Você está na página 1de 92

Figura 279 arrastar e soltar uma forma 3D para criar um objecto de forma 3D

Uma vez que a forma 3D tenha sido deixado cair o objeto Shape 3D será criado. Uma
projecção 2D de estrutura de arame da forma aparece nas vistas 2D e a representação
realística da Forma 3D aparece nas vistas a 3D (ver Figura 280).

Figura 280 3D Forma objecto numa vista em 2D e uma vista 3D

O objecto da forma 3D criado terá as dimensões definidas para a Forma 3D utilizado.


Consulte a seção para mais detalhes.

Para definir novas dimensões para esta forma 3D objecto diferente dos iniciais o editor
Forma objecto 3D podem ser abertos por

Esboço, projeto 281


Clique duas vezes sobre o objeto de forma 3D. Consulte a seção Editor de Forma objeto 3D
para mais detalhes.

40,6 Editor de objeto de forma 3D


Ao clicar duas vezes sobre um objeto de forma 3D em 2D ou 3D View, o Editor de Forma
objeto 3D aparece.

Figura Editor de objecto 281 forma 3D

Neste editor, o comprimento, largura e altura do objecto da forma 3D pode ser definido.
Ao clicar no botão OK, o objeto Shape 3D será redimensionada em todas as vistas. Uma
caixa de verificação permite definir se o processamento em 2D será uma caixa ou
estrutura de arame da projecção 2D de forma. Há também um controle deslizante que
substitui o “brilho” original do modelo 3D, ajustando as propriedades do seu material. Isto
é útil quando seus modelos importados, devido a diferenças na iluminação entre
diferentes programas, parecer mais escuro ou mais claro do que o esperado.

40,7 editor de textura


Ao clicar duas vezes em uma textura na pasta Texturas da Janela de Informações do
Editor de Textura 3D aparece.

Esboço, projeto 282


Figura editor 282 textura

Usando este editor, uma largura e altura para a textura pode ser definida.

Quando uma textura tem uma largura e uma altura definida e o Use largura e altura da
textura opção for seleccionada, então a textura será dimensionada seguindo estas
dimensões quando aplicadas em qualquer objecto e será automaticamente replicados.
Se o Use largura e altura da textura opção não é marcada, então a textura será escalado
seguinte o número de repetições horizontais e verticais definidos. Consulte o Editor de
Polygon e as seções extrudado Polygon editor para obter mais detalhes.

40,8 Imagens 3D
As imagens 3D são usados ​para adicionar objetos, como árvores e semáforos, para fazer as
vistas 3D mais realista.

Para adicionar uma imagem 3D, selecione o imagem 3D ferramenta e clique em uma vista 2D.
Em uma exibição 2D uma imagem 3D é representado usando um segmento de 2 pontos e um
círculo sobre ele que indica o rosto onde a textura será aplicada. Este segmento vai se tornar
o 'apoio' da imagem 3D.

Figura 283 3D Image Tool

Note-se que o imagem 3D ferramenta pode ser utilizada em modo contínuo (com um duplo clique sobre o
ícone) para adicionar quantas imagens 3D como desejado de forma eficiente.

A imagem 3D é como uma parede, mas sem profundidade. Essas imagens têm dois usos principais:

• Para adicionar árvores à rede. Esta opção é muito útil porque os arquivos TGA pode
ter uma área transparente e, em seguida, as árvores são desenhados de forma
eficiente (usando um único polígono

Esboço, projeto 283


em vez de milhares), mas de forma realista usando a textura (veja a Figura 284).

Figura 284 árvores diferentes representações usadas em Vistas 3D

• Para adicionar qualquer objeto (ou seja: anúncios) desenhado em um arquivo tga ou
png. Isto é especialmente útil quando a adição de texturas que têm um componente
transparente. A Figura 285 constitui um exemplo de desenho de um poste realista
usando uma textura TGA.

Figura 285 arquivo TGA Original vs. sua representação em uma vista 3D

40.8.1 Editor de imagens 3D

Ao clicar duas vezes em uma imagem 3D do Editor de imagem 3D aparece.

Figura Editor de Imagem 286 3D

Nesta edição, a altura da imagem, bem como a sua textura pode ser definida. Para definir
a textura, clique no botão caminho textura e selecioná-lo. Ele também tem uma caixa de
seleção para definir se a imagem vai

Esboço, projeto 284


sempre enfrentar a câmera ou não. A imagem é colocada em um retângulo e ao
selecionar esta opção, o retângulo girará como a câmera se move a fim de estar
permanentemente frente para a câmera de modo que o rosto com a textura associada
será o único visto. Na Figura 287, três posições diferentes da imagem pode ser vista.

posições diferentes da Figura 287 imagem 3D

Uma imagem 3D tem uma altura, isto é, o Z em que a base da imagem vai ser
localizada. Esta altitude pode ser modificado por selecionar a imagem em uma exibição
2D e com a tecla Control pressionada arrastando o mouse para cima ou para baixo. A
altitude atual será mostrado ao arrastar.

A largura de uma imagem 3D pode ser alterado através da edição de dois pontos de segmento
que é representado no 2D.

Finalmente, uma textura pode ser aplicada sem a utilização do editor, arrastando a textura
desejada a partir da janela de informações 3D para a imagem em 3D em qualquer um ou 2D uma
vista 3D.

40,9 Câmeras
A câmara define-se um ponto a partir do qual será possível visualizar a rede e a
animação 3D no ambiente visualizador 3D. O número de câmeras que o usuário pode
criar não é limitado. Para adicionar uma nova câmera, selecione o Câmera ferramenta e
clique em uma vista 2D.

Figura Ferramenta 288 Camera

Em uma exibição 2D uma câmera é representado usando o seguinte formato:

Esboço, projeto 285


Figura 289 - representação câmera 2D

A cabeça da câmera indica onde a câmera está apontando. Tal como acontece com qualquer
objecto gráfico, uma câmara pode ser traduzida, seleccionando-e arrastando-o em vista 2D para
a sua nova posição. usando o Rotação

ferramenta, seleccionando a câmara e rodando-a em uma vista 2D pode alterar o


ponto de mira.

40.9.1 editor de câmera


O editor câmera irá mostrar os parâmetros da câmera. O editor aparece clicando duas
vezes em uma câmera em uma vista 2D e pressionando o parâmetros botão localizado em
uma vista 3D (que abrirá atual editor câmera do visualização em 3D).

Figura Editor de 290 Camera

Usando o editor, a câmera pode ser renomeado e seus parâmetros de localização pode ser
alterada. Para renomear uma câmera de seu menu de contexto também pode ser usado.

Os parâmetros que definem a localização da câmara e onde ele está apontando para são:

• Posição: ponto em que a câmera está localizada.


• Center: Qualquer ponto na linha de visão da câmera.
• VUP: Vector que define a orientação da câmara no plano perpendicular à linha
de posição central.

Esboço, projeto 286


• Campo de Visão: Altera os graus do angular estender de opinião que é visto
em qualquer dado momento.

Figura 291 parâmetros da câmara

40.9.2 comandos de câmera


No menu View, existem três comandos que se aplicam às câmeras:

• câmera de reset para colocar a câmara na vista 3D activo, na sua posição inicial,
desfazendo todas as rotações, as traduções e zooms que ele possa ter sido submetida.

• Definir câmera paralela ao chão para definir a câmara de corrente na vista 3D activo
paralelo à superfície do chão. Esta opção é particularmente útil para fixar a posição
da câmara de quaisquer rotações indesejadas.

• Definir Camera perpendicular ao chão para definir a câmara de corrente na vista 3D


activa perpendicular à superfície do chão.

40.9.3 câmeras padrão


Quando uma vista 3D é aberto pela primeira vez, se não existem câmeras em seguida, quatro
câmeras padrão são criados. Estas câmaras são:
• Câmera principal: câmera localizada em um ponto padrão de onde toda a rede
pode ser visto. Translações e rotações são permitidas.

• Câmera fixa X: câmara fixa com a linha de vista paralela ao eixo X; apenas
traduções são permitidos.
• Câmara fixo Y: câmara fixa com a linha de vista paralela ao eixo Y; apenas
traduções são permitidos.
• Camera Z fixo: câmara fixa com a linha de vista paralela ao eixo Z; apenas
traduções são permitidos. Esta câmera é semelhante às vistas 2D.

40.9.4 Rotas de câmera


Uma rota câmera é um grupo de posições de câmera que serão jogados e animados em vistas 3D.
Consulte as Editando Marcadores dinâmicos para obter detalhes sobre a definição de rotas da
câmera.

Esboço, projeto 287


40.10 objetos selecionados em vistas 3D
objetos selecionados são desenhados com linhas vermelhas extras em vistas 3D de reconhecê-los.
Veja a Figura 292.

Figura 292 - Objeto selecionado em um 2D e em 3D View

40.11 Navegação em vistas 3D


Para navegar em visualizações em 3D, o mouse eo teclado pode ser usado. Se se deseja
usar o mouse, em seguida, os ícones apropriados na
Visualização de Comandos barra de ferramentas deve ser selecionada anteriormente.

Figura 293 Ferramentas de navegação

40.11.1 ferramenta de seleção

Nas vistas em 3D, a ferramenta de selecção é utilizada para abrir os editores objectos (por
duplo clique sobre o objecto desejado) e para criar e localizar uma câmara no interior de
um veículo durante a simulação de uma simulação. Esta câmera será atualizado com a
posição do veículo a cada passo da simulação. Para isso, basta um único clique sobre o
veículo desejado. Sempre que um veículo com uma câmera dentro deixa a rede, os pontos
de vista que têm câmera do veículo como o atual, a mudança

Esboço, projeto 288


de volta para a câmara que estava a ser usado antes de o veículo foi seleccionado.

40.11.2 ferramenta Pan

A ferramenta pan é usado em vistas 3D para mover câmera ativa da visualização em 3D para um
novo local.

Para movê-lo ao longo do plano 2D perpendicular à orientação da vista, o mosto botão


esquerdo do rato pressionado em qualquer ponto da área de gráfico, e sem o libertar,
mover o rato para a posição desejada (para cima, para baixo, para a direita ou para a
esquerda).

Se o movimento desejado é para frente / trás, pressione a tecla Ctrl, clique e arraste o
mouse para cima / baixo para mover a câmera para frente / trás.

Pressionando a tecla Shift fornece outra função. Mantendo a tecla Shift pressionada, o
primeiro movimento do mouse determina a direção do movimento. Isto significa que, por
exemplo, se o movimento desejado é para cima e para qualquer outro deslocamento
devido a desvios laterais do mouse deve ser evitado, a maneira de proceder é pressionar
a tecla Shift, clique na área gráfica e arraste o mouse para cima. Mantendo a tecla Shift
pressionada também vai acelerar a velocidade de deslocamento da câmera. Ou seja, se
a tecla Shift é manter pressionado eo movimento é mantido na mesma direção:

• movendo o mouse
• soltar o botão do mouse quando a fronteira da janela do aplicativo é atingido

• movendo o mouse para a área gráfica novamente


• pressionando o botão esquerdo do mouse e mantendo-o pressionado
• voltar ao passo 1

a velocidade de deslocamento irá por sua vez também aumentar.

40.11.3 ferramenta de rotação da câmera

O modo de rotação da câmara permite ao usuário rodar a vista do


câmara activo tomando como o centro de rotação da posição da câmara. Para rodar a
câmara, com o botão esquerdo do rato deverá ser pressionado e, sem o libertar, o rato
deve ser movido na direcção desejada.

Se a tecla Ctrl é pressionado enquanto move o mouse, a câmera se move para frente
ou para trás como em modo de tradução. O efeito de pressionar a tecla Shift é o
mesmo que no modo de tradução: filtra trações de circulação e acelera a velocidade de
rotação.

Esboço, projeto 289


A ferramenta de rotação não é usado em vistas 3D.

40.11.4 Movendo-se rotativa e utilizando o teclado


Como explicado anteriormente, o utilizador pode mover-se e rodar uma câmara utilizando o
rato. Também é possível mover e girar-lo usando as setas do teclado e as teclas de controlo e
de deslocamento.

Os principais movimentos e rotações câmera são de movimento para a frente e para trás e direito de
rotação ou para a esquerda. As setas usadas para fazer isto são os seguintes:

No entanto, para todos os movimentos e rotações para ser acessível através do


teclado, a função das setas alterações dependendo se as teclas Ctrl ou turnos são
pressionadas.

Quando a tecla Ctrl é pressionada, as funções de teclas de seta são:

Finalmente, quando a tecla Shift é pressionada as teclas de seta funções são:

Estes movimentos são válidos para as câmeras que permitem translações e rotações.
Quando uma câmera só permite traduções, os movimentos com o teclado são apenas
traduções.

Esboço, projeto 290


41 guia de referência rápida aos comandos AIMSUN
Breve explicação de todos os comandos disponíveis usando o menu ou menu de
contexto do objeto.

41,1 comandos de menu

41.1.1 Menu de arquivo

• Novo: abre uma nova rede vazia.


• Abrir: abre uma rede existente.
• Perto: fecha a rede atual.
• Salve •: salva a rede atualmente aberto.
• Salvar como…: salva a rede atualmente aberto, com a opção de fornecer um
novo nome .
• Importar: arquivos importações CAD ou outros arquivos de software de terceiros,
dependendo dos componentes carregados como, por exemplo, redes Emme ou
redes CONTRAM na rede AIMSUN atual.

• Exportar: exporta a rede AIMSUN atual para vários formatos (como shapefiles,
arquivos de imagem, Emme, ...).
• Impressão: imprime a vista 2D atual.
• Visualização de Impressão: abre a janela de visualização de impressão.
• Exportar para PDF: Salva a visualização 2D atual no formato PDF.
• Arquivos recentes: lista dos últimos arquivos abertos para acesso rápido em caso algum deles
deve ser aberta novamente.
• Sair: sai do aplicativo.

41.1.2 menu Editar

• Desfazer: desfaz a última ação.


• refazer: Refaz a última ação.
• Cortar: remove os objetos selecionados e os coloca na área de transferência.

• Cópia de: copia os objectos seleccionados para a área de transferência.


• Cópia Snapshot: lojas na área de transferência de uma imagem semelhante ao 2D Active
View.
• Colar: cópias da área de transferência para o centro da área de desenho.

• Cole em Localização Original: cópias da área de transferência para a área de desenho


mantendo as coordenadas originais dos objetos copiados.

• Claro: exclui os objectos seleccionados.


• Selecionar tudo: seleciona todos os objetos na área de desenho.
• Seleção inversa: unselects todos os objectos seleccionados e selecciona todos aqueles que não
foram seleccionadas.
• Encontrar: abre um editor onde encontrar objetos que correspondem aos critérios.

• Mover seleção para View Center: localiza os objectos seleccionados no centro da


visualização.

Esboço, projeto 291


• modelos: Mostrar ou ocultar os parâmetros para a modelagem AIMSUN Macro e
Viagem demanda, AIMSUN Meso e AIMSUN Micro. Visível apenas quando a
edição é um avançado AIMSUN ou AIMSUN especialista.

• Marcadores: personaliza o tamanho da fonte em rótulos de vista. Personaliza


também o conteúdo do comando Show Rótulo (ID, nome, ID externo)

• preferências: abre o editor de Preferências onde especificar os parâmetros


globais da rede de tráfego sendo editado se algum ou os parâmetros gerais do
sistema de outra forma.

41.1.3 menu Exibir


• New View 2D: cria um novo 2D Vista da rede atual.
• New View 3D: cria uma nova Vista 3D da rede atual.
• Vista próxima atual: fecha a vista activa.
• Tela cheia: Maximiza a aplicação AIMSUN.
• Nova camada: adiciona uma camada vazia para o grupo de camadas.
• Definir tempo: abre uma janela onde para definir o tempo de exibição atual, o intervalo
de tempo que deve ser mostrado, o refrescante taxa de animação e parâmetros sobre
a série de tempo usado no modo de visualização utilizado.

