Você está na página 1de 2

A importância do ensino de geometria para o Ensino Fundamental

É possível afirmar que a geometria está presente no dia a dia de cada


um, uma vez que esta arquiteta o ambiente em que vivemos. As formas geométricas se
encontram tão presentes no cotidiano que o ser humano nem mais às percebe: a placa de
pare (octógono), o pneu do carro (círculo), o celular (retângulo), a cerâmica (quadrado),
entre outros.

Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais, os ensinamentos


matemáticos devem ser voltados ao desenvolvimento do raciocínio lógico do estudante,
afim de este seja capaz de interpretar, projetar, generalizar e abstrair as informações
necessárias para a solução de uma situação problema.

É de fundamental importância o educador ter em mente que o aluno


ao adentrar no meio escolar, traz consigo, ainda que pequena, uma bagagem de
conhecimentos prévios e que ali, o ambiente escolar, tais conhecimentos serão
aprimorados e desenvolvidos, afim de se cultivar ações que se refletirão na sociedade
futura.

No início da vida escolar, levando em consideração a idade do


estudante, a geometria aborda situações relacionadas principalmente à direção, forma e
dimensão. Tal abordagem visa apenas o reconhecimento das formas geométricas, suas
representações e algumas de suas propriedades, o que acaba por gerar um pensamento
intuitivo e uma construção de conhecimento, uma vez que os alunos acabam apenas
decorando o nome das formas geométricas, suas propriedades (arestas, vértices e faces)
e a aplicabilidade de suas fórmulas.

Lopes (2003) traz que os primeiros passos para a aprendizagem da


geometria devem, em sua essência, serem visuais e sensitivos, onde o estudante pode
manusear os objetos com formas geométricas diferentes, aliando teoria à prática. O autor
ainda afirma que as crianças devem ser desafiadas geometricamente, montando e
desmontando, desenhando, compondo formas, etc., pois assim, o aluno acaba por
desenvolver plenamente o conhecimento geométrico, verificando a importância do mesmo
para o seu dia a dia e sua aplicabilidade.

Panizza (2006), Duhalde e Cuberes (1998), defendem que a


geometria na escola deve ser abordada de maneira a produzir conhecimento, onde o
professor, dotados de suas habilidades teóricas, posso instigar o aluno a aprender pela
curiosidade, criando assim um processo dinâmico de aprendizagem matemático, e
reduzindo o indesejável quadro comum onde o estudante apenas memoriza fórmulas e
nomenclaturas.

Diante disto, é papel do educador abordar o conteúdo de geometria


para com os alunos, considerando seus conhecimentos prévios, auxiliando na aprimoração
e desenvolvimento destes, subsidiando a formação crítica, reflexiva e de ação em
sociedade, arquitetando assim um cidadão melhor.

Referências:

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília, 2000. Cap. Ciclo II:
Ensino e Aprendizagem de Matemática no 2º ciclo, p. 125 – 131.

Brasil Escola. A Importância da Geometria nas Séries Iniciais. Disponível em: <
https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/a-importancia-geometria-nas-
series-iniciais.htm>. Acesso em: 22 de nov. de 2018.

DUHALDE, M. E.; CUBERES, M. T. G.; Encontros iniciais com a Matemática. Porto


Alegre: Artmed, 1998.

LOPES, A. J.; Metodologia para o ensino da aritmética. Porto Alegre: ArtMed, 2003.

PANIZZA, M.; Ensinar Matemática na Educação Infantil e nas séries iniciais: análise e
propostas. Porto Alegre: Artmed, 2006. Cap. 8, p.169 – 188.

SOUZA, G. R.; O ensino da geometria nos anos iniciais do ensino fundamental.


Revista Pandora Brasil - Edição Nº 27 - Fevereiro de 2011 - ISSN 2175-3318.