Você está na página 1de 51

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL-SENAI

DEPARTAMENTO REGIONAL DE SERGIPE- DR/SE


GERENCIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL-GEP

Elementos de Apoio e Elevação


INTRODUÇÃO

Unidade Curricular: Elementos de Maquinas e Metrologia


Curso: Eletromecânica
Turma: 17420
Instrutor: Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior
Elementos de Apoio
De modo geral, os elementos de apoio consistem de acessórios auxiliares
para o funcionamento de máquinas. Os seguintes elementos de apoio
são:
 Buchas, guias, rolamentos , mancais.
 Na prática, podemos observar que buchas e mancais são elementos
que funcionam conjuntamente.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 DEFINIÇÃO:
• São anéis colocados entre o eixo e o mancal para reduzir o ATRITO e
diminuir o DESGASTE;
• Podem ter a forma cilíndrica ou cônica;
• Fabricadas de metal antifricção (liga de cobre, zinco, estanho,
chumbo e antimônio) ou de materiais plásticos;
• A bucha deve ser fabricada com material menos duro que o
material do eixo.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 APLICAÇÕES:

Liquidificador, espremedor de frutas, ventilador, motores ,


furadeiras , fixação de parafusos, automóveis (câmbio, freios,
embreagem) etc.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 APLICAÇÕES:

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A APLICAÇÃO:

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 CLASSIFICAÇÃO: BUCHAS AUTOLUBRIFICANTES

As buchas sinterizadas (metalurgia do pó) autolubrificantes


possuem uma larga aplicação nas indústrias mecânica, elétrica e
eletrônica devido ao seu baixo custo de produção, associado à
sua alta precisão dimensional.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 CLASSIFICAÇÃO: BUCHAS DE FIXAÇÃO

• Em nylon ou metal, as buchas garantem maior segurança e


eficiência na fixação de materiais em superfícies sólidas ou
ocas.
• Buchas pré-montadas com parafuso rosca métrica,
próprias para divisórias e placas de gesso.
• Buchas com aletas metálicas para fixação de objetos
suspensos em forros e lajes ocas.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 CLASSIFICAÇÃO: BUCHAS DE VEDAÇÃO OU DESGASTE

• Com função de reter o lubrificante e excluir a contaminação


• Resolver o problema de vedante gasto nas pontas de eixo,
oferecendo a possibilidade de reparar esses eixos
facilmente.
• São simplesmente empurradas sobre a superfície danifica
da, permitindo que o eixo seja reutilizado em questão de
minutos e a uma fração do custo da retífica tradicional.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 CLASSIFICAÇÃO: Quanto ao TIPO DE SOLICITAÇÃO

• Buchas de Fricção radial;

• Essas buchas podem ter várias formas. As mais comuns são


feitas de um corpo cilíndrico furado, sendo que o furo
possibilita a entrada de lubrificantes;
• Essas buchas são usadas em peças para cargas pequenas e em

lugares onde a manutenção seja fácil;

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 CLASSIFICAÇÃO: Quanto ao TIPO DE SOLICITAÇÃO

• Buchas de Fricção radial;

Em alguns casos, essas buchas são cilíndricas


na parte interior e cônicas na parte externa.
Os extremos são roscados e têm três rasgos
longitudinais, o que permite o reajuste das
buchas nas peças.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 CLASSIFICAÇÃO: Quanto ao TIPO DE SOLICITAÇÃO

• Buchas de Fricção axial;

 São usadas para suportar o esforço de um eixo


em posição vertical

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 CLASSIFICAÇÃO: Quanto ao TIPO DE SOLICITAÇÃO

• Buchas Cônicas;

 São usadas para suportar um eixo do qual se


exigem esforços radiais e axiais;

 Quase sempre essas buchas requerem um


dispositivo de fixação e, por isso, são pouco
empregadas

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 CLASSIFICAÇÃO: Quanto ao TIPO DE SOLICITAÇÃO

• Buchas Especiais = BUCHAS-GUIA

 A principal finalidade da bucha-guia é a de


manter um eixo comum (coaxilidade) entre
ela e o furo;

 São elementos de precisão, sujeitas a


desgaste por atrito. Por isso, elas são feitas
em aço duro, com superfícies bem lisas, de
preferência retificadas

