Você está na página 1de 5

CONTROLE AMBIENTAL

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO


CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS
CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

Carga horária: 60 horas

INTRODUÇÃO AO CONTROLE AMBIENTAL

Controle ambiental – definição:

Controle ambiental “é o ato de influenciar as atividades humanas que afetem a qualidade do


meio físico do homem, especialmente o ar, a água e características terrestres” (SEWELL, 1978).

Controle ambiental são agrupamentos de regras destinados à fiscalização dos impactos


ambientais negativos de intervenção física (antrópica), como emissões atmosféricas, resíduos
sólidos gerados pela atividade instalada e efluentes líquidos, de modo a corrigir ou reduzir os seus
impactos sobre a qualidade ambiental (PEREIRA e BRITO, 2012).

Alteração do comportamento por meio de incentivos econômicos

Influência  Métodos Proibição de atividades lesivas ao meio ambiente

Estudos ambientais, análises de risco

Áreas de proteção ambiental, reservas ambientais, etc.

Exemplos de Lançamento de resíduos da construção em terrenos baldios


[Escolha a Data]

Atividades a serem Lançamento de esgoto sem tratamento num corpo d’água

Influenciadas Descarga de gases poluentes em concentrações não permitidas


por automóveis, indústrias, queimadas, etc.

Desmatamento, caça predatória, desperdício de água, energia,


etc.
CONTROLE AMBIENTAL
Todas as pessoas em atividade praticam um certo grau de controle ambiental !!!

Porém...

Controle ambiental – tido como um esforço consciente e sistemático feito por uma ou mais
pessoas que agem em conjunto para produzir um meio ambiente esteticamente agradável,
economicamente viável e fisicamente sadio.

O controle do ambiente tem como predecessores, influencia e é influenciado por outras áreas,
como:

- Engenharia Sanitária;

- Saúde Pública;

- Planejamento Urbano e Regional;

- Administração Pública

O meio ambiente e o controle do ambiente estão relacionados aos seguintes aspectos:

Naturais (ar, ruídos, esgoto, resíduos sólidos, substância tóxicas, água, etc.)

Energia Preservação histórica Uso do Solo Espaço Livre

Radiação População Preservação da fauna

Estética Saúde Habitação Transporte de massa Recreação

Ruas e estradas Desenvolvimento econômico Educação

Trabalho e emprego Segurança pública Assistência social

Graves problemas ambientais urbanos:

Uso do Solo e urbanização desordenada Resíduos sólidos Águas servidas

Drenagem Transporte, trânsito e mobilidade urbana Poluição do ar, da água e do solo

Capacidades dos profissionais atuantes no controle ambiental:

Desafio: tradução de projetos técnicos em palavras que possam ser compreendidas pelo grupo que
toma decisões, para lidar com os problemas do controle ambiental.

Diagnóstico Análise Priorização

Comunicação I (entre nível técnico e nível estratégico/nível da população)

Planejamento Ação Controle Retroalimentação (melhoria contínua)


CONTROLE AMBIENTAL

Objetivo do controle ambiental: lidar com um conjunto de condições ambientais que são
consideradas “problemas”, com os quais há uma preocupação pública generalizada. Exemplos:

a. Condições facilmente enumeráveis:

Poluição (ar, água, solo) e sua influência sobre a saúde

Poluição sonora e visual Vazamentos de petróleo e seus efeitos

Congestionamentos em ruas e estradas Paisagens naturais rurais desaparecendo

b. Condições mais vagas:

Efeitos das mudanças climáticas Escassez de matérias-primas, recursos naturais e alimentos

Principais causas dessas condições  “focos do controle ambiental”:

Urbanização desordenada Industrialização e respectiva poluição

Insuficiência ou ineficácia das instituições sociais (leis, normas, órgãos disciplinadores, etc.)

Compromisso - ausência desde o nível do indivíduo até o nível das nações (passando por órgãos
públicos, empresas, associações, cooperativas, e demais tipos de associações de pessoas)

Valores e atitudes públicas - a proteção do ambiente requer o esforço consciente dos indivíduos que
vivem e trabalham dentro do meio (Sewell, 1978).

Lembremos que, conforme o Art. 225 da Constituição Federal de 1988:

O meio ambiente ecologicamente equilibrando é direito de todos, “impondo-se ao Poder Público e à


coletividade o dever de defende-lo e preservá-lo” (grifo nosso).

Exemplo: ajuste no uso dos recursos naturais (forma e intensidade), evitar o consumo desenfreado,
ajuste de desejos, mudança de hábitos, ajuste de desejos e padrões de vida.

