Você está na página 1de 17
DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE DE TRABALHO LTCAT JANEIRO 2015

01 – IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

Empresa: AUTOPARQUE DO BRASIL EMPREENDIMENTOS E SERVIÇOS LTDA.

Endereço: Rua General Telles, 1331 – Centro – Botucatu / SP CEP: 18602-120

C.N.P.J.: 02.939.835/0009-94

Atividade principal: Estacionamento de Veículos

CNAE: 52.23-1-00 – Principal

Nº de empregados: 15

Grau de Risco: 03

Acompanhante/ Responsável: Adriana Vidal da Silva

Elaborado por: Walter Sebastião Ribeiro Engenheiro de Segurança do Trabalho CREA/SP – 5060582404

Cesar Augusto De Vicenzo Vieira dos Santos Téc. Seg. do Trabalho Reg. SSMT nº 51/04494-1

Marcus Vinicius De Vicenzo Vieira dos Santos Téc. Seg. do Trabalho Reg. SSMT nº 51/00724-2

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

2 – INTRODUÇÃO

Este trabalho tem o objetivo de levantar dados e avaliar os agentes agressivos e as condições de segurança e saúde existentes nos ambientes de trabalho da empresa e com base na Lei nº 8.213 de 24/07/91, no Decreto nº 611 de 21/07/97 e no Decreto 3.048 de 06/05/1999, que aprova o regulamento dos benefícios da Previdência Social, informar sobre a exposição ou não a agentes agressivos e ou atividades perigosas e ou penosas nas atividades desenvolvidas em seus processos produtivos. As avaliações de campo foram realizadas “in loco” no dia 09 de Janeiro de 2015, das 8:00 as 17:00 h., pelos seguintes profissionais:

Cesar Augusto De Vicenzo Vieira dos Santos Téc. Seg. do Trabalho Reg. SSMT nº 51/04494-1

Walter Sebastião Ribeiro Engenheiro de Segurança do Trabalho CREA/SP – 5060582404

3 - CONCEITO DE INSALUBRIDADE

A palavra “insalubre” vem do latim e significa tudo aquilo que origina doença, sendo que a insalubridade é a qualidade de insalubre. Já o conceito legal de insalubridade é dado pelo artigo 189 da CLT – Consolidação das Leis do Trabalho, nos seguintes termos:

“ Serão consideradas atividades ou operações insalubres aquelas que, por sua natureza, condições ou métodos de trabalho, exponham os empregados a agentes nocivos à saúde acima dos limites de tolerância fixados em razão da natureza e da intensidade do agente e do tempo de exposição aos seus efeitos” (Grifo nosso)

No campo da saúde ocupacional, a Higiene do Trabalho é uma ciência que trata do reconhecimento, avaliação e controle dos agentes agressivos possíveis de levar o empregado a adquirir doença profissional, quais sejam:

Agentes físicos

Agentes químicos

Agentes biológicos - microorganismos, vírus e bactérias.

Segundo os princípios da Higiene do Trabalho, a ocorrência da doença profissional, dentre outros fatores, depende da natureza, intensidade e do tempo de exposição ao agente agressivo. Analisando o Art. 189 da CLT, observa-se que a insalubridade será caracterizada somente quando o limite de tolerância for superado; isto é, a lei tratou a questão do direito ao adicional, deixando o aspecto prevencionista a critério da regulamentação do Ministério do Trabalho, conforme preceitua o artigo 190 da CLT, que estabeleceu o quadro de atividades insalubres, as normas de caracterização da insalubridade, os limites de tolerância e os meios de propagação.

– ruído, calor, radiações, frio, vibrações e umidade.

- poeira, gases e vapores, névoas e fumos.

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

4 - CRITÉRIOS ADOTADOS PELO MINISTÉRIO DO TRABALHO PARA A CARACTERIZAÇÃO DA INSALUBRIDADE

Ministério do Trabalho, na Portaria nº 3.214/78, regulamentou toda a matéria de Segurança e Medicina do Trabalho através de 29 Normas Reguramentadoras, estando inseridas na NR-15 e seus 14 anexos as atividades e operações insalubres, assim consideradas (no subítem 15.1) as que se desenvolvem:

Acima dos limites de tolerância previstos nos anexos 1,2,3,5,11 e 12.

Nas atividades mencionadas nos anexos 6,13 e 14.

