNIFAP – ADMINISTRADOR – DEPSEC – 2018)
Sobre a responsabilidade do servidor público federal, de acordo com a Lei 8.112/90, julgue os itens seguintes em verdadeiro (V)
ou falso (F) e assinale a alternativa correta.

( ) A responsabilidade civil decorre de ato omissivo ou comissivo, praticado unicamente na forma dolosa, que resulte em prejuízo
ao erário ou a terceiros.
( ) Em respeito à independência das esferas cível, penal e administrativa, a responsabilidade administrativa do servidor não será
afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria.
( ) A responsabilidade penal abrange as infrações penais imputadas ao servidor, nessa qualidade.

a) V, F, V.
b) V, V, F.
c) F, V, V.
d) F, F, V.
e) F, F, F.

Resposta: Letra D. A primeira frase é falsa, pois a responsabilidade civil abrange não só os atos dolosos como também os atos
culposos (art. 122, da Lei nº 8.112/1990). A segunda frase é também falsa, somente na parte final: as esferas penais, civil e ad-
ministrativas são independentes entre si (art. 127, da Lei nº 8.112/1990), mas a absolvição de servidor público na esfera penal,
em caso de inexistência do fato ou negativa de autoria, são motivos excepcionais para a sua absolvição também nas demais
esferas. A terceira frase é verdadeira (art. 123, da Lei nº 8.112/1990).

AGENTES PÚBLICOS: REGIMES JURÍDICOS FUNCIONAIS; SERVIDORES PÚBLICOS; NORMAS


CONSTITUCIONAIS ESPECÍFICAS CONCERNENTES AOS SERVIDORES PÚBLICOS; DIREITOS E
DEVERES DOS SERVIDORES PÚBLICOS; RESPONSABILIDADES DOS SERVIDORES PÚBLICOS;
CONCURSO PÚBLICO; ACESSIBILIDADE, ESTABILIDADE, REMUNERAÇÃO E ACUMULAÇÃO DE
CARGOS E FUNÇÕES; PODER DISCIPLINAR ADMINISTRATIVO DOS SERVIDORES PÚBLICOS.

AGENTES PÚBLICOS

Nas lições de Celso Antônio Bandeira de Mello, são agentes públicos as pessoas que exercem uma função pública, ainda
que em caráter temporário ou sem remuneração. Trata-se de uma expressão ampla e genérica, uma vez que engloba todos
aqueles que, dentro da organização da Administração Pública, exercem determinada função pública.
Assim, podemos dizer que agente público é gênero, o qual comporta diversas espécies, como os agentes políticos, os

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


agentes militares, os servidores públicos estatutários, os empregados públicos, os agentes honoríficos, entre outros. Por
isso, vamos especificar cada um deles com maiores detalhes.

Espécies de Agentes Públicos, Poderes e Prerrogativas


Os agentes políticos possuem como característica principal o fato de exercerem uma função pública de alta direção do
Estado. Seu ingresso é feito mediante eleições, e atuam em mandatos fixos, os quais têm o condão de extinguir a relação
destes com o Estado de modo automático pelo simples decurso do tempo. Percebe-se, dessa forma, que a sua vinculação
com o Estado não é profissional, mas estatutária ou institucional. São agentes políticos os parlamentares, o Presidente da
República, o prefeitos, os governadores, bem como seus respectivos vices, ministros e Estado e secretários.
Os agentes militares constituem uma categoria a parte dos demais agentes políticos, uma vez que as instituições mili-
tares possuem fortes bases fundamentadas na hierarquia e na disciplina. Apesar de também apresentarem vinculação es-
tatutária, seu regime jurídico é disciplinado por legislação especial, e não àquela aplicável aos servidores civis. São agentes
militares os membros das Polícias Militares e dos Corpos de Bombeiros militares dos Estados, Distrito Federal e Territórios,
bem como os demais militares ligados ao Exército, Marinha, e Aeronáutica. Algumas características que merecem destaque
são: a proibição de sindicalização dos militares, a proibição do direito de greve, e a proibição à filiação partidária.
É considerado servidor público o agente contratado pela Administração Pública, direta ou indireta, sob o regime estatu-
tário, sendo selecionado mediante concurso público, para ocupar cargos públicos, possuindo vinculação com o Estado de
natureza estatutária e não-contratual. De modo geral, podemos dizer que a Constituição Federal de 1988 apresenta dois
tipos de regimes para os agentes estatais: o regime estatutário ou de cargos públicos, e o regime celetista ou de empre-

15
gos públicos. Os servidores públicos são contratados pelo A diferença dos empregados públicos para com os de-
regime estatutário, enquanto os empregados públicos são mais consiste no fato de que a sua demissão será sempre
contratados pelo regime celetista, que muito se assemelha motivada, após regular processo administrativo, admitin-
com as regras contidas na CLT. do-se contraditório e a ampla defesa. Importante lembrar
O regime dos cargos públicos é disciplinado pela Lei que, para a Administração Pública, a motivação de seus
Federal nº 8.112/1990, também conhecida como Estatuto atos, bem como o tratamento impessoal, e a finalidade pú-
do Servidor Público, atribuindo a eles uma série de poderes blica são princípio norteadores de sua atuação. Uma de-
e prerrogativas. Uma prerrogativa que merece destaque no missão imotivada de um empregado público seria absolu-
regime de cargos públicos é a aquisição de estabilidade. tamente inadmissível nessas condições.
A estabilidade permite que o servidor não possa ser des-
ligado de suas funções, salvo as hipóteses previstas cons-
titucionalmente, como a condenação mediante sentença EXERCÍCIO COMENTADO
judicial transitada em julgado, a instauração de processo
administrativo disciplinar, ou a não aprovação em avaliação 1. (MPE-BA – PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO –
periódica de desempenho (art. 41, § 1º, da CF/1988). Para MPE-BA – 2018) De acordo com o entendimento do Su-
tanto, o servidor tem o dever de cumprir o período conhe- premo Tribunal Federal (STF) sobre a prática do nepotismo
cido como estágio probatório, que visa aferir se o servidor nas nomeações para cargo em comissão, de confiança ou
possui aptidão e capacidade para o desempenho do car- de função gratificada, é correto afirmar que:
go de provimento efetivo no qual ingressou por força de
concurso público. A Emenda Constitucional nº 19 alterou a) a vedação à prática do nepotismo abrange toda a ad-
o prazo do estágio probatório, antes de 24 meses (art. 20 ministração pública, exceto as empresas estatais, em
da Lei nº 8.112/1990), para o período de 3 anos. Passado o função do regime híbrido de pessoal a que estão sub-
referido período, o servidor aprovado adquire estabilidade metidas.
no referido cargo. A estabilidade dos cargos públicos se b) com fundamento na máxima proteção à moralidade
configura em uma grande vantagem, pois é uma garantia administrativa, a Lei Estadual pode ampliar a vedação
para o indivíduo de que permanecerá no seu cargo, rece- ao nepotismo para os cargos de provimento efetivo por
bendo todas as gratificações e vencimentos que tem direi- concurso público.
to, independentemente das grandes mudanças no cenário c) desde que haja previsão expressa em Lei Estadual, é pos-
político-econômico do país, que geram crises e grande nú- sível excepcionar as vedações à prática dos atos de ne-
mero de desemprego na esfera privada. potismo, já que a matéria não se encontra regulada em
Dentre os cargos públicos, ainda, há aqueles que são Lei Federal.
vitalícios, que trazem ainda mais vantagens pelo fato de d) excepcionalmente, é possível a análise da configuração
seu estágio probatório ser menor, de 2 anos (é de 3 anos da prática vedada de nepotismo em hipóteses que atin-
para os cargos não-vitalícios), bem como a sua perda se dar jam ocupantes de cargos políticos, desde que, em análi-
apenas mediante sentença condenatória transitada em jul- se concreta, além do parentesco, seja verificada troca de
gado. São vitalícios os cargos de Magistratura, do Tribunal favores ou fraude à lei.
de Contas, e os cargos dos membros do Ministério Público. e) para a configuração da prática ilícita de nepotismo, nos
Além da estabilidade, é também assegurado aos servido- cargos administrativos e políticos, basta a configuração
res estatutários alguns direitos trabalhistas (art. 39, § 3º, da da relação de parentesco entre a autoridade nomean-
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

CF/1988), como: a) salário mínimo, b) remuneração de tra- te ou servidor da mesma pessoa jurídica investido em
balho noturno superior ao diurno, c) repouso semanal re- cargo de direção, chefia ou assessoramento, e, de outro
munerado, d) férias remuneradas, e) licença à gestante, etc. lado, o nomeado: cônjuge, companheiro, parente em
Diferentemente do que ocorre com os servidores, os linha reta ou colateral ou por afinidade até o terceiro
empregados públicos são contratados mediante regime grau.
celetista, isso é, com aplicação das regras previstas na Con-
solidação das Leis do Trabalho (CLT). Trata-se de uma vin- Resposta: Letra D. A letra A está incorreta, pois a proibi-
culação contratual. A contratação de empregados públicos ção do nepotismo abrange apenas os agentes da Admi-
se dá, em regra, pelas pessoas jurídicas de direito privado nistração Pública. A letra B está incorreta, pois a vedação
integrantes da Administração Indireta (empresas públicas, ao nepotismo é aplicado aos cargos de livre nomeação e
sociedades de economia mista, consórcios, etc). Além dis- exoneração, haja vista que o concurso público é sempre
so, o ingresso de tais pessoas também depende da sua feito em respeito ao princípio da impessoalidade. A letra
aprovação em concurso público. O regime dos emprega- C está incorreta pois o nepotismo é considerado incons-
dos públicos é menos protetivo do que o regime estatu- titucional para todos os efeitos, nos termos da Súmula
tário. Isso se deve ao fato de que os empregados públicos Vinculante nº 13 do STF. Havendo norma excepcional,
não gozam da estabilidade que os servidores possuem. Ao essa seria considerada inconstitucional também. A letra
serem empossados, os empregados passam por um perío- E está incorreta, pois o nepotismo não abrange os car-
do de experiência de 90 dias. Todavia, mesmo após esse gos de agentes políticos.
período, os empregados públicos podem ser dispensados.

16
Cargo, Emprego e Função Pública o ocupante de função de confiança e cargo comissionado
Para todos os efeitos legais, o servidor público está in- está no lugar ocupado no quadro funcional da Administra-
trinsicamente ligado à noção de cargo público. Conforme ção, sendo que, enquanto o cargo em comissão ocupa um
dispõe o art. 3º do Estatuto dos Servidores, cargo público é espaço na sua estrutura, uma vez que se nomeia uma pessoa
o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na qualquer para exercê-lo (baseada na confiança da autorida-
estrutura organizacional que devem ser cometidas a um ser- de nomeante para com o nomeado), a função de confiança é
vidor. Os cargos públicos, acessíveis a todos os brasileiros, atribuída a um servidor efetivo, que já pertence aos quadros
são criados por lei, com denominação própria e vencimento da Administração, não modificando, então, a estrutura orga-
pago pelos cofres públicos, para provimento em caráter efe- nizacional da mesma.
tivo ou em comissão. Sobre a acumulação de cargos, emprego e funções pú-
A criação, transformação, e extinção de cargos, empre- blicas, deve-se salientar que o ordenamento jurídico brasi-
gos ou funções públicas depende sempre de uma lei insti- leira, em regra, proíbe a acumulação de cargos públicos. Tal
tuidora (art. 48, X, CF/1988). Porém, havendo um cargo ou proibição se estende, inclusive, para as entidades da Admi-
função vago, a sua extinção pode se dar mediante expedição nistração Indireta. O caput do art. 118 da Lei nº 8.112/1990
de decreto pelo Poder Executivo. dispõe no mesmo sentido: “Ressalvados os casos previstos
Assim como há diferentes espécies de agentes públicos, na Constituição, é vedada a acumulação remunerada de car-
há também diferentes espécies de cargos providos pelo Po- gos públicos”. Há entendimento de que tal dispositivo tam-
der Público, que materializam a relação jurídica dos agentes bém possa ser aplicado aos agente públicos dos Estados,
com o Estado. Assim, um agente público poderá ser ocu- Municípios, e Distrito Federal.
pante de um cargo público em sentido estrito, um emprego Porém, a própria Constituição Federal dispõe de um rol
público, ou uma função pública. Convém fazer uma maior de casos excepcionais em que é permitida a acumulação
análise desses três tipos de cargos. dessas funções. Há entendimento praticamente unânime de
Os cargos públicos são ocupados pelos servidores públi- que trata-se de um rol taxativo, ou seja, são válidas apenas
cos, podendo ser providos perante a Administração Pública aquelas hipóteses de acumulação de cargos.
Direta (União, Estados, DF e Municípios) e Indireta (Autar- Assim, as hipóteses de acumulação de cargos constitu-
quias e Fundações Públicas). Os servidores estão sujeitos ao cionalmente autorizadas são:
regime estatutário, disciplinado por legislação própria (a Lei A)Dois cargos de professor (art. 37, XVI, a);
nº 8.112/1990) e são escolhidos mediante a sua aprovação B)Um cargo de professor com outro técnico ou científico
em concurso público de provas ou de provas e títulos. Além
(art. 37, XVI, b);
disso, os ocupantes de cargos públicos possuem estabilida-
C)Dois cargos ou empregos privativos de profissionais na
de, uma garantia constitucional de permanência no serviço
área da saúde (art. 37, XVI, c);
público após 3 (três) anos de estágio probatório e aprovação
D)Um cargo de vereador com outro cargo, emprego ou
em avaliação especial de desempenho.
função pública (art. 38, III);
Por outro lado, os empregos públicos são ocupados por
E)Um cargo de magistrado e outro de magistério (art. 95,
empregados públicos, e também são selecionados mediante
concurso público. A principal diferença dos empregos públi- par. único, I);
cos para os demais cargos consiste no fato de que o regime F)Um cargo de membro do Ministério Público e outro de
dos empregados é celetista, o que significa que as regras, magistério (art. 128, § 5º, II, d).
direitos e vantagens de tais funcionários são disciplinados
pelas normas da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


