Você está na página 1de 21

LISTA 1

___________________________________________________________________________________
Mecânica Geral 2
Fábio Lacerda da Cunha
R.A.: 1279092
___________________________________________________________________________________
11.33 Uma motorista entra em uma autoestrada a 45km/h e acelera uniformemente até 99km/h.
Pelo hodômetro do carro, o motorista sabe que percorreu 0,2km enquanto acelerava. Determine
(a) a aceleração do carro, (b) o tempo necessário para chegar a 99 km/h.
𝑣0 = 45 𝑘𝑚/ℎ = 12,5𝑚/𝑠

𝑣𝑓 = 99 𝑘𝑚/ℎ = 27,5𝑚/𝑠

∆𝑥 = 0,2𝑘𝑚 = 200𝑚

a)
𝑣𝑓2 − 𝑣02 (27,5)2 − (12,5)2
𝑣𝑓2 = 𝑣02 + 2. 𝑎. ∆𝑥 → 𝑎 = = → 𝑎 = 1,5𝑚/𝑠 2
2. ∆𝑥 (2). (200)
b)
𝑣𝑓 − 𝑣0 (27,5) − (12,5)
𝑣𝑓 = 𝑣0 + 𝑎. 𝑡 → 𝑡 = = → 𝑡 = 10𝑠
𝑎 (1,5)

___________________________________________________________________________________
11.34 Um caminhão percorre 220m em 10s enquanto está sendo desacelerado a uma taxa
constante de 0,6m/s2. Determine (a) sua velocidade inicial, (b) sua velocidade final, (c) a distância
percorrida durante os primeiros 1,5s.
a)
1
𝑥 = 𝑥0 + 𝑣0 . 𝑡 − . 𝑎. 𝑡 2
2
1
𝑥 − 𝑥0 + 2 . 𝑎. 𝑡 2
𝑣0 =
𝑡
1
(220) − (0) + . (0,6). (10)2
𝑣0 = 2
(10)

𝑣0 = 25𝑚/𝑠
b)
𝑣𝑓 = 𝑣0 + 𝑎. 𝑡 = (25) − [(0,6). (10)]
𝑣𝑓 = 19𝑚/𝑠
c)
1 1
𝑥 = 𝑥0 + 𝑣0 . 𝑡 − . 𝑎. 𝑡 2 = (0) + (25). (1,5) − ( ) . (0,6). (1,5)2
2 2
𝑥 = 36,825𝑚
___________________________________________________________________________________
11.35 Considerando uma aceleração uniforme de 3m/s2 e sabendo que a velocidade escalar de
um carro que passa por A é 50km/h, determine (a) o tempo necessário para que o carro alcance
B, (b) a velocidade do carro ao passar por B.
𝑣0 = 50𝑘𝑚/ℎ = 13,89𝑚/𝑠

𝑎 = 3,6𝑚/𝑠 2

∆𝑥 = 50𝑚

a)
1
∆𝑥 = 𝑣0 . 𝑡 + . 𝑎. 𝑡 2 → (50) = (13,89)𝑡 + (1,5)𝑡 2
2
(1,5)𝑡 2 + 13,89𝑡 − 50 = 0 → 𝑡 ′ = 2,77𝑠 𝑒 𝑡" = −12𝑠
𝑡 = 2,77𝑠
b)
𝑣𝑓2 = 𝑣02 + 2. 𝑎. ∆𝑥 = (13,89)2 + (2). (3,6). (50) → 𝑣𝑓 = √552,9321
𝑣𝑓 = 23,51𝑚/𝑠
___________________________________________________________________________________
11.36 Um grupo dc estudantes lança um modelo de foguete na direção vertical. Baseando-se em
dados registrados, eles determinam que a altitude do foguete foi de 89,6m ao final da porção
propulsada do voo e que o foguete aterrissou 16s depois. Sabendo que o paraquedas de descida
não se abriu e que o foguete caiu livremente até o chão depois de atingir sua altitude máxima, e
considerando que g = 9,81m/s2, determine (a) a velocidade v1 do foguete ao final do voo
propulsado, (b) a altitude máxima atingida pelo foguete.
a)
𝑦 = 𝑦1 + 𝑣1 . 𝑡 + (1/2). 𝑎. 𝑡 2
𝑦 − 𝑦1 − (1/2). 𝑎. 𝑡 2
𝑣1 =
𝑡
(0) − (89,6) − (1/2). (−9,81). (16)2
𝑣1 =
(16)

𝑣1 = 72,88𝑚/𝑠

b) 𝑣 = 0 𝑒 𝑦 = 𝑦𝑚𝑎𝑥
𝑣 2 = 𝑣12 + 2. 𝑎. (𝑦 − 𝑦1 )
0 = (72,88)2 + (2). (−9,81). [(𝑦𝑚𝑎𝑥 ) − (89,6)]
(1.757,952) + (5.311,4944)
𝑦𝑚𝑎𝑥 =
(19,62)
𝑦𝑚𝑎𝑥 = 360𝑚
___________________________________________________________________________________
11.37 Um corredor em uma corrida de 100m acelera uniformemente nos primeiros 35m e então
corre com velocidade constante. Se o tempo do corredor nos primeiros 35m é de 5,4s, determine
(a) sua aceleração, (b) sua velocidade final e (c) seu tempo para a corrida.
0 ≤ 𝑥 ≤ 35𝑚, 𝑎 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒
35𝑚 ≤ 𝑥 ≤ 100𝑚, 𝑣 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒
Em t=0, v=0.
Quando x=35m, t=5,4s

a)
1
𝑥 = 𝑥0 + 𝑣0 𝑡 + 2 . 𝑎. 𝑡 2 para 0 ≤ 𝑥 ≤ 35𝑚
1
(35) = (0) + (0). (5,4) + . 𝑎. (5,4)2
2
𝑎 = 2,40𝑚/𝑠 2
b)
𝑣 = 𝑣𝑚𝑎𝑥 para 35𝑚 ≤ 𝑥 ≤ 100𝑚
𝑣 2 = 𝑣02 + 2𝑎(𝑥 − 𝑥0 ) → 𝑣𝑚𝑎𝑥
2
= (0) + 2𝑎(𝑥 − 0) para 0 ≤ 𝑥 ≤ 35𝑚
2
𝑣𝑚𝑎𝑥 = 2. (2,4). (35) → 𝑣𝑚𝑎𝑥 = √168
𝑣𝑚𝑎𝑥 = 12,96𝑚/𝑠
c)
𝑥 = 𝑥0 + 𝑣0 . (𝑡 − 𝑡1 ) para 35𝑚 ≤ 𝑥 ≤ 100𝑚
(100) − (35) + (69,984)
(100) = (35) + (12,96). [𝑡2 − (5,4)] → 𝑡2 =
(12,96)
𝑡2 = 10,42𝑠
___________________________________________________________________________________
11.41 Dois automóveis A e B viajam no mesmo sentido em pistas adjacentes e, em t = 0, têm
suas posições e velocidades escalares mostradas na figura. Sabendo que o automóvel A tem
uma aceleração constante de 0,5m/s2 e que B tem uma desaceleração de 0,3m/s2, determine (a)
quando e onde A vai ultrapassar B, (b) a velocidade de cada automóvel naquele instante.

𝑎𝐴 = 0,5𝑚/𝑠 2 e 𝑎𝐵 = −0,3𝑚/𝑠 2
𝑣0,𝐴 = 36𝑘𝑚/ℎ = 10𝑚/𝑠
𝑣0,𝐵 = 54𝑘𝑚/ℎ = 15𝑚/𝑠
t = t1, estarão juntos.