Comprovadas através de laudo de inspeção do local de trabalho, constantes dos anexos 7,8,9 e 10.

Abaixo dos mínimos de iluminamento fixados no anexo 4, exceto nos trabalhos de extração de sal. Esse anexo foi revogado pela Portaria nº 3751, de 23.11.90. Observa-se que a Norma estabeleceu três critérios para a caracterização da insalubridade. Avaliação quantitativa, qualitativa e qualitativa dos riscos inerentes a atividade.

a) Avaliação quantitativa.

Nos anexos 1,2,3,5,8,11 e 12 estão definidos os limites de tolerância para os agentes agressivos fixados em razão da natureza, intensidade e do tempo de exposição. Neste caso, terá que se medir a intensidade do agente e compará-lo com os respectivos limites de tolerância; a insalubridade será caracterizada somente quando o limite for ultrapassado.

b) Avaliação qualitativa.

Nos anexos 7,8,9,10 e 13, a NR-15 estabelece que a insalubridade será comprovada pela inspeção realizada no local de trabalho; ou seja, nesses anexos, o Mtb, não fixou limites de tolerância para os agentes agressivos. Assim, na caracterização da insalubridade pela avaliação qualitativa, deverá ser analisado detalhadamente o posto de trabalho e a função do trabalhador, utilizando os critérios técnicos da Higiene Industrial.

c) de riscos inerentes à atividade.

O subitem 15.13 da NR-15 estabelece que serão insalubres as atividades mencionadas nos anexos 6, 13 e 14. Quando não há meios de se eliminar ou neutralizar a insalubridade, significa que esta é inerente à atividade. Assim, por exemplo, no trabalho em contato com pacientes em hospitais o risco de contágio não pode ser totalmente eliminado com medidas no ambiente de trabalho ou com uso de equipamentos de proteção

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

5 - PERCENTUAIS DOS ADICIONAIS DE INSALUBRIDADE

O artigo 192 da CLT estabelece que o exercício de trabalho em condições insalubres,

acima dos limites de tolerância fixados pelo Ministério do Trabalho, assegura a

percepção do adicional respectivamente de 40% (quarenta por cento), 20% (vinte por cento) e 10% (dez por cento) do salário mínimo, segundo se classifiquem nos graus máximo, médio e mínimo.

A determinação do grau de insalubridade é definida pela regulamentação do Mtb

através da Portaria nº 3.214, NR-15, conforme o quadro que se segue:

ANEXO

ATIVIDADES OU OPERAÇÕES QUE EXPONHAM O TRABALHADOR A

PERCENTUAL

 

Níveis de ruído contínuo ou intermitente superior aos

 

1

limites de tolerância fixados no Quadro constante do Anexo 1 e no item 6 do mesmo anexo

20%

 

Níveis de ruído de impacto superiores aos limites te

 

2

tolerância fixados nos itens 2 e 3 do anexo 2.

20%

 

Exposição ao calor com valores de IBUTG superiores

 

3

aos limites de tolerância fixados nos Quadros 1 e 2.

20%

   

Revogado

4

Níveis de iluminamento inferiores aos mínimos fixados no Quadro l

Port. 3.435 de

19.06.90

 

Níveis de radiações ionizantes com radioatividade

 

5

superior aos limites fixados neste anexo

40%

6

Ar comprimido

40%

 

Radiações não ionizantes consideradas insalubres em

 

7

decorrência de inspeção realizada no local de trabalho

20%

 

Vibrações consideradas insalubres em decorrência de

 

8

inspeção realizada no local de trabalho

20%

 

Frio considerado insalubre em decorrência de inspeção

 

9

realizada no local de trabalho

20%

 

Umidade considerado insalubre em decorrência de

 

10

inspeção realizada no local de trabalho

20%

 

Agentes químicos cujas concentrações sejam superiores

 

11

aos limites de tolerância fixados no Quadro l.

10%, 20% E

40%

 

Poeiras minerais cujas concentrações sejam superiores

 

12

aos limites de tolerância fixados neste anexo

40%

 

Atividades ou operações envolvendo agentes químicos

10%, 20% E

13

considerados insalubres considerado insalubre em decorrência de inspeção realizada no local de trabalho

40%

14

Agentes biológicos

20% E 40%

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

6 - PERCENTUAL DO ADICIONAL DE PERICULOSIDADE

São consideradas atividades e operações perigosas as constantes dos Anexos n°s 1 e 2 da Norma Regulamentadora nº 16 – NR 16, da Portaria nº 3.214/78 do Ministério do Trabalho.

