Você está na página 1de 15

GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES

MÓDULO 01 - FIBRA ÓPTICA


APRENDA TUDO SOBRE FIBRA ÓPTICA. PARA SE TORNAR UM PROFISSIONAL
EM FIBRA ÓPTICA, O TÉCNICO TERÁ QUE CONHECER O QUE É FIBRA ÓPTICA
E SUAS TECNOLOGIAS.

CONTEÚDO DO MÓDULO 01:


1 – O QUE É FIBRA ÓPTICA E COMO É FORMADA;
2 – VANTAGENS E DESVANTAGENS;
3 – CAPACIDADE DE TRAFEGO E ATENUAÇÃO;
4 – TIPOS DE CABOS ÓPTICOS
5 – TIPOS DE REDES DE ACESSO A INTERNET

INTRODUÇÃO:

Ter um bom técnico realizando uma ativação de clientes FTTH, não é nada
fácil. São muitos os que acham que sabem realizar. Mas a verdade é que não sabem
nem mesmo o que é uma fibra óptica.
Já vi muitos técnicos que dizem ter experiência na Enel, OI, etc, dizer que
já trabalhou anos com escadas, passando cabos e colocando ferragens. Ativar um
cliente, não é só passar drop.
Há muito mais pra fazer, que só um lançamento. Alguns até dobram,
torcem, colocam o drop de qualquer jeito, achando que ele é um cabo FE de telefonia
fixa. Ativar clientes FTTH, precisa de experiência, muito treinamento, paciência e
disciplina.
A grande demanda de velocidade vem crescendo a cada ano. Hoje só se
fala em filmes HD, FullHD ou 4K. Os jogos online estão cada vez mais exigindo banda
de internet. Videoconferências e vídeo-monitoramentos em tempo real, precisam de
uma velocidade impossível de obter nas tecnologias Via Radio e Cabeada.
Isso vem preocupando os pequenos provedores regionais, levando-os a
tomarem providências não muito generosas, em adequar seu sistema de transmissão
de dados entre clientes e provedores, às demandas atuais. Sendo a melhor opção, o

Instrutor: Paulo Ronaldo


1
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
uso de fibra óptica, que tem limite de velocidade ilimitada e capaz de transmitir dados
em Multicast (é a transmissão de informação para múltiplos destinatários
simultaneamente, usando a estratégia mais eficiente, onde as mensagens só passam
por um link uma única vez e somente são duplicadas quando o link para os
destinatários se divide em duas direções).

OBJETIVO:

O objetivo deste curso, é fazer com que o técnico em fibra óptica, fique por
dentro da tecnologia com a qual vem crescendo bastante. Neste curso, o aluno
saberá o que é a fibra óptica e suas particularidades.
Este curso também servirá como complemento para quem já trabalha com
redes ópticas FTTH e que queira obter mais informações. No final do curso, o aluno
estará preparado para exercer a função de Técnico Instalador de Redes de Fibra
Ópticas FTTH de forma profissional.
Este curso foi elaborado por profissional com anos de experiência em fibra
óptica. Temos certeza que no final do curso, o aluno terá mais confiança e poderá
impressionar qualquer Provedor que o contratar.

O QUE É FIBRA ÓPTICA?

Fibra óptica é um filamento flexível e


transparente fabricado a partir de vidro ou plástico
extrudido (significa "que é obtido por extrusão", isto
é, “que foi forçado a passar por uma fieira ou por
um orifício para ficar com formato alongado”).
E que é utilizado como condutor de
elevado rendimento de luz, imagens ou impulsos
codificados. Têm diâmetro de alguns micrómetros,
ligeiramente superior ao de um fio de cabelo humano.

Instrutor: Paulo Ronaldo


2
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
VANTAGENS E DESVANTAGENS DA FIBRA ÓPTICA:

Vantagens
• A transmissão através da fibra óptica é muito mais rápida. Vídeos e jogos em alta
definição, só podem ser executados na tecnologia óptica.
• A fibra não sofre interferências. A fibra trabalha com luz. Assim, ela é imune às
interferências eletromagnéticas.
• Não há perdas. Daria para conectar um cliente ao provedor em uma distância de
100 km, com uma fibra monomodo, sem perdas de conexão. O reparo da fibra é
seguro. Por ser passiva, não contém eletricidade. O risco de choque e de incêndio cai
para zero.

