Você está na página 1de 3

Alumínio e suas ligas

2.1 Generalidades
O alumínio é um elemento muito abundante na crosta terrestre,
onde aparece sob variadas formas, sendo as bauxites (óxidos
hidratados de alumínio, Al20 .2 H20), os minérios mais utilizados na
sua produção industrial.
Estes minérios têm cerca de 40 a 60% de óxido de alumínio
(alumina), sendo a parte restante formada por impurezas, tais
como óxidos de ferro, de silício, de cálcio e de titânio. O alumínio,
metal já conhecido na antiguidade egípcia, só no século XX passou
a ser utilizado industrialmente com grande escala.
Este atraso deveu-se à grande afinidade deste elemento com o
oxigénio, o que tornava impraticável a redução dos seus óxidos
pelo carbono.
A recuperação do alumínio, do seu minério, faz-se através dum
processo electroquímico em que a alumina é dissolvida num
electrólito de fusão e em seguida é estabelecido um circuito
eléctrico em que a corrente passa pelo electrólito, promovendo a
deposição e solidificação
do alumínio metálico no cátodo (Figura 27).

2.2 Características e Propriedades Principais


O alumínio e as suas ligas, tal como a maioria dos metais dúcteis,
têm uma estrutura cristalina, constituída por uma rede cúbica de
fases centradas.
O alumínio tecnicamente puro, é um metal leve, de cor branca,
pouco duro, muito
deformável, com elevada condutibilidade eléctrica e térmica e com
baixo ponto de fusão. Não é tóxico, não produz ignição e não é
magnético.
Devido ao seu elevado poder redutor, oxida-se ao ar, formando
exteriormente uma finíssima camada de alumina, que o protege
contra a corrosão, nomeadamente da água destilada, do ácido
nítrico, do ácido carbónico, dos compostos de enxofre e de muitos
hidrocarbonetos, óleos e substâncias orgânicas. No entanto, é
atacado pela água do mar e pelas bases alcalinas (sódio e
potássio) e por alguns óxidos como o ácido clorídrico e o
fluorídrico. Dum modo geral, as aplicações industriais do alumínio
puro são restritas. O alumínio forma ligas principalmente com o
cobre, com o silício, com o magnésio, com o manganês e
ocasionalmente com o zinco, níquel e cobre.
2.3 Classificação das ligas de alumínio
As ligas de alumínio são classificadas em três diferentes aspectos:
Por composição - São divididas em “alumínio comercialmente puro
e em ”ligas de alumínio”.
Pelo tratamento - São divididas em ligas sensíveis ao tratamento
térmico e ligas insensíveis ao tratamento térmico.
Pelo método de produção - São divididas em ligas forjáveis (ou de
conformação plástica) e ligas fundidas.
As ligas de conformação plástica são classificadas segundo um
sistema de numeração
desenvolvido pela “Aluminium Association” dos E.U.A.. A Tabela 19
apresenta um resumo desse sistema de classificação que é o mais
corrente.
As ligas das séries 1, 3 e 5 são insensíveis ao tratamento térmico,
mas as suas
propriedades mecânicas podem ser melhoradas por trabalho a frio,
devendo-se tais características à composição de Mn e Mg.
As ligas das séries 2, 6 e 7 são sensíveis ao tratamento térmico; as
ligas da série 4 embora
também o sejam vêm o seu uso restringido a metal de adição em
soldadura.
As ligas de fundição têm outro sistema de classificação, sendo as
mais usadas
industrialmente, as seguintes:
- Alumínio Silício
- Alumínio Cobre Silício
- Alumínio Magnésio Silício
- Alumínio Zinco Magnésio
- Alumínio Estanho
Estas ligas de fundição, consoante a sua composição, podem ou
não ser sensíveis aos tratamentos térmicos; em geral, têm
propriedades mecânicas inferiores às ligas de conformação
plástica.
2.4 Considerações sobre o Projeto Estrutural em Alumínio
Como as propriedades mecânicas de alumínio e suas ligas são
diferentes das do aço, o cálculo estrutural deve tomar esse facto
em conta.
A decisão de efectuar uma estrutura em liga de alumínio deve
tomar em conta os diversos factores em jogo, designadamente:
- Tensão de Rotura
- Tensão de Cedência
- Módulo de Elasticidade
- Massa Volúmica
- Soldabilidade
- Conformabilidade
- Resistência Corrosão
- Tenacidade à Fractura, etc.
2.5 Aplicações navais do alumínio e suas ligas

As ligas de alumínio são aplicadas na indústria naval onde os seus atributos são
valorizados,quando confrontados com outros materiais. Alguns desses atributos são: baixa
densidade,elevada relação resistência à tracção/peso, resistência à corrosão em determinados
ambientes e retenção da tenacidade a baixas temperaturas, nalguns casos, o
valor relativamente baixo do módulo de elasticidade é também um factor importante. O
desenvolvimento e o uso de ligas de alumínio em estruturas navais está também muito
relacionado com o desenvolvimento da soldadura em atmosfera inerte (*MGAW), algumas
vezes designada impropriamente por “soldadura semi-automática”.As ligas de alumínio são
frequentemente usadas em superestruturas de grandes navios oude navios militares e também
em cascos de alguns navios e embarcações, incluindo a actividade oceânica (offshore).Como já
se referiu, a baixa densidade do alumínio e das suas ligas, toma-os particularmente atractivas
para aplicações onde se permite uma elevada resistência atracção, relativamenteao peso,
como embarcações rápidas, navios de efeito de superfície (aerobarcos) ouhydrofoils.