Você está na página 1de 2

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ...

VARA DE CIVEL DA COMARCA DA


CAPITAL DO RIO DE JANEIRO

PAULO CASTRO, nacionalidade, estado civil, profissão, indentidade nº, CPF Nº...,
endereço eletrônico... , domiciliado em Rio de Janeiro, residente na rua( endereço
completo), vem por seu advogado, com endereço profissional na..., bairro..., cidade...,
Estado, para fins do art 77, V do CPC e com base no art 560 do CPC e seguintes
propor:

AÇÃO DE REINTEGRAÇÃO DE POSSE

Pelo rito especial em face de SÍLVIA BRANDÃO, nacionalidade, estado civil ,


profissão, identidade nº, CPF Nº, endereço eletrônico..., domiciliada em Rio de
Janeiro, residente na rua (endereço completo) pelos fatos e fundamentos a seguir.

I - DOS FATOS

O autor e a ré mantiveram união estável entre janeiro de 2007 e dezembro de 2014,


quando decidiram separar-se. O período de convivência não foi antecedido de
qualquer convenção sobre o regime de bens dos companheiros. Como não haviam
adquirido quaisquer bens durante aquele período, e como a ré, ao tempo da
separação, se achava desempregada, o autor anuiu à permanência da ré, por tempo
indeterminado, no imóvel que até então servira de residência aos companheiros,
situado no Rio de Janeiro. Tal imóvel fora adquirido pelo autor , mediante pagamento
integral do preço, no ano de 1997. O autor retirou-se do imóvel, passando a morar em
outro, tomado por ele em locação. Passados mais de dois anos do fim da união
estável, o autor promoveu a notificação extrajudicial da ré, exigindo-lhe a
desocupação, no prazo de quinze dias, do imóvel situado no Rio de Janeiro. A
notificação foi efetivamente recebida pela ré e o prazo concedido na notificação
extrajudicial já se expirou, sem que ré tenha deixado o imóvel.

II - DOS FUNDAMENTOS
À luz dos fatos acima narrados, infere-se que o autor requer a devolução da posse de
seu imóvel, tendo em vista que o mesmo o sedeu em caratér de emprestimo.

Cabe de início salientar que o autor veio buscar a tutela jurisdicional com fundamento
no art 1.210 do C.C, onde o possuidor tem direito a ser mantido na posse em caso de
turbação, restituído no de esbulho, e segurado de violência iminente, se tiver justo
receio de ser molestado. Ao interesse de reaver o seu imóvel, o autor fez a devida
notificação extrajudicial, de maneira que a ré não cumpri-lo, deve restituír o imóvel.

No presente caso o autor é proprietário legítimo do imóvel. E com fundamento no


art.560 do CPC onde expressamente preceitua que o possuidor tem direito a ser
mantido na posse em caso de turbação e reintegrado em caso de esbulho vem
requerer a tutela jurisdicional para rever a sua posse, como medida de justiça.

III - DOS PEDIDOS

Diante do exposto requer:

A) Que seja expedido o mandado liminar de reintegração de posse do imóvel do


autor localizado(end.completo).

B) citação da ré para, querendo, contestar a ação no prazo de 15 (quinze) dias.

C) Julgar procedente o pedido para reitegrar em definitivo o autor na posse do bem


acima descrito.
D) Condenação da ré ao pagamento de custas judiciais e honorários de Advogado.

IV – DAS PROVAS

Requer a produção de todos os meios de prova admitidos em direito especialmente a


prova documental.

V – DO VALOR DA CAUSA

Dar-se a causa o valor de R$....

Nestes termos,

Pede deferimento

Local/Data

ADV/OAB