Desvantagens
O custo inicial da rede óptica é duas vezes mais caro do que a cabeada.
Área de abrangência menor. Devido ao custo do cabo óptico e ferragens, a fibra se
torna inviável em pequenos lugares. Mão de obra mais cara. Por serem materiais
mais delicados, o manuseio precisa de técnicos especializados e ferramentas de alta
precisão.

CAPACIDADE DE TRANSMISSÃO DA FIBRA ÓPTICA:

O esforço conjunto de pesquisadores


da Universidade de Tecnologia de Eindhoven, nos
Países Baixos, e da Universidade da Flórida
Central, nos Estados Unidos, resultou em um
recorde: o grupo conseguiu transferir dados à
velocidade de 255 Tb/s (terabits por segundo) em
uma conexão de fibra óptica.

Instrutor: Paulo Ronaldo


3
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
COMO É FORMADA A FIBRA ÓPTICA:

• Uma fibra óptica é composta basicamente de material dielétrico, segundo uma longa
estrutura cilíndrica, transparente e flexível, de dimensões microscópicas comparáveis
às de um fio de cabelo.
• A estrutura cilíndrica básica da
fibra óptica é formada por uma
região central, chamada de núcleo
(por onde a luz trafega), envolta
por uma camada, também de
material dielétrico, chamada
casca.

O QUE É ATENUAÇÃO?

A luz trafegada no núcleo da fibra,


refletida dezenas, centenas ou milhares de
vezes, antes de chegar ao seu destino.
Mesmo o núcleo sendo de vidro puro, ainda
sofre a perda de luz ao se chocar com as
paredes do núcleo.
Veja que quanto mais curvada à
fibra se encontra, mais dificuldade a luz terá
para sair no outro lado. A atenuação pode
ocorrer também na fusão óptica malfeita ou
com impurezas na hora da fusão.

FIBRA MULTIMODO FIBRA MONOMODO:

Multimodo:
As fibras multimodo têm um
diâmetro maior no núcleo, a luz é trafega em

Instrutor: Paulo Ronaldo


4
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
zigzag. As perdas são maiores e atinge distâncias de até 20 km. Por ter um núcleo
maior, elas são usadas para transmitir e receber dados ao mesmo tempo. Ou seja,
pode ser transmitido dois sinais ópticos no mesmo núcleo.

Monomodo:
As fibras monomodo possuem um diâmetro muito menor no núcleo, além
de uma casca mais espessa. Isso faz com que ele tenha uma menor perda de luz, já
que a luz trafega em linha reta, mesmo em curvas. Ela é usada em grandes distâncias
como 100KM. Por possuir um núcleo menor, elas só conseguem transmitir ou receber
dados. Ou seja, só consegue ser transmitido um sinal óptico por fibra.
OBS: Técnica DWDM.

O DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing - multiplexação densa


por comprimento de onda) é uma tecnologia WDM. Segundo a ITU (International
Telecommunications Union), os sistemas DWDM podem combinar até 64 canais em
uma única fibra. No entanto, podemos encontrar, na prática, sistemas DWDM que
podem multiplexar até 128 comprimentos de onda. Além disso, foram realizados
alguns testes que provaram ser possível a multiplexação de até 206 canais.

O espaçamento entre os canais pode ser de 200 GHz (1.6 nm), 100 GHz
(0,8 nm), 50 GHz (0,4 nm), podendo chegar a 25 GHz (0,2 nm). Os sistemas DWDM
utilizam comprimentos de onda entre aproximadamente 1500 nm e 1600 nm e
apresentam alta capacidade de transmissão por canal, 10 Gbps, podendo alcançar
1Tbps na transmissão de dados sobre uma fibra óptica.

Instrutor: Paulo Ronaldo


5
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
CABOS ÓPTICOS TIPOS DE CABOS ÓPTICOS:

Existem diversos tipos de cabos ópticos. Vamos analisar os principais:

Cabo óptico AS – Autossustentados:


São os cabos que compõe o Backbone. Geralmente são de 6 a 144 fibras,
protegido por uma cobertura dielétrico e com um filamento em aramida localizado na
parte interna do cabo, que o protege contra trações durante o lançamento e sustenta
todo seu peso nos vãos dos postes.

