Você está na página 1de 63

SISTEMA SENSORIAL

PROF. DRA. MARIA CAROLINA TRAINA GAMA


Sistema Sensorial

O objetivo geral dos Sistemas Sensoriais é


converter um tipo específico de estímulo em
energia eléctrica ao SNC para poder
interpretar. Cada um dos sistemas sensoriais
são únicos na forma como eles nos permitem
interagir com o meio ambiente.

• Sensações Somáticas
• Visão
• Audição
• Gustação
• Olfação
• Equilibrio
https://www.youtube.com/watch?v=Zq4l8w-XGsU
Sistema Sensorial
Sensações Somáticas
Gerais - transmitem impulsos de pele, músculos esqueléticos e articulações

Sensações Viscerais
Transmitir impulsos de órgãos viscerais
Sentidos Especiais - olfato (cheiro), gustação (gosto); audição, equilíbrio, visão
Organização do Sistema Sensorial
• Estímulo – fonte de energia
– Interno
– Externo

• Receptores (transdução)
– Órgão Sensorial – estrutura especializada em responder estímulos
– Transdutores – energia do estímulo convertido em potenciais de ação

• Condução Uma exceção curiosa é o próprio sistema nervoso, cujo


parênquima não possui receptores. Por essa razão o cérebro não
– Vias Aferentes dói, e é possível realizar cirurgias para a remoção de tecido neural
– Impulso nervoso até o SNC doente em paciente submetidos apenas a anestesia local que
bloqueie a sensibilidade do crânio, das meninges e dos vasos
sanguíneos.
• Tradução (processamento)
– Integração e processamento de informações no SNC
– Sensação e percepção – sua realidade
Estrutura

PSEUDO-BIPOLAR = CORPO CELULAR NAPORÇÃO INTERMEDIÁRIA

1. Receptor simples

- Estímulo compatível e forte o suficiente


- Tradução em sinal elétrico

2. Receptor neural complexo

- Estimulo nas camadas de tecido conjuntivo


- Mielinizado

3. Receptores sensoriais especiais

- Células especializadas ao estímulo (PILOSA)


- Neurotransmissores
- Mielinizado
EXEMPLO = [CO2/O2]
Vai exigir ajuste fisiológico mas não perceptível ao indivíduo
Sensores específicos

Neurônios

Conexão
Transformar em Potencial de ação
Classificação por Localização
Exteroceptores - sensíveis a estímulos resultantes de fora do corpo. Localizado na ou perto de superfícies do corpo.
Incluem os receptores de tato, pressão, dor e temperatura

Internoceptores (visceroceptores) - recebem estímulos de vísceras. Monitoraram uma variedade de estímulos. Refletem
dinamicamente o estado funcional de nosso corpo, influenciando sensações subjetivas, emoções, e um certo sentido de
conhecimento global do nosso próprio corpo.

Proprioceptores - monitorar grau de estiramento (músculo ou tentão). Localizado no sistema músculo-esquelético. Como
a minha perna esta posicionada, mesmo que eu não esteja olhando pra ela. Força que devemos aplicar em cada
movimento.
Áreas Sensoriais do Córtex
Córtex Somatosensorial
Dermátomos

(Trigêmeo)
CAMPO RECEPTIVO

Dermátomo: território de inervação de uma única raiz sensitiva (1 segmento acima + 1 segmento abaixo)
CAMPO RECEPTIVO

Um grande campo receptivo apresenta redução na acuidade sensorial. Quanto menor o


receptivo maior a acuidade sensorial.
Sódio ou Cálcio (Entrada de cargas positivas = despolarização e propagação de PA)
Adaptação sensorial = particular para cada tipo de receptor (dor, térmica, tátil)

EXEMPLO = sentir o óculos e a roupa!