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


BUCHAS
 CLASSIFICAÇÃO: Quanto ao TIPO DE SOLICITAÇÃO

• Buchas Especiais = BUCHAS ROSCADAS

 É inserido em um objeto para adicionar um furo roscado. Elas


podem ser usados pelas seguintes razões:
1. Para reparar um furo roscado.
2. Para proporcionar maio
durabilidade ao furo em materiais
mais macios.
3. Para moldar uma peça,
eliminando usinagem.
4. Para simplificar a passagem
de roscas unificada para métricas e
vice-versa.
08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior
GUIAS
 DEFINIÇÃO

• A guia é um elemento de máquina que mantém, com certo rigor, a


trajetória de determinadas peças;
• Normalmente se usa mais de uma guia em máquinas e o conjunto de
guias com perfis variados é denominado de barramento;
• As guias são lubrificadas com óleo, que é introduzido entre as
superfícies em contato por meio de ranhuras ou canais de
lubrificação.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


GUIAS
 APLICAÇÕES

• São empregadas em Máquinas industriais (serras de fita, tornos),


janelas, box de banheiro, etc.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


GUIAS
 CLASSIFICAÇÃO QUANTO À FORMA
 Cilíndricas ou prismáticas;

 Abertas ou Fechadas

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


GUIAS
 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO MOVIMENTO
GUIAS DE DESLIZAMENTO X GUIAS DE ROLAMENTO

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


GUIAS
 PROCESSOS DE USINAGEM

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


GUIAS
 PROCESSOS DE USINAGEM

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


GUIAS
 CLASSIFICAÇÃO

Perfis combinados (barramentos ),


e suas respectivas aplicações.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


GUIAS
 RÉGUAS DE AJUSTE

 Quando uma ou mais peças se movimentam apoiadas em guias, as superfícies


entram em contato por atrito. Com o passar do tempo, o movimento vai
provocando desgaste das superfícies dando origem a folga no sistema, mesmo que
ele seja sempre lubrificado.
 Para evitar que essa folga prejudique a precisão do movimento, é preciso que ela
seja compensada por meio de réguas de ajuste. As réguas têm perfil variado, de
acordo com a dimensão da folga.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


GUIAS
 RÉGUAS DE AJUSTE

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


GUIAS
 GUIAS LINEARES

Com deslize linear:


- Inoxidável, à prova de desgaste, baixo valor de fricção, livre de
manutenção e lubrificação.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


GUIAS
 GUIAS LINEARES

Outras Aplicações:
- Indústria automobilística: sistema de guia linear flexível para
soldagem automática.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


GUIAS
 GUIAS LINEARES

Outras Aplicações:
- Sistema de Elevador

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


GUIAS
 GUIAS LINEARES

Outras Aplicações:
- Mesa automática de futebol e aparelhos de academia

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


MANCAIS
Os mancais têm a função de servir de suporte a eixos, de modo a reduzir o atrito
e amortecer choques ou vibrações.
Eles podem ser:

 Mancais de deslizamento : são constituídos de uma bucha fixada num suporte.


São usados em máquinas pesadas ou em equipamentos de baixa rotação
 Mancais de rolamento : dispõem de elementos rolantes: esferas, roletes e
agulhas.
De acordo com as forças que suportam, os mancais podem ser radiais, axiais ou
mistos
08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior
MANCAIS
 MANCAIS: Classificação de acordo com a força que
suportam

Radial: não suportam cargas axiais e impedem


o deslocamento no sentido transversal ao
eixo;

Axial: não podem ser submetidos a cargas


radiais. Impedem o deslocamento no sentido
axial, isto é, longitudinal ao eixo

Misto: suportam tanto carga radial como


axial. Impedem o deslocamento tanto no
sentido transversal quanto no axial

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


MANCAIS
 MANCAIS DE DESLIZAMENTO

- O uso de buchas e de lubrificantes permite reduzir esse atrito e


melhorar a rotação do eixo.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


MANCAIS
 MANCAIS DE DESLIZAMENTO: PROPRIEDADES

- Resistência mecânica razoável, usinabilidade (para manter as


tolerâncias), lubricidade, resistência à temperatura e corrosão,
porosidade (absorver lubrificantes).

- Material: Ligas de chumbo e estanho; Ligas de cobre (bronzes); ferro


fundido cinzento e aço; materiais sinterizados e não -metálicos
(grafite, nylon, teflon).