Cabo AS Convencional
O Cabo AS é ideal para
instalação aérea autossustentada para
vãos entre postes de até 200m, sem uso
de cordoalha, para rede de transporte
em entroncamentos ou acesso em redes
de assinantes.
A construção do tipo “loose” e
os materiais de alta qualidade
empregados na formação do cabo garantem proteção dielétrica, contra umidade, raios
UV e proteção retardante a chama (RC), resultando em segurança e confiabilidade
para a instalação.

Cabo AS Compacto

O Cabo AS
Compacto, utilizando a mesma
estrutura de construção do Cabo
Óptico AS convencional, proporciona
uma redução de até 40% do seu
peso para uma mesma quantidade de
fibras, reduzindo os esforços nos

Instrutor: Paulo Ronaldo


6
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
postes e resultando em ganhos com a utilização de ferragens menos robustas.
Indicado para aplicação aérea autossustentada em redes de backbone
urbano, backhaul e rede de acesso ao assinante, permite a instalação em vãos entre
postes de até 200m, sem o uso de cordoalha.

Cabo ASU – Único Tubo:

O Cabo Óptico ASU é totalmente


dielétrico, indicado para instalações de
backbone urbano, backhaul e rede de
acesso ao assinante. Possui um único
tubo com capacidade de até 12
fibras ópticas, e é indicado para aplicação
aérea autossustentado para vãos entre
postes de até 120m, sem o uso de cordoalha. Apresenta uma estrutura compacta e
leve, permitindo a utilização de alças e laços pré-formados menores e de menor
custo.
Alta proteção contra umidade, com a unidade básica protegida por gel e
fios hidroexpansíveis no núcleo do cabo, e revestimento com proteção UV, podendo
ser fornecido também com proteção retardante a chama (RC).

Drop Flat 1FO:


Temos o drop flat, que é um
cabo de uma 1,2,4 fibras ou mais,
protegidas por uma camada dielétrica e
um a três arames de tração. Dois fios para
proteger o drop e fio maior para tração e
fixação nas ferragens.

Instrutor: Paulo Ronaldo


7
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
Cordão Óptico
O cordão óptico é usado apenas em ambientes internos. Ele é mais frágil e
não possui resistência contra trações. Tem revestimento de plástico e feixes de nylon,
para evitar o esticamento. Geralmente só servem para interligar equipamentos no
provedor e na casa do assinante. Ex: (DIO, OLT, PTO).

IDENTIFICAÇÃO DAS FIBRAS EM UM CABO ÓPTICA


As fibras dentro de cabo óptico são identificadas através de cores. Sendo o
padrão mais utilizado o americano e brasileiro. As fibras são agrupadas em tubos
looses, que por sua vez são agrupados no cabo óptico. No padrão americano, os
tubos looses são identificados por cores diferentes, ao contrário do padrão brasileiro,
que tem 1 tubo verde, 1 amarelo e 4 ou mais tubos brancos.
CÓDIGO DE CORES EM FIBRAS ÓPTICAS:

Instrutor: Paulo Ronaldo


8
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
RECONHECENTO O TUBO PILOTO:

– Tubo verde, também conhecido como “piloto”, será sempre o tubo 1.

– Tubo amarelo, também conhecido como “direcional”, será sempre o tubo 2 e


também determinará se seguiremos a contar os demais tubos no sentido horário ou
anti-horário.

REDES DE ACESSO À INTERNET

TIPOS DE REDES DE INTERNET

Para cada necessidade há uma aplicação específica. Hoje em dia ainda


temos muitos pequenos provedores utilizando a tecnologia via rádio. Para se ter uma
ideia, todos começam pela via rádio, devido o baixo custo para se montar um
provedor com atendimento de 100 a 200 clientes.
Com o crescimento da demanda de banda, vem à necessidade de migrar
para outra tecnologia mais rápida. A tecnologia cabeada é a mais acessível e oferece
planos de até 50mega, sem comprometer a banda da caixa de atendimento, já que a
caixa é limitada por um switch de 100mega. Quando o assunto é bandas de 50, 100,
200mega, TV por assinatura, vídeo-monitoramento e telefonia, não tem outra solução.

