Você está na página 1de 32

FACULDADE DA EDUCAÇÃO DE

TANGARÁ DA SERRA - FAEST


UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DE
TANGARÁ DA SERRA LTDA -
UNISERRA

DIREITOS HUMANOS DA PESSOA IDOSA

Rua Deputado Hitler Sansão, nº1038W. Jardim do Lago -


Tangará da Serra
Tel. (65) 3326-4650 / 3326 5656
www.uniserratga.com.br – E-mail: uniserratga@gmail.com
FACULDADE DA EDUCAÇÃO DE
TANGARÁ DA SERRA - FAEST
UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DE
TANGARÁ DA SERRA LTDA -
UNISERRA

ANA ILDA M. FAGUNDES


CINTIA REISDORFER
FABÍOLA BARBOSA DOS SANTOS
GISLAINE GONÇALVES ANGOLA
JUSCIMARA PERREIRA
SILVANA RODRIGUES P. VERCIANO
VALDINEI PARIZZI
VANUZA FERREIRA DA SILVA

CARTILHA: DIREITOS HUMANOS DA


PESSOA IDOSO
Trabalho apresentado à Unidade
de Ensino Superior de Tangará da
Serra (UNISERRA), Faculdade de
Educação Superior de Tangará da
Serra (FAEST), como avaliação
parcial em Psicologia da Família e
da Violência, do curso de
Psicologia, orientado pela Prof.ª
Psicóloga Ana Flávia Azevedo.

TANGARÁ DA SERRA - MT
2019
Rua Deputado Hitler Sansão, nº1038W. Jardim do Lago -
Tangará da Serra
Tel. (65) 3326-4650 / 3326 5656
www.uniserratga.com.br – E-mail: uniserratga@gmail.com
APRESENTAÇÃO

A presente cartilha é resultado do trabalho em


conjunto de um grupo de estudantes de
Psicologia, da Faculdade de Educação de
Tangará da Serra, preocupados com a
promoção, com os cuidados, sobretudo, com a
efetivação dos Direitos Humanos das Pessoas
Idosas. A expectativa dos estudantes é de que a
população Tangaraense conheça e assuma o
compromisso de respeitar os Direitos Humanos
das Pessoas Idosas. Ressaltando que ser “idoso”
está no futuro de cada um dos seres humanos.

"O maior pecado contra nossos semelhantes


não é o de odiá-los, mas de ser indiferentes
para com eles." (BERNARD SHAW)

3
LEIS QUE ASSEGURAM A PROTEÇÃO DO
IDOSO

A Constituição Federal declara no art. 1º


que são princípios fundamentais da República
Federal do Brasil, a cidadania e a dignidade
humana (incisos I e II). Diante dessa declaração
constitucional compreendemos que o idoso é
um ser humano que possui status de cidadão,
consequentemente, os seus direitos de
seguridade de respeito e dignidade humana está
garantida na Lei sem distinção de classe,
religião, sexo ou idade (art. 3º, inciso IV).

O Constituinte demonstrou especial


preocupação igualmente com os idosos
economicamente frágeis, isentando-os do
imposto sobre a renda percebida (art. 153, §2º,
I).

Continuando a proteção etária, o idoso


tem direito ao seguro social, ou aposentadoria,

4
variando as idades, se homem ou mulher, se
trabalhador urbano ou trabalhador rural (art.
201).

Para o idoso que não integre o seguro social, ou


seja o benefício a que tem direito apenas quem
contribui para a Previdência Social, a
Constituição assegura a prestação de
assistência social à velhice. Tal proteção deve se
dar com os recursos orçamentários da
previdência social e prevê, entre outras
iniciativas, a garantia de um salário mínimo
mensal ao idoso que comprove não possuir
meios de prover a própria manutenção ou de tê-
la provida por sua família (arts. 203, V, e 204).

Já o Estatuto do Idoso (Lei 10.741/2003)


tem como princípio básico garantir os direitos à
pessoa idosa, com idade igual ou superior a 60
(sessenta) anos. A pessoa idosa tem todos os
direitos e a lei protege e facilita a preservação de
sua saúde física, mental, moral, intelectual,

5
espiritual e social, objetivando amparar as
necessidades comuns a essa fase da vida.

Quem deve proteger o idoso?