Legislação ambiental - importância e alguns exemplos:

- Instrumento coercitivo para mudança de atitudes e hábitos, proteção e melhoria do meio ambiente.

- Legislação brasileira: adota o princípio do poluidor-pagador.

- Leis e normas: Resoluções do CONAMA, Portarias do Ministério da Saúde, Normas da ABNT, etc.

- Resolução CONAMA nº 237/1997: define a obrigatoriedade do licenciamento ambiental, a qual


impõe, a elaboração de estudo de impacto ambiental (EIA) e relatório de impacto do meio ambiente
(RIMA) para determinados empreendimentos e atividades potencialmente poluidoras.

- Lei nº 6.938/1981: Dispõe sobre a Política Nacional de Meio Ambiente.


CONTROLE AMBIENTAL

Definições importantes

Meio ambiente

Conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química, biológica,


social, cultura e urbanística, que permite, abriga e rege a vida em todas suas formas (RESOLUÇÃO
CONAMA 306/2002, requisitos e termo de referência para auditorias ambientais; BRASIL, LEI Nº
6.938/1981, Política Nacional do Meio Ambiente).

É tudo que afeta um organismo vivo (MILLER JR., 2012)

Ecologia

Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e o meio ambiente em que vivem, bem
como as suas recíprocas influências (EMBRAPA, 1994).

Poluição

Acréscimo ao ar, à água, ao solo ou ao alimento que ameace a saúde, a sobrevivência ou as


atividades dos seres humanos ou de outros organismos vivos (MILLER Jr., 2012)

Contaminação

Presença, num ambiente, de seres patogênicos, que provocam doenças, ou substâncias, em


concentração nociva ao ser humano (NASS, 2002).

Sustentabilidade

É a busca pelo uso dos recursos naturais de maneira racional, de modo a garantir a existência
desses recursos e a própria existência das gerações presentes e futuras.

É um termo usado para definir ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades
atuais dos seres humanos, sem comprometer o futuro das próximas gerações (DIAS, 2015).

Está relacionada ao desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente,


usando os recursos naturais de forma inteligente para que eles se mantenham no futuro.

Seguindo estes parâmetros, a humanidade pode garantir o desenvolvimento sustentável.

Impacto ambiental

Qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por
qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas, que direta ou indiretamente,
afetam:

I - a saúde, a segurança e o bem-estar da população;

II - as atividades sociais e econômicas;

III - a biota;

IV - as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente;


CONTROLE AMBIENTAL

V - a qualidade dos recursos ambientais.

Fonte: Resolução CONAMA nº 001/1986.

Segundo Farias (2010), “qualquer atividade que o homem exerça na natureza é impacto ambiental”.

Licenciamento ambiental

Licenciamento Ambiental: procedimento administrativo pelo qual o órgão ambiental


competente licencia a localização, instalação, ampliação e a operação de empreendimentos e
atividades utilizadoras de recursos ambientais, consideradas efetiva ou potencialmente poluidoras ou
daquelas que, sob qualquer forma, possam causar degradação ambiental, considerando as
disposições legais e regulamentares e as normas técnicas aplicáveis ao caso.

Licença ambiental

Ato administrativo pelo qual o órgão ambiental competente, estabelece as condições,


restrições e medidas de controle ambiental que deverão ser obedecidas pelo empreendedor, pessoa
física ou jurídica, para localizar, instalar, ampliar e operar empreendimentos ou atividades utilizadoras
dos recursos ambientais consideradas efetiva ou potencialmente poluidoras ou aquelas que, sob
qualquer forma, possam causar degradação ambiental.

Estudos Ambientais

São todos e quaisquer estudos relativos aos aspectos ambientais relacionados à localização,
instalação, operação e ampliação de uma atividade ou empreendimento, apresentado como subsídio
para a análise da licença requerida, tais como: relatório ambiental, plano e projeto de controle
ambiental, relatório ambiental preliminar, diagnóstico ambiental, plano de manejo, plano de
recuperação de área degradada e análise preliminar de risco.

Principais tipos de estudos ambientais exigidos no licenciamento ambiental:

- Plano de Controle Ambiental (PCA);

- Estudo de Impacto Ambiental (EIA);

- Relatório de Impacto do Meio Ambiente (RIMA);

- Relatório Ambiental Prévio (RAP);

- Relatório Ambiental Simplificado (RAS);

- Relatório de Controle Ambiental (RCA);

- Estudo Ambiental Simplificado (EAS);

- Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV);

- Estudo de Viabilidade Ambiental (EVA).

A escolha do tipo de estudo depende de alguns fatores, como o tipo da atividade desenvolvida,
o porte do empreendimento, a localização, dentre outros.

Você também pode gostar