Você está na página 1de 4

O Pensamento Positivista de Auguste Comte – Sociologia Enem

Entenda como o pensamento positivista influenciou na construção de uma sociedade


baseada nos ideais de “ordem e progresso” e instituiu a Sociologia como ciência.
A filosofia positiva surge na França no século XIX, tendo como principal representante
Auguste Comte (1798-1857) e uma de suas principais obras, publicada em 1830, o “Curso
de Filosofia Positiva”.

O contexto histórico é o da revolução francesa e da crescente industrialização da sociedade, fator


que trouxe à tona novos problemas e novas formas observáveis de processos de mudanças
profundas na vida da sociedade tradicional da época. Comte buscava a criação de uma ciência da
sociedade capaz de explicar e compreender todos esses fenômenos, e que pudesse contribuir
para modificar a “desorganização social” da época.

A filosofia de Auguste Comte tem como ideia principal a reorganização da sociedade por meio de
uma reforma intelectual do homem. Acreditava que era necessário que os homens tivessem novos
hábitos de pensar que estivessem de acordo com a razão e a ciência, substituindo o pensamento
feudal baseado na religião e no sobrenatural.

O pensador sofreu influência de Condorcet, principalmente por meio de seu estudo intitulado
“Quadro Histórico dos progressos do Espírito Humano”, na qual o autor faz um esboço do
desenvolvimento da humanidade por meio dos descobrimentos e invenções da tecnologia, que
levaria o homem a caminhar para uma era de organização social e política, produto da razão.
Outro pensador da época que influenciou Comte foi Saint-Simon, preocupado com a reforma das
instituições do feudalismo.

Figura 1 – Transição do modo de pensar o mundo pelo homem: religião x razão

Comte acreditava que a filosofia da história obedecia ao que o autor chamou de lei dos três
estados. Esta lei corresponderia ao desenvolvimento da ciência e do espírito humano, os quais
passaram por três fases (teológica, metafísica e a positiva) até chegar ao estado mais evoluído
(positivo). Na fase teológica o homem só consegue explicar a natureza por meio de crenças
sobrenaturais, de deuses e espíritos, fato que explicaria todos os fenômenos.

Este tipo de pensamento desempenhou um papel de coesão social, já que os homens confiando
em poderes imutáveis e sobrenaturais, confiavam também, sem contestar, no sistema político
monarquista aliado ao militarismo. No estado metafísico, um pouco mais evoluído, o homem
acredita que diferentes “forças” (física, química, vital) explicaria os fenômenos naturais, em
substituição das divindades, destruindo a ideia teológica de subordinação da natureza ao
sobrenatural.
No plano político corresponderia a substituição dos reis por juristas, e o Estado baseado na
soberania do povo. O último estado, em que o homem alcança sua excelência, é o positivo,
caracterizado pela subordinação da imaginação (teológico) e da argumentação (metafísico) à
observação dos fenômenos.

Figura 2 – Auguste Comte e sua teoria da lei dos três estados,


Fonte: http://slideplayer.com.br

Dica 1: Você sabe como a sociologia se consolidou como ciência? Não? Então veja este
post de sociologia da professora Viviane: https://blogdoenem.com.br/sociologia-se-torna-
ciencia/

A Filosofia Positiva

No pensamento positivo cada ideia deve corresponder a um fato, particular ou universal. O


conhecimento se dá por meio da pesquisa das leis imutáveis relativas àquele fenômeno. Até
mesmo os fenômenos psicológicos devem ser explicados como os relacionados a física, por meio
de relações que são imutáveis. Ao contrário dos estados teológicos ou metafísico, no estado
positivo a explicação dos fenômenos não se dá por um só princípio, como os deuses, mas por
uma relação entre as ciências por meio de uma metodologia comum, uma unidade de
conhecimento coletiva. Esta metodologia universal possibilitaria a fraternidade entre os homens,
já que todos estariam sujeitos as mesmas leis.

Este conhecimento, das relações constantes entre os fenômenos, tornaria possível determinar o
desenvolvimento destes fenômenos, permitindo sua previsibilidade científica. Este conhecimento
aplicado à sociedade poderia explicar as leis que regem o mundo social, ajudando a compreender
os processos sociais e dando controle aos homens sobre os rumos que as sociedades tomariam.
Comte acreditava ser possível prever e tratar os males sociais que afligiam a sociedade tal como
se trata de um corpo enfermo.