É dever
de todo o
cidadão
proteger a
dignidade do
idoso,
https://www.istockphoto.com/pt/vetorial/fam%C3%ADlia-
grande-gm159659114-9183423 salientando
que nenhuma pessoa idosa pode sofrer
qualquer tipo de negligência, discriminação,
violência, crueldade ou opressão, caso os
cuidadores do idoso descumpram os diretos da
pessoa idosa serão punidos por lei. O Estatuto
do Idoso em seu Art. 2o, afirma que:
O idoso goza de todos os
direitos fundamentais
inerentes à pessoa humana,
sem prejuízo da proteção
integral de que trata esta Lei,

6
assegurando-se lhe, por lei ou
por outros meios, todas as
oportunidades e facilidades,
para preservação de sua saúde
física e mental e seu
aperfeiçoamento moral,
intelectual, espiritual e social,
em condições de liberdade e
dignidade.

Diante do exposto compreende-se que é


obrigação da família, da comunidade, da
sociedade e do Poder Público, com absoluta
prioridade, a efetivação do direito à vida, à
saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao
esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à
liberdade, à dignidade, ao respeito e à
convivência familiar”. Ainda no (...)§ 2º Dentre
os idosos, é assegurada prioridade espe

cial aos maiores de oitenta anos, atendendo-se


suas necessidades sempre preferencialmente
em relação aos demais idosos. Redação dada
pela Lei 13.466/17. A Lei 13.466/17 alterou os
artigos 3º,15 e 71 da Lei 10.741, de 1º de
outubro de 2003, que dispõe sobre o Estatuto

7
do Idoso e dá outras providências, a fim de
estabelecer a prioridade especial das pessoas
maiores de oitenta anos.

PROMOÇÃO E GARANTIA DO BEM ESTAR


DO IDOSO

Uma das questões primordiais da


convivência e relacionamento do ser humano é
o respeito, e no universo da pessoa idosa, ser
respeitado pode traduzir-se nas seguintes
garantias:

I – Direito de envelhecer;

II – Liberdade, respeito e dignidade;

III – Alimentos;

IV – Saúde;

V – Educação, cultura, esporte e lazer;

VI – Exercício da atividade profissional e


aposentar-se com dignidade;

8
VII – Moradia digna;

VIII – Transporte;

IX – Política de atendimento por ações


governamentais e não governamentais;

X – Atendimento preferencial;

XI – Acesso à justiça

Ressaltamos ainda que a experiência da


pessoa idosa tem um valor incomparável para a
sociedade e efetivamente pode ser ele um agente
de transformação social. Todavia, é necessário
que a pessoa idosa seja cada vez mais incluída
e faça essa opção, direcionando o seu tempo
livre para a realização de novos projetos nesta
nova etapa de sua vida, contribuindo para uma
sociedade mais justa e fraterna.

9
BEM ESTAR E QUALIDADE DE VIDA

“O segredo do bem-viver é
aprender a conviver com
as limitações decorrentes
do envelhecimento”
(ZIMMERMAN)

O envelhecimento é um processo natural,


progressivo e inevitável, que diferencia de
pessoa a pessoa dependendo das condições de
vida na qual está inserida.

Envelhecer de forma ativa e saudável


aumenta a expectativa e a qualidade de vida,
bem como contribui significativamente para
uma boa velhice, prolonga a juventude e previne
doenças. Nesse sentido, é importante e
necessário que os profissionais de saúde,
cuidadores, comunidade e idosos se permitam
melhor compreender o processo de
envelhecimento para que o idoso seja também

10
compreendido nos contextos social, econômico,
psicológico, cultural, espiritual e familiar.

Ter uma terceira idade feliz depende de


vários fatores, mas principalmente da forma
como o idoso se percebe nessa fase da vida e da
sua capacidade de se adaptar as mudanças e
transformações próprias do envelhecimento.

A capacidade de poder realizar as


atividades cotidianas, desde as mais básicas
como alimentar-se, tomar banho e andar, até as
mais complexas como administrar as finanças e
realizar atividades de lazer, são fundamentais
para uma vida plena. Para isso o idoso precisa
estar com suas plenas capacidades físicas,
mentais e emocionais, a fim de poder cuidar da
própria vida e dar sentido para a própria
existência.

De acordo com NERI e col. (2002, p.900)


os principais indicadores relacionados a
qualidade de vida são: saúde física e mental;

11
status social; manutenção das relações
interpessoais; satisfação e controle cognitivo.

