Você está na página 1de 28

Eletrônica de potência

7°e 8º série C
Eletrônica de potência
 História
 A História da Eletrônica de potência iniciou-se com a
descoberta do retificador a arco de mercúrio, em 1900. O
retificador em tubo de vácuo de grade controlada,
 Apenas nos anos 20 do século passado em teve se a idéia
de conversão de energia.
 Nos anos 50 foi inventado o tiristor, dispositivo eletrônico
que revolucionou as aplicações de eletrônica de potência.
Nos anos 70 surgiram os diodos, transistores e na década
de 80, o MOSFET e IGBT, passando a ser usado em escala
industrial.
Eletrônica de potência

 Com a necessidade de processar


energia elétrica para obter maior
eficiência e qualidade, passou a
utilizar cada vez mais a
eletrônica.
Eletrônica de potência

 Controla o fluxo de energia e a


conversão de formas de ondas de
tensão e corrente elétrica entre
fontes e cargas.
Eletrônica de potência
 Exemplos:
 Retificadorescom diodos;
 Conversores CA-CC (retificadores controlados);

 Conversores CA-CA ( controladores de tensão);

 Conversores CC-CC (choppers);

 Conversores CC-CA (inversores);

 Chaves estáticas.
Eletrônica de potência

A eletrônica de potência é
baseada na utilização dos
semicondutores operando no
regime de chaveamento.
Eletrônica de potência

Diodo.
 Dispositivo eletrônico não controláveis
 Disparo e bloqueio da condução de corrente
automático pelo nível de tensão do circuito.

Símbolo.

Anodo Catodo
Eletrônica de potência
Principais componentes de um
acionamento eletrônico.
Tiristor.
 Dispositivo eletrônico semi-controlável
 Disparo da condução de corrente com um sinal
de tensão e bloqueio automático pelo nível de
tensão do circuito.
Símbolo. Gate

Anodo Catodo
Eletrônica de potência
BJT
Bipolar Junction Transistor
 Constituído por três terminais:
- Coletor Coletor
- Emissor
- Base (controle de disparo e bloqueio)
 Disparo ib ic
- É necessário injetar corrente na Base, porém é
preciso manter essa corrente para não
interromper a condução. Base
 Bloqueio
- Retira-se a corrente da Base.

Emissor
Eletrônica de potência
MOSFET
Metal-Oxide-Semiconductor Field Effect Transistor
 Constituído por três terminais:
- Dreno
- Fonte
- Gate (controle de disparo e bloqueio)
 Disparo Dreno
- Controlado por tensão.
iD
 Bloqueio
- Retira-se a Tensão da Base.
 Chaveamento rápido (nano
segundos) Gate
 Altas perdas de condução Fonte
Eletrônica de potência
IGBT
Insulated Gate Bipolar Transistor
Dreno
 Constituído por três terminais:
- Dreno
- Fonte
- Gate (controle de disparo e bloqueio) Gate
 Disparo
- Controlado por tensão.
Fonte
 Bloqueio
- Retira-se a Tensão da Base.
 Combina as vantagens do MOSFET e do BJT
 Perdas reduzidas
Eletrônica de potência
 Exemplo de chaveamento dos
tiristores da fase L1 - U
Tiristor
1

U(v) Tiristor
2

T(S)

Rampa de aceleração Tensão plena


Eletrônica de potência
 Comparativo Entre Métodos de Partida
Corrente

Partida Direta
Partida Estrela-
Triângulo

Soft-Starter

In

Tempo
Eletrônica de potência
 Retificador padrão (6 Pulsos)
 Tensão alternada

Tensão retificada Tensão retificada Tensão contínua no link cc Tensão alternada PWM
Representação das potências: cargas
não lineares
 Quando há distorção harmônica na rede, o triângulo de potências sofre
uma alteração, recebendo uma terceira dimensão, que representa a carga
imposta pela distorção, DkVA.
kVA  kVAr 2  kW 2  DkVA2

kVAr
O transformador deve
fornecer a potência
extra (DkVA)
Exercícios
1 - Uma fonte DC de 100V está fornecendo energia
para uma carga resistiva de 10Ω. Determine a
potência entregue à carga (PL), a potência dissipada
pelo reostato (PR), a potência total fornecida pela
fonte (PT) e a eficiência ɳ, se o reostato for ajustado
para:
 0Ω

 10Ω

 100Ω
Exercícios
2 – Uma fonte DC está fornecendo energia para uma
carga resistiva de 10Ω através de uma chave.
Determine a potência fornecida à carga (PL), a perda
de potência na chave (Ps) e a potência total
fornecida pela fonte (PT) se a chave estiver:
 Fechada

 Aberta

 Fechada 50%

 Fechada 20%
Perdas
 Perda na condução é a perda quando o transistor
estiver ligado.
 Perda no bloqueio é quando a chave ou o transistor
estiver desligado.
 Perdas no chaveamento quando o transistor passa
de um estado para outro.
Perdas
Perdas
Perdas
Exercícios
3 – Na figura abaixo, Vs = 50V, RL = 5Ω e a chave
é ideal sem perdas no chaveamento. Se a queda de
tensão no estado ligado for de 1,5V e a corrente de
fuga for de 1,5 mA, calcule a perda de potência na
chave quando estiver:
 Ligada

 Desligada
Exercícios
4 – Calcule as perdas máxima e média de potência
para a chave do exercício anterior se a frequência
de chaveamento for de 500Hz com um ciclo de
trabalho de 50%.
Exercícios
5 – Na figura abaixo, Vs = 120V, RL = 6Ω e o
transistor é ideal sem perdas na condução. Se tSW(ON) =
tSW(OFF) = 1,5µs. Calcule a perda de potência média de
chaveamento a uma frequência de chaveamento de
1KHz.
Exercícios
6 – Uma chave transistorizada com as seguintes
características controla a potência para uma carga
de 25 KW, como mostra a figura abaixo.
 Ic = 50A

 Vs = 500V

 Ir = 1 mA

 VcE = 1,5V

 Tempo de ligação = 1,5µs

 Tempo de desligamento = 3,0µs


Exercícios
A fonte de tenção Vs = 500V e RL = 10Ω. Se a frequência de
chaveamento for de 100Hz com um ciclo de trabalho de 50%
determine:
a) A perda de potência no estado ligado
b) A perda de potência no estado desligado
c) A perda máxima de potência durante a ligação da chave
d) A perda de energia durante a ligação da chave
e) A perda de energia durante o desligamento da chave
f) A perda de energia durante o estado ligado
g) A perda de energia durante o estado desligado
h) A perda total de energia
i) A perda média de potência
Exercícios
7 – Resolva os itens de d) a i) do exercício anterior
para o caso em que a frequência de chaveamento é
aumentada para 100KHz com o ciclo de trabalho de
50%.
Eletrônica de potência

Obrigado

Prof. José Adão Alves Santana

Você também pode gostar