Você está na página 1de 23

32

Tensões

Nota: A 13 do acorde C07 deve ser lida b13 e não 13.

Acordes Substitutos

Substituto para o acorde sétima dominante

Substituto para o acorde subdominante


Substituto para o acorde subdominante menor

Blues em C menor
31

07
Acordes Diminutos (C )

Construiu-se uma escala pentatônica alterada um tom acima de qualquer nota do acorde
diminuto.

Quando executando-se um blues (maior ou menor) , pode-se improvisar sobre o mesmo


usando-se uma escala pentatônica maior (sobre os 12 compassos), formada sobre a 3ª
menor tonalidade original do blues.
b
Ex: Blues em C maior = pentatônica de E maior.
b
Blues em C menor = pentatônica de E maior.

30

Substituto para o acorde tônico


3

Harmonização e Reharmonização
“Atirei o Pau no Gato”
4

Acordes de Dominante (C7)

07
Acordes Semidiminutos (C )
29

Acordes Menores (Cm)

28
5

Aberturas sem Tônica

Tonalidade Maior
6

Acordes Maiores (C)


27

Acordes Semidiminutos (Todos) / Acordes Diminutos (Todos)

Escalas Pentatônicas

Todas as escalas serão construídas sobre a escala de C maior.

Escala de C Pentatônica

As escalas sobre todos os grupos de acordes são pentatônicas maiores!

26

Tonalidade Menor
*T = Tonica

Autumn Leaves
8

Ambas as Mãos

Acordes Maiores (Todos)

Acordes Menores (Todos)


Acordes de Dominante (Todos)

25

Harmonia Quartal
(Mão Esquerda)

Acordes Maiores (C 6, C maj7, etc.)


(Modo Jonio)

Acordes Menores (Cm6, Cm7, etc.)


(Modo Dório)

Acordes de Dominante (C7,C9,C13,etc.)


(Modo Mixolídio)

Acordes Semidiminutos (C07,etc)


(Modo Lócrio)

Acordes Diminutos (C07, etc.)


(Escala Diminuta)

24

*Novas possibilidades de aberturas

Análise Harmônica
(Dois Princípios Importantes)

1) Quando improvisando, sempre que tivermos uma progressão II-V ou II-V-I em


tonalidade maior, podemos usar a escala maior do acorde I sobre toda progressão. EX: D m7 ,
G 7 , Cnaj7 = II-V-I em C maior; usa-se a escala C maior para os 3 acordes.

2) Continuando, sempre que estivermos frente a uma progressão II-V- ou II-V-I em


tonalidade menor.
b5 b9
Podemos usar a escala menor harmônica de acorde I sobre toda progressão. EX: D m7 – G 7
– Cm = II-V-I.
Em C menor; usa-se a escala de C menor harmonica para os 3 acordes.

Análise de “Autumn Leaves”


L b
Compassos 1 à 4 = II-V-I-IV em B maior = Escala de B maior.

Compassos 5 à 8 = II-V-I em G menor = Escala de Gm harmonica.


b b
Compassos 9 à 12 = II-V-I-IV em B maior = Escala de B maior.

10

O mesmo fragmento com baixos diferentes

Aberturas usadas por Herbie Hancoek

Nota: Os outros fragmentos possíveis dentro de cada modo, simplesmente não funcionam.

Apesar de conterem apenas um intervalo de 2ª, os fragmentos exemplificados são


considerados clusters!
23

Fragmentos

Acordes Maiores
(Modo Jonio)

Acordes Menores
(Modo Dório)

Acordes de Dominante
(Modo Mixolídio)

Acordes Semidiminutos
(Modo Lócrio)

Acordes Diminutos
(Escala Diminuta)

22

Compassos 13 à 20 = II-V-I em G menor = Escala de Gm harmonica.


b b
Compassos 21 à 24 = II-V-I-IV em B maior = Escala de B maior.

Compassos 25 à 27 = II-V-I em G menor = Escala de Gm harmonica.

Compassos 28 = V7 em F maior = Escala de F maior.


Compassos 29 à 32 = II-V-I em G menor = Escala de Gm harmonica.

Nota: No compasso 27 o acorde Gm7 poderia atuar como um acorde pivot, isto é,
funcionando como um acorde tônico (I) numa tonalidade menor e também como super
tônica (II) , numa tonalidade maior.

11

“Autumn Leaves”
12

Notas Modais Características

Composições Executadas:

“So What” (Miles Davis)


“Maiden Voyage” (Herbie Hancoor)
“Peace Piece”(Bill Evans)

21

Modos
Escala de C Maior
20
13

Técnicas para Improvisação

“Autumn Leaves” ( Notas do Acorde)

14
19

Continuidade Melódica
“Autumn Leaves”
18
15

“Autumn Leaves”
(Notas do Acorde e Fora do Acorde)

16
17