Você está na página 1de 6

ENGENHARIA CIVIL

Curso de Especialização em Vias de Comunicação Drenagem Viária

EXERCÍCIO DE APLICAÇÃO
Dimensionamento de órgãos de drenagem

1. Pretende-se estabelecer a secção de vazão de uma passagem hidráulica integrada num


troço de uma Estrada Nacional nº 1, perto de zona de palmeiras, para drenagem de uma
linha de água com 5800m de comprimento de uma bacia hidrográfica com 720ha de área.
A bacia é classificada do ponto de vista de permeabilidade como solo do tipo C e é na sua
totalidade utilizado como zona de pastagem normal. Para o efeito considere que a cota
mais elevada da bacia é 259m e que as cotas previstas para a soleira à entrada e saída do
aqueduto são de 130,0m e de 129,5, respectivamente.
a) Determine o caudal de ponta de cheia a considerar no dimensionamento da secção
de vazão para um período de retorno de 50 anos. Para o efeito considere tp=tc.
b) Dimensione a secção do aqueduto circular a utilizar, com borda de encaixe a meia
espessura e muro de cabeceira ou testa, tendo em consideração que a cota do topo
do leito do pavimento é de 133,6m e que o aqueduto tem um comprimento de
50m.
c) Determine a velocidade de escoamento à saída do aqueduto referindo se
necessário quais as características e dimensões do dissipador de energia a utilizar.
Nota: Considere o coeficiente de perda de carga de 0,2 e como diâmetros comerciais:
Ø800, Ø1000, Ø 1200 ou Ø1500.

2. Pretende estabelecer-se a secção de vazão de uma passagem hidráulica com comprimento


aproximado de 35,00 m, inserida num troço do EN6, situado junto à Nchope, que se
prevê que venha a entrar em serviço daqui a 2 anos. Pretende-se que a passagem
hidráulica seja dimensionada para o período de retorno igual à vida útil do pavimento
flexível previsto e que consiga drenar um caudal de ponta de cheia de 8,0 m3/s. As cotas
das bocas de entrada e de saída do aqueduto que se pretende dimensionar são de 258,0 e
257,3m, respectivamente.
a) Diga quais os parâmetros a e b das curvas I-D-F que utilizaria para determinar a
intensidade de precipitação que conduziria ao caudal assinalado.
b) Dimensione a secção de vazão considerando uma secção rectangular com ângulo
de abertura a 45º, admitindo que da cota do topo do leito do pavimento é de
262,1m. Admita ainda que a altura de água à saída é de 1,5m.
c) Determine a velocidade de escoamento à saída do aqueduto referindo, se
necessário, quais as características e comprimento do dissipador de energia a
utilizar.
Nota: Considere o coeficiente de perda de carga de 0,2. Admita ainda que as espessuras do
pavimento e do leito do pavimento são de 0,5 e 0,6 metros, respectivamente.

3. No âmbito do projecto de execução de um troço de um itinerário principal


(TMDA=1900) pretende-se dimensionar a secção de vazão de uma passagem hidráulica
localizada em zona A numa área rural com interesse económico, sendo o solo do ponto de
vista da permeabilidade classificado como do tipo C. A P.H. drenará uma bacia com
1300ha, cuja linha de água de maior extensão tem um comprimento de 4500 m. A bacia é
constituída por 30% de floresta densa ou de alta transpiração, 40% de pastagem boa
segundo as curvas de nível e 30% de culturas segundo o maior declive. O ponto mais

UP / ESTEC Engo. Paulo Luís Aíde 1


ENGENHARIA CIVIL
Curso de Especialização em Vias de Comunicação Drenagem Viária

elevado da bacia está à cota de 256,00 m e as cotas previstas para a soleira à entrada e
saída do aqueduto são de 166,10 e 165,38 m, respectivamente. O comprimento da P.H.
será de 36 m.
a) Determine o caudal de ponta de cheia, a considerar no dimensionamento da
secção de vazão. Para o efeito considere tp=tc.
b) Dimensione a secção de um aqueduto rectangular com ângulo de abertura dos
muros de ala de 15º (admita que a cota do topo do leito do pavimento é 171,00 m
e que o coeficiente de perda de carga é de 0,2).
c) Considere que a estrada tem uma largura total de plataforma igual a 12 m,
apresenta uma inclinação longitudinal de 4% e em planta desenvolve-se em curva,
no interior da qual se localiza uma vala de bordadura.
Verificou-se que esta vala é necessária numa extensão de 750 m (incluída no
comprimento da curva referida). Diga se é necessário colocar descidas de água no talude,
e em caso afirmativo indique o número mínimo a considerar destes órgãos de drenagem.
A solução a adoptar deve prevenir as consequências da deposição de material sólido, o
que pode ser conseguido com uma folga de 5 cm na vala, como representado na figura
seguinte.