Apenas as pessoas jurídicas de direito privado integrantes da EXERCÍCIO COMENTADO
Administração Pública Indireta possuem empregados públi-
cos, como as empresas públicas e as sociedades de econo- 1. (ALESE – Analista Legislativo – FCC – 2018) Os servi-
mia mista. Importante ressaltar que os empregados públicos dores públicos são contratados mediante concurso público
não gozam da garantia constitucional da estabilidade. de provas ou de provas e títulos, admitindo-se exceções em
Por fim, os contratados ocupam o que denomina-se fun- alguns casos, tais como:
ção pública, que podem ser integrantes da Administração
Pública direta ou indireta, desde que atenda a dois requisitos a) cargos em comissão, de livre nomeação, para suprir a
exigidos pela Constituição Federal, em seu art. 37, IX, quais vacância de cargos efetivos até que sejam formalmente
sejam: necessidade de contratação temporária; e excepcional preenchidos.
interesse público. Ademais, os ocupantes de função pública b) portadores de deficiência, observado o percentual de até
estão sujeitos ao regime especial e são selecionados através 5% dos cargos ou empregos públicos vagos.
de processo seletivo simplificado. As funções públicas, dessa c) funções de confiança, de livre nomeação, destinadas a
forma, abrangem as funções temporárias, exercidas dada a funções técnicas, de direção ou assessoramento.
ocorrência de um evento inesperado (substituição transitó- d) cargos e funções de livre provimento destinados a aten-
ria de pessoas, ou para atender demanda complementar de der necessidades excepcionais, atribuições de chefia ou
serviços); e as funções de confiança, que juntamente com direção, desde que por prazo determinado.
os cargos comissionados, destinam-se apenas às funções e) contratação de servidores temporários, desde que por
de às atribuições de direção, chefia e assessoramento, nos tempo determinado e para atender necessidade de excep-
termos do art. 37, V, da CF/1988. A principal diferença entre cional interesse público, conforme estabelecido em lei.

17
Resposta: Letra E. A letra A está incorreta, pois as no- C)Readaptação: é, também, uma forma de provimento
meações para cargo em comissão que não exigem derivado, pois trata-se de hipótese de atribuição ao
concurso público são aqueles declarado em lei de livre servidor para um cargo com funções e responsabi-
nomeação e exoneração. A letra B está incorreta, pois lidades distintas e compatíveis com a limitação que
é assegurado às pessoas portadoras de deficiência o tenha sofrido em sua capacidade física ou mental,
direito de se inscrever em concurso público para pro- verificada em inspeção médica. Assim, por exemplo,
vimento de cargo cujas atribuições sejam compatíveis um motorista de ônibus que sofre acidente e aca-
com a deficiência de que são portadoras, sendo reser- ba perdendo algum membro essencial para dirigir
vadas até 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas no poderá ser readaptado para executar uma função
concurso (art. 5º, § 2º, Lei nº 8.112/1990). A letra C está similar, mas não idêntica a anterior. Na hipótese do
incorreta, pois funções de confiança nunca são providas servidor readaptando se mostrar completamente in-
por nomeação, destinando-se apenas às atribuições de válido para exercer qualquer cargo, ele será compul-
direção, chefia e assessoramento (art. 37, V, CF/1988). A soriamente aposentado.
letra D está incorreta, pois as atribuições de chefia ou D)Reversão: outra forma de provimento derivado, em
direção são hipóteses de cargos de confiança. que temos o retorno à atividade de um servidor apo-
sentado por invalidez, ou por puro e simples interes-
Regime dos Servidores Públicos Federais se da Administração, desde que a) tenha solicitado a
O regime dos servidores públicos possui ampla previ- reversão; b) a aposentadoria tenha sido voluntária; c)
são normativa. Além do renomado artigo 37 da Constitui- estável quando na atividade; d) a aposentadoria te-
ção Federal, no âmbito infraconstitucional temos a Lei nº nha ocorrido nos cinco anos anteriores à solicitação;
8.112 de 1990 (Estatuto dos Servidores Públicos Federais), e) haja cargo vago (art. 25 do Estatuto dos Servidores
isso é, a legislação que institui o regime jurídico dos servi- Públicos). A reversão far-se-á para o mesmo cargo
dores públicos da União, autarquias, fundações, agências ou para o cargo resultante de sua transformação. Em
reguladoras e associações, todas em âmbito federal. Bas- termos de remuneração, o servidor que retornar à
tante exigida em concursos públicos, convém salientar as atividade por interesse da Administração percebe-
principais características a respeito do regime dos servido- rá a remuneração do cargo que voltar a exercer, em
res públicos. substituição da aposentadoria que recebia (art. 25, §
Provimento, Vacância e Investidura em cargos públicos 4º, idem).
Para ocupar um cargo público, é necessário haver o seu E)Aproveitamento: mais uma forma de provimento de-
devido provimento, ou seja, deve haver um ato administra- rivado consistente no retorno de servidor em dis-
tivo constitutivo e hábil para a investidura do servidor no ponibilidade, sendo seu regresso obrigatório para
respectivo cargo. Segundo o art. 5º da Lei nº 8.112/1990: cargo de atribuições e vencimentos compatíveis
“São requisitos básicos para investidura em cargo público: com os do anteriormente ocupados (art. 30 da Lei
I - a nacionalidade brasileira; II - o gozo dos direitos políti- nº 8.112/1990). Será tornado sem efeito o aproveita-
cos; III - a quitação com as obrigações militares e eleitorais; mento e cassada a disponibilidade se o servidor não
IV - o nível de escolaridade exigido para o exercício do car- entrar em exercício no prazo legal, salvo comprovada
go; V - a idade mínima de dezoito anos; VI - aptidão física doença por junta médica oficial (art. 32, idem).
e mental.” F)Reintegração: é a forma de provimento derivado que
O art. 8º da Lei nº 8.112/1990 dispõe sobre as formas ocorre pela reinvestidura do servidor estável no car-
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

de provimento em cargos públicos, dentre as quais merece go anteriormente ocupado, ou no cargo resultante
destaque: de sua transformação, na hipótese de sua demissão
A)Nomeação: trata-se da única forma de provimento ser invalidada por decisão judicial ou administrativa,
originário, uma vez que não exige uma relação ju- tendo direito também ao ressarcimento de todas as
rídica prévia do servidor para com o Estado. A no- vantagens (art. 28, caput, Lei nº 8.112/1990). Encon-
meação depende sempre de prévia habilitação em trando-se provido o cargo, o seu eventual ocupante
concurso público de provas, ou de provas e títulos. será reconduzido ao cargo de origem, sem direito à
Além disso, a nomeação poderá ser promovida não indenização ou aproveitado em outro cargo, ou, ain-
somente em caráter efetivo, como também para os da, posto em disponibilidade (art. 28, § 2º, idem).
cargos de confiança ou em comissão (art. 9º, I e II, da G)Recondução: por fim, a recondução é a forma de pro-
Lei nº 8.112/1990) vimento derivado consistente no retorno do servidor
B)Promoção: é uma forma de provimento derivado, haja público estável ao cargo anteriormente ocupado, e
vista que ela beneficia somente os servidores que já decorrerá de inabilitação em estágio probatório re-
ingressaram em cargos públicos em caráter efetivo. lativo a outro cargo, ou ainda pela reintegração do
Os demais requisitos para o ingresso e o desenvolvi- anterior ocupante (art. 29, I e II, da Lei nº 8.112/1990).
mento do servidor na carreira, mediante promoção, Uma situação excepcional é a da extinção do cargo
serão estabelecidos pela lei que fixar as diretrizes do durante o período de estágio probatório. Nessas
sistema de carreira na Administração Pública Federal condições, segundo a Súmula nº 22 do STF, inexiste
e seus regulamentos (art. 10, parágrafo único, da Lei direito à recondução, e o servidor será exonerado.
nº 8.112/1990).

18
Direitos e Gratificações Regime disciplinar: penalidades, responsabilidade
A Lei nº 8.112/1990, em seus artigos 40 e 41, elenca civil, criminal e administrativa
diversos direitos e gratificações aos servidores públicos, O complexo de deveres, proibições, esferas de respon-
os quais são de grande importância conhecer. Vejamos as sabilidades, meios de apuração de ilícitos administrativos
principais gratificações: e sanções disciplinares constitui o chamado regime disci-
1)Vencimentos: consiste na retribuição pecuniária pelo plinar dos servidores públicos. Tal regime é decorrência do
exercício do cargo público, cujo valor é previamente exercício do poder disciplinar do Estado, o qual é atribuído
fixado em lei. Os vencimentos de cargos efetivos são, à Administração com o intuito de responsabilizar aqueles
em regra, irredutíveis. que cometem faltas em detrimento do interesse público.
2)Remuneração: mais abrangente, é o vencimento do Apesar da grande quantidade de direitos e vantagens,
cargo, somado a todas as outras vantagens pecuni- o Estatuto dos Servidores Públicos também atribui aos
árias estabelecidas em lei. O menor valor pago ao mesmos diversos deveres, com base no regime disciplinar
servidor público, independentemente de sua vincu- o qual, se não for atendido, enseja a instauração de pro-
lação, é o valor do salário mínimo vigente (art. 39, § cesso disciplinar para a apuração de infrações funcionais.
3º, da CF/1988). Nos termos do artigo 116 da Lei nº 8.112/1990:
3)Regime de subsídios: trata-se de uma forma especial Art. 116. São deveres do servidor:
de remuneração, feita em uma única parcela. O regi- I - exercer com zelo e dedicação as atribuições do car-
me de subsídios, previsto no art. 39, § 4º, da CF/1988, go
foi introduzido com a finalidade de coibir os “super- II - ser leal às instituições a que servir;
salários” comumente existentes no regime de servi- III - observar as normas legais e regulamentares;
dores públicos brasileiros. Importante ressaltar que IV - cumprir as ordens superiores, exceto quando ma-
recebem por subsídios somente os Chefes do Poder nifestamente ilegais;
Executivo, parlamentares, magistrados, ministros de V - atender com presteza;
Estado, secretários estaduais, membros do Ministério a) ao público em geral, prestando as informações re-
Público e da Advocacia Pública, entre outros. queridas, ressalvadas as protegidas por sigilo;
4)Indenizações: são valores pagos aos servidores, mas
b) à expedição de certidões requeridas para defesa
que não integram seus vencimentos. O Estatuto pre-
de direito ou esclarecimento de situações de interesse
vê algumas hipóteses de recebimento de indeniza-
pessoal;
ções: 4.a) Ajuda de custo por mudança, devida como
c) às requisições para a defesa da Fazenda Pública;
forma de compensar as despesas de instalação de
VI - levar as irregularidades de que tiver ciência em ra-
servidor que tiver exercício em nova sede, ocorrendo
zão do cargo ao conhecimento da autoridade superior
mudança de seu domicílio; 4.b) Ajuda de custo por
ou, quando houver suspeita de envolvimento desta, ao
falecimento: devido à família do servidor que vier a
conhecimento de outra autoridade competente para
falecer na nova sede, sendo devido para custear o
transporte para a localidade de origem; 4.c) Diárias apuração;
por deslocamento: devida ao servidor que se afastar, VII - zelar pela economia do material e a conservação
por motivos de serviço, da sede em caráter transitó- do patrimônio público;
rio, para outro local dentro ou fora do país, receberá VIII - guardar sigilo sobre assunto da repartição;
tal indenização como forma de ajuda no custeio do IX - manter conduta compatível com a moralidade ad-
ministrativa;

