Você está na página 1de 4

Estudos da Mediunidade

O que é Mediunidade?

"Mediunidade é a capacidade de intermediar entre duas realidades ou mais especificamente


entre o plano material e o espiritual".

Definição básica, pois, a Mediunidade vai muito além.....Na umbanda também intermediamos
com realidades da natureza e outras dimensões paralelas à humana. Reconhecer nossa
mediunidade é reconhecer que de alguma forma podemos sentir, ver

ou interagir com o que está no plano astral ou espiritual.

"Todos são médiuns!"

Nem todos são médiuns de incorporação ou psicografia, mas todos sentem de alguma forma
o que é do mundo astral alguns

em sonho, outros por uma percepção ou ainda aquela “intuição”...Sentir uma presença
indesejada, uma energia ruim ou boa, por exemplo, é uma experiência mediúnica.

Quantas vezes acordamos muito bem e durante o dia nós encontramos “aquele” amigo que
só faz reclamar da vida, após encontro nos sentimos energeticamente pesados,com cargas
negativas (“carregados”) que foram absorvidas mediunicamente e ainda ouvimos a afirmação:
“- Que bom encontrá-lo(a), estou até me sentindo melhor.”

Você é que não pode dizer o mesmo. Isso é uma transferência de energia que acontece entre
nossos campos magnéticos

de energia (campo áurico), se dá naturalmente, e uns tem maior capacidade de absorção são
verdadeiras esponjas de energia, ficando depois a necessidade de descarregá-las, o que pode
se fazer por um passe, um banho de ervas, uma defumação, uma visita à natureza etc...

O Hard (dupla Lipp e Hard) do desenho animado (ó vida...ó dor... ó azar)é uma hiena, que
como todas as outras se alimentam de “carcaça”, procuram carcaças e as vampirizam. Há
nesta situação um prazer mórbido em reclamar de tudo, um prazer mórbido o negativismo,
um vício comportamental que se sustenta por dependência química nas substâncias que

o cérebro produz aliada a obsessões espirituais com entidades afins ao comportamento do


“cidadão”.
Alguns tipos de mediunidade:

Incorporação – Também chamada de “psicofonia”, é o ato de dar a passividade para que


espíritos se comuniquem com os demais através de seu corpo e principalmente que possa se
manifestar verbalmente através do médium. É a mediunidade mais comum dentro dos centros
de Umbanda. A grande diferença entre psicofonia e incorporação é que esta última vai além da

“fala mediúnica” para afirmar-se como uma caracterização total da entidade com a matéria de
seu médium.

A entidade incorporada se comporta como se estivesse encarnada no corpo de tal médium.

Psicografia – É a escrita mediúnica, em que os espíritos escrevem através do médium...


consagrou o médium Chico Xavier, apesar de ele ter manifestado em vida quase todos os tipos
de mediunidade.

Pictografia – Pintura mediúnica..muito bem apresentada por Gasparetto.

Clariaudiência – audição mediúnica, dom de ouvir a voz dos espíritos.

Clarividência – é a visão mediúnica, quando se vê o “mundo astral”.

Vidência – visão mediúnica com imagens que se formam mentalmente e que têm algum
contexto com a realidade ou o mundo astral.

Inspiração ou irradiação – quando sutilmente e conscientemente o médium recebe


comunicações do astral.

Desdobramento ou projeção astral – ainda conhecido como viagem astral, é o ato de sair do
corpo material com seu corpo perispiritual para realizar tarefa no astral,a maioria de nós a
realiza naturalmente enquanto dorme, tem ainda pequena diferença da projeção mental em
que apenas a mente, sem o invólucro perispiritual,vai até certo local buscar informações e
viver certa experiência.
Psicometria – É uma leitura do registro astral e temporal que fica em cada objeto revelando
seu histórico.

Xenoglossia ou Glossolalia – É o ato de falar em outras línguas, como na noite de pentecostes.

Materialização – De pessoas ou objetos, acontece commédiuns que têm o dom de doar muito
plasma de si próprio e o mesmo vai recobrindo o corpo perispiritual até que se veja
nitidamente sua presença no mundo físico material (ficou muito conhecida através do médium
Peixotinho, de Macaé – RJ, na década de 50; Chico Xavier também realizou algumas sessões
com seu grupo e outras junto com o próprio Peixotinho).

Existe ainda a materialização por transporte de objetos um pouco diferente de plasmar,


quando o médium tem o dom de desmaterializar algo em algum local físico e materializar em
outro local. Muito conhecida através da médium Adelarzil (faz materializações no algodão).

Telecinesia – É o dom de realizar efeitos físicos como mover objetos ou apagar luzes.

Os médiuns são porta-vozes de um mundo que as pessoas desejam que exista. Isto ocorre
porque a ciência deixa de satisfazer ou atender a uma necessidade emocional. Eles são,
portanto, canais de alívio para muitas aflições. São encontrados na religião espírita, na
Umbanda no catolicismo e não raro em outras religiões que seguem normas mais rígidas.

A mediunidade não escolhe credo, raça ou condição social. Ela é divina e universal, capaz de
produzir um fenômeno de atração magnética, e assim como um ímã, consegue captar o campo
áurico de uma pessoa que já morreu. O médium é uma ponte entre vivos e espíritos, e
experimentam fenômenos que desafiam até a ciência.

"Incorporação não é possessão".

A incorporação deve ocorrer de maneira suave, harmônica, sendo o médium um portador de


palavras de amor. Depois do término dos trabalhos, ele precisa refazer o seu ectoplasma, a
substância semiespiritual que se renova posteriormente, devendo ingerir proteínas para
retornar ao seu estado normal.
O médium possui uma responsabilidade maior do que uma pessoa comum. O dever de todo
médium é amar, respeitar o próximo, doar seus ouvidos e consolar os que necessitam. Deve
aperfeiçoar a moral dos homens e lembrar que todos nós estamos sujeitos a lei do karma, da
causa e do efeito. É importante aplicar-se ao serviço do bem, convertendo-se em um
instrumento de luz para si próprio e para todos os que o rodeiam.

" Reflitamos a cada ensinamento, pois todos nós temos sempre muito a aprender e ensinar."