• Centro Mundial: localiza toda a rede no centro do Active View 2D.

• Mundo inteiro: muda o zoom da vista 2D atual para caber toda a rede.

• Max Zoom para detalhes Car Visible: Adapta-se a visão zoom 2D para permitir a
visualização veículos de simulação.
• Deslocar para ...: abre uma janela para selecionar as coordenadas onde a centrar a vista.

• Pan de objeto que está sendo editado: Centros a vista no objeto editado corrente em uma caixa
de diálogo.
• Mostrar Latitude e Longitude: alterna a exibição de coordenadas como latitude
e longitude em vez de coordenadas UTM.

• Mostrar descrições de objetos: Ativa as dicas em vista objetos 2D.


• centróides: define se para exibir o polígono centróide, pontos centróides e
conexões centroid nas vistas.
• Supernodes: define se para exibir supernodes e objetos Supernodes nas vistas.

• Repor Câmara: recupera os parâmetros iniciais da câmara corrente na vista 3D


activo.
• Definir câmera paralela ao chão: remove todas as rotações verticais (ângulo de
inclinação) da câmara de corrente em vista o 3D activo.

• Definir Camera perpendicular ao chão: altera as rotações da câmera atual na


visualização em 3D ativo para torná-lo semelhante a uma câmera 2D View.

Esboço, projeto 292


• Show / Hide Marcadores dinâmicos: mostra ou esconde os rótulos dinâmicos definidos
nas redes AIMSUN atualmente abertas.
• Selecione Etiquetas Equal dinâmicos: selecciona todas as etiquetas dinâmicas que são definidas
como a uma actualmente seleccionada.
• Feche Todos os Marcadores dinâmicos: fecha todos os rótulos dinâmicos.
• Fechar Selecionados Marcadores dinâmicos: fecha todos os rótulos dinâmicos selecionados.

• Fechar Igualdade Labels dinâmicos: fecha todas as etiquetas dinâmicas que são iguais
(que mostra o mesmo atributo) como aquele selecionado.

• Qualidade: Define a qualidade da visualização 2D entre baixa, média ou alta.

• Modo Gray: Visualiza a vista 2D atual com um aspecto branco, preto e cinza.

41.1.4 no menu organizar

• Grupo: grupos a seleção atual de objetos 2D em um


• Desagrupar: rompe um objecto.
• Alinhar Centros: traduz a seleção atual para alinhar o centro de todos os objetos
selecionados.
• Mudança Altitude: altera a altura dos objectos seleccionados.

• Mover para Layer ...: move os objetos selecionados para a camada selecionada (ou seja,
de rede, as camadas de rede ..., imagens, imagens Layers ...).

41.1.5 menu de projeto

• Novo…: cria objetos AIMSUN, no projeto AIMSUN atual.

• Nova Revisão: cria uma rede de revisão do projeto AIMSUN atual.

• Consolidar Revisão em Base de Dados de: aplica todas as alterações feitas


nesta revisão para a rede base e remove a ligação entre a redes revisados
​base e.
• Consolidar Revisão nesta Revisão: converte a rede de revisão atual aberto em
uma rede de base de remover a ligação entre a redes revisados ​base e.

• Revisão Info: abre as propriedades da revisão em curso.


• propriedades: abre as propriedades do projeto atual.

41.1.6 menu ferramentas

• Secções transportes públicos: abre a lista de seções de transporte público


disponível.
• Verificar e corrigir de rede: verifica a rede para erros. Se forem encontrados erros
que abre um editor para corrigir os erros.
• Definir IDs externos: define IDs externos automaticamente para objetos de um determinado tipo.

Esboço, projeto 293


• Mostrar a localização no Google Maps: Abre um navegador e carrega no Google
Maps a localização visível (requer uma rede em coordenadas UTM e uma zona
UTM correta nas camadas).
• Import Liga de Shapefile
• Nodes importação de Turns
• Traduzir seções selecionadas

41.1.7 Menu de Análise de Dados

• New View Assistente Mode: abre um diálogo assistente para criar modos de visualização.

• Assistente de Novo Ver Estilo: abre um diálogo assistente para criar vista estilos.

• Time Series Viewer: abre a janela para visualização de séries temporais.

• Feche todos os espectadores Tempo Open Series: fecha todos os espectadores de séries temporais
abertas.

• Excluir colunas temporárias: abre o diálogo para a remoção de colunas


existentes no modelo.
• Espaço Tempo Diagrama: mostra um diagrama de espaço-tempo de uma selecção de um
detector.
• Comparação de dados: abre o diálogo para comparar duas experiências ou
conjuntos de dados diferentes.
• Decisão da tabela:
• Shortest Path Calculator: abre a ferramenta mais curta espectador caminho.

• isócronas: abre o diálogo isócronas.

41.1.8 menu Favoritos


• Bookmark esta posição: acrescenta a posição vista de rede atual e escala para
a lista de marcadores existentes.
• Editar: abre e editor para a edição de marcadores existentes.
• Lista de marcadores existentes: lista de marcadores adicionados anteriormente.

41.1.9 menu janela


• Janelas: permite ao usuário definir quais janelas são visíveis ou não. Se a
janela está visível, uma marca de seleção aparecerá ao lado do nome no
menu.
• Ferramentas Barra de Ferramentas: permite ao usuário definir quais barras de ferramentas estão visíveis
ou não. Se a barra de ferramentas está visível, uma marca de seleção aparecerá ao lado de seu nome
no menu.

• Bem vinda: exibe a Widget Bem-vindo ao ser capaz de abrir um segundo modelo.

41.1.10 menu Ajuda


• manuais: abre uma janela com o manual de usuários selecionado.
• Licenças ...: abre uma janela contendo uma lista de todos os módulos de
licenças, o prazo de validade e informações SUS.

Esboço, projeto 294


• Sobre: abre a janela de introdução do AIMSUN.
• Sobre plug-ins: para o componente selecionado abre a janela de introdução, se houver.

41,2 menus de contexto dos objetos gráficos


O menu de contexto de qualquer objeto gráfico é aberto pelo botão direito sobre o objeto
desejado em uma exibição 2D.

Para todos os objetos gráficos existem várias operações comuns acessíveis abrindo
seu menu de contexto. Estes comandos são:
• Mostrar rótulo: mostra no 2D vê a rótulos “identificador: name” para todos os
objetos pertencentes ao mesmo tipo que o tipo do objeto possuir o menu de
contexto aberto.
• Marcadores dinâmicos:
o Novo:
• Atributo Dynamic Label: Abre uma janela onde para selecionar
o atributo a etiqueta dinâmica nas vistas 2D será baseado.

o Selecione Equal: Seleciona todos os rótulos dinâmicos que são


igual à exibida para o objeto rightclicked.

o Perto:
• Todos: Fecha todos os rótulos dinâmicos visíveis atuais
• Selecionado: Fecha todos os rótulos dinâmicos selecionados
• Igual: Fecha todos os rótulos dinâmicos que estão mostrando
o mesmo atributo, mas para outros objetos, como aquele que
abre o menu de contexto.

• renomear: abre uma janela onde o objeto pode ser renomeado.


• Excluir: elimina o objecto.
• propriedades: abre o editor de objeto.
• Organizar:
o Grupo: grupos os actuais objectos seleccionados todos
juntos.
o Alinhar Centros: traduz os objectos seleccionados actuais
para fazer o seu ponto central estar localizado no mesmo lugar.

o Mudança Altitude: muda a altitude do objeto, que


é, coloca a sua parte inferior, onde indicado.
o Mover para camada: move os objectos seleccionados para o
camada selecionada (ou seja, de rede, as camadas de rede ..., imagens,
imagens Layers ...).
• Gerar Obstacle Pedestre: gera um obstáculo para pedestres para Legion para
AIMSUN com a forma do objeto.

Para cada gráfica objeto suas operações são:

41.2.1 Polyline
• Converter a Seção: converte a polilinha a uma seção.

Esboço, projeto 295


• Converter para Polygon: converte a polilinha a um polígono, adicionando a linha
que une o primeiro e último ponto.
• Extrude: converte a polilinha a uma polilinha 3D.
• Junte-se: junta-se duas polilinhas selecionadas.

41.2.2 Curva Bezier


• Converter a Seção: converte a curva de Bezier para uma secção.
• Converter para Polygon: converte a curva Bezier de um polígono, adicionando a
linha que une o primeiro e último ponto.

41.2.3 Polígono
• Selecionar objetos dentro: seleciona opções no 2D exibir todos os objetos que têm
alguma parte dentro do polígono.
• Converter para: converte o polígono em um agrupamento, sub-rede ou
microsimulation área.
• Extrude: converte o polígono para um bloco 3D.

41.2.4 Seção
• Alterar Seção Direção: altera a direcção da secção para o sentido oposto.

• Gerar direção oposta: cria uma nova seção ao lado da seção atual com a
direção oposta.
• Adicionar curva de vértice: adiciona um vértice curva para a seção.
• Junte-se: une as seções selecionadas.
• Rapidez…: abre um diálogo para selecionar a nova velocidade para todas as seções
selecionadas.
• Capacidade…: abre um diálogo para selecionar a nova capacidade de todas as seções
selecionadas.
• Largura da linha de ...: abre um diálogo para selecionar a nova largura da via para todas as
seções selecionadas.
• Tipo de estradas: altera o tipo de estrada das seções selecionadas atualizando
os atributos seção para os definidos no tipo de estrada.

• Tipo Road (Manter Atributos): altera o tipo de estrada das seções selecionadas
sem atualizar os outros atributos da seção.

• Número de raias: altera o número de pistas das seções selecionadas.

• Tipo Lane: altera o tipo da pista clicado.


• Converter para Polygon: converte a seção para um polígono, adicionando a linha
que une o primeiro e último ponto.

41.2.5 Nó
• Editar Plano de Controle: Todos os planos de controle definidos serão listados para selecionar o
único a ser editado.
• Yellow Box: o nó será considerado como um nó caixa amarela quando verificados
e como um nó normal de outra forma.

Esboço, projeto 296


• Curva Liga: curvas de todas as voltas no nó mudando a geometria de cada um
deles.
• Show / Hide Liga Etiqueta: mostra ou esconde no 2D vê os rótulos
“identificador: nome” para todas as voltas que pertencem ao nó que abriu o
menu de contexto.
• mesclar: funde os nós seleccionados em um.
• Dividido: divide o n seleccionado em vários nós, uma sendo cada um dos
polígonos o nó original tinha.
• Editor Avançado: Abre o editor do nó avançado onde se pode ver as conexões
e os conflitos que serão utilizados na microsimulation. Consulte o manual do
usuário AIMSUN Simuladores dinâmica para mais detalhes.

41.2.6 centróide
• Junte Centróides: Quando dois centroides são seleccionados, esta opção irá juntar-se todas
as suas conexões com um centróide actualizando as matrizes S / D e as rotas de S / D em
conformidade.
• Editar polígono: desenha os pontos que definem o polígono centróide para ser
capaz de editá-lo.
• Ocultar / mostrar Conexões: Os couros e mostra as ligações dos centroides
seleccionados com as secções ou nós.

41.2.7 Controlador

• Ocultar / mostrar Conexões: Os couros e mostra as ligações dos controladores


seleccionados com os nós.

41.2.8 subnetwork
• Gerar Traversal estática: Consulte a AIMSUN macroscópica Modelagem manual
Ferramentas para mais detalhes.
• Gerar Traversal dinâmica: Consulte o manual do usuário AIMSUN Simuladores dinâmica
para maiores detalhes.
• Novo…
o Cenário: cria um novo cenário, dinâmico ou
macro, para a sub-rede.
o Tráfego demanda: cria uma nova demanda de tráfego para o
sub-rede.
o Configuração Centróides: cria um novo centroid
configuração para a sub-rede.
o Estado de trânsito: cria um novo estado de tráfego para o
sub-rede.
• Selecionar objetos dentro: seleciona opções no 2D exibir todos os objetos que têm
alguma parte dentro da sub-rede.

41,3 menus de contexto dos objetos não gráficos


O menu de contexto de qualquer objeto não-gráfico é aberto pelo botão direito sobre o
objeto desejado na janela Projeto.

Esboço, projeto 297


Para todos os objetos não-gráficos existem várias operações comuns acessíveis
abrindo seu menu de contexto. Estes comandos são:

• renomear: abre uma janela onde o objeto pode ser renomeado.


• Excluir: elimina o objecto.
• propriedades: abre o editor de objeto.

Para cada objeto não-gráfico o resto de suas operações, se houver, são:

41.3.1 tipo de estrada

• Definir como padrão: define o tipo de estrada como padrão. Isso significa que a partir deste
instante todas as seções serão criados usando este tipo de estrada.

41.3.2 Configuração centróide


• Novo:
o O / D matriz: cria uma nova matriz no selecionado
configuração centróide.
o O / D rota: cria uma nova rota no selecionado
configuração centróide.
• Ativar: define a configuração do centrde como a um activo.

41.3.3 Cenário dinâmico


• Nova experiência: cria uma nova experiência no cenário selecionado.

41.3.4 Experimento dinâmica


• Novo
o Replicação: abre um editor para a criação de repetições
na experiência.
o Média: cria uma nova média no experimento para
um conjunto de repetições.

41.3.5 Replicação
• Simulação de animação: inicia uma simulação interativa. Ele abre o editor de
simulação interativa, que permite que o usuário iniciar a simulação, definir a
velocidade de simulação e um tempo de simulação de parada.

• Simulação de animação (início rápido): inicia uma simulação interativa. Ele abre o
editor de simulação interativa, que permite que o usuário defina a velocidade de
simulação e um tempo de simulação de parada. Após o warm-up a simulação é
iniciado automaticamente.

• Simulação do lote: inicia uma simulação lote.


• Salve Estado Simulação:
• Recuperar de replicação de dados: carrega os dados de replicação que foi armazenado na
base de dados.
• Recuperar resultados Path atribuição:

Esboço, projeto 298


• Recuperar Custos caminho:

41.3.6 Média
• Calcular: calcula a média do conjunto escolhido de repetições. Se um banco de
dados é definida no cenário, ele armazena a média no banco de dados também.

• Simular pendentes Replications: simula essas repetições com status definido


como 'Não simulado ainda'.
• Replications Reset: Define o status de todas as repetições que pertencem a esta
média para 'Not simulado ainda'.
• Recuperar os dados médios: carrega os dados média que foi armazenado no banco
de dados.
• Recuperar médio e replicações de dados: carrega a média de dados que foi
armazenado na base de dados, bem como os dados para todas as repetições que
lhe pertencem.

41.3.7 Linha de transporte público

• Selecione Rota secções: selecciona as secções que pertencem à linha de


transporte público.

41.3.8 Estratégia

• Nova política: cria uma nova política para a estratégia selecionada.

41.3.9 Política

• Novo:
o encerramento Lane: cria uma nova ação de encerramento das faixas para
a política seleccionada.
o Vire o encerramento: cria uma nova ação de fechamento turno para
a política seleccionada.
o mudança de velocidade: cria uma nova ação de mudança de velocidade para
a política seleccionada.
o Força sua vez: cria uma nova ação de força de volta para o
política seleccionada.
o Reencaminhamento: cria uma nova ação de reencaminhamento para o
política seleccionada.
o Seção incidente: cria um novo incidente seção
ação para a política selecionada.
o Periódica incidente Secção: cria um novo periódica
ação incidente seção para a política seleccionada.
o mudança de plano de controle: cria um novo plano de controle
ação contra a mudança para a política selecionada.
o Meso parâmetros comportamentais Mudança:
o Desactivar reservados Lane:

41.3.10 Condição de tráfego


• Novo:
o encerramento Lane: cria uma nova ação de encerramento das faixas para
a condição de tráfego seleccionado.