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


processo de mudança; 4.d) Auxílio-moradia: trata-se
de ressarcimento das despesas comprovadamente X - ser assíduo e pontual ao serviço;
realizadas pelo servidor com aluguel de moradia ou XI - tratar com urbanidade as pessoas;
com hospedagem realizado por algum hotel, depen- XII - representar contra ilegalidade, omissão ou abuso
dendo do preenchimento de alguns requisitos, como de poder.
não ter um imóvel funcional disponível para uso, seu
cônjuge não ser ocupante de imóvel funcional, ou Ao mesmo tempo, o artigo 117 da mesma Lei impõe aos
que nenhuma outra pessoa que resida com o servi- servidores públicos diversas proibições. Trata-se de uma
dor receba a mesma indenização, etc. matéria que exige grande capacidade de memorização, mas
5)Gratificações, Adicionais e Retribuições: O art. 61 do que não necessita se alongar com diversos detalhes.
Estatuto dos Servidores Públicos também prevê o Art. 117. Ao servidor é proibido:
pagamento das seguintes gratificações: I - retribui- I - ausentar-se do serviço durante o expediente, sem
ção pelo exercício de função de direção, chefia e as- prévia autorização do chefe imediato;
sessoramento; II - gratificação natalina; IV - adicional II - retirar, sem prévia anuência da autoridade compe-
pelo exercício de atividades insalubres, perigosas ou tente, qualquer documento ou objeto da repartição;
penosas; V - adicional pela prestação de serviço ex- III - recusar fé a documentos públicos;
traordinário; VI - adicional noturno; VII - adicional de IV - opor resistência injustificada ao andamento de
férias; VIII - outros, relativos ao local ou à natureza documento e processo ou execução de serviço;
do trabalho; IX - gratificação por encargo de curso V - promover manifestação de apreço ou desapreço
ou concurso. no recinto da repartição;

19
VI - cometer a pessoa estranha à repartição, fora dos A responsabilidade administrativa, por outro lado, con-
casos previstos em lei, o desempenho de atribuição siste na instauração de processo disciplinar (art. 116 e se-
que seja de sua responsabilidade ou de seu subordi- guintes, Lei nº 8.112/1990), pelo qual haverá a verificação
nado; da conduta delituosa do agente, bem como a aplicação da
VII - coagir ou aliciar subordinados no sentido de filia- pena mais adequada. Imprescindível reforçar que a aplica-
rem-se a associação profissional ou sindical, ou a par- ção de qualquer pena ao servidor público pressupõe um
tido político; processo administrativo, sendo assegurado ao acusado di-
VIII - manter sob sua chefia imediata, em cargo ou fun- reito ao contraditório e a ampla defesa, sendo obrigatória,
ção de confiança, cônjuge, companheiro ou parente inclusive, a presença do advogado em todas as fases do re-
até o segundo grau civil; ferido processo (Súmula nº 343 do STJ). Todavia, tal enten-
IX - valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou dimento vem sofrendo alteração, pois o STF já reconheceu
de outrem, em detrimento da dignidade da função pú- em Súmula Vinculante nº 5 entendimento de que a falta de
blica; defesa técnica no processo administrativo disciplinar não é
X - participar de gerência ou administração de so- inconstitucional.
ciedade privada, personificada ou não personificada, Por fim, as penalidades administrativas aplicáveis aos
exercer o comércio, exceto na qualidade de acionista, servidores públicos, previstas na Lei nº 8.112/1990 (art.
cotista ou comanditário; 127) são as seguintes:
A)Advertência: é a sanção mais branda, aplicável por
XI - atuar, como procurador ou intermediário, junto a
escrito para o servidor que cometer atos como: au-
repartições públicas, salvo quando se tratar de benefí-
sentar-se do serviço injustificadamente; recusar fé a
cios previdenciários ou assistenciais de parentes até o
documento público; retirar qualquer documento da
segundo grau, e de cônjuge ou companheiro;
repartição sem a devida autorização; manter sob sua
XII - receber propina, comissão, presente ou vantagem chefia cônjuge, companheiro ou parente até o se-
de qualquer espécie, em razão de suas atribuições; gundo grau; entre outros.
XIII - aceitar comissão, emprego ou pensão de estado B)Suspensão: aplicável somente quando o servidor é
estrangeiro; reincidente nas faltas puníveis por advertência, des-
XIV - praticar usura sob qualquer de suas formas; de que não tipifiquem infrações sujeitas a demissão
XV - proceder de forma desidiosa; do cargo. A suspensão não poderá ser aplicada por
XVI - utilizar pessoal ou recursos materiais da reparti- prazo maior a noventa dias.
ção em serviços ou atividades particulares; C)Demissão: trata-se da penalidade mais grave atribu-
XVII - cometer a outro servidor atribuições estranhas ída ao servidor público, uma vez que tem o condão
ao cargo que ocupa, exceto em situações de emergên- de exonerá-lo de seu cargo. A demissão será aplicada
cia e transitórias; nos casos em que o servidor: cometer crime contra a
XVIII - exercer quaisquer atividades que sejam incom- administração pública; abandonar seu cargo; impro-
patíveis com o exercício do cargo ou função e com o bidade administrativa; praticar conduta escandalosa
horário de trabalho; na repartição; ofender fisicamente, em serviço, outro
XIX - recusar-se a atualizar seus dados cadastrais servidor; revelar segredo o qual obteve devido a sua
quando solicitado. função; corrupção; receber propina, comissão, ou ou-
tra vantagem de qualquer espécie em razão de suas
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

Em relação à responsabilidade dos servidores públicos, atribuições; etc. Muitas dessas hipóteses impedem
o art. 121 da Lei nº 8.112/1990 é bastante claro ao dis- que o infrator retorne ao serviço público federal, por
por que “O servidor responde civil, penal e administrativa- isso tratar-se de uma das penalidades mais gravosas.
mente pelo exercício irregular de suas atribuições”. Vemos, D)Cassação de Aposentadoria ou da Disponibilidade: o
então, que de uma única conduta praticada pelo referido servidor inativo que houver praticado falta punível
servidor, pode ensejar em responsabilização em três esfe- com a demissão, terá a sua aposentadoria, ou sua
ras distintas. A responsabilidade civil do servidor público disponibilidade cassada.
E)Destituição de Cargo ou Função Comissionada: caso o
decorre da prática de atos comissivos ou omissivos, que
servidor ocupante de cargo não efetivo cometa uma
sejam capaz de causar danos materiais ao erário (patrimô-
das faltas passíveis da pena de suspensão e demis-
nio público), ou a terceiros.
são, poderá perder o seu cargo de confiança ou fun-
A responsabilidade penal do servidor tem seu fun-
ção comissionada.
damento na apuração de uma conduta criminal, isso é,
a hipótese em que o servidor público possa praticar um A competência para a aplicação de tais penalidades
ilícito penal, ou crime. A responsabilidade penal é, defini- pode variar dependendo da gravidade da conduta apu-
tivamente, a mais grave e perigosa, uma vez que ela pode rada. No âmbito da Administração Federal, as sanções
repercutir nas demais esferas, tanto pela condenação do administrativas são aplicadas, nos termos do art. 141 da
servidor condenado, como pela sua absolvição pela falta Lei nº 8.112/1990: I - pelo Presidente da República, pelos
de provas materiais ou pela negação de sua autoria, sendo Presidentes das Casas do Poder Legislativo e dos Tribunais
essas últimas hipóteses apenas exceções. Federais e pelo Procurador-Geral da República, quando se

20
tratar de demissão e cassação de aposentadoria ou dispo-
nibilidade de servidor vinculado ao respectivo Poder, ór- LEI DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA -
gão, ou entidade; II - pelas autoridades administrativas de LIA (LEI FEDERAL Nº 8429, DE 02 DE JUNHO
hierarquia imediatamente inferior àquelas mencionadas no DE1992).
inciso anterior quando se tratar de suspensão superior a 30
(trinta) dias; III - pelo chefe da repartição e outras autorida-
des na forma dos respectivos regimentos ou regulamentos,
nos casos de advertência ou de suspensão de até 30 (trinta) 1. OBJETIVO DA LEI
dias; IV - pela autoridade que houver feito a nomeação, Essa lei tem como escopo prever as sanções aos
quando se tratar de destituição de cargo em comissão. agentes públicos que incorrerem em ato de improbidade
administrativa no exercício de mandato, cargo, emprego
ou função na administração pública direta (União, Estados
EXERCÍCIO COMENTADO / Distrito Federal e Municípios) e indireta (Autarquias,
Sociedade de Economia Mista, Empresa Pública e
1. (UF-AM – PSICÓLOGO – COMVEST UFAM – 2018) As- Fundações), além de adotar providências correlatas.
sinale, dentre as alternativas a seguir, aquela que não cons-
titui causa de demissão do servidor público, nos termos da 2 – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS
Lei n°. 8.112/90: Para facilitar seu entendimento, primeiramente você
a) Utilizar recursos materiais da repartição em serviços ou deve entender o significado da palavra agente público.
atividades particulares Conforme previsto no artigo 2º da lei Reputa-se agente
b) Quando não satisfeitas as condições do estágio proba- público, para os efeitos desta lei, todo aquele que
tório. exerce, ainda que transitoriamente ou sem remuneração,
c) Receber presente de qualquer espécie, em razão de suas por eleição, nomeação, designação, contratação ou
atribuições. qualquer outra forma de investidura ou vínculo, mandato,
d) Proceder de forma desidiosa. cargo, emprego ou função nos órgãos e entidades da
e) Inassiduidade habitual. Administração Pública direta e indireta.
O ato de improbidade poderá ser praticado por qualquer
Resposta: Letra B. A letra A está incorreta, pois a utiliza- agente público, seja ele um servidor ou não, deste modo,
ção de recursos materiais da repartição para atividades qualquer agente público poderá ser sujeito ativo de tal ato,
particulares é causa de demissão do servidor público além disso, As disposições desta lei são aplicáveis, no que
(art. 117, XVI, Lei nº 8.112/1990). A letra C está incorreta, couber, àquele que, mesmo não sendo agente público,
pois receber propina, comissão, presente ou vantagem induza ou concorra para a prática do ato de improbidade
de qualquer espécie, em razão de suas atribuições é ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta.
causa para demissão do servidor (art. 117, XII, idem). A O órgão ou entidade que sofra um ato de improbidade
letra D está incorreta pois proceder de forma desidiosa é definido como sujeito passivo. Poderão ser sujeitos
é causa de demissão do servidor público (art. 117, XII, passivos do ato de improbidade os órgãos e entidades
idem). A letra E está incorreta, pois a inassiduidade ha- da Administração Direta e Indireta dos 3 (três) poderes
bitual é causa de demissão do servidor público (art. 132,
e das 3 (três) esferas - União, Estados / Distrito Federal e
III, idem).
Municípios - empresa incorporada ao patrimônio público

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


ou de entidade para cuja criação ou custeio o erário público
haja participado ou participe com mais de cinquenta
por cento (50%) do patrimônio ou da receita anual, bem
como daquelas para cuja criação ou custeio o erário haja
concorrido ou concorra com menos de cinqüenta por
cento (50%) do patrimônio ou da receita anual, limitando-
se, quando houver participação menor que cinquenta por
cento (50%), a sanção patrimonial à repercussão do ilícito
sobre a contribuição dos cofres públicos.

21
Os agentes públicos de qualquer nível ou hierarquia O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio
são obrigados a velar pela estrita observância de princípios público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às
no trato dos assuntos que lhe são afetos, são princípios cominações desta lei até o limite do valor da herança, isto
expressos na lei de improbidade: que dizer que, se o valor a ser restituído ao patrimônio
Legalidade: Os atos da Administração Pública devem público for superior ao valor da herança deixada pelo de
estar previstos em lei. Tudo que não estiver juridicamente cujus, o herdeiro não estará obrigado a recompor este
permitido estará juridicamente proibido, com as ressalvas prejuízo com seu próprio patrimônio.
legais. No caso de enriquecimento ilícito, perderá o agente
Impessoalidade: Todos devem ser tratados da mesma público ou terceiro beneficiário os bens ou valores
maneira, não importa o nível hierárquico ou a relação com acrescidos ao seu patrimônio.
o órgão ou entidade, a urbanidade, o respeito, a educação
são exemplos de primados básicos que devem reger as
relações visando a impessoalidade, por este princípio o #FicaDica
agente público não pode favorecer um (s) em detrimento As disposições da Lei de Improbidade, no que
de outro (s). couber, serão aplicadas àqueles que, mesmo
Moralidade: Os atos da Administração devem não sendo agente público, induza, concorra ou
corresponder ao que a sociedade entende como correto, se beneficie com o ato.
como justo, como aceitável. Decorrência deste princípio
não pode, por exemplo o agente público colocar uma
imagem pornográfica na sua mesa de trabalho.
Publicidade: Os atos da Administração Pùblica devem
ser públicos, ou seja, devem estar disponíveis para que a EXERCÍCIO COMENTADO
sociedade possa promover o seu próprio controle, para
promover a publicidade várias ações são adotadas, como 1. 2017 - FCC - Técnico Judiciário - Segurança - TRT -
exemplo a publicação em Diário Oficial. 24ª REGIÃO (MS)
O princípio da Eficiência foi introduzido de maneira Considere a seguinte situação hipotética: Roberto é ser-
explícita na Constituição Federal em data posterior a vidor público municipal, responsável pela arrecadação de
edição da lei, motivo pelo qual ele encontra-se implícito tributos. Em determinada data, Roberto incorporou ao seu
no texto da lei de improbidade, mas aplicável tendo em patrimônio, o montante de R$ 100.000,00 proveniente de
vista a expressa disposição na Constituição Federal com o arrecadação tributária municipal, utilizando posteriormen-
advento da Emenda Constitucional nº 19/1998. te a citada quantia para a compra de um veículo particular,
Havendo a prática de um ato definido como de a ele destinado. Em razão do ocorrido, foi processado por
improbidade e havendo lesão ao patrimônio público, seja improbidade administrativa. A propósito dos fatos e, nos
por uma ação ou omissão, por dolo (vontade) ou culpa termos da Lei n° 8.429/1992,
(negligência, imprudência ou imperícia) do agente público
ou de terceiro, deverá ser efetuado o integral ressarcimento a) o ato ímprobo em questão comporta a medida de indis-
do dano causado. ponibilidade de bens.
b) para configurar o ato ímprobo em questão, exige-se
conduta culposa, isto é, não se faz necessário dolo para
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

FIQUE ATENTO! sua caracterização.