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


MANCAIS
 MANCAIS DE DESLIZAMENTO

- Mancais lubrificados a Filme: resumem-se basicamente em mancais


lubrificados a óleo e a ar.
- Mancais sem contato: Usam o campo magnético em seu
funcionamento e constituição. São de uso raro, sendo uma proposta
para o futuro

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


MANCAIS
 MANCAIS DE DESLIZAMENTO: TIPOS

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


MANCAIS
 MANCAIS DE DESLIZAMENTO: MONTAGEM

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


MANCAIS
 MANCAIS DE ROLAMENTO

- Mancal com maior velocidade e menos atrito;


- Os rolamentos são classificados em função dos seus elementos
rolantes, como

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


MANCAIS
 MANCAIS DE ROLAMENTO

- O anel externo é fixado no mancal, enquanto que o anel interno é


fixado diretamente ao eixo;
- Conforme a solicitação, apresentam uma infinidade de tipos para
aplicação específica como: máquinas agrícolas, motores elétricos,
máquinas, ferramentas, compressores, construção naval etc.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


MANCAIS
 MANCAIS DE ROLAMENTO: APLICAÇÃO
- BOMBAS PARA FLUIDO
- Duplo mancal de rolamentos de esferas são utilizados em aplicações
com líquidos de baixa viscosidade, tais como alcool, solventes, GLP,
entre outros.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


MANCAIS
 MANCAIS DE ROLAMENTO: VIDEO

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


ROLAMENTOS
 ROLAMENTO DE ESFERAS  ROLAMENTO DE ROLOS
- os corpos rolantes são formados de
- os corpos rolantes são esferas.
cilindros, rolos cônicos ou barriletes.
Apropriados para rotações mais
- Suportam cargas maiores e devem
elevadas
ser usados em velocidades menores

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


ROLAMENTOS
 ROLAMENTO DE AGULHAS

- os corpos rolantes são de pequeno diâmetro e


grande comprimento. São recomendados para
mecanismos oscilantes, onde a carga não é
constante e o espaço radial é limitado

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


ROLAMENTOS
 VANTAGENS  DESVANTAGENS

- Menor atrito e aquecimento; - Maior sensibilidade aos choques;


- Baixa exigência de lubrificação; - Maiores custos de fabricação ;
- Intercambialidade internacional; - Tolerância pequena para carcaça e
- Não há desgaste do eixo; alojamento do eixo;
- Pequeno aumento da folga durante a - Não suporta cargas tão elevadas;
vida útil. - Ocupa maior espaço radial

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


ROLAMENTOS

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


ELEMENTOS DE ELEVAÇÃO DE CARGAS

 CABOS
 São elementos de transmissão que suportam cargas (força de
tração), deslocando-as nas posições horizontal, vertical ou
inclinada.

 Muito empregados em equipamentos de transporte e na


elevação de cargas, como em elevadores, escavadeiras,
pontes rolantes.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


ELEMENTOS DE ELEVAÇÃO DE CARGAS

 CABOS

Os principais equipamentos que fazem parte das


máquinas de elevação são: guindastes, pontes rolantes,
elevadores e guinchos.
08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior
ELEMENTOS DE ELEVAÇÃO DE CARGAS

 CABOS

O cabo de aço se constitui de alma e perna. A perna se


compõe de vários arames em torno de um arame central,
conforme a figura.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


ELEMENTOS DE ELEVAÇÃO DE CARGAS

 CABOS: CONSTRUÇÃO

Depende da quantidade de fios e, especificamente, do


número de fios da perna.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


ELEMENTOS DE ELEVAÇÃO DE CARGAS

 CABOS: DISTRIBUIÇÃO DOS FIOS NAS PERNAS

Os principais tipos de distribuição que vamos estudar


são:
· NORMAL = Os fios dos arames e das pernas são de um
só diâmetro.

· SEALE= As camadas são


alternadas em fios grossos e
finos.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


ELEMENTOS DE ELEVAÇÃO DE CARGAS

 CABOS: DISTRIBUIÇÃO DOS FIOS NAS PERNAS

· FILLER = As pernas contêm fios de


diâmetro pequeno que são
utilizados como enchimento dos
vãos dos fios grossos.

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


ELEMENTOS DE ELEVAÇÃO DE CARGAS

 CABOS: TIPOS DE ALMAS

- FIBRA (naturais ou artificiais) = cargas não muito pesadas


- ALGODÃO = cabos de pequenas dimensões;
- AÇO = alta resistência a tração
- ASBESTO = cabos especiais sujeitos a altas temperaturas

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior


ELEMENTOS DE ELEVAÇÃO DE CARGAS

 CABOS: PROCESSO DE FABRICAÇÃO - VIDEO

08/08/2019 Prof. Eng. José Carlos Bizerra Costa Junior