Esboço, projeto 299


o Vire o encerramento: cria uma nova ação de fechamento turno para
a política seleccionada.
o mudança de velocidade: cria uma nova ação de mudança de velocidade para
a condição de tráfego seleccionado.
o Força sua vez: cria uma nova ação de força de volta para o
condição de tráfego seleccionado.
o Reencaminhamento: cria uma nova ação de reencaminhamento para o
condição de tráfego seleccionado.
o Seção incidente: cria um novo incidente seção
ação para a condição de tráfego selecionado.
o Periódica incidente Secção: cria um novo periódica
ação incidente seção para a política seleccionada.
o mudança de plano de controle: cria um novo plano de controle
ação contra a mudança para a condição de tráfego selecionado.
o Meso parâmetros comportamentais Mudança:
o Desactivar reservados Lane:

41.3.11 Python Script


• Executar: executa o script python. Consulte o Manual de AIMSUN Scripting para
obter detalhes sobre roteiros definem.

41.3.12 Real conjunto de dados

• Recuperar: recupera os dados do conjunto de dados reais selecionados.

41.3.13 agrupamento Categoria

• Novo…: cria um novo agrupamento.


• Construir: acrescenta aos agrupamentos ligados a uma área de polígono os objetos
dentro do polígono que pertencem ao Agrupamento Tipo Categoria Objeto.

• Estatísticas de atualização: recalcula as estatísticas de todos os agrupamentos


definidos na categoria agrupamento.

41,4 menu de contexto Camada


O menu de contexto de uma camada é aberto clicando com o botão direito sobre a camada
desejada na janela de Layers. As operações disponíveis para camadas são:

• Gerar Obstáculos pedestres: gera um obstáculo para pedestres para ser usado
com Legião para AIMSUN para cada um dos objectos na camada.

• Recuperar dados externos: Recupera a camada de modo a todo o seu conteúdo pode ser
acessível pelo utilizador.
• Descarregar dados externos: descarrega o conteúdo da camada, de forma que não
será mais acessíveis pelo utilizador e a quantidade de memória usada pelo AIMSUN
irá diminuir.
• Nova camada: cria uma nova subcamada.
• Ativar: define a camada como a uma activa para que todos os novos objectos criados vai
ser adicionada a ele.

Esboço, projeto 300


• Center em Ver: Centros a vista sobre o ponto central da camada

• Mover selecção para esta camada: Move-se todos os objectos seleccionados para esta camada.

• Selecionar tudo: seleciona todos os objetos da camada do Active View 2D.


• Mostre tudo: mostra todos os objetos da camada do Active View 2D.
• Esconda tudo: esconde todos os objetos da camada do Active View 2D.
• renomear: abre uma janela onde a camada pode ser renomeado.
• Remover: remove a camada.
• propriedades: abre o editor da camada.

41,5 menu de contexto Legend


• Cópia de instantâneo: copia o conteúdo da legenda para a área de transferência.

41,6 menu de contexto Janela Log


• Salvar o registro: Salva as mensagens de log em um arquivo html.
• Claro: limpa a janela de log, removendo todo o seu conteúdo.

41,7 menus de contexto do projeto Pastas


botão direito sobre pastas raiz dentro da janela do Projeto revela seus menus de contexto.
Apesar de rebatizar opção disponível para todas as pastas, novos objetos não-gráficos
relevantes para cada pasta pode ser criado. Por exemplo, uma Nova / Tipo de Veículo pode
ser criado a partir da Tipos de veículos e Classes menu de contexto da pasta, que será
colocado nesta pasta.

41,8 lista de hotkeys


As teclas de atalho actualmente implementados dentro do aplicativo AIMSUN são:

• F5: Seleção
• F6: Pan
• F7: Zoom
• Controlo + R: Rotação
• F9: Conexão

• L: Camadas do Windows

• P: Janela Projeto
• E: Janela Legend
• O: Janela de Registo

• T: Tabela Window View


• I: Inspector

• F2: Renomear.
• F11: Diminua a opacidade de editor atual.
• F12: aumentar a opacidade do editor atual.

Esboço, projeto 301


• ESC: Fecha editor atual.

• Ctrl + Q: Saia AIMSUN.


• Ctrl + G: Grupo da seleção.
• Ctrl + U: Desagrupar a seleção.
• Ctrl + F11: Maximiza o aplicativo (retorna ao tamanho original quando clicado novamente).

• Ctrl + P: Imprimir.

• + M: une as duas secções seleccionadas

• Ctrl + Número: quando uma secção é seleccionado muda o número de faixas. Sem
uma seção selecionada muda o número padrão de pistas para as seções futuras
que serão criados.

• Quando um objecto é seleccionado, as setas movê-lo.


• Quando a ferramenta é seleccionado panela, as setas mover o ponto de vista.

Esboço, projeto 302


42 AIMSUN scripting

42,1 Scripting
Python scripting é ideal para escrever pequenos utilitários para automatizar algumas operações
que seriam feitas manualmente com o GUI. As tarefas típicas que podem ser realizadas com
scripts são:
• Modificando o modelo
• Importação ou exportação de dados
• Realizando cálculos com os dados do modelo
• Modificar o modelo de dados meta

Um pré-requisito para usar os recursos de script de AIMSUN é algum conhecimento de


como programar em Python (algo não abordado neste manual), e com este pano de
fundo os usuários podem introduzir-se a classes e métodos dentro AIMSUN, e as
convenções de seu uso.

Há um manual específico para scripting (Manual AIMSUN Scripting), que inclui


exemplos que irá introduzir o leitor para o uso efetivo de scripting. Ele também irá
explicar as convenções de uso: o que é permitido, o que não é permitido e o que é a
melhor maneira de executar tarefas comuns. A documentação de todas as classes e
métodos disponíveis no scripting AIMSUN é fornecido como um conjunto de
documentos HTML navegável (TSS-Transport Simulação de Sistemas \ AIMSUN 7.0 \
programação \ scripting \ docs \ index.html).

42.1.1 Criando um script Python


Scripts Python podem ser criados a partir Projeto / Novo / Python Script
cardápio.

Figura 294 Nova Script Python

Esboço, projeto 303


Dê um duplo clique sobre o novo script python para abrir seu editor. A figura seguinte mostra
um exemplo de Script Python.

Figura 295 Média calculadora Script

42.1.2 executando Scripts


Um script Python pode ser executado tanto de seu editor ou do seu menu de contexto.
Use o Executar botão para fazê-lo dentro do editor.

Também atribuir um script para um tipo de objeto é possível. O script irá aparecer no
menu de contexto de qualquer objeto desse tipo, na rubrica Scripts. O objecto
seleccionado pode ser acedida no script utilizando a variável alvo.

Use o Adicionar Script a um menu opção para atribuir um script para um tipo de objeto.

Finalmente, o script pode ser salvos em um arquivo externo, marcando a caixa de


seleção arquivo externo e digitando o caminho. Para salvar as modificações feitas
durante a edição do código de script no arquivo externo Salve • botão precisa ser usado.

Esboço, projeto 304


Figura 296 - Atribuir um script para Secções

Por exemplo, o script para imprimir o ID do objeto selecionado é:

imprimir target.getId ()

42.1.2.1 Inicializações automáticas


O ambiente de script em AIMSUN é inicializado executando o script initial.py localizado
na pasta TSS-Transport Simulação de Sistemas \ AIMSUN 7,0 \ shared \ scripts \
modelo \.

Ele importa os seguintes módulos Python que contêm as classes AIMSUN


fundamentais necessários para edição modelo:
• PyANGBasic: aulas Qt
• aulas AIMSUN Kernel: PyANGKernel
• aulas AIMSUN GUI: PyANGGui
Para utilizar os recursos oferecidos pelo plug-ins, é necessário importar os módulos
relacionados. Por exemplo, para iniciar uma simulação microscópica dentro de um
script do módulo PyANGAimsun devem ser importados

de PyANGAimsun import *

Em seguida, redireciona a saída padrão para a janela AIMSUN Log.

Finalmente, preinitializes as seguintes variáveis:


• modelo: contém o modelo de rede atual
• alvo: contém o objecto a partir do qual o roteiro é executada, se o script
está ligada a um tipo de objecto (ver Figura 296)

• seleção: contém os objectos actualmente seleccionados

Esboço, projeto 305


43 GIS Importador / Exportador
O objetivo deste plug-in é para carregar arquivos de GIS (ESRI Shapefiles ou arquivos
MapInfo) em AIMSUN e para extrair o máximo de informação possível a partir dele para
criar uma rede de transporte. Usando esta ferramenta é possível criar redes de várias
fontes como Navteq ou mapas TeleAtlas ou de outras embalagens de transporte como
Cube, TransCAD ou qualquer outro que pode exportar seus dados de rede em arquivos
GIS.

Ele também permite a exportação de certas informações a partir da geometria da rede para
shapefiles.

43,1 GIS importador


O importador pode colocar os dados em AIMSUN de duas maneiras diferentes:
1. Como objetos AIMSUN armazenadas no arquivo ANG.
2. Como uma camada externa

43.1.1 Importando no arquivo AIMSUN


AIMSUN armazena todas as informações sobre a rede em um único arquivo binário com a
extensão ANG. Ao importar dados de outro formato que cria objetos AIMSUN que são
armazenados em tal arquivo. O arquivo GIS não será mais usado.

43.1.2 A importação como uma camada externa

Para alguns formatos de arquivo (CAD, GIS, imagens raster) é possível armazenar não o
conteúdo dos dados importados, mas um ponteiro para o arquivo onde os dados foram
importados de. Neste caso, uma parte das informações irá residir no arquivo AIMSUN e
alguma parte será em arquivos externos em seu formato original.

Figura 297 dados externos no AIMSUN

Esboço, projeto 306


AIMSUN utiliza camadas externas de saber quando os dados de uma camada de desenho
vem de uma fonte externa. Este tipo de camada, na recuperação de documentos, lê os dados
externos e incorpora-o no modelo AIMSUN (se a Recuperação automática está activa, caso
contrário o utilizador pode carregar os dados em qualquer momento, utilizando o comando
Recuperar). No documento salvar, apenas a localização do arquivo externo será
armazenado.

Os dados em uma camada externa não pode ser editado em AIMSUN.

43.2 shapefile Introdução


O formato de dados espaciais Shapefile é aberto e publicado pela ESRI. shapefiles
armazenar não-topológica geometria e atributos
informações para os recursos espaciais em um conjunto de dados. Shapefiles pode suportar
características ponto, linha e área. O conceito shapefile inclui até cinco tipos de arquivos com
extensões de arquivo específicas. Esses arquivos devem ser armazenados no mesmo espaço de
trabalho 3.

extensões de arquivo shapefile e sua função:


1. .shp: a geometria do recurso.
2. .shx: um índice para a geometria do recurso.
3. .dbf: o arquivo dBASE associado de informações de atributo.
4. .sbn e .sbx: um índice espacial das características.
5. .ain e .aih: o índice de atributo de campos ativos em uma mesa ou tabela de atributos de um
tema.

Quando o usuário importa um shapefile para criar dados no AIMSUN arquivar o importador
vai usar a geometria do recurso (shp) para criar um objeto para cada objeto encontrado na
shapefile. Ela irá então usar as informações de atributo para definir os atributos do objeto
AIMSUN.

Por exemplo: se o usuário optar por criar uma rede de um shapefile o importador vai
criar uma seção para cada objeto no shapefile. A geometria (deve ser uma linha ou
poligonal) vai ser utilizado como a linha central de cada secção. As informações
atributo será usado para definir o número de vias, capacidade, tipo de estrada, etc.

43,3 Unidades GIS arquivo

AIMSUN usa o sistema métrico internamente. Ao importar um arquivo GIS, as suas


coordenadas são transformadas em metros se eles estão em pés ou latitude e longitude.
No segundo caso, a conversão para WGS84 coordenadas UTM é usado.

3 http://www.uky.edu/KGS/mapping/pages/glossary.html

Esboço, projeto 307


43,4 Requisitos de dados
A quantidade ea qualidade dos dados encontrados no arquivo GIS irá determinar a qualidade dos
dados importados. Se nenhum número de informações pistas está presente, o importador irá criar
seções de pista única, se nenhuma informação de velocidade é encontrada uma velocidade
padrão será definido (usando o tipo de estrada ativa) e assim por diante.

43,5 Criação de rede


Normalmente, os dados GIS não contém informações de geometria detalhada de uma rede de
tráfego. A informação em falta pode ser:
• Na rampa ou informações rampa: A seção contém apenas as principais pistas ou, se a
rampa on / off está incluído, é codificado como uma pista cheia.

• Espaço para os nós: um nó está codificada como um ponto, em vez de como uma área.

• Vire informações: A conectividade seção, se presente, apenas códigos “tudo para todos”
pistas voltas (em vez de, por exemplo, apenas deixou a maior pista é usada para
transformar a secção Y da seção X).

O importador criará automaticamente a área de nó com base no dentro e fora geometria


seções e fará o seu melhor para criar a informação por sua vez correta. Não ligado ou
desligado rampa será criado. No entanto, o importador pode ser melhorada para extrair
informações não-padrão, consulte serviços de personalização.

43.5.1 Serviços de personalização


O principal objetivo do importador é criar uma rede com a mais alta qualidade e quantidade
de informações. Se a informação é codificada em um formato não suportado pelo AIMSUN,
ou se dados adicionais podem ser extraídas de outras fontes de informação, em seguida,
TSS oferece serviços de personalização para melhorar o importador.

Esses serviços incluem a modificação da lógica importador (para adicionar regras implícitas) ea
inclusão de interfaces para outras fontes de dados (como arquivos de acesso ou Excel, bancos de
dados espaciais e arquivos em formatos de dados personalizados).

43,6 Importando um arquivo GIS

Este diálogo inicial pede o processo de importação para usar (criar uma camada
externa, criar a geometria da rede e a topologia, criar detectores ou centroides ou VMS,
criar edifícios), as unidades e a localidade e os atributos do ficheiro SIG para usar como
nome e IDs externos dos objetos criados.

1. Comece AIMSUN.
2. Crie um novo documento usando um modelo.
3. No menu Arquivo, executar o comando Import / GIS.
4. Localize o arquivo GIS para importar
5. O diálogo GIS Importador aparece:

Esboço, projeto 308


Figura diálogo importador 298 SIG

6. O nome do tipo é usado para atribuir um tipo para cada objeto importado.
O nome do tipo deve referir-se a um tipo que não existe ou o nome de um tipo já
existente que pode ser usado pelos objetos que serão importados. Para mais
informações, consulte os tipos de ponto e objetos em AIMSUN abaixo.

7. Defina as unidades corretas. O importador irá tentar adivinhar o correto


valor.
8. Se você estiver importando dados em um idioma não abrangidos pelo ASCII
conjunto de caracteres (como chinês, japonês ...) definir a codificação correta.
9. Defina o atributo no arquivo de forma a ser usado como o externo
identificador. AIMSUN vai colocar seu próprio identificador em cada objeto importado. O
identificador externo também é usado para manter o identificador usado no arquivo forma.

10. Definir o atributo a ser utilizado como o nome de cada objecto.


11. Definir como AIMSUN irá importar o arquivo:
• Como uma camada externa: o arquivo é importado como é, nenhuma modificação é
realizada e nenhum dado é criado no arquivo AIMSUN. Apenas o caminho para o
arquivo GIS é armazenado. Quando

Esboço, projeto 309


o utilizador recupera um ficheiro AIMSUN que contém uma camada externa que vai carregar
os dados a partir deste ficheiro SIG.
• Como uma camada interna: o arquivo é convertido em linhas e pontos. Após
a conversão, o arquivo original não será mais usado. Os objetos criados
serão armazenados no arquivo AIMSUN.