O exercício de trabalho em condições de periculosidade assegura ao trabalhador a percepção de adicional de 30 (trinta) por cento, incidente sobre o salário, sem os acréscimos resultantes de gratificações, prêmios ou participação nos lucros da empresa.

7 - ELIMINAÇÃO OU NEUTRALIZAÇÃO DA INSALUBRIDADE ITEM 15.4 DA NR 15, PORTARIA 3.214/78, MTb.

15.4. A eliminação ou neutralização da insalubridade determinará a cessação do pagamento do adicional respectivo.

15.4.1. A eliminação ou neutralização da insalubridade deverá ocorrer:

a) com a adoção de medidas de ordem geral que conservem o ambiente de trabalho dentro dos limites de tolerância;

b) com a utilização de equipamento de proteção individual.

15.4.1.1. Cabe à autoridade regional competente, em matéria de segurança e saúde do trabalhador, comprovada a insalubridade por laudo técnico de engenheiro de segurança do trabalho ou médico do trabalho, devidamente habilitado, fixar adicional devido aos empregados expostos à insalubridade quando impraticável sua eliminação ou neutralização.

15.4.1.2. A eliminação ou neutralização da insalubridade ficará caracterizada através de avaliação pericial por órgão competente, que comprove a inexistência de risco à saúde do trabalhador.

8 - DO LAUDO

Este trabalho tem o objetivo de proceder a avaliação dos riscos ambientais, avaliá-los nos locais e atividades da empresa, quantificando e qualificando os agentes físicos, químicos e biológicos existentes. para posterior controle destas condições, tanto por meio de medidas de Engenharia, através do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), como por meio do controle da saúde dos que ficam expostos a estes riscos, através do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO). Estão descritas: as características de cada setor do estabelecimento; os equipamentos instalados; as funções e as atividades desenvolvidas em cada setor; os agentes observados (físicos, químicos e biológicos) de interesse para esta avaliação; as medições efetuadas e condições observadas. Por fim são apresentadas as considerações, conclusões e recomendações julgadas necessárias.

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

9 – RECONHECIMENTO DOS LOCAIS DE TRABALHO

9.1 – IDENTIFICAÇÕES DAS FUNÇÕES EXERCIDAS E NÚMERO DE TRABALHADORES EXPOSTOS

FUNÇÃO

SETOR Grupo de Trabalho

NÚMERO DE TRABALHADORES

Auxiliar de administrativo

Administração

02

Trabalhador

Auxiliar de Limpeza

Administração

01

Trabalhador

Encarregado

Fiscalização

01

Trabalhador

Fiscais

Fiscalização

10 Trabalhadores

Auxiliar de Manutenção

Manutenção

01

Trabalhador

TOTAL

 

15 Trabalhadores

9.2 – CARACTERÍSTICAS DOS AMBIENTES DE TRABALHO

 

Setor: Sala de Reuniões

 

Paredes:

Alvenaria

Piso:

Piso com tacos

Ventilação:

Natural Artificial com ventiladores

Iluminação:

Natural Artificial com lâmpadas fluorescentes

Cobertura:

Laje / concreto

Pé Direito:

Superior a 3 m

   

Setor: Recepção

 

Paredes:

Alvenaria

Piso:

Piso com tacos

Ventilação:

Natural Artificial com ventiladores

Iluminação:

Natural Artificial com lâmpadas fluorescentes

Cobertura:

Laje / concreto

Pé Direito:

Superior a 3 m

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

 

Setor: Vestiário Feminino

 

Paredes:

Alvenaria

Piso:

Piso com tacos

Ventilação:

Natural

Iluminação:

Natural Artificial com lâmpadas fluorescentes

Cobertura:

Laje / concreto

Pé Direito:

Superior a 3 m

 

Setor: Vestiário Masculino

 

Paredes:

Alvenaria

Piso:

Cerâmico

Ventilação:

Natural

Iluminação:

Natural Artificial com lâmpadas fluorescentes

Cobertura:

Laje / concreto

Pé Direito:

Superior a 3 m

 

Setor: Sala de Manutenção / Estoque

 

Paredes:

Alvenaria

Piso:

Piso com tacos

Ventilação:

Natural

Iluminação:

Natural Artificial com lâmpadas fluorescentes

Cobertura:

Laje / concreto

Pé Direito:

Superior a 3 m

9.3 – MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS UTILIZADOS

Computadores

Impressora

Moveis para escritório

Telefone

Fax

Parquímetros

Ferramentas manuais

Armários

Impressoras de tíquetes

Tablets

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

9.4 – RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS

RISCOS AMBIENTAIS (IDENTIFICAÇÃO)

DETERMINAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DA(S) FONTE(S) GERADORA(S)

TRAJETÓRIA E MEIOS DE PROPAGAÇÃO

 

Físico:

   

Intempéries (Sol / Chuva)

Realização de trabalhos em áreas abertas, ruas, avenidas.

Contato

direto

com

o

agente.

 

OBS:

Referência sobre possíveis danos à saúde relacionados aos principais riscos identificados, disponíveis em literatura técnica: consultar anexo.

Dados existentes na empresa, indicativos de possível comprometimento da saúde decorrente do trabalho (queixas, afastamentos, etc): consultar anexo, se existir.

Considerar os riscos ambientais não identificados ou relacionados como não existentes ou pouco significativos na atividade do setor.

8.5 – EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL FORNECIDOS PELA EMPRESA

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - (E.P.I.)

DESCRIMINAÇÃO

Nº do C. A.

Calça

Não encontrado

Camiseta

Não encontrado

Boné

Não encontrado

Polchete

Não encontrado

Jaqueta

Não encontrado

Sapato de Proteção sem biqueira

16701

Protetor Solar

Marca Luvex - Fps 30

Capa de Chuva

1125

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

10 – AVALIAÇÃO DOS RISCOS AMBIENTAIS ANALISE POR GRUPO HOMOGÊNIO DE TRABALHADORES POR SETOR

 

IDENTIFICAÇÃO DA ATIVIDADE

 
 

FUNÇÕES

SETOR

 

DESCRIÇÃO DE FUNÇÃO

 

N° TRAB.

Auxiliar de Escritório

Administração

Realizam atividades administrativas diversas, atendimento de clientes e fornecedores, emissão de relatórios administrativos, contagem e embalamento de moedas retiradas dos parquímetros, e financeiros, auxiliam nas atividades de departamento pessoal e financeiro.

 

02

Auxiliar de Limpeza

Realiza a limpeza dos setores, áreas administrativas, vestiários, mantem a higiene e organização dos setores.

 

01

 

ANALISE DOS RISCOS

 
   

RUÍDO (NR-15 ANEXO N° 1)

 

Fonte Geradora

 

Tempo de Exposição Diária (Horas)

 

Atenuação

 
           

NPS

 

NPS

Avaliado

Tempo

Exposição

Limite

Tolerância

C.A.

EPI

Atenuação

NRRSF dB(A)

atenuado

dB(A)

Sala de Reuniões

47,2 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

N/A

Recepção/ administrativo

63,2 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

N/A

Sala de monit. de vigilância

51,1 dB(A)

N/A

8

h

N/A

N/A

N/A

FÍSICOS

Cozinha / refeitório

61,3 dB(A)

8 h

8

h

N/A

N/A

N/A

Vestiário Feminino

54,3 dB(A)

1 h

8

h

N/A

N/A

N/A

Vestiário Masculino

55,3 dB(A)

1 h

8

h

N/A

N/A

N/A

 

Medidas de Controle necessárias ao risco:

 

Durante a avaliação nenhum dos valores encontrados ultrapassou o limite de tolerância, os trabalhadores realizam atividades administrativas em local ameno, sem exposição a risco físico / Ruído.

Metodologia As avaliações quantitativas para determinação dos níveis de ruído nos locais de trabalho foram efetuadas com o seguinte instrumental, obedecendo as regras estabelecidas pelo anexo nº 1 da NR-15:Foi utilizado um aparelho medidor de nível de pressão sonora (Sound Lever Meter) Marca LUTRON, modelo 4001 , procedência Taiwan, devidamente calibrado, operado no circuito da curva de compensação “A” e circuito de resposta lenta “slow”, para ruído contínuo e na escala “C” e resposta “fast” para ruído de impacto.

