Você está na página 1de 111

Interpretação Espiritual das Escrituras

Joel S. Goldsmith

CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO

A essência deste livro é que Deus É. Nós falamos sobre Deus; nós
pensamos sobre Deus; nós até mesmo rezamos para Deus. À medida que
realizarmos a compreensão consciente de Deus, começaremos a ver porque o
falar sobre Deus é inútil, e porque muitos de nossos pensamentos sobre Deus são
em vão. Deus é a única realidade de nosso ser. Ele é nossa Vida, nossa Mente e
Espírito, O Princípio Animador, a Substância e Alma do nosso ser, porém – quanto
satisfatoriamente você conhece sobre Deus? Em nossa experiência somos
inclinados a estarmos satisfeitos com a aceitação intelectual de Deus como Mente
e Alma, e falhamos em compreender que nossa grande necessidade é conhecer
Deus – entender a lei e a realidade de nosso ser.

Os homens geralmente têm pouca confiança ou paz até que tenham uma
boa posição, ou um negócio bem sucedido, ou talvez alguma terra ou
investimentos. Nesta condição eles alcançam um senso de segurança e bem-
estar, muito embora seja um fato conhecido desde que a história da humanidade
começou que estas posses são temporais e não permanentes. A perda dessas
posses deixa os homens sem esperança no mundo e em si próprios e o medo de
perdê-las é a razão para muitas doenças do mundo, as quais não são provocadas
pela luta por obtê-las. Aqueles que encontram Deus, que alcançam até mesmo
uma pequena medida de compreensão, têm riqueza que nem o tempo, nem as
circunstâncias podem afetar. Eles não têm preocupação com o seu bem-estar
material ou físico, porque eles já descobriram que o bem permanente e imutável,
sua vida invariável e substância estão todos incluídos em Deus.
1
Não vamos nos satisfazer com um Deus abstrato, um Deus que chamamos
pelo nome e, contudo não temos um relacionamento consciente. Se Deus é a
única realidade de nosso ser podemos retardar por mais tempo um real
conhecimento Dele? Conhecê-Lo completamente é Vida Eterna. Compreendê-Lo
é conhecer segurança e paz – “que ultrapassa toda a compreensão”. “Busque o
Senhor enquanto Ele pode ser encontrado”. Deus não é encontrado em nomes ou
declarações da verdade. “Ele está no meio de Vós” – “Ele está mais perto do que
a respiração” – sim Ele não está no sentido físico da vida, mas é encontrado na
quietude do nosso ser quando o pensamento está tranquilo. Isto não significa que
estamos renunciando o mundo, mas abstendo-nos do barulho e do clamor diário,
de forma que estes não causem uma agitação nas águas do pensamento.

O sentido espiritual das Escrituras apenas revela as leis e as lições da


Bíblia pelas quais nós podemos viver. Este livro é uma introdução a este infinito
tema. Viver através da Consciência da Alma é conhecer e desfrutar as belezas e
alegrias da Vida. A ciência da Alma revela a natureza da cura espiritual e o
desdobrar-Se das atividades e capacidades da Alma do indivíduo – ou seja, você.

The Nightingale of the East - O rouxinol do Leste

Entre as plantas florindo de um jardim no Egito pousou um rouxinol de


grande beleza. Sua canção sublime encheu o Oásis com uma doce melodia. Sua
canção era um hino de amor; uma mensagem de paz a partir do coração do
Infinito paralisando as ondas do mundo dos sentidos.

Sabes tu, oh pássaro, a paz que transmite com tua canção? Sabes tu da
luta que é acalmada pela melodia de tua garganta? Não, o rouxinol não sabe da
força de sua canção e menos ainda da inquietação que é acalmada pelo seu som.

Assim você deve ser como a canção de Deus que emana através de você –
o mensageiro voluntário da divina mensagem – ainda inconsciente da força do seu

2
Ser e menos ainda consciente dos corações atribulados que você acalma com sua
melodia de amor.

CAPÍTULO 2 - Da Escuridão para a Luz

A não ser que Deus se manifeste em nossa existência trabalharemos em


vão para obter sucesso na vida. Desta forma tomamos como ponto de partida o
primeiro verso do Salmo 127: “Se o Senhor não construir a casa, em vão
trabalham seus construtores; a menos que o Senhor mantenha a cidade, o vigia
guarda, mas em vão”.

É possível realizar grandes coisas na vida por meios humanos. Os homens


têm tornaram-se prósperos alcançaram grande força militar e política, realizaram
grandes coisas com a mente e a vontade humana, mas, em muitos casos os
resultados de seus esforços não têm sido permanentes ou não resultaram em
felicidade que estava prometida.

A menos que Deus produza por nós, o produto não estará apto para durar
ou satisfazer. Quando Deus produz por nós, o nosso trabalho é frutífero e traz
felicidade e alegria com ele.

O que é felicidade? George Bernard Shaw escreveu: "Esta é a verdadeira


alegria na vida: a existência usada para um propósito reconhecido por você como
um forte propósito que dê sentido a vida. A existência não pode ser
completamente exaurida antes de ser jogada no ”lixo”; deve ser uma força da
natureza em vez de um aglomerado de doenças reclamando que o mundo tem
que fazê-lo feliz”. Neste comentário da sabedoria de Shaw, John Mason Brown
escreve: “O que a felicidade é ninguém pode dizer a outro, mas ninguém, e estou
certo, pode ser feliz vivendo somente para si mesmo. A alegria de viver vem
apenas da imersão em alguma coisa - qualquer coisa - maior, melhor, mais

3
duradoura, mais digna do que nós (seres humanos) somos. Pessoas, ideias,
causas - são as possíveis fugas, não apenas por egoísmo, mas também pelos
anseios de solidão e tristeza por não conseguir fazer trocas com Deus. A vida nos
deve pouco, nós devemos tudo a ela. A única verdadeira felicidade vem da
dedicação de nós mesmos a um propósito”. Não vire as costas deliberadamente
ao cortejo. A existência é uma estranha barganha.

Na verdade, você está aqui como parte de uma grande causa. Você é
aquele lugar onde Deus brilha. Não há maneiras para que Deus Se manifeste
finitamente. Você é infinito. Na realização de sua verdadeira identidade, você não
tem mais um motivo egoísta. Você não tem nada para obter porque você já tem a
força daquele Ser Infinito; portanto a finalidade do seu “desvelar” é que você
possa ser uma revelação para aqueles que ainda não despertaram para esta
Verdade. Você está aqui como uma parte daquela causa. Seu propósito é ser a
Luz, deixar que essa Luz brilhe para aqueles que ainda não estão “iluminados”
(despertos) possam encontrar em você uma esperança. Através da procura da
Verdade você conhece Deus como Mente, Espírito e Princípio ou Alma, mas no
pensar nesta luz de Deus, você é capaz de pensar na Divindade como Mente
Universal ou Vida separada ou aparte de você mesma. Isto é a primeira correção
para ser feita em sua compreensão da Escritura. Você agora reconhece Deus
sendo a Mente ou Alma do indivíduo, de você e de mim. Deus é a Vida de você e
de mim, Deus é o Princípio de seu ser. Não há Alma, Espírito, Vida ou Mente fora
ou separado de você. Há somente uma Vida, a vida que você está vivento agora e
essa Vida é infinita e eterna. Há somente uma Alma, sua Alma – “mais próxima do
que a respiração, mais próxima do que mãos e pés”.

É somente quando nós conhecemos Deus como nosso próprio Espírito que
podemos descansar na certeza que a Mente sobre mim mesma está sempre
realizando sua atividade infinita e individual. Quando você compreende isto, você
não terá que se dirigir a esta Mente, ou pedir a Deus, o qual é Mente, para fazer
sua vontade. Você sabe que a sua própria Mente é Deus, Infinita Inteligência, e
deve confiar Nela para realizar a Si mesma em você. “Se Deus conhece nossas

4
necessidades” – este pensamento pode vir a você quando não estiver pensando
em Deus como algo aparte de você mesma. A razão para enfatizar isto é que até
que você entenda isto que você mesma é a Consciência Espiritual Infinita não
compreenderá a premissa da grande verdade: Eu sou o Livro da Vida.

Isto deve ser verdade considerando que você é Consciência Infinita, você
incorpora dentro de você tudo que existe – você inclui a totalidade do universo
dentro de seu ser. A Bíblia, o livro de experiências de homens, mulheres e
períodos da história, todos estão incluídos dentro da Infinita Consciência Espiritual
Individual que Eu Sou. A Bíblia não é um livro fora de você. Ela não é uma série
de eventos os quais aconteceram milhares de anos atrás. A Escritura é o
desdobrar-se de características e mudanças ou acontecimentos que estão
ocorrendo dentro de você – exatamente neste minuto. Toda experiência da
Bíblia pode ser encontrada em sua consciência em algum tempo ou outro. Você,
então, incorpora dentro de si mesmo toda filosofia, natureza e história.

Não há mortais, nem seres humanos, você é imortal. Tudo o que existe vive
dentro de sua consciência. Você ou as pessoas nunca estarão caracterizadas na
Escritura antiga, você sempre viverá sua experiência presente. A verdade será
progressiva. Você está sempre se desdobrando no lugar onde você reconhece
que eu sou o "EU". Você está lá agora, mas você estará se desenvolvendo
individualmente em direção ao reconhecimento daquele ponto. Eu sou a Bíblia, o
Livro da Vida. A história inteira de vida está se mostrando como sua Consciência.
Pode aparecer como um passado, o presente, ou futuro, mas é realmente o Aqui e
Agora se revelando à sua consciência. Ela retrata as qualidades de seus próprios
pensamentos, as atividades de sua consciência. Se você já foi traído, é porque em
sua consciência há ainda alguma qualidade de pensamento traindo você. Todo
pequeno erro que acontece a nós em nossa experiência é trazido pelo nosso
próprio estado de consciência. Não que pensamentos certos ou errados causam
isso, mas na consciência individual estão estes traços latentes que colocam isso
em movimento.

5
A história de Adão, Moisés, Jesus, Paulo e João só é de valor a você
quando você descobrir a relação delas na sua vida; as leis das escrituras só
beneficiam quando você as percebe como leis até para seus negócios.

A partir do momento que Moisés percebeu, “EU SOU AQUELE QUE SOU”
ele era mestre de toda situação, um líder dos homens. Ele soube então que essa
vida não é uma experiência física, mas é expressa como estados e estágios de
consciência e esse progresso sempre é do menor para o maior, para a realização
de que Eu sou Vida eterna.

O livro do Êxodo no qual Moisés conduz os judeus do estado de


consciência que representa a transição da dependência, ignorância e escravidão
para uma forma mais alta de humanidade e um maior grau de bem humano. Nos
quarenta anos de experiência no deserto nós vamos para frente e caímos pra trás;
nós subimos e descemos; nós temos progressos e retrocessos - mas com cada
experiência desenvolvemos mais fé, esperança e coragem.

A jornada na realidade é dos sentidos para a Alma e todos os eventos da


jornada do deserto e desvios, eventualmente nos conduzirão à revelação
espiritual.

Há três estados de consciência que você encontrará na Bíblia. O primeiro é


a escuridão egípcia. Egito significa a escuridão da ignorância, obscuridade.
(Metaphysical Bible Dictionary)

É onde você encontra os hebreus quando eles são escravos do Faraó. Eles
estão em um estado de ignorância total da verdade espiritual. Eles estão sem
esclarecimento cultural ou educacional; economicamente atingidos pela pobreza;
de toda a maneira sem esperança e sem até mesmo bens materiais. Nessa
escuridão egípcia há escravidão do sentido físico, de dores corporais e prazeres
físicos. Há uma crença do poder nas formas materiais de suprimento e uma
escravidão a matéria como suprimento.

6
Tudo isto pode ser comparado ao seu próprio estado de consciência antes
que você recebesse o primeiro rápido olhar da Verdade. Você, também, está em
escuridão egípcia, ignorância e pobreza espiritual, a escuridão de sua própria
consciência antes do advento de Moisés em seu pensamento. Moisés é este de
pensamento em você o qual o conduz das profundidades de falta absoluta para
um sentido mais alto e mais livre de bem.

No sentido escurecido entra este primeiro raio de Luz com sua Promessa
de uma Terra de leite e Mel – uma promessa de abundância e alegria.

Tudo que este primeiro Livro traz para nós é esta Promessa, é nosso
Moisés – o Moisés da Bíblia ou Livro da Vida que Eu sou. Quando você segue
esse novo líder, o mais alto pensamento que tem entrado em sua consciência,
você é conduzido para uma provisão maior, saúde melhor, vida mais livre. Toda
circunstância humana é melhorada. Todo o avanço, contudo, é ao longo da linha
de melhoramento humano.

Este período em sua experiência é a primeira introdução a Verdade ou a


metafísica. A promessa dada é saúde melhor ou mais riqueza – e isto, na maioria
dos exemplos, é cumprido.

No entanto, isso não faz diferença quanto à saúde material ou riqueza que
você consegue – há um fim para isto. Não há permanência na saúde ou riqueza
física. Como na experiência do deserto Hebraico de ir para frente e para trás, da
escravidão para a liberdade e muitas vezes voltar à escravidão, então, em sua
experiência de deserto, não há saúde e doença, abundância e carência. A única
permanência de saúde, harmonia, paz e prosperidade são na iluminação
espiritual. Os espiritualmente “iluminados” nunca são pobres, nunca morrem -
porque o sentido temporal e finito de vida dá lugar para o Permanente e Real.

O segundo estado de consciência é o aperfeiçoamento humano - as


liberdades humanas. Este, por sua vez, está superado quando o terceiro estado
de consciência é alcançado, o qual é chamado de A Terra Prometida ou do Reino

7
de Deus. Você entra neste reino espiritual quando você perde a fé a dependência
nas coisas externas, e quando você perde o ódio e medo de pessoas e condições.

Durante o Êxodo, a jornada da escuridão para Luz, você tem a Lei como
seu guia, proteção e suprimento.

Capítulo 3 - A LEI

O primeiro mandamento... “Tu não terás outros deuses diante de Mim”, é


uma advertência para olharmos para única fonte de nosso bem e indica que você
ou eu somos esta fonte.

A esta lei todos devem prestar obediência. E eu devo obedecê-la. Se eu


vivesse na constante percepção de minha verdadeira identidade, seria impossível
a qualquer um interferir na minha demonstração de vida harmoniosa, frutífera e
eterna, e se os homens sempre atendessem o Primeiro Mandamento, a jornada
para o Reino de Deus seria rápida.

A obediência a esse mandamento exige rigorosa disciplina mental. Isso


significa que toda vez que for tentado a depositar confiança em um poder fora de
você, você deve mentalmente discutir com você mesmo (use a lei), até que você
traga de volta a si mesmo a presença e o poder de sua própria Consciência. Esta
agitação mental é a lei - a carta da verdade - e sempre conduz ao Espírito da
Verdade, quando seguida fielmente. Este Primeiro Mandamento é uma lei que
você deve obedecer literalmente - não há outra presença ou poder que a
Consciência Universal, a qual é a consciência do indivíduo, de você. Você existe
como Consciência infinita, individual e espiritual. Você não é o corpo. Você não é
mente ou mentalidade limitada. Você é Consciência.

O que é esse "eu" que possui corpo, negócio, casa, talento, gênio? Esse
“eu” não é o corpo. Pés, braços, pernas, cabeça - estes são meus. Mas o que é

8
esse "eu" ou “mim”, que os possui? Há apenas um único "Eu", único Ego, única
Consciência - Deus. “Eu” sou, portanto, universal. É o “Eu” de mim - Ego
individual aparecendo como você, como eu, como todos os chamados homens e
mulheres.

Existência individual é o desdobramento contínuo da experiência interior do


seu próprio ser. Nada e ninguém existem fora de sua própria consciência. O que
vemos como pessoa e coisa é a ideia da Realidade desdobrando-se como nossa
consciência.

Há em todo o universo apenas um Poder, e Eu sou essa Lei e Poder. A


consciência que Eu sou, o único Eu ou Mim, é o único poder e, portanto, todo o
poder é bom - e fora de Mim não há poder. Todo o mal é, portanto, uma falsa
concepção do Único poder, o todo poder bom que Eu sou.

Não há nenhuma condenação quando você está sob a crença do erro, seja
ele pecado ou doença. Não há nenhum erro pessoal para você. Todo erro é uma
crença universal que aceitamos e, portanto, se manifesta como tal. É esta
aceitação de crenças universais que faz você acreditar que é doente ou pecador.

Há apenas um poder. Este é o significado do Primeiro Mandamento. Temer


ou odiar outro poder é perder o seu domínio concedido por Deus.

Não existe tal coisa como o bem superando o mal; nem Deus curando suas
doenças; nem Deus reformando pecadores. Supere a falsa teologia aqui e agora
pela aceitação do Primeiro Mandamento.

As Bíblias do mundo falam de dois poderes, do bem e do mal - mas isso é


porque a Escritura tem sido aceita do ponto de vista da tradução literal em vez de
ser lida à luz da inspiração espiritual.

As Escrituras não devem ser interpretadas apenas como documentos


históricos, mas como a Verdade espiritual revelada por inspirados sábios e
profetas. Nesta Luz há apenas uma Presença, um Poder - e Eu sou isso.

9
Nesta Luz espiritual você encontra “Cristo Consciência”, O Reino do Céu;
você encontra Graça e liberdade espiritual. Aqui não há batalhas, não há poderes
mentais, não há opositores e nem oposição. “Nem pela força física e nem pelo
poder mental, mas pelo meu Espírito.” Imortalidade sem esforço.

Não há outra consciência exceto a Consciência universal, a qual é a Infinita


Consciência do indivíduo. Perceba a Onipresença e a Onipotência da Realidade
invisível.

Compreender Deus como tudo não priva você da individualidade. Você não
perde a individualidade ou personalidade por impersonalizar seu sentido de bem.

Não tente anular a individualidade infinita de Deus, que está Se


expressando como a sua personalidade. Deus é infinito e deve expressar-Se
como Individualidade Infinita e isso dá a cada um sua própria personalidade, ou a
consciência do seu ser individual. A folha da grama nunca se torna uma rosa, um
gato nunca se torna uma estrela. Sempre, por toda a eternidade cada um é
mantido em sua própria individualidade. Nunca subjugue a si mesmo. Permita se
conhecer. Nunca tenha medo de ser diferente. Sempre seja você. Somente em
liberdade você pode ser você mesmo. Afirme sua individualidade.

Você não está aprendendo mais Verdade. Você está se revelando,


desdobrando-se como Consciência individual infinita e você é a Luz do mundo.
Existe apenas uma verdade e - EU SOU ESSA VERDADE - e ela aparece como
infinitas facetas.

Os Dez Mandamentos são degraus para a Consciência Crística. Para fazer


a transição você deve por um tempo habitar incansavelmente nessas injunções,
assim como no tratamento mental que você afirma as verdades e nega os erros. E
o primeiro mandamento é: Não há outros deuses ou poderes - há somente uma
Presença, um Poder e uma Lei, e a Consciência Divina ou Consciência Infinita, a
consciência do indivíduo, é esse Poder.

10
O Segundo Mandamento: "Não farás para ti imagens de escultura." Esta lei
exige que você mentalmente refute qualquer sugestão de poder na matéria,
conceitos mortais, crenças médicas, teorias teológicas, ritos, cerimônias. Isso
significa que você deve reconhecer o que você vê, ouve, prova, toca e cheira
como conceitos finitos da Realidade e, portanto, você não deve amar, odiar ou
temer aquilo que é visível para o sentido, mas perceber a Onipresença do Real
invisível, mesmo quando esta Realidade não é aparente para o sentido. Isso
significa que você não está adorando qualquer conceito humano que aparece
como pessoa ou coisa - independentemente de ser bom ou nobre. “Por que tu me
chamas de bom? Ninguém é bom, exceto Deus.” ( O “você” visível é o conceito
finito do Invisível Infinito). Qualquer coisa externa ao sentido é conceito e não é
para ser adorado, odiado ou temido.

Medos definidos existem no pensamento de muitos: o medo do pecado e


suas consequências; medo da doença e seu efeito final; o medo dos pensamentos
de outras pessoas. Lembre-se que isto é idolatria. Há apenas um Poder, e esse é
a Mente o qual é a Mente do indivíduo - de você, e essa Mente é a única lei para
você e para todos que lhe dizem respeito.

Com essa percepção, não pode haver tal coisa como malversação, ou
transferência de maus pensamentos de uma pessoa para outra, ou os
pensamentos de um indivíduo exercer influência mental sobre o outro. Se alguém
aceitar a crença de que o pensamento do outro pode controlá-lo, ele não
alcançará a percepção de que há um só Poder e que a Mente dele mesmo é esse
Poder.

Malversação é a única base de erro, mas este mesmerismo universal


desaparece na luz do Primeiro e Segundo Mandamentos.

Terceiro Mandamento: "Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão".


Não identificar a Realidade espiritual como um conceito mortal. Você e tudo o que
vem à sua consciência como pessoa, lugar ou coisa, é divinamente Real - contudo

11
como aparece através do testemunho dos cinco sentidos, é ilusão ou conceito
mortal.

Quarto Mandamento: "Lembra-te do dia de sábado para santificá-lo". Este


sábado tem ainda outro significado para nós: "nele (sábado) não farás nenhuma
obra". Neste “estado de consciência de sábado” não fazemos nenhum trabalho
mental – “não mantemos nenhum pensamento" - não damos nenhum tratamento
mental para o pecado ou doença. Nós descansamos e deixamos Deus trabalhar
em nós, através de nós ou, mais corretamente falando, como nós. É um
relaxamento mental e um "obrigado Pai, Eu sou" - "Fala, o teu servo ouve", - um
desapego.

Quinto Mandamento: "Honra a teu pai e a tua mãe." Há apenas um


Princípio criativo e é Pai-Mãe para judeus e gentios, branco ou preto, amarelo ou
pardo, homem, animal ou vegetal - Princípio ou Consciência que Eu Sou.

Para honrar corretamente este Princípio causal, devemos vê-lo em todas as


coisas: não reconhecer os homens como inimigos, nem acreditar em animais
ferozes, répteis nocivos ou plantas venenosas. Isto exige disciplina mental
(durante o período de nosso Êxodo) para mantermos o pensamento alinhado com
esta verdade.

Sexto mandamento: "Não matarás." Esse mandamento não se refere à


pessoa ou coisa má. Não há nada fora de sua consciência - e você não
encontraria ocasião para destruir qualquer coisa dentro de seu próprio ser. Como
Consciência, sua consciência, incorpora o universo não havendo para você
nenhuma pessoa ou coisa má. Apenas a Verdade preenche a Consciência,
portanto, não tente prejudicar, matar ou excluir a Verdade ou suas ideias
entretendo um falso conceito de alguém ou alguma coisa. Não aceite a sugestão
de uma individualidade separa de Deus – ou você será afastado da Verdade.
Quando a sua consciência está repleta de ideias e atividades da Verdade, não
destrua qualquer sentido de realidade por admitir falsas conclusões, conceitos

12
errôneos ou sugestões do mal. Por outro lado, a Verdade (sua consciência) é a lei
de destruição para toda crença ou conceito não semelhante a Si mesma.

Sétimo Mandamento: “Tu não deves cometer adultério.” O adultério significa


ser falso numa relação de confiança. Ser falso, trair a confiança ou a verdade, é
trair a Deus - o que realmente significa deixar Deus, a Verdade, a Vida, em troca
de ídolos, mentiras e morte. Contemplar menos que a perfeição é adultério.
Atribuir qualidades boas a conceitos materiais ou mentais, também é adultério.
Vamos ter o “olho” simples.

Como não há ninguém e nada fora de sua própria consciência, lealdade


para com a confiança ou a verdade não tem nada a ver com as relações humanas.
Isso tem a ver unicamente com a contemplação da perfeição como perfeição;
vendo plenitude, perfeição e harmonia, como a verdade do ser.

Oitavo Mandamento: "Não furtarás." Como você é Espírito todo-inclusivo,


substância, realidade - como você é a Consciência infinita, incorporando dentro de
si mesmo o universo, não há nada para roubar e ninguém de quem você possa
roubar. "Filho, tudo o que Eu tenho é teu." Não há nada a desejar ou demonstrar.
Você é a realização - a presença da totalidade de Deus. Então, roubar, ou até
mesmo desejar algo fora de si mesmo, é uma crença na separação, que é a
crença em Deus e o homem, em vez do entendimento de Deus manifestando-Se
como o indivíduo, ou a Vida expressando-Se como homem. A crença de ser
roubado é uma crença em uma individualidade apartada de Deus. A tentação é
acreditar que há um ladrão – um ser aparte de Deus, e outro o qual é roubado –
outro ser aparte de Deus. A individualidade que é roubada e a que rouba tudo isso
é Deus – O Um aparecendo como muitos. Este mandamento é uma determinação
para lembrar-lhe de sua verdadeira identidade como Consciência individual infinita
incluindo dentro de você todo o bem.

Nono Mandamento: “Tu não deves dar falso testemunho.” Este


mandamento é uma continuação e elaboração do Oitavo Mandamento. A única
maneira de dar falso testemunho é ver uma individualidade aparte de Deus.

13
Décimo Mandamento; “Tu não deves desejar.” Este também é uma
continuação e elaboração do Oitavo Mandamento, “Tu não deves roubar”. Estes
mandamentos constituem a lei de Moisés, ou a carta da verdade, e eles são
degraus para o Espírito da Verdade que é o Reino de Deus, a Terra Prometida ou
Cristo Consciência. Para realizar a transição da lei para o Espírito, devemos
manter diariamente no pensamento essas injunções.

Capítulo 4 - Sentido espiritual da Verdade

“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam”.

(Salm. 127:1)

Não obstante o esforço humano que colocamos em qualquer


empreendimento, se não for apoiado pela Consciência espiritual, tudo o que
podemos esperar é uma frutificação limitada.

Há uma vasta diferença entre declarações da verdade e a Verdade em si


mesma. Uma declaração da verdade é o que você declara; e a Verdade é dada a
você de dentro de seu Ser. Declarações da verdade são lidas em livros; mas
Verdade é o que você percebe “oculta” entre as linhas.

Shankara, provavelmente 800 a.C. escreveu: “Se a verdade suprema


permanecer desconhecida, o estudo das escrituras é infrutífero; o estudo da letra
da verdade sozinho é em vão; a verdade espiritual deve ser procurada através da
intuição.”

A mente humana reivindica ser um construtor, ser um poder capaz de


construir coisas, para todos. Por gerações o mundo foi tentado a construir
humanamente, e tudo o que realizou são limitações. Para garantir a segurança,

14
certeza e prosperidade de nossa existência, temos que emergir da Consciência –
a Consciência Consciente – da presença de Deus.

Sem esta Consciência, é errôneo fazer declarações “Deus me ajudará;


Deus já está presente e me ajuda”, este tipo de declaração deve ser esquecido.
As declarações não tem nenhum poder. As declarações que são fabricadas pela
mente humana, não são críveis. Deve haver uma real Consciência da Presença de
Deus. Isto deve ser sentido dentro de seu próprio ser.