A partir dessas afirmativas entende-se


que pessoas em idades avançadas e que estão
felizes e aproveitam a vida mostram declínios
mais lentos na capacidade física. Ou seja,
conseguir adaptar-se as mudanças ao longo do
processo de envelhecimento e encontrar formas
alternativas de aproveitar a vida e ficar feliz com
o que realiza contribui para uma vida mais
longa e saudável.

ALIMENTAÇÃO SAUDAVEL

Ministério da Saúde desenvolveu em 2009


os Dez passos para alimentação saudável para
o Idoso, que demonstra de forma prática como
incluir a alimentação saudável no dia a dia
dessa população:

12
 1º passo - Faça pelo menos 5 refeições
(café da manhã, lanche da manhã,
almoço, lanche da tarde, e jantar).
 2º passo - Inclua diariamente 6 porções
do grupo dos cereais (arroz, milho e trigo,
pães e massas), tubérculos como a
batata, raízes como mandioca/
macaxeira/ aipim, nas refeições. Dê
preferência
aos grãos integrais e aos alimentos
naturais.
 3º passo - Coma diariamente pelo menos
3 porções de legumes e verduras como
parte das refeições e 3 porções ou mais de
frutas nas sobremesas e lanches.
 4º passo - Coma feijão com arroz todos os
dias ou, pelo menos, 5 vezes por semana.
Esse prato brasileiro é uma combinação
completa de proteínas e bom para a
saúde.

13
 5º passo - Consuma diariamente 3
porções de leite e derivados e 1 porção de
carnes, aves, peixes ou ovos. Retirar a
gordura aparente das carnes e a pele das
aves antes da preparação torna esses
alimentos mais saudáveis.
 6º passo - Consuma, no máximo, 1
porção por dia de óleos vegetais, azeite
extra virgem, manteiga ou margarina.
 7º passo - Evite refrigerantes e sucos
industrializados, bolos, biscoitos doces e
recheados, sobremesas doces e outras
guloseimas como regra da alimentação.
Coma-os, no máximo, 2 vezes por
semana.
 8º passo - Diminua a quantidade de sal
na comida.
 9º passo - Beba pelo menos 2 litros (6 a 8
copos) de água por dia. Dê preferência ao
consumo de água nos intervalos das

14
refeições, evite tomar líquidos durante as
refeições.
 10º passo - Torne sua vida mais
saudável. Pratique pelo menos 30
minutos de atividade física todos os dias
e evite as bebidas alcoólicas e o fumo.

ATIVIDADES FÍSICAS

A prática de atividade
física regular e
moderada contribui
significativamente
para o envelhecimento
ativo e saudável, colaborando
diretamente para a qualidade de vida da pessoa
idosa, diminuindo e retardando as perdas
funcionais, mantendo a pessoa ativa e saudável
por mais tempo.

15
PRINCIPAIS BENEFÍCIOS DA
ATIVIDADE FÍSICA

DICAS DE
 Aumento da ATIVIDADES
massa muscular; FÍSICAS:

 Redução do peso - Exercícios


posturais;
corporal;
- Exercícios
 Maior flexibilidade
respiratórios;
e mobilidade
- Caminhada;
articular;
- Corrida;
 Melhora da
- Natação;
coordenação
- Hidroginástica;
motora, do
equilíbrio e da - Danças;

marcha reduzindo - Jogos e


modalidades
o risco de queda;
esportivas;
- Exercícios como
musculação e
ginástica;
- Pilates e outros.

16
 Melhora do condicionamento
cardiorrespiratório;
 Melhora da postura;
 Melhora do sono;
 Melhora da autoestima, com aumento da
sensação de bem-estar e diminuição o
estresse;
 Redução de problemas psicológicos como
a ansiedade e depressão;
 Melhora da saúde mental;
 Previne e controla doenças crônicas;
 Promove maior contato social e
entretenimento.

17
SAÚDE MENTAL DO IDOSO

Manter uma
alimentação saudável e
fazer exercícios físicos com
frequência são hábitos de
grande importância para
manter a qualidade de vida
na terceira idade. Mas os
cuidados com a saúde
Ilustração: Joana Velozo/SAÚDE é
física não são suficientes Vital

para cultivar uma vida equilibrada, pois é


importante também dar atenção à saúde
mental. Há de se considerar que uma dieta
balanceada e um corpo ativo contribuem
significativamente para que o nosso cérebro se
mantenha saudável, porém ele precisa de
atenção especial.

