Você está na página 1de 49

AULA 1

Estrutura da Reclamação trabalhista

 ENDEREÇAMENTO – Juízo do lugar da prestação dos serviços ou da contratação


(651, da CLT)

AO DOUTO JUÍZO DA VARA DO TRABALHO DE _.

Caso não seja dado o local da prestação dos serviços, deixa só _.

Não precisa pular linha para iniciar a qualificação.

 QUALIFICAÇÃO DAS PARTES + FUNDAMENTO LEGAL + NOME DO RITO

“Nome do reclamante, dados trazidos pelo examinador, qualificação e


endereço completos, vem, respeitosamente, perante Vossa Excelência, por
intermédio de seu advogado adiante assinado (procuração anexa), com
escritório profissional no endereço completo, onde recebe intimações e
notificações, com fulcro no artigo 840 da CLT, PROPOR RECLAMAÇÃO
TRABALHISTA, pelo rito (...) em face de Nome da reclamada, qualificação e
endereço completos, pelas razões de fato e de direito a seguir expostas.”

Sumário – valor de até 2 salários mínimos

Sumaríssimo – valor de 2 até 40 salários mínimos

Ordinário – valor acima de 40 salários mínimos.

 PRELIMINARES

Serão apenas as hipóteses de tramitação preferencial do feito.

 Parte ou interessado for idoso – idade igual ou superior a 60 anos (artigo


71 da Lei nº 10.741/2003 e 1.048, I, do CPC);

 Dissídio que versa exclusivamente sobre salário (artigo 652, p. único,


CLT);

 Dissídio que decorrer da falência do empregador (artigo 652, p. único,


CLT);

 Parte ou interessado é portador de doença grave (artigo 1.048, I, do CPC);

 Parte é pessoa com deficiência (artigo 9º, VII, da Lei nº 13.146/2015).

Fato: cópia da proposta.

Fundamento: nos termos do artigo x...

Pedido: diante do exposto, requer a tramitação preferencial do feito.

 MÉRITO
Para cada um dos pedidos, abre-se um tópico autônomo, com fato, fundamento e
pedido.

“Salário in natura

A Reclamada pagava mensalmente em favor do reclamante, durante os cinco anos


em que perdurou o contrato de trabalho, aluguel de um veículo no valor de R$ 500,00
mensais, apenas para que ele tivesse mais conforto, sendo absolutamente
desnecessário para o trabalho.

Com base no artigo 458 da CLT, as utilidades fornecidas pelo empregador por força
do contrato de trabalho, como contraprestação pelos serviços prestados, de forma
habitual, têm natureza salarial, devendo, portanto, integrar o salário para fins de
projeções legais.

Diante do exposto, requer a integração do valor do aluguel pago mensalmente pela


reclamada para fins de reflexos em verbas contratuais e resilitórias.

Por fim, requer a retificação da CTPS do Reclamante, para incluir o salário in natura”

Lembrando: utilidade pode ser PARA o trabalho, ou PELO trabalho. Será salário in
natura quando a utilidade for PELO trabalho, recebida de forma gratuita, habitual,
não for nociva, e a lei não retirar o caráter salarial.

O que deve constar na CTPS: artigo 29 da CLT – função, valores, data de admissão,
data de despedida

 PEDIDOS

“Diante do exposto, requer:

a) A integração do valor do aluguel pago mensalmente pela reclamada para fins


de reflexos em verbas salariais e resilitórias....R$....”

 REQUERIMENTOS FINAIS

“Diante do exposto, requer:

a) A notificação da Reclamada para oferecer resposta à reclamação trabalhista,


sob pena de revelia quanto à matéria de fato.

b) A produção de todos os meios de prova em direito admitidos, em especial a


prova documental, o depoimento pessoal e a oitiva de testemunhas.

c) A procedência dos pedidos, com a condenação da reclamada nas verbas


postuladas, acrescidas de juros e correção monetária.

Atribui-se a causa o valor de R$... correspondente à somatória dos valores dos


pedidos.

Termos em que pede deferimento.

Local e data.
Advogado

OAB nº”

Para fazer a peça:

- circular palavras importantes da proposta

- fazer rascunho com os pedidos e palavras pontuais

- pronto o rascunho, inicia a peça, colocando os pedidos mais fáceis por primeiro

- procurar fundamento conforme vai fazendo os pedidos

- pedir reflexos quando a verba tiver (i) natureza salarial e (ii) foi paga com
habitualidade.

- pedir retificação da CTPS se for caso de dados da Carteira – artigo 29 da CLT;

“AO DOUTO JUÍZO DA VARA DO TRABALHO DE FLORIANÓPOLIS/SC

TONASSI FININHO, garçom, qualificação e endereço completos, vem,


respeitosamente, perante Vossa Excelência, por intermédio de seu advogado adiante
assinado (procuração em anexo), com endereço profissional no endereço completo,
onde recebe intimações e notificações, com fulcro no artigo 840 da CLT, propor
RECLAMATÓRIA TRABALHISTA pelo rito ordinário, em face de HEART ATTACK GRILL
LTDA., qualificação e endereço completos, pelas razões de fato e de direito a seguir
expostas.

I – Preliminares (Tramitação Preferencial – idoso, doença grave, deficiência, falência


da empresa, só salário)

II – Mérito

A) AJUDA DE CUSTO

O reclamante recebia salário de R$ 1.500,00 e ajuda de custo de R$1.000,00,


a qual não integrava o seu salário.

Nos termos do artigo 457, §2º da CLT, as ajudas de custo que excedam a 50%
do salário, como no caso em exame, integram o salário do empregado.

Diante do exposto, requer a integração dos valores pagos ao reclamante a


título de ajuda de custo para fins de gerar reflexos nas verbas contratuais e
resilitórias.

B) EQUIPARAÇÃO SALARIAL

O reclamante foi contratado no mesmo da que Juan, para exercer a mesma


função, na mesma filial, com a mesma produtividade e perfeição técnica, porém
enquanto recebia R$1500,00 e ajuda de custo de R$ 1.000,00, o seu colega recebia
salário fixo de R$ 2.500,00 por mês e ajuda de custo de R$ 1.000,00.
Nos termos do artigo 461, caput e §1º da CLT, é devido o mesmo salário aos
empregados que exerçam a mesma função, para o mesmo empregador, no mesmo
estabelecimento comercial, com a mesma produtividade e perfeição técnica, entre
pessoas cuja diferença de tempo de serviço para o mesmo empregador não seja
superior a quatro anos e diferença de tempo na função não seja superior a dois anos.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento das


diferenças salariais, bem como dos reflexos nas verbas contratuais e resilitórias.

Por fim, requer também a retificação da CTPS para que conste a real
remuneração.

C) DEVOLUÇÃO DE DESCONTOS

A reclamada descontou do salário do reclamante um dia de trabalho no mês


de janeiro do ano da extinção do contrato, em razão de o reclamante ter faltado ao
trabalho para comparecer em juízo como parte no processo em que estava litigando
contra seu antigo empregador, muito embora tivesse apresentado certidão da Justiça
do Trabalho, confirmando suas alegações.

Com base no artigo 473, VIII, da CLT, e Súmula 155 do TST, o empregado
poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário pelo tempo que se
fizer necessário, quando tiver de comparecer a juízo.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada à devolução do dia de


trabalho descontados de seu salário. (não pede reflexos, pois não é habitual).

D) INTERVALO INTRAJORNADA

O reclamante trabalhava de segunda à sexta-feira, por 8 horas diárias,


usufruindo de apenas 30 minutos de intervalo intrajornada.

Nos termos do artigo 71, caput, da CLT, aqueles que laboram mais de 6 horas
diárias fazem jus a um intervalo intrajornada de no mínimo 1 hora, o qual não era
observado.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento do


período suprimido, ou seja, de 30 minutos diários, acrescidos de 50%, nos termos do
artigo 71, §4º da CLT.

E) FGTS

No curso do contrato de trabalho, o empregador depositava apenas 4% do


valor da remuneração do reclamante a título de FGTS, pois havia acordo coletivo de
trabalho autorizando o recolhimento de apenas metade do valor.

Nos termos do artigo 611-B, III, da CLT, é ilícita e, portanto, nula a cláusula
do acordo coletivo de trabalho que implique em redução do valor dos depósitos
mensais do FGTS. Ressalte-se que o artigo 15 da Lei 8.036/90 determina que os
depósitos do FGTS devem ser de 8% da remuneração paga ou devida ao trabalhador
no mês anterior.
Diante do exposto, requer a declaração de nulidade da cláusula do acordo
coletivo de trabalho que determina a redução dos depósitos do FGTS e a condenação
da reclamada ao pagamento das diferenças salariais.

F) HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS

Requer a condenação da reclamada ao pagamento de honorários advocatícios


no importe de 15% sobre o valor que resultar da liquidação, nos termos do artigo 791-
A da CLT.

III – Pedidos

Diante do exposto, requer:

a) A condenação da reclamada ao pagamento das diferenças salariais, bem como


dos reflexos nas demais verbas contratuais e resilitórias. R$...

b) A integração dos valores pagos ao reclamante a título de ajuda de custo para


fins de gerar reflexos nas demais verbas contratuais e resilitórias. R$...

c) A condenação da reclamada à devolução do dia de trabalho, descontados de


seu salário. R$...

d) A condenação da reclamada ao pagamento do período suprimido do intervalo


intrajornada, ou seja, de 30 minutos diários, acrescidos de 50%, nos termos do
artigo 71, §4º da CLT. R$...

e) A declaração de nulidade da cláusula do acordo coletivo de trabalho que


determina a redução dos depósitos de FGTS e a condenação da reclamada ao
pagamento das diferenças salariais. R$...

f) A condenação da reclamada ao pagamento de honorários advocatícios no


importe de 15% sobre o valor que resultar da liquidação, nos termos do artigo
791-A da CLT. R$...

IV – Requerimentos finais

Diante do exposto, requer:

a) A notificação da reclamada para oferecer resposta à reclamatória trabalhista,


sob pena de revelia e confissão quanto à matéria de fato;

b) A produção de todos os meios de prova em direito admitidos, em especial a


prova documental e a oitiva de testemunhas;

c) Por fim, a procedência dos pedidos, com a condenação da reclamada ao


pagamento das verbas pleiteadas, acrescidas de juros e correção monetária.

Atribui-se à causa o valor de R$..., correspondente à somatória dos valores dos


pedidos.

Nesses termo, pede e espera deferimento.


Local e data.

Advogado

OAB nº”

AULA 2

Se já foi ajuizada uma ação que foi posteriormente arquivada, a nova ação é
ajuizada para a mesma Vara do Trabalho (artigo 286, CPC), devendo ser pagas as
custas da primeira ação  prevenção  distribuição por dependência

Proposta do Exame XXII

AO DOUTO JUIZO DA 250ª VARA DO TRABALHO DE SÃO PAULO/SP

Distribuição por dependência à 250ª Vara do Trabalho – juízo prevento

Autos nº

MARINA RIBEIRO, brasileiro, casada, desempregada, filha de Laura Santos, portadora


da identidade 855, CPF 909, residente e domiciliada na Rua Coronel Satrnino, casa 28
– São Paulo/SP, CEP 4444, vem, respeitosamente, perante Vossa Excelência, por
intermédio de seu advogado adiante assinado (procuração em anexo), com escritório
profissional no endereço completo, onde recebe intimações e notificações, com
fulcro no artigo 840 da CLT e artigo 300 do CPC, PROPOR:

RECLAMATÓRIA TRABALHISTA, com pedido de tutela antecipada, pelo rito ordinário

em face de MALHARIA FINA LTDA., qualificação e endereço completos, pelas razões


de fato e de direito a seguir expostas.

I – MÉRITO

A) REINTEGRAÇÃO

Marina é presidente do seu sindicato de classe, ao qual está filiada desde a


admissão, tendo sido eleita e empossada no dia 20/06/2016 para um mandato de 2
anos, sendo dispensada sem justa causa em 30/12/2016, ou seja, no curso do
mandato.

Nos termos dos artigos 543, §3º, da CLT, e 8º, VIII, da Constituição Federal, a
empregada tem estabilidade provisória no emprego desde o registro da candidatura
até 2 anos após o término do mandato.

Diante do exposto, requer a nulidade da dispensa e a reintegração da


empregada.

B) TUTELA ANTECIPADA

(se for caso de estabilidade e dispensa POR justa causa, NÃO se pede a tutela
antecipada, pois é preciso produção de prova, não há probabilidade de direito)
Conforme referido, a reclamante foi dispensada sem justa causa no curso da
estabilidade provisória no emprego, sendo, portanto, devida a sua reintegração.

Encontram-se presentes os requisitos autorizadores da concessão de tutela


antecipada, previstos nos artigos 300 do CPC e 659, X, da CLT, que compreendem: a
probabilidade do direito e o risco de dano. Verifique:

Evidencia-se a probabilidade do direito na medida em que a empregada foi


dispensada no curso da estabilidade provisória no emprego por ser dirigente sindical,
conforme vedam os artigos 8º, VIII, da CF e 543, §3º, da CLT.

