Você está na página 1de 7

8 METODOLOGIA

8.1 Tipo de pesquisa

Pesquisa bibliográfica – realizada a partir de levantamento 1 de textos literários


canônicos adaptados para leitores infanto-juvenis em livros teóricos, críticos e
históricos de literatura infantil, dicionário de literatura infantil e juvenil, bibliografias
analíticas de literatura infantil e juvenil, guias de leitura, boletins informativos de
bibliografia de literatura infantil e juvenil, resenhas e seleções de livros para crianças e
jovens, catálogos de editoras (impressos e virtuais), a fim de configurar o universo da
pesquisa e delimitar, a partir dos estudos sobre Estética da Recepção (Hans Robert
Jauss e Wolfgang Iser), Sociologia da Leitura (Robert Escarpit, Arnold Hauser e Pierre
Bourdieu) e Teoria da Tradução (John Milton e Rosemary Arrojo), os elementos teóricos
que irão fundamentar a análise do corpus e, conseqüentemente, os resultados.

Pesquisa Analítico-Qualitativa – desenvolvida com base nos pressupostos teóricos


privilegiados, a fim de analisar o processo de adaptação de textos literários canônicos
para leitores infanto-juvenis, enfocando as questões de pesquisa e os objetivos a serem
alcançados. Ressalta-se que o corpus será analisado tendo como contraponto ou
considerando a versão original, uma vez que a comparação vai permitir identificar os
procedimentos narrativos utilizados pelos adaptadores para a construção desse novo
texto, possibilitando ao pesquisador atingir os propósitos deste projeto.

8.2 Corpus

1
Ver o tópico 10.1. Fontes de Organização do Corpus.
A partir do levantamento bibliográfico, o universo da pesquisa apresenta-se
configurado por 333 (trezentos e trinta e três) livros 2 (Anexo 1), sendo que para se
chegar a essa quantidade foram considerados apenas os textos literários canônicos
adaptados para os leitores infanto-juvenis. Tal número é expressivo para indicar que tal
modalidade representa uma forte tendência no conjunto de obras publicadas para
crianças e jovens, todavia é muito grande para constituir um corpus de uma pesquisa,
mesmo sendo do nível de doutorado. Então, alguns critérios foram definidos a fim de
que possibilitassem realizar um filtro desse universo e, por conseguinte, chegar-se-á ao
objeto material de análise, a saber:

a) recorrência do autor no universo pesquisado com um número mínimo


de 3 livros, correspondendo a 30 (trinta) autores e mais de sessenta por
cento dos livros constantes do universo da pesquisa (Anexo 2);

b) a partir desse quadro de recorrência do autor, foram listados os títulos


que passaram por um número mínimo de 2 adaptações,
correspondendo a quase cinqüenta por cento do universo da pesquisa
(Anexo 3);

c) desse quadro de obras adaptadas selecionaram-se aquelas em que os


originais apresentam valor estético para a história da literatura
ocidental (Anexo 4);

d) da relação das obras incluídas na história da literatura ocidental,


selecionaram-se as que podem ser consideradas paradigmas históricos
e/ou estéticos para a história da literatura infantil e/ou história da
literatura ocidental (Anexo 5);

e) desse último quadro, elegeu-se um conjunto de 10 títulos, mas como


tais obras foram objeto de várias adaptações, então se considerou
como último critério o adaptador que tenha alcançado prestígio
enquanto autor e/ou adaptador na história da literatura brasileira.

2
Vale ressaltar que no momento de listagem das obras adaptadas que
constituem o universo da pesquisa, catalogou-se apenas as que continham
referência bibliográfica completa.
Assim, chegou-se a este corpus:

