Você está na página 1de 6

Citologia

Organização celular

 Todas as células apresentam:

- Membrana plasmática

- Citoplasma

- Material genético DNA

 As células podem ser procarióticas ou eucarióticas. As células procarióticas estão


presentes apenas em bactérias.
 Todos os outros seres vivos têm células eucarióticas.

Procarioto Eucarioto
Não tem núcleo Tem núcleo
Não tem Tem organelas
organelas
Ribossomos 70s Ribossomos 80s
Não tem Tem
citoesqueleto citoesqueleto

Célula eucariótica
 São bem maiores do que as procarióticas.
 O citoplasma da célula é a região entre a membrana plasmática e o núcleo da
célula.
 O citoplasma é preenchido por um líquido chamado citosol. Esse líquido é
composto por água e proteínas.
 No citoplasma há diversas estruturas mergulhadas no citosol, chamadas
organelas.

Citoesqueleto

 O citoesqueleto é uma rede de tubos e filamentos de proteínas que tem função


de:
- definir a forma da célula
- dar sustentação e movimentação
- permite a adesão da célula a células vizinhas
- permite o deslocamento de materiais no interior da célula
- é responsável por diversos tipos de movimentos que a célula faz

 O citoesqueleto é formado por três tipos de estrutura:

- Microtúbulos: são feitos de tubulina. São formados por tubos perfurados finíssimos.
Podem aumentar ou diminuir de tamanho e são responsáveis por definir a direção do
crescimento da célula. Formam os cílios e flagelos, ajudando na movimentação da
célula. São responsáveis pelo movimento dos cromossomos durante as divisões
celulares. Formam os cílios e flagelos.

- Microfilamentos: são feitos de actina. Dispõem-se de lado a lado, formando feixes,


ou entrelaçados, formando redes. Ajudam na contração celular e movimentação da
célula.

- Filamentos intermediários: são formados por vários tipos de proteínas. São


estruturas estáveis e não participam dos movimentos celulares. Sua principal função
é dar suporte mecânico à membrana plasmática.

Centríolo

 É formado por nove conjuntos de três microtúbulos unidos por proteínas.


 Estão localizados perto do núcleo, local denominado centrossomo ou centro
celular.
 Funcionam em pares.
 Auxiliam na divisão celular (mitose e meiose).
 Podem formar cílios e flagelos.

Ribossomos

 São pequenas estruturas em forma de grânulos que estão presentes nas células
procariontes e eucariontes.
 A função dos ribossomos é auxiliar na produção e na síntese das proteínas nas
células.
 Nas células procarióticas são do tipo 70s, e na célula eucariótica são do tipo 80s.
 São formados por duas subunidades de tamanhos e densidades diferentes,
sendo chamadas de maior e menor.
 Podem estar aderidos à membrana do retículo endoplasmático ou estar livres
no citoplasma.
 Os ribossomos aderidos às membranas produzem proteínas para o retículo
endoplasmático.
 Os ribossomos livres no citoplasma sintetizam tanto as proteínas que serão
utilizadas no próprio citosol, ou para organelas.
Retículo endoplasmático

 uma rede citoplasmática de tubos e bolsas membranosos


 Em alguns casos, os retículos endoplasmáticos possuem ribossomos aderidos
(RER) e em outros casos, não possuem ribossomos aderidos (REL).

Retículo endoplasmático rugoso

 Os ribossomos aderidos às membranas do retículo endoplasmático granuloso


atuam na produção de certas proteínas celulares, principalmente aquelas que
se destinam à “exportação”, isto é, que serão eliminadas para atuar fora da
célula. Por exemplo, as enzimas que digerem os alimentos.
 O retículo endoplasmático granuloso também é responsável pela produção de
proteínas para os lisossomos e membranas celulares.
 As proteínas produzidas são transportadas em vesículas.

Retículo endoplasmático liso

 O retículo endoplasmático não granuloso é responsável pela síntese de


fosfolipídios e de esteroides, que ocorre no interior de suas bolsas e tubos
membranosos.

 Atua na desintoxicação do organismo e é abundante, por exemplo, em


células do fígado, onde atua em certas substâncias tóxicas facilitando sua
eliminação do corpo.

 As células que produzem os hormônios sexuais também apresentam


retículo não granuloso bem desenvolvido, pois é nele que esses hormônios
esteroides são sintetizados.

 Nas células musculares, bolsas do retículo endoplasmático não granuloso


são especializadas no armazenamento de íons de cálcio que, ao serem
liberados no citosol, promovem a contração muscular.

