Você está na página 1de 2

EJA e ensino profissional

EJA ( Educação de Jovens e Adultos) é uma modalidade de ensino cujo objetivo é aceitar que

pessoas jovens e adultas, que não tiveram a chance de frequentar a escola na idade

convencional, possam retomar seus estudos e recuperar o tempo perdido.

A EJA surgiu com o objetivo de atender aquelas pessoas que não tiveram ou, não puderam

estudar em sua idade série adequadas. Porém, da construção a consolidação desta ideia

muitos são os desafios. O caminho daqueles que decidem ingressar ou retomar o papel de

aluno e transformar-se em cidadão letrado, crítico e participativo na sociedade, é bastante

árduo, pois exige destas pessoas muita força de vontade e determinação.

Um número considerável desses alunos chega às salas da Educação de Jovens e Adultos

com vontade de estudar, com o passar do tempo iniciam um processo de desânimo em relação

à sua escolarização, o que o leva a abandonar o curso. O ensino de Jovens e Adultos é para

muitos a realização do sonho da alfabetização, no entanto, acaba por transmitir além do

conhecimento propriamente dito, a integração do indivíduo à sociedade, como cidadão

participativo e não mais somente observador.

Para uma pessoa adulta que retoma seus estudos, o desejo maior é o de se preparar para o

trabalho, de ter autonomia e de se dar bem profissionalmente. A abordagem metodológica

neste sentido não deve ser desenvolvida com os mesmos parâmetros utilizados para se

trabalhar com crianças. Um aluno com idade de 30 anos, por exemplo, retomando os anos

escolares correspondente ao 4º ano do ensino fundamental não se interessará por uma

atividade caracterizadamente infantil. Daí a necessidade de abordar conteúdos equivalentes,

mas com uma linguagem adulta e que vá ao encontro daquilo que esse público deseja.

A educação escolar é um bem precioso para o crescimento do indivíduo, não somente no que

diz respeito ao mercado de trabalho, mas também para seu desenvolvimento e atuação na

sociedade. Através dela o homem consegue compreender melhor a si mesmo e ao mundo em

que vive, dessa forma, a própria educação deve ser a primeira a aceitar e a acompanhar o

desenvolvimento e suas especificidades, ou seja, renovar e promover a interação com o novo.


A defasagem escolar é grande, segundo a Lei 9.394/96 art. 37 “a educação de jovens e adultos

deverá articular-se, preferencialmente, com a educação profissional, na forma do regulamento”,

dessa forma, e se realmente acontecesse o que está previsto em lei, teríamos muito mais

jovens dentro das escolas. Em consequência do desemprego, a busca pelo ensino profissional

e técnico aumentou significativamente. O jovem quer trabalhar, mas falta qualificação e

oportunidades, principalmente a de concluir a educação básica e ter parcial domínio das novas

tecnologias.