Você está na página 1de 5

Ocorrência entre 16 e 17 de Julho de 2019 eclipse

EMOTO MUNDIAL EM 17 DE JULHO DE 2019 !

Alguns geólogos encontraram uma correlação estatisticamente significativa


entre eclipses e terremotos. Os maias já sabiam há milhares de anos.

Qual é a relação entre um terremoto e um eclipse? Um geralmente pensa de um


eclipse solar quando os blocos lua luz do sol. O que está faltando neste conceito
é que ele é de dois corpos celestes e sua gravitação tem uma grande atração na
Terra. Durante um eclipse, esses dois corpos combinam suas forças
gravitacionais em exatamente uma linha reta. Isso significa que a atração
gravitacional do Sol e da Lua na Terra se combinam durante o eclipse.

A teoria do terremoto por eclipse é a seguinte: quando a força gravitacional do


Sol e da Lua estão se juntando, criam uma grande força nas marés. A maré solar
tem cerca de um terço do tamanho da maré lunar. Quando essas forças de maré
trabalham juntas, elas fornecem um impulso maior para a zona de subducção
das placas tectônicas. Se a distorção das forças gravitacionais e de maré
passando sobre a articulação entre duas placas tectônicas que não tiveram
terremotos recentes, a força de push-pull adicional gravitacional e das marés é
tudo o que é necessário para "explodir o costura "para causar um grande
terremoto. O magma abaixo da superfície da Terra desempenha um papel muito
importante porque a Terra gira mais rápido que a órbita da Lua, essa maré de
magma, Assim como a maré do oceano é muitas vezes na frente do caminho da
lua. A coincidência de dados do eclipse da NASA e dados sísmicos do United
States Geological Survey (USGS) mostra uma alta correlação entre eclipses e
terremotos.

A teoria do terremoto lunar foi proposta pela primeira vez por Jim Berkland , um
geólogo aposentado do USGS.

Evidência científica
O Departamento de Ciências da Terra e do Instituto de Seismic Pesquisa da
Universidade de Tóquio examinaram as fases lunares ─ e a força das marés
associadas─ duas semanas antes de terremotos registrados mais de 5,5 graus
nos últimos dois anos décadas

O estudo incluiu Sumatra, Indonésia, em 2004, o sul do Chile em 2010 e o Japão


em 2011.

Segundo a Nature Geoscience , uma correlação estatisticamente significativa


foi encontrada entre a amplitude das marés e os grandes terremotos. Enquanto
isso, naqueles que eram menos de 5,5 graus, tal relacionamento não foi visto.

Outro estudo, realizado pelo Departamento de Astronomia, Beijing Normal


University, e publicado no E Arth, Lua e planetas , encontrou uma correlação
positiva em 21 grandes terremotos (> 7,0) na área de Taiwan e da força do marés
associadas ao Sol e à Lua.

Aristóteles e os maias sabiam disso

Os maias eram grandes astrônomos e geraram muitas tabelas para prever


eclipses, acompanhadas de avisos; Eles consideraram eclipses precursores de
calamidades em suas terras na América Central propensas a terremotos.

Aristóteles confirma a sincronicidade entre eclipses e terremotos, assim como


historiadores gregos clássicos, responsáveis pelos eclipses / terremotos que
destruíram partes de sua nação.

Terremoto de Magnitude 6,2 Atinge o Canadá em


"3 de Julho 2019"

O terremoto atingiu a região de Haida Gwaii da Columbia Britânica na costa


oeste do Canadá na quarta-feira (3).
Terremoto de 6,2 no Canadá (USGS)

Um terremoto de magnitude 6,2 na escala Richter atingiu a região de Haida Gwaii


da Colúmbia Britânica ao largo da costa oeste do Canadá na quarta-feira (3).

O Serviço Geológico dos EUA- USGS informou que o terremoto ocorreu por volta
das 21h20 (horário local).

Segundo o USGS, o epicentro do terremoto foi a 196Km a oeste-sudoeste de


Bella Bella a uma profundidade de 10Km.

A Earthquake Canada disse que o tremor foi “levemente sentido”no norte de


Vancouver e na costa da ilha principal adjacente.

Não houve alerta de tsunami e autoridades disseram que não há risco de


deslizamentos.

"16-17 de Julho de 2019 Eclipse Lunar Parcial"


Este eclipse lunar parcial , o último eclipse lunar de 2019, é visível da Austrália,
África, América do Sul, a maior parte da Europa e da Ásia. O eclipse sentirá a
falta da América do Norte, exceto nas partes mais meridionais e orientais do
continente.

Este Eclipse Lunar Parcial é visível em Porto Alegre?

O que este eclipse lunar parece

Onde ver o eclipse

Regiões que vêem, pelo menos, algumas partes do eclipse: Grande parte da
Europa, Grande parte da Ásia, Austrália, África, Sul / Leste da América do Norte,
América do Sul, Pacífico, Atlântico, Oceano Índico, Antártica.

Quando o Eclipse acontece no mundo inteiro - Linha do tempo


Os eclipses lunares podem ser visíveis de todos os lugares no lado noturno da
Terra, se o céu estiver limpo. De alguns lugares, todo o eclipse será visível,
enquanto em outras áreas a Lua se elevará ou se porá durante o eclipse.

* A Lua está abaixo do horizonte em Porto Alegre a maior parte do tempo, de


modo que parte do eclipse não é visível.
Os cálculos do Eclipse geralmente são precisos para alguns segundos.
A magnitude do eclipse é 0,653.
A magnitude penumbral do eclipse é de 1,704.
A duração total do eclipse é de 5 horas e 34 minutos.
A duração do eclipse parcial é de 2 horas e 58 minutos.
Um eclipse nunca vem sozinho!
Um eclipse solar sempre ocorre cerca de duas semanas antes ou depois de um
eclipse lunar.
Normalmente, há dois eclipses seguidos, mas outras vezes, há três durante a
mesma época do eclipse.
Todos os eclipses 1900 - 2199
Este é o segundo eclipse desta temporada.
Primeiro eclipse nesta temporada foi em: 2 de Julho de 2019 - Total Solar Eclipse

Interesses relacionados