Você está na página 1de 14

Projetos de automação

Industrial
Metodologia FEL

1
Projetos de Automação Industrial
Análise de Viabilidade (FEL 1)
Objetivo: Planejamento do Negócio Objetivo, ou seja, validar a oportunidade comercial e
selecionar as alternativas que serão analisadas na fase seguinte.

É a fase de definição do negócio, onde é validado o alinhamento estratégico e a análise de


mercado. A engenharia associada é baseada em índices de projetos similares. Nessa etapa é
feita a definição do escopo e os objetivos do empreendimento e há uma estimativa inicial do
montante de investimentos, prevendo uma faixa de variação do custo entre -25% e +40%.
Além disso, há a análise da viabilidade do negócio, através do cálculo dos principais
indicadores de viabilidade: o cálculo da TIR (Taxa Interna de Retorno), VPL (Valor Presente
Líquido), VPI (Valor Presente do Investimento) e Payback Descontado.
Entregáveis:
Declaração dos objetivos do projeto para o negócio, definição do time núcleo, alinhamento
estratégico, previsões de mercado, declaração de escopo inicial, estudo de alternativas,
estudos competitivos, estimativas iniciais de custos.
Projetos de Automação Industrial
Taxa Minima de Atratividade
O que é?
É uma taxa de juros que representa o mínimo que um investidor se propõe a ganhar quando
faz um investimento, ou o máximo que um tomador de dinheiro se propõe a pagar quando
faz um financiamento.

Exemplo:
Projetos de Automação Industrial
Valor Presente Líquido - VPL
O que é?
O valor presente líquido (VPL) é uma função utilizada na análise da viabilidade de um
projeto de investimento. Ele é definido como o somatório dos valores presentes dos fluxos
estimados de uma aplicação, calculados a partir de uma taxa dada e de seu período de
duração.

Os fluxos estimados podem ser positivos ou negativos, de acordo com as entradas ou saídas
de caixa. A taxa fornecida à função representa o rendimento esperado do projeto.
Caso o VPL encontrado no cálculo seja negativo, o retorno do projeto será menor que o
investimento inicial, o que sugere que ele seja reprovado. Caso ele seja positivo, o valor
obtido no projeto pagará o investimento inicial, o que o torna viável.
Projetos de Automação Industrial
Projeto Conceitual (FEL 2)
Objetivo: Estudar as opções identificadas e direcionar o projeto a uma opção, refinar
premissas, atualizar os dados econômicos e começar a definição do projeto.

É a fase da seleção da opção, na qual é decidido conceitualmente o escopo do projeto. O


foco principal desta etapa é de desenvolvimento da engenharia conceitual de todas as
opções listadas na fase de viabilidades, de modo a comparar as opções e definir, através do
resultado da avaliação econômico-financeiro de cada opção, qual será encaminhada à fase
seguinte.

Nessa etapa são feitas análises das soluções tecnológicas e construtivas associadas ao
empreendimento, terminando com a seleção de uma dessas soluções e com as definições
básicas das instalações, incluindo as edificações, prevendo uma variação nos custos entre -
15% e +25%, além da seleção das VIP´s (Value Improving Practices) a serem utilizadas no
desenvolvimento da engenharia básica do projeto.
Projetos de Automação Industrial
Projeto Conceitual (FEL 2)
O retorno financeiro é um parâmetro decisivo para que o projeto siga para a terceira etapa:
caso não seja apresentado retorno acima da taxa mínima de atratividade, ou seja, apresente
VPL menor que zero, o projeto é cancelado. Além dessa análise, é feita uma estimativa do
dispêndio de capital (CAPEX) necessário para implantação do projeto, compensando o baixo
conhecimento com imprecisão em contingência.

Entregáveis:

Planejamento das instalações, análise de saúde, segurança, ambiental e riscos preliminares,


análise econômica e financeira detalhada, execução de cronograma, localização e layout do
empreendimento, estimativa de orçamento, engenharia conceitual, declaração de escopo
preliminar.
Projetos de Automação Industrial
Projeto Básico (FEL 3)
Objetivo:Dar informações necessárias para o desenvolvimento da engenharia detalhada, o
plano de execução e a estimativa de custo detalhados para a alternativa selecionada na fase
anterior.
Nesta etapa, a Engenharia Básica da opção selecionada no estágio conceitual é desenvolvida
e o CAPEX do projeto apresenta maior precisão. É a fase ideal para aprovação em Diretoria
Executiva, uma vez que a probabilidade de mudanças de escopo é muito menor. Nessa fase,
a solução de engenharia selecionada, no básico, começa a ser detalhada e mais VIP´s são
consideradas no desenvolvimento dos Projetos Básicos. Dessa forma é possível obter uma
variação nos custos entre –10% e +10%, além da consolidação dos principais indicadores de
viabilidade do negócio.

Entregáveis:
Especificações dos equipamentos, plano de compras, análise de saúde, segurança,
ambiental e riscos finalizado, plano de execução, escopo do trabalho detalhado, análise do
cronograma, engenharia básica, declaração de escopo finalizada.
Projetos de Automação Industrial
Projeto Detalhado (Executivo):
Objetivo: Dar informações necessárias para o detalhamento do projeto, o plano de execução
e a estimativa de custo detalhados para a alternativa selecionada na fase anterior.