Veículo A:
𝑣𝐴 = 𝑣0,𝐴 + 𝑎𝐴 . 𝑡
𝑣𝐴 = 10 + 0,5𝑡 Equação 1
𝑥𝐴 = 𝑥0,𝐴 + 𝑣0,𝐴 . 𝑡 + (1/2). 𝑎𝐴 . 𝑡 2 → 𝑥𝐴 = (0) + (10)𝑡 + (1/2). (0,5)𝑡 2
𝑥𝐴 = 10𝑡 + 0,25𝑡 2 Equação 2
Veículo B:
𝑣𝐵 = 𝑣0,𝐵 + 𝑎𝐵 . 𝑡
𝑣𝐵 = 15 − 0,3𝑡 Equação 3
𝑥𝐵 = 𝑥0,𝐵 + 𝑣0,𝐵 . 𝑡 + (1/2). 𝑎𝐵 . 𝑡 2 → 𝑥𝐵 = (24) + (15)𝑡 + (1/2). (−0,3)𝑡 2
𝑥𝐵 = 24 + 15𝑡 − 0,15𝑡 2 Equação 4
a) Eq.’s 2 = 4:
10𝑡 + 0,25𝑡 2 = 24 + 15𝑡 − 0,15𝑡 2 → 0,4𝑡 2 − 5𝑡 − 24 = 0
𝑡 ′ = 16,203 e 𝑡" = −3,70
Eq. 2:
𝑥𝐴 = (10). (16,203) + 0,25(16,203)2 → 𝑥𝐴 = 227,6643
𝑡 = 16,2𝑠 e 𝑥𝐴 = 227,66𝑚
b) 𝑡 = 16,203𝑠
Eq. 1:
𝑣𝐴 = (10) + (0,5). (16,203) = 18,1015
Eq. 3:
𝑣𝐵 = (15) − (0,3). (16,203) = 10,1391

𝑣𝐴 = 18,10𝑚/𝑠 e 𝑣𝐵 = 10,14𝑚/𝑠
___________________________________________________________________________________
11.42 Em uma corrida de barcos, o barco A está 36 m a frente do barco B e ambos estão viajando
a uma velocidade escalar constante de 168km/h. Em t = 0, os barcos aceleram a taxas
constantes. Sabendo que quando B ultrapassa A, t = 8 s e vA = 216 km/h, determine (a) a
aceleração de A, (b) a aceleração de B.

a)
𝑣𝐴,0 = 168𝑘𝑚/ℎ = 46,67𝑚/𝑠
𝑣𝐴 = 216𝑘𝑚/ℎ = 60𝑚/𝑠
𝑣𝐴 = 𝑣𝐴,0 + 𝑎𝐴 𝑡
𝑣𝐴 − 𝑣𝐴,0
𝑎𝐴 =
𝑡
(60) − (46,67)
𝑎𝐴 =
(8)
𝑎𝐴 = 1,67𝑚/𝑠 2
b)
𝑥𝐴 = 𝑥𝐴,0 + 𝑣𝐴,0 . 𝑡 + (1/2). 𝑎𝐴 . 𝑡 2 , sendo que: 𝑥𝐴,0 = 36𝑚
𝑥𝐵 = 𝑥𝐵,0 + 𝑣𝐵,0 . 𝑡 + (1/2). 𝑎𝐵 . 𝑡 2 , sendo que: 𝑥𝐴,0 = 0 e 𝑣𝐵,0 = 46,67𝑚/𝑠
Quando t=8s:
𝑥𝐴 = 𝑥𝐵
𝑥𝐴,0 + 𝑣𝐴,0 . 𝑡 + (0,5). 𝑎𝐴 . 𝑡 2 = 𝑥𝐵,0 + 𝑣𝐵,0 . 𝑡 + (0,5). 𝑎𝐵 . 𝑡 2
𝑥𝐴,0 + 𝑣𝐴,0 . 𝑡 + (0,5). 𝑎𝐴 . 𝑡 2 − 𝑥𝐵,0 + 𝑣𝐵,0 . 𝑡
𝑎𝐵 =
0,5. 𝑡 2
(36) + (46,67). (8) + (0,5). (1,6667). (8)2 − (0) − (46,67). (8)
𝑎𝐵 = = 2,7917
0,5. (8)2
𝑎𝐵 = 2,79𝑚/𝑠 2
___________________________________________________________________________________
11.47 O bloco deslizante A move para a esquerda com a velocidade constante de 6m/s.
Determine (a) a velocidade do bloco B, (b) a velocidade da porção D do cabo, (c) a velocidade
relativa da porção C do cabo em relação a porção D.

a)
𝑥𝐴 + 3𝑦𝐵 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒
𝑣𝐴 + 3𝑣𝐵 = 0 Eq. 1
𝑎𝐴 + 3𝑎𝐵 = 0 Eq. 2
(6) + 3𝑣𝐵 = 0 → 𝑣𝐵 = 2𝑚/𝑠 ↑
b)
𝑦𝐵 + 𝑦𝐷 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒
𝑣𝐵 + 𝑣𝐷 = 0 → 𝑣𝐵 = −𝑣𝐷
𝑣𝐷 = 2𝑚/𝑠 ↓

c)
𝑥𝐴 + 𝑦𝐶 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒
𝑣𝐴 + 𝑣𝐶 = 0 → 𝑣𝐴 = −𝑣𝐶 → 𝑣𝐶 = −6𝑚/𝑠
𝑣𝐶/𝐷 = 𝑣𝐶 − 𝑣𝐷 = (−6) − (2) = −8𝑚/𝑠
𝑣𝐶/𝐷 = −8𝑚/𝑠 ↑
___________________________________________________________________________________
11.48 O bloco B parte do repouso e se movimenta com uma aceleração constante. Sabendo que
depois do bloco deslizante A ter se deslocado 400mm, sua velocidade é 4m/s, determine (a) a
aceleração de A e B, (b) a velocidade e a variação de posição de B após 2s.

𝑥𝐴 + 3𝑦𝐵 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒
𝑣𝐴 + 3𝑣𝐵 = 0 Eq. 1
𝑎𝐴 + 3𝑎𝐵 = 0 Eq. 2
a) Eq. 2: 𝑎𝐴 + 3𝑎𝐵 = 0, sendo aB é
constante e positivo e aA é constante
e negativo. E ainda, vB,0 = 0 e vA,0 = 0.
Então:
𝑣𝐴2 = (0) + 2. 𝑎𝐴 . (𝑥𝐴 − 𝑥𝐴,0 )
𝑣𝐴2 (4)2
𝑎𝐴 = =
2∆𝑥𝐴 (2). (0,4)
𝑎𝐴 = 20𝑚/𝑠 2 →
Substituindo o valor de aA na equação temos que:
𝑎𝐵 = 6,67𝑚/𝑠 2 ↓
b)
20
𝑣𝐵 = (0) + 𝑎𝐵 . 𝑡 = ( ) . (2)
3
𝑣𝐵 = 13,33𝑚/𝑠 ↓
1 1
𝑦𝐵 = 𝑦𝐵,0 + (0) + ( ) . 𝑎𝐵 . 𝑡 2 → 𝑦𝐵 − 𝑦𝐵,0 = ( ) . (6,67). (2)2
2 2
𝑦𝐵 − 𝑦𝐵,0 = 13,34𝑚 ↓
___________________________________________________________________________________
11.49 O elevador mostrado na figura se movimenta para baixo com velocidade constante de
4,5m/s. Determine (a) a velocidade do cabo C, (b) a velocidade do contrapeso W, (c) a velocidade
relativa do cabo C em relação ao elevador, (d) a velocidade relativa do contrapeso W em relação
ao elevador.