• Como uma rede: o arquivo será convertido em uma rede AIMSUN. Após a
conversão, o arquivo original não será mais usado. Os objetos criados serão
armazenados no arquivo AIMSUN. Uma caixa de diálogo pedindo
informação extra irá aparecer.

• Como Centróides, VMS, Detectores ou paragens de autocarro: o arquivo será usado


para criar os objetos AIMSUN selecionados (centróides, VMS, detectores ou
paragens de transportes públicos). Após a conversão, o arquivo não será utilizado.
Os objetos criados serão armazenados no arquivo AIMSUN.

• Como Edifícios: Para cada polígono no arquivo, um polígono extrudado com


a altura selecionada será criado. A altura pode ser aleatório, fixo, ou pode vir
de um dos atributos dos objectos.

12. Os objetos importados serão colocados em uma nova camada cujo nome
será o nome do tipo usado.

43,7 Importador rede


O importador rede irá extrair o máximo de informação possível a partir de um arquivo de GIS
para criar uma rede AIMSUN. Veja Como o Importador de rede funciona para uma descrição
detalhada.

Somente os arquivos de GIS que contêm linhas ou polilinhas pode ser usado para criar uma rede. O
importador não vai trabalhar com polígonos, arcos, pontos ou arquivos multi-remendo.

A caixa de diálogo pedirá informações sobre as seções (na pasta guia Principal), como
conectar essas seções (pasta guia Topologia), se as ligações incluem ligações
Centroid (pasta guia Centróides) e se algum atributo pode ser usado para atribuir VDFs
para as seções.

os atributos número de faixas, a velocidade e capacidade pode ter dois valores, para o
sentido normal e para as direcções opostas, no caso de que uma única ligação gera
ambos os sentidos.

43.7.1 Tipos de estrada

Antes de importar, o usuário pode criar tantos tipos de estrada, como desejado, que
serão usados ​para inicializar os valores na seção quando ele é criado.

Esboço, projeto 310


Figura 299 Estrada tipo de editor

Quando o importador de rede cria as seções na rede, é possível usar um atributo no


shapefile para especificar o tipo de estrada a ser utilizado. Se não houver equivalência é
definido, as novas seções terá o tipo de estrada padrão (como desenhado pelo usuário
usando o comando Definir como padrão no menu de contexto Tipo Road).

Se nenhum valor ou atributo correspondência é especificado no diálogo importador de rede para


um atributo de determinada seção, em seguida, o importador vai usar, se possível, os valores
encontrados no tipo de estrada.

Se o usuário deseja definir os valores do tipo de estrada em vez disso, isso pode ser feito,
definindo os seguintes valores na importador:
• Velocidade: Selecione Nenhum

• Capacidade: Selecione Nenhum

• Pista Largura: Deixar o campo em branco.

43,8 Como funciona o Importador de rede


O importador rede irá criar uma seção para cada polilinha encontrada no arquivo GIS.
Em seguida, ele irá criar os nós usando o Do Nó e aos atributos Node. Cada nó irá
conter todos os possíveis turnos entre todas as seções em que nó. Em seguida, ele irá
processar cada turno para remover as inversões de marcha e para afinar as pistas
usadas em cada turno. Ela irá expandir os nós de um ponto para uma área

Esboço, projeto 311


(Passo facultativo). A última (opcional) passo será a importação de informações de nó extra a
partir de outro arquivo GIS.

43.8.1 seção Criação


Cada polilinha ou linha encontrada no arquivo GIS será convertido em uma nova seção.

Figura diálogo Importador 300 de rede: Secções

Atualmente é possível especificar, com base nos atributos no arquivo GIS, os valores para
número de vias, velocidade e capacidade. Se nenhuma informação está presente para
qualquer um desses atributos serão utilizados os seguintes valores:

Atributo Valor

Esboço, projeto 312


Número de pistas 1
Rapidez Velocidade do tipo de estrada
Capacidade Capacidade do tipo de estrada

O tipo de estrada pode ser definido na caixa de diálogo Importador de rede. Se nenhum tipo de estrada é
definida, então o padrão tipo de estrada será definido. É possível adicionar um número de vias por tipo
de estrada, se nenhum atributo para o número de pistas é especificado na Seção área de Basic.

Note-se que AIMSUN usa unidades métricas internamente. O arquivo GIS importados irá criar
seções em metros. Se as unidades de arquivo GIS eram metros, em seguida, a geometria no
arquivo GIS e da linha central das seções será o mesmo (a menos que algum
pós-processamento é aplicado como fazer espaço para os nós).

43.8.1.1 Links para Ir


Alguns arquivos GIS podem incluir links que talvez não sejam necessários, por exemplo, uma
linha de metro ou comboio. É possível pular usando o tipo de estrada Atributo e estabelecendo
um 0 como o número de pistas. Neste caso, não é necessário atribuir um AIMSUN Estrada
Type.

43.8.1.2 Direção simples e dupla


Normalmente, a polilinha nos códigos de arquivo GIS um eixo de uma única seção, ea
ordem dos pontos da polyline determina a direção do fluxo. No entanto, o importador
também suporta as seguintes alternativas:

• secções inversos: A direcção do fluxo é o inverso da ordem ponto.

• instruções duais: Os códigos poligonais a linha de separação entre as duas secções,


uma em cada direcção.
É possível combinar as duas possibilidades (inversas e dupla).

Use a Direção da área de fluxo para contar o importador como descobrir a direção
certa e se os códigos polilinha direção dual.

Para fazer isso, selecione o atributo que tem a informação e colocar para cada possibilidade do
número, caráter ou texto que identifica a configuração correta. Coloque uma entrada não é válida
se a configuração não é possível.

Exemplo: um arquivo GIS tem um atributo chamado DIR com estes valores possíveis:

• 1: Direcção Individual
• - 1: Direcção Inversed
• 0: Direção dupla

Então escreva 1, -1 e 0 para os primeiros três possibilidades. Para a última possibilidade (Direção
dupla Inversed) colocar qualquer coisa que não seja 1, -1 ou
0.

Esboço, projeto 313


43.8.1.3 Número de Lanes e direção dupla
Quando uma única polilinha gera duas seções, uma em cada sentido, o número de pistas
atributo encontrado no arquivo GIS pode ser considerado como a soma de todas as
faixas em ambos os sentidos, ou como o número de faixas em cada sentido.

Ative o botão de alternância Lanes Partilhar no sentido duplo para dividir o número de
pistas entre ambas as seções.

43.8.1.4 Secções sobrepostas


Alguns shapefiles conter duas linhas centrais sobrepostas para cada direcção de fluxo.
A Figura 301 mostra dois elos, 1 e 2, que ligam dois nós, A e B. AIMSUN pode mover
automaticamente estas linhas centrais sobrepostas para garantir uma geometria de
rede mais correcta.

2
UMA B

1
Figura 301 direcção dupla usando duas linhas de eixo

Esta operação é activada através da verificação da Secções Unoverlap


opção. A aplicação irá procurar o par de secções que se conecta nós opostos (secção
1 vai de A para B, secção 2 de B para A) e vai deslocar as secções do lado de fora da
linha central originais.

A regra atual da estrada será usado (conforme definido nas Preferências) para
determinar qual seção será traduzido para a esquerda da linha central e qual será
traduzido para a direita.

43.8.2 Criação nó
Se o arquivo GIS contém informações topológica (no nosso caso, como os objetos
estão conectados), ele pode ser usado para criar nós onde as seções da rede estão
conectados. Os atributos “do nó” e “para o nó” são usadas para criar tais nós.

Esboço, projeto 314


Figura diálogo importador 302 de rede: Nodos

Depois de um nó é criado, liga o nó também são criados para conectar fisicamente


seções, um para o outro. Como não existe informação disponível sobre a qual seção
está conectado com o qual, o importador cria uma conexão entre todas as seções no
nó.

43.8.2.1 Vire Refinamento


AIMSUN pode especificar não apenas quais seções estão ligados a quais seções em um nó,
mas também que as pistas são usados ​em uma volta. Por exemplo, em uma curva à direita,
talvez apenas o faixa mais à direita de uma secção permite tal volta eo resto das pistas são
usadas para ir para a frente.

Esboço, projeto 315


Figura 303 exemplo de uma curva em AIMSUN

O importador classifica as voltas para determinar se eles são uma inversão de marcha, esquerda,
direita ou sua vez reta. Ele usa o ângulo que forma as seções que estão conectados antes que o
nó é expandido.

Após os ângulos, por sua vez foram calculados e as voltas classificou o importador irá
atribuir algumas ou todas as pistas para a virada, considerando outras voltas que
começam na seção, como segue:

Vire Tipo De outros voltas em Lanes Usado


Seções
Esquerda Em linha reta deixou mais
Esquerda Nenhum Todos

Esquerda Certo Metade (mais à esquerda)

Certo Em linha reta direito mais


Certo Nenhum Todos

Certo Esquerda Metade (mais à direita)


Em linha reta Nenhum Todos

43.8.2.2 Expandindo o nó
O último passo será converter o nó de um ponto a uma área dando espaço para as
voltas. Ele irá comprimir as seções que fazem parte do nó reduzindo cada seção. A
compressão fará a secção mais curta, mas nem secção serão removidos nem qualquer
ponto sobre ele.

O tamanho de compressão irá depender do número de pistas das secções envolvidas. O


importador irá usar o tamanho máximo da largura da secção (número de vias * tamanho
pista) dividida por dois e, com o resultado, ele irá adicionar um 10%.

Este espaço irá assegurar uma área de nó correto para a maioria dos casos, mas não irá
tentar garantir que algumas seções não se sobrepõem o nó.

43.8.2.3 Adicionando informações do nó extra

O usuário pode especificar um segundo arquivo GIS com informações nó. O importador
cria nós com base no “De Nó” e “para o nó”

Esboço, projeto 316


definições. Cada nó criado terá como identificador externo o valor do atributo “do nó” ou
“para o nó”.

Para utilizar este segundo arquivo GIS, o importador deve coincidir com os nós criados
ao importar a rede com os nós encontrados neste shapefile. O importador irá pedir para
o atributo que contém o identificador do nó. Ele também vai pedir o atributo que contém
o nome do nó.

Nenhuma informação geométrica será carregado, somente os atributos e seus valores.

43.8.3 Criação centróide


Alguns arquivos GIS conter conexões centróide como links. Neste caso, AIMSUN pode
criar automaticamente os centróides e conectá-los para a secção ou nó
correspondente.

Na pasta guia Centróide, permitir que as conexões Centroid opção links em e em


seguida, dizer o importador como ele pode reconhecer conexões. Você pode diferenciar
de links usando uma gama de identificadores ou o valor de um atributo.

A segunda opção permite que uma lista de identificadores e / ou uma estreita faixa de
valores. Os IDs são separados por vírgulas, a gama pelo símbolo “-”. Para diferenciar o
sinal de subtração de um número negativo por favor, adicionar um espaço após o símbolo,
por exemplo: “- 9”. Se o segundo valor na faixa que não está presente, então será usada
toda a gama desde o valor mais baixo para cima. Exemplo de entradas válidas são:

• Ligações 1,2 e 3: 1,2,3


• De 1 a 20 (incluído): 1-20
• De 20 (incluído): 20 -

43,9 Navteq Importador


AIMSUN inclui um importador de mapas Navteq em formato Shapefiles. Ele define
automaticamente a correspondência entre atributos AIMSUN e Navteq e, em seguida,
utiliza internamente o Importador de rede documentado.

Esboço, projeto 317


Figura 304 diálogo importador Navteq

O diálogo importador permite filtrar os dados que serão importados usando códigos Zip. Ao definir
um intervalo de códigos postais apenas os recursos correspondentes eles serão importados. Se
nenhum intervalo de código postal está definido, o importador irá importar todos os dados.

43.10 Centróide, VMS, Detector e Construção Importador


O importador centroid cria centroids desconectados da rede para que, se possível, é
melhor criar centroids usando o importador de rede (consulte Criação Centróide). Ele
pode ser usado com shapefiles que contém pontos ou áreas:

1. A partir de pontos: cada ponto será usado para criar um baricentro. o


ponto não será criado.
2. De áreas: a centroid será criado no centro de cada
área. A área não será criado.

Para VMS e detectores do importador pede a seção na qual o objeto reside e o


deslocamento para o início seção.

O importador edifício vai usar o polígono no arquivo de forma a criar um polígono


extrudido (com informação 3D) e com a altura, tal como especificado em qualquer um
atributo do arquivo de forma ou utilizando um número aleatório.

43.11 Exportando uma rede AIMSUN para shapefiles


Usando o comando Exportar no menu Arquivo, é possível exportar algumas
informações da rede em vários shapefiles.

O exportador vai pedir para a pasta onde os arquivos serão gerados. Se a pasta
contém arquivos anteriores, eles serão

Esboço, projeto 318


sobrescrito. Em seguida, ele irá gerar arquivos para os seguintes tipos de objetos:

• Seções
• Nodes
• voltas
• VMSS
• doseamentos

• detectores
• centróides
• conexões centroid
• paragens de transportes públicos

• etiquetas

• polígonos

43.11.1 arquivo seções

As secções serão colocados em um arquivo de forma com várias formas de arco com coordenada Z
(SHPT_ARCZ). Os arquivos gerados são:
• sections.shp
• sections.shx
• sections.dbf

Os atributos escritos no arquivo DBF são:


• id: AIMSUN Identificador.
• Nome: Nome do objeto.
• nb_lanes: Número de raias.
• Velocidade: A velocidade de Seção em km / h.

• capacidade: capacidade da seção na UBS / h.


• FNODE: nó de Origem (utilizando o identificador de nó AIMSUN).
• tnode: nó-destino (utilizando o identificador de nó AIMSUN).
• identificador tipo de estrada: rd_type

43.11.1.1 Secções geo arquivo


ficheiros adicionais para proporcionar a coordenadas X e Y dos dois pontos extremos do
eixo da secção, e um dos 4 pontos extremos para o bordo da parte (ponto de entrada do
lado direito, ponto de entrada no lado esquerdo, ponto de saída a esquerda e sai ponto à
direita; esquerda e direita considerando a direção seção) também são criados. Esses
arquivos são:
• sectionsgeo.shp
• sectionsgeo.shx
• sectionsgeo.dbf

Os atributos escritos no ficheiro DBF são coordenadas X e Y dos acima mencionados


pontos 6:
• fx -> X do ponto de eixo na entrada
• fy -> Y do ponto de eixo na entrada
• tx -> X do ponto de eixo na saída
• ty -> Y do ponto na saída eixo

Esboço, projeto 319


• LFX -> X do ponto de esquerda na entrada
• lfy -> Y do ponto de esquerda na entrada
• rfx -> X do ponto logo na entrada
• RFJ -> Y do ponto logo na entrada
• ltx -> X do ponto de esquerda na saída
• LTY -> Y do ponto de esquerda na saída
• RTX -> X do ponto de direita na saída
• rty -> Y do ponto de direita na saída

43.11.2 arquivo Nodes

Os nódulos serão colocados em um arquivo de forma com uma forma ponto com coordenada Z
(SHPT_POINTZ). Os arquivos gerados são:
• nodes.shp
• nodes.shx
• nodes.dbf

Os atributos escritos no arquivo DBF são:


• id: AIMSUN Identificador.
• Nome: Nome do objeto.
• interseção: a 0 se for um nó simples ou um 1 se for um nó complexo.

43.11.3 Acontece arquivo

Espiras vai ser colocado em um arquivo de forma com várias formas de arco com coordenada Z
(SHPT_ARCZ). Os arquivos gerados são:
• turns.shp
• turns.shx
• turns.dbf

Os atributos escritos no arquivo DBF são:


• id: AIMSUN Identificador.
• id_node: AIMSUN identificador de nó.
• velocidade: Vire velocidade em km / h.

