Você está na página 1de 3

ROTEIRO DE AULAS PRÁTICAS DE METABOLISMO HUMANO

SANTOS
2019

CURSO ODONTOLOGIA AULA PRÁTICA


– Avaliação da atividade da amilase salivar

1. Introdução
A atividade enzimática pode ser avaliada medindo-se a velocidade
de consumo do substrato ou a velocidade de aparecimento do
produto. Esta atividade depende de vários fatores, tais como o
tempo de reação, a concentração da enzima, a concentração do
substrato, a temperatura, o pH do meio e a presença de cofatores
e/ou inibidores. Para exemplificar estes conceitos, nesta aula
prática será avaliada a atividade da amilase salivar. A α-amilase é
encontrada nos animais (sangue, saliva e suco pancreático),
plantas, fungos e bactérias. Esta enzima é um endo-amilase e
hidrolisa as ligações glicosídicas do amido, glicogênio, poli e
oligossacarídeos ao acaso. Como resultado da ação não ordenada
da amilase salivar, obtém-se rapidamente uma mistura complexa de
produtos de hidrólise que incluem: amido solúvel, maltodextrinas,
maltoses, e, eventualmente, glicose. Na boca, a amilase salivar tem
participação na digestão de carboidratos. A amilase pancreática é a
maior responsável pela digestão glicídica no duodeno. Esta enzima
é também normalmente encontrada no soro e a elevação de sua
atividade enzimática sérica pode auxiliar no diagnóstico de
diversas patologias pancreáticas (obstrução, tumores, pancreatite
aguda, etc). O amido é composto pela amilose (não-ramificada) e
amilopectina (ramificada). A amilose forma micelas hidratadas que
adsorvem IODO, presente na solução de lugol, em suas espirais
helicoidais, apresentando coloração azul-violeta.

2. Objetivos
o Avaliar a ação da amilase salivar sobre o seu substrato (amido);

3. Procedimentos
ATIVIDADE DA AMILASE SALIVAR:
1. Preparação da solução de saliva
- Um aluno do grupo doa a sua saliva em um copo descartável.
- Para diluição (1:5), adicionar em um tubo:
o 1,0 mL de saliva;
o 4 mL de água destilada;
- Reservar até o momento de uso.
2. Preparação dos tubos
- Tomar 06 tubos de ensaio limpos, nomear um deles de B (Branco)
e numerar os restantes de 1 a 5.
- Adicionar a todos os 5 tubos:
o 2 mL de água destilada;
o 2 gotas de lugol.

3. Preparação da solução de reação;


- Misturar, em um béquer:
o 5 mL de solução de amido;
o 2 mL de tampão fosfato (pH 6.8);
o 2 mL de NaCl 0,9%.
* Retirar 2 gotas e adicionar ao TUBO B (Branco).

Adicionar 1,0 mL de solução de saliva à solução de reação e


IMEDIATAMENTE:
* Retirar 2 gotas e adicionar ao TUBO 1;
* Após 1 minuto, retirar mais 2 gotas e adicionar ao TUBO 2;
* Repetir sucessivamente, em intervalos de 1 minuto, a
transferência de 2 gotas para os tubos seguintes até o tubo que
não se observe mais a coloração com o iodo (ponto acromático);
* Adicionar 5 mL de água destilada a todos os tubos e agitar. Ler as
absorbâncias em um espectrofotômetro (fotocolorímetro) a 620-660
nm, zerando o aparelho com o conteúdo do TUBO B (Branco).

*** Fazer relatório em dupla e entregar na próxima aula de acordo


com as normas da ABNT.

ROTEIRO PARA O RELATÓRIO:


- Introdução: Escrever uma breve introdução teórica sobre
atividade enzimática e sobre a enzima amilase salivar.
- Materiais e métodos: Descrever detalhadamente o que foi feito no
laboratório, além do material utilizado.
- Resultados: Experimento: Traçar duas curvas num mesmo
gráfico, colocando os tempos (minutos) na abscissa e as
absorbâncias para os tubos contendo IODO na ordenada. Comparar
a curva de consumo de substrato (amido) entre os diferentes
grupos.
- Discussão: Discutir os resultados obtidos.
- Bibliografia: Descrever a bibliografia utilizada para o relatório.