O que o idoso pode fazer para melhorar


sua saúde mental? Deve estimular o cérebro

18
para que se mantenha ativo. Algumas
atividades podem contribuir para a conservação
da memória, fortalecimento das habilidades e,
sobretudo, manter o idoso ativo. Tais como:

 Música;
 Leitura;
 Jogos quebra-cabeça e tabuleiro;
 Palavras cruzadas; · Trabalhos manuais;
 Resgates de antigas habilidades;
 Exercícios físicos;
 Participação social e outras.

VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA

Corresponde a
qualquer forma de
menosprezo, desprezo,
preconceito e
discriminação, incluindo
agressões verbais ou gestuais, com o objetivo de

19
aterrorizar, humilhar, restringir a liberdade ou
isolar a pessoa idosa do convívio social. Pode
resultar em tristeza, isolamento, solidão,
sofrimento mental e depressão. É causada por
membros próximos da família, cuidadores e
pessoas da sociedade. É a violência mais
frequente.

ABANDONO

É ausência ou omissão, por parte dos


responsáveis familiares, institucionais ou
governamentais, de prestarem socorro a uma
pessoa idosa que necessite de proteção.

VIOLÊNCIA FINANCEIRA

Qualquer prática que visa a apropriação


ilícita do património de uma pessoa idosa e

20
pode ser realizada por familiares, profissionais
e instituições.
Toda e qualquer violência deve ser
denunciada através do disk 100.

VIOLÊNCIA SEXUAL

Refere-se ao ato ou jogo sexual praticado


com pessoas idosas e sem o seu consentimento,
tanto por pessoas do mesmo sexo como de sexo
diferente. Esses abusos visam estimular a vítima
ou utilizá-la para obter excitação, ou forçá-la a ter
relação sexual ou outras práticas eróticas por
meio de ameaças, chantagens ou violência física.
Podem ocorrer entre casais, ou serem praticados
por membros da família, por cuidadores e, às
vezes, até por estranhos.

DICAS DE SEGURANÇA

21
Prevenção de quedas

De acordo com o Manual de prevenção de


quedas da pessoa idosa (ONI – Observatório
Nacional do Idoso), o risco de quedas aumenta,
podendo chegar a 51% em idosos acima de 85
anos.

Em alguns casos as quedas são


relacionadas ao ambiente em que o idoso
interage, sua casa, locais públicos, transporte
coletivo, entre outros. Com isso em mente, esta
cartilha disponibiliza dicas simples para evitar
quedas.

 Evite tapetes de tecido, tapetes muito soltos


ou sobre piso encerado, pois estes poderão
ocasionar escorregões. Prefira tapetes
emborrachados e antiderrapantes;
 Evite fios ou extensões elétricas que cruzem
o caminho de passagem, além de objetos
espalhados pelo chão. Tenha o cuidado,

22
sempre, de retirar estes obstáculos do
caminho dos idosos, evitando tropeções;
 Evite sofás e poltronas sem braços. Prefira
sofás mais altos e firmes e poltronas com
braço;
 Evite pouca iluminação nos ambientes. É
obrigação dos espaços públicos estarem
sempre bem iluminados, principalmente
durante a noite;
 Evite banheiros com box de vidro, sem
barras de apoio e sem tapete antiderrapante;
lembre-se que a instalação de vasos mais
altos e barras de apoio laterais e paralelas ao
vaso facilitam o seu uso, evitando quedas;
 Evite armários muito altos que necessitem
de bancos ou escadas para alcançar os
objetos, escadas sem corrimão e com degraus
estreitos

23
DIA INTERNACIONAL DO IDOSO

O Dia do Idoso é
comemorado no Brasil em
1º de outubro. Essa data
faz referência ao dia da
aprovação do Estatuto do
Idoso, em 2003, aprovada
http://www.birigui.sp.gov.br/birigui/noticias/noticias_d

a Lei nº 10.741.
etalhes.php?id_noticia=3502

O fato é que, com a criação do Estatuto do


Idoso, em 2003, o Brasil começou a incorporar à
sua jurisprudência resoluções de organizações
internacionais, como a Organização das Nações
Unidas (ONU) e a Organização Mundial da Saúde
(OMS). Sabe-se que, em 1982, a ONU elaborou,
em Viena, na Áustria, a primeira Assembleia
Mundial sobre o Envelhecimento. Dessa
Assembleia, foi elaborado um Plano de Ação
Internacional sobre o Envelhecimento que tinha
62 pontos.