Já o risco de dano está presente visto que a reclamante está desempregada,


dependendo, portanto, do trabalho para sua subsistência e também, porque sem a
sua imediata reintegração, uma vez que é presidente do sindicato, a defesa dos
trabalhadores está comprometida.

Diante do exposto, requer a concessão da liminar para a imediata


reintegração da empregada ao trabalho.

C) SALÁRIO IN NATURA

A reclamante recebia R% 500,00 de alimentação do empregador.

Nos termos do art. 457, §2º da CLT, a alimentação paga em dinheiro, como
presente caso, caracteriza-se salário.

Diante do exposto, requer a integração do valor da alimentação ao salário da


reclamante para gerar reflexos em verbas contratuais e resilitórias.

D) HORAS EXTRAS

(Sempre verificar (i) horas extras; (ii) intervalos intra e interjornada; (iii) DSR; (iv)
35h; (v) adicional noturno.)

A reclamante trabalhava de segunda a sexta-feira, das 13h30 às 22h30, com


intervalo de 1 hora, e aos sábados, das 8h às 12h, sem intervalo. Após o horário
informado, gastava 20 minutos para trocar o uniforme, pois era obrigada a fazê-los
na empresa, por imposição de regulamento interno.

Nos termos do artigo 4º, §2º, VIII, da CLT, é considerado tempo à disposição
do empregador o destinado à troca de roupa ou uniforme, quando há obrigatoriedade
de realizar a troca na empresa.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento dos 20


minutos extras diários, acrescidos do adicional de 50% (arts. 7º, XVI, da CF e 59,
§1º,da CLT), bem como de seus reflexos em verbas contratuais e resilitórias.

E) ADICIONAL NOTURNO

A reclamante trabalhava de segunda a sexta-feira, das 13h30 às 22h30, e


ficava mais 20 minutos à disposição do empregador. Nos termos do art. 73, caput e
§2º da CLT, as horas trabalhadas das 22h às 5h devem ser remuneradas com
acréscimo de 20%.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento do


adicional noturno, no importe de 20% do valor da hora diurna, quanto as horas que a
reclamante ficava à disposição do empregador após as 22h, bem como de seus
reflexos em verbas contratuais e resilitórias.

F) INTERVALO INTERJORNADAS

A reclamante terminava o labor na sexta-feira, às 22h30, permanecia à


disposição do empregador por mais 20 minutos trocando o uniforme, e iniciava o
trabalho aos sábados, ou seja, entre uma jornada de trabalho e outra decorriam
apenas 9h10 de intervalo.

Nos termos do art. 66 da CLT e da OJ 355 da SDI-1 do TST, entre duas


jornadas de trabalho haverá um período mínimo de 11 horas consecutivas para
descanso, sendo devidas as horas subtraídas do intervalo, acrescidas do adicional de
50%.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento das


horas que faltaram para completar o intervalo mínimo interjornada de 11 horas,
acrescida do adicional de 50%, bem como de seus reflexos em verbas contratuais e
resilitórias.

G) SALÁRIO-FAMÍLIA

A reclamante tem 3 filhos saudáveis, com idades de 12, 10 e 8 anos, conforme


certidões de nascimento que apresentou. Entretanto, recebia apenas 2 cotas do
salário-família.

Nos termos dos arts. 2º da Lei 4.266/63, 66 da Lei nº 8.213/91 e 83 do Decreto


nº 3.048/69, o salário-família é devido ao trabalhador de baixa renda salarial por
filho com idade de até 14 anos.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento de uma


cota do salário-família.

H) DEVOLUÇÃO DE DESCONTO – DOAÇÃO DE SANGUE

No ano de 2015, a reclamante comprovadamente doou sangue em duas


ocasiões, nas quais faltou ao emprego e em ambas foi descontada a título de falta.

Nos termos do art. 473, IV, da CLT, o empregado poderá deixar de


comparecer ao serviço sem prejuízo do salário por um dia, em cada 12 meses de
trabalho, em caso de doação voluntária de sangue devidamente comprovada.

Diante do exposto, requer a devolução de um dia e trabalho que foi


descontado do salário da reclamante pelo motivo em questão.

I) DIFERENÇAS SALARIAIS
Hugo, superior imediato de Marina, era chefe do setor de produção. Em 2016,
em razão da doença, ele ficou afastado do serviço por 90 dias e a reclamante o
substituiu até o seu retorno.

Nos termos da Súmula 159, I, do TST, enquanto perdurar a substituição que


não tenha caráter meramente eventual, inclusive nas férias, o empregado substituto
fará jus ao salário contratual do substituído.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento das


diferenças salariais, bem como de seus reflexos em verbas contratuais em verbas
contratuais e resilitórias.

J) JUSTIÇA GRATUITA

A reclamante encontra-se desempregada, de modo que, nos termos do artigo


790, §3º da CLT, faz jus aos benefícios da gratuidade de justiça, previstos nos artigo
98, §1º do CPC.

K) HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS

Requer a condenação do reclamado ao pagamento de honorários advocatícios no


importe de 15% do valor que resultar da liquidação, nos termos do artigo 791-A,
da CLT.

II) PEDIDOS

Diante do exposto, requer:

i) A nulidade da dispensa e a reintegração da reclamante;

ii) Concessão da liminar para a imediata reintegração da empregada ao


trabalho;

iii) A integração do valor da alimentação ao salário da reclamante para gerar


reflexos em verbas contratuais e resilitórias. R$...;

iv) A condenação da reclamada no pagamento dos 20 minutos extras diários,


acrescidos do adicional de 50%, bem como de seus reflexos em verbas
contratuais e resilitórias. R$...;

v) A condenação da reclamada ao pagamento do adicional noturno, no


importe de 20% do valor da hora diurna, quanto às horas que a reclamante
ficava à disposição do empregador após as 22h, bem como de seus reflexos
em verbas contratuais e resilitórias. R$...;

vi) A condenação da reclamada ao pagamento das horas que faltaram para


completar o intervalo mínimo interjornadas de 11 horas, acrescidas do
adicional de 50%, bem como reflexos em verbas contratuais e resilitórias.
R$...;

vii) A condenação da reclamada ao pagamento de 1 cota do salário família.


R$...;
viii) A devolução de um dia de trabalho que foi descontado do salário da
reclamante pela doação de sangue. R$...;

ix) A condenação da reclamada ao pagamento das diferenças salariais, bem


como de seus reflexos em verbas contratuais e resilitórias. R$ ...

x) Os benefícios da gratuidade da justiça;

xi) Honorários advocatícios, no importe de 15% sobre o valor líquido da


condenação. R$...

III) REQUERIMENTOS FINAIS

Diante do exposto, requer: a) a distribuição por dependência à 250ª Vara do Trabalho


de São Paulo, nos termos do art. 286, II, do CPC, em razão da prevenção daquele
juízo, uma vez que reclamação idêntica foi extinta sem resolução do mérito nesse
vara do trabalho;

b) Concessão da liminar para antecipar a tutela determinando a reintegração


imediata da empregada;

c) A notificação da reclamada para oferecer resposta à reclamatória trabalhista,


sob pena de revelia e confissão quanto à matéria de fato;

d) A produção de todos os meios de prova em direito admitidos, em especial a


prova documental, no depoimento pessoal e a oitiva de testemunhas;

e) Por fim, a procedência dos pedidos com a condenação da reclamada ao


pagamento das verbas pleiteadas, acrescidas de juros e correção monetária.

Atribui-se a causa o valor de R$... correspondente à somatória dos valores dos


pedidos.

Nesses termos, pede deferimento.

Local e data.

Advogado

OAB nº

AULA 3

Simulado – Exame XIV

AO DOUTO JUÍZO DA _ VARA DO TRABALHO DE MANAUS

HEITOR SAMUEL SANTOS, brasileiro, solteiro, desempregado, filho de Isaura


Santos, portador da identidade 559, CPF 202, CTPS _, PIS _, residente e
domiciliado na Rua Sete de Setembro, casa 18 – Manaus – Amazonas – CEP 999,
vem respeitosamente, perante Vossa Excelência, por intermédio de seu advogado
adiante assinado (procuração anexa), com escritório profissional no endereço
completo, onde recebe intimações ou notificações, com fulcro no art. 840 da CLT
e 300 do CPC, propor

RECLAMAÇÃOO TRABLHAISTA, com pedido de tutela antecipada, pelo rito


ordinário

Em face de FÁBRICA DE COMPONENETES ELETRÔNICOS NIMBUS S.A., pessoa


jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o número _, situada na Rua
Leonardo Malcher, 7070, Manaus, Amazonas, CEP 210, pelas razões de fato e de
direito a seguir expostas.

I – PRELIMINARES (Idoso = ou maior de 60 anos, deficiência, doença grave, empresa


em falência, quando versar só sobre salário)

A. TRAMITAÇÃO PREFERENCIAL DO FEITO –

O reclamante é portador de deficiência física, razão pela qual, nos termos do


art. 9º, VII, Lei 13.146/2015, faz jus à tramitação preferencial o feito em todos os
atos e diligências, sendo o que se requer.

II – MÉRITO

A. REINTEGRAÇÃO

O reclamante, portador de deficiência, foi dispensado sem justa causa, em


01.07.2015. Muito embora a empresa tenha 220 empregados, após a sua dispensa,
não houve contratação de um substituto em condição semelhante.

Á luz do art. 93, § 1º, Lei 8.213/91, com redação dada pela Lei 13.146/2015,
quando a empresa tiver mais de 100 empregados, a dispensa imotivada em contrato
por prazo indeterminado somente poderá ocorrer após a contratação de outro
trabalhador com deficiência ou beneficiário reabilitado da Previdência Social.

Diante do exposto, requer a reintegração do empregado e o pagamento dos


salários e demais vantagens devidas entre a data da dispensa e a reintegração do
empregado.

B. TUTELA ANTECIPADA

Conforme referido, o reclamante foi dispensado sem justa causa sem que outro
trabalhador com deficiência ou beneficiário reabilitado da Previdência Social tenha
sido contratado para ocupar sua vaga inobstante a empresa tivesse mais de 100
empregados.

Encontram-se presentes os requisitos autorizadores da concessão de tutela


antecipada, previstos no art. 300 do CPC, que compreendem: a probabilidade do
direito e o risco de dano. Verifique:

Evidencia-se a probabilidade do direito na medida em que o empregado não


poderia ter sido dispensado sem que antes outro trabalhador com deficiência ou
beneficiário reabilitado da Previdência Social tivesse sido contratado, nos termos do
art. 93, § 1º, Lei 8.213/91.
Já o risco de dano está presente, visto que o reclamante está desempregado,
dependendo, portanto, do trabalho para a sua subsistência.

Diante do exposto, requer a concessão da liminar a para a imediata reintegração


do reclamante ao trabalho.

(o artigo 659, IX e X, da CLT é apenas para casos de pedidos de liminar de


estabilidade para dirigente sindical e transferência)

C. DANO EXTRAPATRIMONIAL – DANO MORAL (quando houver violação aos direitos


da personalidade ou quando houver dor, sofrimento, humilhação. Se houver
reiteração nessa violação, estará caracterizado assédio moral, de forma a
acarretar uma indenização maior). (Dano patrimonial –– pode ser (i) danos
emergentes – gastos com tratamento, art. 402, CC, (ii) lucros cessantes, ou
(iii) pensionamento, para quando houver perda ou redução da capacidade
laborativa - art. 950, CC)

O reclamante tinha seu e-mail pessoal monitorado pela empresa porque, na


admissão, estava ocorrendo um problema na plataforma institucional, de forma que o
ex-empregador acordou com os empregados que o conteúdo de trabalho seria
enviado ao e-mail particular de cada um, desde que pudesse fazer o monitoramento.

Em razão disso, o empregador teve acesso a diversos escritos e fotos particulares


do reclamante, repassando a terceiros, inclusive, conteúdo íntimo que ele não
desejava expor, gerando traumas psicológicos irreparáveis em razão dessa ofensa de
natureza gravíssima.

Nos termos do artigo 223-C da CLT, a intimidade é um direito da personalidade e


sua violação deve ser reparada por dano extrapatrimonial, por aquele que por ação
ou omissão lhe der causa, consoante dispõem os artigos 223-B e 223-E da CLT.

À luz do artigo 5º, X, da Constituição Federal, são invioláveis a intimidade, a vida


privada, a honra e a imagem das pessoas, sendo assegurado o direito à indenização
por danos morais decorrente de sua violação.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento de


indenização por danos morais, no importe de cinquenta vezes o valor do último
salário contratual do ofendido, considerando a natureza gravíssima da ofensa, à luz
do artigo 223-G, §1º, IV, da CLT.

Ao arbitrar o valor, esse Douto Juízo deve considerar as cicunstâncias previstas no


art. 223-G da CLT, sobretudo a natureza dos bens tutelados, a intimidade ea vida
privada do trabalhador (art. 223-G, I, da CLT), a intensidade do sofrimendo causado
ao reclamante, bem como os traumas psicológicos irreparáveis (art. 223-G, II e III, da
CLT), a extensão e a duração dos efeitos da ofensa, uma vez que o conteúdo já foi
repassado a terceiros (art. 223-G, V, da CLT) e o dolo evidente na conduta do
empregador (art. 223-G, VII, da CLT).