• assinar: Sinal de aviso. Os valores possíveis são:


o 0: nenhum sinal
o 1: dar-maneira
o 2: parar
• fsection: Seção origem (usando o identificador de seção AIMSUN)
• tsection: seção de destino (usando o identificador de seção AIMSUN)
• flaneA: Pista de Origem, deixou a maior parte.

• flaneB: Pista de Origem, mais à direita.


• tlaneA: Pista do Destino, deixou a maior parte.
• tlaneB: Pista do Destino, mais à direita.

Esboço, projeto 320


43.11.4 arquivo VMSS

VMSS será colocado em um arquivo de forma com uma forma ponto com coordenada Z
(SHPT_POINTZ). Os arquivos gerados são:
• vms.shp
• vms.shx
• vms.dbf

Os atributos escritos no arquivo DBF são:


• id: AIMSUN Identificador.
• Nome: Nome do objeto.
• SECTION_ID: identificador da seção
• posição: posição, em metros, a partir da entrada da seção

43.11.5 arquivo doseamentos

Doseamentos serão colocados em um arquivo de forma com uma forma ponto com coordenada Z
(SHPT_POINTZ). Os arquivos gerados são:
• meterings.shp
• meterings.shx
• meterings.dbf

Os atributos escritos no arquivo DBF são:


• id: AIMSUN Identificador.
• Nome: Nome do objeto.
• SECTION_ID: identificador da seção
• posição: posição, em metros, a partir da entrada da seção

43.11.6 arquivo de detectores

Detectores será colocado em um arquivo de forma com uma forma ponto com coordenada Z
(SHPT_POINTZ). Os arquivos gerados são:
• detectors.shp
• detectors.shx
• detectors.dbf

Os atributos escritos no arquivo DBF são:


• id: AIMSUN Identificador.
• Nome: Nome do objeto.
• SECTION_ID: identificador da seção.
• posição: posição, em metros, a partir da entrada da seção.
• comprimento: comprimento detector em metros.

• from_lane: deixou a maior parte da pista na qual o detector é (numeradas de 0 a N-1).

• to_lane: mais pista da direita em que o detector é (numeradas de 0 a N-1).

43.11.7 arquivo centróides

Centróides será colocado em um arquivo de forma com uma forma ponto com coordenada Z
(SHPT_POINTZ). Os arquivos gerados são:
• centroids.shp

Esboço, projeto 321


• centroids.shx
• centroids.dbf

Os atributos escritos no arquivo DBF são:


• id: AIMSUN Identificador.
• Nome: Nome do objeto.
• Tipo: Tipo das ligações centróide, quer a partir de, a, from_to ou nenhum.

• percentagens: percentagens definidas para o centróide, quer nada, origem, destino,


tanto ou mesmos.

43.11.8 arquivo de conexões centroid


Centróides será colocado em um arquivo de forma com várias formas de pontos com
coordenada Z (SHPT_ARCZ). Os arquivos gerados são:
• centroid_connections.shp
• centroid_connections.shx
• centroid_connections.dbf

Os atributos escritos no arquivo DBF são:


• id_cent: AIMSUN Identificador para o centróide.
• id_object: AIMSUN identificador para o objecto ligado (ou uma secção de um ou nó).

• obj_type: se a ligação está a uma seção ou a um nó


• sentido: se a ligação é uma de (a partir do objecto para o centróide) ou uma ligação
a (para o objecto a partir do centroide).

• percentual: percentual definido para a conexão no editor centróide.

43.11.9 O transporte público pára arquivo

paragens de transportes públicos será colocado em um arquivo de forma com uma forma ponto com
coordenada Z (SHPT_POINTZ). Os arquivos gerados são:
• bus_stops.shp
• bus_stops.shx
• bus_stops.dbf

Os atributos escritos no arquivo DBF são:


• id: AIMSUN Identificador.
• Nome: Nome do objeto.
• SECTION_ID: identificador da seção
• posição: posição, em metros, a partir da entrada da seção
• comprimento: comprimento, em metros.

• Lane: pista onde a parada está localizada


• stop_type: parar tipo, ou 0 se normal, uma baía se autocarro ou 2 se terminal de autocarros.

Esboço, projeto 322


43.11.10 arquivo de rótulos

Rótulos serão colocados em um arquivo de forma com uma forma ponto com coordenada Z
(SHPT_POINTZ). Os arquivos gerados são:
• labels.shp
• labels.shx
• Labels.dbf

Os atributos escritos no arquivo DBF são:


• id: AIMSUN Identificador.
• Nome: Nome do objeto.
• etiqueta: versão ASCII da etiqueta (AIMSUN utiliza cadeias Unicode, mas shapefiles
não).

43.11.11 arquivo de polígonos

Rótulos serão colocados em um arquivo de forma com várias formas de pontos com coordenada Z
(SHPT_POINTZ). Os arquivos gerados são:
• polygons.shp
• polygons.shx
• polygons.dbf

Os atributos escritos no arquivo DBF são:


• id: AIMSUN Identificador.
• Nome: Nome do objeto.
• camada: camada do polígono.

• preencher: a 1 se for preenchido e 0 caso contrário

• Cor: polígono cor do pincel.

43.12 Tipos e objetos em AIMSUN


Um arquivo GIS contém geometria e atributos para os recursos espaciais. A geometria
pode ser pontos, linhas e áreas. A informação atribuída à geometria é o que faz um tipo
de característica diferente de outro. Por exemplo, um arquivo GIS pode conter pontos
que representam aeroportos ou cidades. A diferença entre um tipo e outro é a
informação associada a ele (número de terminais em um aeroporto ou o número de
habitantes em uma cidade).

Quando AIMSUN importa um arquivo GIS ele cria objetos de um tipo com base no tipo
geometria usada nele. O problema é como lidar com os atributos. Por exemplo, quando a
importação de aeroportos (pontos) e, mais tarde, cidades (pontos também), AIMSUN irá criar
pontos para cada novo objeto. Se ele adiciona os atributos para todos os pontos, em seguida,
um determinado ponto terá aeroportos e nas cidades atributos, mas alguns deles, dependendo
do tipo, não serão utilizados.

Por outro lado, se os atributos são adicionados apenas para os pontos relevantes, então o
mesmo tipo de objetos (ponto) terá informações diferentes em diferentes instâncias do
mesmo.

Esboço, projeto 323


A solução implementada na AIMSUN é o modelo de objeto extensível em que:

1. Novos tipos podem ser adicionar ao sistema em tempo de execução


2. Novos atributos podem ser adicionados a qualquer tipo em tempo de execução. Seguindo o
exemplo, AIMSUN irá criar um novo tipo, Aeroporto, para conter todos os aeroportos. Para este
tipo, serão utilizados os atributos encontrados no arquivo GIS. Desta forma, AIMSUN vai saber
quais os pontos são aeroportos, que são cidades e que são pontos simples.

O novo tipo é criado como um subtipo de um tipo AIMSUN geométrica com base no tipo
realizada no arquivo GIS.

Esta é a razão porque o Importador GIS pede o nome do tipo a ser usado para os
novos objetos.

43.12.1 Tipos incompatíveis


Quando AIMSUN importa um arquivo GIS ele usa o nome do tipo especificado (a partir do
diálogo Importador GIS) para criar um novo tipo ou para usá-lo se ele já estava presente. Se o
tipo já estava presente, então ele deve ser compatível com as informações encontradas no
arquivo GIS. Isso é:
1. O tipo de geometria deve ser o mesmo. Não é possível usar
o City Tipo de pontos e, mais tarde, tentar usá-lo para polígonos.
2. Os atributos no tipo deve ser o mesmo. Neste caso, nós
não pode primeiras cidades importação criando o tipo de cidade e, em seguida, tentar
importar aeroportos usando o mesmo tipo (uma operação incomum) como os atributos do
arquivo aeroportos GIS não estará presente no tipo City.

Quando uma incompatibilidade acontece, o importador apresentará o seguinte diálogo de


erro:

Figura mensagem de erro 305 tipos incompatíveis

Esboço, projeto 324


44 OpenStreetMap Abrir Street Map Importador

Você pode iniciar um novo projeto de importar um mapa de OpenStreetMap


ou você pode importar um OpenStreetMap em um projeto existente . Abra Street Map.

44,1 Importar do modelo


Para criar um novo projeto de importar um arquivo OpenStreetMap, vá para a guia New
Project e zoom in no local de interesse.

Figura 306 opções Abrir Street Map Novo Projeto

Selecione o modelo desejado. Por padrão, quando AIMSUN está instalado 4 modelos
personalizados para OSM são fornecidos distintivo pela linguagem. A zona UTM da
área a ser importado serão ajustados automaticamente.

Esboço, projeto 325


Antes de criar a nova rede, pressionando o botão Criar, escolha uma destas opções:

• Não fazer nada: nenhuma importação, basta carregar o modelo como ela é.

• Definir Área: nenhuma importação, carregue o modelo e zoom para a área (e definir
o fuso UTM) correspondente ao mapa.
• Import Área da Internet: importar o mapa visível a partir de servidores OSM, zoom a ele e
definir o fuso UTM. Note-se que os servidores OSM não permitirá a importação de
grandes áreas.
• Área Importar do arquivo: importar o mapa visível de um arquivo OSM em seu
computador. Ele vai filtrar os dados fora do mapa visível. Será também zoom para a
área e definir a zona UTM.

Figura 307 opções Abrir Street Map Importação

A última opção requer que você baixar um arquivo OSM de, provavelmente,
OSM Planeta
( http://wiki.openstreetmap.org/wiki/Planet.osm ). Lá você vai encontrar mapas por país e, às
vezes, por região. Ao usar esta opção, AIMSUN irá filtrar objetos fora do mapa visível.
Você pode, por exemplo, usar o mapa da Alemanha para importar uma área em Berlim.
Note-se que a carga e filtragem de grandes arquivos de OSM vai exigir uma grande
quantidade de CPU e RAM.

A caixa de diálogo OSM Importador, então, vir para cima, como mostrado abaixo:

Esboço, projeto 326


Figura 308 opções Abrir Street Map New Importação

O mapa pode ser usado para criar um projecto de rede AIMSUN (Import estrada como uma
rede) ou para importar objetos adicionais para fins de decoração (Import Decoração).

Também é possível usar para mapear para decorar uma rede existente (importação
parques, edifícios, lagos ...), sem acrescentar qualquer elemento de rede de tráfego. Use,
neste caso a opção “Importar Estradas: Não”.

Figura 309 Abrir Street Map rede importados

OSM pode conter informações sobre vários aspectos de como os objetos são, na realidade, quanto à
sua forma, tamanho, etc., bem como a respeito do uso do solo de certas regiões, além de
informações sobre a rede.

44,2 Import a partir do menu

Para adicionar informações de um OpenStreetMap a um projeto AIMSUN existente, selecione o


arquivo -> Importar -> opção arquivos OpenStreetMap. Um navegador de arquivos aparecerá onde
para selecionar o arquivo osm.

Depois de selecionar o arquivo a ser importado, o diálogo com as opções de


importação descritos na seção anterior aparecerá. Consulte a seção 44.1 para mais
detalhes.

Se você estiver importando um arquivo OpenStreetMap a um projeto que não foi


originalmente criada com modelo aOSM e você está interessado em importar seções com o
seu tipo de estrada OSM por favor edite primeiro o ID externo dos tipos de estrada que
deseja que os novos seções para

Esboço, projeto 327


pertence a. ID externa do tipo de estrada que será usado deve conter as seguintes
palavras:
• auto-estrada

• tronco
• primário
• secundário
• terciário
• residencial
• pedestre
• trilho

• eléctrico

• metrô
• não classificado

Para todas as seções com um tipo de estrada definido que não está presente no projeto
AIMSUN o tipo de estrada padrão será atribuído.

44,3 importação OSM 3D [Fast track: novembro 2013]

Na seção 3D da caixa de diálogo Importador OSM, várias opções podem ser configuradas
de modo AIMSUN aproveita essa informação adicional, se fornecido pelo OSM, e constrói
uma cena mais detalhada para renderização 3D. O usuário pode configurar as seguintes
opções:

• Criar blocos para todos os edifícios. AIMSUN cria edifícios com a altura que OSM lhe
proporciona. Quando nenhum dado de altura é fornecido, um polígono plano será
criado em vez disso. Com esta opção ativada, o usuário pode configurar uma raiva de
edifícios alturas sem informações de altura deve ser criado. Isto dá uma aparência
muito realista das áreas urbanas na visualização em 3D em AIMSUN.

• Texturize Polígonos Segundo Uso da Terra. Com essa opção ativada, AIMSUN
irá adicionar texturas para polígonos criados para terra conhecida Usa como
parques e florestas.

• Criar Árvores. Com essa opção ativada, AIMSUN vai colocar aleatoriamente
modelos 3D de árvores em áreas marcadas como “madeira” ou “floresta” Uso da
Terra.

44,4 Licenciamento OSM

Por favor, reveja os termos da licença antes de usar dados OSM em:
http://wiki.openstreetmap.org/wiki/OpenStreetMap_License

Esboço, projeto 328


45 TransCAD Importador
AIMSUN pode importar geometria TransCAD e matrizes TransCAD S / D.

45,1 Importando TransCAD Geometry


Para importar uma rede TransCAD em AIMSUN os seguintes passos precisam ser feitas:

• Exportar a geometria TransCAD para shapefiles.


• Usando o importador SIG em AIMSUN, importar os arquivos de forma de
TransCAD numa rede AIMSUN. Use a opção de importar os shapefiles como uma
rede. Consulte a seção Criação de rede para obter detalhes sobre o mapeamento
de atributos do TransCAD com os atributos do AIMSUN.

Esboço, projeto 329


46 Importador Cube
AIMSUN pode importar geometria da rede cubo e matrizes cubo S / D.

46,1 Importando CUBE Geometry


Para importar uma rede Cube em AIMSUN os seguintes passos precisam ser feitas:

• Exportar a geometria Cube para shapefiles.


• Usando o importador de GIS em AIMSUN, importar os arquivos de forma de cubo
em uma rede AIMSUN. Use a opção de importar os shapefiles como uma rede.
Consulte a seção Criação de rede para obter detalhes sobre o mapeamento de
atributos do Cubo com os atributos do AIMSUN.

46,2 Importação Cubo Matrizes


Para importar matrizes Cube você precisa exportá-los como arquivos * .csv e uma vez
que a rede AIMSUN foi criado, criar uma matriz nova O / D e recuperar as viagens para
a matriz usando o editor de matrizes O / D.

Para recuperar as viagens em uma matriz vazia O / D, clique duas vezes na matriz O /
D e na pasta Parâmetros definir o arquivo de onde ler os dados a partir, o formato do
arquivo (neste caso, AIMSUN), o separador de campo, o tipo de ID especificado no
CSV para os centróides e, finalmente, clique no botão recuperar.

Figura 310 do cubo O / D processo de importação matriz

Esboço, projeto 330


47 CONTRAM Importador
Duas características de importação de CONTRAM para AIMSUN estão disponíveis a partir do menu Arquivo
-> Importar -> Rede de CONTRAM ( Veja a figura
311): para importar uma rede CONTRAM e seus resultados de simulação CONTRAM.

Figura 311 O acesso ao menu Import CONTRAM de rede

47,1 Importação de CONTRAM para AIMSUN


A importação de uma rede CONTRAM consiste em arquivos CONTRAM leitura 4, onde a
informação principal é definida, em seguida, traduzi-lo para um modelo AIMSUN.

47.1.1 Importação de uma rede de CONTRAM


Para importar uma rede, a primeira condição é a de abrir uma nova rede a partir do menu Arquivo
-> Novo. Não é autorizada a importar qualquer rede CONTRAM em uma rede AIMSUN já
existente.

