Você está na página 1de 5

Objetivos

1. Explorar o potencial educativo da dança;


2. Promover a dança como veículo de expressão corporal;
3. Desenvolver a consciência corporal, do espaço e do outro;
4. Promover o desenvolvimento das linguagens artísticas no currículo escolar;
5. Valorizar as expressões culturais regionais;
6. Contribuir para a formação de cidadãos críticos em relação à estética da dança;
7. Promover a criação de coreografias nas escolas e o protagonismo estudantil;
8. Tornar o ambiente escolar mais vivo e prazeroso;
9. Integrar a escola, a família e a comunidade; e
10. Divulgar os talentos em dança dos educandos da rede municipal.

Ações
O projeto Viva a Dança promoverá, em momentos distintos:
APRESENTAÇÃO 1. Encontros Formativos – tendo como objetivo preparar os educadores que irão
desenvolver o projeto, trarão os conceitos e procedimentos para sua realização;
A Secretaria de Educação e Cultura de Catu (Smec) vem desenvolvendo, ao longo dos 2. Mini-festivais – primeira etapa do projeto, nas escolas, envolvendo os educandos do
últimos cinco anos, a partir do documento Princípios e Eixos da Educação, projetos que 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental, em suas diversas modalidades, com o propósito de
visam ao desenvolvimento das linguagens artísticas no contexto escolar e da valorização selecionar três coreografias para a segunda etapa;
do lúdico, dos esportes e da cultura corporal. O Projeto Viva a Dança, destinado aos 3. Oficinas preparatórias – visando preparar os participantes para as apresentações no
educandos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, em todas as modalidades, insere-se Festival Municipal; e
nesse contexto, ao propor a criação de montagens coreográficas estudantis e a realização 4. Festival Municipal – a ser realizado com doze apresentações, selecionadas dentre as
de um Festival de Dança, com o objetivo de promover o potencial educativo da dança na coreografias classificadas na etapa escolar.
rede municipal de ensino.
A Smec parte do entendimento de que a linguagem da dança é um importante veículo Cronograma de atividades
de expressão corporal, contribuindo, também, para o desenvolvimento de atitudes, de 1. Encontro de sensibilização com os dirigentes das unidades escolares e com os
valores e para a preservação das expressões culturais regionais. coordenadores pedagógicos;
Da mesma forma que os projetos Literarte e Música Viva, o projeto Viva a Dança está 2. Encontro com os educadores que irão desenvolver o projeto;
ancorado na proposta pedagógica ESCOLA VIVA, construída para a rede municipal de 3. Formação da Comissão Organizadora;
ensino, centrada no entendimento de que a escola é o lugar das vivências diversas, de 4. Lançamento do Regulamento e do Edital;
saberes múltiplos, do desenvolvimento da arte, da cultura e da corporeidade. 5. Criação das coreografias pelos educandos;
A dança, como área de criação artística, propicia a consciência corporal dos educandos, 6. Seleção, nas escolas, das coreografias que participarão do Festival (Fase I);
contribuindo, também, para que o ambiente escolar seja, cada vez mais, rico, vivo e 7. Oficinas preparatórias para as apresentações; e
prazeroso. 8. Realização do Festival (Fase II).

Catu, janeiro de 2018


Referências
Geranilson Requião Ana Teixeira Documento Princípios e Eixos da Educação em Catu
Prefeito Secretária Municipal de Educação e Cultura Projeto de Criação Literária e Formação de Leitores – Literarte
Projeto Música Viva