“Eu de mim mesmo, não posso fazer coisa alguma” é a mais elevada
declaração da verdade que pode ser feita. Mostra o nada absoluto de até mesmo
um grande homem como Jesus. “Minha doutrina não é minha, mas daquele que
me enviou” – “O Pai dentro de mim, Ele realiza as obras”. “A menos que o Senhor
construa a casa”...deve haver uma Consciência desta Presença Espiritual Divina
infinita. O Poder atuando dentro ou como realidade de seu ser.

Em Atos 1:21 a 26, nós vamos para um lugar onde Judas cometeu o
suicídio e um sucessor será designado para ocupar seu lugar para que ainda
possa haver doze discípulos. Os onze encontram-se juntos com o propósito de
eleger o décimo segundo. A prece é então proferida: “Tu, Senhor, mostra-nos qual
é o Teu escolhido”. A decisão foi deixada para Deus. Esta é uma sugestão para
uma vida próspera. Perceba que você é o instrumento ou a realidade do ser
através do qual Deus age. Em cada detalhe de sua vida dirija-se para a Mente
Única, Deus, de tal maneira que possa ser corretamente governado. No
reconhecimento que toda decisão está com Deus, você deu um passo na prática
da Verdade revelada das Escrituras.

Muitos acreditam que estão se dirigindo a Deus quando de fato eles se


dirigem a um Deus separado de si, que ignorantemente adoram. Para evitar esse
erro, você deve conhecer Deus como sua Mente, como sua Consciência
individual.

Você recebeu a revelação de Deus como realidade de seu ser; portanto ao se


dirigir a Deus você não está se dirigindo a algo distante ou afastado da Divindade,

15
mas para a inteligência infinita de seu próprio ser. Você está dispondo de sua
personalidade humana limitada de forma que esta Mente Infinita, que é Deus, sua
própria Mente, possa se manifestar.

Há algumas vezes em que fazemos declarações que são mal interpretadas.


Em primeiro lugar, nenhuma das declarações, nenhuma das afirmações e
nenhuma das negações que podemos fazer são úteis porque elas são ações da
mente humana e não há nenhum poder nelas.

“Não leve nenhum pensamento para sua vida, o que comerá” - “Reze sem
cessar” – “Conheça a Verdade e a Verdade vos libertará”.

Todos parecem ser contraditórios. Não levar nenhum pensamento por sua
vida não significa não fazer nada, mas significa reconhecer dentro de nossa
consciência a unidade com Deus. Isto também não significa usar o pensamento
para fazer com que algo aconteça ou usar esse pensamento para nos trazer algo
que desejamos. Nosso pensamento positivo é tomar consciência de uma Verdade
que já é Realidade. Nosso orar sem cessar, ou o conhecimento da verdade não é
a declaração que provoca algo como curar, enriquecer ou melhorar alguém. Estas
são lembranças do que já é a Verdade. E quanto mais compreendermos no que
consiste viver a Verdade, fazemos poucas afirmações para que algo aconteça,
estamos mais ocupados em fazer nossa parte e trabalhar mais duro que antes.

Quando tivermos um problema e recorrermos ás declarações da verdade,


esperamos por um período até que o problema seja compreendido. Porém num
nível mais alto de Consciência, não há período de espera, são vinte e quatro horas
de trabalho para o conhecimento da Verdade, não fazendo uso dela para tornar
algo verdadeiro, mas para uma realização constante do que já é.

Nós não usamos um pensamento para demonstrar um automóvel, ou uma


casa ou um coração saudável, ou olhos, ou orelhas: se assim fosse, estaríamos
usando o pensamento para o físico, material, ou seja, o reino do efeito. Também
não temos que usar nenhum pensamento de preocupação com o que comeremos,
ou o que beberemos ou vestiremos, mas temos que toda hora “rezar sem cessar”.

16
Temos que conhecer nossa verdadeira identidade: esta é a verdadeira oração.
Iniciamos sabendo que “eu e o Pai somos um”; que o Poder interno está sempre
conosco para tornar os caminhos tortos em retos e os lugares ásperos em liso.
Esteja consciente de que Deus é a Mente do individuo, seja esse individuo você
ou outro. Fazemos isto ao longo do dia, ou quando algum problema imediato está
em cena. Não deixamos nosso pensamento enfatizar medos ou dúvidas, nem no
fato que o progresso hoje pode não ser tão rápido quanto esperamos. Mantemos
nosso pensamento em “permanecer Nele” e “rezar sem cessar”. Temos que
manter em nossa consciência a realização de que tudo aquilo que o Pai tem é
meu.

A Mente Divina, o Princípio criativo do Universo, é uma Mente que é a


minha Mente e que é a Mente de meu próximo, a Mente de meu amigo e distante
e acima de tudo, também é a Mente de meu inimigo. Só essa universalidade de
Mente me permitirá dizer: “O Senhor constrói minha casa: esta é a Verdade
demonstrada”.

A declaração que “Eu e o Pai somos um” não significa que o ser humano é
Deus. Nesse caso Jesus não teria dito, “eu de mim mesmo, nada faço”. Deus é
minha Mente, minha Vida e minha Alma e eu não sou um “ser humano”. Aquilo
que o mundo chama de “ser humano” é um falso conceito do que é visto. Se
perceber o outro como ser humano, estou vendo Deus erroneamente, uma Vida
erroneamente, uma Alma e Espírito finitos.

O propósito de escrever não é para uma pessoa ensinar a outra. Há uma


única Mente, que compartilha do desdobramento que se passa com ela. Não há
ninguém que se coloque acima de um nível superior de conhecimento que o outro.
Não há no mundo uma relação chamada professor – aluno. A mente mortal
poderia gostar de instituir professores e salvadores e de ficar nestas posições. A
Mente está revelando a Verdade, a realidade do Ser, para todos simultaneamente.
O escrever é meramente uma concessão para nossa aparente ignorância do fato
que a Mente é tão Real no silêncio como na palavra escrita.

17
Deus é o todo de você – qualquer outra coisa é ilusão. Isso significa que
desde que Deus é tudo, não há dentro da frequência de sons de sua voz, uma só
nota discordante. Olhe pra você mesmo, não como um ser humano, mas através
da Alma Dele e diga: “Há Deus”.

Nesta visão não há ninguém baixo, alto, robusto ou coisa alguma. A


Catarata do Niágara é apenas o Lago Érie quando as águas estão caindo sobre o
precipício: o nome é simplesmente uma designação para aquele lugar particular
no corpo de água. Nós somos aquele lugar através do qual Deus brilha. Não há
realmente coisa como homem, este é apenas um nome dado para Deus, quando
Ele se torna visível e compreendido.

Não há nenhum lugar onde Deus termina e o homem começa.


Conscientemente, Deus é sua Vida, sua Alma, e o seu Espírito. Na realidade eu
sou Deus, mas o que você vê sentado na cadeira é apenas uma transparência
pelo qual Deus está aparecendo. Os olhos são chamados “as janelas da Alma” –
“Alma é Deus”.

Neste caminho nós não somos aptos a exaltar uma personalidade. Vida,
amor e inteligência que está fluindo através de qualquer individuo é Deus e é
necessariamente maior que o individuo, mas ainda UM, da mesma maneira que o
sol e o raio de sol são Um.

Capítulo 5 - Ruth e Noemi

Noemi é a alma individual, que não foi capaz de perceber a sua unidade
com Deus e que está em busca do bem no reino material. Noemi pode ser o
estado do seu ser quando você vive e se move e não ascende à consciência
espiritual, e começa a buscar o seu bem através de meios materiais e humanos.
Sua alma é Deus, mas quando este sentimento de separação do bem surge em
você, e você começa a olhar para o bem fora de você, em coisas ou pessoas,
18
demonstra que você está no estado de consciência de Noemi e você está
buscando o bem em Moab. A interpretação metafísica de Moab é a consciência
adquirida através dos sentidos, ou sentido material.

Ruth, naturalmente, representa o belo, o pensamento que ama o único


bem.

Você esqueceu que "tudo o que o Pai tem é teu"; que você não precisa
procurar ou trabalhar pelo seu bem; que você nem mesmo tem que ganhá-lo ou
merece-lo. Você só precisa perceber que "Eu e Deus somos um" – herdeiro de
todas as riquezas celestiais. Então você não teria que sofrer agora as experiências
pelas quais Noemi passou.

Noemi que deixou o estado divino de consciência espiritual, o qual é a sua


substância eterna (Belém-Judá) e desceu a materialidade (Moab), agora perde
todos os seus bens terrenos: marido, filhos e terras. Ela deixou, no entanto, um
pensamento espiritual, Ruth, e com essa única luz dentro de sua consciência,
Noemi retorna ao seu lar original, a consciência espiritual (Belém-Judá) e através
de Ruth percebe novamente sua Verdadeira consciência, sua casa e segurança.

Ruth, Luz espiritual, resplandece em toda a consciência individual para nos


mostrar e nos levar para casa, para o céu ou a harmonia. Esta luz aparece agora
como Ruth, ou ainda como Moisés conduzindo os hebreus à Terra Prometida, e
novamente como Cristo revelando através de Jesus que o Reino de Deus está
dentro de você, erguendo você dos sentidos para Alma.

Dentro de cada um, a qualquer momento, independentemente de quem


possa ser, há sempre essa ideia espiritual, Ruth, que vai se apegar a Deus não
obstante a que distância a sua compreensão alcance seja mentalmente,
fisicamente, moralmente ou financeiramente. Deus é a Luz dentro de seu próprio
ser, o que é para você e o que era para Elias - a voz mansa e delicada. Seja o que
for o nome que você dê, é um infinito Poder onipresente, que nunca te deixará,
nem te desamparará.

19
“Não insistas para que eu te abandone ou me afaste de ti; porque para
onde fores, irei; e onde passares a noite, eu passarei; teu povo será o meu povo; e
teu deus, será o meu deus; onde morreres, morrerei e lá serei sepultada. Que o
Senhor me faça o pior, se não for a morte que nos separe”. (Rute 1:16,17)

Como despertar para a compreensão da presença de Cristo dentro de nós?

Você veio a este mundo, na crença de que é um ser humano. Você tem
crescido com essa crença. Você tem sido ensinado a recorrer a fontes humanas e
as pessoas por ajuda. Todo o seu pensamento foi treinado para olhar para fora em
Moab, para o mundo, por ajuda, sucesso e atividade. Você não foi treinado para
depender da presença e poder espiritual.

Agora, através do estudo metafísico e desenvolvimento espiritual, você tem


uma ideia do que realmente espera por você quando descobre o Cristo de seu
próprio ser e não rejeita essa voz interior. Deste ponto em diante você deve tornar
esse Poder uma realidade viva, uma presença consciente. É um processo
consciente e é alcançado através do "orar sem cessar".

O primeiro passo, para você é a realização contínua de sua união com


Deus, a realização de sua verdadeira identidade. Em seguida, vem à
compreensão da natureza do erro, como ilusão, miragem, sugestão ou nada.

A própria oração é a Palavra de Deus, portanto, ser receptivo a esta palavra


significa aprender a ouvir - escutar "a voz mansa e delicada".

Embora seja necessário passar pelo processo mental de realizar sua união
com Deus, dedique alguns minutos pela manhã e antes de dormir à noite, a
sentar-se, sem qualquer declaração, apenas por um momento, e ouvir a voz da
Verdade. Isso vai levar você ao verdadeiro sentido da oração, a Palavra da
Verdade torna-Se conhecida para você.

Quando alguém lhe pedir ajuda, tente abandonar afirmações e negações. É


uma verdade sagrada que Deus é o único curador. Há ilusão para ser dissipada,

20
mas é tolice acreditar que isto pode ser feito com a mente humana ou
pensamento.

A atitude a ser tomada quando a ajuda é solicitada é esta: sentar-se, fechar


os olhos e deixar que a Palavra se manifeste a você. O trabalho está feito. A cura
ocorrerá porque não é dependente do entendimento e do conhecimento humano
da verdade. É a confiança em Deus, e a verdade em si mesma, desfazendo a
ilusão do sentido. Essa Palavra de Deus é a oração. Não há nada no mundo que
não possa ser realizado pela Palavra recebida no pensamento.

O erro ou o mal, sendo irreal, uma sensação ilusória, nunca estará


exteriorizado e nunca será uma pessoa, lugar ou coisa. Você não pode viver bem
e em harmonia, até você perceber a natureza irreal do erro como uma crença
universal ou hipnotismo. Até então você estará temendo ou odiando algum tipo de
erro. Será sempre Ilusão, independentemente da forma que apareça como pessoa
ou condição. O erro não é para ser temido ou odiado, superado ou destruído, mas
apenas para ser visto em sua nulidade.

O pecado, doença, morte, não são erros, mas são as formas em que o erro,
ou o mesmerismo aparece. O erro é sempre ilusão, embora aparecendo como
pessoa ou condição. Pode aparecer também como falta ou limitação.

Quando o erro é tratado ou visto como mesmerismo, sem alegar ou parecer


ser algo, ele desaparece. É fatal combater o erro. Sempre que o mal está
aparecendo trata-se de sugestão mental agressiva, e com a percepção disso você
tem o erro destruindo a si mesmo. Sempre que você se depara com qualquer tipo
de ilusão, lembre-se que ele não tem poder para ser qualquer coisa, exceto o que
ele é - miragem ou nada. Para ilustrar essa nulidade do mal, seria bom refletir
sobre a história Oriental como foi dada em “O Caminho Infinito” do homem que
confundiu a corda com uma cobra.

Cerca de 500 a.C. estava escrito: “Facilmente acontece que um homem, ao


tomar banho, pise em cima de uma corda molhada e imagina que é uma cobra. O

21
horror vai dominá-lo e ele vai tremer de medo, antecipando em seu pensamento
todas as agonias causadas pela mordida venenosa da serpente. Que alívio este
homem experimenta quando ele vê que a corda não é uma cobra. A causa de seu
medo encontra-se em seu erro, sua ignorância, sua ilusão. Se a verdadeira
natureza da corda é reconhecida, ele vai se sentir aliviado, alegre e feliz. Este é o
estado de espírito de quem reconheceu que não há eu-pessoal, que a causa de
todos os seus problemas, preocupações e vaidades é uma miragem, uma sombra,
um sonho.”

Para o sentido material, o pecado e a doença aparecem como entidades


reais tendo substância, lei, causa e efeito. Para o sentido material, ambos, pecado
e doença parecem pessoais e persistentes. Mas para a consciência espiritual
tanto pecado e doença são irrealidades no sentido de que eles existem somente
como produto de uma crença universal de uma individualidade separada de Deus.

Para o metafísico, a cura do pecado e da doença acontece no grau de


realização do infinito, - a totalidade absoluta da Vida eterna e suas formações, e
da natureza irreal do erro em todas as suas formas.

Capítulo 6 - Desenvolvimento Espiritual

Na proporção ao cultivo, desenvolvimento e desdobramento de sua


Consciência espiritual, a harmonia aparecerá na sua saúde, negócios e vida
doméstica. Não há nenhuma mudança externa sem um desenvolvimento interno.
Você pode querer se questionar o motivo de você passar anos na vida sem
qualquer alteração em seus negócios e porque Deus não está fazendo algo para
você. Você pode se dedicar em sua carreira e ainda não encontrar nenhum
crescimento ou melhoramento a menos que haja uma expansão interna, um
alargamento da visão espiritual.

22
Deve acontecer uma mudança na consciência antes de ocorrer uma
mudança em sua experiência exterior. Quando você se dirigir a um metafisico para
receber ajuda sem ter ampliado sua própria consciência do bem, você tão
somente tem sido governado pelo estado de consciência deste praticista (médico
espiritual); você tem melhorado pelo desenvolvimento espiritual dele. Cedo o
tarde, para assegurar o seu bem, você terá que perceber Deus como sendo seu
Ser; você terá que cultivar um sentido espiritual de existência. Seu bem terá que
vir a você como resultado natural de sua própria consciência.

Cada ideia espiritual compreendida (ter a percepção) em sua consciência


se manifestará ou se expressará. Não que esta manifestação seja externa a você,
mas ela se torna um objeto ou expressão do desenvolvimento subjetivo. Esta é
uma lei, uma lei espiritual: não poderá haver nenhuma mudança externa sem uma
mudança interna. Quando a sua consciência se desenvolve muito, você é capaz
de compreender a visão da vida espiritual e suas formações espirituais. Você,
então, discerne "o templo não feito por mãos" - o corpo espiritual, a saúde e
integridade.

O Deus que controla o seu destino é a sua consciência do bem. Pode-se


dizer que é a Consciência divina ou Mente divina, e seria verdade, mas colocá-La
dessa forma, você estaria considerando-A como algo fora ou externo a si mesmo.

Um dos maiores fatores para o fracasso dos homens é a crença de que


Deus é algo diferente de seu próprio ser e, portanto, olham para fora de si
mesmos, para algo que possa fazer ou alcançar alguma coisa para eles.

Sua existência inteira é reconstruída por sua consciência do bem. Sempre


quando você entrar no templo de seu ser com uma “atitude de escuta”, algo
acontece ali que chamamos de realização e uma harmonia exterior é revelada.
Você não vai contar para Deus seus desejos ou descrever a condição do
pensamento a ser mudado – apenas ouça, seja receptivo à voz da Verdade.

Não há nenhum poder do mal para ser superado, removido ou destruído.


Há apenas um Poder. Eu sou essa consciência individual. Eu sou a lei para o meu

23
ser. Eu sou o governo para meu corpo e meus negócios. Porque “Eu e Deus
somos um” e esse um é Deus, Eu sou a lei de eterna harmonia em meu universo.

Da mesma maneira que você está me vendo ou eu estou vendo você, aí


mesmo está a única Vida, a única Alma, chamada Deus; aparecendo infinitamente
como um indivíduo. Somente na realização da Vida una universal, expressando-
Se como você, você pode realizar imortalidade.

Somente neste estado você conhecerá a abundância. Não há necessidade


de se fazer contato com algum princípio ou Deus, pois você é este Princípio, esta
Mente. E a realização desta verdade começa com Deus-interior que flui
conscientemente como você. A verdade aparece como você. Esta verdade é a
verdade do ser individual – de você e de mim.

Começando com Gênesis, a história da criação, você agora entende que


nunca houve um Deus e uma criação, nem uma época em que a criação
começou. Sua consciência desdobrando-se é o que é denominado como a criação
de Deus.

Isto não torna Deus nossa consciência humana ou pessoal, nem nos dá
uma consciência aparte da Consciência universal. Em vez disso, revela a
Consciência como o único Princípio criador do universo.

Ela também revela o universo como o desdobramento contínuo de ideias,


sem começo e sem fim, e esta revelação demonstra a sua imortalidade. Sua
assim chamada consciência humana é o obturador(peça da máquina fotográfica)
que afasta o infinito de sua própria consciência e, uma abertura mais ampla,
conduz à realização de sua infinitude.

Quando este obturador estiver completamente aberto, não há barreiras –


não há separação ou limitação. Você não pode aumentar sua consciência porque
ela já é infinita, mas, você pode abrir seus olhos na percepção da infinita natureza
de seu ser.

24
Você que vem para a busca de Deus está provavelmente, buscando a cura
de algum tipo - físico, mental, moral ou financeiro. A vida deve ser entendida como
um processo de dar em vez de receber. Ao enfrentarmos a vida com essa atitude,
vamos atrair riquezas espirituais em forma de saúde, harmonia, suprimento,
atividade, casa, companheirismo e pureza.

Muitos não conseguem realizar seu desejo, pois o seu pensamento está
voltado para obter, conseguir, realizar, ao invés do desdobramento do bem
interior. Quando trazemos para Deus um coração cheio de amor por Ele, pela
Verdade, pela Realidade, todas as coisas são adicionadas a nós.

Você não necessita buscar o seu bem fora de você. É verdade que ele
pode vir, aparentemente, a você como pessoa ou coisa, ou por alguma
circunstância individual. Todo bem, no entanto, vem através da realização de sua
Auto completude. Essa percepção (realização) é a sua necessidade.

A Vida é autossustentada; a vida individual é autossustentada. A crença em


um poder aparte de Deus é dualidade. Considerando que Deus é a Mente, Alma e
Vida do indivíduo, você é imortal e perfeito.

A base da cura metafísica é que pecado, doença e morte não existem como
realidade.

Eles não têm existência exceto como ilusão dos sentidos. Seria loucura
usar qualquer poder – material, mental, ou espiritual – para superar ou destruir
algo que não tem nenhuma existência real. Cura espiritual é a realização da
identidade e da Unidade com Deus.

Tudo que acontece no tratamento é a percepção do praticaste (médico


espiritual) de que tudo que existe é Deus.

Há somente um infinito Se expressando. O que acontece no pensamento


de um indivíduo quando ele entra em meditação, oração ou tratamento? Você se
volta para o seu interior para restabelecer sua percepção de unidade. Quanto mais

25
você percebe a unidade, mais você reflete conscientemente o Infinito em sua
experiência.

Você está separado do seu bem, ou parece estar por ignorância. Se não
fosse assim, toda experiência humana seria vista como divina. Só quando você
deixa a crença em um ser aparte de Deus que você alcança a consciência de sua
identidade espiritual e a manifestação espiritual da vida.

O sucesso coroa nossos esforços quando aprendemos que Deus,


praticaste e paciente são Um. Mas para isso, teríamos Deus, com o poder infinito
do bem, um paciente sem alguma forma de bem, e um praticaste com algum
misterioso poder de ir até Deus em nome do paciente para algum bem. Não existe
essa relação ou condição em toda a história. Nosso sentido de unidade é a que o
Um aparece como muitos. Sempre Deus é Deus e inclui tudo o que aparece como
Deus, paciente e praticaste.

Você mesmo é a lei. Essa lei é lei somente quando você a percebe como
você ou no seu interior. Fazer declarações da verdade não é suficiente. Isto ajuda.
Declarações são lembranças de sua verdadeira identidade, mas as chamadas
demonstrações nunca são feitas até que um sentimento acompanhe a letra da
verdade –uma convicção interna e alguma realização de “paz sentida” dentro de
seu próprio ser.

Durante muitos anos, os estudantes da Verdade e metafísicos estiveram


satisfeitos com as curas. O tempo fez com que alcançassem um sentido mais alto
de Vida. Seus deveres são a realização da presença de Deus e esta Verdade
fornece as coisas acrescentadas como saúde e prosperidade, alegria e liberdade.

Seu bem sempre aparecerá na forma necessária para o momento. Porém,


não é um bem humano que aparece, mas uma ideia espiritual na qual você está
colocando uma interpretação finita.

Quando você percebe sua unidade com Deus, você compreenderá que
nunca houve um doente ou uma pessoa pecadora. Todas as coisas desastrosas

26
continuarão aparecendo até que você atinja uma realização da verdadeira
natureza de seu ser, o qual é Espírito, Deus.

A experiência dos Hebreus sob Moises é um bem humano flutuante. Esta


será a sua experiência enquanto você viver apenas em um reino de demonstração
de coisas e condições.

Os Dez Mandamentos eram leis do bem humano; governando a conduta


humana. Somente quando estamos conscientemente em unidade com o Espírito
que atingimos a harmonia eterna do bem espiritual.

O que aparece para os sentidos é o nosso conceito do eterno e real. O


templo imaterial e espiritual, corpo ou universo é visto como finito, corpóreo e
material. Este não constitui dois mundos, mas um – o espiritual e harmonioso. O
mundo dos sentidos não é um mundo, mas apenas a sua percepção limitada do
infinito. O que você vê, ouve, prova, toca e cheira constitui a sensação ilusória da
realidade. Vamos perceber tudo como Deus - aparecendo e qualquer sentido finito
como a ilusão.

Quando vemos os trilhos da via férrea se juntarem, a ilusão não está “lá
fora” nos trilhos, mas em nossa falsa e limitada visão dos trilhos perfeitamente
colocados. O céu não está sentado na montanha, e a ilusão não está "lá fora",
onde parece estar, mas é uma falsa percepção do que você está vendo.

Você não pode se livrar da ilusão, você deve entendê-la como ilusão, e ver
através dela a realidade sempre presente. Entenda que tudo o que aparece é
Deus aparecendo, e apesar da sensação ilusória que você possa estar
momentaneamente entretido, ainda assim ao “ver” a realidade na ilusão, ela será
dissipada.

O erro nunca é pessoal. Você deve, portanto, nunca condenar uma


pessoa, mas ver o erro como impessoal, uma parte do mesmerismo universal e
nenhuma parte de qualquer indivíduo. Nesta personalização do erro, você dissipa-
o.

27
Sua compreensão da oração do perdão é que ela é a percepção da
unidade. Saber que o que está aparecendo como perseguidor, inimigo em
qualquer forma, é realmente o próprio Deus que o sentido finito interpretou mal,
livrará você de todos os efeitos maléficos do ódio, perseguição e inimizade. Nunca
se esqueça de que não há nenhuma pessoa doente para ser curada, nem pecador
para ser reformado – mas Deus para ser espiritualmente discernido. Esta é a
verdadeira lei do perdão. Assim nós rezamos para os nossos inimigos.

Há uma crença predominante de que o pensamento de certos indivíduos ou


grupos pode prejudicá-lo.

Você não pode ser levado a sofrer de qualquer crença que não seja sua
própria aceitação de uma identidade apartada de Deus.

Aqueles que entretêm uma crença em duas mentes ou em uma vida que
pode ser prejudicada ou terminada ou em uma individualidade separada de Deus,
sofrem com a crença na proporção que tal crença é aceita. Isto, também, pode ser
curado em um momento pela renúncia na crença em dois poderes e na crença em
mais de uma Presença.

O objetivo do seu estudo é, em primeiro lugar, a melhoria da “condição


humana” - a melhoria da saúde, riqueza, harmonia, companheirismo, casa e
segurança. A média das pessoas para por ai. Nos seus lugares de adoração
(igrejas), no casamento, negócios e corpo, eles encontram um senso aumentado
de bem e então descansam, e devido a isso os problemas do mundo nunca são
resolvidos. Na melhor das hipóteses eles prolongam seu sentido humano de
existência - adiam a data nas suas lápides por poucos anos.

O objetivo de nossa procura pela Verdade é alcançar uma consciência


espiritual de existência para que possamos viver espiritualmente perfeitos e ter a
consciência da imortalidade sem a mudança chamada morte. Em todos os anos
da história humana, nunca houve paz entre as nações vizinhas; não houve
soluções de questões econômicas e ainda há uma batalha entre capitalismo,
socialismo e comunismo.

28
Nenhum governo humano já concebido é melhor do que os seres humanos
que o controlam. A perspectiva só será melhor quando nós transcendermos o ego
e começarmos a viver a divindade de nosso ser.

Através da Bíblia você encontrará promessas da vinda de um homem


espiritual. A Bíblia contem muitas profecias da vinda do homem espiritual;
Messias. A crença é que estas profecias se referiam à vinda de um homem
espiritual particular. Que valor seria para o mundo se todos os possíveis messias
tornam-se o Messias – e nós não? Muitos homens têm profetizado e previsto há
séculos, que o advento do Messias não é a vinda de um homem que deve ser
perfeito – mas a vinda da perfeição em você e eu.

Espiritualmente entendida, a Bíblia nunca é pessoal, nem mesmo quando


se usa os nomes de pessoas, cidades, rios e épocas, mas estes significam e
simbolizam qualidades espirituais e atividades de consciência.

