Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE – UFCG

CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA

Manifesto dos pioneiros da educação nova 1932


Cajazeiras/PB
2019
Pedro Arthur Alves De Sousa
MANIFESTO DOS PIONEIROS DA EDUCAÇÃO NOVA

Resenha apresentada para a disciplina


politica educacional, no curso de química,
da Universidade federal de Campina
Grande-UFCG

Prof. Lays

Cajazeiras/PB
2019
Quem conhece um pouco sobre a educação, estuda ou faz parte de qualquer
instituição de ensino está ligado diretamente ou indiretamente ao manifesto dos
pioneiros da educação nova, que teve tanta importância a ponto de conseguir
remoldar todo o modelo de educação antiga e arcáica.

É assim que caracterizamos o manifesto dos pioneiros da educação nova. Sendo


escrito por vários autores como Fernando De Azevedo, Afranio Peixoto, Anísio Teixeira
e outros não menos importantes na corroboração desse projeto que apesar de antigo
em idade, sendo do ano de 1932, trás para a modernidade feitos importantissimos e
extremamente relevantes para a edução como um todo.

Foi escrito em um cenário de mudanças, estava-se para acabar a primeira república,


Getúlio Vargas assumia o poder(1930) e havia projetada nas pessoas um desejo de
criar um projeto novo de nação, e nesse contexto, vários educadores importantes
redigem este documento tal que trouxe um novo sentido a educação como um todo.

A obra tem como base pontos essênciais e visíveis dentro da educação no dia de hoje .
O desejo por uma mudança e melhoramento da qualidade da educação vem a ser a
maior meta da obra.

“Na hierarquia dos problemas nacionais, nenhum sobreleva em importância


e gravidade ao da educação. Nem mesmo os de caráter econômico lhe
podem disputar a primazia nos planos de reconstrução nacional. Pois, se a
evolução orgânica do sistema cultural de um país depende de suas
condições econômicas, é impossível desenvolver as forças econômicas ou
de produção, sem o preparo intensivo das forças culturais e o
desenvolvimento das aptidões”

Segundo o manifesto, a educação da época estava tragicamente voltada a burguesia e


as pessoas da classa alta, excluindo a classe de menor condições, assim de maneira
errônia aparentava uma melhora pois somente pessoas de classe tinham acesso, mas
retardava o crescimento e desenvolvimento do país, pois uma pequena e minúscula
parcela do país que se desenvolvia, porquê não existe desenvolvimento geral sem
investimento na educação.

Como em toda a história sempre existe quem se posicione contra, mas o manifesto
tem uma visão oriunda da cosmovisão de seus idealizadores, tais quais eram
educadores e preocupavam-se com a educação e seu densenvolvimento, produzindo
um desenvolvimento melhor e mais produtivo dos educandos, fazendo-os crescer
como cidadões e pessoas(quanto ao indivíduo), transformando assim a conjuntura
social da época, visando um crescimento em valores e virtudes.
"Nós não somos antes homens e depois seres sociais, lembra-nos a voz
insuspeita de Paul Bureau; somos seres sociais, por isto mesmo que somos
homens, e a verdade está antes em que não há ato, pensamento, desejo,
atitude, resolução, que tenham em nós sós seu princípio e seu termo e que
realizem em nós somente a totalidade de seus efeitos"

O documento trás também uma questão importantissima que é sobre a escola nova,
ou seja o novo modelo de escola. Nela todos tem o direito de estudar gratuitamente,
acabando assim com as desigualdades socias, tornando o âmbito escolar um lugar mais
igualitário, mostrando que independente de sua cor, condições financeiras e de qual
família o ser vem, ele tem o mesmo direito que os outros. Com a gratuidade o estado
trás também a obrigatóriedade, pois não pode ser gratuito sem ser obrigatório, ou
melhor, ser obrigatório sem ser gratuito.

Nele também nos fala sobre a laícidade, assim o educando ou educador não pode se
portar de maneira a oprimir o outro por conta de sua crença, mostrando que no
ambito escolar a importância é dada ao estudo e não a religiosidade. E ainda apresenta
a educação unificada ou coeducação, desfazendo a barreira na educação entre
meninos e meninas.

A educação nova não vem por um fim nas escolas religiosas(onde as pessoas vivem
uma vida focada não somente no estudo, mas também em servir a sua crença), mas
vem reformular e com isso formar novas escolas onde todas devem seguir um padrão
para existir.

A escola nova toma um papel de além de escola como um de aio(espécie de babá)


quem cuida do aluno desde o seu nascimento até a sua formação.

“É uma reforma integral da organização e dos métodos de toda a educação


nacional, dentro do mesmo espírito que substitui o conceito estático do
ensino por um conceito dinâmico, fazendo um apelo, dos jardins de infância
à Universidade, não à receptividade mas à atividade criadora do aluno.”

O novo conceito de educação vem repelir as ideias antigas de que os formados em


universidades pagas eram melhores ou superiores aos formados em instituições
públicas, pelo fato de terem melhores condições financeiras, ou serem da elite. Os
idealizadores trazem a novidade de a univerdade ser destinada para a elite intelectual,
invés de elite financeira, assim o filho do fazendeiro no campo teria acesso a educação
superior caso tivesse talento, ao passo que, o filho do rico, caso não tivesse talento
não teria o acesso.

A bandeira principal do manifesto era a criação de um sistema nacional de educação,


visto que o problema principal do Brasil era o na educação, assim resolvendo o
problema da educação, resolveria em conjunto todos os problemas do país. Havia no
país uma destruturação, cada estado tinha autonomia para gerir a educação de sua
forma e jeito, vindo eles a defenderem um sistema único, mas não uniforme.

Defendiam também a vinculação de recursos para a educação que era fazer uma parte
da receita de impostos ficar comprometida com a educação, mas apesar de ser
defendido por eles, isso só veio a acontecer muitos anos depois. Sendo que isso é uma
garantia de que a educação pública seja desenvolvida, pois sem recursos não tem
como desenvolver.

Viam a educação era um direito do estado, assim a educação deveria ser pública, assim
invés de destinar recursos públicos para intituições privadas, deveria ser investido em
instituições públicas. Sendo a educação um direito de todos. Era crido que todos os
dons biológicos deveriam ser desenvolvidos independente das classes sociais.

Condiseravam os professores com elite intelectual, assim sendo os tais(para lecionar


em qualquer área) deveriam ser tratados como elite intelectual e serem formados em
universidades, fazendo pesquisa, fazendo extensão. Outro ponto defendido quanto
aos professores era a valorização dos tais em relaçao ao salário, todos teriam um piso
salarial e um plano de carreira único. Assim um professor poderia ter mestrado ou
doutorado, ensinando na educação infantil receberia o mesmo salário de um professor
universitário.

Vemos que a obra se destaca e conseguiu adentrar no mundo escolar, apesar de que
muitos dos pontos tão desejados pelos pioneiros ainda, mesmo após 87 não se
concretizaram dentro das escolas e universidades, sendo motivo de tristeza para todos
que trabalham dentro do âmbito educacional. Este texto deveria ser estudado em
todos os cursos e escolas instruindo melhor os alunos acerca de seus direitos e
deveres.