Ao investigar um ato de improbidade que c) as disposições da Lei de Improbidade não se aplicam
cause prejuízo ao patrimônio público ou a Roberto, por ser parte ilegítima para figurar no pólo
que ensejar enriquecimento ilícito, caberá passivo de tal ação.
a autoridade administrativa responsável d) para configurar o ato ímprobo em questão, exige-se
pelo inquérito representar ao Ministério dano ao erário.
Público, para a indisponibilidade de bens e) caso Roberto venha a falecer, seu sucessor não estará
do indiciado, essa medida visa evitar que o sujeito a qualquer cominação prevista na Lei de Impro-
agente ativo do ato de improbidade aliene bidade.
seus bens de maneira fraudulenta visando
dar ineficácia a eventual determinação de Resposta: Letra A. O ato comporta o requerimento de
recomposição ao erário ou perda de bens. indisponibilidade de bens, conforme preceitua o art. 7º
Esta indisponibilidade de bens recairá sobre da lei. O ato de enriquecimento exige a conduta dolo-
bens que assegurem o integral ressarcimento sa, o que torna a alternativa b) errada. Roberto é sim
do dano, ou sobre o acréscimo patrimonial considerado agente público, vez que é servidor público
resultante do enriquecimento ilícito. municipal. A lei de Improbidade determina que a carac-
terização do ato de improbidade independe de dano ao
erário, art. 21, I, da lei. Os sucessores estão obrigados às
cominações da lei até o limite do valor do patrimônio
transferido.

22
2. 2017 - FCC - Técnico: Área Administrativa - DPE-RS A aplicação das sanções previstas nesta lei independe:
O zelador de uma escola pública, ocupante de cargo co- I - da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público,
missionado de Chefe de Vigilância, reside nas dependên- salvo quanto à pena de ressarcimento;
cias do equipamento público, em uma modesta construção Deixar de praticar ato é apenas uma conduta descrita
erguida no mesmo terreno, a fim de vigiar e controlar o na modalidade de ato de improbidade que afronta aos
acesso ao equipamento público. Descobriu-se, no entanto, princípios da administração.
que o mesmo alugava um dos espaços anexos da esco-
la para funcionamento, em algumas noites da semana, de 3. DOS ATOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA
uma casa de jogos de azar clandestina. No que se refere à A Lei de Improbidade define os atos de improbidade em
tipificação da conduta do zelador, 4 modalidades. Tratadas a seguir.

a) em razão da função desempenhada, enquadra-se no 3.1 Dos Atos de Improbidade Administrativa que
conceito de agente público e, como tal, sua conduta Importam Enriquecimento Ilícito
tipifica-se como ato de improbidade que gera enrique- O art. 9º da lei define os atos que importam
cimento ilícito, já tendo sido demonstrado o dolo do enriquecimento ilícito, note que os verbos que caracterizam
servidor. a conduta são: receber, perceber, utilizar, adquirir, aceitar,
b) pode configurar infração disciplinar ou mesmo criminal, incorporar e usar. Para diferenciar dos demais atos de
mas não se tipifica como ato de improbidade, na medida improbidade, lembre-se que nesta modalidade o agente
em que não houve qualquer prejuízo ao erário. aumentou seu patrimônio ou deixou de utilizá-lo, quando
c) se enquadra como ato de improbidade que atenta contra deveria, provocando assim um enriquecimento ilícito.
os princípios da Administração pública e, em se tratando Art. 9º da lei 8.429/1992.
de infração de mera conduta, basta a demonstração de Constitui ato de improbidade administrativa importando
culpa para a imposição de sanção. enriquecimento ilícito receber qualquer tipo de vantagem
d) este não pode ser equiparado a agente público para fins patrimonial indevida em razão do exercício de cargo,
de configuração de ato de improbidade, tampouco ser mandato, função, emprego ou atividade nos órgãos e
punido disciplinar ou criminalmente, razão pela qual entidades mencionados, e notadamente:
resta apenas a possibilidade de exoneração do mesmo. I - receber, para si ou para outrem, dinheiro, bem mó-
e) configura ato de improbidade que atenta contra os prin- vel ou imóvel, ou qualquer outra vantagem econômica,
cípios da administração, mas para sua configuração e direta ou indireta, a título de comissão, percentagem,
efetivo sancionamento, demanda o envolvimento de gratificação ou presente de quem tenha interesse, dire-
algum servidor estatutário ou celetista, pois o zelador to ou indireto, que possa ser atingido ou amparado por
exercia apenas função pública, não se enquadrando no ação ou omissão decorrente das atribuições do agente
conceito de agente público. público;
II - perceber vantagem econômica, direta ou indireta,
Resposta: Letra A. O zelador é considerado como agen- para facilitar a aquisição, permuta ou locação de bem
te público para os efeitos da lei, o artigo 2º da lei define móvel ou imóvel, ou a contratação de serviços pelas en-
agente público como sendo: tidades referidas no art. 1° por preço superior ao valor
Todo aquele que exerce, ainda que transitoriamente ou de mercado;
sem remuneração, por eleição, nomeação, designação, III - perceber vantagem econômica, direta ou indireta,
contratação ou qualquer outra forma de investidura ou para facilitar a alienação, permuta ou locação de bem

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


vínculo, mandato, cargo, emprego ou função nas entida- público ou o fornecimento de serviço por ente estatal
des mencionadas no artigo anterior. por preço inferior ao valor de mercado;
O ato configura ato de improbidade na modalidade de IV - utilizar, em obra ou serviço particular, veículos, má-
enriquecimento ilícito quinas, equipamentos ou material de qualquer natu-
reza, de propriedade ou à disposição de qualquer das
03. 2017 - UFU-MG - Técnico de Laboratório - Veterinária entidades mencionadas no art. 1° desta lei, bem como
Configura-se improbidade administrativa o trabalho de servidores públicos, empregados ou ter-
ceiros contratados por essas entidades;
a) somente se houver lesão ao Erário. V - receber vantagem econômica de qualquer natureza,
b) somente se houver enriquecimento ilícito. direta ou indireta, para tolerar a exploração ou a prá-
c) somente se retardar ou deixar de praticar, indevidamen- tica de jogos de azar, de lenocínio, de narcotráfico, de
te, ato de ofício. contrabando, de usura ou de qualquer outra atividade
d) somente se praticada por agente público ou com a par- ilícita, ou aceitar promessa de tal vantagem;
ticipação deste. VI - receber vantagem econômica de qualquer nature-
za, direta ou indireta, para fazer declaração falsa sobre
Resposta: Letra D. Os atos de improbidade são classifi- medição ou avaliação em obras públicas ou qualquer
cados em 4 modalidades de acordo com a lei, o prejuízo outro serviço, ou sobre quantidade, peso, medida, qua-
ao erário e o enriquecimento ilícito são apenas duas mo- lidade ou característica de mercadorias ou bens forne-
dalidades, além disso, o art. 21 da Lei de Improbidade cidos a qualquer das entidades mencionadas no art. 1º
determina: desta lei;

23
VII - adquirir, para si ou para outrem, no exercício de entidades referidas no art. 1º desta lei, ou ainda a pres-
mandato, cargo, emprego ou função pública, bens de tação de serviço por parte delas, por preço inferior ao
qualquer natureza cujo valor seja desproporcional à de mercado;
evolução do patrimônio ou à renda do agente público; V - permitir ou facilitar a aquisição, permuta ou locação
VIII - aceitar emprego, comissão ou exercer atividade de de bem ou serviço por preço superior ao de mercado;
consultoria ou assessoramento para pessoa física ou ju- VI - realizar operação financeira sem observância das
rídica que tenha interesse suscetível de ser atingido ou normas legais e regulamentares ou aceitar garantia in-
amparado por ação ou omissão decorrente das atribui- suficiente ou inidônea;
ções do agente público, durante a atividade; VII - conceder benefício administrativo ou fiscal sem a
IX - perceber vantagem econômica para intermediar a observância das formalidades legais ou regulamentares
liberação ou aplicação de verba pública de qualquer na- aplicáveis à espécie;
tureza; VIII - frustrar a licitude de processo licitatório ou de pro-
X - receber vantagem econômica de qualquer natureza, cesso seletivo para celebração de parcerias com entida-
direta ou indiretamente, para omitir ato de ofício, provi- des sem fins lucrativos, ou dispensá-los indevidamente;
dência ou declaração a que esteja obrigado; IX - ordenar ou permitir a realização de despesas não
XI - incorporar, por qualquer forma, ao seu patrimônio autorizadas em lei ou regulamento;
bens, rendas, verbas ou valores integrantes do acervo X - agir negligentemente na arrecadação de tributo ou
patrimonial das entidades mencionadas no art. 1° desta renda, bem como no que diz respeito à conservação do
lei; patrimônio público;
XII - usar, em proveito próprio, bens, rendas, verbas ou XI - liberar verba pública sem a estrita observância das
valores integrantes do acervo patrimonial das entidades normas pertinentes ou influir de qualquer forma para a
mencionadas no art. 1° desta lei. sua aplicação irregular;
Esses atos, já elencados, são um rol exemplificativo, ou XII - permitir, facilitar ou concorrer para que terceiro se
seja, poderão ser praticados outros atos de improbidade enriqueça ilicitamente;
que não necessariamente esses exemplos trazidos por ela. XIII - permitir que se utilize, em obra ou serviço parti-
Exemplo: Servidor que recebe dinheiro para utilizar cular, veículos, máquinas, equipamentos ou material de
maquinário público de terraplanagem, um trator, para fazer qualquer natureza, de propriedade ou à disposição de
serviços na casa de seu primo, sem obedecer ao que as leis, qualquer das entidades mencionadas no art. 1° desta lei,
normas ou regulamentos determinam. bem como o trabalho de servidor público, empregados
ou terceiros contratados por essas entidades.
3.2 Dos Atos de Improbidade Administrativa que XIV – celebrar contrato ou outro instrumento que tenha
Causam Prejuízo ao Erário por objeto a prestação de serviços públicos por meio da
Os atos que causam prejuízo ao erário, vão, em regra, gestão associada sem observar as formalidades previs-
caracterizar violações aos princípios da administração, tas na lei;
contudo, também irão dilapidar o erário público, ponto em XV – celebrar contrato de rateio de consórcio público
que diferenciam-se. sem suficiente e prévia dotação orçamentária, ou sem
Art. 10º da lei. observar as formalidades previstas na lei.
Constitui ato de improbidade administrativa que causa XVI - facilitar ou concorrer, por qualquer forma, para a
lesão ao erário qualquer ação ou omissão, dolosa ou incorporação, ao patrimônio particular de pessoa física
culposa, que enseje perda patrimonial, desvio, apropriação, ou jurídica, de bens, rendas, verbas ou valores públicos
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres dos transferidos pela administração pública a entidades pri-
órgãos e entidades referidas na lei, e notadamente: vadas mediante celebração de parcerias, sem a obser-
I - facilitar ou concorrer por qualquer forma para a in- vância das formalidades legais ou regulamentares apli-
corporação ao patrimônio particular, de pessoa física ou cáveis à espécie;
jurídica, de bens, rendas, verbas ou valores integrantes XVII - permitir ou concorrer para que pessoa física ou
do acervo patrimonial das entidades mencionadas no jurídica privada utilize bens, rendas, verbas ou valores
art. 1º desta lei; públicos transferidos pela administração pública a en-
II - permitir ou concorrer para que pessoa física ou ju- tidade privada mediante celebração de parcerias, sem a
rídica privada utilize bens, rendas, verbas ou valores observância das formalidades legais ou regulamentares
integrantes do acervo patrimonial das entidades men- aplicáveis à espécie;
cionadas no art. 1º desta lei, sem a observância das for- XVIII - celebrar parcerias da administração pública com
malidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie; entidades privadas sem a observância das formalidades
III - doar à pessoa física ou jurídica bem como ao ente legais ou regulamentares aplicáveis à espécie;
despersonalizado, ainda que de fins educativos ou as- XIX - agir negligentemente na celebração, fiscalização e
sistências, bens, rendas, verbas ou valores do patrimônio análise das prestações de contas de parcerias firmadas
de qualquer das entidades mencionadas no art. 1º desta pela administração pública com entidades privadas;
lei, sem observância das formalidades legais e regula- XX - liberar recursos de parcerias firmadas pela adminis-
mentares aplicáveis à espécie; tração pública com entidades privadas sem a estrita ob-
IV - permitir ou facilitar a alienação, permuta ou loca- servância das normas pertinentes ou influir de qualquer
ção de bem integrante do patrimônio de qualquer das forma para a sua aplicação irregular.