Complexo de Golgi
 Esse componente citoplasmático é constituído por bolsas membranosas
achatadas, denominadas cisternas ou vesículas, empilhadas umas sobre
as outras.
 Muitas proteínas produzidas pelos ribossomos do retículo granuloso são
enviadas diretamente para o Complexo e Golgi.
 A transferência das proteínas produzidas no retículo endoplasmático
granuloso para as cisternas do
Complexo golgiense ocorre por meio das chamadas vesículas de transição,
bolsas
Membranosas repletas de proteínas recém-sintetizadas

 Certas proteínas produzidas no retículo granuloso são quimicamente


modificadas pela adição de glicídios, processo denominado glicosilação de
proteínas.
 É também no complexo golgiense que ocorre a síntese de determinados
carboidratos.

 A maioria das proteínas que atuam no ambiente externo à célula, como as


enzimas, passa pelo complexo golgiense, onde são “empacotadas” no
interior de bolsas membranosas para serem enviadas aos locais
extracelulares em que atuarão.
 O complexo golgiense é, portanto, o responsável pela secreção celular.
 Também é responsável por determinar o destino de determinadas
substâncias na célula.
 O complexo golgiense também desempenha papel importante na formação
dos espermatozóides dos animais, originando o acrossomo, uma grande
vesícula repleta de enzimas digestivas, que ocupa a ponta da cabeça do
espermatozóide. Tem por função perfurar as membranas do óvulo na
fecundação.
 Na célula vegetal, o complexo de Golgi cria uma parede de pectina que
divide a célula.

Lisossomos

 Lisossomos são bolsas membranosas que contêm dezenas de tipos de enzimas


digestivas, capazes de digerir grande variedade de substâncias orgânicas.
 A membrana dos lisossomos é capaz de bombear ativamente íons do citosol para o
interior da organela. Esses íons formam um meio ácido, o que faz o interior do
lisossomo ter um pH ácido, ideal para a ação das enzimas lisossômicas. Essas
enzimas praticamente não atuam em pH neutro, como o do citosol e o do líquido
que banha as células. Assim, se eventualmente um lisossomo se rompe e libera
suas enzimas no citoplasma, não chega a haver autodigestão da célula, pois o pH
do citosol gira em torno de 7,0 e 7,3.
 Os lisossomos recém-produzidos pelo complexo golgiense vagam pelo citoplasma
até se fundir a bolsas membranosas contendo materiais a serem digeridos.
Enquanto essa fusão não ocorre, eles são denominados lisossomos primários, pois
ainda não iniciaram sua atividade de digestão.

 Quando se fundem a bolsas membranosas com os materiais que serão digeridos e


suas enzimas entram em ação, eles passam a ser chamados de lisossomos
secundários, também chamados de vacúolos digestivos. Lisossomos podem digerir
material capturado do exterior por fagocitose ou por pinocitose, o que constitui sua
função heterofágica, ou digerir partes desgastadas da própria célula, o que se
denomina função autofágica.

Peroxissomos

 Eles contêm diversos tipos de oxidases, enzimas que utilizam gás


oxigênio (O2) para oxidar substâncias orgânicas, processo em que se
forma, como subproduto, peróxido de hidrogênio (H2O2), a popular água
oxigenada.
 Essa substância é tóxica para as células, mas os peroxissomos,
apropriadamente, contêm a enzima catalase, que transforma o peróxido
de hidrogênio em água e gás oxigênio.
 A principal função dos peroxissomos é oxidar ácidos graxos, preparando-
os para serem utilizados como matéria-prima na respiração celular.
 Os peroxissomos são particularmente abundantes nas células do fígado
e dos rins. Nesses órgãos, eles têm por função oxidar diversos tipos de
substâncias tóxicas absorvidas do sangue.

Vacúolos da célula vegetal


 A maioria das células vegetais adultas apresenta um grande vacúolo
central que chega a ocupar até 80% do volume celular.
 contém uma solução aquosa ácida composta por íonsinorgânicos,
açúcares, aminoácidos, ácidos orgânicos e, em alguns casos,
proteínas, como ocorre nas células das sementes. A concentração de
sais pode tornar-se tão alta que eles cristalizam, assumindo formas
geométricas específicas.
 O vacúolo contém, também, inúmeras enzimas digestivas,
desempenhando função semelhante à dos lisossomos das células
animais.
 Além de armazenar substâncias úteis, os vacúolos das células vegetais
atuam como reservatório de substâncias potencialmente prejudiciais,
que poderiam causar danos ao citoplasma.

Você também pode gostar