Em seguida, selecione o menu Arquivo -> Importar -> Rede de CONTRAM para chegar ao Importar
do CONTRAM diálogo (ver Figura 312). Todos os dados geométricos é descrito no arquivo .net *,
assim, no primeiro slot, o usuário deve selecionar um arquivo com esta extensão. Se não houver
qualquer arquivo selecionado, as outras características importadores não são permitidos.

4 Somente arquivos com .net extensão, .dem, res e .rte são necessários.

Esboço, projeto 331


Figura 312 importação de diálogo CONTRAM

As cargas importador automaticamente todos os arquivos incluídos, por isso isto é, não há necessidade de
especificar que exigem arquivos que o usuário deseja importar.

As informações importado refere a geometria, planos de controle, tipos de veículos,


matrizes O / D, Transporte Público, Gestão de Tráfego (Turn Closures) e rotas S / D da
rede.

47.1.2 Importando resultados da simulação CONTRAM

Também é possível importar os resultados da simulação da simulação CONTRAM e, em


seguida, compará-los com os resultados AIMSUN.

arquivo CONTRAM res contém tempo dados série em relação às secções, tais como
agregados de fluxo, a velocidade do fluxo de agregados e por tipo de veículo; e também para
voltas, como sua vez agregados flui. Esta informação gera um AIMSUN real conjunto de
dados.

Todas essas informações são armazenadas em quatro arquivos .csv diferentes (localizados na pasta $
AIMSUN_HOME) e agrupados em um conjunto de dados objeto real.

Os dados de séries temporais também contém informações sobre conectores centróide. Note-se
que AIMSUN não suporta Séries Temporais sobre este tipo de objetos, de modo a recuperar
processo conjunto de dados reais irão gerar muitas mensagens de aviso sobre não encontrar
objetos.

O arquivo res também contém informações sobre a percentagem uso de rotas de simulação.
arquivo CONTRAM .rte contém todas as rotas, de modo que ao carregar os dois arquivos, o
importador irá criar todas estas rotas e irá atribuir o percentual de uso de à matriz O / D
relacionados.

Esboço, projeto 332


47,2 Relação entre CONTRAM e objetos AIMSUN

47.2.1 Tradução de uma rede CONTRAM a uma rede AIMSUN


Esta interface importa dois tipos de nós: centroids e cruzamentos. Centróides são definidos a
partir de dados da zona, que está disponível no arquivo de rede CONTRAM. No arquivo, a
posição eo identificador são especificados. Além disso, cada junção é definida em NÃO / DE
área, no mesmo ficheiro CONTRAM. nós AIMSUN são definidos como um conjunto de voltas,
assim como dados turno é lê-lo é adicionado em seu nó AIMSUN.

Figura 313 Centróide ligado a um nó

Figura 314 Centróide ligado a secções

Esboço, projeto 333


CONTRAM também define voltas de seções que são usadas como conectores centróide.
Todas estas curvas são traduzidos como conexões centróide que podem ser conectadas a
seções ou para nós, dependendo definição nó. Em outras palavras, se o nó contém
apenas voltas de, ou para, conectores centróide, em seguida, o baricentro AIMSUN está
ligado a todas as seções que começam ou terminam neste nó (ver exemplo na Figura
314), então o baricentro está ligado ao nó como mostra a Figura 313.

47.2.2 Tipos de veículos

O importador cria todos os veículos definidos no arquivo CONTRAM .net. Ele define os
parâmetros padrão AIMSUN mas o UBS, a Comprimento, que é inicializado com o valor
Headway, o Min Distância Veh, que é definido como 0, o Max velocidade desejada, que é
definido para 130 kmh, eo
Velocidade Aceitação, que é inicializado com o valor de velocidade.

47.2.3 CONTRAM Velocidade máxima


parâmetro máxima velocidade de conexão é obtida a partir da área SPEED_FLOW,
definido no arquivo de rede CONTRAM. Esta área contém informações sobre categorias
de links; s_max parâmetro é o que a interface CONTRAM usa para inicializar o atributo
velocidade máxima.

47.2.4 O / D matrizes
O número de matrizes S / D que esta interface cria depende de quantas fatias de tempo
são definidos. A duração de cada intervalo de tempo é definido no ficheiro de rede
CONTRAM e, em seguida, atribuído a cada matriz S / D.

47.2.5 Planos de controle

definição de plano de controlo é obtido a partir de duas áreas: SIGNAL_PLAN e


SIGNAL_TIMING, onde cada fase tem o seu tempo de duração e ciclo para cada nó com
semáforos. Além disso, todos os movimentos por sua vez que estão incluídos em cada fase são
especificados.

47.2.6 Vire Closures


Dependendo restrições pistas, o importador irá criar Turno Closures que deve ser ser
adicionados no cenário de simulação. Note-se que, ele irá criar objetos de gerenciamento
de tráfego se todos os grupos de ligação origem têm a mesma classe de veículo restrição
e todos os grupos de link de destino têm a mesma restrição.

O objetivo é manter a condição menos restritiva.

Esboço, projeto 334


48 Paramics Importador
O importador Paramics tem duas características principais. O primeiro deles é a
importação de dados geométricos da rede, de modo que objetos como seções, nós ou
centroids são definidos. A segunda é a importação de matrizes S / D. Este recurso está
disponível ao importar dados geométricos e também depois, quando os dados
geométrica já foi importado. A matriz S / D é criada usando o centróide da ID externos.

Ambos os recursos estão disponíveis após uma nova rede é criado usando a biblioteca de
modelos. A Figura 315 mostra o caminho de menu.

Figura 315 - Acesso a Paramics Importador diálogo

48,1 Importação de Paramics para AIMSUN


Importação de redes de Paramics consiste em arquivos de rede leitura e, em seguida,
criação de todos os elementos definidos mantendo uma correspondência muito precisas
entre objetos Paramics e AIMSUN.

48.1.1 Importação de uma rede de Paramics


O primeiro passo para importar uma rede de Paramics é para definir o diretório em que os
arquivos Paramics são armazenados. Uma vez que o caminho é

Esboço, projeto 335


seleccionado, o utilizador tem de definir os parâmetros seguintes, apresentados na figura 316.

Arquivos número Demanda define o número de arquivos de demanda que são definidas na rede.
Cada ficheiro contém uma matriz de S / D e é geralmente relacionada com uma matriz de fatia de
tempo.

o Rule of the Road é usado para indicar para o simulador de que lado será usada pelo
tráfego lento. Além disso, ele é usado para definir voltas na ordem correta.

Paramics Versão define a rede Paramics Version. É importante para definir esse parâmetro
porque Paramics Quadstone e Paramics Sias usar diferentes formatos para alguns arquivos
(arquivo ou seja, 'Prioridades').

Finalmente, Unidades parâmetro define o tipo de unidades que definem as coordenadas de


qualquer ponto. Eles estão sempre traduzido para metros.

Figura 316 Paramics importador de diálogo

Arquivos são lidos na seguinte ordem: zonas, categorias, centros, nós, links nextlanes,
cruzamentos, prioridades, matriz, demandas, perfil, busstops, busroutes, detectores,
balizas e anotação.

campo Matrix arquivo é ativado somente quando qualquer rede foi importado anteriormente
(veja a Figura 317). Como explicado acima, os identificadores centróide deve corresponder
com códigos externos AIMSUN centróide. Se não, não seria gerada de forma incorrecta
matrizes S / D. Além disso, matrizes que são importados após dados geométricos não terá
alguns parâmetros inicializado, tais como o tempo ou a duração inicial, porque esses campos
são definidos em arquivos geométricas. Assim, é altamente recomendável que todos os
arquivos sejam importados ao mesmo tempo.

Esboço, projeto 336


Figura diálogo importador 317 Matrix

48,2 Relação entre objetos Paramics e AIMSUN

48.2.1 Nós e centroids tradução


Este importador simplifica todos os tipos de nós Paramics e classifica-los em duas
categorias: junção e rampa. Rotundas são importados como nós junção evitar inversões
de marcha e uma mensagem de alerta é mostrada indicando a referência de nó, apenas
para permitir que o usuário para localizar e modificá-lo clicando na referência.

Um exemplo de tradução nó é mostrado na Figura 318. Apenas os nós com qualquer plano de
controle associado são marcados como caixa amarela.

Figura 318 tradução Nó

centroids AIMSUN e zonas Paramics estão fortemente relacionadas. Uma zona é definida
como uma área em que os veículos entram ou saem da rede. Em AIMSUN, este conceito
não existe, então centroids são criados da seguinte forma:

1. - A importador localiza o nó com o mínimo de ligações


que está contido na área da zona.

Esboço, projeto 337


2. - A posição deste nó será a posição do novo
centróide.
3. - Centróide ID externo será definido com o identificador de zona.
4. - O novo centroid será conectado a todas as seções que terminam
ou começar dentro da área da zona e que são secções flutuantes; isto significa que um
dos seus pontos extremos não está ligado a qualquer nó.

Um exemplo de tradução centróide é mostrado na Figura 319 e na Figura 320.

Figura 319 centroides importar

Esboço, projeto 338


Figura 320 centroides importar

48.2.2 tradução ligações


Para importar seções, essa interface obtém todos os dados de ligações Paramics assim
seções geradas terão as mesmas características básicas como suas ligações Paramics
relacionados. Isto inclui tipo de estrada, velocidade máxima, etc.

48.2.2.1 Fazer a ligação Forma

Cada seção é limitado por dois nós, origem e destino, que nos dão a posição onde a
seção começa física e termina. Para evitar acumulações de seção em cada nó, a
interface calcula uma distância de segurança que reduz o comprimento de cada seção.
Esta distância é calculada usando a largura da secção e o número de secções que
estão ligados ao nó.

Além disso, as secções são movidas (dependendo Regra do parâmetro Road) lateralmente,
dependendo se eles têm qualquer secção paralela, como mostra a Figura 321. Deve levar
em conta que apenas as seções que unem os mesmos nós são determinados como
paralelo.

Esboço, projeto 339


Figura 321 secções paralelas

48.2.2.2 rampas

Duas situações são derivados a partir da definição de rampas nó: A primeira é


mostrada na Figura 322.

Figura 322 Rampa de Tipo 1

Seção N4_N8 tem de ser ligado por uma rampa para a seção N2_N3. Este tipo de
rampas é fácil importar desde secção N4_N8 termina perto do nó origem da seção
N2_N3. Assim, esta interface só tem de adicionar uma nova pista lateral no secção
N2_N3 e ligar seção N4_N8 a esta nova pista. O resultado da importação é mostrado na
Figura 323.

Esboço, projeto 340


Figura 323 - conectando Rampa para Tipo 1

O segundo tipo de rampa é mostrado na Figura 324.

Figura 324 Rampa de Tipo 2

Neste tipo de rampa, secção N3479_N1823w termina num ponto intermédio da secção
N58_N3436. O procedimento para importação é o seguinte:

1. - Divide seção N58_N3436 em duas seções. O ponto em que a secção é cortada, é


a projecção do ponto de extremidade com a secção N3479_N1823w N58_N3436.

2. - Ligue ambas as seções


3. - Adicionar uma pista lateral e conectar N3479_N1823w a ele.

A Figura 325 mostra o resultado da importação de uma rampa deste tipo.

Se qualquer seção tem mais de uma rampa, este procedimento é repetido para cada um
deles.

Esboço, projeto 341


Figura 325 - conectando Rampa para Tipo 2

48.2.3 Acontece definição


Esta interface lê nextlanes e arquivos junções para importar voltas de Paramics. Para cada nó
que não aparece nesses arquivos, todas as voltas possíveis são criados, evitando inversões
de marcha.

Nextlanes

arquivo Nextlanes define voltas específicas de algumas pistas de secção origem a alguns
becos da seção da saída do i-th. A Figura 326 mostra um exemplo da importação nextlanes.

Próxima Lanes ligação de 10:


445 a pista 1 seguinte 1 0
pista 2 próximo 2 0 pista 3
seguinte 3 0 pista 4 próxima 4
0 elo 437: 445 pista 1
seguinte 0 5

Figura 326 tradução Nextlanes

Fazer a ligação 10: 445 tem 4 pistas no final da seção. A virada AIMSUN branco é a sua vez
resultante da importação, onde todas as pistas origem da seção N10_N445 juntar-se com os
primeiros 4 faixas de seção de destino (N445_N108).

Esboço, projeto 342


A segunda definido por sua vez é a vez vermelho, o qual se junta a secção N437_N445
com o 5 º pista de seção de destino. Paramics define duas saídas possíveis no nó 445,
mas AIMSUN tem apenas 1, isso é porque Paramics também define ligações barrados
(que não são importados).

Saídas são dispostos em sentido horário ou anti-horário, dependendo da Regra da


Estrada. Neste exemplo, os veículos dirigir à direita.

48.2.3.1 junções
O arquivo Junções define, para cada saída disponíveis, que são as pistas de origem para que os
veículos podem transformar (veja a Figura 327).
junção 401: 81 1 pistas 1 fora
duas pistas 2 3

Figura 327 tradução junção

48.2.4 Prioridades e planos de controle


Paramics prioridades são mapeados com prioridades AIMSUN; a tabela seguinte mostra a
relação correspondente:

Esboço, projeto 343


Paramics Prioridade AIMSUN Prioridade
Menor 5 Pare
Médio Desista
Principal Nenhum

Plano de tradução O controlo é obtido como se segue:


Para cada possível sua vez, esta interface atribui a ele um grupo de sinais, por isso, quando uma
fase contém uma volta, automaticamente adiciona o grupo de sinal relacionado, evitando voltas
barrados.

Paramics importador só importa planos de controle fixos 6, assim Paramics


max parâmetro, que inicializa verde mínimo e Max-Out
parâmetros AIMSUN de um plano de controle acionada, não é levado em conta nos planos de
controle fixos, mas, em uns atuados, ele é usado para desenhar o plano de controle em seu
editor.

48.2.5 Veículos
Paramics importador cria Paramics veículos configuração de valores padrão 'carro' o
veículo AIMSUN para todos os atributos, mas comprimento, largura máxima
velocidade, aceleração máxima e desaceleração máxima, que valores são adotadas a
partir Paramics Veículos.

48.2.6 O / D matrizes

Todas as matrizes são criadas a partir de dados obtidos pelos perfis de processamento, matriz e arquivos de
demanda.

O arquivo de perfil contém informações sobre fatias de tempo de cada matriz O / D


relacionados.

A Figura 328 mostra um exemplo de importação: Em quadrado esquerdo há dados a partir de


um arquivo de perfil que especifica o intervalo de tempo de períodos de tempo e o início de
cada período. A percentagem de aplicar para a matriz para o intervalo de tempo é também
definida. Isto significa que, a partir de 6:30 e terminando às 6:45, a matriz relacionada com um
período representa a 100% de viagens neste momento.

5 Rede em Paramics SIAS não têm Parar prioridade, então eles vão ser importados como Give Way

6 Em apresentar apenas o parâmetro máximo de duração é definido prioridades, AIMSUN accionados planos de controle precisar de

mais parâmetros (como o tipo de recall, tempo para reduzir, etc.) e detectores associados a esses tipos de planos de controle, por

isso é melhor que o configure usuário acionada controle planeja manualmente.

Esboço, projeto 344


Demanda perfil Conde Perfil 1
Perfil Conde 1 Período 12
período de medição 1
Divisor 1 Interval 15
contagem de matriz 1 divisor
1,0000

um período de início 06:30:00 100

. . .

Figura 328 S / D importação matriz

No caso mostrado na Figura 329, esta interface irá gerar matrizes de 2 O / D. O


primeiro um começando às 6:45 e viagens será igual a 50% da matriz Paramics
relacionados; a segunda uma começará às 7:00 e terá o mesmo viagens da primeira
matriz S / D. Ambos terão 15 minutos de duração.