Instrutor: Paulo Ronaldo


9
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
O uso da fibra óptica é obrigatório. Veja a seguir detalhes de cada tecnologia
existentes.
Tecnologia de Rede Via Rádio:

Essa tecnologia ainda existe em pequenos provedores. Ela está sujeita há


várias interferências eletromagnéticas por todos os lados. As distâncias entre cliente e
provedor prejudica a qualidade da internet.
Além da chuva, as arvores, casas e edifícios, atrapalham no envio e
recebimento do sinal (visada). A velocidade da banda é de apenas 2 a 15mega em
equipamentos tradicionais.

Tecnologia de Rede De Cabo Estruturado:

Essa é a tecnologia mais utilizada atualmente pelos pequenos provedores.


Nela a interferência eletromagnética e as distâncias prejudicam a qualidade da
internet. O próprio cabo usado para interligar o provedor com o cliente gera
interferências no sinal, por utilizar eletricidade como meio de transmissão.
Além do risco de choque, ela também causa incêndios nos postes. A
velocidade da banda em um cabo UTP pode chegar a 5 a 50mega, já que os switchs
nas caixas têm limitação de 100mega e 10 portas apenas.

Tecnologia Fibra Óptica Fttx E Ftth:

Tipos de redes de Internet FTTx e FTTH existem várias siglas de redes


FTTx, vejamos algumas:
FTTx1 – Fibra até a caixa de distribuição
FTTx2 – Fibra até a caixa de atendimento PACPON - Fibra até a caixa de
atendimento
FTTH - Fibra até a casa do cliente, 100% fibra óptica.
Outros tipos de tecnologias foram aplicados a fim de aumentar a qualidade
e o tamanho da banda. O uso de fibra óptica para compor o backbone tem sido

Instrutor: Paulo Ronaldo


10
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
vantajoso. Com o backbone todo em fibra dava para dá mais qualidade no serviço e
aumento ilimitado de banda.

Topologia FTTx1:

A fibra compõe o
backbone. Na caixa primária
existe um conversor óptico
(ONU) e um switch que vai
distribui link para outras 8
caixas de atendimento
espalhadas ao redor. Nesse
sistema, a fibra chega até um
certo ponto, longe do cliente
final, na caixa de atendimento
chega um cabo UTP vindo da primária. Da caixa de atendimento ao cliente, também é
composto por cabo UTP, gerando mais perdas de qualidade.

Topologia FTTx2:

A fibra compõe todo


backbone e distribuição das
caixas. Na caixa CEO existe um
splitter que distribui Sinal óptico
para 8 ou 16 caixas de
atendimento.
Cada caixa de
atendimento, contendo uma
ONU+switch de 8 portas. Da
caixa de atendimento, até o
cliente final é usado cabo UTP, quando mais se usa cabo UTP, mais se perde

Instrutor: Paulo Ronaldo


11
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
qualidade. Dependendo da qualidade do cabo UTP, mais perda de qualidade do
serviço terá.

Topologia PACPON:

A fibra compõe todo


backbone e distribuição das
caixas. Na caixa CEO existe um
splitter que distribui Sinal óptico
para 8 ou 16 caixas de
atendimento. Parecido com a
FTTP2. Sendo que na caixa de
atendimento terá um switch
óptico com 8 portas Gigabit. Da
caixa de atendimento, até o cliente final é usado cabo UTP, quando mais se usa cabo
UTP, mais se perde qualidade. Dependendo da qualidade do cabo UTP, mais perda
de qualidade do serviço terá.

Topologia FTTH:

Já na FTTH a fibra
compõe o backbone, a distribuição
das CTOs e chega até dentro da
casa do cliente, conectando-se
com o conversor óptico (ONU).
Neste tipo de rede, a
perda de qualidade e velocidade
são zero! A velocidade é ilimitada!
Somente a rede FTTH pode levar
Internet + TV + Telefone + vídeo

Instrutor: Paulo Ronaldo


12
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
monitoramento juntos na mesma fibra. Essa tecnologia é a mais avançada que existe.
Não existe um meio mais rápido de transmissão de dados neste planeta.

Visão Geral de uma Rede FTTH:

Instrutor: Paulo Ronaldo


13
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES

Visão de um Projeto FTTH

Instrutor: Paulo Ronaldo


14
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
Projeto FTTH feito no Geosite:

Instrutor: Paulo Ronaldo


15