Você está na página 1de 3

admitindo

na Figura 2 abaixo.que
Uma em t = 0, ntoca
campainha = na0 .inter-
Calcule o numero medio de particulas em
os com acomo
vida do rato).do
função Cada vez que
tempo. a campainha
Sugestão: passe da equação mestra para a equação
uda de quarto, ele esta
e resolva tem aultima
mesmapor
probabilidade
transformadade de Fourier.
arto em que está. Aproximadamente que fração de
4– A função de autocorrelação K(s) de uma variavel estatisticamente e
−α2 s2 ∗
dada por: K(s) = K(0) e
nectada a outra caixa de volume infinito por cos(2πf
um s). Calcule o espectro de potenc
Admitaseu
IF/UFRJuma
que comportamento
a probabilidade denos
–limites:
Mecânica αEstatı́stica
(i) se
particula → 0; (ii) f ∗(PG)
→ 0, e (iii) ambos α e f
Ω)∆t, onde n ≡ numero de particulas 2018/1 em –A,Raimundo
ea
p
de B para A no intervalo3 ∆t é ρ∆t (ρ = constante). 3
a X 4
ão de probabilidade de particulas em11A eLista de Exercı́cios
resolva-a,
o numero medio de particulas p em A, 26e adevariancia,
p junho de 2018 p’
equação mestra para a equação de Fokker-Planck,
Fourier. 1. Um rato treinado vive na casa mostrada na Figura 1 abaixo. Uma campainha toca
Quarto
a intervalos2regulares
X 1
(muito pequenos comparados com a vida 1
do rato). Cada vez
uma variavel estatisticamente estacionaria
p y(t) é
que a campainha toca, o rato muda de quarto. Quando muda de quarto, ele tem a
). Calcule o espectro de potencia
mesma probabilidade w(f ),pore qualquer
de passar discutauma das portas do quarto em que está.
; (ii) f ∗ → 0, eAproximadamente
(iii) ambos α que ∗
e ffração
→ 0. deFigura
sua vida1o rato passa em cada quarto?
F

B
Quarto A
p’ A

1 Quarto B Quarto C n,Ω


ρ
Figura
Figura 2
1: Problema 1.
Figura
Figura 3 2.
2: Prob.

B
2. Considere uma caixa de volume Ω conectada a outra caixa de volume infinito por um
A pequeno buraco (vide Figura 2 acima). Admita que a probabilidade de uma partı́cula
se mover de A para B no intervalo ∆t é (n/Ω)∆t, onde n ≡ número de partı́culas em
n,Ω A, e a probabilidade de uma partı́cula se mover de B para A no intervalo ∆t é ρ∆t
(ρ = constante).
ρ
(a) Escreva a equação mestra para a distribuição de probabilidade de partı́culas em
Figura 3 A.
(b) Calcule o número médio de partı́culas em A, e a variância, como função do tempo.
Suponha que em t = 0, n = n0 . [Sugestão: passe da equação mestra para a equação
de Fokker-Planck, e resolva esta última por transformada de Fourier.]

3. Um spin-1/2, em contato com um reservatório térmico e na ausência de campo externo,


executa transições entre os estados +1 e −1 à razão de α/2 transições por unidade de

1
tempo, indistintamente se é de +1 para −1, ou vice-versa. Seja P (σ, t) a probabilidade
do spin assumir o valor σ no instante t.

(a) Escreva uma equação mestra para P (σ, t), desprezando a possibilidade de não haver
transições.
(b) Calcule a magnetização média, m(t) ≡ hσi como função do tempo, sabendo que
σ=+1 em t=0. Faça um gráfico de m × t, e discuta fisicamente seus resultados.
Qual a influência da condição inicial no comportamento a tempos longos?
(c) Determine P (σ, t), sujeito às condições iniciais do item anterior. Coloque num
mesmo gráfico P (+, t) e P (−, t), e discuta fisicamente seus resultados. Qual a
influência da condição inicial no comportamento a tempos longos?

4. Considere um spin-1/2 sob a ação de um campo magnético, o qual tende a alinhá-lo; o


sistema está em contato com um reservatório térmico à temperatura T . A Hamiltoniana
que descreve este spin é, então,
H = −Hσ, (1)
onde H é o campo magnético (em unidades de energia, i.e., já incorpora o momento
magnético µ), e σ = ±1 denota a orientação do spin. Suponha que a probabilidade,
por unidade tempo, de que o spin σ se inverta, i.e., σ → −σ, seja
1
w(σ) = α(1 − λ σ), (2)
2
onde α > 0 define a escala de tempo das transições na ausência do campo e λ > 0
favorece um desbalanço entre as probabilidades de se encontrar σ = 1 e σ = −1 devido
à presença do campo.

(a) Explique fisicamente por que w(+1) < w(−1).


(b) Usando o fato de que no equilı́brio devemos ter

p(−σ) w(σ)
= , (3)
p(σ) w(−σ)

(Por quê?) onde p(σ) é o fator de Boltzmann, mostre que

λ = tanh(H/kB T ). (4)

(c) Escreva uma equação mestra para P (σ, t), desprezando a possibilidade de não haver
transições σ ↔ −σ.
(d) Calcule a magnetização média, m(t) ≡ hσi como função do tempo, sabendo que
σ=+1 em t=0. Faça um gráfico de m × t, e discuta fisicamente seus resultados.
Qual a influência da condição inicial no comportamento a tempos longos?
(e) Determine P (σ, t), sujeito às condições iniciais do item anterior. Coloque num
mesmo gráfico P (+, t) e P (−, t), e discuta fisicamente seus resultados. Qual a
influência da condição inicial no comportamento a tempos longos?

2
5. A função de autocorrelação K(s) de uma variável estatisticamente estacionária y(t) é
dada por: K(s) = K(0) exp (−α2 s2 ) cos(2πf ∗ s). Calcule o espectro de potência w(f ),
e discuta seu comportamento nos limites: (i) α → 0; (ii) f ∗ → 0, e (iii) ambos α e
f ∗ → 0.