Você está na página 1de 42

QUESTÕES

LEI 8.112
PROF. DIÊGO EDINGTON
O servidor público nomeado
para o exercício de cargo
efetivo em virtude de
concurso público adquire
estabilidade após 3 anos de
provimento do cargo.
A investidura em cargo
público dá‐se com a
nomeação.
O prazo para investidura em
cargo público é de 30 dias
contados da publicação do
ato de provimento.
Deverá ser reintegrado o
servidor público que, ao
sofrer limitação em sua
capacidade de trabalho,
torne‐se inapto para o cargo
que ocupa, mas possa ainda
exercer outro cargo para o
qual a limitação sofrida não o
inabilite.
Deverá ser reconduzido o
servidor aposentado por
invalidez permanente que
tiver declaradas
insubsistentes, por junta
médica oficial, as causas que
determinaram a sua
aposentadoria.
O servidor em estágio
probatório não pode exercer
cargo de provimento em
comissão.
A exoneração não possui
caráter punitivo.
Pela redistribuição, o servidor
é deslocado do cargo que
antes ocupava para cargo
diverso situado no âmbito do
quadro de pessoal do mesmo
órgão ou entidade.
Vencimento corresponde à
retribuição pecuniária pelo
exercício do cargo público
efetivo, acrescida das
vantagens pecuniárias
permanentes estabelecidas
em lei.
Além do vencimento,
poderão ser pagos ao
servidor indenizações,
gratificações e adicionais,
sendo que as primeiras se
incorporam ao vencimento ou
provento para qualquer
efeito.
O servidor que faltar ao
serviço sem motivo
justificado perderá o dia de
remuneração.
O colaborador deve trabalhar
doze meses consecutivos
para ter direito a um período
completo de férias, em
condições normais de
trabalho, conforme preveem
tanto o RJU quanto a CLT.
É vedado levar à conta de
férias qualquer falta ao
serviço.
Independentemente da
legislação aplicada, o
adicional de insalubridade
pode ser pago
simultaneamente ao
adicional de periculosidade.
O servidor público não faz jus
ao adicional pela prestação
de serviço extraordinário.
Por ocasião das férias, é
pago ao servidor um
adicional correspondente a
um terço da remuneração do
período das férias.
O pagamento da
remuneração referente ao
período de férias de servidor
deve ser realizado até dois
dias antes do início do
respectivo período.
A licença por motivo de
doença em pessoa da família
será concedida ao servidor,
sem prejuízo da
remuneração, pelo prazo de
três meses, podendo haver
uma única prorrogação por
igual prazo, mediante
justificativa, sem a
remuneração.
Nada impede que o servidor
exerça atividade remunerada
durante o período da licença
por motivo de doença em
família.
O servidor público que estiver
cumprindo estágio probatório
não faz juz à licença para
tratar de interesses
particulares a critério da
administração pública.
O servidor pode, no interesse
da administração, após cinco
anos de efetivo exercício,
afastar-se do exercício do
cargo efetivo, sem prejuízo
da remuneração, por até três
meses, para participar de
curso de capacitação
profissional.
• O servidor poderá
ausentar-se do serviço por
um dia, para doação de
sangue, sem qualquer
prejuízo.

1
• Servidor aposentado não
pode ser punido em razão
de infração administrativa
praticada na ativa e cuja
penalidade prevista seja a
de demissão.

1
• Existe a possibilidade
de a administração,
quando houver
conveniência para o
serviço, converter a
penalidade de
suspensão em multa.

1
• Antes da aplicação de
uma penalidade deve ser
sempre assegurado ao
servidor o direito ao
contraditório e à ampla
defesa.

1
• O servidor público que
incorrer em falta poderá ter
como punição a sua
exoneração, após a
instauração de processo
administrativo que lhe
garanta o contraditório e
ampla defesa.

1
• Ao servidor público federal
é proibido atuar, como
procurador ou
intermediário, junto a
repartições públicas, salvo
quando se tratar de
benefícios previdenciários
ou assistenciais de parentes
até o segundo grau, e de
cônjuge ou companheiro.
1
• O abandono de cargo só
se configura após
sessenta dias
consecutivos de ausência
intencional do servidor
público.