24
É sabido, também, que, na Assembleia
Geral de 1991, a ONU aprovou a Resolução
46/91, que trata dos direitos dos idosos. Os
princípios dessa resolução norteiam as
discussões contemporâneas sobre a situação do
idoso. Entre esses princípios, estão os da
“Autorrealização” e da “dignidade”, cujos pontos
são:

Autorrealização:
 Aproveitar as oportunidades para o total
desenvolvimento das suas potencialidades;
 Ter acesso aos recursos educacionais,
culturais, espirituais e de lazer da
sociedade;

Dignidade:
 Poder viver com dignidade e segurança,
sem ser objeto de exploração e maus-tratos
físico ou mentais;

Ser tratado com justiça,


independentemente da idade, sexo, raça, etnia,

25
deficiências, condições econômicas ou outros
fatores.

DADOS ESTATISTICOS DA VIOLÊNCIA


CONTRA O IDOSO NO BRASIL

Segundo a OMS,
conforme a população
envelhece a expectativa
de que os números de
pessoas que vivem com
demência tripliquem até
2050. Os sinais de agressões e
violência contra a pessoa idosa aumentam nos
pais, brasileiros com mais de 60 anos é de
proximamente 30 milhões sendo que sua
maioria 56% desse grupo o que equivale a 16,9
milhões são mulheres.

São Paulo é considerado o estado mais


violento para pessoas idosas de todo os pais

26
segundo o Ministério dos Direitos Humanos que
colhem ligações de denúncia por meio do disque
100. Dados do IBGE revelam que a população
idosa tem crescido em ritmo acelerado e a causa
de violência e acidentes resulta 3,5 dos óbitos
dos idosos, ocupando o sexto lugar na
mortalidade.

A proporção de internamento por


violência contra o idoso se quadriplicou entre os
maiores de 70 anos sendo que um em cada seis
idosos são vítimas de algum tipo de violência e
tem seus direitos ameaçados. Segundo o
Estatuto 16% das pessoas com mais de 60 anos
sofreram algum tipo de abuso, seja ela físico,
sexual ou psicológico.

27
A população idosa tem crescido a cada dia
em contrapartida o Brasil mantém os idosos em
situação de vulnerabilidade, por causa de uma
sociedade que
muitas vezes
colaboram para
uma cultural de
que os idosos são
descartáveis e
inválidos. O Estado
que apresentou
menos casos de denúncia de violência contra o
idoso foi Roraima, com 0,07%, considerado um
bom lugar para se morar e envelhecer.

28
REFERÊNCIA:

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de


Atenção à Saúde. Departamento de Atenção
Básica. Alimentação Saudável para a Pessoa
Idosa: um manual para profissionais de
saúde. Brasília Ministério da Saúde, 2010. 35p

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de


Atenção à Saúde. Departamento de Atenção
Básica. Cadernos de Atenção Básica nº 19:
Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa. 1ª
edição. Brasília: Ministério da Saúde, 2007.
192p.

CARTILHA DO IDOSO. Todas as notícias.


Disponível em:
<https://www.mdh.gov.br/todas-as-
noticias/2018/marco/copy_of_CartilhaUNISAL
.pdf> Acessado em 21⁄06⁄2019.

FRAQUELLI, A. A. Relação entre auto-estima,


auto-imagem e qualidade de vida em idosos
participantes de uma oficina de inclusão
digital. Porto Alegre, 2008. Dissertação
(Mestrado em Gerontologia Biomédica) –
Instituto de Geriatria e Gerontologia, PUCRS.
Orientação: Prof. Dr. Martin Pablo Cammarota.
Disponível
em: http://repositorio.pucrs.br:8080/dspace/
bitstream/10923/3573/1/000400281-
Texto%2bCompleto-0.pdf Acesso em: 13 de
julho de 2017.

LARCHER, Marcello. Inclusão Social do Idoso é


Essencial para Envelhecimento Saudável. Disponível
em:
<https://www2.camara.leg.br/camaranoticias/radio/materi
as/RADIOAGENCIA/522815-INCLUSAO-SOCIAL-
DO-IDOSO-E-ESSENCIAL-PARA-
ENVELHECIMENTO-SAUDAVEL,-DIZ-
ESPECIALISTA.html> Acesso em 21⁄06⁄2019.

Você também pode gostar