D. DEVOLUÇÃO DOS DESCONTOS DA CONTRIBUIÇÃO CONFEDERATIVA


Durante o contrato, o reclamante sofreu descontos a título de contribuição
sindical, mesmo não tendo autorizado prévia e expressamente tal desconto.

Nos termos dos arts. 578 e 578 da CLT, a contribuição sindical está condicionada à
autorização prévia e expressa do empregado, a qual não houve no presente caso.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento dos valores


descontados do reclamante, a título de contribuição sindical no curso do contrato.

E. ACÚMULO DE FUNÇÃO

O reclamante teve sua CTPS assinada como assistente de estoque, mas, em parte
do horário de trabalho, também realizava as tarefas de um analista de compras, pois
seu chefe determinava que ele fizesse pesquisa de preços e comparasse a sua
evolução ao longo do tempo, atividades estranhas às funções de assistente de
estoque.

Com base nos artigos 13 da Lei nº 6.615/78 e 8º da Lei nº 3.207/57, que se aplicam
analogicamente ao caso em tela, é devido um acréscimo salarial em razão do
acúmulo de função, poso que demandem maior grau de qualificação ou maior
responsabilidade, compatíveis com função melhor remunerada.

Diante do exposto, requer um plus salarial, de R$..., pelo acúmulo de função em


parte do horário de trabalho, bem como de seus reflexos em verbas contratuais e
resilitórias.

F. INTERVALO INTRAJORNADA

O reclamante trabalhava de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h45, com intervalo de


45 minutos para refeição.

Nos termos do artigo 71 da CLT, o empregado que trabalhava mais de 6h, faz jus a
um intervalo mínimo de 1h, o qual não foi observado.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento do período


suprimido, ou seja, de 15 minutos, com acréscimo de 50%, conforme estabelece o
artigo 71, §4º da CLT.

G. GRATUIDADE DA JUSTIÇA

Uma vez que o reclamante se encontra desempregado e não possui capacidade


econômica de arcar com as custas processuais, requer a concessão da gratidade da
justiça, com base nos artigos 790, §3º da CLT e 98 do CPC.

H. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS

Requer a condenação da reclamada ao pagamento de honorários advocatícios no


importe de 15% sobre o valor que resultar da liquidação, nos termos do ar. 791-A, da
CLT.

III – PEDIDOS

Diante do exposto, requer:


a) A reintegração do empregado e o pagamento dos salários e demais vantagens
devidas entre a data da dispensa e a reintegração do empregado. R$...;

b) A concessão de tutela antecipada, diante do preenchimento dos requisitos do


art. 300 do CPC, determinando a imediata reintegração do reclamante;

c) A condenação da reclamada ao pagamento de indenização por danos morais


no importe de cinquenta vezes o salário percebido pelo reclamante. R$...;

d) A devolução dos valores descontados do reclamante a título de contribuição


sindical no curso do contrato. R$...;

e) A condenação da reclamada ao pagamento de um plus salarial, de R$..., pelo


acúmulo de função em parte do horário de trabalho. R$...;

f) A condenação da reclamada ao pagamento de 15 minutos diários trabalhados


e não remunerados decorrentes da supressão do intervalo intrajornada;

g) A condenação da reclamada ao pagamento de honorários advocatícios no


importe de 15% sobre o valor que resultar da liquidação, nos termos do art.
791-A, da CLT. R$...;

IV – REQUERIMENTOS FINAIS

Diante do exposto requer:

a) A concessão da liminar determinando a imediata reintegração do reclamante;

b) A notificação a reclamada para oferecer resposta à reclamação trabalhista,


sob pena de revelia e confissão quanto à matéria de fato;

c) A produção de todos os meios de prova em direito admitidos, em especial a


prova documental, o depoimento pessoal e a oitiva de testemunhas;

d) A procedência dos pedidos com a condenação da reclamada ao pagamento


das verbas pleiteadas, acrescidas de juros e correção monetária.

Atribui-se à causa o valor de R$..., correspondente à somatória dos valores dos


pedidos.

Nesses termos, pede e espera deferimento.

Local e data

Advogado

OAB nº

Simulado - Exame XX

AO DOUTO JUÍZO DA _ VARA DO TRABALHO DE NATAL

SUZANA, qualificação e endereço completo, vem, respeitosamente, perante Vossa


Excelência, por intermédio de seu advogado adiante assinado (procuração anexa),
com escritório profissional no endereço completo, onde recebe intimações ou
notificações, com fulcro no artigo 840 da CLT, propor

RECLAMATÓRIA TRABALHISTA, pelo rito ordinário,

Em face de NOME DA RECLAMADA, qualificação e endereço completos, pelas razões


de fato e de direito a seguir expostas.

I – MÉRITO

A. HORAS EXTRAS

A reclamante laborava das 7h às 16h, de segunda a sexta-feira, com 30 minutos de


intervalo, ou seja, seu labor era de 8 horas e 30 minutos diários.

Com base nos artigos 7º, XIII, da Constituição Federal e 2º da LC 150/2015, a duração
normal do trabalho doméstico não excederá a 8 horas diárias e 44 semanais.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento de horas


extras, assim consideradas as excedentes à 8ª hora diária, acrescidas no adicional de
50% (arts. 7º, XVI da Constituição Federal e art. 2º, §1º da LC 150/2015), bem como
de seus reflexos em verbas contratuais e resilitórias.

B. INTERVALO INTRAJORNADA

A reclamante realizava todas as atividades do lar, iniciando o tabalho às 7h,


saindo às 16h, com 30 minutos de intervalo.

Nos termos do art. 13 da LC 150/2015, é obrigatória a concessão de intervalo para


repouso e alimentação pelo período de, no mínimo, 1 hora, admitindo-se, mediante
prévio acordo escritor entre empregador e empregado, sua redução a 30 minutos. No
caso em tela, não houve o referido acordo, rzão pela qual é indevida a redução do
intervalo para 30 minutos.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento do período


suprimido, ou seja, 30 minutos, acrescido do adicional de 50%, nos termos do artigo
71, §4º da CLT.

C. DEVOLUÇÃO DE DESCONTOS – VALE TRANSPORTE

Suzana tinha descontado, de seu salário, 10% a título de vale transporte.

Com fulcro no art. 19, p. único da LC 150/15, aplica-se aos trabalhadores domésticos
a Lei 7.418/85, a qual, em seu artigo 4º, p. único, determina que o empregador
participará dos gastos de deslocamento do trabalhador com a ajuda de custo
equivalente à parcela que exceder a 6% de seu salário básico.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada à devolução dosvalores


correspondentes a 4% do salário da reclamante durante todo o curso do contrato de
trabalho.

D. DEVOLUÇÃO DE DESCONTOS – ALIMENTAÇÃO


Suzana tinha descontado de seu salário 25% do valor da alimentação consumida no
emprego.

Nos termos do art. 18 da LC 150/15, é vedado ao empregador doméstico efetuar


descontos no salário do empregado por fornecimento de alimentação.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada à devolução dos descontos


efetuados em seu salário a título de alimentação.

E. ADICIONAL – VIAGEM

Em determinada ocasião, Suzana viajou com a família por 4 dias úteis para
Gramado/RS. Nessa ocasião, trabalhou como babá das 8h às 17h, desfrutando de 1h
de almoço.

Nos termos do art, 11, §2º da LC 150, a remuneração-hora do serviço em viagem será,
no mínimo, de 15% superior ao valor do salário-hora normal.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento de 25% da hora


trabalhada na viagem

F. SALDO DE SALÁRIO (15 dias) – possível, mas não cobrado pela prova.

G. AVISO PRÉVIO E PROJEÇÕES (30 dias + 13º salário proporcional + férias


proporcionais)

Suzana foi contratada a título de experiência por 45 dias, findos os quais nada oi
tratado e ela continuou trabalhando normalmente, de modo que o contrato de
trabalho passou a ser por prazo indeterminado. Apesar disso, quando dispensada, a
reclamante não recebeu o aviso-prévio e suas projeções nas férias e 13º salário.

Com base no artigo 5º, §2º da LC 150, o contrato de experiência que, havendo
continuidade do serviço, não for prorrogado após o decurso de seu prazo previamente
estabelecido, passará a vigorar como contrato de trabalho por prazo indetermiando.

Na forma do art. 23, §1º da referida lei, é devido à reclamante o aviso-prévio de


30 dias e reflexos em férias acrescidas de 1/3, na razão e 1/12, e 13º salário,
também de 1/12.

Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento de 30 dias


de aviso-prévio e 1/12 de férias, acrescidas de 1/3 e 1/12 de 13º salário.

Por fim, requer a retificação da CTPS de modo a constar como data de saída o
último dia do aviso prévio, ainda que indenizado, nos termos da OJ 82 da SDI-1 do
TST.

H. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS

Requer a condenação da reclamada ao pagamento de honorários advocatícios, no


importe de 15% do valor que resultar da liquidação, nos termos do artigo 791-A da
CLT.

II – DOS PEDIDOS
Diante do exposto, requer:

a) A condenação da reclamada ao pagamento de horas extras, assim


consideradas as excedentes à 8ª diária, acrescida do adicional de 50%, bem
como seus reflexos. R$...;

b) A condenação da reclamada ao pagamento de 30 minutos de horas extras


diárias, em razão da redução do intervalo, acrescida do adicional de 50%, bem
como seus reflexos. R$...;

c) A condenação da reclamada à devolução dos valores correspondentes a 4% do


salário da reclamante a título de vale-transporte e dos descontos com
alimentação. R$...;

d) A condenação da reclamada ao pagamento de 25% por hora trabalhada na


viagem realizada com a família. R$...;

e) A condenação da reclamada ao pagamento de 30 dias de aviso-prévio e 1/12


de férias e 1/12 de 13º salário. R$...;

f) A condenação da reclamada ao pagamento de honorários advocatícios. R$...;

III – REQUERIMENTOS FINAIS

Diante do exposto, requer:

a) A notificação da reclamada para oferecer resposta à reclamação trabalhista,


sob pena de revelia e confissão quanto à matéria de fato;

b) A produção de todos os meios de prova em direito admitidos, em especial a


prova documental, o depoimento pessoal e a oitiva de testemunhas; e

c) A procedência dos pedidos com a condenação da reclamada ao pagamento da


verbas pleiteadas, acrescidas de juros e correção monetária.

Atribui-se à causa o valor e R$..., correspondente à somatória dos valores dos


pedidos.

Nesses termos, pede e espera deferimento.

Local e data.

Advogado

OAB nº

AULA 4

Respostas do réu: contestação, exceção de incompetência e de suspeição e


impedimento

Competência: a que o reclamante escolheu, que pode ser o local da prestação dos
serviços ou local da contratação.
AO DOUTO JUÍZO DA VARA DO TRABALHO DE _

Processo nº

NOME DA RECLAMADA, qualificação e endereço completos, vem, respeitosamente,


perante Vossa Excelência, por intermédio de seu advogado adiante assinado
(procuração anexa), com escritório profissional no endereço completo, onde recebe
intimações e notificações, com fulcro no artigo 847 da CLT, oferecer

CONTESTAÇÃO

À reclamação trabalhista que lhe move NOME DO RECLMANATE, já qualificado nos


autos em epígrafe, pelas razões de fato e de direito a seguir expostas.

I – PRELIMINAR

Problemas envolvendo o processo – hipóteses do art. 337, CPC.

Em regra, quando há preliminar, o pedido é de extinção do processo (art. 485, CPC).

“Diante do exposto, requer a extinção do processo sem resolução de mérito, nos


termos do artigo 485 do CPC, quanto ao pedido x”.

A) INÉPCIA DA PETIÇÃO INICIAL

Na petição inicial da reclamação trabalhista, consta o pedido de condenação da


reclamada ao pagamento de indenização por danos morais, sem a indicação de causa
de pedir.

Segundo estabelece o art. 330, §1º, I, do CPC, a petição inicial será inepta quando
faltar pedido ou causa de pedir. Quanto ao pedido de indenização por danos morais,
a petição inicial apresenta apenas o pedido, estando ausente a causa de pedir,
sendo, portanto, inepta nesse particular.

Esclarece-se que a inépcia da petição inicial é matéria que deve ser tratada em
preliminar de contestação nos termos do art. 337, IV, do CPC.

Diante do exposto, requer a extinção do processo sem resolução do mérito, nos


termos do art. 485, I e 330, I, do CPC (indeferimento da petição inicial), quanto ao
pedido de indenização por danos morais.

B) PEREMPÇÃO

Gera a impossibilidade temporária de ajuizamento da reclamatória. Aplicam-se


apenas as hipóteses dos artigos 731 e 732 da CLT, e não as hipóteses do CPC.

- o reclamante apresentou reclamação verbal, distribuída para uma Vara do


Trabalho, mas não compareceu em 5 dias para reduzir a termo o pedido.

