Você está na página 1de 36

Circunferência Trigonométrica

– 1  sen  1 senos (0;1) R=1 (cos ; sen)


(x ; y)
 1
1 volta = 2..R
2

1 volta = 2

(– 1;0)  0 (1;0)
cossenos
2
– 1  cos  1

3
2
(0; – 1)
Questão
(ENEM) Um satélite de telecomunicações, t minutos após ter atingido sua
órbita, está a r quilômetros de distância do centro da Terra. Quando r assume
seus valores máximo e mínimo, diz-se que o satélite atingiu o apogeu e o
perigeu, respectivamente. Suponha que, para esse satélite, o valor de r em
função de t seja dado por:

5865
r( t ) =
1 + 0,15 cos(0,06 t )
Questão
5865
r( t ) =
1 + 0,15 cos(0,06 t )

Um cientista monitora o movimento desse satélite para controlar o seu


afastamento do centro da Terra. Para isso, ele precisa calcular a soma dos
valores de r, no apogeu e no perigeu, representada por S. O cientista
deveria concluir que, periodicamente, S atinge o valor de:
(A)12 765 km.
(B)12 000 km.
(C)11 730 km.
(D)10 965 km.
(E)5 865 km.
Questão
5865
r( t ) =
1 + 0,15 cos(0,06 t )
– 1  cos  1
5865 5865
r( t ) = r( t ) =
1 + 0,15 (– 1) 0,06 t )
cos( 1 + 0,15 (1)
cos(0,06 t )
5865
r( t ) =
5865 r( t ) =
1 − 0,15 1 + 0,15
5865 5865
r( t ) = = 6900 r( t ) = = 5100
0,85 1,15

S = 6900 + 5100 = 12000


Questão
(ENEM) Raios de luz solar estão atingindo a superfície de um lago formando
um ângulo X com a sua superfície, conforme indica a figura. Em determinadas
condições, pode-se supor que a intensidade luminosa desses raios, na
superfície do lago, seja dada aproximadamente por I(x) = k.sen(x) sendo k
uma constante, e supondo-se que X está entre 0° e 90º.
Quando x = 30º, a intensidade luminosa se reduz a qual percentual de seu
valor máximo?
(A) 33%
(B) 50%
(C) 57%
(D) 70%
(E) 86%
Questão
I(x) = k.sen(x)
k uma constante, 0° < x < 90º.
Quando x = 30º, a intensidade luminosa se reduz a qual
percentual de seu valor máximo?

I(x) = k.sen(x)

1
(1)
I(90º) = k.sen(90º) I(30º) = k.sen(30º)
2
k
I(90º) = k I(30º) = Resp.: = 50%
2
Questão
Um reservatório de água é exposto ao ambiente por um tempo de t horas e a
temperatura da água em seu interior varia de acordo com a função

f(t) = 25 – 4sen( + t)
6
A temperatura máxima que a água do reservatório pode atingir é
(A) 21º
(B) 23º – 1  sen  1
(C) 25º
(D) 27º
(E) 29º f(t) = 25 – 4sen
(–1) f(t) = 25 – 4sen
(1)
f(t) = 29º f(t) = 21º
QUESTÃO 1 – PÁG 79
Há milhares de anos, os homens sabem que a Lua tem alguma relação com as marés.
Antes do ano 100 a.C., o naturalista romano Plínio escreveu sobre a influência da Lua
nas marés. Mas as leis físicas desse fenômeno não foram estudadas até que o cientista
inglês Isaac Newton descobriu a lei da gravitação no século XVII.
As marés são movimentos de fluxo e refluxo das águas dos mares provocados pela
atração que a Lua e secundariamente o Sol exercem sobre os oceanos. Qualquer
massa de água, grande ou pequena, está sujeita às forças causadoras de maré
provindas do Sol e da Lua. Porém é somente no ponto em que se encontram os
oceanos e os continentes que as marés têm grandeza suficiente para serem
percebidas. As águas dos rios e lagos apresentam subida e descida tão insignificante
que a diferença é inteiramente disfarçada por mudanças de nível devidas ao vento e ao
estado do tempo.

Extraído de: http://planetario.ufsc.br/mares/ em 26/08/2016.


QUESTÃO 1 – PÁG 79
Sendo a maré representada por uma função periódica, e supondo que a função que
descreve melhor o movimento da maré em Salvador - BA é dada pela expressão:

A(t) = 1,8 + 1,2sen(0,5t + 0,8), t é o tempo em horas 0 ≤ t ≤ 24.