Demanda perfil Conde Perfil 1


Perfil Conde 1 Período 12
Divisor 1 Interval 15

período de 2 início 06:45:00 50 50

Figura 329 S / D importação matriz

Além disso, os Paramics importações de interface matrizes definidas no arquivo de 'matriz'. Essas
matrizes não estão relacionados com qualquer período de tempo, por isso eles são importados
como eles são definidos no arquivo de matriz Paramics. Esta interface inicializa parâmetro Time
inicial para as 08:00 e uma hora de duração.

Adicionalmente, o tipo de veículo também é definida como a matriz considerando a proporção do


veículo (definido em veículos Arquivo).

Esboço, projeto 345


48.2.7 Linhas de transportes públicos

O primeiro passo para importar linhas de transporte público é criar todos paragens de
autocarro na rede. Então essa interface cria todas as linhas públicas Paramics definidos
e define os prazos para cada um.

O percurso de cada linha pública é construído tomando as seções entre os nós.

Lembre-se que AIMSUN só permite uma paragem de autocarro para ser adicionado em uma seção.
Se houver mais de uma paragem de autocarro em uma seção que está relacionado com a mesma
linha pública, não será adicionada à linha pública.

A Figura 330 mostra um exemplo de transporte público tradução linha.

Figura 330 transporte público Linha importados

Esboço, projeto 346


48.2.8 Detectores, Beacons (VMS) e Anotações
Os detectores são colocados a uma distância a partir do início da seção especificada no
arquivo de detectores Paramics.

Próximo figura mostra uma importação de um detector Paramics. Os parâmetros predefinidos são
verificados em cada novo detector.

Figura 331 A importação de um detector de Paramics

Paramics balizas, como com detectores, são colocados a uma distância a partir do início da
respectiva secção. O usuário pode adicionar qualquer texto para todos os VMS.

Para importar anotações sem problemas, certifique-se de que o texto coordena formato
é o seguinte:

(Xcoord_ [ m, pés], ycoord_ [ m, pés], zcoord_ [ m, pés])

Onde [ m, pés] significa que ele é lido m (m) ou pés (pés) e espaços em branco são marcados
como '_'

Esboço, projeto 347


49 Vissim Importador
Este importador tem duas características principais. O primeiro é para importar dados
geométricos da rede, de modo que objetos como seções, nós ou centroids são
definidos. A segunda é para importar matrizes S / D. Este recurso está disponível ao
importar dados geométricos. A matriz S / D é criada usando o centróide da ID externos.
O importador Vissim pode importar também controlam plano e informações de
transporte público.

Ambos os recursos estão disponíveis após uma nova rede é criado usando a biblioteca de
modelos. A Figura 332 mostra o caminho de menu.

Figura 332 - Acesso a Vissim Importador diálogo

49,1 Importação de Vissim para AIMSUN


Importação de redes de Vissim consiste de leitura de arquivos de rede e, em seguida,
criação de todos os elementos definidos mantendo uma correspondência muito precisas
entre objetos VISSIM e AIMSUN. Essa interface oferece suporte Vissim versão 4.30

Esboço, projeto 348


49.1.1 Importação de uma rede de Vissim
O primeiro passo para importar uma rede de Vissim é para definir o diretório em que os
arquivos VISSIM são armazenados. Uma vez que o caminho é selecionado, o * .INP arquivo de
geometria e todas as matrizes * .fma na pasta são automaticamente adicionadas às
configurações do editor, mostrada na Figura 333.

No entanto, é possível adicionar matrizes de qualquer outra pasta (clicando no botão


Adicionar). Apenas matrizes verificados serão importados.

Figura 333 Vissim importador de diálogo

49,2 Relação entre objetos VISSIM e AIMSUN

49.2.1 Ligações VISSIM e AIMSUN Secções

49.2.1.1 semelhanças

Ligações VISSIM ter um identificador único, que é mantido em AIMSUN Secções


Externa ID.

Ligações VISSIM pode ter muitos pontos de controle, que definem a forma do link.
AIMSUN Secções tentar manter a forma original, mas simplificando o número de
pontos

AIMSUN Secções irá manter informações como número de vias, largura de pista eo
comprimento. Propriedades relacionadas com o tipo de estrada não são importados nesta
versão.

Esboço, projeto 349


49.2.1.2 diferenças
VISSIM links podem ter voltas em qualquer parte do link, como Vissim não define voltas
como AIMSUN faz; assim, a solução implementada implica os seguintes passos:

• Dividir o Vissim Fazer a ligação em segmentos de comprimento segmento Comprimento


(Parâmetro definido no arquivo Vissim Geometry)
• Ler os conectores e associá-los para os segmentos que é no início do conector
(por sua vez, a saída) e a uma que está na extremidade do conector (por sua
vez, de entrada)
• A secção AIMSUN irá ser dividida, dependendo do número de voltas e o tipo
das voltas em cada segmento de ligação, tal como é mostrado no seguinte
quadro

Figura 334 Seção Splitting

49.2.2 VISSIM estacionamentos e AIMSUN Centróides

Cada Vissim Parking Lot pertence a uma única zona, que são indexados pelo identificadores
únicos. Na verdade, a Zona desempenha o papel de um Centróide, então quando traduzir a
rede, AIMSUN Centróides Externa ID é inicializada com o identificador Zone.

O Vissim Parking Lot define a conexão de ou para um Vissim Fazer a ligação. Levando
em consideração FRAÇÃO parâmetro, a conexão pode ser tanto para uma secção
(Fracção = 1,0) ou de uma secção (Fracção = 0,0)

A posição de cada AIMSUN Centróide é calculado a partir de suas conexões.

49.2.3 AIMSUN Nodes


Esta é, talvez, a parte mais difícil da importação. não Vissim não define qualquer tipo de
nó, então não há um processo para se juntar a nós de uma vez todos os turnos foram
criados em AIMSUN; considerando o seguinte:

Esboço, projeto 350


• Seção origem: Todos os turnos de uma seção devem estar no mesmo nó

• Seção Destino: Todas as voltas para uma seção devem estar no mesmo nó

• Vire Interseção: Um par de interseção voltas devem estar no mesmo nó

Todas estas limitações podem gerar nodos quer ter muitas voltas, ver Figura 335, ou
voltas disjunção que deve estar no mesmo nó, ver Figura 336:

Figura 335 Nó muito grande

Figura 336 Nodes dissociadas

Esboço, projeto 351


Vissim pode definir diferentes pontos de parada para veículos, enquanto a definição de um plano de controle
de forma independente se os pontos de parada corresponde a nenhuma vez definido, de modo, pode
implicar a criação de novos turnos para manter os pontos de parada de veículos em Vissim.

Figura 337 nó com o plano de controle

A sua vez seleccionado na Figura 337 foi criado para definir o plano de controlo. A
Figura 338 mostra que esta por sua vez, pertence ao grupo de sinal importado 9.

49.2.4 Planos de controle

Planos de Controle VisSim pode ser definido em qualquer posição numa secção, assim, o
importador vai tentar localizar um nó existente para definir o plano de controlo, se ele falhar,
ele vai dividir a secção na posição especificada, dando uma pequena folga para criar o um
novo nó.

Uma vez que o nó foi selecionado, planos de controle única fixos serão importados.

Esboço, projeto 352


Figura 338 Plano de Controlo importado

49.2.5 VisSim Matrizes e matrizes AIMSUN S / D


VISSIM matrizes têm as viagens entre cada par de zonas. Vissim também define o
tempo em que a matriz é aplicada à rede e um factor de escala, o que multiplica cada
valor único de matriz. AIMSUN também tem o mesmo tipo de definição, de modo que o
importador apenas define os mesmos valores ao criar novas matrizes O / D. A única
coisa que não pode inicializar é o tipo de veículo porque Vissim não define (no arquivo
matriz) que é o veículo associado à matriz.

49.2.6 Tipos Vissim veículos


De todos os atributos de tipo de veículo VISSIM, AIMSUN só pode usar o comprimento e largura.
Assim, quando a criação de novos tipos de veículos, parâmetros padrão carro está definido, mas o
comprimento e largura que são importados da Vissim.

49.2.7 Vissim Transportes públicos

O importador cria toda infra-estrutura de transportes públicos (pára e linhas) e, em seguida,


define os horários de horários de acordo com a definição Vissim. Ele também atribui o tipo
de veículo Vissim importado se ele já está definido no arquivo de rede Vissim; caso contrário,
AIMSUN tipo de veículo "bus" é definido.

Esboço, projeto 353


50 Visum Importador

50,1 Importação de uma rede de Visum


Visum importador permite ao usuário importar redes Visum (. líquido
arquivos) cuja língua é o Inglês, alemão ou francês. versões atualmente suportadas
variam de 2,8 até 6,0. Para importar uma rede Visum, ir para Arquivo, Importar menu e
selecione Visum arquivos de rede:

Figura 339 - Acesso a Visum Importador diálogo

50,2 Relação entre objetos Visum e AIMSUN


Cada arquivo Visum contém um conjunto de elementos que se referem a um objeto na
rede. Esses objetos têm a sua contrapartida em uma rede AIMSUN:

Esboço, projeto 354


• Nós e voltas: usado para criar nós e voltas AIMSUN.
• Zonas: centroids AIMSUN.
• Conectores: conexões AIMSUN entre objetos.
• Links, link polígonos, sistemas de transporte e pontos de parada (para os transportes
públicos): A combinação desses quatro objetos resultar em seções AIMSUN e tipos de
estrada AIMSUN.
• Linhas, rotas de linha e itens Rota Line: eles definem AIMSUN linhas de
transportes públicos e seus horários.
• Detectores e contar Locais: detectores AIMSUN.

Além disso, o importador procura todos os arquivos * .mtx localizados na mesma pasta que
o arquivo * .net e cria uma matriz AIMSUN para cada
* . arquivo mtx ler. Essas matrizes não armazenará as viagens dentro do arquivo AIMSUN
mas será criado como matrizes externas e, portanto, ler as viagens a partir do arquivo .mtx
* correspondente.

Esboço, projeto 355


51 Estrada Importador XML
XML estrada é um formato de arquivo aberto para a descrição lógica das redes rodoviárias
(http://www.road-xml.org/)

importador XML estrada permite ao usuário importar redes XML Road (. rnd arquivos).
Para importar uma rede XML Road, ir para Arquivo, Importar menu e selecione RoadXML
de rede:

Figura 340 Access Road XML Importador diálogo

51,1 Relação entre objetos RoadXML e AIMSUN


Cada arquivo RoadXML contém um conjunto de elementos que se referem a objetos de rede:

• Interseção: Uma estrada XML intersecção é importado como um nó AIMSUN. A


ligação entre os dois objetos é feito, definindo o nome do nó como o nome
Intersecção. Todas as voltas possíveis são criados, exceto aqueles que são
proibidos em cada intersecção.

• Pista: A trilha RoadXML é importado como uma seção AIMSUN, tendo em


conta a forma pista. Nota que rastreia também pode ser invertida, de modo a
fim de ligar os dois objetos, seção

Esboço, projeto 356


nomes contém o nome da faixa e também especificar se está invertida ou não.

As faixas podem ter diferentes perfis que definem a largura, o número de pistas,
etc. Secção geometria está adaptada de acordo com a definição do perfil.

As informações sobre faixas de altitude também é importado.

Esboço, projeto 357


52 Importador SYNCHRO e exportador
O Importador Synchro e exportador visa usando Synchro em combinação com AIMSUN
para realizar as seguintes tarefas:
• otimizar em Synchro as temporizações de sinal de uma rede modelado em AIMSUN, e,
em seguida, quantificar com uma simulação de micro ou meso no AIMSUN os resultados
alcançados
• executar um nível de análise de serviço em Synchro de uma rede modelado em
AIMSUN
• criar um projecto modelo AIMSUN de uma rede Synchro

A partir de um modelo AIMSUN calibrado, o fluxo de trabalho para as duas primeiras tarefas é:

• Se apenas uma parte de toda a necessidade modelo a ser exportado, definir uma
sub-rede
• se os volumes vez, têm de ser lidos a partir Unidos Tráfego, criar os Estados
Tráfego (manualmente ou com os resultados de um trabalho de macro) e
agrupá-los em uma demanda de tráfego
• se o modelo contém vários Planos de Controle, criar um Plano de Controle Mestre
contendo o Plano de Controle de exportação
• lançar o Synchro Exportador e selecione o arquivo UTDF saída para criar, quer
toda a rede ou uma sub-rede, um Plano de Controle Mestre, e quer uma demanda
de tráfego com base em Estados tráfego ou um meso ou micro Replication para
preencher os volumes turno

• realizar a otimização do sinal e / ou o nível de análise de serviço em Synchro

• lançar o Importador Synchro para importar os horários de sinal otimizados em


AIMSUN

Para a terceira tarefa, o fluxo de trabalho é criar um novo modelo no AIMSUN e importar o
projecto de geometria, um Plano de Controle e uma demanda de tráfego composto por Estado
Tráfego de um arquivo UTDF existente.

A informação que é trocados inclui:


• geometria da rede
• faseamento do sinal e temporizações

• volumes turno

52,1 Importador Synchro


O Importador Synchro lê um arquivo .csv em formato e as importações UTDF combinados em
um modelo AIMSUN existente a eliminação gradual de sinal e horários, ou cria um novo
projecto de rede AIMSUN usando a geometria contida no arquivo, um Plano de Controle
usando phasing sinal e horários e uma Estado de trânsito utilizando os volumes de volta.

A Synchro Exportador é iniciado a partir do Arquivo cardápio, Export, Synchro Network


(UTDF) opção (Figura 341).

Esboço, projeto 358


Figura 341 O acesso ao menu Import SYNCHRO

A caixa de diálogo que aparece permite que o usuário selecione o arquivo a importar e
se deseja importar tudo ou apenas a informação do sinal.

Figura 342 A importação de um Plano de Controlo Sincronizado

52,2 Importar a informação do sinal


Para importar apenas as informações de sinal, o Importação de rede Whole
opção não deve ser verificada.

Esboço, projeto 359


O Importador irá mapear AIMSUN Nodes para Synchro Nodes usando o
Synchro Node ID atributo e AIMSUN Acontece para Synchro Pista Grupos utilizando os pontos
cardeais em AIMSUN (Tabela 1).

Um novo plano de controle contendo a eliminação progressiva e horários definidos no arquivo


UTDF será criado.

Note-se que os grupos de sinais não são modificados, de modo a atribuição das Fases
aos Grupos da pista deve ser viável com os grupos de sinais definidas no AIMSUN 7.

52,3 Importação de todo o modelo


Criar um novo projeto AIMSUN partir de um modelo e lançar o Importador Synchro.
Para criar um modelo AIMSUN de um arquivo UTDF, o Importação de rede Whole opção
deve ser marcada e do Estado deve ser fornecido.

O Importador Synchro constrói a geometria criar uma seção para cada link e uma volta e um Grupo
de sinal para cada grupo Lane, cria um Plano de Controle com o Plano de Tempo e informações
eliminação progressiva, e cria um Estado de trânsito para a luz e uma para veículos pesados ​com o
Vire Volumes. Além disso, um Plano de Controle Mestre contendo o Plano de Controle, a demanda
de tráfego contendo os Estados Tráfego, um cenário, um experimento micro one-shot e uma
replicação são configurados automaticamente.

Figura 343 A importação de uma rede sincronizada

52,4 Exportador Synchro


A Synchro exportador cria um arquivo .csv em conformidade com a UTDF (Universal
Data Format Tráfego) formato combinado definido por Trafficware 8, contendo a
geometria da rede, por sua vez, os volumes e as temporizações de sinal.

