Você está na página 1de 2

Artigo - Malhação&Qi (Fluxo da Energia Vital)

Ely Britto
Instrutora do Qigong do Universal Tao Organization
com formação na Tailândia e Estados Unidos
Autora do livro- I Ching Um Novo Ponto de Vista

O culto ao corpo tem angariado muitos adeptos, e enche as academias de ginástica em todo
o mundo ocidental. Os benefícios e malefícios dos exercícios praticados nestas academias
são conhecidos de todos. Diferente da fisioterapia que lida com o corpo buscando a saúde
ou a cura , a maioria das academias só se preocupa com o estereotipo de beleza que a mídia
vende, oferecendo esta alternativa como o único caminho que pode leva-los a um sucesso
com o sexo oposto.

O impacto destes exercícios sobre o fluxo da energia Qi (energia vital)no corpo humano e
na saúde, é o assunto deste artigo.

Estudo e pratico a filosofia chinesa há 35 anos, há 8 anos o Qigong (Chi Kung) e Alquimia
Interna Taoista. Muitas vezes sou solicitada para falar sobre a relação entre os exercícios
físicos chamados de malhação e os níveis de energia Qi (energia vital) no organismo. Este é
um assunto de grande interesse para as pessoas mais esclarecidas e que gostam de malhar.

A cultura chinesa se dedicou a estudar profundamente energia, não somente a energia


emitida pela natureza mas também a que circula no corpo humano. A China criou a bússola
para estudar a energia emitida pela Terra nas 8 direções. O conhecimento do chinês sobre
energia criou todo um sistema de medicina, tratamentos, exercícios e artes marciais,
conhecidos como Tradicional Medicina Chinesa, Acupuntura, Moxobustão, Qigong, Tai
Chi Chuan. Todos eles trabalham com a circulação da energia Qi, que é a energia sutil vital
(vitalidade). Quem tem Qi tem vida, quando ele se esgota temos a morte.

No corpo humano sabemos que o Qi circula no tecido conjuntivo (fascia) onde estão
alojados os meridianos que são canais por onde esta energia circula. Qualquer obstrução
neste canais ou perda excessiva desta energia vital (Qi) causa doenças , físicas, emocionais
e mentais.

Obtemos energia de várias maneiras, pela alimentação, pelo ar que respiramos, pelo sol e
partículas cósmicas. Mas toda a energia que assimilamos deve ser transformada em energia
vital (os chineses a chamam de Qi ou Chi). Nós sabemos que estas formas acima de obter
energia requer um desgaste; pelo metabolismo, pelo sistema circulatório ou pela
assimilação da pele (partículas cósmicas) . O organismo precisa processar estas energias
para transforma-la em Qi. A energia que o esforço muscular gera, é rapidamente gasta pois
os músculos são consumidores inveterados de Qi ou Chi. A curto prazo parece que estamos
ganhando energia e disposição, mas a longo prazo o problema fica feio.
Sabemos que mulheres atletas gastam tanta energia no preparo físico antes das competições
que suas menstruações cessam, a musculatura esgota os recursos energéticos do corpo, e
ele vai retirar naturalmente a energia dos ovários para repor a quantidade de energia Qi
necessária a sobrevivência. Segundo pesquisas nós precisamos de 4000 calorias diárias para
sermos saudáveis, só conseguimos retirar no padrão de vida que levamos 2000 calorias, o
que falta nos faz dependentes de outros para obte-la. Segundo esta pesquisa retiramos esta
quantidade que falta dos entretenimentos e das religiões. vamos as igrejas ou as casa de
diversão para obte-las. Exatamente por isto os taoistas procuraram técnicas para nos suprir
com estas energias e nos tornar livres e energizados o bastante para darmos o salto no nosso
caminho de evolução natural de retorno ao Tao.

Quando você faz exercícios físicos que não sejam baseados em reposição de energia, o
corpo esquenta, gera muita energia que é então consumida pelos músculos. Logo mais você
se sente relaxado porque a energia gerada é consumida e isto traz o relaxamento. O
problema é que, se você não descobrir uma forma de repor esta energia, em poucos anos
você esta atrofiado e cheio de doenças estranhas (efeito colateral de todo o treinamento
físico) como as que afetam aos atletas em todo o mundo quando chegam a meia idade.

Os exercícios taoistas trabalham os tendões pois eles são capazes de gerar e armazenar
enormes quantidades de energia vital sem gastá-las. Ensina você a se nutrir diretamente
com as energias universais gratuitas que estão a sua volta em todo o universo.

Se você realmente gosta de malhar, procure unir esta atividade com os exercícios de
multiplicação do Chi. No nosso sistema de alquimia interna, isto seria o Qigong (Chi Kung)
da camisa de Ferro (Iron Shirt Chi Kung) ou o Qigong do sêmen (para os homens) ou do
ovário (para as mulheres) e poderá equilibrar o desgaste muscular da energia e repor tudo o
que foi retirado para alimentar seus músculos. Ou então pratique alongamento e alguma
técnica de respiração para substituir estes exercícios musculares. O alongamento trabalha
os tendões e flexibiliza seu corpo.

Mas caso desista dos exercícios convencionais e queira praticar os exercícios taoista, você
ganha o mesmo tônus com o fortalecimento dos tendões, energia Qi em abundância e mais
ainda a longevidade e saúde para sempre. Mesmo velhinho você continuará com o mesmo
tônus e a mesma disposição energética que tem um atleta. A diferença é que a vida
aparentemente saudável do atleta tem seus dias contados.

Quando fiz meu treinamento para instrutora de Qigong na Tailândia e nos Estados Unidos
tive a oportunidade de conhecer pessoas que praticam estas técnicas há 25 anos e que já são
cinqüentões, me impressionei com a beleza e tônus de seus corpos, sem falar na energia e
disposição sexual que possuem. Mestre Liu Pai Lin, um Taoista que morreu o ano passado
aos 93 anos em São Paulo, parecia um garoto, dava cambalhotas com esta idade e adorava
mulheres bonitas e jovens. Ele contava que quando ia urinar, seu xixi caia a 2 metros de
distância de onde estava.

Se você malha para ter um corpo bonito e ficar saudável, pense a longo prazo e lembre-se
que ser sensual tem a ver com sua capacidade sexual (energia dos rins) e nunca com seu
corpo bonito. Neste caso especifico, beleza não põe mesa, competência sim.