Sendo assim, as alturas máxima e mínima da maré descrita pela função A(t) são,
respectivamente:

(A) 3,0 m e 0,6 m


(B) 3,0 m e 0,8 m
(C) 2,5 m e 0,6 m
(D) 2,5 m e 0,8 m
(E) 2,8 m e 0,6 m
QUESTÃO 1 – PÁG 79
t é o tempo em horas 0 ≤ t ≤ 24. – 1  sen()  1 as alturas máxima e mínima?

A(t) = 1,8 + 1,2sen(0,5t + 0,8)

A(t) = 1,8 + 1,2(– 1) A(t) = 1,8 + 1,2(1)


A(t) = 1,8 – 1,2 A(t) = 1,8 + 1,2
A(t) = 0,6 m A(t) = 3,0 m

(A) 3,0 m e 0,6 m


(B) 3,0 m e 0,8 m
(C) 2,5 m e 0,6 m
(D) 2,5 m e 0,8 m
(E) 2,8 m e 0,6 m
Redução ao 1º Quadrante
2 senos  SE TA CO
3 3 3 
12 13 14
5 4 4 
6 6

cossenos

7
11
6
5
7 6
4 4 5 4
3 3
QUESTÃO UNEB
Admitindo-se que o peso de determinada pessoa, ao longo de um ano, possa
ser modelado pela função

 t + 3  
P(t) = 65 − 5cos    
 6  

em que t = 1, ... ,12 corresponde aos meses de janeiro a dezembro e


considerando 3 = 1,7, pode-se estimar que, de maio até agosto, o peso dessa
pessoa
01) diminuiu 4,50kg.
02) aumentou 4,50kg
03) diminuiu 6,75kg.
04) aumentou 6,75kg
05) diminuiu 7,56kg.
QUESTÃO UNEB

maio: t = 5 agosto: t = 8
 5 + 3    8 + 3  
P(5) = 65 − 5cos     P(8) = 65 − 5cos    
 6    6  
8   11 
P(5) = 65 − 5 cos   P(8) = 65 − 5 cos   
6  6 
4 
P(5) = 65 − 5 cos  
3 
QUESTÃO UNEB maio: t = 5 agosto: t = 8
 5 + 3    8 + 3  
P(5) = 65 − 5cos     P(8) = 65 − 5cos    
 6    6  
8   11 
P(5) = 65 − 5 cos    P(8) = 65 − 5 cos   
6  6 
3º 4º
4   3
P(5) = 65 − 5 cos    Quadrante P(8) = 65 − 5 +  Quadrante
 2 
3   
 1 P(8) = 65 − 5.0,85
P(5) = 65 − 5 
 2  P(8) = 65 − 4,25
P(5) = 65 + 2,5
P(8) = 60,75
P(5) = 67,5
Diferença = P(5) − P(8)
SE TA CO
Diferença = 67,5 − 60,75 = 6,75
12 13 14
QUESTÃO
Em uma academia de ginástica, um dos aparelhos consiste em um movimento cíclico
no qual o aluno levanta um peso a uma determinada altura. Considere um aparelho no
qual a altura H em que o peso se encontra é medida em metros e descrita pela função
 2 
H(t) = 1,6 + 0,4cos   t + 
 3 
em que t indica o tempo, medido em segundos, contado a partir do inicio do
movimento.
Uma pessoa utiliza esse aparelho em uma série de movimentos por 45 segundos.
A altura, em centímetros, que o peso se encontra ao final dessa série é
(A) 120
(B) 140
(C) 160  2 
(D) 180 H(45 ) = 1,6 + 0,4cos   t
45 + 
 3 
(E) 200
QUESTÃO
137 6
2
 2 
H(45) = 1,6 + 0,4cos  45  +  3 3
 3 
17 22
voltas
 137   5
5
H(45) = 1,6 + 0,4cos 
 3  3
 5 
H(45) = 1,6 + 0,4cos  
 3 
4º Quadrante
 1
H(45) = 1,6 + 0,4+ 
 2
H(45) = 1,6 + 0,2
H(45) = 1,8 m
H(45) = 180 cm
QUESTÃO
Durante uma temporada, constatou-se que a temperatura média numa
cidade variava segundo a função