a)
𝑦𝐶 + 2𝑦𝐸 = 𝑐𝑡𝑒
𝑣𝐶 + 2𝑣𝐸 = 0
𝑣𝐸 = 4,5𝑚/𝑠
𝑣𝐶 = −2𝑣𝐸 = (−2). (4,5) = −9
𝑣𝐶 = 9𝑚/𝑠 ↑

b)
𝑦𝑊 + 𝑦𝐸 = 𝑐𝑡𝑒
𝑣𝑊 + 𝑣𝐸 = 0 → 𝑣𝑊 = −𝑣𝐸 = −4,5
𝑣𝑊 = 4,5 ↑
c)
𝑣𝐶/𝐸 = 𝑣𝐶 − 𝑣𝐸 = (−9) − (4,5) = −13,5
𝑣𝐶/𝐸 = 13,5𝑚/𝑠 ↑
d)
𝑣𝑊/𝐸 = 𝑣𝑊 − 𝑣𝐸 = (−4,5) − (4,5) = −9
𝑣𝑊/𝐸 = 9𝑚/𝑠 ↑
___________________________________________________________________________________
11.55 O bloco B se movimenta para baixo com velocidade constante de 20mm/s. Em t = 0, o
bloco A é movimentado para cima com aceleração constante e sua velocidade é 30mm/s.
Sabendo que em t = 3s o bloco deslizante C teria se movimentado 57mm para a direita, determine
(a) a velocidade do bloco deslizante C em t = 0, (b) as acelerações de A e C, (c) a variação da
posição do bloco A após 5s.
3𝑦𝐴 + 4𝑦𝐵 + 𝑥𝐶 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒
3𝑣𝐴 + 4𝑣𝐵 + 𝑣𝐶 = 0 Eq. 1
3𝑎𝐴 + 4𝑎𝐵 + 𝑎𝐶 = 0 Eq. 2
𝑣𝐵 = 20𝑚𝑚/𝑠 ↓
𝑣𝐴,0 = 30𝑚𝑚/𝑠 ↑

a) Eq. 1 em t=0:
𝑣𝐶,0 = −3𝑣𝐴,0 − 4𝑣𝐵 = (−3). (−30) − (4). (20) = 10
𝑣𝐶,0 = 10𝑚𝑚/𝑠 →
b)
1 𝑥𝐶 − 𝑥𝐶,0 − 𝑣𝐶,0 . 𝑡 (57) − (0) − (10). (3)
𝑥𝐶 = 𝑥𝐶,0 + 𝑣𝐶,0 . 𝑡 + . 𝑎𝐶 . 𝑡 2 → 𝑎𝐶 = =
2 (0,5). 𝑡 2 (0,5). (3)2
𝑎𝐶 = 6𝑚𝑚/𝑠 →
𝑣𝐵 = 𝑐𝑡𝑒 → 𝑎𝐵 = 0
Substituindo na Eq. 2:
−4𝑎𝐵 − 𝑎𝐶 (−4). (0) − (6)
𝑎𝐴 = = = −2𝑚𝑚/𝑠
3 (3)
𝑎𝐴 = 2𝑚𝑚/𝑠 ↑
c)
1 1
𝑦𝐴 = 𝑦𝐴,0 + 𝑣𝐴,0 . 𝑡 + . 𝑎𝐴 . 𝑡 2 → 𝑦𝐴 − 𝑦𝐴,0 = (−30). (5) + . (−2). (5)2 = −175
2 2
∆𝑦𝐴 = 175𝑚𝑚 ↑
___________________________________________________________________________________
11.73 Um elevador parte do repouso e sobe acelerando a uma taxa de 1,2m/s 2 até atingir a
velocidade escalar de 7,8m/s, que é então mantida. Dois segundos depois do elevador ter
começado a subir, um homem parado 12m acima da posição inicial do topo do elevador joga
uma bola para cima com uma velocidade inicial de 20m/s. Determine quando a bola vai atingir o
elevador.

Em t=0:
vE=0; → 0 ≤ 𝑣𝐸 < 7,8𝑚/𝑠
𝑎𝐸 = 1,2/𝑠 2 ↑; → 𝑣𝐸 = 7,8𝑚/𝑠; 𝑎 = 0
Em t=2s:
𝑣𝐵 = 20𝑚/𝑠 ↑
g = -9,81m/s2

𝑣𝐸 − 𝑣𝐸,0 (7,8) − (0)


𝑣𝐸 = 𝑣𝐸,0 + 𝑎𝐸 𝑡 → 𝑡 = = → 𝑡1 = 6,5𝑠
𝑎𝐸 (1,2)
t1 é o tempo em vE atinge a velocidade de 7,8m/s.
𝑣𝐵 − 𝑣𝐵,0 (0) − (20)
𝑣𝐵 = 𝑣𝐵,0 + 𝑔. (𝑡 − 2) → 𝑡𝑡𝑜𝑝𝑜 = =[ ] + (2) = 4,0387
𝑔 (−9,81)
𝑡𝑡𝑜𝑝𝑜 = 4,04𝑠
ttopo é o tempo em que a bola atinge o ponto máximo (o topo) de sua trajetória.
0 ≤ 𝑡 ≤ 𝑡1 :
𝑦𝐸 = 𝑦𝐸,0 + (1/2). 𝑎𝐸 . 𝑡 2 → 𝑦𝐸 = (−12) + (0,5). (1,2). (4,0387)2
𝑦𝐸 = −2,2133𝑚
𝑡 = 𝑡𝑡𝑜𝑝𝑜 :
1
𝑦𝐵 = ( ) . (4,0387 − 2). (20)
2
𝑦𝐵 = 20,387𝑚
𝑡 = {(2) + (2)[(4,0387) − (2)]} → 𝑡 = 6,0774𝑠; 𝑦𝐵 = 0.
Em t=t1:
𝑦𝐸 = (−12) + (0,5). (6,5). (7,8) → 𝑦𝐸 = 13,35𝑚
A bola bate no elevador (𝑦𝐵 = 𝑦𝐸 ) quando: 𝑡𝑡𝑜𝑝𝑜 < 𝑡 < 𝑡1 .
Para 𝑡 ≥ 𝑡𝑡𝑜𝑝𝑜 :
𝑦𝐵 = (20,387) − (0,5). 𝑔. (𝑡 − 𝑡𝑡𝑜𝑝𝑜 )2
Então, quando yB=yE:
2
(20,387) − (0,5). 𝑔. (𝑡 − 𝑡𝑡𝑜𝑝𝑜 ) = (−12) + (0,5). (1,2). 𝑡 2
(20,387) − (0,5). (9,81). [𝑡 − (4,0387)]2 = (−12) + (0,5). (1,2). 𝑡 2
5,505𝑡 2 − 39,6196𝑡 + 47,619 = 0
𝑡 ′ = 5,6718𝑠 e 𝑡"1,52511𝑠
Logo, escolhendo o menor valor:
𝑡 = 1,525𝑠
___________________________________________________________________________________
11.97 Um aeroplano usado para jogar água sobre um incêndio florestal está voando
horizontalmente em linha reta a 315km/h a uma altitude de 80m. Determine a distância d na qual
o piloto deverá liberar a água tal que ela atinja o fogo em B.