24
XXI - liberar recursos de parcerias firmadas pela admi- VIII - descumprir as normas relativas à celebração, fisca-
nistração pública com entidades privadas sem a estrita lização e aprovação de contas de parcerias firmadas pela
observância das normas pertinentes ou influir de qual- administração pública com entidades privadas.
quer forma para a sua aplicação irregular. IX - deixar de cumprir a exigência de requisitos de aces-
Estes vinte e um (21) incisos também são um rol sibilidade previstos na legislação.
exemplificativo. A expressão notadamente no “caput” denota o caráter
Exemplo: Servidor que utiliza maquinário público de exemplificativo deste rol.
terraplanagem, por exemplo um trator, para fazer serviços Exemplo: Servidor que nega publicidade a uma
na casa de seu primo, sem obedecer ao que as leis, normas informação pública que não está acobertada sob nenhum
ou regulamentos determinam. grau de sigilo.

3.3 Dos Atos de Improbidade Administrativa


Decorrentes de Concessão ou Aplicação Indevida de #FicaDica
Benefício Financeiro ou Tributário
Esta modalidade de ato, fora incluída, posteriormente a Um ato pode ser qualificado e mais de
edição da lei, dentro da seção II A. uma modalidade, por exemplo, um ato de
Art. 10A. improbidade, praticado, que importe em
Constitui ato de improbidade administrativa qualquer enriquecimento ilícito, ele, em regra, também
ação ou omissão para conceder, aplicar ou manter benefício contrariará algum princípio da administração,
financeiro ou tributário contrário ao que dispõem o caput para não se confundir e acertar este tipo de
e o § 1º do art. 8º-A da Lei Complementar nº 116, de 31 de questão, você deve identificar qual penalidade
julho de 2003. é mais grave poderá ser imputada ao agente e
Exemplo: servidor que concede indevidamente benefício caracterizar o ato nessa modalidade.
tributário para administrado para que ele pague o Imposto
Sobre Serviços de Qualquer Natureza com alíquota inferior
ao que é determinado. Note que a diferença do primeiro
exemplo consiste no recebimento da vantagem indevida. EXERCÍCIO COMENTADO

3.4 Dos Atos de Improbidade Administrativa que 1. 2017 - COMPERVE- - Técnico do Ministério Público Es-
Atentam Contra os Princípios da Administração Pública tadual - Área Administrativa - MPE RN
A Administração Pública é norteada por princípios, Improbidade administrativa pode ser definida como atuação
temos os princípios constitucionais expressos e implícitos, contrária à honestidade e à correção de atitude, sendo tam-
além disso, outras leis regularão princípios norteadores, bém chamada de corrupção administrativa. Com relação aos
como exemplo a lei que regula o processo administrativo atos de improbidade administrativa, matéria regulada pela
em âmbito federal. São exemplos de princípios tratados lei 8.429/92,
expressamente na lei de improbidade: a legalidade, a
impessoalidade, a publicidade e a honestidade. a) utilizar em serviço particular o trabalho de terceirizado da
Art. 11º da lei. administração direta não configura ato de improbidade
Constitui ato de improbidade administrativa que atenta administrativa.

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


contra os princípios da administração pública qualquer b) o servidor público pode ser responsabilizado por atos de
ação ou omissão que viole os deveres de honestidade, improbidade administrativa, sendo vedado o enquadra-
imparcialidade, legalidade, e lealdade às instituições, e mento dos demais agentes na referida lei.
notadamente: c) o sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio públi-
I - praticar ato visando fim proibido em lei ou regula- co ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às comina-
mento ou diverso daquele previsto, na regra de com- ções da lei até o limite do valor da herança.
petência; d) negar publicidade aos atos oficiais, embora seja conside-
II - retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de rado ato ofensivo aos princípios da administração públi-
ofício; ca, não constitui ato de improbidade administrativa.
III - revelar fato ou circunstância de que tem ciência em
razão das atribuições e que deva permanecer em segre- Resposta: Letra C. Alternativa a) errada, pois poderá
do; configurar ato de improbidade na modalidade de enri-
IV - negar publicidade aos atos oficiais; quecimento ilícito, conforme art. 9º, IV da lei. A expressão
V - frustrar a licitude de concurso público; agente público abarca também os servidores, contudo,
VI - deixar de prestar contas quando esteja obrigado a não se limita a eles. O sucessor responde até o limite do
fazê-lo; valor do patrimônio transferido. Negar publicidade a atos
VII - revelar ou permitir que chegue ao conhecimento de oficiais, quando não acobertados por sigilo, configura ato
terceiro, antes da respectiva divulgação oficial, teor de de improbidade, em regra, na modalidade de atos que
medida política ou econômica capaz de afetar o preço atentam contra a administração.
de mercadoria, bem ou serviço.

25
2. 2017 - VUNESP- Escrevente Técnico Judiciário - TJ-SP 4. 2017 - FGV - TRT - 12ª Região - Técnico Judiciário -
Suponha que Secretário da Fazenda de um estado qualquer Área Administrativa
da Federação aceite exercer, nas horas vagas, concomitante- José, servidor público federal ocupante do cargo de Técnico
mente ao exercício do cargo público, atividades de consul- Judiciário do TRT, recebeu, para si, a quantia de cinco mil
toria a empresas sujeitas ao recolhimento do ICMS, tribu- reais em dinheiro, a título de presente, de um reclamante
to estadual. Nesse caso, à luz do previsto na Lei Federal n° em uma reclamação trabalhista, para agilizar a tramitação de
8.429/92, a conduta descrita pode ser considerada seu processo no cartório judicial da Vara do Trabalho. Poste-
riormente, José se arrependeu e não alterou a ordem natural
a) ato de improbidade administrativa que atenta contra os de processamento dos feitos de sua responsabilidade, mas
princípios da Administração Pública. não devolveu o valor recebido ao particular.
b) ato de improbidade administrativa que importa enrique- No caso em tela, de acordo com as disposições da Lei nº
cimento ilícito. 8.429/92 e com a jurisprudência:
c) indiferente, pois não caracteriza nenhuma das hipóteses
de ato de improbidade administrativa previstas. a) José cometeu ato de improbidade administrativa, por
d) ato de improbidade administrativa decorrente de con- conduta dolosa, ainda que não tenha havido prejuízo ao
cessão ou aplicação indevida de benefício financeiro ou erário, mas o particular não pode responder por improbi-
tributário. dade porque não é agente público;
e) ato de improbidade administrativa que causa prejuízo ao b) José não cometeu ato de improbidade administrativa, por
Erário. arrependimento eficaz, já que não cumpriu o prometido
ao reclamante e porque não houve prejuízo ao erário, e o
Resposta: Letra B. A Lei de Improbidade define como particular também não pode responder por improbidade,
sendo ato de Improbidade na modalidade de enriqueci- pois não é agente público;
mento ilícito no art. 9º, VIII: c) José cometeu crime de improbidade administrativa, por
Aceitar emprego, comissão ou exercer atividade de con- conduta dolosa, ainda que não tenha havido prejuízo ao
sultoria ou assessoramento para pessoa física ou jurídica erário, e o particular responde pelo mesmo crime, em
que tenha interesse suscetível de ser atingido ou ampa- concurso de agentes, pois é considerado agente público
rado por ação ou omissão decorrente das atribuições do por equiparação legal;
agente público, durante a atividade; d) José cometeu ato de improbidade administrativa, por
conduta dolosa que importou seu enriquecimento ilícito,
3. 2017 - VUNESP - Agente Previdenciário - IPRESB - SP sendo o prejuízo ao erário prescindível para a configura-
Considere a seguinte situação hipotética: servidor do Insti- ção do ato ímprobo, e o particular também responde por
tuto de Previdência Social dos Servidores de Barueri utiliza a improbidade porque concorreu para o ato;
máquina copiadora e papel sulfite, existentes na repartição, e) José e o particular praticaram, em concurso de agentes,
para tirar cópias de material que empregará em aulas vo- crime de improbidade administrativa, na modalidade cul-
luntárias sobre cidadania, que ministra, gratuitamente, aos posa, porque houve dano moral ao erário que deve ser
sábados, fora do horário do expediente. A conduta do servi- objeto de ressarcimento por parte dos agentes.
dor, à luz da Lei Federal n° 8.429/92,
Resposta: Letra D. O ART. 9º da lei, define as condutas
a) constitui ato de improbidade administrativa que importa que configuram o enriquecimento ilícito, elemento ne-
enriquecimento ilícito. cessário é o dolo, diferente do prejuízo ao erário que é
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

b) constitui ato de improbidade administrativa que causa prescindível, dispensável. O particular responde também
prejuízo ao erário. pelo ato de improbidade.
c) constitui ato de improbidade administrativa que atenta
contra os princípios da Administração Pública. 5. 2017 - FCM - IF - Assistente em Administração
d) constitui ato de improbidade administrativa decorrente Nos termos da Lei n° 8.429/1992, receber vantagem econô-
de concessão ou aplicação indevida de benefício finan- mica indiretamente para omitir declaração a que esteja obri-
ceiro ou tributário. gado, ordenar a realização de despesas não autorizadas em
e) não constitui ato de improbidade, pois o uso não era em lei e negar publicidade aos atos oficiais constituem, respec-
proveito próprio, mas sim de quaisquer cidadãos que fre- tivamente, os seguintes atos de improbidade administrativa:
quentem o curso.
O servidor praticou ato de improbidade na modalidade de a) atentatório aos princípios da administração / causador de
enriquecimento ilícito, uma vez que utilizou em serviço dano ao erário / causador de enriquecimento ilícito.
particular material público. Art. 9º, VI: b) atentatório aos princípios da administração / causador de
enriquecimento ilícito / causador de dano ao erário.
Resposta: Letra A. Utilizar, em obra ou serviço particular, c) causador de dano ao erário / atentatório aos princípios da
veículos, máquinas, equipamentos ou material de qual- administração / causador de enriquecimento ilícito.
quer natureza, de propriedade ou à disposição de qual- d) causador de enriquecimento ilícito / causador de dano ao
quer das entidades mencionadas no art. 1° desta lei, bem erário / atentatório aos princípios da administração.
como o trabalho de servidores públicos, empregados ou e) causador de dano ao erário / causador de enriquecimento
terceiros contratados por essas entidades; ilícito / atentatório aos princípios da administração.

26
Resposta: Letra D. Receber vantagem econômica, mesmo que indiretamente para omitir declaração a que esteja obrigado
configura ato que importa em enriquecimento ilícito, houve um aumento de patrimônio indevido. Ordenar a realização de
despesas não autorizadas, causa prejuízo ao erário e negar publicidade a atos oficiais fere o princípio da publicidade.

4. DAS PENAS
As responsabilidades são independentes, portanto as sanções penais, civis e administrativas não possuem dependência,
em regra.
Art 12º: Independentemente das sanções penais, civis e administrativas previstas na legislação específica, está o responsável
pelo ato de improbidade sujeito às seguintes cominações, que podem ser aplicadas isolada ou cumulativamente, de acordo
com a gravidade do fato:
I - na hipótese de enriquecimento ilícito, perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, ressarcimento
integral do dano, quando houver, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos, pagamento
de multa civil de até três vezes o valor do acréscimo patrimonial e proibição de contratar com o Poder Público ou receber
benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual
seja sócio majoritário, pelo prazo de dez anos;
II - na hipótese prejuízo ao erário, ressarcimento integral do dano, perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao
patrimônio, se concorrer esta circunstância, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos,
pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano e proibição de contratar com o Poder Público ou receber
benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual
seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos;
III - na hipótese de ofensa aos princípios da administração pública, ressarcimento integral do dano, se houver, perda da
função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até cem vezes o valor
da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos
fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário,
pelo prazo de três anos.
IV - na hipótese de Concessão ou Aplicação Indevida de Benefício Financeiro ou Tributário, perda da função pública, sus-
pensão dos direitos políticos de 5 (cinco) a 8 (oito) anos e multa civil de até 3 (três) vezes o valor do benefício financeiro
ou tributário concedido.
Na fixação das penas previstas nesta lei o juiz levará em conta a extensão do dano causado, assim como o proveito
patrimonial obtido pelo agente.