- o reclamante não compareceu na audiência inicial, que foi arquivada. Se as custas


foram pagas, ele poderá ajuizar nova ação, que irá ser dirigida para a mesma vara do
trabalho (prevenção – art.286, CPC). Se novamente o reclamante não compareceu em
audiência  2 arquivamentos seguidos por não comparecimento em audiência.  o
autor deve esperar 6 meses para ajuizar nova ação.

“O reclamante deu causa a dois arquivamentos seguidos do processo por não


comparecer à audiência e trinta dias depois ajuizou uma terceira reclamação
trabalhista idêntica.

Consoante instituem os artigos 732 e 844 da CLT, incorrerá na pena de perda do


direito de ajuizar nova reclamação trabalhista pelo prazo de 6 (seis) meses aquele
que, por duas vezes seguidas, der causa ao arquivamento da reclamação trabalhista
por não comparecer à audiência, sendo, no Processo do Trabalho, esta uma das
hipóteses de perempção.

Esclarece-se que perempção é matéria que deve ser tratada em preliminar de


contestação, com base no art. 337, V, do CPC.

Diante disso, requer a extinção do processo sem resolução de mérito, com base no
artigo 485, V, do CPC.”

Pressupostos de constituição e desenvolvimento válido e regular do processo: petição


inicial apta, jurisdição imparcial e competente, citação válida, capacidade
processual e de ser parte.

C) INCOMPETÊNCIA

 art. 114, CF – competência funcional – não inclui aqueles que possuem vínculo
estatutário ou outro tipo de vínculo administrativo (como temporários da
Administração Pública – art. 37, IX, CF); crimes contra a organização do trabalho
(art. 109, VI, CF); ações de cobrança de honorários de profissionais liberais (aqueles
que possuem profissão regulamentada + trabalho como autônomos diretamente ao
consumidor final – Súmula 363, STJ); execução de contribuições sociais incidentes
sobre os salários já pagos durante período contratual reconhecido (ar. 876, p. único,
CLT, Súmula Vinculante 53 do STF e Súmula 368, I, do TST)

II – PREJUDICIAIS DE MÉRITO

A) PRESCRIÇÃO

Para reclamatórias – art. 487, II, do CPC – pedido de extinção com resolução de
mérito

Bienal – 2 anos a contar da dispensa – art. 7º, XXIX< CF; art. 11, I, da CLT; Súmula
308, I, do TST.

Quinquenal – o prazo de prescrição das verbas trabalhistas é de 5 anos (arts. 7º, XXIX
da CF e 11, da CLT), contados da data do ajuizamento da ação (Súmula 308, I, do
TST).

Total – para parcelas pagas por mera liberalidade do empregador, que foram
alteradas ou suprimidas. 5 anos contados da alteração/supressão do contrato de
trabalho.
“1. PRESCRIÇÃO BIENAL

O reclamante postulou o pagamento das verbas rescisórias oriundas do contrato de


trabalho extinto no dia 02.09.2013 em reclamação ajuizada no dia 02.12.2015.

De acordo com os artigos 7º, XXIX, da Constituição Federal, 11, da CLT e Súmula 308,
I, do TST, opera-se a prescrição bienal, o ajuizamento de reclamação trabalhista
após o prazo de 2 anos do término do contrato de trabalho. A ação in casu
ultrapassou o limite legal, estando, portanto, prescrita.

Diante do exposto, requer a extinção do processo com resolução do mérito, nos


termos do artigo 487, II, do CPC.”

2. PRESCRIÇÃO QUINQUENAL

O reclamante ajuizou a reclamação trabalhista em 07.08.2009 postulando verbas que


retroagem ao início do contrato de trabalho, em 07.08.2001.

Conforme os artigos 7º, XXIX, da Constituição Federal, 11, da CLT e Súmula 308, I, do
TST, as verbas trabalhistas prescrevem em 5 anos, contados da data do ajuizamento
da ação.

Diante do exposto, requer a extinção do processo com resolução do mérito, à luz do


artigo 487, II, do CPC, quanto às verbas postuladas anteriores aos últimos 5 anos
contados da data o ajuizamento da ação, isto é, anteriores a 07.08.2004.

3. PRESCRIÇÃO TOTAL

O reclamante postulou, em reclamação trabalhista ajuizada em 208, o valor


correspondente às cestas básicas que eram fornecidas por mera liberalidade do
empregador e foram unilateralmente suprimidas no ano de 2011.

Uma vez que as cestas básicas se tratam de prestações sucessivas não previstas em
lei, aplica-se em relação a elas a prescrição total, com base no art. 11, §2º da CLT e
na Súmula 294 do TST.

Assim, as verbas trabalhistas referidas prescreveram em 5 anos (art. 7º, XXIX da CF e


11 da CLT), contados da data de sua supressão. Note-se que a supressão ocorreu em
2011 e a reclamação trabalhista somente foi ajuizada em 2018, ou seja, depois do
prazo prescricional de 5 anos.

Diante do exposto, requer a extinção do processo com resolução do mérito, à luz do


art. 487, II, do CPC, quanto às cestas básicas.”

Assim, a prescrição será total

B) DECADÊNCIA

Ação rescisória, Inquérito para apuração de falta grave

III – MÉRITO

A) ADICIONAL DE TRANSFERÊNCIA
O reclamante postulou o pagamento de adicional de transferência de 25%, muito
embora sua transferência tenha sido definitiva.

Não assiste razão ao reclamante, pois nos moldes do art. 469, §3º, da CLT, o
adicional é devido apenas quando a transferência é definitiva.

Diante do exposto, requer a improcedência do pedido do reclamante.

B) DIÁRIAS DE VIAGEM

O reclamante postulou a integração dos valores recebidos a título de diárias de


viagem e suas projeções legais, alegando que seu salário era de R$ 2.000.00 e
recebia em média R$ 3.000,00 de diárias mensalmente.

Não assiste razão ao reclamante, pois nos artigos 457, §2º da CLT, as diárias de
viagem não integram o salário do trabalhador em nenhuma hipótese.

Diante do exposto, requer a improcedência do pedido do reclamante.

IV – RECONVENÇÃO

IV.1 Requisitos da Reconvenção

Encontram-se presentes os requisitos da reconvenção previstos no art. 343 do CPC,


que compreendem: a legitimidade ativa e passiva, bem como a conexão. Observe-se:

A presente reconvenção versa sobre a pretensão da reclamada em face do


reclamante, verifica-se presente a legitimidade ativa e passiva, com base no art.
343do CPC, segundo o qual “é lícito ao réu propor reconvenção para manifestar
pretensão própria”.

Por fim, também está presente a conexão, prevista no art. 343 do CPC, uma vez que
o empregado foi dispensado por justa causa por ato de improbidade e a reclamada
busca o ressarcimento dos valores desviados na empresa pelo empregado no curso da
relação contratual.

IV.2. Pedido reconvencional – dano material

No curso da relação contratual, o reclamante-reconvindo desviou da empresa


(reclamada-reconvinte) para sua conta pessoal à importância de R$ 1.000.000,00.

Encontram-se presentes os requisitos da responsabilidade civil, previstos nos artigos


186 e 927 do Código Civil, que compreendem: culpa, dano e nexo.

A culpa verifica-se pela própria do ato de improbidade realizado pelo empregado, o


qual inclusive autorizou a dispensa por justa causa, forte no art. 482, a, da CLT.

O dano foi de R$ 1.000.000,00 em cheques de clientes pertencentes à empresa que,


ao longo do curso do contrato de trabalho, foram depositados indevidamente na
conta corrente do reclamante-reconvindo.

O nexo também está presente na medida em que o dano decorreu do ato ilícito
praticado pelo empregado.
Diante do exposto, requer a condenação do reclamante-reconvindo ao pagamento de
indenização por danos materiais (dano emergente) no importe de R$ 1.000.000,00.

Valor do pedido: R$ 1.000.000,00.

V – REQUERIMENTOS FINAIS

Diante do exposto, requer a produção de todos os meios de prova em direito


admitidos, inclusive o depoimento pessoal do reclamante, sob a consequência de
confissão.

Requer o (i) acolhimento da preliminar para..., sucessivamente, (ii) o acolhimento da


prejudicial de mérito para..., e, sucessivamente, no mérito, (iii) a improcedência dos
pedidos formulados pelo autor, bem como (iv) sua condenação em custas processuais
e (v) honorários advocatícios sucumbenciais, nos termo do art. 791-A, da CLT.

Por fim, requer o deferimento da pretensão reconvencional, condenando o


reclamante-reconvindo ao pagamento de indenização por danos materiais (dano
emergente) no importe de R$ 1.000.000,00, acrescidos de juros e correção
monetária, bem como sua condenação ao pagamento de custas processuais e
honorários advocatícios, com base no art. 791-A, da CLT.

Nesses termos, pede e espera deferimento.

Local e data.

Advogado

OAB nº

Exceção de incompetência – local da prestação dos serviços ou da contratação –


art. 651, da CLT + 800 da CLT

Excipiente: a reclamada

Exceto: o reclmanate

Formato de petição padrão:

AO DOUTO JUÍZO DA 1ª VARA DO TRABALHO DE FOZ DO IGUAÇU/PR

Processo nº

EMPRESA ALFA LTDA., qualificação e endereço completos, vem respeitosamente,


peranAte Vossa Excelência, por intermédio de seu advogado adiante assinado
(procuração anexa), com escritório profissional no endereço completo, onde recebe
notificações e intimações, com fulcro no artigo 800 da CLT, oferecer

EXCEÇÃO DE INCOMPETÊNCIA

Na reclamação trabalhista que lhe move TONASSIANDO, já qualificado nos autos em


epígrafe, pelas razões de fato e de direito a seguir expostas.
I – DOS FATOS

A excipiente esclarece que o reclamante exceto foi contratado em Curitiba/PR. Tais


serviços sempre foram prestados em Curitiba/PR, localidade acordada entre as
partes desde o início do contrato de trabalho. No dia 07 de outubro de 2009, a
excipiente o dispensou imotivadamente.

II – REQUISITOS ESPECÍFICOS (juntada de documentos, prazos etc.)

III – MÉRITO

O art. 651 da CLT disciplina a competência relativa da Justiça do Trabalho,


asseverando que a competência territorial é determinada pela localidade onde o
empregado prestar serviços ao empregador, ainda que tenha sido contatado noutro
local.

Ante o dispositivo, é evidente a incompetência territorial do Juízo para processar e


julgar a reclamação trabalhista em questão, pois o reclamante/exceto jamais
laborou em Foz do Iguaçu. Ademais, é oportuno esclarecer que a excipiente não
possui filiar, tampouco desenvolveu qualquer atividade nessa cidade.

Diante da exposição supra, requer que os autos sejam remetido para a Vara do
Trabalho de Curitiba/PR, local da prestação dos serviços do reclamante exceto.

IV – LIMINAR (se houver)

V – REQUERIMENTOS FINAIS

Diante do exposto, requer o excipiente que esse juízo receba a exceção, suspenda o
feito e intime o exceto a se manifestar no prazo de 5 dias, nos termos do artigo 800,
§§1º e 2º da CLT.

Requer a produção de todos os meios de prova em direito admitidos, em especial a


prova testemunhal e documental.

Por fim, requer o reconhecimento da incompetência desse juízo para julgar a


demanda e a remessa dos autos ao juízo de Curitiba para que o processo retome seu
curso com a designação de audiência, a apresentação de defesa e a instrução
processual perante o juízo competente (art. 880, §4º da CLT).

Requer a produção de todos os meios de prova em direito admitidos, em especial a


prova testemunhal e documental.

Nesses termos, pede e espera deferimento.

Local e data.

Advogado

OAB nº

AULA 5
Exceção de suspeição e impedimento

Artigo 802 da CLT não se aplica mais. A suspeição e o impedimento devem ser
arguidos por petição de exceção, conforme procedimento do artigo 146 do CPC.
Hipóteses: art. 801, CLT + arts. 144 e 145 CPC. Previsão da exceção: art. 799 da CLT.
Aplicação do CPC no processo do trabalho com fundamento no artigo 769 da CLT.

Estrutura:

AO DOUTO JUÍZO DA 1ª VARA DO TRABALHO DE CURITIBA/PR

Processo nº

EMPRESA ALFA LTDA., qualificação e endereço completo, vem respeitosamente,


perante Vossa Excelência, por intermédio de seu advogado adiante assinado
(procuração anexa), com escritório profissional no endereço completo, onde recebe
notificações e intimações, com fulcro nos arts. 799 da CLT e 146 do CPC c/c art. 769
da CLT, oferecer:

EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO

Na Reclamação Trabalhista que lhe move PATRÍCIA, já qualificada nos autos em


epígrafe, pelas razões de fato e de direito a seguir expostas.

I – DOS FATOS

A autora ajuizou reclamação trabalhista em face da excipiete pleiteando verbas


rescisórias provenientes de um contrato de trabalho que perdurou durante quatroa
nos. A ação foi distribuída para a 1ª Vara do Trabalho de Curitiba, cujo juiz titular,
Dr. Tonassiando Fulano, é amigo íntimo da reclamante, sendo o magistrado padrinho
do filho da autora.