O único valor da profecia da vinda do Messias é quando ela é


compreendida como sendo o advento ou a Consciência Espiritual para você e
para mim. O Messias, esse ideal espiritual, essa consciência espiritual, torna-se
evidenciado como a sua consciência individual, deslocando o falso ou limitado
sentido do eu. É uma realidade presente, aguardando neste momento o seu
reconhecimento e demonstração.

Os Hebreus sempre profetizaram a vinda deste Messias. Não só aqueles


que seguem os ensinamentos da Lei Hebraica, mas muitos cristãos são
efetivamente Hebreus quando eles estão profetizando ou esperando pela vinda do
Messias.

De acordo com a tradição Hebraica, o Messias ainda está por vir; de acordo
com as igrejas cristãs, o Messias esteve entre nós por um breve período e, desde
então, a segunda vinda é aguardada. Como o mundo deve parecer sem
esperança para ambos (tradição Hebraica e igrejas cristãs).

29
Você pode ver que nunca houve um tempo em que o Messias não estava
presente à espera de seu reconhecimento, e não haverá nenhum tempo em que o
Messias não estará presente como consciência individual. Devemos reconhecer
que o Messias aparece como indivíduo você e eu. Então começamos a
demonstração de nossa existência espiritual e imortalidade presente.

No pensamento humano há estágios de consciência quando o eu pessoal,


ou ego, é soberano e nós estamos envolvidos principalmente em obter, alcançar,
realizar, adquirir. A nossa existência então é direcionada para o que está vindo até
nós. Depois, há o estado superior de “individualidade” onde a vida está fluindo
para fora de nós e nós estamos mais preocupados em ajudar, compartilhar,
ensinar, cooperar.

O espiritual vai mais além do que o bem humano. Na vida espiritual nós
somos a Luz do mundo, e nós não estamos preocupados com o que entra em
nossa órbita - quantos, ou se não houver ninguém. Somos agora a Luz do mundo,
manifestando adiante a harmonia da existência espiritual e permitindo que a
perfeição em nós possa atrair aqueles que procuram algo mais do que eles ainda
não perceberam.

Capítulo 7 – José

Em Gênesis chegamos à gloriosa história de José, que inclui a experiência


com seus irmãos.

Para o nosso propósito, que é a interpretação espiritual, entendemos que


José simboliza o estado de consciência, que é uma consciência em
desenvolvimento ou desdobramento. Quando ela se desdobra, revela uma
crescente vitalidade, substância e compreensão. O “Dicionário Bíblico de Unidade
Metafísica” diz a José: "O Senhor deve aumentar, ele deve aumentar

30
progressivamente." Esse realmente é o desenvolvimento progressivo da
consciência.

Quando a história de José se desdobra, revela degraus progressivos de


bem potencial para um estado realmente avançado de bem, e, finalmente, a
consciência da vida e substância espiritual.

José é o nosso próprio estado ideal de consciência espiritual, que é a parte


de nós que é puro Espírito - a personificação da substância espiritual e sabedoria.
As várias fases do ser, estabelecidas na consciência individual, implica que
existem outras qualidades em nossa consciência além dessa qualidade pura, e
essas qualidades são representados pelos irmãos de José e pela história com seu
casaco de muitas cores.

Este casaco de muitas cores é supostamente uma coisa muito desejável, que veio
a ele como um símbolo ou uma recompensa pela sua bondade. Eu interpretei de
forma diferente. Para mim, este casaco de muitas cores representa as muitas
qualidades contraditórias no pensamento de José. Ele é um sonhador, mas, as
más experiências que se abateram sobre ele externamente só poderiam vir como
resultado de conflitos internos e discórdias. Lembre-se de que, José é (representa)
o desenvolvimento progressivo de bem, portanto, ele deve ter progredido a partir
de algo menor até o estado de pureza manifestado mais tarde. Esses
pensamentos conflitantes e contraditórios são igualmente externa lizados
subjetivamente como seus irmãos.

Nós lemos que José, desce para o Egito; você se lembra de que o Egito é
um lugar de trevas, consciência sensorial, a mente mortal, a experiência material.
Aqui está a prova de que, juntamente com as qualidades do sonhador, existem
outras qualidades, exteriormente retratadas como “seus irmãos”. Reuben, instável
como a água, Simeão e Levi, raiva e crueldade; Issacar, um forte jumento, Naftali,
uma gazela livre; Benjamin, um lobo dividindo os despojos: toda esta descrição é
feita por seu pai, Jacó.

Estas qualidades de pensamento na consciência humana parecem acabar


com o bem em nós - o bem que poderíamos ter feito e que não fizemos.
31
Uma vez que estas são as qualidades contraditórias do pensamento de José,
podemos entender a túnica de várias cores. As próprias cores simbolizam
qualidades de caráter: o vermelho representa bravura; azul é a verdade; amarelo
representa covardia, e assim por diante com todas as cores. Todas estas estão
presentes em José. Após sua purificação mais tarde, encontramos o verdadeiro
José no Egito.

Antes de ser jogado na cova, onde foi deixado por seus irmãos, José foi
despojado do casaco de muitas cores; os irmãos levaram este casaco com eles.
Não está claro que o significado real da partida dos irmãos de José com o casaco
é que muitos desses estados contraditórios ou qualidades de pensamento foram
abandonados por José. Este novo José, desdobrando-se progressivamente, ainda
é o sonhador, mas agora já com as piores fases da crença mortal superadas. Ele
é agora um ser humano melhor, e o seu sentido desenvolvido de bem o controla e
o leva para novas e maiores experiências humanas.

Os irmãos de José o odiavam. Estes irmãos, nós vimos, eram os traços


humanos errôneos em oposição ao bem. O bem em sua consciência é igualmente
incompreendido e maltratado pelos erros do pensamento humano, e esses erros
poderiam “vendê-lo como escravo dos sentidos” se assim o permitíssemos.

Isto pode trazer uma sensação de condenação, a menos que você se


lembre de que nem o bem e nem o mal é pessoal. O fato de você se permitir errar
não é algo para o qual você deva se condenar como se você fosse responsável.
Estes males são crenças universais, e se você lhes permitiu usá-lo, é uma
oportunidade para a correção, em vez de condenação. Quando você está iludido,
reconheça algum traço errado que ainda precisa ser dissipado. Cada experiência
“do mal” que se abate sobre você é a evidência de alguma crença que ainda não
foi conscientemente jogada para fora do pensamento. Você, como José, é, na
maior parte do tempo puro, mas, algumas vezes, tentado em sua consciência por
crença impura ou incorreta.

Esses traços negativos, quando satisfeitos, irão colocá-lo em uma “cova”,


ou mantê-lo como andarilho, no desespero e na escuridão egípcia: por sermos

32
condescendentes com tais traços nós nos tornamos seus servos. No entanto, isso
que representa o verdadeiro José para nós acabará por se impor em nossa
consciência e nos libertar das crenças intimas que nos aprisionam e nos mantem
escravos da limitação. Você pode acompanhar José (o estado puro de sua própria
consciência) e vê-lo como, ao longo dos anos atacado por seus irmãos -
qualidades contraditórias dos pensamentos em você. Talvez você possa ver o
porquê de você ter sido lançado em um poço - por algum traço errôneo que se
mantem em escravidão a algum vício, pecado ou doença.

Agora você está pronto para o Salvador, o estado de consciência de cura,


que é para salvá-lo e ergue-lo em completa liberdade e abundância espiritual.
"Assim, não fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus" (Gn 45:8).

Essa ideia é revolucionária. Até agora você acreditou que seus maus
pensamentos, traços e ações trouxeram-lhe o castigo, a escravidão e servidão ao
sentido. Agora você viu que Deus foi antes de você a cada passo do caminho, a
fim de tirá-lo e libertá-lo e torná-lo um redentor dos homens.
Aqui no Egito, a experiência da escravidão e da prisão é feita para servir ao
propósito de Deus. A partir do momento que você já não vê mal nas circunstâncias
que o regem, você estará vendo e reconhecendo Deus como o fator que move a
sua experiência, e somente o bem seguirá em sua vida.

Se você tiver Deus e um átomo de qualquer outra coisa, então você não O
tem porque não há coisa alguma fora do infinito de Deus. Não pode existir Deus e
um pingo de maldade no mundo e, portanto, o mal em si deve ser reinterpretado, a
fim de ser uma parte do Reino de Deus. Ele não pode ser deixado fora do Reino,
porque você teria Deus infinito e algo além Dele. José reconheceu que não há
nenhuma presença ou poder além de Deus, quando ele declarou: "Assim, não
fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus".

Você se depara com essa mesma condição, e no momento em que você


reconhece que o erro tem feito isso com você, você está perdido. Mas, se você
tem a visão de José e disser: "Não, o erro não fez isso comigo; o erro não está
fazendo isso para mim, o erro não tem presença e nem poder", você vai provar a

33
totalidade e onipresença de Deus, o bem e a imediata expressão desse bem.
Essas são mensagens de Deus, só Dele. Não há noite aqui, nenhuma noite ou
locais escuros em sua consciência, mas reconhecer uma presença ou condição
além de Deus é perder o seu caminho, pelo menos temporariamente.
José, ainda não despertou a compreensão espiritual, expressa o seu bem
humanamente, como executivo, empresário, diretor, mas novamente ele deve ser
"empurrado lá de cima". A experiência de José ainda não expurgou o desejo dos
sentidos, e assim, ainda há a crença na luxúria, vingança e perseguição para
serem superadas.

E, no entanto, em um de seus momentos mais sombrios de prisão, a visão


espiritual é despertada em José, e ele é erguido acima de todas as condições
materiais e limitações e, portanto, capaz de discernir abundância espiritual onde a
falta e a pobreza estão reivindicando presença e poder. A visão espiritual torna
José livre e permite compartilhar a abundância desta percepção e superar todos
os pensamentos mortais e assim ele liberta todos os irmãos que vêm a ele para
pedir-lhe ajuda.

José tem a consciência livre das más qualidades, que são os chamados
irmãos (ou pacientes, estudantes, buscadores) e José como praticaste ou
professor, liberta e alimenta espiritualmente esses outros.

Agora, pois, não vos aflijais nem vos atormenteis, por me terdes vendido
para cá, pois foi Deus que me enviou antes de vós, para conservar-vos a vida.
Portanto não fostes vós que me enviastes aqui, mas Deus. Ele me promoveu a Pai
de Faraó, senhor de toda a sua casa e regente de toda a terra do Egito. (Gn 45:5,
8. )

Você entenderá que esta passagem diz que a sua consciência espiritual o
conduzirá através do processo de purificação, apesar de sentir que descerá em
poços e prisões do pecado e da doença. Sua consciência iluminada irá sempre
antes de você, transportando-o através dessas experiências difíceis e purificando-
o até que enfim você se torna Pai do Faraó: isto é, supremo sobre o material;
mestre do sentido corporal e soberano sobre o corpo e as finanças; uma lei para si

34
mesmo, e senhor de toda a sua casa, ou seja, no controle completo de sua
consciência e suas formações espirituais; e um governante em todo o Egito: você
é a Luz, brilhando e dissipa as trevas do Egito, ou a consciência sensorial.

Capítulo 8 - Da Lei para Graça

“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham seus construtores.”


Aquilo que você recebe através do sentido espiritual vem como a graça de Deus, e
só isso é importante. Sempre você deve recordar-se disto porque é impossível
aprender a realidade espiritual. A mente não é capaz de digerir a Verdade
espiritual. Independentemente das palavras que você ouve ou as declarações que
você lê, elas são menos do que nada em sua experiência, até que haja uma
realização interior da Verdade da qual as palavras podem somente falar. A
interpretação literal das Escrituras criou um Deus em um lugar chamado céu,
muitas vezes retratado como acima das nuvens sobre nós; isso trouxe a crença na
separação entre Deus e você produzindo o sentido da dualidade, que é
responsável por todo o pecado, doença e discórdia na terra. "Eu Sou Aquele Que
Sou", revela Moisés.

A consciência da unidade de Deus e você, a qual agora interpretamos como


Deus aparecendo como você, restaura a Verdade perdida de toda Escritura,
restabelece saúde, harmonia, perfeição e desse modo terminam as discórdias e
as limitações. Exaltar qualquer um dos personagens históricos das Bíblias do
mundo impede que o reconhecimento de Deus seja o que você é. Olhando para a
fonte da graça fora de você, você perde a presença real dentro de si.

Porém, deve haver uma correta apreciação desses homens e mulheres que
alcançaram tão grande medida da Identidade Crística que se tornaram
reveladores da verdade do nosso ser. Todos estes fizeram grandes sacrifícios em
suas vidas para revelar e ensinar a grande verdade que Eu Sou.

35
Deve haver uma gratidão sentida no coração, não apenas expressa com os
lábios para os modernos Professores e Praticistas que tenham renunciado suas
vidas pessoais em favor do ministério da Verdade; deve haver um reconhecimento
das fontes e vias do bem - isto é uma parte da gratidão e é uma qualidade Divina.

Krishna e Sankara da Índia, Moisés da Terra Santa, são os antigos que


revelaram o segredo da unicidade de Deus e do homem, que lutaram contra a
ignorância organizada de seus períodos da história e se sacrificaram pelo
privilégio da revelação.

Em tempos modernos Mary Baker Eddy repetiu esta revelação na Primeira


Edição de Ciência e Saúde, e aceitou a perseguição e a pressão impiedosa por
repetir a mesma sabedoria, Eu Sou.

Há estranhos acontecimentos no mundo religioso hoje. Muitos livros estão


sendo publicados, alguns dos quais se tornaram best-sellers, repetindo a
sabedoria antiga. Está surgindo no pensamento a percepção de que deve haver
algo mais real do que a letra da religião. Alvin Kuhn escreve que esta era
testemunhará o renascimento da cultura antiga, e nós vemos suas palavras sendo
totalmente cumpridas pelo tremendo interesse na busca de livros como Cheney’s,
“Men Who Have Walked With God”, Aldous Huxley’s “Perennial Philosophy”, e as
muitas traduções novas do Lao tze dos Chineses e o Guita da Índia. Que benefício
haverá para os homens afastarem-se das formas de igrejas ultrapassadas para a
leitura e estudo das antigas e modernas revelações desorganizadas?

O primeiro benefício é o da liberdade mental. Quando os homens não estão


mais vinculados à superstição, a obediência ao homem que fez regras de conduta
religiosa - quando os homens "sentem" que eles podem, sem medo da crítica e do
escárnio, abrir seu pensamento para serem ensinados por Deus - eles realmente
começam a viver. Fanatismos, preconceitos raciais e religiosos desaparecem e
velhos pontos de vista como “minha igreja”, “meu Deus”, “meu credo” são agora
percebidos como mitos, superstições e falsa teologia.

36
Quando os homens abrem seu pensamento à verdade, eles logo
descobrem que há um só Deus; que todos os homens são a manifestação ou a
presença do Uno e que, portanto, todos são espiritualmente iguais. A primeira
frutificação da investigação da Verdade será o fim do fanatismo racial e religioso.
Outra frutificação da revelação da unidade de Deus e do homem é a ausência do
medo: a eliminação do medo da falta, falta de saúde ou medo da doença. Da
mesma forma o pecado ou o desejo por ele desaparece na consciência da
unidade com Deus. Desde então, "Eu e Deus somos um", é impossível que esse
"Eu que Eu sou" conheça falta, pecado ou doença. Na percepção que Eu Sou,
vem uma sensação de descanso, relaxamento, completude e perfeição. Isto não é
exaltar o ego, mas, na realização de sua Identidade espiritual, os errôneos traços
do ego desaparecem. A abertura do pensamento pela procura da Verdade na
literatura religiosa e filosófica do mundo é apenas um passo para a liberação dos
males do mundo. A liberação final do pecado, doença, morte, guerras, mudanças
econômicas, vem somente quando os próximos dois passos forem alcançados.

O primeiro passo pode ser chamado de compreensão intelectual da


verdade do ser, o primeiro amanhecer no pensamento que EU SOU - não que
serei, ou deveria ser, ou gostaria de ser – mas que Eu já SOU. O segundo passo é
uma compreensão da natureza do erro. Ao longo destas páginas a natureza e
caráter do erro são contados e recontados.

Enquanto são feitas tentativas para curar a doença, evitar pecados ou


reformar pecadores, deter a luxúria, ira ou vingança - o machado não está posto à
raiz do mal, e o mal, então, não será destruído (vistos pelo nada que são). A
crença de uma individualidade separada de Deus criou uma série de crenças e
medos sobre esta suposta “individualidade pessoal”, e essas crenças se tornaram
hipnóticas em sua intensidade e ação.

Quando reconhecemos que o mal, não importando se ele aparece como


pecado, doença, falta, guerras ou morte, é apenas um único mal - sugestão
hipnótica ou mesmerismo - encontramos nossa liberdade dessas discórdias. Em
outras palavras, o erro específico que vemos ou experienciamos não é uma

37
realidade que deva ser combatida ou destruída, nem é poder que exija alguma
oração ou Personagem específico para agir para nós, pois ele é apenas uma
miragem ou nada e só precisa ser reconhecido como tal, para revelar a sua
impotência. Este reconhecimento é alcançado quando a nossa consciência de
Deus se revela e nosso sentido espiritual do homem e do universo se expande.

Tomemos como exemplo o hipnotizador vaudeville que, como parte de seu


ato, convida algumas pessoas da plateia a subir no palco para serem
hipnotizadas. Em seguida, ele sugere a eles que existe um poodle branco no palco
e que a pessoa hipnotizada deve afugentá-lo de lá. Às vezes, o poodle branco vai
para fora do palco com pouco esforço, mas em outras vezes, revela-se muito
rebelde e difícil de obedecer. Suponhamos agora que o nosso amigo hipnotizado
precise de ajuda na remoção de seu poodle branco. Lembre-se de que, para o
homem hipnotizado o poodle branco existe como uma entidade real, uma
presença real, e ele quer que o poodle seja removido. Para o metafísico, no
entanto, que não é hipnotizado e vê claramente, não há lá um poodle para ser
removido, mas, apenas uma sugestão hipnótica a ser reconhecida como tal, e tal
reconhecimento traz o despertar e o desaparecimento do poodle branco. Dessa
maneira está demonstrado aquilo que designamos como cura.

Da mesma maneira todo o problema, seja de saúde, suprimento, pecado ou


medo, é real para o sofredor iludido, mas, para o metafísico, o erro existe somente
como o não-existente “poodle branco” e assim ele cura todo o erro através de sua
compreensão da natureza irreal daquilo que aparece como condição má seja da
mente, corpo ou finanças.

O terceiro passo é a realização da consciência espiritual e isso,


naturalmente, segue o estudo e a prática das duas primeiras etapas.

Nos primeiros dias de prática metafísica, a compreensão dos praticistas


trouxe as curas. Não havia naquele tempo livros de texto sobre metafísica, nem
templos ou salas ou centros de leitura. A compreensão dos praticistas trouxe a

38
cura - ou então não havia cura. Se aceitarmos tal sentido de prática hoje, teremos
melhores resultados em nosso trabalho.

No momento em que tentamos transmitir a Verdade com o objetivo de


ajudar no trabalho de cura, quando pedimos a um paciente para ler ou ir ao templo
ou assistir a uma palestra com a ideia de que isso pode ajudar ou acelerar a cura,
nós deixamos a premissa básica do nosso ensinamento: não há realidade no
pecado ou na doença, não existe pessoa errada ou condição para ser mudada,
curada ou reformada.

É muito melhor quando somos solicitados para ajudar que nós como
praticistas, assumamos a responsabilidade de percebermos a realidade presente
no assim chamado paciente. Então, se há um grau de receptividade naqueles que
foram os destinatários dos benefícios do nosso entendimento, eles terão o desejo
de conhecer esta Verdade, para compreendê-la e, eventualmente, estudar e
perceber a Verdade por si mesmos.

Antes do advento da Verdade ou da cura metafísica em sua experiência,


você estava em um estado “escuro” do pensamento - sem iluminação espiritual -
sem maior entendimento. Neste sentido “escuro” você estava em servidão à dor
física e ao prazer; falta de paz e segurança, muitas vezes na escravidão do medo,
do pecado e da doença.

Na Bíblia encontramos os Hebreus escravizados pelo Faraó em um estado


de ignorância e pobreza. Dentro dessa escuridão veio Moisés, com promessas de
uma Terra melhor. Para você, Moisés veio como uma promessa de cura
metafísica, que era para erguê-lo acima dos erros dos sentidos - os mesmos
males que prendiam os antigos Hebreus. No seu caso, como na história antiga, a
promessa foi cumprida com um melhor senso de saúde, suprimento e liberdade.

Com Moisés, os Hebreus tiveram uma maior área de terra e uma terra mais
fértil para viver - uma maior liberdade de movimento físico. Também eles
desfrutavam de um sentido livre de culto religioso e um suprimento mais
abundante. Tudo isto implica um maior grau de bem humano. Até agora, porém,

39
não há desenvolvimento espiritual – até mesmo a adoração religiosa deles é um
ritual humano.

Houve também uma oscilação constante entre o bem e o mal, a abundância


e falta, a liberdade e a servidão, boa saúde e doença na experiência deles - mais
uma prova de que suas manifestações foram totalmente no plano humano.

Quando você olhar para trás, para a sua própria experiência na metafísica
ou para a Verdade, perceberá que você estava também só experimentando,
mesmo nas curas, um maior grau de bem humano. Você não tinha feito a
transição para a compreensão espiritual que destrói as experiências flutuantes da
individualidade (personalidade).

Sem dúvida, muitas condições físicas e financeiras desarmônicas


desapareceram para dar lugar a condições físicas de harmonia e de acréscimo.
Esta foi a promessa de Moisés sendo cumprida com maior bem humano. Durante
o período de aperfeiçoamento humano, você, assim como os antigos Hebreus,
estava debaixo da lei. Os Dez Mandamentos, regras e restrições - são
necessárias de acordo com as etapas progressivas com Moisés. Moisés, em seu
caso, é a primeira promessa em sua consciência de uma Terra melhor. Você não
é justo porque há uma lei decretando isto, você não é bom porque há um
regulamento obrigando-o a ser, você não é saudável por causa de algum
malabarismo mental; nem rico por causa de algumas declarações milagrosas.
Você é, através de Deus, o eternamente presente Espírito de Deus, alçado a
Consciência Universal ou graça.

Quando você avança conforme Moisés e melhora a sua individualidade


(ego), para a consciência espiritual, você toca o sentido espiritual de saúde,
riqueza e harmonia. No Antigo Testamento, é o bem e o mal; o bem invocado para
vencer o mal. Na consciência Universal há somente a presença divina de Deus,
um poder, o Bem; uma presença, o Amor; uma condição, a perfeição. (pag. 48 1º
parágrafo)

40
Quando você atinge a consciência espiritual você alcança a realização da
não realidade do mal. Moisés representa o tipo de liderança que conduz o
pensamento não iluminado da escravidão para o sentido espiritual de bem
humano. Em seu ensinamento, Moisés não entrou na Terra Prometida ou
consciência espiritual. Ele nunca foi além da melhoria humana.

Se pensarmos nestes Hebreus como uma raça de escravos, analfabetos,


incultos, sem inspiração, agora nos os encontramos sendo conduzidos para um
lugar de liberdade, melhores condições e uma obediência à lei. Mesmo que você
cumprisse todas as leis de Moisés já escritas, você na melhor das hipóteses
apenas seria o melhor dos seres humanos. Graça e Verdade, liberdades
espirituais, só vêm com o Messias ou Consciência Espiritual.

A consciência Universal liberta você do desejo daquilo que não lhe


pertence: liberta você dos traços errôneos do caráter - das limitações de toda
espécie. É maravilhoso perceber que o homem que é posto em liberdade em
Deus, que é livre de todos os embaraços humanos, antes era na melhor das
hipóteses, somente um ser humano bom. É apenas uma forma de transição de um
sentimento ou estado de consciência para outro. Todas as experiências sob
Moisés podem ser nossas experiências, de você e de mim.

Você está nesse estado de consciência “escuro” para o qual Moisés, ou a


promessa da Verdade, traz a melhoria da saúde, lar mais feliz e maior riqueza, e
você é essa mesma consciência a qual vem o Messias ou ideia divina, e torna
você livre como filhos de Deus feito carne.

Assim como os Hebreus famintos o primeiro pensamento deles era por


mais alimentos, vestuário, abrigo, assim também ocorre com você, em seus
primeiros passos na verdade - uma busca por mais e melhores condições da
matéria. Para o Cristo esse pensamento de obter ou alcançar nunca acontece e
Ele alimenta cinco mil não tendo nada em que se apoiar. Ele atende todas as
necessidades através da graça. Como você mede o seu progresso espiritual? Pelo
grau que a sua preocupação não é ganhar, acrescentar ou multiplicar, mas sim

41
que ela esteja fundamentada na realização da onipresença. Quando sua
convicção ou confiança cresce no desenrolar do bem ao invés de acréscimos -
você então estará vivendo pela graça.

Nesta consciência você percebe que Deus está sempre com você. Você
pode medir sua aceitação ao ensinamento espiritual pelo grau de sua
preocupação com o seu bem estar. Você tem que vir a esse lugar na consciência
onde você vive pela graça, onde você alcança uma medida de Deus encontrando-
se sempre na mesma condição relativa de harmonia, independentemente de
quaisquer alterações que ocorram politicamente ou economicamente.

Três estados de consciência tem sido revelado agora para você. Primeiro foi uma
aridez espiritual em sua experiência antes do advento da Verdade, depois o
estado “Moisés” de sua consciência em que você desfruta de melhor saúde, mais
suprimento, maior liberdade - embora tudo isso esteja sujeito a mudanças, sujeito
à perda, a discórdia e ao esgotamento. Não há garantias humanas.

Desde que você esteja buscando a paz permanente, segurança e solidez,


você deve encontrá-la na consciência espiritual. Você deve elevar-se até o terceiro
grau no qual você encontra Graça, no qual você não se preocupa com corpo,
comida ou roupa.

Capítulo 9 - Símbolos Bíblicos

O significado espiritual das Escrituras é frequentemente revelado na


interpretação dos nomes de pessoas, lugares, montanhas, mares e rios que
encontramos na Bíblia. O sentido histórico da Bíblia, muitas vezes não é correto e
raramente é de muita importância. O sentido espiritual das Escrituras é o mais
importante e apresenta as leis e os princípios de uma existência harmoniosa.

42
Ideias espirituais e lição de moral têm sido interpretadas como homens,
eventos e movimentos, e estes devem agora ser interpretados, a fim de desvendar
o mistério da Bíblia e fazer da Escritura uma prática na destruição de suas
superstições e seus mistérios.

As pessoas consideravam seus lugares de adoração quase tão importantes


quanto o Deus que elas adoravam. O Templo Sagrado de Jerusalém foi
considerado de tal importância que, os Judeus, de todas as Terras santas fizeram
peregrinações para lá todos os anos. O templo, porém, corretamente entendido, é
um símbolo do universo ou corpo espiritual e não é atingido por meio de uma
peregrinação de um lugar para outro, mas por uma expansão da consciência, que,
em si mesma, inclui o segredo da imortalidade ou vida eterna alcançada aqui e
agora.