#FicaDica

perda dos
bens ou ressarcimento perda da suspensão proibição
pagamento
valores integral função dos direitos de
de multa
acrescidos do dano pública políticos contratar
ilicitamente

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


até 3 vezes o
enriquecimento valor do
x se houver x 08 – 10 anos 10 anos
ilícito acrécimo
patrimonial
multa civil
prejuízo ao de até 2
se houver x x 05 – 08 anos 5 anos
erário vezes o valor
do dano
multa civil
benefício de até 3
x 05 - 08 anos
tributário vezes o valor
do benefício
multa civil
de até 100
atentatório aos
se houver x 03 – 05 anos vezes o 3 anos
princípios
valor da
remuenração

27
da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos.
EXERCÍCIO COMENTADO Aquele que induzir, participar ou beneficiar também res-
ponde pelas sanções previstas na lei. As sanções previs-
1. 2017 - IBADE - Agente de Polícia Civil - PC-AC tas em lei independem de prejuízo ao erário.
Relativamente às disposições da Lei n° 8.429/1992, que
trata da improbidade administrativa, assinale a alternativa 2. 2017 - UECE-CEV - Socioeducador - SEAS - CE
correta. No que diz respeito a atos de improbidade administrativa,
assinale a opção que completa, correta e respectivamente,
a) O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio pú- as lacunas do seguinte dispositivo legal:
blico ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às san- “Os atos de improbidade administrativa importarão a
ções de improbidade --administrativa independente- ________________¹ dos direitos políticos, a perda da fun-
mente de limites, como o valor da herança. ção pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarci-
b) Os atos de improbidade administrativa que importem mento ao erário, na forma e gradação previstas em lei,
prejuízo ao erário poderão resultar na perda dos bens ________________²”.
ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, res-
sarcimento integral do dano, quando houver, perda da a) suspensão¹ — afastando-se a ação penal cabível²
função pública, suspensão dos direitos políticos de oito b) perda¹ — sem prejuízo da ação penal cabível²
a dez anos, pagamento de multa civil de até três vezes o c) suspensão¹ — sem prejuízo da ação penal cabível²
valor do acréscimo patrimonial e proibição de contratar d) perda¹ — afastando-se a ação penal cabível²
com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos
fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que Resposta: Letra C. Os direitos políticos são suspensos,
por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio ma- cuidado, eles não são cassados, além disso, as respon-
joritário, pelo prazo de dez anos. sabilidades, administrativa, civil e criminal são indepen-
c) Estão sujeitos às sanções da Lei de Improbidade Ad- dentes.
ministrativa os atos ímprobos praticados contra o pa-
trimônio de entidade que receba subvenção, benefício
3. 2017 - VUNESP - Escrevente Técnico Judiciário - TJ-
ou incentivo, fiscal ou creditício, de órgão público bem
SP
como daquelas para cuja criação ou custeio o erário haja
Assinale a alternativa que corretamente discorre sobre as
concorrido ou concorra com menos de cinquenta por
penas previstas na Lei de Improbidade Administrativa.
cento do patrimônio ou da receita anual, limitando-se,
nestes casos, a sanção patrimonial à repercussão do ilí-
a) No caso de condenação por ato de improbidade admi-
cito sobre a contribuição dos cofres públicos.
nistrativa decorrente de concessão ou aplicação inde-
d) Como as sanções por ato de improbidade administra-
vida de benefício financeiro ou tributário, não cabe a
tiva apenas são aplicáveis a agentes públicos, eventual
particular que induza ou concorra para a prática de ato aplicação da pena de perda da função pública.
ímprobo apenas poderá ser responsabilizado na esfera b) A aplicação das penas previstas na Lei de Improbidade
criminal. Administrativa impede a aplicação das demais sanções
e) Determinado agente público tornou-se réu em ação de penais, civis e administrativas previstas em legislação
improbidade administrativa. Segundo o Ministério Pú- específica.
c) Na fixação das penas previstas na Lei de Improbidade
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

blico, o aludido servidor teria causado lesão ao erário


em razão de perda patrimonial de bens móveis do Es- Administrativa, o juiz levará em conta a extensão do
tado do Acre. Durante o curso do processo judicial, o dano causado, assim como o proveito patrimonial obti-
controle interno do órgão ao qual o servidor está lotado do pelo agente.
concluiu que o referido ato ímprobo não causou prejuí- d) A pena de proibição de contratar com o Poder Público
zo ao erário. A partir desta informação superveniente do ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou credití-
órgão de controle interno, não deverá haver aplicação cios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio
das sanções por ato de improbidade administrativa ao de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, terá o
agente público processado. prazo máximo de 2 (dois) anos.
e) As penas previstas na Lei de Improbidade Administrativa
Resposta: Letra C. O sucessor será está sujeito às san- deverão ser aplicadas cumulativamente, exceto quan-
ções até o limite da herança. Prejuízo ao erário acarreta do se tratar de ato de improbidade administrativa que
ressarcimento integral do dano, perda dos bens ou va- atente contra os princípios da Administração Pública.
lores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, se concorrer
esta circunstância, perda da função pública, suspensão Resposta: Letra C. No caso de condenação por ato
dos direitos políticos de cinco a oito anos, pagamento de improbidade administrativa decorrente de conces-
de multa civil de até duas vezes o valor do dano e proibi- são ou aplicação indevida de benefício financeiro ou
ção de contratar com o Poder Público ou receber bene- tributário, cabe a aplicação da pena de perda da fun-
fícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indi- ção pública. As responsabilidade são independentes. A
retamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica pena de proibição de contratar com o Poder Público ou

28
receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, Atendidos os requisitos da representação, a autoridade
direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de determinará a imediata apuração dos fatos que, serão
pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, terá o pra- processados de acordo com o processo disciplinar definido
zo máximo de 10 anos. Não existe a exceção prevista na pelas Leis que regulam o Regime Jurídico do Servidores
alternativa e). Públicos, por exemplo, servidores federais serão regulados
pela Lei 8.112/1990, servidores estaduais serão regulados
5. DA DECLARAÇÃO DE BENS pelos Estatutos de cada Estado e, em se tratando de
Para que o agente público possa tomar posse ou entrar servidor militar, de acordo com os respectivos regulamentos
em exercício, ele deverá apresentar uma declaração dos disciplinares.
bens e valores que compõem o seu patrimônio privado, essa A apuração de infração disciplinar é feita em regra através
declaração será anualmente atualizada e também na data de processos investigatórios denominados Sindicância ou
em que o agente público deixar o exercício do mandato, Processo Administrativo Disciplinar, sendo escolhido um ou
cargo, emprego ou função. A atualização da declaração a outro de acordo com a penalidade a ser aplicada. Quando da
que se refere a lei poderá ser feita com a entrega da cópia instauração destes procedimentos há a nomeação de uma
da declaração anual de bens apresentada à Delegacia da comissão, dentre as atribuições desta comissão, previstas
Receita Federal na conformidade da legislação do Imposto na lei de improbidade está dar conhecimento ao Ministério
sobre a Renda e proventos de qualquer natureza, com as Público e ao Tribunal ou Conselho de Contas da existência
necessárias atualizações de procedimento administrativo para apurar a prática de ato
A declaração compreenderá imóveis, móveis, de improbidade, e ainda, representar ao Ministério Público
semoventes, dinheiro, títulos, ações, e qualquer outra ou à procuradoria do órgão para que requeira ao juízo
espécie de bens e valores patrimoniais, localizado no País competente a decretação do seqüestro dos bens do agente
ou no exterior, e, quando for o caso, abrangerá os bens ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado
e valores patrimoniais do cônjuge ou companheiro, dos dano ao patrimônio público, O pedido de seqüestro será
filhos e de outras pessoas que vivam sob a dependência processado de acordo com o disposto nos arts. 822 e 825
econômica do declarante, excluídos apenas os objetos e do Código de Processo Civil.
utensílios de uso doméstico. O Ministério Público ou Tribunal ou Conselho de Contas
poderá, a requerimento, designar representante para
acompanhar o procedimento administrativo.
Quando for o caso, o pedido incluirá a investigação, o
FIQUE ATENTO!
exame e o bloqueio de bens, contas bancárias e aplicações
Na hipótese que o agente público se recusar financeiras mantidas pelo indiciado no exterior, nos termos
a prestar a declaração de bens, dentro do pra- da lei e dos tratados internacionais.
zo determinado, ou a prestar falsa será punido A ação principal, que terá o rito ordinário, será proposta
com a pena de demissão a bem do serviço pú- pelo Ministério Público ou pela pessoa jurídica interessada,
blico, sem prejuízo de outras sanções cabíveis, dentro de trinta dias da efetivação da medida cautelar.
tendo em vista o caráter da independência en- É vedada a transação, acordo ou conciliação nas ações
tre as responsabilidades civil, administrativa e de Improbidade Administrativa.
criminal, quando couberem e com as ressalvas A Fazenda Pública, quando for o caso, promoverá as
legais. ações necessárias à complementação do ressarcimento do
patrimônio público.

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


No caso de a ação principal ter sido proposta pelo
6. DO PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO E Ministério Público, aplica-se, no que couber, o disposto no §
JUDICIAL 3o do art. 6o da Lei no 4.717, de 29 de junho de 1965.
Qualquer pessoa poderá representar à autoridade O Ministério Público, se não intervir no processo como
administrativa competente para que seja instaurada parte, atuará obrigatoriamente, como fiscal da lei, sob pena
investigação destinada a apurar a prática de ato de de nulidade.
improbidade. A propositura da ação prevenirá a jurisdição do juízo para
Essa representação deverá conter alguns requisitos: todas as ações posteriormente intentadas que possuam a
1) Deve ser escrita ou reduzida a termo e assinada; mesma causa de pedir ou o mesmo objeto.
2) Deve conter a qualificação do representante; A ação será instruída com documentos ou justificação
3) Deve conter informações sobre o fato e sua autoria que contenham indícios suficientes da existência do
4) Haver a indicação das provas de que tenha conheci- ato de improbidade ou com razões fundamentadas da
mento. impossibilidade de apresentação de qualquer dessas provas,
observada a legislação vigente, inclusive as disposições
A autoridade administrativa rejeitará a representação, inscritas nos artigos. 16 a 18 do Código de Processo Civil.
em despacho fundamentado, se esta não preencher os Estando a inicial em devida forma, o juiz mandará autuá-
requisitos acima. la e ordenará a notificação do requerido, para oferecer
A rejeição da representação pela autoridade manifestação por escrito, que poderá ser instruída com
administrativa não obsta a representação ao Ministério documentos e justificações, dentro do prazo de quinze
Público, nos termos do art. 22 da lei de improbidade. dias.

29
Recebida a manifestação, o juiz, no prazo de trinta dias, 2. 2017 - VUNESP - Escrevente Técnico Judiciário - TJ-SP
em decisão fundamentada, rejeitará a ação, se convencido No processo judicial de improbidade administrativa, o Mi-
da inexistência do ato de improbidade, da improcedência nistério Público
da ação ou da inadequação da via eleita.
Recebida a petição inicial, será o réu citado para a) se não intervir no processo como parte, atuará obrigato-
apresentar contestação. riamente, como fiscal da lei, sob pena de nulidade.
Da decisão que receber a petição inicial, caberá agravo b) atuará somente como fiscal da lei, mas promoverá as
de instrumento. ações necessárias à complementação do ressarcimento
Em qualquer fase do processo, reconhecida a do patrimônio público.
inadequação da ação de improbidade, o juiz extinguirá o c) atuará somente como autor, não intervindo se a pessoa
processo sem julgamento do mérito. jurídica interessada propuser a ação ordinária.
Aplica-se aos depoimentos ou inquirições realizadas d) é o único legitimado a propor a ação ordinária, dentro
nos processos regidos por esta Lei o disposto no art. 221, de trinta dias da efetivação da medida cautelar.
caput e § 1o, do Código de Processo Penal. e) poderá abster-se de contestar o pedido, ou poderá atuar
Para os efeitos deste artigo, também se considera ao lado do autor, desde que isso se afigure útil ao in-
pessoa jurídica interessada o ente tributante que figurar no teresse público, a juízo do Procurador Geral de Justiça.
pólo ativo da obrigação tributária de que tratam o § 4º do
art. 3º e o art. 8º-A da Lei Complementar nº 116, de 31 de Resposta: Letra A. No processo judicial o Ministério Pú-
julho de 2003. (Incluído pela Lei Complementar nº 157, de blico age ou como parte ou como fiscal da lei. A pessoa
2016) jurídica interessa pode figurar no pólo ativo. O Ministé-
A sentença que julgar procedente ação civil de rio Público não pode abster-se de contestar o pedido
reparação de dano ou decretar a perda dos bens havidos
ilicitamente determinará o pagamento ou a reversão 3. 2017 - FCM - IF - Assistente em Administração
dos bens, conforme o caso, em favor da pessoa jurídica Segundo o que determina a Lei nº 8.429, de 2 de junho de
prejudicada pelo ilícito. 1992, é INCORRETO afirmar que

a) o Ministério Público, se não intervir no processo como


parte, atuará, obrigatoriamente, como fiscal da lei, sob
EXERCÍCIO COMENTADO pena de nulidade.
b) o sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio pú-
1. 2017 - VUNESP - Escrevente Técnico Judiciário - TJ-SP blico ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às comi-
O procedimento administrativo previsto na Lei Federal n° nações da Lei de Improbidade Administrativa até o limi-
8.429/92, destinado a apurar a prática de ato de improbi- te do valor da herança.
dade, c) qualquer autoridade, desde que noticiada acerca de ato
ímprobo causador de lesão ao erário ou de enriqueci-
a) será iniciado por representação, que será escrita ou re- mento ilícito, poderá representar ao Juiz de Direito para
duzida a termo, podendo o representante permanecer a indisponibilidade de bens do indiciado.
anônimo, se assim o desejar. d) as ações destinadas a levar a efeitos as sanções previstas
b) poderá acarretar o exame e o bloqueio de bens, contas na Lei de Improbidade Administrativa podem ser pro-
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

bancárias e aplicações financeiras mantidas pelo indicia- postas em até cinco anos, após o término do exercício
do no exterior, se for o caso. de mandato de cargo em comissão ou de função de
c) poderá compreender o decreto de sequestro dos bens confiança.
do agente ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamen- e) a sentença que julgar procedente a ação civil de repa-
te ou causado dano ao patrimônio público. ração de dano ou decretar a perda dos bens havidos
d) impedirá a apuração dos fatos pelo Ministério Público, ilicitamente determinará o pagamento ou a reversão dos
caso se conclua pela improcedência das acusações. bens, conforme o caso, em favor da pessoa jurídica pre-
e) deverá ser levado ao conhecimento do Ministério Públi- judicada pelo ilícito.
co e do Tribunal ou Conselho de Contas, pela Comissão
Processante. Resposta: Letra C. Não é qualquer autoridade, são
exemplos de pessoas que poderão figurar no pólo pas-
Resposta: Letra E. A representação não pode ser anô- sivo O Ministério Público e a pessoa jurídica interessada,
nima. O procedimento administrativo não poderá acar- não confunda com o direito de qualquer pessoa levar
retar o no bloqueio de bens, contas bancárias e apli- ao conhecimento da autoridade competente ato de im-
cações financeiras mantidas pelo indiciado ou terceiros probidade.
no exterior, para que isso aconteça deve ser feita uma
representação ao Ministério Público ou à Procuradoria
para manifestação judicial. Não impede a apuração dos
fatos pelo Ministério Público.