II – REQUISITOS ESPECÍFICOS (prazos, legitimidade, documentos, depósitos


específicos)

III - DO MÉRITO

O art. 801, b, da CLT, afirma que o juiz é obrigado a se dar por suspeito quando tiver
amizade íntima com qualquer das partes. Nesse mesmo sentido, assevera o art. 145,
I, do CPC, segundo o qual se reputa fundada a suspeição de parcialidade do juiz,
quando for amigo íntimo de qualquer das partes.

Pelo exposto, não há que se negar a amizade íntima entre o magistrado e a autora,
motivo pelo qual requer esse Juízo, de plano, se dê por suspeito para julgar a
demanda.

IV – LIMINAR

V - REQUERIMENTOS FINAIS

Diante do exposto, requer o excipiente que esse Juízo se dê por suspeito para julgar
a demanda, remetendo os autos ao juiz substituto para que o mesmo processe e
julgue o feito, ou, sucessivamente, caso não seja esse seu entendimento, apresente
suas razões, documentos em que se fundar a alegação e o rol de testemunhas e
remeta essa exceção ao TRT, no prazo de 15 dias, nos moldes do art. 146 do CPC.

Protesta pela produção de todos os meios de prova em direito admitidos, em especial


a prova testemunhal e documental.

Por fim, requer seja julgada procedente a presente exceção de suspeição,


instituindo-se a remessa dos autos a outro juiz.

Nesses termos, pede e espera deferimento.

Local e data

Advogado

OAB nº

SIMULADO EXAME II

AO DOUTO JUÍZO DA 1ª VARA DO TRABALHO DE BOA ESPERANÇA/MG

PROCESSO Nº 1234/60

O BANCO FINANÇAS, qualificação e endereço completos, vem, respeitosamente,


perante Vossa Excelência, por intermédio de seu advogado adiante assinado
(procuração anexa), com escritório profissional no endereço completo, onde recebe
intimações e notificações, com fulcro no art. 847 da CLT, oferecer:

CONTESTAÇÃO

À reclamação trabalhista que lhe move KELLY AMARAL, já qualificada nos autos em
epígrafe, pelas razões de fato e de direito a seguir expostas.

I – PRELIMINAR DE MÉRITO

A) INÉPCIA DA PETIÇÃO INICIAL

A reclamante, na petição inicial, postula o pagamento de indenização por danos


morais, sem, contudo, articular os fundamentos de fato e de direito que amparam
sua pretensão.

Segundo estabelece o artigo 330, §1º, I, do CPC, a petição inicial é inepta, dentre
outras hipóteses, quando lhe faltar pedido ou causa de pedir, sendo o que aconteceu
com o pedido de danos morais, em que a reclamante não apresentou a causa de
pedir quanto ao mesmo.

Esclarece-se que à luz do artigo 337, IV, do CPC, a inépcia da inicial deve ser
analisada em preliminar de contestação.

Diante do exposto, requer a extinção do processo sem resolução de mérito, nos


moldes dos arts. 485, I, e 330, I, do CPC (indeferimento da petição inicial), em
relação ao pedido de indenização por danos morais, por se tratar de pedido inepto.
II – PREJUDICIAL DE MÉRITO

A) PRESCRIÇÃO QUINQUENAL

A reclamante postulou em sua reclamação trabalhista, ajuizada em 13.09.2010,


parcelas que retroagem à data de sua admissão, que ocorreu em 04.08.2002.

Com base nos arts. 7º, XXIX, da Constituição Federal e 11, I, da CLT, o direito de
ação quanto a créditos resultantes das relações de trabalho prescreve em 5 anos,
contados da data do ajuizamento da ação (Súmula 308, I, do TST).

Diante do exposto, requer a extinção do processo com resolução de mérito, nos


termos do art. 487, II, do CPC, quanto às parcelas postuladas anteriores aos últimos 5
anos, contados do ajuizamento da ação, ou seja, anteriores a 13.09.2005.

III – MÉRITO

A) REINTEGRAÇÃO

A reclamante postulou a reintegração ao emprego, ou a equivalente indenização


substitutiva, tendo em vista a suposta estabilidade adquirida em janeiro de 2009 por
ter sido nomeada para exercer o cargo de delegada sindical de representação
obreira.

Não assiste razão à reclamante, pois, conforme estabelece a OJ 369 da SDI-I do


TST, o delegado sindical não é beneficiário da estabilidade provisória prevista no
artigo 8º, VIII, da CF, a qual é dirigida, exclusivamente, àqueles que exerçam ou
ocupem cargos de direção nos sindicatos, submetidos a processo eletivo.

Diante do exposto, requer a improcedência do pedido de reintegração, bem como


de indenização substitutiva.

B) HORAS EXTRAS E INTERVALOS

A reclamante postulou a condenação do reclamado ao pagamento de 2 horas


extraordinárias com adicional de 50% por laborar de segunda a sexta-feira, das 9h às
20h, bem como o pagamento de mais 30 minutos extras pela redução do intervalo
intrajornada.

Não assiste razão à reclamante, pois, consoante dispõe a Súmula 287 do TST, para
o gerente-geral de agência bancária presume-se o exercício de encargo de gestão,
aplicando-se lhe o art. 62, II, da CLT. Tal artigo estabelece que não são abrangidos
pelo regime do capítulo da duração da jornada de trabalho os gerentes, assim
considerados os excedentes de cargo de gestão, aos quais se equiparam, para efeito
do disposto neste artigo, os diretores, chefes de departamento ou filial, que recebam
gratificação de função superior a 40%. Assim sendo, a reclamante, por ser gerente-
geral de agência e perceber gratificação de função de 45%, não se submetem ao
controle de jornada de trabalho, não fazendo jus às horas extras.

Diante do exposto, requer a improcedência do pedido de 2 horas extras diárias e


do intervalo intrajornada.
C) PARCELA QUEBRA DE CAIXA

A reclamante postulou o reconhecimento da parcela quebra de caixa, coma


devida integração e seus reflexos legais, alegando isonomia ao cargo de caixa
bancário.

Não assiste razão à reclamante, pois tal parcela é devida somente ao caixa
bancário, uma vez que suas atividades demandam uma maior responsabilidade ao
lidar diretamente com o dinheiro. Logo, é incabível a percepção da parcela quebra
de caixa pela reclamante, que exercia função de gerente-geral da agência.

Diante do exposto, requer a improcedência do pedido de recolhimento da parcela


quebra de caixa, bem como de seus reflexos.

D) AUXILIO-EDUCAÇÃO

O reclamante postulou o auxílio-educação desde a data de sua supressão, com o


termo final de vigência a convenção coletiva de trabalho de 2006/2007, que ocorreu
em 1º de maio de 2007 até a entrada em vigor da norma coletiva subsequente, em 1º
de outubro de 2007, ou seja, auxílio relativo aos meses de maio, junho, julho, agosto
e setembro, tendo em vista a ultratividade.

Não assiste razão ao reclamante, pois com base no art. 614, §3º da CLT, é vedada
a ultratividade, de maneira que as vantagens previstas em instrumentos normativos
perduram apenas durante o exato tempo de sua vigência.

Diante do exposto, requer a improcedente do pedido da reclamante.

E) EQUIPARAÇÃO SALARIAL

A Reclamante postulou equiparação salarial ao Sr. Osvaldo Maleta, readaptado


funcionalmente por causa previdenciária

Não assiste razão à Reclamante, pois, de acordo com ao rt. 461, §4º, da CLT, o
trabalhador readaptado em nova função por motivo de deficiência física ou mental
atestada pelo órgão competente da Previdência Social não servirá de paradigma para
fins de equiparação salarial.

Diante do exposto, requer a improcedência do pedido de equiparação salarial, e


os fatos decorrentes.

F) FÉRIAS 2007/2008

A Reclamante postulou o pagamento de férias integrais do período aquisitivo de


2007/2008d e forma simples e acrescida de 1/3 pela não concessão a tempo e modo.
Entretanto, afirmou ter se retirado em licença remunerada por 32 (trinta e dois) dias
durante aquele período aquisitivo.

Não assiste razão à Reclamante, pois, conforme institui o art. 133, II, da CLT, não
terá direito a férias o empregado que no curso do período aquisitivo permanecer em
gozo de licença, com percepção de salários, por mais de 30 (trinta) dias.
Diante do exposto, requer a improcedência do pedido de férias.

G) HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS

A reclamante postulou o pagamento de honorários advocatícios sucumbenciais no


importe de 20%.

Não assiste razão à Reclamante, pois, consoante prevê o art. 791-A da CLT, os
honorários advocatícios sucumbenciais são devidos entre o mínimo de 5% e o máximo
de 15% sobre o valor que resultar da liquidação da sentença, do proveito econômico
obtido ou, não sendo possível mensurá-lo, sobre o valor atualizado da causa.

Diante do exposto, requer a improcedência do pedido de honorários no total de


20%.

IV – REQUERIMENTOS FINAIS

Diante do exposto, requer a produção de todos os meios de prova em direito


admitidos, em especial o depoimento pessoal do Reclamante, sob a consequência de
confissão.

Por fim, requer o acolhimento da preliminar de mérito para que seja extinto o
processo sem resolução do mérito, nos moldes dos arts. 485, I, e 330, I, do CPC, em
relação ao pedido de danos morais.

Requer, sucessivamente, o acolhimento da prejudicial de mérito para que seja


determinada a extinção do processo com resolução do mérito, com base no art. 487,
II, do CPC, quanto às parcelas anteriores aos últimos 5 anos, contados do
ajuizamento da ação.

E, por fim, gradativamente, ainda, no mérito, requer a improcedência de todos os


pedidos da Reclamante, bem como sua condenação ao pagamento de custas
processuais e honorários advocatícios, à luz do art. 791-A, da CLT.

Nesses termos, pede deferimento.

Local e data

Advogado

OAB nº

EXAME IV

AO DOUTO JUÍZO DA 85ª VARA DO TRABALHO DO RIO DE JANEIRO/RJ

Processo nº 0055.2010.5.01.0.085

COMÉRCIO ATACADISTA DE ALIMENTOS LTDA, qualificação e endereço completos, vem


respeitosamente, perante Vossa Excelência, por intermédio de seu advogado adiante
assinado (procuração anexa), com escritório profissional no endereço completo, onde
recebe intimações e notificações, com fulcro no art. 847, da CLT, oferecer
CONTESTAÇÃO

À reclamação trabalhista que lhe move ANDERSON SILVA, já qualificado nos autos em
epígrafe, pelas razões de fato e de direito a seguir expostas.

I – PRELIMINAR DE MÉRITO

1. Inépcia da petição inicial – ausência de causa de pedir

O reclamante postula o pagamento do 13º salário de 2008, porém não apresenta


causa de pedir, uma vez que alega que não recebeu apenas o 13º salário de 2009.

De acordo com o disposto no art. 300, §1º, I, do CPC, a petição inicial é inpeta,
dentre outras hipóteses, quando lhe faltar a causa de pedir. No presente caso, é
inepta quanto ao pedido de pagamento do 13º salário de 2008, pois o autor não
apontou a causa de pedir, uma vez que afirmou apenas que não recebeu o 13º salário
do ano de 2009, não se referindo ao 13º salário de 2008.

Esclarece-se que a inépcia da inicial deve ser analisada em preliminar de


contestação, à luz do art. 337, IV< do CPC.

Diante do exposto, requer a extinção do processo sem resolução de mérito, nos


termos dos arts. 485, I, e 330, I, do CPC (indeferimento da petição inicial), em
relação ao pedido de pagamento do 13º salário de 2008.

II – PREJUDICIAL DE MÉRITO

1. Prescrição quinquenal

O reclamante postulou em sua reclamação trabalhista, ajuizada em 10.01.2011,


parcelas que retroagem à data de sua admissão, que ocorreu em 03.03.2002.

Com base nos arts. 7º, XXIX, da CF, e 11, I, da CLT, o direito de ação quanto aos
créditos resultantes das relações de trabalho prescreve em 5 anos, contados da data
do ajuizamento da ação (Súmula 308, II, do TST).

Diante do exposto, requer a extinção do processo, com resolução do mérito, à luz


do art. 487, II, do CPC, quanto às parcelas postuladas anteriores aos últimos 5 anos,
contados da data do ajuizamento da ação, ou seja, anteriores a 10.01.2006.

III – MÉRITO

1. Reintegração

O reclamante postulou a reintegração ao emprego, ou a equivalente indenização


substitutiva, tendo em vista a suposta estabilidade que possuía na ocasião da
dispensa, por ter sido nomeado para exercer o cargo de diretor suplente de
cooperativa criada pelos empregados da ré.

Não assiste razão ao Reclamante, pois, consoante preceitua a OJ 253 da SDI-I do


TST, o diretor suplente de cooperativa não é beneficiário da estabilidade provisória
prevista no art. 55 da Lei nº 5.764/71, a qual é dirigida, exclusivamente, àqueles que
exerçam ou ocupem cargos de direção das cooperativas, não se estendendo tal
garantia aos suplentes. Assim, o reclamante nãoo possui direito à estabilidade
provisória, nem à sua indenização substitutiva, por exercer cargo de suplente de
cooperativa criada pelos empregados.