Jesus anunciou publicamente esta verdade sobre o Templo quando ele


disse, “Vós não deveis adorar o Pai nem nesta montanha, nem em Jerusalém...
Mas a hora vem, e agora é, quando os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em
espírito e em verdade.” Novamente ele disse: “destrua esse corpo e em três dias
eu o reconstruirei.” O sentido material de Templo localiza e limita o Templo; o
sentido espiritual revela o Templo infinito e imortal de sua vida, seu corpo e sua
experiência do bem.

Esta verdadeira visão do Templo espiritualiza sua compreensão de


adoração. Pensando em igreja como material, tendo edifícios e regras
estabelecidas ela é considerada como local de adoração, enquanto que, o sentido
espiritual de um templo revela, oração irrestrita, ilimitada proferida de dentro do
seu próprio Ser.

Seguindo esta linha de pensamento, nós encontramos uma Cidade Santa


que sendo interpretada torna-se Consciência Divina ou Cristo Consciência,
compreendida agora como a sua consciência e a minha.

Nós também encontramos em toda a Bíblia uma terra superior e uma


inferior, indicando céu e terra, simbolizando Espírito e corpo, ou estados e

43
estágios de consciência. Há sempre um rio de ligação e um mar fronteiriço. O rio é
o caminho individual do sentido para a Alma, da terra inferior para a superior; o
mar fronteiriço também representa as águas turbulentas da existência mortal ou as
águas calmas da Alma. Sempre há porções menores de água a serem
atravessados na viagem - o Mar da Galiléia, Mar Morto, Mar Negro, o Jordão -
todos simbolizando a passagem do perigo para a segurança, da matéria para o
Espírito.

É dentro de nossa consciência que encontramos os lugares, rios, templos e


montanhas; não fora de nós ou em um livro como isso pode parecer. Dentro de
nossa própria consciência que os “rios” terão que ser cruzados, que a transição se
fará, de finitas e localizadas condições para o bem infinito e onipotente.

Lendo a Bíblia lembre-se de que as pessoas e eventos serão


compreendidos como estados e fases de seu desenvolvimento e desdobramento
como consciência espiritual. A tendência para traduzir ideias espirituais de bem
em nomes simbólicos de lugares é encontrada na nomeação de cidades dos
Estados Unidos: Salem, Providence, New Haven, Newark, New Canaan,
Bethlehem (Belém), Corpus Christi, Sacramento, e muitos outros. Não há dúvida
de que os colonos estavam esperando encontrar paz em Salem, segurança em
Providence, uma existência nova em Bethlehem, e assim por diante. As pessoas
creem que irão encontrar paz, alegria, saúde ou riqueza em algum lugar ou
pessoa – e isso é uma razão para tantas decepções. Não existe tal coisa como um
paraíso a ser encontrado em pessoa, lugar ou coisa. Se não encontrarmos o
nosso bem em nossa própria consciência, não vamos acha-lo exteriorizado, mas
se o encontrarmos dentro do nosso Ser, nós o acharemos onde quer que
geograficamente estejamos. Nenhuma circunstância ou condição pode ser
experimentada sem primeiro ser encontrada dentro de nossa própria consciência.

“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem.” A


menos que a Consciência de Deus fale por nós, a voz de Deus não poderia ser
ouvida.

44
Em todos os casos o seu interesse não deve estar centrado no mensageiro,
mas sim na voz de Deus e sua mensagem. Você está sempre em sintonia,
receptivo às ideias que se desdobram dentro de você. Não seja atraído até
mesmo por palavras de sabedoria, porque o Espírito de Deus fala em “língua”
espiritual e interpreta a Si mesmo para o ouvinte espiritualmente.

“Você é a luz do mundo.” Essa é a sua única razão de existir. Qualquer


coisa menos não seria digna da revelação de Deus de Seu próprio Ser.

Deus deve desempenhar algum papel na nossa experiência para podermos


receber o Seu influxo. Quando nos voltamos para Deus, vamos tentar descansar,
diminuir a barreira do eu (ego) na medida em que reconhecemos a Presença
divina, a Presença de Deus. Não há nenhuma pessoa com mais Presença de
Deus do que outra, contudo há um maior grau de consciência da Presença em um
do que em outro. Por que nos voltamos para alguém em vez de voltarmos para o
Reino dentro de nós? Somente porque não demos o tempo, atenção, pensamento,
oração e consagração para trazer à luz aquela Presença que todos têm. Portanto,
em nosso atual estado, podemos recorrer a outro e encontrar a Graça divina.
Encontrando-A no outro, finalmente, seremos conduzidos a encontrá-La dentro de
nosso próprio Ser - porque essa Graça é o mesmo Eu de você e de mim.

Uma das coisas intrigantes que todo estudante da Bíblia enfrenta é o Deus
do Antigo Testamento, o Deus da vingança, o Deus que premia e castiga. Para
mim, o Deus do Testamento Hebreu foi um quebra-cabeça por muitos anos, e eu
não podia chegar a lugar nenhum tentando entender esse Deus; ainda em
nenhum momento eu pude sentir que algo falso ou fictício estava sendo
apresentado.

O mesmo quebra-cabeça se apresentou para min no estudo Hindu das três


faces de Deus. Como poderia estas pessoas que tiveram grande sabedoria e luz,
estarem terrivelmente erradas em apresentar um Deus de três cabeças; Deus
Criador, Preservador e Destruidor.

45
Agora nós temos a resposta, nós sabemos que os Hebreus e os Hindus
estavam certos, porque pela revelação do sentido espiritual da Bíblia, sabemos
que a destruição referida não era a destruição de pessoa, lugar ou coisa, mas, a
destruição da crença sobre o universo. A Verdade é uma destruidora, mas a única
coisa que ela já tem destruído é o erro, e o erro nunca existiu como realidade.

Entendemos que esse Deus é Consciência Divina, Consciência Infinita e,


contem dentro de Si a Totalidade do Ser. Entendemos que nada existe fora de
Deus, fora da Consciência Infinita. Deve ser verdade, então, que Deus tem que
destruir até mesmo uma possibilidade de falso conceito. Dentro desta Consciência
Infinita que Eu Sou, existe algo que destruirá todo sentido ou conceito ilusório. É
por isso que entendemos agora que pecado e doença não existem como
realidades.

Eles existem somente como crenças e falsos conceitos; e isto torna simples
para nós sermos curados destes erros, se eles são de saúde, de suprimento ou
morais, quando percebemos que na Consciência infinita que nós chamamos Deus,
há essa influência destrutiva pronta para remover tudo que é não semelhante a
Deus – não remover pessoa, lugar ou coisa, mas, remover todo o falso conceito
de pessoa, lugar ou coisa.

A Consciência Infinita que chamamos Deus é constituída de todas as


qualidades do bem, que inclui sempre uma força e poder que “destrói” tudo que
não for semelhante ao seu próprio Ser. Isso é uma coisa importante, neste
momento particular, porque estamos colhendo ódio devido à guerra, condições
nacional e internacional, racial e religiosa. Entretanto, nós não temos que ser os
reformadores. Nós temos a compreensão dentro de nosso próprio Ser, a
Consciência chamada Deus que tem dentro de Si mesma tudo que é necessário
para destruir qualquer qualidade não semelhante ao bem.

Nós não temos que ser salvadores pessoais de ninguém, porque esta
Consciência espiritual infinita que está individualizada tem dentro de si tudo o que
seria o Messias, bem como o que é necessário para “destruir” tudo o que é

46
diferente do bem. Nós nunca somos chamados a ser salvadores pessoais ou
punidores de malfeitores. Podemos facilmente descansar na percepção de que
Deus é a Mente, Alma e Consciência do ser individual.

Nesta Consciência está tudo o que é necessário para a manifestação da


harmonia de Deus, como também, a destruição de tudo o que é contrário a Sua
própria natureza. Por isso, em todas as curas gravadas na Bíblia, não há de forma
alguma indicação de que é necessário o uso de sugestão ou hipnose na cura. Não
é necessário transferir o pensamento de um indivíduo que pode ser o praticista
para outro indivíduo chamado paciente. A Verdade do ser percebida na
consciência individual é a lei para esses que pedem ajuda. Nós não temos que
projetar o nosso pensamento para uma pessoa, ou até mesmo fazê-los
compreender alguma verdade.

O metafísico não tem nenhum interesse na verdade como uma teoria


abstrata, mas, somente como ela é provada num modo prático de vida. A Palavra
tem que se tornar carne; deve ser incorporada como o nosso próprio ser, ela
estabelece para nós uma existência alegre, bem sucedida e feliz. A regra para
tudo isso está prevista nas Escrituras do mundo. Temos visto como universal é a
verdade - nas Escrituras Orientais, no Antigo e no Novo Testamento, Emerson,
Whitman – onde quer que nos voltemos, encontramos a mesma Verdade, mas
não encontramos esse modo prático em nossa experiência, até o advento dos
ensinamentos metafísicos dentro do século passado.

O voltar-se para a Escritura a fim de encontrar uma solução para os


problemas em nossa experiência individual é um exemplo que pode permitir que
outros façam o mesmo. Não há nenhuma maneira para salvarmos o mundo. Isto é
inteiramente uma experiência individual. Uma das partes tristes é que às vezes
não podemos trazer nossas famílias para este entendimento porque elas só
poderão aceitar tal verdade quando estiverem prontas. Podemos, entretanto, ser a
Luz do mundo; podemos encorajar o outro a buscar pela nossa demonstração.
Isto é até onde nós podemos ir.

47
Um dos pontos que retardaram nosso trabalho de cura foi a inabilidade para
reconhecer que não é necessário localizar uma pessoa com nosso pensamento;
não é necessário comunicar um tratamento a um paciente. Só é necessário
alcançar as profundezes de nosso próprio Ser, ter uma percepção interior de
nossa própria consciência e esse é o ponto que neste momento devemos lembrar.
A cura não tem nada a ver com o outro; tem a ver com o nosso estado de
consciência somente.

Como podemos espiritualizar nosso próprio pensamento, de modo a ser a


Luz do mundo? Fomos ensinados que a Verdade não pode ser conhecida pelo
sentido humano, a Verdade não pode ser intelectualmente discernida. A Verdade
é uma qualidade espiritual e só pode ser discernida espiritualmente. Tem que
entrar em nossa consciência através do sentido espiritual, através da consciência
espiritual. Este sentido espiritual é alcançado de dois modos: um pela leitura
espiritual ou literatura de inspiração que, claro, inclui a prática da verdade
conhecida; segundo, através do contato com aqueles cujo pensamento está
naquela mesma direção. A Consciência espiritual é contagiosa: é impossível estar
na presença desses sem absorver algo desta Consciência.

O maior passo é encontrado na palavra "receptividade", "Fala, Senhor,


porque o teu servo ouve". "Aquietai-vos e sabei." "Eu ouvirei Tua voz". Permaneça
imóvel, permaneça escutando; sempre a indicação é tornar-se receptivo, a
consciência aberta para o influxo. É como se, do lado de fora do nosso ouvido que
ouve, há um reservatório infinito de bem espiritual, e abrindo o ouvido, abrimos a
consciência para o influxo da Palavra, o Espirito de Deus.

Avançamos para um estado onde o nosso interesse está em Deus e nas


coisas de Deus, onde temos que orar sem cessar; nossas vidas devem ser uma
dedicação. Nós já não estamos vivendo para nós mesmos, e isso não é um
eufemismo. Seria impossível seguir essa linha de trabalho se nosso interesse
fosse puramente egoísta. Nós fomos além disso. Chegamos a um lugar de
extinção (do ego), onde não estamos vivendo para o nosso próprio bem: a nossa
demonstração é apenas circunstancial ao trabalho que estamos realizando. “Vós

48
sóis a luz do mundo.” Não há indivíduo na terra que não esteja aqui como parte de
um plano divino. Todos têm a sua missão particular; cada um está aqui para servir
um propósito particular de Deus. Como seres humanos, nós não cumprimos a
missão - nenhum ser humano jamais cumpriu uma missão espiritual - mas no
esquecimento da identidade pessoal, a divindade é revelada, o plano divino é
revelado.

O ministério público de cura é apenas um caminho. Exatamente onde você


está é terra santa - "o lugar em que estás é terra santa" - este é o ponto de partida
para manifestar o Cristo do seu Ser. Quaisquer outras medidas que serão
tomadas o Cristo dará o passo. Você não terá que planejar humanamente.

A percepção constante da letra da Verdade é necessária para que não nos


percamos por caminhos de fé cega ou superstição. É muito fácil escorregar para
fora do caminho com uma fé cega, uma fé supersticiosa. Devemos manter
equilíbrio, devemos ter uma razão para a nossa fé. Isso não é contraditório com a
ideia de que devemos ser espiritualmente iluminados, mas sim, ter uma razão
para a nossa fé torna possível receber maior iluminação.

Tomar uma atitude descuidada com a verdade deixando tudo para Deus
sem percebermos que este Deus é a realidade de nosso próprio Ser, seria fatal
para nossa última demonstração. Não há nenhum Deus fora de nosso próprio Ser.
Deus é a Mente do indivíduo, a Vida, Alma e Espírito. Deus constitui o indivíduo.
Sendo isto verdade, quando tomamos esta atitude, então eu posso descansar.
Posso relaxar sabendo que Deus está em campo, sabendo que o divino em nós
está em campo, sabendo que o "Eu" de nós é a Lei de nosso próprio Ser, sabendo
que “Eu” e Deus somos um, tudo o que Deus tem é meu.

Somente quando deixamos de nos lembrar com frequência da verdadeira


natureza de Deus - da nossa unidade com Deus - é que estaremos aptos a
recaída na crença fatal de algum poder fora do nosso próprio ser. Não nos
atrevamos a aceitar a Bíblia como nosso guia, inspiração ou livro de ensino sem
aceitar que “Eu” sou um com Deus.

49
A Bíblia não foi tão clara sobre a natureza do erro, como os escritos
metafísicos que foram dados a nós para o nosso estudo. Tal estudo utilizou-se de
uma compreensão espiritual profunda para descobrir que os males e erros, os
pecados do Antigo Testamento, não eram realidades, mas qualidades negativas
de pensamento. O estudo literal da Bíblia não revela isso, e é por isso que o clero
nunca ensinou assim. Todos eles aceitam o mal, o erro como real. O erro provou
ser mais real do que o nosso próprio conceito dele e, assim que tomarmos a Bíblia
juntos com os escritos metafísicos de hoje, vamos dar mais um passo na
realização da letra de verdade, porque através dela seremos conduzidos ao
Espírito.

Você não pode aceitar o nada do erro intelectualmente. Em nosso estudo


temos que entender que a declaração do erro ou da doença não é real. Temos
que obter algum grau de realização do “nada” do erro. Palavras não farão isso. O
estudo do sentido literal da Bíblia não revelará a Verdade absoluta de que há um
Único Poder. Não importa quantas vezes a Bíblia fale de Deus como o Todo da
mesma maneira em que existem referências que mostram o mal como um poder
terrível – muitas vezes suficiente para superar o bem. Mas a percepção espiritual
revelou que os poderes denominados maus não eram poderes, mas, somente
crenças, falsos conceitos, ignorância. Isto nos deixa então com a grande tarefa de
se acostumar com a ideia de um Único Poder e o que é chamado de mal não é
poder. À medida que aceitarmos e aplicarmos isso, em última instância,
obteremos, através do nosso senso de receptividade, a realização da Verdade; e
todos os erros do mundo serão vistos como ilusões.

Capítulo 10 - Universalidade da Verdade

“Exceto se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a


edificam”.

50
O texto Bíblico é aquele no qual construímos nosso estado de consciência.
Nós não tomamos as citações bíblicas e esperamos que através de muita
repetição, elas façam algo por nós. Entendemos que toda citação bíblica que pode
ser interpretada como lei, deve ser incorporada e se tornar parte de nossa
consciência, para que possamos exteriorizar o pensamento ou a ideia daquele
texto.

“Exceto se o Senhor não construir a casa, em vão trabalham os que a


constroem”. Nós entendemos que “Deus” nesse caso é nossa própria
Consciência. Nossa Consciência é a lei, é o construtor de nosso universo. Nossa
Consciência é a substância, a força, o tecido do qual nossa experiência inteira é
construída, então tudo o que carregamos em nossa consciência e tudo que faz
parte dela, se exterioriza de alguma forma em experiência humana.

Nós, ás vezes, desejamos saber por que esse ano nós não melhoramos em
relação ao que éramos no ano passado. Pode ser que no ano passado, nós
tivemos alguma falta de riqueza, saúde, moralidade, posição, companhia, e neste
ano observamos que as mesmas condições ainda existem. Nós não precisamos ir
além para perceber que não acrescentamos nada a nossa consciência da
Verdade que estava lá antes, e então nada poderia acontecer no exterior. Nós
aprendemos que a consciência externa é o reflexo de nossa consciência interna.

Estas declarações na Bíblia, que realmente são Leis, têm que se tornar
uma parte de nosso Ser. Elas não somente devem ser percebidas, declaradas ou
afirmadas; elas têm que se tornar o mesmo tecido do nosso Ser, então poderemos
experimentar o resultado externo. O que é essa Consciência que se torna Deus,
ou a lei, à nossa experiência? Nós temos descoberto esta Verdade, através da
Bíblia para chegarmos até o que sabemos como Verdade Universal.

Por que tu me chamas bom? Não há nenhum bom, a não ser Um, que é
Deus: “Eu de mim mesmo não posso fazer nada”. As palavras que vos falo eu não
falo de mim mesmo: mas o Pai que me enviou, Ele é quem faz as obras. Nós
sabemos que estas declarações mostram o nada da identidade humana e a

51
Totalidade de nós que é Deus – o Infinito. Isso é Verdade universal. Para ser
universal, temos que entender a Verdade. Como uma ilustração, vamos considerar
o que é conhecido como a Regra de Ouro comum a todas as religiões. Jesus
disse: “Então todas as coisas que vos quereis que os outros vos façam, fazei
vocês mesmos para eles”.

Aristóteles, grego – Sócrates, orador ateniense, 300 a. C. – “Deseje para os


seus vizinhos, aquilo que quer para você”.

Confúcio, filósofo chinês, 500 a. C. – “Não faça aos outros, o que não quer
que façam com você”.

Hillel, o rabino hebreu e professor, 50 a. C. – “Não faça aos outros, o que


você não gosta que façam com você”.

Sextus, 450 a. C. – “O que você deseja que seus vizinhos sejam pra você,
seja você para eles”.

Devolvendo o mal, com o Bem.

Jesus – “Mas eu vos digo, não resistais ao maligno: mas se te baterem em


uma face, dê a eles a outra face também”.

“Amar seus inimigos, abençoar os que o maldizem, fazer o bem a quem o


odeia, e rezar pelos que o caluniam e o perseguem”. “Perdoar até setenta vezes
sete”.

Buda, Salvador Hindu, 500 a. C. – “Supere o mal com o Bem”.

Lao-Tsé, filósofo chinês, 500 a. C. – “Recompense a injuria com a


bondade.” “Ódio por Amor”.

Sócrates, 300 a. C. – “Não devolva o mal com o mal”.

EU SOU:

52
Jesus – “Eu Sou o Caminho, a Verdade e a Vida”; “Eu Sou a Ressureição e
a Vida”; “Eu Sou a videira verdadeira”; “Eu Sou o bom pastor”; “Eu Sou a porta”.

Bhagavad-Gita, da Índia – “Eu Sou a origem deste mundo; Eu Sou o sabor


nas águas; Eu Sou a luz no sol; Eu Sou o som no éter e a virilidade nos homens;
Eu Sou a pura fragrância na terra, e brilho no fogo, Eu Sou a Vida em todas as
criaturas”.

“Conhecer-me é a semente primordial de todas as coisas que existem; Eu


Sou a sabedoria do sábio e Eu Sou a glória do glorioso. Eu Sou a força do forte –
livre de desejo e da paixão. E Eu Sou o desejo de todas as criaturas que não
estão em conflito com a lei. E todas as coisas que possa haver, saiba tu, todas
elas são para Mim – o homem afligido, o homem que deseja aprender – o homem
que quer perceber a Verdade e o homem que a percebe”.

“Destes, o homem de realização que tem a sua devoção centrada no Um e


está sempre em sintonia é o melhor”.

“Grande em verdade são todos eles – mas o homem de realização – Eu o


julgo como sendo Eu mesmo”.

Do Advaita da Índia: “Eu Sou meu próprio Espírito habitando


incessantemente, dispersando as alucinações nascidas da ignorância do
discípulo, enquanto possuindo discernimento perfeito, contempla todas as coisas
como subsistindo Nele, e assim, pelo olho do conhecimento, descobre que tudo é
o Espírito Uno. Ele sabe que tudo isso do mundo móvel é Espírito ou que além do
Espírito não há nada; como todas as variedades de vaso são barro, assim todas
as coisas que Ele vê são Espirito”.

Mencius da China: “Todas as coisas já estão completas em nós”.

Lao-Tsé: “O céu é eterno e a terra duradoura. Eles são duradouros e


eternos porque não vivem para si mesmos. Isso os faz viver eternamente. Assim
também é o Sábio: por menosprezar o seu eu, este aparece em primeiro plano.

53
Ele renuncia ao seu eu e sua essência é preservada. Não é assim: por não querer
nada para si, ele próprio torna-se perfeito”?

DEUS É ESPÍRITO

Jesus – A palavra – A Luz

Brahma hindu – Espírito

Tao Chinês – A Palavra

Zoroastro Pérsia – Ahura Mazda – Luz

Jesus – “Vós não deveis adorar o Pai, nem neste monte, nem em
Jerusalém (externamente), mas sim adorá-lo em Espírito e Verdade”.

Índia – “Nós nunca podemos conhecer Deus, como nós conhecemos uma
árvore ou um edifício – como um objeto fora de nós mesmos. Deus não é um
objeto (dualidade). Então nós não O podemos atingir por conhecimento externo,
mas através de crescimento interno”.

Jesus – “Vós sois a Luz do mundo”.

João – “Agora somos os filhos de Deus”.

Índia, Upanishads – “O Espírito humano é divino e no final das contas


deveria ser livre. Isto é baseado na supremacia do Espírito sobre a matéria, do
conhecimento sobre a ignorância e da liberdade sobre a escravidão”.

O CRISTO

S. Radhakrishnan: “Há algo em nós, mais do que aparenta em nossa


consciência habitual, uma Presença espiritual sutil. É tarefa do homem reconhecer
esta Presença que vive “escondida” através da máscara da personalidade.
Descobrir esse Ser mais profundo, atuar conscientemente no mundo da verdade
no qual habita, deixar-se ser inspirado na vida diária por essa Presença e
transfigurar nossa personalidade, é o propósito do viver humano”.

54
A mais vital realidade na história do mundo é a verdade, EU SOU. Jesus
deu para o mundo esta verdade em sua declaração: “Eu Sou o caminho, a
verdade e a vida”. Se esta verdade só tivesse sido a verdade sobre Jesus, não
teria tido nenhum valor para o mundo como um Princípio, Jesus seria apenas
outro homem para adorar. Mas antes de Jesus esta mesma verdade foi expressa
por Moisés que realizou uma viagem de quarenta anos com as palavras: Eu Sou.
Isaías nos conta a mesma coisa quando disse: “Antes de mim não há nenhum
outro deus”.

Há somente uma substância, e esta é Mente, e é universal; e esta Mente é


a substância EU SOU. De dentro desta consciência que eu Sou está formado meu
universo, e isto é verdadeiro tanto para você, quanto para mim. Esta Verdade que
é tão universal, esta Verdade que é a sabedoria das idades, esta é a Verdade que
eu Sou - não uma e verdade que vamos aprender ou uma verdade que vamos
encontrar nos livros. A menos que nós digamos que Eu Sou aquela Verdade,
estamos perdendo o caminho, como foi perdido por milhares de anos por aqueles
que conduziram estes ensinamentos e os maquiaram.

Capítulo 11 - Bases do entendimento

"Meu Reino não é deste mundo."

"Deixai-vos, pois o homem cujo fôlego está no seu nariz."

"Deus não faz acepção de pessoas".

Aqui deixamos para trás referências antigas, mas se estaremos contentes

55
em vê-las desaparecer depende de quão firmemente aproveitarmos uma nova
ideia. Partimos de uma cidade bem conhecida - um estado familiar de consciência.
Nós sabemos onde estamos, sabemos bem a rotina de afirmações, negações,
fórmulas, orações prontas que nos foram dadas por outros para memorizar e
repetir.

Em nosso atual estado de desdobramento da consciência temos muitos


suportes sobre a qual nos apoiar. Nós sempre podemos voltar às declarações
proferidas por sábios da antiguidade e também pelos mais novos, homens e
mulheres de nosso tempo. Podemos até mesmo invocar o antigo cliché em
momentos de dificuldade: "Deixe isto para Deus”. Há orações e declarações na
Bíblia bem desgastadas, há orações e fórmulas escritas bem conhecidas da
metafísica moderna. Sim, nosso estado atual de consciência nos dá muito em que
se apoiar.

Porém, quando, como agora, concordamos em deixar os padrões antigos,


precisamos menos de ajuda, pois nós entramos em um estado de consciência que
aposteriori nos guia. Nesta nova terra, você vai encontrar-se á sós com Deus.
Torna-se necessário fazer o seu contato direto com o Ser infinito - com a
infinidade de seu próprio Ser. Já não o ajudará falar sobre Deus, orar a Deus,
inclinar-se sobre Deus, pensar em Deus, agora você deve se tornar Um com
Deus, você deve conscientemente "perceber" a sua unidade e receber orientação
direta, iluminação.

No começo, quando você fecha os olhos em silêncio, pode haver uma


sensação de vazio na boca do estômago e quando você percebe que está aqui -
finalmente - a sós com Deus, e Deus não está num lugar percebido ou pela visão
ou pela audição. Pode ser como nadar em um oceano e, de repente perceber que
você tenha ido longe da vista da terra, sem um guia para lhe dizer a direção a
tomar.

A primeira experiência quando você se transforma no silêncio, sem


palavras, pensamentos ou afirmações, pode ser muito confusa e gerar dúvida. Ela
vai exigir paciência e perseverança, assim como fizeram os pioneiros que

56
atravessaram o deserto material para fazer um caminho: primeiro do Oceano
Atlântico para o Pacífico, e em seguida, esse caminho foi acrescido com vilas e
cidades, e, finalmente, foi revelada uma grande América - um país completamente
novo e diferente de qualquer outro antes conhecido.

Os primeiros pioneiros na cura mental achavam que poderiam transmitir


com palavras a ideia de saúde do praticante metafísico para o paciente, ou em
silêncio e sem contato físico entre praticante e paciente. O método então
declarava a verdade do ser oralmente ou silenciosamente dirigindo-se ao paciente
através de seu nome.

Com o passar do tempo e com muita experiência, o progresso no método


de cura continuou até que chegou a um ponto em que não era mais necessário
abordar o paciente. O praticante "sabia a verdade" dentro de si mesmo, e quem
solicitasse ajuda iria receber. Isto foi chamado tratamento impessoal.
Primeiramente, foi usado apenas para ajudar aqueles que não tinham
especificamente pedido ajuda, mas depois foi descoberto ser um método mais
eficaz de abordar diretamente a mente do paciente.