30
7. DAS DISPOSIÇÕES PENAIS d) a ausência de formalidades na representação, para que
A Lei de improbidade define alguns crimes. seja instaurada investigação destinada a apurar a prática
Art. 19º da lei. de ato de improbidade, se dá em razão da universalida-
Constitui crime a representação por ato de improbidade de do acesso à transparência na administração pública.
contra agente público ou terceiro beneficiário, quando o e) será punido com advertência o agente público que se
autor da denúncia o sabe inocente. recusar a prestar declaração dos bens, dentro do prazo
Pena: detenção de seis a dez meses e multa. determinado, ou cuja prestação seja falsa.
Além da sanção penal, o denunciante está sujeito a
indenizar o denunciado pelos danos materiais, morais ou Resposta: Letra B. Detenção e não prisão. Os atos de
à imagem que houver provocado. improbidade são divididos em 4 classes. Na representa-
A perda da função pública e a suspensão dos direitos ção os requisitos devem ser preenchidos e não ignora-
políticos só se efetivam com o trânsito em julgado da dos. A penalidade para o agente público que se recusar
sentença condenatória, ou seja, só se efetivam a partir da a prestar declaração dos bens, dentro do prazo deter-
decisão da qual já não caiba mais recurso. minado, ou cuja prestação seja falsa será punido com
A autoridade judicial ou administrativa competente demissão, a bem do serviço público.
poderá determinar o afastamento do agente público do
exercício do cargo, emprego ou função, sem prejuízo 8. DA PRESCRIÇÃO
da remuneração, quando a medida se fizer necessária à A prescrição é um instituto do direito que ocasiona a
instrução processual. perda do direito de punir do Estado pelo decurso de lapso
temporal, perdeu o prazo, perdeu o direito de punir.
Art. 21º Art. 23.
A aplicação das sanções previstas nesta lei independe: As ações destinadas a levar a efeitos as sanções previs-
I - da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio públi- tas nesta lei podem ser propostas:
co, salvo quanto à pena de ressarcimento;. I - até cinco anos após o término do exercício de man-
II - da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão dato, de cargo em comissão ou de função de confiança;
de controle interno ou pelo Tribunal ou Conselho de
II - dentro do prazo prescricional previsto em lei espe-
Contas.
cífica para faltas disciplinares puníveis com demissão
a bem do serviço público, nos casos de exercício de
#FicaDica cargo efetivo ou emprego.
III - até cinco anos da data da apresentação à adminis-
O dano ao patrimônio público é prescindível tração pública da prestação de contas final pelas enti-
para aplicação das sanções previstas em lei. dades referidas no parágrafo único do art. 1o desta Lei.

9. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS


Art. 22º Para apurar qualquer ilícito previsto nesta lei, o
Ministério Público, de ofício, a requerimento de autoridade Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
administrativa ou mediante representação formulada Ficam revogadas as Leis n°s 3.164, de 1° de junho
de acordo com o disposto no art. 14, poderá requisitar de 1957, e 3.502, de 21 de dezembro de 1958 e demais
a instauração de inquérito policial ou procedimento disposições em contrário.

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


administrativo.

EXERCÍCIO COMENTADO
EXERCÍCIO COMENTADO
1. 2017 – UFES - Assistente em Administração
1. 2017 - FCM - IF - Assistente em Administração Sobre a Lei de Improbidade Administrativa, analise as se-
A respeito da Lei de Improbidade Administrativa, é correto guintes afirmativas:
afirmar que I.. É vedada a transação, o acordo ou a conciliação nas
ações de improbidade administrativa.
a) a prisão é uma sanção prevista na Lei nº 8.429/92 em II. Constitui crime a representação por ato de improbidade
decorrência da prática de ato de improbidade adminis- contra agente público ou terceiro beneficiário, quando o
trativa. autor da denúncia o sabe inocente.
b) o Ministério Público, se não intervir no processo como III. A aplicação das sanções previstas na Lei de Improbida-
parte, atuará obrigatoriamente como fiscal da lei, sob de Administrativa independe da aprovação ou rejeição das
pena de nulidade. contas pelo órgão de controle interno ou pelo Tribunal ou
c) os atos de improbidade administrativa são divididos em Conselho de Contas.
duas classes: aqueles que importam em enriquecimento É CORRETO o que se afirma em
ilícito e aqueles que causam prejuízo ao erário.

31
a) I, apenas.
b) I e II, apenas.
c) I e III, apenas. HORA DE PRATICAR!
d) II e III, apenas.
e) I, II e III. Assinale como certo ou errado:

Resposta: Letra E. Os acordos, conciliações e transações 1. É considerado agente público, apenas aquele que exerce
não serão permitidos nas ações de improbidade. A re- transitoriamente função na Administração Pública direta e
presentação, sabendo da inocência do acusado constitui indireta.
crime. A aplicação das sanções previstas na Lei de Impro-
bidade Administrativa independe da aprovação ou rejei- ( ) Certo ( ) Errado
ção das contas pelo órgão de controle interno ou pelo
Tribunal ou Conselho de Contas, ou ainda, do prejuízo 2. Podem ser sujeitos passivos de ato de improbidade os
ao erário. órgãos da administração direta, mas não as entidades da
administração indireta.
2. 2017 - FCC - TRT - 24ª REGIÃO - Técnico Judiciário -
Área Administrativa ( ) Certo ( ) Errado
Onofre, auditor fiscal da Receita Federal, recebeu vantagem
econômica para tolerar a prática de contrabando, razão pela 3. As disposições da Lei de Improbidade aplicam-se so-
qual foi processado por improbidade administrativa. Nos mente aos agentes públicos.
termos da Lei no 8.429/1992, a conduta de Onofre insere-
-se expressamente na modalidade de ato de improbidade ( ) Certo ( ) Errado
administrativa
4. O princípio da eficiência está expressamente previsto no
a) causador de prejuízo ao erário, não sendo necessária a texto da lei de improbidade ? Artigo 4º da lei.
efetiva ocorrência de prejuízo ao erário para que reste
configurado o ato ímprobo.
( ) Certo ( ) Errado
b) causador de prejuízo ao erário, sendo necessário, dentre
outros elementos, a conduta dolosa para a configuração
5. O integral ressarcimento do dano, devido à lesão ao pa-
do ato ímprobo.
trimônio público, ocorrerá somente de modo comissivo,
c) que atenta contra os princípios da Administração públi-
na modalidade dolosa, por ato cometido exclusivamente
ca, sendo necessário, dentre outros elementos, conduta
meramente culposa para a configuração do ato ímprobo. por agente público.
d) que importa enriquecimento ilícito, sendo necessário,
dentre outros elementos, a conduta dolosa para a confi- ( ) Certo ( ) Errado
guração do ato ímprobo. 6. Na hipótese de cometimento de ato de improbidade
e) que importa enriquecimento ilícito, sendo necessário, na modalidade de enriquecimento ilícito, perderá o agente
dentre outros elementos, conduta meramente culposa público ou terceiro beneficiário os bens ou valores acresci-
para a configuração do ato ímprobo. dos ao seu patrimônio.
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

Resposta: Letra D. O recebimento de vantagem econô- ( ) Certo ( ) Errado


mica para tolerar a prática de atividades ilegais constitui
ato de improbidade na modalidade de enriquecimento 7. Quando o ato de improbidade causar lesão ao patri-
ilícito, que exige o dolo como elemento. mônio público, ensejar enriquecimento ilícito, ou ainda,
ofender aos princípios básicos da administração pública,
3. Ano: 2017Banca: UFU-MGÓrgão: UFU-MGProva: Téc- caberá ao superior hierárquico do servidor representar ao
nico em Radiologia Ministério Público, para a indisponibilidade dos bens do
Configura-se improbidade administrativa Indiciado.

a) somente se houver lesão ao Erário. ( ) Certo ( ) Errado


b) somente se praticada por agente público ou com a par-
ticipação deste. 8. A indisponibilidade de bens do indiciado recairá sobre
c) somente se houver enriquecimento ilícito. bens que assegurem o integral ressarcimento do dano,
d) somente se se retardar ou deixar de praticar, indevida- ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enrique-
mente, ato de ofício. cimento ilícito.

Resposta: Letra B. A aplicação das sanções independe ( ) Certo ( ) Errado


da ocorrência de lesão ao erário, com exceção do ressar-
cimento. São 4 modalidades. Várias são as condutas que
caracterizam.

32
9. O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio pú- 16. Constitui ato de improbidade administrativa na modali-
blico ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às comina- dade de atos que afrontam os princípios da administração
ções desta lei até o limite do valor da herança. pública, aceitar emprego, comissão ou exercer atividade de
consultoria ou assessoramento para pessoa física ou jurí-
( ) Certo ( ) Errado dica que tenha interesse suscetível de ser atingido ou am-
parado por ação ou omissão decorrente das atribuições do
10. Constitui ato de improbidade administrativa na moda- agente público, durante a atividade ?
lidade de atos que Atentam Contra os Princípios da Ad-
ministração Pública, liberar recursos de parcerias firmadas ( ) Certo ( ) Errado
pela administração pública com entidades privadas sem a
estrita observância das normas pertinentes ou influir de 17. Constitui ato de improbidade administrativa na modali-
qualquer forma para a sua aplicação irregular ? dade de atos que afrontam os princípios da administração
pública, perceber vantagem econômica para intermediar a
( ) Certo ( ) Errado liberação ou aplicação de verba pública de qualquer natu-
reza ?
11. Constitui ato de improbidade administrativa na moda-
lidade de atos que causam enriquecimento ilícito, liberar ( ) Certo ( ) Errado
recursos de parcerias firmadas pela administração pública
com entidades privadas sem a estrita observância das nor- 18. Constitui ato de improbidade administrativa na modali-
mas pertinentes ou influir de qualquer forma para a sua dade de atos que afrontam os princípios da administração
aplicação irregular ? pública, facilitar ou concorrer por qualquer forma para a
incorporação ao patrimônio particular, de pessoa física ou
12. Constitui ato de improbidade administrativa importan- jurídica, de bens, rendas, verbas ou valores integrantes do
do enriquecimento ilícito, celebrar parcerias da administra- acervo patrimonial das entidades mencionadas na lei ?
ção pública com entidades privadas sem a observância das
formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie ( ) Certo ( ) Errado
?
19. Constitui ato de improbidade administrativa na modali-
( ) Certo ( ) Errado dade de atos que afrontam os princípios da administração
pública, facilitar ou concorrer por qualquer forma para a
13. Constitui ato de improbidade administrativa importan- incorporação ao patrimônio particular, de pessoa física ou
do enriquecimento ilícito, auferir qualquer tipo de vanta- jurídica, de bens, rendas, verbas ou valores integrantes do
gem patrimonial indevida em razão do exercício de car- acervo patrimonial das entidades mencionadas na lei ?
go, mandato, função, emprego ou atividade nas entidades
mencionadas na lei ? ( ) Certo ( ) Errado

( ) Certo ( ) Errado 20. Constitui ato de improbidade administrativa na moda-


lidade de atos que causam prejuízo ao erário, doar à pes-
14. Constitui ato de improbidade administrativa impor- soa física ou jurídica bem como ao ente despersonalizado,

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


tando enriquecimento ilícito, utilizar, em obra ou serviço ainda que de fins educativos ou assistências, bens, rendas,
particular, veículos, máquinas, equipamentos ou material verbas ou valores do patrimônio de qualquer das entida-
de qualquer natureza, de propriedade ou à disposição de des mencionadas no art. 1º desta lei, sem observância das
qualquer das entidades mencionadas na lei, bem como o formalidades legais e regulamentares aplicáveis à espécie ?
trabalho de servidores públicos, empregados ou terceiros
contratados por essas entidades ? ( ) Certo ( ) Errado