Observações As mais relevantes fontes de ruído são provenientes do transito de veículos passando em frente ao escritório da empresa, não foram identificados outras fontes de ruído que propicie riscos aos colaboradores no setor.

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

   

CALOR (NR-15 ANEXO N° 3)

 
   

IBUTG

 

Tipo

Medidas de

Fonte Geradora

TBS

 

TBS

 

TG

IBUTG

Kcal/h

Exposição

Controle

Não Há

XX

 

XX

 

XX

XX

XX

XX

XX

Medidas de Controle necessárias ao risco:

 

Não foram localizados possíveis fontes de calor para caracterização do risco.

 

Metodologia / Observações Risco Ambiental pouco significativo, os trabalhadores realizam suas atividades sentados em ambiente ameno, escritórios. Não foram localizadas possíveis fontes de calor para caracterização do risco.

   

AGENTES QUIMICOS (NR-15 ANEXO N°11)

 
           

Medidas de

Fonte Geradora

Contato

Absorção

Frequencia

 

ppm

L.T

controle

Não Há

XXX

XX

XX

 

XX

XX

XX

QUÍMICOS

Metodologia / Observações Não foram localizadas fontes geradoras de riscos químicos, os trabalhadores não possuem contado com agentes químicos.

 

POEIRAS (NR-15 ANEXO N°12)

 

Fonte Geradora

% Quartzo

L.T.

Concentração

 

Medidas de controle

 

Não há

XXX

XXXX

XXX

   

XXXX

Metodologia / Observações Não foram localizadas fontes geradoras de riscos químicos, os trabalhadores não possuem contado com agentes químicos.

 

OUTROS RISCOS (QUALITATIVOS)

 
 

Fonte Geradora

Agente

 

Danos

 

Tipo

 

Medidas de controle

OUTROS

Exposição

 

Não há

XX

XX

 

XX

 

XXXX

         
 

CONCLUSÃO

 

Não foram encontrados agentes potencialmente insalubre e ou perigoso, conforme descritos nas NR’ s 15 e 16.

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

 

IDENTIFICAÇÃO DA ATIVIDADE

 

FUNÇÕES

   

DESCRIÇÂO DE FUNÇÂO

 

SETOR

TRAB.

Encarregado

Fiscalização

Efetua o acompanhamento nas fiscalizações em campo, delegando áreas de fiscalização, auxilia os fiscais em caso de problemas nos aparelhos de registro e emissão de tíquetes, realiza o acompanhamento de coleta dos cofres dos parquímetros.

01

Fiscais

Fiscalização

Realiza a fiscalização dos tíquetes de estacionamento nos veículos, orientam os usuários quanto a tempo de duração, dos tíquetes, local de colocação, monitora veículos com tíquetes vencidos e notifica os veículos para posterior registro de infração, efetua troca de notas de dinheiro por moedas para clientes usuários, informa as autoridades competentes veículos com tíquetes vencidos para formalizar infração e possível remoção do veículo.

10

 

ANALISE DOS RISCOS

 
   

RUÍDO (NR-15 ANEXO N° 1)

 
 

Tempo de Exposição Diária (Horas)

 

Atenuação

Fonte Geradora

           

NPS

NPS

Avaliado

Tempo

Exposição

Limite

Tolerância

C.A. EPI

Atenuação

NRRSF dB(A)

atenuado

dB(A)

Sala do encarregado

56,6 dB(A)

1

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 01

42,7 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 02

48,6 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 03

47,5 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

FÍSICOS

Ruas Ponto 04

50,9 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 05

72,0 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 06

61,5 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

 

Ruas Ponto 07

77,5 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 08

78,4 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 09

75,5 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 10

74,8 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Medidas de Controle necessárias ao risco:

 

Durante a avaliação nenhum dos valores encontrados ultrapassou o limite de tolerância, os trabalhadores realizam atividades em local ameno, sem exposição a risco físico / Ruído.

Metodologia As avaliações quantitativas para determinação dos níveis de ruído nos locais de trabalho foram efetuadas com o seguinte instrumental, obedecendo as regras estabelecidas pelo anexo nº 1 da NR-15:Foi utilizado um aparelho medidor de nível de pressão sonora (Sound Lever Meter) Marca LUTRON, modelo 4001 , procedência Taiwan,

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

devidamente calibrado, operado no circuito da curva de compensação “A” e circuito de resposta lenta
devidamente calibrado, operado no circuito da curva de compensação “A” e circuito de resposta lenta

devidamente calibrado, operado no circuito da curva de compensação “A” e circuito de resposta lenta “slow”, para ruído contínuo e na escala “C” e resposta “fast” para ruído de impacto.

