Você está na página 1de 2

Itaguaí – C.E.C.

V
Aluno: Jean Lucas da Silva

 Sequências Numéricas

Sequência numérica é o conjunto de números reais dispostos em certa ordem. O seu 1º


termo é chamado a1, e assim sucessivamente, sendo o n-ésimo termo na. As sequências numéricas
podem ser finitas ou infinitas, por exemplo:
O conjunto ordenado (2, 4, 6, 8, 10, ...) é uma sequência infinita de números pares.
O conjunto ordenado (5, 7, 9, 11,13) é uma sequência finita de números impares ≥ 5 e ≤ 13.
O conjunto ordenado (3, 6, 9, 12, 15, ...) é uma sequência infinita de números múltiplos de 3.
A sequência definida pela lei de formação an = 2n² - 1, sendo n ϵ N*, onde n = 1, 2, 3, 4, 5, ...
e an é o termo que ocupa a n-ésima posição na sequência. Por esse motivo, an é chamado de termo
geral da sequência. Utilizamos a lei de formação para identificarmos elementos de uma sequência.
Exemplos de resolução de problemas:
1. Determine os quatro primeiros elementos de uma sequência tal que an= 3n + 1, n ϵ N*
R: a1 = 31 + 1 = 3 + 1 = 4 a2 = 32 + 1 = 9 + 1 = 10
a3 = 33 + 1 = 27 + 1 = 28 a4 = 34 + 1 = 81 + 1 = 82
Logo, a sequência será (4, 10, 28, 82).

2. Seguindo o padrão da sequência numérica, qual o próximo número correspondente nas


sequências abaixo:
a) (1, 3, 5, 7, 9, 11, 13, ...)
R: Trata-se de uma sequência de número ímpares, onde o próximo elemento é o 15.
b) (0, 2, 4, 6, 8, 10, 12, ...)
R: Sequência de números pares, cujo elemento sucessor é o 14.
c) (37, 31, 29, 23, 19, 17, ...)
R: Trata-se de uma sequência de números primos, sendo o próximo elemento 13

 Progressão aritmética e Progressão geométrica

Progressão Aritmética é uma sequência numérica em que cada termo, a partir do segundo, é
igual a soma do termo anterior com uma constante, chamada de razão. E as Progressões
Geométricas são sequências numéricas, em que os números, não nulos, são, exceto o primeiro, o
resultado da multiplicação do seu antecessor pela constante q, também chamada de razão. Por
exemplo: (1,3,5,7,9) é uma P.A. de razão 2 e (1,2,4,8,12) é uma P.G. de razão 2.
Numa progressão geométrica de razão q e n números, os termos são obtidos a partir do primeiro
através da seguinte formula de termo geral: an = a1 x qn-1. Já numa progressão aritmética, temos r
como razão e os termos são obtidos através da seguinte formula de termo geral: an=a1+(n−1)⋅r.

A soma de todos os termos de uma P.A. finita é dada pela formula: Sn= (a1+an)⋅n. E a soma
de todos os termos de uma P.G. finita é dada pela formula: Sn= a1 (qn 1) 2
q-1
Exemplos de resolução de problemas:
1. Determine:
a) O 12º termo da P.A. (2, 4, 6, 8 ...).
R: Dados da questão: a1 = 2, r = 2, n = 12, a12 =?
an=a1+(n−1)⋅r a12=2+(12−1)⋅2 a12=2+(11)⋅2 a12=2+22=24
b) O termo de ordem 8 de uma P.G., sendo 32 o primeiro termo e 2 a sua razão.
R: Dados da questão: a1=32, q=2, n=8, a8=?
an= a1⋅qn−1 a8= 32⋅ 2(8−1) a8= 32⋅27 a8=32⋅128 a8=4096

2. A soma dos 20 termos de uma PA é 500. Se o primeiro termo dessa PA é 5, qual é a


razão r dessa PA?
R: Dados da questão: S20= 500, a1 = 5, n = 20, r =?
Sn= (a1+an)n 500= (5+a20)20 500= (5+a20)10 500= 50 + 10a20 10a20= 450 a20= 45
2 2
an = a1 + (n – 1).r 45 = 5 + (20 – 1).r 45 – 5 = 19.r r = 40 r≈2
19
3. Determine a soma dos 10 primeiros termos da PG (1, 3, 9, 27, ...).
R: Dados da questão: a1= 1, q= 3, n= 10, S10= ?
Sn= a1 (q10 1) S10= 1 (310 – 1) S10= 59049 -1 S10= 59048 S10= 29524
q–1 3 -1 2 2

Logo, quando falamos de sequência numérica, tem-se uma sequência, finita ou não, de
números dispostos em certa ordem. E pode-se identificar qualquer termo de uma sequência
utilizando a lei de formação. Dentre as sequências numéricas há P.A. e P.G., sendo a primeira
baseada na soma de termos e a segunda baseada na multiplicação de seus termos.

 Matemática Financeira

A Matemática Financeira consiste em empregar procedimentos matemáticos para simplificar a


operação financeira de um Fluxo de Caixa. Na resolução de questões utilizamos os seguintes
conceitos:
 Capital (C): Valor aplicado através de alguma operação financeira
 Taxa de Jutos (i): A taxa de juros indica qual remuneração será paga ao dinheiro
emprestado, para um determinado período. Ela vem normalmente expressa da forma
percentual.
 Tempo (t)
 Juros (j): remuneração do Capital empregado, podem ser simples ou compostos. O juro simples
é calculado sobre o capital inicial aplicado. Já o juro composto é incorporado ao capital inicial,
rendendo juros. A fórmula de resolução de juro simples é: j = C.i.t. Já a fórmula de juro composto
é: J= M-C, onde M é montante e C é o capital. Para identificar o montante usamos a formula
M= C(1+i)t

Exemplos de resolução de problema:

1. Aplicando-se R$ 15.000,00 a uma taxa de juro composto de 1,7% a.m., quanto receberei de
volta após um ano de aplicação? Qual o juro obtido neste período?

R: Dados: C= R$ 15.000,00 ; i= 1,7% a.m., ou seja, 0,017 a.m. ; t= 1 ano, ou seja, 12 meses.
M= C.(1+i)t M= 15000.(1+0,017)12 M= 15000.(1,017)12 M= 15000.1,224197 = 18362,96
Temos então, J= M-C J= 18362,96 –15000 J= 3362,96

Logo, depois de um ano de aplicação recebera de volta R$ 18.362,96, dos quais R$ 3.362,96
serão recebidos a título de juros.

 Referência bibliográfica

https://www.todamateria.com.br/sequencia-numerica/ acessado às 15h de 24/09/2017.


http://www.somatematica.com.br/emedio/finan.php acessado às 16h de 24/09/2017.
LOPES, Luís - Manual Das Funções Exponenciais E Logarítmicas 1ª ed. Editora Interciência.