1
• Se dois servidores públicos federais
discutirem na repartição pública em
que trabalham e, nessa discussão,
um deles, exaltado, agredir
fisicamente o outro, tal atitude
poderá acarretar, para o agressor, a
penalidade administrativa de
• A advertência.
• B suspensão.
• C demissão.
• D prestação de serviços sociais.
• E multa em favor do servidor
agredido.
1
• Nos casos de reincidência das faltas
punidas com advertência e de
violações das demais proibições que
não tipifiquem infração sujeita à
penalidade de demissão, será
aplicada a pena de suspensão. Esta
NÃO poderá exceder a:

• A) 30 dias.
• B) 45 dias.
• C) 60 dias.
• D) 90 dias.
• E) 120 dias.
1
• (FCC Técnico Judiciário Área
Administrativa TRF 2001) A
inassiduidade habitual do servidor
público sujeita-o à aplicação da pena
de

• (A) disponibilidade.
• (B) demissão.
• (C) advertência por escrito.
• (D) suspensão de até trinta dias.
• (E) multa de cinqüenta por cento dos
vencimentos. 1
• No que diz respeito às penas
disciplinares, considere a
prescrição da ação disciplinar,
quanto:
• I. à advertência;
• II. à suspensão;
• III. à infração punível com
cassação de aposentadoria.
• Nesses casos, a prescrição da
ação disciplinar ocorrerá,
respectivamente, em:
1
• A) 120 (cento e vinte) dias, 2 (dois) anos e
3 (três) anos.
• B) 120 (cento e vinte) dias, 3 (três) anos e
5 (cinco) anos.
• C) 180 (cento e oitenta) dias, 1 (um) ano e
3 (três) anos.
• D) 180 (cento e oitenta) dias, 2 (dois) anos
e 5 (cinco) anos.
• E) 240 (duzentos e quarenta) dias, 4
(quatro) anos e 8 (oito ) anos.

1
• O servidor público se
sujeita à responsabilidade
civil, penal e
administrativa decorrente
do exercício do cargo,
emprego ou função,
podendo as sanções, que
são independentes umas
das outras, cumular-se
entre si.

1
• As sanções civis, penais e
administrativas podem
cumular-se e são
independentes entre si, razão
pela qual, ainda que haja
absolvição criminal que negue
a existência do fato ou sua
autoria, poderá restar
configurada a
responsabilidade
administrativa do servidor
público.
1
• Sempre que um servidor
estiver respondendo penal
e administrativamente por
um mesmo fato disciplinar
e houver, na ação penal,
absolvição por falta de
provas, esta absolvição se
estende ao processo
administrativo.

1
• O processo disciplinar deve
ser conduzido por comissão
composta de três servidores
ocupantes de cargo de
provimento efetivo ou de
cargo de provimento em
comissão no órgão de lotação
do acusado.

1
Com relação ao processo disciplinar instaurado
para apurar responsabilidade de servidor por
infração praticada no exercício de suas atribuições,
ou que tenham relação com as atribuições do
cargo em que se encontra investido, é correto
afirmar:
(A) o servidor que responder a processo disciplinar só
poderá ser exonerado a pedido ou aposentado
voluntariamente, após a conclusão do processo e o
cumprimento da penalidade, acaso aplicada.
(B) o prazo improrrogável para a conclusão do
processo disciplinar é de até 60 (sessenta) dias.
(C) o julgamento que exceder o prazo legal fixado na
lei implica nulidade insanável do processo
disciplinar.
(D) extinta a punibilidade pela prescrição, é vedado o
registro do fato nos assentamentos individuais do
servidor.
(E) achando-se o indiciado em lugar incerto e não
sabido, o processo administrativo será suspenso
por até 2 (dois) anos, não se admitindo a citação
por edital. 1
• Na fase do inquérito, a
comissão de processo
administrativo disciplinar
promoverá a tomada de
depoimentos, acareações,
investigações e diligências
cabíveis, sendo assegurados
ao acusado o contraditório e a
ampla defesa.

1
• Após a abertura de processo
administrativo disciplinar, é
possível, como medida cautelar,
o afastamento, pelo prazo de 60
dias, prorrogável pelo mesmo
prazo, do servidor envolvido,
sem prejuízo da sua
remuneração, para que este não
venha a influir na apuração da
irregularidade.

1
• Considere que Paulo tenha sido
demitido do serviço público após
responder a processo
administrativo disciplinar. Nessa
situação, Paulo poderá pedir a
revisão da demissão, desde que
apresente fatos novos ou
circunstâncias suscetíveis de
justificar a sua inocência ou a
inadequação da penalidade
imposta, não constituindo
fundamento para essa revisão a
simples alegação de injustiça. 1