Viva a Dança: Projeto de criação coreográfica estudantil §2º À Comissão Organizadora cabe realizar o Festival Viva a Dança e instituir a Comissão
Julgadora Central, composta por, no mínimo, 5 (cinco) profissionais com notórios conhecimentos
REGULAMENTO e/ou competências em atividades de dança, como também em outras áreas artísticas, educativas
e culturais.
CAPÍTULO I
DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO IV
Art.1º. As escolas públicas da rede municipal de Catu realizarão o Projeto Viva a Dança, de DA PARTICIPAÇÃO
natureza educativa, artística e cultural, que objetiva: Art. 4º. Somente poderão participar do Projeto Vva a Dança os estudantes matriculados nas
I - Explorar o potencial educativo da dança; escolas participantes do Projeto, e que estejam cursando do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental,
II - Promover a dança como veículo de expressão corporal; ou equivalentes, nas suas diversas modalidades.
III - Desenvolver a consciência corporal, do espaço e do outro;
IV - Promover a criação de coreografias nas escolas e o protagonismo juvenil; § 1º - Poderão participar do Projeto Viva a Dança os estudantes matriculados em qualquer etapa
V - Contribuir para a formação de cidadãos mais críticos em relação à estética da dança; da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e do Tempo Formativo Juvenil (TFJ).
VI - Promover o desenvolvimento das linguagens artísticas no currículo escolar; §2º - A inscrição está condicionada à matrícula e frequência dos estudantes nos anos
VII - Valorizar as expressões culturais regionais; correspondentes;
VIII -Tornar o ambiente escolar mais vivo e prazeroso; e §3º - Cada estudante só poderá concorrer com uma montagem coreográfica;
IX - Integrar a escola, a família e a comunidade. §4º - As coreografias só poderão ser inscritas por, no máximo, dois estudantes figurando como
autores;
CAPÍTULO II §5º - as coreografias podem ser interpretadas por estudantes que não as tenham criado, mas
DO PROCEDIMENTO todos os autores e intérpretes precisam estar devidamente matriculados e frequentando as
Art. 2º. O projeto Viva a Dança acontecerá em duas fases: escolas participantes do projeto Viva a Dança, em um dos anos definidos no caput deste Artigo;
§6º - as coreografias devem ser originais, com músicas em língua portuguesa e/ou estrangeira; e
I – Na Fase I serão realizados os festivais escolares: §7º - Os estudantes selecionados para participar do Festival Viva a Dança (autores e intérpretes)
a) Cada escola participante deverá realizar seu mini festival e selecionar três coreografias, deverão confirmar sua participação por escrito, encaminhando à Comissão Organizadora listados
criadas pelos estudantes, podendo ser apresentadas em grupos, quartetos, trios, duplas ou solo, no art. 5º.
desenvolvidas para o projeto Viva a Dança. Essas coreografias deverão ser encaminhadas para a
Comissão Organizadora, estando automaticamente inscritas para a seleção final. CAPÍTULO V
DAS INSCRIÇÕES
II – Na Fase II será promovido o Festival de Dança: Art. 5º. As inscrições serão gratuitas, devidamente acompanhadas do material necessário,
a) A Comissão Organizadora enviará as obras inscritas para uma pré-seleção, quando serão ou seja, ficha de inscrição devidamente preenchida, documentação exigida e o vídeo com a
escolhidas 12 coreografias para o Festival Viva a Dança; montagem coreográfica.
b) Será realizado o Festival, onde o Júri selecionará as três melhores coreografias, que serão as §1º - As inscrições para os mini-festivais serão feitas nas Unidades Escolares, devendo ser
vencedoras do Concurso. apresentados os seguintes documentos:
I - Ficha de Inscrição preenchida em letra de forma e entregue na Escola;
CAPÍTULO III II - Termo de autorização dos pais e/ou responsáveis;
DAS RESPONSABILIDADES III - Termo de responsabilidade de autoria; e
Art. 3º. As escolas, com o apoio da Comissão Organizadora, Organizarão e executarão o projeto IV - Termo de autorização de uso de imagem.
Viva a Dança na Fase I. A Comissão Julgadora Central, composta por profissionais com notório
conhecimento na área artístico cultural, julgará os trabalhos pré-selecionados. §2º – Para o Festival de Dança, as inscrições deverão ser feitas pelo dirigente e/ou professor
§1º - As Unidades Escolares realizarão os festivais escolares, estimulando os estudantes à coordenador do projeto na Unidade Escolar, única e exclusivamente das coreografias vencedoras