Diante do exposto, requer a improcedência do pedido de reintegração, bem como


indenização substitutiva.

2. HORAS EXTRAS

O Reclamante postulou a condenação do reclamado ao pagamento de 2 horas


extraordinárias diárias, acrescidas do adicional de 50%, por laborar de segunda a
sábados, das 9h às 20h, e reflexos.

Não assiste razão ao Reclamante, pois, de acordo com o instituído pelo art. 62, I,
da CLT, não faz jus à percepção de horas extraordinárias os empregados que
exercem atividade externa incompatível com a fixação de horário de trabalho.
Ressalte-se que tal condição estava anotada na CTPS do reclamante e ele mesmo
afirma que não estava submetido a controle de jornada de trabalho.

Diante do exposto, requer a improcedência do pedido de 2 horas extras diárias,


bem como dos reflexos postulados.

3. FÉRIAS EM DOBRO

O reclamante postulou o pagamento em dobro das férias referentes ao período


aquisitivo de 2007/2008, acrescidas de 1/3 pela não concessão a tempo e modo, nos
moldes do art. 137 da CLT.

Não assiste razão ao Reclamante, pois, conforme estabelece o art. 133, IV, da
CLT, não terá direito a férias o empregado que, no curso do período aquisitivo,
permanecer em gozo de licença, com percepção de prestações de acidente de
trabalho ou auxílio-doença da Previdência Social, por mais de 6 meses. Assim, o
reclamante não tem direito às férias pleiteadas, pois afirma ter recebido auxílio-
doença por 7 meses durante o período aquisitivo.

Diante do exposto, requer a improcedência do pedido de férias.

4. DIFERENÇAS SALARIAIS

O reclamante postulou equiparação salarial alegando que foi contratado em razão


da morte do Sr. Wanderley Cardoso, com salário inferior em R$ 1.000,00 (um mil
reais) ao que era percebido pelo paradigma, para exercer função idêntica e reflexos.

Não assiste razão ao Reclamante, pois, consoante determinado pela Súmula 159,
II, do TST, não são devidas diferenças salariais, pois o Reclamante ocupou o cargo
que se tornou anteriormente vago em definitivo com o falecimento do paradigma
apontado.

Ainda, não há que se falar em equiparação salarial, pois não houve


simultaneidade/contemporaneidade na prestação dos serviços, que é requisito
indispensável à equiparação fundamentado no art. 461, §5º da CLT. Dessa forma, o
reclamante não faz jus à equiparação do Sr. Wanderley Cardoso.
Diante do exposto requer a improcedência do pedido de equiparação salarial, bem
como seus reflexos.

5. VALE TRANSPORTE

O reclamante postulou o pagamento dos valores correspondentes aos vales-


transportes não fornecidos durante todo o período contratual. Ressaltou, no entanto,
que o deslocamento de sua residência para o local de trabalho e vice-versa era
realizado em transporte coletivo fretado pela ré, não tendo recebido vale-transporte
durante todo o período do contrato de trabalho.

Não assiste razão ao reclamante, tendo em vista que o vale-transporte é


concedido para uso no deslocamento residência-trabalho e vice-versa, em transporte
coletivo público (art. 1º da Lei 7.418/85), o que não ocorreu no caso em tela,
considerando que o empregador fornecia transporte coletivo fretado por ele,
estando, portanto, nos termos do art. 4º da Lei 95.247/87, desonerado da obrigação
de fornecer vale-transporte.

Diante do exposto, requer a improcedência, requer a improcedência do pedido de


vale-transporte.

IV - REQUERIMENTOS FINAIS

Diante do exposto, requer a produção de todos os meios de prova em direito


admitidos, em especial o depoimento pessoal do Reclamante, sob a consequência de
confissão.

Por fim, requer o acolhimento da preliminar de mérito para que seja estabelecida
a extinção do processo sem resolução do mérito, nos moldes dos arts. 485, I, e 330, I,
do CPC (indeferimento da petição inicial), em relação ao 13º salário do ano de 2008
por ausência de causa de pedir.

Posteriormente, requer o acolhimento da prejudicial de mérito para que seja


declarada a extinção do processo com resolução de mérito, à luz do art. 487, II, do
CPC, quanto às parcelas anteriores aos últimos 5 anos, contados do ajuizamento da
ação.

E, sucessivamente, no mérito, requer a improcedência de todos os pedidos do


reclamante, condenando-o ao pagamento de custas processuais e em honorários
advocatícios, com base no art. 791-A, da CLT.

Nesses termos, pede e espera deferimento.

Local e data

Advogado

OAB nº

AULA 7
Dissídios Coletivos de natureza econômica – criar normas a serem aplicadas à
categoria – para propor o dissídio, deve haver comum acordo dos Sindicatos.

No caso de decisão interlocutória que acolhe a exceção de incompetência e


determina a remessa dos autos para OUTRO TRT, ela será terminativa do feito, e por
isso caberá Recurso Ordinário. Súmula 214, TST.

AULA 8

Ação de Consignação em Pagamento – o cliente é o devedor e quer depositar coisa


ou valor em juízo para se livrar da obrigação. Exemplos: empregado que morreu,
empregado que se nega a receber as verbas rescisórias, devolver ferramentas que
estavam em poder do empregado e ele não pode/consegue entregar ao empregador.

Competência: local da prestação dos serviços – art. 651, CLT.

Polo passivo: Credores, potenciais credores, ou espólio (representado pelo


inventariante).

Pedidos:

 Deferimento do depósito da quantia ou coisa, no prazo de 5 dias;

 Citação do réu para comparecer em audiência e levantar o depósito com


efeito de quitação;

 Declaração de extinção da obrigação;

 Condenação do réu em custas e honorários.

Consignante – depositante/devedor

Consignatário – credor

Não contestada a ação, o réu é considerado revel e o juiz declara extinta a


obrigação, com a condenação ao pagamento de custas e honorários advocatícios.

Deve-se detalhar as verbas depositadas.

AO DOUTO JUÍZO DA _ VARA DO TRABALHO DE _

NOME DO CONSIGNANTE, qualificação e endereço completos, vem, respeitosamente,


perante vossa excelência, por intermédio de seu advogado adiante assinado
(procuração anexa), com escritório profissional no endereço completo, onde recebe
intimações e notificações, com fulcro nos artigos 539 e 549 do CPC, propor

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO DE PAGAMENTO

Em face de NOME DO CONSIGNATÁRIO, qualificação e endereço completos, pelas


razões de fato e de direito a seguir expostas.

I – DOS FATOS

Narração da hipótese de necessidade de ajuizamento da ação.


II – DOS REQUISITOS ESPECÍFICOS (não tem – legitimidade, prazo, depósito)

III – MÉRITO

Detalhes do que está sendo depositado e porque você deve isso – de forma líquida e
certa cada parcela.

IV – LIMINAR

V- REQUERIMENTOS FINAIS

 Deferimento do depósito no valor de R$ (art. 542, I, do CPC)

 Notificação para comparecer em audiência e levantamento do valor, ou


apresentação de resposta, sob pena de revelia;

 Produção de provas

 Procedência dos pedidos e condenação em custas e honorários (art.


546, CPC).

Atribui-se o valor da causa de R$

Nesses termos, pede e espera deferimento.

Local e data.

Advogado

SIMULADO

AO DOUTO JUIZO DA _ VARA DO TRABALHO DE MACEIÓ/AL

ZENGA MODAS LTDA., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o nº
1.1.0001/00, com sede na Rua Lopes Quintas, 10 – Maceió/AL, vem, respeitosamente,
perante Vossa Excelência, por intermédio de seu advogado adiante assinado
(procuração anexa), com escritório profissional no endereço completo, onde recebe
intimações e notificações, com fulcro nos arts. 539 a 549 do CPC, propor:

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

Em face de JOANA FIRMINO, brasileira, casada, costureira, residente na Rua Lopes


Andrade, 20 – Maceió/AL – CEP 10.0001-00, pelas razões de fato e de direito a seguir
expostas.

I – DOS FATOS

A consignatária foi contratada por Zenga Modas Ltda., em 12.09.2008, para exercer a
função de costureira, na unidade de Maceió/AL, sendo dispensada sem justa causa
em 11.10.2012, mediante aviso-prévio indenizado.
Em seu armário, foi encontrado telefone celular de sua propriedade. Joana foi
cientificada de que no dia 15.10.2012, às 10h, seria homologada a ruptura e pagas as
verbas devidas no sindicato de classe de Joana. Entretanto, na data e hora
designadas, a empregada não compareceu, recebendo a empresa certidão nesse
sentido emitida pelo sindicato.

A empresa tem o intuito de pagar as verbas devidas à consignatária, razão pela qual
propôs a presente medida processual.

II – DOS REQUISITOS ESPECÍFICOS (não tem)

III – DO MÉRITO

(admissão – 19/09/2008; despedida 11/10/2012 com aviso prévio indenizado. Saldo


de salário: 11 dias; aviso prévio: 42 dias; fim do contrato de trabalho: 22/11/2012;
11/12 avos de 13º salário; férias do período aquisitivo 2010/2011 + 1/3 em dobro; do
período aquisitivo 2011/2012 + 1/3; férias proporcionais 2/12 avos + 1/3)

Em razão da extinção do contrato de trabalho sem justa causa, são devidas à


consignatária as seguintes verbas, no importe de R$ _, as quais a consignante
pretende depositar com o objetivo de que seja declarada extinta a obrigação:

a) Saldo de salário – 11 dias – R$...;

b) Aviso prévio – 42 dias – R$...;

c) 13º salário proporcional (11/12) – R$...;

d) Férias vencidas em dobro (período aquisitivo 2010/2011) + 1/3 – R$...;

e) Férias vencidas (período aquisitivo 2011/2012) + 1/3 – R$...;

f) Férias proporcionais (2/12) + 1/3 – R$...;

g) Multa de 40% do FGTS. R$...;

Total devido: R$...

Objetiva a consignante também a entrega da guia para levantamento do FGTS e guia


para percepção seguro desemprego, em anexo.

Requer, ainda, a devolução do aparelho celular e a entrega da CTPS, uma vez que é
possível a consignação de coisa, nos moldes do art. 542, I, do CPC.

Requer a consignante o depósito das verbas, das guias e da CTPS, visando à extinção
da obrigação e, por conseguinte, a incidência da multa prevista no art. 477, §8º, da
CLT, por atraso no pagamento das verbas rescisórias.

(se já houve atraso no pagamento, por culpa do empregador, deposita a multa do


art. 477 junto)

IV – DA LIMINAR (não tem)


V – DOS REQUERIMENTOS FINAIS

a) Deferimento do depósito dos valores referidos, do aparelho celular, das guias


e da CTPS no prazo de 5 dias (art. 542, I, do CPC);

b) Notificação do consignatário para comparecer em audiência e levantar o


valor, o aparelho celular, as guias e a CTPS depositadas com efeito de
quitação ou oferecer resposta, sob pena de revelia e declaração da extinção
da obrigação (arts. 542 e 546 do CPC);

c) A produção de todos os meios de prova em direito admitidos, em especial a


prova documental;

d) Procedência do pedido com a declaração de extinção da obrigação e


condenação do consignatário ao pagamento de custas e honorários
advocatícios na importância de 15%, com base no art. 791-A, da CLT.

Atribui-se à causa o valor de R$...

Nesses termos, pede e espera deferimento.

Advogado

OAB nº

Inquérito judicial para apuração de falta grave

Requisitos cumulativos: empregado com garantia provisória no emprego; prática de


falta grave; a lei deve exigir o inquérito para dispensa por justa causa desse
empregado (dirigente sindical – Súmulas 197 do STF e 379 do TST; empregados
membros do Conselho Nacional da Previdência Social – art. 7º, §3º da Lei 8213/91;
empregados eleitos diretores de sociedade cooperativa – art. 55 da Lei 5764/71).

AO DOUTO JUÍZO DA _ VARA DO TRABALHO DE _

NOME DO EMPREGADOR, qualificação e endereço completos, vem, respeitosamente,


perante Vossa Excelência, por intermédio de seu advogado adiante assinado
(procuração anexa), com escritório profissional no endereço completo, onde recebe
intimações e notificações, com fulcro nos arts. 494 e 853, ambos da CLT, propor

INQUÉRITO JUDICIAL PARA APURAÇÃO DE FALTA GRAVE

Em face de NOME DO EMRPEGADO, qualificação e endereço completos, pelas razões


de fato e de direito a seguir expostas.

I – DOS FATOS

Relatar o caso – a falta grave e a estabilidade

II – DOS REQUISITOS ESPECÍFICOS

A) PRAZO
Prazo decadencial de 30 dias, contados da suspensão do empregado (art. 853, da
CLT), quando houver

B) DO CABIMENTO DO INQUÉRITO

Indicar o dispositivo legal ou jurisprudencial (súmulas e OJs) que indicam que o


empregado estável somente pode ser dispensado por justa causa mediante inquérito.