Enquanto a maioria dos praticantes metafísicos não avançou para o lugar


onde eles poderiam curar sem abordar diretamente o paciente, os melhores e
mais dinâmicos praticantes aprenderam este segredo. No momento em que
chegarem ao “lugar” na consciência onde simplesmente: "Conhecereis a verdade"
dentro de si mesmo - ou "iluminarem o seu próprio pensamento", como às vezes é
chamado, eles também atingirão o lugar onde a maioria de seu trabalho de cura
não é mais cura mental, mas a cura espiritual. Tendo chegado ao estado de
consciência em que o paciente não é reconhecido, não é levado em tratamento, o
praticante tornou-se ciente de uma Presença divina, Poder ou Influência dentro de
seu próprio Ser.

Em vez de seus tratamentos, ele encontra esta doce Presença dentro de si


mesmo como o agente divino no trabalho de cura. Cada vez mais ele se torna
consciente de Deus como uma realidade muito presente, ele "sente" essa
Presença suave dentro de si, ele aprende cada vez mais e mais a ser consciente.

57
Ele, o praticante, torna-se cada vez menos, e Deus, o Divino interior, torna-se
cada vez mais. Há menos fé nas declarações, pensamentos, afirmações e mais
compreensão de Deus como a Vida e a Substância do universo Real. Os erros
dos sentidos são mais facilmente vistos como ilusão. Menos e menos esforço é
dado para “vencer” o pecado, curar a doença, eliminar o erro, ou lutar com a
mente mortal, ou proteger-se, a partir de poderes imaginários de pessoas más. A
consciência espiritual revela o mundo físico como uma miragem - uma ilusão sem
substância, a lei, a realidade, a causa ou o efeito. E esse sentido espiritual
dissolve a ilusão sem esforço mental - sem oração ou tratamento. Da mesma
maneira que o senso matemático “iluminado” vê 12 vezes 12 como 144 sem “levar
pensamento”, sem tensão mental, esforço ou processo. Apenas sabe 144 –
completo e perfeito.

Quando essa consciência espiritual torna-se cada vez maior, o trabalho


mental - o tratamento mental - torna-se cada vez menor. Que necessidade há de
se esforçar, lutar, entender o conteúdo e travar uma batalha mental com o que
agora é tão claramente visto e entendido como miragem - nada? "Meu reino não é
deste mundo". "Deixai-vos, pois o homem cujo fôlego está no seu nariz." "Deus
não faz acepção de pessoas".

"Meu Reino não é deste mundo." "Meu Reino" significa o reino do Espírito,
Alma, ou Eu Sou; "este mundo" significa o universo de conceitos, da ilusão ou
miragem. Segue-se naturalmente que isso que significa “Meu Reino” não significa
este mundo - o universo que vemos, ouvimos, paladar, tato e olfato.

Para você e para mim, esta é a mais tremenda revelação na Bíblia. Ela
mostra-nos porque há guerras com todos os seus horrores de desastre, ruína,
feridas, loucura, morte e destruição - e Deus não faz nada sobre isso.

A Segunda Guerra Mundial na Alemanha só terminou porque os alemães


estavam completamente e totalmente derrotados - sem alimentos, roupas e
munição. Será que Deus decidiu parar com a guerra, então? Não. Eles só pararam
porque não havia nada com que eles pudessem continuar.

58
A guerra asiática continuou até as duas bombas atômicas - não Deus - Por
favor, lembre-se de que por mais chocante que isso possa parecer a você, Deus
não está nos campos de batalha, não há Deus na guerra.

Havia apenas homens maus, personagens maus e pecadores feridos e


destruídos pela guerra? Você sabe melhor. A maioria das pessoas - mesmo a
maioria dos alemães e japoneses - era bons seres humanos, inocentes de
qualquer desejo de ferir alguém. Deus estava com eles? Pense nos tornados,
acidentes de trem, acidentes aéreos. Onde está Deus? Deus não entra na cena
humana. Então, qual é a sua função, e qual é a sua esperança?

Você deve ver e entender "este mundo", como uma miragem, uma ilusão,
uma sugestão hipnótica, e não tentar curá-lo, orar por ele, salvá-lo ou redimi-lo,
mas vê-lo como ele é - um falso conceito de Realidade, uma imagem onírica.
Quando despertamos deste mundo de sonho, vamos "vê-Lo como Ele é", e, então,
estaremos convencidos de que tudo está bem e "será como Ele" - espiritual e
perfeito. Devemos morrer para despertar para esta Verdade? Não. Devemos
perceber, compreender e reconhecer que o que vemos não é o mundo da
Realidade, e Deus não está nele, mas vendo além dele nós o contemplaremos “o
templo não feito com mãos” – o universo espiritual aqui e agora.

Qual é a sua esperança? Que você possa sempre viver na consciência de


"Meu Reino", no qual há sentido mortal a ser superado, não há condições erradas
a ser corrigidas e não há pecadores ou doentes para curar.

Olhando para trás, você pode perceber agora o quanto do seu trabalho
metafísico tem sido no campo do aperfeiçoamento humano. Neste momento você
está sendo conduzido ao "Meu Reino" - para aquele lugar ou ponto na
consciência, ou estado de consciência, onde há harmonia já é o estado presente e
único do Ser. O seu estudo, o seu trabalho, agora não é mais com o propósito de
acabar com uma guerra ou mudar o capitalismo para o socialismo, você se
esforça agora é para deixar de considerar as coisas "deste mundo", de modo a
sintonizar–se em uma base que conduza à realização de "Meu Reino".

59
Em Deus Consciência há riquezas da alma, palácios de substância
espiritual, uma existência de felicidade eterna. Independentemente de tão grande
e boa possa ser a existência, estes não são encontrados no sentido material.

Há esta prática em nossa experiência aqui e agora? Deixe a sua própria


resposta ser dada pelo coração. A menos que você perceba isso com sua própria
convicção interior, minhas declarações ou garantias serão inúteis. Se minhas
palavras encontrarem uma resposta dentro de você, então você não precisa de
mais garantias.

Confie no seu instinto, sua intuição - não para saber se a minha mensagem
é verdade (eu sei que é), mas com a sua prontidão para isso.

Há algo "deste mundo" muito importante para você? O que quer que de
bem exista - isso é infinito – e se desdobrará para você, sem o seu pensamento
de posse, e aparecerá como pessoa, lugar e coisa, como o desdobramento do
Bem, a Vida Se expressando, o Amor Realmente Se revelando.

Não tenha medo de deixar as coisas e os eventos "deste mundo". Mais e


melhores harmonias surgirão que você jamais sonhou - e sem planejamento,
esforço ou luta. E estes ainda aparecerão em forma tangível e substancial - como
pessoas, lugares e coisas – e você vai sorrir e conhecer melhor, você os
reconhecerá como presentes de Deus - como a Graça divina - como sua herança,
como o filho de Deus.

Capítulo 12 - Tratamento

Ninguém tem uma mensagem pessoal. Não há tal coisa como um


mensageiro de Deus. Deus é o próprio mensageiro de Si mesmo e Ele aparece à
consciência humana como demonstração.

60
Há uma abundância e perfeição a espera de cada um. Nós estamos aqui
como a presença de Deus, cumprindo o destino de Deus. Toda pessoa é uma
individualização do infinito de Deus. Ninguém pode estar sem oportunidade. Uma
das grandes lições a este respeito é encontrada na Bíblia, I Reis 19. Elias, o
profeta só não foi morto porque fugiu e se escondeu em uma caverna. O
desespero da situação parece sobrecarregar Elias. Aqui, ele é o único profeta de
Deus abandonado; seu povo desistiu do pacto e derrubou os altares.

Para Elias, certamente, não parecia haver nenhuma oportunidade deixada a


ele, exceto morrer. Mas, ao se voltar para Deus, quais foram as instruções? "Vai,
volta pelo teu caminho ... Eu deixei sete mil em Israel, todos os joelhos que não se
dobraram a Baal, e toda boca que não o beijou." Assim é com cada um de nós.
Nunca há uma falta de oportunidade, quando ela é vista como uma oportunidade
de Deus de apresentar-Se aos “sete mil” que Ele salvou para Si mesmo. Então,
não há necessidade de inveja, ciúme, rivalidade ou competição, porque há um
bem infinito que Deus tem guardado para Si mesmo. Nós aprendemos a deixar
Deus, a Mente, assumir responsabilidades. À medida que aprendemos a ouvir a
pequena voz silenciosa, nós, também, seremos conduzidos aonde o trabalho,
reconhecimento e compensação devem ser encontrados. Cultive a Consciência da
presença de Deus em todo momento.

Até que você comece a ver Deus em todas as formas e em todos os


lugares, você estará vendo alguma coisa além de Deus. “O homem que eu vejo é
o homem que eu sou.” O universo retorna para nós os nossos conceitos como nós
os expressamos. Enquanto vemos o erro como uma condição exteriorizada nós
lutamos contra ele, mas, quando o vemos como uma ilusão, nós nos libertamos
dele – e ele desaparece.

Não obstante quem lhe peça ajuda, ou qual a natureza do pedido, a


primeira coisa para você se lembrar é de que a sua percepção nada tem a fazer
com uma pessoa, lugar ou coisa “lá fora”; mas você está sendo tentado a aceitar
uma pessoa ou condição aparte de Deus.

61
Quando um pedido de ajuda vem, imediatamente reconheça que você está
sendo tentado a aceitar uma individualidade aparte de Deus, ou uma condição não
semelhante ao bem, então você precisa agora trabalhar com você mesmo. Você
precisa perceber que a cena humana inteira (você e o paciente), bem ou mal, é o
sentido finito da Realidade. Você não está sendo chamado para separar “trilhos”,
embora eles pareçam juntos; você não está sendo chamado para “erguer” o céu
acima da montanha, embora o céu pareça estar assentado sobre a montanha.
Você percebe que pecado, doença, falta e até mesmo a morte é uma miragem. E,
nenhuma miragem já molhou as areias secas do deserto.

Não peça ao paciente qualquer coisa com a finalidade de ajuda para curá-
lo. O paciente é a mesma presença de Deus todo o tempo e quando
reconhecemos que estamos sendo iludidos com a doença ou o pecado, que não
estamos tentando curar alguém ou salvar alguém, então desde o primeiro
momento, estamos reconhecendo que há apenas a presença de Deus, e que o
que está chegando para nós como sugestão é somente ilusão.

Você derrota sua própria realização, se você for para fora de sua própria
consciência buscar por ajuda. Você pode recomendar qualquer livro, panfleto,
palestra ou outra leitura, para obter inspiração, ou para o conhecimento da
Verdade, mas nunca afirme que qualquer um desses o (paciente) ajudará na cura.
Nunca desencoraje ou induza alguém participar ou se filiar a uma Igreja. Cada um
deve trabalhar a sua própria salvação no ponto de consciência, onde ele se
encontra. Seu trabalho de cura é feito dentro de seu próprio ser e não depende do
que o paciente faça ou pense.

Seja livre em transmitir a Verdade para aqueles que anseiam por ela e que
são capazes de ouvir. Nunca permita discussão ou argumento - nunca tente
convencer. Se o amigo, o buscador, ou o paciente não puderem ouvir e aceitar
pare imediatamente. Isso não significa que não possamos responder perguntas –
estamos ansiosos para fazer isso – mas a pessoa não argumentará, nem discutirá
ou tentará convencer. Da mesma maneira que a receptividade é a sua maior
qualidade assim deverá ser com esses que vêm até você.

62
Quanto de tratamento você deve fazer em qualquer caso? Quando você
"sentir" dentro de você que o trabalho é feito, você não será capaz de fazer mais,
e você se “levantará” em seu tratamento. Seja guiado pelos seus sentimentos
interiores. Se você está mantendo sua consciência clara, muitas vezes você não
dará nenhum tratamento adicional além de tranquilizar o paciente que vai ajudá-lo
imediatamente. Você intuitivamente saberá se há qualquer coisa mais, necessária
para ser feita. Nunca prometa ajuda para depois ou para qualquer outro momento
específico, mas, sempre imediatamente.

O “Eu” de você é uma ajuda presente em qualquer situação. Mesmo se


você não puder parar para fazer “algo mais”, você poderá saber imediatamente
que não há cura para ser feita - tudo É - Eu Sou - nada no futuro pode ser
realizado. A cura não é algo que você irá fazer - a cura é a realização da perfeição
agora - a "sensação" de Deus dentro de você. O pedido de ajuda nunca está
sobre a pessoa (você), mas no Eu Que Eu Sou, que é igualmente o "Eu" do assim
chamado paciente. Esse "Eu" está sempre com ele da mesma maneira que “Eu”
estou com você, e você pode confiar que o "Eu" do próprio ser dele é - o único,
universal Eu Que Eu Sou.

A oração não é o que vai do indivíduo para Deus - mas o que vem de Deus,
o Universal, para a consciência individual. A oração é a Palavra de Deus que vem
até você em silêncio.

Todo o pensamento humano que você pode ter não ajudará ninguém neste
mundo - nem vai prejudicar ninguém.

Qual é o relacionamento entre praticista, paciente e Deus? A menos que


tenhamos uma compreensão clara disso, teremos dificuldades com as curas e
com o nosso trabalho com as pessoas. Nada “vai” do praticista para Deus, ou do
praticista para o paciente. Deus, praticista e paciente são todos Um. Se assim não
fosse, não haveria mediação, intercessão, um finito e o infinito. Há Um, Deus.
Sempre que somos tentados a pensar que somos algo menos do que Deus,
insultamos a Deus.

63
A única coisa que acontece em um tratamento é a percepção do praticista
de que tudo o que existe é Deus; há somente o poder de Deus. Deus está
aparecendo como praticista e paciente, mas, sempre há somente Um e este Um é
Deus. Até que os três se tornem Um o tratamento não está completo; havendo um
sentido de dualidade o tratamento não estará completo.

Tratamento é uma percepção do Todo de Deus (Totalidade). Não pode


haver muitos, mas, Um – Único que aparece como muitos. Temos a crença em
Deus e você (dois) quando compreendemos mal este Princípio. Eu Sou Vida,
Alma. Meu corpo é Sua manifestação ou expressão, mas, ainda sempre Um – um
como madeira e mesa inseparáveis e indivisíveis. Sem madeira não haveria
nenhuma mesa.

Há única razão para qualquer tratamento é uma convicção na dualidade.


Nós nos voltamos interiormente para restabelecer o nosso sentido de unidade.
Aceitamos a crença que eu e o Pai somos dois. Temos que voltar à percepção da
unidade. Se por qualquer razão eu pareço estar separado de meu bem – saúde –
harmonia – riqueza, a cura está em nos voltarmos para o Princípio de unidade.

A razão de se perder nosso senso de unidade é devido ao sentimento


universal de mesmerismo (mente carnal). Todas as formas de vida diariamente
apresentam imagens boas e más - jornais, gravuras, filmes, etc. Toda essa
sugestão parece estabelecer em nós um sentido de separação, discórdia, falta.
Reestabeleça o sentido de unidade - isso é tudo o que há acerca da meditação ou
tratamento.

Você não terá êxito enquanto estiver vivendo uma existência dual. Não
procure por um poder fora de você. Não aceite a crença que há um poder mal ou
um poder bom que possa agir em você ou em seus negócios. Você é a Lei, o
Princípio de seu Ser e corpo. No momento em que você percebe essa unidade
você tem o infinito fluindo através de você. Nenhum poder fora de você irá agir em
seus negócios, trabalho ou demonstração.

64
Não há poder que encontrará uma casa para você morar, ou um trabalho
para você preencher. Você, você mesmo, é a Lei, mas essa Lei só é Lei se você
percebê-la dentro do seu Ser - isto é, quando você começar a "sentir" sua unidade
com Deus. Como ser humano, você não é a lei, porque se fosse, qualquer outro
ser humano no mundo seria também, e então, não haveria discórdia. Se como
seres humanos for Um com a Lei, não haveria guerras na terra. Mas, ao contrário,
por criarmos essa crença em individualidade (eu) atraímos os “erros” com ela.

Tratamento é realização, oração, comunhão. Quando a percepção acontece


internamente os quadros exteriores mudam totalmente. Todas as afirmações são
desperdícios a menos que elas acompanhem a percepção (da Verdade). Você
não precisa nomear a doença ou a pessoa; você não necessita falar para Deus se
a demonstração é física, moral ou financeira; você não tem que expressar
qualquer coisa. Tudo que você tem a fazer é “apenas Ser” – entre no lugar secreto
do altíssimo (sua própria consciência) e perceba novamente sua unidade com
Deus até que um “sentimento” receptivo venha a você.

Na meditação a experiência de cada um é diferente. É por isso que


precisamos de meditação. Não conte até mesmo ao seu melhor amigo sobre as
suas alegrias na meditação. É seu segredo o seu relacionamento com Deus, o
relacionamento mais sagrado no mundo, e não deve ser compartilhado com
ninguém. É só seu este relacionamento e ninguém pode realmente responder a
ele. Na verdade, o que abençoa um, abençoa todos, mas este é um estado de
consciência e dois não estão no mesmo nível de demonstração. Deixe os frutos
serem vistos, não fale acerca disso. Ninguém sai por aí dizendo que ele é um
milionário, ou que ele é alegre e feliz; ele pode ser visto em sua caminhada, sua
atitude, suas roupas. Assim, abster-se de expressar suas experiências é
sabedoria.

A Unidade aparece para nós como harmonia. É a Vida universal, a Única


Mente, a qual se individualiza como você e como eu. Na dualidade temos saúde e
doença, abundância e falta, vida e morte. Enquanto houver dualidade você não
evitará esses opostos. Apenas na compreensão de que você compartilha com

65
Deus todas as riquezas celestes, você pode conhecer abundância. O Todo de
Tudo (o infinito de Deus) aparece como você. Se Ela ( A verdade) se manifestasse
somente como eu, encontraria uma saída e sairia de mim. Portanto, a verdade
aparece como eu, como você. Então, quando dizemos: "O reino de Deus está
dentro de vós", entendemos que ele quer dizer, que o reino está aparecendo como
você. Caso contrário, o Infinito Bem de Deus poderia ser finito.

Seria egoísta se simplesmente levássemos para casa estes ensinamentos,


para os nossos próprios propósitos. Nada disto se destina a aumentar a
quantidade de verdade que você sabe, mas tudo isso se destina a Verdade Se
revelando mais de Deus para o mundo.

Não há limite para o que podemos fazer na percepção de nossa União com
Deus. Eu, de mim mesmo, não posso fazer nada, mas no momento em que a
demanda é feita sobre mim e eu percebo que “Eu Sou”, o limite desaparece. Com
todo o bem humano que podemos expressar ainda seremos escravos.
Independentemente do quanto de saúde física ou riqueza que possamos ter, ainda
seremos escravos de leis físicas e econômicas até o momento em que fazemos a
transição do sentido físico à consciência espiritual. No mundo econômico e físico,
estamos lutando contra a crença de que estamos ficando velhos, e assim
tornamos a idade um grande problema. Nós não superaremos isso até que
percebamos nossa Identidade espiritual. Deve haver uma transição do sentido
material de existência para a existência espiritual. Essa é a aspiração e o objetivo
de todo o estudo espiritual.

A razão de muitos profetas espirituais e homens santos terminarem na


pobreza ou na doença é que eles sempre consideraram que havia um Deus e
eles. Olhavam Deus para algo em vez de perceber Eu Sou. Se a Vida é
autossustentada, então por que nos preocupamos, duvidamos ou tememos essa
vida. Eu Sou Vida eterna. Não há nenhum erro exceto a crença na separação de
Deus. O erro (a separação de Deus) é o único satanás.

66
“É charlatanismo mental tornar a doença uma realidade – é se prender a
algo visto e sentido – e então tentar curar através da Mente.” (Science and
Health). O lugar de Mary Baker Eddy na história está baseado na revelação da
natureza do erro – ilusão, hipnotismo e mesmerismo. Então não temos que lutar
contra ele. Apenas conhecê-lo como miragem e esquecê-lo. Trate a crença em
doença como você trataria o pecado- com rejeição súbita. (Ibid.)

Miragem é a sua crença de que o que aparece a você é outra coisa


diferente de Deus. Tudo o que for aparecendo só pode ser Deus a própria
Realidade aparecendo. A ilusão está na má interpretação do que está "lá fora".
Devemos lembrar que a ilusão não está "lá fora", mas somente no equívoco da
própria Realidade. Só quando assim constatarmos, começaremos a ver que não
há nada e ninguém para ser curado, salvo ou melhorado.

Eu existo como a consciência e, portanto, nada vem para mim, exceto como
consciência e tudo o que está dentro da minha consciência é bom, e eu não serei
convencido de que é mal. Não há tal coisa como erro pessoal. Não tenho direito
de condenar ou ser condenado. Qualquer sentido de erro é sempre uma crença
universal que está me submetendo. Tudo o que é crença universal pode ser
superado ou jogado fora. Saiba que você não pode ser usado como um caminho
ou canal de expressão para essas crenças universais, porque só Deus, o Bem,
aparece como você.

Isto é verdade para qualquer tentação de forma que é uma reivindicação


universal (Deus aparecendo como cada um de nós). Estamos apenas sendo
usados como alvos ou vítimas. Devemos superar a crença ou a ilusão de que há
algo de natureza oposta a Deus. Devemos perceber nossa união com Deus desde
o momento em que despertamos de manhã. Qualquer coisa no mundo pode se
tornar um veneno ou um dano - que é o caminho da crença humana. Dualismo é
uma coisa muito maravilhosa para o sentido humano. Estamos quebrando a
dualidade. Sabemos que Deus é o único poder, não há poderes menores, não há
nenhuma substância além de Deus, não há nenhum ser aparte de Deus; há um
Único, e todo o ser está incluído na ideia infinita de Deus. Dualidade é o único

67
satanás que nós temos. "Eu sou o Senhor e não há outro, não há outro Deus além
de mim." (Isaías 45:5)

O Hindu "Om" e o Bíblico "Amém" originalmente significavam "EU SOU". A


própria pronúncia deveria ter poder de cura.

Eu já Sou, “para onde fugirei da tua presença?" Quando o Eu Sou Se


expressa a nós, a individualidade humana desaparece. Não é ela que é Deus e,
portanto não deve ser exaltada. O "futuro" é a dualidade e, portanto, é o diabo.
Qualquer afirmação ou negação, escrita ou falada, que tem por objeto corrigir,
melhorar, curar ou obter algo é apenas um desperdício de tempo. Todo argumento
será uma lembrança daquela Verdade eterna que é agora. Exatamente onde o
desejo está a manifestação deve estar.

Vamos agora realizar a ideia de saúde espiritual, de alegria e paz espiritual.


Vamos parar de descansar no sentido humano de bem, nos meios humanos de
bem. Se nós não fizermos a transição para o sentido mais “valioso” (espiritual) de
vida e saúde, o trabalho de cura não pode assumir seu sentido mais elevado.

A cura de condições físicas não é diferente do que quando feita


metafisicamente a menos que seja obtida através da percepção da natureza
espiritual de Vida, Mente, corpo, harmonia, saúde e domínio. A sensação física ou
mental de domínio não é o nosso objetivo. Nosso objetivo é a realização de um
sentido espiritual da existência e não podemos ficar satisfeitos com nada menos.

Chegou a hora de fazer a transição da cura de discórdias físicas para


realização da harmonia espiritual de ser - para o sentido espiritual de suprimento-
para o sentido espiritual de alegria, paz e domínio. A alegria do espírito é
completamente diferente da alegria no sentido humano da palavra. Sucesso,
espiritualmente compreendido é uma aquisição de “coisas” completamente
diferentes de dinheiro ou fama. O sentido espiritual de saúde é algo distante de
um coração que bate a uma taxa normal de velocidade. A Vida Eterna não é
encontrada no reino físico; nenhuma provisão infinita é encontrada no reino físico,
nem o sentido contínuo de alegria, paz ou domínio.

68
Então, até que nos elevemos acima deste sentido físico de existência, não
poderemos encontrar o bem eterno ou imortal que estamos buscando. No mundo
onde melhoria humana é a regra e a meta, há também o sentido de saúde e
doença, riqueza e pobreza – os opostos em outras palavras – e a pessoa pode ter
hoje um e outro amanhã. Enquanto na consciência espiritual da existência há
somente a continuidade do bem.

As curas não deveriam ser agora uma questão de poder mental, de luta
mental, de esforço mental, - cura deveria ser um assunto da Graça com você. O
tempo já passou há muito para você estar lutando por uma cura; você deve ter
chegado a esse estado de consciência em que as curas são realizadas através da
Graça - através do Amor - com apenas um sorriso.

Quando você entende que a única Mente (de vocês) governa e controla
seus negócios - quando você entende que nada fora de você age sobre você ou
seu suprimento, sua saúde ou o seu corpo, que tudo o que está ocorrendo com
você está ocorrendo como resultado direto de seu próprio estado de consciência,
então você pode começar a corrigir tudo o que está errado em seus negócios da
mesma maneira que você pode se tornar uma lei para seus negócios e para todos
que vierem a você por ajuda.

Você não tem que utilizar argumentos mentais, - afirmações, negações;


você tem que cultivar o discernimento espiritual para trazer resultados de
harmonia, paz, prosperidade em seus negócios. Da mesma forma, na proporção
em que você tem um estado material de consciência, na proporção em que você
acredita na matéria como real, nesta proporção esse estado material da
consciência age lesivamente e erroneamente sobre seus negócios. Trazer
harmonia significa espiritualizar seu pensamento.

Há aquele o qual é invisível ao sentido material, mesmo invisível para o


intelecto, mas tangível e real para aqueles de visão interior - de consciência
espiritual. Chama-se a Presença - o Espírito interior - e por muitos outros termos.
Na verdade, é a realidade do seu Ser ou “Eu” interior. Sua função é ir antes de

69
você para tornar os lugares tortos em retos; ser os verdes pastos e a águas
tranquilas de sua existência; ser os Braços Eternos - A sombra do Todo-Poderoso.
É o que fornece o maná no deserto; que faz brotar água das rochas; que fecha a
boca dos leões; que faz com que as chamas ardentes não tenham nenhum poder;
é a inteligência do seu Ser, que fornece para você e em você a resposta para
todos os problemas. Recorra a esta Presença Interior e você estará eternamente e
inteligentemente governado e sustentado apesar das condições humanas.

Sem ela (a Presença), você é como uma cortiça no oceano levada por toda
brisa e toda onda. Com ela, você é a onda sustentada pelo próprio oceano,
capacitada por toda a energia do mar da Vida. Sem ela, você é vítima de pessoas
e circunstâncias. Com ela você é o capitão de sua própria alma e mestre de seu
destino.

O sentido material nunca irá revelar a harmonia permanente de ser. A


intuição é a faculdade espiritual - é a qualidade espiritual. Nós desenvolvemos
este sentido espiritual à medida que aprendemos a despir o velho homem que
julga pela aparência e obter o novo homem que intuitivamente percebe a realidade
por trás da máscara da personalidade. Aqueles que ainda não conhecem o Eu
Interior usam a máscara de autoproteção, auto- importância, autodefesa - somente
até que eles aprendam que Deus é o seu Ser real então não necessitam de ajudas
artificiais.

Homens roubam porque eles não sabem que eles incorporam o seu próprio
bem, eles carregam Bíblias com revestimento de aço, porque eles não sabem que
a Palavra é a sua proteção suficiente. Eles protegem a própria Palavra com
chapas de aço. Isto é trágico, e às vezes nós também tentamos nos proteger com
palavras e declarações, ao invés de saber que a própria Palavra em Silêncio é a
nossa verdadeira Vida.

