Você está na página 1de 3

Fernanda Araujo

CÂNCER DE PÊNIS

ANATOMIA DO PÊNIS
Drenagem do pênis se faz para os linfonodos superficiais, isso é improtante para a abordagem terapêutica
cirúrgica.

EPIDEMIOLOGIA
Incidência Brasil  2,9 – 6,8/100.000 habitantes

FATORES DE RISCO
Baixo nível socioeconômico
Má higiene
Analfabetismo
Fimose
HPV
Lesões Pré-Malignas
E. Queyrat  Lesões múltiplas, úmidas, mucosa da glande, ausência de secreção e prurido.

Balanite Xerótica  Alteração crônica do rim, hipocromia e endurecimento da mucosa, estreitamento


do meato que pode evoluir para neoplasia de pênis.

Corno Cutâneo

Condiloma gigante
Fernanda Araujo
APRESENTAÇÃO CLÍNICA
Úlcera de difícil cicatrização.
Dor local
Mal cheiro
Lindonodopatia inguinal

DIAGNÓSTICO
Clínico
Biópsia  Importante pois tamém faz o estadiamento.
Exames Complementares  RM ou TC – Útil apenas para avaliação de linfonodos (e tentar remover na
maioria dos casos) em pacientes obesos ou com cirurgias prévias.

HISTOLOGIA
O Carcinoma Espinocelular
de Pênis (CEC) é o tipo histológico
mais comum.
Variantes Histológicas
Alto Risco  Basaloide,
Sarcomatoide, Escamosa.

ESTADIAMENTO
Exame Físico, Raio X de Tórax.
Definir o tratamento complentar incluindo a linfadectomia.

TRATAMENTO DO TUMOR PRIMÁRIO INVASIVO


Ressecção local
Amputação parcial – Somente lesão
Amputação total – Lesão que se expande até o corpo cavernoso de maneira proximal
Emasculação – Invasão do escroto com testículo e escroto.
Radioterapia

Linfadectomia Inguinal
Indicado para todos os casos exceto  pTa ou PT1G1 N0M0 (doença
muio localizada que não comprometeu linfonodo nenhum).
Em caso de linfonodos acometidos proceder linfadenectomia inguinal
superficial e profunda e retirar gânglios pélvicos sempre que gânglios
profundos estiverem acometidos.
Pode causar linfocele, edema linfático, necrose de pele.

Amputação Parcial
Fernanda Araujo
CASO CLÍNICO
1) Homem, natural e procedente de Baixa Grande-BA,
67 anos, relata nunca ter exposto a glande. Refere
lesão que vem aumentando de tamanho há
aproximadamente 10 meses a despeito do uso de
múltiplas pomadas. Ao exame físico encontramos:
Como proceder diante desse caso? Pensar em CA
de Pênis  Retirar uma amostra e mandar para
biópsia.
Existe necessidade de se solicitar exames
complementares?
Como realizar o estadiamento?