participação no evento e o envolvimento de todos os profissionais da escola, especialmente dos na respectiva Escola, sendo necessários os seguintes documentos:
professores ligados às disciplinas afins; e instituirão a Comissão Julgadora Escolar, composta por,
no mínimo, 5 (cinco) profissionais, preferencialmente ligados a atividades de dança, artísticas e I - Ficha de Inscrição dos vencedores do concurso na Escola, encaminhadas pelo seu dirigente e/
culturais. ou coordenador pedagógico, contendo nome do autor(a) e do(s) intérprete(s);
II - Termo de autorização dos pais (em caso de menores de 18 anos);
III - Termo de responsabilidade de autoria;
IV - Cópia do RG;
CAPÍTULO VII
V - Comprovante de matrícula na Escola;
DA APRESENTAÇÃO
VI - Termo de autorização de uso de imagem;
Art. 10. As comissões organizadoras devem criar as condições necessárias para a realização dos
VII - Uma cópia do vídeo contendo a coreografia em DVD; e
festivais; e divulgarão os resultados e o evento, por meio de ofícios, e-mails, rádios e/ou outras mídias.
VIII - Termo de concessão dos direitos autorais e de imagem para utilização no Projeto Viva a
Dança.
§1º - Os estudantes devem estar presentes quando da realização dos festivais.
§2º - O não comparecimento dos candidatos em qualquer das fases de realização dos festivais
CAPÍTULO VI
implicará em desclassificação automática no Concurso.
DA AVALIAÇÃO
§3º - As comissões organizadoras disponibilizarão as condições, espaços e equipamentos compatíveis
Art. 6º. Cada Unidade Escolar formará a sua própria Comissão Organizadora, que se encarregará
com a realização do evento.
de organizar e executar os mini festivais, criando as respectivas Comissões Julgadoras.
§4º - A sequência das apresentações das coreografias selecionadas para os festivais será decidida
pelas comissões organizadoras.
§1º - Cada escola formará a sua Comissão Julgadora, envolvendo os professores das disciplinas
afins, um representante dos estudantes e um profissional da área de dança da escola ou da
CAPÍTULO VIII
comunidade.
DA PREMIAÇÃO
§2º - Cada Comissão Julgadora Escolar classificará e encaminhará 3 (três) mostras coreográficas
Art.11. Cada unidade escolar poderá, a seu critério, premiar as obras vencedoras, definindo,
para inscrição no Festival Viva a Dança.
com sua própria comissão organizadora, os prêmios a serem concedidos.
§3º - As Comissões Julgadoras selecionarão as coreografias vencedoras por meio dos seguintes
critérios:
Parágrafo único – A Smec definirá, em edital, a forma de premiação aos vencedores da Fase II
I – clareza do movimento;
do Festival.
II – criatividade;
III – originalidade;
CAPÍTULO IX
IV – domínio técnico e rítmico; e
DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
V – interpretação e expressão corporal.
Art.12. As comissões julgadoras terão autonomia e o direito de desclassificar do Concurso os
estudantes que não cumprirem as orientações contidas neste Regulamento.
Art. 7º. Na Fase II do Concurso, o Festival, a Comissão Organizadora instituirá a Comissão
Julgadora Central, composta por profissionais relacionados à área da dança, que selecionará as 12
Art.13. Estão impedidos de concorrer ao Festival Viva a Dança os componentes das Comissões
(doze) melhores coreografias.
Julgadoras e Organizadoras dos festivais e/ou seus respectivos familiares de parentesco até 2º
grau.
Art. 8º. A Comissão Julgadora Central classificará as 3 (três) coreografias vencedoras do projeto
Viva a Dança.
Art. 14. A Comissão Julgadora Escolar e a Comissão Julgadora Central possuem total
autonomia para desclassificar a qualquer momento e etapa do concurso as coreografias
Art. 9º. A Comissão Organizadora divulgará o resultado da seleção nos meios de comunicação de
depreciativas e/ou apelativas, com movimentos obscenos ou músicas com linguajar chulo e/ou
que dispuser.
ofensivo.
§1º - Sobre a Comissão Organizadora não haverá nenhum ônus de direitos autorais e de imagem
em relação às obras do Festival Viva a Dança.
Catu, fevereiro de 2018.
§2º - As decisões das Comissões Julgadoras das escolas, em conformidade com este regulamento,
são passíveis de recursos administrativos, cabendo à Comissão Organizadora providenciar as
Secretaria Municipal de Educação e Cultura
condições necessárias para análise do pleito no prazo de cinco dias.

§3º - Cabe ao requerente fazer uma exposição de motivos detalhada da situação que provocou
a discordância com o julgamento e apresentá-la à Escola, no prazo de 48h após a divulgação dos
resultados.