70
CAPÍTULO 13 - Consciência Individual Infinita

Cada indivíduo no mundo tem dentro de sua própria consciência toda a


invenção, todas as artes, já conhecidas. Nós somos a personificação de toda a lei
do universo. Através de um processo que chamamos de aprendizado parece que
estamos nos ocupando com um pouco de metafísica hoje, um pouco de música
amanhã, enquanto a verdade é que eles já fazem parte de nossa consciência, e a
nossa percepção deles só está se desdobrando aos poucos. Há pessoas que são
capazes de compreender essas coisas sem passar pelo processo habitual. Isto é
a consciência divina. Isso explica crianças prodígios. Essas pessoas têm a Mente
universal sem qualquer obstrução.

Quanto mais nos aproximamos da realização dessa Consciência universal,


mais infinitude se torna aparente. A verdade não é acrescentada à sua
consciência - ela vem através do desdobramento de Si mesma. Nossa assim
chamada consciência humana é um obturador (comparação com a máquina
fotográfica). Em um determinado ponto, ele admite muito pouca luz, abrindo um
pouco mais, ele admite mais luz, e quando nos tornamos mais e mais
espiritualmente atentos, o obturador ( a consciência) abre mais e mais, até que
finalmente toda identidade humana desaparece. A plena luz então brilha.

Nós não podemos aumentar a nossa consciência, que já é infinita, mas


podemos nos tornar consciente de sua natureza infinita. Você não pode
acrescentar nada a si mesmo, você não pode nem mesmo tornar-se mais
espiritual ou mais sábio, mas apenas mais consciente do infinito de sua própria
consciência espiritual, na proporção em que você percebe que Deus é a Mente, a
Substância e o Espírito de você e de mim (de todos nós).

Podemos vir para o estudo da metafísica ou da Bíblia para ganharmos mais


saúde, riqueza ou atividade nos negócios, mas em última análise não é o que vai
acontecer conosco. Na verdade, este aumento da sensação espiritual de bem
produzirá um “sentido de vida melhor”, aumentará facilidades materiais, e até
71
mesmo prolongará o nosso sentido humano de existência em alguns anos, mas
este não é o objeto do nosso estudo. O objeto de nossa busca da verdade é
ganhar um sentido espiritual de existência para que possamos viver perfeitamente
e eternamente.

Podemos de repente descobrir que a doença ou a discórdia ou falta


desapareceram, mas isto só terá valor se servir como um trampolim para as
manifestações reais de existência espiritual. Se não levar a isso, na melhor das
hipóteses, só pode ser um caso de troca de um pedaço ruim de corpo por um
pedaço bom. A média dos estudantes de metafísica está satisfeita em parar ali e
deixar a vida tornar-se apenas uma rodada de manifestações ou tentativas: a
verdade torna-se apenas uma nova forma de medicina para ele. O efeito é o
mesmo que chamar um médico para administrar a pílula e o erro (a causa da
doença) não está sendo tratado. Não é dever da verdade curar-me, mas revelar a
natureza espiritual do meu ser, de modo que eu não precise uma sequência
constante de tratamentos.

Também nos voltamos para o estudo da Bíblia para experimentar um


melhor senso de companheirismo, e nós experimentamos isso em um amigo,
marido, esposa ou filho.

O objetivo de nosso estudo é, então, em primeiro lugar, a melhoria da


nossa identidade humana - a melhoria da nossa existência humana, na saúde,
riqueza, harmonia, companheirismo - mas, não vamos parar por aí.

Em sete mil anos de história registrada, nunca tivemos paz no mundo


apesar de milhares de religiões que há sobre a terra. Todas falharam em trazer a
condição de paz - e por uma razão: elas não conseguiram enfatizar a unidade do
individuo e Deus. Quando percebemos essa unicidade percebemos que esta é a
verdadeira relação no mundo. Não há mais nenhuma necessidade por guerra. Na
realização da unidade demonstra-se a impossibilidade de preconceito racial ou
religioso ou a inveja da posse de alguém. Este conhecimento é útil, essas coisas
são leis absolutamente demonstráveis da Bíblia, as leis do Ser e vai acabar com a

72
intolerância, o preconceito, o desejo de posse do outro. É impossível odiar ou
temer alguém após a realização da percepção da unidade. Após o momento de
percepção, não precisamos de igrejas, livros ou ministros. O homem
espiritualizado é a única coisa que precisamos perceber (realizar).

A vida é autossustentada. Que vida? A única Vida que temos - a sua Vida,
minha Vida. Esta grande visão virá a nós apenas quando transcendermos a
individualidade humana (personalidade) e começarmos a viver a divindade de
nosso Ser.

João disse: "Agora somos filhos de Deus." Aqui novamente há uma


diferença em nosso estudo da Bíblia que frequentemente acreditamos ser
realizado simplesmente lendo. Não importa se João disse isso ou não. Porém, se
vemos que está sendo revelada a nós a verdade do ser, então a declaração em
vez de ser uma citação Bíblica se torna uma lei para o nosso ser. As citações da
Bíblia não têm sentido enquanto estão no reino das citações, mas quando nós as
aceitarmos como leis, elas se tornam leis para a nossa demonstração. “Vós sois a
luz do mundo.” Aprovada, esta afirmação torna-se uma lei para nossa
demonstração.

Desde os primeiros estudos Bíblicos, faz-se menção da "vinda do Messias".


Esta promessa tomada literalmente não tem sentido, não pode fazer nada por nós.
Prosseguindo, a Bíblia registra a vinda do Messias, cumprindo a crença de que a
profecia significava a vinda de um homem. Se formos muito honestos admitiremos
que por si só isso não fez nada para nós. O único valor da profecia da vinda de
Cristo será quando ela é entendida como a vinda de Cristo na sua consciência e
na minha consciência, e temos que despertar para a realização que somos esse
homem espiritual - o Filho de Deus - o Messias - chamado Paz, Poderoso
Conselheiro.

Se o sentido histórico da Bíblia é literalmente verdadeiro, todos os anos,


antes do advento de Jesus, durante o tempo que o Messias foi prometido, teriam
sido anos de escuridão absoluta - sem um Salvador de qualquer tipo. Então

73
encontramos o registro do homem Jesus o qual foi registrado como o Messias
prometido. Se este registro é literalmente verdade, que a vinda do Messias, ou
Salvador, é a vinda de um homem a terra, então não houve Salvador na terra
desde 33 d.C. Em outras palavras, toda a história do mundo, de acordo com a
interpretação literal da Bíblia, mostra apenas três anos durante os quais Deus teve
um Salvador na Terra.

Se agora aceitamos a revelação depois de Cristo, que somos Filhos de


Deus e "antes que Abraão existisse, Eu sou", então saberemos que sempre houve
um Salvador do mundo. Portanto, essas promessas não podem ter relação com a
realidade, e estas declarações devem ter algum outro significado vital. A promessa
literal do Antigo Testamento é que haverá um Messias ou Salvador, e quando
literalmente interpretado, os Evangelhos do Novo Testamento apresenta a vinda
de um homem em cumprimento da antiga profecia. Este Salvador fica na terra por
alguns breves anos e novamente deixa o mundo com apenas uma promessa de
um futuro Salvador - a Segunda Vinda.

Espiritualmente interpretado, o registro no Novo Testamento do nascimento


de Cristo, é o nascimento de nossa consciência, onde e quando ela ocorre. O
nascimento na manjedoura significa que ele ocorre em um tempo e lugar de
pobreza espiritual - o pensamento humano - e é desta maneira que o Cristo vem a
nós.

A vinda de Cristo é a vinda da perfeição em você e em mim - e não a vinda


de um homem que seria perfeito. Nós nascemos como seres humanos,
aparentemente, e crescemos como seres humanos. Através do estudo que
fazemos desenvolvemos algum grau de Consciência Crística, mas aprendemos
que não é suficiente. Temos que desenvolver esta Consciência a um grau maior: é
preciso que nos tornemos um Cristo vivo total e completo. Ajudas nos foram dadas
ao longo do caminho: ir à igreja, ler os escritos da Bíblia ou os escritos
metafísicos, e na medida em que utilizamos estas ajudas, estamos fazendo
progressos ou temos escorregado.

74
Devemos utilizar, tanto quanto possível, a linha de pensamento previsto
para o trabalho no capítulo "Meditação" do livro “Caminho Infinito”. O objetivo
deste é a realização de nossa união com Deus. Dessa maneira, cultivamos o
sentido espiritual e despertamos a consciência para a Realidade divina.

É apenas a crença de que somos seres humanos, que nos separa do nosso
bem neste momento. O único antídoto para isso é a verdade que "Eu e Pai somos
um." Mas apenas recitar esta declaração não lhe fará nenhum bem. O que você lê
nos livros e ouvi dos homens são demonstrações da verdade, mas a própria
Verdade é o que você discerne entre as linhas. Qualquer afirmação só pode ser
uma declaração sobre a Verdade, e não a verdade em si. No entanto, tal
discernimento pode servir para mantê-lo em sintonia com o infinito até que a
consciência responde e se abra. Portanto, esse deve ser o nosso trabalho
consciente para perceber nossa união com Deus e com cada ideia espiritual de
felicidade, prosperidade, simpatia, saúde. Quando nos damos conta de nossa
unidade com essas qualidades, nós as demonstramos. Essa percepção não só
nos permite expressar essas qualidades aos outros, mas obriga os outros a
expressá-las para nós.

A Bíblia nunca deve ser considerada pessoal, nem mesmo quando se usa
os nomes de pessoas, lugares, cidades, ou rios, mas, significativa de qualidades e
atividades espirituais. Os Hebreus ainda estão profetizando a vinda de Cristo. Eles
ainda estão em apuros, porque eles estão reconhecendo em si mesmos falta de
ajuda espiritual – direcionando-a para o futuro. Muitos cristãos também estão
aguardando a segunda vinda de Cristo, e eles também estão adiando a sua
esperança de salvação para algum momento futuro. Isto é fatal para a
demonstração.

Supondo que, por alguma razão nos encontremos na rua, todas as


propriedades, posses, etc. se foram, nós não temos nada atrás para retornar ou
recorrer; estamos completamente sozinhos. Deus é menos Deus, naquele
momento, que o momento anterior, quando pensávamos que tínhamos tanto?
Este é um ponto que devemos entender. O que é esse Cristo? Sua Consciência -

75
a infinita, divina, espiritual Consciência, que é a sua consciência individual, quando
seu sentido de um poder aparte de Deus for superado. Assim, então, se você se
sentou perfeitamente imóvel, sem um pensamento exceto "Obrigado Pai, eis-me
aqui", e "onde eu estou Deus está" - não dois, mas um - você se encontrará em
período breve de adaptação, no mesmo nível de suprimento e saúde que você
tinha antes da perda. Como sua consciência se desdobra (revela-Se), ela vai
mantê-lo e apoiá-lo no mesmo nível que você já atingiu.

No pensamento humano, há estados e estágios de consciência e quando o


eu pessoal, ou ego, é de suma importância, nós estamos com a finalidade
principal na vida de conseguir, realizar, adquirir - toda a nossa vida está orientada
para nós - enquanto o mais elevado estado de “identidade humana” é marcado
pela preocupação em ajudar, ensinar, cooperar, então a vida está fluindo para fora
de nós, e estamos mais preocupados em ajudar e compartilhar o que temos
obtido. Na vida espiritual, vamos mais alto do que isso - nós somos a Luz do
mundo - e não estamos mais preocupados com o quanto temos ou se não temos
nada. Nossa preocupação, então, é realmente sermos a Luz do mundo -
manifestando uma maior harmonia da existência espiritual e permitindo que essa
harmonia e perfeição em nós possam atrair aqueles que estão em busca de algo
melhor do que eles já têm.

Deus não tem favoritos e, portanto, o sentido espiritual não está


preocupado em ajudar e ensinar o outro companheiro. Ergue-se, o bastante como
o farol, esperando que o outro colega desperte para sua própria identidade.
Somos uma Luz do mundo na proporção que percebemos que não há trevas no
mundo, e qualquer aparência ao contrário é ilusão. Este é o lugar onde começa o
nosso trabalho metafísico. Devemos viver na consciência de que nós, como
indivíduos somos a Luz do mundo, e porque não descemos deste alto estado,
aqueles que ainda não despertaram para encontrar sua verdadeira identidade,
também serão a Luz do mundo através do nosso contato com eles.

A consciência do indivíduo é o Salvador, e quando chegamos a esse


entendimento, percebemos que não há necessidade de reconhecimento ou

76
recompensa. A promessa da vinda de Cristo é a promessa da vinda à nossa
consciência individual o Cristo, que já está e estava lá antes de Abraão - que vai
estar lá até o fim do sentido humano do mundo - até que não haja mais
necessidade para esta grande Luz ser filtrada para baixo através de um obturador
(ou seja até a consciência se abrir).

A quantidade de trabalho diário feito em meditação determina a quantidade


de desdobramento, e que, por sua vez, determina a quantidade de demonstração
exterior.

Você nunca se livrará de seu corpo, mas você vai se livrar do falso sentido
material do seu corpo. A sensação do corpo de Jesus mudou após a crucificação,
mas de qualquer maneira, era o mesmo corpo.

A vida deve se tornar uma aventura - e não um número de Segurança


(Previdência) Social.

Capítulo 14 - Unicidade

A interpretação espiritual da Escritura revela que há somente um Deus, um


Poder, uma Presença - e que o bem e o mal, portanto, podem existir apenas como
ilusão ou miragem. Ele revela ainda que Deus, Presença, Poder, não é algo
separado ou distante de mim, mas sim, é a realidade e substância do meu ser. "Eu
sou eu".

Visualizando as Cataratas do Niágara de frente, desejamos saber se esta


maravilha que está fluindo não secará. Olhando de outra direção, vemos por trás
da grande Catarata do Niágara, o Lago Erie. Agora percebemos que é mais um
nome dado ao Lago Erie, o grande lago, que cai sobre as Cataratas. O lugar que
parece como Niágara (Cataratas) é realmente o Lago Erie; assim as Cataratas do
Niágara e o Lago Erie são realmente um e não dois.

77
“Eu e o meu Pai somos um". Eu sou o lugar onde Deus se evidencia e se
torna individualizado. Emerson manifesta seu reconhecimento desta verdade no
primeiro parágrafo do seu ensaio, "História": "Há uma mente comum a todos os
homens. Cada homem é um abrigo para si mesmo e da mesma maneira é para
todos. O direito da razão já lhe pertence e o torna um homem livre de toda a
condição. O que Platão pensou, ele pode pensar, o que um Santo sentiu, ele pode
sentir, o que, a qualquer momento se abateu sobre qualquer homem, ele pode
entender. A mente universal é quem tem acesso a tudo, aquilo que é ou que pode
ser feito, pois este é o único e soberano agente”.

E é este poema que Emerson escreve:

"Eu sou o dono da esfera,

Das sete estrelas e do ano solar,

Das mãos de César e do cérebro de Platão,

E do coração do Senhor Cristo,

Da estirpe de Shakespeare ".

No fundo de seu ser interior há uma Presença invisível que tem sido sentida
pelos profetas e videntes de todas as idades. Moisés sentiu-A em seu peito
quando pastoreava nas colinas. Elias e Eliseu comungaram com Ela dentro de si e
realizaram milagres. Ela (A Presença) deu o poder e a visão de Isaías e Jeremias,
Joel e Jacob e o caminho aos líderes Hebreus. Todo homem tem essa Presença
divina no fundo de si mesmo. Os judeus chamam de Emanuel, ou Deus conosco.
Os cristãos chamam de Cristo. Este Emanuel, ou a Presença de Deus, é a faísca
que faz de você um homem. Sem Ele você seria um pedaço de carne morta, com
ele você é a vida, o raciocínio, o ser amoroso.

Abra a sua Bíblia e volte-se para algumas das histórias emocionantes de


David, Salomão, José, Samuel e outros profetas, e perceberá que o espírito dentro
deles, o espírito de amor, os levou a realizar grandes feitos para o seu povo, e que

78
foi o Espírito da Verdade que os exortou a servir os fracos, os pobres e
sofredores. O mesmo Espírito, Emanuel, está dentro de você. Ele forma o seu
desejo de viver, para servir e para ter sucesso.

Outro notável conhecido como Jesus de Nazaré, sentiu este poder do


Espírito dentro de si mesmo e este fogo do Amor que nele chamejou, foi para
fazer do seu ensinamento a esperança da humanidade. Esta luz interior, este
Emanuel, que hoje chamamos o Cristo, o Espírito de Deus agora, é o mesmo
Emanuel em um idioma diferente. E lembre-se, ele habita em vós, aguardando
apenas o seu reconhecimento e aceitação. É este gigante poder que destrói a
casa, com energia dinâmica para construir um novo corpo e uma nova vida.

Acredite em mim, há mais em você do que carne e sangue: "há um espírito


no homem, e a inspiração do Todo-Poderoso é que traz o entendimento".

O Maná de ontem:

Nós não "vivemos somente de pão", mas pela Palavra de Deus que nos
vem de dentro de nosso próprio ser.

Nossa alegria diária está em nos dirigirmos àquele centro de silêncio dentro
de nós mesmos e aprendermos a ouvir "a voz mansa e delicada".

Não precisamos viver do maná de ontem. Não há tempo no mundo, quando


a Palavra de sustentação está nos aguardando. Não há dia em que não podemos
nos voltar e nos sintonizar com o Reino interior e recebermos a orientação,
encorajamento, sabedoria e alimentação necessária para esse momento. Mesmo
o dinheiro de ontem, fama ou amigo não é necessário, porque a Presença dentro
de nós nos alimenta diariamente com maná fresco quando aprendemos a recebê-
La.

Nem se regozije, nem se lamente sobre o maná de ontem. Hoje é seu dia
de recebê-lo mais uma vez.

Interpretação Espiritual das Leis da Bíblia:

79
A Lei do Dízimo, quando você dá um percentual de sua renda para fins de
caridade ou espiritualmente, deve ser entendida tal lei como um ato de gratidão, e
não como aquisição de um direito de expectativa para algo de bom no futuro.
Quando o dízimo é dado para satisfazer o sentido de um tempo futuro, não é mais
dízimo, mas suborno. Quando o dízimo é uma expressão de gratidão, então é uma
lei do bem.

A Lei de orar por seus inimigos: Você deve se elevar, antes de tudo ao sentido
espiritual da vida e, assim, perceber que a harmonia, sucesso, paz e liberdade não
são alcançados à custa do outro. Quando você compreender que "o lugar em que
estou é terra santa "- que você “está escondido com Cristo e em Deus” - assim
deve você perceber que todo o universo é espiritual, perfeito e livre. Manter o
conceito sobre qualquer pessoa, raça, religião, grupo e nacionalidade como
inferior, como inimigos, é negar a Cristo, a Verdade, e a oração não é seguida de
qualquer proveito. Você deve estudar as passagens das Escrituras que
simbolizam este ensinamento de orar pelos inimigos e vivê-las completamente.

Lei da Oferta: Esta lei é exemplificada em Lucas 12, 22 a 32. A essência da lei da
oferta, como foi revelada ainda em meu livro O Caminho Infinito, é essa, Eu sou
essa lei. A Consciência Divina, que é a Mente do indivíduo, é que é a lei que
atende todas as necessidades abundantemente.

Um poder: Esta é a essência do Novo Testamento. Revela-se primeiramente que


existe apenas um Poder e que este Poder é bom, em segundo lugar, revela que
Eu sou aquele Poder, Eu sou a lei do meu universo, corpo, negócios e saúde.

Capitulo 15 - Oração

Devo dizer-lhe por que há tanta falta de demonstração nos círculos


metafísicos? É porque existe uma dependência de declarações da Verdade -
afirmações e negações - em vez de um esforço para fazer um contato real ou a
80
percepção do Verdadeiro Ser. Falar sobre Deus, sobre a Verdade - totalidade -
saúde não fará o contato. Fale menos. Ore mais. O que é a oração? É alguma
palavra ou mensagem que você envia a Deus? Não. Oração é a Palavra de Deus
que vem até você quando você está em silêncio, apenas receptivo o bastante para
recebê-La. Essa Palavra de Deus que você recebe quando está em silêncio se
torna visível como saúde, harmonia, sucesso, paz, alegria e domínio.

Até que cada um de nós possa informar que recebe a Palavra de Deus
continuamente, que pode quase sentir a Presença divina, haverá necessidade
desses lembretes. Deste ponto em diante, há pouca necessidade de aprender
mais Verdade. Você já sabe o que Deus é; o que o Cristo é; o que o homem é; e
você sabe a natureza do erro e como ele opera. Pelo menos você pode passar
num exame oral ou escrito nestes assuntos e obter não menos do que 100%. Está
intelectualmente claro para todos nós (estudantes de metafísica), este ponto
principal da metafísica. Se qualquer um de vocês duvidarem do seu entendimento
destas verdades metafísicas, então se apresse e adquira conhecimento perfeito
delas: Deus – o Cristo – o homem – o erro.

O próximo passo é a oração, ou tratamento. Eu prefiro pensar no


tratamento como uma tomada de consciência, por meio da argumentação da
verdade sobre Deus, Cristo, o homem e erro; e oração, como a consciência
espiritual da Verdade através do Silêncio. Em outras palavras, o tratamento iria
lidar com a letra da verdade, ou argumento, conduzindo até a realização, e a
oração seria o puro Silêncio e receptividade à consciência espiritual de harmonia.
Você entende, naturalmente, que geralmente tratamento metafísico e oração são
sinônimos, mas eu fiz essa distinção para mim.

A oração, para mim, é um estado de receptividade no qual a Verdade é


percebida sem o uso do pensamento consciente. A princípio a oração é melhor
praticada quando sentamos calmamente e de forma pacífica em um ambiente
harmonioso. Estamos mais aptos a alcançar o Silêncio quando estamos longe de
ruídos perturbadores e pensamentos insensíveis. Quero dizer com isso, quando
estamos na mesma sala com pessoas que não entendem ou apoiam o nosso

81
pensamento. Jesus se isolava em algum lugar com os seus discípulos. Dessa
forma, devemos encontrar na meditação ou oração uma tarefa fácil quando
estamos reunidos assim ( com o mesmo objetivo). Temos a quietude da noite e a
companhia uns dos outros - todos nós estamos ansiosos por esta experiência da
consciência de Deus.

A experiência Pentecostal vem fácil quando estamos juntos - em um lugar e


em uma só Mente. "Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome,
aí estou Eu no meio deles" – a presença de Cristo é sentida e responde. À medida
que continuamos a nossa oração diária - reservando três ou quatro períodos de
cada dia e nos estendendo mais pelo menos de manhã e a noite - a realização da
Receptividade Silenciosa se torna cada vez mais natural e simples. Aos poucos,
nós nos encontramos em oração durante o trabalho - na condução - a pé.
Finalmente nós A alcançamos mesmo enquanto conversamos ou dentro de uma
sala onde há muita conversa - mesmo no teatro, no cinema e em muitas outras
atividades. Tudo começa com a prática da “escuta silenciosa”. Aprenda a manter o
ouvido alerta o tempo todo. Nunca esteja tão absorto no que está fazendo
esquecendo-se de manter o ouvido atento. Não se preocupe com ou sobre os
resultados. Nós não temos direito de pensar em resultados mais do que o iniciante
ao piano deve estar pensando em um concerto. Receptividade constante para o
Eu Interior deve ser o nosso objetivo.

Tenho-vos mostrado o ensino conforme autoridade Bíblica de que Eu Sou.


Você seguiu a revelação Oriental nas muitas declarações que Eu Sou; você ouviu
Moisés declarar, "EU SOU O QUE EU SOU"; ouviu Jesus lhe dizer mais e mais
que Eu sou a Vida, a Verdade, o Caminho, a Ressurreição, o Vinho e a Água.

Da mesma forma, eu te ofereci espontânea autoridade sobre a minha


revelação da natureza do erro. Seria uma verdade e um ensinamento correto se
eu não lhe tivesse dado nenhuma autoridade, apenas a minha palavra, mas nunca
lhe apresentei alguma coisa como totalmente original, porque eu mesmo encontrei
autoridade através de todas as eras da história para o que também se revelou a
mim. Tendo lhe demostrado que não estou oferecendo nada de novo, exceto,

82
talvez, uma forma individual de apresentação, eu sinto que você deve estar pronto
para não julgar nada sobre a força de sua própria reação. Em outras palavras,
agora você deve estar suficientemente atento à única Mente e ser capaz de ler ou
ouvir qualquer declaração da metafísica e saber por si mesmo se é ou não é uma
verdade ou crença pessoal. Jesus disse, “Minha doutrina não é minha, mas,
Daquele que me enviou.” Seus ouvintes deveriam ter sentido a retidão de suas
palavras. Gostamos de sentir que se tivéssemos estado entre as multidões
ouvindo Jesus certamente teríamos reconhecido a Verdade e seguido os seus
ensinamentos. Talvez - talvez.

Eu quero apresentar a você um ensinamento mais radical - e, francamente,


eu não me atreveria a fazê-lo mesmo para vocês estudantes avançados, a menos
que eu pudesse conduzi-lo suavemente através de um caminho de autoridade.
Mesmo este caminho não vai tornar o ensinamento menos radical - mas servirá
para segurá-lo até que tenha demonstrado ( a Verdade) em alguma medida.

Enquanto apresento a você a revelação de sua verdadeira identidade como


Consciência espiritual infinita, eu, não obstante, mantive você em ambientes
familiares de forma que o salto não seria muito grande. Mas, nós estamos partindo
agora em uma viagem em águas profundas; e você precisa se lembrar muitas
vezes que a Mente Única é a sua única Mente, e, portanto, você pode depender
Dela para orientação e direção e proteção.

Alguma vez você já pensou em como você curaria, se você não pode usar a
mente humana?

Capítulo 16 - Limpando o templo

Quando você vem para o Cristo, venha com um desejo sincero de ser
purificado interiormente. Você não está vindo a um ensinamento do qual você
espera receber mais ou melhores condições humanas. Você não está apenas em

83
busca de ter a sua existência humana mais fácil, mais saudável ou até mesmo um
pouco mais longa, mas você está pedindo para ser erguido completamente acima
do nível humano da vida para a consciência espiritual da Vida e suas harmonias.
Não se apegue ao sentido pessoal de bem, que tem a tanto tempo obstruído sua
visão do Cristo. Esteja disposto, esteja preparado para o Cristo, para dissipar todo
o sentido pessoal - mesmo que humanamente seja bom. Chegar ao Cristo – e
vestir o Seu manto, e ainda insistir em manter conscientemente a ganância, o
ódio, a inveja, a luxúria, a intolerância, inveja e ingratidão - é convite ao desastre.

Quando você abrir o seu pensamento para o Cristo com toda a


honestidade, a Presença Divina irá dissipar todas as características errôneas, e irá
revelar-lhe como o templo espiritual perfeito.

Se você se apegar a certos erros, enquanto convida a entrada de Cristo no


Templo do seu ser, você estabelece uma guerra entre o espírito e a carne - entre
a Alma e o sentido material - e esta guerra pode destruir afinal, o Templo de seu
ser, seu corpo pelo menos temporariamente.