4. Pretende estabelecer-se a secção de vazão de uma passagem hidráulica (PH), que ficará
localizada ao km 0+325 (perfil n.º 14) de um troço do EN12, situado perto de Namialo.
Considere que a espessura do pavimento é de 0,64 metros. Pretende-se que a PH seja
dimensionada para um período de retorno de 50 anos, e que consiga drenar um caudal de
ponta de cheia de 9,5 m3/s.
a) Dimensione a secção de vazão considerando uma secção rectangular com entrada
em muros ala com ângulo de abertura de 45º e aresta superior arredondada (Ke =
0,2). Considere que terá que projectar o aqueduto de acordo com as características
do perfil transversal onde ficará localizado.
b) Determine a velocidade a jusante do aqueduto, e diga se é necessário prever um
dissipador de energia à saída da passagem hidráulica. Caso seja constituído por
enrocamento, indique também o seu comprimento e o diâmetro equivalente. Faça
um esquema no perfil transversal com todas as características da PH.

UP / ESTEC Engo. Paulo Luís Aíde 2


ENGENHARIA CIVIL
Curso de Especialização em Vias de Comunicação Drenagem Viária

5. Pretende estabelecer-se a secção de vazão de uma passagem hidráulica que faz parte de
um troço de estrada situado numa zona de floresta em Tete. No que se refere à PH, dispõe
das seguintes informações:
 A PH drenará uma bacia hidrográfica com 1000ha, cuja linha de água de maior
extensão tem um comprimento de 3000 m;
 Solo tipo D;
 Utilização do solo - 30 % de pastagens com cobertura do solo pobre; 25 % de floresta
aberta ou de baixa transpiração; 35 % de solo lavrado;
 Considere dois tipos de secções para o aqueduto, sendo o coeficiente de perda de
carga à entrada igual a 0,2 para ambas:
 circular com borda de encaixe a meia espessura e muro de cabeceira ou testa;
 rectangular com ângulo de abertura igual a 30º.
 Os diâmetros disponíveis para a secção circular são os apresentados na tabela
seguinte

Diametro interior (mm) Area Interior (m2)


800 0,50
1000 0,79
1200 1,13
1500 1,77

 Comprimento previsto - 35,0 metros;


 Cota da soleira de entrada - 17,0 metros;
 Cota da soleira de saída - 16,3 metros;
 Diferença de cotas entre a soleira do aqueduto à saída e a face superior do leito do
pavimento - 7,5 metros.
a) Determine o caudal de ponta de cheia a considerar no dimensionamento da secção de
vazão.
b) Dimensione a secção de vazão da passagem hidráulica.
c) Determine a velocidade de escoamento à saída da passagem hidráulica referindo, se
necessário, quais as características e comprimento do dissipador de energia.

6. Pretende estabelecer-se a secção de vazão de uma passagem hidráulica com comprimento


aproximado de 55,00 metros, que está incluída na infraestrutura de um troço do IP5,
situada perto de Aveiro. Considere que a inclinação da passagem hidráulica é de 1,0%.
A diferença de cotas entre a soleira do aqueduto à saída e a face superior do leito do
pavimento é de 5,0 metros.
Pretende-se que a passagem hidráulica seja dimensionada para um período de retorno de
50 anos, e que consiga drenar um caudal de ponta de cheia de 12,0 m3/s.
a) Diga quais os parâmetros a e b das curvas I-D-F que utilizaria para determinar a
intensidade de precipitação que conduziria ao caudal assinalado.
b) Dimensione a secção de vazão considerando uma secção rectangular com ângulo de
abertura de 45o e coeficiente de perda de carga à entrada de 0,20.