Este conhecimento também beneficiaria o desenvolvimento da indústria, permitindo o


desenvolvimento de técnicas em que o homem poderia utilizar para explorar a natureza.

Sociologia como Ciência

O conhecimento da sociedade por meio de leis intrínsecas aos fenômenos sociais, atribui a
Sociologia cientificidade. Para Comte a Sociologia é a ciência que mais se aproxima da filosofia
positiva, uma vez que estuda a sociedade. As outras ciências, a matemática, astronomia, física,
química e biologia alcançaram o estado positivo antes da sociologia, mas estão fragmentadas em
parcelas da realidade. A totalização do saber só poderia ser alcançada por meio da sociologia, a
qual traria um sistema indivisível, em que relaciona-se com a humanidade, única concepção
universal. Comte entende a Sociologia em sentido mais amplo, incluindo a psicologia, a economia
política, a ética e a filosofia da história.

Um aspecto fundamental que Comte atribuía a sociologia é a distinção entre estática e dinâmica
sociais. A estática relaciona-se as condições constantes da sociedade, tendo como ideia
fundamental a ordem. A dinâmica estuda as leis do desenvolvimento da sociedade e relaciona-se
ao progresso. A dinâmica estaria subordinada a estática, uma vez que o progresso proveria da
ordem e aperfeiçoa os elementos permanentes na sociedade como a família, a religião, a
propriedade, a linguagem.

Figura 3 – ilustração da divisão da Sociologia na teoria de Comte


Fonte: http://slideplayer.com.br

Influência do Positivismo

Figura 4 – Influência do Positivismo no Brasil


Fonte: http://www.universoracionalista.org

Figura 5 – Capela Positivista de Porto Alegre


Fonte: https://pt.wikipedia.org
Figura 5 – Bandeira Nacional. Influência do Positivismo no Brasil
Fonte: http://aprovadonovestibular.com

O positivismo exerceu influência na Europa e Inglaterra, contudo nos países carentes de ideologia,
como os da América latina encontrou campo fértil. Em 1876 foi fundada a primeira sociedade
positivista do Brasil e no ano seguinte a Sociedade Positivista do Rio de Janeiro. O positivismo
teve forte influência no movimento republicano em 1889 e na Constituição de 1891, tanto que
a bandeira brasileira tem como lema “ordem e progresso”. No século XX o entusiasmo pelo
positivismo perdeu forças no país.

Para finalizar sua revisão e saber mais sobre este assunto, assista a excelente aula da
professora Maria Clara Ramos Nery neste vídeo:

Questões:

(UEL) O lema da bandeira do Brasil, “Ordem e Progresso”, indica a forte influência do positivismo
na formação política do Estado brasileiro. Assinale a alternativa que apresenta ideias contidas
nesse lema.
a) Crença na resolução dos conflitos sociais por meio do estímulo à coesão social e à evolução
natural da nação.
b) Ideais de movimentos juvenis, que visam superar os valores das gerações adultas.
c) Denúncia dos laços de funcionalidade que unem as instituições sociais e garantem os privilégios
dos ricos.
d) Ideal de superação da sociedade burguesa através da revolução das classes populares.
e) Negação da instituição estatal e da harmonia coletiva baseada na hierarquia social.

(UEG 2013) A sociologia nasce no séc. XIX após as revoluções burguesas sob o signo do
positivismo elaborado por Augusto Comte. As características do pensamento comtiano são:
a) a sociedade é regida por leis sociais tal como a natureza é regida por leis naturais; as ciências
humanas devem utilizar os mesmos métodos das ciências naturais e a ciência deve ser neutra.
b) a sociedade humana atravessa três estágios sucessivos de evolução: o metafísico, o empírico
e o teológico, no qual predomina a religião positivista.
c) a sociologia como ciência da sociedade, ao contrário das ciências aturais, não pode ser neutra
porque tanto o sujeito quanto o objeto são sociais e estão envolvidos reciprocamente.
d) o processo de evolução social ocorre por meio da unidade entre ordem e progresso, o que
necessariamente levaria a uma sociedade comunista.