t 2
f(x) = 24 + 8sen( – )
12 3

em que x é a hora do dia (0  x < 24) e f(x) é a temperatura, em °C. Podemos


concluir que a máxima temperatura ocorria às:
(A)12 h
(B)13 h
(C)14 h
(D)15 h
(E)16 h
QUESTÃO
 t 2 
(2) ( – ) =( )
12 3 2

t 2 12t 12  122 (12)


f(x) = 24 + 8sen( – ) = +
12 3 12 2 3

t = 6 + 8
(1)
t = 14
t = 14
QUESTÃO
(ENEM) Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),
produtos sazonais são aqueles que apresentam ciclos bem definidos de
produção, consumo e preço. Resumidamente, existem épocas do ano em que
a sua disponibilidade nos mercados varejistas ora é escassa, com preços
elevados, ora é abundante, com preços mais baixos, o que ocorre no mês de
produção máxima da safra. A partir de uma série histórica, observou-se que o
preço P, em reais, do quilograma de um certo produto sazonal pode ser
descrito pela função

 x −  
P( x ) = 8 + 5. cos  
 6 
QUESTÃO
Pmínimo
 x −  
P( x ) = 8 + 5. cos  
 6 

onde x representa o mês do ano, sendo x = 1 associado ao mês de janeiro, x = 2 ao


mês de fevereiro, e assim sucessivamente, até x = 12 associado ao mês de
dezembro.
Na safra, o mês de produção máxima desse produto é
(A) janeiro.
(B) abril. ?
(C) junho.
(D) julho.
(E) outubro
QUESTÃO
() x – 
cos( ) = cos()
6
 x −  
P( x ) = 8 + 5. cos   ( x –  ) = ()
 6  6
x – 
=
(–1) 6
x –  = 6
x = 7
x=7
Julho
Gráfico da função cosseno
x  2
P(x) = 8 + 5cos( – ) P =  = 12 Deslocamento
6 6 =ICI
4 horizontal
f(x) = A + Bcos(Cx + D) 6
P(x) –D
d=
C
13

B>0 6
d= 
8 6

d=1

0 1 3 4 6 7 9 10 12 13 x
Julho
Questão
Seja f uma função de variável real definida por f(x) = 3 + 2cos(3x).
Analise as alternativas.
0 – 0 a imagem de f é [– 3, 3]
1 – 1 o período de f é igual a 2/3
2 – 2 no intervalo ]0; 2[, a equação f(x) = 0 apresenta três soluções.
3 – 3 f(x) > 0 para todo x real
4 – 4 f(x) < 0 se x pertence ao segundo e ao terceiro quadrantes.
Questão f(x) = A + Bcos(Cx + D)
f(x) f(x) =
f(x) =33+
+ 2cos(3x)
2cos(3x + 0)
2
5 P=
ICI
3
Atenção:
B>0
3 Intervalo = P. 1
4
2 1
Intervalo =
3 4
1 
Intervalo =
6
0    2
6 3 2 3
x
1.  2.  3. 4. 
6 6 6 6
Questão
f(x) f(x) = 3 + 2cos(3x) 0 – 0 a imagem de f é [– 3, 3]
período
5 1 – 1 o período de f é igual a 2/3
2 – 2 no intervalo ]0; 2[,
a equação f(x) = 0
imagem

apresenta três soluções


3
?
3 – 3 f(x) > 0 para todo x real
1

0    2
6 3 2 3
x

4 – 4 f(x) < 0 se x pertence ao segundo e ao terceiro quadrantes.


Questão
f(x) f(x) = 3 + 2sen(3x)
5 Início do gráfico

B>0
3

0    2
6 3 2 3
x
Questão
f(x) g(x) = 3 – 2sen(3x)
5 Início do gráfico

B<0
1

0    2
6 3 2 3
x
QUESTÃO
Um oscilador harmônico simples produziu uma curva senoide descrita a seguir:
Observando esteticamente essa imagem,
pode-se representa-la da forma 3

f(x) = a + b.sen(cx + d) 2

com parâmetros reais a, b, c e d. Assim,


pode-se concluir que a expressão 1

a+b–c–d
é dada por: 0 1  2  4
(A) – 5 2
(B) – 4
-1
(C) – 1
(D) 5
(E) 7
QUESTÃO f(x) = a + b.sen(cx + d)
2
3 P=
ICI
1 2
2 =
2 c
c=4
a=1 1
b=–2
b<0
c=4