Venha para esta busca da Verdade com integridade espiritual. Seus


pecados presentes, falhas e limitações não devem ser temidos. Eles irão
desaparecer quando você entregar o sentido pessoal ou material de existência
para a consciência espiritual da Vida.

O Dicionário de Metafísica diz: O “Templo de Salomão” é um símbolo do


corpo do homem regenerado, que, ao alcança-Lo nunca mais sairá. “Este Templo
duradouro é construído na compreensão do Espírito, como a única causa de todas
as coisas.” Quando você percebe Deus, Alma ou Espírito como o único princípio
causal, você também deve entender que tudo que existe é a substância eterna e,
portanto, imortal. Esse entendimento constitui sua consciência espiritual da Vida e
de suas formações, e quando você tiver alcançado esse entendimento, nunca
perderá o seu suprimento ou o seu corpo, você terá alcançado a vida eterna aqui
e agora e não haverá mais morte, nem passagem, ou até mesmo a doença, para
você.

84
Na construção dessa nova consciência, você está construindo o Templo
"não feita por mãos, mas eterno, nos céus". Este templo não se constrói com
materiais, mas com a substância pura do Espírito. Você não pode construir com as
qualidades humanas do bem. Você não pode construí-Lo com o pensamento
errado mais do que você não pode construí-Lo com o pensamento certo. O
pensamento humano não vai construir este edifício espiritual, eterno e infinito. O
pensamento humano é finito e mutável, e não pode resultar em uma estrutura
indestrutível e imortal.

O Templo de Deus, que é o seu corpo, e que é também o corpo de tudo


que diz respeito à sua existência individual, não é visível para o "homem cujo
fôlego está no seu nariz." O corpo real, ou Templo de sua existência, é visto
apenas com a visão espiritual, assim como ele é construído e mantido apenas
pela consciência espiritual.

Você não tem que declarar que você atingiu essa consciência, pois é
evidente, para o mundo, as harmonias, alegrias, paz e domínio que você mostra
no viver diariamente. Sua realização espiritual é evidente por seus efeitos que são
vistos como a saúde, sucesso, equilíbrio e paz. Até mesmo, o que o mundo vê
como seu corpo físico aparentará saúde, vitalidade, juventude e beleza. Aquilo
que o mundo vê como seu suprimento será evidente como abundância e
segurança. Aquilo que o mundo vê como sua casa, refletirá amor, a
compatibilidade e o companheirismo. Em outras palavras, o que você recebe em
segredo, na consciência espiritual, será gritado em cima dos telhados, como prova
visível - e ainda assim você não proferirá nenhuma palavra com a sua boca.

Novamente o Dicionário da Bíblia diz: "pensamento espiritual e meditações


espirituais estão constantemente nos levando para o lugar de ascensão, onde a
forma é aclarada em sua ideia divina".

Pela consagração do pensamento aos ideais espirituais, ou através da


meditação, alcançamos este estado de consciência no qual encontramos a nossa
existência perfeita e imortal. Pelo ouvir atingimos um estado de receptividade, por

85
meio do qual todas as realidades são reveladas a nós. Nesta consciência não
vivemos só de pão, nem vivemos tomados pelo pensamento, ao invés disso a
vida para nós torna-se um estado de Graça - o dom de Deus.

Comecemos primeiramente pelo conceito de Deus, Mestre e Praticista.


Primeiro temos de olhar para Deus em algum lugar no céu - ou pelo menos, em
algo além de nós mesmos; então, à medida que buscamos, nós começamos a
sentir Deus próximo ou conosco. Finalmente percebemos Deus como a Realidade
ou Alma do nosso próprio ser. Então, nós entendemos que não há separação
entre Deus e nós mesmos, que somos um – e nesta unidade encontramos
integridade, perfeição, harmonia e Graça.

Com nosso Professor - segue o mesmo padrão: primeiro buscamos


aprender a partir de um livro, que pode ser a Bíblia, um livro de metafísica, uma
palestra ou um sermão. Em seguida, vamos mais longe, e sentimos necessidade
viva de um Professor em forma de um homem ou mulher externo a nós mesmos.
O livro serve para elevar a consciência para a procura de uma forma mais
elevada de Professor - e isso se traduz a nós como um homem ou uma mulher.

Este professor atua para elevar a nossa consciência para um nível ainda
maior, onde apreendemos que durante todo o tempo que estávamos vendo um
livro ou um homem como professor estávamos realmente sendo ensinados por
Deus, a nossa consciência divina que aparece exteriormente (porque estávamos
buscando exteriormente) como homem ou livro. Se o livro e o homem forem
verdadeiros, eles nos levam suavemente para o Reino do nosso próprio ser, onde
vemos o Mestre interior e, assim, percebemos que o que apareceu como um
professor do lado de fora era realmente nossa própria consciência aparecendo.
Não há maior revelação do que isso, porque o professor levou você para a
realização do infinito do seu próprio ser, abrangendo, inclusive, o Professor e o
Ensino - a própria Verdade.

Quando os três Hebreus foram para o fogo, um quarto apareceu e assim


que estes homens foram através das chamas – elas não o queimaram. Estamos

86
atravessando o fogo da experiência humana, e cada vez que reunimos em
receptividade e em silêncio, aquele outro se une e entra em nossa consciência, e
a Presença divina torna-se um Cristo vivo, uma influência vital para todos os
tempos. Uma vez realizado, o Espírito de Deus, o Cristo, nunca é perdido.
Sentiríamos nus se enfrentássemos o mundo sem esta Presença, vindo antes de
nós, atrás de nós e ao nosso lado. Uma vez que percebemos, este Amor torna-se
a essência ou substância de todas as nossas experiências. O que vemos "lá fora"
não é senão a sombra lançada pela realidade, o Cristo, que enche o nosso ser.

Chegamos agora à cura espiritual, ou a cura sem argumento mental. Quem


e o que é o Praticista? Quem busca ajuda, acredita num princípio que um homem
ou uma mulher deve ser mais espiritual do que nós mesmos. Nós não percebemos
que o homem ou a mulher era o nosso conceito de cura em Cristo e este Cristo
era realmente uma ideia divina dentro de nós, dentro de nossa consciência. Você
vê para onde estamos indo? O que você acredita ser um homem ou uma mulher
"lá fora", é o Cristo, o Salvador, a influência de cura dentro de você. Agora vamos
para mais um passo. Você é o Praticista a quem a pessoa pediu ajuda ou cura.
Você já sabe que o “sentido humano” não é o Praticista, mas Aquilo em você que
é realmente o Praticista - é o Cristo do denominado paciente. Agora o que você
tem a dizer, argumentar ou tratar? Que necessidade há para discussão mental, se
você percebeu a verdade sobre: Deus-Professor-Praticista - A Verdade da
Unidade?

Capítulo 17 - Desvelando o Messias

Acho necessário repetir que vocês não farão nenhum progresso espiritual
até que reconheçam que a Mente (de vocês) é a única lei para os seus afazeres.
Não há nada fora ou aparte de vocês agindo em sua saúde ou corpo. Se houver
discórdia ou desarmonia, vocês devem perceber que os erros dos sentidos
(mesmerismo) não podem usá-los como um alvo ou vítima. Na verdade, o

87
mesmerismo não é pessoal; não é você que é o pecador ou pensador errado –
contudo é você que está aceitando alguma sugestão que pode estar se
manifestando como pecado ou doença. Às vezes o mal vem para nós no disfarce
de bem.

Assumir dificuldades e fardos de outros é um belo caminho para alguém


deixar as discórdias entrarem em sua vida. Nossa tarefa deve ser perceber a
liberdade de todos – até mesmo esses que aparecem exteriormente em
escravidão dos sentidos. Simpatizar ou ter pena é aceitar a condição deles como
real, e isto conduz nossos pensamentos a muitos erros. De uma maneira ou de
outra aceitamos a sugestão do erro – e normalmente isto se demonstra por
alguma forma de amor humano ou ódio.

Acorde. Desperte neste minuto. Veja seu amor humano ou ódio como
sugestão mesmérica. Veja como ele é e deixe de ser controlado por isto. Pare
com sua condolência e compaixão pelo combate dos Gregos ou Armênios
famintos ou Judeus perseguidos. Isso não lhe tornará insensível, mas permitirá
que você rasgue o véu da ilusão e os ajudem com o pensamento receptivo. Sua
comiseração só vai manter a condição mais firme no pensamento. Se você estiver
com pena do seu paciente, você não vai curá-lo. "Solte-o e deixe-o ir" - ou você
não poderá curá-lo.

Com relação aos assuntos do mundo hoje, precisamos nos lembrar de


certas leis Bíblicas, que habitualmente não são pensadas em relação a eventos
nacionais e internacionais. Por exemplo, “o que um homem planta, isto também
ele colhe”. Tal citação é ensinada como uma lei de Cristo. Esta lei está edificada
em você? Esta lei está realmente vinculada a você? É obrigatória para os homens,
individual e coletivamente? É verdade que se semearmos sementes de
escravidão, roubo e injustiça contra os que não podem se defender, em troca
seremos explorados - vingados? Torne-se ciente assim da presente lei. Jesus
disse: "Vá e não peques mais para que coisa pior não aconteça sobre vós.” Se isto
for verdade, não podemos ver uma razão para os males que agora nações estão
sofrendo por terem sido culpadas por séculos desses mesmos crimes? Se for

88
verdade que, como você semeia, você colhe, está claro que não precisamos de
uma razão adicional para os males do mundo e para a solução deles.

Se for uma lei que, uma nação ao colocar outra em escravidão, explorar os
ativos e recursos de outras terras, e assim, controlar de forma a evitar a educação,
cultura, espiritualidade e liberdade econômica de povos inteiros – não está, então
claro, por que tantas nações imperiais - ou seja, países que possuem e
exploraram impérios estrangeiros – deveriam, afinal, pagar o seu quinhão agora?
Sob esta lei cristã, não poderia ser o explorador o eventualmente explorado? Será
que os cidadãos destas nações que exploram outras, por sua aquiescência
silenciosa não farão parte desta penalidade?

Na filosofia isso se chama a lei de causa e efeito; na filosofia Oriental é


conhecido como Karma, ou pagamento pelos pecados e recompensas para o
bem. Karma é a lei de Cristo "tudo o que o homem semear, isso também ceifará" e
a lei do filósofo de causa e efeito.

Nisto está contida toda a verdade, os conflitos de hoje não serão resolvidos
por acordos humanos, nem por orações a Deus para colocar de lado as leis da
Bíblia. Um único caminho é mostrado. "Convertei-vos e viveis em Mim." Quando
os povos do mundo renunciarem as más práticas de seus governos e adotarem
uma política de igualdade, de amor a toda a humanidade - só então a harmonia
individual, nacional e internacional aparecerá. "Pense sobre estas coisas."

O verdadeiro significado do ministério de Jesus se perderá de nós se não


compreendermos suas declarações: "Eu por mim mesmo nada posso fazer” e "as
palavras que eu vos falo não falo de mim mesmo, mas o Pai, que habita em mim,
é quem faz as obras.” Jesus não disse estas coisas por modéstia, mas como fatos
reais. Há uma Presença (Cristo) “dentro” do indivíduo e Jesus estava sempre
consciente desta Presença e achou possível nada fazer para deixar este Poder
interno fazer todas as coisas para Ele.

Você pode facilmente entender que, com a real consciência de um Poder


infinito e Presença dentro dele, Jesus não tinha que "tomar pensamento"(se

89
preocupar) com qualquer detalhe de sua experiência. Ele sempre podia contar
com Ele (o Pai) - depender totalmente Dele - para fornecer todas as coisas que ele
precisasse, para curar e até mesmo para alimentar cinco mil, quando necessário.
Era como a fábula (O gênio – Aladim) de termos uma lâmpada para esfregar. Mas
não é uma fábula, porque esta Presença sabe das nossas necessidades mesmo
antes de se tornarem humanamente aparentes.

Eu suponho que no princípio precisamos de alguma medida de fé para


acreditar em há tal coisa como este Cristo. Sem dúvida como fomos educados,
nós simplesmente não podemos entender que há algo mais para nós do que o
corpo e a capacidade de raciocínio. Temos sido ensinados há tanto tempo que
devemos ser “buscadores” – tal como "o pássaro madrugador pega a minhoca" -
deve ser difícil perceber que há outra maneira - escrito com letra maiúscula "C" -
um Caminho infinito, ou prefiro dizer, um Caminho que é infinito, eterno,
harmonioso, alegre, bem-sucedido e, tão real e duradouro que não deixa
amargura na boca. Este Caminho infinito é o Cristo, portanto, Eu Sou o Caminho -
ou, o Caminho é Eu Sou.

Testemunhando as grandes obras de Moisés, Salomão, Elias, Isaías,


Jesus, observando as qualidades duradouras do Buda, Shankara – temos que
admitir que eles possuíssem a consciência (percepção) de algo mais do que a
identidade humana deles. Esse algo é o mesmo Cristo, o Espírito de Deus neles, o
que também está em você. A consciência desta Presença interior torna disponível
a qualquer pessoa todo o Poder e Presença manifestada e demonstrada por
Jesus.

Você começa a ver o quão desnecessário era para Jesus esforçar-se ou


lutar para o bem de qualquer forma? “Você pode começar a ver por que Jesus
enviou os discípulos para o mundo sem bolsa, e script." Poderia haver alguma
ocasião para Jesus ter ciúmes ou inveja de outro ou de suas posses, ou alguma
razão para processar ou guerrear por essas posses - não apenas porque ele era
um homem bom, mas porque ele estava consciente da Presença e Poder que
poderia fornecer todas as necessidades sem tirar do suprimento de outra pessoa?

90
O Cristo, ou o Espírito de Deus está presente “internamente” ou como a
Consciência de cada um dos tempos passados, do presente e dos que ainda
estão por vir. Nunca houve uma necessidade de ganância, luxúria, avareza, roubo,
- a não ser que os homens tenham perdido a consciência desta “Interioridade”.
Você A tem. É um Gigante adormecido em você - ou talvez você esteja
adormecido com um Gigante bem desperto dentro de você - e talvez esse Infinito
esteja “chutando” tão duro em seu ser interior que o obrigará a despertar para a
sua Presença.

Num primeiro olhar, isto parece ser a solução somente para os seus
problemas e os meus – mas aqui se torna necessário percebermos que mudanças
aconteceriam no mundo se homens e mulheres despertassem para esta Verdade.

Talvez o que eu disse torna claro para você porque sempre houve guerras,
avareza, falsos desejos, ambições loucas. Será que isso não demonstra ser a
razão de todos os problemas do mundo para você? Você não pode ver quão
inevitável estes problemas são e continuarão a ser enquanto o homem acreditar
que ele por si mesmo deve prover, conseguir, realizar? Enquanto o homem tenta
resolver o enigma da provisão com meios humanos haverá recurso para o mau
uso desses poderes. A mente humana e a força material não contêm a resposta
para a paz universal, harmonia e prosperidade. A realização da Luz espiritual ou
Presença interior é a única solução permanente.

No momento, a tarefa de realização de Cristo parece impossível em


qualquer escala mundial. Assim, poucas pessoas têm ou tiveram essa percepção
(realização da Consciência), que não parece haver uma esperança de que a
humanidade despertará agora em grande número. E ainda há sinais de que isso
possa estar ocorrendo. A profunda necessidade do mundo em todos os aspectos
pode estar Se conduzindo para este despertar - ou, talvez, a consciência foi se
preparando para isso desde o início dos tempos através de um processo de
evolução.

91
Antes, porém, vamos admitir que haja um Caminho infinito e que este
Caminho é Cristo - ou melhor, a consciência da presença do Espírito interior.
Então vamos lutar, para permanecermos nesta ideia, por meio de entreter os
ideais espirituais, através da meditação, oração ou comunhão, para atingir essa
consciência - então vivê-la, ensiná-la, manifestando sua influência de cura para
que todos os receptivos possam se abrir em Sua luz e calor.

Neste momento, sinto que alguns de vocês vão começar a verificar se estão
vivendo de acordo com a norma de conduta descrita aqui - e talvez acreditem que
a sua conduta humana avançará espiritualmente. Agora reverta isso: quando a
sua natureza espiritual se revela, a sua chamada conduta humana melhora.
Muitos já acreditam que melhorando os seus pensamentos e atos humanos isto os
conduzirá para mais perto do sentido espiritual. Inverta isso: na proporção que a
consciência se “torna” mais real, as condições da existência humana melhoram;
então não faça o esforço para se melhorar humanamente, mas, mantenha sua
visão no espiritual e real, e deixe sua denominada vida humana desdobrar-se
progressivamente.

Alguém pode acreditar que o ganho de saúde física ou riqueza é um passo


em direção ao espiritual. Nesse caso, o exercício físico e dieta ou um negócio bem
sucedido seriam uma ajuda para a espiritualidade. Não, não seria. "Tu
conservarás em perfeita paz aquele cuja mente está firme em Ti". Quando você
habita em uma consciência mais elevada - em um plano superior - o assim
chamado mundo humano, se desdobrará em harmonia, alegria, paz e sucesso.
Por esta razão, o exercício do pensamento humano não é o fator de cura ou de
seres curados. Quando a verdade espiritual se revela em sua consciência, a
harmonia do corpo ou dos negócios aparecerá em evidência tangível e, portanto, a
receptividade será sua palavra de ordem.

Pode ser atormentador saber que a melhoria do pensamento e conduta


humana não é a base do desenvolvimento espiritual. Estamos realmente tentando
ser cuidadosos com os nossos pensamentos e ações. Bem – isso não causa
nenhum dano; talvez até mesmo este esforço seja a maneira do Espírito abrir

92
caminho. Só tenha cuidado – não pare aí. Bondade humana é apenas uma
estação no Caminho com C maiúsculo.

GRAÇA

Há uma ligação invisível entre todos nós - essa é uma das razões que nos
reuniu. Não nos encontramos como seres humanos. Os objetivos e motivos que
regem os seres humanos não estão em operação aqui. Não estamos aqui para
conseguir alguma coisa um do outro -, mas para compartilhar os tesouros
espirituais que emanam de Deus, a Luz do nosso ser. Nosso interesse no outro é
puramente espiritual. Nosso objetivo de estarmos reunidos é o desdobramento do
Espírito interior. Nós não olhamos para o outro como homem ou mulher, rico ou
pobre, grande ou humilde. Pelo menos por hora todos os valores humanos estão
submersos em nosso interesse comum: buscar e encontrar o Reino interior. Nós
vemos um ao outro como companheiros de viagem no Caminho da Luz;
compartilhamos nossos conhecimentos, nossas experiências e os nossos
recursos espirituais. Compartilhamos com todos que estão neste Caminho seja,
experiência, revelação ou conhecimento. Não há nenhuma inveja ou ciúme das
experiências ou realizações espirituais uns dos outros. Vamos perceber por um
momento que tudo o que temos de suprimento, posição, prestígio ou poder
humano, saúde, beleza e riqueza, é dom de Deus e, portanto, disponível para
todos nós na medida de nossa abertura de consciência - e você pode ver como
poderíamos levar nosso amor impessoal para todas as circunstâncias da
existência humana.

Vamos mais uma vez considerar que o que alguém possui, ainda que
apareça como valores humanos não são senão a expressão de um estado de
consciência, e seria tão impossível termos inveja ou desejarmos qualquer dos
bens ou terras do outro como seria impossível sentir inveja da luz do sol no jardim
do nosso vizinho.

O primeiro passo na vida sem levar pensamento - viver pela Graça - viver
na paz universal - deve começar aqui e agora. Comece com a compreensão de

93
que não somos seres humanos, mas que na verdade nós somos o Cristo; que
tudo o que eu tenho é do Pai, portanto, é espiritual, que cada um de nós é
"coerdeiro com Cristo” e não precisamos trabalhar, ou lutar pelo o que é
divinamente nosso. Nenhum elemento humano entrou neste relacionamento.
Ninguém quer obter qualquer coisa de natureza material de outro, ninguém tem no
pensamento a posição social ou financeira de outro; temos no nosso pensamento
realmente isto: o desdobrar-se da nossa percepção da Verdade e Luz espiritual.

Agora vamos parar por um momento e perceber esta afirmação importante:


tudo o que qualquer um aqui possui até mesmo de natureza aparentemente
material, é o desdobramento de seu próprio estado de consciência e, portanto,
pertence apenas ao possuidor; o que temos ou não é a expressão do nosso
estado de consciência individual e poderemos ter muito mais quanto desejarmos,
ampliando as fronteiras de nossa compreensão e realização. O que é seu é seu
eternamente só porque é o seu estado de consciência em expressão. Agora - em
nome de Deus - quem e o que há para ser invejado, odiado, temido ou desejado?
Tudo o que o Pai (a minha própria consciência) tem - é meu.

A realização desta Verdade faria de nos os amigos eternos – vivendo sem


medo, cobiça, ganância ou qualquer outra emoção negativa. Nós estaríamos em
um Jardim do Éden. Este é o primeiro passo para viver sobre a Graça – pelo
presente de Deus – e é o nosso primeiro reconhecimento de um fio espiritual
invisível que nos liga em uma fraternidade eterna, impessoal de Amor.

Aos poucos estenderemos esta visão e este elo invisível.

Capitulo 18 - O verdadeiro sentido do Universo

As crenças que mantemos sobre o corpo constituem o nosso sentido de


corpo. A verdade sobre o corpo é algo completamente diferente de nossos

94
conceitos sobre ele. O próprio corpo é perfeito. O corpo é imortal e eterno, como
Alma, Deus, que é a substância e o princípio.

Seu corpo - visto através das crenças materiais universais do mundo -


nasce, amadurece, envelhece e morre. Este mesmo corpo quando corretamente
compreendido, isto é, com discernimento espiritual, é a própria manifestação da
Alma-substância, substância- Espiritual, Ser eterno. Não é nem funcional e nem
orgânico. O que nos aparece como as funções e os órgãos são os nossos
conceitos finitos e falsos da atividade da Mente, aparecendo como corpo espiritual
ou formação espiritual.

Enquanto nós considerarmos um conceito material de corpo, teremos


preocupação com ele – nós o supriremos - e encontraremos nele dor e prazer. À
medida que continuamos a elevar o nosso conceito do que o corpo realmente é,
veremos cada vez menos dor ou prazer nele até chegar ao estado de consciência
em que percebemos o corpo como um veículo impessoal ou modo de expressão.

Cada sugestão de desconforto ou de harmonia proveniente do corpo deve


ser imediatamente reconhecida com a compreensão da verdadeira natureza do
corpo, como espiritual. Somente quando entendemos que o erro dos sentidos
existe apenas como sugestão e como falso sentido, podemos encontrar a
liberdade das dores e prazeres de seus chamados órgãos ou funções. Estamos
corrigindo o falso conceito ou a sensação de corpo.

Tudo o que temos dito aqui sobre o corpo é igualmente verdade sobre o
negócio, casa, segurança, riqueza.

"Meu Reino não é deste mundo". Não há nada de Deus, ou a realidade, no


mundo da visão, audição, paladar, tato e olfato. O fracasso da religião nesta época
é devido à falta desta visão. Teologia é a tentativa de espiritualizar um conceito
mortal, de Deus - chamado de homem. Este homem e seu universo não é parte de
Deus, porque Deus ou o Seu Reino não é deste mundo. Tenha certeza de que se
Deus estivesse nesta cena, não haveria guerras, acidentes, doenças ou mortes.
Deus, o infinito Poder do bem, pode manter Sua própria criação harmoniosamente

95
e eternamente. No "Meu Reino", o reino do Espírito e Verdade, não há erros, nem
decomposições ou derrotas.

Orações proferidas com a finalidade de curar, melhorar ou ajudar as


pessoas ou as condições do universo físico, alcançam nada mais longe do que a
própria crença da pessoa e trazem apenas os resultados desta convicção.
Quaisquer efeitos benéficos de tais orações, não são de Deus, a inteligência
universal e a Vida, mas o resultado da nossa fé. Da mesma forma, o tratamento
metafísico, se procurar mudar a cena humana, só pode produzir o fruto da
confiança depositada no tratamento ou qualquer outra fé no deus hipotético a
quem a oração é dirigida.

Deus é a realidade divina do ser individual. Para aproveitar-se do governo


harmonioso deste princípio, é necessário eliminar todos os pensamentos das
pessoas e condições humanas; perder todo o desejo de melhorar a “identidade
humana” e deixar o Eu Interior revelar em silêncio a harmonia, integridade e
alegria do Ser real.

Bem espiritual não é composto de mais ou melhores condições materiais.


Nenhuma quantidade de maior saúde física ou riqueza pode testemunhar o
reinado do Espírito ou Verdade. Nós nos elevamos acima das evidências dos
sentidos para encontrarmos o reino da Realidade.

O Poder da alma - que entramos em contato dentro de nós mesmos -


resulta em o que parece ser a saúde, harmonia e riqueza, mas estes não são o
mesmo daquele que é alcançado através de tentativas de melhorar o ser humano.
A harmonia em nossos assuntos que resulta de nosso contato com o nosso Eu
interior, ou Alma, é a manifestação ou expressão do Espírito, a Vida, e são “as
coisas de acréscimo” que vêm naturalmente do reino da substância real. O sentido
finito contempla essas “coisas de acréscimo”, ou a realidade espiritual, como
sentido material objetivado, ou "coisas" e "pessoas". A harmonia espiritual não é
alcançada pela busca de pessoas, coisas ou condições, mas, por não nos

96
preocuparmos com estas coisas buscando apenas o nosso contato com a
realidade divina.

Os seres humanos não podem colocar ou usar o manto de Cristo. A mente


humana não pode ser espiritualizada – ela deve ser "abandonada". Quando o
Cristo aparece como Consciência espiritual individual, ele dissipa o sentido mortal
ou material. O ser humano nunca está espiritualmente revestido, mas, quando a
consciência espiritual se evidencia, o sentido material ou humano é dissolvido. O
esforço através de meios mentais para se tornar espiritual é desperdício de
esforços. A tentativa de entender as coisas espirituais com os cinco sentidos ou
intelecto é inútil. Desenvolvendo um sentido de receptividade: aprendendo
silenciar os sentidos e ganhando habilidade para escutar a “pequena voz
silenciosa” – este é o Caminho. Pensamentos humanos – até mesmo os bons –
não ajudarão.

Assim, este tratamento de fechar os olhos e declarar verdades, fazer


afirmações e negações, não é o Caminho do Espírito, ou do Cristo. Ser silencioso
e manter uma atitude de escuta, e ser ainda receptivo, e deixar que a presença e
o poder de Deus se manifestem através do Silencio este é o Caminho.

O Caminho de Cristo não é uma transferência de pensamento de um


indivíduo para outro, e não inclui sugestão ou hipnotismo. É um estado de
receptividade silenciosa em que o Cristo ou o Espírito de Deus se manifesta em
nossa consciência individual. Afigura-se, principalmente, como um "sentimento" da
Presença, e dissipa a ilusão do sentido para si ou para outro. À medida que somos
tocados por Cristo - quando a nossa consciência torna-se cada vez mais o próprio
Cristo, a consciência receptiva daqueles que pedem ajuda, também sente essa
influência espiritual e reage a ela; e a harmonia se torna evidente.

