Você está na página 1de 2

Além dos gêneros mais simples, é improvável que nós sempre consigamos alcançar todo

entendimento de uma experiência musical particular, tão complexos são esses elementos, suas ações, e
interações. Este livro vai em direção a uma melhor compreensão da estrutura e da experiência;
fazendo-se mais na exploração sistemática dos elementos da estrutura e da experiência; Isso se faz na
exploração sistemática dos elementos da estrutura e suas importantes inter-relações , estabelecendo
uma variedade de abordagem para a análise de dirigidas sucessões de eventos envolvendo tonalidade,
melodia, harmonia, textura, e ritmo – cada um desses tratados através da maior parte de sua faixa de
operações potenciais.

Estes quatro estudos procuram dessa maneira dar exposição compreensiva do processo
sintático particular em que música pode ser dita como tendo significado, e para iluminar nas profundas
análises do trabalho de vários tipos os procedimentos por quais os elementos estruturais em quase toda
função da música de forma expressiva. Uma maior preocupação é a consideração da relação entre
formulações específicas e efeito expressivo em obras significativas, e um número de preocupações são
tratados no conceitual, metodológico, terminológico e sistemas de análises relevantes para semelhantes
formulações estruturais particulares.

Um dos princípios num projeto desse tipo que espera, para usar palavras assombrosas de
Edmond Wilson, sendo “curado todo tipo de dor de desordem, aliviado de alguma carga opressiva de
eventos incompreendida.” Cito estas palavras não porque eu posso esperar para conseguir com
consistência tão fugaz um objetivo, mas porque eles refletem de forma tão eloquente a intensidade de
propósito e compromisso a que um escritor sobre assuntos sérios é dedicado, que procura colocar
diante sistemas de análise e de pensamento pelo qual a compreensão pode ser induzido.

Em grande medida, a ênfase central explorada aqui em teorias de ritmo e textura, parâmetros
estruturais para que apouca atenção relativamente dada na literatura existente de teoria musical. A
acadêmica de grande escala, filosófica, analítica e sistemática desses dois fatores vitais em estrutura e
experiência musical é uma empresa de impressionante dificuldade; ainda que toda sondagem no
esforço em direção a sistemas pelos quais os processos rítmicos e texturais podem ser investigados
constitui, na medida em que é bem sucedido, um passo necessário e útil no sentido de uma melhor
compreensão destes e afins fatores críticos para a experiência musical.

Embora as preocupações com ritmo e textura são, em pouco mais esforços pioneiros que
representam, de importância central neste trabalho, relacionado e sistemas tonais, harmônicas,
melódicas e interativos são examinados como fatores que moldam paralelas na estrutura musical. Além
disso, por referência recorrente a inter-relações entre sistemas de elementos, correspondências
analógicas de reciprocidade são indicadas em que as ações dos elementos individuais são visto para
projetar expressivas formas progressivas, recessivas, táticas, ou tendências erradas. Progressiva e
recessiva (intensificando e resolvendo). Processos são vistos como base para efeito musical e
experiência.

No esforço em submeter para exposição teórica e explicação analítica uma consistente visão
fundamental de relações sintáticas em música, um forte valor permeativo está, por implicação,
abarcado: uma crença na importância e necessidade da análise lógica da experiência musical, de estudo
de dados objetivos derivados da análise da estrutura e da experiência. Essa experiência pode ser
considerada como a soma das respostas atribuídas ao particular processo musical, a complexa ação-
reação estabelecida sempre que há a percepção (e reforçada quando há cognição) de estímulos musicais
que emitem em contextos em que as relações sintáticas são cultivadas e controladas como o resultado
de atos criativos disciplinados. Afirmo veementemente nessa crença na análise lógica, e na necessidade
e no valor da busca da investigação racional dentro da experiência musical. Ao mesmo tempo, eu vejo
que o modo de questionamento como aquele em que hipótese conjectural e intuição (onde a intuição é
a fusão criativa do conhecimento adquirido e da experiência) são vitais no desencadeamento de
perguntas e respostas necessárias e, sugerindo interpretações que podem ser examinados como
aceitável e, às vezes, a suscetível à verificação empírica.

Assim, as muitas análises em que as premissas teóricas são trazidas por meio deste livro dentro
do foco são direcionadas para consideração da questão vital: Como a música fala, e o que é o natural
desta linguagem? Ou, quais inflexões específicas podem ser ditas para responder com entendimento e
sentimento? O estudo de técnicas sintáticas particulares e procedimentos, contudo provisórias
conclusões destas, podem dar a expressiva comunicação do significado musical menor mistérios que
lhes são frequentemente pensados (e algumas vezes melancolicamente esperados) para ser; de fato, a
crença nessa nesta ideia lógica pode ser dada dentro da relação entre estrutura e efeito está de baixo de
toda questionamento estético produtivo. Esta é uma crença orgulhosamente afirmada neste livro. O
negócio da análise musical é considerar a natureza das funções e efeitos expressivos nas melodias e
ritmos que a música está feita.

Certamente está claro que algumas investigações sérias da estrutura e efeito, para a extensão
de sua validade, muito significativamente informam a crítica avaliação, estilístico entendimento, e
interpretação da música, enquanto formam importantes bases para decisão na criatividade musical.
Além dessa afirmação geral um pode fazer um pouco mais do que afirmar que a mais positiva ênfase
que o entendimento da estrutura e efeito em todos os elementos musicais em suas interações é da mais
decisiva importância em todo crítico, profissional esforçado na música, e para o ouvinte também. Além
do mais, um sistema teórico que fornece útil comentário na relação da estrutura de efeito expressivo vai
sugerir muitos significantes e necessários paralelos ligando música com outras, especialmente temporal,
formas de arte.

A performance, de sua parte especial, completamente entendida a funcional-expressiva base e


significado do energizante e abaixamento do elemento-processo que isto é a sua mudança para
descrever e projetar. No entanto, eu acredito que o caminho para a ideia analítica da decisão
interpretativa é uma das consideráveis complexidades. Conclusões tiradas do comprometimento
analítico não conduz diretamente inequivocadamente para decisões interpretativas particulares, antes,
a performance mais frequente, talvez usualmente, feito julgamentos difíceis com uma escala de
soluções plausíveis (por exemplo, se na performance para realçar o fraco ajuste do tempo um processo
recessivo essencial). Para agora,