𝑣0 = 315𝑘𝑚/ℎ = 87,5𝑚/𝑠
Movimento Vertical:
𝑔𝑡 2
𝑦 = 𝑦0 + 𝑣𝑦,0 . 𝑡 −
2
𝑔𝑡 2
= 𝑦 − 𝑦0 − 𝑣𝑦,0 . 𝑡
2
(9,81)𝑡 2
− = (−80) − (0) − (0). 𝑡
2
(160)
𝑡2 = → 𝑡 = √16,30988787 = 4,03855 → 𝑡 = 4,04𝑠
(9,81)
Movimento horizontal:
𝑥 = 𝑥0 + 𝑣𝑥,0 . 𝑡
𝑑 = (0) + (87,5). (4,03855) = 353,3731441
𝑑 = 353,4𝑚
___________________________________________________________________________________
11.100 Uma máquina que lança bolas de beisebol a uma velocidade horizontal v 0. Sabendo que
a altura h varia entre 0,8m e 1m, determine (a) o intervalo de valores de v0, (b) os valores de 𝛼
correspondentes a h = 0,8m e h = 1m.

a) Movimento Vertical:
𝑔𝑡 2 (9,81). 𝑡 2
𝑦 = 𝑦0 + 𝑣𝑦,0 . 𝑡 − → 𝑦 = (0) + (0). 𝑡 − → 𝑦 = −(4,905). 𝑡 2
2 2
Movimento Horizontal:
𝑥 = 𝑥0 + 𝑣. 𝑡 → 𝑥 = (0) + 𝑣𝑥,0 . 𝑡 → 𝑥 = 𝑣0 . 𝑡
Quando h=0,8m, y=
___________________________________________________________________________________
11.105 A areia é descarregada em A pela correia transportadora e cai no topo de uma pilha em
B. Sabendo que a correia transportadora forma um ângulo de 20° com a horizontal, determine a
velocidade v0 da correia.

𝑣𝑥,0 = 𝑣0 𝑐𝑜𝑠20𝑜 → 𝑣𝑥,0 = 0,9397𝑣0


𝑣𝑦,0 = 𝑣0 𝑠𝑒𝑛20𝑜 → 𝑣𝑥,0 = 0,3420𝑣0
Movimento Horizontal:
𝑥 = 𝑥0 + 𝑣. 𝑡 = (0) + 0,9397𝑣0 . 𝑡
Em B:
𝑥 (9) 9,5776𝑠
𝑡 = 0,9397𝑣 = (0,9397).𝑣 → 𝑡 = equação 1
0 0 𝑣0
Movimento Vertical:
𝑔𝑡 2
𝑦 = 𝑦0 + 𝑣𝑦,0 . 𝑡 −
2
Em B:
(9,81). 𝑡 2
(−5,4) = (0) + 0,3420𝑣0 . 𝑡 −
(2)
Usando a equação 1, temos que:
9,5776 2
(9,81). (
9,5776 𝑣0 ) (449,93772)
(−5,4) = (0,3420)𝑣0 . ( )− → (−5,4) = (3,27554) −
𝑣0 (2) 𝑣02
(449,93772)
𝑣02 = = 211,789217 → 𝑣0 = √211,789217
(2,12446)
𝑣0 = 14,55𝑚/𝑠
___________________________________________________________________________________
11.136 Determine a velocidade escalar máxima que os carros da montanha-russa podem atingir
ao longo da seção circular AB da pista se o componente normal de sua aceleração não pode
exceder 3g.

𝑣2
𝑎𝑛 = → 𝑣 2 = 𝑎𝑛 . 𝜌
𝜌
(𝑣𝑚𝑎𝑥 )2𝐴𝐵 = 3𝑔. 𝜌 = (3). (9,81). (24) = 706,32
(𝑣𝑚𝑎𝑥 )𝐴𝐵 = √706,32 = 26,57668
(𝑣𝑚𝑎𝑥 )𝐴𝐵 = 26,57𝑚/𝑠

___________________________________________________________________________________
11.141 Um motorista que dirige ao longo de um trecho de reta de uma rodovia diminui a
velocidade de seu automóvel para uma taxa constante antes de sair da rodovia em direção a
uma rampa de saída circular com um raio de 168m. Ele continua a desaceleração com a mesma
taxa constante de tal forma que, 10s após ter entrado na rampa, sua velocidade escalar diminuiu
para 32km/h, uma velocidade escalar que ele, então, mantém. Sabendo que a essa velocidade
constante a aceleração total do carro é igual a um quarto de seu valor antes de entrar na rampa,
determine o valor máximo da aceleração total do carro.

𝑣(10) = 32𝑘𝑚/ℎ = 8,89𝑚/𝑠

𝑎 = √𝑎𝑡2 + 𝑎𝑛2

𝑣2
𝑎𝑛 =
𝜌

𝑣 = 𝑣0 + 𝑎𝑡 . 𝑡 Eq. 1
Em t=10s:
2
𝑣10 1
𝑣 = 𝑐𝑡𝑒 → 𝑎 = 𝑎𝑛 = ; 𝑎 = 4 𝑎𝑡
𝜌
2 2 (4). (8,89)2
1 𝑣10 4𝑣10
𝑎𝑡 = → 𝑎𝑡 = = 1,881246
4 𝜌 𝜌 (168)
𝑎𝑡 = −1,88𝑚/𝑠 2 (desaceleração)
Usando esse valor da desaceleração na equação 1 (t=10s), temos:
𝑣 = 𝑣0 + 𝑎𝑡 . 𝑡 → 𝑣10 = 𝑣0 + 𝑎𝑡 . 𝑡 → 𝑣0 = 𝑣10 − 𝑎𝑡 . 𝑡 = (8,89) − [(−1,88). (10)] = 27,7013489
𝑣0 = 27,7𝑚/𝑠
Em t=0:
2 2
𝑣02 (27,7)2
𝑎𝑚𝑎𝑥 √ 2
= 𝑎𝑡 + ( ) = √(−1,88)2 + [ ] = 4,939
𝜌 (168)

𝑎𝑚𝑎𝑥 = 4,94𝑚/𝑠 2
___________________________________________________________________________________
11.143 Um jogador de golfe lança uma bola a partir do ponto A com uma velocidade inicial de
50m/s e um ângulo de 25° com a horizontal. Determine o raio de curvatura da trajetória descrita
pela bola (a) no ponto A, (b) no ponto mais alto da trajetória.

a)
𝑣𝐴2 𝑣𝐴2
(𝑎𝐴 )𝑛 = → 𝜌𝐴 =
𝜌𝐴 (𝑎𝐴 )𝑛
(50)2
𝜌𝐴 =
(9,81). 𝑐𝑜𝑠25𝑜

𝜌𝐴 = 281,19𝑚
b)
𝑣2 𝑣2
(𝑎𝐵 )𝑛 = 𝜌𝐵 → 𝜌𝐵 = (𝑎 𝐵) , mas: 𝑣𝐵 = (𝑣𝐴 )𝑥 = 𝑣𝐴 . 𝑐𝑜𝑠25𝑜
𝐵 𝐵 𝑛

𝑣𝐴 . 𝑐𝑜𝑠25𝑜 [(50). 𝑐𝑜𝑠25𝑜 ]2


𝜌𝐵 = =
(𝑎𝐵 )𝑛 (9,81)
𝜌𝐵 = 209,33𝑚
___________________________________________________________________________________
11.163 A rotação da haste OA em torno de O é definida pela relação 𝜃 = 𝜋(4𝑡 2 − 8𝑡), onde 𝜃 e
t são expressos em radianos e segundos, respectivamente. O cursor B desliza ao longo da haste
de tal modo que sua distância do ponto O é 𝑟 = 10 + 6 𝑠𝑒𝑛 𝜋. 𝑡, onde r e t são expressos em
metros e segundos, respectivamente. Quando t = 1s, determine (a) a velocidade do cursor, (b) a
aceleração total do cursor, (c) a aceleração do cursor em relação a haste.
𝑟 = 10 + 6 𝑠𝑒𝑛 𝜋 𝑡
𝑟̇ = 6 𝜋 cos 𝜋 𝑡
𝑟̈ = −6 𝜋 2 𝑠𝑒𝑛 𝜋 𝑡
𝜃 = 𝜋 (4𝑡 2 − 8𝑡)
𝜃̇ = 𝜃𝜋 (𝑡 − 1)
𝜃̈ = 𝜃𝜋