Classificação por Função (Estímulo)

• Mecanorreceptores - respondem ao toque, pressão, vibração, esticar e


coceira

• Termorreceptores - sensíveis às mudanças de temperatura

• Fotorreceptores - responder a energia da luz (por exemplo, retina)

• Quimiorreceptores - responder aos produtos químicos (por exemplo, cheiro,


gosto , mudanças na química do sangue)

• Nociceptores - sensível a estímulos causadoras de dor

• Osmoreceptores - detecta alterações na concentração de solutos, atividade


osmótica

• Barorreceptores - detecta alterações na pressão do fluido


Receptores Somáticos
• Dividido em 2 grupos:

– Terminações Nervosas Não-Capsuladas ou Livres

– Terminações Nervosas Encapsuladas - consistem em uma ou mais


fibras neurais finais fechados no tecido conjuntivo
Terminações Nervosas Livres
o Abundante nos epitélios e tecido conjuntivo
o Nociceptores - respondem à dor
o Termorreceptores - respondem à temperatura
o Dois tipos especializados de terminações nervosas livres:
Discos de Merkel – encontrado na epiderme, receptores de adaptação lenta para
toques leves
Receptores Folículo Piloso – receptores adaptam rapidamente que envolvem em
torno de folículos pilosos
Terminações Nervosas Encapsulada
Corpúsculos de Meissner
•Terminação nervosa em espiral cercado por células de Schwann
•Ocorrer nas papilas dérmicas de áreas sem pêlos da pele
•Receptores adaptam rapidamente para tato discriminativo
Corpúsculos de Pacini
•Terminação nervosa única cercado por camadas de células de Schwann
•Ocorre na hipoderme
•Sensível à pressão profunda - receptores adaptam rapidamente
Corpúsculos de Ruffini
•Localizado na derme e respondem à pressão
•Monitoram a pressão contínua sobre a pele – adaptação lenta
Terminações Nervosas Encapsulada -
Proprioceptores
• Monitorar o comportamento em órgãos locomotores

• Três tipos de proprioceptores:


o Fusos Musculares - monitora a mudança de comprimento de um músculo, embutida no
perimísio entre os fascículos musculares
o Órgão Tendinoso de Golgi - localizado perto da junção músculo-tendão, monitorar
tensão dentro de tendões
o Receptores Cinestésicas nas articulações - terminações nervosas sensoriais dentro
das cápsulas articulares, sentir pressão e posição
RECEPTORES SOMÁTICOS

Tipo morfológico Transdução Tipo de Localização Função


Fibra
Terminações livres Mecanoelétrica, C (2m/s), Toda a pele, órgãos Dor, temperatura (calor), tato
Termoeletrica, A internos, vasos grosseiro e propriocepcão
Quimioeletrica (5-30m/s) sanguíneas,
articulações
Corpúsculos de Mecanoelétrica A Epiderme glabra Tato, pressão-vibratória
Meissner (30 a (textura)
70m/s)

Corpúsculos de Mecanoelétrica A Derme, periósteo, Pressão-vibratória (textura)


Paccini (30 a parede das vísceras
70m/s)

Corpúsculos de Mecanoelétrica A Toda a derme Indentaçao da pele


Ruffini (30 a
70m/s)

Discos de Merkel Mecanoelétrica A Toda a epiderme Tato, pressão-estática


(30 a glabra e pilosa (textura)
70m/s)

Bulbos de Krause Mecanoelétrica A Bordas da pele com Tato?? temperatura (frio)??


(30 a as mucosas
70m/s)

Folículos pilosos Mecanoelétrica A Pele pilosa Tato; contato inicial e


(30 a movimento do objeto sobre a
70m/s) pele
Órgãos tendinosos Mecanoelétrica Ib Tendões Propriocepcão
de Golgi
Fusos musculares Mecanoelétrica Ia e II Músculos Propriocepcão
esqueléticos
Detecção espacial

Picada do mosquito não gera limiar absoluto


Inibição lateral para localização específica do ponto doloroso
O menor limiar (maior sensibilidade) de resolução espacial
(detecção do local da dor) se encontra nas pontas dos dedos (da
língua e da face).