Observações As principais fontes de ruídos são provenientes do transito de veículos e transeuntes nas vias e calçadas fiscalizadas, existe variação de níveis de ruído.

   

CALOR (NR-15 ANEXO N° 3)

 
   

IBUTG

 

Tipo

Medidas de

Fonte Geradora

TBS

 

TBS

 

TG

IBUTG

Kcal/h

Exposição

Controle

Não Há

XX

 

XX

 

XX

 

XX

XX

XX

XX

Medidas de Controle necessárias ao risco:

 

Não foram localizados possíveis fontes de calor para caracterização do risco.

 

Metodologia / Observações Risco Ambiental pouco significativo, os trabalhadores realizam suas atividades sentados em ambiente ameno com o uso de ventiladores. Não foram localizadas possíveis fontes de calor para caracterização do risco.

   

AGENTES QUIMICOS (NR-15 ANEXO N°11)

 
           

Medidas de

Fonte Geradora

 

Contato

Absorção

Frequencia

 

ppm

L.T

controle

Não Há

 

XXX

XX

XX

   

XX

XX

XX

QUÍMICOS

Metodologia / Observações Não foram localizadas fontes geradoras de riscos químicos, os trabalhadores não possuem contado com agentes químicos.

 

POEIRAS (NR-15 ANEXO N°12)

 

Fonte Geradora

% Quartzo

 

L.T.

Concentração

 

Medidas de controle

 

Não há

 

XXX

XXXX

XXX

   

XXXX

Metodologia / Observações Não foram localizadas fontes geradoras de riscos químicos, os trabalhadores não possuem contado com agentes que possam emanar poeiras.

 

OUTROS RISCOS (QUALITATIVOS)

 
 

Fonte Geradora

 

Agente

   

Danos

   

Tipo

 

Medidas de controle

Exposição

OUTROS

   

Queimaduras

     

Protetor Solar Boné Capa de Chuva Sapato de Proteção

Intempéries

Sol / Chuva

 

Problemas

 

Habitual

 

Dermatológicos

 
 

CONCLUSÃO

 

Não foram encontrados agentes potencialmente insalubre e ou perigoso, conforme descritos nas NR’ s 15 e 16. Os trabalhadores que mantem realizam trabalho com exposição a intempéries recebem de modo preventivo equipamentos de proteção individual (Protetor Solar, Boné,Capa de Chuva) Não sendo considerados como insalubres.

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

 

IDENTIFICAÇÃO DA ATIVIDADE

 
 

FUNÇÕES

SETOR

 

DESCRIÇÃO DE FUNÇÃO

 

N° TRAB.

Auxiliar de

 

Efetua a inspeção e manutenção quando necessário dos aparelhos de monitoramento e impressoras de tíquetes utilizados pelos fiscais, realiza a inspeção e manutenções dos parquímetros, interditando-os quando necessário e providenciando a remoção do equipamento, realiza junto ao encarregado de fiscalização e remoção dos cofres de moedas semanalmente.

 

Manutenção

Manutenção

01

 

ANALISE DOS RISCOS

 
   

RUÍDO (NR-15 ANEXO N° 1)

 
 

Tempo de Exposição Diária (Horas)

 

Atenuação

Fonte Geradora

           

NPS

NPS

Avaliado

Tempo

Exposição

Limite

Tolerância

C.A. EPI

Atenuação

NRRSF dB(A)

atenuado

dB(A)

Sala de Manutenção

47,3 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 01

42,7 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 02

48,6 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 03

47,5 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 04

50,9 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

FÍSICOS

Ruas Ponto 05

72,0 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 06

61,5 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 07

77,5 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

 

Ruas Ponto 08

78,4 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 09

75,5 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Ruas Ponto 10

74,8 dB(A)

8

h

8

h

N/A

N/A

 

N/A

Medidas de Controle necessárias ao risco:

 

Durante a avaliação nenhum dos valores encontrados ultrapassou o limite de tolerância, os trabalhadores realizam atividades em local ameno, sem exposição a risco físico / Ruído.