O Cristo não desce de sua alta propriedade para servir ou atender aos
mortais. O Cristo é a Luz do mundo, e aqueles desejosos de suas bênçãos e os
benefícios devem deixar as cascas da vida material - abandonar a satisfação do
sentido - mesmo os direitos humanos e outras formas de bem humano – “e siga-

97
Me”. Não há nenhum lugar onde o humano e o espiritual se misturam. Fique onde
está espiritualmente - na consciência elevada - e aqueles que descobriram a
nulidade dos sonhos mortais - virão até você.

Franz Kafka escreveu: "Você não precisa sair do seu quarto. Permaneça
sentado em sua mesa e ouça. Não precisa sequer ouvir, basta esperar. Nem
sequer esperar, ser bastante quieto e solitário. O mundo livremente se oferecerá a
você para ser desmascarado, ele não tem escolha, rolará em êxtase a seus pés”.

Uma vez que você toca ou é tocado por Aquilo que você chama de – o
Cristo – o Tao, então, levante-se e receba a Sua bênção. Não tente levá-Lo para
toda humanidade - nesse caminho de mentiras, sofrimentos desnecessários e
perseguições. Só aqueles que estão prontos podem compreendê-lo e eles O estão
buscando e O encontrarão. Ou, talvez, mais corretamente, eles O estão buscando
e encontrarão você. "Dê para os que estão sedentos" não para aqueles que estão
encontrando satisfação em “águas menores”. Estes sentem que estão sendo
saciados e não têm maiores desejos. Somente quando a sede intensa vem de
novo e de novo eles perceberão que há uma Água, que quando dela beberem,
nunca mais terão sede. Estes já estão à porta de sua consciência. Convide-os a
entrar. O Cristo está aqui.

Eu quero que todos vocês compreendam o grande segredo do universo. Se


os antigos tivessem conhecido isso nossa vida moderna seria um paraíso. Se nós
aprendêssemos isso nesta idade, poderíamos ajudar a conduzir o Milênio. Os
poucos que conheceram esse segredo em épocas passadas não podiam ensiná-
lo; apenas poucos tiveram a capacidade espiritual para compreender o seu
significado. Alguns compreenderam intelectualmente, mas, raramente
entenderam o significado espiritual.

Eu não sou um sonhador de sonhos ociosos - mas eu tenho uma visão da


Vida eterna. Eu não veria você sentado em uma nuvem ou ancorado com os pés
no chão. Minha ideia e meu ideal é que você seja arraigado e alicerçado na

98
Verdade; que você seja alimentado com carne espiritual e que você beba as
águas das fontes do Espírito eterno e da Alma.

O segredo – o qual tem sido tão raramente entendido - é aquela comida e


bebida espiritual; e o segredo é isso: a Vida que você contempla no homem,
árvore ou animal não é a vida que é Deus; a vida humana, animal ou planta não é
uma manifestação de Deus, e, portanto, não é imortal, eterna ou espiritual. A vida
do homem material ou da flor no sentido mortal, objetivo: é um falso sentido da
Vida a qual é real.

A compreensão dessa verdade lhe permitirá desviar o olhar dos objetos dos
sentidos; permitirá que você se abstenha de tentar curar, corrigir ou reformar o
sentido da existência mortal; e assim que você domine o desejo de curar ou
melhorar o sentido material da existência, o espiritual ou real começa a se
desenrolar e se revelar a você. Você não pode ver ou experimentar a vida eterna e
harmonias e belezas ao aceitar a evidência dos sentidos como se fossem criações
de Deus.

Não considere ligeiramente o que estou lhe dizendo. Esta é a grande


revelação; este conhecimento tornará claro para você, a declaração do Mestre,
"Meu Reino que não é deste mundo", irá revelar-lhe o segredo de João, o
Revelador, que contemplou o universo que não é feito com as mãos, mas que é
eterno, como Consciência aparecendo; o desdobramento do Espírito; a própria
Alma se revelando.

"Meu Reino não é deste mundo." A tentativa de trazer o Espírito para atuar
neste sentido finito de existência constitui a guerra entre a carne e o Espírito.

Continuar com a crença de que por alguma manobra mental você irá
aperfeiçoar a vida material, sentir que de algum modo sagrado há Deus ou Deus-
poder que tornará a sua vida humana mais saudável ou longa, sonhar com alguma
magia religiosa que lhe permitirá navegar sem problemas no mar da vida material,
tudo isso é loucura, e é perigoso. Está apoiado em uma fábula que não vai
sustentá-lo.

99
A vida do homem material, a vida da árvore, da flor, do animal - não é a
vida eterna; não é a manifestação da Vida, que é Deus; é um falso sentido finito,
mortal, da vida. Não tente elevar este sentido de vida (material), mas sim se
transformar com ele e com a sua consciência agora iluminada, discernir que a vida
é Deus; através de seu sentido espiritual cultivado, sinta essa energia divina do
Espírito; torne-se consciente no silêncio do poder da sua Alma. Deixe que as
harmonias divinas apareçam quando você ignorar a evidência da visão, da
audição, paladar, tato e olfato.

Acredite em mim, este é o segredo dos segredos. Vida eterna é o


conhecimento desta verdade. Verdadeiramente, Reis e Imperadores dariam seus
tronos para apreenderem essa verdade, porém o rico e poderoso na matéria, isto
é, no sentido material da existência, não pode entender esta verdade; é muito
abstrato para o sentido mortal. Basta pensar, não há nenhum valor, nenhuma
realidade, nenhuma utilidade de lutar para que isso seja visto e sentido - porque
isso é mais um conceito irreal de valores eternos. Você pode imaginar o poder da
bebida, o dinheiro-mal ganho, o colecionador, o glutão, pessoas que
aparentemente não abrem mão disso, possam entender que todas estas coisas
não passam de miragem ou sombra?

Aquilo que é real e eterno não é visto ou tocado, mas é discernido


espiritualmente. É conhecido apenas pela consciência intuitiva ou interior. A
realidade é percebida pelos sentidos da Alma, a visão interior.

Apenas para aqueles que têm olhos para ver e ouvidos para ouvir pode
essa visão se tornar uma presença vital. Apenas aqueles que ouviram o que foi
dito pela "voz mansa e delicada", e visto o que é visível para as "janelas da alma"
podem discernir "o templo não feito com as mãos" - o universo da criação de
Deus.

Esta visão interior, essa consciência espiritual, este sentido da Alma, vem
apenas na proporção em que aceitamos e percebemos o grande segredo: a vida
do homem material, planta ou animal não é a Vida eterna, Deus; é o sentido finito -

100
a manifestação mortal, sentido material. Este falso sentido de vida deve ser
desconsiderado para que a Vida real e suas formações possam se tornar
evidentes e experiêncidas.

CAPÍTULO 19 - Cura Espiritual

Nós vimos que para a cura metafísica é necessário conhecer que:

 Eu Sou Deus – eu existo como consciência espiritual infinita incorporando


dentro de mim a divina ideia de corpo, negócio, casa, suprimento; e minha
unidade com Deus constitui minha unidade com cada ideia espiritual.
Levando este conhecimento para o tratamento, percebemos que apesar de
toda aparência contrária, nós nunca estamos separados ou aparte de
qualquer forma de bem.

 Meu corpo é a expressão do meu Eu ou Ser espiritual; é o reflexo do Eu


que Eu Sou; manifesta toda saúde, harmonia e inteireza da consciência
espiritual infinita que Eu Sou. Além disso, meu negócio, profissão, ou arte é
igualmente ideia, expressão ou reflexo das qualidades e atividades de meu
ser real perfeito – sempre espiritualmente e abundantemente governado e
suprido.

 Natureza do erro. Nós aprendemos que o único erro ou mal é hipnotismo ou


mesmerismo, aparecendo como sugestão ou miragem e quando
percebemos isso o denominado mal – o pecado, a doença ou falta –
desaparecem. Nós sabemos que o erro nunca é uma pessoa, ou condição,
ou circunstância – mas a crença aparecendo como pessoa, condição ou
circunstância. A substância e atividade de tudo aquilo que aparece para nós
como erro, nada mais é do que a Mente ou Deus infinito.

101
 Extremamente importante é o conhecimento que o mundo dos sentidos –
que vemos, ouvimos, tocamos, provamos e cheiramos – não é a criação
eterna, espiritual de Deus: é uma sombra finita da criação de Deus. Esta
sabedoria nos capacita abandonar a tentativa de curar, corrigir mudar ou
melhorar o sentido material da vida – quer do homem, animal ou planta; e
assim nos faz livres para intuitivamente sentirmos, tornar-nos conscientes
do universo de Deus. Este é o grande segredo da declaração de Jesus,
“Meu reino não é deste mundo”, e o segredo do mundo de João – “o reino
não feito com as mãos.” Todos esses quatro itens terão que se tornar uma
realidade viva para você.

Não podemos levar o conceito da criação mortal para o Céu – harmonia. Não
trazemos Deus para o sentido material de existência. Nós nos rendemos a “crença
em vida material” para a “vida divina”; trocamos o mundo dos sentidos para as
formações espirituais da criação divina. O sentido físico de saúde inclui um
coração que bate tantas vezes por minuto; um sistema digestivo e de excreção
que age a intervalos regulares; ossos, sangue, cérebro – todos executam
determinadas tarefas em tempos certos. Independentemente de quão perfeito
possam todos estes estar funcionando neste momento, esse mesmo sentido físico
diz que uma desintegração contínua conduzirá a velhice, enfermidade e morte. Em
oposição a isso, o sentido espiritual da vida manifesta uma vida e corpo de
substância eterna, sem envelhecimento, sem alterar as condições - mas sim, um
processo contínuo e sucessivo de desdobramentos do bem.

Obter esta consciência espiritual de Vida e suas formações perfeitas é o nosso


propósito contido nestas páginas. Estamos juntos para o propósito de perceber
que Deus é Espírito, Alma, Amor e Vida eterna, e ficarmos conscientes das
formações e atividades desta vida que é esta Mente a qual Eu Sou.

Gradualmente estamos desistindo de nos preocupar com o universo estrutural


e nessa proporção estamos ganhando a consciência da vida que é incorpórea,
harmoniosa e permanente. Por devoção aos pensamentos e as coisas da Alma,
perdemos a nossa preocupação com os pensamentos e as coisas dos sentidos.

102
Ao cultivar o nosso amor a Deus e ao mundo das ideias, podemos aumentar
nosso senso de amor e, assim, manifestamos e revelamos mais de Deus ou do
bem.

Como a nossa preocupação com as coisas do mundo diminui, nos


encontramos com o pensamento menos ansioso e, finalmente, em vez de termos
pensamentos, nós nos tornamos receptivos aos pensamentos e ideias que fluem
naturalmente de nossa Alma para a nossa consciência. Nós já não "conduzimos
pensamentos" para fazer algo acontecer, mas recebemos o pensamento de Deus
se desdobrando como o nosso bem cada momento. Nós já não damos
tratamentos ou conhecemos a Verdade para mudar alguma condição errônea em
uma condição harmoniosa - mas, diante de algo discordante, nós nos calamos
receptivos e silenciosos, e a ilusão ou miragem desaparece, e a harmonia
onipresente é imediatamente revelada. Estar em silêncio receptivo abre caminho
para a percepção consciente da presença e atividade do Cristo.

Cristo ou a ideia divina - onipotência - onipresença - está sempre à mão para


orientar, dirigir, conduzir, governar, apoiar, sustentar, manter, equipar. Esse poder
é Cristo sempre presente como nossa consciência - mas somente quando a mente
se aquieta e estamos receptivos a esta onipresença, percebemos a sua atividade
e os seus frutos. Onipresença, onipotência não é algo que você tem que adquirir,
orar para ter ou desejar; é a percepção que surge através do silencio receptivo.
Não precisamos contar a Ele (Cristo) o que ou quem deve ser beneficiado. Apenas
seja silencioso, receptivo, paciente. O Cristo é a sua realidade e está exatamente
onde você está - mas não é discernível através do pensamento ou de força física
ou mental. "Não por força, nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor
dos Exércitos." Não por força mental ou poder físico, não pelo poder mental ou
força física -, mas pelo meu Espírito. Não se esforce. Não lute. "A batalha não é
sua." Seja silencioso. Fique quieto. Seja paciente. Seja receptivo.

Existe alguma névoa através da qual você não pode ver no momento; há uma
harmonia divina, se escondendo atrás de alguma miragem feia ou dolorosa; há
uma sensação hipnótica mantendo a paz gloriosa da Alma do lado de fora? Não

103
lute contra isso. O Cristo está aqui. É a sua própria consciência, quando o
pensamento humano se acalmou, quando o planejamento e esforço humano
tiverem um fim. Onde o esforço humano termina, a atividade do Cristo começa.
Onde o medo humano cessa, a coragem divina começa. Onde a força física e o
poder mental terminam, a energia divina do Espírito começa. Quando o seu
pensamento se acalmar, os pensamentos de Deus se revelarão, e os
pensamentos de Deus são rápidos e poderosos.

Abra o caminho para a realização de Cristo (Presença e Poder), que está


eternamente onde você está, aguardando apenas seu convite - um convite que é
expresso como Silêncio, Expectativa, Receptividade.

Quando o sentido espiritual ou intuitivo se torna mais desenvolvido, o Cristo é


percebido como o seu Ser real. Na proporção em que o Cristo se torna mais
evidente, mais conscientemente com você, Ele assume, por assim dizer, e se
torna a fonte, atividade e Poder e Presença motivadora de sua experiência. A vida
entra em uma fase nova para você.

Há muitos meios humanos de alcançar o sucesso - envolvendo destreza física


e mental. Quando o Espírito inspira alguém, o sucesso de qualquer empresa é o
fruto do Espírito - nunca o resultado do esforço humano. O que são chamados de
passos e ações humanas são também o resultado da ação do Espírito.

Espírito é uma presença que é conscientemente conhecida e sentida, como se


fosse algo separado de si próprio. Na verdade, é o Self - o Ser verdadeiro - maior
do que o que aparece e anda como um humano. Este Espírito é aquilo do qual o
ser humano é uma transparência. A Presença sempre vai antes para preparar o
caminho - acarretando circunstâncias aparentemente humanas necessárias para a
realização.

A percepção consciente do Espírito é o Cristo que orienta e protege cada


passo. Ele fornece a sabedoria e o suprimento de tudo o que é necessário. A
repetição dessas palavras nada irá realizar. A menos que haja uma consciência

104
real, um contato real, uma verdadeira garantia - não há a realização de atividade
espiritual.

A Consciência da Presença é um estado de Graça. Realiza tudo sem trabalho,


ansiedade, luta ou discussão. Observe a facilidade, simplicidade e porte que
acompanham o homem Inspirado. Assista a energia sem esforço, a atitude
despreocupada de quem alcançou contato com o Espírito – com a Alma. Observe
como o mundo parece se mover em harmonia com ele – todos trabalhando juntos
para o bem do todo.

A vida é uma aventura gloriosa quando o Espírito se torna uma Realidade viva.
A vida se torna algo do agora. Preocupações pelo futuro desaparecem. Cada
momento do dia fornece sua própria Graça; sua própria provisão de alegria, paz,
domínio, relacionamentos, sucesso.

Coisas “deste mundo” são compreendidas como objetos dos sentidos –


transitórios, finitos –não lutamos para adquiri-los ou salvá-los. “Não ocupe os
pensamentos hoje com o dia de amanhã; deixe que o amanhã cuide de si
mesmo". Basta a cada dia o seu mal. (Mateus 06h34min)

Não me entendam mal. Não há necessidade qualquer para dar ou jogar fora
poupança, investimentos ou seguros. Estes fazem parte da vida de hoje e,
independentemente de quão grande é o Espírito dentro de você, haverá
momentos ansiosos para a sua família, se acharem que a sabedoria humana ou o
senso comum está sendo violado. Mas saiba disto: quando o Espírito da Verdade
for percebido conscientemente, você nunca mais terá preocupação pelo seu bem-
estar; você saberá que cada momento se cumprirá através da Graça para aquele
momento. Então você verá os seus investimentos e poupanças como as coisas
"de acréscimo" - como prova do seu desenvolvimento espiritual e não como algo
necessário para a velhice.

Lembre-se que, o seu suprimento está sempre à mão, independentemente de


quaisquer bens materiais, porque sua fonte é a consciência da Presença, e Ela
oferece a plenitude do bem cada momento exatamente onde você está.

105
Pedro não podia andar sobre a água, mas desejando seguir o exemplo de seu
Mestre, ele tentou. O Mestre estava à mão para resgatá-lo. Então, não tente
segurar sua poupança, seguros ou fundos de aposentadoria, ou fundos de
educação para seus filhos - a menos que você tenha percebido o Mestre dentro de
você. O Mestre nunca é um homem - mas a consciência do Espírito da Verdade,
que é o Cristo.

Não menospreze formas humanas de bem, e certamente nunca tente retirá-las


do outro. Enquanto um indivíduo precisar ir à igreja física, um livro, ou qualquer
símbolo - respeite essa necessidade. Sabemos que o domingo não é mais
sagrado do que terça-feira – e ainda vamos guardar o domingo no sossego e na
paz por respeito com o nosso próximo. Mesmo que não necessitemos de hospitais
ou medicamentos, vamos respeitar as necessidades do nosso próximo. Mesmo
que já percebamos o Cristo e não precisemos mais de pensões e fundos de
aposentadoria, vamos respeitar o nosso próximo em suas necessidades. Deixe
que sua liberdade em relação a tais necessidades seja a sua realização interior.
Nunca ostente nem se gabe de sua liberdade de meios materiais - o que seria um
sinal claro de que você não tem a realização. Deixe que sua garantia da Graça
permanente seja uma convicção interior que exteriormente é sentida por aquele
com quem você entra em contato. Nunca expresse estas coisas, exceto com um
aluno que está à beira da descoberta. É mais sábio viver a sua revelação do que
falar dela.

Jesus caminhou sobre as águas, mas ele não defendeu isso como uma prática
geral; ele alimentos as multidões, mas sabia que nós teríamos que crescer à
estatura de Cristo antes que pudéssemos realizar tal ato, então, ele não reprovava
esses que trabalhavam para o seu pão diário.

Viva a sua consciência espiritual demonstrada e deixe sua vida ser esta
oração. Não leve seus pacientes ou alunos a um passo mais longe do que pode
ver no momento. Se eles tentarem andar sobre “as águas” muito cedo, esteja
alerta - esteja presente para erguê-los. Sempre esteja por perto com amor,
paciência e perdão.

106
A vida se torna uma aventura quando percebemos a presença do Cristo. Não
há mais preocupação ou ansiedade por alguma pessoa "lá fora" ou por alguma
circunstância ou condição. A vida é agora vivida um momento de cada vez e esse
momento é agora e esse momento é o “momento” de Deus.

Se a sua vida não é uma aventura agora; se você não está vivendo em uma
expectativa alegre, uma garantia de confiança, então ainda há uma preocupação
por alguém ou alguma coisa "lá fora" em vez de um relaxamento na consciência
que toda a vida é autossustentada. Você não necessita da demonstração de vida
ou segurança de qualquer pessoa. Sua consciência desta verdade ajudaria a
tornar livre quem você estivesse “mantendo em cativeiro” pela a crença na
dependência humana. Quando uma via de provisão se fecha outra se abre para
preencher este momento com plenitude de Deus - enquanto permanecermos na
consciência da Presença. O mundo se torna o seu “playground” quando você
perde o medo e a preocupação e se volta para o reconhecimento da presença do
Espírito de Cristo.

A vida só começa a ser uma aventura quando deixamos de vivê-la por nós
mesmos. Estamos aqui, nesta chamada experiência humana por um motivo. Ainda
não podemos discernir claramente qual seria. Uma coisa você pode ter certeza: o
propósito da vida não é que devêssemos viver por ou para nós mesmos. A
aventura só começa quando encontramos um causa para servir ou viver. Em
planos inferiores, vivemos para a nossa família, para a comunidade ou nação, ou
mesmo para uma igreja. Podemos nos devotar à educação, o cuidado de órfãos,
ou a paz universal. Todos estes são bons pontos de partida, se o coração, alma e
disponibilidade financeira forem colocados na obra.

Joshua Lota Liberman disse em "Peace of Min" o seguinte: "Chega um


momento no nosso desenvolvimento quando não desejamos receber mais a partir
de outros, a essência do egoísmo, mas sim de termos uma vontade irresistível de
dar aos outros - para crescermos além dos limites da própria pele, seja na criação
de uma família ou a construção de uma boa sociedade. Chegamos a um ponto em
que nos tornamos saciados conosco mesmos e então a vida exige que nos

107
voltemos para fora em direção à outra vida humana. Então, deixamos de ser o
“navio” passivo e nos tornamos a fonte viva. A vida não nos pergunta os nossos
desejos na matéria, mas no próprio processo da nossa maturação biológica nos
obriga a renunciar a nossa condição de parasitas sobre a vida e nos convoca para
sermos os benfeitores da vida.”

Erguendo-nos mais alto há o ministério da cura espiritual e então o


ensinamento das “coisas” do Espirito. Neste ponto você está entrando na atividade
real da Vida e se prepara para uma oportunidade mais universal. Antes disso,
você deixou para trás toda a consideração pelo ego pessoal ou seus próprios
interesses e entra no coração Universal e algo completamente novo acontece em
sua experiência; o mundo inteiro se revela a você, e lhe são abertas formas mais
altas de serviço.

Capitulo 20 - Estágios da Consciência

Não há três estados de vida - o material, o mental e o espiritual. O material


e o mental são um, embora constituam duas condições do mesmo UM. Lembre-
se, o material e o mental: são um só. Nesta etapa os pensamentos são crenças
que produzem condições, coisas.

Normalmente no ensino metafísico, o mental e o espiritual são


considerados um e, portanto, você pode ter ouvido ou lido o termo "mentalmente
espiritual". Tenha cuidado com ele, porque é perigoso para o seu progresso. Não
há tal coisa como mentalmente espiritual, porque o físico e mental são dois
estados ou fases do Um, o físico é o mais bruto, o mental é a forma mais elevada,
mas ainda é apenas uma forma mais elevada do material. A prova disso pode ser
visto em tais declarações como "os pensamentos são coisas" e "como um homem
pensa assim ele é", ou seja, se ele acha que é bom, ele se manifestará bom, e se

108
ele acha que é mal, ele vai se manifestar mal. Pensamentos os quais produzem
coisas, pensamentos que produzem o bem ou o mal, não podem ser espirituais.

Observe que em nenhum lugar Ele diz que o pensamento vai produzir
espiritualidade. Pelo contrário, somos informados pela maior Luz espiritual, "Qual
de vós, tendo pensamento, pode acrescentar um côvado à sua estatura?" E a
partir de Isaías: "Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos."
Em outras palavras, o pensamento humano não é espiritual.

Até que você perceba que o reino físico e mental é um e o mesmo, mortal e
material, você estará olhando para o seu bem no lugar errado. "Não por força
(física) não pelo poder (mental), mas pelo meu Espírito diz o Senhor". Você não
está consciente do reino espiritual ou reino de Deus, harmonia, até que você se
erga acima das coisas e pensamentos. Se você acha que isso é difícil, você pode
entender porque tão poucos entenderam isso. Os homens tornaram-se satisfeitos
quando chegaram ao reino mental, pensando que estavam no céu ou no estado
de harmonia - apenas para descobrir mais cedo ou mais tarde que eles estavam
apoiados num caniço (facilmente partidos pelo vento). Então, chega um dia
quando eles precisam de um pensamento certo, e ele não vem ou não funciona.

Peço a Deus que você perceba que está ouvindo a sabedoria mais
profunda das eras (dos tempos) a verdade sobre Céu, harmonia. Eu posso revelar
isso para você e com a sua paciência e a minha, eu posso ajudá-lo na sua
realização - mas você tem que aceitar, para ver, compreender e, finalmente
perceber e demonstrar essa verdade da Verdade.

Enquanto você está se aprofundando em torno de pensamentos - mesmo


bons pensamentos, o seu estado é apenas um estado mais elevado de
materialidade, onde existem os mesmos opostos: o bem e o mal, a saúde e
doença, vida e morte, pobreza e riqueza, e discórdia e harmonia. No reino
espiritual há apenas perfeição infinita, eterna ou Vida eterna e imortal.

No plano físico, a queda produz uma contusão ou ruptura, no mental, há


uma crença de acidente produzindo uma crença de contusão ou de quebra. No

109
físico, a idade produz a perda das faculdades, dos dentes, da vitalidade e no
mental, há a crença de como a idade produz essas mesmas discórdias físicas.

Na consciência espiritual nenhuma dessas crenças mentais é encontrada,


nem no físico e nem na imaginação. O reino espiritual não tem nem crenças, nem
condições - apenas a graça eterna do divino Ser.

Provavelmente quando você primeiro estudou a Verdade, você achou uma


coisa difícil elevar-se acima do físico para o mental, sem dúvida, você lutou
consigo mesmo para aprender que os efeitos físicos tiveram causas mentais.
Agora que você conseguiu isso - digo-vos que apenas atingiram um estado mais
elevado de materialidade. Digo-vos que o físico e o mental são dois estágios do
mesmo, o qual é mortal e material. Agora você tem que se elevar acima das
coisas e dos pensamentos.

Que diferença faz se é por causa de uma crença de que as maçãs verdes
causam cólicas - ou apenas por causa das próprias maçãs verdes (mental e
físico). Você ainda tem cólicas para eliminar do pensamento e maçãs verdes para
eliminar do corpo (os dois estágios). Neste ponto, você vai se perguntar o que
fazer ou pensar no caso das maçãs verdes produzirem cólicas. No momento em
que você deixar o reino das coisas e pensamentos, não terá nenhum efeito - ou,
provavelmente, você nem as comerá. No momento, perceba que nem as maçãs,
nem a crença sobre elas é poder, por causa do Primeiro Mandamento: "Não terás
outros deuses diante de mim", e você sabe que isso é Meu Espírito e, portanto, o
único poder é aquele poder EU SOU. Que poder tem tanto a maçã ou a crença
desde que EU SOU a lei - a única lei para os dois: maçãs e a crença? Você se
lembra de que lhe foi dado o domínio sobre as coisas da terra e sobre os
pensamentos ou o reino mental? Você é a lei, nem coisas e nem os pensamentos
podem governá-lo, controlá-lo ou afetá-lo.

Lembre-se que afirmar essa verdade não é poder - não é o curador; é a


verdade não declarada que é o Poder e a Presença. Essa verdade seria o único

110
fator em sua existência, mas agora pare com a aceitação da dualidade - de uma
individualidade separada de Deus.

Como é este Reino espiritual ou consciência, uma vez que você nunca
provou ou tocou nele, mas, apenas no reino das coisas ou pensamentos? Esse é
o nosso próximo passo de realização e você vai alcançá-lo na proporção da sua
capacidade de libertar-se da influência do pensamento individualista ( "contagiar-
se pelo pensamento)".

Uma coisa é certa: a consciência espiritual não elevará a desgastada


experiência humana; não vai medicar seus males ou adicionar dólares para o seu
rendimento (embora Ela apareça para fazer exatamente essas mesmas coisas). A
consciência espiritual se manifestará de uma forma completamente nova, vital,
espiritual, eterna e só o mundo dos seres humanos enxergará tal coisa como
humanidade melhorada. Você vai vê-La como Ela realmente é - Onipresente.

111