( ) Certo ( ) Errado 21. Os atos de improbidade administrativa na modalidade


de enriquecimento ilícito, previstos na Lei de Improbidade
15. Constitui ato de improbidade administrativa na moda- são um rol taxativo.
lidade de atos que causam prejuízo ao erário, receber van-
tagem econômica de qualquer natureza, direta ou indireta, ( ) Certo ( ) Errado
para tolerar a exploração ou a prática de jogos de azar, de
lenocínio, de narcotráfico, de contrabando, de usura ou de 22. Havendo condenação por ato de improbidade, na mo-
qualquer outra atividade ilícita, ou aceitar promessa de tal dalidade de ato que importe em enriquecimento ilícito, o
vantagem; responsável pela prática do ato ou terceiro abrangido pela
lei estará sujeito a pena de perda dos bens ou valores acres-
( ) Certo ( ) Errado cidos ilicitamente ao patrimônio, ressarcimento integral do
dano, quando houver, perda da função pública, suspensão
dos direitos políticos de cinco a oito anos, pagamento de

33
multa civil de até duas vezes o valor do dano e proibição 28. A declaração de bens será semestralmente atualizada
de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou e na data em que o agente público deixar o exercício do
incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ain- mandato, cargo, emprego ou função não será necessária
da que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio atualização dela ?
majoritário, pelo prazo de cinco anos ?
( ) Certo ( ) Errado
( ) Certo ( ) Errado
29. Será punido com a pena de advertência, sem prejuízo
23. Havendo condenação por ato de improbidade, na mo- de outras sanções cabíveis, o agente público que se recu-
dalidade de ato decorrentes de concessão ou aplicação in- sar a prestar declaração dos bens, dentro do prazo deter-
devida de benefício financeiro ou tributário, o responsável minado, ou que a prestar falsa ?
pelo ato ou terceiro abrangido pela lei estará sujeito a pena
de perda da função pública, suspensão dos direitos políticos ( ) Certo ( ) Errado
de 5 (cinco) a 8 (oito) anos e multa civil de até 3 (três) vezes o
valor do benefício financeiro ou tributário concedido ? 30. O declarante não poderá entregar cópia da declaração
anual de bens apresentada à Delegacia da Receita Federal
( ) Certo ( ) Errado ?

24. A Lei de Improbidade prevê como penalidade para o ato ( ) Certo ( ) Errado
de improbidade na modalidade atos que causem prejuízo ao
erário a perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao 31. Somente servidores públicos poderão representar à
patrimônio, ressarcimento integral do dano, quando houver, autoridade administrativa competente para que seja ins-
perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de taurada investigação destinada a apurar a prática de ato
oito a dez anos, pagamento de multa civil de até três vezes o de improbidade.
valor do acréscimo patrimonial e proibição de contratar com
o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou ( ) Certo ( ) Errado
creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio
de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo 32. A representação para que seja instaurada investigação
de dez anos ? destinada a apurar a prática de ato de improbidade, pode-
rá ser verbal, independente de ser reduzida a termo
( ) Certo ( ) Errado
( ) Certo ( ) Errado
25. A Lei de Improbidade prevê como penalidade para o ato
de improbidade na modalidade atos que afrontem os prin- 33. Havendo fundados indícios de responsabilidade, a co-
cípios da administração o ressarcimento integral do dano, se missão representará ao Ministério Público ou à procura-
houver, perda da função pública, suspensão dos direitos po- doria do órgão para que requeira ao juízo competente a
líticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até decretação do seqüestro dos bens do agente ou terceiro
cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao
proibição de contratar com o Poder Público ou receber be- patrimônio público.
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

nefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indireta-


mente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual 34. É vedada a transação, acordo ou conciliação nas ações
seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos. de que trata de Improbidade.

( ) Certo ( ) Errado ( ) Certo ( ) Errado

26. A posse e o exercício não ficam condicionados à apresen- 35. A Fazenda Pública, quando for o caso, promoverá as
tação de declaração de bens ? ações necessárias à complementação do ressarcimento do
patrimônio público
( ) Certo ( ) Errado
( ) Certo ( ) Errado
27. A declaração de bens compreenderá imóveis, móveis, se-
moventes, dinheiro, títulos, ações, e qualquer outra espécie 36 . Não constitui crime a representação por ato de im-
de bens e valores patrimoniais, localizado no País ou no exte- probidade contra agente público ou terceiro beneficiário,
rior, e, quando for o caso, abrangerá os bens e valores patri- quando o autor da denúncia o sabe inocente.
moniais do cônjuge ou companheiro, dos filhos e de outras
pessoas que vivam sob a dependência econômica do decla- ( ) Certo ( ) Errado
rante, incluídos os objetos e utensílios de uso doméstico ?

( ) Certo ( ) Errado

34
37. Havendo denúncia por ato de Improbidade, sabendo o 45 - 2017 - CESPE - Técnico - TRF - 1ª REGIÃO
denunciante da inocência do denunciado, além da sanção Considerando as Leis n.os 8.112/1990, 8.429/1992 e
penal, o denunciante está sujeito a indenizar o denuncia- 9.784/1999, normas nacionais que regulam o direito admi-
do pelos danos materiais, morais ou à imagem que houver nistrativo, julgue o item subsecutivo.
provocado. Em razão da abrangência protetiva da Lei de Improbidade
Administrativa, as ações principais para a apuração de atos
( ) Certo ( ) Errado de improbidade administrativa podem ser propostas por
brasileiro nato ou naturalizado, pelo Ministério Público e
38. A perda da função pública e a suspensão dos direitos pela pessoa jurídica interessada.
políticos só se efetivam com o trânsito em julgado da sen-
tença condenatória ( ) Certo ( ) Errado

( ) Certo ( ) Errado 46) (CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-


-SP – TÉCNICO LEGISLATIVO – VUNESP – 2018) A impo-
39. A autoridade judicial ou administrativa competente sição de uma multa ao motorista que desrespeita o sinal
poderá determinar o afastamento do agente público do vermelho consiste em uma sanção decorrente do exercício,
exercício do cargo, emprego ou função, sem prejuízo da pela Administração Pública, do Poder:
remuneração, quando a medida se fizer necessária à ins-
trução processual. a) Hierárquico.
b) Vinculado.
( ) Certo ( ) Errado c) Discricionário.
d) Normativo.
40. A aplicação das sanções depende da efetiva ocorrência e) de Polícia.
de dano ao patrimônio público, mesmo quanto à pena de
ressarcimento. 47) (SEFAZ-RS – ASSISTENTE ADMINISTRATIVO FA-
ZENDÁRIO – CESPE – 2018) A responsabilização de ser-
vidor público que tenha negado publicidade a atos oficiais
41- As ações de Improbidade são imprescritíveis.
terá como fundamento os poderes:
( ) Certo ( ) Errado
a) disciplinar e hierárquico.
b) de polícia e disciplinar.
42- A prescrição das ações destinadas a levar a efeitos as
c) hierárquico e de polícia.
sanções previstas nesta lei podem ser propostas, até cinco
d) regulamentar e de polícia.
anos após o término do exercício de mandato, de cargo e) hierárquico e regulamentar.
em comissão ou de função de confiança, dentre outras hi-
póteses. 48) (TJ-RN – JUIZ LEIGO – COMPERVE – 2018) Maria,
estudante do último período de direito, ouviu comentários
( ) Certo ( ) Errado de que o reitor de sua universidade não entregaria os di-
plomas para os concluintes do curso naquele ano, diante
43- - A prescrição das ações destinadas a levar a efeitos da crise econômica nacional e do superlotado mercado de

CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO


as sanções previstas nesta lei podem ser propostas, dentro trabalho jurídico. Intrigada com o conteúdo das fofocas,
do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas Maria mandou mensagem de WhatsApp para o grupo da
disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço pú- turma e logo recebeu inúmeros links de notícias corrobo-
blico, nos casos de exercício de cargo efetivo ou emprego. rando com o conteúdo dos comentários. O pavor, então, se
tornou generalizado naquela instituição de ensino superior.
( ) Certo ( ) Errado Aflitos, os estudantes montaram comissão para pesquisar
o tema e logo descobriram que a entrega de diplomas é
44 - 2017 - CESPE - Técnico - TRF - 1ª REGIÃO
Com relação a improbidade administrativa e a aspecto a) ato discricionário, o que realmente permite tal postura
constante da Resolução CNJ n.º 230/2016, julgue o item do reitor, porém, sem inviabilizar o seu controle judicial.
subsequente. b) ato discricionário, o que realmente permite tal postura
Se servidor público, em conluio com representante de so- do reitor bem como inviabiliza o seu controle judicial.
ciedade empresária, cometer ato de improbidade adminis- c) ato vinculado, o que impede o reitor de se negar a en-
trativa, ambos responderão pelo integral ressarcimento do tregar tais documentos pelos motivos citados, fato que
dano causado, bem como estarão sujeitos, no que couber pode ser controlado em via judicial e também na esfera
a cada um, às penalidades previstas na lei que trata da im- administrativa.
probidade administrativa. d) ato vinculado, o que impede o reitor de se negar a entre-
gar tais documentos pelos motivos citados, fato que não
( ) Certo ( ) Errado pode ser controlado em via judicial, mas, sim, na esfera
administrativa.

35
49 (MPE-PE – TÉCNICO MINISTERIAL – FCC – 2018) A 52) (TCE-MG – ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO –
edição de um decreto municipal que, pretendendo incenti- CESPE – 2018) O regulamento editado por autoridade
var a reciclagem de lixo, estabelece a concessão de prêmios competente da administração pública, em atendimento a
aos moradores que conseguirem comprovar determinadas norma legal, para prover matéria reservada a lei é um re-
quantidades de seleção, coleta e entrega nas oficinas espe- gulamento:
cializadas, bem como estabelece multas para aqueles que
não o fizerem: a) subordinado.
b) autônomo.
a) configura expressão do poder normativo do ente público, c) executivo.
na medida em que disciplina gestão de serviços públicos d) delegado.
de sua titularidade e o manejo de verbas públicas dispo- e) independente.
níveis.
b) excede o poder normativo do município, que pode se 53) (SEGEP-MA – AUXILIAR FISCALIZAÇÃO AGROPE-
prestar apenas a disciplinar e explicitar a operacionaliza- CUÁRIA – FCC – 2018) Entre os poderes administrativos,
ção de disposições legais. pode-se citar o poder regulamentar, que apresenta, como
c) se insere no poder de polícia do ente, que pode instituir e sua principal expressão:
aplicar multas àqueles que descumprirem a disciplina nor-
mativa editada pelo ente. a) a concessão de autorizações e licenças a cidadãos para o
d) configura excesso de poder normativo, já que extrapola os desempenho de atividades de interesse público.
limites materiais admitidos para os decretos autônomos b) a possibilidade de disciplinar, de forma autônoma por
do Chefe do Executivo, ingressando em matéria de lei. ato do Executivo, o regime jurídico de seus servidores.
e) pode ser convalidado se restar comprovado que o inte- c) a prática de atos materiais de organização do trabalho
resse público está presente, bem como que a população dos órgãos e entidades da Administração pública, como
concorda com a instituição de prêmios e multas. distribuição de tarefas entre os servidores.
d) a edição de decretos, no exercício de competência pri-
50) (PGE-PE – PROCURADOR DO ESTADO – CESPE – 2018) vativa do Chefe do Poder Executivo, para fiel execução
À luz da jurisprudência dos tribunais superiores sobre o po- de lei em vigor.
der de polícia, o poder disciplinar, o poder normativo e o de- e) a disciplina relativa à prestação de serviços públicos por
ver de probidade na administração pública, assinale a opção concessionárias e permissionárias, visando à sua regula-
correta: ridade e modicidade tarifária.

a) Cabe aos conselhos regionais de farmácia, no exercício do 54) (SEFAZ-SC - AUDITOR FISCAL DA RECEITA ESTADU-
poder de polícia, licenciar e fiscalizar as condições de fun- AL – FCC – 2018) Atenção: A questão refere-se a Direito
cionamento dos estabelecimentos farmacêuticos. Administrativo II.
b) O pagamento de multa resultante de autuação por agente Diante de um novo contrato firmado por uma autarquia,
de trânsito não implica a desistência da discussão judicial o administrador precisava designar o servidor responsá-
da infração. vel pela coordenação das tarefas inerentes à execução da
c) A configuração de ato de improbidade administrativa re- avença. Dentre os membros da equipe competente para a
quer que haja enriquecimento ilícito ou danos ao erário. execução do contrato, nenhum dos servidores se dispôs
d) A ocorrência do ato de improbidade administrativa, em a assumir a coordenação, o que levou o gestor público a
CONHECIMENTOS BÁSICOS DE DIREITO ADMINISTRATIVO

regra, viabiliza a reparação por dano moral coletivo. designar, de ofício, aquele que tinha mais experiência no
e) Em razão do poder disciplinar da administração pública, é setor. A atuação do administrador:
admissível que edital de concurso público proíba a partici-
pação de candidatos tatuados. a) se insere dentro do poder disciplinar que lhe é inerente,
tendo em vista que a recusa dos servidores para a coor-
51) (TCE-MG – ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – CES- denação do trabalho exigiu o sancionamento por parte
PE – 2018) No exercício da sua funç