Metodologia / Observações As avaliações quantitativas para determinação dos níveis de ruído nos locais de trabalho foram efetuadas com o seguinte instrumental, obedecendo as regras estabelecidas pelo anexo nº 1 da NR-15:Foi utilizado um aparelho medidor de nível de pressão sonora (Sound Lever Meter) Marca LUTRON, modelo 4001 , procedência Taiwan, devidamente calibrado, operado no circuito da curva de compensação “A” e circuito de resposta lenta “slow”, para ruído contínuo e na escala “C” e resposta “fast” para ruído de impacto.

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

   

CALOR (NR-15 ANEXO N° 3)

 
   

IBUTG

 

Tipo

Medidas de

Fonte Geradora

TBS

 

TBS

 

TG

IBUTG

Kcal/h

Exposição

Controle

Não Há

XX

 

XX

 

XX

 

XX

XX

XX

XX

Medidas de Controle necessárias ao risco:

 

Não foram localizados possíveis fontes de calor para caracterização do risco.

 

Metodologia / Observações Risco Ambiental pouco significativo, os trabalhadores realizam suas atividades sentados em ambiente ameno com o uso de ventiladores. Não foram localizadas possíveis fontes de calor para caracterização do risco.

   

AGENTES QUIMICOS (NR-15 ANEXO N°11)

 
           

Medidas de

Fonte Geradora

 

Contato

Absorção

Frequencia

 

ppm

L.T

controle

Não Há

 

XXX

XX

XX

   

XX

XX

XX

QUÍMICOS

Metodologia / Observações Não foram localizadas fontes geradoras de riscos químicos, os trabalhadores não possuem contado com agentes químicos.

 

POEIRAS (NR-15 ANEXO N°12)

 

Fonte Geradora

% Quartzo

 

L.T.

Concentração

 

Medidas de controle

 

Não há

 

XXX

XXXX

XXX

   

XXXX

Metodologia / Observações Não foram localizadas fontes geradoras de riscos químicos, os trabalhadores não possuem contado com agentes que possam emanar poeiras.

 

OUTROS RISCOS (QUALITATIVOS)

 
 

Fonte Geradora

 

Agente

   

Danos

   

Tipo

 

Medidas de controle

Exposição

OUTROS

   

Queimaduras

     

Protetor Solar Boné Capa de Chuva Sapato de Proteção

Intempéries

Sol / Chuva

 

Problemas

 

Habitual

 

Dermatológicos

 
 

CONCLUSÃO

 

Não foram encontrados agentes potencialmente insalubre e ou perigoso, conforme descritos nas NR’ s 15 e 16. Os trabalhadores que mantem realizam trabalho com exposição a intempéries recebem de modo preventivo equipamentos de proteção individual (Protetor Solar, Boné,Capa de Chuva) Não sendo considerados como insalubres.

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

11 - ELIMINAÇÃO OU NEUTRALIZAÇÃO DA INSALUBRIDADE ITEM 15.4 DA NR 15, PORTARIA 3.214/78, MTb.

15.4. A eliminação ou neutralização da insalubridade determinará a cessação do pagamento do adicional respectivo. 15.4.1. A eliminação ou neutralização da insalubridade deverá ocorrer:

a) com a adoção de medidas de ordem geral que conservem o ambiente de trabalho dentro dos limites de tolerância; b) com a utilização de equipamento de proteção individual. 15.4.1.1. Cabe à autoridade regional competente, em matéria de segurança e saúde do trabalhador, comprovada a insalubridade por laudo técnico de engenheiro de segurança do trabalho ou médico do trabalho, devidamente habilitado, fixar adicional devido aos empregados expostos à insalubridade quando impraticável sua eliminação ou neutralização. 15.4.1.2. A eliminação ou neutralização da insalubridade ficará caracterizada através de avaliação pericial por órgão competente, que comprove a inexistência de risco à saúde do trabalhador.

E

M

B

R

A

N

C

O

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

DMZ ASSESSORIA EM MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

13 – ASSINATURA DOS RESPONSÁVEIS:

Este laudo contém 17 (Dezessete) folhas, todas escritas (impressas) no anverso, sendo rubricadas e na ultima, datada e assinada pelos responsáveis.

Avaré, Janeiro de 2015.

e assinada pelos responsáveis. Avaré, Janeiro de 2015. RUA DOMICIANO SANTANDA, 1306 - 2º ANDAR –