Para t=1s:
𝑟 = 10𝑚 𝜃 = −4 𝜋 𝑟𝑎𝑑
𝑟̇ = −6 𝜋 𝑚/𝑠 𝜃̇ = 0
𝑟̈ = 0 𝜃̈ = 8𝜋 𝑟𝑎𝑑/𝑠 2
a)
𝑣𝐵 = 𝑟̇ 𝑒𝑟 + 𝑟𝜃̇𝑒𝜃 → 𝑣𝐵 = (−6 𝜋)𝑒𝑟 + 𝑟(0)𝑒𝜃 → 𝑣𝐵 = −(6𝜋 𝑚/𝑠)𝑒𝑟
b)
𝑎𝐵 = (𝑟̈ − 𝑟𝜃 2̇ )𝑒𝑟 + (𝑟𝜃̈ + 2𝑟̇ 𝜃̇)𝑒𝜃 = [(0) − (10). (0)2 ]𝑒𝑟 + [(10). (8 𝜋) + (2). (−6 𝜋). (0)]𝑒𝜃
𝑎𝐵 = (80 𝜋 𝑚/𝑠 2 )𝑒𝜃
c)
𝑎𝐵/𝑂𝐴 = 𝑟̈ → 𝑎𝐵/𝑂𝐴 = 0
___________________________________________________________________________________
11.164 A oscilação da haste OA em torno de O é definida pela relação 𝜃 = (2/𝜋). (𝑠𝑒𝑛 𝜋. 𝑡), onde
𝜃 e t são expressos em radianos e segundos, respectivamente. O cursor B desliza ao longo da
haste de tal forma que sua distância do ponto O é 𝑟 = 25 / (𝑡 + 4), onde r e t são expressos em
milímetros e segundos, respectivamente. Quando t = 1s, determine (a) a velocidade do cursor,
(b) a aceleração total do cursor, (c) a aceleração do cursor em relação à haste.

___________________________________________________________________________________
11.165 A trajetória de uma partícula P é uma elipse definida pelas relações 𝑟 = 2 / (2 − cos 𝜃) e
𝜃 = 𝜋 𝑡, onde r é expresso em metros, t em segundos e 𝜃 em radianos. Determine a velocidade
e a aceleração da partícula quando (a) t = 0, (b) t = 0,5 s.
___________________________________________________________________________________
11.166 O movimento bidimensional de uma partícula é definido pelas relações 𝑟 = 2𝑎 𝑐𝑜𝑠𝜃 e 𝜃 =
𝑏𝑡 2⁄ , onde a e b são constantes. Determine (a) as intensidades da velocidade e a aceleração
2
em qualquer instante, (b) o raio de curvatura da trajetória. O que se pode concluir em relação à
trajetória da partícula?
___________________________________________________________________________________
11.169 Após a decolagem, um helicóptero sobe em linha reta em um ângulo constante de rampa
𝛽. Seu voo é rastreado por um radar localizado no ponto A. Determine a velocidade escalar do
helicóptero em termos de 𝑑, 𝛽, 𝜃 𝑒 𝜃̇.

𝑟 𝑑 tg 𝛽
= 𝑠𝑒𝑛(𝛽−𝜃) ou 𝑑 𝑠𝑒𝑛𝛽 = 𝑟(𝑠𝑒𝑛𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝑐𝑜𝑠𝛽 𝑠𝑒𝑛𝜃) ou 𝑟 = 𝑑 𝑡𝑔𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃−𝑠𝑒𝑛𝜃
𝑠𝑒𝑛(180𝑜 −𝛽)
−(𝑡𝑔𝛽 𝑠𝑒𝑛𝜃−𝑐𝑜𝑠𝜃) (𝑡𝑔𝛽 𝑠𝑒𝑛𝜃+𝑐𝑜𝑠𝜃)
𝑟̇ = 𝑑 𝑡𝑎𝑛𝛽 𝜃̇ = 𝑑 𝜃 𝑡𝑎𝑛𝛽
(𝑡𝑔𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃−𝑠𝑒𝑛𝜃)2 (𝑡𝑔𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃−𝑠𝑒𝑛𝜃)2

𝑣𝑟 = 𝑣 cos(𝛽 − 𝜃), onde: 𝑣𝑟 = 𝑟̇


𝑡𝑔𝛽 𝑠𝑒𝑛𝜃 + 𝑐𝑜𝑠𝜃
𝑑 𝜃̇𝑡𝑎𝑛𝛽 = 𝑣(𝑐𝑜𝑠𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃 + 𝑠𝑒𝑛𝛽 𝑠𝑒𝑛𝜃) = 𝑣 𝑐𝑜𝑠𝛽(𝑡𝑔𝛽 𝑠𝑒𝑛𝜃 + 𝑐𝑜𝑠𝜃)
(𝑡𝑔𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝑠𝑒𝑛𝜃)2
𝑑 𝜃 𝑡𝑔𝛽 ̇ 𝑠𝑒𝑐𝛽
𝑣=
(𝑡𝑔𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝑠𝑒𝑛𝜃)2
𝑣 2 = 𝑣𝑟2 + 𝑣𝜃2 = (𝑟̇ )2 + (𝑟𝜃̇)2
Usando as expressões para 𝑟 e 𝑟̇ :
1/2
𝑡𝑔𝛽 𝑠𝑒𝑛𝜃 + 𝑐𝑜𝑠𝜃 2 𝑑 𝜃̇ 𝑡𝑔𝛽 (𝑡𝑔𝛽 𝑠𝑒𝑛𝜃 + 𝑐𝑜𝑠𝜃)2
𝑣 = [𝑑 𝜃̇ 𝑡𝑔𝛽 ] =± [ + 1]
(𝑡𝑔𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝑠𝑒𝑛𝜃)2 (𝑡𝑔𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝑠𝑒𝑛𝜃) (𝑡𝑔𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝑠𝑒𝑛𝜃)2
1/2
𝑑 𝜃̇ 𝑡𝑔𝛽 𝑡𝑔2 𝛽 + 1
𝑣=± [ ]
(𝑡𝑔𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝑠𝑒𝑛𝜃) (𝑡𝑔𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝑠𝑒𝑛𝜃)2
𝑑 𝜃̇ 𝑡𝑔𝛽 𝑠𝑒𝑐𝛽
𝑣=
(𝑡𝑔𝛽 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝑠𝑒𝑛𝜃)2
12.8 Se a distância de frenagem de um automóvel a 96km/h é de 45m em um piso nivelado,
determine a distância de frenagem desse automóvel a 96km/h quando ele está (a) subindo um
plano inclinado de 5° e (b) descendo um plano com inclinação de 3%. Considere que a força de
frenagem é independente da situação.