7 Esta não é uma restrição importante, porque a correspondência entre grupos de sinais e transforma em realidade
só pode ser alterado mudando os semáforos física, que é normalmente fora do âmbito de um estudo de otimização
do sinal.
8 Veja Synchro Studio 7 Guia do Usuário, capítulo 16.

Esboço, projeto 360


A Synchro Exportador é iniciado a partir do Arquivo cardápio, Export, Synchro Network
(UTDF) opção (Figura 344).

Figura 344 - Acesso a Synchro Exportador

A caixa de diálogo que aparece permite que o usuário selecione o arquivo a ser criado
e a fonte de informação sobre a geometria, os planos de sinal e os volumes turn
(Figura 345).

O caminho eo nome do arquivo de saída é definido em UTDF arquivo combinado, debaixo Arquivo de
saída.

A geometria pode ser extraídas de toda a rede ou a partir de qualquer sub-rede


existente 9 que está listado na lista drop-down em
Rede. AIMSUN permite modelar diferentes tipos de infra-estruturas rodoviárias
(auto-estradas, estradas sinalizadas, etc.) no mesmo modelo, e diferentes tamanhos de
redes (de um cruzamento isolada para uma cidade inteira), enquanto Synchro é
destinado principalmente para cruzamentos ou corredores sinalizados isoladas de
sinalizou interseções. A possibilidade de exportar uma sub-rede permite a reutilização de
qualquer modelo AIMSUN existente, sem a necessidade de criar um específico para o
estudo com Synchro.

9 Sobre a definição de uma sub-rede em AIMSUN, consulte o capítulo 15 do Manual do Utilizador de AIMSUN.

Esboço, projeto 361


Figura 345 diálogo exportador Synchro

Se o Use Geometry de um arquivo existente UTDF opção estiver marcada, o usuário


tem a possibilidade de reutilizar um arquivo UTDF exportado anteriormente em vez de
gerá-lo a partir do modelo AIMSUN. Neste caso, a geometria serão tomadas a partir
desse ficheiro, enquanto que os sinais e os volumes de volta a partir do modelo
AIMSUN. Para que essa opção funcione, o arquivo UTDF precisa ter os mesmos
identificadores de nó como a rede AIMSUN, por isso o melhor é usar um arquivo
exportado anteriormente. Desde que a topologia da rede não é alterado, a fim de
preservar a correspondência entre os nós e se transforma em AIMSUN e os nós e os
movimentos em Synchro, e que a atribuição das fases para os grupos de pista é viável
com os grupos de sinais definidas no AIMSUN , esta opção permite conservar qualquer
edição posterior feito em Synchro, ao repetir a exportação, a fim de considerar um
plano de sinal diferente.

A eliminação progressiva do sinal e horários são tomadas a partir do Plano de Controle contidas no
Plano de Controle Mestre escolhidos entre os enumerados nas Plano de sinal. Por favor, note que
apenas os Planos de Controle Mestre contendo um único Plano de Controle estão listados: Synchro
pode lidar com apenas um conjunto de faseamento e horários para cada cruzamento, portanto, é
possível exportar apenas um único plano de controle de cada vez.

Esboço, projeto 362


Os volumes por sua vez podem ser extraídas de um conjunto de Estados de Trânsito, ou a partir
dos resultados de uma simulação dinâmica (meso ou micro). Note que é possível usar os volumes
volta de uma atribuição de macro através da criação dos Estados tráfego de seus resultados
(Figura 346).

Figura 346 Criando Unidos tráfego a partir dos resultados de um trabalho de macro

E se Use Unidos Tráfego é selecionado, uma demanda de tráfego contendo os Estados


Tráfego utilizar deve ser escolhido entre os listados. Coletados, a demanda de tráfego
deve ser baseada em Estados tráfego e ter um ou dois tipos de veículos: o Estado
Tráfego do modelo de veículo ter um PCU de 1 define o tráfego de luz, enquanto que do
modelo de veículo ter um PCU superior a 1 define trafégo pesado. fluxos leves e pesadas
são adicionados para calcular o volume total, e, em seguida, a percentagem de veículos
pesados ​é calculado.

E se Use Simulado Fluxos é selecionado, um cenário dinâmico, a meso ou micro


Experiment e uma replicação deve ser escolhido nas listas suspensas. A replicação
seleccionada tem de ser simulado com o cálculo das saídas para voltas e nós activos
(Figura 347), ou que tem de ser recuperado a partir da base de dados 10. O fluxo de volta
para qualquer tipo de veículo ter um PCU de 1 define o tráfego de luz, enquanto que,
para qualquer tipo de veículo ter um PCU superior a 1 define o tráfego pesado 11. fluxos
leves e pesadas são adicionados para calcular o volume total, e, em seguida, a
percentagem de veículos pesados ​é calculado. Note que o tempo de início e duração do
Plano de Controle Mestre selecionada em Plano de sinal determina o intervalo das saídas
que serão exportados 12.

Note-se que os volumes de volta produzidos por uma atribuição macro representam a
demanda total, enquanto os produzidos por um meso ou micro simulação representam a
demanda servido por os intervalos de sinal reais.

10 Se a replicação seleccionada não foi simulado com o cálculo das saídas para voltas e nós activos, ou que não foi
obtido a partir do banco de dados, os volumes exportados será 0.

11 Note-se que, ao contrário de quando se usa Estadual de Trânsito, usando simulado flui, não há limite para o número

de tipos de veículos.
12 O fluxo exportado é a média dos fluxos durante os intervalos que caem pelo menos parcialmente no interior da

programação do Plano de Controlo de Mestrado, ponderada com a proporção entre a poro que cai dentro do
calendário e a duração total do intervalo.

Esboço, projeto 363


Figura 347 - cálculo de saída para se vira e Nodes

O Exportador atribui um novo ID único para todos os nós exportados para Synchro
(intersecção, dobrar e nós externos) 13; ele adiciona uma coluna para os nós em AIMSUN,
chamados Synchro Node ID, onde o ID Synchro gerado automaticamente para os nós
exportados são armazenados, e adiciona duas colunas para as seções de AIMSUN,
chamado
Synchro Nó de Origem e Destino Nó Synchro, onde os IDs Synchro dos nós extremos
são.

Estes atributos são usados ​pelo exportador, no caso Use Geometry de um arquivo
existente UTDF é verificada e pelo importador, no caso
Importação de rede Whole não estiver marcada, para estabelecer uma
correspondência entre nós e as seções de AIMSUN e nós e links em um arquivo UTDF.

Note-se que o exportador atribui os pontos cardeais de abordagens e grupos de pista de


acordo com o ângulo real em AIMSUN (Tabela 1), e não se aplica qualquer rotação
automático para simplificar intersecções diagonais com quatro ou menos pernas.

Ângulo 14 Direção
- π / 8 <α ≤ π / 8 EB
π / 8 <α ≤ 3π / 8 NEB
3π / 8 <α ≤ 5π / 8 NB
5π / 8 <α ≤ 7π / 8 NWB
7π / 8 <α ou α ≤ -7π / 8 WB
- 7π / 8 <α ≤ -5π / 8 SWB
- 5π / 8 <α ≤ -3π / 8 SB
- 7π / 8 <α ≤ -π / 8 SEB

Tabela 1 Abordagem e Lane designações grupo

13 números de nó Synchro pode variar de 1 a 9999.


14 Ângulos em AIMSUN são medidos a partir da direção leste e são positivos (de 0 a π) indo para o norte e negativo

(de 0 a -π) indo para o sul.

Esboço, projeto 364


Idealmente, é possível alterar os valores armazenados para coincidir com os de uma rede
Synchro existente mesmo que não seja exportado a partir AIMSUN, mas é responsabilidade
do usuário para assegurar que a orientação da rede e topologia são as mesmas.

52,5 Convenções de nomenclatura para parâmetros de controlo do sinal


A tabela a seguir mostra a relação entre os nomes utilizados na AIMSUN e aqueles usados ​no arquivo UTDF para
parâmetros de controle do sinal.

AIMSUN UTDF
Barreira, Anel, posição BRP
Verde mínimo, máximo MinGreen
Initial verde
Max-Out MaxGreen
passagem Tempo VehExt
Tempo Antes Reduzir TimeBeforeReduce
Tempo para reduzir TimeToReduce
passagem Tempo MinGap
Tempo amarelo Amarelo
Interphase Tempo Tudo vermelho
recordação recordação

Tabela 2. As convenções de nomenclatura para os parâmetros NEMA

Período permissivas de, Período permissiva Para e força Off são inicializados
automaticamente.

Esboço, projeto 365


53 Importador de arquivo 3D e exportador

53,1 Importador

O Importador de arquivo 3D permite ao usuário incluir modelos 3D em uma rede AIMSUN.


encontrado sob Arquivo-> Importar -> Arquivo 3D ele pode importar modelos 3D nos seguintes
formatos:
• Autodesk 3ds Max (.3ds extensão de arquivo)
• Wavefront OBJ (obj extensão de arquivo)
• formatos abertos nativos Scene Graph
o formato binário (extensão de arquivo .ive)
o formato de texto (extensão de arquivo .osg)

Uma vez que o modelo 3D é selecionada através do diálogo “Open File”, ele será
importado para o documento atual em AIMSUN. É a edição será, portanto, disponível
para os 2D e 3D Views.

53,2 Exportador
O exportador de arquivos 3D permite ao usuário exportar a geometria da rede em 3 rd ferramentas
de software de modelagem partido 3D, permitindo ao usuário criar ricos cenas 3D em
torno de redes criadas com AIMSUN. A geometria exportada atualmente inclui Nodes e
Secções.

A opção é encontrado em Arquivo-> Exportar -> Rede como arquivo 3D.


Observe que antes de exportar uma rede em formato 3D, uma vista 3D deve ser aberto
em AIMSUN. Os seguintes formatos são suportados:
• Autodesk 3ds Max (.3ds extensão de arquivo)
• formatos abertos nativos Scene Graph
o formato binário (extensão de arquivo .ive)
o formato de texto (extensão de arquivo .osg)

Esboço, projeto 366


Esboço, projeto 367
54 Licenciamento AIMSUN

Este capítulo aborda como lidar com licenças AIMSUN com sucesso.

54,1 tecnologia de licenciamento


AIMSUN pode ser licenciado usando a tecnologia HASP SRM.

Neste tipo de licença a informação é escrito dentro do dongle. Quando o usuário


recebe o dongle pela primeira vez a licença já está escrito no dongle. Ele contém a
data de validade, as características ea data SUS.

Para consultar todos os detalhes da licença e executar outras ações que o usuário tem que ir para
o seguinte endereço:

http: // localhost: 1947

Selecionando a opção Chaves HASP todos os dongles utilizados serão exibidas. Todos os
dongles pertencentes a TSS terá o número do fornecedor
78046.

Selecionando a opção Produtos uma lista dos produtos disponíveis é mostrado como abaixo:

Da mesma forma a opção Características pode mostrar detalhes relevantes, como mostrado abaixo:

Esboço, projeto 368


Estes dados incluem os recursos contratados, o número de usuários e a data de
expiração da licença.

Se há produtos ou recursos estão listados isso pode indicar a licença AIMSUN para esse
dongle é baseado em Flexlm vez de HASP SRM. Por favor entre em contato support@aimsun.com
em caso de dúvida.

54.1.1 Atualizando uma licença HASP SRM

Para atualizar dongles com base neste tipo de licença que o usuário tem que receber um
arquivo v2c de TSS e aplicá-lo para o dongle apenas uma vez. Para atualizar um HASP
SRM tipo dongle há duas opções:

1. Run [AIMSUN pasta] \ licenças \ utils \ rus_Aimsun.exe e


selecione os Aplicar o Update License aba. Em seguida, carregar o arquivo v2c
recebeu de TSS.

2. A partir da página http: // localhost: 1947 selecione a opção


Atualização / Anexar e carregar o arquivo v2c recebeu de TSS.

54.1.2 Verificar o estado de uma licença HASP SRM


Para verificar o estado de uma licença HASP SRM, TSS pode perguntar ao usuário gerar e enviar
para TSS um arquivo C2V com os detalhes dongle.

A fim de criar o arquivo C2V, o usuário deve ir para [AIMSUN pasta] \ licenses \
utils \ rus_Aimsun.exe e executá-lo. Sob a guia
Coletar informações de status Key o arquivo C2V pode ser gerado pressionando o Coletar
informação botão.

54.1.3 licenças SRM de rede HASP


Para configurar HASP SRM licenças de rede referem-se ao AIMSUN HASP SRM Guia de
Rede Licença de Instalação.

Para este tipo de rede licencia o usuário tem que definir as seguintes opções no
servidor e o computador cliente como mostrado abaixo:

Esboço, projeto 369


configuração do servidor

configuração do cliente

54,2 opções de licenciamento

54.2.1 Várias opções dongle


Caso o usuário tem mais de um dongle AIMSUN, em AIMSUN 7 há uma nova opção
para o usuário para forçar AIMSUN para trabalhar com um determinado dongle. Usando
o prompt de comando ou editar o AIMSUN atalho O usuário pode escrever:

[AIMSUN Diretório] \ aimsun.exe -dongleid XXX (onde XXX é o ID dongle que


deseja AIMSUN para trabalhar com)

54,3 Legião de licenciamento AIMSUN


A Legião de licença AIMSUN é necessário para usar o simulador de pedestres Legião
incorporado em AIMSUN. Ele está disponível para os 32bits e 64 versões para Windows. A
fim de obtê-lo:
• Abra o Ajuda / Licenças ... menu a partir AIMSUN
• Clique no botão de pedido de licença eo diálogo a seguir traz à tona:

Esboço, projeto 370


• Clique em email Pedido botão para enviar um arquivo de formulário gerado
automaticamente para support@aimsun.com ou clique no Salvar em arquivo botão para
gerar o formulário. Lembre-se de enviar o formulário para TSS ( support@aimsun.com ).

• Uma vez TSS envia de volta a Legião para AIMSUN licença, abra o Ajuda /
Licenças ... menu a partir AIMSUN.
• Clique em instalar licença botão e o seguinte diálogo traz à tona:

• Você pode ter um olhar para a licença, bem como para o calendário que lhe
dará os detalhes sobre sua legião de licença AIMSUN.

• selecionar Concordo para instalar a sua licença e, em seguida, clique no

Perto botão.

54,4 solução de problemas de licença

Se depois de seguir os passos para instalar corretamente uma licença, AIMSUN não executa
por favor, tente o seguinte:
• Verifique se o dongle está ligado e a luz (quando aplicável) está ligado)

• Vamos para http: // localhost: 1947 e verificar se todos os dados estão corretos (data
de validade e características) de acordo com o que foi contratado com TSS.

• O SUS não é visível para o usuário, portanto, pode ser consultado por pedindo TSS.
No caso em que AIMSUN está executando a informação está em Ajuda -> Licenças.

Esboço, projeto 371


Se depois de instalar a licença, AIMSUN é executado, mas o usuário não pode simular
as repetições não é definitivamente um problema de licença:

• Vá para Ajuda -> Sobre Plugins


• Se houver módulos marcados com um ícone vermelho, reinstale AIMSUN
depois de ter certeza que a instalação anterior do diretório é totalmente
excluído.

Se depois de instalar a licença, Legião de AIMSUN para AIMSUN não pode simular
pedestres:
• Na verificação diretório AIMSUN se há seguintes arquivos de biblioteca Legião (.dll).
Se não voltar a instalar Legion para AIMSUN.

• Ajuda -> Licenças, verifique se a licença Legião está carregado corretamente, como
abaixo. Se não carregar o arquivo .lic.

Se após esses controlos a licença ainda não está ativando AIMSUN contacte support@aimsun.com
.

Esboço, projeto 372

Você também pode gostar