1 + (– 2) – 4 – 0 = – 5
d=0 0 1  2 4
2
-1
Questão
(ENEM) Uma pessoa usa um programa de computador que descreve o desenho da
onda sonora correspondente a um som escolhido. A equação da onda é dada, num
sistema de coordenadas cartesianas, por y = a.sen[b(x + c)], em que os parâmetros a,
b, c são positivos. O programa permite ao usuário provocar mudanças no som, ao
fazer alterações nos valores desses parâmetros. A pessoa deseja tornar o som mais
agudo e, para isso, deve diminuir o período da onda.
O(s) único(s) parâmetro(s) que necessita(m) ser alterado(s) é(são)
(A) a.
(B) b. y = a.sen[b(x + c)],
(C) c. f(x) = A + B sen (Cx + D)
(D) a e b.
(E) b e c. Imagem Deslocamento
Período
Período
QUESTÃO 1 – PÁG 79
Há milhares de anos, os homens sabem que a Lua tem alguma relação com as marés.
Antes do ano 100 a.C., o naturalista romano Plínio escreveu sobre a influência da Lua
nas marés. Mas as leis físicas desse fenômeno não foram estudadas até que o cientista
inglês Isaac Newton descobriu a lei da gravitação no século XVII.
As marés são movimentos de fluxo e refluxo das águas dos mares provocados pela
atração que a Lua e secundariamente o Sol exercem sobre os oceanos. Qualquer
massa de água, grande ou pequena, está sujeita às forças causadoras de maré
provindas do Sol e da Lua. Porém é somente no ponto em que se encontram os
oceanos e os continentes que as marés têm grandeza suficiente para serem
percebidas. As águas dos rios e lagos apresentam subida e descida tão insignificante
que a diferença é inteiramente disfarçada por mudanças de nível devidas ao vento e ao
estado do tempo.

Extraído de: http://planetario.ufsc.br/mares/ em 26/08/2016.


QUESTÃO 1 – PÁG 79
Sendo a maré representada por uma função periódica, e supondo que a função que
descreve melhor o movimento da maré em Salvador - BA é dada pela expressão:

A(t) = 1,8 + 1,2sen(0,5t + 0,8), t é o tempo em horas 0 ≤ t ≤ 24.

Sendo assim, as alturas máxima e mínima da maré descrita pela função A(t) são,
respectivamente:

(A) 3,0 m e 0,6 m


(B) 3,0 m e 0,8 m
(C) 2,5 m e 0,6 m
(D) 2,5 m e 0,8 m
(E) 2,8 m e 0,6 m
Gráfico da função seno
f(x) = A + B sen (Cx + D) 2 Deslocamento –−0,8
D
P= =4 d=
A(t) = 1,8 + 1,2sen(0,5t + 0,8) ICI
0,5 horizontal = d ICI
0,5
A(t) d = – 1,6
3,0

B>0

1,8

0,6

–1,6 –0,6 0 0,4 1 1,4 2 2,4 3 3,4 4 4,4 t


Gráfico da função seno
f(x) = A + B sen (Cx + D) 2 Deslocamento –−0,8
D
P= =4 d=
A(t) = 1,8 – 1,2sen(0,5t + 0,8) ICI
0,5 horizontal = d ICI
0,5
A(t) d = – 1,6
3,0

1,8

B<0
0,6

–1,6 –0,6 0 0,4 1 1,4 2 2,4 3 3,4 4 4,4 t


Gráfico da função cosseno
f(x) = A + B cos (Cx + D) 2 Deslocamento –−0,8
D
P= =4 d=
A(t) = 1,8 + 1,2cos(0,5t + 0,8) ICI
0,5 horizontal = d ICI
0,5
A(t) d = – 1,6
3,0

A+B=?

1,8

0,6

–1,6 –0,6 0 0,4 1 1,4 2 2,4 3 3,4 4 4,4 t


Gráfico da função cosseno
f(x) = A + B cos (Cx + D) 2 Deslocamento –−0,8
D
P= =4 d=
A(t) = 1,8 – 1,2cos(0,5t + 0,8) ICI
0,5 horizontal = d ICI
0,5
A(t) d = – 1,6
3,0

A+B=?

1,8

0,6

–1,6 –0,6 0 0,4 1 1,4 2 2,4 3 3,4 4 4,4 t