𝑣0 = 96𝑘𝑚/ℎ = 26,67𝑚/𝑠, 𝑣𝑓 = 0 e ∆𝑥 = 45𝑚


𝑣𝑓2 − 𝑣02 (0)2 − (26,67)2
𝑣𝑓2 = 𝑣02 + 2. 𝑎. ∆𝑥 → 𝑎 = = → 𝑎 = −7,90𝑚/𝑠 2
2. ∆𝑥 (2). (45)
𝑊 𝑎 (7,9)
𝐹𝑏 = 𝑚. 𝑎 = .𝑎 = .𝑊 = − . 𝑊 → 𝐹𝑏 = 0,805𝑊
𝑔 𝑔 (9,81
a)
𝑊 𝐹𝑏 + 𝑊 𝑠𝑒𝑛5𝑜
↗ ∑ 𝐹𝑏 = 𝑚. 𝑎 → −𝐹𝑏 − 𝑊 𝑠𝑒𝑛5𝑜 = .𝑎 → 𝑎 = − .𝑔
𝑔 𝑊
𝑎 = −(0,805) + 𝑠𝑒𝑛5𝑜 . (9,81) → 𝑎 = −1,66𝑚/𝑠 2
𝑣𝑓2 − 𝑣02 (0)2 − (26,67)2
∆𝑥 = =
2. 𝑎 (2). (−1,66)
∆𝑥 = 214,19𝑚
b)
3
→ 𝛽 = 1,71835𝑜
𝑡𝑔𝛽 =
100
𝑊 (−𝐹𝑏 + 𝑊𝑠𝑒𝑛𝛽). 𝑔 [(−0,805)𝑊 − 𝑊 𝑠𝑒𝑛(1,71835)]. 𝑔
−𝐹𝑏 + 𝑊𝑠𝑒𝑛𝛽 = . 𝑎 → 𝑎 = =
𝑔 𝑊 𝑊
𝑎 = [(−0,805) − 𝑠𝑒𝑛(1,71835)]. (9,81) → 𝑎 = −8,19𝑚/𝑠 2
𝑣𝑓2 − 𝑣02 (0)2 − (26,67)2
∆𝑥 = =
2. 𝑎 (2). (−8,19)
∆𝑥 = 43,41𝑚
___________________________________________________________________________________
12.9 Um pacote de 20kg está em repouso sobre um plano inclinado quando uma força P é
aplicada sobre ele. Determine a intensidade de P no caso de serem necessários 10s para o
pacote percorrer 5m subindo no plano inclinado. Os coeficientes de atrito estático e dinâmico
entre o pacote e o plano inclinado são ambos iguais a 0,30.

𝑥0 = 0, 𝑣0 = 0
𝑎. 𝑡 2
𝑥 = 𝑥0 + 𝑣0 . 𝑡 +
2
Logo:
𝑎. 𝑡 2
𝑥=
2

2𝑥 (2). (5)
𝑎= = → 𝑎 = 0,1𝑚/𝑠 2
𝑡2 (10)2

+↖ ∑ 𝐹𝑦 = 0: 𝑁 − 𝑃 𝑠𝑒𝑛50𝑜 − 𝑚. 𝑔. 𝑐𝑜𝑠20𝑜 = 0
𝑁 = 𝑃 𝑠𝑒𝑛50𝑜 + 𝑚. 𝑔. 𝑐𝑜𝑠20𝑜

+↗ ∑ 𝐹𝑥 = 𝑚. 𝑎: 𝑃 𝑐𝑜𝑠50𝑜 − 𝑚. 𝑔. 𝑠𝑒𝑛20𝑜 − 𝜇. 𝑁 = 𝑚. 𝑎

𝑃 𝑐𝑜𝑠50𝑜 − 𝑚. 𝑔. 𝑠𝑒𝑛20𝑜 − 𝜇. (𝑃 𝑠𝑒𝑛50𝑜 + 𝑚. 𝑔. 𝑐𝑜𝑠20𝑜 ) = 𝑚. 𝑎


𝑚. 𝑎 + 𝑚. 𝑔(𝑠𝑒𝑛20𝑜 + 𝜇. 𝑐𝑜𝑠20𝑜 )
𝑃=
(𝑐𝑜𝑠50𝑜 − 𝜇. 𝑠𝑒𝑛50𝑜 )
Parado: 𝑎 = 0 e 𝜇 = 𝜇𝑠 = 0,4:
(20). (0) + (20). (9,81). [𝑠𝑒𝑛20𝑜 + (0,4). 𝑐𝑜𝑠20𝑜 ]
𝑃= → 𝑃 = 418,74𝑁
[𝑐𝑜𝑠50𝑜 − (0,4). 𝑠𝑒𝑛50𝑜 ]
Em movimento, com 𝑎 = 0,1𝑚/𝑠 2 e 𝜇 = 𝜇𝑘 = 0,3:
(20). (0,1) + (20). (9,81). [𝑠𝑒𝑛20𝑜 + (0,3). 𝑐𝑜𝑠20𝑜 ]
𝑃=
[𝑐𝑜𝑠50𝑜 − (0,3). 𝑠𝑒𝑛50𝑜 ]
𝑃 = 301,26𝑁
___________________________________________________________________________________
12.11 Os dois blocos mostrados na figura estão originalmente em repouso. Desprezando as
massas das roldanas e o efeito do atrito nessas roldanas e entre o bloco A e a superfície
horizontal, determine (a) a aceleração de cada bloco, (b) a tração no cabo.

𝑥𝐴 + 3𝑦𝐵 = 𝑐𝑡𝑒 , 𝑣𝐴 + 3𝑣𝐵 = 0 e 𝑎𝐴 + 3𝑎𝐵 = 0


𝑎𝐴 = −3𝑎𝐵 Eq. 1
a)
A:

+← ∑ 𝐹𝑥 = 𝑚𝐴 . 𝑎𝐴 : − 𝑇 = 𝑚𝐴 . 𝑎𝐴

Usando a eq. 1, temos que:


𝑇 = 3𝑚𝐴 . 𝑎𝐵 Eq. 2
B:

+↓ ∑ 𝐹𝑦 = 𝑚𝐵 . 𝑎𝐵 : 𝑊𝐵 − 3𝑇 = 𝑚𝐵 . 𝑎𝐵
Substituído Eq. 2 e 𝑊 = 𝑚𝐵 . 𝑔, temos que:
𝑔 (9,81)
(𝑚𝐵 . 𝑔) − 3(3𝑚𝐴 . 𝑎𝐵 ) = 𝑚𝐵 . 𝑎𝐵 → 𝑎𝐵 = 𝑚𝐴 = → 𝑎𝐵 = 0,83136𝑚/𝑠 2
30
1 + 9 (𝑚 ) (1) + (9). ( )
𝐵 25
Substituindo esse valoe na Eq.1, temos:
𝑎𝐴 = −3(0,83136) → 𝑎𝐴 = −2,49407𝑚/𝑠 2
Então:
𝑎𝐴 = 2,49407𝑚/𝑠 2 →
𝑎𝐵 = 0,831𝑚/𝑠 2 ↓
b)
𝑇 = 3𝑚𝐴 . 𝑎𝐵 = (3). (30). (0,831)
𝑇 = 74,82𝑁
___________________________________________________________________________________
12.13 Os coeficientes de atrito entre a carga e o reboque de piso plano mostrado na figura são
𝜇𝑠 = 0,40 e 𝜇𝑘 = 0,30. Sabendo que velocidade escalar do equipamento é 72km/h, determine (a)
a menor distância na qual o equipamento pode ser parado se a carga não pode se movimentar.