III – DO MÉRITO

- mencionar a estabilidade

- mencionar a falta grave

- mencionar a previsão da falta grave

- pedir a declaração da extinção do contrato de trabalho por justa causa, com data
retroativa à suspensão contratual.

IV – REQUERIMENTOS FINAIS

Diante do exposto, requer: notificação para oferecer resposta em audiência,


produção de provas; procedência dos pedidos para que seja rescindido o contrato por
justa causa, retroativamente à data da suspensão do empregado.

Dá-se à causa o valor de R$...

Nesses termos, pede e espera deferimento.

Local e data

Advogado

OAB nº

AULA 9

Recurso Ordinário – hipóteses: da sentença (terminativa ou definitiva) e de decisões


do TRT em que o Tribunal tinha a competência originária (ação rescisória por
exemplo)

Ação Rescisória – competência: se a decisão a ser desconstituída é uma sentença, a


ação deve ser proposta perante o TRT. Se a decisão a ser desconstituída é do TRT, o
TRT será competente para proposição da ação. Se a decisão a ser desconstituída é do
TST, o órgão competente será o TST, só sendo cabível o Recurso Extraordinário como
recurso.

Mandado de Segurança – competência: se a autoridade coatora é um juiz, a ação


deve ser proposta perante o TRT. Se a autoridade coatora é um desembargador do
TRT, o TRT será competente para proposição do mandado de segurança, com Recurso
Ordinário ao TST.
Dissídio Coletivo – de uma única jurisdição – competência originária do TRT para
interposição, cabendo Recurso Ordinário ao TST. Se o dissídio coletivo abranger mais
de uma jurisdição (estado) – a competência originária será do TST.

Sentença do juiz – RO para o TRT – RR para o TST (turmas) – Embargos ao TST (SDI) –
Recurso Extraordinário para o STF

Sentença do juiz na execução – Agravo de petição para o TRT - RR para o TST


(turmas) – Embargos ao TST (SDI) – Recurso Extraordinário para o STF

O Recurso é dividido em duas partes: folha de rosto para o juízo originário (análise de
pressupostos de admissibilidade para intimação do recorrido para que interponha
contrarrazões) e as razões para o Tribunal (sendo primeiramente remetido ao
Relator, que irá novamente analisar os pressupostos de admissibilidade e, se
conhecido o recurso, será remetido à Turma (que poderá verificar a existência dos
pressupostos, e posteriormente analisará o mérito).

Depósito Recursal

Recursos que exigem depósito recursal: RO, RR, Embargos ao TST, Recurso
Extraordinário, e RO em Ação Rescisória + Agravo de Instrumento.

Valor: valor da condenação ainda não depositado até o limite do teto estabelecido
pelo TST (RO = R$9.189.00 e RR, ETST, RExt e ROAR é o dobro = R$18.378,00)

Valor do Agravo de instrumento: valor da condenação ainda não depositado até o


limite do teto que é 50% do valor do depósito do recurso que se quer destrancar.

Não havendo condenação em pecúnia, não há depósito recursal (Súmula 161 TST)

O depósito será reduzido a metade para entidades sem fins lucrativos, empregadores
domésticos, Microempreendedor Individual, ME e EPP – art. 899, §9º, da CLT.

As entidades filantrópicas, empresas em recuperação judicial e beneficiários da


justiça gratuita são ISENTOS de depósito recursal (art. 899, §10º, da CLT. Além disso,
são isentos: a massa falida (S. 86 do TST) e a Fazenda Pública, com suas autarquias e
fundações públicas *art.1º, IV, DL nº 779/69).

A realização do depósito pode ser comprovada dentro do prazo do recurso, ainda que
interposto o recurso antes do prazo fatal  exceção: agravo de instrumento – deve
ser comprovado o depósito junto da interposição do AI (art. 899, §7º, CLT)

Custas Processuais

São pagas pela parte vencida na fase de conhecimento. Corresponde a 2% do valor da


condenação/acordo e, se não houver, 2% do valor da causa

Reclamante – se não levou nada (sentença de improcedência ou de extinção sem


resolução de mérito.

Reclamado – quando perder algum pedido. 2% do valor da condenação ou do acordo,


e, se não houver, 2% sobre o valor da causa, observado o mínimo de R$ 10,64 e
máximo de 4 vezes o limite máximo dos benefícios do Regime Geral da Previdência
Social (art. 789, CLT)

Isentos: art. 790-A (JG, MPT, massa falida, Fazenda Pública, autarquias e fundações
públicas.

AO DOUTO JUIZ DA _ VARA DO TRABALHO DE _

Processo nº

NOME DO RECORRENTE, já qualificado nos auto em epígrafe, em que contende com


NOME DO RECORRIDO, também qualificado, vem respeitosamente, perante Vossa
Excelência, por intermédio de seu advogado adiante assinado, com fulcro no artigo
895, inciso I, da CLT, interpor

RECURSO ORDINÁRIO

Para o Egrégio Tribunal Regional do Trabalho da _ Região.

Encontram-se presentes todos os pressupostos intrínsecos (direito de recorrer –


legitimidade, capacidade, interesse) e extrínsecos (recorribilidade, tempestividade,
depósito, custas, regularidade de representação) de admissibilidade do recurso,
dentre os quais destacam-se:

a) Depósito recursal, recolhido no valor de R$..., conforme guia anexa.

b) Custas processuais recolhidas no valor de R$..., correspondente a 2% do valor


da condenação, conforme guia anexa.

Diante do exposto, requer o recebimento do presente recurso, a intimação da parte


adversa para apresentação de contrarrazões no prazo de 8 dias, conforme estabelece
o artigo 900 da CLT e a posterior remessa ao Egrégio Tribunal Regional do Trabalho
da _ Região.

Nesses termos, pede deferimento.

Local e data.

Advogado

OAB nº

EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA _ REGIÃO

RAZOES DO RECURSO ORDINÁRIO

I – PRELIMINARES (problemas na condução do processo que geram nulidade – ato do


juiz que contraria artigo, súmula ou gera cerceamento de defesa – art. 5º, LV, CF)

 Indeferimento de prova

 Nulidade da citação
Fato, fundamento e pedido de nulidade da sentença com o retorno dos autos
ao juízo que proferiu a decisão ou julgamento pelo Tribunal quando a causa
estiver madura para julgamento, com todas as provas produzidas.

II – PREJUDICIAIS (só prescrição)

Pode-se arguir a prescrição em RO, ainda que não suscitada em defesa (S. 153 do
TST)

III – MÉRITO

Inclui inclusive deferimento/indeferimento de pedidos que não são de competência


da Justiça do Trabalho.

IV – REQUERIMENTOS FINAIS

Diante do exposto, requer o conhecimento do recurso, o acolhimento das


preliminares para...; sucessivamente o acolhimento das prejudiciais para...; e,
sucessivamente, no mérito, o provimento do recurso para fins de reforma da
sentença para julgar (im)procedentes os pedidos.

Termos em que pede e espera deferimento.

Local e data.

Advogado

OAB nº

RASCUNHO: para cada pedido, analisar: (i) inicial, (ii) contestação, (iii) provas e (iv)
sentença.

AULA 11

Títulos executáveis no Processo do Trabalho: art. 876 da CLT.

As sentenças homologatórias de acordo transitam em julgado no dia da homologação,


podendo ser executadas, sendo considerados títulos executivos judiciais.

Cheques e notas promissórias podem ser executados na Justiça do Trabalho quando


tratar de dívida reconhecidamente trabalhista.

As multas administrativas aplicadas ao empregador pelos órgãos de fiscalização do


trabalho igualmente são executáveis na Justiça do Trabalho.

Créditos previdenciários devidos em decorrência das sentenças ou acordos proferidos


pelos juízes e Tribunais do Trabalho são executáveis de ofício pela Justiça do
Trabalho  sentenças condenatórias em pecúnia, e sentenças homologatória de
acordo.

Possível a pactuação de arbitragem para empregados que possuem salário superior a


2x o teto da Previdência  sentença arbitral executável na Justiça do Trabalho.
Para a execução ter início, ela deve ser promovida pelas partes, só podendo ser de
ofício no caso de jus postulandi.

Legislação subsidiária é a Lei da Execução Fiscal, e não o CPC, que só posteriormente


será aplicado, caso não haja solução na CLT ou LEF.

Tipos de liquidação:

 Cálculos – mero procedimento aritmético

 Arbitramento – necessário conhecimento técnico - Perito

 Artigos = procedimento comum – provar fatos novos

Na liquidação por cálculos, podem apresenta-los: as partes, os órgãos auxiliares da


Justiça do Trabalho, e Peritos em caso de cálculos complexos. Elaborada a conta,
tornando-a líquida, as partes devem ser intimadas para se manifestar no prazo
comum de 8 dias (art. 879, §2º, CLT), e a União será intimada para se manifestar no
prazo de 10 dias em relação às contribuições sociais (art. 879, §3º, CLT). Analisados
os cálculos, o juiz apresentará sentença de liquidação (decisão interlocutória – não
admite recurso – exceto se houver extinção da execução).

Preferencialmente, as partes serão as responsáveis por apresentarem os cálculos


(art. 879, §1º-B).

Proferida a Sentença de Liquidação, a Reclamada é citada (Mandado de Citação,


Penhora e Avaliação) para o Executado pagar ou garantir o juízo em 48h (nomeando
bens à penhora, garantia em dinheiro ou apresentado seguro-garantia judicial). Não
garantindo o juízo, o juiz mandará penhorar tantos bens quantos bastem para
garantir o juízo, observada a ordem do artigo 835 do CPC, sem aplicar qualquer
multa à Reclamada.

5 dias contados da ciência da garantia do juízo, o executado pode apresentar


Embargos à Execução, e, no mesmo prazo, o Exequente pode apresentar impugnação
à sentença de liquidação. Em 5 dias, as partes se manifestarão acerca dessas
insurgências. Dessa sentença, cabe Agravo de Petição para o TRT, cabendo RR ao
TST, e, posteriormente Embargos de TST e RExt.

Agravo de Petição cabe a todas decisões recorríveis na execução.

Garantido o juízo e citado o executado para pagamento, o Executado pode opor


embargos à execução inclusive em relação à impenhorabilidade do bem utilizado
como garantia.

Penhora de dinheiro: prioriza-se a garantia por bens, para haver penhora de dinheiro
deve haver pedido expresso (art. 854,CPC). Quando for execução definitiva, SEMPRE –
Súmula 417, TST + art. 854, CPC – convolação em penhora do bloqueio. Quando for
execução provisória (a decisão é uma Carta de Sentença), pode ser penhorado
dinheiro. O Executado tem direito a processar a penhora da forma menos gravosa -
art. 805, CPC + OJ 59 SDI-I.
Incidente de Desconsideração da Personalidade Jurídica

Requisito: inexistência de patrimônio da PJ – arts. 855-A, CLT, 28, p.5, CDC + 133 a
137, CPC

Depende de pedido da parte ou do MP, não pode ser feito de ofício.

Será suspenso o processo e determinada intimação dos sócios para se manifestar no


prazo de 15 dias. A decisão é interlocutória, ou seja:

Se for no processo de conhecimento, é irrecorrível de imediato. Se for na execução,


cabe Agravo de Petição. Se for em incidente instaurado no Tribunal, cabe Agravo
Interno.

Sentença  Liquidação  Manifestação das partes em 8 dias  Manifestação da


União  Sentença de Liquidação  Mandado de Citação  Garantia do juízo 
Embargos à execução ou impugnação à sentença de liquidação em 5 dias 
manifestação da outra parte  sentença  agravo de petição

SEMPRE CITAR AS CUSTAS EM RECURSOS NA FASE DE EXECUÇÃO – cada peça tem


um valor específico, a ser recolhido pelo executado ao final.

Embargos à execução: Para o Executado. necessária a anterior expedição do


Mandado de Citação e Pagamento e a Garantia do Juízo.

Nos embargos, será possível a discussão dos cálculos, da penhora realizada, ou da


sentença de liquidação.

Requisitos específicos para colocar na peça: garantia do juízo, tempestividade (5


dias) e custas processuais (art. 789-A).

Pedidos: recebimento dos embargos e procedência dos pedidos + notificação do


exequente para responder.

Impugnação à sentença de liquidação: Para o Exequente. art. 884, caput e p.3º da


CLT

Requisitos específicos: tempestividade (prazo de 5 dias contados da ciência da


garantia do juízo feita pelo executado) e custas processuais.

Pedidos: recebimento da impugnação e procedência dos pedidos + notificação do


executado para responder.

A sentença julgará os embargos à execução e a impugnação à sentença de liquidação


juntamente. Dessa sentença, caberá Agravo de Petição.