1. BURGER, Gottfried August. Aventuras do barão de Munchhausen.


Trad. e adaptação de Carlos Jansen. 5ed. Rio de Janeiro: Minerva,
1949. 112p.
2. CAMÕES, Luis de. Os Lusíadas. Adapt. Rubem Braga e Edson Rocha
Braga. Il. Júlio Mendonça. São Paulo: Scipione, 1990. 76p. (Série
Reencontro)
3. CERVANTES SAAVEDRA, Miguel de. D. Quixote das crianças. Adapt.
Monteiro Lobato. São Paulo: Brasiliense, 1944. 168p. (Biblioteca
infantil)
4. DEFOE, Daniel. Robinson Crusoé. Adapt. de Guiomar Rocha Rinaldi. Il.
Oswaldo Storni. 9ed. São Paulo: Melhoramentos, 1968. 145p. (Obras
célebres, 18)
5. DUMAS, Alexandre. Os três mosqueteiros. Adapt. de Mario Donato.
Il. de Oswaldo Storni. 2ed. São Paulo: Melhoramentos, 1974. 124p.
(Obras célebres)
6. HOMERO. Odisséia. Adaptação Ruth Rocha. Il. Eduardo Rocha. São
Paulo: Cia. Das Letrinhas, 2000. 104p.
7. MELVILLE, Herman. Moby Dick, a fera do mar. Adapt. de Maria
Thereza Cunha de Giácomo. Il. Oswaldo Storni. 8ed. São Paulo:
Melhoramentos, 1972. 161p. ( No mundo da aventura)
8. SHAKESPEARE, William. Romeu e Julieta. Adapt. Mary Lamb, Leo
Cunha. Il. Marine D’antibes. Tradução de Márcio Godinho de Oliveira.
Belo Horizonte: Dimensão, 1996.
9. SWIFT, Jonathan. Viagens de Gulliver. Adaptação de Clarice Lispector.
São Paulo: Abril Cultural, 1973.
10. VERNE, Jules. A viagem ao mundo em 80 dias. Adapt. Paulo Mendes
Campos. São Paulo: Ediouro, 1997. (Coleção Elefante)

8.3 Instrumentos de pesquisa


- Ficha de análise das obras literárias adaptadas, enfocando os horizontes de leituras e
os procedimentos narrativos utilizados pelos adaptadores, fundamentada nos
pressupostos teóricos da Estética da Recepção, Sociologia da Leitura e Teoria da
Tradução, levando em consideração a versando original (Anexo 6).

8.4 Etapas

1ª Cumprimento de créditos curriculares;

2ª Levantamento ampliado dos textos literários adaptados para os leitores jovens no


Brasil;

3ª Levantamento histórico da produção de adaptações no Brasil;

4ª Reavaliação do corpus da pesquisa, tendo em vista a ampliação do levantamento de


publicações de adaptações no Brasil;

5ª Leitura crítica da bibliografia e elaboração do referencial teórico, tendo em vista os


objetivos propostos;

6ª Análise do corpus da pesquisa enfocando as questões de pesquisa e os objetivos a


serem alcançados;
7ª Interpretação dos resultados e formulação de conclusões;
8ª Exame de qualificação;

9ª Redação final da tese de doutorado;

10ª Revisão da redação final da tese de doutorado;

11ª Reprodução da tese de doutorado;

12ª Entrega da tese de doutorado à Secretaria do PPGL/PUCRS;

8.5 Sumário provável

INTRODUÇÃO
1 A LITERATURA NA PERSPECTIVA DO LEITOR
1.1 Estética da Recepção
1.2 Sociologia da Leitura
1.3 Teoria da Tradução
1.4 Metodologia da pesquisa
2 A ADAPTAÇÃO LITERÁRIA E SUA HISTÓRIA NO BRASIL
2.1 A tradução e a adaptação
2.2 Os principais títulos adaptados
2.3 Os principais adaptadores
2.4 O mercado editorial de adaptações
3 A ADAPTAÇÃO LITERÁRIA E SEUS HORIZONTES DE LEITURA
3.1 As normas literárias
3.2 As normas sociais
3.3 O perfil do leitor
3.4 A adaptação literária e a mediação de leitura
4 OS PROCEDIMENTOS NARRATIVOS E A ADAPTAÇÃO LITERÁRIA
5 SUBSÍDIOS PARA UMA TEORIA DA ADAPTAÇÃO

CONCLUSÃO
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ANEXOS
CURRICULUM VITAE

9 CRONOGRAMA

Atividades 2001/2 2002/1 2002/2 2003/1 2003/2 2004/1 2004/2 2005/1

1 Cursar créditos curriculares obrigatórios

2 Levantamento ampliado do universo da pesquisa

3 Reavaliação e definição do corpus da pesquisa,


tendo em vista do levantamento ampliado do
universo da pesquisa

4 Levantamento histórico da produção de


adaptações literárias para o leitor infanto-juvenil
no Brasil, desde os primórdios até os dias atuais

5 Leitura crítica da bibliografia teórica, tendo em


vista os objetivos propostos

6 Análise do corpus da pesquisa enfocando as


questões de pesquisa e os objetivos propostos

7 Interpretação dos resuttados e formulação de


conclusões

8 Exame de qualificação

9 Revisão da redação final da tese de doutorado

10 Reprodução da tese de doutorado

11 Entrega da tese de doutorado à Secretaria do


PPGL/PUCRS

Interesses relacionados