𝑣0 = 72𝑘𝑚/ℎ = 20𝑚/𝑠 , 𝐹 = 𝐹𝑚 = 𝜇𝑠 𝑁

+↑ ∑ 𝐹𝑦 = 0: 𝑁 − 𝑊 = 0 → 𝑁 = 𝑊 ⟹ 𝐹𝑚 = 𝜇𝑠 𝑊 → 𝐹𝑚 = 0,4𝑊

𝑊 0,4𝑊. 𝑔
+→ ∑ 𝐹𝑥 = 𝑚. 𝑎𝑚𝑎𝑥 : 𝐹𝑚𝑎𝑥 = 𝑚. 𝑎𝑚𝑎𝑥 → 0,4𝑊 = . 𝑎𝑚𝑎𝑥 → 𝑎𝑚𝑎𝑥 = = 0,4𝑔
𝑔 𝑊
𝑎𝑚𝑎𝑥 = 3,924𝑚/𝑠 2
𝒂𝑚𝑎𝑥 = 3,924𝑚/𝑠 2 →
𝑣 2 = 𝑣02 + 2. 𝑎. 𝑥
Lembrando que: 𝑣 = 0, 𝑣0 = 20𝑚/𝑠 e 𝑎 = −𝑎𝑚𝑎𝑥 = −3,924𝑚/𝑠 2
𝑣 2 − 𝑣02 (0)2 − (20)2
𝑥= =
2. 𝑎 (2). (−3,924)
𝑥 = 50,97𝑚
___________________________________________________________________________________
12.14 Um trator-reboque está viajando a 96km/h quando o motorista aplica seus freiom.as.
Sabendo que as forças de frenagem do trator e do reboque são 1.600kg e 6.200kg,
respectivamente, determine (a) a distância percorrida pelo trator-reboque antes que ele pare, (b)
o componente horizontal da força no engate entre o trator e o reboque enquanto eles estão
desacelerando.
a) 𝑣0 = 96𝑘𝑚/ℎ = 26,67𝑚/𝑠
𝑊𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙
+→ ∑ 𝐹𝑥 = 𝑚. 𝑎 ∶ −(𝐹𝑏𝑟 )𝑡𝑟𝑎𝑐 − (𝐹𝑏𝑟 )𝑟𝑒𝑏 = .𝑎
𝑔
[−(𝐹𝑏𝑟 )𝑡𝑟𝑎𝑐 − (𝐹𝑏𝑟 )𝑟𝑒𝑏 ]. 𝑔 [(1.600) + (6.200)]. (9,81)
𝑎= =− → 𝑎 = −5,205𝑚/𝑠 2
𝑊𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 (7.900) + (6.800)
𝑣 2 − 𝑣02 (0)2 − (26,67)2
2
𝑣 = 𝑣02 + 2. 𝑎. ∆𝑥 → ∆𝑥 = =
2. 𝑎 (2). (−5,205)
∆𝑥 = 68,31𝑚
b)
𝑊𝑟𝑒𝑏
+→ ∑ 𝐹𝑥 = 𝑚𝑟𝑒𝑏 . 𝑎 ∶ −(𝐹𝑏𝑟 )𝑟𝑒𝑏 + 𝑃𝑒𝑛𝑔 = .𝑎
𝑔
𝑊𝑟𝑒𝑏 (7.900)
𝑃𝑒𝑛𝑔 = (𝐹𝑏𝑟 )𝑟𝑒𝑏 + . 𝑎 = (6.200) + . (−5,205) = 2.008,409
𝑔 (9,81)
𝑃𝑒𝑛𝑔 = 2.008𝑁 (𝑡𝑒𝑛𝑠ã𝑜)
___________________________________________________________________________________
12.49 Um piloto de 54 kg pilota um jato de treinamento em um meio “loop” de 1.200 m de raio de
modo que a velocidade escalar do jato diminui a uma taxa constante. Sabendo que o peso
aparente do piloto no ponto A e C são 1.680 N e 350 N respectivamente, determine a força
exercida no piloto pelo assento do jato quando este jato está no ponto B.
A:
𝑣𝐴2 (𝑁𝐴 − 𝑊). 𝜌 (1.680)
+↑ ∑ 𝐹𝑛 = 𝑚. 𝑎𝑛 : 𝑁𝐴 − 𝑊 = 𝑚. → 𝑣𝐴2 = = (1.200). [ − (9,81)]
𝜌 𝑚 (54)
𝑣𝐴2 = 25.561,33𝑚2 /𝑠 2
C:
𝑣𝐶2 (𝑁𝐶 − 𝑊). 𝜌 (350)
+↓ ∑ 𝐹𝑛 = 𝑚. 𝑎𝑛 : 𝑁𝐶 + 𝑊 = 𝑚. → 𝑣𝐶2 = = (1.200). [ + (9,81)]
𝜌 𝑚 (54)
𝑣𝐶2 = 19.549,78𝑚2 /𝑠 2
Sendo at=cte:
𝑣𝐶2 − 𝑣𝐴2 (19.549,78) − (25.561,33)
𝑣𝐶2 = 𝑣𝐴2 + 2. 𝑎𝑡 . ∆𝑠𝐴𝐶 → 𝑎𝑡 = = → 𝑎𝑡 = −0,79731𝑚/𝑠 2
2∆𝑠𝐴𝐶 (2). [𝜋. (1.200)]
𝜋
𝑣𝐵2 = 𝑣𝐴2 + 2. 𝑎𝑡 . ∆𝑠𝐴𝐵 = (25.561,33) + (2). (−0,79731). [( ) . (1.200)]
2
𝑣𝐵2 = 22.555,54𝑚2 /𝑠 2
B:
𝑣𝐵2 (22.555,54)
+← ∑ 𝐹𝑛 = 𝑚. 𝑎𝑛 : 𝑁𝐵 = 𝑚. = (54). = 1.014,9994
𝜌 (1.200)
𝑁𝐵 = 1.015𝑁 ←
Ou

+↓ ∑ 𝐹𝑡 = 𝑚. 𝑎𝑡 : 𝑊 + 𝑃𝐵 = 𝑚. |𝑎𝑡 | → 𝑃𝐵 = 𝑚. |𝑎𝑡 | − 𝑊 = (54). [(0,79731) − (9,81)]

𝑃𝐵 = −486,6853𝑁 => 𝑃𝐵 = 487𝑁 ↑

(𝐹𝑝𝑖𝑙𝑜𝑡𝑜 )𝐵 = √𝑁𝐵2 + 𝑃𝐵2 = √(1.014,9994)2 + (486,6853)2 = √(1.267.086,363 = 1.125,649

(𝐹𝑝𝑖𝑙𝑜𝑡𝑜 )𝐵 = 1.126𝑁
(𝐹𝑝𝑖𝑙𝑜𝑡𝑜 )𝐵 = 1.126𝑁 ↖ 25,6𝑜
___________________________________________________________________________________
12.50 Um bloco B de 250g se encaixa dentro de uma pequena cavidade aberta no braço OA,
que gira no plano vertical a uma taxa constante tal que v=3m/s. Sabendo que a mola exerce no
bloco B uma força de intensidade P=1,5N e desprezando o efeito do atrito, determine a intervalo
de valores de 𝜃 para os quais o bloco B faz contato com a face da cavidade fechada para o eixo
de rotação O.

+↙ ∑ 𝐹𝑛 = 𝑚. 𝑎𝑛 :

𝑣2
𝑃 + 𝑚. 𝑔. 𝑠𝑒𝑛𝜃 − 𝑄 = 𝑚.
𝜌
𝑄 ≥ 0:
𝑚. 𝑣 2
𝑄 = 𝑃 + 𝑚. 𝑔. 𝑠𝑒𝑛𝜃 − ≥0
𝜌
1 𝑣2 𝑃 1 (3)2 (1,5)
𝑠𝑒𝑛𝜃 ≥ . ( − ) → 𝑠𝑒𝑛𝜃 ≥ .[ − ]
𝑔 𝜌 𝑚 (9,81) (0,9) (0,25)
𝑠𝑒𝑛𝜃 ≥ 0,40775
24,1𝑜 ≤ 𝜃 ≤ 155,9𝑜
___________________________________________________________________________________
12.51 A curva em um circuito de velocidade tem raio de 300m e velocidade de segurança de
192km/h. (Ver no Problema Resolvido 12.5 para a definição da velocidade de segurança.)
Sabendo que o carro de corrida começa a derrapar na curva quando viaja a uma velocidade de
288km/h, determine (a) o ângulo de inclinação 𝜃, (b) o coeficiente de atrito estático entre os
pneus e a estrada sob as condições prevalentes, (c) a velocidade escalar mínima para a qual o
mesmo carro poderia fazer a curva.