UP / ESTEC Engo. Paulo Luís Aíde 3


ENGENHARIA CIVIL
Curso de Especialização em Vias de Comunicação Drenagem Viária

c) Determine a velocidade a jusante do aqueduto, e diga se é necessário prever um


dissipador de energia à saída da passagem hidráulica (indicando o seu comprimento e
tipo de material).
d) Determine o comprimento máximo que a valeta (ver a figura seguinte) pode ter sem
transbordar, para um caudal de ponta de 0,003 m3/(s*m). O troço onde é necessária a
valeta tem uma inclinação longitudinal de 2,5%.
e)

7. Pretende-se estabelecer a secção de vazão de uma passagem hidráulica (PH) integrada


num troço de estrada nacional junto de Pemba, para escoamento de uma linha de água de
5870,00 metros de comprimento. A bacia hidrográfica tem 710ha de área e é utilizada
como zona social rural em 65% da sua área e como pastagem normal na área restante. Do
ponto de vista da permeabilidade é considerada como solo do tipo D. O ponto mais
elevado da bacia situa-se à cota de 232,00 metros, enquanto que a cota de soleira à
entrada da PH é de 203,00 metros.
a) Determine o caudal de ponta de cheia para dimensionamento da passagem hidráulica,
(considere como situação mais desfavorável tp=tc).
b) Dimensione um aqueduto de secção rectangular, com ângulo de abertura de muros de
ala de 50°. Verifique se é necessário a adopção de um dissipador de energia à saída da
passagem hidráulica (indicando o seu comprimento e material, se necessário). Admita
que a cota da base do pavimento é de 209,00 metros, a espessura do pavimento é de
0,60 metros, a inclinação do aqueduto é de 1% e o seu comprimento é de 60,00
metros.
Nota: Considere o coeficiente de perda de carga Ke=0,2.
c) Considere a valeta representada em corte na figura seguinte:

UP / ESTEC Engo. Paulo Luís Aíde 4


ENGENHARIA CIVIL
Curso de Especialização em Vias de Comunicação Drenagem Viária

8. Tenha em conta que esta valeta de betão (Ks=67) foi utilizada num troço com inclinação
longitudinal igual a 2%, que a faixa de rodagem é constituída por uma via em cada
sentido com 3,50 metros de largura, berma de 1,00 metros e que concordância entre a
berma e a valeta é de 0,60 metros. Determine o comprimento máximo de utilização da
valeta num troço recto (inclinação transversal de 2,5%, contrário para cada via) sabendo
o comprimento do talude de escavação medido na horizontal é de 4,00 metros (com
V/H=l/l) e que a distância entre o fim do talude e a vala de crista é de 2,00 metros.

a) Dimensione a passagem hidráulica (PH) existente ao km 157+400 da EN 221,


localizada perto de Chicualacuala, assinalada na planta cartográfica à escala 1:25000,
apresentada em anexo, tendo em consideração as seguintes informações
complementares:
 O perfil transversal tipo do projecto é mostrado na Figura em baixo;
 O Solo do ponto de vista de permeabilidade é considerado como do tipo B;
 O TMDA é de 900 veículos motorizados no ano de construção do aqueduto;
 A utilização do solo é: 40% de floresta muito aberta; 30% de pastagem pobre;
20% de zona social rural; 10% de culturas segundo as curvas de nível;
 Considere como coeficiente de perda de carga Ke o valor 0,2 e que se pretende
um aqueduto de secção circular com borda de encaixe a meia espessura e muro de
cabeceira ou testa (assuma que dispõe dos seguintes diâmetros comerciais: Ø800,
Ø1000, Ø 1200 ou Ø1500;
 A PH está localizada numa zona correspondente a um alinhamento recto em
planta;
 O comprimento previsto para a passagem hidráulica é de 30,00 metros;
 A cota de soleira de entrada é igual é 18,30 metros;
 A cota de soleira de saída é igual é 17,85 metros;
 A cota da rasante na zona de colocação da PH é igual a 24,10 metros;
 O pavimento tem uma espessura igual a 0,50 metros.

UP / ESTEC Engo. Paulo Luís Aíde 5


ENGENHARIA CIVIL
Curso de Especialização em Vias de Comunicação Drenagem Viária

b) Verifique o funcionamento hidráulico da valeta apresentada na Figura 2, localizada


num troço da EN 221, localizado perto de Chicualacuala. Este troço tem uma
inclinação longitudinal de 2,50 % e, devido a se encontrar em escavação, necessita de
valeta na extensão de 552,00 metros.

UP / ESTEC Engo. Paulo Luís Aíde 6

Você também pode gostar