Há uma maior densidade de receptores nas pontas dos dedos (da


língua e da face)
Dor é subjetiva = somente o indivíduo classifica
QUALIFICAR E DESTINGUIR O ESTÍMULO
Detecção chega frações de segundos antes na
orelha esquerda e o cérebro processa
Vias Sensoriais

A aferência sensorial é o começo de uma cadeia de três ou mais


neurônios que formam um percurso ascendente para o sistema nervoso
central.

Há caminhos específicos e inespecíficos para transmitir informações.

Processamento de informações aferentes não termina nas áreas primárias


de recepção cortical, mas continua a partir dessas áreas para áreas de
associação no córtex cerebral, onde ocorre a integração complexa.
Neurônios sensoriais
• Os corpos celulares que dão origem a essas fibras ficam localizados nos gânglios espinhais
e no gânglio trigêmeo: são eles os neurônios primários do sistema somestésico.

• Nesses três subsistemas, o neurônio primário estabelece contato sináptico com o neurônio
secundário em algum nível do SNC (na medula ou no tronco encefálico), e o axônio deste
geralmente cruza a linha média antes de estabelecer contato com o neurônio de terceira
ordem.

• A informação codificada dos estímulos ambientais, então, pode ser conduzida ao tálamo
onde estão os neurônios de terceira ordem, cujos axônios projetam diretamente às regiões
somestésicas do córtex cerebral.
S1 = córtex somestésico primário
• Desse modo, a representação somestésica no SNC é QUASE sempre contralateral: o hemisfério cerebral
esquerdo recebe informações do lado direito do corpo e vice-versa.

• Muitas fibras proprioceptivas secundárias seguem outro caminho: mantêm-se do mesmo lado, projetando
diretamente ao cerebelo, onde se encontram os neurônios de terceira ordem. Neste caso, os neurônios de
terceira ordem formam circuitos intracerebelares e não projetam às regiões somestésicas do córtex
cerebral.

• Muitas fibras nociceptivas (percepção da dor) de segunda ordem estabelecem contato com neurônios do
tronco encefálico, e estes iniciam uma sequência numerosa de sinapses que dirigem a informação dolorosa a
diversas regiões cerebrais.
Vias Sensoriais

• Estímulo como energia física  receptores sensoriais atuam como um transdutor


• Estímulo > limiar  Potencial de Ação para o SNC
• Integração com o SNC  córtex cerebral ou agir em subconscientemente
• Nenhum informação chega ao córtex sem passar pelo tálamo (transformação da informação)
http://users.wfu.edu/butlrs4/cell/index.html

Herpes zoster
Doença causada pelo vírus Herpesvirus varicellae, o mesmo causador da varicela (catapora).
Algumas pessoas não desenvolvem imunidade total ao vírus que fica hospedado nos gânglios sensitivos.
O herpes manifesta-se cutaneamente com essas erupções dolorosas nos respectivos dermátomos. O
vírus afeta os nervos sensoriais (gânglios das raízes espinhais dorsais).
Luís Braille (1809-1852) Sistema Braille: alfabeto em que os
Cego aos três anos e com 20 caracteres são pontos em relevo
anos publicou método de (0,4mm de largura x 0,6mm de altura)
leitura tátil Combinando-se seis pontos salientes, é
possível fazer 63 combinações que
podem representar letras simples e
acentuadas, pontuações, algarismos,
sinais algébricos e notas musicais.

Velocidade de leitura: 200 palavras/


minuto
HANSENÍASE (lepra)
Mycobacterium leprae

Brasil: 1,48/ 10 mil habitantes (2º no mundo)


Programa Nacional de Eliminação da Hnaseniase
Doença contagiosa (incubação longa) e crônica, se não
tratada.

Sinais e Sintomas

Lesões de pele com a destruição das células de


Schwann que são parasitadas. Não afeta o SNC.

Hiperestesia (sensação em queimação, formigamento e


coceira)

Perda de sensibilidade

Fraqueza muscular/Paralisia
Estereocílios
https://www.youtube.com/watch?v=5MeNw1UdJqQ
https://www.youtube.com/watch?v=rFI9sRHEMCQ
TATO
Terminações nervosas
https://www.youtube.com/watch?v=-Gtx2C4cSz4