Embargos de terceiro - art. 674, CPC e seguintes

É uma petição inicial, tem natureza jurídica de ação incidental, autos apartados,
conexa ao processo de conhecimento ou de execução, distribuídos por dependência.
Na fase de conhecimento, cabe Embargos a qualquer momento até o trânsito em
julgado. Na fase de execução, ela pode ser ajuizada até 5 dais depois da
adjudicação, arrematação, ou alienação por iniciativa particular.
Sempre tem pedido liminar – mandado de restituição do bem (se já peridda a posse)
ou de manutenção do bem (se ameaçada a posse)

Fundamento jurídico: artigos 674 c/c 681 CPC, e 769 CLT

Embargante em face do Exequente e do Executado

Requisitos específicos:

a) Distribuição por dependência;

b) Legitimidade;

c) Tempestividade

d) Prova sumária da posse e da constrição judicial

Requerimentos finais: distribuição por dependência, pedido liminar, citação,


produção de provas, procedência dos pedidos e eventuais preliminares, pagamento
de custas, pagamento de honorários.

Atribuir valor à causa.

No caso da fase de execução, cabe embargos de terceiro depois da garantia do juízo.


Será proferida uma sentença, e dela, cabe agravo de petição.

AULA 12

Sentença  Mandado de citação para pagamento e garantia do juízo  incidente de


desconsideração  decisão interlocutória  agravo de petição.

Agravo de Petição – todo o valor da execução deve estar depositado.

As custas estão previstas no art. 789-A, da CLT.

Requisitos específicos: art. 897, CLT – delimitação da matéria e do valor impugnado


(só o valor que está se discutindo). O restante será liberado ao exequente.

Requerimentos finais: notificação para o agravado apresentar contraminuta

Pressupostos para colocar na folha de rosto:

a) Garantia integral do Juízo (arts. 880 e 884 da CLT)

b) Custas processuais (art. 789-A, CLT)

c) Delimitação de matérias e valores impugnados (art. 897, p.1º)

Pedido de recebimento, notificação da outra parte para apresentar contraminuta em


8 dias (conforme art. 900 da CLT) e posterior remessa ao TRT.

FOLHA DE RAZÕES: AO EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA _ REGIÃO

MINUTA DO AGRAVO DE PETIÇÃO


Modelo de recurso: Preliminar, Prejudiciais de Mérito e Mérito.

Em preliminar, pede-se a nulidade da sentença e o retorno dos autos ao juízo a quo,


ou, se madura a decisão, o julgamento pelo Tribunal.

Prejudiciais de mérito:

 Prescrição intercorrente – 11-A, CLT – 2 anos

o Dentro do processo

o Inércia do exequente

o Fica mais de 2 anos sem praticar ato que depende exclusivamente


dele para continuação da execução

o Inicia quando o exequente deixa de cumprir determinação judicial.

o Pode ser de ofício ou a requerimento. Apenas a intercorrente pode


https://aluno.cers.com.br/aluno/aula/2058666/114139/563672?h=z
%2BMr5KtBPRN%2BLqMO6or79PIgOqrIb7y2 ser declarada de ofício

 Cálculos que se equivocaram quanto à prescrição

No caso de haver um título executivo extrajudicial (art. 876,CLT – acordo CCP,


cheque, nota promissória – art. 784, I, CPC), ajuíza-se Ação de Execução de Título
Executivo Extrajudicial, que culminará no Mandado de Citação, Pagamento e
Avaliação. Garantido o juízo, é possível arguir pela primeira vez a prescrição bienal.

Correção monetária: devida apenas a partir do mês subsequente à prestação de


serviços. (S. 381, TST), independentemente de constar no título executivo – art. 322,
p. 1º, CPC e S. 211 TST

AULA 13

Sempre que envolver prescrição, coloca-se como prejudicial de mérito, ainda que em
recurso na execução.

Fatos no Agravo de Petição – começa a relatar a partir da decisão de


embargos/impugnação.

Recurso de Revista – discussão apenas de direito (tudo o que a testemunha não


puder responder) + hipótese específicas de cabimento + matéria prequestionada +
transcendência

Hipóteses específicas de cabimento:

Se o procedimento for SUMARÍSSIMO, ART. 896, P.9º

A) Violação à Constituição

B) Violação à Súmula Vinculante


C) Violação à Súmula do TST

 S. 442, TST – não cabe RR quando violar OJ

Se o procedimento for na EXECUÇÃO

A) Violação à Constituição

B) Exceção: Caso se trate de Execução Fiscal ou envolver Certidão Negativa de


Débitos Trabalhistas – caberá RR em todas as hipóteses: violação à lei, à
Constituição e por divergência jurisprudencial – art. 896, p.2º, CLT

Procedimento ordinário:

A) Divergência jurisprudencial – a acórdão de outro TRT, ou da SDI, ou à Súmula


Vinculante, à Súmula do TST ou à OJ

B) Violação à Constituição Federal ou à Lei Federal

Prequestionamento: matéria prequestionada é matéria tratada no acórdão


impugnado. Apenas fazer ED para prequestionar quando expressamente disser que “a
matéria não está prequestionada”.

Transcendência:

a) Econômica – elevado valor da causa

b) Política – quando houver violação à Súmula do TST ou do STF

c) Social – apenas no caso de ser RECLAMANTE

d) Jurídica – questão nova em relação á interpretação da legislação trabalhista

No caso de oposição de embargos declaratórios para prequestionar, e não houve


prequestionamento da matéria, deve-se fazer preliminar de Negativa de Prestação
Jurisdicional com transcrição do trecho dos EDs em que foi pedido o pronunciamento
do Tribunal, e o trecho da decisão do TRT que rejeitou os EDs quanto ao pedido.

Sendo julgado Recurso de Revista pelo rito do RR repetitivo, o julgador não será a
turma, mas sim a SDI. Contudo, ela pode decidir que será o Pleno que irá julgar. De
qualquer forma, a decisão do RR repetitivo é tese firmada com precedente
obrigatório a ser observado por todos os tribunais (art. 927, CPC).

FOLHA DE ROSTO – direcionado o recurso ao Presidente do Tribunal, deve-se


demonstrar o preenchimento dos pressupostos de admissibilidade: CUSTAS,
DEPÓSITO, PREQUESTIONAMENTO (súmula 297 do TST) e TRANSCENDÊNCIA.

RAZÕES:

I- PRELIMINARES

II- PREJUDICIAIS DE MÉRITO

III- MÉRITO
O TRT julgou... Segue o trecho da decisão referida que demonstra o
prequestionamento da matéria.

Tal decisão caracteriza (i) violação à CF/LF ou (ii) divergência jurisprudencial.

O dispositivo estabelece o seguinte:

Apesar de o artigo prever x, o juízo a quo posicionou-se de forma contrária,


estabelecendo que...

Fundamentar o pedido de reforma

Diante do exposto, requer a reforma da decisão a fim de que...

AULA 14

RESUMO: Sempre verificar as 4 possibilidades de interposição do RR para cada pedido


“é questão de direito? Encaixa-se em uma das hipóteses de cabimento? Foi
prequestionada? Há transcendência?”

Sempre há transcendência quando houver violação à Súmula!

Embargos ao TST

Em face de decisão de TST – podem ser infringentes ou divergentes

Infringentes: acórdão do TST em dissídio coletivo (Sentença Normativa)  deve ser


decisão NÃO UNÂNIME. Caberá Embargos ao TST à Seção de Dissídios Coletivos (art.
894, CLT)

Divergência: dirigidos à SDI, em face decisão de Turma do TST, quando houver (i)
questão de direito (ii) prequestionamento (iii) hipóteses específicas de cabimento:

 Decisão de Turma contrariar acórdão de outra turma

 Decisão de Turma contrariar acórdão da SDI

 Decisão de Turma contrariar Súmula Vinculante

 Decisão de Turma contrariar Súmula do TST

 Decisão de Turma contrariar OJ

Deve ser divergência ATUAL, não superada por Súmula ou OJ, e que não contrarie
Súmula ou OJ.

FOLHA DE ROSTO: dirigidos à x Turma do Colendo Tribunal Superior do Trabalho.


INTERPOSIÇÃO de embargos ao TST.

Pressupostos: depósito recursal, custas processuais e prequestionamento.

RAZÕES: dirigidos à Colenda Seção de Dissídios Individuais do Tribunal Superior do


Trabalho.
“RAZÕES DOS EMBARGOS AO TST POR DIVERGÊNCIA” OU “RAZÕES DOS EMBARGOS
INFRINGENTES AO TST”

A Colenda Turma do TST julgou... Observa-se pelo trecho a seguir do acórdão


recorrido que a matéria está prequestionada...

Tal decisão caracteriza divergência jurisprudencial. Observe: ...

Apesar de os acórdãos paradigmas estabelecerem que ..., o acórdão posicionou-se de


forma contrária, estabelecendo que ...

Demonstrar melhor posicionamento: “Não se pode admitir decisão contrária à


entendimento sumulado do TST”

Diante do exposto, requer a reforma da decisão para...

AULA 15

Agravo de instrumento – serve para destrancar recursos

Pressupostos: depósito recursal (50% do valor do depósito do recurso que se pretende


destrancar), instruir com cópias do processo (exceto quando for PJe ou o recurso é
para o TST) não autenticadas conforme art. 830.

Folha de razões: “MINUTA do Agravo de Instrumento”

Pede-se o conhecimento e provimento do Agravo, determinando recebimento e


processamento do recurso trancado.

Agravo Interno – art. 1021, CPC

Cabível para destrancar recurso quando a análise dos pressupostos de admissibilidade


no Tribunal concluir pelo não recebimento. Pede-se a retratação e posterior
procedência do recurso, com abertura de prazo para contrarrazões.

Folha de razões: “MINUTA do Agravo Interno”

Embargos de Declaração

Serve também para resolver equívoco na análise dos pressupostos de admissibilidade


extrínsecos do recurso.

Recurso Adesivo – Súmula 283 TST + 997, p.2º

Contrarrazões – art. 900 da CLT – lembrando que reclamante só recolhe custas


quando a sentença for de total improcedência. As contrarrazões não tem
pressupostos de admissibilidade a serem destacados. Todos estarão preenchidos.

AULA 16

Ação Rescisória – art. 836, CLT

Em regra, é cabível quando a sentença/acórdão analisar o mérito da decisão.


Contudo, também será cabível no caso de decisão que não é de mérito quando:
Impede-se nova propositura de ação (art. 486, p.1º) – legitimidade, coisa julgada,
litispendência, falta de interesse processual, perempção; ou impede a
admissibilidade de recurso.

Prazo decadencial de 2 anos para proposição da ação.

Competência:

Para desconstituir sentença – TRT

Para desconstituir acórdão do TRT – TRT

Para desconstituir acórdão do TST - TST

Possível pedido de tutela provisória na ação rescisória.

Pedido na Ação Rescisória: rescisão do julgado. Pode-se pedir também novo


julgamento.

Requisitos específicos: legitimidade, prazo decadencial de 2 anos, depósito prévio de


20% do valor da causa.

Há pedido de honorários (S. 219, TST e art. 791-A da CLT).

Requerimentos finais: citação da Reclamada para apresentar contestação em prazo a


ser definido (art. 970), sob pena de revelia; produção de provas; procedência da
ação e novo julgamento do Tribunal (facultativo)

Mandado de Segurança

Direito líquido e certo atacado por autoridade. Independe de mais provas dos que as
trazidas na petição inicial.

Competência – depende da autoridade coatora:

Auditor Fiscal do Trabalho ou Superintendente Regional do Trabalho – JUIZ

Juiz – TRT

TRT – TRT

TST – TST

Pedido: concessão de segurança

Requerimentos finais:

 concessão da segurança quanto ao pedido liminar;

 notificação da autoridade coatora para que preste informações;

 intimação da ré para integrar a lide no polo passivo;

 abrir vista ao MP para manifestação no feito em 10 dias;


 intimação do Advogado-Geral da União (órgão de representação da pessoa
jurídica interessada);

 salientar que as provas pré-constituídas estão anexas;

 concessão da segurança em caráter definitivo, confirmando-se os termos


da liminar

Atribuir valor à causa.

Ações Possessórias

Reintegração – esbulho

Manutenção da posse – turbação

Interdito proibitório – ameaça de esbulho/turbação – pedido de mandato


proibitório, sob pena de aplicação de pena

 Pedido liminar! + competência da JT + requisitos específicos do art. 561,


CPC

 Em face dos posseiros + do Sindicato na pessoa do Presidente

Ação Monitória

Prova escrita que não é um título executivo. A defesa é embargos monitórios.

Pode ser: termo de confissão e dívida, termo de rescisão do contrato de trabalho


assinado pelo empregador sem pagamento, acordo extrajudicial

Pedidos: Expedição de mandado monitório para pagamento e posterior extinção do


processo com resolução do mérito ou apresentação de embargos monitórios em
audiência sob pena de revelia e constituição da prova escrita em título judicial,
produção de provas, condenação ao pagamento de custas e honorários.

Atribuir valor da causa

Ação de cumprimento

Para cláusula de ACT, CCT ou Sentença normativa que estão sendo descumpridos pelo
empregador. Da sentença normativa, cabe RO, mas ele, em regra, só tem efeito
devolutivo, então pode-se entrar com a ação de cumprimento concomitantemente
com o RO.

Homologação de acordo extrajudicial – transita em julgado na data da homologação

 Incluir pagamento dos honorários

 Previsão de multa

Pedido de homologação e extinção com resolução de mérito

Atribuir valor à causa

Você também pode gostar