Você está na página 1de 10

-*

PROJETO DE PESQUISA
DISCIPLINA TCC II

A ARTICULAÇÃO DA REDE SOCIOASSISTENCIAL NA


ÁREA DE ABRANGÊNCIA DO CRAS CANINDEZINHO.

JOSÉ AILTON DOS SANTOS – 9904003385

Fortaleza-Ceará

2017
PROJETO DE PESQUISA

DISCIPLINA TCC II

JOSÉ AILTON DOS SANTOS– 9904003385

Projeto de pesquisa apresentado ao


Curso de Bacharelado em Serviço
Social 8º ( oitavo) Semestre, do
Centro de Educação a distância
CEAD da Universidade Anhanguera
UNIDERP,polo de apoio de Fortaleza,
como requisito obrigatório para
cumprimento da disciplina de
Trabalho de Conclusão de Curso II.

Tutora Presencial: Arailda D. Silva.

Tutor à Distância: Jôsi Greffe

Fortaleza-Ceará

2017

Tema
A articulação da rede socioassistencial na área de abrangência do

CRAS Canindezinho
Justificativa

Considerando que o CRAS Canindezinho é o equipamento central e


referencial que se localiza em território com grandes índices de vulnerabilidade e risco
social, destinado ao atendimento socioassistencial de famílias no bairro, e é também o
principal equipamento de promoção dos serviços socioassistenciais da proteção social
básica; sendo ainda, o espaço de concretização dos direitos socioassistenciais no seu
território de abrangência.

Considerando que é através dele que se materializa a política de assistência


social; sendo ainda seu papel, Articular e fortalecer a rede de Proteção Social Básica
local, Sobre essa ótica, e a partir das observações feitas durante o Estágio
supervisionado I e II, juntamente com o III, percebemos que mesmo sendo a estrutura
principal e o pilar central, o CRAS Canindezinho poderá contextualizar melhor e
articular melhor a rede socioassistencial em sua área de abrangência se compreender
juntamente com os demais equipamentos a importância de se trabalhar utilizando toda
a rede também mantê-la sempre atualizada.

Considerando que o Assistente Social é o profissional habilitado para


execução dos serviços no CRAS, faz-se necessário que este profissional entenda toda
a dinamicidade desta rede para que, além de encaminhar os usuários para o acesso
aos serviços sociais, possa visualizar a realidade das instituições, podendo criar
intervenções que ultrapassem os limites impostos por este contexto social do seu
cotidiano profissional, entendemos ser de suma relevância abordar esse assunto de
forma a fomentar e estimular iniciativas que melhorem o atendimento, mas também
fomente produções acadêmicas sobre esse tema.

Problema
Como instigar a rede socioassistencial e setorial colaborar com mais fluência
e eficácia na execução das demandas dos usuários?

Objetivos gerais

Conhecer como se articula a rede socioassistencial na área de abrangência


do Centro de referência de assistência Social. CRAS- Canindezinho.

Objetivos específicos

- Articular e fortalecer a rede de Proteção Social Básica local;

- Contribuir no Processo de sistematização da rede socioassistencial;

- Construir e ampliar conhecimentos acerca da rede socioassistencial;

- Enumerar as atividades realizadas pela rede sócioassitencial executadas em

Conjunto com o CRAS Canindezinho;


- Classificar a rede sócioassitencial e rede setorial;

- Ampliar o debate sobre a formação de rede sócioassitencial;

- Conhecer o território de atuação da rede sócioassitencial do Cras Canindezinho.

Metodologia

Para alcançarmos os objetivos estabelecidos para produção desse trabalho,


seremos norteados por procedimentos de pesquisa Bibliográfica e documental de
maneira organizada e sistemática, seguindo planejamento estabelecido previamente:
partiremos do Estudo bibliográfico relacionado ao tema de nosso artigo com intuito de
proporcionarmos aos leitores maior familiaridade com o assunto que iremos
desenvolver, logo, a fase inicial será Exploratória, em que iremos explicar como se
articula a rede sócioassitencial a partir das teorias publicadas em diversos tipos de
fontes: como livros, artigos, manuais, anais, e também meios eletrônicos para que
conheçamos e analisemos as principais contribuições teóricas sobre o assunto principal
que estamos abordando. Iremos ainda usar também metodologia descritiva, em que
iremos delinear as características do território de abrangência das organizações,
entidades e associações que forma a rede sócioassitencial, e se articulam com o Centro
de referência de assistência social.
Cronograma

Atividades A Agosto Setembro Outubro Novembro D Dezembro


1. Observar orientações

X
2. Pesquisa bibliográfica

X X
3. Pesquisa documental

X X
4. Análise do material
Lido
X X X
5. Redação do artigo

X
6. Finalização do artigo

X
7. Postagem do artigo
no AVA
X X X
Bibliografia

ABNT. Projeto de Pesquisa e trabalho acadêmico. NBR 15287. Disponível


em:www.ulbra.br/bibliotecas/files/abnt2011.pdf Acesso em 28 de março de 2017.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional.


Política Nacional de Assistência Social, PNAS, 2004.

BRASIL. Conselho Nacional de Assistência Social. Resolução no

109, de 11 de novembro de 2009. Brasília, 2009.

BRASIL, Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Editora Saraiva 1997

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Política Nacional de


Assistência Social – PNAS/2004 e Norma Operacional Básica – NOB/Suas. Brasília,
2005.
O SUAS.

CFESS, ABEPSS E CEAD/NED – UNB. Capacitação continuada em Serviço

Social e política social, módulo 4: O trabalho do assistente social e políticas sociais.


Brasília: UnB, Centro de educação aberta, continuada a distância: 2000.

CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL. Conselho Federal de


Assistentes Sociais (Lei nº 8662/93). Março de 1993.

LEI ORGÂNICA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL. Lei 8.742 de 07 de dezembro de 1993.


Dispõe sobre a organização da assistência social e dá outras providências. Brasília,
2000

CFESS, Parâmetros para atuação do Assistente Social e Psicólogos (as) na Política de


Assistência Social. CFP, CFESS. Brasília: CFP/CFESS, 2007.

MDS - MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME.


Orientações técnicas: CRAS– Centro de Referência de Assistência Social. 1 ed. –
Brasília, 2009.

A INTERSETORIALIDADE NAS POLÍTICAS SOCIAIS PÚBLICAS. André Viana


Custódio1. Cícero Ricardo Cavalcante da Silva2.
https://online.unisc.br/acadnet/anais/index.php/snpp/article/viewFile/14264/2708
TEIXEIRA, Maria Aparecida de Fátima Mello. Rede socioassistencial: concepção e
relevância do trabalho do assistente social. Disponível em:
http://anais.unicentro.br/xixeaic/pdf/1193.pdf. Acesso em 11/03/2017.