O foco já passa a ser a construção, ou seja, a preparação do projeto para sua aprovação
corporativa e futura implantação. Nesta etapa, a Engenharia Básica selecionada é
desenvolvida, possui o foco nas montagens e o CAPEX do projeto apresenta maior precisão.
Não é mais a fase ideal para alterações, uma vez que a probabilidade de mudanças de
escopo possui um impacto muito grande nos custos e nos prazos finais do projeto.

Nessa fase, as soluções de engenharia selecionadas, no básico, começam a ser detalhadas e


são criados documentos específicos para cada uma das disciplinas envolvidas no projeto.

Dessa forma é possível obter uma variação nos custos entre –10% e +10%, além da
consolidação do principias indicadores de viabilidade do negócio.
Projetos de Automação Industrial
Projeto Detalhado (Executivo):
Entregáveis:
Especificações finais de equipamentos, plano de compras, análise de saúde, segurança,
ambiental e riscos finalizado, plano de execução, escopo do trabalho detalhado, análise do
cronograma, engenharia detalhada e toda sua documentação para montagem, declaração
de escopo finalizada.
Projetos de Automação Industrial
TIPOS DE PROJETOS EM FUNÇÃO DO TIPO DA INSTALAÇÃO
Projeto Brownfield:
O termo brownfield é utilizado na construção para referenciar terrenos que previamente
ocupados por estruturas permanentes. Projetos brownfield são, portanto,
empreendimentos executados sobre terrenos com estruturas existentes, devendo estas ser
demolidas ou renovadas. Atualmente o termo brownfield, ou brown-field, é utilizado em
diversas indústrias, incluindo o de desenvolvimento de software, para retratar que o projeto
a ser desenvolvido ou atualizado se baseará em um já existente.
Projeto Greenfield:
O termo greenfield tem o significado oposto. Também com origem na construção, projetos
greenfield, ou green-field, se referem à terremos nunca antes utilizados, onde não há
necessidade de demolir ou reconstruir partes de estruturas. Da mesma forma que o termo
brownfield, greenfield também é utilizado atualmente no desenvolvimento de software,
significando o desenvolvimento onde não há necessidade da consideração de trabalhos
anteriores.
Projetos de Automação Industrial
Projeto de Capital:
Outra classificação existente são os projetos de capital, que são aqueles de investimento a
longo-prazo que requerem relativas grandes somas de capital para adquirir, desenvolver,
melhorar e/ou manter um ativo de capital como, por exemplo, construções, rodovias,
diques, estádios, etc. Neste tipo de projeto é importante considerar o enorme volume da
documentação a ser produzida, bem como o controle do fluxo das informações entre todos
os interessados. Deve-se, portanto, consideram com cautela os requisitos relacionados ao
armazenamento e fluxo da ferramenta a ser utilizada.

Ao se especificar uma ferramenta para o gerenciamento técnico da documentação


produzida em projetos, é importante se considerar as diferenças entre greenfield e
brownfield. Quando tratamos de projetos brownfield, por exemplo, deve-se levar em
consideração a época em que a documentação foi produzida. A existência de documentação
legada em papel faz com que, por exemplo, o processo envolvido no gerenciamento
eletrônico da documentação de projetos brownfield e greenfield sejam diferentes.
Projetos de Automação Industrial
Projeto de Capital:
Um exemplo clássico de requisito essencial em ferramentas EDMS é o gerenciamento de
documentos híbridos, uma combinação de documentos raster com documentos vetorizados.
Neste caso, modificações sobre as plantas originais em papel são feitas utilizando
ferramentas CAD sobre esses documentos escaneados, originando o novo documento. Em
projetos greenfield, por exemplo, os desenhos podem ser elaborados e revisados
diretamente utilizando ferramentas CAD, eliminando a necessidade da utilização de
documentação física.
Projetos de Automação Industrial
Glossário dos termos:

TIR – Taxa interna de retorno. Taxa que simula o fluxo de caixa para confrontar custos e
ganhos futuros, trazidos aos valores presentes. Serve para permitir a análise, entre outros,
da Taxa Mínima de Atratividade (TMA).

TMA – Taxa mínima de atratividade. Trata-se de uma medida de juros, em %. Define o ganho
mínimo esperado (lucros) ou o gasto máximo (ex. contratação de um financiamento).

VPL -Valor presente líquido. – É a síntese de quanto um empreendimento trará de lucros,


descontados os custos, a valores de hoje. Tal índice permite facilitar a leitura e a comparação
de diversos cenários de investimento.

VPI – Valor presente do investimento. É a síntese de quanto será gasto em investimento, a


valores de hoje. Tal índice permitirá, entre outros, uma análise da matriz VPL/VPI
Projetos de Automação Industrial
Payback – Tempo a ser gasto para recuperar o montante de investimentos. Ou mesmo para
definir o ponto de break-even (ponto de empate entre investimentos x lucro).

VIP – Value Improving Pratices. Práticas melhorias de valor. Consiste em análises


sistemáticas do processo com o foco de reduzir gastos desnecessários.

Capex – Capital Expenditure. Despesas de Capital. Trata-se do montante total a ser investido
para a melhoria (ou aquisição) de uma empresa.

Opex – Operational Expenditure. Despesas de Operação. Trata-se custo referente à operação


do montante total a ser investido para a melhoria (ou aquisição) de uma empresa.

EDMS – Eletronic Document management system – Sistema de Gerenciamento eletrônico


de documentos. Trata do gerenciamento de todo o universo da documentação. Documentos
novos, a serem criados e pré-existentes, controla versões, revisões, entre outros.