𝑊 = 𝑚. 𝑔
𝑣2
𝑎=
𝜌

∑ 𝐹𝑥 = 𝑚. 𝑎𝑥

𝐹 + 𝑊𝑠𝑒𝑛𝜃 = 𝑚. 𝑎. 𝑐𝑜𝑠𝜃

𝑣2
𝐹 = 𝑚. 𝑎. 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝑊𝑠𝑒𝑛𝜃 = 𝑚. ( ) 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝑚. 𝑔. 𝑠𝑒𝑛𝜃
𝜌
𝑚.𝑣 2 .𝑐𝑜𝑠𝜃
𝐹= − 𝑚. 𝑔. 𝑠𝑒𝑛𝜃 Eq. 1
𝜌

∑ 𝐹𝑦 = 𝑚. 𝑎𝑦 : 𝑁 − 𝑊𝑐𝑜𝑠𝜃 = 𝑚. 𝑎. 𝑠𝑒𝑛𝜃 → 𝑁 = 𝑚. 𝑎. 𝑠𝑒𝑛𝜃 + 𝑊𝑐𝑜𝑠𝜃

𝑣2
𝑁 = 𝑚. ( ) . 𝑠𝑒𝑛𝜃 + 𝑚. 𝑔. 𝑐𝑜𝑠𝜃
𝜌
𝑚.𝑣 2 𝑠𝑒𝑛𝜃
𝑁= + 𝑚. 𝑔. 𝑐𝑜𝑠𝜃 Eq. 2
𝜌

a) 𝑣 = 192𝑘𝑚/ℎ = 53,33𝑚/𝑠; 𝐹 = 0
Eq. 1:
𝑚. 𝑣 2
0= . 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝑚. 𝑔. 𝑠𝑒𝑛𝜃
𝜌
𝑣2 (53,33)2
𝑡𝑔𝜃 = = = 0,966512
𝜌. 𝑔 (300). (9,81)
𝜃 = 44𝑜
b) 𝑣 = 288𝑘𝑚/ℎ = 80𝑚/𝑠
𝐹
𝐹 = 𝜇. 𝑁 → 𝜇 =
𝑁
Substituindo as eq. 1 e 2 em 𝜇, temos:
𝑚. 𝑣 2 . 𝑐𝑜𝑠𝜃
− 𝑚. 𝑔. 𝑠𝑒𝑛𝜃 𝑣 2 . 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝜌. 𝑔. 𝑠𝑒𝑛𝜃 (80)2 cos(44) − (300). (9,81). 𝑠𝑒𝑛(44)
𝜌
𝜇= = 2 =
𝑚. 𝑣 2 𝑠𝑒𝑛𝜃 𝑣 𝑠𝑒𝑛𝜃 + 𝜌. 𝑔. 𝑐𝑜𝑠𝜃 (80)2 sen(44) + (300). (9,81). cos(44)
+ 𝑚. 𝑔. 𝑐𝑜𝑠𝜃
𝜌
𝜇 = 0,38998
𝜇 = 0,39
c)
𝐹 𝑣 2 . 𝑐𝑜𝑠𝜃 − 𝜌. 𝑔. 𝑠𝑒𝑛𝜃 𝜌. 𝑔. (𝑠𝑒𝑛𝜃 − 𝜇 𝑐𝑜𝑠𝜃)
𝐹 = −𝜇. 𝑁 → −𝜇 = = 2 → 𝑣2 =
𝑁 𝑣 𝑠𝑒𝑛𝜃 + 𝜌. 𝑔. 𝑐𝑜𝑠𝜃 𝑐𝑜𝑠𝜃 + 𝜇 𝑠𝑒𝑛𝜃
(300). (9,81). [𝑠𝑒𝑛44 − (0,38998). 𝑐𝑜𝑠44]
𝑣2 = → 𝑣 = √1.230,794549
𝑐𝑜𝑠44 + (0,38998). 𝑠𝑒𝑛44
𝑣 = 35,083
𝑣 = 35,1𝑚/𝑠 (126,3km/h)
___________________________________________________________________________________
12.55 Um pequeno colar D de 300g pode deslizar sobre a parte AB de uma haste que é curvada,
tal como mostra a figura. Sabendo que 𝛼 = 40𝑜 e que a haste gira em torno da vertical AC a uma
taxa constante de 5rad/s, determine o valor r para o qual o colar não deslizará sobre a haste se
o efeito do atrito entre a haste e o colar for desprezado.

+→ ∑ 𝐹𝑛 = 𝑚. 𝑎𝑛 :

𝑣𝐷2
𝑁. 𝑐𝑜𝑠400 = 𝑚.
𝑟
𝑚. 𝑔 ̇ )2
(𝑟𝜃𝐴𝐵𝐶
𝑜
𝑐𝑜𝑠40 = 𝑚.
𝑠𝑒𝑛40𝑜 𝑟
𝑔 1
̇
𝑣𝐷 = 𝑟𝜃𝐴𝐵𝐶 𝑟=[ 2 ] . (𝑡𝑔40𝑜 )
̇ )
(𝜃𝐴𝐵𝐶
+↑ ∑ 𝐹𝑦 = 0:
(9,81) 1
𝑟=[ ] . ( )
𝑁. 𝑠𝑒𝑛40𝑜 − 𝑊 = 0 (5)2 𝑡𝑔40𝑜
𝑚. 𝑔 𝑟 = 0,4676𝑚
𝑁=
𝑠𝑒𝑛40𝑜 𝑟 = 468𝑚𝑚
___________________________________________________________________________________
12.60 Uma mesa rotativa A é construída em um palco para uso em uma produção teatral.
Observa-se, durante um ensaio, que um baú B começa a deslizar sobre a mesa 10s depois que
ela começa a girar. Sabendo que o baú é submetido a uma aceleração tangencial constante de
0,24m/s2, determine o coeficiente de atrito estático entre o baú e a mesa rotativa.
𝑣𝐵 = 𝑣0 + 𝑎𝑡 . ∆𝑡 = (0) + (0,24). (10) → 𝑣𝐵 = 2,4𝑚/𝑠

∑ 𝐹 = 𝑚𝐵 . 𝑎 𝐵: 𝑭 = 𝑚𝐵 . (𝒂𝐵 )𝑡 + 𝑚𝐵 . (𝒂𝐵 )𝑛

2
𝑣𝐵2
𝐹= 𝑚𝐵 . √(𝑎𝐵 )2𝑡 + (𝑎𝐵 )2𝑛 = 𝑚𝐵 . √(𝑎𝐵 )2𝑡 +( )
𝜌

+↑ ∑ 𝐹𝑦 = 0: 𝑁 − 𝑊 = 0 → 𝑁 = 𝑊 = 𝑚𝐵 . 𝑔

Em t=10s:
𝐹 = 𝜇𝑠 𝑁 = 𝜇 𝑠 . 𝑚𝐵 . 𝑔
2
𝑣𝐵2
𝜇𝑠 . 𝑚𝐵 . 𝑔 = 𝑚𝐵 . √(𝑎𝐵 )2𝑡 +( )
𝜌

2 2 2 2
𝑣2 2
√(𝑎𝐵 )2𝑡 + (𝑣𝐵 ) √(0,24)2 + [(2,4) ]
𝑚𝐵 . √(𝑎𝐵 )2𝑡 + ( 𝜌𝐵 ) (2,5)
𝜌
𝜇𝑠 = = = = 0,236133
𝑚𝐵 . 𝑔 𝑔 (9,81)
𝜇𝑠 = 0,236