Você está na página 1de 1

Boas Práticas Fitossanitárias em Agricultura Orgânica

Guilherme de Oliveira Tostes¹; João S. de Paula Araújo²; Maruzanete Pereira de Melo³; Maysa Souza Arêas4 & Luciene Souza Ferreira4; Paula Renata Alves da Silva6.

1- Bolsista de Iniciação Cientifica PIBIC/CNPq agrotostes@yahoo.com.br; 2-Prof. Do Depart. Fitotecnia, Inst. de Agronomia da UFRuralRJ, Rod.BR 465, km 7, Seropédica, Rio
de Janeiro 23890-000; 3-Bolsista FAPERJ; 4 - Bolsista Extensão DEXT/UFRuralRJ ;

Projeto:MANEJO FITOSSANITÁRIO EM SISTEMAS ORGÂNICOS DE PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS E FRUTEIRAS ABRANGENDO SEROPÉDICA E MUNICÍPIOS VIZINHOS.

INTRODUÇÃO RESULTADOS E DISCUSSÃO

A chamada agricultura orgânica ou agricultura de base ecológica vem se expandindo De acordo com os diagnósticos realizados foram identificados os seguintes fungos: Alternaria
aceleradamente no mundo inteiro, impulsionada pela preocupação crescente da sociedade com
solani; Bremia lactucae; Leandria mormodicae; Fusarium oxysporum; Phythopthora infestans
respeito às questões ambientais e de segurança alimentar (Altieri, 1999; Gliesmman, 2000). No
Brasil, o panorama não é diferente, verificando-se aumento progressivo da área agricultável em (Fig. 3); Cladosporium fulvum; Albugo candida; Colletotrichum gloesporioides; Puccinia
conversão para o sistema agroecológico de produção (Neves et al., 2005). O Estado do Rio de allium; Cordana musae; Asperispodium caricae; Hemileia vastratrix; Oidium sp.;
Janeiro, um dos pioneiros desse modelo de agricultura no país, dedica-se, com destaque, ao Mycosphaerella musicola; Cercospora sp; Uromyces appendicullatus. Adicionalmente, foi
cultivo orgânico de hortaliças e fruteiras (Fonseca, 2000). Todavia os produtores localizados na observado uma elevada incidência de Cladosporium fulvum em tomateiros cultivados em
região da Baixada Fluminense e que são associados a ABIO (Associação de Agricultores ambiente protegido, possivelmente propiciado por condições de alta umidade. Quanto as
Biológicos do Estado do Rio de Janeiro) deparam-se com prejuízos significativos ocasionados enfermidades bacterianas foram diagnósticados : Ralstonia solanacearum (Fig.4);
por fitomoléstias. Dessa forma, os objetivos desse trabalho foram identificar os principais
Pseudomonas sp; Xanthomonas vesicatoria e Pectobacterium caratovorum. Sendo a última a
problemas fitossanitários enfrentados pelos produtores bem como orientá-los com boas
práticas fitossanitárias para o controle integrado de doenças. mais freqüente, provavelmente devido a natureza polífaga do patógeno.

MÉTODOLOGIA

Foram realizadas visitas em propriedades no município de Seropédica e regiões circunvizinhas.


Amostras de plantas com sintomas característicos, foram coletadas e enviadas para a Clínica
Vegetal do Departamento de Fitotecnia para procedimentos diagnósticos (Fig.1) e (Fig.2).
Inicialmente, essas amostras foram fotografadas, herbarizadas e examinadas ao microscópico
óptico. Na identificação de patologias fúngicas foram preparadas lâminas e o agente etiológico
identificado através de suas características morfológicas e culturais. Para as enfermidades
bacterianas foi procedido cultivo in vitro, seguido de identificação baseado em características
culturais, de microscopia ótica, testes bioquímicos e de patogenicidade.
Fig. 3: Produtor apresentando em suas Fig. 4: Plantação de tomate sofrendo
mãos frutos com sintomas de requeima. severo ataque de Ralstonia solanacearum.

CONCLUSÕES

Foram atendidas diretamente ao longo do projeto nove famílias de produtores rurais onde foi
realizado mapeamento fitossanitário que está permitindo conhecer a real situação fitossanitária
desses cultivos orgânicos certificados e ao mesmo tempo estabelecer boas práticas
fitossanitárias para o manejo integrado de doenças, tais como: rotação de cultura, eliminação
de hospedeiros alternativos, uso de variedades resistentes e tolerantes , manejo de adubação e
irrigação, dentre outras. Dessa maneira, a Extensão Universitária da UFRRJ se faz presente e
contribui para o desenvolvimento dos produtores locais associado a segurança alimentar.

Fig. 1: Observação de sintomas no tecido vegetal e com auxílio do microscópico ótico a constatação de
sinais (esporos) de presença de fungos.

Fig. 5: Sr. Oswaldo Augusto Aguiar Fig. 6: Sr. Paulo Sérgio Nunes produtor
produtor atendido pelo projeto. atendido pelo projeto e bolsista
Guilherme de Oliveira Tostes.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALTIERI, M. Bases científicas para una agricultura sustentable. Montividéo: Nordan


Comunidade, 1999, 315p.

FONSECA, M.F. A construção social do mercado de alimentos orgânicos: estratégias dos


diferentes atores da rede de produção e comercialização de frutas, legumes e verduras in
natura no Estado do Rio de Janeiro. 2000. 210p. Tese (Mestrado) – CPDA, UFRRJ,
Diagnóstico Seropédica, RJ, 2000.

NEVES, M. C. P. ; GUERRA, J. G. M. ; CARVALHO, S. R. ; RIBEIRO, R. de L. D.;


ALMEIDA, D. L. Sistema Integrado de Produção Agroecológica ou Fazendinha
Fig. 2: Observação de presença de esporos de fungos obtido do isolamento do material vegetal evidenciado Agroecológica do Km 47. In: Aquino, A. M.; Assis, R.L. (Org.). Agroecologia - Princípios e
na Figura 1 e associação a chaves de classificação que permitem a identificação do patógeno. Técnicas para uma Agricultura Orgânica Sustentável. 1 ed. Brasília: Embrapa Informação
Tecnológica, 2005, v. , p. 147-172.

AGRADECIMENTOS AO DECANATO DE EXTENSÃO DA UFRRJ - FINACIADOR DO PROJETO e EMATER-RJ.